Você está na página 1de 312

Tradução: Juliana, Drika, Livia,

Erika, Ma.K, Rebeca, Faby


Revisão Inicial: Thay
Da autora best-seller do New York Times, Penelope
Ward, vem com um romance novo, sexy e único.

Parecia uma boa ideia na época. Olho para Landon Roderick, aquele
garoto da infância que eu nunca tinha conseguido esquecer, mesmo que
ele se esqueceu tão facilmente de mim.
Então, novamente, qualquer coisa parece uma boa ideia quando você
tem um pouco de vinho antes de dormir, certo? Era suposto ser apenas
uma chamada rápida e sem sentido. Em vez disso, eu fui até ele -
descarregando treze anos de emoções reprimidas.
Não pensei que ele me ligasse de volta.
Certamente nunca poderia ter antecipado as semanas de conversas de
tele sexo tensas que se seguiram quando conheci o homem que ele se
tornou.
Aparentemente, Landon nunca me esqueceu. Essa conexão especial que
tínhamos ainda estava lá. Abri para ele, mas também havia coisas
sobre mim que ele não sabia. E ele tinha seus próprios segredos.
Ao longo das incontáveis horas que nós falamos no telefone, me
perguntava o que aconteceria se nós realmente se encontrasse. Uma
noite, fiz algo impulsivo novamente. Só dessa vez, fui ao aeroporto e
reservei uma passagem para a Califórnia.

Nós estávamos prestes a descobrir se uma ligação


telefônica poderia trazer duas almas perdidas ou se a
ligação realmente foi um grande erro.
CAPÍTULO UM

RANA BANANA

O quarto gira quando sento na cama. Ainda uso a roupa azul e dourada de

dançarina do ventre e olho as franjas espalhadas a minha volta.

Nem sequer tirei as roupas de trabalho antes de abrir o vinho. A garrafa de

Shiraz que ainda estou segurando agora está vazia. Escorregou da minha mão, mas

felizmente não quebrou. Pelo menos, não a ouvi quebrar.

Não é a primeira vez que chego em casa do trabalho e imediatamente abro uma

garrafa de vinho. Mas esse dia me atingiu de uma forma particularmente difícil.

Parece que estou me afogando em tristeza.

E nem sequer sei realmente o porquê.

Sempre que afundo neste lugar de melancolia, por algum motivo, meus

pensamentos derivam para Landon. Não tenho ideia de por que depois de treze

anos ainda penso nesse rapaz. Bem, tecnicamente, ele é um homem agora.

Esforço-me para levantar e cambaleio contra meu armário. Após abrir a mochila

preta, procuro entre as dezenas de notas que ele me deu. Cada uma delas foi

dobrada em forma de triângulo. Escolhendo uma ao acaso, eu a abro.

Rana Banana,

Gostaria de ter tanto pêlo no braço quanto você.

Landon

P.S. Vai me deixar trança-lo?


Meu nome é pronunciado RAH-na, então Landon costumava me chamar de

RAH-na Ba-NAH-na. Por um curto período de tempo, ele foi tudo para mim.

Aos treze anos, era uma moleca morando com meus pais numa garagem

arrumada na propriedade dos pais de Landon em Dearborn, Michigan. Eles

transformaram num apartamento para alugar com uma cozinha pequena e um

banheiro. Eu não tinha muito além do teto sobre minha cabeça e, bem, o pêlos em

meus braços.

Considerando que o pai de Landon era um executivo da Ford, meu pai, Eddie

Saloomi, trabalhava numa padaria no centro e ganhava apenas o suficiente para as

despesas básicas. Minha mãe, Shayla, que é significativamente mais jovem do que

meu pai, nunca trabalhou.

O casamento dos meus pais foi arranjado. Papai preferia que minha mãe ficasse

em casa e cuidasse doas afazeres domésticos. Na realidade, tudo que Shayla

realmente fazia era fazer uma refeição ocasional entre idas ao shopping para

roubar roupas na Macy1. Ela também fazia ligações escondidas para um namorado

mais próximo de sua idade. Só lembro de minha mãe ser miserável a maior parte

da minha infância. Também lembro de pensar que ela era fisicamente a mulher

mais bonita do mundo. Enquanto Shayla tinha feições suaves, herdei o nariz e as

sobrancelhas unidas do meu pai. Também era mais peluda do que outras meninas

da minha idade. Talvez por isso Landon me tratasse como um menino. Ele

certamente não sabia que eu tinha uma queda por ele. Ele também não sabia que

sair com ele todos os dias depois da escola era a razão pela qual eu vivia.

1 Macy's é uma rede de lojas de departamentos fundada na cidade norte-americana de Nova Iorque. Foi fundada

em 1858. A maior dessas lojas fica em Nova Iorque, ocupando um quarteirão inteiro, e é apelidada de a maior loja
do mundo.
Meu tempo no apartamento de Dearborn foi de curta duração. Os pais de

Landon acabaram nos chutando por falta de pagamento do aluguel e lembro de

sentir como se todo meu mundo desabasse.

Em dois dias, meu pai arrumou nossas coisas na carroceria de sua velha picape

Toyota e fomos viver com meus avós do outro lado do estado.

Nunca vi Landon novamente.

Optei por não dizer adeus. Ele nunca veio dizer adeus para mim também.

Estava tão incrivelmente brava, sentindo-me como se ele pudesse ter feito algo para

evitar a expulsão. Foi uma maneira horrível de terminar as coisas.

Ao longo dos anos, pensei muito sobre Landon. No entanto nenhuma vez

considerei procura-lo ou entrar em contato.

Até agora.

Por que de repente tenho este desejo numa quinta-feira aleatória? Eu não faço

ideia.

Redobro a nota e coloco de volta na mochila. Parando para olhar meu reflexo no

espelho, vejo o rímel escorrendo. A pesada maquiagem realça meus olhos verdes,

assim como minha pele morena acentua o cabelo preto. Apesar da bagunça, gosto

do que vejo e odeio me sentir dessa maneira. Mas trabalhei muito para ficar assim.

É claro, o álcool provavelmente me dá uma falsa sensação de confiança.

Pergunto-me o que pensaria de mim agora, Landon.

A única coisa que tenho certeza: ele não reconheceria Rana Saloomi se a visse na

rua.
Tenho ideias sobre como Landon está, imaginando que foi para uma grande

faculdade, tem um trabalho bem pago, uma bela esposa ou namorada. Imagino-o

feliz. Imagino que ele nunca pensou em mim. Estou obcecada com minha imagem

de Landon e não consigo descobrir por que isso importa. Está tudo na minha

cabeça, mas de alguma forma sua felicidade é um reflexo da minha infelicidade.

Apesar da confusão sobre estes sentimentos por Landon, esta noite, na minha

névoa bêbada, estou com raiva. Eu quero falar com ele. E ninguém em sã

consciência está aqui para me convencer do contrário. Convenço-me de que eu

nunca terei essa confiança novamente. Esta é a uma chance única. Ligar para ele

está noite parece a cada segundo uma ideia brilhante.

Abrindo meu notebook e clicando no Google, pesquiso por Landon Roderick.

Uma lista com esse nome surge em Los Angeles.

Los Angeles?

É mesmo ele?

Se for, provavelmente não vai lembrar de mim. Mas não me importo. Incapaz

de impedir minha auto embriaguez, preciso dizer a ele. Preciso que ele saiba quão

fodido foi o que seus pais fizeram. E preciso que ele saiba que ele não é melhor do

que eu. Basicamente, preciso dizer as coisas que estive gritando com ele na minha

cabeça todos esses anos.

Disco o número e ouço o toque.

A voz profunda e grave surge na linha. "Sim…"

Meu batimento cardíaco acelera. “É Landon?”

"Quem é?"
“Tenho certeza que não se lembra de mim. Bem, com sua vida cara na

Califórnia e outras coisas.”

"Desculpe?"

“Você precisa saber algo. Eu tinha sentimentos.”

“Que porra é essa? O quê?” Ele repete, “Quem é?”

“Talvez tudo o que fui para você seja uma moleca rechonchuda com um corte

de cabelo ruim e pêlos nos braços - apenas a menina que vivia na garagem. Mas eu

me importava. Não só isso, eu acompanhei você. Esperava ansiosa cada dia passar

andando de bicicleta em círculos na calçada da frente enquanto você patinava em

torno. Ainda tenho todas suas malditas notas dobradas. Não sei por que ainda

guardo. Enquanto isso, aposto que você nem lembra quem diabos eu sou. Nããão ...

não meu arrogante Landon Roderick ... em sua mansão em LA, bom demais para

lembrar das pessoas pequenas. Caso esteja se perguntando o que aconteceu

comigo, bem, tudo foi para o inferno depois que nos mudamos. Minha mãe nos

deixou. E minha vida nunca mais foi a mesma. Então, mesmo que você não lembre

quem eu sou, eu lembro de você. Infelizmente, a última vez que fui realmente feliz

foi com você.”

Com lágrimas escorrendo pelo rosto e as palavras acabadas, desligo e jogo o

telefone em minha cama.

E então afundo nela.

Ah, merda.

Ah, não.

O que acabei de fazer?


Meu coração está acelerado. O quarto girando mais rápido do que antes.

Alguns segundos depois, o telefone começa a tocar. Segurando meus joelhos no

peito, simplesmente o olho como se fosse uma bomba e explodirá se fosse atendido.

Não, não vou atender. Fiz papel de boba. Quando para de tocar, solto um

suspiro de alívio que mal dura até o telefone começar a tocar novamente. Ainda

não atendo. Ele finalmente para - por cerca de cinco minutos.

Em seguida, recomeça a tocar.

Finalmente levanto o telefone e olho para o identificador de chamadas: L.

Roderick.

Endireitando minhas costas contra a cabeceira da cama, respiro fundo e me

preparo para atender.

Limpando a garganta, faço meu melhor para soar como uma mulher calma,

uma que teve talvez um demônio bêbado exorcizado dela. "Alô?"

Ele solta uma longa respiração. Um momento de silêncio se passa, até que ele

finalmente diz, “Rana Banana?”


Capítulo dois

HE SAID-SHE SAID

Ouvir as palavras proferidas por desta voz profunda é verdadeiramente

surreal. Desde quando Landon soa assim?

Finalmente respondo, “Sim.”

Ele solta outra respiração. “Puta merda. Rana Banana.”

“Olha ... Apenas esqueça que liguei, está bem? Volte a fazer o que estava

fazendo. Finja que isso nunca aconteceu.” Estou prestes a desligar quando sua voz

me impede.

"Espere."

Não digo nada, mas continuo na linha.

“Ainda está aí?” Pergunta ele.

Minha voz é baixa. "Sim."

“Eu deveria simplesmente esquecer o telefonema que acabou de acontecer?”

"Claro. Assim como esqueceu que eu já existi.”

"Do que está falando?"

“Como pode sequer perguntar? Seus pais nos chutaram para a rua. Você nunca

veio dizer adeus. Na verdade, magicamente desapareceu durante toda essa

provação.”
Sua voz fica mais alta. "Espere um segundo. Primeiro de tudo, eu tenho pensado

em você - muito, se realmente quer saber. Isso está me assombrando, na verdade. E

em segundo lugar, você entendeu tudo errado.”

"Como?"

“Meus pais não te expulsaram. Eles me disseram que seus pais foram embora

sem pagar o aluguel. Lembro-me de ir lá e ajudar a limpar metade das coisas que

deixou para trás.”

“Bem, seus pais mentiram. Fomos forçados a sair.”

"Olha. Isso é aparentemente um mal-entendido. A situação original é, nunca

não quis dizer adeus a você. Não estava lá quando aconteceu. Fui visitar minha avó

por alguns dias. Ninguém me disse que estava se mudando até depois de ter

acontecido. Eu voltei e você tinha ido embora.”

Não sei o que fazer com isso. Ou ele está mentindo, ou meus pais mentiram

para mim. De qualquer maneira, sinto-me uma completa idiota no momento.

"Olhe. Mais uma vez, este telefonema foi um erro. Não há nenhum ponto em

remoer tudo isso treze anos depois de qualquer maneira. Tenha uma boa..."

“O que te fez me ligar esta noite?”

"Eu estou bêbada."

“Você me ligou bêbada?”

"Sim."

“Ainda está bêbada?”


“Infelizmente o efeito está passando.”

“Como conseguiu meu número?”

“Você é o único Landon Roderick nos Estados Unidos, aparentemente.”

"Sorte minha. Por que está bêbada numa noite quinta-feira?”

“Há muitas respostas para essa pergunta. Vamos ver. Fui apalpada no trabalho

novamente. Estou com o aluguel atrasado nesse mês – sei o que você está

pensando, que, aparentemente algumas coisas nunca mudam, né? Oh! E meu

colega de quarto é um psicopata. Tenho certeza que ele está tramando minha morte

enquanto nós conversamos. Devo ir em frente?”

“Que porra?” Ele ri.

“Pronto para desligar agora, Landon?”

"Está de brincadeira? Isso está apenas ficando bom.”

“Você não tem nada melhor para fazer? O que estava fazendo quando liguei?”

“Estava fumando na minha varanda,” diz ele. “Minha casa tem vista para o

mar. Não é uma mansão, no entanto. Desculpe desapontá-la."

"Você fuma? Você não costumava fumar.”

“Eu tinha treze anos quando me conheceu. Eu mal sabia onde minhas bolas

estavam na época. Muita coisa pode mudar em treze anos.”

"Com certeza."

“Muito tempo para foder e desenvolver maus hábitos.”

Suspiro. "Sim."
“Como sua noite de quinta com ligações embaraçosas. Houve outras vítimas

inocentes? Ou apenas eu?”

“Na verdade, não acho que já fiz isso antes.”

“Bem ... que você possa lembrar.”

Não posso deixar de rir. Sua risada aparece e meu humor melhora.

Posso ouvi-lo acender outro cigarro antes de dizer, “Voltando um minuto. Disse

que foi apalpada no trabalho. O que faz? É guarda prisional ou algo assim?”

"Porque pensaria isso?"

"Eu não sei. A primeira coisa que me veio à mente, acho.”

“Sou dançarina do ventre.”

"O que? Inacreditável!"

“Por que acha difícil de acreditar?”

“Você costumava se vestir como um homem ... roupas largas. Eu simplesmente

não consigo te imaginar dançando.”

“Bem, como disse, muita coisa pode mudar em treze anos.”

“Aparentemente.” Ele exala profundamente. “É bom ouvir sua voz, Banana.”

“Sua voz está muito diferente. Você soa como um homem.”

“Da última vez que verifiquei, eu sou, de fato, um homem. Pensei que você

fosse, também, naquela época.”

"Idiota."
“Estou brincando, Rana – quase isso.”

Solto um suspiro. “De qualquer forma, é melhor eu deixar você ir.”

“Espera ... mais uma pergunta. Porque acha que seu colega de quarto está

tentando matá-la?”

“Ok, bem, seu nome é Lenny. Coloquei um anúncio para arranjar um colega de

quarto um tempo atrás. Não estava conseguindo nenhuma refeição e realmente não

posso pagar o aluguel. Lenny respondeu ao anúncio. Ele realmente não fala

comigo, mas às vezes, murmura coisas. Tenho a sensação de que ele está obcecado

por mim, mas me odeia ao mesmo tempo, se isso faz sentido.”

“Não faz sentido, não. Mas nem você, realmente.” Ele riu. “O apartamento está

em seu nome ... o contrato de arrendamento?”

"Sim."

“Então, por que não o expulsa se é um maldito maluco?”

“Porque tenho medo dele me matar.”

“Então, tem medo de viver com ele, mas também tem medo de expulsá-lo.”

“Mais medo de expulsá-lo. Ele não tentou nada. É só que ... Essa sensação que

tenho.”

Landon solta uma risada.

"O que é tão engraçado?"


"Você. Você é simplesmente engraçada. Não é engraçada ha-ha... mas

loucamente engraçada. Na verdade, não me lembro a última vez que ri assim.” Ele

fala baixinho, “Puta merda. Esta é uma surpresa interessante.”

Só então, ouço a voz de outra pessoa.

Uma mulher chama, “Landon? O que está fazendo?” Ela parece ter um sotaque.

Ele lhe responde, “Eu já volto. Precisei atender um telefonema.”

"Quem é? Você é casado?"

"Não."

"Ela é sua namorada?"

"Não. Não tenho namorada.”

“Então, quem é?”

“O nome dela é ... um ...”

“Você não sabe?”

"Valeria."

“Venérea?”

Ele ri. "Valeria."

Claramente, interrompi algum tipo de encontro.

“Bem, vou te deixar você voltar a isso.”

Seu tom é urgente. “Não desligue.”

“Tenho certeza de que precisa voltar para Valeria.”


“Não, não preciso. Ela voltou para o quarto, de qualquer maneira. Ela não está

aqui mais.”

“Bem, você não quer fazê-la esperar.”

“Ela pode esperar.”

"É melhor eu ir."

“Rana, não desligue ainda. Você vai ligar novamente quando ficar bêbada?

Sinto que não estou satisfeito de sua loucura.”

“Boa noite, Landon.” Desligo.

Meu coração está acelerado. A coisa toda parece surreal. Será que realmente

aconteceu?

Quão estranho é ele estar com uma mulher e mantendo uma conversa comigo.

Não consigo dormir essa noite. Tudo o que posso pensar é na imagem de

Landon fumando próximo a praia na Califórnia. Imagino o ar do oceano enquanto

me pergunto sobre como ele realmente parece agora.

Quando a insônia não me deixa, levanto da cama e vou até meu armário pegar

a mochila de notas e, aleatoriamente, seleciono uma.

Rana Banana,

Por que suas roupas sempre cheiram a especiarias estranhas? Faz-me querer ir

ao Taco Bell.

Landon

P.S. Acha que seu pai poderia nos levar ao Taco Bell uma hora dessas?
Capítulo três

SHOW ME YOU

Na tarde seguinte, passo pelo meu colega de quarto ao sair de casa.

“Tenha um bom dia, Lenny.”

Ele simplesmente resmunga enquanto leva seu almoço para o quarto. Não me

importo se ele me reconhece ou não, contanto que não me incomode ou me

sufoque enquanto durmo.

Esquivando-se das poças, corro para o ponto de ônibus quando meu celular

vibra.

Atendo sem verificar o identificador de chamadas. "Alô?"

Sua voz é inesperada. “Sinto que terminamos de um jeito estranho na noite

passada.”

“Tenho certeza de que a coisa toda foi estranha, Landon. Não apenas o final.”

“Bem, prefiro finais felizes.”

"Aposto que prefere."

Ele ri. “Ei, queria perguntar antes que desligasse na minha cara ... você já

montou o cubo mágico?”

Que pergunta estranha. Então, lembro de um tempo onde dominar o cubo,

combinando todas as cores era um objetivo de vida importante.

"Não. Não, eu não montei.”


“Eu também não. Não por falta de tentar. Mas achei que talvez nunca

conseguiu, também.”

“Como estava tão certo de que não consegui?”

“Bem, você deixou seu cubo para trás no antigo apartamento, por exemplo. Não

poderia estar tão dedicada. Eu ainda tenho ele."

Isso realmente me surpreende. "Você tem?"

"Sim."

“Levou com você para a Califórnia?”

"Eu trouxe."

“O que te fez me ligar agora?”

“A mesma razão que me ligou na noite passada ... curiosidade? Exceto que na

verdade, não estou bêbado.”

O constrangimento pelo meu comportamento na noite passada não diminuiu.

“Bem, estou meio com pressa agora, então ...”

"Onde vai?"

“Visito uma garota de dez anos uma vez por semana como parte do programa

de Irmã mais velha de Detroit. O nome dela é Lilith. Encontro-a em casa e a levo

para passear.”

“Então, é como uma mentora...”

"Sim."

“Isso é muito legal da sua parte fazer isso.”


“Sim, bem, meio que sinto que ela é a irmã mais velha às vezes. Ela é muito

madura para sua idade, e em muitos dias, sou a única precisando de companhia.”

“Acho que isso é uma merda. Quanto tempo passa com ela?”

"Algumas horas. Tenho que ir direto para o trabalho depois que a deixo em

casa.”

“Oh, certo. Dançarina do ventre.”

"Sim. É em um restaurante grego. É apenas temporário. Isso paga as contas por

enquanto. Não pretende fazer isso para sempre.”

“Acho incrível, nada para se envergonhar.”

"Eu não tenho vergonha."

“Só gostaria de poder ver.”

“Sim, não vai acontecer.” Mudando de assunto, pergunto, “O que você faz ...

como trabalho?”

“Sou meio que pau para toda obra. No momento, sou um aspirante a chefe,

embora não exatamente um Wolfgang Puck2 ou qualquer coisa.”

"Muito bom. Bem, é melhor eu ir. O ônibus está chegando.”

“Você pega o ônibus?”

"Sim. Não tenho um carro no momento.”

“Não pode pagar por um?”

Sem saber se admito isso, suspiro. “Eu não dirijo, na verdade.”

2Chef de cozinha austríaco.


"Mesmo? Tipo nunca aprendeu?”

"Isso mesmo."

“Por que não aprendeu?”

“Ninguém me ensinou.”

"Merda. Não seria capaz de sobreviver se não pudesse dirigir.”

“Sim, bem, felizmente existe ônibus.”

“Você nunca vai aprender?”

Este é um ponto sensível, algo que me envergonha e realmente não quero falar

sobre isso. "Eu não sei."

“Vai ser mais difícil quanto mais tempo adiar, sabe.”

“Sim, estou bem ciente disso enquanto neste momento espero na chuva pelo

ônibus.”

“Bem, merda, isso me faz querer ensiná-la a dirigir.”

“Não, não vai acontecer. De qualquer forma, tenho que ir. Eu-"

“Posso te ligar mais tarde?” Ele interrompe.

"Por quê?"

“Sinto que não terminamos de falar sobre o que aconteceu. Sabe ... quando você

foi embora.”

“Você quer dizer quando fui expulsa.”

“Não, quando-”
“Isso não importa mais.”

“Claramente é importante para você se depois de treze anos ainda está

pensando nisso o suficiente para me ligar antes de qualquer outra pessoa no

mundo quando estava bêbada. Sinto que precisamos talvez ... esclarecer algumas

coisas. Que tal isso? Vou te ligar bêbado mais tarde.”

Fico em silêncio quando o ônibus chega fazendo um barulho na minha frente

antes das portas se abrirem.

Pegando meu passe, digo, “Vai ficar bêbado e me ligar?”

"Claro, por que não? Olho por olho. Que horas estará em casa?"

Escolhendo um assento, pergunto, “Ligações embaraçosas por estar embriagado

não devem ser atos espontâneos?”

“Prefere que eu a surpreenda num momento inoportuno?”

Ele tem razão. Pelo menos desta maneira, estarei preparada.

“Estarei em casa por volta das onze do meu horário.”

“Ok ... vou ligar então.” Ele ri. “E estar bêbado.”

Rio quando eu olho em volta para ver se alguém está observando meu

comportamento idiota. "Ok."

“Esteja preparada, Rana.”

***

Lilith está batendo o pé enquanto espera na varanda da frente. "Você está

atrasada."
Nada como ser repreendida pela garota para quem deveria ser um bom

exemplo.

"Eu sei. Sinto muito. O ônibus sempre fica mais lento na chuva.”

“Precisa de um guarda-chuva?”

“Tem um extra?”

Ela corre de volta para dentro e pega um bem barato que sei que não vai durar

neste vento.

“Para onde vamos?” Ela pergunta.

“Froyo3?”

“Achei que parou de comer açúcar.”

Ela é como uma velha senhora mandona às vezes.

"Eu parei. Eles são livres de açúcar. O de baunilha.”

Ela dá de ombros. "Ok."

Quando chegamos na sorveteria, cada uma pega um dos copos verdes de néon

e enche com tanto iogurte e cobertura quanto podemos fazer caber. Escolho uma

mistura de chocolate e nozes, enquanto Lilith sempre escolhe goma e cereais Cap'n

Crunch.

Pegando uma colher cheia da minha montanha de iogurte coberta de doces, ela

brinca comigo. “Boa dieta livre de açúcar?”

“Você me pegou.” Pisco.

3Iogurte gelado, iogurte congelado ou frozen é uma sobremesa gelada feita de iogurte, similar ao sorvete, porém

com menor teor de gordura.


Escolhemos um lugar na mesa laranja brilhante que está ligeiramente pegajosa

do cliente anterior.

Lilith e eu comemos em silêncio até que ela finalmente fala.

“Por que vem me ver?”

"O que quer dizer?"

“Por que aparece toda semana? Minha mãe diz que eles não te pagam.”

“Faz-me sentir bem estar perto de você, me faz sentir que estou contribuindo ao

mundo sendo um modelo para você já que não tive isso enquanto crescia.”

“Mas parece triste algumas vezes.”

“Sim, bem, talvez seja meu humor quando chego, mas sempre fico mais feliz

depois de sair com você. Que tal isso?”

Ela estende a mão e pega um pedaço de Kit Kat do meu copo. "Ok. Acredito em

você."

Termino antes dela, então alterno entre observá-la comer e olhar pela janela na

direção do estacionamento. A conversa por telefone com Landon começa a se

repetir em minha cabeça e devo estar sorrindo para mim mesma quando Lilith

interrompe meus pensamentos.

“Terra para Rana. Por que está rindo?"

"Eu estou?"

"Sim. Está olhando pela janela e rindo. Você parece boba.”

“Bem ...” Suspiro. “Hoje foi meio que engraçado.”


"Por quê?"

“Alguém do passado ligou e isso me fez rir.”

“E está pensando nisso agora?”

"Sim."

“Ele foi seu namorado?”

“Definitivamente não.”

"Quem então?"

Hesitando, tenho que pensar em como resumir Landon para ela.

“Ele é alguém que conheci quando era pouco um mais velha que você. Nós

saímos – igual faz com seu amigo, Jasper.”

“Então, ele enfia a mão dentro da sua camisa?”

Meus olhos quase saltam da cabeça. "O que?"

"Só brincando."

Ela gosta de me assustar assim.

“Não me assuste.” Coloco a mão em meu coração acelerado. “Sua pequena

idiota.”

Ela brinca com sua bala suspensa a meio caminho da boca. “Que tipo de coisas

faziam?”

“Nós saímos, conversamos, andamos de bicicleta ... coisas assim.”

“Por que ele ligou para você?”


“Na verdade, eu liguei para ele na noite anterior, então ele me ligou de volta,

acho.”

“Você vai vê-lo?”

"Não. Ele mora na Califórnia.”

“Sempre quis visitar a televisão.”

Estreito meus olhos. "O que?"

“Tudo na TV fica lá. Califórnia é a televisão para mim.”

“Ah.” Sorrio. “Bem, talvez possamos fazer uma viagem até lá algum dia

quando tiver idade suficiente.”

“Meus pais não vão deixar.”

“Bem, quando for mais velha pode tomar essa decisão sozinha.”

“Não vamos nos ver mais, então.”

Dói ouvi-la dizer isso. Ela acha que só vou abandoná-la em algum momento?

“O que te faz tão certa disso?”

“Vai cansar disso. E estarei muito velha para essas coisas de ‘irmãzinha’.”

“Não tenha tanta certeza. Meio que gosto de te incomodar toda semana. Este

será um hábito difícil de quebrar.”

Lilith muda abruptamente o assunto. “Alguém já te chamou de Jasmine?”

"O que quer dizer?"


“Você parece com a princesa Jasmine de Aladdin, exceto que sua pele é um

pouco mais clara e seus olhos são verdes. Seu cabelo é exatamente como o dela, no

entanto. Você finge ser ela quando está dançando naquele lugar grego?”

“Lugar grego.” Rio. "Você é engraçada."

***

Mal retirei minha roupa de dançarina e corro para pegar o telefone quando

começa a tocar às onze em ponto.

Sem fôlego, eu atendo, “Alô?”

Landon parece cheio de energia. "Ei!"

"Você parece feliz. Está bêbado?"

“Para falar a verdade, estou bebendo, mas aguento muito bem, por isso,

infelizmente, não estou bêbado como esperava estar.”

“Você está falhando nessa coisa de fazer uma ligação embriagado.”

"Eu sei. Estou mais para um interlocutor tonto.” Ele ri. “Então, como foi o

trabalho?”

"Foi bem. Meus pés estão cansados.”

“Quando aprendeu dança do ventre, afinal?”

“Aprendi sozinha. Tutoriais em vídeo. Tenho a aparência exótica, então percebi

que poderia fazer isso. Levou um tempo para aprender e encontrar um lugar para

me apresentar, mas foquei nisso e finalmente aconteceu.”

“Ainda não consigo te imaginar fazendo esse tipo de dança.”


“Isso é porque está imaginando a Rana Banana rechonchuda.”

"Talvez. Então ... você está diferente? Como parece agora?”

“Não vai descobrir.”

“Estou começando a pensar nisso. Tentei procurá-la nas redes sociais, mas não

consigo lembrar como escreve seu último nome. O melhor que consegui foi

Salami.”

Rindo, eu o corrijo. “Saloomi com dois ós. Mas cancelei todas minhas contas nas

rede social e não há fotos que podem ser encontradas.”

“Não tenho Facebook também,” diz ele.

"Eu sei."

“Oh ... então me procurou antes da ligação embriagada? Foi o prelúdio para me

ligar? Acho que deveria estar grato. Se pode discretamente me perseguir, poderia

não ter ligado.”

Prontamente continuo. “O que sentiu que precisamos conversar esta noite?”

“Você parece ter ideia errada sobre mim que precisam ser esclarecidos. Quando

me ligou primeiro, começou a vomitar besteiras - coisas pretensiosas. Disse que sou

arrogante. Também acha que vivo numa mansão. Que tipo de bobagem é essa?

Parece ter a impressão de que sou insolente e poderoso.”

“Agora, apenas acho que é insolente.” Respondo. "Só brincando. Desculpe, não

estava no meu juízo perfeito quando disse essas coisas.”

“Ok, mas o álcool é basicamente um soro da verdade. Esses achismos existiam

antes de ontem à noite. Deixe-me esclarecer uma coisa, Rana. Nunca pensei que era
melhor do que você só porque tivemos mais dinheiro. Nunca pensei essas coisas.

De qualquer forma, meus pais não estão me apoiando financeiramente. Mantenho-

me sozinho faz um longo tempo.”

"Onde eles estão?"

“Ainda no Michigan.”

“Como acabou na Califórnia?”

“É uma longa história. Quero que você me diga o que aconteceu com você

primeiro.”

“Vou precisar de álcool, então.”

“Bem, pelo amor de Deus, vá conseguir alguma coisa. Está atrasada para a

festa.”

"Espere."

Corro para a cozinha e sirvo de um copo de chardonnay da garrafa que está na

geladeira.

Voltando ao quarto, deito na cama e coloco os pés para cima.

Tomo um longo gole, em seguida, começo a me abrir. “Lembra da minha mãe?”

"Sim. Ela era uma adolescente em comparação ao seu pai.”

"Sim. Você sabe, eles tinham um casamento arranjado. Ela nunca foi apaixonada

por ele e nunca quis ser esposa e mãe. Bem, ela basicamente nos deixou logo depois

que mudamos. Ela fugiu com o namorado. A última vez que tive notícias, estava

vivendo num lugar em Ohio. Não a vejo faz mais de dez anos.”
"Eu sinto muito."

Respirando fundo para reprimir a dor de pensar nela, continuo, “De qualquer

forma, meu pai direcionou toda sua ira para mim. Ele tornou-se super rigoroso.

Não queria que eu me transformasse em Shayla... Tipo, numa vagabunda, em sua

mente. Eu não tinha permissão para ir a qualquer lugar, fazer qualquer coisa. Mas

me rebelei por suas costas. Um monte de coisas que aconteceram, mas,

basicamente, fugi por um tempo após a graduação. Meus avós me deram um

pouco de dinheiro que deveria usar na faculdade e eu peguei e gastei com outras

coisas. Sinto muito culpada por isso.”

“Bem, você era jovem e estúpida.”

"Muito."

“Ainda mora perto de seus avós?”

"Não. Ironicamente voltei para Dearborn há alguns anos. Meu pai me seguiu.”

“Como é seu relacionamento com ele agora?”

“Estamos trabalhando nisso. Nós dois estamos mais próximos do que antes.”

"Fico feliz em ouvir isso. Como ele se sente sobre a dança do ventre?”

“Ele não fica muito animado. Mas precisa aceitar. Ele sabe que estou

economizando até voltar para a faculdade e também pagar meus avós.”

"O que quer estudar?"

“Sempre mudo de ideia, mas ultimamente acho que gostaria de administrar

uma creche algum dia. Então, talvez educação ou psicologia infantil na primeira

fase.”
"Muito legal."

Fico mais confortável na cama. “Ok, então me diga como acabou na Califórnia.”

“É complicado, mas o principal é que quando fiz dezesseis anos, meus pais me

disseram que sou adotado.”

O que?

Definitivamente não esperava isso.

“Jim e Marjorie não são seus pais biológicos?”

“Não.” Ele solta um suspiro. “Então, quando caiu essa bomba, passei por um

momento difícil e depois disso saí daqui quando tinha dezoito anos.”

“Foi para a faculdade aí?”

"Não. Nunca fui para a faculdade, na verdade.”

“Puxa, você sempre foi tão inteligente. Sempre te imaginei numa faculdade da

Ivy League4.”

“Eu já almocei no Ivy,” ele brinca. "Isso conta?"

“Acho que não.” Rio. “Por que escolheu a Califórnia?”

“É onde nasci.”

“Foi procurar sua mãe biológica?”

“É por isso que vim aqui, mas não fiz imediatamente. Levei um tempo para ter

coragem.”

“Alguma vez a encontrou?”

4 Grupo formado por oito das universidades mais prestigiadas dos Estados Unidos: Brown, Columbia, Cornell,

Dartmouth, Harvard, Princeton, Universidade da Pensilvânia e Yale.


“Sim, mas é muito para falar agora e não estou num bom momento agora

. Acho que pode ser uma história para outra vez, ok?

Haverá outra vez?

"Sem problemas."

"Porra. Isso foi uma matança total da bebida. Rápido, Rana. Diga-me algo

engraçado.”

Forçando meu cérebro, digo, “Peguei meu colega de quarto dormindo com uma

das minhas calças no rosto hoje.”

“O mesmo cara que quer te matar?”

"Sim."

“Aparentemente, ele quer cheirar sua buceta, também.”

“Ele estava frio. Foi estranho."

"Isso é fodido."

“Foi engraçado o suficiente para você?”

“Tem algo mais?”

“Alguém derrubou feta5 no meu decote quando jogou dinheiro em mim esta

noite. Não percebi isso até chegar em casa.”

“Ah, sanduíche de feta. Vou começar a te chamar de mamas de queijo.” Ele está

tendo um colapso. “Deus, Rana, não rio tanto assim há muito tempo. Tenho

lágrimas saindo dos olhos.”

5 Queijo de cabra.
“Como está Malária, a propósito?”

Ele ri ainda mais. "Valeria…"

"Sim. Tanto faz."

“Ela é russa.”

“É sua amiga de foda?”

“Não sei o que ela é.” Ele faz uma pausa. “Duvido que vá vê-la novamente. Não

havia realmente uma faísca lá.”

“No entanto, dormiu com ela de qualquer maneira.”

“Está me julgando por isso?”

Um pouco.

"Não."

“Acho que você está.” Ele parece um pouco irritado.

“Não é que te culpo por tirar vantagem disso, mas acho que só não gosto da

ideia de um homem que usa uma mulher para o sexo e depois nunca mais fala com

ela.”

“O que te faz pensar que era o agressor? Se uma mulher vem atrás de mim ...

me pede para transar... eu faço ... como isso é tirar vantagem? Nem todas as

mulheres estão procurando por mais de uma noite. Algumas das mulheres que

encontro aqui são piores do que os homens em sua busca por diversão sem sentido.

Se sou sincero sobre o que quero ou não desde o início, então como vou magoar a

pessoa?”
Ele está me fazendo sentir uma idiota. Landon está certo. Seu comportamento é

provavelmente normal para um homem solteiro em LA. Ele só não sabia que está

falando com alguém com uma infinidade de problemas sexuais.

“Suponho que não está magoado. Sinto muito por tirar conclusões

precipitadas.”

“Não acha que quero uma conexão mais profunda com alguém? Simplesmente

não encontrei ainda. Nesse meio tempo, não acho que haja algo de errado em

encontrar parceiros sexuais com expectativas mútuas desde que seja seguro e não

machuque ninguém.”

“Ok, eu entendi. Obrigada. Vamos mudar o rumo da discussão.”

“Parece que o tema está te deixando um pouco desconfortável. Lembra alguma

experiência ruim?” Ele parece genuinamente preocupado.

Cada experiência sexual que já tive.

Suspirando, digo, “Realmente gostaria de mudar de assunto. Podemos?"

"Sim. Estou morrendo de vontade de saber como parece agora. Vamos falar

sobre isso. Vai me enviar uma foto?”

Ok, ele escolheu um tema ainda pior.

"Não."

De jeito nenhum.

Nunca.

"Por favor?"

"Não estou preparada."


“Então descreva para mim como se parece.”

“Como acha que pareço?”

“Estive te imaginando como costumava ser, mas vestindo uma roupa de dança

do ventre. É confuso. Honestamente não sei o que imaginar.”

“Então, me vê com o cabelo curto preto e sobrancelhas unidas?”

“Você disse isso, não eu. Mas de certa forma, sim.”

Fechando os olhos, digo, “Imagino você com cabelo loiro escuro e longo, como

um surfista.”

“Vivo perto da água em Venice Beach, mas não sou um surfista, nem pareço

com um.”

“Não costumava ter o cabelo loiro escuro?”

“É mais escuro agora, como um monte de coisas sobre mim.”

O que isso significa?

Quero explorar mais, mas ao invés apenas pergunto, “Como é Venice Beach?”

“Bem, sabe que eu adorava andar de skate.”

"Sim."

“Isso não mudou. Apenas fiquei um pouco melhor nisso. Temos um parque de

skate muito legal aqui e eu amo. É muito bonito e onde posso ser encontrado em

meus dias de folga. No geral, Venice é boa. É uma mistura de artistas e pessoas da

classe trabalhadora com ricos e pessoas desabrigadas. Vamos ver ... o que mais. Há
um calçadão e as pessoas vêm para a praia e veem os artistas. Há um show famoso

no teatro também e antes que você pergunte, não, não sou parte disso.”

“Não pensaria isso, embora provavelmente poderia me encaixar aí sozinha.”

Conversamos até que já não posso manter os olhos abertos.

***

Depois desta noite, fico sem notícias dele por alguns dias.

Então, uma noite, uma mensagem vem do mesmo número de telefone que

reconheço como de Landon. É a primeira vez que ele me manda uma mensagem.

Olho a tela para descobrir que ele enviou uma foto.

Suspiro.

É um homem fortemente tatuado com o oceano ao pôr do sol. Oh meu Deus. É

ele – uma selfie.

Porra. Ele é lindo.

Não saberia que é Landon se não fossem pelos olhos azuis que reconheci

imediatamente. O cabelo caramelo desgrenhado que lembro do passado está agora

um tom mais escuro e mais curto, cortado rente à cabeça. Seus braços e peito são

tatuados, o corpo tão perfeito que se eu estreitar o olhar, quase parece uma pedra

esculpida.

Não consigo parar de olhar. Meus olhos não querem nada mais do que explorar

os cumes e vales do seu corpo deslumbrante.

Isso é uma piada cruel?

Este não é Landon!


Mas, é.

Com o polegar e o dedo médio, continuo aumentando e diminuindo o zoom,

examinando os detalhes da tatuagem sobre o peito e braços. Não existe nada mais

atraente do que um cara com braços perfeitos e uma tatuagem no braço inteiro.

Mesmo que seus lábios pareçam mais cheios do que recordo, eles ainda se

curvam num sorriso familiar que emana confiança. Os olhos e o sorriso são os

únicos vestígios do garoto que me lembro. Desejo poder saltar através da tela para

cheirá-lo e tocá-lo.

“Oi, Landon,” sussurro, por um breve momento falando com o menino, e não o

homem na minha frente.

Este Landon é o oposto da imagem do jovem da Ivy League anteriormente em

minha cabeça. A única coisa que o homem retrata é que pode ter se formado em

um bad boy. Ele parece uma estrela do rock, um quebrador de regras, exibindo um

sentido de despertar perigo – alguém que deve ter tido mulheres de todos os tipos

babando em cima dele pelo simples fato de que ou não poderiam tê-lo ou não

devem tê-lo. De repente, torna-se claro por que, como ele afirmou, uma mulher

pode estar implorando por sexo. Isso me fez pensar se ele tem alguma tatuagem em

lugares que não tenho permissão para ver.

Deus.

Um fogo arde dentro de mim e sei que é a minha paixão explodindo numa

completa obsessão.

Um sentimento autoconsciente surge. Se tinha medo de mostrar a ele uma foto

minha antes, agora estou totalmente apavorada.


A mensagem que veio junto com a foto simplesmente é:

Agora me mostre você.


Capítulo quatro

THE VOICE INSIDE MY ASS

Completamente me acovardo.

Dois dias se passam e não respondo a mensagem de Landon. Ele não ligou ou

enviou mensagens novamente.

Essa coisa toda foi para um território em que não estou preparada. Sua vontade

de me ver pareceu intrusiva e tive que colocar um fim.

Nunca esperei Landon querer continuar a se comunicar comigo depois da

ligação inicial e certamente nunca esperei ver como ele se parece agora teria este

tipo de efeito em mim.

Estou com medo até de olhar a foto, porque não gosto das sensações físicas que

me provoca.

Não quero precisar enfrentar minha atração por ele, este menino – homem –

que me machucou uma vez.

Engane-me uma vez, vergonha para você; me engane duas vezes, vergonha para mim.

Por mais que evito olhar a foto, ela está gravada em meu cérebro.

Enquanto me ocupo com minha rotina de dança todas as noites, balançando os

quadris no ritmo do tambor, fecho meus olhos e o vejo ali na praia. Danço para ele.

Toda noite. E isso é tão ruim.

Na terceira noite pós-selfie, ele finalmente aceitou minha falta de resposta.


Landon: Você está me deixado complexado.

Ele não pode estar falando sério. Certamente, percebeu o quão atraente

fisicamente ele é. Mas e se realmente acha que parei de comunicar com ele por

causa de como parece? Afinal, ele não é classicamente bonito; ele é coberto de

tatuagem e forte. Talvez ache que não estou interessada? Ele não pode estar mais

errado. Na verdade, estou com medo do que a aparência dele fez comigo. Da

mesma forma, não quero admitir que minha apreensão tem tudo a ver comigo, não

com ele. É muito complicado explicar porque estou com medo de me mostrar.

Por mais que não queria que essa coisa com ele vá mais longe, não posso viver

com o pensamento de que de alguma forma ele acredite que parei de responder

por causa de sua aparência.

Então, decido enviar uma última mensagem só para esclarecer.

Rana: Honestamente, não tem nenhuma razão para se sentir

complexado. Você cresceu e se transformou num homem bonito, Landon.

Apenas não posso retribuir com a foto como me pediu.

Cerca de trinta segundos depois que cliquei em enviar, meu telefone toca.

Merda.

Eu atendo, “Alô ...”


“Assustei você ou algo assim? Não tem que me mostrar nada que não queira.”

“Não é nada que você fez. Só tenho um monte de questões sobre minha

aparência. É meu problema.”

“Não entendo. Você rebola a bunda em público para ganhar a vida.”

Sim ... mas eles não me conheciam antes como você.

"É complicado."

“Tudo bem, sabe o quê? Por favor, esqueça que enviei a foto. Criou mais

problemas do que eu esperava.”

Não posso esquecer. Não posso esquecer como se parece agora que te vi.

Ficamos em silêncio até que ele diz, “Não pare de falar comigo, Rana.” Seu tom

sincero aperta meu coração.

“Por que é tão importante para você?”

“Eu não consigo entender. Você me faz sentir importante ou algo assim. Não

sei. Falar com você é como um pequeno pedaço de casa ou pelo menos o que

pensava ser meu lar. Mas, aparentemente, cruzei a linha te pressionando por uma

foto e sinto muito.”

Posso sentir as lagrimas chegando. “Deus, não sinta. É culpa minha, Landon. Eu

exagerei. Sou tão falha.”

“Sim, bem, assim são alguns dos mais belos diamantes. Não há nada de errado

em ter falhas. Elas são o que nos tornam humanos.”


Curvando a cabeça para trás, respiro fundo e assimilo suas palavras. De alguma

forma, sei que nunca vou esquecê-las enquanto viver. Enquanto limpo meus olhos,

suspiro alto. “Parece muito bonito onde mora.”

"E é. Convidaria você para visitar, mas tenho medo que nunca fale comigo

novamente.”

Não posso deixar de rir. “Você provavelmente está certo.”

“Então, fique longe de mim. Só não pare de atender minhas ligações.” Ele ri.

“Sério, embora, sim, seja bom viver perto do oceano.”

“Apenas bom?” Rio. “Bem, de qualquer maneira, estou com inveja.”

“Como está o tempo agora em Michigan?”

“Frio e miserável.”

“Falando de miserável ... qualquer travessuras de Lenny para denunciar?”

“Além de tirar fotos aleatoriamente minhas quando pensa que não estou

olhando? Não."

“Esse cara é um monstro.”

“Ele está na verdade fora por alguns dias. Pelo menos, eu acho. Vi-o sair com

uma mala. Ele foi embora antes. Sempre volta, infelizmente.”

“Deveria fazer uma busca no quarto dele, ver se há motivo para seus medos.”

“Tem cheiro de pés lá. Acho que vou assumir o risco.”


“Se não vai me enviar uma foto sua, pelo menos me prometa que da próxima

vez que pegá-lo dormindo com o rosto na sua calça, vai tirar uma foto dessa merda

para mim.”

"Com certeza."

Após nosso riso dissipar, ele solta um suspiro profundo no telefone e é como se

eu sentisse na minha pele. Isso me faz pensar sobre sua foto atraente novamente e

me leva a perguntar, “Quantas tatuagens tem?”

“Eu não contei. Muitas."

“Elas são realmente lindas.”

Você é realmente lindo, Landon.

"Obrigado."

“Então ... disse que é um chefe, mas não em que tipo de comida você é

especializado.”

“Na verdade, possuo um food truck6. Faço principalmente sanduíches únicos,

coisas que não pode encontrar em restaurantes típicos.”

“Isso é muito legal. Onde o mantem?”

"Lugares diferentes. Estaciono muito na praia. Mas tenho um aplicativo onde as

pessoas podem acompanhar onde estou a qualquer momento. Vou enviar-lhe o

link para que possa acompanhar.”

"Um aplicativo? Isso é tão inovador.”

6 Food truck (traduzido do inglês, "caminhão de comida") ou carro de comida é um espaço móvel que transporta

e vende comida.
"Sim. É chamado de Landon Lunch Box, o Trailer e o aplicativo.”

“Nome bonito. Você trabalha sozinho?”

“Na verdade não. Tenho uma funcionária ... Melanie.”

Melanie.

Não sei nada sobre ela, mas a invejo, no entanto. Meu ciúme indesejado por

Valeria e Melanie é muito perturbador.

Sua próxima pergunta me pega de surpresa. “Qual seu vício, Rana?”

"O que quer dizer?"

“Como o tabagismo é um vício. E álcool. Você bebe muito?”

“Não tanto quanto pode pensar com base em como nós no reencontramos. Mas

uso o álcool para me acalmar depois de um longo dia, às vezes. Não considero que

seja um problema, porque posso pegar ou largar. Fumar é seu único vício?”

“Fumar, sim ... e às vezes sexo. Mas já sabia isso pela nossa discussão acalorada

no outro dia.”

Bem, ok, então.

De repente, sinto curiosidade. “Obviamente sei que tem sexo casual, mas faz

isso muitas vezes? Tipo uma garota diferente a cada noite?”

Ele não responde de imediato.

“Normalmente não faço sexo com mais de uma mulher ao mesmo tempo. Mas

também não me relaciono a longo prazo, ou pelo menos não encontrei ninguém

que quero dessa forma. Então, geralmente a troca é rápida. Mas não é uma nova
garota todas as noites. Foda-se. Isso seria cansativo.” Ele ri. “Ok, Senhorita Curiosa,

e você? Quando foi a última vez que deixou alguém se aproximar?”

Não tenho relações sexuais desde que era adolescente. Mas não vou admitir isso para

você.

“Podemos dizer que estou passando por um período de seca.”

“Bem, acho que namoro on-line seria difícil sem uma foto.”

“Sim, espertinho, é.”

“Então, onde encontra seus homens?”

Eu não encontro.

Meu silêncio o faz começar a teorizar.

“Você é gay, Rana?”

"O que? Não. Por que acha isso?”

“Estou supondo que gosta de homens, mas acaba de surgir todas as minhas

memórias suas e você era ...” ele hesita.

“Como um menino.”

"Sim."

“Eu parecia um menino, porque minha mãe me levava para uma cabeleireira

ruim, mas sou definitivamente hetero.”

“Ah ... bem, tive que perguntar.”

Parecia que ele está soltando fumaça.

“Está fumando agora?”


"Sim."

“Essa coisa vai te matar.”

“Seu colega de quarto psicopata chamado Lenny também. Não significa que se

livra dele.”

“Suponho que seja verdade.”

Ele muda de assunto. “Sua mãe ... disse que ela está vivendo em Ohio?”

“Por que a mencionou? Não gosto de falar dela.”

“Eu posso ver. Tenho problemas com a minha mãe, então não está sozinha.”

“Sim, como disse, não a vejo há quase dez anos. Ela provavelmente ainda está

roubando roupas. Não me importo.”

“Você diz isso, mas se importa. Você se importa, Rana. Sei que mente porque

tento me dizer a mesma coisa o tempo todo.”

Apesar da distância entre nós, Landon definitivamente tem a capacidade de me

entender. Ele fica em silêncio e de alguma forma serve como minha deixa para

falar um pouco mais.

“Ela nunca quis ser mãe, sabe? Ela puniu meu pai e me puniu. Era como uma

irmã mais velha rebelde em vez de um dos pais. Ela costumava me dizer que eu

parecia com meu pai, o que era sua maneira de dizer que eu era feia, porque sabia

que ela não era atraída por ele. A coisa é.... Eu ainda a idolatrava. Qualquer atenção

mínima que ela me desse não passava despercebida. E vejo um monte dela em mim

hoje. Essas são normalmente as coisas que odeio em mim mesma.”


Quando ele não responde imediatamente, me preocupo que o assustei com essa

revelação.

“Sua mãe é uma vadia. Ela não te merece. Espero que saiba disso.”

Suas palavras são duras, mas me confortam.

“Ok ... falei da minha mãe. Agora diga-me sobre a sua - sua mãe biológica. Você

disse que mudou para Califórnia para encontrá-la.”

O isqueiro estala antes que ele fale ao telefone novamente. “Nunca a conheci.

Era tarde demais. Quando localizei o paradeiro, minha pesquisa me levou direto

para um cemitério. Então, nunca cheguei a conhecê-la. Um monte das minhas

perguntas ficaram, infelizmente, sem respostas.”

Sinto-me absolutamente devastada por ele.

“Eu sinto muito.” Engulo, com medo de perguntar, “O que aconteceu com ela?”

“Minha mãe biológica era viciada. Ela não pensou que poderia cuidar de mim.

Foi como acabei com meus outros pais.”

“Sente que mudar para a Califórnia foi em vão?”

“Não, ainda sinto que foi como deveria ser. Estava muito perdido quando vim

pela primeira vez para a Califórnia. A vida tinha um monte de lições para me dar e

acho que elas foram feitas para acontecer aqui.” Posso ouvi-lo inalar e expirar a

fumaça. “Ok, isso está ficando muito profundo. Rápido. Diga algo engraçado.”

Pense.

Pense.

Oh!
“Você conhece a canção I Miss You do Blink 182?”

"Sim…"

“Bem, por mais tempo que eu costumava pensar que era realmente chamada

The Voice Inside My Ass por causa do refrão, onde ele fala sobre a voz dentro de sua

cabeça. Ele dizia: 'head' não 'ass.'7 Mas soou como 'ass' para mim. Sempre pensei

que era um título estranho até descobrir a verdade.”

Landon começa a rir histericamente. “Que loucura? As coisas que saem da sua

boca às vezes...” Quando finalmente se acalma, ele suspira. “Você diz a coisa mais

estranha e é um mistério ... mas é boa para minha alma, Rana.”

Naquela noite, vou para a cama com um enorme sorriso no rosto, mesmo que

não consiga dormir. Com cada conversa que temos, me sinto mais e mais ligada a

ele.

Desde que a insônia está ganhando, levanto da cama e sigo para meu armário

para ler outra das antigas notas de Landon. Esta é meio irônica.

Rana Banana,

Às vezes, quando penso em você, eu rio sem motivo e não posso evitar.

Landon

7 Head: cabeça. Ass: bunda. Mas no inglês pode soar parecido as duas palavras. Parece que Rana teve dificuldade em

identificar a diferença.
P.S. Mas hoje isso aconteceu no funeral do meu avô e meu pai ficou muito

bravo.
Capítulo cinco

CRAZY EYES

Lilith passa a bola para mim. "Como está seu namorado?"

Jogo de volta com mais força. “Ele não é meu namorado.”

Ela pega, em seguida, dribla antes de jogar dentro do aro. "Você parece feliz."

“Eu acho que estou mais feliz ultimamente.”

Lilith fica lá com a bola debaixo do braço enquanto apenas me observa e sorri.

Seus óculos deslizam pelo nariz e ela usa o dedo indicador para colocá-los no lugar

de volta. Juro que crianças podem ver através de mim.

Pegando meu telefone, digo, “Venha aqui. Veja isso.” Abri o aplicativo do food

truck de Landon. “Este é o food truck dele. Isso permite que veja onde ele está

neste momento. Isso não é legal?”

Ela não parece tão interessada no aplicativo como eu. “Então, é como um

aplicativo para perseguidores?”

“Não ... bem, não sei. Talvez."

"Ele é bonito?"

“Sim ... realmente bonito.” Meio que me sinto uma pré-adolescente falando com

ela.

“Então, por que não quer que ele seja seu namorado?”
Sem saber como explicar minha cabeça confusa para uma criança de dez anos,

escolho manter as resposta simples.

“Não quero um namorado.”

"Por que?"

“Namorados tornam a vida complicada.”

“Bem, eu quero um.”

“Você é muito jovem, por isso nem sequer pense.”

“Espero que possa ser bonita como você quando ficar velha o suficiente para ter

um namorado.”

Ouvi-la dizer isso corta meu coração. "Você é bonita. Não deixe que ninguém te

faça pensar o contrário.”

“Eu não pareço como as outras meninas na escola.”

Ela realmente lembra muito de mim mesma quando era criança e isso está me

matando. Nunca tive alguém para me dizer que não havia nada de errado com

minha aparência. Passei parte da adolescência me odiando. Se tivesse um dom,

teria a certeza de que Lilith sente-se bem consigo mesma.

“Não há problema em parecer diferente, Lilith. Beleza é apenas questão de

opinião. Se acredita que é linda, então é tudo que importa. São anos realmente

difíceis os que está se aproximando. Suas decisões agora e como adolescente

podem mudar sua vida inteira. Apenas certifique-se de falar comigo ou alguém se

estiver sentindo como se a vida fosse demais para suportar. E nunca deixe ninguém

convencê-la de que não é digna, só para tirar vantagem.”


Ela assente, então abruptamente muda de assunto na forma típica de Lilith.

“Vai trançar meu cabelo?”

"Claro."

***

Quando volto para meu apartamento naquela tarde, pulo com a visão do

meu pai sentado e bebendo café na mesa da minha cozinha. Toda vez que ele

aparece na minha casa, esqueço por um momento que ele tinha uma chave. Ele me

deu o dinheiro para este apartamento com a condição de ter sua própria chave para

me verificar quando quisesse.

"Você me assustou."

Em seu forte sotaque estrangeiro, ele diz, “Por que não tem aquecedor,

Ranoona?”

O apelido que meu pai me deu é Ranoona. Não tenho exatamente certeza de

onde isso veio.

“Eu tenho aquecedor. Apenas mantenho baixo.” Servindo-me uma xícara do

café que ele fez, pergunto, “Há quanto tempo está aqui?”

"Uma hora."

Olho para minha direita e noto uma estátua grande, azul e branca da Virgem

Maria sobre o balcão. Parece algo que veria no jardim de alguém ou na frente da

casa de uma mulher velha. Ela tem um rosário enrolado no pescoço.

“De onde veio isso?”


"Venda de garagem. Alguém jogou fora. Você acredita?” Ele abaixa a voz

quando ele olha o quarto de Lenny. “Você precisa da Mãe Santíssima para protegê-

la de um cara louco. Não gosto dele. Ele tem olhos de louco.”

“Shh.”

Meu pai sempre diz que pode determinar o nível de loucura nas pessoas por

seus olhos. Acredito que há alguma verdade nisso. Pessoas com olhos loucos tem

uma maneira de olhar através de você e não para você. Há uma desconexão de

algum tipo.

“Não posso expulsá-lo,” digo.

“Eu expulso-o,” meu pai insiste.

“Não, papai. Por favor, não crie problemas.”

Ele corta um pedaço de maçã e entrega para mim. “Você não está comendo

coisas saudáveis.”

“Café e pipoca é muito saudável,” digo, dando uma mordida na maçã.

Ele corta mais um pedaço e coloca na mesa na minha frente.

Meu pai nem sempre soube como lidar comigo, mas eu estou feliz que estamos

num ponto onde podemos sentar e apenas desfrutar a companhia um do outro.

Embora ele sempre seja opinativo, desistiu de acreditar que pode me mudar.

“Você dança para os gregos hoje à noite?”

Rio um pouco. "Sim."

Ele toma um gole de café. “Não gosto deste trabalho.”


"Mesmo? Só mencionou isso mil vezes. É apenas temporário. Eu já disse.”

“Você vai sair, vou lhe dar dinheiro.”

"Não. Eu preciso me sustentar. Você mal pode pagar seu próprio aluguel.”

“Eu vou morar com você.”

“Nesse caso, nunca vou parar de dançar.”

***

Eles me disseram que meu honorário aumentará se eu tentar.

Mesmo que esteja apavorada, concordei. Agora, tenho que saber se seriamente

preciso examinar minha cabeça.

Se Papa pudesse me ver agora. Não, não contarei sobre isso.

É pesado e viscoso. Com uma cobra gigantesca em volta do pescoço, movo os

braços e balanço os quadris, rezando que o tempo passa rapidamente. Meu chefe

me garantiu que não é venenosa. Eu com certeza espero que ele esteja certo.

Por alguma razão, tudo que consigo pensar é como será a reação de Landon a

isso. Ele pensará que sou louca ou achará muito legal? Enquanto balanço minha

bunda com a batida, eu penso em Landon de pé na praia com o pôr do sol como

pano de fundo. Mais uma vez, estou dançando para ele – minha amiga cobra e eu

estamos.

Quando meu turno finalmente acaba e a cobra volta à sua gaiola, sinto que

preciso de um banho ainda mais longo que o habitual.

Pego o último ônibus bem na hora. Uma vez sentada, a primeira coisa que faço

é verificar o aplicativo de Landon, mesmo sabendo que o Trailer está fora de


serviço durante a noite. Ainda mostrará a última localização do dia. Esta noite está

na Venice Beach Boardwalk.

Fechando os olhos, imagino que estou lá, cheirando a comida saborosa e

ouvindo os sons do oceano enquanto o sol me queima.

Cada dia, também pode verificar o menu. Landon realmente parece tentar

mudá-lo. Ele cria sanduíches com ingredientes improváveis e os nomeia como

Cuban Reuben. Uma nova adição hoje me chama a atenção e faz ofegar.

Sanduiche Feta de Rana.


Capítulo seis

ASS SELFIE

Algumas noites depois, Landon me ligou assim que cheguei em casa do

trabalho.

“Não tenho tempo para falar,” ele disse antes que eu pudesse dizer alô. “Diga-

me algo engraçado, Rana.”

“Tive um aumento no trabalho.”

Ele bufa no telefone. "Isso é engraçado?"

“É quando a condição é que dance com uma cobra gigantesca em volta do

pescoço.”

“Está falando sério?”

“Muito sério.”

“Droga, garota. Sabia que era experiente, mas isso a leva a um nível totalmente

diferente.”

“Bem, pode não ficar tão impressionado quando ela se envolver no meu

pescoço e me sufocar até a morte.”

Sua risada profunda é como uma massagem em meus ouvidos. “Entre a

serpente e o psicopata do Lenny, você está condenada.”

“Deus, isso é tão verdadeiro.” Deito e coloco os pés para cima. “Como foi em

Santa Monica hoje?”


“Oh, o que é isso agora? Está seguindo meu aplicativo, Saloomi? Essa é a única

maneira de saber onde estive.”

"Talvez. Gosto de viver divertidamente através de você, garoto da Califórnia.

Gosto de fechar os olhos e fingir que eu estou aí, ouvindo o mar e desfrutando do

sol.”

“Não é realmente tudo diversão. Às vezes, acho que tem a falsa impressão de

que a luz do sol de alguma forma se iguala a felicidade. O sol sempre se põe, Rana.

Ele não pode mascarar tudo.”

Não posso evitar querer saber a que ele está realmente se referindo, embora

pedir-lhe que se abra para mim mais do que já fez justificaria eu ter que fazer o

mesmo.

Ele continuou, “Não me interprete mal. É o inferno fora de Michigan.”

"Aposto que sim."

“Bem, gostaria de poder falar mais com você, mas tenho que encontrar

alguém.”

Meu coração afunda. Não estou pronta para deixá-lo. Odeio que esperei

ansiosamente para falar com ele durante todo o dia mais do que qualquer coisa.

“Oh ... ok.” Minha curiosidade ganha. “Um mulher?”

"Sim."

Minha respiração para. "Qual é o nome dela?"


"Sage."8

Valeria, Melanie ... Sage. Outra para adicionar à lista.

"Sage. Interessante. Vai levá-la para casa para limpar seu apartamento de

espíritos malignos? Não é para isso que se usa sálvia?”

“Não sei, mas tenho certeza que se um dia viesse, todos os espíritos iriam sair

dançando.”

“Provavelmente está certo. Eu teria o efeito oposto da sálvia.”

“Você e sua cobra.” Ele ri. “Caramba, isso é engraçado. Não serei capaz de

parar de pensar sobre essa merda hoje à noite.”

“Nem me lembre. Ainda tenho que lavar todo meu pescoço.” Suspiro. “Bem ...

de qualquer maneira, divirta-se.”

"Vou tentar."

Estou literalmente fazendo beicinho. “Diz oi para Sage.”

Depois que desligamos, de repente me sinto muito sozinha. Uma onda enorme

de ciúme me domina.

No chuveiro, meus pensamentos estão voando. Quero ser quem ia sai com

Landon esta noite. Quero tanto poder tocá-lo, cheirá-lo, beijá-lo. Anseio para

realmente sentir a vibração de sua risada contra minha pele.

Você não pode ter tudo, Rana. Não pode esconder-se dele e querer ele para si.

É inevitável. Você vai perdê-lo.

Esse pensamento me deixa incrivelmente triste.

8 Sage em inglês: Sálvia, planta usada como erva medicinal


Estou começando a perceber que realmente estou em negação. Estou de quatro

por este homem, a maneira como ele me fazia rir, a maneira como aprecia minhas

esquisitices, a maneira como realmente parece conhecer a minha alma, mesmo que

eu tenha feito de tudo para esconder o que está no exterior. Pensamentos dele

invadiram cada momento meu desde a primeira noite que liguei para ele - e

honestamente, muito antes disso.

Tão assustada quanto estou por remover a barreira entre nós, anseio por mais.

Após deitar em silêncio por um tempo, sigo até meu armário e pego uma das

notas.

Rana Banana,

Por que sempre olha para longe quando me pega te olhando? Às vezes, estou

tentando enviar-lhe mensagens telepáticas e você arruína totalmente.

Landon

PS Você não começou a latir como um cachorro, então suponho que não pegou

meu último comando.

Aquela realmente me faz rir conforme a dobro e coloco de volta na bolsa.

Pela primeira vez desde a noite em que ele a enviou, me permito olhar para a

selfie armazenada no meu telefone. Áspero como seu exterior é, o sorriso é genuíno
e reconfortante. Está dirigido a mim e não me sinto merecedora dele. Até mesmo

seus olhos sorriam – seus olhos nada loucos. Esta noite o sorriso está reservado a

outra pessoa, porque optei por não aceitar o que ele me deu.

Corro meus dedos pela imagem. Ele tinha se colocado ali e não estive disposta a

dar-lhe nada de volta, tudo porque estou com medo do que terei que admitir. Acho

que ele vai me julgar, mas, na realidade, ninguém pode me julgar da maneira como

eu mesma faço.

Não posso lhe dar tudo. Mas quero dar alguma coisa. Tem de ser em passos de

bebê.

Meu coração está acelerado no peito e estou tremendo porque sei o que estou

prestes a fazer.

Posicionando meu corpo numa cadeira, sento nela com as costas para o espelho

oval. Meu cabelo preto ondula por minhas costas sem camisa. Ele caía o caminho

todo até a minha bunda.

Tiro várias fotos das minhas costas até estar completamente satisfeita com uma.

Tenho o cuidado de me certificar de que não dê para ver meu rosto.

A que escolhi é incrivelmente sexy e provocante. A calcinha que estou usando

não deixava nada para a imaginação. Pode ver a forma da minha bunda claramente

junto com o arco das minhas costas e pernas. Também coloquei os saltos mais altos

que tenho. Se vou realmente dar este passo, farei direito.

Fechando os olhos com força, me preparo antes de apertar enviar.

Depois de fazê-lo, uma carga de sangue vai para minha cabeça. Uma infinidade

de pensamentos paranoicos flutuam na minha mente.


Ele está num encontro. E se ele mostrar para ela e ambos rirem de mim?

E se ele achar que pareço uma puta?

E se ele odiar?

Um par de minutos torturantes passam antes que meu telefone soe,

interrompendo a cadeia de questões internas.

Respiro fundo e verifico.

Landon: Por que acabou de me enviar uma foto da Kim Kardashian?

Quero dizer, é sexy como o inferno, mas aleatória.

Meu Deus. O que?

Ele pensou que é uma piada?

Ele não percebe que sou eu?

Meus dedos pairam sobre o teclado antes de eu finalmente digitar.

Rana: Essa não é a Kim Kardashian. Sou eu.

Não há resposta por alguns minutos. Quero cavar um buraco no chão e me

enterrar. Por que enviei isso? Por que deixei meu ego passar por cima da

sensibilidade?

Sentada na cama com a cabeça nas mãos e os joelhos no peito, amaldiçoo a mim

mesma.

Quando meu telefone começa a tocar, pondero se devo atender. Opto por deixar

ir para a caixa postal.


Quando começou a tocar uma segunda vez, respiro fundo e atendo, “Oi.”

“Rana, você tem que estar brincando comigo.”

Banco a boba. "O que?"

“Você deve parecer um menino com uma unibrow9, não como a porra do meu

sonho molhado. Fiquei pensando o dia todo em como você era. Agora, nunca vou

te tirar da mente. Isso é um jeito de me foder.”

“Kim Kardashian é seu sonho molhado?”

"Não. Não, ela não importa. Honestamente, olhei rápido e estava num cinema

escuro. Agora que tenho uma chance de realmente examinar e posso dizer que não

é ela. O cabelo comprido, preto me tirou o foco.” Ele faz uma pausa. “Mas parece

com uma modelo de lingerie. Deus ... essa é realmente você?”

"Sim. Acha que estou te enganando? Sou eu."

“Uau.” Ele solta um longo suspiro. “Por que teve vergonha de me mostrar

como é, então?”

Não há nenhuma maneira de eu abordar essa questão.

Ignorando-a, pergunto: “Onde está agora?”

“Disse a Sage que tive uma emergência e me desculpei. Depois que percebi que

não estava brincando, me ocorreu quão monumental é isso, que mandou uma foto

de si mesma, algo que jurou que nunca faria. Eu não ia perder o momento.

Precisava ficar sozinho. Estou no meu carro.”

9 Uma única sobrancelha, ligada pelos cabelos sobre o nariz entre o que na maioria das pessoas

são duas sobrancelhas separadas.


“Você a deixou?”

“Ela ainda está no cinema, mas sim.”

Mesmo que pareça surpresa, isso me dá um grande prazer. “Não deve voltar

para ela?”

“Está perguntando isso como se não soubesse que eu estava num encontro

quando enviou a foto. Sabia que ia ver como você é e perder a cabeça. Estou

sentado no meu carro sozinho com a porra de uma ereção porque acabou de me

enviar uma foto de sua linda bunda mal coberta. Sabe muito bem o que fez, Rana

Saloomi. Estou mais convencido disso agora do que nunca. Você está totalmente

mexendo comigo - me provocando. Admita."

Rio um pouco. "Você está louco?"

“Porra eu amo isso.”

Minhas bochechas coram. “Realmente pensa em mim o dia todo?”

“Realmente não sei como explicar, mas sim, penso em você mais do que

provavelmente deveria. Levanto de manhã e penso que horas são e onde está.

Penso sobre o que está fazendo, se está tendo um bom dia e quando vou falar com

você. Mas isso ... isso é uma virada de jogo da porra. Não posso desver isso. Você é

...” Ele hesitou. "Linda."

Fecho os olhos para saborear o elogio, em seguida os abro de volta à realidade.

“Ainda não viu meu rosto.”

“Sim, mas me lembro como se fosse ontem.”

Não é mais o mesmo.


“Fiquei com um pouco de ciúmes quando disse que iria num encontro. Queria

sua atenção de volta.”

“Bem, missão cumprida. Definitivamente a tem. Tudo o que realmente quero

fazer é olhar para sua foto em paz agora.” Ele solta um pouco de fumaça. "Mostre

mais. Dê-me mais alguma coisa. Qualquer coisa."

Isso foi um erro.

Adrenalina pulsa através de mim, porque estou considerando. “Eu não posso.”

“Por favor... só deixe-me vê-la de outro ângulo. Então saberei que não estou

sonhando. Mande uma imagem fazendo o sinal da paz. Pode manter o rosto

coberto. Quero ver como você é em tempo real.”

Acho que uma pequena parte dele ainda precisa da confirmação de que a garota

na foto sou eu, principalmente por quão protetora estou com meu rosto. Não quero

que ele duvide de mim. Decidindo aceitar seu pedido, digo, “Ok, desligue e vou te

mandar uma mensagem. Então pode me ligar de volta.”

Sem pensar muito, cubro o rosto com meu cabelo e tiro uma selfie mantendo

meus dedos indicador e médio para cima, dando-lhe exatamente o que pediu.

Depois que mando, ele responde cerca de um minuto mais tarde.

Landon: Obrigado, linda. Não tem ideia do quanto isso significa para

mim.

Landon manda uma foto de si mesmo sentado em seu carro fazendo o sinal da

paz. Ele tem fumaça saindo da boca. Embora odeie a ideia dele encher seu corpo

com substâncias cancerígenas, tenho que dizer que parece sexy. Seus olhos estão

quase fechados. E quero morder seu lábio inferior carnudo. Ele é tão sexy.
Landon: Esse sou eu em tempo real.

Rana: Percebi. Vai cheirar cigarro quando voltar para seu encontro e ela

vai pensar que a deixou apenas para fumar.

Landon: Vou dizer a verdade, então.

Rana: O que exatamente?

Landon: Que estou com tesão por uma menina sem rosto, de cabelos

negros que acabou de me enviar uma selfie da bunda. E precisei fazer uma

pausa no filme para olhar para a dita imagem. E então vou dizer a ela que

pretendo ir para casa e me masturbar com a mesma imagem da minha amiga

linda. Que tal a honestidade?

Rana: Não acho que isso vai dar muito bem.

Landon: LOL. Provavelmente não. A propósito, se houvesse um prêmio

para a melhor bunda do planeta, acho que você ganharia.

Rana: Obrigada.

Landon: O Asscar10, em vez do Oscars. Você ganharia de melhor atriz.

Rana: “Gostaria de agradecer à Ass-cademy ...”

Landon: Porra, sim! LOL11.

Rana: Volte para seu encontro.

O telefone começa a vibrar. Ele está me ligando.

Atendo: “Alô?”

“Só mais alguns minutos,” ele diz. “Então... está com ciúmes, hein? Acho que

meio que gosto disso.”

10 Invenção de palavra para brincar com Oscar. Ass (bunda) + car


11 LOL – Lots Of Laugh - abreviação para muita risada em mensagens
"Por que? É patético. Estou aqui. Você está aí. Não é como se pudéssemos sair

ou qualquer coisa. Tenho uma queda por você. E penso muito em você. Também

estou um pouco obcecada pelo seu food truck. Mas não é como se realisticamente

alguma coisa pudesse acontecer entre nós.”

“Você parece tão certa disso.”

“Sua vida é na Califórnia. A minha é aqui. Meu pai está aqui. Tudo está aqui.”

“Então, então por que se preocupar em me enviar a porra de uma foto sexy de

si mesma?”

"Eu não sei. Eu-"

“Porque quer que eu te queira mesmo se não pudermos estar juntos. Bem,

adivinhe? Funcionou. Agora, tenho uma queda por você. Quer minha atenção?

Você a tem. Você tinha antes. Mas agora, está realmente a tendo.” Ele exala. “Sabe,

o engraçado é que nem sequer queria vir nesse encontro. Queria ficar em casa, falar

com você e ouvir sobre a porra da sua cobra louca e todas as outras coisas

estranhas que saem da sua boca diariamente. Algo vem acontecendo entre nós.

Não sei nem como rotular porque sem ideia de como é, não podia mentalmente

levá-la ao próximo nível. Quer dizer, não posso me permitir me apaixonar pela

garota sapeca de treze anos de idade na minha cabeça, certo? É como se eu

estivesse me conectando com um borrão. Mas simplesmente empurrou meu limite,

Rana. Você tornou isso real.”

Isso está ficando real.

Uma parte minha quer correr para as montanhas. A outra quer saltar através do

telefone e beijá-lo.
Uma mistura de medo e excitação me percorre. "Então o que isso quer dizer?"

“Isso significa que tenho uma pequena esperança de que talvez me deixe vê-la

algum dia. Mas, entretanto, isso significa que vou olhar essa foto e ficar um pouco

mais louco a cada dia que não vejo o resto.”

Sorrindo como uma boba, digo: “Você realmente deve voltar ao filme.”

Meu sorriso desaparece quando percebo que deixá-lo voltar para seu encontro é

a última coisa que realmente quero fazer. Meu estômago revira. O ciúme parecia

muito injusto dadas minhas limitações auto impostas. Mas simplesmente não posso

evitar.

Ele fica em silêncio por um tempo antes de perguntar: “O que está errado,

Rana?”

Surpreendeu-me que mesmo no silêncio, ele pode sentir minha preocupação.

“Você vai dormir com ela?”

"Honestamente? Se essa coisa entre nós não estivesse acontecendo agora, esse

seria o caso. Acho que ela provavelmente esperava isso. Mas não posso ver nada

acontecendo agora - não mais.” Ele fez uma pausa. “Isso te agrada?”

Engolindo meu orgulho, respondo sem hesitar: “Sim.”

“Você não quer que eu durma com ela?”

“Não,” sussurro.

“Então, eu não vou.”

Alívio me invade.
“Quando é sua próxima noite de folga?” ele pergunta.

"Na próxima segunda."

“Não vai me deixar vê-la? Bom. Ainda quero estar com você na sua folga. Vá a

um encontro virtual comigo.”

“Um encontro virtual?”

"Sim. Tudo vai ocorrer pelo telefone.”

"Você é louco."

“Sim, e você me enviando esta foto com metade da sua bunda a mostra foi o

que me levou ao limite. Sou apenas um cara que não consegue parar de pensar

numa garota e quer levá-la para sair. Uma vez que está tão longe, esta é a única

maneira de fazê-lo. Então ... vai ir a um encontro virtual comigo?”

Como posso dizer não?

“Vou aceitar, mas só porque estou realmente curiosa para saber o que isso

significa.”

“Não resolvi ainda, mas vai ser incrível pra caralho.”


Capítulo sete

VIRTUAL DATE

É errado que minha única confidente seja uma menina de dez anos? Pelo

menos, ela é madura para sua idade - é o que digo a mim mesma.

Lilith e eu estamos indo ao parque perto de sua casa. Estou andando enquanto

ela pedala em sua bicicleta ao meu lado.

“Adivinha, Lilith?”

"O que?"

Giro ao redor. “Tenho um encontro hoje à noite.”

Oh meu Deus. Acabei de girar?

“Com Landon? Ele está vindo?”

“Não, ele ainda está na Califórnia, mas vai me levar num encontro virtual.

Estarei aqui e ele lá.”

Lilith franze o nariz. “Eu não entendo.”

“Nem eu. Mas estou morrendo para saber como ele vai fazer isso.”

“O que vai usar?”

“Sabe, não pensei nisso. Mas talvez eu deva me arrumar, huh? Realmente entrar

nessa?”

Ela para de repente. “Pensei ter dito que não vai em encontros.”
“Eu não vou, mas esse é diferente porque não estarei realmente com ele.”

Ela voltou a andar. “Qual a vantagem?”

“Acho que a vantagem é que posso experimentar todas as partes boas de um

encontro sem ter que me preocupar com a coisa assustadora. É perfeito para mim,

realmente.”

Lilith me olha rapidamente conforme avança. “Você é estranha, Rana.”

Caminho mais rápido para me manter com ela. “Isso deveria ser novidade,

Lilith? De qualquer forma, é o suficiente sobre mim. O que está acontecendo com

você? Tudo bem?”

“Tenho que escrever um artigo sobre alguém que admiro. Não pude pensar em

ninguém, então vou escrever sobre você,” ela diz indiferente.

Fico momentaneamente tocada até que me ocorre que é provavelmente uma

ideia muito ruim. "Você tem certeza? Há realmente opções muitos mais viáveis -

como sua mãe. Ela é advogada. Deve escrever sobre ela. Ou que tal Maya Angelou?

O que vai dizer sobre mim?”

Ela começou a pedalar para longe mais rápido e gritou: “Você vai descobrir.”

Oh céus.

***

Quando cheguei em casa depois de passar um tempo com Lilith, uma grande

caixa entregue pela UPS12 está na minha porta. Sabendo que é de Landon,

borboletas começam a pular no meu estômago.

12 United Parcel Service, mais conhecida por UPS, é uma das maiores empresas de logística do mundo,

distribuindo diariamente mais de 14 milhões de encomendas em mais de 200 países. A sua sede é em Atlanta,
Geórgia, Estados Unidos.
Alguns dias antes, ele pediu meu endereço para me enviar algo. Fiquei muito

receosa em passar, mas ele me garantiu que nunca me enganaria ou usaria para vir

me visitar sem meu conhecimento. Seu argumento é convincente.

“Você está vivendo com um provável psicopata, Rana. Realmente com medo de aparecer

na sua porta?”

Verdade.

Opto por confiar nele.

Eu a levanto e levo para o apartamento. É realmente muito pesada.

Lenny está sentado na cozinha, usando fones de ouvido enormes e ouvindo

algo no notebook. Ele me ignora completamente quando passo por ele para meu

quarto.

Meu coração palpita quando abro a caixa, apenas para ver vários pacotes

dentro. Cada um está numerado. As palavras “Abra-me primeiro” estão escritas

numa nota dobrada lembrando as que ele costumava fazer. Isto aqueceu meu

coração conforme abro.

Rana,

Não abra nada até que eu diga. Esta é o nosso encontro virtual numa caixa. Vou

“buscá-la” às oito no seu horário.

Landon

PS Vista algo sexy ou pelo menos me diga que vestiu. Não saberei a porra da

diferença.
Minhas bochechas realmente doem por sorrir. O fato de que ele colocou tanto

esforço nisso é realmente tocante.

Resistindo à tentação de abrir qualquer coisa na caixa, entro no chuveiro e

percebo que eu não fico tão animada sobre qualquer coisa há muito tempo.

Ao mesmo tempo, me pergunto se sentiria o mesmo se isso fosse um encontro

real. Eu sei que não seria. Teria me assustado.

Usando calcinhas confortáveis e uma camiseta comprida, espero ansiosamente a

ligação de Landon.

Às 08:00 em ponto, o telefone toca e as borboletas no meu estômago começam a

se agitar com força total.

Pulo para atender. "Alo?"

Sua voz rouca soa tão sexy. "Ei."

“Você está bem na hora.”

“Esperava que eu me atrasasse? É nosso primeiro encontro oficial. Isso seria de

mau gosto.”

“Faz tempo para mim. Não sei o que esperar, especialmente com este cenário.”

“Um tempo desde que esteve num encontro?”

Eu hesito. "Sim."

Tecnicamente, nunca estive num encontro real.

"Quanto tempo?"

Mantenho vago. “Parecem anos.”


“Ok, bom, vou pedir para usar sua imaginação um pouco esta noite, ok? Vai ter

que trabalhar comigo.”

Tenho arrepios. "Certo."

“Como está o tempo perto de você agora?”

Inclino a cabeça para olhar para fora da janela e digo, “Está escuro e frio lá

fora.”

“Ok, bem, se estivéssemos juntos aqui, veria que o sol ainda brilha. Então, nosso

encontro vai acontecer aqui. Temos cerca de uma hora e meia ainda de luz do dia.

Você tem sua caixa perto?”

“Sim, ela está bem na minha cama.”

"Bom. Ok, abra. Retire o primeiro item identificado com o número um e

desembrulhe.”

Meu coração está disparado quando o tiro cuidadosamente da caixa e abro a

embalagem que mostra uma lâmpada de luz do sol. “Oh, meu Deus, está me dando

à luz do sol?”

“É para simular a luz do dia, sim. Tem um lugar para acender?”

“Tenho.” Eu a tiro da caixa antes de ligar na tomada atrás da minha mesa de

cabeceira. Conforme a lâmpada ilumina meu quarto, eu sorrio. “Está agradável e

brilhante agora.”

“Ok, agora tem a sua luz do sol. Não há mais desculpas para um dia ruim.”

"Isso é incrível. Obrigada."


“Agora, se estivesse aqui, a primeira coisa que eu iria querer fazer é mostrar um

pouco daqui levando você para meu negócio. Então, vá em frente e abra a número

dois.”

Sentindo-me tonta, removo o papel de todo o item número dois. Minha boca se

curva num sorriso quando vejo uma adorável réplica do food truck com um

decalque do lado com o logotipo Lunch Box do Landon.

“Seu Trailer!”

“Achei que fosse gostar.”

“Você tem esses feitos?”

"Sim. São edição limitada.”

“Sabe que eu sou obcecada por este Trailer, certo?”

"Sim. E é por isso que é a primeira parada do nosso encontro. Agora, dê um

passeio comigo no Trailer.”

Mordendo meu lábio inferior, fechei os olhos e imaginei o que ele me diz. "OK."

“Cuidado com o degrau. Você provavelmente pode cheirar os aromas de todas

as sobras do dia, que juntas cheiram basicamente a cebolas fritas. Está com fome,

Rana?”

"Estou faminta."

“Bem, vamos alimentá-la, então. Fiz um sanduíche especial para você. Abra o

número três.”

"Você está brincando? Você enviou comida?”


“Não se preocupe, está embalado com pacotes de gel congelados e feito com

pão ciabatta que não fica molhado. Então, deve estar fresco.”

“Ahh!” Corro para abrir o terceiro item.

Tirando a embalagem em volta do sanduíche, posso sentir o cheiro de

manjericão fresco. Tiro-o do papel alumínio e mordo. “Mmm. O que é isso?"

“É uma receita especial só para você. Dei o nome de Tomate-Tomahto Saloomi-

Salami.”

Caio na gargalhada. “Perfeito.” Dando outra mordida, digo: “O que colocou

nele? Está delicioso.”

“É tomate, salame, manjericão fresco, mussarela na ciabatta com sal, pimenta e

um pouco de azeite com infusão de pimenta.”

Minha boca está cheia enquanto falo. "Caralho. Isto é tão bom, Landon.”

“Deve estar com sede.”

Rio. “Se eu disser que sim, vou abrir outro pacote?”

"Talvez."

"Bem, eu estou."

"Vá em frente, então."

Reconheço imediatamente o formato do número quatro antes mesmo de abrir.

“Você me mandou uma mini garrafa de vinho.”

“Não confiei em você para não terminar uma garrafa grande sozinha,” ele

brinca. “Estaria me xingando novamente até o final dela.”


“Pode estar certo.” Eu abro a tampa e tomei um gole do Pinot Grigio.

"Delicioso."

Ele parece estar mastigando.

“Você está comendo também?” pergunto.

"Claro. Que tipo de encontro seria se eu não estivesse? Estou comendo

exatamente o mesmo sanduíche que você. Bebendo o mesmo vinho também.

Porque se estivéssemos juntos, estaríamos compartilhando uma garrafa grande.”

Adoro que ele esteja levando isso muito a sério.

Continuando a brincar, pergunto: “Onde estamos comendo esses sanduíches?”

“Neste momento, estamos em Venece estacionados no Abbott Kinney

Boulevard sentados num banco do lado de fora do Trailer. Desculpe, eu pulei esse

passo. Deveria ter dito.”

"Você está indo bem. Isto é tão bom. Obrigada."

Santeria da Sublime começa a tocar quando ele diz, “Acabo de encaixar meu

iPod no alto-falante para que possamos ouvir música enquanto comemos.”

Essa música é perfeita para a vibração que estou imaginando na minha cabeça.

É incrível como parece que estou realmente lá. Acho que uma boa imaginação

pode transportá-lo para qualquer lugar que queira.

Comemos em silêncio por um tempo, ouvindo suas músicas, algumas das quais

são obscuras. Ele toca músicas como Satellite e One Man Wrecking Machine de uma

banda chamada Guster. Quando Otherside dos Red Hot Chili Peppers começa, dois

pensamentos me vêm à mente. Um, amo seu gosto musical. Dois, muitas de suas
escolhas tem a ver com vício e me pergunto se isso tem algo a ver com sua mãe

biológica. Quero perguntar, mas estou com medo de estragar o momento, por isso

opto por não fazer.

Num ponto, uma música country começou.

“O que é isso?” Pergunto. “Você não parece um cara do country.”

“Normalmente, não sou, mas ouvi outro dia e me fez lembrar de você.”

"Por que?"

"Você verá."

Escuto as palavras por um tempo e percebo. “Oh, muito engraçado.”

“Chama This ain´t No Drunk Dial13 do A Thousand Horses.”

“Legal.” Rio.

Pelo menos uma hora se passa enquanto conversamos e ouvimos suas músicas.

“O sol está começando a se por. Não quero desperdiçá-lo aqui. Vamos para a

praia perto do meu apartamento,” ele diz.

Meu sorriso fica maior. "OK."

“Abra o número cinco.”

Ansiosamente tiro o embrulho do quinto presente, que acaba sendo uma

máquina que reproduz sons do oceano.

"Isto é perfeito."

13 Essa não é uma ligação bêbada


“Desligue a lâmpada do sol e substitua por isso. Está ficando escuro agora de

qualquer maneira.”

Sigo suas ordens sorrindo. "OK."

Ficamos em silêncio, ouvindo os sons da minha nova máquina de oceano.

“Onde está agora de verdade?” Pergunto.

“Eu estive na praia perto do meu apartamento o tempo todo,” ele admite. Posso

ouvir seu isqueiro, em seguida, o som dele soprando a fumaça antes de dizer, “Dê-

me alguma coisa, Rana. Qualquer coisa. Diga o que está vestindo.”

Digo a verdade. “Estou usando uma camiseta que diz Jesus Ama Esta Merda

Quente e não estou ... usando nenhuma calça.”

“Está apenas de calcinha?”

"Sim."

Sua respiração acelera. “E o seu cabelo?”

“Está úmido do banho. Tomei um pouco antes da ligação.”

“Está solto até sua bunda, né?”

"Sim. É mais comprido do que jamais esteve.”

“Linda,” ele sussurra. “Qual o cheiro dele?”

Cheirando-o, penso em como descrever o cheiro. “Coco e hortelã.”

“Mmm,” ele geme. “Estou tentando imaginar. Daria tudo para cheirá-lo agora.”

“O que você está vestindo?” Pergunto.


“Um agasalho com capuz preto e bermudas cargo pretas.”

“Vai roubar uma loja?”

Quando ele nem sequer finge achar engraçado, posso sentir que algo o está

incomodando. Ele não diz nada por quase um minuto inteiro.

“O que está errado, Landon?”

“Diga-me mais sobre seus últimos treze anos, Rana, a época depois que se

afastou, principalmente.”

“Pensei que era para ser um encontro alegre.”

“Bem, se estivéssemos realmente juntos na praia agora, eu iria querer que

falasse comigo. Estou tentando deixar isso realista.”

Passos de bebê.

Dê-lhe algo.

“Não estou realmente orgulhosa de quem fui quando adolescente. Tinha um

julgamento realmente pobre e sem auto respeito. Deixei as pessoas se aproveitarem

de mim. Eu não posso sequer dizer que minhas ações são culpa da minha mãe sair

porque meu pai esteve sempre lá por mim. Gosto de culpar Shayla, mas realmente,

tenho que assumir a responsabilidade por minhas decisões. Sei que eu estou sendo

vaga, mas a conclusão é, que eu aprendi com meus erros.”

“Quando diz que 'deixou as pessoas se aproveitarem de você ... quer dizer

sexualmente?”

Como responder a isso?


“Em parte, sim. Eu tinha baixa autoestima. Era minha maneira de atuar.

Quando fiz vinte anos, comecei a colocar minha cabeça de volta no lugar embora,

mas foram cinco anos ou mais antes disso.”

“Você teve namorados?”

É difícil para mim admitir que nunca tive um namorado oficial. Quem com

vinte e seis anos de idade pode dizer isso? Foi em parte por opção, no entanto.

Respondo honestamente: “Não.”

“Você teve encontros?”

"Não."

“Pelo que posso ver.... o que eu sei é limitado ... os caras estariam batendo na

merda da sua porta. Eu não entendo.”

“Não é que eles não tentem. Isso é apenas algo que escolhi para mim. Não

queria me envolver com ninguém.”

“Viver como uma freira é o que escolheu? Não pode mudar o passado,

punindo-se no presente. Não me entenda mal, fiz coisas de que não me orgulho,

mas não posso parar de viver por causa delas.” Ele hesita. “Você não vai me contar

tudo, não é?”

Ele é perspicaz. Sabe que estou me segurando. Decido inverter as coisas.

“Você vai me contar todos os seus segredos mais profundos e obscuros?”

“Em algum momento, sim.” Ele nem sequer hesita na resposta.


Acredito nele e isso me assusta porque não quero ter que retribuir. A

honestidade de Landon e sua necessidade em descascar minhas camadas é demais

para suportar tão cedo.

“A conversa está ficando um pouco séria demais para meu gosto,” digo. “Isto

não deveria ser um encontro intenso.”

"Quem disse?"

“Eu apenas deduzi.”

“Sei que está resguardada. Acho que só quero que saiba que nunca vou julgá-la.

Acredite em mim ... isso seria o roto falando do esfarrapado.”

“Eu só preciso levar isso realmente devagar.”

"O que é isso? Defina isso? Isso envolve eu um dia vê-la ... realmente te tocar?

Porque não pode ser mais lento do que ter milhares de quilômetros nos

separando.”

“Honestamente não sei o que é isso ou o que posso realmente um dia lhe

oferecer, Landon.”

“Você me enviou aquela foto e ela totalmente fodeu minha cabeça. Estava

realmente bem com as coisas do jeito que estavam. Mas a foto realmente me fez

lembrar que as coisas não têm que ser dessa maneira. E honestamente, acho que o

fato de enviá-la para mim significa que quer mais, também. Você está apenas com

medo e estou tentando descobrir o porquê.”


“Desculpe, não sou como um projeto de ciência que você tem que descobrir.

Aquele primeiro telefonema bêbado deveria ter servido de aviso. Você deve

simplesmente correr para as montanhas. Eu sou esquisita."

Ele não está rindo da minha tentativa de auto depreciação. “Não diga merda,

Rana. Você não é. Você não é mais fodida do que eu. E pelo menos confessa a

loucura que mostra ao contrário de todas as pessoas falsas que encontro

diariamente.”

Cerca de um minuto de silêncio passa enquanto ficamos apenas ouvindo os

sons do oceano. Eu o ouço acender o isqueiro novamente.

Ótimo, estou o estressando.

Tenho certeza que estaria acendendo um agora, também, se fumasse.

Há mais um presente. Ele não disse nada sobre abri-lo. Fechando os olhos, ouço

o som dele inalando e exalando. Praticamente posso sentir o cheiro da fumaça.

Minhas narinas formigavam só de imaginar isso.

“O que tem na próxima caixa, Landon?”

“Eu não tenho certeza se quer a próxima.”

"Por que? O que é?"

O tom brincalhão de mais cedo desapareceu. “Bem, está ficando frio aqui fora.

Se estivesse realmente aqui, eu gostaria de envolver meus braços em você. Mas não

tenho certeza se isso é algo com o que estaria confortável porque realmente não sei

o que diabos é isso entre nós. Então, se a resposta for sim, que iria querer que eu te

segurasse ... então, abra. Se a resposta for não, então vou ter que pedir que não o

faça.”
Sei sem sombra de dúvida que gostaria de estar em seus braços. Só não quero

admitir, porque me sentir assim sobre ele me assusta.

Mas preciso saber o que é.

"Sim. Eu quereria isso.”

“Abra, então.”

Dentro do pacote número seis há um moletom preto com capuz. Seu moletom.

Parece com o que ele descreveu estar usando esta noite. O tecido é muito pesado.

Eu a trago até o meu nariz e respiro fundo. Ela cheira a cigarros e perfume. Seu

cheiro é tudo o que eu imaginasse que fosse. Estou o cheirando.

“Bem, eu sempre soube que era o tipo de homem que me daria sua blusa no

frio...”

“Vista-a” ele insiste.

“Ok,” sussurro. Começo a tremer um pouco quando a passo sobre a cabeça.

Ele espera um pouco e depois disse: “Sinta-me envolvido em você. Sinta o meu

cheiro. Feche os olhos, e apenas esteja comigo.”

Meus olhos começam a se encher lentamente com lágrimas, porque isso é o

mais verdadeiro lembrete do que exatamente senti falta. Realmente sinto como se

uma parte dele estivesse realmente comigo e esse gesto é ainda mais íntimo do que

ele me mostrar uma foto de si porque é como se eu pudesse senti-lo pela primeira

vez.

Cada lágrima que caí representa o arrependimento, arrependimento não só

pelos meus erros do passado mas por viver com medo e estar perdendo o presente.
Capítulo oito

SHIT SHOW

Isso está me corroendo.

Quando meu pai se junta a mim no café da manhã na semana seguinte,

aproveito a oportunidade para falar com ele sobre Landon porque preciso saber se

meus pais mentiram todos aqueles anos atrás.

“Papa, lembra do meninos dos Roderick– Landon- do apartamento da garagem

na Eastern Drive?”

"Oh sim. O que tem ele?”

“Bem, eu o reencontrei. Nós realmente ficamos amigos de novo.”

Meu pai diminui a mastigação por um momento, em seguida, assente com a

cabeça uma vez. “Oh. Isso é bom."

Essa reação realmente me surpreende. Eu esperava que ele se irritasse.

Meus olhos se arregalam. “Você não está chateado? Pensei que sempre disse

que eles eram pessoas más.”

Ele balança sua cabeça. "Não. Não o rapaz. O pai dele tinha olhos loucos, mas o

menino é um bom rapaz.”

“Bem, ele disse algo diferente do que você contou sobre nossa saída. Ele disse

que você e Shayla saíram sem pagar o aluguel - que não fomos realmente

expulsos.”
Meu pai para de cortar a pera e abaixa a faca. “Não tínhamos dinheiro para o

aluguel, mas eles não nos expulsaram.”

"Você mentiu para mim?"

Ele hesita, então diz: “Sim.”

“Nem sequer pensei em te questionar sobre isso. Por que mentiu?"

"Sua mãe. Mudei para afastá-la daquele namorado. Mas ela não o deixou de

qualquer maneira. Foi sem intenção de te magoar, Ranoona. Menti por causa de

Shayla. Sinto muito."

“Poderia ter me contado a verdade. Eu não teria te abandonado por ela.

Entendo por que fez isso.”

Meu pai parece verdadeiramente arrependido. “Cometi um monte de erros com

você. Grandes erros.”

Mesmo que odeie que ele mentiu para mim, simplesmente não posso ficar

brava. “Você fez o que sentiu que tinha que fazer. Sinto muito por te fazer sentir

culpado, mas só gostaria de saber a verdade porque guardei isso contra Landon

por muitos anos.”

“Onde ele vive agora?”

"Na Califórnia."

“Ele vem te ver?”

"Não."

"Por que não?"


“Porque é melhor assim. Sabe que não tenho encontros.”

Ele franze a testa. "Isso deixa-me triste."

É interessante como as coisas mudaram. Meu pai costumava me proibir de sair

com os meninos quando adolescente. Enquanto isso, eu me esgueirava por suas

costas. Agora que sou mais velha, ele não pode esperara para me ver com um.

“Por isso deixa você triste, Papa? Não me quer por perto para sempre?”

“Você sem casar, eu me mudo.”

“Pare de me ameaçar.” Rio.

***

Ainda usando minha roupa de trabalho, deito de barriga para baixo durante

a ligação de todas as noites com Landon.

“Eu lhe devo um pedido de desculpas,” digo.

"Por que?"

“Você está certo.”

"Sobre o que?"

“Sobre meus pais. Eles mentiram sobre sermos expulsos do apartamento. Bem,

meu pai mentiu.”

“Oh, isso é tudo? Achei que ia me deixar ver seu rosto, pelo amor de Deus. Você

me deixou todo animado.”

"Desculpe pelo alarme falso."

“Como descobriu a verdade?”


“Meu pai admitiu. Aparentemente, ele estava apenas tentando afastar minha

mãe do seu namorado, então sentiu que tinha de mentir e fazer parecer que não

tínhamos escolha, senão ir embora.”

“Disse a ele sobre mim?”

"Sim. Ele pareceu estranhamente feliz que nos reencontramos. Provavelmente

se sentia culpado por romper nossa amizade todos esses anos.”

“Sempre gostei do seu pai. Ele gritava muito por nenhuma razão e nem sempre

conseguia entendê-lo quando fala rápido, mas posso dizer que é um cara bom.

Lembro que ele nos levou ao shopping uma vez naquele caminhonete de merda

que costumava dirigir.”

"Sim. E demos de cara com minha mãe ali mais tarde com o namorado.

Lembra?"

"Sim. Como posso esquecer? Isso foi foda,” diz ele.

“Eu me lembro daquela noite. Depois que vimos Shayla, você tentou me fazer

sentir melhor comprando chiclete e uma daquelas revistas adolescentes com o

dinheiro que ganhou cortando a grama da vizinha. Sra. Sheen era o nome dela.

Não suportava sua filha, Kelsie - a loira. Ela costumava disputar sua atenção.

Lembro de me sentir muito competitivo com ela.”

Há uma longa pausa antes dele dizer, “Então eu provavelmente não deveria

admitir que depois que se mudou, Kelsie e eu namoramos por dois anos.”

Meu coração parece quase parar. "O que?"


"Sim. Ela foi a minha primeira namorada e a primeira...” ele hesitou. "Bem, você

sabe."

O quarto parece girar conforme uma onda de ciúme me inunda.

“Você ... transou com ela?”

Landon parece se divertir com minha pergunta. “Isso é o que namorados e

namoradas fazem quando tem dezesseis ... dezessete anos, a idade que tínhamos.”

Um choque silencioso me consume. E simples assim, tenho treze anos

novamente.

Kelsie e Landon. Jesus, quero vomitar.

“Você está aí, Rana?”

Ainda processando, pergunto, “Uau. Ela? Ela foi realmente sua ... primeira?”

"Sim. Terminei com ela antes de me mudar para a Califórnia.”

Puxando meu cabelo, pergunto, “Você ... a amava?”

“Eu me importava com ela e tivemos um monte de primeiras vezes juntos, mas

não era amor, apenas coisas de adolescente. Nem sabia quem eu era naquela época.

Não teria durado, mesmo que eu não tivesse mudado.” Ele sente meu choque.

"Você está bem?"

“Só estou digerindo isso.”

“Não entendo você.”

"O que quer dizer?"


“Você fica com ciúmes do caralho de um romance adolescente que tive quando

tudo que quero agora é você. Você pode ter tanto ou tão pouco de mim quanto

quiser, mas está perdendo tempo se preocupando com alguém que fiquei uma

década atrás, alguém em quem nem sequer pensei nesses anos até que você falou.

Enquanto isso, você é tudo em que posso pensar - mesmo que não tenha visto seu

rosto em mais de 13 anos. É quase cômico. Sério, isso é como um filme B no Netflix.

Duas estrelas.”

Ele está certo e me sinto uma idiota - mesmo que ainda esteja queimando de

ciúmes.

Rio um pouco de mim mesma, mesmo que não tenha achado nada engraçado.

"Quer saber? Deixe como uma lição para você. Sou emocionalmente muito

imatura.”

"Bela tentativa. Pare de tentar me avisar contra você. Isso só me faz te querer

mais.”

“Sou mais fodida do que imagina, Landon. É ainda pior pessoalmente.”

“Bem, eu realmente não sei, porque está escondendo metade da sua loucura.

Estou tentando comprar bilhetes na primeira fila para a porra do seu show há

semanas.”

Uma coisa constante é que mesmo quando nossas conversas ficam quentes,

geralmente terminam em risadas.

Depois que saímos do telefone naquela noite, ainda estou esgotada por sua

admissão sobre Kelsie. Posso me sentir quebrando. A necessidade de lhe dar mais

era enorme.
Ainda usando meu traje de dançarina do ventre verde esmeralda e dourado,

começo a tira-lo freneticamente do corpo peça por peça - o sutiã adornado, o lenço

frisado, a saia. Eu não consigo sair dela rápido o suficiente.

Ele terá um gosto do seu próprio remédio.


Capítulo nove

GYPSY GIRL

Quando o telefone toca três noites depois, me preparo para sua reação.

“Você está tentando me matar?”

“Vejo que recebeu meu pacote?”

"Eu repito. Está tentando a porra de me matar?”

Sorrindo de orelha a orelha, sabia que a UPS foi entregue, uma vez que o

rastreei todo o dia como uma louca.

"Você está bravo?"

“Você está brincando?” Ele geme. “Estou deitado na minha cama agora usando

nada além de você em cima de mim.”

"Qual a sensação?"

“É sedoso ... e tenho pingentes de ouro em volta do meu pau.”

“Isso é um grande visual.”

“Você cheira como o céu. Puro céu, Rana. Só quero me afogar em você.”

Suas palavras me dão arrepios.

"Você gosta?"

Cerca de trinta segundos se passam antes que responda.


Ele suspira no telefone antes de dizer: “Sabe, há momentos fugazes quando

ainda me pergunto se estou sendo enganado. Como se talvez, essas imagens não

fossem realmente você ou talvez haja alguma razão sinistra de porque não me

deixa vê-la. Mas deixe-me dizer, se por algum motivo isso fosse verdade, neste

momento, não gostaria de saber. Quero acreditar que você é tão incrível por dentro

quanto por fora eu acredito que você seja. E quero ficar aqui te cheirando até que

não haja mais nada.”

Suas palavras fazem meu corpo todo zumbir com uma necessidade urgente de

ser tocada por ele.

Limpo a garganta. “Foi uma decisão impulsiva.”

“Bem, isso me dá esperança de que uma decisão impulsiva a levará a próxima.

Vou receber o que quiser me dar. O que te fez decidir sobre essa roupa em

particular?”

“Foi na noite em que me disse que namorou Kelsie. Depois que desligamos o

telefone, tirei minhas roupas num ataque de ciúmes e as coloquei numa caixa para

você. Você está usando meu ciúme.”

“Você é totalmente louca, mulher. Mas amo como usou a minha ideia.”

“Sou muito engenhosa no curso das minhas explosões psicóticas.”

“Da próxima vez me mande tudo - a calcinha, também.”

“Isso realmente passou pela minha cabeça, mas não queria que pensasse que

sou depravada.”
“Gosto de depravação. O que não gosto é como estou me sentindo agora -

privado.”

Uma ideia surge na minha cabeça. "Espere. Deixe-me colocar sua blusa.”

Corro para o armário e a puxo sobre a cabeça.

“Ok, estou te usando agora também.”

“O que mais está vestindo?”

"Nada. Só você."

"Porra."

“Seu cheiro está desaparecendo, no entanto.”

“Bem, não vou te enviar qualquer outra coisa minha. Você quer me cheirar de

novo? Vai ter que ser eu, não minha roupa.” Posso ouvi-lo respirando forte. “Estou

tão excitado agora.”

Parecia que posso gozar apenas de ouvi-lo falar sujo. Ele tem o tipo de voz

profunda, que faz isso comigo.

“Você está me deixando excitada também.” Atrevo-me a perguntar, “O que

faria comigo se eu estivesse aí?”

"Muitas coisas. Mas por alguma razão, cheirar seu perfume me faz realmente

querer comer sua buceta. Estou desejando tanto isso agora, minha boca está

salivando.” Ele baixa a voz. “Você deixaria?”

Mal conseguindo falar, gaguejo, “Sim ... quero dizer ... sim ... estaria bem com

isso.”
“Estou totalmente obcecado por você, Rana.”

Quero dizer a ele que estou além do ponto de obcecada. Em vez disso, tento me

arrancar do feitiço sexual em que suas palavras me colocaram.

“Você está obcecado com a ideia de mim - a mística. A realidade é uma

bagunça.”

“Qual realidade não é? Um relacionamento é apreciar o bom, o mau e o feio.

Ninguém é perfeito."

Um relacionamento.

É o que isso é?

Sabendo que minha determinação está enfraquecendo, eu sussurro, “Estou com

medo.”

“Não posso fazer isso para sempre. Não estive com ninguém desde antes da

noite em que me enviou a foto de sua bunda. Mas sou um homem e tenho

necessidades. Ou me deixa vê-la, me deixa estar com você ou não vou ter escolha a

não ser eliminar esta energia sexual em alguém. É isso o que realmente quer? Você

quer que eu dê a alguém o que é para você?”

Meu coração está acelerado no peito. "Não."

“Então, defina uma data. Defina uma porra de data. Eu quero te ver. Você tem

que fazer a ligação. Nunca vou aparecer na sua porta sem permissão. Prometi isso.

Você é quem está nos mantendo afastados, então precisa decidir como isso

acontece.”

Minha voz está tremendo. "Eu preciso de mais tempo."


“Você pode honestamente dizer que mais tempo vai te trazer até mim? Se for

assim, então, vou esperar. Se não, só me tire da porra da miséria agora. Diga que

nunca vai acontecer para que eu possa seguir em frente.”

O medo tira minha capacidade de falar. Isso está se tornando muito mais do

que esperava. Eu não tenho a resposta. Meu silêncio o leva a chegar à própria

conclusão.

“Eu preciso ir, Rana. Ligue quando tiver algo para me dizer. A bola está do seu

lado da quadra.”

Em seguida, ele desliga.

***

Landon não estava brincando.

Alguns dias passam e ele não ligou ou mandou mensagem. Tenho sentimentos

mistos sobre isso. Uma parte de mim está infeliz porque sinto muita falta dele. O

lado autodestrutivo se alegrava de que não há mais pressão para ter que me abrir

totalmente a ele, lidar com todos os sentimentos dolorosos que inevitavelmente

viriam de encontrá-lo face a face.

Mas apesar da voz negativa, meu coração está seriamente ferido e me implora

para tirá-lo da miséria entrando em contato com Landon.

No trabalho uma noite, visões de Landon foram particularmente intrusivas

durante minha rotina noturna. Conforme pegava as notas de dólar que estão

distribuídas para mim, me pergunto quanto tempo mais posso viver assim.

A música para e corro para pegar um pouco de água. Durante meu intervalo,

finalmente cedo e envio uma mensagem a Landon.


Rana: Você não estava brincando quando disse que a bola estava no

meu lado da quadra. Sinto falta de falar com você e realmente sinto muito se

eu te chateei.

Os três pequenos pontos sinalizando sua resposta iminente aparecem. Meu

pulso dispara enquanto observo os pontos se movendo.

Landon: Aqui é um amigo de Landon, Ace. Estou com seu telefone. Ele

sofreu um acidente no parque de skate. Ficou inconsciente depois de bater a

cabeça. Estou na sala de espera do Los Angeles Memorial. Os médicos estão

fazendo alguns exames agora.

O que?

Meu coração acelera.

Isto não pode estar acontecendo.

O ambiente balança e parece uma experiência fora do corpo. Estou entrando em

pânico conforme o que parecem um milhão de pensamentos passam por minha

mente.

E se ele está gravemente ferido?

E se perdeu a memória?

E se nunca tiver a oportunidade de estar com ele?

A lista aumenta e aumenta.

E se nunca tiver a chance de lhe dizer como me sinto?

E se ele ... morrer?

Morrer.
E se ele morrer?

Eu finalmente reúno a força para digitar mais uma mensagem.

Rana: Ele vai ficar bem?

Landon: Não sei nada agora. Sinto muito.

Não.

Não.

Não.

Lágrimas me cegam conforme corro de volta para o salão de jantar, indo em

direção ao gerente do restaurante. A banda pensa que estou prestes a dançar e

começa a tocar novamente.

“Xenophon, tenho uma emergência familiar. Eu sinto muito. Tenho que ir."

Sem me importar em esperar por sua resposta, pego meu casaco e saio correndo

do restaurante.

Minha respiração frenética é visível no ar frio da noite. Depois de correr por

cerca de um quilômetro e meio, finalmente pego um táxi.

“Preciso que me leve ao aeroporto.”

Olhando minha roupa do espelho retrovisor, ele diz, “Um pouco tarde para o

Dia das Bruxas, hein?”

Simplesmente fingi um sorriso antes de fechar os olhos e rezar para chegar a

Landon em tempo e que ele fique bem.


Preocupa-me que sua impressão sobre mim tenha ficado em segundo planos

com as preocupações mais sérias agora na minha mente. Não há tempo para pensar

em mim mesma. Essa reviravolta colocou tudo em perspectiva.

Ele precisa ficar bem.

É tudo o que importa.

Dou ao motorista todas as notas de um dólar que tenho. Ele deve ter pensado

que sou uma stripper. Meu dinheiro mal cobre a corrida.

Com nada além do meu celular e a carteira, corro pelas portas automáticas até o

balcão da Spirit Airlines.

“Quando é o próximo vôo que tem para Los Angeles?”

“Estamos lotados para o das 20:00, mas há um na Delta saindo em quarenta

minutos. Terá que ir ao Terminal A, no entanto. É do outro lado nessa direção.”

Correndo sem rumo em busca de Terminal A, passo pelas multidões até que

finalmente chegar ao balcão da Delta.

Infelizmente, há uma fila. O velho atrás de mim começa a me admirar e sorrir.

Pervertido. Estou muito desesperada em ir para a Califórnia para me importar.

Finalmente, chega a minha vez.

“Preciso de uma passagem no seu próximo vôo para Los Angeles.”

Depois dar a minha identidade e cartão de crédito, ela apertou alguns botões

antes de passar meu cartão e falar: “Sinto muito, senhora, mas seu cartão foi

recusado. Você tem outro?”


“Só tenho um cartão de crédito. Pode tentar de novo?”

“Eu tentei duas vezes. Sinto muito, mas terá que resolver com a empresa do

cartão.”

Ocorre-me que atingi o limite a um tempo atrás quando comprei algumas

roupas de inverno. Obviamente, não esperava ter que comprar uma passagem de

avião. Devastada, imploro a funcionária da companhia aérea.

"Por favor. Há algo que possa fazer? A companhia aérea tem um plano de

pagamento ou algo assim? Estou desesperada. Não estou viajando a lazer.”

Começo a divagar enquanto lágrimas escorrem pelo meu rosto, “Tem um cara.

Tenho certeza de que ele é o amor da minha vida. Ele só não sabe ainda. De

qualquer forma, ele sofreu um acidente. E nem sei quão sério é. Saí do trabalho e

vim direto para cá, estou com medo de que se eu não entrar neste vôo, possa nunca

mais vê-lo.” Estou engasgando com minhas lágrimas.

Então, pontas de dedos tocam meu ombro.

Girando a cabeça, eu exclamo, “Por favor. Estou quase acabando."

O velho então entra na minha frente.

Entro em pânico. "O que está fazendo?"

Ele fala com a mulher no balcão. “Gostaria de pagar o vôo dela, por favor.”

O que?

“Tem certeza?” Pergunta ela. “São setecentos dólares mais impostos, à vista.”

“Sim, tenho certeza.” Sua mão treme um pouco quando ele pega o cartão de

crédito da sua carteira de couro marrom gasta e entregou a ela.


Fico em silêncio, chocada com a generosidade que estou testemunhando de um

homem que considerei um pervertido minutos atrás. Esse pervertido se tornou

meu anjo da guarda na Terra.

Ele me olha. “Se o amor da minha vida estivesse em perigo, pode acreditar que

precisaria estar naquele vôo. Na verdade, o amor da minha vida está morta, mas

ela era uma velha romântica e se ela estivesse aqui, estaria me dizendo que pagar

pelo voo da menina cigana.”

“Obrigada, senhor ... qual seu nome?”

“Ralph Issacson.”

"Sr. Issacson, serei para sempre grata. Por favor, anote suas informações para

que eu possa pagar de volta.”

Ele estende a mão. “Isso não é realmente necessário. Dá-me grande prazer fazer

isso por você. E não preciso do dinheiro.”

Não há tempo para discutir. Preciso agradecer a este homem antes de correr

para o vôo. Faço a única coisa em que posso pensar que sei que ele pode e é de

graça.

Segurando seu rosto nas mãos, dou um beijo firme nos lábios. Ele parece

exausto, mas extremamente satisfeito com meu gesto impulsivo. Um sorriso

permanente parece estar colado em seu rosto. Definitivamente o deixei tonto e

confuso.

Correndo para o portão com apenas alguns minutos de sobra, rezo cinco Pai

Nossos e cinco Ave-Marias.


Sem malas, sou capaz de passar pela segurança, sem quaisquer problemas,

exceto um pequeno quando os enfeites de metal no meu traje fazem os detectores

dispararem. Eles me revistam e chego à área de embarque no último minuto.

Mencionei que nunca estive num avião antes?


Capítulo dez

TELL ME SOMETHING FUNNY

Cada momento do vôo de cinco horas é gasto balançando meus joelhos para

cima e para baixo. Costumava pensar que sentiria medo de voar, mas estou com

muito mais medo do que me espera no chão.

Incapaz de me concentrar em nada, apenas em Landon, não consigo ler ou focar

no filme para acalmar minha mente.

Assim que desembarco, peço a um estranho dinheiro para o transporte público,

o que me deixa bem na frente do Los Angeles Memorial Hospital.

Estou ridícula, com rímel escorrendo e um casaco sobre minha roupa de dança

do ventre. Sentindo que vou desmaiar de calor, tiro o casaco, o que significava que

todo mundo me olha assustado. Não importa; tudo o que importa é chegar a

Landon.

Parei na recepção. “Estou aqui para ver Landon Roderick. Pode me dizer onde

ele está?”

Meu coração está na boca o tempo todo que a recepcionista procura no sistema.

Preparo-me para sua resposta.

“Ele está no quarto 410. Pegue o elevador até o quarto andar e siga as indicações

para a Ala Leste.”


Solto a respiração que estou segurando quando uma onda de alívio percorre-

me.

Ele ainda está aqui.

Ele está vivo.

Obrigada, Deus!

Não tendo nenhuma ideia do que dizer ou fazer, corro para o elevador vazio e

pressiono o botão de número quatro. Meu coração bate mais rápido com cada

mudança dos dígitos.

De repente, meus nervos estão começando a ganhar a melhor. Incapaz de lutar

contra as lágrimas que se formam nos meus olhos, me pergunto se realmente serei

capaz de lidar com ele. Ou pior, e se não me quiser aqui nestas circunstâncias?

O elevador apita e abre no andar de Landon.

Demoro um momento antes de respirar fundo e sair.

Incapaz de lembrar onde a recepcionista me disse para ir, devo ter parecido tão

confusa quando em sinto, porque uma enfermeira para e me oferece ajuda.

"Onde está indo?"

“Quarto 410?”

Ela aponta algumas portas para baixo. “É aquele, mas está vazio. O paciente

acaba de receber alta.”

"Onde ele está?"

"Eu sinto muito. Não posso dar-lhe essa informação. É confidencial.”


“Foi ele que definitivamente recebeu alta?”

Ela hesitou. "Acredito que sim."

"A quanto tempo?"

“Talvez vinte minutos atrás.”

Engolindo em seco, faço o caminho de volta para os elevadores em estado de

choque. Minha garganta está seca; não tive nada para beber em horas e em breve

estarei desmaiando no chão e dando entrada como paciente.

Onde irei em seguida? Eu não tenho ideia.

Enquanto me aventuro de volta ao lobby, olho ao redor em vão por qualquer

sinal dele. Está ficando tarde, se aproximando da meia-noite e preciso encontrá-lo.

Onde mais irei se não a ele? Só espero que a mulher esteja certa e ele realmente

recebeu alta e está bem ao contrário de ser transferido para outro lugar. Preciso

saber com certeza que ele está bem.

Empurrando através das portas giratórias, estou prestes a enviar uma

mensagem pra ele quando o mundo parece parar de girar.

Rapidamente percebo que não terei que esperar muito tempo para descobrir o

que aconteceu com Landon.

A visão dele para tudo em volta.

Eu congelo.

Reconheço seus musculosos braços tatuados de costas imediatamente. Pelo

menos, tinha noventa e nove por cento de certeza que era ele. Landon está perto do

meio-fio enquanto presumivelmente espera por uma carona.


Agora que posso ver que ele está aparentemente bem, fico paralisado por um

novo tipo de medo.

Ele não te viu ainda.

Ainda há tempo de virar e ir para casa, Rana.

Landon enfia a mão no bolso para pegar o telefone e começa a digitar algo por

um tempo. Só fico parada, observando-o de longe.

Cerca de dois minutos depois, meu telefone vibra.

Ele escreveu uma mensagem para mim.

Landon: Sei que é tarde. Tenho certeza de que está dormindo e tecnicamente

estou no meio de uma proibição auto imposta sobre entrar em contato com você,

mas só queria que soubesse uma coisa. A vida é malditamente muito curta, porra.

Eu estou bem ... mas eu bati a cabeça andando de skate. Tenho uma leve

pancada. Passamos o dia inteiro no hospital para que pudessem fazer exames e

garantir que minha cabeça ainda está funcionando direito. (Embora isso nunca

foi realmente o caso, certo?) De qualquer forma, o ponto de todo este texto é para

que saiba que teria realmente sido uma droga se por algum motivo eu não

estivesse bem, principalmente porque nunca teria tido um oportunidade de lhe

dizer que estou arrependido de desligar na sua cara. Se por acaso estiver

acordada e receber isso, eu poderia realmente ter um pouco da sua loucura agora.

Diga-me algo engraçado, Rana.

Meu Deus.

Ok, respire.
Sem pensar, só começo a digitar. Minhas mãos tremem.

Rana: Tenho uma para você. É uma longa história, na verdade. Então, mandei

uma mensagem durante meu intervalo no trabalho e você respondeu ... só que

não era você. Era seu amigo contando que estava no hospital, que bateu a cabeça

e que ele não tinha ideia de quão ruim era. O que uma pessoa sã faz nesse

cenário? Ela sai correndo do trabalho e vai para o aeroporto. Eu chego lá, e

descubro - grande surpresa - que meu crédito foi recusado. Então, não pegaria o

vôo até que o homem velho que estava me admirando a poucos minutos atrás

decidi pagar minha passagem. Dou-lhe um beijo e corro para o portão. Nunca

estive num avião antes na vida. Seis horas mais tarde, estou num hospital em LA,

ainda vestida com um sutiã frisado e saia translúcida, só para descobrir que você

recebeu alta. Quebrada, com fome e vestida como uma prostituta no Halloween,

saio para descobrir que por algum milagre torcido do destino - você está em pé

no meio-fio. Então, continuo congelada, bem atrás de você, assustada pra

caramba.

Eu envio.

Meu corpo inteiro está tremendo enquanto eu vejo olhar o telefone e ler a

mensagem.

Espero por esse momento, quando seu corpo gira.

Meu peito arfa. Finalmente, seus olhos pousam nos meus. É realmente o

momento mais surreal da minha vida, tão bonito quanto aterrorizante.


O vento da noite sopra meu cabelo enquanto Landon lentamente se aproxima.

Ele está ainda mais incrivelmente bonito pessoalmente. Seus olhos são ainda mais

claros do que lembrava, o ligeiro solavanco no nariz mais proeminente.

Apavorada, meus globos oculares mexem de um lado pro outro quando ele

silenciosamente me fita. Ele coloca a mão grande e quente suavemente na minha

bochecha. Fecho os olhos para apreciar o sentimento. O simples toque envia ondas

de choque por todo meu corpo, nervos colidindo com o desejo, medo chocando-se

com conforto. Tão familiar e ainda assustador.

Landon não diz nada quando apenas me olha intensamente e então começa a

traçar suavemente os contornos do meu rosto. Fecho os olhos novamente enquanto

ele corre o dedo indicador ao longo do meu nariz pequeno e arrebitado. Seu dedo,

em seguida, roça meus lábios, em seguida, o pescoço e para pouco antes de meus

seios, que estão rebentando para fora do sutiã incrustado de pedras preciosas.

“Puta merda,” ele murmurou. “É realmente você.”

Diga o que está pensando.

Diga o que está pensando.

Basta dizer.

Ele não fala.

Nosso momento é interrompido por uma buzina alta que quase quebra o transe

de Landon.

Um barbado com aparência hipster abaixa a janela e grita: “Ei!”

“Quem é esse?” Pergunto.


Landon ainda está olhando para mim e não desvia o olhar quando fala: “Meu

amigo, Ace. Ele veio me buscar.”

Ace liga o pisca alerta, sai do carro e vem para onde estamos na entrada

principal.

Ele levanta o queixo uma vez. "Quem é?"

Pela primeira vez, a boca de Landon se curva num leve sorriso. “Esta é a minha

menina, Ace. Ela só não sabe ainda.”

Apesar do meu estado, rio um pouco. Isso soa quase exatamente com o que

disse para o atendente do aeroporto sobre Landon ser o amor da minha vida. Ele só

não sabe ainda.

“Pega mulheres aleatórias no hospital agora?”

“Cale a boca. Esta é Rana, seu idiota.”

Ace riu. “Ohhh. Merda. Sinto muito. Eu deveria ter percebido pela roupa. Não

coloquei dois e dois juntos. Ele me contou de você.”

"Contou?"

"Sim."

“Falamos por mensagem mais cedo” eu o lembro.

Landon repreende seu amigo. “Como é que não me contou que ela mandou

mensagens?”

“Esqueci de mencionar.” Ace se vira para mim. “Você simplesmente voou até

aqui?”
"Sim."

"Legal. Estão prontos para ir? Tenho que estar em um lugar.”

Landon estende a mão para mim e a pego, incapaz de lembrar a última vez que

segurei a mão de um homem. Seu aperto é firme e protetor, representativo do tipo

de homem que sei que ele será comigo. Noto que ele usa dois anéis de prata nos

dedos. É uma sensação incrível finalmente tocá-lo. Como um sonho, realmente.

Depois que ele me levou para o banco de trás do jipe de Ace, partimos. Não

tenho ideia de onde vamos, embora acho que ele está indo ao lugar de Landon.

O olhar de Landon está focado em mim toda a viagem, mas ele não diz nada.

Seus olhos são expressivos, como se quisesse dizer algo ou fazer um milhão de

perguntas. Nós certamente temos muito a discutir, mas ele deve ter optado por não

falar sobre qualquer coisa na frente do amigo. Sem mencionar que nosso motorista

está com a música muito alta. Ouve So What Cha Wnat dos Beastie Boys com as

janelas abertas.

A luz que está sobre um sensor ilumina a passarela enquanto Ace para na casa

de Landon. A estrutura estuque cinza tem uma garagem no primeiro nível e uma

varanda no segundo. Há três unidades idênticas enfileiradas. A praia está do outro

lado da estrada, mas perto o suficiente para ser capaz de ouvir as ondas

quebrando.

Saímos e Landon bate no capô do carro de Ace. “Obrigado por tudo, cara.”

"Sem problemas. Prazer em conhecê-la, Rana.”

Balanço a cabeça. "Igualmente."


O som das rodas do carro de Ace batendo no cascalho significam que

finalmente estamos sozinhos. Olho para as acolhedoras palmeiras dançando na

brisa da noite, como se estivessem fazendo serenata para a menina tonta do

Michigan.

Landon vira-se para mim, os belos olhos azuis brilhando, mesmo na escuridão.

Ficando de frente para ele, pergunto: “Está se sentindo bem?”

"Sim. Minha cabeça ainda dói um pouco, mas realmente tive sorte.” Ele sorri.

“Mesmo se estivesse com dor, tenho certeza que estaria insensível a isso agora.” Ele

segura meu rosto. “Caramba, Rana. Você está aqui."

“Sei que é um choque.”

“É um bom choque, embora. Um ótimo. Sabia que iria voar e me ver,

eventualmente, mas porra, realmente me surpreendeu.”

"Estava assustada. Nem sequer pensei duas vezes sobre vir aqui quando pensei

que estava em perigo. Não foi nem mesmo uma decisão a tomar, tanto quanto

estava preocupada. Cavalos selvagens não poderiam ter me mantido longe.”

“Nem mesmo uma cobra faminta pode,” ele brinca.

“É mesmo.” Rio nervosamente, meu corpo incrivelmente em alerta. "O que

aconteceu com você?"

“Fui a pista de skate para relaxar e às vezes fico um pouco louco. Eu

escorreguei, bati com a cabeça e apaguei. Na próxima coisa que lembro, estava na

ambulância. Eu, obviamente, nem sabia que me mandou uma mensagem até que
disse que Ace te respondeu. Não percebi isso porque não houve notificação uma

vez que ele respondeu.”

“Fiquei tão preocupada com você.”

Sua boca se curva num sorriso quando corre o polegar ao longo da minha

bochecha. “Você não tem que me convencer disso, baby. O fato de que está em pé

na minha frente agora é toda prova que preciso de quanto se importa comigo.”

“Acha que sou louca por apenas saltar num avião?”

“Sempre pensei que fosse um pouco louca, mas vir aqui não é uma das razões.

Estou encantado, num ponto onde fico claramente sem nada convincente para

dizer. Você pegar aquele avião significa mais para mim do que possivelmente

imagina.” Ele se move para mais perto. “E não posso acreditar que um cara velho

teve que beijá-la antes de mim, a propósito.”

Pensei que talvez ele fosse me beijar ali mesmo, mas não.

Sentindo-me subitamente envergonhada, olho para meus pés. “Sei que

provavelmente tem um milhão de perguntas sobre a minha aparência. Eu-"

“Você não me deve nenhuma explicação.” Ele coloca a mão no meu rosto.

“Mas tenho certeza que provavelmente está se perguntando ...” Quando perco

minhas palavras, ele completa o pensamento.

“Querendo saber onde seu nariz está?” Ele riu. “Acho que é bastante óbvio o

que aconteceu lá.”

"Sim. Sei que é óbvio. Só quis dizer que pode estar se perguntando por que eu”
“Não, na verdade, eu não estou. Estou extremamente feliz em te ver agora para

me preocupar com qualquer outra coisa. E você precisa de um banho quente e um

pouco de comida. Vamos entrar. Deixe sua ansiedade na porta. Vou cuidar bem de

você.” Tomando minha mão, ele me leva para a entrada.

“Não sou eu que deveria estar cuidando de você?” Pergunto quando o sigo

para dentro.

"Não. Os médicos disseram que vou ficar bem. Só preciso tomar Advil e ter

cuidado para não ter mais acidentes envolvendo meu crânio por um tempo, já que

a pancada o tornou vulnerável. Então, sem merdas loucas por algumas semanas, e

você terá de se abster de jogar qualquer coisa em mim enquanto estiver aqui. Vou

tentar não te provocar.” Ele pisca.

“Estou tão agradecida que esteja bem.”

“Eu também, especialmente agora que você está aqui. Seria uma merda ter

perdido isso.” Ele gesticula ao redor. “De qualquer forma, bem-vinda à minha

humilde morada. Não é chique, mas é o que ganha em troca de viver perto da

praia.”

O lugar de Landon é ótimo. É pequeno, mas com um piso de plano aberto e

uma considerável vista para o mar.

Quando ele me leva ao seu quarto, está me mostrando a vista de sua janela, mas

tudo que posso fazer é olhar para ele quando não está vendo. De repente, ele vira

para mim e parece me pegar boquiaberta. Devo ter ficado vermelha ou alguma

coisa, porque ele pode, aparentemente, sentir meus nervos.


"Relaxe. Eu não mordo.” Ele se aproxima, coloca as mãos sobre meus ombros e

o sinto em meu núcleo. "Sou só eu. Não fique nervosa.”

Esse é o problema. É você, Landon. E não confio em mim.

Estou nervosa? Certo. Mas certamente não é porque estou com medo que ele

tente nada. Se qualquer coisa, sou pega de surpresa quanto meu corpo quer

sucumbir a cada desejo, especialmente quando ele me toca; o quanto me tornei

intoxicada por seu cheiro; o quanto quero correr a língua ao longo de seu lábio

inferior cheio. Mas é evidente que Landon está sendo cuidadoso. Ele está levando

as coisas devagar.

“Sinto-me segura aqui. Meus nervos não são sobre qualquer apreensão. É mais

uma excitação nervosa que não estou acostumada a sentir.”

“Bem, bem, então.” Ele sorri. “Gosta de café da manhã no jantar?”

"Sim."

Concordando com a cabeça, ele diz: “Siga-me.”

“É praticamente manhã de qualquer maneira,” digo, pegando sua mão quando

ele me leva para a cozinha.

Landon acaba fazendo um delicioso lote de torrada francesa antes de me

preparar um banho quente.

Intriga-me que Landon tenha gel de banho Anna Sui em seu banheiro. Isso me

fez pensar se uma mulher deu a ele ou se ela deixou aqui. Tento afastar a ideia da

mente.

Quando termino o banho, enrolo-me numa toalha e olho para fora do banheiro.
“Você tem algo que eu posso usar?”

Ele grita da sala de estar, “Deixei no chão à esquerda algumas roupas. Essas

terão que servir por agora. Amanhã vamos sair e comprar algumas.”

Com certeza, há uma pilha de itens dobrados no chão a meus pés.

“Obrigada,” grito, pegando as roupas.

Voltando ao banheiro cheio de vapor, coloco a camisa vintage do Def Leppard e

um shorts de cordão preto. A camisa é grande, então decido amarrar num nó

pouco acima do umbigo para parecer mais feminina.

Depois que me aventuro para fora do banheiro, encontro Landon em seu

quarto. Ele tem as mãos nos bolsos e está olhando pela porta de vidro que leva à

sua varanda.

“Sinto-me sem-teto,” digo.

“Bem, seria a mais bonita sem-teto que já vi.” Ele olha para meu estômago,

notando que amarrei a camisa. Ele olha meu umbigo. “Você tem um piercing. Não

percebi mais cedo.”

“Minha saia o cobriu.”

"Amei isso."

Landon anda na minha direção. A tensão sexual no ar é espessa enquanto ele

corre a ponta do dedo contra o anel na minha barriga. Não conseguia nem

descrever o que um pequeno toque faz ao meu corpo.

Limpando a garganta, digo: “Furei mais ou menos quando comecei a dançar.”

Landon usa um pino pequeno e preto na orelha direita e notei anteriormente que
sua língua também é perfurada. Achando o último extremamente sexy, digo:

“Amei o piercing em sua língua. É sua única perfuração além da orelha?”

Ele dá um sorriso e coça o queixo, parecendo incerto sobre responder essa

pergunta. "Não. Tenho outra."

"Onde?"

O sorriso em seu rosto diz tudo. “Num lugar que não posso mostrar-lhe agora.”

De repente, fico quente. “Oh.”

Ele arqueia uma sobrancelha, parecendo divertido com minha reação um pouco

envergonhada. "Você perguntou."

"Perguntei."

Ele puxa meu cabelo, brincando, aparentemente achando meu embaraço bonito.

“Por acaso tem uma escova de cabelo?” Pergunto.

Coçando a cabeça, ele diz: “Sim. Eu já volto."

Ele volta com uma e me pega de surpresa quando, em vez de entregá-la, fica

atrás de mim e começa a escovar meu cabelo molhado. Fecho os olhos pela

sensação de seu corpo quente em minhas costas, as mãos puxando meus longos

cabelos enquanto ele gentilmente passar a escova através dos fios. E, claro, como

qualquer pessoa com pulsação estaria, fico pensando em seu pênis perfurado.

“Não me lembro de seu cabelo ser tão escuro quando éramos crianças,” diz ele.

“É tão preto ... lindo.”

"Sim. É natural, pelo menos posso dizer isso de algumas coisas, certo?”
Ele ignora minha tentativa de auto ridicularizar, não dignificando-a com uma

resposta.

Sinto as palavras suaves contra meu pescoço. “Quanto tempo pode ficar?”

Respondendo honestamente, digo: “Eu não sei.”

Ele para de escovar e corre a mão pelo comprimento do meu cabelo, parando

pouco antes de minha bunda. Seu toque é eletrizante.

“Seu trabalho está bem com você vindo aqui?”

“Não tenho ideia. Só disse que tive uma emergência familiar e sai.”

“É melhor ligar amanhã para ter paz de espírito, mas saiba que se por algum

motivo eles te causarem problema, te dou cobertura. Vou me certificar de que

possa pagar o aluguel.”

“Isso não é necessário.”

“Não podia sequer pagar a passagem de avião para chegar aqui. É claro que

precisa desse trabalho. E se sacrificou para vir me ver, então terei certeza que está

sendo cuidada.”

Não sabendo mais o que dizer, simplesmente sussurro: “Obrigada.”

Landon vai até sua cômoda. Há um monte de elásticos amarrados juntos numa

bola gigante. Ele tira um fora e coloca na boca, puxando-o entre os dentes. Isso é

estranhamente sexy por algum motivo.

Ele vem atrás de mim novamente e prende meu cabelo num rabo de cavalo

baixo, correndo o elástico em volta. Sua mão demora antes de se afastar. Meu corpo
anseia o retorno de seu toque. Ter suas mãos em mim está rapidamente se

tornando minha coisa favorita.

Viro para encará-lo. Nossos olhos se prendem por alguns segundos. É um

pouco irritante quanto quero que ele me toque novamente. Mas ele não o fez.

“Você fica com minha cama,” ele finalmente diz. “Amanhã vamos tomar café da

manhã na praia. Então, podemos ter aquela conversa.”

“Não tem que trabalhar amanhã?”

“Mel está cuidando do Trailer. Estou oficialmente de licença médica durante o

tempo que você estiver aqui.”

"Pode fazer isso?"

"Sou o chefe. Posso fazer o que quiser.” Ele vai para a porta. “Vou te deixar

dormir um pouco. Já é amanhã no Michigan.”

"E você?"

“Estarei desmaiado em breve, também.”

"OK. Vejo você pela manhã."

“Boa noite, Rana.” Ele bate na porta duas vezes, em seguida, desaparece.

Enquanto estou deitada na cama de Landon, nadando em seu inebriante cheiro

masculino, percebo que ouço os sons reais do oceano. Nenhuma máquina ... a coisa

real.
Ultimamente quando não conseguia dormir de volta para casa, me aventurava

até o armário e lia uma das notas antigas de Landon. Esta noite, caminho até sua

janela. Olho para baixo.

Landon está lá fora, fumando um cigarro. Admiro sua estatura linda e a

maneira como seu traseiro está perfeitamente moldado nas calças pretas. Esta cena

não é exatamente do jeito que imaginei, nem de longe. Na minha imaginação, a

água está um pouco mais próxima quando na realidade, posso ver à distância. Mas

isto é muito legal.

E então me atinge: minha maior fantasia -estar na Califórnia com Landon- se

tornou realidade. É assustador e emocionante ao mesmo tempo, especialmente

porque não tenho ideia do que o amanhã trará.


Capítulo onze

SPLIT

Um delicioso aroma enche o ar quando me espreguiço. Não foi um sonho,

afinal. Ainda estou realmente na Califórnia com Landon.

Vejo luz do sol brilhante entrar pela janela de seu quarto e sorrio, mais uma vez

ciente do fato de que isso está realmente acontecendo.

Landon não me vê em pé atrás dele, enquanto cozinha no fogão. Um café da

manhã está se formando sobre o balcão. A torradeira soa. Island in the Sun por

Weezer estava tocando em seu telefone e ele assovia enquanto se move.

Ele está usando um boné de beisebol para trás, não tem camisa e sua cueca

aparece através do jeans. Levo um momento me maravilhando com os contornos

de suas costas musculosas. Meus mamilos endurecem contra sua camisa que ainda

estava usando.

Limpo a garganta, então ele saberá que estou aqui.

Ele vira com a espátula na mão. "Ei! Como dormiu?”

“Como um bebê quando finalmente cochilei.”

“Ótimo” Ele pega uma caneca e me serve um pouco de café. “Como você

bebe?”
Até mesmo uma pergunta simples como essa desperta minha mente para o

desejo.

Como você bebe? Por que tudo parece sedutor, de repente?

“Só creme.”

“Leite está bem? Vou comprar creme mais tarde, agora que sei que gosta.”

“Leite está ótimo.”

Meus dedos roçam os seus quando ele me entrega a caneca fumegante. Mesmo

um pequeno contato envia calafrios por mim.

"Obrigada."

Seus olhos pousam nos meus antes dele se afastar e voltar ao balcão. Landon

parece um pouco no limite e não consigo descobrir o porquê. A insegurança vem

rastejando, tentando me convencer de que seu jeito fora do normal é por estar

decepcionado comigo.

Ele fala de costas para mim. “Só vou embrulhar estes burritos enquanto estão

quentes e nós vamos levá-los a praia.”

Há um ligeira frio no ar enquanto calmamente caminhamos em direção ao mar.

Landon fez mais café e envolvemos os burritos em papel alumínio.

Escolhemos um local e sentamos sobre o cobertor fino de lã que ele trouxe.

Cercado por gaivotas, comemos em silêncio, olhando em direção ao oceano.

Quando terminamos o café da manhã, Landon pega minhas sobras e joga num

saco que trouxe para o lixo. Sem comida para nos distrair, viro para ele e faço a

pergunta que está me incomodando.


"Você está bem?"

Ele pega minha mão e entrelaça nossos dedos. “Estou realmente bem.”

“Você está muito quieto. Só me perguntei o que está pensando.”

“Tenho um monte na minha cabeça e isso é você. Para ser honesto, estou

achando ... realmente não estou certo de como agir com você.”

"O que quer dizer?"

Ele olha em direção à água para reunir seus pensamentos, em seguida, fala:

“Ainda estou entendendo que está aqui. Eu acho que não estava tão preparado

quanto pensei estar. Não sei como lidar com minha atração por você, porque sinto

que ... ela pode te deixar desconfortável. Então, estou tentando me impedir de

deixa-la aparecer e realmente não sei como fazer isso. Porque o que estou sentindo

... é muito intenso. Você está deslumbrante. Quero apenas te olhar, mas sei que

você tem um grande problema com sua aparência. Para ser perfeitamente honesto,

quero fazer mais do que apenas te olhar. Mas sei que se foder isso, você vai correr

de volta para o Michigan antes mesmo de eu ter a chance de passar algum tempo

com você.”

Odeio que fiz com que se sentisse que precisa pisar em ovos comigo. A verdade

é que estou petrificada para mostrar a ele que fiz. Mas agora que estou realmente

aqui, não importa mais.

“Tenho vergonha de mostrar o que fiz com meu rosto e corpo.”

"Por quê? Não é como se tivessem bagunçado tudo. Você está perfeita, porra.”
"Eu sei. Eles fizeram um ótimo trabalho. Nariz pequeno. Seios perfeitamente

redondos. Shayla e eu sempre tivemos os mesmos olhos grandes e verdes, mas

tudo o resto é diferente. Eu, basicamente, fiz com que eu parecesse com minha mãe

e não parei de bater-me por isso. Não havia nada errado comigo antes, Landon.

Mas acreditava que havia, que ela me deixou porque eu não era suficientemente

boa, que precisava parecer mais com ela para valer algo na vida. Não posso

suportar olhar para mim mesma às vezes.”

“O dinheiro que seus avós lhe deram ... agora faz sentido. Você usou numa

cirurgia plástica.”

"Sim. Eles me deram dinheiro para estudar e eu fugi assim que completei

dezoito. Fui ver um médico em Detroit e ter meu nariz e seios feitos. Depilação a

laser, também. Fiquei num motel barato por meses. Que tipo de uma pessoa pega o

dinheiro dos seus avós e faz isso?”

“Alguém que está desiludido e perdido. Mas você era jovem. Tenho certeza que

eles te perdoaram.”

“Eles fizeram, mas não acho que deveriam ter feito.”

“Nós todos erramos, Rana. Você tem que perdoar a si mesma. Tem que aceitar o

que fez. Também tem que aceitar que as pessoas vão te olhar e te achar sensacional

e não há nada de errado com isso.”

“Estive apavorada sobre te mandar a foto porque sei a maneira que você me

vê.”

“Faria você se sentir melhor se eu mentisse e dissesse que não te quero, que te

acho horrível?”
"Não. Gostaria que estivesse atraído por mim. A realidade é, isso me faz sentir

grande e terrível ao mesmo tempo.”

Ele olhou para o céu, em seguida, volta para mim. “Sempre te achei bonita, ok?

Lembro de seu rosto como se fosse ontem e nunca vou esquecer. Você me fascinou,

porque lembro de me sentir como se fosse diferente da maioria das meninas, mas

não de uma maneira ruim. Amei seu nariz grande e sobrancelhas espessas. Mas

amo esse nariz também. Amo ambos os seus rostos. Isso é provavelmente porque

adoraria qualquer embalagem que tivesse.”

O frio do oceano não altera o calor que sinto por dentro neste momento. Suas

palavras realmente me tocaram. Ninguém nunca me fez sentir tão linda por dentro

e por fora.

“Sempre te achei bonito, também, Landon. E estou muito feliz por estar com

você.”

Ele gentilmente esfrega o polegar no meu. “Por favor, fique mais um pouco.”

Não há maneira que posso deixá-lo agora.

Balanço a cabeça. "OK."

Com energia renovada, ele me puxa para fora da areia. “Vamos levá-la às

compras.”

***

Passamos o resto da manhã comprando coisas básicas como calcinhas, um sutiã

e algumas roupas.
De alguma forma, todo este tempo, não discutimos o carro que ele tem. Então,

fiquei surpreso ao descobrir que, apesar de seu modesto apartamento, Landon

dirige um Range Rover Sport. Quando perguntei como o comprou, ele explicou

que ele economizou por anos. Além disso, o food truck está muito bem. Ele fez um

empréstimo para iniciar o negócio e pagou em dois anos. Agora, a renda do food

truck cobre o pagamento do carro e outras contas, ao mesmo tempo que lhe

permitam empregar Melanie e ir um pouco mais longe.

Na parte da tarde, Landon insiste em me levar a uma pequena boutique em

Venice Beach que vende roupas de praia e casuais. Ele quer que eu escolha algo

bonito para vestir no caso de formos a um bar com seus amigos.

Vou ao provador com o macaquinho azul que escolhi. Como de costume, fica

confortável na minha bunda e seios enquanto a cintura se encaixa perfeitamente.

Quero sua opinião. Afinal, ele está pagando por isso.

Quando saio para a área onde ele está sentado, Landon olha seu telefone. Ele

levanta o olhar quando me nota e seus olhos se iluminam.

“Está lindo nisso.”

“Gostou mais do que o último?”

"Eu amei. Leve. Leve todos.”

Assim que viro para voltar ao provador, seu telefone escorrega das mãos.

Quando me abaixo rápido para agarrá-lo, o impensável acontece.

O impensável.

O material na minha bunda rasga. Pelo menos, é o que parece e sinto.


Ah não.

Fique calma.

Talvez ele não perceba.

A próxima coisa que percebo é Landon atrás de mim, cobrindo meu corpo com

o dele enquanto rapidamente me leva ao provador.

Uma vez lá dentro, nos encaramos por um breve momento antes de

simultaneamente, rirmos histericamente.

Limpo meus olhos. “Não posso nem olhar. Quão ruim é?”

“Ruim não é como descreveria ver sua bunda por uma fração de segundo.”

“Obrigado por ter vindo em meu socorro. Acho que entrei em choque e

simplesmente congelei. Definitivamente não quis estar em exposição para toda a

loja.”

Ele pista. “Eu te cobri.”

"Literalmente."

No espaço apertado do provador, não há maneira de escapar da energia sexual

no ar. Nossos rostos estão próximos e tenho certeza que ele vai finalmente me

beijar. Meu coração está batendo como um louco.

Seus olhos caem para meus lábios. “Vou deixar você se vestir.” Então, ele se

vira.

Nada.

Uau.
Estou morrendo por dentro.

Landon sai, retornando à sala de espera, enquanto termino de colocar minhas

roupas. Ele acaba comprando os dois macaquinhos que experimentei antes do

acidente.

O sol brilha enquanto caminhamos pela calçada. Paramos na frente de seu

carro.

Segurando um grande saco de compras, digo: “Vou te pagar as roupas que

comprou hoje.”

“Foda-se as roupas. Pode me pagar não correndo de volta para o Michigan.”

Realmente não sei quanto tempo posso ficar aqui; tenho obrigações. Não

discutimos um prazo exato, mas sei que tenho que voltar para casa em breve. Não

posso realmente ficar mais de uma semana.

“Isso me lembra, eu deveria ligar ao trabalho quando voltar para sua casa e

informar que vou ficar fora uma semana.”

Ele parece seriamente desapontado. "Uma semana? Isso é tudo que pode ficar?”

“Bem, por enquanto, sim. Preciso comprar as passagens.”

“Rana, vou vender meu carro se tiver que fazer. Mas pagarei as passagens. O

dinheiro não vai me impedir de vê-la novamente. Tem certeza de que só pode ficar

uma semana? Vai passar tão rápido e sinto que preciso de mais tempo com você.”

“Não sei quanto tempo meu chefe vai me dar.”

Mesmo que ele pareça desapontado, respira fundo e diz: “Eu entendo.”
Quando voltamos para casa de Landon, vou ao seu quarto para ter alguma

privacidade. Ligo para meu chefe pedindo desculpas pela maneira como saí e digo

que estou lidando com uma emergência familiar. Ele concorda em me dar uma

semana de folga sem remuneração.

Explicar minha ausência nesta semana para Lilith será mais difícil.

Disco seu número e esperou enquanto sua mãe a chama.

“Rana? Por que está ligando? Você nunca me liga. Está na cadeia?”

Isso me faz rir.

"Não. Está tudo bem, mas quero que saiba que não vou te ver amanhã.”

"Ótimo. Estou trabalhando num texto sobre você e só escrevi sobre como nunca

cancela comigo.”

Merda. Isso realmente é uma merda.

“Sinto muito, Lilith.”

"Tanto faz. Está bem. De qualquer forma, por que não pode vir?”

“Você não vai acreditar.”

"O que?"

“Estou na Califórnia. Vim visitar Landon.”

"Está falando sério?"

"Sim."

"Você vai casar?"


“Não.” Rio.

“Se for casar, estou bem sendo a menina das flores.”

"OK. Isso é uma garantia enorme.”

“Estou falando sério, Rana.”

Rio. “Não precisa se preocupar com isso, mas tudo bem.”

“Viu alguma estrela de cinema? Vai aparecer na TV?”

“Não e não ... Eu certamente espero que não.”

"Quando vai voltar?"

"Em uma semana. Prometo vê-la assim que eu chegar em casa.”

“Ele é tão bonito quanto pensava?”

"Muito."

“Não vai ser triste deixá-lo?”

Fechando os olhos, digo: “Muito.”

"Você é estúpida?"

“Por que pergunta isso?”

“Só queria ver se responderia com 'muito' novamente. Você já disse duas vezes

seguidas.”

“Você é inteligente.”

“Vai chorar quando tiver que deixar Landon?”


"Não tenho certeza. É possível."

“Vai me trazer alguma coisa?”

"Certo. Vou te levar um pedaço da Califórnia.”

“Nada de areia num saco Ziploc. Quero um presente real. Deve comprar antes

que você está triste demais para lembrar.”

“Ok, vou encontrar algo legal. Eu prometo."

Depois que desligo, a última chamada que faço é para meu pai. Aparentemente,

ele se assustou quando chegou ao meu apartamento no café da manhã e não me

encontrou lá. Ele me disse que começou a rezar a Santo Antônio, padroeiro das

coisas perdidas, para que eu pudesse estar segura.

Quando expliquei onde estava, ele se ofereceu para me enviar o dinheiro que

disse precisar para comprar a passagem de volta, mesmo sabendo que Landon

insistirá em pagar.

Landon se levanta do sofá quando saio depois de fazer as chamadas em seu

quarto. “Todo mundo coberto?”

"Sim. Todo mundo que importa agora sabe que não desapareci.”

“E Lenny, portanto, não é o principal suspeito,” ele brinca.

"Isto é uma grande verdade."

“Seu pai está bem você estar aqui comigo?”

“Sim, na verdade, ele realmente está.” Sorrio. “Ele meio que morre de vontade

que eu volte a namorar.”


Ele ri, mas então sua expressão fica séria. “Vai me dizer por que não namora?”

Certa de como responder, digo: “Já lhe disse que quando era adolescente,

cometi o erro de me associar com os caras errados. E agora, como adulta, pareço

atrair homens que querem apenas uma coisa. Apenas decidi que estarei melhor

sozinha. Toda vez que penso nisso, apenas fico assustada. Então, eu não namoro.”

Landon, aparentemente, pode ver através de mim.

Ele passa a mão pelo meu cabelo e coloca uma mecha atrás da orelha. “Há algo

que não está me dizendo.”

Fico em silêncio.

“Será que alguém te machucou?” Minha falta de resposta o faz tirar sua própria

conclusão quando fala, “Está tudo bem. Não espero que me diga tudo durante a

noite. Mas quero saber.”

Fecho os olhos quando ele segura meu rosto. Quando os abro, fito a mesa e

pergunto: “Já me disse tudo o que há para saber de você?”

“Não, eu não fiz,” ele responde sem hesitação. “E não vou levar as coisas para o

próximo nível com você até ter feito. É por isso que tenho dormido no sofá. Mas

acho que esta semana deve ser para nos acostumarmos um ao outro e como somos

agora ao invés de fazer falsos julgamentos com base no passado.” Ele desliza a mão

pelo meu braço. “Estou falando sério sobre não querer transar. O que falou? Que

tal viver no presente por pelo menos alguns dias ... devagar ... apenas aproveitar a

vida ... e nos conhecermos como pessoa e amigos. Combinado?"

“Amigos ...” Sorrio.


“Sim ... amigos.” Ele estende a mão. "Combinado?"

Aceito-a. "Combinado."

Ele mantém a mão firmemente ao redor da minha enquanto nos olhamos.

Nenhum de nós quer ser o primeiro a soltar, e, de repente, do nada, ele me puxa. A

próxima seus lábios nos meus. O movimento é tão repentino e inesperado que

quase grito.

Ele geme quando empurra lentamente em minha boca.

“Foda-se,” diz ele sobre meus lábios.

A sensação de seu piercing é o suficiente para me fazer perder qualquer

inibição. Ele tem gosto de açúcar, cigarros e tudo que mais quero na vida é

continuar fazendo isso. Não percebi exatamente quão faminta estou e o quanto

preciso desse contato. Mas ir de zero a Landon é como não comer durante anos

apenas para ser tentada com o mais decadente de alimentos.

Corro os dedos nos curtos fios de seu cabelo, puxando-o mais e mais para

minha boca. Seu beijo fica mais forte e caio no sofá. Seu corpo forte agora está em

cima de mim. Em vez de sentir medo, anseio sua força.

Suspiros desesperados escapam de sua boca. Os sentimentos se formando

dentro de mim enquanto nos beijamos são diferentes de tudo que já senti. O último

homem a estar em cima de mim era basicamente um adolescente. Este é um

homem musculoso cujos sons famintos, embora mais profunda no tom, são

correspondentes ao meu. Assusta-me quão disposta estou em dar tudo o que ele

quer.
Beijamo-nos pelo que parecem vários minutos, embora realmente não tenho um

conceito de tempo. Sinto que posso beijá-lo para sempre. Afogada num abismo de

desejo, não tenho certeza se poderia parar mesmo que o edifício estivesse em

chamas.

O problema com algo tão bom é que ele nunca será suficiente, especialmente

para alguém como eu, que esteve tanto tempo sem sequer tocar um membro do

sexo oposto.

Preciso sentir seu corpo. Quando tento deslizar as mãos sob a camiseta, ele a

segura e imediatamente prende meus pulsos antes de se afastar.

Sua cabeça está contra o encosto do sofá enquanto ele arfa, parecendo ter

corrido quilômetros.

Fico mortificada. “Eu ... Eu sinto muito.”

Ele coloca a mão na minha perna. “Não, não, não ... não tem nada que se

desculpar. Não se atreva a pedir desculpas.”

O rosto de Landon está vermelho. Ele parece tão necessitado quando me sinto.

Sua ereção está visível através do jeans. Ele está claramente excitado então por que

parou?

Não tendo certeza se realmente quero saber a resposta, pergunto, “Por que se

afastou?”

“Acredite em mim, quero suas mãos em mim. Só recuei porque tenho medo de

perder o controle. Não vou ficar satisfeito até estar dentro de você, Rana e não

quero que faça qualquer coisa que depois se arrependa. Isso foi muito bom e estava

a segundos de dizer 'foda-se,' ir muito rápido e complicar as coisas.”


“Foi bom. Estamos apenas nos beijando.”

“Isso não é apenas beijando. Nunca será só beijando com você. Sempre."

“Não, acho que não.”

“Você estava começando a me despir. Eu tive que parar.”

Sentindo-se um pouco estúpida, admito: “Eu queria sentir sua pele.”

“Se não teve contato com ninguém como disse, então você está frágil. Não

posso me ir tão rápido quanto meu corpo gostará, tanto quanto quero. Isso será um

erro."

Por mais que meu corpo resista ao pensamento, sei que ele está certo.

“Bem, obrigada por cuidar de mim quando não sou capaz de fazê-lo.”

Apoiando a cabeça no ombro dele, olho para cima enquanto ele me encara.

Ele geme, “Porra ... vejo ... você simplesmente me olhando e preciso te beijar de

novo.”

Suspiro. "Então beije…"

Ele cede, dando um beijo firme em meus lábios. “Sem toque,” ele diz em minha

boca. “Só beijos. OK?"

Sorrindo contra seus lábios, digo: “Isso vai ser difícil.”

“Difícil para caralho.”


Capítulo doze

PRIVATE DANCE

Sair com os amigos de Landon foi um grande negócio. Não tive muito tempo

com ele e quero experimentar como sua vida é aqui na Califórnia. Ele tenta me

assegurar que não temos que sair, mas o convenço porque estou muito curiosa.

Quando chegamos a um bar chamado Sunset reconheço Ace imediatamente. Ele

está sentado ao lado de um homem e uma mulher, que estão perto o suficiente para

eu assumir que são um casal.

A decoração é muito legal com várias lanternas iluminando a noite. Um bar que

parece brilhar com luz roxa fica no meio. Estamos cercados por pessoas

anormalmente belas; o que definitivamente não é algo que estou acostumada. Na

maioria das vezes, sou o centro das atenções numa sala lotada. Aqui, apenas me

misturo.

Landon coloca a mão na parte inferior das minhas costas enquanto me

apresenta a seus amigos que estão sentados nos bancos almofadados.

“Rana, você conhece Ace. E este são Dave e sua namorada, Mia.”

Dave, um cara alto e loiro se levanta e aperta minha mão. "Prazer em conhecê-

la."

Mia faz o mesmo. “Ei, Rana.” Ela é bonita, exótica e talvez meia asiática. Ela dá

um sorriso natural.
Ace bebe sua cerveja, derramando um pouco sobre a barba e deixou escapar um

leve arroto. “Rana é dançarina do ventre.”

Os olhos de Mia se arregalam. “Isso é tão legal, muito mais divertido do que ser

terapeuta ocupacional como eu. Gostaria de poder dançar para viver.”

Landon aperta minha cintura quando fala: “Não é fácil fazê-lo dia após dia, as

pessoas tateando você e essa merda. Rana me contou um monte de histórias.”

Sorrio para ele. “Pode ser divertido às vezes, dependendo da noite.”

“Diga sobre a cobra,” Landon diz.

“Oh.” Rio. “Sim, meu chefe, por vezes, me faz dançar carregando uma cobra ao

redor dos ombros.”

Mia engasga. "Está brincando? Isso totalmente me assusta!”

Balançando a cabeça, digo: “Foi estranho no começo, mas me acostumei. É

incrível eu ganhar mais gorjetas, então aprendi a viver com isso.”

Landon e eu sentamos em frente a eles. Ele bate no meu joelho, brincando.

“Rana é um soldado. Sempre pronta para qualquer coisa. Desde que éramos

jovens.”

Dave parece surpreso por Landon e eu termos uma história. “Vocês se

conhecem há algum tempo, então?”

Olho para Landon antes de responder sobre nossa história. “Fomos amigos na

escola por quase um ano antes de eu me mudar. Não vi Landon desde que tinha

treze anos até que recentemente entrei em contato.”

“Isso é tão doce,” Mia diz. “Como isso aconteceu?”


Landon aparentemente decidi amenizar a verdade. “Rana pensou em mim

numa noite e decidiu tentar me procurar.”

Mia olha para Dave. "Tão romântico."

Não.

“Teria sido romântico se eu não estivesse bêbada como um gambá quando

liguei.”

Ace cospe um pouco de sua bebida. “Agora isso ... é foda.”

“Landon aqui está tentando fazer soar mais doce do que sou.”

“Sim, ela estava bêbada e ligou.” Ele ri e parece realmente aliviado que estou

confortável com seus amigos.

Durante a hora seguinte, contamos histórias sobre nossa infância e reencontro.

Com cada gole da bebida, a noite parece mais e mais fria.

Num ponto, Ace se vira para mim. “Hey, mostre-nos alguns dos seus

movimentos de dança.”

Landon repreendeu-o, “Ace ...”

"Não, está bem. Danço para estranhos o tempo todo. Estou feliz em dançar para

seus amigos.” Levanto e encaro-os. “Ok, então um dos movimentos é chamado de

oito. Este é um movimento normal, em que um quadril se move para frente do

outro num plano vertical. Um quadril se move para baixo, para cima e, em seguida,

volta para o centro. O outro lado sobe, vai para o centro, para baixo e depois para

longe do corpo.”

Demostro repetidamente com seus olhos colados aos meus quadris.


“Basicamente, como o desenho do número oito com sua bunda,” diz Ace.

“Mais ou menos, sim. E depois, claro, minhas mãos podem estar fazendo uma

série de coisas: clicando nos pratos de dedo, acenando ritmicamente, ou às vezes

carregando um réptil gigante.”

Minha pele se move quando começo a mexer os quadris numa velocidade mais

elevada, demostrando um dos mais rápidos movimentos.

Um cara passando para me ver dançar. Ele coloca brevemente sua mão na

minha cintura e diz: “Continue mexendo, linda.”

O rosto de Landon fica vermelho e seus olhos são penetrantes. Parecia que ele

quer matar alguém. Felizmente, o cara não fica e vai embora antes de um desastre

ocorrer. Os olhos de Landon seguem o cara por um tempo, no entanto.

Sacudindo-o até que finalmente para, eu digo: “De qualquer forma, isso é uma

pequena amostra para você.”

Os quatro deles olha quando me sento.

O momento de ciúme de Landon passa quando ele me olha com orgulho, mais

uma vez parecendo realmente aliviado que estou tão à vontade com seus amigos.

Ele se inclina no meu ouvido. “Você foi incrível, sabe disso?”

“Seus olhares foram enormes.”

“Estava preocupado que não estivesse confortável.”

“Não tem que ser tão protetor comigo. Estou bem."

“Enquanto estiver perto de você, serei protetor, Rana. Não sei como não ser.”
Antes de sairmos para a noite, Landon me deixou sozinha enquanto foi ao

banheiro.

Ace, que definitivamente bebeu um pouco demais sentou no lugar vazio ao

meu lado. Seus olhos estão vidrados quando me encara.

Posso sentir o cheiro da cerveja em seu hálito quando ele diz, “Estou tão feliz

que se reencontraram. Eu amo esse cara. Até a morte. Ele merece ser feliz com

alguém que não está fodendo com ele.”

A última parte do seu comentário me para. Não quero pensar nas ex de Landon,

apesar da curiosidade e vontade de pedir a Ace para explicar exatamente o que

aconteceu no passado de Landon. Qualquer informação sobre o passado deve vir

do próprio, não de seu amigo embriagado.

Simplesmente digo: “Não posso concordar mais.”

Landon parece preocupado quando volta e me vê conversando com um Ace

bêbado. "Tudo bem?"

Tentando parecer afetada, sorrio. "Ótimo."

Ele olha para trás e para frente entre Ace e eu. “Quer ir embora, Rana?”

"Ok."

Estou realmente cansada e não posso esperar para voltar a casa de Landon.

Toda noite enquanto o olhei em sua sexy camiseta quis apenas me enrolar em seu

peito como um gatinho. Mais do que pronta para estar sozinha com ele novamente,

espero que ele não queria transar esta noite, mas pelo menos me abrace.
Landon abraça Ace. “Estamos saindo. Boa noite, homem. Fique bem. Vai deixar

Dave dirigir?”

“Sim.” Ace então me beija na bochecha. “Boa noite, Rana.”

“Boa noite, Ace.”

Depois de nos despedirmos de Dave e Mia, Landon envolve o braço em mim

enquanto saímos do bar.

“Ace se comportou enquanto estive no banheiro?”

"Sim. Ele apenas balbuciou um pouco e disse como estava feliz que você e eu

nos reencontramos.”

“Ele fica sentimental quando bêbado. Só queria ter certeza que ele não disse

nada para incomodá-la.”

“Não, absolutamente.”

“Quer ir a outro lugar ou para casa?”

Casa.

“Quis dizer, voltar para sua casa?”

“Certamente não quis dizer no Michigan.” Ele aperta meu braço. “Sim, minha

casa ... que é sua casa aqui.”

"Isso soa bem. Foi um longo dia."

***

Depois de voltar ao apartamento de Landon, ficamos de frente um para o outro

no meio da sala de estar.


Tonta e com tesão, meus mamilos endurecem meramente pela maneira lasciva

que ele me olha. Estamos definitivamente afetados pelo álcool e pode sentir o

desejo no ar.

Landon se aproxima. Sentir sua respiração próxima me deixa ainda mais fraca.

“Quando dançou está noite, posso ter enlouquecido um pouco mais com cada

movimento de seus quadris. Como você, também tenho um lado ciumento.

Quando o cara te tocou, momentaneamente perdi minha mente, o que é meio

louco, porque esse tipo de coisa deve acontecer com você o tempo todo. Apenas

não estava pronto para ver.”

É bom ver que ele sente ciúmes. Normalmente, é o contrário.

“Sim, isso acontece um pouco.” Qualquer outra resposta seria mentira. Os

homens sempre dão em cima de mim no trabalho.

“Invejo todas as pessoas que conseguem te ver dançar todas as noites.”

Isso me dá uma ideia. "Já volto."

"Onde vai?"

Não respondo, simplesmente vou para seu quarto. Sei que ele tem a roupa de

dança do ventre verde esmeralda, a vi pendurada em seu armário. Tiro-a do cabide

e coloco.

Ele ainda está de pé no mesmo lugar esperando quando volto.

“O que está acontecendo?” Ele sorri.

“O que está acontecendo é ... Estou te dando uma dança privada ... se quiser

uma.”
“Foda-se, sim, eu quero.”

Há uma certa música lenta e sensual que estou praticando no meu celular.

Encontro-a e aumento o volume.

Girando os quadris delicadamente na batida da canção, mantenho o olhar no

dele. O desejo em seus olhos aumenta a cada segundo. Danço lentamente em torno

dele, seu corpo continua parado enquanto a cabeça vira para seguir meus

movimentos. Provoco-o com o véu de seda, sedutoramente roçando o material ao

longo de seu corpo.

Num ponto, ele pega o véu e de alguma forma consegue envolvê-lo em torno de

minha cintura antes de me puxar e unir ao seu corpo. Neste momento, ele me beija

como nunca antes. Sinto sua ereção. É sólida contra meu estômago nu através do

material de suas calças. Nossas línguas colidem numa corrida para provar uma a

outra. A restrição é simplesmente uma guerra que não seremos capazes de ganhar

por muito tempo.

O calor de seu corpo pressionado no meu, me deixa incrivelmente molhada.

“Você é a mulher mais linda do mundo,” ele sussurra asperamente em minha

boca, as mãos enterradas no meu cabelo. “Obrigado pela dança privada.”

“Sabe, desde que te mandei a primeira foto, não fui capaz de dançar no trabalho

sem te ver em minha mente. Mesmo que seja a primeira vez que faço isso, dancei

para você e faz um longo tempo agora .”

“Bem, não sei o que fiz para merecer isso, mas aceitarei a qualquer dia.”

Seus olhos param em meus seios.


Franzindo a testa, pergunto, “Vê algo de que gosta?”

“Seus seios sempre saltam assim quando dança para as pessoas?”

“Este sutiã em particular é menor do que os outros. É realmente o mais

revelador.”

“É demais pedir-lhe para não usar mais este ... exceto comigo?”

“Muito possessivo?” Provoco.

“Você não gosta?”

“Eu gosto, na verdade.”

"Bom. Porque sou um filho da puta possessivo quando se trata de você.”

“Tecnicamente, a roupa foi um presente de qualquer maneira. Ela não verá mais

a luz do dia.”

“É minha, né?” Ele diz de uma forma que me fez pensar se está falando sobre a

roupa ou sobre mim. Independentemente de qual a pergunta, a resposta é a

mesma.

“Sim, é sua.”

“Bom, porque não quero compartilhar com ninguém.” Ele olha meu decote.

“Eles são lindos, Rana. Talvez não te admire ouvir isto, mas santo inferno... seu

corpo é perfeito.”

Landon tem um jeito de me fazer querer saber tudo sobre ele. É por isso que sei

que mesmo que ele esteja me adorando com os olhos agora, realmente quer tudo de

mim. Ele vê mais do que apenas o físico e por causa disso, pela primeira vez na
vida, me sinto segura e confortável o suficiente na própria pele para me afirmar de

uma forma sexual. Porque sei que ele não quer me machucar.

Como continua maravilhado com meus seios, pergunto, “Quer vê-los?” Minha

própria audácia me surpreende.

Ele levanta a cabeça para encontrar meus olhos. “Vai mostrá-los para mim?”

“Se quiser ver.”

Ele brinca checando seu pulso. “Última verificação, ainda estou vivo. Então,

foda-se, sim, eu quero.”

Meu batimento cardíaco acelera quando empurro lentamente o sutiã, expondo

meus seios. Excitação deixa meus mamilos duros como aço.

O olhar de Landon foca neles até que diz: “Eles são perfeitos.”

Sentindo-me um pouco vulnerável com os seios de fora, tento amenizar a

situação. “Sim, bem, eles custaram o suficiente.”

“Teria amado antes, também.”

“Nem sei por que fiz isso. Eles não eram pequenos.”

Ele finalmente me olha nos olhos. "Eu lembro. Você tinha-os quando te conheci.

Era a única coisa feminina em Rana Banana.”

“Costumava olhar meus peitos naquela época?”

“Eu tinha treze anos. E você estava começando a se desenvolver e era

praticamente a única garota que eu via no momento. Então, sim, eu fiz.”

Isso me faz sorrir. “Nunca soube que reparou em mim dessa forma.”
“Bem, não é a mesma de agora, mas eu notei.”

Quando seu olhar volta para meus seios, digo o que estou pensando. “Quer

tocá-los?”

Landon morde o lábio inferior com frustração. “Disse que não te tocaria.”

Sinto-me estúpida por ser a agressora. “Ok,” digo, colocando o sutiã de volta no

lugar.

Ele me para, cerrando os dentes, em seguida, ri um pouco. "Espera. Eu preciso

tocá-los.”

“Ok.” Deixo-os expostos novamente.

Landon coloca suas grandes mãos em meus seios e começa a massageá-los com

cuidado. Fico mais molhada e fecho os olhos, deixando-me apreciar a incrível

sensação de suas mãos em minha pele. Um suspiro de desespero escapa.

Abro os olhos abruptamente quando sinto sua boca quente substituir a mão no

meu seio esquerdo. Ele está perdendo o controle quando começa a devorar meus

mamilos, cedendo a sua necessidade. Ele alterna entre mordidas suaves e fortes. A

sensação da bola de metal em sua língua contra minha pele é quase demais para

suportar. Olhando para baixo, vejo sua ereção marcando a calça jeans e tenho que

impedir-me de tocá-lo.

A sucção aumenta. Se fosse possível fazer amor apenas com a boca, seria esta

sensação. Completamente molhada entre as pernas, estou desesperada para sentir

sua boca em outras partes, a sensação do piercing deslizando sobre cada centímetro

do meu corpo. E por mais que isso me aterrorize, estou desesperada para senti-lo

dentro de mim.
Como posso dizer a ele que quero mais sem soar como uma prostituta? Faz

tantos anos que não consigo sequer lembrar o que era. Estou pronta já que ele foi o

único a me fazer desejar novamente.

Mas ele mencionou que precisamos esperar e sei que é realmente o melhor.

Landon começa a diminuir o ritmo da língua circulando meu mamilo. Seus

olhos estão fechados enquanto ele continua a me devorar.

“Você tem um gosto bom pra caralho.” Ele murmura contra minha pele,

“Nunca fiquei excitado assim ... perdendo minha força de vontade tão rápido.”

Sua necessidade de se segurar me faz realmente ponderar se há também uma

razão pessoal o fazendo levar as coisas tão devagar comigo.

Quando ele finalmente para, a perda de contato é quase dolorosa. Meus

mamilos estão molhados e formigando. Seus belos lábios vermelhos estão inchados

de chupar meus seios por tanto tempo.

Eu me cubro. Ele fecha os olhos, parecendo frustrado.

É interessante que Landon tenha sido tão sincero sobre querer transar comigo

quando estávamos separados pela distância. Lembro de que uma vez no telefone

quando quase gozei ao ouvi-lo falar sobre como queria me chupar.

O que aconteceu com essa vontade?

Agora que ele me tem próxima, algo o está impedindo. Ele era sexualmente

ativo antes de voltarmos a conversar; sei disso pela primeira ligação bêbada

quando ele estava com Valerie. E ontem à noite, olhei em sua mesa de cabeceira

para encontrar uma caixa meio usada de preservativos. Não é como se ele não
transou antes de mim. Então, por que não comigo? É quase como se agora que

pode realmente ter, ele tem que pensar duas vezes.

O comentário de Ace de mais cedo volta. Ele dá a entender que Landon pode

ter tido o coração partido por alguém. Talvez Landon me veja como alguém que

pode machucá-lo. Talvez seja por isso que ele é tão cuidadoso.

“Será que alguém te machucou ... uma mulher?”

Ele parece surpreso com a pergunta. "Porque pergunta isso?"

“Ace mencionou algo para mim no bar ... foi vago... mas ele disse que merece

ser feliz com alguém que não esteja te usando. Alguém partiu seu coração ou estou

lendo errado?”

Landon parece realmente surpreso. “Eu te disse, ele é emotivo quando está

bêbado, nem sempre sabe o que fala.”

Balanço a cabeça, embora ele não tenha exatamente respondido minha

pergunta. "OK."

Não quero forçar o problema porque realmente se abrir ao outro é uma via de

mão dupla que não estou pronta para percorrer.

Landon não vai mais longe na minha inquisição.

“Quando lhes disse que vai voltar?,” Pergunta.

“Deixei vago, mas meu patrão só concordou com uma semana de folga sem

remuneração. Presumo que terá que encontrar uma substituta para qualquer coisa

além disso.”

“Precisamos de mais tempo. Não sei como te deixar ir.”


“Eu não quero ir. Mas estou muito presa no Michigan agora. E está na

Califórnia para ficar, certo? Quero dizer, por que iria querer deixar este lugar?”

Ele me dá um olhar como se resposta fosse óbvia. “Consigo pensar num grande

motivo.”

Meu coração se enche com uma mistura de esperança e medo. “Mudaria para o

Michigan?”

“Não gostaria de voltar para lá. Mas não sei se posso ficar longe, se isso ... se as

coisas funcionarem entre nós. Você disse que não vai deixar seu pai, então ...” Ele

deve ter notado o olhar um pouco assustado no meu rosto porquê de repente muda

de tom. “Ok, o suficiente sobre coisas sérias. Eu me excedi. Não deveria estar

falando sobre o futuro. Não vamos nos preocupar sobre isso agora. Fizemos um

acordo apenas para nos divertir e conhecer enquanto estiver aqui. Acho que

precisamos manter assim.”

Aliviada, suspiro. "Você está certo.”

Nesta noite, durmo sozinha na cama de Landon novamente, desejando que ele

estivesse ao meu lado. Apesar de quão perto estamos, parece que ele tomou uma

decisão consciente de não fazer sexo comigo durante esta viagem. Por mais que

não compreenda a razão, preciso respeitar sua decisão e confiar que é o melhor.

Meus seios ainda formigam de excitação, desejando muito sua boca novamente.

Praticamente ainda posso sentir a umidade de sua boca neles. A necessidade física

misturada com minha apreensão de deixar a Califórnia vai lentamente me

matando.
Precisando gozar, coloco a mão entre minhas pernas e começo a massagear meu

clitóris com o dedo indicador e médio. Segurando o lençol de Landon com a mão

oposta, empurro meus quadris para acompanhar o movimento dos dedos.

Um orgasmo intenso me toma por alguns minutos.

No final do corredor, posso ouvir o chuveiro ligar e sorrio, perguntando-me se

ele está prestes a fazer a mesma coisa que eu fiz.


Capítulo treze

DETOUR

A intensidade da noite anterior é substituída pela luz do sol de um novo dia no

sul da Califórnia.

Landon achou que seria legal se trabalhássemos no food truck de tarde. Ele sabe

o quanto quero vê-lo em ação e mesmo que não deva estar tecnicamente

trabalhando, ele está ansioso para me mostrar seu dia de trabalho normal.

Venece é realmente interessante. Misturado a bela praia estão pessoas

vendendo seus CDs e alguns centros médicos com prescrição de maconha. É o

lugar perfeito para observar pessoas.

Paramos no parque de skate a caminho do food truck para que Landon possa

me mostrar onde passa boa parte de seu tempo.

Finalmente chegamos ao Landon Lunch Box, que está estacionado na praia.

Melanie está saindo quando chegamos. Ela é uma morena bonita e baixa, com

cabelo curto e corpo atlético. Ciúme imediatamente começa a me atingir. Sempre

me perguntei como ela é e secretamente esperei que fosse pouco atraente,

considerando que passa todo dia com ele.

Landon nos apresenta. “Mel, esta é Rana.”

“Não acredito!” Seus olhos se iluminam. "É você. Sanduiche Feta de Rana!”

É estranho ser mencionada como um alimento. “Oi.” Sorrio.


“Sabe ... as pessoas adoram este. Sempre vendemos muito.”

“O que exatamente tem nele?” pergunto.

“Feta, alface picada, azeitonas calamata, cebolas vermelhas e molho grego.”

“Tomates,” Landon acrescenta, rapidamente.

“Ah!” Ela estala os dedos. "Tomates!"

“Mel, por que não tira a tarde de folga. Vou trabalhar o resto do dia e fechar.

Rana será minha ajudante.”

"Tem certeza?"

"Sim."

"Excelente. Não vai me ouvir reclamar disso.”

Melanie tira o avental e rapidamente lava as mãos.

“Rana, foi realmente ótimo conhecê-la,” diz ela antes de sair do Trailer.

Depois de vê-la desaparecer em direção à água, viro para Landon. “Ela parece

muito legal. Como a conheceu?"

“Na pista de skate, na verdade. Ela é uma incrível skatista, ao contrário de mim,

aparentemente, que quase rachei a cabeça.”

Não posso me impedir. “Ela é bonita, também.”

Landon parece saber onde minha mente vai. Ele apenas sorri um pouco antes

de dizer, “Ela é gay.”

"Mesmo?"
"Sim."

Graças a Deus.

Uma coisa a menos para me preocupar.

“Nunca disse isso em todas as vezes que a mencionou.”

“Bem, seu ciúme é meio bonitinho, então esqueci de mencionar. Poderia vir a

Califórnia mais rápido se se sentir ameaçada.” Ele pisca. “Mas, aparentemente,

tudo o que tive que fazer foi quase morrer.”

"Idiota."

“Deixe-me contar um segredo, no entanto.”

"Sim?"

Ele se inclina e diz no meu ouvido, “Não precisa se preocupar com ninguém.

Não fui capaz de pensar em ninguém além de você em meses, e quando sair, só

ficará dez vezes pior.”

A ideia de deixá-lo está me deixando doente. “Não vamos pensar nisso,” digo

quando ele beija meu pescoço.

Meus olhos vão para o balcão na janela. A fila está começando a se formar,

sinalizando o início da hora de almoço. Ele tem que começar a trabalhar.

Esfregando o polegar por seu lábio, digo: “É melhor você ir. Tem uma fila.”

Nesta tarde, vi como Landon faz sanduíche após sanduíche. Ele me surpreende

ao conhecer todos os ingredientes em cima da sua cabeça sem ter que checar. Tem

que ter sido pelo menos cinquenta ingredientes diferentes para os cinco sanduíches
destaque do dia. Landon me disse que usa principalmente produtos locais frescos

direto dos agricultores sempre que pode. Ele mantém o caminhonete

impecavelmente organizado e limpo. Dizer que fiquei impressionada é um

eufemismo.

Meu trabalho é pegar o que ele precisa. Tudo está rotulado na geladeira, o que

torna super fácil. Há um freezer de sorvete, então pego os itens para qualquer um

que peça uma sobremesa.

A fila de clientes continua por pelo menos uma hora. Quando finalmente

desacelera, ele me dá um tapa de brincadeira com o pano de prato antes de puxar-

me para um beijo profundo.

Falo contra sua boca. “Posso realmente me acostumar com isso.”

“Você foi uma boa ajudante, linda. É tudo o que esperava que fosse ... o Lunch

Box?”

“Amei seu food truck. Amei a ideia antes mesmo de saber quão impressionante

realmente é. Mas Deus, é muito mais trabalhosos do que pensei.”

“É, mas o tempo passa definitivamente mais rápido quando está ocupado.”

“Você é incrível, Landon. Construiu este negócio sozinho do zero. O sucesso é

todo seu. As pessoas vêm aqui, não só por causa da criatividade que coloca em sua

comida, mas tudo o que serve é super fresco. Você é rápido, eficiente e seriamente

encantador. Se já não tivesse uma paixão enorme por você, certamente teria agora.

Quer dizer, seria totalmente sua melhor cliente. Acho que engordaria porque faria

uma excessiva ingestão de seus sanduíches todos os dias.”


Ao ouvir minhas palavras um olhar apaixonado enche seus olhos. “Vem cá.”

Ele me puxa e apenas segura quando a brisa do mar nos atinge.

Este é o paraíso na Terra.

Estou tão abalado com a felicidade. É muito fácil imaginar uma vida aqui com

ele. Quero ser seu ajudante permanente, sua companheira de vida. Mas sei que não

é tão simples. Esta viagem não é o início de uma mudança para a Califórnia; é um

período de férias. E sequer atravessamos a superfície em começar a realmente nos

conhecer.

Landon me solta de repente. "Quase esqueci. Pedi para Mel pegar algumas

coisas no caminho em que pudesse te fazer algo especial.”

"O que?"

Ele caminha até a traseira do Trailer. "Fique onde está. É surpresa. Nada de

espiar.”

Vejo-o pegar uma banana antes de abrir o freezer e retirar algo. Tenho certeza

que está pegando sorvete, em seguida, jogando algo nele. Em seguida, ouço o som

do esguichar do chantilly.

Landon vira carregando um sundae enorme. “Em honra da sua pequena falha

no guarda-roupas no outro dia, apresento... Rana Banana Split.”

Rindo, eu aceito. “Muito inteligente.” Afundo a colher e gemo ao provar.

“Mmm.”

Ele morde o lábio. “Não faça esse som novamente, Saloomi. Você está me

matando."
Landon continua a me observar atentamente enquanto devoro o sorvete. Lambo

a colher devagar só para mexer com ele e ver meu reflexo em seus olhos famintos e

brilhantes.

Começo a alimentá-lo com sua deliciosa criação. Alternamos colheradas até

tudo acabar. E então ele beija os restos de meus lábios.

Silenciosamente compartilhar o banana split realmente representa o tipo de

alegria simples que falta na minha vida no Michigan.

***

Ao longo dos próximos dias, Landon me leva por toda parte. Dirigimos através

de Death Valley, subimos Runyon Canyon, visitamos o teatro chinês de Mann e o

Hall da fama em Hollywood. Ele me levou a Disneylândia e insistiu que provasse o

In-N-Out Burger, já que é um clássico da Califórnia. Provavelmente ganhei pelo

menos três quilos desde que chegou aqui entre sua cozinha e o food truck.

Voltamos tarde e ele me beija á noite, em seguida, assume sua posição no sofá

da sala enquanto ocupo sua cama. Ele ainda está fazendo um trabalho incrível em

evitar qualquer chance do sexo acontecer.

Meu vôo está reservado para domingo, em dois dias. Então, estamos realmente

com pouco tempo.

Na sexta-feira à tarde após um dia atribulado, dirigimos de volta para sua casa

quando ele vira para mim.

“Importa se tomarmos um pequeno desvio?”

"De modo nenhum."


Depois de um passeio de vinte minutos descendo pela interestadual, paramos

na entrada de um cemitério. De repente, torna-se extremamente claro porque

Landon me trouxe aqui.

“Quero que conheça minha mãe.”

Tomando sua mão, sorrio com simpatia. "OK."

Estacionamos e percorremos as filas de várias lápides, muitas dos quais estão

cercadas de flores mortas. Conforme fazemos o caminho para sua mãe, noto um

carro funerário preto parando seguido por uma linha de carros.

Finalmente, Landon para na frente de uma lápide de mármore que tem o nome

Beverly Ann Downing entalhado.

“Nunca tive alguém antes. Você é a primeira garota que trago a casa de Mama.”

“Realmente nunca estive num cemitério.”

“Você tem sorte, então.”

“Quantas vezes disse que veio aqui?”

“Costumava visitar mais. No ano passado, a vida ficou mais movimentada.

Venho a cada dois meses, em média.”

“Tenho certeza de que onde quer que esteja, Beverly entende que está ocupado.

Ela está sempre com você de qualquer maneira.”

“Acredita que ela pode ver tudo o que está fazendo?” ele pergunta.

Tenho que realmente pensar sobre isso. "Eu acredito."

“Não sei como me sinto sobre isso.”


“Eu só sei que ela ficaria orgulhoso de você.”

Landon parece estremecer. “Talvez agora.” Ele faz uma pausa. “Vai soar

estranho, mas oscilo entre querer sua aprovação e sentir pura raiva que ela não

merece a importância que dou.”

“Ainda está zangado com ela por te dar?”

“Há momentos em que fico. Mas tomei más decisões na vida também. Todos

tomamos. E num ponto entendo por que ela fez a escolha que fez. Pessoalmente,

não posso imaginar desistir do meu filho. É realmente difícil aceitar como alguém

pode entregar sua própria carne e sangue a estranhos. Quer dizer, sei que ela

estava confusa. Mas só desejo que ela tivesse tentado mais ficar limpa ou encontrar

outra maneira. É estranho ... Sempre senti uma desconexão com meus pais no

Michigan. Sei que me amam, mas muitas vezes me pergunto se teria um vínculo

com Beverly se tivesse chegado a conhecê-la e se ela não fosse viciada. Obviamente,

nunca vou saber.”

Está me matando ver que ele ainda está tão magoado com a mãe. Para mim, é

evidente por que ela sentiu que tinha que desistir para que ele pudesse ter uma

vida melhor. Mas, claramente, ele ainda está ferido e isso me entristece.

“Você conhece quaisquer outros membros de sua família aqui?,” Pergunto.

“Eu conheci sua irmã, minha tia, Miranda. Aparentemente, ela e minha avó, que

já morreu, tentaram convencer Beverly a não desistir de mim. Mas minha mãe

sentiu que era o melhor para mim.” Ele balança a cabeça, perdido em pensamentos,

enquanto olha a lápide. “Ela não foi sempre uma viciada. Minha mãe cresceu em

Lancaster, que é a aproximadamente 113 quilômetros ao norte. Ela veio para


Hollywood seguir seu sonho de ser modelo e atriz.” Ele me olha e sorri. “Ela era

muito bonita. Vou te mostrar uma foto em algum momento. De qualquer forma, ela

andou com as pessoas erradas, pessoas que a apresentaram as drogas. Muitas

dessas pessoas estão limpas agora, vivendo grandes vidas, enquanto minha mãe

morreu.”

Hesito em perguntar: “E seu pai biológico?”

“Ninguém sabe quem é. Pode ser qualquer um se ela ficou tão mal quanto

imagino.” Ele chuta um pouco da sujeira. “De qualquer forma, só queria mostrar

seu lugar de descanso final.”

Precisando abraçá-lo, passo os braços por seu pescoço e encosto a bochecha

contra seu peito. "Obrigada por compartilhar isso comigo."

Ele gentilmente acaricia minhas costas. “Sinto muito por ter incomodado com

minha história triste quando Deus sabe que sua mãe não foi muito melhor do que a

minha totalmente inexistente. Você acabou sendo incrível considerando tudo isso.”

“Isto não tem nada a ver com Shayla. Nunca peça desculpas por amar a mulher

que lhe deu a vida.”

“Bem, mesmo na morte, Beverly é grande parte de quem sou e grande parte da

minha jornada aqui. Sinto que precisa saber tudo isso para me entender.”

Landon deixou muito claro que há algo importante que precisa me contar.

Nunca forcei porque não quero que a pressão de ter que me abrir em troca. Mas

não saber me incomoda. Sei que ele quer esta viagem para nos conhecermos. Então,

tenho certeza de que, além de nada de sexo, não haverá qualquer discussão

profunda no pequeno tempo que ainda tenho aqui.


Capítulo quatorze

SIX

Já que sairia no dia seguinte, Landon insistiu em me levar a um dos mais

agradáveis restaurantes em LA na noite de sábado.

Figaro está cantarolando com as pessoas, mas, honestamente, poderia ter sido

em qualquer lugar; tudo que posso focar é Landon.

Ele definitivamente esteve estranho todo o dia. Sei que ele não quer que eu vá

embora, mas está me dando a impressão de que ele sente em conflito com algo.

É uma sensação inquietante saber que o homem que estou me apaixonando não

se abre totalmente. Ao mesmo tempo, sei que ele percebe, mesmo que eu não diga

que escondo algo, também. Mas também posso entender por que ele não quer esse

assunto nesta viagem. A curiosidade está me matando, mas não o suficiente para

empurrar esta noite e, possivelmente, arruinar nossas últimas horas juntos.

Estamos cercados por vários outros casais em encontros no restaurante. Noto

algumas mulheres olhando na nossa direção e verificando Landon. Acho que é algo

que terei que me acostumar. Ele parece tão incrivelmente sexy com sua camisa pólo

preta mostrando as tatuagens nos braços. O tecido parece ter sido pintado em seu

incrível peito. É seriamente uma maravilha elas estarem babando. Sinto vontade de

atravessar a mesa e mostrar que ele é meu.

Landon tira algo de uma pequena sacola que trouxe do carro. "Tenho algo para

você.”

Meu coração acelera. “O que é?”


Ele a desliza por cima da mesa.

Abro a caixa roxa e sorrio. “Meu cubo mágico. Ainda não posso acreditar que

guardou por todos esses anos.”

“Foi uma das poucas coisas que trouxe comigo quando mudei. Acho que tive

um sexto sentido de que se tornaria importante novamente algum dia, que você

voltaria para mim para que eu pudesse pessoalmente devolvê-lo.”

“Acho que sei o que vou fazer no avião para casa.”

“É melhor não montar isso sem eu por perto.” Landon entrelaça nossos pés por

debaixo da mesa. “Ainda não posso acreditar que tem que ir amanhã. Tem certeza

que não há nada que possa fazer para convencê-la a ficar?” Ele parece seriamente

perturbado.

“Vamos nos ver outra vez. Eu prometo.”

Num último esforço, ele mais uma vez tenta me pedir para não ir. “Gostaria que

houvesse uma maneira que não tivesse que ir. Até posso contratá-la como mão

extra no food truck para que você não precise se preocupar com o trabalho.”

“Você não tem ideia do quanto gostaria...”

Minha expressão deve ter refletido o oposto das palavras.

“Mas não é uma opção ...” ele diz.

“Receio que não.”

“Bem, vou continuar sonhando com esse cenário.”


Ele puxa minhas pernas ainda mais perto. “Então, quero falar com você sobre

algo.”

“OK…”

“Sei que brincamos sobre Lenny ser um psicopata, mas estou realmente

odiando a ideia de você morar com um estranho.”

“Não tenho certeza do que fazer sobre isso. Sabe como me sinto sobre manda-lo

embora.”

“Vou expulsá-lo.”

“Meu pai diz a mesma coisa.”

“Então Eddie e eu faremos juntos. Seria uma grande satisfação. Rana, não te

quero morando com um maldito porco. Estou ainda mais protetor desde que

passamos esse tempo juntos. É dez vezes pior agora. E me faz sentir impotente

estar tão longe.”

“Vou pensar em alguma coisa, ok? Talvez começar a procurar outro lugar.

Preciso agir com cuidado.”

“Você está louca, menina.”

Segurando sua mão, pisco. “Você ama minha loucura.”

“Sim.” Ele a segura, levando a boca e beijando. “Realmente amo, Rana.”

Sua natureza protetora é uma grande mudança, entre outras coisas. É difícil

acreditar que provavelmente voltarei para Michigan sem saber o que é fazer amor

com esse homem. Aprecio quão cuidadoso ele está sendo, mas morro de vontade

de ser mais com ele. Estou com medo do que sua resposta será se eu implorar a ele
para me foder esta noite. Com muito medo da rejeição e com certeza ele será

veementemente contra dar esse passo dado minha partida amanhã, decido manter

estes sentimentos para mim mesma.

Terminamos por ter um jantar descontraído. Relembramos e também começo a

pensar sobre onde ele me levará durante a próxima viagem para o oeste. Insistindo

muito, Landon pediu a torta de pistache e chocolate para a sobremesa. A refeição

foi perfeita. Tudo foi perfeito. Isso tem que significar algo ruim vai acontecer.

Com certeza, o clima está prestes a mudar drasticamente.

Num ponto durante o jantar, fomos interrompidos quando uma mulher se

aproxima da mesa.

“Landon. Não te vejo a um longo tempo.”

Os músculos do meu corpo tencionam quando um olhar pouco característico de

medo atravessa seu rosto.

Ele parece extremamente desconfortável e simplesmente diz: “Eu sei.”

A loira é alta, cerca de um metro e setenta e cinco centímetros e parecia estar

nos trinta e tantos anos. Com maçãs do rosto altas e um rosto simétrico, ela é

atraente o suficiente para me deixar desconfortável, especialmente com o jeito que

olha para ele, como se fosse um pedaço de carne que ela quer afundar os dentes.

Sentindo seu perfume, tenho certeza que é Quelques Fleurs, da mesma marca

que minha mãe costuma roubar no shopping. Isso faz-me desprezá-la ainda mais.

Com um olhar gelado, ela me encara. “Olá, eu sou Carys.”


Seu nome soa como Paris com um C. Não respondo, porque não parece que

Landon quer que eu faça. Sinto-me como um gato pronto para atacar.

Algo está errado.

Virando para ele, ela sorri. “Tentei entrar em contato ao longo dos anos, mas

seu número está fora de serviço.”

Seu corpo tenciona. Ele não a olha quando fala: “É isso mesmo.” Se olhares

pudessem matar, ela estaria morta.

Carys não nota a dica. “Ainda está por perto?”

Ele levanta a voz. “Não.”

“Posso convencê-lo a reconsiderar? Vou deixar com o meu novo núm...”

“Por favor, vá embora.” Ele insiste. “Isso é desrespeitoso.”

Nunca vi Landon tão bravo e vulnerável.

O que diabos está acontecendo?

“Oh, bem.” Dirigindo-se a mim, ela dá de ombros. “Desfrute dele enquanto

pode, eu acho. Antes que ele mude de número novamente.”

Então, ela simplesmente se afasta, deixando o cheiro persistente de Quelques

Fleurs em seu rastro. Sua pequena bunda balança contra o tecido da calça branca.

Sentindo como se meu interior torcesse, fico a observando desaparecer.

Ele coloca os dedos sobre os olhos. Seus ombros estão subindo e descendo a

cada respiração e ele nem sequer me olha. Ele parece totalmente destruído.

“Landon, por favor, fale comigo. Sobre o que foi tudo isso? Quem é essa

mulher?”
Quando ele levanta o rosto para encontrar meus olhos, medo está escrito em

tudo sobre ele. “Não posso mentir para você.” Ele balança a cabeça. “Nunca vou

mentir para você.”

“Por favor. O que está acontecendo?”

Ele joga o guardanapo em cima da mesa. “Vamos para casa, ok?”

Esperamos o garçom trazer a conta e ele paga com seu cartão de crédito.

Landon está saltando os joelhos, enquanto continuava a inspirar e expirar

profundamente.

Finalmente no carro, o vejo se atrapalhar com as chaves antes de dar partida.

Sem saber o que está realmente acontecendo, meio que congelo, totalmente sem

palavras. Frio envolve meu corpo.

Nenhum de nós diz uma única palavra durante toda a viagem de volta até sua

casa. Night Swimming de R.E.M. está tocando no rádio e eu de alguma forma sei

que a canção terá sempre uma conotação negativa em minha mente.

Landon abre a janela e pegou o maço de cigarros no compartimento do centro.

Ele rapidamente acende um, tragando a fumaça profundamente e soprando-a para

fora. Ele nunca fumou no carro; só fez isso fora e longe de mim. Nem sequer

questiono por que está fumando neste momento, meu instinto dizendo que ele

precisa mais do que qualquer coisa.

Seu silêncio absoluto me deixa com uma sensação terrível na boca do estômago,

porque mesmo que ele não esteja dizendo nada, posso sentir que está se

preparando para algo grande. Posso de algum modo reconhecer que ele está no
meio de uma conversa interna. Um milhão de pensamentos passam por minha

mente também.

Quando ele finalmente estaciona na frente de sua casa, vira o carro e segura

minha mão, acariciando-a com o polegar antes de leva-la até sua boca num beijo.

Soltando um profundo suspiro, ele finalmente sai do carro.

Meu coração está acelerado enquanto o sigo para dentro da casa.

Ele para no meio da sala de estar de costas para mim. Chego por trás dele e o

abraço, descansando a bochecha em suas costas. Coloco uma das minhas mãos em

seu coração, sentindo a batida ansiosa.

Permanecemos assim por um tempo até que de repente ele se vira e me guia

para o sofá.

Ele começa a falar.

“Fiquei muito confuso nos primeiros anos depois que mudei para cá. Consegui

alugar um quarto num lugar em Sunset e comecei servindo mesas, mas estava

basicamente vivendo sem rumo por vários meses. Levei um tempo para ter

coragem de começar realmente a procurar Beverly. E já sabe como essa história

terminou.”

“Sim…”

“De qualquer forma, quando finalmente conheci sua irmã — minha tia,

Miranda —ela me deu um monte de informações sobre minha mãe. Disse que

havia um diretor de filme chamado Bud Holliday. Aparentemente, antes de se

tornar bem-sucedido, ele ficou com minha mãe e foi o único quem a viciou em

heroína. Ele a abandonou quando ela começou a realmente se perder. Ele era meio
que seu agente antes disso. Realmente não fez nada por ela, exceto arruinar sua

vida. De qualquer forma, anos depois, ele acabou dirigindo alguns filmes e tornou-

se um grande negócio.”

“O que isso tem a ver com a mulher no restaurante?”

Ele fecha os olhos momentaneamente. “Preciso contar a história do início, está

bem? Tenha paciência comigo.”

“Tudo bem.”

“Chegando aos vinte e dois anos, consegui um emprego como garçom numa

empresa que servia os ricos e famosos. Uma das minhas atribuições foi trabalhar

numa festa privada em Beverly Hills. Era na casa de Bud Holliday.”

Suspiro. “Oh, Meu Deus.”

Landon, de repente se levanta e vai para a cozinha.

“Onde vai?”

“Pegar uma bebida. Você vai precisar. Quero uma para mim, também.”

Ele volta com duas garrafas de Miller Lite14 e me entrega uma.

“Obrigada.” Bebo um pouco depois abaixo, tossindo quando o líquido frio

escorre por minha garganta.

Landon toma um longo gole e coloca a garrafa na mesa antes de continuar sua

história. “Então, obviamente, como pode imaginar, fiquei em pânico por estar indo

a casa do homem que basicamente considero o catalisador do problema de drogas

da minha mãe biológica. Fiquei cheio de raiva. Não sabia se queria prejudicá-lo

14 Marca de cerveja.
fisicamente, dar-lhe uma intoxicação alimentar ou o quê. Só sabia que não podia

perder a oportunidade de fodê-lo de alguma forma. Parece que o destino me trouxe

isso de presente.”

“O que fez?”

“Bem, tinha a chance de me vingar — então pensei — foi meio jogado no meu

colo ... e nem sequer precisei usar meu punho.”

“Como?”

Landon toma outro longo gole da cerveja. “Após o evento terminei, acabei

encontrando essa mulher na cozinha. Ela é cerca de dez anos mais velha do que eu

e não fez segredo de que me desejava.”

“Qual o nome dela?”

“Jamie-Lynne Holliday.”

“Holliday ... sua filha?”

Ele balança a cabeça lentamente. “A esposa dele.”

Meu queixo cai. “Oh ...”

“Não tinha ideia que ela era casada com Bud. Ela era muito mais jovem do que

ele. Claro, uma vez que descobri, me incentivou a alimentar seus avanços.”

“Você dormiu com ela?”

“Acabei tendo um caso, sim.”

“É isso que tem escondido de mim — que tinha vergonha de me contar?”

Um longo e lento suspiro escapa. “Desejaria que fosse.”


Engulo em seco, temendo continuar a história tanto quanto preciso ouvir tudo.

“Continue…”

“Bud acabou me pegando em sua casa uma noite. Ele veio para casa mais cedo

de uma viagem. É exatamente o que queria — que ele me visse com ela. O

momento não poderia ter sido mais perfeito, tanto quanto estava preocupado.”

“O que ele fez?”

“Essa é a parte triste. Ver isso ... ele nem sequer se importou. Aparentemente,

eles tem um casamento aberto. Ela apenas nunca me contou. Acho que ela queria

fingir que nossa relação era algo mais proibido do que a realidade. Isso a fez sentir

como se estivesse fazendo algo sórdido e talvez a excitasse ainda mais. Enquanto

isso, tudo o que queria era me vingar desse cara. Então, me senti fracassando na

missão.”

“Disse a ele quem era?”

“Sim, praticamente me perdi nisso. Acabei discutindo — admiti quem era

minha mãe. Jamie-Lynne ficou chocada porque não tinha ideia de que a estava

usando para chegar a ele.” Ele solta uma risada irritada quando olha o teto.

“Acredita que ele nem sequer pareceu se importar com isso, também? Mal se

lembrava o nome da minha mãe. Essa porra me matou mais do que qualquer

coisa.”

“O que aconteceu depois daquela noite?”

“Fiquei num lugar tão ruim. Não me importava com nada. Jamie-Lynne queria

continuar me vendo e concordei porque me acostumei com o estilo de vida e senti


que não tinha a porra de lugar nenhum para ir. Mas ela não tinha a melhor das

intenções. Estive-a usando e ela me usou. Isso é tudo o que houve.”

Minhas mãos estão suadas. Ainda não entendo o que isso tem a ver com a

mulher no restaurante esta noite, mas estou aparentemente prestes a descobrir.

Ele continua: “Uma noite ela trouxe uma amiga chamada April. April começou

a brincar sobre como queria que ela pudesse me 'emprestar'. Não soube até mais

tarde naquela noite, quando Jamie-Lynne me disse que sua amiga falava sério,

April me pagaria muito dinheiro para lhe fazer companhia. Ela basicamente tentou

me convencer disso.”

“Ela queria te vender para a amiga? Que tipo de pessoa faz isso?”

“Estava tão triste e com tanta raiva que tomei uma decisão precipitada de

aceitar a oferta de April, apenas para aborrecer a minha “namorada.” Nessa época,

tinha certeza que Jamie-Lynne arrumou uma carne ainda mais jovem, mais fresca.

Não tinha sentimentos reais por ela de qualquer maneira — nunca tive. Então,

comecei - abre aspas — a sair com April.”

Minha voz está trêmula. “Ela te pagava por sexo?”

Ele me olha diretamente nos olhos, mesmo que pareça lhe doer responder.

“Sim.”

Machuca ouvir. “Uau,” murmuro.

“Foi assim que começou.”

Minha cabeça está girando. “Começou?”


“Descobri que havia uma rede estreita de esposas de Hollywood que trocavam

brinquedos como eu. Elas te usavam até terminarem, em seguida, te apresentavam

a uma amiga em que deveria parecer uma transição suave. Jovens sendo pego no

estilo de vida luxuoso. Na época, pensa que está vivendo uma boa vida e não vê o

que está terrivelmente errado nela. Está fazendo um monte de dinheiro vivo —

mais do que pode sequer imaginar — e tudo que tem a fazer é ficar bem e ser a

fantasia de bad boy.”

As palavras escapam antes que eu possa pensar melhor. “Você era um

prostituto ...”

Ele fecha os olhos como se eu tivesse acabado de esfaqueá-lo com as palavras,

“Na época, nunca me considerei assim. Tinha em minha mente me sentir melhor,

porque realmente não queria parar. O dinheiro era muito e sinceramente naquela

época, não sinto como se eu tivesse algo para viver.”

Sentindo meu estômago começar a revirar, levanto e começo a andar. "Uau.

Estou doente.”

Ele atravessa a sala para mais perto. “Você tem que entender meu estado

mental no momento. Fiquei muito zangado com o mundo, miserável pra caralho.”

De repente viro para encará-lo. “Quanto tempo isso durou?”

“Cerca de um ano e meio.”

Se esforçando para afastar as lágrimas que se formaram nos olhos, respiro

fundo e apenas olho o teto, tentando em vão absorver esta notícia perturbadora.

“O que te fez parar?” Finalmente sussurro.


Ele me encara com olhos suplicantes. “Tive um sonho uma noite. E nele, eu era

o pai de um menino que me perguntava se eu vendia meu corpo por dinheiro. Foi

estranho e confuso que a criança falasse sobre essa merda, mas é evidente que ele

vinha do meu próprio subconsciente culpado. No sonho, me lembro de realmente

tentar responder. Estava tão envergonhado. Quem sabe se o menino representa

meu interior ou meu medo de ter um filho e ele descobrir. De qualquer forma,

acordei suando frio, corri para o banheiro, me olhando no espelho por muito

tempo com desgosto. Repugnância absoluta. Naquele momento, soube que tinha

que parar. Esse foi o fim. Mudei meu número naquela manhã. Nunca olhei para

trás. Desnecessário dizer que foi um despertar que sempre serei grato. Estou muito

feliz de ter acordado.”

“Há quanto tempo foi aquele dia?”

“Quase três anos agora.”

Alivia um pouco minha mente saber que tanto tempo passou.

Hesito em perguntar: “É assim que teve o dinheiro para comprar o Trailer e

tudo mais?”

“Parcialmente. Apostei em tudo o que já fiz.”

“Isso explica o Range Rover.”

“Sim.” Ele parece tão envergonhado em admitir. “Estou dizendo agora, Rana,

porque não acho que poderia lidar com esta situação, se os papéis fossem

invertidos. Se pode me aceitar depois disso, é um inferno de uma pessoa muito

mais forte do que eu. Entendo completamente se não puder estar comigo depois do

que admiti. Repugna-me pensar no que fiz. Penso em mim mesmo naquela época e
é como olhar para uma pessoa diferente. Os primeiros dias em LA ... em muitos

aspectos ... foi como ser abduzido por alienígenas. Essa pessoa não é quem sou

agora. Cometi todos meus erros dentro de um intervalo de dois anos.”

“Quantas mulheres?”

“Seis no total.”

Seis?

Engulo em seco. “Aquela mulher no restaurante esta noite — Carys — foi uma

delas?”

"Sim. Ela foi a última.”

Enjoa-me o ouvir confirmar que teve relações sexuais com ela, mesmo que

suspeitasse ser um caso antes mesmo que ele admitisse.

“E se não a tivéssemos encontrado? Quando ia contar?”

“Essa é a grande razão pela qual quis que ficasse. Precisava de mais tempo

antes de soltar está bomba.”

“Deixaria ir para casa sem ter essa conversa?”

“Minha esperança era usar cada momento deste tempo para que me conhecesse,

o homem que sou agora. Provavelmente teria falado depois que fosse embora ou

durante a próxima visita. A coisa principal é, só não sabia como dizer. Como diz a

alguém que acredita em você, que talvez não seja digno? Tenho vergonha, mas é

um capítulo da minha vida que nunca poderei apagar, não importa o quão duro

queira.”

“Então, não quis transar comigo até que eu soubesse ...”


"Sim. Não sabia se ainda gostaria de ficar íntima comigo depois que

descobrisse. E tanto quanto me mata, entendo se não quiser.”

Sinto medo de perguntar: “Você tem alguma doença?”

Ele é rápido em responder: “Não. Deus, não. Estive sempre seguro. Usei

preservativos religiosamente e me testei várias vezes. O único consolo é que

sempre tive na minha cabeça a esse respeito.”

“Nem sei como processar. Quer dizer, sei que não é como se esteve com uma

centena de mulheres. A maioria dos homens solteiros transa com tudo, mas acho

que é o princípio disso que é tão preocupante.”

“Sempre tive a intenção de te contar, Rana. Só queria um pouco mais de tempo

primeiro. Isso é tudo. Não te culpo por estar confusa e chateada.”

Quero confortá-lo, dizer que ficará tudo bem, mas não consigo superar o

choque.

“Não vou mentir, Landon. Isto é realmente perturbador.”

Devastador.

"Eu sei. Sinto muito. De certa forma estou feliz que contou esta noite porque

estou atraído por você, e se há uma chance de que não querer estar comigo, então

quanto mais cedo eu souber, melhor.”


Capítulo quinze

HOMECOMING

Meus olhos abrem. A noite passada realmente aconteceu?

O relógio marca 10H, o que significa que Landon e eu só temos algumas horas

antes dele me levar ao aeroporto.

O fato de estar saindo hoje parece surreal e toda a conversa de ontem à noite

volta como um pesadelo.

Minha garganta está seca quando relutantemente levanto. Landon está

fumando na varanda fora do quarto.

Usando uma de suas longas camisetas, abro a porta. "Bom Dia."

Ele solta a fumaça apagando o cigarro. “Ei ...” Seus olhos parecem vermelhos.

Limpo a garganta. “Você não dormiu muito.”

Sua voz é rouca. “Não dormi nada.”

“Deitei por um tempo, mas dormi pouco.”

"Eu sei. Vi quando adormeceu.” Ele sorri com relutância. “Posso ter observado

por um tempo.”

Olhando em direção à água, digo: “Ainda tenho que processar o que disse

ontem à noite, mas quero que saiba que acho que levou uma quantidade incrível de

coragem para admitir. Você poderia ter contado outra história, me dizer que a
mulher no restaurante é a mãe de um de suas ex-namoradas, algo falso assim. Mas

não o fez. Você foi honesto comigo e sou muito grata por isso.”

“Confessar foi provavelmente a coisa mais difícil que já tive que fazer. Gostaria

de saber o que realmente pensa.”

“Não sei o que estou pensando. Não caiu a ficha ainda. Então, é difícil saber

como me sinto. É perturbador, sim. Mas acho que estou tentando me convencer de

que o que aconteceu no passado não está acontecendo agora. Tenho que aprender a

superar. Pelo menos, quero ser capaz de fazer isso.”

Ele me encara. “Mas não tem certeza se pode.”

“Não disse isso, Landon.”

“Só me prometa uma coisa.”

“O que?”

“Prometa que não vai ficar comigo se decidir que tem vergonha. Não posso

viver com isso. Não quero fingir com você. Amo o quão real você é, Rana. E se não

pode aceitar meu passado, preciso que seja sincera.”

Balanço a cabeça. “Estou ainda em estado de choque.”

“Compreendo. Seria injusto da minha parte esperar outra coisa.”

Não sei mais o que dizer, mas não é hoje que descobrirei. Meu avião decolará

em breve e isso me deixa triste. Cada osso do meu corpo dói.

Ele pode ver que estou fria, porque esfrego meus braços. Landon abre o zíper

de seu capuz e me envolve nele, passando o material por minhas costas e me

puxando contra seu peito. Posso sentir seu coração batendo contra o meu. Mesmo
sob a mais assustadora das circunstâncias, ele ainda consegue me fazer sentir

segura.

Sinto-me uma hipócrita por ter quaisquer dúvidas sobre ele. Ele não foi nada

além de honesto sobre o passado, o que é mais do que posso dizer de mim mesma.

Tão feio como é, ele soltou seus demônios. O meu ainda está trancado dentro de

mim. Minha escolha de não retribuir sua honestidade agora é nada menos do que

pura covardia. Mas mudar o foco para mim seria demais para suportar enquanto

ainda estamos lidando com isso.

Não posso garantir como irei me sentir uma vez que voltar ao Michigan. Só sei

que o que quero agora e é ele me segurando. Quero gravar esse momento na

memória.

Landon é o primeiro a quebrar nosso abraço.

Ele está prestes a acender outro cigarro quando digo: “Realmente gostaria que

parasse.”

Ele abaixa o isqueiro. O cigarro se move entre seus lábios enquanto ele

pergunta: “Realmente quer que eu pare de fumar?”

“Sim. É ruim para você. Realmente acho que deve parar.”

Ele para e tira o cigarro da boca. De repente, esmagou-o entre os dedos antes de

deixá-lo cair no chão. Então, pega o maço do bolso e joga sobre o balcão. “Feito.”

“É isso?”

“Sim. É isso.”

“Pode fazer isso ... simplesmente parar? Indiferente e frio?”


“Dormi no sofá e mantive meu pau na calça todo o tempo que esteve aqui. E só

admiti meu segredo mais doloroso para a pessoa que mais importa neste mundo.

Certeza que posso lidar com qualquer coisa agora.” Ele dá um leve sorriso. “Você

me pediu para fazer algo por você. E é algo que quero fazer para mim de qualquer

maneira. Mas agora que sei que realmente te incomoda, é um incentivo ainda

maior. Provavelmente não há nada que não faria por você neste momento.”

Sei o que ele quer dizer.

“Uau. OK. Obrigada.”

“Obrigado.”

O clima continua sombrio. Landon me leva para a cozinha, onde prepara bagels

para o café da manhã que levamos para a praia. Nesse sentido, minha última

manhã aqui é muito parecida com a primeira, apesar da nuvem escura pairando

sobre nós neste momento.

***

A viagem para o aeroporto é tranquila. Talvez, estivéssemos de luto pela

inocência em nosso relacionamento que nunca voltará.

Uma vez em nosso destino, os sons do aeroporto são desordenados. A

ansiedade está começando a ganhar. Não só odeio voar, mas deixar Landon agora é

definitivamente uma das coisas mais difíceis que já tive de fazer.

Ele me acompanha até onde pode antes de se despedir.

Gentilmente coço meu queixo. “Esta viagem foi incrível.”

Ele pega minhas mãos e firmemente as segura. “Incrível não é forte o suficiente

para descrever essa semana. Não acho que serei o mesmo. Não importa o que
aconteça, sempre serei eternamente grato que você pulou no avião para me ver.

Nesse meio tempo, vou rezar para te ver novamente em breve.”

“Mencionei que voar me deixar nervosa? Esta é apenas a segunda vez.”

“Torna ainda mais especial que veio.” Ele solta minhas mãos e aponta para

minha mala. “Está com o cubo mágico?”

Apesar de sentir como se meu mundo acabasse, forço um sorriso. “Sim.”

A chamada de embarque me fez lembrar que o tempo está se esgotando.

“Tenho que ir.”

“Ok.” Colocando as mãos no meu rosto, ele me beija como se nunca tivesse a

chance de fazê-lo novamente. “Cuide-se, baby,” diz ele sobre meus lábios.

“Você também.”

Ele desliza as mãos do meu rosto por meus braços e me abraça novamente antes

de me soltar lentamente.

Estou prestes a sair quando ele me segura. “Espera.”

“Sim?”

“Diga-me algo engraçado, Rana. Realmente preciso muito disso agora.”

Sinto muita pressão dado meu estado miserável. Então lembro de algo desta

manhã.

“Fiquei tão preocupada desde a noite passada que escovei os dentes com seu

creme de barbear esta manhã. Nunca vi um tubo parecido antes. Então, se estou

com gosto de Old Spice, é por isso.”


Ele inclina a cabeça para trás numa gargalhada em seguida, me beija na testa.

“Nunca falha. Obrigado.”

“Acho que eu deveria estar feliz que não era Preparation H.”

O sorriso de Landon desaparece antes que ele me beije uma última vez.

Enquanto me afasto, ouvindo o eco alto de meus passos, viro para ver que ele

não se moveu. Ainda estava de pé no mesmo lugar, com as mãos nos bolsos. Não

me pergunte como, mas sei que ele não sairá até que eu esteja completamente fora

de sua vista. Esse é o tipo de pessoa que ele é. Fico imaginando o que está

pensando neste momento, se ele duvida que irá me ver novamente.

Com cada passo que dou para longe de Landon, sinto-me vazia, como se

estivesse deixando um pedaço para trás.

***

Landon colocou um maço de dinheiro sem meu conhecimento na minha mala

—cinco notas de cem dólares. Só percebi quando saia do avião depois que pousou

em Detroit.

Uma vez fora, o ar frio é certamente um rude despertar. O Uber que chamei

leva muito tempo para chegar. Enquanto esperava, realmente me atingiu quão

impressionante aqui é em comparação com a Califórnia.

Mas não é somente o clima. Parece que tenho um buraco no meu coração. Já

sinto falta dele. Muito. Ainda mais do que quando o deixei no aeroporto. A

realidade da distância entre nós torna a dor muito pior.

Toda vez que minha mente vaga para seu passado, imagens perturbadoras dele

transando com diferentes mulheres por dinheiro, mudo rapidamente a atenção. No


momento, esses pensamentos são um ruído de fundo. Ainda não posso lidar com

eles. A questão mais premente é chegar em casa.

Desesperadamente precisando ouvir sua voz, pego meu telefone e disco o

número.

Landon atende três toques depois. “Rana?”

“Sim, sou eu.”

Ele parece sonolento. “Teve uma boa viagem?”

“Estou aqui. Se eu estou bem é discutível.”

“Dormi todo o dia. Estou no meu quarto agora olhando sua roupa pendurada

no meu armário enquanto cheiro os lençóis, me perguntando se foi tudo um sonho

e me perguntando como diabos te deixei entrar no avião.”

“Só precisava ouvir sua voz. Você parece estar cochilando. Eu te acordei?”

“Cochilei já que não dormi na noite passada. Foda-se, estou tão feliz que ligou.”

“Você foi muito sorrateiro com o dinheiro, a propósito.”

“Sim, bem, teve que pedir a seu pai para comprar a passagem, não é certo,

porque disse que queria pagar. Então, quis te devolver.”

“Não tem que fazer isso.”

“Eu quis. Você precisa do dinheiro.”

“Parece tão estranho que está longe de novo.”


“Posso não estar fisicamente com você, mas estou sempre aqui. Sempre que

precisar de mim, Rana, sabe que vou largar tudo, certo? Se precisar falar comigo ou

apenas ouvir a minha voz, não ligo para que hora é, você pode ligar.”

Não derramei uma lágrima desde a revelação de Landon ontem à noite, mas

começo a chorar agora. Não posso entender exatamente por que desmorono agora.

Há apenas uma coisa que sei com certeza. “Já sinto sua falta.”

“Você está chorando?”

Uma lágrima escorre por meu rosto. “Eu sinto muito.”

“Você está de brincadeira? Significa muito para mim que esteja. Ontem não

tinha certeza se ainda ia continuar falando comigo, muito menos chorar e dizer que

sente minha falta. Suas lágrimas agora são música para meus ouvidos.”

“Tive um monte de tempo para pensar no vôo, mas para ser honesta, cada vez

que minha mente vaga ao que me contou sobre seu passado, instintivamente

bloqueio. É como um mecanismo de proteção.”

“Posso entender isso. É meio o que faço sempre que penso sobre isso agora. É

como lido com isso também.”

“Está tudo bem senão quiser pensar sobre isso agora?”

“Claro, tudo bem. Leve o tempo que precisar. Só não pare de falar comigo.

Preciso ouvir sua voz todos os dias.”

Meu motorista do Uber estaciona na calçada.

“Meu motorista chegou.”

“Vai me ligar antes de ir dormir?”


“Sim,” prometo.

Depois de desligar, durante a viagem para casa, me concentro nos ruídos em

torno numa tentativa de limpar a mente. Dark Side da Kelly Clarkson soa no rádio.

Que ironia. Fechando os olhos, tento meu melhor para relaxar o resto da viagem.

Mal sabia eu que estava prestes a ser um despertar rude quando chego ao meu

apartamento.

Uma vez dentro, o lugar parece estranhamente quieto. Normalmente, posso

ouvir algum barulho vindo do quarto do meu companheiro. Em vez disso, a porta

de Lenny está aberta, revelando um espaço quase inteiramente vazio.

Meu Deus.

Ele se foi. Nenhum único item foi deixado para trás.

Estou sentindo uma mistura de alívio e paranoia.

Alcançando meu telefone, imediatamente disco para Landon.

Ele atende. “Não esperava que ligasse tão cedo.”

“Lenny se foi.”

“O que? Tipo desapareceu?”

“Tipo se mudou, sim. Ele levou todas as coisas.”

“Bem, merda. Isso é uma coisa boa, certo?”

“Acho que sim. Quer dizer, uma parte de mim é um pouco paranoica.”

“Sobre o que?”

“Ele voltar.” Rio de mim mesma, percebendo o quão ridículo soou.


“Prefere viver com ele todos os dias do que viver com o medo dele voltar?”

"Não. Mas pelo menos com ele aqui, posso ficar de olho. Agora, Lenny será um

perigo invisível espreitando na noite.”

"Isso é insano. Estou contente que o filho da puta saiu. Esse é o melhor regresso

para casa que poderia pedir. Não precisa dessa merda em sua vida.”

“Bem, eu precisava do seu aluguel.”

“Não, você não precisa. Vou pagar sua metade indefinidamente até que possa

encontrar alguém, de preferência uma mulher.”

“Não posso te deixar fazer isso.”

“Não importa se deixar. Farei de qualquer maneira.”

Entro no meu quarto e ofego em voz alta com a visão do meu armário aberto.

“O que aconteceu?”

“Minhas roupas ... a maioria delas sumiram!”

“Essa doente levou suas roupas?”

Minhas mãos tremem. “Isso é tão estranho.”

“Chame a polícia, Rana. Agora.”

“Não vou fazer isso. Estou com muito medo de retaliação.”

“Ok, se não fizer, então, no mínimo, precisa trocar a fechadura.”

“Vou fazer isso pela manhã. Nada está aberto agora.”


“Costumávamos pensar que era engraçado, mas essa merda não é brincadeira.

Esse cara é doente.”

“O que acha que ele está fazendo com minhas roupas?”

“Quem diabos sabe. Alguma merda vodu? Não importa. Estou feliz que ele se

foi.”

“Acho que vou começar a procurar um novo lugar amanhã. Assusta-me que ele

sabe minha agenda.”

“Vou insistir nisso, Rana. Sério."

“Esperava voltar para casa e relaxar, talvez tomar um banho quente. Em vez

disso, sinto que entrei num episódio de Unsolved Mysteries15.”

Landon riu. “A voz assustadora de Robert Stacks.”

“Sim.” Suspiro. “Eu juro ... minha vida é tão bizarra.”

***

Desde que Lenny levou minhas roupas, no dia seguinte lutei para encontrar

duas novas roupas de dança do ventre já que preciso voltar a dançar nesta noite.

Sou eternamente grata pelo dinheiro que Landon colocou em minha bolsa. Caso

contrário, nunca seria capaz de pagar os novos uniformes. Há apenas uma mulher

na cidade que vende e ela era é porque tudo é feito à mão. Não tenho tempo para

pedir qualquer coisa online, então tenho que pagar.

15 Unsolved Mysteries - Programa americano desde 1987, com apresentação de casos misteriosos de assassinatos e

pessoas desaparecidas.
Depois de deixar a loja da costureira, com uma hora de sobra antes do início do

meu turno, decido fazer uma visita rápida a Lilith e dar as poucas lembranças que

trouxe da Califórnia.

Não é nosso dia normal das irmãs, então ela parece surpresa ao me ver quando

se saí na varanda.

“Você voltou. ”

“Achou que eu não iria voltar?”

“Apostei com Jasper um dólar que faria, mas ele queria cinco. Disse que era

muito, porque pensei que poderia perder.”

“Obrigada pelo voto de um dólar de confiança, Lil.”

“Há algo para mim nesse saco?”

“Há várias coisas neste saco. Dois novos equipamentos de trabalho para mim e

só poderia ter algumas coisas para você.”

Ela ajusta os óculos. “Vamos ver.”

“Ok, tecnicamente, Landon pagou porque não tinha nenhum dinheiro.”

“Gosto dele.”

“Não sabia o que comprar para você, então compramos coisas diferentes.” Tirei

o saco que continha todos os seus presentes.

Ela abre e olha dentro: um haveiro de Venice Beach, uma camiseta da

Califórnia, uma réplica do Trailer Box Lunch do Landon e um prêmio falso

Academy que diz Melhor Amiga.


Lilith inspecionou cada item. “Você fez bem, Toots.”

Rio quando ela me chamou de “Toots”16. Que pessoa com menos de oitenta usa

esse termo? Ela está ficando cada vez mais como uma velhinha.

Quando não está pulando para cima e para baixo ou qualquer coisa, ela

realmente parece gostar dos presentes. Deixo escapar um suspiro de alívio quando

ela me dá um abraço.

“Quando vai ver Landon de novo?”

“Não tenho certeza.”

“Será que vou conhecê-lo?”

“Espero que sim.”

“Trouxe algo?”

Um caso maciço de bolas azuis femininas e um pequeno coração partido.

16 Gíria equivalente a Baby.


Capítulo dezesseis

IT’S THE ONIONS

As próximas semanas passam num piscar de olhos.

Procuro um novo apartamento durante o dia, mas não estou tendo sorte em

encontrar qualquer coisa na minha faixa de preço. Isso, junto com cuidar do meu

pai, que está se recuperando de uma cirurgia no joelho, significava que minha vida

está excepcionalmente agitada.

Mesmo que fale com Landon todas as noites, evito entrar em quaisquer

assuntos sérios, porque sinto que não posso lidar com isso. Percebendo, ele está

deixando-me dirigir todas nossas conversas.

Tudo vem à tona uma noite no trabalho quando tenho o que parece ser um

ataque de pânico durante uma das minhas rotinas de dança. Sou capaz de

aguentar, mas me sinto totalmente exausta quando chego em casa.

Durante nosso bate-papo de todas as noites, conto a Landon o que aconteceu no

restaurante.

“Tive um pequeno ataque de pânico esta noite durante a apresentação. Isso

nunca aconteceu antes.”

“Você está bem? Qual foi a sensação?”

“Estou bem agora. Apenas senti como se não conseguisse respirar, como se

estivesse presa em meu próprio corpo sem ter para onde correr. Acho que eu tenho

prendido meus sentimentos e eles finalmente se voltaram contra mim.”


Ele não responde imediatamente.

“Sentimentos sobre mim ... sobre meu passado?”

"Sim, acho que sim. Realmente tentei não pensar sobre o que costumava fazer,

mas tem sido como um fantasma sempre presente e me seguindo.”

“Por mais que não queira, acho que realmente precisamos falar disso.”

Não há outra resposta para me dar a ele, exceto, “Concordo.”

“Por favor, basta me perguntar o que quer saber. Tire o Band-Aid. Vamos

apenas colocar tudo para fora para poder lidar com isso. Essa é a única maneira

que saberá se é algo que pode deixar no passado ou não.”

Sei as perguntas em minha mente; só não quero saber necessariamente as

respostas. Mas esse limbo não pode durar para sempre. Então, aproveito a

oportunidade que ele está me dando e começo a dispara-las.

“Disse que estas mulheres todas eram casadas?”

"Sim. Todas. Mas na maior parte, tinham casamentos ruins, relacionamentos

abertos, ou o cônjuge a traia, também. Infelizmente, estou achando que é bastante

comum entre algumas pessoas ricas aqui se divorciarem ou terem um caso.”

Minha próxima pergunta é talvez a mais difícil, mas ainda tinha que saber.

“Alguma vez você ... gostou?”

Ele exala. “Eu adoro sexo. Sabe disso. Provavelmente não nada mais que amo

fazer. Mas há uma grande diferença entre transar com alguém que escolhe ou com

alguém que está te usando e vice-versa. A ideia deste último me repele agora. Mas

no momento, gostava apenas do dinheiro. Embora não posso dizer que gostei, eu
não posso dizer que odiava, tampouco. No momento, não senti como se estivesse

sendo usado, nunca me enojou como agora.”

“Todas são atraentes ... como Carys?”

“Eram mulheres ricas que sabiam se cuidar, então sim, elas eram todas

atraentes, não as mulheres que teria escolhido, mas eram bonitas, no entanto. Não

poderia ter feito isso se a pessoa me repelia.” Quando paro de falar por alguns

segundos, ele pergunta: “Você está bem?”

Minhas emoções estão por todo o lugar, e num ponto, perco a compostura.

“Deus, Landon, como pode deixá-las tirar vantagem de você assim?”

“Estava perdido, deprimido. Algumas pessoas recorrem a drogas, piercings,

outras formas de automutilação. Usei meu corpo, mas consegui me convencer de

que não era tão ruim assim porque me beneficiava financeiramente. Da maneira

que via, eu estava fazendo isso em lugares extravagantes, privados em meus

próprios termos, não me vendendo na rua para qualquer um. No melhor dia, me

convenci de que não era realmente prostituição, que era outra coisa. Não conta o

fato de que um pequeno pedaço da minha alma ser arrancado a cada vez e que

tudo iria finalmente me atingir de uma só vez. Também não levei em conta que

teria que olhar em seus olhos um dia e admitir que vendi meu corpo. Eu não estava

pensando ... na época.”

Pondero se o que ele fez foi realmente tão diferente de eu ter sexo com

adolescente que estavam me usando. Claro, eles não estavam me pagando, mas me

usaram do mesmo jeito.


Durante a hora seguinte, por mais doloroso que fosse, perguntei tudo a Landon.

Não quero ter que falar sobre os detalhes nunca mais, por isso tenho a certeza que

todas a curiosidade mórbida acabe. Ele está sendo incrivelmente aberto, embora

sabia que é muito difícil.

Entre outras coisas, ele me conta que a maioria das mulheres queria mais do

que o sexo apenas papai e mamãe. Pediram para realizar suas fantasias de Bad boy,

coisas como ser golpeada, presa, chamada de vagabunda ou pega por trás

enquanto tem seu cabelo puxado. Coisas que seus maridos não fazem. Uma mulher

ainda pediu para mijar sobre ela. Não posso acreditar que ele admiti tudo para

mim, mas de certa forma, é um alívio saber que não terei que perguntar qualquer

outra coisa. É basicamente a verdade, mas pelo menos é a verdade.

Assustou-me um pouco, porque, enquanto me contava algumas dessas coisas,

fiquei excitada. Foi uma reação natural a minha imaginação colocando Landon em

qualquer cenário sexual.

Recusei a bloquear as imagens sexuais, no entanto. Foi a única maneira de livrar

minha mente delas, deixá-las estar lá e passar.

A certa altura, a mulher em minha mente se transformou numa imagem minha.

Imaginei Landon fazendo algumas dessas coisas comigo, batendo em minha

bunda, puxando meu cabelo, atacando minha pele com sua língua. Sob as

circunstâncias de nossa conversa, porém, é perturbador e nunca poderei admitir a

ele.

****

Conversamos até tarde da noite.


Na manhã seguinte, acordo me sentindo de ressaca, mesmo que não tenha

bebido. Percebo que o sentimento é um resultado direto de finalmente libertar

todas as perguntas para Landon. Porque ele foi franco comigo e realmente não há

necessidade de voltar a este assunto.

Tem sido mentalmente desgastante, mas não há escolha. Você não pode apagar

um incêndio dançando em torno dele. Tem que lidar com isso, encharcá-lo com

água até que não reste nada. Uma vez extinto, pode optar por reconstruir ou

abandonar os escombros.

Sei que ele quer uma garantia de que não vou julgá-lo por suas indiscrições

passadas. Ele é inflexível sobre o fato de não poder lidar com um relacionamento

comigo se planejo continuamente usar o passado contra ele.

Então, realmente preciso de tempo e olhar para dentro e ter certeza que não

farei isso com ele.

Passo boa parte da tarde apenas sentada em silêncio. Percebo que mesmo que

possa estar desapontada com suas decisões passadas, em nenhum momento sua

confissão me impediu de me preocupar com ele. Se qualquer coisa, sentimentos

amorosos ficaram ainda mais fortes, como se todas as emoções que já senti por ele

revivessem de uma vez e se unissem para proteger e perdoá-lo.

Mais tarde naquela noite, decido fazer algo que não faço a um tempo, buscando

em meu armário e puxando a mochila preta.

Tiro algumas das notas dobradas que posso dizer não ter lido ano passado.

Abro uma.

Rana Banana,
Por que os pés cheiram e narizes correm? Não deveria ser o contrário?

Landon

PS Eu cheirei seus pés uma vez quando adormeceu na rede no quintal. Eles

cheiram a Doritos.

PPS Brincadeirinha (Talvez). Agora, eu quero chips.

Sorrindo, a dobro de volta antes de abrir outra.

Rana Banana,

Às vezes esqueço que realmente mora na minha garagem. Antes de meu pai a

transformar num apartamento, eu costumava estacionar minha scooters à direita de

onde dorme! Agora, tenho que deixá-lo fora.

Landon

PS Tudo bem. Prefiro ter você aqui do que um lugar para estacionar minha

scooter.

Chorando e sorrindo, abro outra.

Rana Banana,

Sabia que Rana significa sapo em espanhol? Eu aprendi isso na escola hoje.

Landon

PS Acho que seria muito legal se você começasse a coaxar.

PPS “Ribbit.”

A próximo faz meu coração parar por um momento, porque lembro todos os

sentimentos de inveja e confusão que se seguiram a primeira vez que a li todos

anos atrás.
Rana Banana,

Kelsie tentou me beijar hoje. Acho que ela é muito bonita, mas parecia estranho.

Eu virei a cabeça. Estava comendo, mais tive medo que descobrisse. Sei que não gosta

dela.

Landon

PS você ficaria louca se a deixasse me beijar?

PPS Você já beijou alguém?

PPPS Talvez pudéssemos praticar juntos em algum tempo. Você sabe, para não

ser estranho quando realmente beijarmos alguém.

Apesar de que Landon e eu nunca nos beijamos, essa nota me lembra o quanto

perdi depois que me afastei e traz de volta os sentimentos de inveja em relação a

Kelsie, sabendo que ela foi sua primeira namorada. Depois de tudo o que ele me

confessou, ainda estava com ciúmes de Kelsie? Sei o quão ridículo é. De bom grado

dobro a nota e guardo.

A nota final que abro realmente me toca e sinto como se estivesse destinada a

ler.

Rana Banana,

Desculpe, eu disse à minha mãe que você bateu em seu carro com a bicicleta. Eu

deveria ter levado a culpa. Ela não ficou brava, embora. Disse que todos cometemos

erros. De qualquer forma, sinto muito que você chorou. Eu nunca te vi chorar antes.

Isso acabou comigo.

Landon

PS Talvez não seja realmente um erro se você aprender com ele.


Redobrando-a, choro por mais um tempo, por uma série de razões. Lamento a

inocência do garoto que escreveu as notas. Fico aterrorizada pelo que sei que

acontecerá com ele no futuro. Mas, ao mesmo tempo, a mensagem final sobre

aprender com os erros cometidos faz sentido, as palavras talvez mais importante

agora do que jamais foram.

Olho o relógio. Sei que é o meio da hora do rush de Landon, mas preciso ouvir

sua voz, necessito que ele ouça o que está em meu coração neste momento antes de

eu perder a coragem de dizer.

Após alguns toques, ele atende. Ele sabe que eu nunca ligaria enquanto trabalha

e parece alarmado ser ouvir de mim a esta hora do dia. “Rana, está tudo bem?”

Posso ouvir algo fritando em seu fogão e uma multidão de pessoas falando.

“Sei que você está ocupado,” Digo.

“Esperem.” Ele fala com seus clientes, “Realmente sinto muito. Só preciso de

um minuto, por favor. Tenho que atender.” Quando ele volta, diz: “Nunca estou

ocupado demais para você.”

“Apenas tive que ligar para dizer que ... não importa. Quero estar com você. Sei

que cometeu um erro enorme. Acredite em mim, entendo o que é a cometer erros.

Mas um menino sábio me disse uma vez que 'talvez não seja realmente um erro se

você aprender com ele.' Foi você, Landon. Então, sim, eu cometi erros, também. E

aprendi com eles. Mas sei que confiar em você não é um deles. E prometo, você

nunca vai ver vergonha em meus olhos quando eu te olhar. Você ainda é aquele
garoto. Você é apenas um homem, que viveu, cometeu erros e aprendeu com eles.

Eu precisava ligar e dizer isso.”

Ele solta um suspiro longo e instável. Parecendo tomado pela emoção, ele não

diz uma palavra.

Parecia que ele fungou. Ele está chorando?

Então, o ouço dizer a um de seus clientes, “É a cebola.”

“Você está cozinhando com cebolas?

“Não.” Ele ri.

Fecho os olhos com força e sorrio.

“É melhor voltar para seus clientes.”

“Por que não pode ainda estar aqui, Rana? Você está muito longe e realmente

preciso te beijar agora.”

“Espero que possamos nos ver em breve.”

“Tem que dançar esta noite, certo?”

“Não, o restaurante está fechado para uma festa privada, na verdade. Estou em

casa.”

“Bom. Vou ligar por volta das oito depois de fechar o Trailer. Vou tentar pagar

de volta adequadamente essas belas palavras que acabou de me dizer. Tente estar

em casa nesta hora.”

“Estarei aqui.”

***
Sou uma inútil bola de merda o resto do dia, à espera de Landon ligar.

Minha mente continua correndo, alternando entre alívio e pânico.

Por um lado, finalmente decidi colocar sua história em perspectiva e onde

pertence — no passado — me faz sentir como se pudesse seguir em frente com um

relacionamento.

Por outro lado, não confessei minha própria roupa suja e honestamente não sei

como isso pode afetar as coisas entre nós.

Mas contar a Landon o que aconteceu comigo significa ter que lidar com algo

que não estou realmente pronta para enfrentar, algo que pode mudar a forma como

ele me vê.

No momento em que ele liga, infelizmente, me pega em meio ao pânico.

Landon mal tem a chance de dizer Alô quando o atinjo com minhas

inseguranças.

“Sinto-me uma hipócrita, porque mesmo que tenha se aberto para mim, não fui

capaz de fazer o mesmo. Mas não estou pronta para lidar com meus próprio ...

fantasma.”

“E se lhe assegurar que não há nada que possa dizer que me fará não querer

ficar com você?”

“Como pode dizer isso?”

“Porque é a verdade.”

Não tenho tanta certeza disso, Landon.

“Você quis matar alguém?” Ele pergunta.


“Não.”

“É algo que iria te machucar ou ferir outros?”

“Não.”

“Vai falar sobre isso esta noite comigo?”

“Não.”

“Então vou me arriscar, certo? Acho que tivemos bastante stress recentemente.

Você parece realmente desgastada. Por que não apenas descansa e me deixe ajudá-

la a relaxar. Acho que nós dois precisamos.”

“Como exatamente vai fazer isso se não está aqui?”

“Isso é um desafio? Se for, gostaria de te fazer gozar, para que possa dormir

bem esta noite.”

“Um ... wow, está bem.”

“Quando foi a última vez que teve um bom orgasmo?”

Só ouvir as palavras saindo de sua boca deixa minhas pernas fracas.

Engolindo em seco, admito, “Eu me dei um na sua cama na noite em que

chupou meus seios.”

“Merda, sério?”

“Sim. Você me excitou, em seguida, me deixou cuidar disso.” Rio.

Seu tom fica sedutor. “Isso foi rude da minha parte.”

“Foi.”
“Que tipo de idiota sou?”

“Você teve suas razões.”

“Acho que me masturbei três vezes no chuveiro naquela noite. Estou feliz que

não sabia que fez o mesmo na minha cama. Definitivamente não seria capaz de

ficar longe.”

As coisas ficam em silêncio. Posso ouvi-lo se mexendo nos lençóis. Parece que

ele está tirando as roupas.

“Vou tentar compensar isso um pouco agora. Na verdade, me deixe ligar de

volta do telefone fixo,” diz ele.

“Por quê?”

“Vamos precisar usar nossos celulares para tirar fotos enquanto falamos.”

“Fotos?”

“Você sabe ... ilustrar as coisas. Preciso te ver.”

Apenas o pensamento de conseguir ver seu corpo duro está me deixando

incrivelmente molhada. Quando ele liga de volta, atendo brincando.

“Alô ... este é o pervertido que está prestes a me perguntar o que estou

vestindo?”

"Não. Não há necessidade dessa pergunta ... porque quero você nua sem nada

além desse cabelo lindo te cobrindo. Tire suas roupas e solte o cabelo.”

“Nunca fiz isso antes ... sexo por telefone.”

“É como sexo ... mas por o telefone.”


“Você não diz?”

“É uma porta de entrada para a porra de vídeo chat, mas vamos devagar no

sexo virtual. Começar apenas por telefone.” Ele solta uma risada maliciosa. “Tire

suas roupas, Rana. Cada peça. Quero você nua.”

Faço o que ele diz, tirando cada peça de roupa até estar completamente nua.

“Ok,” suspiro.

“Quero que me mande uma foto de você como está agora. Você decide quanto

quer mostrar,” diz ele.

Antes que possa mudar de ideia, tiro a foto. Estou nua os seios aparecendo, mas

tendo a certeza que meu cabelo estrategicamente cobre a virilha.

A voz de Landon é rouca. “Cristo. Você parece uma deusa fodida com o cabelo

enrolado assim.”

“Quero te ver também.”

“Você irá. Abra as pernas e se toque. Sei que estou me masturbando com sua

foto e imagino que minha mão está em sua buceta apertando meu pau. Porra. Esta

imagem ... Não posso tirar os olhos de você.” Ele resmunga. “Por quê? Por que não

pode estar aqui?”

“Você quer dizer que não me deixaria sozinha em sua cama hoje à noite?”

“De jeito nenhum. Nunca vai dormir sozinha de novo.”

“Tem sido assim por muito tempo, Landon.”

“Não posso imaginar o que vai sentir, então.”


“Sabe o que nunca fiz?”

Sua respiração fica mais pesada em antecipação. “O que?”

“Nunca fiz sexo oral.”

“Está falando sério?”

“Sim.”

“Alguém já fez em você?”

“Não.”

“Bem, merda, temos muito para fazer. Vamos praticar agora. Coloque três

dedos em sua boca e finja que sou eu. Quero ouvir como sua boca molhada

descendo no meu pau.”

Coloco o telefone ao lado da cabeça e começo a chupar forte e lentamente

enquanto meus dedos brincam no clitóris.

Sua respiração fica errática. “Adoro te ouvir chupando. Quer ver o que está

fazendo comigo?”

“Sim,” eu exalado. "Por favor."

Nunca quis ver nada mais do que quero ver seu corpo nu.

Poucos segundos depois, meu celular toca e chega a imagem dele.

Minha respiração falha com a visão de seu deslumbrante pau, totalmente ereto

contra o abdômen duro. Suave com algumas veias salientes e uma bela perfuração

de prata adornando a ponta, exatamente como ele prometeu. Minha boca saliva

desejando correr a minha língua da raiz a ponta.


Usando a foto como inspiração, esfrego meu latejante clitóris mais forte, incapaz

de conter a necessidade de gozar. Quero-o dentro de mim e saber que não irá

acontecer esta noite é pura tortura.

“Estou gozando, Landon.”

Posso ouvir o atrito quando ele se toca mais rápido. Fechando os olhos, desfruto

os sons de seus gemidos profundos quando ele goza.

Ouvimos a respiração um ao outro por um tempo até ele ser o primeiro a falar.

“Porra. Isso foi tão gostoso.”

Ofegante, digo: “Mande uma foto de como está agora.”

“Está sujo. Realmente quer ver o resultado do que faz para mim?”

“Sim. Mostre.”

Momentos depois, ele me envia a foto. Nunca imaginei que seria tão erótico,

mas a vista de seu abdômen coberto de porra é além de excitante.

“Há... muito.”

“Posso dizer que estava muito estimulado.”

“Eu também.”

“Mostre-me você. Quero ver sua buceta molhada,” ele pede.

Afastando minhas inibições, espalho as pernas e coloco a câmera entre elas,

tirando uma foto sem o cabelo cobrindo minhas partes íntimas. Verifico

rapidamente e enviou antes de mudar de ideia.


Ele assovia. “Inferno do caralho. Não posso acreditar que posso ver como está

molhada. É tão bonita, Rana. Nunca vou funcionar novamente agora que tenho

essa foto.” Ele brinca, “Ace vai me ligar e perguntar o que estou fazendo e

praticamente a resposta será sempre "olhando a boceta molhada de Rana. Puta

merda.”

Ficando mais confortável na cama, perguntando algo que sempre quis saber.

“Qual é a sensação quando goza?”

“Bem ... é uma euforia muito intensa. Toda minha mente fica em branco por

alguns segundos.”

“Então o que? Depois que goza?”

“Quando estou sozinho? Estou pronto para dormir. Mas assim ... com você? Só

quero fazer de novo.”

“Posso contar uma coisa?” Pergunto.

“Qualquer coisa.”

É difícil admitir.

“Tenho pouco de medo de estar com você.”

“Por quê? Acha que vou ser rude ou algo assim? Seja honesta comigo.”

“Na verdade, não. Tenho medo de ficar muito ansiosa, de querer demais. Tem

sido um longo tempo. Tenho medo de gozar em trinta segundos ou ficar

ridiculamente molhada durante o sexo.”

“Está brincando comigo, certo?”


“Não.”

“Tudo bem ... qualquer uma dessas coisas acontecendo será estupidamente

sexy. Mas precisa perder estes medos. Não há tal coisa como excitada demais.

Estou quase pronto para gozar novamente com o simples pensamento.”

“Só não quero decepcioná-lo. Sou muito inexperiente em comparação a você.”

“Sabe o que? Pode ficar ali nua e tenho certeza que será a coisa mais

emocionante que já vi. Confie em mim. Será maravilhoso. E vai ser capaz de me dar

algo que ninguém fez.”

“O que?”

“Você. Nunca quis ninguém como te quero. Tive minha parte de merda, que foi

apenas um meio para um fim. Quero muito mais com você. Quero experimentar o

sexo de forma diferente, tomar meu tempo com você, gozar dentro, ser uma parte

sua. Nunca quis essa verdadeira intimidade com ninguém. Então, será novo para

mim, também, acredite. O que me lembra, se não estiver tomando pílula, precisa

começar.”

“Eu tomo há anos, embora não precise realmente.”

"Bom. Porque sonhei em gozar dentro de você.”

Eu também.

“Posso confessar outra coisa?” Pergunta.

“Qualquer coisa.”

“Tenho medo de dizer todas as coisas que quero.”

“Por quê?”
“Acho que é porque fui ensinada desde cedo que sexo é errado, de alguma

forma. Não estou acostumada a ser aberta sobre meus mais profundos desejos.

Minha inexperiência não é devido à falta de querer. Só não encontrei alguém em

quem confiar. Mas não há realmente nenhum limite para o que quero tentar

sexualmente com você ou o que quero que faça comigo.”

“Bem, estou oficialmente duro novamente,” diz ele. “Não ter limites é uma

coisa boa, Rana. Mal posso esperar para dar-lhe o que quer. Nada é impossível. Por

que eu iria querer qualquer limitação com você?”

“Acho que um dos medos que cruzam minha mente é ...” Hesito. “Depois de

conhecer seu passado ... se começar a pedir certas coisas ...”

“O que? Basta dizer.”

“Bem, como se quiser que seja rude comigo ... vai lembrar de...”

“Não, não e não. Vejo onde quer chegar. Está com medo de parecer que está me

usando? A resposta é ... porra, não. Isso é diferente. Realizar suas fantasias é minha

fantasia. Não acha que eu quero ser rude com você, também? Não há nenhuma

parte minha que quer ser gentil. Não se atreva a se segurar comigo. Peça o que

quiser. Basta ter cuidado, porque darei a você.”

“Tudo bem ...” Estou dolorosamente excitada.

“Você está preocupada em me ofender ... enquanto isso, tudo o que posso

pensar é quanto tempo tenho que esperar antes de foder essa bela bunda.”

Suspiro. “Pare de me excitar novamente, Landon. Não é justo.” Aperto meus

próprios seios, sendo fisicamente doloroso. “É difícil estar longe de você.”


“Precisamos fazer planos. Não sei quanto tempo posso ficar sem te ver. Quero ir

ao Michigan. Posso visitar meus pais também enquanto estou fora.”

O pensamento dele vir aqui me deixa feliz e assustada. Para realmente

funcionar, não pode haver segredos entre nós. Quero uma vida com esse homem e

ele merece a mesma sinceridade que me deu.

Preciso te dizer, Landon.

Quero muito que saiba.

Vou contar.

Só não hoje à noite; não quero estragar isso.


Capítulo dezessete

TAKE ME TO YOUR ROOM

Às vezes acordo no meio da noite, suando frio, preocupada de que algo

aconteceu com Landon.

Não sei se é algum tipo de estresse pós-traumático devido ao acidente de skate

ou o que.

Talvez seja apenas a regra quando ama alguém, quando o amor é novo e,

talvez, quando se sente indigno deste amor. Então, você se preocupa com o fato de

que o universo de alguma forma tirará tudo de você.

Claro, Landon e eu ainda não dissemos que nos amamos com estas palavras.

Não tenho certeza se importa, porque quando se resume a ele, definitivamente

sinto o amor. A formalidade nunca pareceu ter importância.

Ainda assim, tenho meus momentos de paranoia e esta noite em particular, isso

está com tudo. Landon não respondeu minhas últimas mensagens hoje e tive que ir

trabalhar com a preocupação pesando em meus ombros.

Nunca esquecerei esta noite. Dançar e tentar manter um rosto feliz não é fácil

quando está preocupada. Ao mesmo tempo, o medo me envolve e obriga a me

conectar ainda mais profundamente do que o habitual à música. Tudo o que posso

me concentrar é no ritmo. Se começar a pensar demais, não conseguirei fazer os

movimentos.

Quando chego em casa, sei que será uma noite sem dormir se Landon não me

ligar.
Finalmente, pouco depois da meia-noite, meu telefone soa. Salto para verificar.

Landon: Desculpe, meu amor. Meu telefone não estava recebendo

mensagens.

Digitando mais rápido do que consigo pensar, escrevo de volta.

Rana: Você me deixou preocupada. Não é comum você não responder.

Pensei que talvez tivesse se machucado novamente ou algo assim.

Landon: Só vi sua mensagem agora.

Rana: Seu telefone está quebrado?

Landon: Porra… Não sei mentir pra você.

Rana: O que? Por que precisa mentir pra mim?

Landon: É que se eu disser a verdade, terei que admitir que meu telefone

não estava funcionando porque eu estava no avião. E se admitir isso, terei

que admitir que acabei fazendo algo que prometi a você nunca fazer, que é

aparecer na sua porta do nada.

Meus batimentos cardíacos aceleram e as borboletas no meu estômago surgem

de uma só vez enquanto saio da cama e corro para a porta.

A mochila de Landon cai no chão antes dele me tomar nos braços. Sempre me

surpreende a facilidade com que posso chorar quando se trata dele. Quase nunca

chorei por qualquer coisa antes dos últimos meses. Mas estar em seus braços outra

vez, sabendo que ele veio de tão longe, definitivamente traz lágrimas à tona.

Ele fala no meu pescoço, "Eu precisava te ver.”

Envolvendo os braços nele, percebo o calor do corpo e o cheiro de sândalo de

sua colônia.
Ele está aqui de verdade.

"Fiquei tão preocupada."

Passo os dedos por seu cabelo antes de deslizar as mãos por suas costas.

Esqueci o quanto é incrível sentir os contornos de seu corpo musculoso. Talvez

desta vez seu toque seja mais incrível para mim, já que não estou mais me

segurando, agora que realmente me permito que seu toque desperte todas as

sensações. Também posso sentir uma diferença nele, na forma como está me

segurando. A resistência que existia na Califórnia não está mais aqui. Ele se permiti

uma entrega completa à atração física entre nós.

No segundo em que se afasta de nosso abraço, não perde tempo: encaixa seus

lábios nos meus, a língua deslizando por minha boca com uma necessidade

desesperada de provar. O sabor familiar e açucarado de sua respiração torna-se o

único oxigênio que preciso. Estou completamente viciada nele.

Suas mãos estão em mim enquanto os beijos se intensificam. Ele aperta minha

bunda e posso sentir minha excitação entre as pernas enquanto meu corpo se

prepara para o que está por vir.

"Leve-me para seu quarto,” ele resmunga nos meus lábios, pressionando seu

corpo contra mim.

Isso realmente está acontecendo.

Meu coração bate contra o dele enquanto tropeçamos em direção ao meu

quarto.
Mal paramos para respirar, apenas para que Landon possa arrancar minha

camiseta. Com apenas minha roupa de baixo, estou praticamente nua, enquanto ele

segura meu cabelo e depois passa os dedos entre eles.

"Adoro esse maldito cabelo,” ele diz enquanto puxa meus cabelos para dobrar

minha cabeça para trás, assim podendo devorar meu pescoço. Ele aperta os dedos

mais fortes nas minhas longas mechas enquanto a sucção se intensifica.

Então ele abaixa a cabeça ainda mais para meus seios e pega meu mamilo entre

os dentes antes de chupá-lo. Ele sorri na minha pele enquanto me retorço com a

dor prazerosa. Sua mão áspera apalpa o peito oposto, espremendo minha pele

macia.

Adoro que ele não vá devagar comigo, que saiba que posso aguentar. Então,

novamente, não consigo imaginar estar com ele de outra maneira. Ele é uma força

sexual a ser domada.

Meu clitóris está inchado pelas carícias dele em meus seios. Minha calcinha está

encharcada. Sentindo-me desesperada, agarro seu queixo, levando sua boca de

volta para a minha, para que possa prová-lo. Tomando sua língua entre os dentes,

sugo-a suavemente. Ele geme na minha boca e me beija ainda mais, desta vez

pressionando sua ereção em mim enquanto sussurra na minha boca, "Sinta isso.”

Nada resta para a imaginação agora. Ele é enorme. Posso sentir seu pênis

quente e latejante contra mim e ele parece ocupar uma boa porção da parte

superior da sua coxa. Apenas o pensamento do que sentirei com ele dentro me

deixa mais molhada.


Descaradamente aperto meu clitóris contra o jeans e esfrego-me em seu pau. Ele

envolve as mãos firmemente na minha bunda e me guia enquanto continuo

roçando nele através das nossas roupas.

“Posso sentir como está molhada através das minhas calças. Merda.” Ele solta

uma respiração trêmula em minha boca. "Você é tão gostosa, mas continue assim e

vai ser fodida em dois segundos.”

"Isso é o que quero."

Quando olho para ele e sorrio, posso ver a necessidade visceral em seus olhos

vidrados. Eles estão cheios de luxúria e praticamente me fodem.

Landon puxa a lateral da minha calcinha e desliza dois dedos por baixo do

elástico. Pulso enquanto ele lentamente os afunda dentro de mim. Ele fecha os

olhos em êxtase quando sente meu calor úmido pela primeira vez. Isso me faz

perceber mais do que nunca o quanto preciso disso. Tencionando meus músculos,

aperto seus, gemendo em resposta.

De repente ele tira os dedos de mim antes de se ajoelhar. Ele desliza minha

calcinha para baixo antes de jogá-la de lado, mas fica ali de joelhos e enterra o rosto

entre minhas pernas. Seus dedos apertam as bochechas da minha bunda enquanto

sua língua trabalha incansavelmente na minha buceta, a frieza do piercing em sua

língua aumenta a excitação. Jogando a cabeça para trás, percebo que posso

facilmente gozar.

Seus sons abafados vibram através do meu núcleo enquanto ele usa todo seu

rosto para garantir que meu clitóris experimente um prazer sem precedentes. Num
ponto, ele para e me olha antes de lentamente se levantar e desabotoar a calça. Ele

joga o cinto pela sala e baixa o zíper.

Ofegante, vejo seu jeans cair no chão antes que ele o chute de lado. Quando tira

a camisa, fico maravilhada com a visão do seu peito duro e tatuado, e dou-lhe uma

olhada íntima e pessoal como nunca antes. Seu corpo é como uma tela de arte, um

deleite puro para meus olhos. Quero lamber uma linha pela trilha da felicidade que

divide seu músculo abdominal inferior.

Ele está diante de mim com nada além da cueca boxer preta. O material não faz

nada para mascarar o esboço de seu pênis. A ponta do pau está saindo no topo e

posso ver seu piercing brilhante pela primeira vez.

Lambo os lábios em antecipação quando ele coloca as mãos na cintura e

lentamente abaixa a cueca, fazendo com que seu pênis salte em toda sua glória.

Essa visão me deixa de joelhos, literal e figurativamente.

Incapaz de resistir, envolvo a mão em sua carne quente, apreciando a sensação

sedosa de seu eixo. Ansiando lamber a pequena gota que brilha em torno do

piercing, rodo minha língua em torno da grossa ponta como se estivesse

lentamente dançando em volta de seu pau. O gosto dele é delicioso. Não posso

dizer que alguma vez antes já tive mais prazer do que isso. Incapaz de parar,

começo a levá-lo mais profundamente enquanto ele agarra meu cabelo para que ele

possa ver seu pau se movendo dentro e fora da minha boca.

Ele inclina a cabeça para trás. "Porra. Não tente me dizer que não sabe o que

está fazendo. Isso está incrível.”


Com seu pau ainda enchendo minha boca, sorrio para ele. Suas pálpebras se

apertam quando ele relutantemente se afasta.

Ele me ajuda a levantar e diz: "Não posso esperar mais um segundo. Vou te

foder gostoso, Rana." Pressionando seu corpo gloriosamente duro contra meus

seios, ele deposita seu peso até eu cair na cama. Este é um dos momentos em que

agradeço por morar sozinha, pois sei que isso não será silencioso.

Afastando as pernas, ele olha-me atentamente numa advertência silenciosa

antes de entrar com uma forte investida que me faz ofegar.

A cama sacode e a cabeceira bate contra a parede enquanto ele me fode

implacavelmente. Quando você espera o tempo que esperamos, não há jeito fácil de

fazer as coisas. Só a fricção isolada de seu grosso eixo se movendo dentro e fora é

algo que jamais senti. Landon fode como um campeão - totalmente focado e com

todo seu corpo.

O sexo que tive na adolescência era apenas um meio para um fim, sem

considerar meu prazer. Para Landon, o sexo não se trata apenas de enfiar seu pênis

dentro de mim e movê-lo dentro e fora. Estamos conectados de todas as formas

possíveis. Suas mãos estão presas às minhas, me guiando. Sua língua está me

provando com a mesma sincronia que os movimentos de seu corpo.

Ocasionalmente, ele se separa para me morder gentilmente, o que sempre faz eu

me sentir como se ele estivesse reivindicando sua posse de algum jeito. E seu pau

me penetra tão profundamente que sei que ficarei dolorida amanhã.

Mal posso esperar pelo seu gozo, para sentir a explosão do seu desejo dentro de

mim.
"Você achou que estaria muito molhada para mim, hein? Amo sua buceta

molhada lambuzando meu pau, baby. Isso é melhor do que qualquer coisa.”

Meus dedos estão se enrolando com a intensidade das investidas. Adoro a

sensação e o som de suas bolas batendo na minha bunda.

Isso é ser fodida de verdade.

Seus quadris se movem num movimento circular quando ele desacelera. "Tenho

que ir mais devagar ou vou explodir.”

"Estou pronta,” sussurro.

Ele me desafia. "Está?"

Agarro sua bunda. "Sim."

Ele começa a entrar em mim ainda mais forte do que antes enquanto goza.

Assim que sinto o calor do seu jorro, meus músculos ficam tensos ao redor dele. E

então, finalmente entendo o que ele quis dizer quando me explicou que quando

goza sua mente fica em branco. É exatamente o que aconteceu comigo. Todas as

preocupações do mundo simplesmente desaparecessem por um momento.

Ele fica sobre mim, seu pau ainda duro e quente dentro de mim. Nossas testas

se tocam e a respiração ainda está pesada. Não sei como pude viver tanto tempo

sem experimentar isso.

Tento frustrar as tentativas da minha mente de pensar sobre as mulheres com

quem ele já esteve antes. Agora que experimentei o que é estar com ele, sinto ainda

mais ciúmes de alguém que veio antes de mim e espero que nenhuma tenha
experimentado exatamente o que acabei de ter. Porque isso parece muito mais do

que só sexo.

Quando ele finalmente sai de mim, não gosto. Quero ficar ligada ao seu calor.

"Tenho uma confissão,” ele diz puxando o lençol sobre nós e me puxando para

seu peito. Mais uma vez, meu corpo está feliz.

"O que?"

"Não me mate.”

"O que fez, Landon?"

"Vi você dançar esta noite.”

"Como?"

"Fui egoísta e quis te ver em ação sem que soubesse que eu estava observando.

Sentei no canto do restaurante para que não pudesse me ver.”

"Oh, meu Deus." Endireito-me. "Não posso acreditar que não sabia que estava

lá.”

"Puxei o boné sobre o rosto. Decidi que se me notasse, eu iria me revelar. Mas

como não notou, simplesmente decidi aproveitar e assistir como todo mundo.”

Minhas bochechas ficam vermelhas. "O que achou?"

"Foi mais do que imaginei. Você é incrível. Todo seu movimento estava em

perfeição com a música. Todos naquela sala só queriam um pedaço de seu espírito,

de sua beleza. Não posso acreditar que não posso te observar o tempo todo. Ficaria

na frente e no centro todas as malditas noites, se pudesse. Não faria mais nada. Não
esperava me sentir tão orgulhoso. Foi difícil não correr para a pista de dança. Não

sei o que esperava, mas não que fosse tão mágico.”

"Bem, foi bom não saber que estava lá. Senão, de jeito algum poderia ter me

concentrado. Como chegou lá do aeroporto?"

"Aluguei um carro. Então, nada de ônibus por alguns dias."

Estou começando a ponderar um pouco.

Ele examina meu rosto. "O que está pensando?"

"Sinto que tenho tantos pensamentos e sentimentos na ponta da língua, mas

nada está saindo e eu vou explodir.”

"Se não consegue encontrar palavras, pode usar essa língua de qualquer outro

jeito que queira. E definitivamente, sei o que quer dizer quanto à sensação de

explodir. É por isso que vim até aqui. Sério, Rana, seja o que for te preocupando

agora, apenas tire da sua cabeça, ok?"

"Ok,” sussurro.

"Não vim aqui forçá-la a falar sobre coisas pesadas ou qualquer coisa. Um

homem não larga aleatoriamente seus negócios no meio da hora do almoço e corre

para casa para reservar um passagem de avião para voar através do país só porque

quer causar problemas. Vim por duas coisas."

Meu coração está pronto para explodir. "O que?"

"A primeira é óbvia. Mas a segunda e mais importante é dizer-lhe pessoalmente

que estou totalmente apaixonado por você, Rana Saloomi. Porque isso

simplesmente não parece ser algo que diz por telefone. Eu te amo muito.”
Ele segura meu rosto nas mãos e dá um longo beijo em meus lábios. Afasto-me

muito cedo porque preciso retribuir seus sentimentos.

"Também te amo. Nunca amei ninguém como te amo." Não há palavras

suficientes para explicar. Só esperei que ele dissesse primeiro, mas já me sinto

assim há muito tempo.

"Bem, vou aceitar isso e me acostumar." Ele me abraça. "Sabe, realmente gostava

de você quando éramos crianças. Você me divertia e te achava provavelmente a

garota mais legal que já conheci. Mas não vou mentir e dizer que sempre te amei.

Eu não te amava até recentemente. Eu me apaixonei demais pela garota danificada

que bebia, me ligava e fazia rir. Acho que percebi isso na noite em que confessei

meu passado em L.A. Porque nunca tive tanto medo de perder alguém na vida.”

Limpo uma lágrima do meu olho. "Obrigado por gostar de mim, mas

especialmente por me amar agora - mesmo com todas minhas loucuras.”

"Não consigo te imaginar sem a loucura. São minhas loucuras agora." Ele estala

o dedo. "Esqueci que te trouxe um presente.”

Admiro sua bunda nua e musculosa enquanto ele caminha até seu casaco e tira

algo.

Ele volta para cama. "Comprei isso para você na Califórnia. Queria te dar algo.

E isso me lembrou totalmente de você.”

É uma caixa branca que tem Pandora em letras douradas, então sei que a marca

é bastante cara. Dentro há uma pulseira de prata com duas contas redondas na cor

azul.

"É lindo, Landon!"


Ele abre o fecho e a coloca em volta do meu pulso. "Pensei que poderíamos ir

montando a pulseira ao longo do tempo, com um pouco de nosso relacionamento.

Mas comecei com estas duas contas porque me lembram muito de nós agora.

Alguma suspeita de por que as escolhi?"

Então entendo.

Duas bolas azuis.


Capítulo dezoito

NO MORE SECRETS

"Estou fazendo isso! Realmente estou fazendo!" Grito quando fazemos o

caminho circular pela enésima vez.

Landon decidiu que sua primeira tarefa no Michigan seria me ensinar a dirigir.

Ele acha o máximo que estou me divertindo tanto. Convenhamos, sem outros

carros à volta, realmente não é para temer.

"Desacelere um pouco, baby. As voltas não precisam ser tão fortes.”

Landon me levou ao estacionamento quase vazio do shopping que costumava

frequentar ao crescer. O shopping center fechou anos atrás e nunca reabriram. A

área é como uma cidade fantasma e algumas das placas antigas das lojas ainda

estão intactas, mesmo que o prédio tenha sido abandonado. Mas ele estava

decidido a conduzir minha aula de direção nesse local exato.

Viro outra esquina. "Uuhhuuu!"

"Desacelere um pouco.”

“Acho que estou pronta para tentar na rua.”

Landon parece cético. "Vamos ficar no primeiro passo hoje. Depois que

realmente pegar o jeito e aliviar o pé, vamos para a estrada. Talvez não possamos

fazer isso antes de eu partir, mas prometo terminar o que comecei.”


Paro o carro com os pneus guinchando antes de desligar a ignição. "Por quanto

tempo vai ficar? Você não disse."

"Alguns dias. Não tenho como deixar o FoodTruck por mais tempo do que isso

sem avisar com antecedência. Minha vinda para cá foi realmente impulsiva e não

cuidei de tudo o que precisava antes de partir.”

Virando o corpo em sua direção, pego sua mão. "Relacionamentos a longa

distância não têm um bom histórico, não é?"

"Bem, estou contando que não será assim para sempre." Ele olha o telefone e faz

uma careta.

"O que está errado?"

"Minha mãe acaba de me enviar uma mensagem para confirmar esta noite.

Meio que disse a meus pais que iria visitá-los."

Decepcionada com a perspectiva de não passar um tempo com ele mais tarde,

faço uma careta. "Ah.”

"Quero que venha comigo. Quero que eles saibam de nós."

Uma onda de pânico me atinge. "Você quer?"

"Sim."

"Não sei como vão reagir a mim.”

"Isso não importa.”

"O que sabem sobre o seu..." Hesito. "Sua vida na Califórnia?"


"Se está perguntando se sabem sobre a história de acompanhante, a resposta é

não. Nunca tive coragem de contar a eles e realmente não acho que alguém vai se

beneficiar se souberem. Minha mãe ficará devastada. Meu relacionamento com

meus pais sofreu bastante no momento em que decidi me mudar para o oeste para

procurar Beverly. Eles são boas pessoas e sei que me amam e estão bem, mas me

afastei involuntariamente desde que mudei. Eu me arrependo e acho que o mínimo

que posso fazer é visitá-los enquanto estou aqui.”

"Quando foi a última vez que os viu?"

"Cerca de um ano atrás vieram me visitar no Natal. Mas antes disso, fazia dois

anos."

"Uau."

"Sim. Preciso ser um filho melhor." Landon aperta minha mão. "Então, vai

comigo, certo?"

Engolindo minha insegurança, sorrio. "Sim… Claro."

***

Deixo escapar uma respiração profunda quando estamos na frente da casa de

seus pais. É emocionante para mim estar de volta ao lugar onde tudo começou com

Landon anos atrás.

Ele esfrega minhas costas. "Não fique nervosa. Vai ficar tudo bem.”

"Eles vão se assustar quando perceberem quem sou.”

"Bem, então, será problema deles.”


Marjorie Roderick atende a porta e imediatamente puxa Landon para um

abraço. "Landon... Querido, seja bem-vindo. É tão bom vê-lo, filho."

"Você também, mãe.”

Com cabelos curtos e loiros, a mãe de Landon tem um visual muito americano.

Ela realmente não mudou tanto. Tem que estar no final dos cinquenta anos ou no

começo dos sessenta agora.

Ela olha para mim. "Não sabia que estava trazendo uma amiga.”

"Sim. Ela é a razão pela qual estou no Michigan." Landon sorri com

tranquilidade e faz uma pausa. "É Rana, mãe. Lembra dela..."

Ela estreita os olhos, examinando meu rosto. "Rana? Rana... Saloomi?"

Sorrindo nervosamente, dou de ombros. "Sim, sou eu." Meu nervosismo faz

com que as palavras saiam aos tropeços. "Eu... fiz uma plástica no nariz.”

Provavelmente não deveria ter dito isto. Mas estou tão nervosa e penso apenas

em já abordar a questão.

Marjorie inclina-se para me abraçar. "Oh... minha nossa. Você parece tão..."

"Diferente, sim,” digo.

"Eu ia dizer linda. Mas sempre foi linda, querida."

"Bem, obrigada.”

Marjorie olha seu filho. "Mas, admito, estou confusa..."

"Posso compreender,” digo.


Landon finalmente oferece a explicação que ela espera. "Nós nos reencontramos

ano passado e começamos a falar ao telefone. E então Rana foi me visitar. O resto é

história. Agora, ela é minha namorada."

Fico feliz ao ouvir Landon me chamar assim. Mesmo ele dizendo que me

amava, esta é a primeira vez que me classifica como namorada.

Como esperado, ela parece genuinamente chocada. "Uau. Isso é tão inesperado,

mas honestamente... Qualquer coisa que traga Landon de volta ao Michigan para

uma visita é uma coisa ótima."

O pai de Landon, Jim, entra na sala.

"Filho!"

Landon e ele se abraçam e batem firmemente nas costas um do outro.

"Olá, pai. Senti sua falta."

Marjorie me apresenta. "Jim, você se lembra de Rana Saloomi, não é ... de anos

atrás?"

Jim fica atordoado. "Bem, vou ser condenado. Você está completamente

diferente.”

"Foi o que disseram.”

"Landon e Rana se reencontraram. Eles estão namorando."

Sinto a necessidade de abordar imediatamente o elefante na sala com o pai de

Landon. "Sinto muito pelo que aconteceu anos atrás, sobre a maneira como meus

pais deixaram o apartamento.”


Jim ergue a mão para impedir que eu continue. "Você não precisa se desculpar.

Não foi sua culpa.”

Marjorie acrescenta, "Você sempre foi muito respeitosa. Nunca te culpamos.

Realmente lembro de ficar triste por Landon perder uma amiga quando foi

embora."

Landon e eu nos olhamos por um breve momento, trocando sorrisos.

"As coisas estavam bastante enroladas, naquela época, com meus pais,” falo.

"Obrigado pela compreensão.”

"Não precisa agradecer,” diz ela. "Honestamente... Sinto que estamos em dívida

com você por trazer Landon para uma visita.”

Na verdade, me sinto realmente mal pela mãe de Landon. É claro que sofreu

com o desaparecimento dele de suas vidas.

Landon lhe dá outro abraço. "Desculpe por demorar tanto.”

Marjorie então olha diretamente para mim quando diz: "Nós realmente amamos

nosso filho e sempre quisemos o melhor para ele. Mas sabe, só pode manter seus

filhos perto por um tempo determinado. Em algum momento, precisa deixá-los ir e

descobrir a si mesmos. Não podia mantê-lo aqui, por mais que implorasse e então

percebi que ele tinha que viver sua vida e aprender com seus erros. Deixá-lo ir para

a Califórnia foi a coisa mais difícil que já tive que fazer, mas sabia que não ia

conseguir detê-lo.”

A situação de Landon é a prova de que mesmo pessoas com dois pais e uma

educação aparentemente perfeita podem estragar suas vidas.


"Nem sempre tive minha cabeça muito certa, mas finalmente coloquei os pés no

chão, mãe. Não precisa mais se preocupar. Mas preciso me desculpar por afastar

vocês durante esses anos. A separação é algo que tinha que vivenciar para chegar

onde estou agora. Acredite, vocês fizeram tudo certo. Foram os melhores pais que

alguém pode querer.”

Sua mãe parece estar prestes a chorar. "Bem, é muito simpático dizer isso. E vou

aceitar o que conseguir em termos de visitas do meu lindo filho.”

Acabamos sentando para jantar e ao longo da noite, realmente me pego

desfrutando da companhia deles. Rimos muito, em particular quando Landon

conta a história da primeira vez que seus pais viram suas tatuagens.

É realmente estranho voltar ao lugar onde costumava viver, embora a garagem

tenha voltado a ser exatamente isso - um lugar para estacionar carros e armazenar

coisas. Um ar de nostalgia definitivamente me acompanha por toda a noite.

Depois do jantar, Landon e eu saímos para um passeio ao redor do bairro

antigo. É surreal voltar a esta rua, ver as mesmas rachaduras na calçada por onde

costumava andar de bicicleta.

Passeamos e relembramos até que uma inesperada discussão interrompe nossa

noite.

Estamos dando a volta no bloco circular quando paramos na frente da casa da

Sra. Sheen. Uma mulher está na entrada, apoiada num carro. Ela nos olha por um

momento.

Num aviso claro, Landon aperta minha mão antes de dizer: “Hei, Kelsie.”
Ela usa a mão como viseira apesar do fato de que não ter sol. "Caralho. Landon?

É você?"

Embora ele tenha dito seu nome, demora alguns segundos para eu perceber que

é Kelsie, a ex de Landon e minha antiga inimiga quando tinha treze anos.

Que merda.

Que afinação.

Ela ainda mora com seus pais?

"Uau. Não te vejo há anos. Quase não o reconheci,” diz ela.

"Sim, estou visitando meus pais.”

Kelsie tem o mesmo cabelo loiro escuro que lembro, embora definitivamente

esteja um pouco mais pesada agora.

Landon espia dentro do o carro. "Quem é esse pequeno?"

"É Bryce. Seu pai está no exército e foi convocado, então estou passando algum

tempo com mamãe. Na verdade, vivemos na base em Illinois.”

"Uau. Bem, agradeça a ele por seu trabalho.”

Ela assente. "Como é a Califórnia? Achou o que procurava?"

"Sim." Ele olha diretamente para mim. "Sim, finalmente encontrei o que

procurava.”

"Bom. Que bom." Ela olha para meu rosto, mas não me reconhece e nem se

apresenta. "Bem, tenham uma boa noite.”

"Você também,” digo.


Uma vez que estamos longe o suficiente para que não ouça, Landon finalmente

fala: "Desculpe. Não sabia se queria que te apresentasse ou não. Sei que a odiava e

não queria te aborrecer. Suspeitei que não quisesse que falasse."

"Estava rezando para não dizer meu nome. Estou muito feliz por não ter falado.

Essa é a maravilha de estar diferente. Se eu encontrar alguém do passado que não

quero rever, não vão me reconhecer de qualquer maneira.”

"Não queria que se sentisse na obrigação de explicar qualquer coisa a ela.”

"Boa decisão."

Nossas mãos estão entrelaçadas enquanto continuávamos nossa caminhada.

"Não está orgulhoso de mim?" Rio. "Nós vimos Kelsie e nem sequer fiquei

enciumada.”

Ele me puxa divertidamente para ele. "Isso é porque acho que finalmente

entendeu que não tem motivo para sentir ciúmes.”

Paramos na frente da casa de seus pais, ambos hesitando em entrar.

Envolvendo os braços ao redor de seu pescoço, eu o olho. "Estou realmente feliz

por ter vindo visitar.”

"Eu também. Há uma parte de mim que tinha vergonha do que vinha

escondendo de minha família. Estava evitando-os, para não ter que lidar com isso.

Sua aceitação, depois de tudo o que contei, realmente me ajudou a me perdoar. Isso

me deu a coragem de enfrentar meus pais novamente. Tive que me perdoar

primeiro, eu acho."
Landon só estará aqui por alguns dias mais. Logo perderei a oportunidade de

lhe contar minha própria verdade pessoalmente. Esta noite me deixa mais certa do

que nunca que não haverá mais segredos entre nós.

Sei que há uma boa chance de lhe contar tudo e ele voltar atrás. Que pode se

virar contra mim e tomar as coisas como pessoais, de qualquer maneira. Ele pode

muito bem perder o respeito por mim.

Contar a verdade é um grande risco, mas preciso fazer.


Capítulo dezenove

NO SURGERY FOR A BROKEN SOUL

Embora diga a mim mesma para contar tudo na sua última noite no

Michigan, às vezes um segredo apenas vai te corroendo tanto que de repente não

pode mais ser escondido. A verdade geralmente encontra o caminho em seus

próprios termos.

Depois de voltarmos da casa de seus pais, Landon e eu fazemos amor várias

vezes até adormecer. Sinto-me tão satisfeita em seus braços, mas a sombra do

segredo está sempre à espreita, impedindo-me de aproveitar plenamente nossa

conexão.

Acordo suando e tremendo no meio da noite; meu corpo não podendo mais

sustentar a culpa.

Landon acorda e imediatamente sabe que algo de muito errado está

acontecendo. "O que houve?"

"Eu preciso contar agora.”

"Sei que disse que não iria te pressionar, mas concordo. Precisa falar comigo.

Por favor,” ele implora.

É agora ou nunca, como se a bolha de proteção que mantém meu passado

escondido de alguma forma explodisse neste momento.

Simplesmente continuo olhando-o na escuridão, porque quero apreciar esses

últimos segundos de felicidade antes de esclarecer tudo. Então viro e encaro a


escuridão. Esta história será mais fácil de contar se não estiver de frente para ele,

melhor se não precisar testemunhar sua decepção.

Ele me segura firmemente com seus braços grandes. "Vou te segurar assim. E

não vou soltar. Quero que me conte tudo."

Meu corpo continua tremendo enquanto liberto as palavras.

"Quando meus pais e eu nos mudamos de sua casa para viver com meus avós,

acabei entrando numa horrível fase rebelde. Transei pela primeira vez quando

tinha apenas catorze anos. Mesmo não me sentindo linda na maior parte do tempo,

por algum motivo, me sentia desejável... Importante... quando comecei a explorar

minha sexualidade. Na escola todos diziam que eu era fácil e basicamente deixei

que vários meninos transassem comigo no decorrer de um ano. Eles variaram de

calouros a sêniores."

A respiração de Landon fica um pouco mais pesada. Sei que ele não está

confortável em ouvir isso, apesar de tudo o que confessou sobre si mesmo. Eu

continuo.

"As coisas ficaram realmente ruins em casa. Mesmo que meu pai tenha tentado

mantê-los separados, minha mãe fugiu com seu jovem namorado. Papai tentou

controlar-me durante esse tempo, porque era tudo o que ele tinha. Mas foi em vão.

Eu simplesmente fugia no meio da noite para encontrar os meninos. Não podia

conversar com meu pai sobre nada, então ninguém realmente me ensinou como ser

responsável.”

Landon parece saber onde isso vai enquanto sussurra contra a parte de trás do

meu pescoço, "Oh, foda." Seu corpo fica rígido. Ele repete: "Foda.”
Estou começando a me sentir enjoada.

Apenas conte tudo.

"Estava com quinze anos quando descobri estar grávida. Era o maior pesadelo

que podia imaginar. Meu pai nem sabia que estava saindo de casa na maioria das

noites, muito menos que transava. Ele estava completamente no escuro. Ele achou

que bastava me proibir de fazer as coisas e eu escutaria. Claramente, ele

subestimou a vontade de uma adolescente hormonal, especialmente uma que se

rebelou contra sua mãe.”

Landon está em silêncio. Apenas continuo minha história.

"Eu honestamente não sabia o que fazer. Mantive escondido pelo tempo que foi

humanamente possível. Meu pai achou que eu estava engordando. Ele

provavelmente achou que estava comendo mais porque estava deprimida por

Shayla ir embora. Fiquei no meu quarto tanto quanto possível para que ninguém

visse meu corpo mudar. Mas com seis meses, não consegui esconder. Minha avó foi

a única que me confrontou. Implorei a ela para não contar ao meu pai, mas ela não

ouviu. Quer dizer, não sei o que eu estava pensando, pedindo que me ajudasse a

esconder. Ele acabaria sabendo. Desnecessário dizer que quando papai descobriu,

ficou completamente devastado. Como ele era tão linha dura comigo, esperava que

ficasse furioso, que me mandasse embora. Mas sua reação principal foi de choque e

tristeza. É como se ele não pudesse acreditar no quão cego foi e realmente se

culpou por isso.”

Mesmo que originalmente não quisesse olhá-lo, preciso ter certeza de que

Landon está bem. Virando, solto um suspiro de alívio quando ele coloca a mão na

minha bochecha.
Sua voz é baixa. "Continue. Por favor. Preciso ouvir o resto.”

Assinto com a cabeça e respiro fundo.

"Com apenas alguns meses faltando, não havia muito tempo para me preparar.

Eu certamente não estava de modo algum preparada para ser mãe. Meu pai estava

sem emprego. Ambos vivíamos com meus avós. Eu simplesmente não sabia o que

fazer." Fecho os olhos e volto a abri-los. "Uma tarde, me mandaram descer as

escadas. Havia uma mulher sentada na sala de estar. Ela estava ali com uma

agência de adoção. Minha avó a contratou. Esta pessoa sentou e explicou qual seria

o processo, caso fosse algo que eu quisesse considerar. Eu tinha quinze anos, estava

com medo e procurava uma solução. Só precisava que alguém me dissesse o que

fazer. A mulher parecia abordar muitos pontos positivos. Tudo o que queria

naquele momento era esquecer que aquilo estava acontecendo, então, ouvi-la falar

sobre todas as responsabilidades de se ter uma criança foi esmagador. Ela terminou

mencionando que havia um casal em particular que estava procurando adotar um

recém-nascido e que ela achava que a situação seria uma boa opção para mim.”

Landon morde o lábio em silêncio. Deve haver tantas emoções o percorrendo

por causa de sua própria história. Gostaria de poder mudar a história de alguma

forma, mas preciso contar a verdade absoluta.

"Estava completamente desapegada não só de meu bebê, mas de toda a

situação. Não estava pensando nas repercussões a longo prazo de dar meu filho.

Também estava pensando como uma criança. Não era emocionalmente pronta para

pensar nisso, muito menos na experiência de maternidade. Deixei que todos me

convencessem de que estava fazendo um favor a meu filho, entregando-o a esse

casal agradável e amoroso.”


Seus olhos ficam distantes. Estou aterrorizada, eu vou perdê-lo. Ele nunca

conseguiu realmente perdoar sua mãe biológica por desistir dele. Só posso

imaginar o que esta história está fazendo com ele. Ele olha para longe quando

pergunta: "O que teve... uma menina ou um menino?"

Meus olhos começam a encher de lágrimas. "Dei a luz a uma menina e o

hospital deu alta a ela diretamente aos pais adotivos. Escolhi não segurá-la porque

estava com muito medo. Não queria correr o risco de sentir algo por ela, porque

não faria diferença. Sabia que não podia ser sua mãe. Eles me fizeram esperar um

certo número de dias para assinar os papéis, caso mudasse de ideia. O tempo

necessário passou e assinei a doação da minha filha." Soluço. As palavras são muito

difíceis de dizer.

Ele respira fundo. "Apenas assim..."

Concordo com vergonha e sussurro, "Sim, apenas assim.”

"O que aconteceu depois? Quero dizer, como foi sua vida depois que a

abandonou?"

"Minha vida depois disso foi muito melancólica. Passei pelo ensino médio, me

sentindo completamente vazia e cheia de auto aversão. Já não tinha interesse em

meninos. Estava muito traumatizada pela gravidez para que alguém me tocasse.

Na verdade, isso continuou até você entrar em minha vida. Mas naquela época,

enquanto todos os outros iam aos bailes e escolhiam faculdades, acabei me

isolando. Não conseguia me suportar. Isso continuou por anos. Já sabe que, aos 18

anos, usei dinheiro que deveria ser para a faculdade para fugir de Detroit e fazer

uma cirurgia plástica. Bem, agora sabe que o motivo não era apenas melhorar

minha aparência física, mas também encobrir quem era antes. Estava tão
decepcionada comigo mesma que basicamente queria que Rana desaparecesse."

Meu lábio treme.

Simpatia volta aos olhos dele, que agora estão cheios de umidade, embora não

chore de verdade. Suspeito que ele esteja lutando com suas emoções,

provavelmente em dúvida sobre se sentir decepcionado comigo ou empático.

Continuo: "Quando cheguei em casa depois de fugir para fazer cirurgia,

esperava que minha família me renegasse de uma vez por todas. Mas tive a

recepção oposta. A compaixão que me mostraram durante esse tempo foi além de

tudo que esperava. Quando sai, eles pensaram que haviam me perdido para

sempre. Então, foi só depois de voltar para casa que percebi que, apesar de não ter

uma mãe que valesse qualquer coisa, tinha um pai e dois avós que me amavam

muito. Eles nunca questionaram por que fugi. Eles pareciam compreender. Sabiam

que minha cirurgia tinha pouco a ver com o que estava na superfície. Infelizmente,

não há cirurgia para uma alma quebrada.”

E ali está. Uma lágrima cai de seus olhos. Ele está realmente triste ao ouvir-me

dizer isso. É o momento que realmente preciso tentar fazer com que ele entenda

melhor.

Colocando as duas mãos em volta de seu rosto e limpando as lágrimas com

meu polegar, olho em seus olhos. "Posso dizer sem sombra de dúvida, Landon, que

sua mãe biológica pode ter te abandonado, mas não significa que ela não te amou.

Ela realmente acreditava que ficaria melhor sem ela. E quero que saiba que entendo

perfeitamente se não puder aceitar o fato de eu ter cometido o mesmo erro que ela.

Não quero que me olhe e veja todo o ressentimento que tem por ela. Então, vou
pedir-lhe o mesmo favor que me pediu na Califórnia. Se não puder superar isso, se

não pode estar comigo sem ter vergonha, então prefiro não fingir.”

Ele enxuga os olhos. "Sabe onde ela está?"

"Sim."

"Ela sabe sobre você?"

"Não."

"Qual é o nome dela?"

Aí vai.

Essa é a outra parte da história. Talvez, a maior parte.

"O nome dela é Lilith.”


Capítulo vinte

SAY SOMETHING

Demorar um pouco para ele registrar o nome.

“Lilith ... não é o nome da...”

“Sim. A menina que visito toda semana. Sim.”

“É ela? Sua filha?”

“Sim.”

Landon se levanta caminhando em direção à janela.

Ele anda um pouco antes de virar para mim. “Ela não tem ideia?”

“Não.”

Ele limpa o suor da testa. “Estou confuso. Explique.”

"Tudo bem." Levanto da cama caminhando em sua direção. "Lembra de como

disse que acordou um dia e percebeu que a vida que vivia vivendo não era a que

queria? Bem, isso meio que aconteceu comigo quando cheguei aos vinte e um anos.

Trabalhei muito para transformar minha vida, reparar meu relacionamento com

meu pai e avós. Mas a única coisa que não conseguia superar era a persistente

necessidade do bebê que eu tinha dado. É como se eu finalmente houvesse

acordado e enxergado o que fiz. Mas era tarde demais. Acabei entendendo que

havia uma parte minha lá fora em algum lugar e que não a conheci nenhuma vez.

A minha destruição nunca foi sobre não amar meu bebê. De certo modo, nem me

permiti sentir essas coisas tempo suficiente no momento do nascimento para


perceber que a amava. Estava num estado continuamente entorpecido durante

todo o tempo da gravidez e depois. Não teve nada a ver com uma falta consciente

de amor. Era sobre me odiar e não querer que ela me odiasse, como eu odiava

minha mãe. Não queria ser o tipo de mãe que a minha era. Queria ser melhor para

ela, mas aos quinze anos não era inteligente o suficiente para perceber que embora

a amasse, poderia ter feito isso funcionar de alguma forma. Talvez não tivesse

dinheiro, mas lhe daria uma abundância de amor. Minha mãe nunca teve isso nela.

Mas eu sim. Percebi meu erro muito tarde. Isso não mudou o quanto a queria.”

“Como conseguiu encontrá-la?”

“Não foi tão difícil. Não foi uma adoção secreta. Sempre tive o nome e o

endereço da família. Os pais adotivos não pensaram que eu queria me envolver,

então não havia nada para me impedir de encontrá-la. Talvez nunca insistiram no

anonimato porque suspeitavam que eu poderia mudar de ideia um dia e gostar de

conhecê-la. Sempre tive seus nomes, endereço, tudo. Parece irônico e um pouco

fatídico que vivessem não muito longe de onde crescemos. Foi a razão que voltei

para esta parte do estado.”

“Então ... o que fez ... foi para a casa deles?”

“Não. Nunca quis soltar essa bomba neles. Lidei com muito cuidado. Quando

ela tinha sete anos, liguei para a mãe e perguntei se havia alguma maneira de eu

conhecer Lilith. Beth é uma ótima advogada que trabalha muito. Assegurei que

respeitaria o fato de que ela é a mãe de Lilith. Gostando ou não, desisti de meus

direitos — tão doloroso como é. Eu entendo isso.”

“O que ela disse?”


“Durante muitos anos, se recusou a me deixar vê-la. Beth pensou que era cedo

demais. Mas persisti. Quando Lilith tinha nove anos, sua mãe finalmente

concordou. Veio com um plano para que eu seja voluntária uma vez por semana.

Lilith tem a impressão de que sua mãe só me trouxe para passar o tempo com ela

depois da escola. Fizemos isso através do Programa Big Sister of Michigan. Ela

também tem uma babá que cuida dela, enquanto seus pais trabalham. Ambos

trabalham muitas horas. Assim, no ano passado, fui conhecê-la da única maneira

que posso, como sua irmã mais velha.”

Landon ainda está absorvendo. “Meu Deus. Como é capaz de fazer isso? Tem

que ser incrivelmente difícil para você.”

“Sei que vai soar estranho. Mas Lilith torna fácil esquecer a dor. Nós realmente

nos tornarmos amigas, nos conectamos uma com a outra num nível humano,

independentemente dos papéis que desempenhamos na vida uma da outra. Ela é

incrivelmente inteligente ... espirituosa ... e madura para sua idade. Estou

extremamente grata a Beth por me dar a oportunidade e não me afastar, porque ela

poderia muito bem ter feito isso. Talvez eu até merecesse.”

“Então, concordou em não dizer a Lilith sua identidade? Nunca vai dizer a

ela?”

“Lilith sabe que é adotada. Sua mãe sempre foi aberta sobre isso de uma idade

que ela pudesse entender. Mas Beth ainda não me permitiu dizer quem sou. Não

está claro se ela vai deixar, mas não quero pressionar a questão agora com medo de

que eles não me deixem mais vê-la. Nunca tentarei roubá-la. Só quero estar em sua

vida para ajudar a cuidar e certificar que o que aconteceu comigo nunca aconteça

com ela.” Uma lágrima cai. “Eu a amo tanto. E só quero que ela saiba que estou
mostrando em vez de dizer. Ela é a razão pela qual não posso nunca deixar

Michigan, Landon. Não fui completamente honesta na Califórnia quando disse que

a razão de não poder sair é meu pai. É Lilith. Apenas Lilith. Se não fosse por ela,

teria ficado em LA e nunca te deixado.”

Landon balança a cabeça em descrença. “Puta merda, Rana. Isto é....”

“Eu sei. Sei que isto é um choque.”

“Puta merda,” ele repete.

Ele fica em silêncio por um longo tempo. Não posso culpá-lo. Sua namorada de

repente tem uma criança de dez anos. Para não mencionar todas as semelhanças

entre a situação de Lilith e a sua própria.

“Diga alguma coisa, Landon.”

Ele simplesmente senta colocando a cabeça entre as mãos. Sei que minha

revelação não é algo que ele aceitará com muita facilidade, certamente não no

pouco tempo que tem no Michigan.

***

Os dias que se seguem o retorno de Landon para LA são os mais difíceis.

Nos piores momentos seriamente me perguntei se irei vê-lo novamente.

Procurei um apoio verbal de que tudo ficará bem quando ele deu exatamente isso.

Acho que o choque da notícia foi realmente demais.

A única coisa boa: ele me disse que começou a ver um terapeuta. Landon me

garantiu que não é só por causa de sua necessidade de lidar com os sentimentos

sobre minha revelação. É algo que já deveria ter feito. Ele realmente nunca lidou
com problemas de abandono, nem falou com alguém sobre a vergonha que sente

sobre sua profissão anterior.

É simplesmente demais para ele absorver de uma vez, pela primeira vez o fato

de que desisti de uma criança e, em seguida, a percepção de que Lilith é, na

verdade, minha filha. Sei que ele se sente muito perto de casa. É incrível como

situações paralelas podem impactar ambas as nossas vidas de maneiras

semelhantes, mas diferentes. Estamos essencialmente em lados opostos da mesma

circunstância de vida.

Minha história não pode ser mais diferente do seu nascimento, mas o resultado

é o mesmo aos seus olhos; Beverly e eu abandonamos nossas crianças. E imagino

que ele terá um tempo muito difícil separando sua própria situação de Lilith. Sua

mãe já não está por perto, no entanto, para servir como destinatária de qualquer

ressentimento.

Eu estou.
Capítulo vinte e um

PRETTY DAMN MAGNIFICENT

Meu pai vem uma tarde e me pega no meio de um dia realmente depressivo.

Ele joga as chaves no balcão. "Você está triste, Ranoona?"

Minha cabeça está descansando nos antebraços na mesa da cozinha quando

murmuro, "Sim.”

"Tenho pão quente.”

"Pão quente não resolve tudo, papai.”

"Não, mas temos manteiga. Pão quente e manteiga resolvem muita coisa." Ele

pisca e não posso deixar de sorrir ao levantar a cabeça.

Meu pai divide um grande círculo de pão antes de pegar a manteiga da

geladeira. Ele senta e estende um pedaço com manteiga.

Dou uma mordida. "Então, soube que foi visitar Lilith recentemente."

Ele fica quieto e simplesmente assente com a cabeça.

"Sim. Ela me disse que conseguiu outro envelope,” digo.

Cerca de seis meses atrás, Lilith anunciou que acreditava que Deus vinha lhe

deixando dinheiro. Por um tempo, apenas ouvi suas histórias sem pensar nisso. Ela

dizia que os envelopes continham seu nome na frente e simplesmente apareciam

debaixo da porta da frente ou às vezes amarrados a algo no quintal. A razão pela

qual ela pensou que fosse Deus deixando-os eram por causa das imagens religiosas
em cada um. Pedi que me mostrasse um e imediatamente percebi que eram os

envelopes de doação da igreja de meu pai, St. Cecilia's.

Papai sempre soube o paradeiro dela, mas nunca falou muito sobre isto. Saber

sobre os envelopes foi a primeira vez que percebi o quanto ela esteve em sua mente

ao longo dos anos. Mais tarde ele confessou pensar nela com frequência. Ele sabe

sobre o meu arranjo para vê-la todas as semanas e nunca tentou me convencer a

não ir. Os envelopes são uma prova de que subestimei seus sentimentos pela neta.

Ele aparentemente deixa os envelopes ocasionalmente quando sabe que seus pais

estão no trabalho e ela na escola. Ele tem o cuidado de não ser pego.

Lilith quer saber por que Deus não sabe soletrar seu nome, porque ele sempre

esquece o 'H' no final. O engraçado é que é exatamente como meu pai pronunciava

seu nome - "Lilit.” Então, até hoje, ela acredita que Deus está lhe enviando dinheiro

e que ele precisa de lições de ortografia.

Não pude deixar de rir uma tarde quando ela me perguntou se eu achava que

Deus ficaria ofendido se ela gastasse o dinheiro num cartaz do Brooklyn Beckham.

Eu faço parte da natureza humana.

"Contei a Landon sobre Lilith, Papa.”

Ele momentaneamente para de passar manteiga no pão. "O que ele disse?"

Sei que isso preocupa meu pai, que é antiquado e nunca consideraria ficar com

alguém que já tenha um filho. Vamos reconhecer que a escolha de uma jovem

virgem para casar não é nenhuma garantia, já que minha mãe saiu dos trilhos, se

rebelou para sempre e nunca mais voltou.


"Ele ficou chocado. Sabe que ele é adotado. Então, tem muitos problemas não

resolvidos com isso. Não queria contar a ele, mas precisava, já que eu me

apaixonei.”

Meu pai parece surpreso ao ouvir essas palavras. Nunca admiti a ele que

gostava de alguém e muito menos que amava.

Ele parece refletir sobre minhas palavras e então acena com a cabeça. "Entendo."

"No que está pensando?"

"Nada." Ele sorri. "Estou feliz."

"Sim, bem, tenho medo dele não conseguir superar.”

Papa sempre tem a mesma resposta para tudo. "Ore à Santíssima Mãe. Ela

conserta tudo."

Normalmente riria dele. Quero dizer, este é o homem que jurou ter visto a

imagem da Virgem Maria num pedaço de torrada. Mas hoje em particular, depois

que meu pai vai embora, vou até a estátua que ele trouxe - aquela cujo principal

objetivo era proteger-me de Lenny - e rezo.

***

Mais tarde neste dia, estou checando o aplicativo de Landon, como sempre e

algo preocupante aparece na tela.

É uma nota que diz: O food truck está temporariamente fechado. Por favor,

volte em breve para atualizações.

Enlouquecendo, pego o telefone e ligo imediatamente.

"Landon, o que está acontecendo?"

"O que quer dizer?"


"Por que o FoodTruck está fechado?"

"Está em transição.”

"Transição?"

"Sim. Eu o vendi. Houve um comprador inesperado."

"Você vendeu o FoodTruck? Por que não me disse que estava vendendo?"

"Eu ia contar. Não queria te dar falsas esperanças até assinar a linha pontilhada.

Hoje, literalmente, é o primeiro dia que está fechado. Queria ter certeza de estar

com tudo em ordem antes de te contar."

"Estar com tudo em ordem? O que quer dizer?"

"Quero dizer... Estou saindo do meu apartamento e tenho que me livrar do

Range Rover.”

"O que está acontecendo?"

"Não é óbvio? Estou me mudando para o Michigan. Mas ainda não contei

porque pode demorar um pouco para vender meu carro e encerrar todos os

negócios aqui. Mas um comprador surgiu inesperadamente para o FoodTruck,

então tive que aproveitar, já que esse era o maior obstáculo.”

Ainda não consigo entender totalmente. "Você está... mudando... Para cá?"

"Realmente pensou que eu poderia ficar aqui por muito tempo? Claramente

subestima minha necessidade de estar com você.”

Sentindo todos os tipos de felicidade, nem sei o que dizer. "Quero dizer, claro,

esperava que isso acontecesse, mas..."

"De que outra forma vamos resolver nosso relacionamento? Entendo que agora

não há nenhuma maneira de se mudar para cá e nem pensei nisso agora que sei de
Lilith. Não há escolha. Não quero viver sem você, então preciso levantar minha

bunda e me mudar.”

"Não tinha ideia de que se mudaria tão cedo. Na verdade, tive medo de estar te

perdendo. Você esteve um pouco distante ultimamente.”

"Desculpe-me se pareceu assim. Estive tão ocupado tentando amarrar as pontas

soltas aqui. E tenho refletido muito. Meu terapeuta realmente me ajudou a ver as

coisas de uma perspectiva diferente. Posso te atualizar sobre as coisas que aprendi

quando chegar aí. É muito para começar agora e por telefone.”

"Mal posso esperar para ouvir sobre isso.”

"Já disse isso antes, mas acho que você também se beneficiaria com a terapia.

Sempre pode falar comigo - você sabe disso - mas é bom ter alguém totalmente

imparcial para ajudá-la a trabalhar suas merdas.”

Fazer uma terapia formal é algo que sempre evitei.

"Vou considerar. Eu prometo."

"Espero que sim."

Mudo de assunto. "No que vai trabalhar aqui?"

"Bem, o dinheiro da venda do Food Truck vai ajudar. Não apenas vendi o

veículo. É o nome e o negócio como um todo, o aplicativo, tudo. Isso, junto com o

dinheiro do meu Range Rover, é suficiente para manter-nos por alguns anos, pelo

menos.”

Manter-nos.

Nunca fiz parte de um ‘nos’ antes.


Ele continua "Terei que descobrir uma maneira de começar de novo. Talvez veja

se posso operar um Food Truck aí ou talvez consiga uma posição de cozinheiro em

algum lugar. Não sei exatamente o que acontecerá em termos de trabalho, mas

honestamente isso não é o mais importante. Preciso chegar aí antes de conseguir

uma entrevista. Vou conseguir algo. Realmente não me importo com o que é, desde

que fiquemos juntos.”

Sua última frase me faz chorar.

Ele pode ouvir meus suspiros. "Porque está chorando? Isto é para uma boa

notícia.”

"Estou apenas emocionada com isso e triste ao mesmo tempo, já que teve que

desistir do Food Truck. Você trabalhou tanto para desenvolver esse negócio. Está

desistindo de tudo."

"Não sabe que agora você é tudo?"

Ainda não me sentindo digna de seu amor, fecho os olhos para apreciar as

palavras.

Ele continua "Estive miserável nas últimas semanas, Rana. As coisas que eram

importantes para mim antes de você entrar na minha vida agora são nada. Seria

um tolo se deixasse o FoodTruck me impedir de estar aí e fazer amor com minha

mulher todas as noites. Foda-se o FoodTruck. Posso abrir outro. Você é

insubstituível. Você está lidando com uma grande merda sozinha. E agora sei mais

do que nunca que precisa de mim aí.”

***

Um mês depois, Landon está preparado para voar para Detroit em dois dias.
Suas malas estão prontas e ele está hospedado num motel junto à praia depois

de deixar seu apartamento.

Ele me liga, parecendo vazio.

"Landon, o que há de errado?"

"Acabei de voltar do cemitério, visitei Beverly pela última vez. Foi muito

emocionante, sabendo que não estarei mais por perto. Parece que a abandonei.”

"Sinto muito."

"Está tudo bem. Sei que seria difícil."

"Não será a última vez. Vamos voltar e visitá-la.”

"Sei que vamos. Estou ansioso por nossas viagens de volta, na verdade."

"O que posso fazer para te fazer se sentir melhor?"

"Conte algo engraçado.”

Ele está me jogando a responsabilidade de alegrar seu espírito, especialmente

depois do que acabou de me contar. Infelizmente, a história que estou prestes a lhe

contar é a mais pura verdade.

"Então, eu queria fazer uma surpresa para você quando chegasse aqui. Pensei: o

que seria melhor para te fazer tirar a cabeça da Califórnia do que uma namorada

bem despida... Então fui fazer uma depilação à brasileira.”

"Está me zoando? Isso é incrivelmente sexy. Você está depilada agora?"

"Não exatamente."

"O que aconteceu?"


"A mulher foi chamada para uma emergência no meio do meu horário, então

parece que minha pequena tem um moicano agora.”

Minha orelha é atingida com o som dá risada de Landon.

Sucesso.

"Que diabos?"

"Não está nada bonito.”

"Nada nessa buceta não é bonito. Deixe assim. Eu quero ver. Então, vou raspar

o resto."

"Também terei meu depilador particular agora?"

"Entre outras coisas. Escravo sexual, empregado, guarda-costas. Terei tempo

livre para ser o que você quiser, amor."

"Está na praia agora?"

"Sim."

"Posso ouvir o mar. Deixa-me triste por não poder mais dormir ao som

magnifico do oceano.”

"Estarei te ouvindo respirar e vou poder cheirar seus cabelos. Acho isso

simplesmente magnífico, se quer mesmo saber. De qualquer forma, ainda tem a

máquina de sons oceânicos que te dei, certo? Podemos ouvir juntos."

"Eu tenho." Sorrio. "Mal posso esperar você chegar, Landon.”

"Estou voltando para casa, Banana.”


Capítulo vinte e dois

SASSYPANTS

Na manhã seguinte a que chegou, as malas de Landon nem sequer estavam


desfeitas quando de repente ele solta seu café e caminha até onde estou de pé na
pia.

"Disse que vai vê-la hoje, certo?"

"Lilith? Sim."

"Eu quero conhece-la."

Surpresa pelo súbito pedido, digo: "Tipo... hoje?"

"Sim. Preciso vê-la. Quero ir com você."

Engulo. "OK."

Mais tarde nesse dia, meu coração está pesado enquanto vamos a casa de
Lilith no carro do pai de Landon. Ele pegou emprestado até poder sair e comprar
um carro, o que planejou fazer na semana passada.

É meu dia normal da semana para ver Lilith, então a única coisa fora do
comum é que Landon está me acompanhando.

Seus nervos são evidentes. Isso me lembra muito do passeio que fizemos de
sua casa ao restaurante em L.A., na noite em que ele confessou seu passado
sórdido. Ele está completamente tendo uma conversa silenciosa consigo mesmo.
Mesmo que deseje que ele fale sobre seus sentimentos naquele momento, sei que
precisa do momento de silêncio para processar os pensamentos e se preparar para
ver minha filha pela primeira vez.

Tão nervoso quanto estou por ele encontrar Lilith, o puro alívio que sinto
por finalmente ter dito a ele equilibra tudo. Isso me faz perceber o quanto guardar
desse segredo me corroeu.
Quando chegamos, Lilith já nos espera na frente. Seu cabelo está ficando
mais longo; quase na bunda e suspeito que ela deixa crescer para combinar com o
meu.

Avisei no telefone que ela encontraria Landon. Não pensei que gostaria de
uma surpresa. Ela gostava de estar preparada para as coisas, especialmente se as
considera importantes. Sei que está morrendo de vontade de encontrá-lo. A
curiosidade dela por ele é bastante adorável.

No momento em que ele para o carro, os olhos de Landon vão para ela.
Ambos saímos e nos aproximamos dos degraus da frente até a alpendre onde ela
espera. Sorrio para mim mesma, percebendo que ela está mais vestida do que de
costume. Landon não é o único a pensar em causar uma boa impressão,
aparentemente.

Quando nos aproximamos, a expressão no rosto de Landon tornou-se


maravilhada. Sei exatamente o que ele deve estar pensando. Ela parece exatamente
comigo, bem, a velha eu. A principal diferença é que seu cabelo é mais leve e mais
longo do que o meu era na época. Mas seu rosto é idêntico ao da Rana jovem.

Lilith bate o pé contra a madeira. "Bem, bem, bem, garoto da Califórnia


finalmente entrou num avião para nos ver.”

Landon está tendo o primeiro gosto da personalidade forte de Lilith.

"Bem, bem, bem, não percebi que eu tinha uma atrevida me esperando.
Teria feito muito mais cedo. "Ele estende a mão para ela. "Sou Landon.”

"Mesmo? Meio que já conheço seu nome." Ela conta lhe dá um toque em vez
de apertar sua mão. "Rana só fala de você o tempo todo. Ela ri muito quando pensa
em você também. Acho que ela te acha engraçado ou algo assim.”

"É assim?" Ele faz uma pausa e está sorrindo enquanto me encara.

Lilith interrompe seu olhar. "Terra para Landon.”

"Sinto muito. Você me lembra alguém.”

"Miss Piggy? Porque alguém na escola disse isso uma vez.”


"Não. Definitivamente não. Você é muito mais bonita do que a Miss Piggy.
Quem disse isso é um Diddly squat.”

"Dudley quem?"

"Diddly squat." Ele ri. "Significa que não sabem nada." Landon sussurra para
mim: "E, aparentemente, eu sei como a merda falar com crianças.”

"Ouvi isso," Lilith repreende.

"É melhor eu rever meu idioma, então. Sinto muito."

"Está bem. Rana disse a palavra com F uma vez.”

Seus olhos se arregalam. "Ela fez?"

"Sim. Ela bateu a mão na porta. Ela não queria xingar. Acabou saindo. Não
sei repetir. Mas foi divertido. "

"Ela ouve tudo,” digo a ele antes de voltar para ela. "Adivinha o que, Lilith?
Landon está aqui para ficar. Ele trouxe suas coisas. Mora aqui em Michigan agora.”

"Você vai morar com Rana?"

Ele olha para mim, sem saber como responder. Assinto com a cabeça para
que ele saiba que ele deve contar a verdade.

"Eu vou."

"Espero que saiba cozinhar. Rana sabe apenas ferver água. "

Parecendo divertido, Landon olha para mim. "Tenho isso resolvido." Ele está
aprendendo o que é uma pequena pistola.

"Então, Lil, pensei em mostrarmos a Landon nosso local favorito de


iogurte.”

Os olhos de Landon se iluminam. "O que é isso, agora? Parece que perdi
algo. "

"Rana gosta de jogar um monte de chocolate no iogurte sem açúcar e


gordura." Ela ri. "Suas dietas são realmente engraçadas.”
Ele ri. "Isso parece como trapaça.”

Quando chegamos a FroyoLand, Lilith está bastante entretida pela tentativa


de Landon de pagar para empilhar quase todos os complementos numa montanha
de três diferentes tipos de iogurte. Como é um preço fixo, pode encher o copo tanto
quanto você quer. Landon definitivamente exagera.

Lilith desafia-o. "Não há como comer tudo isso.”

Ele franze a testa. "Quer apostar?"

"Adoro apostas. Quanto?"

"Quanto tem?"

"Dois dólares."

"Você está mentindo."

"Que tal isso, Lilith. Se ganhar, eu pago cinco. "

"Serei legal com você.”

Ele pisca. "Aposto que você é."

É histérico ver Landon engolir o iogurte. Ele está fingindo amar, mas posso
dizer depois de um tempo que ele está bastante enjoado. Lilith senta olhando-o
com o queixo inclinado nas mãos. Ela está se divertindo. Nós terminamos nossos
iogurtes bem antes de Landon terminar metade do dele.

Ele segura seu abdominal, exagerando na careta de dor. "Ok, Atrevida. Você
ganhou."

Lilith bate palmas e salta em seu assento enquanto Landon tira uma nota de
cinco dólares da carteira.

Noto que ela carrega uma pequena mochila, o que é incomum. "O que há na
bolsa?"

"É um presente para Landon e o artigo que escrevi sobre você, Rana.
Consegui um A com ele. Vou lê-lo para você. "
"Você não precisa me dar nada." Landon se inclina. "E adoraria ouvir o que
escreveu.”

"Tudo bem." Ela parece estranhamente tímida quando pergunta: "O que
quer primeiro? Seu presente ou o de Rana?

"Vamos ouvir o que escreveu." Landon pisca.

Lilith ajusta seus óculos e abre o caderno. Ela limpa a garganta e começa a
ler.

"Rana por Lilith Anastasia Allen." Ela olha para mim uma vez. Dou-lhe um
sorriso reconfortante antes de continuar, "nos pediram para escrever sobre alguém que
admiramos. Estou escrevendo sobre Rana. Porque ela é mais divertida do que Amelia
Earhart ou Michelle Obama. E ninguém mais vai escrever sobre Rana. Quem é Rana? Bem,
ela vem me visitar uma vez por semana e passa algum tempo comigo sem motivo. Nem sei
realmente de onde ela veio. Marte, talvez. Mas não importa. Há muitos lugares no mundo
que Rana poderia ter escolhido, mas ela prefere estar comigo. Às vezes, ela provavelmente
não tem tempo ou talvez não esteja se sentindo bem. Mas aparece de qualquer maneira.
Exceto esta semana, mas a perdoo porque ela está na Califórnia com um menino por quem
ela se apaixonou. O nome dele é Landon e ele tem um food truck com lanches realmente
legais. Não o normal. Realmente legais. Mas de volta a Rana. Seu cabelo é realmente, muito
longo, e se quer saber como ela parece, procure a Princesa Jasmine de Aladdin. É ela. Uma
vez, ela veio me ver com dois pares diferentes de sapatos. Não disse a ela porque achei
engraçado que ela não percebesse. E outra vez, a etiqueta ainda estava pendurada na camisa.
Eu também não contei. Ela também anda atrasada e cheira a fumaça de ônibus. Mesmo que
seja uma bagunça às vezes, ela ainda encontra tempo para me ver, me perguntar como estou
e brinca comigo. Ela não é perfeita, mas me ensinou que está certo não ser. Você tem uma
Rana? Caso contrário, me sinto muito mal por você. Então, não quero ser Rana quando eu
crescer. Porque há apenas uma Rana. E ela é minha amiga.”

Sabia que ela não quer me fazer chorar, mas não posso impedir. Landon
segura minha mão e a aperta. Ele sabe o quanto suas palavras significam. Deixa-me
tão feliz que ela me considere uma amiga e reconheça minha devoção, mesmo que
não tenha ideia de onde ela vem.
"Isso foi incrível." Limpo meu nariz na manga da blusa. "Obrigado por
escolher escrever sobre mim.”

Landon esfrega minhas costas. "Sério, Lilith, acho que, se eu não soubesse o
quão incrível é Rana, gostaria totalmente de conhecê-la depois disso.”

"Você quer seu presente agora?"

"Certo."

Lilith entrega-lhe a bolsa.

Landon pega e tira o que parece um bolo de cabelo artificial que é quase o
tom exato de marrom de seus próprios fios.

O que?

Sua boca está aberta. "Isto é ... uau. O que é isso?"

"É um coque falso para homens."

"Onde conseguiu?” Pergunto.

"Internet. Ganhei um cartão de presente do Natal. Não usei todo, apenas


parte. Estive mantendo esse presente faz um tempo.”

Landon tenta não rir. "Como sabe sobre coques de homem?"

"Esta garota na escola ... seu pai tem um. Alguns meninos estavam se
divertindo com isso. Ava contou e explicou que é realmente uma coisa legal. Antes
disso, pensei que apenas as meninas usassem coques.”

"Sua mãe não questionou você comprar um?" Pergunto.

"Não."

"Coloque-o,” insisto.

Landon luta para abrir o fecho. Incapaz de conter meu riso, pego e o prendo.

Ele dá um sorriso torto. "Como estou?"

Verdadeiramente, ele parece muito sexy com isso.


"Fabuloso." Ela ri.

"Bem, vou orgulhosamente usar isso e pensar em você, Atrevida." Ele vira a
cabeça para mim rapidamente, fazendo com que o coque caia.

Nós três rimos.

Na viagem para casa, Lilith e Landon ouviram música. Ele deixa que
controle em seu telefone as músicas. Ela ocupa o banco da frente enquanto estou na
parte de trás.

Landon aproxima-se de sua casa e para o carro.

Ela coloca a mão no bolso e tira a conta de cinco dólares que ele lhe deu.

"Eu sei que ganhei, mas quero que fique e use para comprar a Rana algo
bonito.”

"Não. Você ganhou justamente.”

"Você me deixou ganhar. Poderia ter comido tudo. Olhe para você. Você é
enorme." Ela sai do carro antes que ele possa discutir e corre para os degraus da
casa.

Depois que ela está fora de vista, Landon vira para mim depois que vou
para o banco da frente.

"Bem, acho que encontramos sua sósia. Ela parece exatamente com você.”

"Eu sei."

"É como te olhar." Seus olhos estão emocionados. "Ela é uma criança
maravilhosa, tão inteligente e compassiva.”

"Bem, não posso ter crédito por isso.”

"Certamente você pode. Ela te admira e aprecia claramente o tempo que


gasta com ela. E honestamente, algumas coisas são inatas. Ela tem um espírito
muito parecido com o seu, mesmo que não a tenha criado.” Ele olhou para baixo e
pergunta: "Você me disse que sabe quem é seu pai, certo?"
"Sim. O momento da gravidez felizmente reduziu-o a um garoto. O nome
dele é Ethan. Ele não queria nada comigo no momento. Nem quis contar, mas
minha avó obrigou. Nós duas fomos a casa de seus pais uma noite e eles
praticamente nos expulsaram quando falamos. Não sei se não acreditaram ou se
simplesmente não queriam ouvir.”

"Pelo menos tentou."

"Foi um tempo muito confuso.”

Ainda estamos estacionados. Landon contempla a casa de Lilith. "Pergunto-


me se ele já pensou sobre isso, se ele se pergunte se tem um filho em algum lugar.”

"Honestamente, diria que ele provavelmente merece sentir esse


arrependimento, mas eu não era uma pessoa melhor ou mais responsável naquela
época.”

"Você definitivamente não era responsável, mas isso não te faz uma pessoa
ruim." Ele olha o telefone com uma foto que tirou dela. "Preocupo-me com sua
reação se ela descobrir, no entanto.”

Respirando fundo, digo: "Você não é o único.”

"Acho que acontecerá de qualquer maneira, Rana. Pode ser realmente bom
ou muito ruim."

"A única razão pela qual não contei a ela é porque não tenho permissão.
Seus pais precisam concordar que é de seu interesse saber. "

"Só lembro de pensar que desejava que meus pais me contassem a verdade
mais cedo. Senti como se vivesse uma mentira. No caso dela, ela sabe que foi
adotada, não?"

"Sim. Sua mãe contou que não é tecnicamente a mãe biológica. Então, pelo
menos essa parte não será um choque.”

"O que seu pai adotivo faz?"

"Ele é psiquiatra, na verdade. Ambos os Allens são muito bem-educados.


São boas pessoas."
"O que sua mãe lhe falou sobre a mãe biológica ... você?"

"Honestamente nunca perguntei a Beth como explicou e Lilith não fala sobre
isso. De certa forma, é um alívio porque não sei como lidar com isso se o fizesse ...
sabe ... se ela falasse sobre mim.”

"Posso imaginar que, quando for um pouco mais velha, ela vá começar a
cavar,” diz ele. "Uma vez que descobri, foi como se não pudesse descansar até
saber exatamente de onde vim.”
Capítulo vinte e três

WINE STOPPER

Na manhã seguinte, estou vendo no balcão da cozinha quando Landon


chega atrás de mim.

A sensação de seu peito nu aquecendo minhas costas é como nenhum outro


sentimento.

"Mmm." Virando, rio quando noto que ele usa o coque masculino. "Eu meio
que gosto disso.”

"Imaginei. Não vai me machucar usar uma vez, certo? Se funciona para
você, vou usar novamente."

Olhando seu abdômen, noto uma tatuagem que nunca vi antes. É pequena,
localizada no fim de seu quadril.

Sorrio, correndo o dedo por ela. "Essa é nova?"

"Estive esperando que percebesse."

"Isso sou eu?"

"O que acha?"

"Acho que é." Sorrio como um idiota. "Quando a fez?"

"Antes de sair de Venice Beach. Na verdade, há uma história engraçada. "

"Mesmo?"

"Então, eu estava no carro, limpando algumas coisas que não iria deixar, e
ouvi alguém gritando: 'Rana! ... Rana!' Então, é claro que saí. Meu coração estava
acelerado, pensando ter algo a ver com você, porque você é tudo o que penso.
Então, se alguém diz 'Rana' ... eu acho ... entende?"
Cubro minha boca com diversão. "Isso é muito divertido.”

"Então, vi a fonte e eram dois garotos mexicanos. Eles perseguiam um


fodido sapo. A coisa pulava e cagava. Esqueci totalmente que seu nome significa
sapo em espanhol. "Ele balança a cabeça. "Depois que percebi meu erro, sentei na
grama e ri histericamente. As pessoas que caminhavam provavelmente acharam
que eu era um lunático. Naquela tarde, não pude evitar. Fui ver meu tatuador
favorito. Achei que mataria dois pássaros com uma pedra e também me despedi.
Disse a ele para tatuar este pequeno sapo. Achei mais original do que seu nome em
cima do meu pau.”

Correndo o dedo sobre a pele, digo: "Eu amei.”

Um ‘R’ saí de sua língua. "Ranita." Ele sorri. "Pequeno sapo."

"Deus, você fica sexy falando espanhol.”

"Mesmo? Tenho mais de onde isso veio."

"Sim? Diga mais.”

"Vamos ver." Ao fechar os olhos, ele pondera o que dizer, "Quiero metértelo
por el culo, mi amor.”

"O que isso significa?"

"Significa que quero foder sua bunda, meu amor.”

"Isso é tão romântico.”

"Será romântico.”

"É mesmo?"

"Meu tipo de romance, sim. Vai implorar por isso quando eu terminar de te
provocar. Quer uma pequena prévia? "

Sentindo-me extremamente excitada, mordo o lábio inferior. "Sim, eu


quero."
Landon deixa a cozinha e retorna um minuto depois. Ele segura o que prece
um vibrador pequeno e pontiagudo com uma base larga feita de silicone.

"O que é isso?"

"O que acha que é?"

"Uma rolha de vinho?"

"É um plugue anal.”

"Onde conseguiu?"

"Eu comprei ... para nós brincarmos."

"Para seu traseiro?"

"Bem, realmente não pensei nisso, mas, não, comprei com o seu em mente,
na verdade.”

Envolvo os braços ao redor de seu pescoço. "Quantos outros brinquedos está


escondendo?"

Ele me beija e diz: "Alguns.”

"Mesmo…"

Apoio-me no balcão para que minhas costas estejam em direção a ele, em


seguida, viro rapidamente para ver enquanto ele lambe lentamente a ponta do
brinquedo para molhá-lo um pouco; Isso é tão erótico. Fecho meus olhos,
relaxando os músculos. Espalhando as pernas, preparo-me para o que sei que virá.

De repente ouço a porta abrir.

Seu corpo treme atrás de mim. "Quem diabos está aqui?"

A voz do meu pai ecoa pelo apartamento vinda corredor. "Oiiiiiii.”

"Merda!" Landon começa a se ajustar e joga o vibrador na sala.

Papa entra na cozinha com um abacaxi gigante.


Tentando meu melhor para parecer casual, digo: "Papai, deveria ter ligado
primeiro.”

"Eu não ligo. Por que precisa que eu ligue? Eu venho vê-la.” Meu pai estreita
os olhos para Landon. "Por que tem um coque igual de bailarina?"

"Não é real." Landon está sem fôlego enquanto o tira. "Eddie ... é bom ver
você." Ele oferece a mão.

Quando elas tremem, meu pai parece confuso e pergunta: "Onde está
morando?"

Ele sabe que Landon se mudou para o Michigan, mas não demos a notícia
de que moraremos juntos.

Em dúvida de admitir, Landon me olha. Dou de ombros. Não faz sentido


esconder.

"Estou morando aqui, na verdade.”

Meu pai olha entre Landon e eu. Ele não está feliz. Tanto quanto sei que
quer que eu namore novamente, ele é muito conservador e não acredita em morar
junto antes do casamento. Landon sabe disso.

Ele me surpreendeu quando olha meu pai nos olhos e diz: "Sei que não
concorda com o que estamos fazendo. Mas não quero que ela fique sozinha. Quero
poder ajudá-la financeiramente, e honestamente, mesmo que não fosse um
problema, não quero viver longe de sua filha. Já passei muito sem ela. Sei que pode
ser protetor com Rana. Teve que ser a principal pessoa a cuidar dela praticamente
toda a vida. Mas quero que saiba que agora tem um segundo par de olhos.
Também quero nada além do melhor para ela. Porque a amo. E é realmente
importante para mim que entenda isso. Estarei aqui se estiver bem com isso ou
não, mas planejo ganhar sua confiança.”

Meu pai simplesmente acena com a cabeça em silêncio. Sei que ele ouve
Landon alto e claro. O fato de não ter escolhido argumentar significa que aceitou.

Papai caminha até o outro lado da cozinha. Ele coloca o abacaxi no balcão.
Landon e eu nos olhamos com medo, enquanto meu pai se curva para pegar
algo do chão. É o plugue que Landon jogou apressadamente.

"O que é isso?"

"Uma rolha de vinho,” digo.

Papa parece cético. "Hmm."

Pego e a jogo na gaveta do utensílio. "Então, onde achou o abacaxi?"

"Eu amo abacaxi." Landon sorri, tentando mover a conversa para longe do
plug.

Meu pai responde à pergunta, "Mercado do fazendeiro.” Levando-o para a


mesa junto com uma faca e alguns pratos e garfos, ele gesticula para que o sigamos.

Papa e eu muitas vezes sentamos à mesa sozinhos comendo frutas em fatias.


Pela primeira vez, temos alguém junto e de alguma forma sei que é o início de uma
nova tradição familiar.

Landon e eu usamos nossos garfos numa corrida para arrumar as fatias que
meu pai corta.

Comemos em silêncio até que Papa nos surpreendeu quando diz: "Na
próxima vez, eu ligo antes de vir.”

****

Landon parece excitado quando entra no apartamento. "Preciso mostrar


uma coisa.”

"A última vez que disse quase morri de susto.”

"Não é nada assim, querida.”

"O que?"

"Está lá fora." Ele coloca a mão na minha cintura, levando-me a segui-lo pela
porta.
Parado na rua está um Trailer de cor bege que se parece muito com a forma
do Landon Lunch Box.

"Meu Deus. O que você fez?"

"Decidi recomeçar. Vou transformar isso em outro food truck. Tenho um


encontro com a universidade na próxima semana para falar sobre como ter um
lugar permanente no campus.”

"Não posso acreditar que nunca pensei nisso. É uma localização perfeita.”

"Espero que dê certo. Vai demorar algum tempo para consertá-lo e deixar
exatamente do jeito que preciso no interior, mas não vou saber se não tentar, certo?
Tenho que passar algum tempo descobrindo como. Vendi o nome do Landon's
Lunch Box e o aplicativo. Então, será como começar do zero, mas minha esperança
é construir algo tão bom, senão melhor, que o antigo.”

Landon passa algum tempo me mostrando o novo Trailer antes de


voltarmos para o apartamento.

"Uma vez que estiver funcionando,” digo: "Posso ajudá-lo durante o dia, já
que só tenho que trabalhar à noite.”

"Estava contando com você como minha companheira alguns dias por
semana. Isso seria ótimo. "

O pensamento de começar a trabalhar ao lado dele está seriamente me


deixando tonta. Lembro de quão divertido foi na Califórnia.

"Alguém tem que ajudar a afastar todas as garotas do meu namorado sexy e
tatuado. Eu vou vencer."

"Um olhar para minha namorada com a cobra em volta dos ombros ... Tenho
certeza de que todas vão fugir." Ele envolve o braço em volta do meu pescoço e
beija minha testa. "Na verdade, pensei que minha princesa dançarina do ventre
provavelmente seria um grande bônus para os colegas da faculdade. Preciso deixar
claro que pertence a mim. Apenas o pensamento de algum garoto flertando com
você na minha frente me deixa louco. Talvez possa perder minha merda e meus
negócios logo depois."
Sorrio para meu namorado ciumento. Alguns dias, não posso acreditar que
ele é meu. Acho que uma parte minha sempre terá ciúmes, será insegura e
especialmente protetora quando se trata dele.

Sentindo que preciso relaxar, pego uma garrafa de vinho. "Vamos celebrar."
Quando abro a gaveta, vejo o plug que está lá desde o dia em que meu pai nos
pegou. "Lembra disso?"

"Lembro." Sua voz baixa. "Não me importaria de brincar com isso agora, na
verdade.”

"Acho que vou precisar de muito mais do que um copo de vinho, então.”

Ele examina meu rosto. "Acha que é algo que precisa estar bêbada?"

"Honestamente, isso me assusta um pouco ... anal.”

"Realmente ... do que você tem medo?"

"Nunca fiz nada ... você sabe ... lá antes.”

"Sei que falei sobre o quanto quero fazer isso e parte da razão pela qual fico
entusiasmada com isso é porque sei que será sua primeira. Egoisticamente quero
reivindicar cada centímetro seu. Mas temos muito tempo. Nunca quero que se sinta
pressionada. Não percebi que isso a assustava. Precisa me contar coisas assim.
Agora, me sinto um aproveitador."

"Eu quero tentar. Estou com medo de doer. Você não é um aproveitador."

"Acha que vou pegar isso? Há uma arte para anal. E se não é tão incrível que
está gritando de prazer, não foi feito direito. Não deve ser doloroso.”

Quase pergunto como ele ficou tão experiente, mas engulo as palavras. Nem
quero pensar nele fazendo algo tão íntimo com outra pessoa. Faço muito bem em
não deixar minha mente ir longe e não quero regredir.

O rosto de Landon está no meu. "Você saberá quando estiver pronta. E com
certeza não vai precisar estar bêbado. Se uma pessoa precisa beber, seu parceiro
não está fazendo direito. Existe uma grande diferença entre pressão e dor. Nunca
deve ser doloroso. Mas a pressão é prazerosa. Mas antes mesmo de chegar a essa
parte, te provocarei você até não aguentar mais. Não há como meu pau estar na sua
bunda, a menos que implore para eu colocá-lo lá.”

Ouvir as palavras saírem de sua boca simplesmente vira um interruptor


dentro de mim. Não consigo me lembrar de estar mais excitada na vida. Os
músculos entre minhas pernas se contraem. "Bem, estou curiosa."

Ele cerra os dentes. "E eu estou duro para caralho.”

"Quero tentar isso."

Não tenho que falar duas vezes.

Seus olhos se iluminam. "Se não gostar, simplesmente paramos."

Ele pega o plug e sigo enquanto ele me conduz para nosso quarto.

Landon lentamente me despe até que estou completamente nua.

Coberto de arrepios, deito na cama e fecho os olhos ao sentir beijos macios


ao longo do meu corpo. Ele continua fazendo isso até ter a sensação de que estou
completamente relaxada.

Ajoelhando-me, desabotoo e tira o jeans, deixando-os no meio das pernas.


Posso ver a umidade escorrendo por sua cueca.

"Estou um pouco excitado demais,” ele resmunga.

Pego meu pé e esfrego-o ao longo de sua ereção, que está coberta pelo
material da cueca.

Landon pega o plug na mesa de cabeceira. Ele também pega um tubo de


algo e esguicha na ponta. Aparentemente, o mantém prontamente disponível para
esse momento.

Abrindo minhas pernas, ele me olha e diz: "Relaxe os músculos. Será um


pouco frio no começo."

Landon começa a inserir lentamente o brinquedo na minha bunda. É


estranho no começo, mas está entrando tão fácil quanto possível, empurrando um
pouco de cada vez e tirando. A sensação quando ele tira lentamente é estranha,
mas de modo algum desconfortável. À medida que meus músculos se expandem
lentamente, a sensação do plug se movendo dentro e para fora torna-se mais
prazerosa.

"Queria que pudesse ver isso, Rana, quão bonita sua bunda é abrindo e
fechando assim. Incrível para caralho. Nunca te vi assim. "

"Isso é realmente bom.”

"Vou mantê-lo em você por um tempo. Isso ajudará a te esticar para mim. "

O pau de Landon tem que ser o dobro do plug em espessura. Tento não me
preocupar com o pensamento, mas me sinto muito melhor agora do que antes.

Quando o plug está totalmente dentro, ele coloca a boca no meu clitóris e me
lambe. A sensação de sua boca na minha buceta junto com a pressão do brinquedo
na minha bunda é extremamente excitante.

Ele quase me fez gozar várias vezes, mas sempre parece saber quando parar
antes de eu chegar ao ponto culminante.

Sinto-o toca e puxar lentamente o plug da minha bunda. Apesar da estranha


sensação, desejo estar cheia novamente. Eu o desejo. Ele está certo. Haverá um
ponto em que implorarei para ele entrar em mim. Tão desesperada, não me
preocupando com a potencial dor. Eu só o quero dentro de mim.

"Como está se sentindo? Quer que volte a colocar? "

"Quero você lá.”

"Você me quer onde?"

"Vai me fazer dizer?"

"Porra, sim.”

"Quero você na minha bunda.”

Com um sorriso presunçoso, ele tira a cueca. A visão de seu pênis saltando
para a frente me dá uma pausa momentânea.
Apenas pedi para ele colocar essa coisa dentro do meu traseiro?

Ele baixa a boca novamente, mas desta vez, sinto o calor da língua em
minha bunda. Fechando os olhos, aproveito os círculos lentos de calor, a sensação
de sua respiração quente na minha entrada. Ele enfia a língua completamente e
geme. É fenomenal.

Ele para e diz: "Respire, não fique tensa. Vou usar meus dedos por um
tempo."

Instintivamente, faço exatamente o que ele me diz para não fazer. Eu


tenciono.

Percebendo, digo: "Sinto muito."

"Pelo quê? Está bem."

Ele para e me beija antes de esguichar um pouco de lubrificante em seus


dedos. Ele então coloca-os dentro de mim, entrando e saindo lentamente, como fez
com o plug.

Quando estou totalmente perdida, ele tira os dedos e me dá um aviso.

"Preciso brincar com sua bunda agora.”

Vejo-o me olhando enquanto ele empurra o pênis.

"Vou fazer isso ainda mais lento do que antes,” diz ele. "Se em qualquer
ponto, eu te machucar, apenas me diga para parar.”

Assinto com avidez. Surpreende-me o quanto quero desesperadamente, o


quanto me importo se vai doer.

Espremendo uma quantidade abundante de lubrificante em seu pau, ele


esfrega-o por todo o eixo antes de ficar sobre mim.

Seus lábios se movem lentamente enquanto sinto a cabeça na minha entrada.


Ele avança tão lentamente que se afasta de mim, assim como fez com o brinquedo
sexual.
Ainda não há comparação. Sentir sua pele quente entrando em mim é
infinitamente mais excitante, não só porque tê-lo na minha bunda é completamente
diferente, mas por causa de seu próprio estimulo.

Os olhos de Landon estão fechados quando ele continua a mexer com minha
bunda devagar, movendo-se suavemente para dentro e para fora. Cada vez que
volta a entrar em mim, ele vai um pouco mais fundo, ele estar completamente
dentro. Todas as minhas terminações nervosas são ativadas. Agora que está
totalmente dentro, a pressão parece diminuir um pouco.

"Isso é irreal, Rana. Tão apertado.” Ele para o movimento por um momento.
"Ainda me sinto bem?"

"Sim."

Não sei se é o tabu do que estamos fazendo ou o que, mas parece tão intenso
do que qualquer coisa que Landon e eu já fizemos. Apesar de seu tamanho, ele usa
tanto lubrificante que não dói. Como promete, há pressão, mas sem dor. Noto que
ele provavelmente é o único homem no mundo com quem poderia ter
experimentado, porque é a única pessoa em quem confio totalmente. É uma
situação muito vulnerável, mas quando está com a pessoa certa, pode ser incrível.

"Você é muito gostosa. Por favor, me diga que isso é bom para você.”

"Muito bem. Você pode ir mais rápido."

"Tem certeza?"

"Sim."

Landon me fode com força, mas rapidamente para. "Oh, porra ... merda.”

Agora sei por que ele ia tão devagar. Aparentemente, ele não aguenta. Seu
corpo estremece. Senti-lo latejando dentro de mim, coloca-me sobre a borda. Assim
que sua porra enche minha bunda, esfrego meu clitóris para gozar. Ele goza tão
forte que posso sentir seu sêmen escorrendo por minhas coxas.

Ele ainda ofega quando pergunta: "Está surpresa por gostar tanto?"

"Não. Não com você. "Sorrio. "Como é para você?"


"É mais difícil descrever. Amo o sexo de ambos os modos igualmente, para
ser honesto. Esta foi sua primeira vez e porque é tão apertada, foi quase bom
demais - obviamente, você viu o quão rápido gozei." Ele me beija. "Obrigado por
confiar em mim.”

"Obrigado por ir no meu tempo.”


Capítulo vinte e quatro

BATHTUB THERAPY

Landon faz-me colocar as mãos no rosto. "Feche os olhos. Mantenha-os


fechados."

"O que está acontecendo?"

Guiando-me cegamente para fora, ele reitera: "Não os abra ainda.”

"Isso é louco,” digo, tentando não viajar.

Quando finalmente paramos, o ouço dizer: "Ok, abra.”

Abro os olhos e engasgo.

O novo Trailer de Landon está estacionado. Ele levou tempo para ter
informações detalhadas, então foram algumas semanas. Ele não me contou o que
ele estava fazendo para isso. Agora, sei o porquê.

Minha boca se abre. "É ..." Não consigo juntar meus pensamentos o
suficiente para falar.

"Incrível, certo?"

Inclino a cabeça para olhar de um ângulo diferente. Digo-o porque o gesso


na frente do Trailer é um adesivo gigante de ... mim juntamente com o nome
Rana’s Banana. Não é uma foto minha, mas sim uma caricatura de desenhos
animados. Ela tem meus olhos grandes, cabelos longos e pretos e usa com uma
roupa de dançarina do ventre. Ela é parecida e até tem uma cobra em volta do
pescoço com as mãos segurando as duas extremidades. A língua da serpente sei
como se estivesse escorregando. E estou sentada numa banana gigante.

"Não posso acreditar que fez isso."


"Por que não? Você é minha musa. Desde o momento em que entrou na
minha vida, me senti assim."

"Isso é muito doce, baby. Eu só ... isso é ..." Não tenho palavras.

Seu entusiasmo é realmente lindo. "Não posso imaginar passar por este
Trailer e não parar. E quando as pessoas vêm para o almoço, podem encontrar a
Rana real se estiver trabalhando comigo neste dia. Isso será uma grande sorte."

Não tenho o coração para dizer-lhe que a ideia de estar em exibição pública
não me atraí. Mas é claramente um acordo feito. Ele deve ter pago uma fortuna
para ter isso projetado. E foi doce que quisesse dedicar seu negócio a mim.

Há apenas uma resposta. "Eu te amo. Obrigado por isto."

A excitação em seus olhos é palpável. "Obrigado por me inspirar, linda."

****

É a grande abertura do food truck e o tempo está excepcionalmente quente


para uma primavera no Michigan.

Landon estacionou o Rana’s Banana, fora do campus verde. Ele teve a


licença para operar nesse local por um ano.

Estudantes reúnem-se no Trailer de comida incomum, curiosos sobre os


conteúdos com base na minha sensual caricatura. Tenho que admitir que a ideia de
marketing de Landon é esperta. A multidão movimentada de estudantes com fome
prova que ele provocou sua curiosidade com a imagem sexy. E parece que também
aproveitou algo que faltava, porque não há outros food truck próximo.

Talvez, ainda mais especial do que meu decalque, foi sua outra ideia. No
lado oposto do Trailer, ele colocou uma placa gigante para escreverem. No topo
está escrito: Diga-me algo engraçado. É uma homenagem à pergunta que ele sempre
me faz quando está se sentindo mal.

Os alunos realmente começam a sair e se revezam escrevendo.


Dentro de uma hora, o quadro está cheio de frases engraçadas. Há uma
grande variedade de piadas, algumas humoradas, algumas idiotas e algumas
bizarras. Coisas como:

Peidei na aula hoje.

Ou

Meu colega de quarto acabou com implantes mamários depois de ficar bêbado e
perder uma aposta na Tailândia. Ele está juntando dinheiro para removê-los.

A ideia é engenhosa porque os alunos param para escrever algo, então


cheiram a comida surpreendente e decidem pedir.

Landon tem cinco sanduiches especiais no cardápio e trabalho duro para


memorizar os ingredientes de cada um.

A melhor parte do primeiro dia é quando a multidão do almoço some e


Lilith chega no final da tarde. Sua babá a pega depois da escola e a trouxe para
verificar o food truck.

Landon inclina-se para fora da janela. "O que posso fazer por você,
Atrevida?"

"Essa é a imagem mais assustadora de Rana que já vi."

"Você não gosta?" Ele ri.

"Não, quis dizer assustador perto de como ela parece."

"Oh, bom. Concordo."

"Posso ver o interior?"

"Claro que pode,” digo.

A babá fica próxima lendo um livro na grama enquanto entretemos Lilith


dentro do Trailer.
O ânimo de Landon sempre parece iluminar quando Lilith está por perto.
Acho que ela lembra-lhe de ser criança, um tempo inocente em nossas vidas,
especialmente porque ela parece comigo mais nova.

"O que posso fazer por você, senhorita?"

"Vou ter um Fickle Pickle, mas quero ajudar a fazer isso."

"OK. Rana vai nos pegar os ingredientes e vou te deixar montar."

Fico de pé com os braços cruzados, assistindo enquanto Landon a guia pelo


processo.

"Não sei, Landon. Acho que Lilith pode estar querendo minha posição como
sua assistente."

Ele olha para mim e pisca. Observar Landon com ela me dá um sentimento
quente e distorcido. Sei que ele será um pai incrível algum dia, ou seja, se quiser
filhos; nunca discutimos isso. Até muito recentemente, estava bastante segura de
que nunca teria outro filho.

Uma coisa que sei com certeza é que Landon sempre olha para Lilith. Ela
não percebe isso, mas é bonito ele ajudando-a a fazer o sanduíche. Ele sempre a
protegerá, assim como faz comigo.

****

Durante uma visita a Lilith semanas depois, fico completamente cega.

Provavelmente nunca percebi o quanto precisava de Landon até aquela


tarde, quando literalmente corri da casa de Lilith para a universidade.

Landon estava fechando o Trailer a tarde quando cheguei ao campus.

Ele imediatamente reconheceu que algo estava errado. "O que há, Rana?"
Deixando cair tudo, ele sai do veículo e me segura. "Você está tremendo. Alguém
tentou machucá-la?"

"Não, estou bem."

"O que aconteceu?"


"Estava com Lilith e ..." Ofego por ar.

"O que?"

"Ela começou a falar comigo sobre como frequentemente se pergunta de


onde veio."

Ele me toma nos braços. "Oh bebê. Sinto muito."

"Sabia que esse dia viria, mas ainda não estou preparada.”

"Sei que não está.”

"Percebo agora que não posso fazer isso. Não posso fingir que não sei nada e
mentir na cara dela. Realmente tive muita sorte até agora, mas simplesmente não
sei fingir. É cruel."

"Como lidou com isto?"

"Muito mal. Sinto que ela pode ver que algo está errado. Eu a escutei, acenei
com a cabeça. Foi terrível. Orgulho-me de ser aberta e honesta com ela. Mas essa é
a única coisa que não consigo falar, não até darem permissão."

Minha respiração fica agitada muito rápido. Landon sabe que sou propensa
a ataques de pânico. Ele continua me segurando forte até eu me acalmar.

"Entre no Trailer. Vamos para casa. Precisamos conversar sobre algumas


coisas e você não pode esperar."

"Não posso lidar com mais nada hoje, Landon."

"Não é nada ruim. Prometo. É apenas uma longa conversa em atraso e isso
diz respeito ao que aconteceu hoje."

Ele termina te limpar enquanto fico sentada.

Sentada no chão do Trailer, fecho os olhos quando Landon nos leva de volta
ao apartamento.

Uma vez em casa, ele some no banheiro. Quando ouço a água correndo,
percebo que ele está preparando um banho para nós.
Landon se despe antes de me ajudar. Quantas vezes já o vi nu, a beleza de
seu corpo coberto nunca deixa de me impressionar. Depois que me leva para a
água morna, Landon entra atrás de mim e puxa meu corpo para ele. Inclinando a
cabeça contra seu peito, nunca me senti grata por ter uma noite de folga no
trabalho. Não estou com vontade esta noite.

"Estou com medo,” sussurro.

"Eu sei. Mas estou esperando que o que estou prestes a dizer possa te fazer
sentir melhor."

"O que é, Landon?"

Ele envolve os braços em mim mais forte debaixo da água. Sua voz baixa é
calmante enquanto ele diz contra minha pele.

"Eu disse que antes de sair da Califórnia, comecei a ver um terapeuta, mas
nunca entrei em detalhes sobre nenhuma das epifanias que tive antes de mudar
para cá. Nunca pareceu o momento certo para falar ... até hoje."

"Eu sei. Não queria te pressionar para falar sobre isso."

"Sabe que passei vários anos confuso e cheio de ressentimento por minha
mãe biológica. Não acho que eu realmente vi as coisas pelo seu ponto de vista - até
você. Eu não entendia como pode me entregar até que vi o mesmo cenário através
dos olhos de alguém que amo mais do que a vida. Você me deu uma nova
perspectiva sobre o desespero que minha mãe deve ter sentido. E vendo sua culpa,
sei que se arrepende. Sei o quanto ama Lilith e que suas ações como adolescente
não são um reflexo do seu amor por ela. Percebo agora que minha mãe
provavelmente me amou muito. Você me mostrou isso. Então, obrigado."

Ele está me agradecendo?

"Ela te amou, Landon. Eu sei que fez."

"Tudo o que faz é para Lilith. Ela tem você. Ela simplesmente não sabe. Ela
não sabe como é sortuda, mas saberá um dia. Meu terapeuta também me ajudou a
ver minha situação de maneira diferente quando se trata de meus pais. Tenho
sorte. Eles me amaram mais do que poderiam ter amado um filho biológico. Minha
mãe não pode ter filhos, sabe. É por isso que resolveram adotar."

"Nem Beth."

"Você deu aos pais de Lilith um presente exatamente como minha mãe deu a
Marjorie e Jim. É como se estivesse cego ao fato de que algo realmente maravilhoso
saiu do abandono de Beverly. Só me concentrei nas razões pelas quais ela não me
quis, mas não vi todas as coisas boas que aconteceram como resultado. Por um
lado, conheci você. Minha vida não seria o que é hoje se crescesse com Beverly.
Minha educação teria sido difícil ela me amando ou não. Às vezes, o amor é
suficiente, mas às vezes a parte ruim pode destruir. Não posso garantir que estaria
mais feliz se ela tivesse me mantido. Mas posso dizer com cem por cento de certeza
que tive uma boa educação com pais amorosos. O que a pobre Marjorie conseguiu
em troca? Um filho que a deixou para ir encontrar sua mãe biológica e
desconhecida. Eu tinha uma mãe. E realmente lhe devo desculpas pela maneira
como lidei com as coisas, da maneira que desapareci."

Meu coração quebra pela mãe de Landon. Sei que ela passou muitos anos
sofrendo quando o perdeu.

"Marjorie é uma mãe maravilhosa."

"Aqui está a linha de fundo, Rana. Tudo acabou do jeito que deveria. Você
se entrega ao inferno por desistir de sua filha, mas alguém lembra o quão corajosa
foi? Você poderia ter decidido abortar o bebê assim que descobriu. Minha mãe
poderia ter decidido o mesmo. Em vez disso, teve Lilith. Isso tem que ter sido
assustador como o inferno naquela idade. Então tomou a decisão que sentiu ser
melhor para ela. E quando corrigiu sua merda, viu o erro e tentou de uma maneira
que provavelmente poucas pessoas teriam coragem. Você enfrentou esse
arrependimento e tentou retomar parte do que perdeu.”

Meu coração está pesado. "E se explodir na minha cara? E se eu a perder?"

"Ela vai descobrir. É inevitável. Mas quero que saiba que estarei lá com você
quando acontecer. E depois de lhe dizer, estarei lá para ela. Contarei minha história
e mostrarei que não é a única pessoa a lidar com isso. Nunca terá que lidar com isso
sozinha, Rana. Lilith e eu ... compartilhamos algo que ninguém mais pode entender
a menos que tenha estado nesse situação. Se há um motivo para tudo o que
acontece na vida, então talvez eu tenha passado tudo isso por ela, para poder estar
lá para Lilith."

O fato dele sentir dessa maneira realmente me toca profundamente. É como


se ele desenrolasse toda nossa dor e juntasse novamente em algo bonito. Palavras
não pode expressar minha gratidão a ele por se abrir hoje.

"Não posso dizer o quanto isso significa saber que não terei que passar por
isso sozinha e que quer apoiar Lilith desse jeito."

"Você não vai perdê-la, Rana. Finalmente aprendi a perdoar Beverly, mesmo
que ela não consiga falar comigo. Se Lilith ficar com raiva no início, aprenderá a
perdoá-la, especialmente porque fez um esforço para ser parte de sua vida da única
maneira que teve permissão. O fato é que talvez não pude realmente ser grato a
Beverly me dar vida até começar a viver uma vida que amo. Estou vivendo essa
bela vida agora porque ela fez a escolha de me ter, mesmo que estivesse sofrendo.
Nunca mudaria nada sobre o passado. Então, preciso deixar minha animosidade ir.
Preciso apenas olhar para cima e dizer 'obrigado, Beverly' e ser grato pelo fato de
que Lilith conhecerá sua mãe biológica quando eu não consegui. Ela terá a sorte de
perceber que tem duas mães e um pai que a amam. E sempre me terá também.
Talvez fique brava por um tempo, sim, mas será amada. Ela chegará a entender
isso, eventualmente. E isso é o que mais importa."

Realmente espero que ele esteja certo.

Virando para encara-lo, levo um minuto para absorver a beleza desse


homem, tanto a exterior quanto a interior que ele demonstra na maneira como
cuidou de mim esta tarde.

"Obrigado por esta terapia na banheira. Realmente precisava hoje."

"Sei que precisava. Esses pensamentos estão na ponta da minha língua faz
um tempo, esperando o momento certo."
Ficamos na água fumegante por quase uma hora. Apesar do meu susto com
Lilith, sinto incrivelmente relaxada agora.

Como estamos sendo tão abertos, há uma pergunta irritante que quero fazer
tem um tempo. É algo que nunca discutimos.

Virando para encará-lo, envolvo as pernas em sua cintura e roço o polegar


ao longo de seu lindo lábio inferior. "Quer ter um filho algum dia?"

"Somente com você,” diz ele sem sequer pensar. "Somente se quiser um,
também. Definitivamente, não acho que seja uma decisão que tomaremos em
breve."

"Costumava dizer que não merecia ter outro bebê pois minhas chances e
desisti, mas, honestamente, realmente não quis ... até você."

Landon me puxa para perto e beija com ternura. Posso sentir sua ereção
crescendo abaixo de mim. "Meu instinto é que querer te engravidar por razões
primitivas. Estou me esforçando por apenas pensar nisso. Mas realmente... é uma
vida de responsabilidade. E honestamente... " Ele hesita. Realmente não tenho
certeza do que ele irá dizer até que as próximas palavras saem. "Realmente quero
isso. A verdade é que quero isso com tão fodidamente que dói."

Meu coração acelera com a admissão. "Quando faz a pausa, fiquei assustada
por um segundo."

"Isso deve significar que no fundo, realmente quer também."

"Não acho que percebi o quanto queria até este momento - até que meu
coração quase caiu quando pensei que talvez você não quisesse."

****

Meu homem cuida de mim toda a noite. Depois do banho, Landon nos
prepara o jantar e comemos no sofá enquanto vemos Netflix.

Quando o filme termina, ele pega a carteira. "Esqueci. Tenho algo para te
mostrar. Minha mãe achou isso. Ela me deu hoje quando a encontrei para o café da
manhã. Veja." Ele me entrega uma foto.
Meu sorriso aumenta. É uma foto de Landon e minha tirada durante os
primeiros meses depois que minha família se mudou para o apartamento na
garagem. Lembro vividamente do dia em que foi tirada. Nosso bloco inteiro estava
tendo uma venda de quintal e tanto Landon quanto eu nos encarregamos de
arrecadar dinheiro para os itens que Marjorie colocou em sua mesa. Ela nos deu
dez por cento dos lucros como pagamento pelo nosso trabalho e usamos o dinheiro
para comprar nosso primeiro cubo mágico de uma das mesas.

Ainda sorrindo pela foto, digo: "Esse é o dia em que compramos o cubo
mágico."

"Lembro disso, mas não tinha certeza se o faria."

"Não, lembro de tudo sobre esse dia. Foi uma das primeiras vezes que
percebi o quanto realmente gostava do garoto ao lado."

Ele bate o joelho contra o meu. "Sim. Pensei o mesmo também."

Na parte de trás da foto, sua mãe escreveu nossos nomes e a data.

Continuo a olhando. É a primeira vez em anos que olho uma foto minha
desse período de tempo. Realmente está me atingindo mais do que nunca o quanto
Lilith se parece comigo.

"Pareço exatamente com ela nessa foto, não?"

"Sim. Sempre que Lilith está perto, isso me leva no tempo. Sinto-me uma
criança novamente ao redor dela. É bom para minha alma."

Depois que Landon enfia a foto em sua carteira, ele me envolve nos braços,
beijando repetidamente minha testa. Vivi por anos me sentindo sozinha e
assustada. Pela primeira vez na vida, sinto-me verdadeiramente segura. Suas mãos
podem estar calejadas; seus braços podem estar marcados; ele pode parecer
perigoso, mas Landon é tão gentil quanto protetor.

"Nunca poderia ter previsto que isso aconteceria entre nós, Landon. Estou
tão agradecido por ter você comigo."
"Nunca pensei em vê-la novamente um milhão de anos depois de ter
partido. A vida pode ser difícil como merda, mas às vezes ... às vezes me
surpreende da melhor maneira."

****

Nesta noite, antes de dormir, Landon está escovando os dentes enquanto


arrumo os lençóis na nossa cama. Acabei de olhar e noto algo estranho. Meus
bichinhos de pelúcia desde a infância sempre estão alinhados numa prateleira que
fica no alto da parede em frente à minha cama. Há muitos, de todas as cores e tipos.
Um urso de pelúcia em particular me chama a atenção - porque não o reconheço.

Não é meu.

Quando Landon entra, pergunto: "Você me comprou um bicho de pelúcia?"

"Não. Por quê? Quer que eu compre?"

Caminhando até a prateleira, pego o urso marrom. "Apenas notei esse. Não
é meu. " Entrego a ele.

A expressão de Landon fica preocupada quando ele o olha. "Sabe que há um


zíper aqui." Ele abre o urso para encontrar uma câmera dentro. "Essa é uma fodida
câmera para espionar!"

Meu coração acelera. "O que?"

"Olhe ... o nariz é a lente." As mãos de Landon tremem. Nunca o vi tão


preocupado. "Esse fodido doente deve estar te filmando."

Certamente, provavelmente não examinei bem a prateleira desde que Lenny


se mudou, então não tem como saber a quanto tempo o urso está lá. Quando
trocamos as fechaduras, duvidei que ele fosse voltar. Ainda assim, definitivamente
me atinge.

Ele joga o urso na cama. "Está vazio... sem fita ou nada dentro. Você me
deixará ir à polícia agora? "

"Não. Não quero problema. Sei que isso parece louco... mas só quero
esquecer."
Landon solta um suspiro frustrado. "Tenho que trabalhar mais para nos
encontrar um novo lugar."

À procura de um apartamento novo, de alguma forma, ficou esquecida.


Com cada dia que passa depois de Lenny partir, pareceu ser menos necessário sair.

Mas esta descoberta inquietante definitivamente abre velhas feridas,


tornando a necessidade de nos mudar é uma prioridade.
Capítulo vinte e seis

NOTHING LEFT UNSAID

A carta foi ideia de Landon.

Beth esteve em contato comigo nos dias que se seguiram o carnaval para deixar-

me saber como sua filha está. Aparentemente Lilith ainda está um pouco em

choque, mas fala sobre isso com os pais.

Beth disse que ela explicou tudo sobre como eu me tornei a sua “irmã mais

velha.” Ela indicou que Lilith ainda não estava pronta para me ver, mas me

garantiu que Lilith não me odiava.

Aparentemente, de acordo com Beth, Lilith ouviu seus pais conversando uma

noite. Eles mencionaram meu nome, o que a levou a abordar o assunto da adoção

comigo, uma vez que, por dentro, me apavorei e agi de forma estranha. Isso a fez

suspeitar um pouco. Então, no carnaval, quando ela viu a foto e foi o confirmou.

Landon sabe o quão difícil é a espera para mim. Ele sugeriu que colocasse meus

pensamentos numa carta. Dessa forma Lilith poderia lê-la em seu próprio ritmo e

isso me permitiria realmente dizer todas as coisas que quero sem pressioná-la ou

deixar algo de fora.

Desesperada para dar-lhe meu lado da história, passei dias sem fazer nada,

somente escrevendo para ela. Escrevi sobre minha infância, meu relacionamento ou

a falta dele, com minha mãe. Escrevi os pensamentos e sentimentos que correram

através de mim quando descobri estar grávida. Dei-lhe todos os detalhes sobre seu

nascimento e recordei os meses que fugi. E especialmente tentei meu melhor para
expressar todo o pesar que sinto. Principalmente, tentei transmitir o quanto a amo,

apesar do que minhas ações possam dizer. Também tentei meu melhor para

explicar que embora nunca dissesse a ela minha verdadeira identidade, o vínculo

que formamos nos últimos anos é real. Quero que ela saiba que realmente

conheceu meu verdadeiro eu todo esse tempo.

Provavelmente a coisa mais complicada de explicar a ela é a minha cirurgia

plástica. Contradiz tudo o que já disse sobre auto aceitação e amar a si mesma

como é. Muitas vezes disse a ela como é linda. Será que ela nunca acreditará em

mim, sabendo que mudei meu rosto – nosso rosto? Fiz meu melhor para explicar

que é muito mais do que a necessidade de mudar por fins de aparência. Mas

sinceramente temo que minha explicação seja difícil de vender para ela,

especialmente quando está na adolescência. Sem uma noção de onde sua cabeça

está sobre o assunto, só tenho que rezar para que minhas ações não prejudiquem

sua autoestima a longo prazo.

Cada noite, Landon e eu deitamos na cama e ele lê o que escrevi durante o dia.

Uma das melhores partes foi descobrir que Landon usa óculos. Ele parece tão sexy

com eles enquanto se concentra em minhas palavras sob a luz da lâmpada.

No final, minha carta se transformou quase um livro. É muito longa para ser

uma carta e é essencialmente a história da minha vida e de como se tornou o que é.

Quero que ela saiba tudo, porque merece isso.

Há muitas palavras riscadas e outras rabiscadas nos cantos. Porque mudei

muitas coisas ao redor e decido digitar quando estiver terminado. Landon disse

para imprimir duas cópias completas quando estiver pronto e dar-lhe junto com
algumas fotos da minha infância e adolescência. Não tenho muitas, mas dou todas

as que possuo.

Ele cuidadosamente amarra os papéis num livro rosa que comprou numa loja

de artesanato e incorporou cópias coloridas das fotos em seções que correspondem

à linha de tempo. Ele transformou-o num mini romance real e faz uma cópia

idêntica do livro para mim para que sempre o tenha como lembrança. Escrever é

bastante terapêutico.

Perto do fim, explico o mistério em torno dos envelopes de dinheiro que ela

recebeu. Rio quando vejo que Landon está preso numa foto atual de meu pai. Papa

estava segurando um melão e parece que está gritando com Landon para tirar a

foto. Deve ser recente. Landon coloca o título Deus na foto.

As fotos realmente acrescentaram humor e vida para o que escrevi. No final,

por mais doloroso que seja colocar tudo no papel, está bonito.

Mas nada me toca mais do que o que ele colocou no fim. Landon pediu minha

permissão para escrever algo também. Não tenho ideia do que esperar.

Lilith,

Com a permissão de Rana, esperei o momento certo para compartilhar isso com você.

Diria que não há tempo melhor do que o presente.

Você me conhece como o namorado de Rana, o cara feliz e sortudo da Califórnia. Mas o

que não sabe é o quanto você e eu temos em comum.

Fui adotado também.


Entendo a confusão e o vazio ocasional que vem junto com o conhecimento de que a

pessoa que te trouxe a este mundo escolheu uma vida separada de você. Entendo totalmente,

Lilith. Eu entendo muito bem.

Meus pais escolheram dizer que fui adotado quando tinha dezesseis anos, então era

muito mais velho do que você quando descobri que não era relacionado com meus pais pelo

sangue. Quando fiz dezoito, me senti muito perdido. Foi quando mudei para a Califórnia em

busca da minha mãe biológica. O nome dela era Beverly. No momento em que a encontrei, já

era tarde demais. Ela tinha falecido. Nunca vou saber se algum dia ela pretendia me

encontrar. Escolho acreditar no meu coração que teríamos nos encontrado e tido um

relacionamento.

Espero que compartilhar isso com você ajude-a a perceber o quão sortuda é que sua mãe

biológica veio encontrá-la. Ela não esperou você procurá-la. Ela precisou ter certeza de que

você estava bem e quis ser parte de sua vida.

Minha mãe não estava no estado de espírito certo para fazer isso, porque, infelizmente,

ela era viciada em drogas. Percebo agora que suas ações não necessariamente significam que

ela não me amava. Ela simplesmente não podia salvar a si mesma. Ela não poderia ter

cuidado de mim mesmo se quisesse. Ela tomou a decisão que achava ser melhor para mim.

De qualquer forma, estarei feliz em compartilhar mais sobre a história de minha mãe

biológica com você algum dia, se quiser ouvir. Mas sinceramente, a minha história com ela

terminou antes de ter a chance de começar.

Como Beverly, Rana sentiu que fazia o que era melhor para você quando lhe deu a seus

pais. Mesmo que ela sempre te amou, não se permitiu sentir verdadeiramente o amor

quando nasceu porque era muito doloroso. Sei que ela explicou tudo isso para você, mas

quero te dizer um pouco sobre o que tenho observado.

Primeiramente quando reencontrei Rana em pessoa, sabia que ela escondia algo grande.

Toda vez que a olhava, podia ver o peso de algo gigante em seus olhos. Só não sabia naquele
momento que esse peso era você. Agora tudo faz sentido. Ela a tem em sua alma, Lilith. Você

ainda é parte dela. Tudo que ela faz é para você - para se tornar uma pessoa melhor, para

que um dia ela possa se tornar orgulhosa dela. Sei que a maneira como ela apareceu na sua

vida foi incomum, mas ela quis uma chance de realmente te conhecer e que você a conhecesse

também. Estar com você a faz tão feliz. Ela está sempre falando sobre quão orgulhosa está de

você.

Pode optar por não falar com ela por causa de uma decisão que ela tomou quando ela era

jovem (apenas alguns anos mais velha que você hoje), ou pode perdoá-la. De qualquer

maneira, ela vai te amar. Como alguém que perdeu a chance de conhecer a mãe biológica,

daria qualquer coisa para estar no seu lugar e ter essa escolha.

Experimentar o amor de Rana por você ajudou a curar alguns dos sentimentos não

resolvidos que tinha em relação à Beverly e me ajudou a perdoar. Ainda mais do que isso,

me ajudou a apreciar meus pais adotivos, ou como gosto de chamá-los – mamãe e papai.

Nunca deve sentir como se deixar Rana entrar em sua vida fosse diminuir tudo o que seus

pais fizeram. Eles serão sempre seus pais. Confie em mim, nós dois somos sortudos por ter

pessoas que escolheram nos criar. Pergunte a si mesma se quer mudar tê-los como seus pais.

Minha resposta para essa pergunta seria não.

Nós dois também temos sorte de ter Rana em nossas vidas. Não tem ideia de como você

faz-me lembrar dela quando tinha aproximadamente com a sua idade e não apenas a sua

aparência, mas na natureza curiosa e no bom coração. O espírito dela vive dentro de você.

Deve usar o máximo de tempo que precisa para absorver tudo neste livro. É uma

responsabilidade muito grande. Mas estaremos aqui quando estiver pronta. Digo ‘nós’

porque não vou a lugar nenhum. Você sempre terá um amigo em mim. E espero que haja

muitos carnavais em nosso futuro.

Rana vai te amar até o dia em que morrer, Lilith. Ela pode ser imperfeita, mas o amor

por você não é. É inquebrável. Ela nunca vai te deixar enquanto viver; ela deixou isso muito
claro para mim. Nós provavelmente estaríamos na Califórnia, se ela não quisesse ficar com

você. Não estou dizendo isso para te fazer se sentir culpada. Só quero que saiba que, mesmo

com o quanto ela quer ficar comigo e o quanto pode amar a luz do sol e o mar, nada e quero

dizer nada, importa mais para ela do que você. Seu amor por você é maior do que qualquer

oceano.

Se tudo isso falhar, espero que você vá dormir esta noite verdadeiramente sabendo disso.

Landon

PS: Disse que deve ter todo o tempo que precisa, mas tente não tomar o tempo como

garantido. O amanhã nunca é certo. Nada deve ser deixado por dizer. Aprendi da pior

maneira.

PPS: Acho que você e eu fomos feitos para estar na vida um do outro.
Capítulo vinte e sete

STAYCATION

Algumas semanas se passam e ainda nenhuma palavra de Lilith.

Beth confirmou que ela recebeu o livro, mas que a filha ainda não está pronta

para abri-lo. Ela prometeu me avisar quando Lilith ler e me deixar saber se e

quando Lilith quiser me ver novamente.

Não ser capaz de vê-la a cada semana realmente me machuca. Fiquei tão

acostumada a ter esse tempo com ela e dói a distância. Mas sei que o tempo longe

uma da outra é necessário e rezo todas as noites para que não seja permanente.

Landon trabalha muito no Trailer e não deu uma pausa desde que começou.

Seu único dia de folga é domingo. Jantávamos uma noite, quando ele anunciou:

"Acho que nós precisamos fugir. Foram semanas realmente estressantes."

"O que tem em mente?"

"Pensei num descanso, na verdade. Apenas tirar uns dias para relaxar aqui,

bem, não tecnicamente aqui, mas em algum lugar nas proximidades. Sabe, não

vamos muito longe, por que, quem sabe, Lilith escolha esses dias para aparecer."

"Isso parece muito bem, mas aonde iremos?"

"Tenho um lugar em mente."

"Mesmo? Já fez planos?"

Ele pisca. “Tenho tudo coberto. Mas precisa ligar para seu trabalho e dizer que

está doente e ficará fora algumas noites. Pode fazer isso?"


"Sim, claro. Eu nunca falto e não estive ausente desde a Califórnia. Então, já é

hora de usar essa desculpa, eu suponho."

"Ou pode dizer a verdade, que estará brincando com a cobra do seu namorado,

em vez da deles por alguns dias."

Gargalho. "Gosto do som disso."

***

Landon não quis dizer para onde vamos, mesmo sabendo que onde quer que

seja não é longe.

É desnecessário dizer que quando chegamos à casa de seus pais, na Eastern

Drive, fico totalmente perplexa. Seria um período de férias. Amo Marjorie e Jim,

mas não tenho nenhum desejo de gastar nosso pouco descanso com eles.

"Ok. Hum... definitivamente estou confusa."

"Eu sei." Ele ri quando para sua caminhonete na entrada da garagem.

Olhando para meus seios pulando para fora do vestido, digo: "Se soubesse que

veríamos seus pais, teria usado algo menos sexy."

"Você está vestida para ser fodida. E isso é exatamente o que vai acontecer.

Confie em mim."

O quê? Ok, isso é perturbador.

Ao invés de tocar a campainha, Landon usa sua chave para entrar na casa.

"Eles não estão em casa?"

Ele sorri para mim. "Não. Não disse imediatamente porque estava apreciando

seu pequeno surto."


"Muito obrigado. Onde estão?"

"Flórida."

De repente, faz sentido. Estamos usando a casa dos seus pais enquanto eles

estão fora. Alívio me inunda. Nós estaremos, de fato, sozinhos o tempo todo.

"Não acho que eu já estive dentro desta casa quando seus pais não estavam. Por

que sinto que estamos sendo furtivos? Durante o dia, principalmente, ficamos no

apartamento sobre a garagem ou lá fora. A casa principal sempre parece fora dos

limites. Além da última vez que visitamos seus pais, acho que estive nesta casa real

poucas vezes."

"Quer ver o que meus pais fizeram com meu antigo quarto?" Ele aponta com a

cabeça. "Vamos." À medida que entramos no espaço, ele ri e diz: "Nada. Eles não

fizeram absolutamente nada. Acredita nisso?"

O quarto parecia de um adolescente típico. Há um cartaz de um carro exótico

na parede, junto com uma tonelada de troféus esportivos e banners. Não entramos

em seu antigo quarto desde a noite que viemos jantar quando ele visitou o

Michigan pela primeira vez. Então, este é meu primeiro vislumbre daqui.

"Oh, meu Deus, Landon. Eles nem sequer tocaram em nada."

"Estranho, certo? Depois que saí para Cali, mamãe ficou arrasada. É como se

preservar este quarto fosse a única coisa que me manteve vivo e como seu filho.

Isso realmente me entristece."

"Isso mostra o quanto eles realmente te amam."


Olho uma colagem de fotos na parede que mostra, entre outras coisas, fotos de

amigos do ensino médio e algumas do baile. Inclino-me mais perto para examinar

uma delas. Landon parece tão limpo de colete. Nossa... Como as coisas mudaram.

Corro meus dedos ao longo de uma das fotos. "Você e Kelsie."

"Esqueci destas. Deveria tê-las tirado antes."

"Está tudo bem. Não sou o monstro ciumento que era quando nos conhecemos.

Pelo menos, estou tentando não ser. Mas tenho inveja dela por ir ao baile com você.

Nunca fui ao baile, muito menos com Landon Roderick."

Ele está atrás de mim, colocando a mão em meus ombros enquanto continuei

olhando suas memórias do ensino médio. "Você não teria me querido. Estava à

beira de uma implosão autodestrutiva. Olho para esse garoto ingênuo agora e é

como olhar um estranho. Ele tinha muito a aprender e foder-se muito para ser

quem é hoje. O homem que sou hoje é a quem você pertence."

Viro para encará-lo. "Tenho tanta sorte de encontrá-lo. Suponho que talvez se

não tivesse me mudado, algo poderia ter acontecido entre nós ou pior, eu teria que

vê-lo com Kelsie. De qualquer forma, eu o perderia para a Califórnia. Isso era

inevitável."

"É engraçado como as coisas que uma vez vemos como trágicas são exatamente

o que precisavam acontecer, em retrospectiva."

"Não há dúvida em minha mente que não estaríamos juntos agora se eu não

tivesse saído, se meu pai não tivesse tomado a decisão precipitada de fazer as

malas e mudar."
"Loucura, não é?" Suas mãos deslizam por minhas costas quando ele aperta

minha bunda e resmunga. "Não posso esperar para transar com você na minha

velha cama."

"Há algo impertinente sobre isso."

"O garoto naquela foto teria morrido de um ataque cardíaco, se soubesse, então,

que traria uma menina com peitos e uma bunda tão obscenamente lindos para esse

quarto algum dia."

"E ele certamente teria tido um ataque cardíaco se soubesse que esses peitos e

bunda pertencem a Rana Banana."

"Malditamente sem dúvida."

Ele abaixa o rosto para meus seios e lambe através do vestido, circulando a

língua sobre o meu mamilo e deixando uma mancha molhada que me fez ansiar

por mais.

Depois de Landon relutantemente parar, ele diz: "Tudo bem... Não posso me

empolgar demais. Não terminamos a turnê." Ele colocou a mão na parte inferior

das minhas costas. "Vamos olhar um pouco mais."

Em nosso caminho para a sala, acidentalmente esbarro na mesa pequena,

fazendo um vaso cair e quebrar.

"Merda, Landon! Sua mãe vai me matar."

"Nah. Ela não vai se importar. Ela nem mora mais aqui."

"O quê? Do que você está falando?"

O rosto de Landon fica vermelho. "Bem vinda ao lar, Rana."


"Hã?"

"Esta é nossa casa agora. Comprei deles."

Meus olhos quase saltam da cabeça. "Você o quê?"

"Meus pais estavam pensando em se aposentar e ir para a Flórida por um

tempo. Eles finalmente decidiram ir."

"Não achei que seus pais tinham idade suficiente para se aposentar. Como não

soube de nada disso?"

"Eles estavam nos quarenta e poucos anos quando me adotaram, então sim, é a

hora. Eles pretendem passar metade do ano lá e voltar no verão. Eles têm um

pequeno apartamento para ficar quando voltarem. Foram ontem para Nápoles.

Esta casa precisa de muita manutenção e pensavam em vendê-la de qualquer

maneira. Então, pulei na oportunidade, dizendo que estava interessado em

comprar. Você não sabia porque quis surpreendê-la. Claramente, funcionou. Você

parece chocada."

Olhando ao redor, eu gaguejo, "Eu... eu estou."

"Percebi que é ainda perto o suficiente para seu pai e Lilith. Nunca teria feito o

negócio se fosse diferente. Eles deixaram todos os móveis e coisas para trás, mas é

claro que pode decorar do jeito que quiser."

"Tem certeza de que podemos nos dar ao luxo de viver aqui?"

"Eles são proprietários de forma definitiva, então não estão com pressa pelo

dinheiro, mas insisti em dar um adiantamento, o que eu já fiz. Eles fizeram um

bom negócio. A hipoteca não é muito maior do que o que pagamos no aluguel. Nós
configuramos um plano de pagamento mensal, então eles não são prejudicados. E

saber que não estamos lidando com um banco. Não perdermos a casa se o food

truck tiver uma queda. Não gostaria de nos colocar nesse tipo de posição."

"Nunca sonhei que teria uma casa. Não acho que poderia ter conseguido

sozinha, provavelmente nunca na vida. Tem certeza de que não estamos nos

precipitando?"

"Tenho tudo certo. Não se preocupe."

"Isso está realmente acontecendo?"

"Só se você quiser, baby. Eles sempre podem vendê-la para outra pessoa se não

estiver feliz vivendo aqui."

Olhando por cima em direção à cozinha grande, não posso acreditar que é meu.

"Eu quero isso."

"Imaginei que poderia ficar aqui durante o próximo par de dias, batizar cada

quarto, torná-la nossa, talvez decorar. Então vou mover lentamente nossas coisas

até estarmos totalmente fora do apartamento."

"Nós podemos ter nosso tempo," digo. "Amo a ideia de não ter que mover tudo

de uma vez."

"Quero algum tempo para corrigir algumas coisas. Gostaria de substituir alguns

aparelhos e instalar o ar central." Ele caminha para a entrada da frente. "Vamos

verificar a garagem."
O pensamento de ver o interior do antigo apartamento-garagem está me

deixando nervosa. Mas o que realmente aparece diante dos meus olhos, no entanto,

não é nada o que esperava e me deixa sem palavras.

Fotos em preto e branco emolduradas explodem ao redor do espaço vazio. São

fotos de Landon e eu, individuais e juntos ao longo do tempo. Há uma que não vi

antes de nós dois na praia na Califórnia. As paredes foram pintadas de branco e ele

colocou uma iluminação embutida no teto. E, literalmente, parece uma galeria de

arte. Além das quatro na paredes ao nosso redor, não há nenhum vestígio do

apartamento sujo que moramos todos os anos atrás.

Quando viro para encará-lo, ele está a alguns centímetros do meu rosto e segura

uma nota dobrada num triângulo.

"A última. Abra."

O que está acontecendo?

Desdobro o bilhete e descubro que dentro há um lindo diamante redondo preso

ao anel mais original que provavelmente já vi. Todo o anel é incrustado com

pequenos diamantes e os lados são entrelaçados e parecem dois números oito.

"Leia a nota." Ele diz antes de pegar o anel.

Olhei sua caligrafia familiar.

Rana Banana,

Perguntei-lhe muitas coisas estúpidas ao longo dos anos. Confie em mim, essa não

é uma delas. A próxima é a mais importante.

Landon

PS: Eu Te Amo.
Em seguida, ele se ajoelha. As luzes acima de nós refletem em seus lindos olhos.

"Rana Saloomi... às vezes nossa viagem de volta um para o outro não foi fácil,

mas sinto que tudo o que aconteceu na minha vida aconteceu para que pudesse

acabar neste lugar. Estou delirantemente apaixonado por você. E orgulhoso por

enfrentar seu maior medo. O seu amor e dedicação, não só a mim, mas para

aqueles que têm a sorte de serem amados por você me inspira a cada dia. Obrigado

por me amar e para sempre deixar um pedaço do seu coração para mim, mesmo

quando estávamos em caminhos significativamente diferentes através dos anos.

Mas, especialmente, obrigado por ficar bêbada e me ligar naquela fatídica noite.

Sempre serei grato pelo fato de que minha menina é desleixada quando bebe um

pouco demais. Nunca terá que beber sozinha novamente. Nunca terá que ficar

sozinha novamente. Casa comigo?"

É a pergunta mais fácil que eu já tive que responder. "Sim!"

Landon coloca o anel no meu dedo antes de me levantar no ar.

Estamos realmente em casa, de volta onde tudo começou e agora, onde nossa

história começa novamente.

Ainda segurando a nota, envolvo meus braços em seu pescoço. Quando ele me

desce, olho mais de perto o anel que escolheu.

"Amo como ele é."

"São dois oitos, um de cada lado. Isso me lembrou seu movimento de dança. O

joalheiro não sabia do que diabos estava falando quando lhe disse isso, mas de

qualquer maneira, pensei que era tão original quando você."


Apenas nos abraçamos por um tempo, em seguida, começamos a andar ao

redor da sala para olhar as fotos.

"Não posso acreditar no que você fez com este espaço. Agora sei por que

aleatoriamente desaparecia nas tardes de domingo."

"Este quarto me trouxe você. Agora é seu para fazer o que quiser. Vamos ter

que descobrir um uso para ele no futuro."

Concordo. "Algo que seja útil para nós.”

"Então será um calabouço sexual?" Ele pisca.

***

Dirigimos para a cidade de noite para celebrar nosso compromisso.

Na caminhada de volta do restaurante Hibachi para a caminhonete algo me

para enquanto passamos por um edifício.

"O que está errado, Rana?"

Caminho até o cartaz pendurado na entrada para dar uma boa olhada. Então

olho o sinal de néon: A vida é um arrasto.

"Precisamos entrar." Insisto.

"Quer ver o show de drag queens?"

"Sim." Agarro-o pelo braço. "Vamos."

Depois que pagamos a entrada na bilheteria, Landon vai ao bar comprar

bebidas. Digo a ele para pegar algo forte para mim.


Sentamos lá por duas performances. Recuso-me a dizer a Landon o que está

acontecendo até ter certeza. Quando o Dj anuncia o terceiro intérprete, quase cuspo

a minha, porque isso só aumenta minhas suspeitas.

"Senhoras e senhores, nosso próximo ato esta noite é da nossa beleza favorita de

cabelos negros. Por favor, bem-vinda de volta ao palco nossa dançarina do ventre

residente, Lanaaaaaaaaa."

O som da percussão na música vibra através de mim. Landon está me olhando e

tentando entender. Ele me segue enquanto corro pela multidão em transe para

chegar mais perto do palco.

Quando pus os olhos no pôster - os olhos familiares e loucos - não houve

nenhuma pergunta. Com a boca aberta, viro para Landon antes de responder a

pergunta silenciosa que ele está me fazendo através do olhar preocupado em seu

rosto.

Digo: "É ele."

Lenny aparentemente se transformou em Lana. Tudo sobre ele sou eu... Desde a

longa peruca preta, o delineador pesado, minha exata roupa vermelha de dança do

ventre que foi tirada do armário. Até mesmo o nome sou eu. Lana - uma

combinação de Lenny e Rana.

Quando os olhos de Lenny pousam nos meus, ele nem sequer se encolhe ao ver-

me - apenas continua a dançar. Sua boca se curva num sorriso divertido e quase

provocante, como se estivesse esperando esse momento que eu descobrisse que ele

se transformou em mim.

De repente, preciso de ar. Landon segue-me enquanto corro para a porta.


Quando Landon e eu finalmente recuperamos a respiração no meio do

quarteirão, nos olhamos com descrença.

"Puta merda, Rana. Todo esse tempo... Ele estava te estudando. Ele não queria

matá-la. Ele só queria ser você."


Capítulo vinte e oito

UNCONVENTIONAL

Provavelmente sou a noiva menos tradicional no mundo.

Minhas flores foram escolhidas do jardim do meu pai, da casa de Landon e

minha. Meu vestido, mesmo de um designer, foi pego de uma loja de segunda

mão. E não é branco; era champanhe, com um laço, estilo vintage. Não tenho

madrinhas de casamento, também, porque não consegui manter nenhuma

amizade.

A falta de companhia feminina adulta não é algo que me faz feliz. Deixei um

monte de amizades do ensino médio desaparecer após a gravidez e não desenvolvi

laços estreitos com mulheres em meus vinte anos. Não ajudou que a maioria dos

meus colegas de trabalho no restaurante fossem velhos homens gregos. Além de

um par de primas do lado do meu pai que vi uma vez na vida e outra na morte,

simplesmente não há muitas mulheres confiáveis na minha vida, ninguém que

consideraria para ser dama de honra é claro - além da uma menina óbvia que está

ausente hoje. Definitivamente há um buraco no meu coração sem Lilith aqui.

Então, é apenas a mãe de Landon, Marjorie e eu escondidas na sala privada

reservada para a festa nupcial na igreja. Landon está em algum lugar com seu pai e

Ace, que veio de Califórnia. Meu noivo não me viu ainda e estou tentando meu

melhor para continuar assim.


Landon e eu não queremos um grande casamento, mas meu pai perguntou se

iríamos nos casar em Santa Cecília. É o mínimo que posso fazer para Papa,

considerando que praticamente quebrei todas as regras pré-matrimoniais que

definiu para mim. Sei o que o casamento na igreja significa para ele. Convidamos

cerca de cinquenta pessoas, principalmente parentes e amigos dos pais de Landon.

Há cerca de dez pessoas do meu lado, incluindo meus avós.

Marjorie ajustou a fita fina e floral na minha cabeça. Tanto quanto eu a amo, não

posso deixar de desejar que Lilith estivesse aqui comigo em seu lugar. Esperava

que ela viesse hoje, mas não parece que acontecerá. Nós lhe enviamos um convite,

mas pode ser que ela não o aceitou, considerando que ainda não nos falamos desde

a noite que ela descobriu a verdade. De acordo com Beth, ela simplesmente não

está pronta para me encarar. Isso é algo que tenho que aceitar.

Não estava esperando para sentir tão emocional. Mesmo pensamentos de

minha mãe surgiram. Tanto quanto tento não pensar na mulher que nos

abandonou, uma parte de mim quer que ela, pelo menos, saiba que estou me

casando e quer contar a ela sobre todas as coisas que perdeu na minha vida. Ela

nem sabe que tem uma neta. Simplesmente não consegui engolir meu orgulho o

suficiente para tentar encontrá-la. Isso é principalmente porque acredito que ela

não se importa e que acabaria mais chateada.

Marjorie parece alarmada quando me nota começando a chorar. Nem sei o que

exatamente aconteceu, porque os pensamentos em minha mente mudam

constantemente a cada minuto.

"Rana, o que está errado?"

"Vou ficar bem."


"Quer que eu chame Landon?"

"Realmente não deveria vê-lo. É má sorte, certo?"

"Bem, tenho certeza que é um monte de besteira."

A verdade é que realmente quero vê-lo. Estamos adiantados uma hora. Parece

uma eternidade ter que esperar, especialmente neste estado de espírito. Ele é

realmente a única pessoa na Terra que pode me fazer sentir melhor apenas com sua

presença.

"Vai arruinar sua maquiagem." Diz ela.

"Acho que já arruinei."

"Deixe-me ir buscar um lenço."

Em vez de Marjorie retornar, ouço a voz de Landon atrás da porta.

"Minha mãe disse que precisa de mim. Estou entrando."

"Espera. Tem certeza que quer me ver?”

"Não há nada no mundo que quero mais." Ele não espera permissão quando

abre a porta.

Landon está ali, me encarando. "Wow."

Levanto, olhando a saia do meu vestido. "Gosta?"

"Rana, você pareceu linda para mim diversas vezes ao longo dos anos, mas

realmente parece como uma princesa boêmia agora. Estupidamente linda, baby."

Puxando a gravata de seda, digo: "Você parece tão bonito neste colete."
Ele percebe minhas lágrimas. "Não chore."

Eu fungo. "Realmente me pegou hoje, que tudo o que tenho certo na vida são

você e meu pai. Estou muito emocional, especialmente quando penso em Lilith."

"Sabia que se sentiria assim. Sei que você a quer aqui mais do que qualquer

coisa."

"Eu faço. Odeio que isso está tomando a alegria deste dia."

"Você não pode fazer mais. Pensei nela também, e até mesmo em Beverly, mais

do que o habitual hoje. Acho que é normal pensar sobre as pessoas que amamos e

que estão faltando em nossas vidas quando algo feliz está prestes a acontecer. É da

nossa natureza se sentir indigno de alegria quando existem sentimentos não

resolvidos de tristeza ou culpa dentro de nós."

"Só esperava que ela estivesse por perto."

"Eu sei. Para ser honesto, realmente esperei, também." Ele enxuga uma lágrima

do meu rosto e tenta clarear o humor. "Podemos falar sobre o quão incrível está?"

"Minha maquiagem está escorrendo."

"Vamos arrumar."

"Você vai? Minha maquiadora está muito longe."

"Claro, eu posso fazê-lo. Sente."

Faço o que ele diz. Landon, em seguida, senta na minha frente e torce o fim de

um tecido que tem no bolso para enxugar os lados dos meus olhos. Ele está

vestindo uma camisa branca por baixo do colete champanhe e tem as mangas

arregaçadas.
"Onde está o material de olho?"

Agarro a bolsa de maquiagem e tiro o rímel e delineador. "Aqui."

"Feche seus olhos."

Respiro dentro e para fora, tentando me acalmar quando reaplica meu

delineador. Realmente poderia ter feito sozinha, mas honestamente observar seu

braço tatuado movendo-se enquanto ele conserta minha maquiagem – é muito

mais divertido.

"Quem precisa de uma dama de honra quando tem você?"

"Pena que não pode chamar Lana. Aposto que ela sabe fazer sua maquiagem."

Bufo. "Vai me fazer chorar de rir. E então terá que fazer tudo de novo."

"Gosto do som disso." Ele coloca os objetos na bolsa. "Pronto. Como está?"

Viro para me olhar. Ele fez um belo trabalho, muito bom mesmo. Adicione ‘usar

o noivo como maquiador’ a lista de coisas não convencionais neste casamento.

Sorrindo para ele atrás de mim no espelho, digo: "Você faz bem. Talvez só tenha

realmente começado a caminhar no departamento materno, mas tenho o melhor

marido do mundo."

"Amo quando me chama de marido e beijaria a merda fora de você agora se não

me importasse com borrar tudo de novo." Ele me vira e diz: "Foda-se." Antes de me

beijar.

Landon e eu ficamos no quarto sozinhos pelo resto da hora. Ele continuou

arrumando minha maquiagem porque ou estou chorando, rindo ou ele está me

beijando novamente.
Finalmente, há uma batida na porta.

Marjorie enfia a cabeça para dentro. "O padre está dizendo que está na hora."

Ele pega minha mão. "Você está pronta?"

Balançando a cabeça, digo: "Quando andar pelo corredor, tente fingir que está

me vendo pela primeira vez."

"Apenas fingir que não arrumei sua maquiagem? Aposto que eu sou o único

noivo que pode dizer isso."

"Você provavelmente é."

Ele me beija de leve nos lábios, de modo que realmente não estraga meu batom

desta vez. "Eu te amo, Rana."

"Eu te amo mais."

De mãos dadas, entramos no hall da catedral e por um breve momento penso

que posso estar vendo coisas.

Beth está parada com as mãos nos ombros de Lilith. Pela primeira vez, Lilith

parece nervosa em me ver.

"Graças a Deus." Posso ouvir Landon sussurrar atrás de mim.

Ela está usando um vestido bonito, branco e tem flores no cabelo.

Mal posso dizer oi.

"Você precisa de uma menina das flores?" Pergunta Lilith.

Caminhando lentamente em direção a ela, digo: "Só há uma posição aberta para

isso e tem seu nome."


"Você me prometeu."

"Eu prometi."

"Não chore," diz ela. "Vai estragar a maquiagem."

"Está tudo bem. Eu posso refazê-la." Landon diz e todos momentaneamente se

viram para ele.

Lilith chama a atenção. "O quê?"

"Não importa a maquiagem," digo limpando meus olhos e a abraçando. "Não

me importo com a estúpida maquiagem."

Parecendo um pouco desconfortável, Beth sorri. "Nós ficamos presos no

trânsito. Pensamos que poderíamos perdê-la."

Olhando-a enquanto ainda abraço Lilith, digo: "Obrigada."

"Claro." Seus olhos pousam nos meus enquanto ela me dá um olhar que só ela e

eu podemos entender, somos duas mulheres unidas por nosso amor a esta menina.

"Teria parado a coisa toda e começado de novo por você, Lil, se tivesse se

atrasado."

Ela olha para mim com admiração. "Você está muito bonita."

"Você também."

"Este é o único vestido branco que tinha na loja. Não sabia que usaria bege. De

qualquer forma, consegui na Macy. Sei que é onde minha avó costumava roubar."

"Você leu o livro?"

Ela cora um pouco. "Sim."


Beth a olha. "Nós o lemos várias vezes."

Meu pai, que conversava com alguns parentes, finalmente aparece. Seus olhos

brilham quando vê Lilith.

Ela deve tê-lo reconhecido imediatamente quando diz: "Oi, Deus."

Papa estende as mãos, em seguida, segura suas bochechas. "Lilit." Em seguida,

ele a puxa para um abraço.

É a primeira vez que meu pai tinha está com sua neta. Não posso pensar num

melhor presente de casamento do que ser capaz de testemunhar isso.

E, de repente, não sou a única chorando. Landon perde a batalha contra suas

próprias lágrimas com a visão de meu pai segurando-a.

Pergunto a Lilith se ela não se importaria de andar pelo corredor com o papai e

eu. É outra coisa pouco convencional para adicionar à lista.

Com meu pai de um lado e minha filha - sim, minha filha - do outro, faço meu

caminho em direção a Landon, sentindo-se mais completa do que já estive em toda

a vida.
Epílogo

LANDON

DOIS ANOS DEPOIS

O paraíso para mim é um domingo preguiçoso no Eastern Drive com uma

brisa quente me atingindo. Os domingos são meus únicos dias de folga, então

basicamente vivo para eles.

Com o verão do Michigan sobre nós, os domingos ficaram ainda mais legais. O

tempo está me lembrando um pouco da Califórnia. Um sentimento de nostalgia

agridoce surge sempre que penso em meus dias no oeste.

Rana e eu nos sentamos no banco que construí na frente da nossa casa. Eu o fiz

para que tenhamos uma vista frontal e central de todos os acontecimentos,

especialmente no que diz respeito a um determinado adolescente de treze anos.

Vimos quando Lilith subiu a rua com um dos rapazes vizinhos, chamado Jayce.

Eu adoraria ser capaz de dizer que Lilith totalmente aceitou o fato de que Rana

é sua mãe biológica, mas a relação delas é ainda um trabalho em andamento. Elas

ainda tem uma dinâmica muito parecida com a relação entre uma irmã mais velha

e irmã mais nova. Não tenho certeza se mudará. As coisas são complicadas porque,

como adolescente, Lilith atingiu uma fase rebelde. Rana é especialmente sensível a

cada movimento que Lilith faz, determinada a se certificar de que ela não terá

problemas com meninos.


Também adoraria dizer que mãe de Rana apareceu na nossa porta e que por

algum milagre, elas se aproximaram, mas isso nunca aconteceu e provavelmente

nunca acontecerá.

E eu particularmente adoraria ser capaz de dizer que Rana e eu estamos

segurando nosso primeiro filho neste dia lindo, mas minha esposa sofreu um

aborto espontâneo aos três meses de gravidez - cerca de seis meses após nosso

casamento. Ficamos devastados, mas prometemos continuar tentando, sem forçar

muito. Temos fé que Deus nos dará um bebê quando for o momento certo, da

mesma forma que Ele nos aproximou novamente.

Basicamente, adoraria ser capaz de dizer que tudo está perfeito em nosso

mundo, mas é a vida. Não é perfeita. Mas não tem que ser também.

Rana acabou nunca aprendendo a dirigir. Tanto quanto ama estacionamentos,

ela se acovarda a cada vez que tento levá-la para a estrada. Ela também não foi

para a faculdade, porque muda de ideia sobre o que quer estudar. Então continua

como dançarina do ventre, que não é uma coisa ruim, porque, honestamente, ela

nasceu para mexer aquele corpo. Alguém tem que fazer isso. E amo vê-la.

Domingo também é o dia que Lilith fica em nossa casa e ultimamente ela

prefere passar mais tempo com Jayce do que com a gente. Isso chateia Rana até que

eu a lembrei que eles são basicamente nós nessa idade, fazendo exatamente as

mesmas coisas exatamente no mesmo lugar. Não saíamos com nossos pais também.

O meu entendimento desse fato não significa que Jayce está a salvo, no entanto. Ele

enfrentará minha ira se colocar um dedo nela. Lilith basicamente se ferrou com

dois pares de pais e um avô louco constantemente em seu encalço.

Esperançosamente, um dia ela perceberá como tem sorte por isso.


Falando do avô louco... Lembra da ideia da Rana fazer um calabouço do sexo na

garagem? Então, isso nunca aconteceu porque Eddie agora mora lá. Ele foi expulso

de seu apartamento, então o trouxemos para cá. A situação tem partes boas e ruins.

O ruim? Rana e eu não podemos foder tão alto quanto queremos porque o maldito

homem ouve tudo. (Não é nem possível dizer “maldito” sem que ele me

crucifique.) Mas temos uma fodida horta de vegetais e um jardim já que ele passa

todo seu tempo durante o dia trabalhando no quintal. O exterior da nossa casa

também tem mais estátuas religiosas que o Vaticano.

Vemos quando Lilith senta no guidão da bicicleta de Jayce, enquanto ele gira

em torno dela.

Rana não tira os olhos deles quando diz: "Sabe o que ela me perguntou esta

manhã?"

"O quê?"

"Queria saber por que deveria me perdoar por meus erros quando não sou

capaz de perdoar minha mãe pelos dela. Ela não disse que eu não merecia perdão.

Ela tentou fazer um ponto, acho, que provavelmente deveria procurar por Shayla.

Acho que ela está curiosa sobre a misteriosa avó ladra."

"O que disse a ela?"

"Que o perdão é uma via de mão dupla, que não se pode perdoar alguém que

não quer ser perdoado."

"Foi uma boa resposta, baby. Nem todo mundo merece ser perdoado."

Rana muda de assunto rapidamente, como sempre faz quando falamos de sua

mãe. "Acho que ela gosta dele... Jayce."


"Não diga essa merda. Não quero ter que machucá-lo e tenho certeza que ele

quer manter os dentes."

"Tenho medo que ele vá machucá-la."

"Ela não é você. Sei que é difícil acreditar, às vezes, considerando o quão

semelhante são. As mesmas coisas que passou podem não ser necessariamente as

experiências dela. Mas, independentemente disso, ela tem que viver a própria vida

e aprender com seus erros, por mais difícil que possa ser para você aceitar."

"Eu sei." Ela suspira. "Você está certo. Mas por que ela não pode ter dez anos

para sempre?"

"Pelo menos sabe que será capaz de estar lá para ela, não importa o que

aconteça. E vou estar lá para foder quem mexer com ela."

"Estou contando com isso."

Eddie sai da garagem segurando uma maçã e uma faca.

"Ei, velho." Provoco.

Ele dá uma olhada no meu rosto e diz: "Por que não fez a barba?"

"Rana gosta de mim barbudo e eu gosto de chatear você, então é um ganha-

ganha."

Ele sabe que estou brincando. Irritá-lo é um dos meus passatempos favoritos.

Costumo pegar os bolinhos do homem apenas para foder com ele, também. Tudo é

por amor. Verdadeiramente, Eddie tornou-se um segundo pai para mim e não há

nada que eu não faça por ele. Também jogamos cartas enquanto Rana trabalha à

noite.
Lilith vem pulando em nossa direção. "Posso pegar algum dinheiro? Jayce e eu

vamos para a loja."

"Acha que sou seu banco, Calças atrevida?" Digo, pegando minha carteira.

Ela faz beicinho. "Por favor?"

Antes que possa pegar o dinheiro, Eddie já estava entregando-lhe uma nota de

cinco dólares.

"Obrigado, vovô." Diz ela antes de fugir.

Rana fica brava com o fato de Lilith ter Eddie na palma da mão. Ele foi tão

rigoroso com Rana enquanto crescia, mas tudo o que Lilith tem que fazer é olhar

para ele e consegue tudo o que quer.

Grito enquanto Lilith saí: "Mimada!"

Nós três vimos Lilith e Jayce sair nas bicicletas.

Quando estão fora de vista, Eddie murmura: "Eu não gosto deste menino."

"Você não gostará de qualquer menino perto dela." Rio.

Ele assente. "Verdade."

Rana levanta e começou a ir para casa.

Grito atrás dela: "Onde vai?"

"Tenho que verificar algo. Eu voltarei."

Com Rana dentro de casa e Eddie firme em sua maçã, pego o cubo mágico que

brincava mais cedo.


Após dez minutos, estou com quase todos os lados certos. Concentrando-me,

viro virei um dos cantos para frente em câmera lenta e não posso acreditar em

meus olhos. Finalmente aconteceu. Finalmente consegui igualar os seis lados do

cubo.

"Puta merda!"

Eddie me repreende. "Cuidado com a boca."

"Você não viu! Eu só combinei todas as cores. Levei quinze anos para isso."

Ele parece desapontado.

Tenho que dizer a Rana. Salto do banco e corro para casa, a encontrando no

banheiro com a porta aberta.

"Baby, nunca vai acreditar, eu..."

"Eu estou grávida." Ela segura um bastão branco.

"O quê?"

"Entrei para verificar o teste. Fiz xixi nele pouco antes de irmos lá pra frente.

Tive a sensação de que daria positivo porque estou atrasada. Nunca atrasa. Quis

saber com certeza antes de falar... não queria dar esperanças..."

Meu corpo treme de emoção. Não tenho palavras. É a última coisa que esperava

ouvir. "Teremos um bebê?"

"Sim!"

Tomo-a nos braços e seguro. Rana parece ainda mais sexy do que o habitual,

nosso contato é mais elétrico agora que sei que ela carrega minha carne e sangue
em seu interior. O aborto infelizmente tirou minha capacidade de imaginar um

bebê. Não me permiti ir lá prematuramente, mas não posso impedir a emoção por

isto novamente acontecer para nós.

Sussurro em seu ouvido: "Este é o dia mais feliz da minha vida."

"É estranho que tenho medo de dizer a Papa?"

Não contamos a ele sobre a gravidez anterior, de modo que ele nem sabe que

perdeu um neto. Mas prometemos que se acontecesse novamente, gostaríamos de

compartilhar com ele, porque ele parece ter uma linha direta para o homem lá de

cima e as orações de Eddie significam muito para Rana.

"Ele vai ficar estático." Sorrio. "Na verdade, vai ser uma babá excelente

também." Há algo que quero perguntar a ela. "Ei, se for um menino, pensei no

nome Brandon. B para Beverly, R para Rana e depois Landon... Brandon. Você

gosta?"

"Eu amei. É brilhante. Acho que tem que ser Brandon se for um menino."

"Infelizmente, Lana já foi tomado, se for menina."

Ela gargalha. "É mesmo."

Esfrego seu estômago. "Se for menina, teremos que escolher um nome para

nossa filha que seja tão belo e exótico quanto sua mãe."

"O que ia falar quando correu para cá?"

"Oh." Pego o cubo mágico que deixei sobre a pia. "Eu consegui. Combinei todas

as cores. Mas parece insignificante agora."


"É um sinal." Ela o pega e sorri. "As coisas estão finalmente acontecendo para

nós."

A vida definitivamente não é perfeita. Mas há momentos no tempo que são

absolutamente perfeitos. E este é um deles.

De muitas maneiras, nossa história é muito parecida com o cubo mágico,

colorido e complicado. Levou anos para resolver, mas, de repente, como mágica,

num domingo aleatório, tudo deu certo.