Você está na página 1de 6

EDUCAÇÃO INFANTIL

Se observarmos as pessoas da atualidade, notamos que vários problemas


em relacionamentos, posturas de vida, traumas, financeiros, etc. Isso acontece
porque a origem desses sofrimentos encontra-se no seu passado.
Se observarmos a Lei de Causa e Efeito torna-se evidente a problemática
da educação que receberam na infância.
Temos que entender que a base da personalidade das pessoas está na
infância. Se formos verificar em que ambiente passou a infância ou de que
influências recebeu, não podemos definir que basta ter ambiente satisfatório
para crescer bem.
Ver. Ratisuiti Watanabe diz: A chave que faz com que o ambiente se
torne realmente propicio está com os pais, que educam e cuidam dos filhos.
Dependendo da postura deles e da maneira como educam, todos os elementos
apropriados à boa educação dos filhos talvez não consigam expandir a
contento. Enfim não haverá nenhum, inconveniente em se afirmar que o
melhor meio educacional são os próprios pais.
A responsabilidade de educar não está nos professores, avós, creche,
baba e sim dos pais.
Meishu-Sama ensina que: “Se o pai é o tronco da arvore, o filho é o
ramo; por conseguinte, tomar medidas para não deixar apodrecer o ramo, mas
esquecer-se de cuidar do tronco, assemelha-se a colocar o carro na frente dos
bois. A condição básica para solucionar o problema é ter plena consciência de
que a causa do mau comportamento dos filhos está nos pais.”.
Precisamos saber que os filhos, não aprendem ou apreendem o que os
pais falam e sim o que os pais fazem e procuram imitá-los.
Há um ditado que diz: “O que você é fala mais ao meus ouvidos que não
consigo escutar o que você fala.”
É assim que os filhos se comportam.
Meishu-Sama ensina que “Como todos sabem, os filhos apreendem com
os pais e procuram imita-los”. Por isso, quando os pais pensam no que não é
correto ou praticam o que não é bom, por mais habilmente que o escondam, é
certo que um dia os filhos ficarão sabendo, uma vez que moram sob o mesmo
teto. Então é obvio que a criança pense assim: “Se nossos pais fazem isso, o
que há de mal que nós façamos também?”
Meishu-Sama também ensina que: “A delinqüência dos filhos se deve a
delinqüência dos pais”.
Se os pais põem os filhos no mundo, educando-os com base em seus
caprichos, sem a consciência de que o seu sentimento influi em razão direta
nos filhos, sem se importar como devem agir como seres humanos, isso
aumenta o s males sociais.
Muitas vezes os pais trabalham fora e substitui a afeição por mil
mordomias.
Dar tudo que a matéria pode oferecer, mas o amor (aquele que educa)
acaba faltando.
Esse amor que diz não, quando é para dizer, que pões de castigo, que até
da algumas palmadas. Como não quer se expor. “AH! Quase não vejo e
quando vejo chamo atenção”. É errado, a criança vai descobrir seu ponto fraco
e faz chantagem.
Precisamos ter em mente um coisa, o que está no seu sentimento é que
vai ser transmitido ao filho.

PONTOS A SEREM CONSIDERADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A-SUPERPROTEÇÃO:

Quando a família deseja ter somente um filho:

O filho único torna-se companhia para os pais que criam com super-
proteção. Por outro lado, as crianças vão crescendo sem as brincadeiras e
divergências comuns entre irmãos. Não há lapidação mútua de seus
conhecimentos e virtudes, o que leva a falta de sociabilidade e perda do senso
de autonomia causada pela super-proteção e mimo.

Ex: Brigas de irmão, brincadeiras juntos, etc.

Nas brigas quando tem mais irmãos os pais dizem:


_ Vocês irão se resolver, eu quero que façam as pazes, vão conversar!
Isso é treino de sociabilidade autonomia.

Quando é filho único, os pais tendem a proteger mais.


Deixar que as crianças se divirtam de forma natural e a realizar trabalhos
e brincadeiras manuais com argila. Quando a criança pega em suas mãos
pequenos animais como peixes, passarinhos ou plantas e flores que estão a sua
volta, começam a sentir com seu próprio corpo, a grandiosidade dos seres
vivos e o mistério da vida. Assim, sem se darem conta, as crianças irão
conhecendo a vontade do universo e consequentemente tornam-se adultos que
respeitam a natureza.
Ex. Plante um feijão e de a responsabilidade de a criança cuidar.
Colocando céus, dando bom dia e sempre ensinando que é um ser vivo e tem
sentimento.

B- AJUDAR OS FILHOS SEM NECESSIDADE:

Quando a criança cai e chora ficamos logo com pena e levantamos elas,
não é verdade?
Nosso instinto é de proteger, mas se fizermos isso sempre, a criança sabe
que sempre os pais vão acudi-la.
Filho que espera ser acudido pelos pais não só perde a iniciativa como se
tornará um homem que sabe ser servido mas não aprenderá a servir os outros.
Cria homens fracos, que chega aos 30, 40 anos defendente dos pais.
Ainda não cresceu.
A verdadeira educação é aquela que é voltada para o próximo.
Em casa estimule seu filho a servir, dá pequenas tarefas, elogie e
agradeça.
Cada elogio, mesmo quando erra, dá mais coragem e segurança para
seus filhos.
Quando agradecemos a eles aprendem a agradecer também.

LEMBREM-SE: “ELES SÓ FAZEM O QUE FAZEMOS”

C- POSTURA DOS PAIS x COMPORTAMENTO DOS FILHOS

A postura dos pais perante a sociedade é muito importante para criação


dos filhos. Todos sabemos que, o que leva pais e filhos pelo sentimento é o
Elo Espiritual, toda a influência dos pais vão para os filhos por esse Elo. Por
mais que os pais advirtam seus filhos a não fazer coisas erradas, se eles
fizerem, com certeza os filhos irão fazer e ao contrário também.
Meishu-Sama ensina no ensinamento Elo Espiritual o seguinte:
“... No caso de pais e filhos... A verdade que esses pais são boas pessoas por
interesse...”.

Exemplo 1:
Pecados que acreditamos não exercer influência.
Falar mal dos outros / fazer fofoca / mentir / etc.

Exemplo2:

Caso o pai e a mãe serem excessivamente temperamentais ou racionais


faltando espírito religioso, a criança também, tenderá a se inclinar
conforme os pais.
Mesmo estando na igreja se o sentimento for este, as crianças não
sentirão vontade de ir. Por isso vemos jovens que vão à igreja por
imposição paterna,

Exemplo 3:
Filhos cujos pais sempre se lamuriam, passam a não acreditar nos
outros, ficam descrentes do mundo. As vezes passa até desacreditar
dos seus próprios pais.

D- AMAMENTAÇÃO:

Mãe que amamenta, tem uma grande influência no caráter do filho:


Se a Mãe que amamenta tiver lamúrias, insatisfações, agitar-se nas
tristezas e sofrimentos, deixar-se dominar pela ira ou tiver grande choque
emocional, o leite dela se altera profundamente. Isto é, quando a mãe tem um
desequilíbrio psicológico, a criança não pode evitar ter febre. O leite materno
deixa de ser, nestes casos, algo puro.
Não é possível haver distorções no sentimento da criança. O sentimento
desordenado da mãe passa através do leite materno para o corpo do filho e a
febre é o meio mais eficaz para purificar.
Enfim, conforme o procedimento dos pais, o nenê acaba tomando leite
tóxico.
Daí a importância do sentimento da mãe na amamentação.
E - RESPONSABILIDADE DO PAI

Existe uma diferença entre ausência da figura paterna e ausência dos


direitos paternos.
Crianças problemáticas, e que não se mostram animadas em fazer o que
lhe pedem, na grande maioria, pertencem a lares onde aos direitos paternos se
fazem pouco atuantes.
Da mesma forma são crianças onde a opinião do avô ou da avó é mais
forte.
Fica fora da lei da ordem, essas crianças tendem a crescer sem respeitar
esta lei, ficando problemática, sem respeito à ordem.
O pai, mesmo na ausência do dia-a-dia devido o trabalho precisa se fazer
presente pelo sentimento que o une ao filho.

Exemplo:

Se for trabalhar e o filho ainda está dormindo, mesmo fora do quarto


dirija-se ao seu filho e diga: “Papai vai trabalhar, ta?” e quando voltar ele
estiver dormindo diga de novo: “Papai já voltou, viu?”.
Só estas palavras bastam para compensar sua ausência, pois os
sentimentos se comunicam.
Se a presença do pai não for possível, seus direitos não podem ser
menosprezados.
Isso ocorre muito nas famílias onde a mãe menospreza a autoridade ou
direitos do pai para os filhos. Acham que faz bem, mas na realidade está
fazendo um grande mal para a criança que chega a adolescência revoltada.

Exemplo:

Casais que se separaram mais há harmonia e respeito entre os pais, os


filhos são amorosos, aos contrário, são revoltados.

PURIFICAÇÕES NA INFÂNCIA

Sarampo  Eliminação de sangue velho da mãe.


Tosse Longa  Toxinas recebidas do corpo da mãe.

Crianças agitadas  Tanto dormindo, quanto acordadas é natural e saudável.

Febre  A criança sempre tem febre geralmente 1 grau a mais de temperatura


que o adulto:
Objetivo é eliminar as toxinas herdadas pela mãe durante a gravidez, a
febre liquefaz as toxinas.

Crianças que batem muito com a cabeça  È porque como ficam de cabeça
para baixo as toxinas vão para a cabeça. O machucado na cabeça é
purificação.

Outra eliminação de cabeça:

Remela(muita)
Corrimentos Processos naturais de purificação
Coriza
Eczemas