Você está na página 1de 17

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

JUSTIFICATIVA
A presente memória refere-se a construção de uma dependência, que o sr Aquilino Nhiuane
pretende construir numa parcela de 14.5 x 9.5m no Município de Nampula.

Situação: A dependência em questão situa-se á conforme se indica na planta de localização


fornecida pelo conselho Municipal.

Composição: A dependência em questão será composta de seguinte maneira:


 1- Quartos
 1-suite
 1- Sala comum
 1- cozinha
 1- Varanda
 1- WC
 1- Escritorio

CONSTRUTIVA
O objectivo das memórias e especificações que a seguir se apresentam é de definir em geral,
Juntamente com os desenhos, os procedimentos a seguir durante a realização dos trabalhos. Nos
Aspectos omissos, o Empreiteiro é obrigado a usar a boa prática de construtiva.

1. METODOLOGIA DA EXECUÇÃO
A execução dos trabalhos ocorrerá de forma faseada e por especialidades, de acordo com as
especificações do Plano de Trabalhos que deverá existir neste projecto, de forma a ser
implementada uma sequência construtiva adaptada à correcta execução dos trabalhos.

Simultaneamente com os trabalhos de assentamento de alvenarias, serão estudadas as


Implantações de infra-estruturas embebidas das especialidades, de forma a avaliar algumas
Incompatibilidades, e a conjugar a sua finalização com o início dos trabalhos de revestimento
dos paramentos verticais.

No respeitante ao revestimento de tectos falsos, estes serão na sua generalidade executados, no


final do revestimento dos pavimentos.
Os revestimentos das paredes serão iniciados, na fase final do assentamento de alvenarias e
Cantarias, prevendo-se assim uma conjugação de trabalhos, aquando da existência de suficiente
rentabilização de mão de obra e equipamento mobilizado.

As redes de abastecimento de águas, saneamento, instalações eléctricas, telefónicas, segurança e


instalações mecânicas, bem como os respectivos ensaios, são trabalhos que serão coordenados
com as restantes tarefas, por forma a não comprometerem o prazo estabelecido para a execução
da empreitada. Os trabalhos iniciam-se primeiramente pelas redes de ligação ao exterior e só
após a execução dos paramentos se procede à instalação das interiores.

Os arranjos exteriores, bem como todas as infra-estruturas inerentes, vão igualmente sendo
executados de acordo com o faseamento preconizado no plano de trabalhos, obedecendo a todas
as especificações previstas no projecto de execução, peças escritas e demais elementos
constituintes do projecto, procedendo-se no final à remoção do entulho resultante da limpeza da
obra, bem como à desmontagem progressiva do estaleiro, com vista à entrega da obra nas
condições previstas no projecto.

2. FUNDAÇÕES

 Sapatas
A fundação será realizada em sapata pontuais de betão armado .

 Alvenaria de fundações
A alvenaria de fundação será composta por uma alvenaria de blocos maciços ou amaciçados de
cimento e areia , assente com argamassa de cimento e areia ao traço.

 Pavimento
O pavimento assentará em dois substratos, sendo o substrato inferior de 10cm de espessura de
areia limpa compactada a maço e um substrato intermédio constituído por enrocamento em
pedra mediana com espessura 5cm devidamente compactada e regularizada. A laje de pavimento
será em betão simples, ligeiramente armada com malha de ferro electro-soldada, lançada sobre
tela plástica impermeabilizante previamente estendida sobre o enrocamento. O pavimento térreo
deverá obedecer os níveis especificados na planta cotada.

3.BETÕES

Os trabalhos como o fabrico, transporte, colocação, compactação, cura e todas as operações


relacionadas com obras em betão ou betão armado serão executados de acordo com os
regulamentos e normas portuguesas aplicáveis, em especial com o Regulamento de Estruturas de
Betão Armado e Pré-Esforçado (REBAP) e o Regulamento de Betões de Ligantes Hidráulicos
(RBLH).

As Cofragens a utilizar serão suficientemente estanques para impedir a saída da pasta e


convenientemente escoradas e contraventadas de forma a se manterem na posição correcta.

4. Materiais

O cimento a utilizar na obra será Portland Normal e respeitar o regulamento de recepção deste
material em obra.
Todos os agregados deverão cumprir com as condições de qualidade expressas nos
regulamentos.
Todos os agregados deverão ser limpos, sem poeiras terra outras impurezas ou matéria vegetal.
A brita deverá ser rija, não fendida, não margosa nem quebradiça, bem lavada, isenta de
materiais que afectam o cimento e ter dimensões variadas, não lamelar, de forma que, juntamente
com a areia, dê maior compacidade ao betão.

A areia deve ser areia do rio lavada ou areia de britadeira. Os grãos devem ser de tamanho
uniforme mas devem conter uma mistura equilibrada de grãos finos e grossos. Antes de
misturada com os agregados e brita, a areia deve ser crivada e perfeitamente lavada.
A água a usar na fabricação dos betões, argamassa e betonilha, será limpa, fresca, livre de
impurezas vegetais ou minerais ou qualquer outra substância em suspensão ou dissolvida.
O aço a usar será do tipo A400NR. Todos os varões de aço deverão ser isentos de zincagem,
tinta, alcatrão, argila, óleo, gordura ou ferrugem solta. Quando tal se verificar, as armaduras
serão passadas energicamente à escova metálica.

 Vigas, Pilares e Lintéis de Betão

Nas áreas do projecto onde se prevê o usos de betão, as vigas e pilares serão executadas em betão
armado nas dimensões indicadas no projecto estrutural.

Serão incluídas na obra de betão, à medida que ela prossegue e com a precisão requerida nos
desenhos, todas as tubagens e canalizações, chumbadouros e quaisquer outros elementos
revistos no projecto, não se procedendo à abertura de quaisquer roços ou aberturas, depois da
betonagem, sem que para o efeito se obtenha a devida autorização da Fiscalização.

5. ALVENARIAS
As paredes serão construídas segundo as dimensões do projecto em blocos de argamassa de
cimento e areia de 150 ou 200 mm, conforme indicações do projecto. Será assente com juntas
contrafiadas com argamassa de cimento e areia ao traço 1:4. O bloco deverá ser assente com
juntas de 15 mm de espessura máxima, e alinhado verticalmente apesar do contrafiamento.

5.1 Execução de Alvenarias


 As paredes serão construídas segundo as dimensões do projecto em blocos de cimento e
areia de 150 ou 200 mm ou tijolo de 100mm, conforme indicações do projecto. Será assente com
juntas contrafiadas com argamassa de cimento e areia ao traço 1:4. O bloco deverá ser assente
com juntas de 15 mm de espessura máxima, e alinhado verticalmente apesar do contrafiamento.

 O início do assentamento só será realizado após a descofragem do pavimento superior


àquele em que se assentam as alvenarias e antes das marcações das tubagens.

 As superfícies de assentamento em betão serão bem limpas de poeiras ou sujidades e, se


necessário, aferroadas e lavadas a jacto de água para se apresentarem rugosas e húmidas
no início da colocação da argamassa de assentamento dos tijolos.

5.2. Abertura de Vãos/ Roços

Após a execução dos trabalhos acima referidos, proceder-se-á ao início dos trabalhos de abertura
de vão e roços devidamente indicados nos projectos de Arquitectura e Especialidades.
Finalizados estes trabalhos, serão regularizadas todas superfícies sujeitas a essas intervenções, de
acordo com o tipo de acabamento previsto.

6. ARGAMASSAS

Serão de fabrico mecânico e a quantidade de água a empregar será fixada de acordo com as
aplicações. Cada amassadura será feita só em quantidade suficiente para a sua aplicação total e
imediata. Todos os revestimentos serão executados com a máxima perfeição devendo a
superfície final ficar desempenada e isenta de saliências ou rebaixos.

A granulometria das areias será estabelecida consoante a natureza dos trabalhos a executar. Os
traços a empregar serão:

 Emboços Hidraulicoa Exteriores das paredes exteriores – argamassa hidráulica de


cimento e areia ao traço 1:3 hidrofugada;
 Emboços Hidraulicos nos Parametros interiores – argamassa hidráulica de cimento e
areia ao traço 1:4;

 Reboços em Parametros interiores e exteriores das paredes exteriores – argamassa de


cimento, cal e areia ao traço 1:1:6 hidrofugada;

 Assentamento de AZULEJO – argamassa de cimento e areia ao traço 1:4;


 Assentamento de LADRILHO HIDRÁULICO ou CERÂMICO – argamassa hidráulica
de cimento e areia ao traço 1:4, hidrofugada com produto hidrófugo de comprovada
eficácia;

1. Primeira Camada de Argamassa que se aplica numa parede


2. Superfície Visível de uma parede, de uma abobada ou de um silhar.
3. Argamassa que se coloca sobre o emboco servindo de acabamento final superficial.

 BETONILHAS – argamassa de cimento e areia ao traço 1:3;

7. ISOLAMENTOS E IMPERMEABILIZAÇÕES

Serão aplicados os seguintes tipos:


 Fundação e Laje de pavimento – Tela impermeabilizante

8. SERRALHARIA DE FERRO

8.1. Pilares e Vigas Metálicas

Serão em elementos modulares pré-fabricados em perfis metálicos que deverão ser montados
segundo os detalhes construtivos. Serão usados os seguintes elementos:

 Vigas em perfis metálico tubulares rectangulares com:


O 140x80mm com 5mm de espessura (pilares e vigas)
O 120x80mm com 5mm de espessura (alpendre)

8.2 Ligação e Assentamento

A ligação entre os elementos metálico é feita por meio de chapa de ferro galvanizado que serão
soldados e nos casos especificados por aparafusamento.
8.3 Acabamentos

 Todas as peças metálicas serão finalizadas com pintura a esmalte anti-corosiva.


 Todos os componentes em ferro e em aço, designadamente, perfis, parafusos, redes, etc.,

serão metalizados. A METALIZAÇÃO só será efectuada depois de se realizarem as soldaduras


necessárias à execução e montagem;

9. CARPINTARIA

Toda a madeira a usar em obra deverá ser tratada contra ataque de insectos antes da sua
aplicação em obra. O acabamento será por regra enevernizado excepto nas áreas do projecto
onde se indique o contrário. Serão em madeira os seguintes elementos dos projecto:
 A caixilharia para o guarnecimento dos vãos
 O pavimento interno em parquet- réguas de 1200x120 com 20mm de espessura
 O deck na área de estar exterior e junto a piscina – réguas de 1450x900mm com 12
espessura
 O rodapé – réguas com perfil de 120x12mm de perfil
 Quebra-sol nas varandas dos quartos 1 e 3 – réguas com perfil 80x30mm.
 Proteção da varanda da Casa de Banho 1 – barrotes de 120x80mm

10 REVESTIMENTOS

10.1 Revestimento de alvenarias

10.1.1 Reboco em paramentos verticais interiores e exteriores

Reboco em argamassa de cimento e areia incluindo “chapisco” e emboço sobre paramentos


verticais independentemente da natureza destes.
10.1.2 Pinturas

Serão aplicadas tintas da primeira qualidade apropriada aos fins a que se destinam. As
superfícies a pintar deverão ser previamente preparadas, e levarão as demãos necessárias para
que fiquem devidamente cobertas, serão aplicados os necessários e apropriados solantes
primários.
 As tintas de água a aplicar serão plásticas e aplicadas em paredes interiores e exteriores.
 Aplicação das DEMÃOS de tinta, em número mínimo de três.Todas as demãos serão
dadas de modo a evitar estriações, resultando sempre um acabamento homogéneo;
 Nenhuma demão será aplicada sem que a precedente tenha secado convenientemente; O
intervalo mínimo entre o demão é de 2h;

10.1.3 Mosaíco Cerâmico

Na cozinha e na casa de banho, até a altura de 2.10m será aplicado Mosaíco cerâmico com as
seguintes dimensões mínimas: 200x300 mm e 8 mm de espessura, uniformes na côr e arestas.
Poderá ainda ser colocada listelo com 100mm de altura para complementar os mosaícos.

Será aplicado na piscina a e na zona do chuveiro obedecendo aos seguintes procedimentos:


 Preparação da superfície de assentamento de forma a que esteja lisa e sem
enpenamentos;
 Colocação da mistura de adesivo colante de forma uniforme numa espessura de 6mm.

 Colocaça os painéis de mosaíco pastilha usando o sistema de juntas.

 Golpear com chalofa de borracha de forma a alinhar os mosaícos e remover excessos de


cimento cola.

 Aplicar massa de argamassa de cimento cola na superfície para fechamento e


uniformização das juntas e remover os excessos de argamassa;
 Limpar a superfície com chalofa de espomja;

 Limpar a superfície panos secos para polimento da superfície a obtenção do


acabameneto final.

10.1.5 Revestimento em Pedra talhada

Será aplicado como revestimento alternativo sobre a vedação frontal nas áreas indicadas no
projecto após o assentamto da alvenaria. A colocação será feita com argamassa de cimento e
areiade forma a obter uma superfície homogénea e textura regular.

10.1.6 Mosaico com textura/ Relevo em pedra

Será aplicado nas paredes interiores nas áreas indicadas


 Antes do assentamento a superfície deve estar aprumada e nivelada para que as peças se
possam assentar correctamente. Deverá também certificar que a superfície é homogénea.
 É necessário fazer um Plano de Assentamento do material. Os cortes devem ficar nas
zonas mais escondidas de modo a não se notarem tanto. Assentamento do Mosaico deve
ser feito de forma a que não seja necessário cortar muito para preencher os espaços que
restam;

10.1.7 Rodapé em madeira Maciça

Rodapé em madeira maciça com 12 mm de espessura e 120mm de altura assente na parede nos
compartimentos com piso em madeira. O rodapé possui cantos aredondados.

10.2 Revestimento de pavimento Existirão os seguintes tipos de pavimento.

10.2.1 Betonilha Afagada e Pigmentada

Será aplicada de uma forma geral nas áreas exteriores e seguintes aáreas interiores:
 garragem
 área exterior de circulação pavimentada.

10.2.2 Mosaíco Cerâmico


Mosaíco cerâmico 300 x 300 mm2 anti-derrapante na cozinha, casas de banho e lavandaria.

 Antes do assentamento a superfície deve estar aprumada e nivelada para que as peças se
possam assentar correctamente. Deverá também certificar que a superfície é homogénea.

 É necessário fazer um Plano de Assentamento do material. Os cortes devem ficar nas


zonas mais escondidas de modo a não se notarem tanto. Assentamento do Mosaico deve
ser feito de forma a que não seja necessário cortar muito para preencher os espaços que
restam;

10.2.3 Parquet

Será aplicado em todas as áreas interiores excluindo as que possuem mosaíco cerâmico e
betonilha.
 A betonilha onde vai ser colocado o pavimento deve, conforme as necessidades, ser
nivelada com cimento, ou cimento com aditivos, por forma a melhora as suas
características de colagem, elasticidade e dureza; No caso em que seja necessário
proceder á sua regularização, poderão ser usadas massas especiais para o efeito;

 Antes do assentamento a betonlha deverá estar perfeitamente limpa, sem pó, óleos, ceras
ou outras substâncias que possam prejudicar uma boa colagem. O assentamento do
pavimento deve ser feito com cola.

 Deverão ser efetuadas pelo menos três demãos de afagamento. Na primeira demão
deverá ser utilizada uma lixa de 36, na segunda demão uma lixa de 60 e na terceira
demão uma lixa de 100.
 Após o assentamento será aplicado rodapé em Madeira maciça com 12mm de espessura
e 120mmde altura.

10.2.4 Pedra britada

 Será assente nas áreas contíguas á casa e aos murros de vadação nas áreas indicadas no
projecto.

 A pedra deverá possui glanulometria media de 30mm. Possuirá uma espessura de


100mm e assentará num substrato de terra compactada com 100mm.

10.2.5 Pavê

 Blocos de 220x110mm com 60mm de espessura e assentarão em 2 subratos: um com


50mm e outro com 25mm.

10.2.6 Lancil de betão

Será colocada no limite entre o pavê e a pedra britada junto a casa e ao jardim. Terá as dimenões
de 150x300mm e assentará sobre uma camada de betonilha de regularização de 50mm de
espessura.

10.3 Deck de madeira

10.3.1 Aplicação

 As réguas serão de 900x120mm ou 1450x120mm com 25mm de espessura com arestas


boleadas raio de 5mm por forma a obter-se um perfil evacuante das águas da sua superfície.
Possuirão Ranhuras anti-derrapante.

 Os afastementos entre os sarafos será de 450mm


 O piso onde assenta a estrtura de sarafos deve estar devidamente nivelado e ter uma
ligeira inclinação de 5% no sentido de escoamento das águas
 A aplicação das réguas deve ser perpendicular ao sentido do sarrafo.
 Cada final de régua deve abranger um sarrafo e ser aí fixada (com parafuso ou fixador
 As réguas devem ter um espaçamento entre si entre 5 e 10mm, de forma a permitir a
expansão da madeira em função das condições climatéricas. No caso de existir na
periferia da aplicação uma parede ou barreira, o espaço entre as réguas não deve ser
inferior a 9mm. Se necessário, usar uma bitola para obter um espaçamento certo.
 A cada cruzamento entre uma régua e o sarrafo deve ser aplicado um parafuso (fixação à
vista) ou fixador (fixação oculta).

10.3.2 Fixação á vista

 Usar parafusos de inox, com no mínimo 5,5 x 50mm.


 As réguas devem ser previamente perfuradas, com um diâmetro do buraco inferior ao do
parafuso a usar. Esticar um cordão para obter um alinhamento da perfuração perfeito.
Para evitar o risco de fendas na perfuração de espécies tropicais, aconselha-se o uso de
broca para madeira dura e ajustar a velocidade de rotação do berbequim.
 Colocar dois parafusos na largura da régua, localizados a ¼ e ¾ da mesma.
 Aparafusar até ao fundo, sendo que a cabeça do parafuso não deve ficar saliente à
superfície da régua. Contudo, e no caso do final da régua, um aparafusamento demasiado
forte pode provocar fissuras.

10.3.3 Fixação oculta

 Utilizar fixadores e parafusos de inox.


 Alinhar as réguas de deck sobre os sarrafos e aparafusar os fixadores.
 As réguas de deck devem ser forçadas a encostar com recurso a grampos e/ou martelo de
borracha para
 Maior perfeição garantindo um espaçamento regular e automático.
 Na junção de topo das réguas, não usar somente um fixador, ou seja, deve ser usado um
fixador para terminar uma régua e um novo fixador para o arranque de uma nova régua.

10.3.4 Protecção superficial e acabamento:

Com produtos fabricados com base em óleos naturais, filtrantes da radiação ultravioleta
(impedindo o envelhecimento precoce da superfície), microporosos (deixando a madeira
“respirar”), de penetração e não filmificantes (não ficando sujeitos a descasque, “bolhas” ou
estalamentos). A sua manutenção torna-se extremamente simples - nunca é necessário remover
camadas existentes para efectuar a sua renovação. Aplica-se uma nova demão sobre as anteriores

10.4 Pinturas em Elementos Metálicos

 As tintas serão laváveis, resistentes à acção das gorduras e dos detergentes usuais;
 A tinta a aplicar será própria para aplicação sobre ferro, resistente à intempérie e de

QUALIDADE homologada por laboratório credenciado;


 Em todas as superfícies a pintar, depois de bem limpas e sobre a metalização
especificada no projecto, será aplicada uma demão de PRIMÁRIO à base de cromato de
zinco (zarcão);
 Aplicação das DEMÃOS de tinta, em número mínimo de três.Todas as demãos serão
dadas de modo a evitar estriações, resultando sempre um acabamento homogéneo;
 Nenhuma demão será aplicada sem que a precedente tenha secado convenientemente;
 Todas as demãos serão dadas de modo a evitar estriações, resultando sempre um
acabamento homogéneo;

10.5 Tecto Falso

Os tectos falsos de gesso, incluindo estrutura metálica em perfis de chapa galvanizada em forma
de U, separados por 40cm e elementos de suspensão, tratamento de juntas, barramento em toda a
extensão das placas para receberem pintura, abertura de rasgos para encaixe de spots de
iluminação e grelhas de ventilação em conformidade com o pojecto eléctrico a elaborar por
técnico de especialidade.

11 GUARNECIMENTO DOS VÃOS

11.1 Tipos
Serão montadas de acordo com as dimensões da planta de vãos os seguintes elementos:
 Porta pivotante de madeira
 Portas de abrir simples e duplas de madeira e vidro
 Janelas mistas com partes fixas e outras de abrir tipo basculante com divesas folhas de
vidro
11.2 Ferragens

Os vãos deverão ser montados com todas as ferragens necessárias ao seu funcionamento.
Todas as ferragens deverão ser aprovadas pela fiscalização. Serão assentes com parafusos no
metal correspondente e serão lubrificadas, limpas e trabalhadas sem empenamento.

11.3 Vidros
Serão empregues os seguintes tipos de vidro:

 Vidro liso transparente do tipo float glass com 4mm de espessura. com regra geral para
todos os vaõs, excepto onde temos espcificação no projecto;

12. COBERTURA E ACESSÓRIOS


A cobertura será em laje de betão com 150mm de espessura com tratamento impermeabilizante.

13. INSTALAÇÕES DE ÁGUAS E ESGOTOS

O projecto hidráulico deverá ser elaborado por técnico de espcialidade devendo apresentar as
seguintes características principais:
 Rede de distribuição de água fria;
 Rede de distribuição de água quente
 Dois reservatórios: Um enterrado e um elevado;
 Sistema de esgostos com caixas de inspeção, fossa e ligação á rede pública (caso exista)
ou dreno.
A capacidade mínima do reservatório elevado toma em consideração o consumo per capita de
125 l / pessoa x 10 pessoas = 1250 l

13.1 Abastecimento de água

O abastecimento da rede pública.


A rede exterior será executada por hidronil enterrados no solo e a rede interior será aplicada
dentro da alvenaria.
O tipo de dispositivos sanitários irá determinar os níveis das saídas. Nas entradas das casas de
banho e cozinhas estão previstas torneiras de passagem.

13.2 Rede de esgotos

Para escoamento das águas negras, brancas e pluviais proveniente das caleiras estão previstos
sistemas separados.

 Águas negras
As águas negras serão depuradas por fossa séptica. As águas depois de filtradas pela
fossa drenarão a rede pública.
 Águas brancas
As águas brancas dos lava-loiças, lavatórios e chuveiros serão drenadas para o dreno.
 Tubagens
A condução de águas residuais far-se-à por tubagem em PVC para uso no subsolo. A
comunicação da tubagem entre os pisos será feita por meio de coretes que se encontram
indicadas nos desenhos do projecto. Para inspecção dos tubos estão previstas caixas e
bocas de limpeza bem como ventilação da rede em tubagem PVC para uso aéreo.
14. EQUIPAMENTO FIXO

14.1 Equipamento sanitário

Será instalado o seguinte equipamento sanitário e respectivos acessórios de fixação e ligação às


redes de aguas, esgotos e torneiras de corte incluindo todos os materias necessários a execução:
 Lavatório em Porcelana branca assente com pedestal, sifão em aço de descarga a parede,
bichas flexíveis, ralo e tampão ou similar.
 Sanita em porcelana branca fixa na parede ou similar
 Despensa de Papel em aço inóx ref RODX630 da FRANKE ou similar
 Portador de sabão líquido em aço inóx ref RODX619 ou similar
 Secador de mão automático em aço inóx ref RODX310 da FRANKE ou similar
 Porta rolo de papel higiénico em aço inóx ref RODX672 da FRANKE ou similar
 Banca Lava-loica em aço inox ref CVN621 da FRANKE ou similar com 1235 x 435mm
para assentar em base de granito.
 Espelho de parede com dimensões mínimas de 600 x 800m
 Espelho de parede com dimensões mínimas de 1500 x 800m
 Banca de granito na zona da coiznha que se abre para a sala

15. ELECTRICIDADE

O Projecto de instalação eléctrica será executado por um técnico qualificado de acordo com as
normas em vigor. Os circuitos serão todos entubados e embebidos nas paredes antes destas serem
rebocadas e pintadas. A instalação eléctrica será montada tendo em consideração a Conexão com
a rede existente e a um Grupo gerador. Toda a instalação terá ligação a terra e as tomadas devem
obedecer a este requisito.

O projecto luminotécnico deverá irá ter em conta os seguintes aspectos:


 Iluminação e tomadas no interior
 Iluminação no exterior;
16 ARRANJOS EXTERIORES

Estão previstos os seguintes elementos de arranjos exteriores:


 No pavimento:
O Relva, o Pedra britada de glanulometria 30mm, o Pavê no estacionamento e circulação de
viaturas, o Floreiras nas áreas indicadas na planta, o Deck de madeira na área de estar exterior
intercalado com algumas floreiras.

 Na parede:
O Na entrada e na área de estar exterior será colocada mosaíco com relevo e textura de pedra
nas áreas assinalada nas peças desenhadas.

 Outros elementos:
Estrutura da paus com Ø 30mm (mínimo) assentes em vigas de madeira de pinho 140x80mm
que por sua vez são sustentadas por pilares de madeira duplos com 300x80mm.
O Pérgola de madeira 140x80mm no acesso a garragem.

 Murro de vedação frontal


O vão que se abre na entrada é sustentado por uma viga metálica INP180 embutido, O murro é
composto de placas de madeira assentes em perfis metálicos tubulares 50x30.