Você está na página 1de 6

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA

CAMPUS PAULO AFONSO


DIREÇÃO DE ENSINO
COORDENÇÃO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA
DISCIPLINA: LABORATÓRIO DE ENGENHARIA ELÉTRICA I

ROTEIRO DE PRÁTICA 03 – MEDIDAS DE INDUTÂNCIA E CAPACITÂNCIA

Objetivos:

 Verificar o comportamento de um circuito RLC série e RLC paralelo.

Preparação da atividade:

 Relembrar os conceitos de circuitos RLC aprendidos anteriormente

Equipamentos necessários:

 Microcomputador com software de simulação eletrônica instalado


(Multisim).

1. Circuito RLC-série

O circuito RLC-série é composto por um resistor, um capacitor e um indutor


associados em série, conforme mostra figura 1.

Figura 1: Circuito RLC-série.


Tomando como referência a corrente, já que é a mesma nos três componentes,
sendo que no indutor ela está atrasada de π/2 radianos e adiantada de
π/2radianos no capacitor, pode-se construir o diagrama vetorial mostrado na
figura 2.

Figura 2 – Diagrama vetorial de um circuito RLC-série com características indutivas.

Os parâmetros fundamentais que descrevem um circuito RLC são descritos na


tabela abaixo:

Parâmetro Fórmula Matemática


Resistência 𝑉
𝑅 = 𝑒𝑓𝑅⁄𝐼
𝑒𝑓

Reatância Capacitiva 𝑋𝐶 = 1⁄2𝜋𝑓𝐶


Reatância Indutiva
𝑋𝐿 = 2𝜋𝑓𝐿
Impedância total do circuito 𝑍 = √𝑅 2 + (𝑋𝐿 + 𝑋𝑐 )2
Frequência natural
1 1
𝑓𝑁 = √
2𝜋 𝐿𝐶

O ângulo θ é a defasagem entre a tensão e corrente no circuito pode ser


determinada e pode ser determinado pelas relações trigonométricas do
triângulo retângulo:

𝑉𝐿𝑒𝑓 − 𝑉𝐶𝑒𝑓 𝑋𝐿 − 𝑋𝐶
𝑠𝑒𝑛𝜃 = =
𝑉𝑒𝑓 𝑍

𝑉𝑅𝑒𝑓 𝑅
𝑐𝑜𝑠𝜃 = =
𝑉𝑒𝑓 𝑍

𝑉𝐿𝑒𝑓 − 𝑉𝐶𝑒𝑓
𝑡𝑔𝜃 =
𝑉𝑅𝑒𝑓

O circuito RLC-série pode ter comportamento capacitivo ou indutivo. O gráfico


da figura 3 mostra o comportamento das reatâncias capacitiva e indutiva de
acordo com a variação de frequência.
Figura 3: gráfico de reatância em função da frequência.

2. Circuito RLC-paralelo

O circuito RLC-paralelo é comporto por um resistor, um capacitor e um indutor,


associados em paralelo conforme mostra a figura 4.

Figura 4: Circuito RLC-paralelo.

Para construção do diagrama vetorial, considera-se como referência a tensão,


lembrando que neste caso ela está adiantada de π/2 radianos em relação a
corrente do indutor e atrasada de π/2 radianos em relação à corrente do
capacitor.

Figura 5: Diagrama vetorial de um circuito RLC-paralelo.

Os parâmetros para o circuito RLC-paralelo são os mesmos do circuito RLC-


série, com a diferença somente no valor de Z, o qual para circuitos RLC-
paralelo é dado por:

1
𝑍=
2
√ 12 + ( 1 − 1 )
𝑅 𝑋𝐶 𝑋𝐿

O ângulo θ pode ser determinado por:

𝐼𝐶𝑒𝑓 1 1
𝑠𝑒𝑛𝜃 = = 𝑍( − )
𝐼𝑒𝑓 𝑋𝐶 𝑋𝐿
𝐼𝑅𝑒𝑓 𝑍
𝑐𝑜𝑠𝜃 = =
𝐼𝑒𝑓 𝑅

𝐼𝐶𝑒𝑓 − 𝐼𝐿𝑒𝑓 1 1
𝑡𝑔𝜃 = = 𝑅( − )
𝐼𝑅𝑒𝑓 𝑋𝐶 𝑋𝐿

A frequência natural é dada por:

1
𝑓𝑁 =
2𝜋√𝐿𝐶

Procedimento:

 No simulador monte o circuito da figura 2.

Figura 6: Circuito RLC-série.

 Ajuste o gerador de função para uma onda senoidal com 5 Vpp.


 Mantendo a tensão constante em 5 Vpp varie o valor da frequência e
anote a tensão de pico no resistor de acordo com a tabela abaixo.
 Calcule também os valores das reatâncias capacitiva e indutiva e da
impedância do circuito para cada valor de frequência.
 Calcule o valor da frequência natural do circuito.
 Calcule o valor da tensão eficaz no resistor preenchendo a tabela, bem
como o valor da corrente eficaz.
 Calcule o valor da defasagem (Δθ) para cada valor de frequência.
 Construa os gráficos de: I x f, Ief x f e Δθ x f.
f (kHz) 𝑉𝑅𝑝𝑝 (𝑉) 𝑉𝑅𝑒𝑓 (𝑉) 𝐼𝑒𝑓 (𝑚𝐴) 𝑋𝐶 (𝑘Ω) 𝑋𝐿 (𝑘Ω) 𝑍(𝑘Ω) Δθ
2
4
6
8
10
12
14
16
18
20
22
24
26
28
30

 Monte o circuito mostrado na figura 7.

Figura 7: Circuito RLC-paralelo.

 Repita os procedimentos para o circuito anterior e complete a tabela


abaixo, sendo que a tensão de resistor deve ser tomada sobre o resistor
de 10Ω.
 Construa o gráfico de Z x f e Ief x f.
 Determine a frequência natural do circuito.

f (kHz) 𝑉𝑅𝑝𝑝 (𝑉) 𝑉𝑅𝑒𝑓 (𝑉) 𝐼𝑒𝑓 (𝑚𝐴) 𝑋𝐶 (𝑘Ω) 𝑋𝐿 (𝑘Ω) 𝑍(𝑘Ω) Δθ
2
4
6
8
10
12
14
16
18
20
22
24
26
28
30

Modelo de Relatório:

 Digitado (Arial; 12) ou escrito à mão (manuscrito), em folhas de papel A4


 O prazo máximo de entrega do relatório será sempre a aula seguinte ao
experimento (Uma semana)
 Elementos obrigatórios:
o Capa;
o Folha de Rosto;
o Sumário;
o Introdução;
o Fundamentação Teórica;
o Descrição da atividade;
o Resultados e Análises;
o Conclusão;
o Referências Bibliográficas;
 Cuidado com os plágios. Quando o texto não for seu use citações
conforme as regras e normas da ABNT.
 O relatório deve ser entregue na forma impressa na semana seguinte à
realização da atividade.

Referências Bibliográficas:

Experiência de laboratório X: circuito RLC ressonante. Disponível em


<http://www.if.ufrgs.br/fis01202/Lab10.pdf> Acesso em 02.05.2015.

CAPUANO, F. G.; MARINO, M. A. M. Laboratório de eletricidade e


eletrônica. 24 ed. São Paulo: Érica, 2011.

Você também pode gostar