Você está na página 1de 19

COMO REDUZIR O CONSUMO DE

ENERGIA COM SOPRADORES


Entenda quais são os pontos de
economia em uma ETE e confira
essa eficiência, na prática, com
um case de sucesso
ÍNDICE

PÁGINA 03 – Introdução
PÁGINA 04 – Passo a passo de um projeto básico de uma ETE
PÁGINA 05 – Sopradores e gasto de energia
PÁGINA 06 – Pontos de redução no consumo de energia
PÁGINA 12 – Case de sucesso
INTRODUÇÃO

VOCÊ SABIA QUE OS SOPRADORES PODEM REDUZIR


EM 60% O CONSUMO DE ENERGIA DE UMA ETE
(ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES)?

E para explicar passo a passo, como se dá essa economia, este e-book mostra onde estão
os pontos de redução de energia em uma ETE com o uso de sopradores.

Além desse mapeamento, o material destaca um caso de sucesso, que mostra na prática
como acontece esta economia. E traz ainda uma comparação financeira dos ganhos dessa
solução sustentável para o sistema de aeração.

03
PASSO A PASSO DE UM PROJETO BÁSICO DE UMA ETE

TRATAMENTO DE EFLUENTES COM SOPRADORES DE AR

1
Após a quebra mecânica de objetos grandes e a remoção de gordura
e areia, partículas pequenas ou dissolvidas são removidas para um
tanque de processamento biológico.

Nele, milhões de bactérias alimentam-se de resíduos orgânicos,

2 quebrando-os em dióxido de carbono, gás nitrogênio e água. Como as


bactérias precisam de oxigênio, grandes quantidades de ar são
sopradas na mistura.

3 Na sedimentação final, a lama é raspada do fundo do tanque enquanto


a água purificada transborda e é conduzida ao rio mais próximo.

04 4 O ar de baixa pressão necessário para a limpeza biológica é fornecido


pelos sopradores.
SOPRADORES E GASTO DE ENERGIA

Compare um exemplo da média de gasto de energia em uma ETE:

Os sopradores representam 70% dos gastos de


10% energia no processo de tratamento.
10%

10% E com a escolha correta dos


30%
70% sopradores utilizados, é possível
reduzir em 30% a energia
elétrica consumida.
Processo de tratamento Bomdas e edifícios
Bombas efluentes Eliminação de sólidos
70%

05
PONTOS DE REDUÇÃO NO CONSUMO DE ENERGIA

5 PONTOS A SEREM CONSIDERADOS PARA


REDUZIR O CONSUMO DE ENERGIA EM UMA ETE

Comece o trabalho mapeando os seguintes itens:


1. Retroffit – equilíbrio da vazão de ar.
2. Dimensionamento do soprador – vazão de
admissão ou descarga, perda de carga,
acionamento direto etc.
3. Eficiência no tratamento – altura do tanque.
4. Eficiência no tratamento – gerenciadores e
sistemas de controle.
5. Eficiência no tratamento – outros itens.

06
PONTOS DE REDUÇÃO NO CONSUMO DE ENERGIA

RETROFFIT

A utilização do retroffit auxilia na economia de energia e, de quebra, traz melhorias e


potencializa a eficiência. Isso se dá porque ele equilibra a vazão de ar, o que significa
proporcionar à aeração:

• Variação de vazão;
• Estabilidade no valor o OD (oxigênio dissolvido);
• Controle por sonda de oxigênio ou amônia.

07
PONTOS DE REDUÇÃO NO CONSUMO DE ENERGIA

RETROFFIT

Por que isso é importante?

Como já foi dito, o sistema de aeração consome 70%


aproximadamente 70% de toda a energia elétrica de uma ETE.

A possibilidade da variação da vazão proporciona um controle maior da


aeração, uma vez que precisa haver um equilíbrio nesse processo.

Se há pouco ar: Em contrapartida, se há muito ar:


• O sistema se torna ineficiente; • Muito lodo é formado, o que gera um
• E as bactérias morrem porque alto custo de descarte;
precisam de oxigênio. • Além de um alto consumo de energia.
08
PONTOS DE REDUÇÃO NO CONSUMO DE ENERGIA

EFICIÊNCIA NO TRATAMENTO - ALTURA DO TANQUE

O uso dos sopradores possibilita um dimensionamento que


também auxilia na economia de energia. Ele se refere à
altura do tanque da estação de tratamento: quanto maior a
altura do tanque, menor o consumo de ar = menos gasto
de energia.

Aumentar a profundidade do tanque gera um melhor aproveitamento da


bolha porque ela tem que percorrer um trajeto maior até a superfície.

09
PONTOS DE REDUÇÃO NO CONSUMO DE ENERGIA

Vale lembrar que esse processo do tratamento de


efluentes depende da qualidade de oxigenação da água.
Desse modo, quanto maior o tempo que as bolhas ficam
em contato com o líquido, melhor.

Por exemplo, o aumento de 1 metro na altura do tanque equivale a


20% a menos de demanda de ar comprimido.

10
PONTOS DE REDUÇÃO NO CONSUMO DE ENERGIA

Por isso, é mais eficiente utilizar uma área ocupada menor tendo altura maior.
Um tanque de 7 metros ocupa uma superfície 43% menor do que em um tanque de 3 metros
com mesmo volume de água.

Além de economizar energia, essa estrutura


representa gastos menores com cabos, painéis,
tubulação, sala de máquinas, entre outros itens.

Em alguns casos, uma profundidade maior também


é desejável:
• Se há pouco espaço horizontal.
• Se há grande necessidade de oxigenação dos
efluentes com demanda intensa para decomposição.
• Se há interesse em redução de custos na obra, pois
um tanque estreito e profundo muitas vezes representa
um custo de construção menor do que um largo.
11
CASE DE SUCESSO
Veja essa economia, na prática
CASE DE SUCESSO

Uma empresa solicitou um teste.

• Foram utilizados 2 Sopradores ZS 110 K para testar a eficiência na


ETE com capacidade para atender 150 mil habitantes e vazão de
esgoto média de 420 l/s.

PROPOSTA

ANTES DEPOIS
TROCA POR

Soprador Lóbulo – Dados de 4 Sopradores instalados e 2 em Soprador ZS 110 K VSD


plaqueta: operação a 60% da capacidade • Vazão: 85 m³/min (Entrada)
• Vazão máxima: 145,8 m³/min • Potência do motor: 200 kW (VSD) • Potência do motor: 110 kW
(Entrada) @ 2375 rpm • Pressão diferencial: 570 mbar • Pressão diferencial: 750 mbar
• Vazão utilizada: 87 m³/min (na ocasião a pressão diferencial
(Entrada-Aproximadamente) era de 800 mbar)

13
CASE DE SUCESSO

ECONOMIA CALCULADA

Veja a diferença entre 2 Sopradores lóbulos X 2 Sopradores ZS 110 com valor de Kwh R$ 0,30

ZS 110 K (PARAFUSO) LÓBULO


Vazão admissão (m³/min) 85 87
Pressão diferencial (mbar) 750 750
Potência no eixo KW 91 125
Potência do motor 110 kw 200 kw
Valor KW/M³/H 1,070588235 1,436781609
Economia de energia 25%
Quantidade de máquinas 2 2 Quer saber a diferença entre
Horas trabalhadas 8760 soprador parafuso e soprador
trilobular?
Consumo de energia 1.594.320,00 2.190.000,00 • Acesse post: Compare as
Gasto de energia R$ 478.296,00 R$ 657.000,00 diferenças entre soprador
parafuso e soprador trilobular
Economia com ZS por ano por Soprador R$ 178.704,00
Economia em 5 anos com ZS por Soprador R$ 893.520,00
14
CASE DE SUCESSO

ANÁLISE DE UMA SITUAÇÃO REAL EM OPERAÇÃO APÓS A


INSTALAÇÃO DE DOIS SOPRADORES PARAFUSO ZS 110 K VSD.

Economia de Energia
• O ZS reduziu em 22% o total de energia consumida pela ETE.
• E em mais de 30% o consumo de energia elétrica quando
comparado ao soprador lóbulo.

Mais Vantagens
• Eficiência superior do soprador ZS.
• Melhor turn down (ampla faixa de variação de vazão).
• Menor temperatura do ar na descarga, sendo também um
equipamento mais fácil de instalar.

15
CASE DE SUCESSO

ECONOMIA CALCULADA

Confira, agora, a diferença entre a utilização de 2 sopradores lóbulos e 2 sopradores ZS 110


com VALOR DE Kwh R$ 0,50 e com a utilização de um soprador com velocidade variável.
ZS 110 K (PARAFUSO) LÓBULO
Vazão admissão (m³/min) 85 87
Pressão diferencial (mbar) 750 750
Potência no eixo KW 91 135
Potência do motor 110 kw 200 kw
Valor KW/M³/H 1,070588235 1,551724138
Economia de energia 31%
Quantidade de máquinas 2 2
Horas trabalhadas 8760
Consumo de energia 1.594.320,00 2.365.200,00
Gasto de energia R$ 797.160,00 R$ 1.182.600,00

Economia com ZS por ano por Soprador R$ 385.440,00


Economia em 5 anos com ZS por Soprador R$ 1.927.200,00
16
Econom ia com a utilização de um soprador de velocidade variavel
SOLICITE UMA CONSULTORIA TÉCNICA GRATUITA
SOLICITAR
E OTIMIZE O SEU SISTEMA TRATAMENTO E
CONTROLE DE EFLUENTES INDUSTRIAIS.

QUER SABER MAIS SOBRE SOPRADORES? ACESSAR


ACESSE O BLOG DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

RICARDO BRANDÃO
Gerente de Produto
ricardo.brandao@br.atlascopco.com
COMPROMISSO COM A PRODUTIVIDADE SUSTENTÁVEL

Nos comprometemos firmemente com nossas


responsabilidades para com nossos clientes, meio ambiente
e pessoas ao nosso redor. Nosso desempenho triunfa sobre
as barreiras do tempo. Isto é o que chamamos de
Produtividade Sustentável.