Você está na página 1de 3

Uma Homenagem a mim (Dia 9 de Dezembro)!

Hoje é o dia do meu Aniversário e estou muito orgulhoso de mim mesmo!


Hoje estou perante mim mesmo, fazendo uma introspeção profunda. O dia 9 de Dezembro
é de muita reflexão sobre o meu percurso de vida, as muitas escolhas e decisões que tomei
até hoje.
Sou um Homem de Personalidade Forte, com resquícios dos meus ancestrais e, em grande
maioria, com personalidade adquirida ao longo da vida, na interação social e nas viagens
aos mundos dos grandes Homens por meio da leitura. Sou tão híbrido, com facilidade
para encontrar equilibração, sim, equilibração, porque passo da adaptação, assimilação e
acomodação para encontrar a harmonia com a natureza.
Vejo um indivíduo flexível quando me olho no espelho da alma. Um sujeito capaz de
amar, pois amar é o estado natural da mente humana e o ódio é-nos ensinado pela
sociedade, refletindo os estereótipos.
Tenho um olhar penetrante e uma voz cujo tom transmite autoridade. Muitas vezes
incompreendido e crucificado com os pregos verbais agudizantes como um sujeito
convencido e/ou orgulhoso.
Entre as minhas maiores virtudes/qualidades, expeço a Coragem, a Humildade, o
Orgulho, a Honestidade, a Determinação, a Simplicidade, etc. Destaco a Coragem, porque
nunca tive medo do desconhecido, antes sou atraído por ele. Humildade porque é com ela
que se aprende ao ter coragem de admitir as limitações e procurar superá-las. Orgulho
porque não me vergo à adulação e a petulância de ser espezinhado e continuar de braços
cruzados sem nada fazer para contrariar. Honestidade porque sou um homem de honra,
na maioria das vezes, faço da minha palavra código de conduta para agir sempre com
critérios normativos de valorização de boa-fé. Determinação porque sigo a minha
planificação e programação, ando determinado em dar vida a cada um dos meus sonhos,
sou um Homem focado. Simplicidade porque, por trás do discurso e da imagem de um
Homem corajoso, humilde, orgulhoso, honesto e determinado, está o Evaristo um simples
Homem, filho do Senhor Eugénio João das Mangas e da Senhora Helena Mendes, um
mortal, um gajo simples com muitas feridas mentais por sarar as quais estão difíceis
cicatrizar.
Na perspetiva em de que o sujeito é aquele que pratica a ação e predicado a ação praticada
pelo sujeito, sou um indivíduo de muitos predicados, desde às merdas, às coisas boas.
Muitas pessoas com corações de granito negro tentaram implantar a insensibilidade em
meu coração, botando impossibilidades nos caminhos por que trilhava. Os meus
sentimentos são os árbitros e negociadores das minhas ações e, por meio deles, vou
construindo a minha personalidade. As minhas emoções são reguladas pela dor e
sofrimento na busca do bem-estar e do prazer.
Quando a vida esteve de costas para à mim, apalpei-lhe o traseiro e, então, sorriu para
mim. Não sou Moisés, não ando com uma vara para separar águas/mares, mas quando
não encontro caminhos também abro um para poder passar. Quem se interpõe no meu
caminho tem que estar preparado para enfrentar a ira de um Homem forjado no
sofrimento, condenado à morte à nascença, mas que, com sua coragem e bravura
equipotente à dos grandes guerreiros da história da humanidade, se impõe para chegar ao
dia seguinte e no dia seguinte se impõe para viver e alcançar o outro dia. À semelhança
das térmitas determinadas, a minha luta só termina com o último suspiro, sou um plano
para dar certo, no matter what things they do!
Vivo uma luta produzida por um padrão oculto do drama humano, na procura da
felicidade alimentada pelos anseios da prosperidade. Ao vislumbrar o futuro que, de
forma incessante, antecipa-se na alvorada de um novo dia, surge a homeostasia das
minhas insónias.
Quando olho para mim, vejo um homem louco por opção e irresponsável nas bocas
maldizentes de muitos indivíduos que apenas sujam e nunca limpam os outros. Afinal de
contas, quem me suja não me limpa!
Aos que outorgam a mim o título de louco e irresponsável, nutro por eles uma admiração
mútua à sua loucura de pensar que sou louco e por viverem em escassez num mundo de
abundância.
Nessa vida de grandes batalhas, apenas me arrependo das coisas que não fiz. Tenho
orgulho por cada uma das minhas escolhas e opções que fiz, desde os erros aos acertos.
Daqueles, sobretudo, tenho muito orgulho porque só assim pude aprender inúmeras lições
e vivenciar experiências que contribuíram muito para a formação do Homem que sou
hoje. Penso que em circunstâncias semelhantes, os Bravos com Personalidade Forte
teriam feito as mesmas escolhas.
Não me permiti que, por si só, a falta de coragem e poder de decisão para enfrentar
desafios se constituíssem num indicador de mediocridade. Carrego muita aversão à
mediocridade, porque nunca o plágio vai tirar o lugar do autêntico. Por uma questão de
fé, acredito e, por meio da razão, tenho plena convicção de que há muito potencial em
mim ainda por despertar. Só preciso de Excitação adequada.
Nesta odisseia, guardo comigo o pergaminho verbal dos discursos do meu Pai, para
extrair neles a força de que preciso para enfrentar os difíceis rumos que muitas vezes
seguem as minhas escolhas. No desabrochar da resiliência, ressurjo das atrocidades dos
piores momentos de incertezas da vida. Os abraços dos amigos que se comprazem com a
minha luta têm sido um verdadeiro bálsamo e anestésico eficaz para a alma, reduzindo o
sentimento de desconforto.
Não sou uma estrela em ascensão, o meu pensamento transfinito de um sonhador sempre
tratou de elevar-me a grandes galáxias. A viagem pelos livros A long walk to the freedon,
Nunca desista dos seus sonhos, Professores Brilhantes e Pais Fascinantes, os 50 Grandes
discursos da História, A Arte de Guerra, o Livro da Consciência, O Príncipe, Educação
Para Uma Prática de Liberdade, Pedagogia do Oprimido, Pedagogia da Autonomia,
Odisseia, Ilíada, A estranha Ordem das Coisas, entre outros, contribuíram de forma
significativa para a construção do Homem que sou e pretendo ser.
Os modelos que não encontrei na minha família, a vida encarregou-se de dar-me. Sou um
Homem amado por muitos que bem me querem. Tenho muitos Amigos, mas não o
suficiente para uma vida inteira, há espaço para mais milhares deles. Tens cá um Amigo
para ser feliz com sua Amizade. Sou extrovertido, digo com facilidades as coisas que
penso, mas sempre com o cuidado de não ferir os outros.
Não sou um deus e muito menos um super-homem, também preciso da ajuda dos outros
para me reerguer. Tenho uma dívida para com a Humanidade em virtude da compaixão
nascida da empatia das minhas angústias. Estou muito grato por cada um dos gestos de
Amor, Carinho e Atenção com que tenho sido agraciado ao longo dos tempos, vindos de
quem a mim nada deve. O Amor ao próximo é o estado natural das sociedades.
Nos dias de hoje, por resiliência, me tenho engajado em fazer valer a pena cada uma das
gotas de lágrimas dos meus olhos entristecidos por falta de uma oportunidade na vida.
Sou o Homem que ofereceu a si mesmo a oportunidade de ouro de aprender todos os dias.
Depois do ISCED-Huila-Angola, estou eu cá em Portugal na Faculdade de Ciências da
Universidade da Beira Interior UBI, Covilhã, fazendo ginásticas no pensamento para
aprender a pensar de forma particular nos entes matemáticos e, de forma geral, na
dimensão do homem enquanto ser social. Auguro êxitos nessa trajetória, para obtenção
do título de Mestre em Matemática, especialização em Estatística e Análise de Dados.
Encerro com estas palavras dirigidas a mim, porque estou perante a mim mesmo pensando
na Rima da Minha Vida: a minha Esposa Joaquina, a minha Filha Josina e a minha Mãe
Helena têm os olhos voltados a mim e esperam que seja nada menos que o Evar(isto)
J(osé) das Mangas, The Undefeated. Se Deus quiser um dia serei um astro brilhante no
Horizonte da ciência, sou um Homem em Construção a tentar lapidar o melhor de si.
Que a idade me seja leve na muita responsabilidade que tenho pela Rima da Minha Vida!
Parabéns e muitos anos de vida para ver os ganhos de cada uma das batalhas travadas!
Feliz Aniversário!