Você está na página 1de 87

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

Câmpus Apucarana

Química Têxtil e Couros 1


Fiação

Profª Ma. Dayane Carvalho


O que vocês entendem
por fiação?
Fiação

Fiação é um conjunto de operações que


compreendem o tratamento das fibras até sua
formação em fio.
Fios
Caracterizam-se por:
- Regularidade
- Diâmetro
Caracterizam o título do fio
- Peso
É a relação entre o
comprimento e peso do fio
Titulação do fio

• Fixa-se o comprimento e pesa-se o fio


Direto
-Filamentos
• Quanto maior o peso, maior o título e, contínuos
(Tex, Denier)
portanto, mais grosso o fio.

• Fixa-se o peso e mede-se o


- Fibras
comprimento do fio
Indireto • Quanto maior o comprimento, maior
descontínuas
(Nm, Ne)

o título e, portanto, mais fino o fio.


• Tex: Massa, em gramas, de um
fio por 1.000 metros de
comprimento;
Direto • Denier: Massa de um fio em
gramas por 9.000 metros de
comprimento;

T – Título
P – Peso (g)
C – Comprimento (m)
K – Constante

Constantes:
•Denier = 9000 m/g
•Tex = 1000 m/g
• Ne - número de hanks necessários
para pesar uma libra – Fibras curtas
Indireto • Nm - número de metros de fio para
pesar 1 g – Fibras longas

T – Título
P – Peso (g)
C – Comprimento (m)
K – Constante

Constantes:
•Ne = 0,59 g/m
•Nm = 1g/m
Cálculo de Título de Fio

• Tem-se que 832 m de fio pesa 16 g. Calcule o


título deste fio nos seguintes sistemas diretos
e indiretos:

A) Tex
B) Dtex
C) Ne
D) Nm
Classificação dos fios

• Quanto ao tipo de fibras

Fibras Contínuas:
(poliéster, viscose, poliamida, elastano, polipropileno etc).

Fibras Descontínuas:
(lã, algodão, viscose, poliéster, linho etc.)
• Quanto ao processo
• Fio singelo: Fio têxtil formado por fibras
descontínuas ou filamentos contínuos. É o conjunto
mais simples de material têxtil.
Fio regular: São fios têxteis que não apresentam irregularidades
propositais em termos de grossura, torção e cor.

Fio retorcido: São fios obtido através da retorção de dois ou mais fios singelos,
com o objetivo de melhorar determinadas características como a resistência do
fio, regularidade, etc. Nestes fios o sentido da retorção é inverso daquele da
torção.
Fio especial: Fios com características especiais para atender mercados
diferenciados. Ex: Fios metalizados, proteção UV, com aroma etc.
Fio fantasia: Fio ao qual são adicionadas irregularidade
intermitentes em termos de torção e/ou grossura e/ou cor das
fibras empregadas, com a finalidade de conferir-lhe um aspecto
diferenciado.
O que é preciso para formar um fio?

Estiragem Torção
Estiragem
É o aumento do comprimento e a diminuição da seção
transversal de uma mecha de fibras, causado pela diferença de
velocidade entre o cilindro de entrada e o de saída.

Proporciona o paralelismo das fibras concedendo ao produto final


propriedades fisicas importantes, tais como resistência e alongamento.
Torção do fio
É o número de voltas recebida pelo fio por
unidade de comprimento.

Evitar que as fibras deslizem


umas sobre as outras.

Quanto maior a torção


maior a resistência do fio.
Utilização dos fios
Os fios, em geral, são produzidos para uso posterior
na fabricação de tecidos

Urdume Maior número de torções


Precisam de maior resistência

Trama e
malharia Menor número de torções
Fiação de fibras descontínuas

A fibra descontínua é o segmento em forma linear de


comprimento definido. São subdivididas em três tipos básicos:

•As fibras curtas, cujos comprimentos vão de 20 a 42 mm.


•As fibras longas, cujos comprimentos vão de 60 a 150 mm.

•Observação: Os comprimentos indicados são médios, pois em um


mesmo lote de fibras há variações de comprimento, especialmente nas
fibras longas
Fiação Anel Fiação Rotor/Vortex (open-end)
Cardado / Penteado Cardado

Fibras curtas / Fibras longas Fibras curtas

Maior produtividade
Versatilidade de títulos
Produção de fios:
Fiação de algodão
FIO CARDADO
Fios Cardados
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATORIO ANEL

CONICALEIRA

DEPÓSITO DE FIOS
Fios Cardados
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATORIO ANEL

CONICALEIRA

DEPÓSITO DE FIOS
Armazém de matéria-prima

Realizada a classificação e armazenagem.

Os fardos são posicionados no armazém de acordo


com a classificação.
Fios Cardados
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATORIO ANEL

CONICALEIRA

DEPÓSITO DE FIOS
Sala de Abertura

-Acondicionados por um tempo;


-Abertura;
-Limpeza;
-Mistura.
1 - Abridor de fardos

2 - Batedor

ABRIDOR DE FARDOS

BATEDOR 5 – Condensador
Pneumático

MISTURADOR

4 - Limpador Fino

LIMPADOR FINO 3 - Misturador

CONDENSADOR
PNEUMÁTICO
Abridor de fardos

Realiza a coleta de pequenas


porções de cada fardo e as
submete a batimento para
remoção de impurezas.
Batedor

Responsável pela abertura dos flocos de fibras para que haja um


desprendimento das impurezas, ocorrendo à limpeza grossa
Misturador

Função de homogeneizar a
matéria-prima e manter o estoque
regular na linha
Limpador Fino

Realiza a limpeza fina sem


prejudicar as fibras
Condensador Pneumático

Uma corrente de ar aspira às fibras


para a superfície de um tambor perfurado
que separa o material da corrente, extrai a
poeira, e encaminha as fibras para as cardas.
Fios Cardados
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATORIO ANEL

CONICALEIRA

DEPÓSITO DE FIOS
Carda
As fibras são condensadas em forma de fita e são
chamadas de fita de carda.

- Abrir e Misturar;
- Limpar;
- Retirar fibras curtas;
- Retirar neps;
- Iniciar endireitamento das fibras;
- Iniciar paralelização das fibras.
Véu de carda
Estas fitas de cardas são
direcionadas para o processo
seguinte em recipientes próprios
para este tipo de
armazenamento (vasos) e
direcionadas para a etapa
seguinte do processo.
Fios Cardados
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATORIO ANEL

CONICALEIRA

DEPÓSITO DE FIOS
Passadores

Melhora a uniformidade do material através dos processos de


duplicação e estiragem, minimizando as irregularidades
remanescentes do processo anterior.

- Homogeneização;
- Paralelização;
- Diminuição da massa por unidade de
comprimento.
Fios Cardados
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATORIO ANEL

CONICALEIRA

DEPÓSITO DE FIOS
Maçaroqueira

Tem a finalidade de estirar e paralelizar


uma massa de fibras, realizando assim a
diminuição da massa por unidade de
comprimento, aplicando uma pequena
torção para ocorrer a transformação de
fita em pavio e mudar a embalagem de
lata para maçaroca.

O pavio de maçaroqueira alimenta os


filatórios.
Fios Cardados
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATORIO ANEL

CONICALEIRA

DEPÓSITO DE FIOS
Filatório Anel

O pavio seguirá para o


filatório anel, que tem a
função de estirar e torcer
definitivamente o pavio
transformando-o em fio
contínuo, que serão
enrolados em espulas.
O processo se baseia no seguinte: após ser
alimentado, o pavio da maçaroca entra no trem
de estiragem, em seguida passa no guia-fio e
então no viajante (que fica na borda do anel),
enrolando-se na espula. O fio se forma pela
torção que esta ocorrendo do trem de estiragem
até a espula.
Fios Cardados
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATORIO ANEL

CONICALEIRA

DEPÓSITO DE FIOS
Conicaleira

Tem a função de transferir o fio da espulas


para cones ou bobinas, possibilitando
melhor desempenho nos processos
seguintes.

Parafinar quando necessário (fio de


malharia) e depurar o fio (retirar as
irregularidades do fio, como por exemplo,
pontos grossos e finos) também são
funções da conicaleira.
Fios Cardados
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATORIO ANEL

CONICALEIRA

DEPÓSITO DE FIOS
Depósito de fios
Produção de fios:
Fiação de algodão
Fio Penteado
Fio Penteado
Fio penteado é aquele que é submetido a um processo
mecânico de segregação das fibras curtas, realizado por um
equipamento conhecido como penteadeira.

Processos
dos fios
cardados
Fio mais regular

Menos piloso

Mais resistente e
elástico

Penteagem
Fluxograma
ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA

CARDA

PASSADOR I

REUNIDEIRA

LAMINADEIRA

PENTEADEIRA

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATÓRIO ANEL

CONICALEIRA

EXPEDIÇÃO
Reunideira

Tem por finalidade reunir de 16 a 24 fitas


provenientes do passador I, formando uma
manta.

Laminadeira
A finalidade da laminadeira é completar a paralelização das
fibras da manta proveniente da reunideira pela ação da
estiragem.
Unilap

A Unilap reune determinado número de fitas dos passadores


formando uma manta que recebe um pequeno estiramento,
transformando-a em um rolo de manta com dimensões
adequadas para atender ao processo de seguinte.
Penteadeira

A penteadeira recebe os rolos de manta e, através do sistema de


penteagem, com um percentual de remoção de pré-determinado
elimina as fibras curtas, impurezas e neps remanescentes dos
processos anteriores.
FIO PENTEADO

Fio com melhor paralelização das fibras e maior


eliminação das fibras mais curtas.

Fio mais regular, menos piloso, mais resistente e elástico do que


o fio cardado.

Devido à retirada de mais fibras no processo, a perda de algodão


para a produção do fio é maior, o que juntamente com a inclusão
de mais equipamentos no fluxo produtivo eleva o custo de
fabricação e consequentemente o preço do fio, sendo este o
fator principal para o encarecimento do fio penteado.
Cardado Penteado
Produção de fios:
Fiação de algodão
Fiação compacta
Eliminação do triângulo da fiação

Essa tecnologia condensa as fibras após a estiragem, mantendo as fibras mais


unidas antes de receberem a torção.

As pontas das fibras ficam mais próximas do corpo do fio, que exige uma menor
torção e apresenta maior resistência, elasticidade e brilho.

Menor
Melhor
Mais tendência a Maior
Mais macio resistência a Maior brilho
resistente formação de elasticidade
abrasão
pilling
Produção de fios:
Fiação de algodão
Fio Open-end
Fios Open-end

A fiação open-end consiste na produção do fio diretamente da fita.

• Dispensa a maçaroqueira e conicaleira

• Elevada velocidade de produção

• Menor custo de produção

• Melhor desempenho para fibras curtas

Na fiação open-end normalmente são feitos fios mais grossos (Ne 4/1 a Ne 12/1). No
entanto com as novas tecnologias open-end os fios produzidos podem chegar a Ne 30/1.
Cardado Open-end

ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA ARMAZÉM DE MATERIA-PRIMA

SALA DE ABERTURA
SALA DE ABERTURA

CARDA
CARDA

PASSADOR I
PASSADOR I

PASSADOR II

PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA

FILATÓRIO OPEN-END
FILATORIO ANEL

CONICALEIRA DEPÓSITO DE FIOS

DEPÓSITO DE FIOS

Equipamento eliminado Equipamento substituído


Filatório Open-end
As fitas do passador são descarregadas em fibras que são
lançadas no interior de um pequeno corpo metálico (rotor), que
gira em alta velocidade, formando o fio. O fio produzido não
tem sentido de torção definido.
Fio open-end X Fio do filatório anel
• Fio open-end tem menor resistência
Resistência • Fibras não orientadas

• Fio open-end tem menor alongamento


Alongamento • Fibras não orientadas

• Fio open-end tem maior uniformidade


Uniformidade do fio • Irregularidades na estiragem no processo anel

Torção do fio • Fio open-end não tem sentido de torção definido

• Fio open-end tem menor pilosidade


Pilosidade • Processo de fabricação fornece fio com uma superfície mais lisa

Comprimento das • Fio open-end é indicado para fibras curtas


fibras
Produção de fios:
Fiação de algodão
Fio Vortex
Esse processo foi desenvolvido recentemente e,
assim como no processo open-end, dispensa a
maçaroqueira e conicaleira.

Esta técnica de fiação proporciona


um fio de baixa pilosidade, pois o
sistema prende as pontas das
fibras dentro do próprio fio .

Uma das grandes vantagens desse


sistema de fiação é a elevada
velocidade de produção que supera
em até três vezes mais a fiação open-
end e em até vinte vezes a fiação anel.
Essa tecnologia esta baseada na alimentação da fita no trem
de estiragem, havendo posteriormente uma inserção de falsa
torção no fio por dois cilindros com ar comprimido em sentidos
opostos.

O fio formado será enrolado em uma embalagem apropriada.


O fio produzido possui na sua estrutura um conjunto de fibras
paralelas no núcleo presas por fibras externas, todas do mesmo
material.
Fios obtidos por filatório vortex
Com essa estrutura, onde as fibras do seu núcleo estão
paralelizadas e sem torção, o fio fica muito flexível, o que contribui
para um toque macio e o aumento do brilho, mesmo quando
comparado aos fios de outros processos, Open End e Anel.

Fio muito Toque Aumento


flexível macio do brilho
Produção de Fios:
Fio Retorcido
Fios Retorcidos

O sentido da torção de um fio


retorcido, de modo geral, é sempre
inverso do sentido de torção do fio
singelo.

A retorcedeira é o equipamento
utilizado para retorcer fios visando
obter maior resistência ou efeitos
especiais.
Binadeira

Alimentadas com duas ou mais


espulas do filatório anel ou dois ou
mais cones em cada fuso, que dará
uma bobina cilíndrica com dois ou
mais fios juntos.

Cada bobina proveniente da


binadeira alimentará um fuso da
retorcedeira, possibilitando desta
forma uma aplicação mais regular da
torção já que os dois fios saem juntos
da mesma bobina (tensão igual).
Retorcedeira

A retorcedeira recebe as bobinas com fios binados (fios


duplos) e através de uma torção pré determinada em
sentido contrário ao sentido da torçao do fio singelo (fio
simples) transforma em um fio duplo retorcido.
Fio Fantasia

Fio ao qual são adicionadas irregularidade


intermitentes em termos de torção e/ou
grossura e/ou cor das fibras empregadas,
com a finalidade de conferir-lhe um
aspecto diferenciado, destinado a
valorizar e diversificar o tecido
Fio Bouclé

Fio fantasia que possui


trechos irregulares formando
ondas muito próximas dando
um efeito de plumagem.
Fio Frisê (Ondée)

Efeito obtido através da


retorção de 2 fios de títulos
diferentes, proporciona um
efeito ondée às peças
Foi Mouline

Obtido através da retorção de dois fios


de cores diferentes.
Fio Felpudo

É um fio que após ficar


pronto passa por uma
lixa para levantar suas
fibras.
Diferenças nos fluxogramas

Cardado, Penteado, Open-end,


Vortex
Cardado Penteado Open-end Vortex

ARMAZÉM DE MATERIA- ARMAZÉM DE MATERIA- ARMAZÉM DE ARMAZÉM DE


PRIMA PRIMA
MATERIA-PRIMA MATERIA-PRIMA
SALA DE ABERTURA
SALA DE ABERTURA
SALA DE ABERTURA SALA DE ABERTURA

CARDA
CARDA
CARDA CARDA
PASSADOR I

PASSADOR I
REUNIDEIRA PASSADOR I PASSADOR I

PASSADOR II
LAMINADEIRA
PASSADOR II PASSADOR II

MAÇAROQUEIRA PENTEADEIRA

FILATÓRIO OPEN- FILATÓRIO


PASSADOR II
END VORTEX
FILATORIO ANEL

MAÇAROQUEIRA DEPÓSITO DE FIOS DEPÓSITO DE FIOS


CONICALEIRA

FILATÓRIO ANEL
DEPÓSITO DE FIOS

CONICALEIRA

EXPEDIÇÃO