Você está na página 1de 7

Dicas:

ESTRUTURA DE GANHO
Por Fernando José Peixoto Lopes
Técnico de áudio
fernando@masterdbsound.com.br
(27) 9-9518-4250 vivo e WhatSapp

Apoio:

Vendas, Projetos em Igrejas de áudio, acústica e elétrica, Instalações.


Garantimos 100% a sua satisfação com o projeto correto.
Será porque um técnico a frente de um sistema de alto gabarito como um Meyer Sound,
V’Dosk, d&b audiotechnik, DB Tecnologia Acústica, Eletrovoice, Martim Audio, Norton,
e então o som sem definição, aí entra um dos motivos primordiais “A Estrutura de
Ganho”, a falta de uma boa adequação.
CONCEITO DE ESTRUTURA DE GANHO:
É o tratamento executado no input de entrada de equipamentos de áudio seja em uma
mesa de som, em cada canal, seja ela analógica ou digital, ou seja, na captura dos
sinais de áudio, onde tem a finalidade de encaminhar a relação sinal ruído e margem
dinâmica deste sinal, proporcionando um sinal limpo e, por conseguinte puro, inteligível
e sem distorção.
Fator de Captura:

Ele é importantíssimo, seu valor é determinante para o sucesso da estrutura de


ganho. E influi no Otimização ou alinhamento do sistema.

Caso existir algum problema ou comprometimento em captar seja via microfones,


captadores de instrumentos e Directbox de qualidade ruim, com alto (excesso) ou
baixo (falta) de ganho na chegada do Pré inicial da mesa de som, ou por passarem
por crossovers, gerenciadores e na chegada nos amplificadores, se acontecer isso
tudo estará comprometido e o resultado não será legal.

Nunca esqueça que o microfone deve estar o mais próximo da fonte sonora, que ele
irá capturar seu áudio é no melhor posicionamento para que ele não capte sons de
outras peças (ruído de fundo).
No caso de Directbox eles devem receber um nível de sinal adequado gerando
Headroom (é a quantidade de volume e potência entregues antes que comece a
distorcer).

Temos que nos policiar em igrejas principalmente, pedir ao Pastor ou ao cantor do


ministério de Louvor, que aproxime mais microfone de sua boca, e não colocar no
peito, na barriga, e os músicos peça para aumentar o nível de sinal dos instrumentos
e ou pedaleira para que este nível chegue ao ideal na mesa de som que é a base do
Zero dB na modulação da mesa de som, ver via PFL do canal verificado.

Este procedimento é igual em cada canal da mesa de som, e até na saída do máster e
ou auxiliares ou bus, não importando ser análoga ou digital!

Você tem ideia da quantidade de componentes que o áudio percorre?


Nunca esqueça que, seja o equipamento que for, do ele coloca na cadeia da estrutura
de áudio um determinado valor de ruído de fundo, neste caso ruído da parte
eletrônica, qualidade de componentes, seja análogo ou digital, que todos possuem,
transistores, capacitores, resistores, placas diversas, e irão introduzir um ruído
característico chamado Ruído de Fundo, pois isto se causa pela agitação dos elétrons
dos materiais relacionados acima e outros componentes eletrônicos, ao atravessar
estes materiais os Elétrons da corrente elétrica de áudio são conturbados,
perturbados pelos elétrons e Átomos e assim o famoso ruído mínimo ou não mais
existe.

Isto não isenta cabos e conectores de má qualidade, além de mícrones, interferência


e má qualidade de Directbox, onde temos por obrigação fazer com que es dispositivos
estejam sempre em perfeita condição de uso com revisões periódicas.
Estrutura de ganho para que serve?
O ajuste da estrutura de ganho é para que o sinal elétrico do áudio esteja compatível
entre os diversos equipamentos da cadeia de áudio do sistema, ter impreterivelmente
o melhor nível de modulação possível para se ter um áudio de ótima inteligibilidade.

Nada em excesso é bom, e o mesmo para este tipo de ajuste, que pode causar uma
distorção e chegar a queima de alguns componentes eletrônicos, que obviamente
estarão acima da sua capacidade de trabalho.

Mas também não podemos esquecer que um sinal muito baixo ele trará diversas
consequências também ruins, como degradação do sinal, a qualidade sonora será
ruim com o ruído de fundo, devido aos próprios equipamentos.

Na configuração de ajustes da estrutura de ganho de um sistema sonoro, devemos


atentar aos critérios de áudio de dinâmica tem que ser levados em consideração. Ao
passar o som de uma banda é muito importante entender que na hora da parte
dinâmica ou no evento propriamente dito, vai haver aí um incremento natural e assim
temos que conduzir esta situação.
Ruído de Fundo
É importante falar sobre o análogo ou digital, apesar de usarem o Decibel como medida
padrão, as unidades de medidas se diferenciam, e assim irão perceber que o famoso
zero dB da mesa analógica irá corresponder a +4 dB na digital, e assim devemos ter
um correto controle de ganho pois devemos trabalhar dentro dos limites nominais
destes componentes e assim prolongando a sua vida útil dos componentes.

Em um processo mínimo aceitável que o som não se confunda com o ruído, onde este
deve estar muito abaixo da faixa dinâmica de operação, quanto mais longe estiver
esta relação de sinal ruído, melhor será nosso sinal e em resultado nossa mixagem.

Dizem alguns experts que a faixa dinâmica e o ruído de fundo deve ficar em torno de
20 dB.

Muitas das vezes é bem fácil se perceber o ruído de fundo, quando o pastor ou
palestrante dá uma pausa durante o culto, você percebe aquele ruído chato
aparecendo, Hisss, Hummm, ou outro tipo de som nas proximidades isto é ruído, é o
tal de ruído de fundo, porque o ajuste da estrutura de ganho foi feito de forma
errada, aí o ruído está presente.

Ruído de Fundo

Este gráfico acima mostra uma estrutura de ganho errada, onde o ruído de fundo se
confunde com o som, ou seja, o ruído está presente nos circuitos eletrônicos. Já o
primeiro gráfico mostra como deve ser o ajuste correto, longe do ruído de fundo.
Uma modulação do mesmo sinal de áudio

Entre estas duas linhas vermelhas ou faixa dinâmica, onde o áudio vai estar com
extrema inteligibilidade.

Entre a segunda faixa dinâmica de baixo e a faixa preta, é onde se fixa o ruído de
fundo.

Ao simular um aumento de amplitude e ocorre um ceifamento nas partes superior da


onda, excesso de entrada de sinal que irá ocorrer a perigosa onda Quadra com seu
sinal distorcido. Isto ocorre quando se pensa que aumentando a amplitude de forma
equivocada, esta distorção ocorre quando o sinal de áudio está excessivo, aí ultrapassa
o nível de capacidade do circuito sobre este áudio do que possa suportar, veja abaixo.
Como saber se o som distorce ou clipa?
1) Pela audição.
2) Pela lâmpada de clip, que nada mais é que um circuito eletrônico que
interpreta as ondas Quadradas.

Se o ruído nos dá o limite inferior de sinal de um equipamento, onde que o equipamento


possa ter, o Clip nos dá o limite superior, e o intervalo abaixo do clip e um pouco acima
do ruído de fundo nós chamamos de faixa dinâmica de operação.

“Deus seja louvado”