Você está na página 1de 23

MANUAL

PRÁTICO
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Você sabe o que é 5S?


O 5S surgiu nas empresas do Japão, durante a reconstrução do país
depois da segunda guerra mundial.
Depois da guerra, os japoneses receberam orientação de especialistas
americanos para o controle da qualidade.
2
O que os americanos faziam bem foi aperfeiçoado no
Japão, formando-se o que ficou conhecido como
Qualidade no Estilo Japonês, ou Total Quality Control (TQC -
Controle da Qualidade Total). É o controle dos
processos para assegurar o resultado final, entregando os
produtos conforme expectativa do cliente.

Saiba + sobre TQC:


O termo “controle da qualidade total” foi usado pela primeira vez por Armand
Feigenbaum, em 1956, quando ele propôs a ideia de que a qualidade só
poderá resultar de um trabalho em conjunto de todos os que estão envolvidos
no desempenho da organização, não apenas de um grupo de pessoas. Embora
ele também defendesse a criação de uma estrutura organizativa de suporte à
qualidade, a Engenharia de Qualidade, que seria a responsável por resolver
questões de qualidade que englobassem mais de uma área da empresa.

O papel do 5S é cuidar da base, facilitando o aprendizado e prática de


conceitos e ferramentas para a qualidade. Isso inclui cuidar dos
ambientes, equipamentos, materiais, métodos, medidas, e,
especialmente, pessoas.

No princípio, o 5S era mais focado em liberar área e espaço, evitar


desperdícios, resolvendo efeitos de guerra e de gestão inadequada.
Com os novos desafios, inclusive a evolução da tecnologia da
comunicação, o 5S evoluiu.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

A metodologia 5S tem sido desenvolvida de forma eficaz e participativa


nas empresas através de fundamentos de fácil compreensão e
capacidade de apresentar resultados expressivos. Isso responde a
questão daqueles que se perguntam: “por que cada vez mais empresas
investem na aplicação dos 5S?” A resposta é simples: porque é uma
ferramenta baseada em idéias simples e que podem trazer grandes
benefícios para as empresas.

O conceito de 5S possui como base as cinco palavras japonesas cujas


iniciais formam o nome do programa. As palavras são Seiri, Seiton, Seiso, 3
Seiketsu e Shitsuke, que migradas para o Português foram traduzidas
como “sensos”, visando não descaracterizar a nomenclatura do
programa. São eles: senso de utilização, senso de organização, senso
de limpeza, senso de saúde e senso de autodisciplina.

A tradução utilizando a palavra senso se tornou uma das mais


divulgadas no Brasil a partir de meados da década de 1990. Além de
iniciar com S, facilitando a didática do 5S, este termo remete ao bom
senso, característica de pessoa sensata. A prática do 5S é um bom meio
de apurar a sensatez. Com isso, o 5S deixa de ser uma coisa de fábricas,
máquinas, ferramentas. Entendido assim, o 5S pode ser praticado por
qualquer pessoa, em qualquer lugar, para facilitar a solução de
qualquer desafio.

Finalmente, essa tradução aproxima o 5S de o que é natural no


organismo vivo. Praticar 5S é semelhante ao que qualquer ser vivo faz
para viver.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Toda empresa bem estruturada, segue padrões estabelecidos pela


metodologia 5S. Esses padrões influenciam e muito, na performance da
empresa, um ambiente limpo e bem organizado, remete a sensação de
disciplina e disciplina, gera RESULTADOS.

seiketsu
seisou SEIRI
SHITSUKE seiton 4

=
RESULTADOS
O 5S pode ser implantado como um plano estratégico que, ao longo do
tempo, passa a ser incorporado na rotina, contribuindo para a
conquista da qualidade total e tendo como vantagem o fato de
provocar mudanças comportamentais em todos os níveis hierárquicos.

Muitos dos conceitos da qualidade total se fundamentam na teoria da


melhoria contínua (Kaizen: Kai, mudança e Zen, para melhor), pois a
QT é um processo e não um fato que possa ser considerado concluído.
Numa primeira etapa é necessário estabelecer a ordem para então
buscar a QT. Para estabelecer a ordem usamos o 5S.

Alguns objetivos desse programa são:

 Melhoria do ambiente de trabalho;


 Prevenção de acidentes;
 Incentivo à criatividade;
 Redução de custos;
 Eliminação de desperdício;
 Desenvolvimento do trabalho em equipe;
 Melhoria das relações humanas;
 Melhoria da qualidade de produtos e serviços.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1


SENSO

seiri
5

SEIRI = SENSO DE UTILIZAÇÃO E DESCARTE


O primeiro senso do Programa 5S é o chamado Seiri ou Senso de
Utilização. É o nosso ponto inicial para colocar o trabalho em ordem. É
saber, antes de tudo, separar o que é útil do que é inútil e o que é
necessário do que é desnecessário. Atente que inútil não significa que
pode ser jogado fora, e sim que no momento não tem utilidade.

O Senso de Utilização consiste em analisar os locais de trabalho e


classificar todos os itens (objetos, materiais, informações, etc.) segundo
critérios de utilidade ou frequência de uso, para depois retirar do
ambiente tudo o que não precisa estar ali.

Objetos inúteis precisam ser descartados, vendidos, doados ou jogados


no lixo. Devemos procurar manter somente o necessário para as
atividades na quantidade certa e em condições de uso. Vamos
descartar tudo aquilo que foi usado nos últimos meses e que não há
previsão de ser usado novamente. Somente o que tiver utilidade
imediata deve estar na área de trabalho: coloque perto da máquina,
bancada, mesa ou área de trabalho o que se usa toda hora; próximos
ao local de trabalho devem ficar os materiais usados poucas vezes no
dia; e, no armário, arquivo ou depósito deixamos os materiais usados de
vez em quando. Nessa etapa, separamos os objetos e/ou materiais por
grau, tipo ou tamanho.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Pense nas atitudes que você pratica no seu dia a dia que podem ser
consideradas como desperdício e procure evitá-las. Vejamos alguns
exemplos de desperdício:

 Produtos e/ou serviços em fila de espera para serem executados.


 Estoques além do necessário.
 Luzes acesas em ambientes vazios ou muito claros.
 Banhos quentes demasiadamente demorados.
 Máquinas e equipamentos ligados desnecessariamente.
 Jogar no lixo materiais em condições de uso. 6
 Bate papos desnecessários no ambiente de trabalho.

Para garantir o sucesso da implantação do 1º S, é necessário realizar um


planejamento claro de tudo aquilo que precisa ser feito.

A criação de uma lista de verificação é um instrumento que auxilia na


prática do senso. Entre os questionamentos da lista podemos citar as
seguintes perguntas:

 Há objetos desnecessários no local de trabalho?


 Há quantidade excessiva de material de expediente (lápis,
borracha, caneta etc)?
 O Senso de Utilização foi realizado no computador?
 As áreas em comum, tais como cozinha, banheiros, vestiários, pátios
estão em ordem?

Com o início do Senso de


Utilização, começam a surgir os
materiais inúteis, que devem ser
removidos para uma "área de
descarte". Nessa área, todo o seu
material deve ser devidamente
identificado. A área de descarte
não é sinônimo de bagunça. Até
porque, nessa área, há muita
coisa que pode ser útil para outro
setor, por isso o descarte deve
estar organizado e os objetos de
fácil localização.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Dica:
Uma boa maneira de fazer uma gestão visual do que vai ser descartado ou
reaproveitado em outra área da empresa, é a fixação de etiquetas nas cores
vermelha e amarela. Onde as vermelhas sinalizam descarte e amarelas
reciclagem.

Com o primeiro S implantado, esperam-se os benefícios


abaixo:

 Facilidade nas informações e na procura de objetos;


 Diminuição da necessidade de espaço e de estoque de materiais;
 Diminuição do desperdício;
 Redução de custos;
 Melhor aproveitamento do tempo e de recursos;
 Maior organização;
 Aumento da produtividade

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1


SENSO

seiton
8

SEITON = SENSO DE ORDENAÇÃO


O segundo senso do Programa 5S é o chamado Seiton ou Senso de
Organização ou de Ordenação. Ele consiste em arrumar objetos,
materiais e informações úteis de maneira funcional, possibilitando o
acesso rápido e fácil ao que deseja. O lema desse senso é ter cada
coisa em um lugar definido de forma a facilitar a localização por
qualquer pessoa e a qualquer momento.

Algo imprescindível para a implantação desse senso é a


conscientização da importância de sermos pessoas organizadas. O que
adianta organizar tudo, se depois vem alguém bagunçando tudo?

Depois de reforçar esse aspecto, você precisa realizar uma pesquisa do


layout adequado para o ambiente e de todos os objetos que o
compõem. Um ponto interessante é se você documentar por fotos ou
filmes o ambiente, assim poderá comparar o "antes" e o "depois" da
implantação do segundo S.

É chegada a hora de organizar os objetos. Arrume a disposição dos


móveis, organize os materiais que restaram após a etapa de descarte e
determine e identifique um lugar para cada objeto. Determine os locais
apropriados e os critérios de estocagem de materiais, equipamentos,
ferramentas e documentos.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Lembre-se de um fator importante: itens mais velhos devem ser deixados


à frente dos mais novos, pois precisam ser usados primeiro.
Principalmente no caso de materiais com prazo de validade. Isso se
chama FIFO, que é a sigla de First In, First Out, em tradução livre é
significa Primeiro que entra, Primeiro de Sai.

Saiba + sobre FIFO:


FIFO é a sigla em inglês para “First in, first out”, que no idioma português quer dizer
que o primeiro [produto] a entrar no armazém deve ser também o primeiro a sair,
com o objetivo de evitar a perda por vencimento da mercadoria. No Brasil, é
comum que os profissionais dos setores de estocagem se refiram ao FIFO com as
iniciais PEPS de “Primeiro que Entra é o Primeiro que Sai”, o que facilita a
memorização do conceito.

Perceba que a organização não ocorre apenas no ambiente físico, no


meio virtual ela também é necessária. Nos computadores, identifique
arquivos ou pastas e organize os e-mails.

Leia abaixo algumas dicas para praticar o Senso de Organização:

1. Organize suas coisas de acordo com os seguintes critérios: o Aquilo


que é usado constantemente fica ao alcance das mãos;
2. Usado ocasionalmente, mantenha próximo ao local de trabalho;
3. O que é usado raramente fica fora do local de trabalho;
4. Defina mecanismos de identificação apropriados;
5. Padronize nomenclaturas;
6. Use etiquetas coloridas para identificação;
7. Identifique o lugar de cada coisa e os objetos guardados;
8. Organize seus livros por gêneros e em ordem de relevância e
interesse na leitura;
9. Separe documentos pessoais e profissionais em pastas identificadas.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Depois de organizar tudo, verifique se realmente o que precisava foi


feito. Para isso, responda as seguintes perguntas:

 Há um local determinado para cada tipo de objeto?


 Os materiais/equipamentos estão organizados e identificados?
 Os materiais quando retirados e usados, são colocados no mesmo
lugar?
 Todos os materiais e documentos em cima das mesas estão sendo
10
utilizados? Há excesso de materiais nas mesas, gavetas ou armários?

Exemplo de Seiton Implantado:

Com o segundo S implantado, esperam-se os seguintes


benefícios:

 Facilidade para encontrar documentos, materiais e outros itens


necessários ao trabalho;
 Diminuição de compras desnecessárias;
 O término do estresse de procurar algo e não encontrar;
 O aumento do fluxo das informações;
 Maior agilidade no trabalho;
 Melhoria na comunicação interna e externa;
 Melhora no aspecto visual dos ambientes.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1


SENSO

seisou
11

SEISOU = SENSO DE LIMPEZA


O terceiro senso do Programa 5S é o chamado Seisou ou Senso de
Limpeza. No dicionário, o termo "limpeza" possui os seguintes
significados: qualidade de limpo, de asseado; esmero, aprimoramento;
coisa bem feita, acabada, caprichada.

Nessa etapa é importante não só executar a limpeza do ambiente, mas


também mantê-la. É chegada a hora de educar para não sujar e zelar
por tudo que é de nossa responsabilidade.

Ter senso de limpeza significa ter cuidado, eliminar a sujeira para manter
o ambiente limpo. O mais importante não é o ato de limpar, mas o ato
de não sujar. Além de limpar, precisamos identificar fontes de sujeira e
as respectivas causas, para podermos bloqueá-las. O senso de limpeza
é indispensável no refeitório e nos banheiros.

Assim, quando se realiza a fase da Limpeza,


verifica-se a situação geral da organização.
Nesse momento, é possível detectar sujeiras e
outros aspectos que possam agredir o homem e
o meio ambiente.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Veja algumas dicas para começar a implantar o 3º S:

1. Marque e implante o “Dia da Limpeza”;


2. Defina as regras para a manutenção da limpeza;
3. Defina locais para a coleta de lixo;
4. Estude a possibilidade de realizar a coleta seletiva;
5. Estimule os colegas a manter a limpeza obtida.

Boas Práticas na implantação do Seisou:


12
Existem diversas boas práticas que fazem diferença na implantação do 3º Senso.
Alguns Exemplos são:

 Criação de um cronograma de limpeza claro para todos os membros da


equipe;
 Coleta Seletiva. Todo tipo de lixo tem seu devido lugar de descarte;
 Expalhar banners explicativos e motivacionais pela empresa, à respeito
do senso de limpeza.

Exemplo de Cronograma
de Limpeza.

Exemplo de banner motivacional sobre limpeza e


coleta seletiva.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Todos devem se comprometer com a limpeza de cada um e com a


limpeza das áreas comuns. O sucesso dessa fase dependerá de todos.

Após implantado, é chegado a hora de verificar se o 3º S foi realmente


executado de forma eficiente. Pense nas seguintes perguntas:

 As paredes estão limpas?


 Os colaboradores realizam diariamente a limpeza do seu local de
trabalho?
 Os computadores estão limpos? 13
 As plantas existentes no ambiente estão adequadamente tratadas?
 O piso está limpo e bem conservado?
 Existe poeira sobre os armários, escrivaninhas e/ou bancadas?
 A apresentação pessoal (uniforme/vestuário) demonstra asseio?

Se tudo está devidamente organizado e limpo, é só colher os


benefícios de mais uma etapa do Programa 5S. Dentre eles:

 Maior durabilidade dos equipamentos.


 Redução do índice de acidentes de trabalho.
 Ambiente mais higiênico.
 Ambiente de trabalho agradável e saudável.
 Diminuição do desperdício.
 Prevenção de poluição.
 Melhoria da imagem interna e externa da empresa.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1


SENSO

seiketsu 14

SEIRI = SENSO DE SAÚDE E HIGIENE


O 4º S do Programa 5S's é o Seiketsu ou Senso de Higiene e Saúde. O
Seiketsu visa a melhoria da qualidade de vida, criando condições que
favoreçam a saúde física, mental e emocional, a partir de práticas de
higiene. O senso de higiene reforça a necessidade de uma mudança
comportamental. É chegado o momento de organizar as suas
atividades diárias: dedique um tempo só para você, um tempo para a
família e os amigos e um tempo para organizar as idéias, os planos
pessoais e os objetivos de vida.

Cuidar da higiene é, além da sua limpeza pessoal, também cuidar da


sua imagem e da mente. Para ter uma boa imagem pessoal, corte os
cabelos, a barba e as unhas, e use sempre roupas e sapatos limpos. É
também cuidar do cheiro que você exala. E, no aspecto psicológico,
trabalhe a sua autoestima, administre problemas e conflitos emocionais,
expulse os maus sentimentos e tenha empatia.

Além disso, é preciso estar atento ao bem estar coletivo: mantenha um


bom clima organizacional, zele pela qualidade das relações de
trabalho e mantenha o local de trabalho e as áreas comuns
organizados e limpos.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Veja abaixo algumas dicas para praticar o senso de higiene:

 Cuide para que a prática dos sensos anteriores permaneça.


 Promova discussões acerca do tabagismo.
 Realize exames periódicos de saúde.
 Cumpra e busque melhorar os procedimentos de segurança, sejam
eles individuais ou coletivos.
 Promova um bom clima de trabalho, ativando franqueza e
delicadeza nas relações entre as pessoas.
 Assuma o que fez para não prejudicar o outro.
15
Implantado o 4º S é hora de checar se ele está realmente funcionando.
Tente responder às seguintes perguntas:

 A quantidade e qualidade da iluminação para o trabalho são


adequadas?
 A apresentação do pessoal (uniforme/vestuário) demonstra asseio?
 Os banheiros, vestiários e armários estão em boas condições?
 Há uma preocupação generalizada pela higiene no local de
trabalho?
 Os colaboradores dos setores utilizam EPI’s e EPC’s adequados em
seu setor ou em outros setores, quando necessário?
 Os colaboradores cumprem horários e prazos estabelecidos?
 A relação entre os colegas de trabalho é boa, havendo respeito e
profissionalismo?

Após a implantação e checagem do 4º S são esperados os


seguintes benefícios:

 Aumento no senso de segurança.


 Melhoria na imagem dos funcionários.
 Aumento da satisfação pessoal.
 Melhoria da imagem da empresa perante os clientes.
 Colaboradores mais saudáveis.
 Prevenção de acidentes.
 Prevenção e controle do estresse.
 Melhoria da qualidade de vida.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1


SENSO

shitsuke
16

SEIRI = SENSO DE AUTODISCIPLINA


O Senso de Autodisciplina ou Shitsuke é o 5º S do Programa 5S’s. Esse
senso indica o momento em que as pessoas se conscientizam da
necessidade de buscar o autodesenvolvimento e consolidar as
melhorias alcançadas com a prática dos “4S” anteriores.

Para conquistar a ordem mantida é preciso exigir de cada pessoa uma


autodisciplina constante, muita determinação para manter as
conquistas das etapas anteriores e pontualidade nos compromissos
assumidos. A ordem mantida é uma facilitadora para libertar a energia
criativa e tem como objetivo levar à realização plena das coisas
comuns.

Nessa etapa, é preciso cumprir rigorosamente com aquilo que foi


estabelecido. Esse senso exige:

 O comprometimento dos colaboradores;


 A ética em primeiro lugar;
 Ter educação, paciência e responsabilidade;
 Respeito às normas e procedimentos;
 Melhoras na comunicação.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Delegação de responsabilidades e atribuição de autoridades.


Para começar a colocar em prática o 5º S:

 Crie procedimentos claros e possíveis de serem cumpridos;


 Seja claro e objetivo na comunicação;
 Cumpra os horários marcados para cada compromisso;
 Estabeleça sempre o porquê da execução de determinada tarefa.

Com o Senso de Autodisciplina implantado, é chegada a hora de


verificar se nada ficou para trás: 17

 Há algum material fora do lugar?


 Há material bom perto de objetos inúteis?
 Há excesso de material de expediente?
 Os materiais/equipamentos estão organizados, identificados e
limpos?
 A apresentação do pessoal (uniforme/vestuário) demonstra asseio?
 O relacionamento entre os colegas é bom?
 Os EPI’s estão sendo usados?

Uma pitada de PDCA

PDCA (do inglês: PLAN - DO - CHECK - ACT / Plan-Do-Check-Adjust) é um


método iterativo de gestão de quatro passos, utilizado para o controle e
melhoria contínua de processos e produtos. É também conhecido como
o círculo/ciclo/roda de Deming, ciclo de Shewhart, círculo/ciclo de
controle, ou PDSA (plan-do-study-act). Outra versão do ciclo PDCA é
o OPDCA, onde a letra agregada "O" significa observação ou como
algumas versões dizem "Segure a condição atual". Esta ênfase na
observação e na condição atual é utilizada frequentemente na
produção enxuta (Lean Manufacturing / Toyota Production System) do
Sistema Toyota de Produção.

O 5º senso tem muita empregabilidade para o ciclo PDCA, pois na fase


final de implantação da metodologia 5s é uma ótima oportunidade de
enxergar as possíveis
melhorias para a
metodologia e fazer os
ajustes necessários.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Tudo verificado? Agora é manter o trabalho realizado até


aqui e colher os benefícios do Senso de autodisciplina:

 Melhoria contínua da empresa e pessoal;


 Prevenção de perdas oriundas de processos não padronizados;
 Melhoria da disciplina e da ética;
 Melhor qualidade de vida;
 Cultivo de bons hábitos;
 Presença do trabalho em equipe, com método e maior segurança e
qualidade; 18
 Conscientização da responsabilidade em todas as tarefas;
 Serviço dentro dos requisitos de qualidade;
 Desenvolvimento pessoal.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

SUCESSO
CASES
DE
Veja as melhorias obtidas em diversos ambientes após a implantação
da metodologia 5S.
19
Case 1

ANTES DEPOIS

1. Otimização de Espaço e área útil;


2. Melhoria na luminosidade do ambiente;
3. Aumento na agilidade do trabalho, proporcionado pela
identificação dos volumes;
4. Facilidade na retirada de materiais.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Case 2

ANTES DEPOIS

20

1. Otimização do espaço interno;


2. Agilidade na realização de tarefas, proporcionada pela facilidade
de encontrar matérias.

Case 3

ANTES DEPOIS

1. Otimização de espaço;
2. Melhoria na saúde laboral;
3. Ganho de tempo e agilidade nas atividades diárias;
4. Melhoria na imagem do ambiente;
5. Aumento na luminosidade;
6. Aumento do raio de ação do trabalhador.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Case 4

ANTES DEPOIS

21

1. Esse exemplo foi o campeão no quesito “otimização de espaço”;


2. Melhoria na luminosidade do ambiente;
3. Ganhos de saúde ocupacional;
4. Melhoria no raio de ação do trabalhador.

Case 5

ANTES DEPOIS

1. Otimização de espaço;
2. Melhoria no clima organizacional;
3. Organização e ordenação.

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Viu como os resultados do 5S são


satisfatórios e impactam diretamente
na produtividade da equipe?
Você ainda tem dúvidas sobre a metodologia 5S? Para
melhor entendimento, nós sugerimos que você assista os 2
vídeos abaixo. Clique e assista!

22

Autor: Novo Telecurso 2000 – SENAI SP

Autor: Qualitv

Siga-nos:
www.engeteles.com.br
Manual Prático de 5 S – Volume 1

Sobre o Autor

Jhonata Teles atua há 10 anos na área de manutenção industrial, trabalhou em


industrias alimentícias, químicas, cosméticas, cimenteiras, mineradoras e metalúrgicas.

Engenheiro Mecânico, graduando Eng. De Produção, Técnico em Mecânica e Técnico


em Eletrotécnica.

É especialista em Lubrificação Industrial com certificações internacionais MLT-I e MLA-I


pelo ICML – International Council Machinery Lubrication.

Analista de Vibração Nível II pela FUPAI.


23
Fundador e Diretor de Engenharia da ENGETELES – Engenharia de Manutenção.

https://br.linkedin.com/in/jhonatateles

Todos os direitos Reservados:


ENGETELES – Engenharia de Manutenção LTDA. www.engeteles.com.br
Setor Hoteleiro Norte – Quadra 01 – Edifício Lê contato@engeteles.com.br
Quartier (61) 3255-1325
Bloco A - Sala 1414 – Brasília – DF
CEP: 70701-000

Siga-nos:

Siga-nos:
www.engeteles.com.br