Você está na página 1de 3

CAPÍTULO 3 – CRITÉRIO ÁREA GEOGRÁFICA

ICMS Solidário 2016


Carolina de Resende Pires Miranda Rodrigues
Consultora da Gerência-Geral de Consultoria Temática. Gerência de Direito Constitucional e
Administração Pública – ALMG.

Cristina de Noronha Magalhães


Consultora da Gerência-Geral de Consultoria Temática. Gerência de Economia – ALMG.

1 DESCRIÇÃO DO CRITÉRIO

Esse critério é calculado pela relação percentual entre a área geográfica do município
e a área total do Estado, informadas pelo Instituto de Geoinformação e Tecnologia1 –
Igtec –, e tem como objetivo procurar favorecer os municípios com maiores extensões
territoriais. Nos termos do Anexo I da Lei do ICMS Solidário, o percentual dos repasses
do ICMS para esse critério é 1,00%. Participam desse critério todos os municípios.

O critério Área Geográfica é apurado pela Fundação João Pinheiro2 – FJP –, com base
nos dados fornecidos pelo Igtec e nem a forma de sua apuração nem o seu percentual
foram alterados pela Lei nº 18.030, de 20093, comparativamente à lei que a antecedeu,
ou seja, a Lei nº 13.803, de 20004, a chamada Lei Robin Hood (art. 1º, II e Anexo I).

2 ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS DO CRITÉRIO

O critério Área Geográfica tem participação percentual de 1,0% e é definido pela relação
percentual entre a área geográfica do município e a área total do Estado. De maneira
distinta de outros critérios e embora represente um percentual relativamente reduzido
se comparado aos demais critérios, ele procura proporcionar alguma compensação
àqueles municípios cujos custos para a oferta de serviços públicos são mais elevados
em razão da maior extensão territorial. Tal critério objetiva compensar os municípios que
têm maior extensão territorial e, consequentemente, têm custo mais alto para oferta de
serviços públicos.

1 INSTITUTO DE GEOINFORMAÇÃO E TECNOLOGIA – Igtec. Portal. Belo Horizonte, s.d.


2 FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. Centro de Estudos de Políticas Públicas. Distribuição de ICMS aos municípios do Estado de Minas Gerais.
Belo Horizonte, 2013. (Banco de Dados.)
3 MINAS GERAIS. Lei nº 18.030, de 12 de janeiro de 2009. Dispõe sobre a distribuição da parcela da receita do produto da arrecadação do
ICMS pertencente aos municípios.
4 MINAS GERAIS. Lei nº 13.803, de 27 de dezembro de 2000. Dispõe sobre a distribuição da parcela da receita do produto da arrecadação
do ICMS pertencente aos municípios.

67
Cabe ressaltar que as áreas dos municípios sofrem alterações, ainda que pequenas,
ICMS Solidário 2016

causadas por ajustes cartográficos, de um ano para o outro, cabendo a medição dessas
alterações ao Igtec.

É um critério relevante, dado que a extensão territorial não é considerada em nenhuma


das transferências municipais.

Convém, ainda, a título ilustrativo, fazer um contraponto com uma das espécies de
transferências constitucionais, prevista no art. 159, I, “b”, da Constituição Federal5.
Referida transferência constitucional é de extrema importância para os municípios e é
feita pela União, relativamente a um percentual da arrecadação de impostos federais
(Imposto de Renda – IR – e Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI) que é desti-
nado ao Fundo de Participação dos Municípios – FPM.

A distribuição de recursos ao citado FPM leva em consideração a população dos mu-


nicípios, situando-a em faixas a cada uma das quais é atribuído um coeficiente. Ainda
sobre o FPM, no que se refere às capitais, além da população, a renda per capita
também é considerada para fins de distribuição de recursos. Observa-se, então, que
para a alocação de recursos no âmbito no FPM o critério adotado não diferencia se a
população é concentrada ou dispersa no espaço geográfico municipal.

Assim, é razoável a utilização do critério área geográfica, considerando-se sua análise


conjunta com os demais critérios da Lei do ICMS Solidário, em especial com o critério
população, principalmente no que se refere aos municípios de tamanho maior do que
a média estadual.

Corroborando as assertivas acima, destacamos a tabela a seguir, a qual contém os dez


maiores municípios mineiros em extensão territorial, os valores a eles repassados pelos
critérios Área Geográfica e VAF e pelo ICMS Solidário total, e as relações percentuais
entre o repasse pelo critério Área Geográfica e o repasse total pelo ICMS Solidário –
%AG – e entre o repasse pelo critério VAF e o repasse total pelo ICMS Solidário – %VAF.

5 BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Belo Horizonte: Assembleia Legislativa de Minas Gerais,
2012.

68
Tabela 1 – Valores de ICMS transferidos para os 10 maiores municípios em área geográfica, totais e por critério Área

ICMS Solidário 2016


Geográgica (AG) e VAF, sob a vigência da Lei do ICMS Solidário – Minas Gerais, 2012

Participação
Área geográfica Repasses por critério (R$)
Município relativa (%)
em 2012 (km2)
Área Geográfica (AG) ICMS Solidário VAF AG VAF
João Pinheiro 10.711,57 1.189.645,13 11.219.501,96 7.150.794,86 10,60 63,74
Unaí 8.438,43 937.186,35 27.201.384,68 21.230.366,67 3,45 78,05
Paracatu 8.229,11 913.938,91 35.840.979,03 29.713.859,68 2,55 82,90
Buritizeiro 7.236,21 803.665,81 5.680.933,47 2.899.917,43 14,15 51,05
Januária 6.670,41 740.827,05 6.313.955,53 1.653.076,77 11,73 26,18
Arinos 5.273,47 585.680,56 3.646.930,66 1.058.161,63 16,06 29,02
Buritis 5.219,91 579.693,71 11.292.783,25 8.878.397,48 5,13 78,62
Prata 4.851,43 538.808,07 10.344.921,62 7.644.065,82 5,21 73,89
Uberaba 4.540,51 504.276,73 119.299.917,34 104.866.478,89 0,42 87,90

Fonte: MINAS GERAIS. Assembleia Legislativa. Diretoria de Processo Legislativo. Gerência-Geral de Consultoria Temática.
Fontes primárias:
(1) INSTITUTO DE GEOINFORMAÇÃO E TECNOLOGIA – Igtec. Belo Horizonte, s.d.
(2) FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. Centro de Estudos de Políticas Públicas. Distribuição de ICMS aos municípios do Estado de Minas
Gerais. Belo Horizonte, 2013. (Banco de Dados.)

REFERÊNCIAS

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Belo


Horizonte: Assembleia Legislativa de Minas Gerais, 2012. DIsponível em: <http://www.
almg.gov.br/consulte/legislacao/Downloads/pdfs/ConstituicaoFederal.pdf>. Acesso em:
14 ago. 2015.

FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. Centro de Estudos de Políticas Públicas. Distribuição de ICMS


aos municípios do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2013. (Banco de Dados.)

INSTITUTO DE GEOINFORMAÇÃO E TECNOLOGIA – Igtec. Belo Horizonte, s.d. Disponível


em: <http://www.igtec.mg.gov.br/>. Acesso em: 14 ago. 2015.

MINAS GERAIS. Lei nº 13.803, de 27 de dezembro de 2000. Dispõe sobre a distribuição


da parcela da receita do produto da arrecadação do ICMS pertencente aos municípios.
Disponível em: <https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.
html?tipo=LEI&num=13803&comp=&ano=2000>. Acesso em 17 ago. 2015.

MINAS GERAIS. Lei nº 18.030, de 12 de janeiro de 2009. Dispõe sobre a distribuição


da parcela da receita do produto da arrecadação do ICMS pertencente aos municípios.
Disponível em: <https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.
html?tipo=LEI&num=18030&comp=&ano=2009>. Acesso em: 14 ago. 2015.

69