Você está na página 1de 41

EXERCÍCIOS SOBRE IMPULSO E

QUANTIDADE DE MOVIMENTO
EXERCÍCIOS DE FÍSICA
Teste os seus conhecimentos: Faça exercícios sobre Impulso e
Quantidade de Movimento e veja a resolução
comentada.Publicado por: Frederico Borges de Almeida
 COMPARTILHE



http:/ / brasilesco.l

 CURTIDAS
11

QUESTÃO 1
Em um clássico do futebol goiano, um jogador do Vila Nova dá um
chute em uma bola aplicando-lhe uma força de intensidade 7.102N
em 0,1s em direção ao gol do Goiás e o goleiro manifesta reação de
defesa ao chute, mas a bola entra para o delírio da torcida. Determine
a intensidade do impulso do chute que o jogador dá na bola para
fazer o gol.

Ver Resposta

QUESTÃO 2
Sobre uma partícula de 8 kg, movendo-se à 25m/s, passa a atuar uma
força constante de intensidade 2,0.102N durante 3s no mesmo
sentido do movimento. Determine a quantidade de movimento desta
partícula após o término da ação da força.

Ver Resposta
QUESTÃO 3
Com base no gráfico, determine o impulso produzido pela força no

intervalo de tempo de 0 a 5s.

O impulso é numericamente igual à área da figura delimitada por F x


t.

Ver Resposta

QUESTÃO 4
Um projétil com velocidade de 500m/s e massa 0,05kg atinge
horizontalmente um bloco de madeira de massa 4,95 kg, em repouso
sobre um plano horizontal sem atrito, e nele se aloja.

Determine com que velocidade o conjunto bala bloco se moverá após


o choque.

Obs.: o momento antes é igual ao momento depois (sistema


conservativo).

Ver Resposta

QUESTÃO 5
(FMTM)
Um projétil de aço de massa 40g é atirado horizontalmente contra um
bloco de argila de massa 160g, inicialmente em repouso, supenso por
fios intextensíveis e de massas desprezíveis, conforme mostra a
figura. O projétil penetra o bloco e o sistema projétil bloco se eleva,
atingindo altura máxima igual à 5cm. Considerando o sistema
conservativo (sistema no qual não há perda de energia) e g = 10m/²,
a velocidade do projétil ao atingir o bloco de argila era, em m/s, igual
a:

Ver Resposta

RESPOSTAS
Questão 1
Impulso é calculado através da seguinte expressão: I = F.Δt
Logo I = 7.102. 0,1 = 70N.s

Voltar a questão

Questão 2
O impulso pode ser definido como a variação da quantidade de
movimento:
I = Q2 – Q1
F.∆t = Q2 – Q1
2.102.3 = Q2 – 25.8
Q2 = 600 + 200
Q2 = 800 kgm/s
Voltar a questão

Questão 3
A = I = (B+b).h/2 = (40+90).5/2 = 130.5/2 = 650/2 = 325N.s

Voltar a questão

Questão 4
Qa = Qd
mb.vb + mpvp = vpb.(mb + mp)
0,05.500 + 4,95.0 = vpb.(0,05 + 4,95)
25 = vpb.5
vpb = 25/5
vpb = 5m/s

Voltar a questão

Questão 5
mp = 40g = 0,04kg
mb = 160g = 0,16kg
h = 5cm = 0,05m
g = 10m/s²
vp = ?

O momento antes do choque é igual ao momento posterior ao


choque.

Qa = Qd
vp.mp + vb.mb = vpb.(mp + mb)
vp.0,04 + 0 = vpb.(0,04 + 0,16)
vpb = 0,04vp / 0,2 - equação I

Como o sistema é conservativo, a energia mecânica é


conservada.
Ema = Emd
Eca = Epd
m.vpb2 / 2 = m.g.h

vpb = (2.g.h)1/2 - equação II

Igualando as equações I e II

0,04vp / 0,2 = (2.g.h)1/2


vp = 0,2.(2.10.0,05)1/2/0,04
vp = 0,2/0,04
vp = 5m/s

 Questão 1
(PUC-RJ) Um garoto de massa 30 kg está parado sobre uma
grande plataforma de massa 120 kg também em repouso
em uma superfície de gelo. Ele começa a correr
horizontalmente para a direita, e um observador, fora da
plataforma, mede que sua velocidade é de 2,0 m/s.
Sabendo que não há atrito entre a plataforma e a
superfície de gelo, a velocidade com que a plataforma se
desloca para a esquerda, para esse observador, é, em m/s:
a) 1,0
b) 2,0
c) 0,5
d) 8,0
e) 4,0
ver resposta

 Questão 2
(FAMEMA-SP) Um brinquedo consiste em um fole acoplado
a um tubo plástico horizontal que se encaixa na traseira de
um carrinho, inicialmente em repouso. Quando uma criança
pisa no fole, comprimindo-o até o final, o ar expelido
impulsiona o carrinho.

Considere que a massa do carrinho seja de 300 g, que o


tempo necessário para que a criança comprima
completamente o fole seja de 0,2 s e que, ao final desse
intervalo de tempo, o carrinho adquira uma velocidade de 8
m/s. Admitindo desprezíveis todas as forças de resistência
ao movimento do carrinho, o módulo da força média (F MÉD)
aplicada pelo ar expelido pelo tubo sobre o carrinho, nesse
intervalo de tempo, é igual a
a) 10 N.
b) 14 N.
c) 12 N.
d) 8 N.
e) 16 N.
ver resposta

 Questão 3

Uma força de 5000 N é aplicada a um objeto de forma


indefinida, produzindo um impulso de módulo 1000 N.s.
Sabendo que a força é horizontal e para a direita,
determine o tempo de contato da força sobre o corpo e a
direção do impulso.
a) 0,2 s e horizontal para a direita
b) 0,4 s horizontal para a esquerda
c) 0,2 s horizontal para a esquerda
d) 0,6 s vertical para cima
e) 0,5 horizontal para a direita
ver resposta

 Questão 4

Marque a alternativa correta a respeito da relação entre


energia cinética e quantidade de movimento.
a) Tanto quantidade de movimento quanto energia cinética
são grandezas escalares.
b) A quantidade de movimento é a razão da energia
cinética pela velocidade de um corpo.
c) Essas duas grandezas não possuem nenhuma relação,
pois uma é escalar e a outra é vetorial.
d) A energia cinética pode ser definida por meio da razão
do quadrado da quantidade de movimento pelo dobro da
massa do objeto.
e) A energia cinética pode ser definida por meio do produto
do quadrado da quantidade de movimento pelo dobro da
massa do objeto.
ver resposta

Respostas

 Resposta Questão 1
LETRA “C”
A quantidade de movimento do garoto para a direita deve
ser igual à quantidade de movimento da plataforma para a
esquerda:
m.v=M.V
30 . 2 = 120 . V
60 = 120 . V
V = 60
120
V= 6
12
V = 0,5 m/s
voltar a questão

 Resposta Questão 2
LETRA “C”
A partir do teorema do impulso, podemos escrever:
I = ΔQ
F.Δt = QFINAL – QINICIAL
Inicialmente o carrinho está em repouso, portanto, a
quantidade de movimento inicial é nula:
F.Δt = QFINAL
F.Δt = m.v
F . 0,2 = 0,3 . 8
F = 2,4
0,2
F = 12 N
voltar a questão

 Resposta Questão 3
LETRA “A”
A partir da definição de impulso, podemos escrever:
I = F . Δt
Δt = I
F
Δt = 1000
5000
Δt = 0,2 N.s
O impulso possui a mesma direção e o mesmo sentido da
força; nesse caso, horizontal e para a direita.
voltar a questão

 Resposta Questão 4
LETRA “D”
A partir da definição de energia cinética e quantidade de
movimento, podemos escrever que:
Q = m.v >> v = Q
m
2
Ec = m.v
2
Ec = m . Q 2
2 m2
Ec = Q 2
2m
voltar a questão

EXERCÍCIOS DE FÍSICA

QUANTIDADE DE MOVIMENTO, IMPULSO, TEOREMA DO IMPULSO E CONSERVAÇÃO


DA QUANTIDADE DE MOVIMENTO

 (Unifor-Ce) Dois veículos têm, num certo instante, quantidades de movimento de


mesma intensidade. As massas dos veículos são 1,1 e 2,7 toneladas. Se o veículo de
menor massa tem velocidade de 14m/s, qual a velocidade do outro veículo?

 (FCMSC-SP) Um corpo de 0,1 kg move-se em circunferência com velocidade


escalar constante de 2m/s. Qual é a intensidade do impulso sofrido pelo corpo no
intervalo de tempo correspondente ao percurso de 1/4 da circunferência?

 (UFMG) Qual é a intensidade, a direção e o sentido da força que muda a


quantidade de movimento de um corpo de 4,0 kg m/s, no sentido leste-oeste, para 3,0 kg
m/s, no sentido sul-norte, em 0,5 s?

 Dois blocos, A e B de massas 2 kg e 5 kg respectivamente, estão em repouso


sobre um plano horizontal sem atritos. Entre os dois, há uma mola comprimida,
encostada em suas laterais e mantida nessa posição por um fio ideal. Após o corte do
fio, o bloco B adquire velocidade escalar de 3,0 m/s. Qual é, então, a velocidade escalar
adquirida por A?

 (UFSC) Um patinador, cuja massa é de 70 kg, desliza em linha reta, sobre uma
camada horizontal de gelo, a uma velocidade de 30 m/s. Durante sua trajetória ele
apanha um pacote em repouso, e seguem juntos em linha reta. Sendo desprezível a força
de atrito e sabendo que a velocidade final dos dois é igual a 20 m/s, calcule a massa do
pacote em kg.

 (UMC-SP) Uma bomba de massa m, inicialmente em repouso, explode partindo-


se em três fragmentos de massas m1 , m2 e m3. Os dois primeiros fragmentos possuem
massas iguais a 100g e velocidades iguais a 100m/s e saem em direções perpendiculares
entre si. O terceiro fragmento possui massa 200g e sai numa direção tal que a
quantidade de movimento do sistema seja conservada. Calcular:

a) as quantidades de movimento dos dois primeiros fragmentos;

b) a velocidade do terceiro fragmento;

c) a quantidade de movimento do terceiro fragmento.

 (Unifor-Ce) Um móvel de massa igual a 3,0 kg, em movimento retilíneo, varia a


sua velocidade de 5,0 m/s para 15,0 m/s em determinado intervalo de tempo. Qual o valor
do impulso da força resultante sobre o corpo?

 (FEI-SP- modificado) Sobre um carrinho de massa 10 kg atua uma força F


horizontal que varia com o tempo de acordo com a função F = 2t (SI). Sabe-se que,
inicialmente, o móvel está em repouso. Construa o gráfico F x t e calcule a velocidade do
carrinho para t = 10s?

 (UFV-MG) Um trenó, com massa total de 250 kg, desliza no gelo à velocidade de
10 m/s. Se o seu condutor atirar para trás 50 kg de carga à velocidade de 10 m/s, qual a
nova velocidade do trenó?

 (FUVEST-SP) Sobre uma mesa horizontal de atrito desprezível, dois


blocos A e B de massas M e 2 M, respectivamente, movendo-se ao longo de uma reta,
colidem um com o outro. Após a colisão os blocos se mantêm unidos e deslocam-se
para a direita com velocidade V, como indicado na figura. O único esquema que não
pode representar os movimentos dos dois blocos antes da colisão é:


(FESP-SP) Uma partícula de massa M está com energia
cinética de 120J quando colide com outra de massa 2M
inicialmente em repouso. Sendo a colisão totalmente
inelástica, a energia cinética dissipada no ato da
interação vale:

a) 40 J b) 80 J c) zero d) 30 J e) 120 J

 (FUVEST-SP) O problema refere-se à colisão unidimensional elástica entre dois


carrinhos sobre um plano horizontal com atritos desprezíveis. O carrinho (1), de massa
m1, tem velocidade inicial v e o carrinho (2), de massa m 2, está parado. Depois da
colisão, observa-se que os dois carrinhos têm velocidades de mesmo módulo, mas de
sentidos opostos. Qual é o valor da razão m2 / m1 entre as massas dos dois carrinhos?

 (ITA-SP) Na figura, temos uma massa M = 132 gramas, inicialmente em repouso,


presa a uma mola de constante elástica k = 1,6 . 10 4 N/m, podendo deslocar-se sem
atrito sobre a mesa em que se encontra. Atira-se uma bala de massa m = 12 gramas, que
encontra o bloco horizontalmente, com velocidade vo = 200 m/s, incrustando-se nele.

Qual a máxima deformação que a mola experimenta?

14) (UFBA 2006) No dia 4 de julho de 2005,


coincidindo com as comemorações da independência
dos Estados Unidos da América, os meios de comunicação de todo o mundo divulgaram
o impacto de uma pequena nave, não tripulada, com o cometa Tempel 1. Uma animação
do evento foi distribuída às emissoras de televisão e disponibilizada na rede de
computadores. Alguns instantâneos dessa animação - apresentados nas figuras I, II e III -
mostram respectivamente a nave ao encaminhar-se para o cometa, o instante da colisão
e a cratera formada.

No dia seguinte, a imprensa internacional também divulgou que uma astróloga russa
entrou com uma ação indenizatória na Justiça americana por perdas e danos. Alegava a
referida senhora que a ação americana prejudicou a confiabilidade de seus mapas
astrais, no momento em que modificou as condições de movimento de um corpo celeste.

Considere as informações:

- o choque foi frontal e completamente inelástico;

- o cometa, no referencial da nave, movia-se em sua direção com velocidade v(cometa) =


10km/s;

- o cometa, em forma de um paralelepípedo de dimensões 5km × 5km × 10km, tem


densidade aproximadamente igual à densidade da água, d(água) = 1kg/litro;

- a nave, com massa igual a 100kg, não transportava explosivos.

Calcule a modificação na velocidade do cometa e faça um comentário sobre a alegação


da astróloga russa.

15) (FCMSCSP) Em uma carta de Benjamin Franklin, como objeção à teoria corpuscular
da luz, ele declarava:
"Uma partícula de luz, caminhando com velocidade de 3 x 108 m/s, deveria produzir o
mesmo impacto (transferir mesma quantidade de movimento) que uma bola de canhão
de massa 10 kg, animada de velocidade de 300 m/s, ao atingir a superfície da Terra."

Nessas condições, qual a massa da partícula de luz a que se referia Franklin em kg?

16) Um corpo de massa m e velocidade de módulo V colide inelasticamente com um corpo de


massa 3 m que estava em repouso. Após a colisão, temos um único corpo. Qual a energia
cinética perdida na colisão?

17) Suponha que o esquilo do filme “A Era do Gelo” tenha desenvolvido uma técnica
para recolher nozes durante o percurso para sua toca. Ele desliza por uma rampa até
atingir uma superfície plana com velocidade de 10 m/s. Uma vez nessa superfície, o
esquilo passa a apanhar nozes em seu percurso. Todo o movimento se dá sobre o gelo,
de forma que o atrito pode ser desprezado. A massa do esquilo é de 600g e a massa de
uma noz é de 40 g.

a) Qual é a velocidade do esquilo após colher 5 nozes?

b) Calcule a variação da energia cinética do conjunto formado pelo esquilo e pelas nozes
entre o início e o final da coleta das 5 nozes.

GABARITO

 5,7 m/s

 1,4 N.s

 10 N com tg Θ = 3/4 com a horizontal.

 7,5 m/s

 35 kg

 a) 10 kg m/s b) 70 m/s c) 14 kg m/s

 30 N.s

 10 m/s

 15 m/s

 d

 b

 3
 5 cm

 A variação da velocidade será muito pequena, não sendo alterada a


trajetória do cometa e a astróloga não tem razão de reclamar.

 400g

 3/8 Ec0

 7,5 m/s e – 7,5 J

01. (OSEC) A respeito da quantidade de movimento e da energia cinética de


um corpo de massa constante assinale a opção correta:
a) Num movimento circular e uniforme, somente a quantidade de movimento é
constante;
b) Toda vez que a energia cinética de um móvel for constante, sua quantidade
de movimento também será;
c) Dois corpos iguais que se cruzam a 80km/h, cada um, têm a mesma
quantidade de movimento e energia cinética;
d) No movimento circular e uniforme, a quantidade de movimentos e a energia
cinética são ambas constantes;
e) A quantidade de movimento de um móvel, de massa constante, somente
será constante (não nula) para movimentos retilíneos e uniformes.
02. (VUNESP) Um objeto de massa 0,50kg está se deslocando ao longo de
uma trajetória retilínea com aceleração escalar constante igual a 0,30m/s 2. Se
partiu do repouso, o módulo da sua quantidade de movimento, em kg . m/s, ao
fim de 8,0s, é:
a) 0,80
b) 1,2
c) 1,6
d) 2,0
e) 2,4
03. Uma partícula de massa 3,0kg parte do repouso e descreve uma trajetória
retilínea com aceleração escalar constante. Após um intervalo de tempo de
10s, a partícula se encontra a 40m de sua posição inicial. Nesse instante, o
módulo de sua quantidade de movimento é igual a:
a) 24kg . m/s
b) 60kg . m/s
c) 6,0 x 102kg . m/s
d) 1,2 . 103kg . m/s
e) 4,0 . 103kg . m/s
04. (FATEC) Uma pequena esfera de massa 0,10kg abandonada do repouso,
em queda livre, atinge o solo horizontal com uma velocidade de módulo igual a
4,0m/s. Imediatamente após a colisão a esfera tem uma velocidade vertical de
módulo 3,0 m/s. O módulo da variação da quantidade de movimento da esfera,
na colisão com o solo, em kg . m/s, é de:
a) 0,30
b) 0,40
c) 0,70
d) 1,25
e) 3,40
05. (AFA) um avião está voando em linha reta com velocidade constante de
módulo 7,2 . 102km/h quando colide com uma ave de massa 3,0kg que estava
parada no ar. A ave atingiu o vidro dianteiro (inquebrável) da cabine e ficou
grudada no vidro. Se a colisão durou um intervalo de tempo de 1,0 . 10-3s, a
força que o vidro trocou com o pássaro, suposta constante, teve intensidade
de:
a) 6,0 . 105N
b) 1,2 . 106N
c) 2,2 . 106N
d) 4,3 . 106N
e) 6,0 . 106N
06. (ITA) Uma metralhadora dispara 200 balas por minuto. Cada bala tem
massa de 28g e uma velocidade escalar e 60 m/s. Neste caso a metralhadora
ficará sujeita a uma força média, resultante dos tiros, de intensidade:
a) 0,14N
b) 5,6N
c) 55N
d) 336N
e) diferente dos valores citados.
07. (FUND. CARLOS CHAGAS) Um corpo de massa 2,0kg é lançado
verticalmente para cima, com velocidade escalar inicial de 20 m/s. Despreze a
resistência do ar e considere a aceleração da gravidade com módulo g = 10
m/s2. O módulo do impulso exercido pela força-peso, desde o lançamento até
atingir a altura máxima, em unidades do Sistema Internacional, vale:
a) 10
b) 20
c) 30
d) 40
e) 50
08. (ITA) Todo caçador, ao atirar com um rifle, mantém a arma firmemente
apertada contra o ombro evitando assim o “coice” da mesma. Considere que a
massa do atirador é 95,0kg, a massa do rifle é 5,00kg, e a massa do projétil é
15,0g o qual é disparado a uma velocidade escalar de 3,00 x 10 4cm/s. Nestas
condições, a velocidade de recuo do rifle (v1) quando se segura muito
afrouxamento a arma e a velocidade de recuo do atirador (v a) quando ele
mantém a arma firmemente apoiada no ombro terão módulos respectivamente
iguais a:
a) 0,90m/s; 4,7 x 10-2m/s
b) 90,0m/s; 4,7m/s
c) 90,0m/s; 4,5m/s
d) 0,90m/s; 4,5 x 10-2m/s
e) 0,10m/s; 1,5 x 10-2m/s
09. (FUVEST) Um corpo A com massa M e um corpo B com massa 3M estão
em repouso sobre um plano horizontal sem atrito. Entre eles existe uma mola,
de massa desprezível, que está comprimida por meio de barbante tensionado
que mantém ligados os dois corpos. Num dado instante, o barbante é cortado e
a mola distende-se, empurrando as duas massas, que dela se separam e
passam a se mover livremente. Designando-se por T a energia cinética, pode-
se afirmar que:

a) 9TA = TB
b) 3TA = TB
c) TA = TB
d) TA = 3TB
e) TA = 9TB
10. (ESAL) Um objeto de massa 5,0kg movimentando-se a uma velocidade de
módulo 10m/s, choca-se frontalmente com um segundo objeto de massa 20kg,
parado. O primeiro objeto, após o choque, recua uma velocidade de módulo
igual a 2,0m/s. Desprezando-se o atrito, a velocidade do segundo, após o
choque tem módulo igual a:
a) 2,0 m/s
b) 3,0m/s
c) 4,0 m/s
d) 6,0 m/s
e) 8,0 m/s
Leia o artigo: Impulso e Quantidade de Movimento

Respostas:
01 – E 02 – B 03 – A 04 – C 05 – A

06 – B 07 – D 08 – D 09 – D 10 – B

Exercícios de vestibulares sobre


Impulso e Quantidade de Movimento
01-(Uff-RJ) Diversos jogos e esportes envolvem a
colocação de objetos em movimento, os quais podem
ser impulsionados por contato direto do atleta ou
utilizando-se um equipamento adequado. O conceito
físico de impulso tem grande importância na análise
dos movimentos e choques envolvidos nesses jogos e
esportes. Para exemplificá-lo, três bolas de mesma
massa são abandonadas de uma mesma altura e
colidem com a superfície horizontal de uma mesa de
madeira.
A bola 1 é feita de borracha; a 2 de madeira e a 3 de
massa de modelar.

Comparando os impulsos I1, I2 e I3 que cada uma das


bolas exerce, respectivamente, sobre a mesa, é correto
afirmar que:
a) I1 = I2 = I3 b) I1 > I2 > I3 c) I1 <
I2 < I3 d) I1 < I2 e I2 > I3 e)
I1 > I2 e I2 < I3
02-(ITA-SP) Um automóvel pára quase que
instantaneamente ao bater frontalmente numa árvore.
A proteção oferecida pelo “air-bag”,
comparativamente ao carro que dele não dispõe,
advém do fato de que a transferência para o carro de
parte do momentum do motorista se dá em condição
de
a) menor força em maior período de tempo.
b) menor velocidade, com mesma aceleração.
c) menor energia, numa distância menor.
d) menor velocidade e maior desaceleração.
e) mesmo tempo, com força menor.
03- (PUC-SP) O gráfico representa a força resultante
sobre um carrinho de supermercado de massa total 40
kg, inicialmente em repouso.
A intensidade da força constante que produz o mesmo
impulso que a força representada no gráfico durante o
intervalo de tempo de 0 a 25 s é, em newtons, igual a

04-(FGV-SP) Uma ema pesa aproximadamente 360 N e


consegue desenvolver uma velocidade de 60 km/h, o
que lhe confere uma quantidade de movimento linear,
em kg.m/s, de

Dado: aceleração da gravidade = 10 m/s2

05-(Ufu-MG) Considere o gráfico adiante, que


representa a grandeza A em função do tempo t (em
unidades de 10-3 s).

Se a grandeza A representar o módulo da quantidade


de movimento (em kg.m/s) de um corpo de massa m =
3 kg, determine a variação da energia cinética desse
corpo entre os instantes t = 0s e t = 6 x 10-3 s.
06-(Uerj-RJ) Um estudante, ao observar o movimento
de uma partícula, inicialmente em repouso, constatou
que a força resultante que atuou sobre a partícula era
não-nula e manteve módulo, direção e sentido
inalterados durante todo o intervalo de tempo da
observação.
Desse modo, ele pôde classificar as variações
temporais da quantidade de movimento e da energia
cinética dessa partícula, ao longo do tempo de
observação, respectivamente, como:
a) linear – linear
b) constante – linear
c) linear – quadrática
d) constante – quadrática
07-(MACKENZIE-SP) Durante sua apresentação numa
“pista de gelo”, um patinador de 60 kg, devido à ação
exclusiva da gravidade, desliza por uma superfície
plana, ligeiramente inclinada em relação à horizontal,
conforme ilustra a figura a seguir. O atrito é
praticamente desprezível. Quando esse patinador se
encontra no topo da pista, sua velocidade é zero e ao
atingir o ponto mais baixo da trajetória, sua
quantidade de movimento tem módulo

a) 1,20 . 102 kg . m/s


b) 1,60 . 102 kg . m/s
c) 2,40 . 102 kg . m/s
d) 3,60 . 102 kg . m/s
e) 4,80 . 102 kg . m/s
Dados: g = 10 m/s2
08-(Ufrs-RS) Um observador, situado em um sistema de
referência inercial, constata que um corpo de massa
igual a 2 kg, que se move com velocidade constante de
15 m/s no sentido positivo do eixo x, recebe um
impulso de 40 N.s em sentido oposto ao de sua
velocidade. Para esse observador, com que velocidade,
especificada em módulo e sentido, o corpo se move
imediatamente após o impulso?

09-(UNIFESP-SP) Uma menina deixa cair uma bolinha


de massa de modelar que se choca verticalmente com
o chão e pára; a bolinha tem massa 10 g e atinge o
chão com velocidade de 3,0 m/s. Pode-se afirmar que o
impulso exercido pelo chão sobre essa bolinha é
vertical, tem sentido para
a) cima e módulo 3,0 . 10-2 N . s.
b) baixo e módulo 3,0 . 10-2 N . s.
c) cima e módulo 6,0 . 10-2 N . s.
d) baixo e módulo 6,0 . 10-2 N . s.
e) cima e módulo igual a zero.
10-(Uerj-RJ) Na rampa de saída do supermercado, uma
pessoa abandona, no instante t = 0, um carrinho de
compras de massa 5 kg que adquire uma aceleração
constante. Considere cada um dos três primeiros
intervalos de tempo do movimento iguais a 1 s. No
primeiro e no segundo intervalos de tempo, o carrinho
percorre, respectivamente, as distâncias de 0,5 m e
1,5 m. Calcule:
a) o momento linear que o carrinho adquire no instante
t = 3 s;
b) a distância percorrida pelo carrinho no terceiro
intervalo de tempo.
11-(Uff-RJ) Para construir barracos em uma região onde
predominam matacões (pedras gigantes), os invasores
do Jardim Paraná, loteamento clandestino na serra da
Cantareira, pagam a pedreiros para explodirem as
pedras com dinamite. Algumas dessas pedras ficam
instáveis. Suponha que uma pedra de 10 toneladas,
inicialmente em repouso, deslize, sem rolar, de uma
altura de 72 metros e que, nesse processo,
aproximadamente 90% da variação de sua energia
potencial gravitacional seja dissipada por atrito.
www.conservation.org
Considerando a aceleração da gravidade igual a 10
m/s2, a quantidade de movimento final da pedra em kg
m/s é, aproximadamente, igual a:
12-(UFG) O jogo de squash resume-se basicamente em
arremessar com uma raquete a bola contra uma
parede e rebatê-la novamente após cada colisão. Se
após o saque a bola chocar-se perpendicularmente
contra a parede e voltar na mesma direção, o impulso
da força exercida pela parede sobre a bola será
a) igual a zero, pois a energia cinética da bola se
conserva quando o choque é perfeitamente elástico.
b) diretamente proporcional à soma dos módulos das
velocidades antes e após a colisão com a parede.
c) igual ao produto da massa pela velocidade de
retorno da bola.
d) igual à soma vetorial das quantidades de movimento
antes e depois do choque com a parede.
e) igual ao impulso da raquete na bola.
13-(FGV-SP) Em plena feira, enfurecida com a cantada
que havia recebido, a mocinha, armada com um tomate
de 120 g, lança-o em direção ao atrevido feirante,
atingindo-lhe a cabeça com velocidade de 6 m/s.

Se o choque do tomate foi perfeitamente inelástico e a


interação trocada pelo tomate e a cabeça do rapaz
demorou 0,01 s, a intensidade da força média
associada à interação foi de

14-(PUCCAMP-SP) Em um esforço rápido e súbito, como


um saque no tênis, uma pessoa normal pode ter o
pulso elevado de 70 a 100 batimentos por minuto; para
um atleta, pode se elevar de 60 a 120 bpm, como
mostra o gráfico a seguir.
O contato de uma bola de tênis de 100 g com a raquete
no momento do saque dura cerca de 10-2 s. Depois
disso, a bola, inicialmente com velocidade nula,
adquire velocidade de 30 m/s. O módulo da força média
exercida pela raquete sobre a bola durante o contato
é, em newtons, igual a

15-(Ufsm-RS) Uma turbina gira por efeito da colisão da


água canalizada com suas pás.

Se, no intervalo de tempo ∆t, uma quantidade de água


de massa m colide com uma pá de área A, tendo sua
velocidade de módulo v reduzida à metade, a força
exercida sobre a pá tem módulo:

16-(Ufrj-RJ) Um artigo recente da revista “Nature”


revela que a cigarrinha espumosa (Philaenus
spumarius) é o inseto capaz de saltar mais alto. Ela
salta com uma velocidade inicial de 4,0 m/s.

Suponha que entre o instante em que ela começa a


armar o salto e o instante em que suas patas perdem o
contato com o solo, com velocidade de 4,0 m/s,
decorra ∆t = 1,0 x 10-3 s.
Considerando g = 10 m/s2, calcule a razão | fm | / | P |
entre o módulo da força resultante média fm sobre a
cigarrinha durante o intervalo Dt e o módulo de seu
próprio peso P.
17-(UFSCAR-SP) Ao desferir a primeira machadada, a
personagem da tirinha movimenta vigorosamente seu
machado, que atinge a árvore com energia cinética de
4π2 J

Como a lâmina de aço tem massa 2 kg,


desconsiderando-se a inércia do cabo, o impulso
transferido para a árvore na primeira machadada, em
N.s, foi de

18-(UNESP-SP) Um atleta, com massa de 80 kg, salta


de uma altura de 3,2 m sobre uma cama elástica,
atingindo exatamente o centro da cama, em postura
ereta, como ilustrado na figura.
Devido à sua interação com a cama, ele é lançado
novamente para o alto, também em postura ereta, até
a altura de 2,45 m acima da posição em que a cama se
encontrava. Considerando que o lançamento se deve
exclusivamente à força de restituição da cama elástica
e que a interação do atleta com a cama durou 0,4 s,
calcule o valor médio da força que a cama aplica ao
atleta. Considere g = 10 m/s2
19-(Uerj-RJ) Uma bola de futebol de massa igual a 300
g atinge uma trave da baliza com velocidade de 5,0 m/s
e volta na mesma direção com velocidade idêntica.
O módulo do impulso aplicado pela trave sobre a bola,
em N × s corresponde a:

20-(FUVEST-SP) Um avião a jato voa a 900km/h. Um


pássaro de 2,0 kg é apanhado por ele, chocando-se
perpendicularmente com o vidro dianteiro inquebrável
da cabina.

Que força é aplicada no vidro, se o choque dura um


milésimo de segundo?
21-(UNICAMP-SP) As histórias de super heróis estão
sempre repletas de feitos incríveis. Um desses feitos, é
o salvamento, no último segundo, da mocinha que cai
de uma grande altura. Considere a situação em que a
desafortunada caia, a partir do repouso, de uma altura
de 81,0m e que nosso super-herói a intercepte quando
ela se encontra a 1m do solo, demorando 0.05s para
detê-la, isto é, para anular sua velocidade vertical.
Considere que a massa da mocinha é de 50,0kg.
Despreze a resistência do ar e considere g=10m/s2).
a) Calcule a força média aplicada pelo nosso super-
herói sobre a mocinha, para detê-la.
b) Uma aceleração 8 vezes maior que a gravidade (8g)
é letal para um ser humano. Determine quantas vezes
a aceleração à qual a mocinha foi submetida é maior
que a aceleração letal.
22-(Ufla-MG) Em uma partida de tênis o jogador recebe
a bola com componente horizontal de velocidade V1 e
a rebate com componente horizontal de velocidade
3V1, em sentido contrário. Considere g=10m/s2.
Supondo que a força aplicada na colisão da bola com a
raquete seja 60 vezes o peso da bola e atue durante
0,2s, a velocidade inicial da bola, em módulo, é de:

23-(UFRN) Alguns automóveis dispõe de um eficiente


sistema de proteção para o motorista, que consiste de
uma bolsa inflável de ar. Essa bolsa é automaticamente
inflada quando automóvel sofre uma desaceleração
súbita, de modo que a cabeça e o tórax do motorista,
em vez de colidirem com o volante, colidem com a
bolsa.
A figura abaixo mostra dois gráficos da variação
temporal da força que age sobre a cabeça de um
boneco que foi colocado no lugar do motorista. Os dois
gráficos foram registrados e duas colisões de testes de
segurança. A única diferença entre essas colisões é
que, na colisão I, se usou a bolsa e, na colisão II, ela
não foi usada.
Da análise desses gráficos, concluiu-se que a
explicação para o sucesso da bolsa como equipamento
de proteção é:
a) A bolsa diminui o intervalo de tempo da
desaceleração da cabeça do motorista, diminuindo,
portanto, a força média que atua sobre a cabeça.
b) A bolsa aumenta o intervalo de tempo da
desaceleração da cabeça do motorista, diminuindo,
portanto, a força máxima que atua sobre a cabeça.
c) A bolsa diminui o impulso total transferido para a
cabeça do motorista, diminuindo, portanto, a força
máxima que atua sobre a cabeça.
d) A bolsa diminui a variação total de momento linear
para a cabeça do motorista, diminuindo, portanto, a
força média que atua sobre a cabeça.
24-(UNIFESP-SP) Uma xícara vazia cai de cima da mesa
de uma cozinha e quebra ao chocar-se contra o piso
rígido. Se essa mesma xícara caísse, da mesma altura,
da mesa da sala e, ao atingir o piso, se chocasse com
um tapete felpudo, ela não se quebraria. Adote
g=10m/s2.
a) Por que no choque com o piso rígido a xícara se
quebra e no choque com o piso fofo (do tapete) não?
b) Suponha que a xícara caia sobre o tapete e pare,
sem quebrar. Admita que a massa da xícara seja
0,10kg, que ela atinja o solo com velocidade de 2,0m/s
e que o tempo de interação do choque seja de 0,50s.
Qual será a intensidade da força média exercida pelo
tapete sobre a xícara? Qual seria essa força, se o
tempo de interação fosse 0,010s?
25-(UnB-DF) Aprende-se em aulas de educação física
que, ao se saltar, é fundamental flexionar as pernas
para amenizar o impacto no solo e evitar danos à
coluna vertebral, que possui certo grau de
flexibilidade. No caso de uma queda em pé, com as
pernas esticadas, uma pessoa pode chegar a ter, no
estado de maior compressão da coluna, a sua altura
diminuída em até 3 cm. Nesse caso, o esqueleto da
pessoa, com a velocidade adquirida durante a queda,
desacelera bruscamente no espaço máximo de 3 cm.
Supondo que uma pessoa de 70 kg caia de um degrau
de 0,5 m de altura, atingindo o solo em pé, com as
pernas esticadas e recebendo todo o impacto
diretamente sobre o calcanhar e a coluna, julgue os
itens seguintes (g=10m/s2).
(1) No instante em que a pessoa deixa o degrau, a
variação do seu momento linear é produzida pela força
peso.
(2) Durante o impacto, a força de compressão média a
que a coluna está sujeita é momentaneamente
superior ao peso correspondente à massa de 1
tonelada.
(3) Em módulo, a força de compressão da coluna é
igual à força que o solo exerce nos pés da pessoa.
(4) Se flexionasse as pernas, a pessoa aumentaria o
espaço de desaceleração, diminuindo, portanto, o
impacto do choque com o solo.
26-(UFG-GO) Um jogador de hockey no gelo consegue
imprimir uma velocidade de 162 km/h ao puck

disco), cuja massa é de 170 g. Considerando-se que o


tempo de contato entre o puck e o stick (o taco) é da
ordem de um centésimo de segundo, a força impulsiva
média, em newton, é de:
a) 7,65
b) 7,65 x 102
c) 2,75 x 103
d) 7,65 x 103
e) 2,75 x 104
27-(UDESC-SC) No dia 25 de julho o brasileiro Felipe
Massa, piloto da equipe Ferrari, sofreu um grave
acidente na segunda parte do treino oficial para o
Grande Prêmio da Hungria de Fórmula 1.
O piloto sofreu um corte de oito centímetros na altura
do supercílio esquerdo após o choque de uma mola que
se soltou do carro de Rubens Barrichello contra seu
capacete. O carro de Felipe Massa estava a 280,8 km/h,
a massa da mola era 0,8 kg e o tempo estimado do
impacto foi 0,026s.

Supondo que o choque tenha ocorrido na horizontal,


que a velocidade inicial da mola tenha sido 93,6 km/h
(na mesma direção e sentido da velocidade do carro) e
a velocidade final 0,0 km/h, a força média exercida
sobre o capacete foi:

28-(MACKENZIE-SP) O conjunto ilustrado ao lado é


constituído de fio e polias ideais e se encontra em
equilíbrio, quando o dinamômetro D, de massa
desprezível, indica 60 N.

Em um dado instante, o fio é cortado e o corpo C cai


livremente. Adotando-se g = 10 m/s2, a quantidade de
movimento do corpo, no instante t = 1,0 s, medido a
partir do início da queda, tem módulo
a) 30 kg.m/s
b) 60 kg.m/s
c) 90 kg.m/s
d) 120 kg.m/s
e) 150 kg.m/s
29-(FGV-SP) Um brinquedo muito simples de construir,
e que vai ao encontro dos ideais de redução,

reutilização e reciclagem de lixo, é retratado na figura.


A brincadeira, em dupla, consiste em mandar o bólido
de 100 g, feito de garrafas plásticas, um para o outro.
Quem recebe o bólido, mantém suas mãos juntas,
tornando os fios paralelos, enquanto que, aquele que o
manda, abre com vigor os braços, imprimindo uma
força variável, conforme o gráfico.

Considere que:
· a resistência ao movimento causada pelo ar e o atrito
entre as garrafas com os fios sejam desprezíveis;
· o tempo que o bólido necessita para deslocar-se de
um extremo ao outro do brinquedo seja igual ou
superior a 0,60 s.
Dessa forma, iniciando a brincadeira com o bólido em
um dos extremos do brinquedo, com velocidade nula, a
velocidade de chegada do bólido ao outro extremo, em
m/s, é de
30-(UERJ-RJ) Em uma aula de física, os alunos
relacionam os valores da energia cinética de

um
corpo aos de sua velocidade. O gráfico a seguir indica
os resultados encontrados.

Determine, em kg.m/s, a quantidade de movimento


desse corpo quando atinge a velocidade de 5 m/s.
31-(UFPR-PR) Uma força, cujo módulo F varia com o
tempo t conforme o gráfico ao lado, atua sobre

um objeto de massa 10kg. Nesse gráfico, valores


negativos para F indicam uma inversão de sentido, em
relação àquele dos valores positivos. Com base nesses
dados e considerando que em t = 0 o objeto está em
repouso, determine a sua velocidade depois de
transcorridos 3 s.
32-(UEPG-PR) Considerando o teorema da impulsão,
assinale o que for correto.
01) No gráfico da variação da quantidade de
movimento contra o tempo (ΔQ x t), o coeficiente
angular da reta apresentada corresponde ao valor da
massa do corpo sobre o qual a força F é aplicada.
02) Para um instante t = 0, a quantidade de
movimento de um corpo é nula.
04) Se a resultante de um sistema de força que atua
sobre um corpo em movimento for nula, a velocidade
do corpo poderá ser alterada se houver variação da
massa do corpo.
08) O impulso é uma grandeza vetorial e a sua direção
e sentido são os mesmos que os da força.
16) O impulso causado por uma força resultante sobre
um corpo é igual à variação de sua quantidade de
movimento.
33-(UNEMAT) Considere uma bola de 0,75Kg, que se
choca perpendicularmente com uma parede

a uma velocidade de 10m/s, e que, após o choque,


retorna na mesma direção e mesma velocidade em
módulo, ou seja, ocorrendo um choque perfeitamente
elástico. Calcule a intensidade da força atuante na
bola, provocada pela parede, supondo que a interação
do choque tenha durado um tempo de 0,04 seg.

34-(UFSC-SC) Um corpo de massa m1 e velocidade de


módulo v1 (corpo 1) choca-se com outro de massa
m2 e velocidade de módulo v2 (corpo 2). Durante o
choque, o corpo 1 exerce uma força no corpo 2 e o
corpo 2 exerce uma força no corpo 1.
=
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
01. No sistema internacional, a unidade da quantidade
de movimento dos corpos é kg.m/s.
02. A variação da quantidade de movimento de cada
um dos dois corpos é uma grandeza vetorial que tem
sempre a direção e o sentido da sua velocidade.
04. O impulso produzido pela força tem a mesma
direção e sentido de .
08. Se a resultante das forças externas que atuam
sobre o sistema constituído pelos dois corpos for nula,
a quantidade de movimento deste sistema também
será nula.
16. Se a resultante das forças externas que atuam
sobre o sistema constituído pelos dois corpos for nula,
o impulso que age em cada um dos corpos deste
sistema também será nulo
35-(UFSM-RS)

Uma corrida de 100 metros rasos inicia com um


disparo. Um atleta de 85 kg parte do repouso e
alcança, em 2 segundos, uma velocidade de modulo
constante e igual a 22 m/s. O modulo do impulso médio
que o atleta recebe nesses 2 segundos, no SI, é

36-(UERJ-RJ)

Observe a tabela abaixo, que apresenta as massas de


alguns corpos em movimento uniforme.

Admita que um cofre de massa igual a 300kg cai, a


partir do repouso e em queda livre de uma altura de
5m. Considere Q1, Q2, Q3 e Q4, respectivamente, as
quantidades de movimento do leopardo, do automóvel,
do caminhão e do cofre ao atingir o solo.
As magnitudes dessas grandezas obedecem relação
indicada em:
(A) Q1 < Q4 < Q2 < Q3
(B) Q4 < Q1 < Q2 < Q3
(C) Q4 < Q1 < Q3 < Q2
(D) Q4 < Q1 < Q3 < Q2
37-(UERJ-RJ)
Em uma partida de tênis, após um saque, a bola, de
massa aproximadamente igual a 0,06 kg, pode

atingir o solo com uma velocidade de 60m/s. Admitindo


que a bola esteja em repouso no momento em que a
raquete colide contra ela, determine, no SI, as
variações de sua quantidade de movimento e de sua
energia cinética.
38-(UEPA-PA)

Um ônibus que trafegava inicialmente a 54 km/h


foi freado bruscamente, como forma de impedir um
impacto iminente com o veículo
à sua frente. Um passageiro de massa igual a 60 kg,
surpreendido pela manobra violenta, foi arremessado,
chocando-se contra o encosto do
banco situado à sua frente. O tempo de impacto entre
a pessoa e o assento foi de 0,3 s e, ao término do
impacto, o passageiro encontrava-se em repouso.
Nesse sentido, analise as afirmativas abaixo.
I. A força média exercida pelo passageiro sobre o
encosto do banco do ônibus, durante o impacto, foi de
3000 N.
II. A variação da energia cinética do passageiro, em
decorrência do impacto, foi igual a -6750 J.
III. A potência dissipada na colisão do passageiro com
o encosto do banco do ônibus foi igual a 162 kW.
IV. A variação na quantidade de movimento do
passageiro, devido à colisão, foi de 3240 kg.m/s.
A alternativa correta é:

Resolução comentada dos exercícios de


vestibulares sobre
Impulso e Quantidade de Movimento
01- A força que age sobre cada bola é a mesma (peso)
e o impulso será maior para aquela que tiver maior
tempo de contato com a mesa– R- B
02- R- A (veja teoria)
03- O impulso é numericamente igual à área do
trapézio — I=(B + b).h/2=(25 + 10).30/2 —
I=525N.m — I=F.∆t — 525=F.25 — F=21N R- E
04- P=mg — 360=m.10 — m=36kg —
Q=m.V=36.60/3,6 — Q=600kgm/s R-C
05- t=0 – Q=12kgm/s — Q=mVo — 12=3.Vo —
Vo=4m/s — Eco=m.Vo2/2=3.16/2 — Eco=24J
t=6.10-3s – Q=0 — Q=m.V — 0=3V — V=0 —
Ec=mV2/2=3.0/2 — Ec=0 — ∆Ec=Ec – Eco=0 – 24
— ∆Ec= -24J
06- Q=mV (função linear – 1o grau) — Ec=mV2/2
(função quadrática – do 2o grau) R- C
07- Baixo – Emb =mV2/2 — topo – Emt=mgh —
mV2/2=mgh — V2/2=10.0,8 — V=4m/s —
Q=mV=60.4 Q=240=2,4.102kg.m/s R- C
08- Supondo que, após o impulso contrário, ele
continue se deslocando para a direita — I=Q – Qo —
40=mV – mVo=2.15 – 2Vo — Vo=-5m/s (ele volta com
velocidade de 5m/s R- D
09-

I= Qi= Qi= mVi=0,01.3 — I=3,0.10-2N.s e para cima –


veja figuras acima R- A
10- a) 10 trecho

∆S=Vo.t + a.t2/2 — 0,5=0.1 + a.12/2 — a=1m/s2 —


V1=Vo + a.t — V1=0 + 1.1 — V1=1m/s
2o trecho

V2=Vo + a.t — V2=1 + 1.1 — V2=2m/s


30 trecho

V3=Vo + a.t=2 + 1.1 — V3=3m/s — Q3=m.V3=5.3


— Q3=15kgm/s

b) ∆S=V0.t + a.t2/2=2.1 + 1.12 — DS=2,5m


11- A energia mecânica da pedra na altura de 72m é só
a energia potencial gravitacional –
Emi=mgh=104.10.72 — Emi=72.105J — como 90%
foram dissipadas, sobraram — Emf=10% de
72.105=0,1.72.105 — Emf=72.104J que é o valor da
energia cinética da pedra na parte inferior —
72.104=mV2/2 — 72.104 = 104..V2/2 — V=12m/s —
Q=m.V=104.12 — Q=1,2.105kg.m/s R- B
12- R –B (veja teoria
13- F.∆t=m∆V — F.0,01=0,12.(6) — F=0,72/0,01 —
F=72N R- D
14- F.∆t=m∆V — F.10-2=0,1.30 — F=3.102N R- D
15- F.∆t=m∆V — F.∆t=m.V/2 — F=mV/2∆t R- D
16- F.∆t=m. ∆V — fm. 10-3=m.4 — fm=4.103m —
P=mg=10m — fm/P=4.103m/10m — fm/P=400
17- Ec= m A energia mecânica da pedra na altura de
72m é só a energia potencial gravitacional –
Emi=mgh=104.10.72 — Emi=72.105J.
Como 90% foram dissipadas, sobraram — Emf=10%
de 72.105=0,1.72.105 — Emf=72.104J que é o valor
da energia cinética da pedra na parte inferior —
72.104=mV2/2 — 72.104 = 104..V2/2 — V=12m/s —
Q=m.V=104.12 — Q=1,2.105kg.m/s R- B
Ec=mVi2/2 — 4π2=2Vi2 /2 — V=2πm/s — I=mV –
mVo — I=2.2π – 0 — I=4πN.s
18- Velocidade com que ele chega à cama a partir de
uma altura de 3,2m — mgh=mV12/2 — 10.3,2=V12/2
— V1=8m/s —
Velocidade com que ele sai da cama atingindo
h=2,45m — mV22/2=mgh — V22/2=10.2,45 —
V2=7m/s

F.∆t=m(V2 – V1) — F.0,4=80(7 – (-8)) — F=


1.200/0,4 — F=3,0.103N
19-Veja o esquema abaixo:
I = m.Vf – m.Vi — I = m.(+V) – m.(-V) — I = 0,3.5 – (-
0,3.5) — I= 1,5 + 1,5— I=3,0kg.m/s R- C
20- Pássaro- antes Vi=0 e depois ele adquire a mesma
velocidade que o avião Vf=900/3,6=250m/s —
F.∆t=m(Vf – Vi) — F.0,001=2.(250 – 0) — F=500/0,001
— F=500.000N ou F=5,0.105N
21- a)Queda livre de uma altura de 80m — V2=Vo2 +
2.g.h — V2= 02 + 2.10.80 — V=40m/s — ∆V=40m/s
— F.∆t=m.∆V — F.0,05=50.40 — F=40.000N
b) a=∆V/∆t=40/0,05 — a=800m/s2 — al=8.10 —
al=80m/s2 — a/al=800/80 — a/al=10
22- Observe a figura abaixo:

P=mg=10m — F=60.p=60.10m — F=600m —


F.Dt=m(Vf – Vi) — 600m.0,2=m(+3V1) – (-V1) —
120=3V1 + V1 — V1=120/4 — V1=30m/s R- C
23- R- B (veja teoria)
24- a) Veja pela expressão F.∆t=m.∆V, que m e ∆V são
constantes (mesma xícara e mesma variação de
velocidade) e assim, teremos:
F.∆t=constante, portanto se você aumentar o intervalo
de tempo do choque, estará diminuindo a intensidade
da força máxima que a xícara troca com o tapete. t
b) F.∆t=m.∆V — F.0,5=0,1.2 — F=0,2/0,5 — F=0,4N
— F.0,01=0,1.2 — F=0,2/0,01 — F=20,0N
25-1- Verdadeira – quando ele deixa o degrau, está em
queda livre e, nesse caso, a força resultante sobre ele
é seu peso e a variação do seu momento linear
(quantidade de movimento) é I=P.∆t=m∆V=∆Q.
2 -Verdadeira – cálculo da velocidade com que ele
chega ao solo – queda livre com Vo=0 – Torricelli –
V2=Vo2 + 2.g.∆S — V2=02 + 2.10.0,5 — V=√10m/s –
velocidade com que chega ao solo — durante o
choque com o solo sua velocidade varia de √10m/s a
zero e o módulo dessa variação é∆V=√10m/s enquanto
que sua altura diminui de ∆S=3cm=0,03m , numa
desaceleração a de — V2=Vo2 +2.(-a).∆S —
02=(10)2 -2.a 0,03 — a=500/3m/s2 — força que ele
troca com o solo e que produz essa desaceleração —
F=m.a=70.500/3 — F»11.667N — peso
correspondente à massa de 1ton=1.000kg –
P=1.000X10 – P=10.000N — portanto – F>P
3- Verdadeira – é a força de contato, que os pés trocam
com o solo.
4- Verdadeira – (veja teoria)
26- Dados: vo = 0 — v = 162 km/h = 45 m/s — m =
170 g = 0,17 g — Δt = 10-2 s — considerando que
força aplicada pelo stick é a resultante, pelo teorema
do impulso, vem:
I = ΔQ — F.Δt = m.(v – vo) — F.(10-2) = 0,17.(45) —
F = 7,65×102 N — R- B
27- Dados — m = 0,8 kg — vo = 93,6 km/h = 26 m/s
— v = 280,8 km/h = 78 m/s — o enunciado afirma que
antes da colisão a velocidade relativa entre a mola e o
capacete é VR=78 – 26=52m/s, e no instante após a
colisão a velocidade relativa é nula — assim, a
quantidade de movimento da mola após a colisão em
relação ao capacete é nula — I=ΔQ — F.Δt=mΔV —
F.Δt=m.(V – Vo) — F.0,026=0,8.(52 – 0) — F=1.600N
R- B
28- Observe na figura abaixo as forças que atuam
sobre a polia — o dinamômetro indica a intensidade
da força de tração no fio
ao qual está ligado — T = 60 N — como o corpo C
está em equilíbrio — 2T = P — 2(60) = m(10) — m
= 12 kg — depois que o fio é cortado o corpo de
massa 12kg cai em queda livre com aceleração
a=g=10m/s2 e, após 1s terá velocidade — V=Vo + gt
— V=0 + 10.1 — V=10m/s — nesse instante terá
quantidade de movimento — Q=mV=12×10 —
Q=120kg.m/s — R- D
29- Em todo gráfico F x t, o impulso é numericamente
igual a área compreendida entre a reta representativa
e o eixo t, no caso a

área do triângulo — I=b.h/2=0,6.8/2 — I=2,4N.s —


pelo Teorema do Impulso — o impulso da força
resultante é igual à variação da quantidade de
movimento (ΔQ) — I = ΔQ = m Δv — 2,4 = 0,1 (v – 0)
— v = 24 m/s — R- C
30- Observe pelo gráfico que, quando V=1m/s, Ec=1J
— substituindo na equação Ec=mV2/2 — 1=m.12/2 —
m=2kg — quandoV=5m/s, a quantidade de movimento
Q será — Q=mV=2.5 — Q=10kg.m/s

31- Considerando essa força como a resultante — I =


ΔQ — como há apenas mudança de sentido e não de
direção (movimento retilíneo), o impulso pode ser
obtido pela área entre a linha do gráfico e o eixo t,
como indicado na figura — como a força F tem

módulo constante em cada intervalo de tempo, o


impulso também pode ser obtido pela expressão —
IF = F.Δt — │IFR│=│ΔQ│=m│V – Vo│ — A1 + A2 –
A3=m(V – Vo) — 1×20 + 1×10 – 1×10=10(V – 0) —
10V=20 — V=2m/s
32- Justificando as falsas:
01) Considerando que a força F à que se refere a
afirmativa seja a força resultante e que ela seja
constante, temos, pelo teorema do impulso — I=ΔQ =
FΔt — F=ΔQ/Δt — nesta expressão, observe que o
coeficiente angular dessa função é F.
02) A quantidade de movimento no instante t = 0 é
Qo = m vo — a quantidade de movimento somente
será nula se a velocidade inicial for nula.
R- (04 + 08 + 16)=28
33- Observe as figuras abaixo:

Teorema do impulso — I=ΔQ — F.Δt=mΔV —


F.0,04=0,75{10 – (-10)} — F=1,5/0,004 — F=375N
— R- B
34- 01. Correta — veja teoria
02- Falsa — não é a variação da quantidade de
movimento que tem sempre a direção e o sentido da
velocidade mas sim, a quantidade de movimento.
04. Correta — veja teoria
08. Falsa — veja teoria
16- Falsa — veja teoria
R- (01 + 04)=05

35- Cálculo da aceleração do atleta — quando t=2s,


V=2,2m/s — V=Vo + a.t — 2,2=0 + a.2 —
a=1,1m/s2 — força resultante sobre o atleta —
F=m.a=85.1,1 — F=93,5N — impulso sobre o atleta
nesses 2s — I=F.∆t=93,5.2 — I=187N — R- D
36- Leopardo — Ql=ml.vl=120.60=Q1=7.200kg.m/s
— automóvel —
Qa=ma.va=1.100×70=Q2=77.000kg.m/s — caminhão
— Qc=mc.vc=Q3=3.600×20=72.000kg.m/s — cofre
— velocidade com que ele chega ao solo — V2 =
Vo2 + 2.g.h = 0 + 2.10.5 — V=10ms —
Qco=mco.Vco=300.10 — Qco=Q4=3.000kg.m/s — R-
C
37- Q=m.V=6.10-2.60 — Q=3,6kg.m/s —
Ec=m.V2/2=6.10-2.(60)2/2 — Ec=108J
38- Um ônibus que trafegava inicialmente a 54
km/h foi freado bruscamente, como forma de impedir
um impacto iminente com o veículo
à sua frente. Um passageiro de massa igual a 60 kg,
surpreendido pela manobra violenta, foi arr
- I. Correta — F=ma — a=∆V/∆t — F=m∆V/∆t — F.∆t
= m. ∆V — F.0,3 = 60.15 — F=900/0,3 — F=3.000N.
II. Correta — ∆Ec=mV2/2 – m.Vo2/2=60.02/2 –
60.152/2=0 – 13.500/2 — ∆Ec= – 6.750J.
III. Falsa — Po=W/∆W/∆t=∆Ec/∆t — Po=6.750/0,3 —
Po=22.500W=22,5kW.
IV. Falsa — ∆Q=m. ∆V=60.(0 – 15)= – 900kg.m/s.
R- A

Você também pode gostar