Você está na página 1de 9

com vistas à verificação dos veículos e dos equipamentos a

PREFEITURA serem credenciados, e se estes atendem aos tipos de servi-


MUNICIPAL DE ços e às disposições pertinentes da presente Lei e as NBRs
13463/95 13221/03 e demais normas técnicas estabelecidas;
SÃO GONÇALO XV- Resíduos Sólidos ou Lixo- qualquer substân-
cia ou objeto, com consistência sólida ou semissólida, de que
ATOS OFICIAIS o detentor se desfaz ou tem a intenção ou a obrigação de se
Em, 24 de julho de 2017. desfazer.
§ 1º Na regulamentação da presente Lei, serão es-
GABINETE DO PREFEITO tabelecidas as programações visuais de veículos e equipa-
LEI Nº 715/2017 mentos, para cada tipo de resíduo coletado e removido, de
ESTABELECE AS DIRETRIZES PARA O acordo com as Normas Brasileiras em consonância.
CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS § 2º Os resíduos sólidos gerados por qualquer
QUE PRESTAM OU QUE DESEJAM PRESTAR pessoa física ou jurídica serão removidos pelo órgão próprio
SERVIÇOS DE COLETA E REMOÇÃO DE da Municipalidade ou por seus contratados no quantitativo
RESÍDUOS SÓLIDOS ESPECIAIS NO máximo de até 100 (cem) litros, desde que respeitados os
MUNICÍPIO DE SÃO GONÇALO, E DÁ OUTRAS horários, locais e condições determinadas pelo Poder Público
PROVIDÊNCIAS. para a coleta.
O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO, no uso § 3º No que exceder a quantidade máxima de 100
de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal (cem) litros, os resíduos sólidos gerados por qualquer pessoa
decretou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: física ou jurídica, ficarão sob inteira responsabilidade destas
CAPÍTULO I até a disposição final.
DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 2º - A fiscalização do cumprimento desta Lei e a
Art. 1º - Para efeito desta Lei considera-se: aplicação das respectivas autuações e penalidades caberá à
I - Pequeno Gerador: estabelecimento público ou SEMMA – Secretaria Municipal de Meio Ambiente– e à SEM-
privado, com atividades comerciais, industriais ou de servi- DUR – Secretaria Municipal Desenvolvimento Urbano, esta
ços, que produz, diariamente, até 100 (cem) litros de resíduos, especificamente nos casos de fiscalização de veículos e e-
que possam ser classificados como Resíduos Sólidos Urba- quipamentos a serem credenciados.
nos (RSU); CAPITULO II
II - Grande Gerador: estabelecimento público, ou DOS OBJETIVOS
privado, com atividades comerciais, industriais ou de servi- Art. 3º - A presente Lei tem por objetivo estabelecer os
ços, que produz, diariamente, acima de 100 (cem) litros de procedimentos para o credenciamento de pessoas jurídicas
resíduos, não tendo assim, o Município de São Gonçalo obri- que prestam e desejam prestar serviços de coleta e remoção
gação de coletar e remover, ficando o gerador obrigado a de Resíduos Sólidos Especiais no Município de São Gonçalo,
coletar e remover tais resíduos às suas expensas; buscando assegurar a sua eficiência na prestação destes
III - Acondicionamento: colocação dos resíduos no serviços e a garantia de seu padrão de qualidade.
interior de recipientes apropriados e estanques, em regulares Art. 4º - Esta Lei se aplica a todas as pessoas jurídicas
condições de higiene, visando a sua posterior estocagem ou que prestam ou pretendem prestar serviços de coleta e remo-
coleta; ção de RSE (Resíduos Sólidos Especiais) no Município de
IV - Selo Verde: documento que credencia as pes- São Gonçalo, independente da quantidade.
soas jurídicas para a prestação dos serviços no âmbito do CAPÍTULO III
atendimento da presente Lei; DOS TIPOS DE RESÍDUOS SÓLIDOS
V - Coleta: conjunto de atividades para retirada Art. 5º - Os resíduos sólidos podem ser classificados
dos resíduos devidamente acondicionados e retirados medi- em dois grupos: Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) e Resíduos
ante o uso de equipamentos e veículos apropriados para tal; Sólidos Especiais (RSE).
VI - Destinação Final ou Disposição Final: conjunto Art. 6º - Os resíduos sólidos urbanos, identificados pe-
de atividades que objetivam dar o destino final adequado ao la sigla RSU, abrangem:
resíduo, tratando ou dispondo-os, sem causar danos ao meio I - O lixo domiciliar ou doméstico produzido em
ambiente em área devidamente licenciada; habitação unifamiliar ou multifamiliar com características não
VII - Estocagem - armazenamento dos resíduos em perigosas, especialmente aquele proveniente das atividades
local adequado, de forma controlada e por curto período de de preparação de alimentos ou da limpeza regular desses
tempo até ser levado ao destino final devidamente licenciado; locais;
VIII - Limpeza de Logradouros - conjunto de ativi- II - Os bens inservíveis oriundos de habitação uni-
dades para remoção dos resíduos lançados ou gerados nos familiar ou multifamiliar, especialmente peças de mobília,
logradouros, mediante uso de equipamentos e veículos apro- eletrodomésticos ou assemelhados, cuja forma ou volume os
priados para tal, bem como a lavagem dos logradouros; impeçam de ser removidos pelo veículo da coleta domiciliar
IX - Oferta - colocação dos recipientes contendo regular;
os resíduos na calçada em frente ao domicílio, junto ao meio- III - Os resíduos de poda de manutenção de jardim,
fio ou em outro local especificamente designado pela SEM- pomar ou horta de habitação unifamiliar ou multifamiliar, es-
MA, e de acordo com a Lei Municipal Nº. 17/2003, Código de pecialmente troncos, aparas, galhadas e assemelhados, de
Posturas; acordo com as quantidades e periodicidade estabelecidas
X - Remoção - coleta e transporte de resíduos dos pelo órgão ou entidade municipal competente;
locais de produção até o local licenciado de tratamento e seu IV - O lixo público, decorrente da limpeza de logra-
destino final; douros, especialmente avenidas, ruas, praças e demais espa-
XI - Segregação na Fonte - separação dos resíduos ços públicos;
nos seus diferentes tipos ou nas suas frações passíveis de V - O lixo oriundo de feiras livres;
valoração, no seu local de geração; VI - O lixo oriundo de eventos realizados em áreas
XII - Transporte - transferência física dos resíduos públicas; nomeadamente parques, praias, praças e demais
coletados até uma unidade de tratamento ou disposição final espaços públicos;
licenciada, mediante o uso de veículos apropriados; VII - Os excrementos oriundos da defecação de a-
XIII - Tratamento ou Beneficiamento – conjunto de nimais em logradouros;
atividades de natureza física, química ou biológica, realizada VIII - O lixo que possa ser tipificado como domici-
manual ou mecanicamente com o objetivo de alterar qualitati- liar produzido em estabelecimentos comerciais, de serviços
va ou quantitativamente as características dos resíduos, com ou unidades industriais ou instituições/entidades públicas ou
vistas à sua redução, reaproveitamento, valorização, para privadas ou unidades de trato de saúde humana ou animal ou
facilitar sua movimentação ou sua disposição final; mesmo em imóveis não residenciais, cuja natureza ou com-
XIV - Vistoria Técnica - vistoria realizada pela posição sejam similares àquelas do lixo domiciliar, e cuja
SEMDUR – Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano produção esteja limitada ao volume diário, por contribuinte,

1
de acordo com o Art.259, Inciso II do Código Tributário de São IV - Cartão de Inscrição no Cadastro de Contribuin-
Gonçalo; tes, estadual ou municipal, se houver, relativo ao domicílio ou
§ 1º Fica estabelecido que o Resíduo Sólido Urba- sede da empresa;
no (RSU) ao ultrapassar o limite de 100 litros por dia, de acor- V - Prova de regularidade com a Fazenda Munici-
do com o Art. 259, Inciso II, do Código Tributário de São Gon- pal e a Seguridade Social, mediante a apresentação dos se-
çalo, será denominado lixo extraordinário. guintes documentos: Certidão Negativa de Tributos do Muni-
§ 2º O entulho de pequenas obras de reforma, de cípio de São Gonçalo e Certidão de Regularidade com a Segu-
demolição ou de construção em habitação unifamiliar ou mul- ridade Social (CND);
tifamiliar, especialmente restos de alvenaria, concreto, madei- VI - Registro do responsável técnico em entidade
ras, ferragens, vidros e assemelhados, de acordo com as profissional competente com habilitação para execução das
quantidades e periodicidade estabelecidas pelo órgão ou atividades pleiteadas pela empresa;
entidade municipal competente não será considerado resíduo VII - Licença de Operação emitida pelos órgãos
sólido urbano (RSU), ficando sua remoção exclusivamente a ambientais competentes;
cargo e às expensas da pessoa física ou jurídica que o produ- VII - Apresentação da Relação de Veículos;
zir. IX - Apresentação da Relação de Equipamentos;
Art. 7º - Os resíduos sólidos especiais, identificados X - Certificado(s) de Registro e Licenciamento de
pela sigla RSE, abrangem: Veículos – CRLV, com a devida validade do DETRAN, autenti-
I - O lixo extraordinário, definido no Art. 6º, pará- cado (s) ou com o original (is) para conferência.
grafo único; Art. 9º - O Requerimento de Renovação de Credencia-
II - O lixo perigoso que apresente ou possa apre- mento deverá ser encaminhado à SEMMA – Secretaria Muni-
sentar riscos potenciais à saúde pública ou ao meio ambien- cipal de Meio Ambiente– ou à SEMDUR – Secretaria Municipal
te, devido à presença de agentes biológicos ou às suas carac- de Desenvolvimento Urbano, em até 30 (trinta) dias antes da
terísticas físicas e químicas; data prevista para o término da validade do credenciamento.
III - O lixo infectante resultante de atividades médi- Art. 10 - Veículos e equipamentos que completem a
co-assistenciais e de pesquisa produzido nas unidades de vida útil máxima permitida no período de credenciamento
trato de saúde humana ou animal, composto por materiais deverão ser desmobilizados ao término de sua vida útil má-
biológicos ou pérfuro-cortantes contaminados por agentes xima, independente da vigência do certificado de credencia-
patogênicos, que apresentem ou possam apresentar riscos mento.
potenciais à saúde pública ou ao meio ambiente; Art. 11 - O deferimento do pedido de renovação de
IV - O lixo químico resultante de atividades médi- credenciamento de qualquer natureza estará vinculado à a-
co-assistenciais e de pesquisa produzido nas unidades de presentação de documentos atualizados.
trato de saúde humana ou animal, notadamente medicamen- Art. 12 - O Certificado de Credenciamento terá valida-
tos vencidos ou contaminados ou interditados ou não utiliza- de de 01 (um) ano.
dos, e materiais químicos com características tóxicas ou cor- CAPÍTULO V
rosivas ou cancerígenas ou inflamáveis ou explosivas ou DAS CARACTERÍSTICAS EXIGIDAS PARA O CREDENCIA-
mutagênicas, que apresentem ou possam apresentar riscos MENTO DE VEÍCULOS E EQUIPAMENTOS
potenciais à saúde pública ou ao meio ambiente; Art. 13 - Os veículos e equipamentos deverão estar de
V - O lixo radioativo, composto ou contaminado acordo com as NBRs 13463/95 e 13221/03, Resolução ANVISA
por substâncias radioativas; RDC-306, de 07/12/04 e demais normas, resoluções e legisla-
VI - Os lodos e lamas, com teor de umidade inferi- ções pertinentes atendendo aos seguintes parâmetros:
or a setenta por cento, oriundos de estações de tratamento de I - As empresas deverão comprovar a seguinte fro-
águas ou de esgotos sanitários ou de fossas sépticas ou pos- ta mínima:
tos de lubrificação de veículos ou assemelhados; a) Remoção de lixo extraordinário: 02 (dois) veícu-
VII - O material de embalagem de mercadoria ou los compactadores, com capacidade útil mínima
objeto, para sua proteção e/ou transporte; que apresente al- de 6 m³;
gum tipo de risco de contaminação do meio ambiente; b) Remoção de lixo infectante: 02 (dois) furgões
VIII - Resíduos outros, objeto de legislação especí- leves do tipo hospitalar, com capacidade mínima
fica, e que os exclua da categoria de resíduos sólidos urba- para 500 kg;
nos, conforme definidos no Art. 6º. §1º Outras composições de frota mínima somente
XIX- Os grandes geradores são integralmente res- poderão ser aceitas mediante consulta prévia à SEMMA.
ponsáveis pelo gerenciamento ambientalmente adequado dos §2º Na coleta de lixo infectante, não serão aceitas
resíduos sólidos similares aos resíduos domiciliares que caixas compactadoras estacionárias.
gerem e pelos ônus dele decorrentes. Para execução de ativi- Art. 14 - A idade máxima dos veículos e equipamentos
dades do gerenciamento, os grandes geradores podem cele- destinados à coleta de resíduos sólidos inertes será de até 10
brar contratos apenas com as empresas cadastradas pela (dez) anos.
SEMMA. Art. 15 - A idade máxima dos veículos e equipamentos
CAPÍTULO IV destinados à coleta de lixo extraordinário e lixo infectante
DOS PROCEDIMENTOS PARA O CREDENCIAMENTO será de até 05 (cinco) anos.
Art. 8º - As Pessoas Jurídicas que desejarem se cre- Art. 16 - É vedada a utilização de veículos não creden-
denciar para a prestação de serviços de coleta e remoção de ciados nos serviços de remoção de resíduos de qualquer
Resíduos Sólidos Especiais deverão encaminhar requerimen- natureza, salvo nos casos de força maior, desde que prévia e
to, em papel timbrado da empresa, à SEMMA- Secretaria Mu- formalmente comunicado pelo interessado e aprovado por
nicipal de Meio-Ambiente- ou à SEMDUR – Secretaria Munici- escrito a condição excepcional pela SEMMA, condição excep-
pal de Desenvolvimento Urbano, cujo modelo se encontra no cional válida por um período não superior a 60 (sessenta)
Anexo I desta Lei, acompanhado dos documentos (original e dias.
cópia) relacionados a seguir: Art. 17 - Para garantia da manutenção das condições
I - Estatuto ou Contrato Social em vigor, devida- de higiene e limpeza dos logradouros, todos os veículos cre-
mente consolidado, ou todas as suas alterações, em suas denciados para remoção de lixo extraordinário e lixo infectan-
cláusulas e registrado no órgão pertinente. Em se tratando de te deverão ser equipados com dispositivos de drenagem e
sociedades comerciais e, no caso de sociedade por ações, acumulação de chorume, que impeçam seu vazamento em
acompanhados de documentos de eleição de seus adminis- logradouro público quando em operação, com exceção da-
tradores; queles destinados a transportar exclusivamente contêineres
II - Alvará(s) de funcionamento emitido(s) pela(s) estanques.
Prefeitura(s) do(s) local (is) onde se encontra(m) a(s) instala- Art. 18 - Veículos leves, como furgões e motonetas,
ção (ões) da empresa a ser credenciada; poderão prescindir do sistema de drenagem e acumulação de
III - Cartão de Inscrição no Cadastro Nacional de chorume, desde que estejam equipados com carrocerias es-
Pessoa Jurídica (CNPJ); tanques.

2
Art. 19 - Os veículos destinados à remoção de lixo in- VI - Manter o original ou cópia autenticada do certi-
fectante deverão ser devidamente equipados e atender às ficado de credenciamento sempre no interior do veículo;
Normas Técnicas Vigentes. VII - Fornecer todos os equipamentos de proteção
CAPÍTULO VI individual necessários ao seu pessoal em operação nos veí-
PROCEDIMENTOS PARA INCLUSÃO OU EXCLUSÃO DE culos credenciados;
VEÍCULOS E EQUIPAMENTOS VIII - Remover caçamba de coleta de resíduos no
Art. 20 - O pedido para inclusão ou exclusão de veícu- prazo de 48 (quarenta e oito) horas após a colocação, inde-
los e equipamentos deverá ser encaminhado à SEMMA – Se- pendente da quantidade de resíduos em seu interior;
cretaria Municipal de Meio Ambiente- em até 30 (trinta) dias IX - Remover a caçamba de coleta de resíduos no
antes da data prevista para o término da validade do creden- prazo de 8 (oito) horas após a mesma estar cheia, ou com
ciamento e estará sujeito à vistoria da SEMDUR – Secretaria foco de insalubridade, ou com resíduos misturados a outros
Municipal de Desenvolvimento Urbano- para posterior valida- tipos, ou estiverem colocadas de forma a prejudicar a utiliza-
ção do credenciamento junto a SEMMA – Secretaria Municipal ção de sarjetas, bocas de lobo, hidrantes, mobiliário urbano,
de Meio Ambiente. ou prejudicando a circulação de veículos, pedestres, cadei-
Art. 21 - As empresas serão comunicadas, via e-mail rantes e carrinhos de bebê nos logradouros e calçadas;
ou telefone, pela SEMDUR – Secretaria Municipal de Desen- X - Seguir os parâmetros da Lei Municipal n.º
volvimento Urbano–, sobre a data, horário e local da Vistoria 017/2003, no que se referem os artigos que doutrinam a insta-
Técnica de veículos e equipamentos. lação de caçambas;
Parágrafo único. A Conformidade da Frota à presente XI – Manter os veículos equipados com rastreador
Lei será condição essencial para o credenciamento efetuado operacional em 100% do tempo operacional (GPS) conforme
pela SEMMA. determinação da lei estadual nº 6862 de 15 de julho de 2014
Art. 22 - O pedido para exclusão de veículos e equi- Art. 26 - Os resíduos removidos deverão ser en-
pamentos deverá ser encaminhado à SEMMA, em qualquer caminhados para locais devidamente licenciados a realizar o
momento que seja necessário, estando vinculado à apresen- tratamento e destinação final, devendo ser apresentados
tação do antigo credenciamento. mensalmente os manifestos de resíduos à SEMMA.
Art. 23 - Somente serão aceitos para credenciamento, CAPÍTULO VIII
veículos e equipamentos que atendam às disposições desta DAS PENALIDADES PELO DESCUMPRIMENTO DA
Lei, bem como aos parâmetros ambientais quanto à poluição PRESENTE LEI
do ar e sonora, em estrita observância à legislação pertinente Art. 27 - Constatada a violação das normas previstas
e às normas específicas. na presente Lei, o infrator fica sujeito à aplicação das penali-
Parágrafo único. Veículos e equipamentos com espe- dades estabelecidas, bem como aquelas contidas na Lei Fe-
cificações em desacordo com essa Lei e demais normas es- deral n.º 9.605/98, nas Leis Municipais n.º 016/2001, n.º
pecíficas não serão inclusos no credenciamento. 017/2003 e no Decreto n. º 111/2001.
CAPÍTULO VII Art. 28 - O pagamento das multas e de seus respecti-
DAS RESPONSABILIDADES DAS EMPRESAS vos encargos deverá ser feito de acordo com o Decreto Muni-
CREDENCIADAS cipal n. º 111/2001 e com a Lei Federal 9.605/98, devendo ser
Art. 24 - As empresas credenciadas são responsáveis revertidos para o Fundo Municipal de Meio Ambiente.
pelo cumprimento das determinações emanadas pelos órgãos Art. 29 - Constituem infrações à presente Lei:
de controle ambiental, vigilância sanitária e SEMDUR – Secre- I) Utilização de veículos não credenciados em ser-
taria Municipal de Desenvolvimento Urbano e, em especial, ao viços regulamentados por esta lei:
que dispõem as Resoluções da ANVISA, as Diretrizes e Ins- a) Penalidade: apreensão do veículo pelos órgãos
truções Técnicas do INEA, Portarias, as Normas Técnicas competentes, sujeitando o infrator, em caso de re-
vigentes e Resoluções do CONAMA, bem como atendimento incidência, ao descredenciamento.
às NBRs relativas à operação. II) A não apresentação, até o 5º (quinto) dia útil de
Parágrafo único. As empresas credenciadas deverão, cada mês, da relação atualizada de clientes ensejará a notifi-
também, respeitar a legislação pertinente à sua atividade, em cação do infrator para a devida regularização em até 05 (cin-
especial, aquela relativa aos resíduos sólidos, meio-ambiente, co) dias úteis:
trato de saúde e emissão de ruídos e gases, respondendo a) Penalidade: o não atendimento no referido pra-
solidariamente pelos eventuais danos causados ao sistema zo adicional sujeitará o infrator à retirada da em-
de limpeza urbana, à saúde pública, ao patrimônio público e presa da Relação de Credenciada(o)s nos sites da
ao meio-ambiente, devendo, ainda, alertar os seus contratan- Prefeitura Municipal de São Gonçalo, com conse-
tes quanto à necessidade do cumprimento de tais determina- quente impedimento de manter a realização dos
ções. serviços de coleta no município.
Art. 25 - As empresas credenciadas deverão ainda: III) A ausência total ou parcial da programação vi-
I - Proceder imediatamente à limpeza dos logra- sual prevista nesta lei após a vistoria realizada pela SEMDUR
douros e também, se for o caso, à sua desinfecção, quando – Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano – creden-
os resíduos, no ato do recolhimento para o veículo ou no ciamento de coleta para remoção de resíduos sólidos especi-
transporte, sujarem esses locais, ou sempre que notificado ais:
pela Fiscalização da SEMMA; a) Notificação: será concedido ao infrator o prazo
II - Manter os veículos e equipamentos credencia- de 30 (trinta) dias corridos para o seu cumprimen-
dos em perfeitas condições de operação, de limpeza e de to.
desinfecção; b) Penalidade: a não adequação até o trigésimo dia
III – As empresas credenciadas deverão informar à corrido após o recebimento da notificação, impli-
SEMDUR – Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano cará a suspensão do credenciamento do(s) veícu-
– a relação de clientes e a numeração da Nota Fiscal corres- los(s) irregular(es).
pondente aos serviços prestados, complementado pelas des- IV) Funcionário(s) trabalhando sem uniforme com-
crições dos quantitativos coletados e locais de recepciona- pleto ou sem equipamento de proteção individual:
mento com indicação das quantidades entregues por local a) Notificação: será concedido ao infrator o prazo
licenciado. Tal relação deverá ser enviada até o 5º (quinto) dia de 2 (dois) dias úteis para correção;
útil do mês subsequente, por meio eletrônico em documento b) Penalidade: a não correção, até o segundo dia
editável, preferencialmente por meio de e-mail institucional, útil após o recebimento da notificação, sujeitará o
além de cópias dos manifestos dos resíduos emitidos con- infrator à penalidade à suspensão do credencia-
forme regramento emitido pelo INEA; mento e à retirada da empresa da Relação de Cre-
IV - Aplicar programação visual diferenciada para denciada(o)s no site da Prefeitura Municipal de
as frotas utilizadas em cada tipo de serviço e mantê-la em São Gonçalo.
perfeitas condições na vigência do credenciamento; V) Impedir a inspeção da SEMDUR – Secretaria
V - Apresentar à SEMMA as informações relativas Municipal de Desenvolvimento Urbano – em sua frota de veí-
a inclusão ou substituição de qualquer veículo; culos ou equipamentos:

3
a) Notificação: será concedido ao infrator o prazo Art. 40 - Revogam-se as disposições em contrário.
de 24 (vinte e quatro) horas para permitir a inspe- São Gonçalo, 21 de julho de 2017.
ção. JOSÉ LUIZ NANCI
b) Penalidade: a não observância desta norma su- Prefeito
jeitará o infrator à penalidade de suspensão do LEI Nº 716/2017
credenciamento e à retirada da empresa da Rela- ESTABELECE DIRETRIZES PARA O
ção de Credenciada(o)s no site da Prefeitura de CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS
São Gonçalo. QUE PRESTAM OU DESEJAM PRESTAR
VI) Vazamento de chorume em logradouros públi- SERVIÇOS DE COLETA E REMOÇÃO DE
cos: ÓLEOS E GORDURAS DE ORIGEM VEGETAL E
a) Notificação: será notificado o infrator para ces- ANIMAL USADAS, NO SENTIDO DE
sar imediatamente a irregularidade. INCENTIVAR A LOGÍSTICA REVERSA NO
b) Penalidade: aplicação das penalidades legais e ÂMBITO MUNICIPAL.
a suspensão do credenciamento do veículo até a O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO, no uso
realização de nova vistoria técnica. de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal
VII) Utilização de veículo credenciado para a exe- decretou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei:
cução de outros serviços que não os especificados no certifi- CAPÍTULO I
cado de credenciamento: DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
a) Notificação: será notificado o infrator para ces- Art. 1º - São geradores de óleos e gorduras usadas,
sar imediatamente a irregularidade todas as pessoas jurídicas que, em decorrência de sua ativi-
b) Penalidade: a não suspensão dos serviços irre- dade, consumo ou uso comercial, gerem qualquer quantidade
gulares implicará o descredenciamento permanen- de óleo e gordura de origem vegetal e animal usados.
te do veículo. Parágrafo único - A Secretaria Municipal de Meio Am-
Art. 30 - O prestador de serviço poderá ter o seu Certi- biente – SEMMA – promoverá ações e medidas para incenti-
ficado de Credenciamento cassado, a critério exclusivo da var as empresas e os cidadãos comuns no processo de logís-
SEMMA, caso seja um infrator reincidente ou atue com dolo. tica reversa das substâncias de que trata esta Lei.
Art. 31 - No caso de apresentação de recursos pelo in- Art. 2º - São obrigações do gerador de óleo e gordura
frator sobre eventuais penalidades aplicadas e não tendo este usados de origem vegetal e animal:
efetuado o pagamento da multa correspondente, o Certificado I – armazenar os óleos e gorduras de origem vege-
de Credenciamento será suspenso cautelarmente até a deci- tal e animal usados, de forma segura, em lugar acessível à
são final pela SEMMA. coleta, e em recipientes adequados e resistentes a vazamen-
CAPÍTULO IX tos ou contaminação;
DAS DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS II – adotar as medidas necessárias para evitar que
Art. 32 - As empresas que tenham sido credenciadas óleo e gordura usados de origem vegetal e animal venham a
junto à SEMMA para a execução de serviços de coleta e re- serem contaminados por produtos químicos, combustíveis,
moção devem, obrigatoriamente, aplicar programação visual solventes e outras substâncias, salvo as decorrentes da sua
diferenciada para as frotas utilizadas em cada tipo de serviço normal utilização;
de acordo com as Normas Técnicas e Resoluções vigentes e III – destinar óleo e gordura de origem vegetal e
mantê-las em perfeitas condições na validade do credencia- animal usados para a recepção, coleta ou a outro meio de
mento. reciclagem devidamente autorizados pelo órgão ambiental
Art. 33 - De acordo com as disposições da Lei n.º competente;
016/2001 e Decreto n.º 111/2001, a SEMMA é a responsável IV – informar aos coletores autorizados, os possí-
pela fiscalização do cumprimento desta Lei e Normas Técni- veis contaminantes adquiridos pelo óleo e gordura de origem
cas vigentes. vegetal e animal usados, durante o seu uso normal;
Art. 34 - Fica a cargo da SEMDUR – Secretaria Munici- V – manter os registros de destinação e quantida-
pal de Desenvolvimento Urbano – o poder de inspecionar os de do óleo e gordura usados de origem vegetal e animal, atra-
veículos, equipamentos, EPI’s (Equipamentos de Proteção vés dos manifestos de resíduos.
Individual), caçambas estacionárias e compactadoras, contêi- Art. 3º - São coletores de óleo e gordura usados de o-
neres e outros dispositivos utilizados na prestação dos servi- rigem vegetal e animal todas as pessoas jurídicas, devida-
ços estipulados nesta Lei. mente credenciadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambi-
Art. 35 - Os estabelecimentos qualificados como gran- ente – SEMMA, que se dedicam a coleta, transporte e destina-
des geradores e também as unidades de trato de saúde que ção final de óleos e gorduras, de origem vegetal e animal
tenham frota apropriada para remoção de seus resíduos são usados, em residências e empreendimentos comerciais.
os únicos e exclusivos responsáveis pelos danos que ve- Art. 4º - São obrigações dos coletores de óleo e gor-
nham a causar aos bens públicos e particulares, não cabendo dura usados de origem vegetal e animal:
qualquer tipo de responsabilidade ao Município de São Gon- I – disponibilizar recipientes adequados e resisten-
çalo. tes a vazamentos nos estabelecimentos comerciais onde se
Art. 36 - As empresas já credenciadas terão um prazo realizará a coleta do óleo e gordura usados de origem vegetal
de até 01 (um) ano para se adequarem às disposições desta e animal;
Lei quanto à vida útil dos veículos e equipamentos, sob pena II – realizar a coleta periodicamente, antes que os
de terem seus pedidos de renovação indeferidos. recipientes alcancem os limites máximos de armazenamento
§1º As demais condições dispostas nesta Lei de- disponíveis;
verão ser atendidas num prazo máximo de até 90 (noventa) III – tomar medidas necessárias para evitar que o
dias, sob pena de incorrerem nas penalidades legais. óleo e gordura de origem vegetal e animal usados venham a
§ 2º Os prazos serão contados a partir da data da ser contaminados por produto químico, por combustíveis, por
publicação desta Lei no Diário Oficial do Município de São solventes ou por outras substâncias nocivas;
Gonçalo. IV – garantir que as atividades de manuseio,
Art. 37 - O Município se reserva no direito de divulgar transporte e transbordo do óleo e gorduras de origem vegetal
no seu site na Internet o nome, o telefone e o endereço, junto e animal usadas coletado, sejam efetuadas em condições
ao público, das firmas credenciadas para execução dos servi- adequadas de segurança e por pessoal capacitado, atenden-
ços de coleta e remoção de Resíduos Sólidos Especiais. do à legislação pertinente, não promovendo nenhum tipo de
Art. 38 - Quaisquer dúvidas a respeito da interpretação derramamento ou contaminação nos locais pelos quais per-
das cláusulas estabelecidas nesta Lei devem ser encaminha- correr durante o processo de coleta e transporte;
das à Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SEMMA e à V – promover a limpeza e descontaminação de lo-
SEMDUR – Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano cais onde ocorrer vazamento ou contaminação durante as
–, podendo ser provocada a Procuradoria Geral. etapas de coleta; transbordo; transporte e armazenamento;
Art. 39 - O Poder Executivo regulamentará esta Lei no
prazo de 90 dias, a contar de sua publicação.

4
VI – destinar os óleos e gorduras de origem vege- condicionado em toda frota de ônibus que circula no municí-
tal e animal usadas a locais devidamente habilitados pelo pio de São Gonçalo.
órgão ambiental competente, de forma segura. Art. 2º – Os equipamentos de ar-condicionado que fo-
Art. 5º - Considera-se receptor de óleo e gorduras de rem instalados nos coletivos, deverão obedecer os seguintes
origem vegetal e animal usadas de origem vegetal e animal, critérios de funcionamento:
toda pessoa jurídica que comercialize ou promova o proces- I – A capacidade do ar-condicionado deverá ser com-
samento ou armazenamento temporário de tais substâncias, a patível com as dimensões do ônibus;
qualquer título. II – O aparelho instalado funcionará em temperaturas
Art. 6º - São obrigações do receptor de óleo e gordu- que variam entre 18ºC e 24ºC;
ras de origem vegetal e animal usadas: III – O dispositivo que regula a temperatura deve ficar
I – responsabilizar-se pela destinação final dessas em local visível aos passageiros;
substâncias, por meio de sistemas de tratamento, reciclagem IV – A limpeza geral do equipamento deverá ocorrer a
ou reutilização aprovados pelo órgão ambiental competente; cada 06 (seis) meses.
II – somente dispor, exclusivamente em locais li- Art. 3º – A contar da publicação da presente norma, as
cenciados, dos resíduos derivados do processo de industria- concessionárias de transporte coletivo de passageiros ficarão
lização ou manipulação do óleo e gorduras de origem vegetal obrigadas a cumprir o seguinte cronograma de climatização
e animal usadas após submetê-los a tratamento prévio; I – Instalação em 20% (vinte por cento) da frota dos
III – submeter ao órgão ambiental competente, o ônibus no primeiro ano contados da vigência da lei;
sistema de tratamento, processamento ou destinação final de II – Instalação de mais 20% (vinte por cento) da frota
tais resíduos, para prévia aprovação. de ônibus, somando 40% (quarenta por cento), no segundo
CAPÍTULO II ano de vigência da lei;
DAS PENALIDADES PELO DESCUMPRIMENTO DA III – Instalação de mais 30% (trinta por cento) da frota
PRESENTE LEI de ônibus, somando 70% (setenta por cento), no terceiro ano
Art. 7º - Garantindo-se o prévio contraditório e a ampla da vigência da lei;
defesa, a inobservância de quaisquer disposições desta Lei IV – Instalação de mais 30% (trinta por cento) da frota
acarretará ao responsável a imputação de sanções previstas de ônibus, totalizando 100% (cem por cento), no quarto ano
na Lei municipal n.º 016/2001, no Decreto nº 111/2001, bem da vigência da lei.
como nas demais normas de regência. Art. 4º – O descumprimento do disposto na presente
CAPÍTULO III Lei acarretará para a empresa infratora as seguintes penali-
DA OBTENÇÃO DO SELO VERDE PARA EXECUÇÃO DOS dades:
REFERIDOS SERVIÇOS I – Retenção imediata do veículo, com a consequente
Art. 8º - Para a obtenção do Selo Verde que irá autori- proibição de retornar a circular até que seja cumprida a exi-
zar as atividades de coleta, transporte tratamento, beneficia- gência;
mento e destinação final do óleo e gorduras de origem vege- II – Multa de até 30 (trinta) vezes o salário-mínimo.
tal e animal usadas, será exigido o cadastramento do empre- Art. 5º – Esta lei entra em vigor na data de sua publi-
endedor na Secretaria Municipal de Meio Ambiente – SEMMA. cação.
§ 1° O cadastramento do empreendedor na Secre- São Gonçalo, 21 de julho de 2017.
taria Municipal de Meio Ambiente – SEMMA, para obtenção do JOSÉ LUIZ NANCI
Selo Verde só será possível com a apresentação dos seguin- Prefeito
tes documentos: Projeto de Lei n° 061/2017
I – licença ambiental emitida pelo órgão competen- Autor: Todos os vereadores
te; DECRETO Nº 131/2017
II – fotocópia da Licença emitida pela Vigilância ABRE CRÉDITO SUPLEMENTAR E ALTERA O
Sanitária; ORÇAMENTO E O QUADRO DE
III – fotocópia do Cadastro Nacional de Pessoa Ju- DETALHAMENTO DA DESPESA DO FUNDO
rídica – CNPJ. MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL.
§ 2° Após a emissão do Selo Verde, fica o empre- O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO no uso
endedor obrigado a apresentar mensalmente os manifestos de suas atribuições legais e de acordo com a Lei Municipal nº
de resíduos referentes às coletas, transporte e destinação 701 de 05 de janeiro de 2017, Lei Federal nº 4.320 de 17 de
final do óleo e gorduras de origem vegetal e animal usadas à março de 1964 e com a Lei Orgânica Municipal.
SEMMA por meio de requerimento a ser autuado no Protocolo Considerando o solicitado e justificado no ofício GAB
Geral, sob pena de cancelamento de sua certificação e autori- nº 1770/2017- SMDS de 17 de julho de 2017, DECRETA:
zação. Art. 1º - Fica aberto crédito suplementar, e alterado o
Art. 9° - A certidão de selo verde terá validade será de Orçamento, na forma do Anexo, do Fundo Municipal de Assis-
12 (doze) meses, podendo este, entretanto, ser cancelado se tência Social no valor de R$ 3.760.000,00 (Três milhões, sete-
constatada qualquer situação de fato e/ou direito que indique centos e sessenta mil reais).
inobservância da legislação ambiental. Art. 2º - Em decorrência do disposto no artigo anterior,
Parágrafo único - o prazo referido no caput deste arti- ficam alterados ainda o Quadro de Detalhamento da Despesa
go poderá ser estendido até o limite do prazo da Licença Am- e o Plano Plurianual, aprovados respectivamente pelo Decreto
biental obtida, desde que atendidos os prazos e condições de nº 011 de 13 de janeiro de 2017 e Lei nº 700 de 05 de janeiro
eventuais condicionantes desta. de 2017.
Art. 10 - Esta Lei entrará em vigor na data de sua pu- Art. 3º - Os recursos compensatórios serão provenien-
blicação, revogadas as disposições em contrário. tes de anulação parcial de dotações orçamentárias.
São Gonçalo, 21 de julho de 2017. Art. 4º - Este Decreto entrará em vigor na data de sua
JOSÉ LUIZ NANCI publicação, revogando as disposições em contrário.
Prefeito São Gonçalo, 20 de julho de 2017.
LEI N° 717/2017 JOSÉ LUIZ NANCI
DISPÕE SOBRE A OBRIGATORIEDADE DAS Prefeito
EMPRESAS CONCESSIONÁRIAS ANEXO DECRETO Nº 131/2017
TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS, QUADRO DE DETALHAMENTO DA DESPESA - EXERCÍCIO
INSTALAREM AR-CONDICIONADO EM TODA 2017
FROTA DE ÔNIBUS QUE CIRCULA NO Órgão: Fundo Municipal de Assistência Social.
MUNICÍPIO DE SÃO GONÇALO E DÁ OUTRAS PROGRAMA NATUREZA DESP F. VALOR (R$ 1)
DE DA . ACRÉSCIMO CANCELAMENTO
PROVIDÊNCIAS. TRABALHO DESPESA
23.45.08.244.2011.2.191 3.3.90.08.00 00 0,00 220.000,00
Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu san-
23.45.08.244.2070.2.259 3.3.90.30.00 27 0,00 17.500,00
ciono e promulgo a seguinte Lei: 3.3.90.36.00 27 0,00 100.000,00
Art. 1º – Obriga as empresas concessionárias de 3.3.90.39.00 27 0,00 150.000,00
transporte coletivo de passageiros a instalarem ar- 4.4.90.52.00 27 0,00 20.000,00

5
23.45.08.244.2070.2.260 3.3.90.30.00 27 0,00 22.500,00 PMSG. Prazo: 48 (quarenta e oito meses). Fundamentação
3.3.90.36.00 27 860.000,00 0,00
3.3.90.39.00 27 0,00 50.000,00
Legal: Decreto Municipal n º. 046, de 11 de março de 2013,
4.4.90.52.00 27 0,00 20.000,00 alterado pelo Decreto n° 123, de 03 de junho de 2013; da Por-
23.45.08.244.2081.2.165 3.3.90.36.00 27 810.000,00 0,00 taria n° 098/GABSEMAD/2012, de 10 de maio de 2012, alterada
3.3.90.39.00 00 30.000,00 0,00 pela Portaria n° 066/GABSEMAD/2013, de 26 de março de
3.3.90.39.00 27 0,00 110.000,00
2013.
4.4.90.52.00 27 0,00 20.000,00
23.45.08.244.2082.2.202 3.3.90.36.00 27 0,00 130.000,00
YAMARA ALFRADIQUE DE MELO
3.3.90.39.00 27 0,00 20.000,00 Secretária Municipal de Administração
23.45.08.244.2082.2.257 3.3.90.36.00 27 900.000,00 0,00 Licença Prêmio:
3.3.90.39.00 27 0,00 95.000,00 Matr. Nome Posse Cargo Quinquênio Início Processo
4.4.90.52.00 27 0,00 20.000,00 7563 SOLANGE MARINS TAVARES 11/01/1982 AUXILIAR 7º(2012-2017) 01/08/2017 17681/2017
BARBOSA ADMINISTRATIVO
23.45.08.244.2082.2.258 3.3.90.36.00 27 0,00 30.000,00 11918 VERONICA DOS SANTOS GONCALVES 13/03/1990 PROFESSOR - 4º(2005-2010) 01/08/2017 20367/2017
3.3.90.39.00 27 0,00 125.000,00 DOCENTE II
16507 JANE CRISTINA GOMES DE LEIRAS 25/02/1999 PROFESSOR – 2º(2004-2009) 01/08/2017 17686/2017
4.4.90.52.00 27 0,00 50.000,00 PECANHA SUPERVISOR
23.45.08.244.2083.2.256 3.3.90.36.00 27 0,00 30.000,00 EDUCACIONAL
16880 ANDREA CRISTINA CARVALHO DE 29/09/1998 AUXILIAR DE 1º(1998-2003) 01/08/2017 21545/2017
3.3.90.39.00 27 0,00 600.000,00 SOUZA ENFERMAGEM
18002 ROSILDA JOSE DOS SANTOS 23/07/2001 AUXILIAR DE 1º(2001-2006) 01/08/2017 19819/2017
4.4.90.52.00 27 0,00 50.000,00 ENFERMAGEM
23.45.08.244.2084.2.230 3.3.90.36.00 27 0,00 100.000,00 18275 NILSON BECKMAN SOARES 02/04/2002 PROFESSOR - 3º(2012-2017) 01/08/2017 22976/2017
DOCENTE I
3.3.90.39.00 27 0,00 100.000,00 18401 JANE CRISTINA GOMES DE LEIRAS 30/04/2004 PROFESSOR - 1º(2004-2009) 01/08/2017 17693/2017
23.45.08.244.2084.2.251 3.3.90.36.00 27 0,00 20.000,00 PECANHA DOCENTE II
20821 DENISE MARIA BUENO VIEIRA 06/10/2011 PSICOLOGO 1º(2011-2016) 01/08/2017 18254/2017
3.3.90.39.00 00 0,00 10.000,00
21410 SANDRA MORAES DA COSTA VELHO 23/03/2012 TECNICO DE 1º(2012-2017) 01/08/2017 17617/2017
23.45.08.244.2084.2.252 3.3.90.36.00 00 0,00 10.000,00 APOIO
3.3.90.36.00 27 0,00 20.000,00 ESPECIALIZADO

3.3.90.39.00 00 0,00 10.000,00 Concede 03 (três) meses – Port. 269/SUPES/SEMAD/2017


3.3.90.39.00 27 0,00 250.000,00 Licença Prêmio:
23.45.08.244.2084.2.253 3.3.90.36.00 00 0,00 10.000,00 Matr. Nome Posse Cargo Quinquênio Início Processo
3.3.90.36.00 27 0,00 20.000,00 16052 CARMEN LUCIA SOARES DE SOUZA 13/08/1998 PROFESSOR - 3º(2008-2013) 01/08/2017 30612/2017
MELLO DOCENTE II
3.3.90.39.00 00 0,00 10.000,00
3.3.90.39.00 27 0,00 50.000,00 Concede 03 (três) meses – Port. 283/SUPES/SEMAD/2017
23.45.08.244.2084.2.254 3.3.90.36.00 00 0,00 10.000,00 DESPACHO DA SECRETÁRIA
3.3.90.36.00 27 0,00 20.000,00
Defiro os processos abaixo relacionados:
3.3.90.39.00 00 0,00 10.000,00 º
3.3.90.39.00 27 0,00 35.000,00
Processos n 42785/2016, 17617/2017, 17681/2017, 17686/2017,
23.45.08.244.2084.2.255 3.3.90.36.00 27 0,00 30.000,00 17693/2017, 18254/2017, 19819/2017, 20367/2017, 21545/2017,
3.3.90.39.00 27 0,00 30.000,00 22705/2017, 22976/2017 e 30612/2017.
4.4.90.52.00 27 0,00 50.000,00 São Gonçalo, 21 de julho de 2017.
23.45.08.244.2086.2.229 3.3.90.36.00 27 0,00 20.000,00
3.3.90.39.00 27 0,00 20.000,00
YAMARA ALFRADIQUE DE MELO
23.45.08.244.2086.2.232 3.3.90.36.00 00 220.000,00 0,00 Secretária Municipal de Administração
3.3.90.36.00
3.3.90.39.00
27
27
900.000,00
0,00
0,00
160.000,00
IPASG
4.4.90.52.00 27 0,00 50.000,00 PORTARIA PRES/DPV Nº 165/2017, DE 07 DE JULHO DE 2017.
23.45.08.244.2086.2.248 3.3.90.36.00 27 0,00 30.000,00 RESOLVE: aposentar ELDO ROGERIO BOTELHO DA SILVA,
3.3.90.39.00 27 0,00 385.000,00 matrícula nº 16873, função Odontólogo, referência II, a contar
23.45.08.244.2086.2.249 3.3.90.36.00 27 0,00 20.000,00
de 05 de julho de 2017, com proventos proporcionais à média
3.3.90.39.00 27 0,00 400.000,00
23.45.08.244.3002.2.246 3.3.90.39.00 00 40.000,00 0,00
das remunerações, conforme artigo 40, parágrafo 1°, inciso III,
TOTAL 3.760.000,00 3.760.000,00 alínea B, da C.F/88, com redação dada pela E.C 41/2003, c/c
art.1° da Lei n° 10.887/2004 e Processo nº 189/2017.
X FIXAÇÃO DE PROVENTOS
Exonera: Processo nº 189/2017, ELDO ROGERIO BOTELHO DA SILVA,
a contar de 21 de julho de 2017, MARIA HELENA RANGEL DA matrícula nº 16873, função Odontólogo, referência II, aposen-
SILVA – Mat.: 119132, do cargo em comissão de Assessor I – tado com proventos proporcionais conforme Portaria nº
Símbolo DAS-08 e cessar efeitos da designação para respon- 165/2017, a contar de 05 de julho de 2017.
der pelo cargo de Administradora do Posto de Saúde Santa PORTARIA PRES/DPV Nº 166/2017, DE 12 DE JULHO DE 2017.
Izabel, da(o) Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil. RESOLVE: aposentar DERLY MARTINS ANTONIO SIMAS,
Port. nº 2019/2017 matrícula nº 12469, função Professor Docente I, referência
Nomeia: E19, a contar de 12 de julho de 2017, com proventos integrais,
a contar de 21 de julho de 2017, KESIA DE PAULA GUIMARA- conforme artigo 6º, incisos I, II, III e IV da EC 41/2003 c/c artigo
ES – CPF: 079.***.***-29, para exercer o cargo em comissão de 40, § 5º da CF/88 processo nº 191/2017.
Assessor I – Símbolo DAS-08 e designar no cargo de Admi- FIXAÇÃO DE PROVENTOS
nistradora do Posto de Saúde Santa Izabel, na(o) Secretaria Processo nº 191/2017, DERLY MARTINS ANTONIO SIMAS,
Municipal de Saúde e Defesa Civil. matrícula nº 12469, função Professor Docente I, referência
Port. nº 2021/2017 E19, aposentada com proventos integrais conforme Portaria
Cessa os efeitos: nº 166/2017, a contar de 12 de julho de 2017.
a contar de 24 de julho de 2017, da Portaria nº 105/2017, que PORTARIA PRES/DPV Nº 167/2017, DE 13 DE JULHO DE 2017.
designou MARCELO CONCEIÇÃO DE AZEREDO – Mat.: RESOLVE: conceder a contar de 26 de abril de 2017, pensão
118384, para responder pelo cargo de Subsecretário de Pes- vitalícia a VILMA DE ARAÚJO RODRIGUES, matrícula nº
soal e Formação Continuada, da Secretaria Municipal de Edu- 81.328, na condição de cônjuge, equivalente a 100% da remu-
cação. neração do ex-servidor aposentado Antonio Martins Rodri-
Port. nº 2026/2017 gues, matrícula nº 3797, função Auxiliar de Serviços Gerais,
DESPACHO DO PREFEITO referência I. Conforme o artigo 40, § 7º, inciso I da CF/88, c/c
Indefiro o processo abaixo relacionado: artigo 3º, parágrafo único da EC nº 47/2005 e artigos 6º, 27 a
Processo nº 53719/2016. 30 da Lei 009/2006, Processo nº 570/2017.
São Gonçalo, 21 de julho de 2017. PORTARIA PRES/DPV Nº 168/2017, DE 13 DE JULHO DE 2017.
JOSÉ LUIZ NANCI RESOLVE: aposentar PEDRO DA SILVA, matrícula nº 10255,
Prefeito função Técnico de Radiologia, referência I, a contar de 13 de
SEMAD julho de 2017, com proventos integrais, conforme artigo 3º,
incisos I, II e III, parágrafo único da E.C 47/2005, processo nº
EXTRATO DE CONVÊNIO 219/2017.
Partes: Município de São Gonçalo, CNPJ 28.636.579/0001-00 e
FIXAÇÃO DE PROVENTOS
Banco OLÉ BONSUCESSO CONSIGNADO S.A., CNPJ
Processo nº 219/2017, PEDRO DA SILVA, matrícula nº 10255,
71.371.686/0001-75. Objeto: Concessão de empréstimos, de
função Técnico de Radiologia, referência I, aposentado com
financiamentos, e de Cartão Consignado OLÉ, mediante con-
signação em folha de pagamento dos servidores públicos da
6
proventos integrais conforme Portaria nº 168/2017, a contar artigo 6º, inciso I, II, III e IV, da EC 41/2003 c/c artigo 40, pará-
de 13 de julho de 2017. grafo 5º da CF/88, processo 182/2017.
PORTARIA PRES/DPV Nº 169/2017, DE 14 DE JULHO DE 2017. FIXAÇÃO DE PROVENTOS
RESOLVE: aposentar REGINA CELIA DE ARAUJO AMARAL, Processo nº 182/2017, CARLOS GIOVANNI BRUNO, matrícula
matrícula nº 10661, função Merendeiro, referência A6, a contar nº 13840, função Professor Docente I, referência E18, aposen-
de 14 de julho de 2017, com proventos integrais, conforme tado com proventos integrais conforme Portaria nº 175/2017,
artigo 6º, incisos I, II, III e IV da EC 41/2003 processo nº a contar de 17 de julho de 2017.
218/2017. PORTARIA PRES/DPV Nº 176/2017, DE 18 DE JULHO DE 2017.
FIXAÇÃO DE PROVENTOS RESOLVE: aposentar VERA LOURDES MENDONÇA DE NO-
Processo nº 218/2017, REGINA CELIA DE ARAUJO AMARAL, VAES, matrícula nº 11326, função Professor Docente II, refe-
matrícula nº 10661, função Merendeiro, referência A6, aposen- rência E19, a contar de 18 de julho de 2017, com proventos
tada com proventos integrais conforme Portaria nº 169/2017, a integrais, conforme artigo 3º, incisos I, II e III, parágrafo único
contar de 14 de julho de 2017. da E.C 47/2005, processo nº 168/2017.
PORTARIA PRES/DPV Nº 170/2017, DE 14 DE JULHO DE 2017. FIXAÇÃO DE PROVENTOS
RESOLVE: aposentar RITA DE CASSIA DE OLIVEIRA JESUS, Processo nº 168/2017, VERA LOURDES MENDONÇA DE NO-
matrícula nº 12291, função Professor Docente I, referência VAES, matrícula nº 11326, função Professor Docente II, refe-
D18, a contar de 14 de julho de 2017, com proventos integrais, rência E19, aposentada com proventos integrais conforme
conforme artigo 6º, incisos I, II, III e IV da EC 41/2003 c/c artigo Portaria nº 176/2017, a contar de 18 de julho de 2017.
40, § 5º da CF/88 processo nº 222/2017. PORTARIA PRES/DPV Nº 177/2017, DE 18 DE JULHO DE 2017.
FIXAÇÃO DE PROVENTOS RESOLVE: conceder a contar de 07 de julho de 2017, pensão
Processo nº 222/2017, RITA DE CASSIA DE OLIVEIRA JESUS, vitalícia a LUZIA POLYCARPO CUNHA, matricula nº 81.329, na
matrícula nº 12291, função Professor Docente I, referência condição de cônjuge, pensão equivalente a 100% dos proven-
D18, aposentada com proventos integrais conforme Portaria tos do ex-servidor aposentado Urbano Cunha, matricula nº
nº 170/2017, a contar de 14 de julho de 2017. 358, função Recebedor, referência EC1, conforme artigo 40
PORTARIA PRES/DPV Nº 171/2017, DE 17 DE JULHO DE 2017. §7º, inciso I da CF/88, com redação dada pelo artigo 2º, inciso
RESOLVE: aposentar MARIA VERONICA LONGO E SOUZA DA I e artigo 15 da Lei Federal 10.887/2004 c/c artigos 6º e 27 a 30
SILVA, matrícula nº 19489, função Professor Docente II, refe- da Lei 009/2006, Processo nº 670/2017.
rência E16, a contar de 17 de julho de 2017, com proventos PORTARIA PRES/DPV Nº 178/2017, DE 18 DE JULHO DE 2017.
integrais calculado à média das remunerações, conforme RESOLVE: tornar sem efeito a aposentadoria conforme pro-
artigo 40, inciso III, alínea A, com redação dada pela EC cesso nº 31/2017 a PORTARIA PRES/DPV Nº 102/2015 e a res-
41/2003 – Regra Permanente, c/c artigo 1º da Lei nº pectiva Fixação de Proventos, publicada em 18 de maio de
10.887/2004, processo 263/2017. 2015, em nome de PLINIO FERREIRA ALVES, matrícula 16779,
FIXAÇÃO DE PROVENTOS processo nº 11.506/2015 PMSG, a contar da data da publica-
Processo nº 263/2017, Maria Verônica Longo e Souza da Silva, ção.
matrícula nº 19489, função Professor Docente II, referência REFIXAÇÃO DE PROVENTOS
E16, aposentada com proventos proporcionais conforme Por- Revisão processo nº 658/2017, RITA NOGUEIRA DE REZENDE
taria nº 171/2017, a contar de 17 de julho de 2017. CARVALHO, matrícula nº 12398, função Professor Supervisor
PORTARIA PRES/DPV Nº 172/2017, DE 17 DE JULHO DE 2017. Educacional, referência E19, se aposentou com proventos
RESOLVE: aposentar RITA DE CÁSSIA MENEZES MACHADO integrais, a contar de 28 de abril de 2016, conforme Portaria nº
DOS SANTOS, matrícula nº 6062, função Professor Docente I, 84/2017, terá seus proventos refixados em cumprimento a
referência E20, a contar de 17 de julho de 2017, com proven- Decisão Judicial processo nº 0059465-81.2013.8.19.0000, que
tos integrais, conforme artigo 3º, incisos I, II e III, parágrafo concedeu o patamar de 50% para a parcela “Adicional De-
único da E.C. nº 47/2005 e processo nº 184/2017. sempenho Funcional” a contar de 11 de julho de 2017, tor-
FIXAÇÃO DE PROVENTOS nando sem efeito as disposições contrarias.
Processo nº 184/2017, RITA DE CÁSSIA MENEZES MACHADO FUNASG
DOS SANTOS, matrícula nº 6062, função Professor Docente I, PORTARIA PRES Nº 028/2017
referência E20, aposentada com proventos integrais conforme A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE AS-
Portaria nº 172/2017, a contar de 17 de julho de 2017. SISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES DE SÃO GONÇALO,
PORTARIA PRES/DPV Nº 173/2017, DE 17 DE JULHO DE 2017. no uso de suas atribuições que lhe são conferidas pelo art. 63
RESOLVE: aposentar SANDRA REGINA DIAS SANTOS NE- da Lei Orgânica do Município e pelo Decreto nº. 001, de 02 de
VES, matrícula nº 10561, função Professor Docente I, referên- janeiro de 2014, RESOLVE:
cia E20, a contar de 17 de julho de 2017, com proventos inte- Nomear, a partir de 20 de Julho de 2017, em virtude da
grais, conforme artigo 3º, incisos I, II e III, parágrafo único da habilitação obtida em Concurso Público, homologado em 13
E.C 47/2005, processo nº 1626/2016. de abril de 2015, o candidato classificado, em substituição a
FIXAÇÃO DE PROVENTOS FLORIANO SOARES DE BRITO , exonerado à pedido a contar
Processo nº 1626/2016, SANDRA REGINA DIAS SANTOS NE- de 01 de Junho de 2017, objeto do Processo nº. 380/2017,
VES, matrícula nº 10561, função Professor Docente I, referên- publicado no D.O. do dia 07/07/2017:
cia E20, aposentada com proventos integrais conforme Porta- CARGO: MÉDICO CLÍNICO GERAL
Nota
ria nº 173/2017, a contar de 17 de julho de 2017. Classificação Inscrição Candidato
Final
PORTARIA PRES/DPV Nº 174/2017, DE 17 DE JULHO DE 2017. 5° 145.705-5 CARLOS EDUARDO DA SILVA AGUIAR 59,00

RESOLVE: aposentar JORGE ALFREDO DA COSTA RIBEIRO, São Gonçalo, RJ, 20 de Julho de 2017.
matrícula nº 18268, função Professor Docente I, referência CLAUDIA T. S. BRANDÃO
E16, aposentado a contar de 17 de julho de 2017, com pro- Presidente da FUNASG
ventos proporcionais à média das remunerações, conforme PORTARIA PRES Nº 029/2017
artigo 40, parágrafo 1°, inciso III, alínea B, da C.F/88, com re- A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE AS-
dação dada pela E.C 41/2003, c/c art.1° da Lei n° 10.887/2004 e SISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES DE SÃO GONÇALO,
Processo nº 1153/2016. no uso de suas atribuições que lhe são conferidas pelo art. 63
FIXAÇÃO DE PROVENTOS da Lei Orgânica do Município e pelo Decreto nº. 001, de 02 de
Processo nº 1153/2016, JORGE ALFREDO DA COSTA RIBEI- janeiro de 2014, RESOLVE:
RO, matrícula nº 18268, função Professor Docente I, referên- Nomear, a partir de 20 de Julho de 2017, em virtude da
cia E16, aposentado com proventos proporcionais conforme habilitação obtida em Concurso Público, homologado em 13
Portaria nº 174/2017, a contar de 17 de julho de 2017. de abril de 2015, o candidato classificado, em substituição a
PORTARIA PRES/DPV Nº 175/2017, DE 18 DE JULHO DE 2017. VANESSA CORTES DO MONTE , exonerada à pedido a contar
RESOLVE: aposentar CARLOS GIOVANNI BRUNO, matrícula de 17 de Julho de 2017, objeto do Processo nº. 382/2017, pu-
nº 13840, função Professor Docente I, referência E18, a contar blicado no D.O. do dia 07/07/2017:
de 17 de julho de 2017, com proventos integrais, conforme CARGO: MÉDICO CLÍNICO GERAL

7
Classificação Inscrição Candidato Nota Final
7° 146.491-4 ENRICO SEIXAS GOLDONI 66,00
São Gonçalo, RJ, 20 de Julho de 2017.
CLAUDIA T. S. BRANDÃO
Presidente da FUNASG
PORTARIA PRES Nº 030/2017
A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE AS-
SISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES DE SÃO GONÇALO,
no uso de suas atribuições que lhe são conferidas pelo art. 63
da Lei Orgânica do Município e pelo Decreto nº. 001, de 02 de
janeiro de 2014, RESOLVE:
EXONERAR a pedido, a contar de 01 de Julho de 2017
Matr. Nome Cargo Processo
IGNÁCIO GARCIA
044 OTORRINOLARINGOLOGISTA 415/2017
NUNES JUNIOR

São Gonçalo, 20 de Julho de 2017.


CLAUDIA T. S. BRANDÃO
Presidente da FUNASG
A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE AS-
SISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES DE SÃO GONÇALO,
no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Decreto nº
457/2011 de 21 de dezembro de 2011, RESOLVE:
Convocar para comparecer a SEDE da FUNASG, sito a
Rua Coronel Serrado 61 – Santa Catarina – São Gonçalo – RJ,
nos dias 25 e/ou 26 de julho de dois mil e dezessete, das
10:00 às 16:00 hs, munidos de documentos listados no item
2.1 do Edital, a candidata abaixo, aprovados no Concurso
Público nº 01/2014:
1 - CARGO: MÉDICO OTORRINOLARINGOLOGISTA
MARILIA GUIMARÃES VASCONCELLOS
São Gonçalo, 20 de Julho de 2017.
CLAUDIA T. S. BRANDÃO
Presidente da FUNASG
FMS
EDITAL DE CONVOCAÇÃO
O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚ-
DE no uso de suas atribuições e proc. judicial nº 0048423-
18.2016.8.19.0004, em cumprimento a Lei nº. 173/2008, nos
termos do Edital do Concurso Público nº. 002/PMSG/RJ, de 10
de fevereiro de 2011 – Regime Celetista – no Emprego Público
de Agente Comunitário de Saúde, convoca para comparecer
no RH da SEMSA, localizado na Rua Dr. Nilo Peçanha, nº
110/13º andar – Centro – São Gonçalo, para provimento em
cargo público e inscrição no curso introdutório de formação
inicial e continuidade, conforme data e horário abaixo:
DIA 25 DE JULHO /2017 ÀS 10:00 HORAS
1º DISTRITO
CLASSIFICAÇÃO INSCRIÇÃO NOME PONTUAÇÃO
344º 327.821-2 MIRIAN SILVA DA COSTA 52,00
DA FONSECA
São Gonçalo, 18 de julho de 2017.
DIMAS DE PAIVA GADELHA JUNIOR
Presidente da Fundação Municipal de Saúde

8
Torna sem efeito: a exoneração de ANA PAULA CAPELLA FERREIRA DE
a exoneração de THAISSA LIMA MORENO - Mat.: 120673, MATOS - Mat.: 118749, na Portaria nº 1975/2017, do cargo
na Portaria nº 2010/2017, do cargo em comissão de em comissão de Coordenador - Símbolo DAS-10, da(o)
Coordenador - Símbolo DAS-10, da(o) Secretaria Municipal Secretaria Municipal de Educação.
de Educação. Port. nº 2031/2017
Port. nº 2016/2017 Nomeia:
Nomeia: a contar de 21 de julho de 2017, CARLOS LEONARDO
a contar de 21 de julho de 2017, MARIA HELENA RANGEL VIOLANTE DE SOUZA - CPF: 079.***.***-08, para exercer o
DA SILVA - Mat.: 119132, para exercer o cargo em cargo em comissão de Coordenador - Símbolo DAS-10,
comissão de Assessor I - Símbolo DAS-08, na(o) Secretaria na(o) Secretaria Municipal de Educação, em substituição a
Municipal de Saúde e Defesa Civil. Vander de Oliveira Gomes - Mat.: 119010.
Port. nº 2020/2017 Port. nº 2032/2017
Tornar sem efeito: Exonera:
a exoneração dos servidores abaixo relacionados na a contar de 21 de julho de 2017, MARA DA CONCEICAO DA
Portaria nº 2009/2017, do cargo em comissão de Assessor SILVA RODRIGUES LUCAS – Mat.: 15207, da função de
I - Símbolo DAS-08, da(o) Secretaria Municipal de Diretor(a) do(a) E.M. PROF AURELINA D CAVALCANTI, da(o)
Educação. Secretaria Municipal de Educação.
MAT. NOME/CPF Port. nº 2033/2017
95761 CLAUDIA LUCIA DE FARIAS / 015.***.***-52 Nomeia:
96107 MARIA DE FATIMA SOARES NETTO VARGAS / 977.***.***-15 a contar de 21 de julho de 2017, VERA LUCIA RODRIGUES
101130 NILSON TEIXEIRA DIAS / 622.***.***-53 DOS SANTOS - Mat.: 12428, para exercer a função de
103456 LEIA DOS REIS / 457.***.***-10 Diretor(a) do(a) E.M. PROF AURELINA D CAVALCANTI, na(o)
111858 RODRIGO DE OLIVEIRA SILVA / 043.***.***-71 Secretaria Municipal de Educação.
112219 ANTONIO CARLOS LIMA BORGES JUNIOR / 097.***.***-86 Port. nº 2034/2017
113782 GERUZA SANTOS OLIVEIRA MARTINS / 041.***.***-85
119781 RAIMUNDO ANTONIO DE OLIVEIRA / 329.***.***-68
Port. nº 2022/2017
Torna sem efeito:
a nomeação de VANDA ROGERIO DA SILVA NICACIO, na
Portaria nº 2010/2017, para exercer o cargo em comissão
de Coordenador - Símbolo DAS-10, na(o) Secretaria
Municipal de Educação.
Port. nº 2023/2017
Nomeia:
a contar de 19 de julho de 2017, os servidores abaixo
relacionados, para exercerem o cargo em comissão de
Diretor de Departamento - Símbolo DAS-07, na(o)
Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico,
Ciência e Tecnologia.
NOME/CPF
MAMEDE DE SOUZA NETO / 078.***.***-29
OCIMAR MONTEIRO DE MORAES / 915.***.***-04
WALLACE MACEDO NICOTTE / 022.***.***-21
Port. nº 2024/2017
Exonera:
a contar de 24 de julho de 2017, MARCELO CONCEICAO DE
AZEREDO - Mat.: 118384, do cargo em comissão de
Subsecretário(a) de Planejamento Educacional - Símbolo
SSM, da(o) Secretaria Municipal de Educação.
Port. nº 2025/2017
Nomeia:
a contar de 24 de julho de 2017, ATHAYDE TORRES BRAGA
JUNIOR - CPF: 782.***.***-04, para exercer o cargo em
comissão de Subsecretário(a) de Planejamento
Educacional - Símbolo SSM, na(o) Secretaria Municipal de
Educação, em substituição a Marcelo Conceicao de
Azeredo - Mat.: 118384.
Port. nº 2027/2017
Nomeia:
a contar de 24 de julho de 2017, MARCELO ALVES DA
SILVA - CPF: 070.***.***-70, para exercer o cargo em
comissão de Subsecretário de Turismo - Símbolo SSM,
na(o) Secretaria Municipal de Turismo e Cultura.
Port. nº 2028/2017
Nomeia:
a contar de 21 de julho de 2017, os servidores abaixo
relacionados, para exercerem o cargo em comissão de
Chefe de Setor - Símbolo DAS-03, na(o) Secretaria
Municipal de Educação.
NOME/CPF
LUIZ INACIO DE AZEVEDO MOREIRA / 015.***.***-99
MARIA DE FATIMA DAS NEVES / 786.***.***-15
NOEMI RAMOS MENDONCA / 010.***.***-64
VALCIR SIQUEIRA HARDOIM / 860.***.***-15
Port. nº 2029/2017
Torna sem efeito:
a exoneração de FERNANDA NUBIA DA SILVA MACIEL -
Mat.: 118730, na Portaria nº 2010/2017, do cargo em
comissão de Coordenador - Símbolo DAS-10, da(o)
Secretaria Municipal de Educação.
Port. nº 2030/2017
Torna sem efeito:

1/1