Você está na página 1de 46

SISTEMA DE NORMALIZAÇÃO

CONTABILÍSTICA

PERSPECTIVA DOS
UTILIZADORES
(DGCI)
ÍNDICE

1.A RELAÇÃO ENTRE A CONTABILIDADE


E A FISCALIDADE

2. IMPLICAÇÕES FISCAIS DO SNC

2.1 - Determinação do lucro tributável

2.2 - Cumprimento de obrigações acessórias

2.3 – Sistemas de informação


RELAÇÃO ENTRE CONTABILIDADE E
FISCALIDADE
SEPARAÇÃO ABSOLUTA – O lucro tributável é
determinado de acordo com regras exclusivamente fiscais

IDENTIFICAÇÃO TOTAL – O lucro tributável decorre


directamente das demonstrações financeiras

DEPENDÊNCIA PARCIAL

ARTIGO 17.º DO CIRC

O lucro tributável é constituído ... pela soma algébrica do resultado


líquido do período e das variações patrimoniais positivas e negativas
verificadas no mesmo período e não reflectidas naquele resultado,
determinados com base na contabilidade e eventualmente corrigidos
nos termos deste código
OBJECTIVOS

A contabilidade assume-se como um sistema de


informação em que através das demonstrações
financeiras é dada uma imagem fiel da empresa, do
património, situação financeira e resultados para a
tomada de decisões.

O sistema fiscal tem como objectivo a arrecadação de


meios financeiros para o financiamento das despesas
públicas, em função da capacidade contributiva
BASES

Princípios geralmente aceites - O


CONTABILIDADE recurso a juízos de valor é
alargado - Flexibilidade

Normas com carácter geral e


objectivo para determinar a
FISCALIDADE incidência e a base tributável - O
recurso à analogia não é permitido
- Imperatividade
PRINCÍPIO DA LEGALIDADE

A PREEMINÊNCIA DA LEI – A actuação da administração


tributária está subordinada à lei, sendo os seus actos
praticados no âmbito dos poderes por ela concedidos

A RESERVA DE LEI PARLAMENTAR – Os impostos são


criados por lei, que determina a incidência, a taxa, os
benefícios fiscais e as garantias dos contribuintes

A TIPICIDADE FECHADA – A lei determina todos os


elementos necessários à tributação, não podendo a
administração introduzir critérios subjectivos de
apreciação na sua aplicação concreta
PRINCÍPIO DA IGUALDADE

Princípio estruturante do sistema fiscal que


decorre da Constituição e impõe o dever de todos
pagarem imposto de acordo com um critério
uniforme Î a tributação de cada um de acordo
com a sua capacidade contributiva

EMPRESAS
CONCEITOS

9Quando o desfecho de um contrato puder ser


fiavelmente estimado, o rédito ….
9Se uma entidade retiver somente um insignificante
risco de propriedade, a transacção é uma venda e
o rédito é reconhecido…
9O rédito só é reconhecido quando for provável que os
benefícios económicos associados com a
transacção fluam para a entidade…
CONCEITOS

OBRIGAÇÃO CONSTRUTIVA: é uma obrigação que decorre das acções


de uma entidade em que:
a) Por via de um modelo estabelecido de práticas passadas, de
políticas publicadas ou de uma declaração corrente
suficientemente específica, a entidade tenha indicado a outras
partes que aceitará certas responsabilidades; e
b) Em consequência, a entidade tenha criado uma expectativa
válida nessas outras partes de que cumprirá com essas
responsabilidades.

OBRIGAÇÃO LEGAL: é uma obrigação que deriva de:


a) Um contrato (por meio de termos explícitos ou implícitos);
b) Legislação; ou
c) Outra operação da lei.
DEPENDÊNCIA PARCIAL

APURAMENTO DO LUCRO TRIBUTÁVEL: ARTIGO 17.º DO CIRC

Variações
Variações
patrimoniais
patrimoniais

Determinados comcombase
basena
nacontabilidade
contabilidade
Resultado Determinados
Resultadolíquido
líquido organizada de acordo com a normalização Lucrotributável
tributável
do
doperíodo
período
+/- organizada de acordo com a normalização
contabilísticaem
contabilística emvigor
vigor(SNC)
(SNC)
Lucro

Correcções
Correcções
fiscais
fiscais
ÍNDICE

1. A RELAÇÃO ENTRE A CONTABILIDADE E A


FISCALIDADE

2.IMPLICAÇÕES FISCAIS DO SNC

2.1 - Apuramento do lucro tributável

2.2 - Cumprimento de obrigações acessórias

2.3 – Sistemas de informação


FUNÇÕES DA CONTABILIDADE

9Registo de operações Î sujeito a controlo para


comprovação da situação tributária

9Sistema de informação Î fonte de informação,


nomeadamente, para aplicação de impostos
¾Determinação da base tributável
¾Cumprimento de obrigações acessórias
ALTERAÇÕES DO SNC

DIFERENÇAS DE IMPUTAÇÃO TEMPORAL

9Vendas registadas pelo valor presente

9Reconhecimento do valor de aquisição dos activos


fixos (custo estimado para o desmantelamento e
remoção do bem)

9Depreciações para além dos limites legais e


imparidades não reconhecidas como
desvalorizações excepcionais
ALTERAÇÕES DO SNC

VALORES CONTABILÍSTICOS QUE NÃO RELEVAM


PARA EFEITOS FISCAIS

9Activos registados ao justo valor

9Activos resultantes de processos de fusão


LEGISLAÇÃO FISCAL

EXIGÊNCIA DE MAIS INFORMAÇÃO FISCAL

9ALTERAÇÕES LEGISLATIVAS

¾Desconsideração de menos-valias
ÍNDICE

1. A RELAÇÃO ENTRE A CONTABILIDADE E A


FISCALIDADE

2.IMPLICAÇÕES FISCAIS DO SNC

2.1 - Apuramento do lucro tributável

2.2 - Cumprimento de obrigações acessórias

2.3 – Sistemas de informação


RÉDITO

Contabilidade: NCRF 20
MENSURAÇÃO de réditos
Regra geral:
• Pelo justo valor da retribuição recebida ou a receber líquida de
descontos comerciais e de quantidade.
Excepção: VP=VF/(1+i)n
• Pelo valor presente*, quando o fluxo de caixa for diferido e a
diferença face ao valor nominal for materialmente relevante e o
prazo significativo
Neste caso o Justo Valor deve ser determinado descontando todos os
recebimentos futuros usando uma taxa de juro imputada

A diferença entre a quantia nominal e o justo valor é reconhecida


como rédito de juros
RÉDITO

Alterações ao CIRC:
CIRC Art.ºs 18.º e 20.º

• “os réditos relativos a vendas e prestações de serviços são


considerados no período de tributação a que respeitam, pela
quantia nominal da contraprestação”.

• O rédito continua a ser considerado para efeitos fiscais pelo valor


bruto

É desconsiderado o reconhecimento
pelo valor presente
RECONHECIMENTO

VENDAS REGISTADAS PELO VALOR PRESENTE
Preço de venda = 100 000
Condições de pagamento : 71       Vendas 92 000
30 % contra entrega 7916   juros obtidos   8 000
70 % em 4 prestações semestrais

COMPARABILIDADE
Volume de negócios Menor

Rentabilidade das vendas Maior

ANEXOS O e P
Anexo O Anexo P
Venda + IVA Compra + IVA
92 000 + 21 000 100 000 + 21 000
ÍNDICE

1. A RELAÇÃO ENTRE A CONTABILIDADE E A


FISCALIDADE

2.IMPLICAÇÕES FISCAIS DO SNC

2.1 - Apuramento do lucro tributável

2.2 - Cumprimento de obrigações acessórias

2.3 – Sistemas de informação


SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

DESTINATÁRIOS DA INFORMAÇÃO CONTABILÍSTICA

9 Investidores
9 Financiadores
9 Trabalhadores
9 Fornecedores e outros credores
9 Administração Pública
9 Público em geral
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

9RELATO

¾ Anexo com 31 notas e nenhum quadro com


informação normalizada

9INFORMAÇÃO NORMALIZADA

¾ Susceptível de tratamento informatizado


INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA

9BALANÇO E DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS

¾ Comum com contas de utilização específica

9ANEXO

¾ Informação normalizada
¾ Quadros de utilização específica
INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA
INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA
DEPÓSITO DE CONTAS
DOSSIER FISCAL

9Manutenção de mapas de modelo oficial : mapas de


depreciações e amortizações e de perdas por
imparidades e ajustamentos em inventários

9Eliminação de alguns elementos pedidos (balancetes e


demonstrações financeiras)

9Aumento da informação a constar do dossier fiscal


DOSSIER FISCAL
DOSSIER FISCAL

AUMENTO DA INFORMAÇÃO A CONSTAR DO


DOSSIER FISCAL
9 Artigo 38.º - Desvalorizações excepcionais
9 Artigo 49.º - Instrumentos financeiros derivados
9 Artigo 63.º - Preços de transferência
9 Artigo 64.º - Correcções ao valor de transmissão de
direitos reais sobre bens imóveis
9 Artigo 66.º - Imputação de lucros de sociedades não
residentes sujeitas a um regime fiscal
privilegiado
9 Artigo 67.º - Subcapitalização
9 Artigo 78.º - Obrigações acessórias (fusões)
9 Artigo 120.º - Declaração periódica de rendimentos

alternativas?

Podia ter sido feito um


maior esforço de
aproximação?
OBRIGADO
PELA
ATENÇÃO

Você também pode gostar