Você está na página 1de 6

CURSO PROGRESSÃO

Prof.: TICIANE CORADINI


Aula: A argumentação e a Estruturação do texto dissertativo

A argumentação plano das ideias e de, gerenciando relação, persuadi-lo, no


plano das emoções, a fazer alguma coisa que nós desejamos
Para Abreu (2001), saber argumentar é integrar-se ao universo do outro que ele faça.
com a obtenção do que queremos de modo cooperativo e construtivo. Isto
posto compreende-se a necessidade de desenvolver o gerenciamento de
informação, pois passamos a maior parte do tempo defendendo e
3. Um Pouco de História
argumentando sobre nossos pontos de vista, argumentar por fim, é prática
de identificar e dominar o ambiente e crenças do outro. A retórica, ou arte de convencer e persuadir, surgiu em Atenas,
na Grécia antiga, por volta de 427 a.C, quando os atenienses, tendo
consolidado na prática os princípios do legislador Sólon, estavam
Processo Argumental vivendo a primeira experiência de democracia de que se tem
notícia na História. Ora, dentro desse novo estado de coisas, sem a
Princípios Básicos presença de autoritarismo de qualquer espécie, era muito
importante que os cidadãos conseguissem dominar a arte de bem
1. Senso Comum x Senso Crítico falar e de argumentar com as pessoas, nas assembleias populares e
nos tribunais. Para satisfazer essa necessidade, afluíram a Atenas,
Segundo o senso comum, argumentar é vencer alguém, forçá-lo a vindo sobretudo das colônias gregas da época, mestres itinerantes
submeter-se à nossa vontade. Definição errada! Von Clausewitz, o que tinham competência para ensinar essa arte. Eles se
gênio militar alemão, utiliza-a para definir guerra e não autodenominavam sofistas, sábios, aqueles que professam a
argumentação. Seja em família, no trabalho, no esporte ou na sabedoria. Os mais importantes foram Protágoras e Górgias.
política, saber argumentar é, em primeiro lugar, saber integrar-se Como mestres itinerantes, os sofistas faziam muitas viagens e,
ao universo do outro. E também obter aquilo que queremos, mas por esse motivo, conheciam diversos usos e costumes. Isso lhes
de modo cooperativo e construtivo, traduzindo nossa verdade dava uma visão de mundo muito mais abrangente do que tinham os
dentro da verdade do outro. atenienses da época e lhes permitia mostrar a seus alunos que uma
questão podia admitir diferentes pontos de vista. Um dos
2. Argumentar, Convencer e Persuadir princípios propostos por eles era o de que muitos dos
comportamentos humanos não eram naturais, mas criados pela
Argumentar é a arte de convencer e persuadir. sociedade. Como exemplo, citavam o ”sentimento do pudor”.
Contradizendo os atenienses, que acreditavam que fosse algo
Convencer é saber gerenciar informação, é falar à razão natural, os professores de retórica afirmavam, por experiência
do outro, demonstrando, provando. Etimologicamente, significa própria, que, em muitos lugares por que tinham passado, a
vencer junto com o outro (com + vencer) e não contra o outro. exposição de certas partes do corpo e certos hábitos tidos lá como
normais, se vistos em Atenas, causariam perplexidade e
Persuadir é saber gerenciar relação, é falar à emoção do constrangimento.
outro. A origem dessa palavra está ligada à preposição per, ”por Foi esse tipo de pensamento que deve ter provocado a célebre
meio de” e a Suada, deusa romana da persuasão. Significava ”fazer afirmação de Protágoras: O homem é a medida de todas as coisas,
algo por meio do auxílio divino”. que o levou, inclusive, a afirmar que o verdadeiro sábio é aquele
capaz de julgar as coisas segundo as circunstâncias em que elas se
Mas em que convencer se diferencia de persuadir? inserem e não aquele que pretende expressar verdades absolutas.
Convencer é construir algo no campo das ideias. Quando
convencemos alguém, esse alguém passa a pensar como nós. 4. Condições da Argumentação
Persuadir é construir no terreno das emoções, é sensibilizar o outro
para agir. Quando persuadimos alguém, esse alguém realiza algo A primeira condição da argumentação é ter definida uma tese
que desejamos que ele realize. Muitas vezes, conseguimos e saber para que tipo de problema essa tese é resposta. Se
convencer as pessoas, mas não conseguimos persuadi-las. queremos vender um produto, nossa tese é o próprio produto. Mas
Podemos convencer um filho de que o estudo é importante e, isso não basta. É preciso saber qual a necessidade que o produto
apesar disso, ele continuar negligenciando suas tarefas escolares. vai satisfazer. Um bom vendedor é alguém capaz de identificar
Podemos convencer um fumante de que o cigarro faz mal à saúde, necessidades e satisfazê-las. Um bom vendedor de carros saberá
e, apesar disso, ele continuar fumando. vender um automóvel de passeio a um cliente que se locomove
Algumas vezes, uma pessoa já está persuadida a fazer apenas no asfalto e um utilitário àquele que tem de enfrentar
alguma coisa e precisa apenas ser convencida. Precisa de um estradas de terra. No plano das ideias, as teses são as próprias
empurrãozinho racional de sua própria consciência ou da de outra ideias, mas é preciso saber quais as perguntas que estão em sua
pessoa, para fazer o que deseja. É o caso de um amigo que quer origem. Se eu quero vender a ideia de que é preciso sempre poupar
comprar um carro de luxo, tem dinheiro para isso, mas hesita em um pouco de dinheiro, eu tenho de saber que a pergunta básica é:
fazê-lo, por achar mera vaidade. Precisamos apenas dar-lhe uma — O que eu faço com o dinheiro que recebo? Muitas pessoas se
”boa razão” para que ele faça o negócio. Às vezes, uma pessoa queixam de que, nas reuniões da empresa, suas boas ideias nunca
pode ser persuadida a fazer alguma coisa, sem estar convencida. É são levadas em consideração. O que essas pessoas não percebem é
o caso de alguém que consulta uma cartomante ou vai a um que essas ideias são respostas a perguntas que elas fizeram a si
curandeiro, apesar de, racionalmente, não acreditar em nada disso. mesmas, dentro de suas cabeças. Ora, de nada adianta lançar uma
Argumentar é, pois, em última análise, a arte de, ideia para um grupo que não conhece a pergunta. É preciso
gerenciando informação, convencer o outro de alguma coisa no primeiro fazer a pergunta ao grupo. Quando todos estiverem
procurando uma solução, aí sim, é o momento de lançar a idéia,

(Redação) www.cursoprogressao.net 1
CURSO PROGRESSÃO

Prof.: TICIANE CORADINI


Aula: A argumentação e a Estruturação do texto dissertativo

como se lança uma semente em um campo previamente adubado. que não sentem. Se estão tristes, seus rostos refletem nitidamente a
5. Rubem Alves, ”Cartas de Amor”, O Retorno e Temo, pp. 4445. tristeza. Se estão alegres, refletem essa alegria. Ao longo da vida,
Uma segunda condição da argumentação é ter uma nós, adultos, é que desaprendemos a espontaneidade, depois que
”linguagem comum” com o auditório. Somos nós que temos de outros adultos nos ensinaram a separar nossa inteligência de nossas
nos adaptar às condições intelectuais e sociais daqueles que nos emoções.
ouvem, e não o contrário. Temos de ter um especial cuidado para
não usar termos de informática para quem não é da área de 5. Métodos argumentativos
informática, ou de engenharia, para quem não é da área de
engenharia e assim por diante. Durante a campanha para a a) Indução: partir da observação de um caso particular e tirar uma
prefeitura de São Paulo, em 1985, Jânio Quadros contou com o regra geral.
apoio do deputado e ex-ministro Delfim Neto. Durante um
comício para moradores de um bairro de periferia, Delfim Ex.: Como a rua estava molhada, percebe-se que choveu por aqui.
terminou sua fala dizendo: ”- A grande causa do processo
inflacionário é o déficit orçamentário. Logo depois, Jânio chamou b) Dedução: partir de um caso geral para um particular
Delfim de lado e disse: ”- Delfim, olhe para a cara daquele sujeito (silogismo).
ali. O que você acha que ele entendeu do seu discurso ? Ele não
sabe o que é processo. Não sabe o que é inflacionário. Não sabe o Ex.: Todos os homens são mortais. Sócrates é homem. Logo,
que é déficit. E não tem a menor ideia do que é orçamentário. Da Sócrates é mortal.
próxima vez, diga assim: - A causa da carestia é a roubalheira do
governo.1” Em um processo argumentativo, nós somos os únicos
responsáveis pela clareza de tudo aquilo que dissermos. Se houver c) Analogia: partir de algo conhecido para entender algo
alguma falha de comunicação, a culpa é exclusivamente nossa! desconhecido.
A terceira condição da argumentação é ter um contato positivo
com o auditório, com o outro. Estamos falando outra vez de Ex.: Um colégio é como um quartel, em que o diretor é o
gerenciamento de relação. Nunca diga, por exemplo, que vai usar comandante, os professores desempenham o papel de oficiais e os
cinco minutos de alguém, se vai precisar de vinte minutos. É alunos são soldados e, por isso, devem ser disciplinados.
preferível, nesse caso, dizer que vai usar meia hora. Muitas vezes,
há necessidade de respeitar hierarquias e agendas. Faça isso com d) Dialética: confronto de ideias opostas, resultando em uma nova.
sinceridade e bom humor. Outra fonte de contato positivo com o
outro é saber ouvi-lo. Noventa e nove por cento das pessoas não Ex.: Se tivéssemos a pena de morte no Brasil, muitos crimes não
sabem ouvir. A maior parte de nós tem a tendência de falar o aconteceriam. Ao mesmo tempo, vários inocentes pagariam pelo
tempo todo. É preciso desenvolver a capacidade da audiência que não fizeram, visto o sistema penal brasileiro ter falhas. Assim
empática. Pathos, em grego, além de enfermidade, significa sendo, para se ter esse tipo de pena no país, o ideal seria mudar e
sentimento. Em, preposição, significa dentro DE. Ouvir com levarmos a sério as leis penais e buscarmos a verdadeira justiça.
empatia quer dizer, pois, ouvir dentro do sentimento do outro. As
palavras são escolhidas inconscientemente. É preciso prestar
atenção a elas. É preciso prestar atenção também ao som da voz do 6. Estratégias argumentativas
outro! É por meio da voz que expressamos alegria, desespero,
tristeza, medo ou raiva. As vezes, a maneira como uma pessoa usa a) Exemplificação: argumentar através de exemplos.
sua voz nos dá muito mais informações sobre ela do que o sentido
lógico daquilo que diz. Devemos também aprender a ”ouvir” com Ex.: A pena de morte não deveria existir. Basta observar a
nossos olhos! A postura corporal do outro, suas expressões faciais, experiência dos países que a adotam. Na Geórgia (EUA), os
a maneira como anda, como gesticula e até mesmo a maneira homicídios chegam a 20% a mais que a média nacional; no
como se veste nos dão informações preciosas. O poeta e Canadá, por outro lado, após a abolição da pena, a criminalidade
semioticista Décio Pignatari costuma dizer que o homem precisa diminuiu em 27% (EXEMPLIFICAÇÃO).
aprender a ”ouviver”, verbo que ele inventou a partir de ouvir, ver
e viver. b) Argumento de autoridade: argumentar através de relatos de
Finalmente, a quarta condição e a mais importante delas: agir autoridades.
de forma ética. Isso quer dizer que devemos argumentar com o
outro, de forma honesta e transparente. Caso contrário, Ex.: A temperatura da Terra está subindo. Cientistas renomados
argumentação fica sendo sinônimo de manipulação. O fato de comprovaram que os últimos acontecimentos são evidências
agirmos com honestidade nos confere uma característica incontestáveis do aumento (ARGUMENTO DE AUTORIDADE).
importante em um processo argumentativo: a credibilidade. Para
ter credibilidade é preciso apenas comportar-se de modo c) Contra-argumentação: argumentar combatendo a ideia
verdadeiro, sem medo de revelar propósitos e emoções. Assim contrária.
como as pessoas possuem ”detectores inconscientes” de interesse
sexual em relação ao sexo oposto, capazes de decodificar posturas c.1. Concessão:
corporais, expressões faciais e tom de voz, elas também possuem
”detectores de credibilidade” em relação ao outro. Para ter Ex.: Muitos dizem que o aborto é um assassinato e que a vida deve
credibilidade, basta procurar a criança que existe dentro de nós. As ser preservada. É verdade (CONCESSÃO). Mas por que o mesmo
crianças não dizem aquilo em que não acreditam e não fingem o raciocínio não deve valer para preservar a vida das gestantes que

(Redação) www.cursoprogressao.net 2
CURSO PROGRESSÃO

Prof.: TICIANE CORADINI


Aula: A argumentação e a Estruturação do texto dissertativo

vão a clínicas clandestinas e morrem nesses procedimentos assumido e defendido.


cirúrgicos (CONTRA-ARGUMENTAÇÃO)?
Tipologia textual dos parágrafos de desenvolvimentos
c.2. Redução ao absurdo:
01) Hipótese: Apresentar hipótese no desenvolvimento é a tentativa de
buscar soluções, apontando prováveis resultados. Na hipótese, mostramo-
Ex.: Alguns dizem que os adolescentes são maduros e responsáveis nos interessados pelo assunto e dispostos a encontrar soluções, se
para dirigir um carro aos 15 anos. Também serão assim para, se apropriadas. Com a hipótese, praticamente, não se corre o risco de apenas
cometerem um crime, serem presos em celas normais e pagarem expor o assunto.
suas penas (REDUÇÃO AO ABSURDO)?
02) Paralelismo: Trabalhar com o paralelismo, no desenvolvimento, é
d) Negação: argumentar negando a verdadeira intenção, para apresentar um mesmo assunto com diferentes enfoques, é apresentar
cativar o leitor. correspondência entre ideias ou opiniões diferentes em relação ao mesmo
argumento. Por exemplo, em se tratando de informática, discutir sobre o
mercado de trabalho, não apenas argumentando que a máquina tomou o
Ex.: Não discutamos a favor ou contra o aborto, já que é um lugar do homem, mas também apresentando o aumento de emprego na
assunto polêmico. Então, pensemos na vida. Algo tão valioso deve área, os recursos técnicos disponíveis, a comodidade...
ser preservado, ainda que dentro do ventre materno (NEGAÇÃO).
03) Dialética: Trabalhar com a dialética é, inclusive, apresentar aspectos
7. DICAS DE PLANEJAMENTO positivos e negativos, pontos favoráveis e desfavoráveis do argumento. É
trabalhar com os "prós e contras", sem dar ênfase a apenas um deles.
Quando for escrever procure observar os seguintes tópicos: Procure trabalhar com apenas dois parágrafos no desenvolvimento: um
com os aspectos favoráveis; outro com os desfavoráveis.
1. Procure, antes de tudo, refletir sobre o tema proposto. Avalie as diversas
discussões que podem ser geradas pelo assunto e, sobretudo, qual a sua 04) Oposição de ideias: Trabalhar com oposição de ideias é explorar com
posição em relação a ele, valha-se de usa capacidade interpretativa; o mesmo interesse crítico dois polos que sustentam a discussão. Por
2. Tente traduzir em uma frase o seu posicionamento principal em relação exemplo, em se tratando de educação infantil, explorar a educação
àquele assunto. Esta frase será a sua tese ou objetivo – e servirá para você masculina e a educação feminina com o mesmo interesse, mostrando as
estruturar toda a sua redação, conhecida como Tópico Frasal; diferenças existentes.
3. Escreva primeiramente, se preferir, num rascunho porque, desse modo,
você poderá refletir sobre o texto elaborado e, sobretudo, corrigir o que 05) Causas e consequências: Trabalhar com causas e consequências é
for necessário; apresentar, em um parágrafo, os aspectos que levaram ao problema
4. Procure no primeiro parágrafo expor a sua tese (Tópico Frasal) de uma discutido e, em outro parágrafo, as suas decorrências.
maneira objetiva e clara. Vá direto ao assunto. Evite o ato popularmente
conhecido como encher linguiça, isso não dá competitividade a seu texto. 06) Exemplificação: Seja qual for a introdução, a exemplificação é a
Um parágrafo introdutório ideal circula em torno de 5 linhas; maneira mais fácil de se desenvolver a dissertação. Mas...
5. A partir da tese formulada, lembre-se de que os argumentos a serem Devem-se apresentar exemplos concretos, que sejam importantes para a
desenvolvidos devem responder à tese; sociedade. Argumente sobre personagens históricas, artísticas, políticas,
6. Se estiver perdido procure argumentos a partir das seguintes sobre fatos históricos, culturais, sociais importantes.
possibilidades*:
PARÁGRAFO DE CONCLUSÃO
• Causas;
• Consequências; Um ou mais períodos com a retomada do tema e /ou da tese (ou
• Soluções; também dos argumentos), num juízo crítico a que se acrescenta um
• Fatos Históricos; comentário enriquecedor.
• Comparações; Sintetizam-se os aspectos destacados no desenvolvimento e,
• Aspectos favoráveis/desfavoráveis; com eles, procura-se reforçar a tese DEFENDIDA na introdução.
• Aspectos Positivos e Negativos; Não se esqueça de que o conteúdo específico da conclusão
• Dados; consiste na aplicação de um pensamento que reforce a ideia defendida.
• Exemplos. Quanto mais original e criativo melhor – a última impressão é a que fica.

8. Conceituação e construção dos parágrafos textuais 9. ESTRUTURA DO TEXTO DISSERTATIVO

PARÁGRAFO DE INTRODUÇÃO Introdução

A PRIORI, parte-se sempre do princípio de que, antes de tudo, é muito  Contextualização – Falar sobre o assunto do tema;
importante a construção de uma frase objetiva e clara que traduza a
contextualização inicial do tema( uma citação filosófica ou histórica  Tese – Dar o ponto de vista a ser defendido.
faz jus a este inicio); Em seguida, a tese que revela o ponto de vista ou a
ideia central que temos do assunto. E por fim, fomenta-se a importância  Argumentos – apresentar dois ou três argumentos que serão
de se produzir uma segunda frase que encaminhe a argumentação, diante defendidos ao longo do desenvolvimento.
de dois argumentos.
Desenvolvimento 1
PARÁGRAFO DE DESENVOLVIMENTO
 Apresentar o primeiro argumento elaborado;
Sobre este parágrafo recai a responsabilidade de apresentar os
argumentos propostos, embasa-los de forma coerente e coesa entre si e,  Defende-lo por meio de dados, raciocínio lógico, exposições,
sobretudo possibilitar que o leitor tenha a percepção do posicionamento

(Redação) www.cursoprogressao.net 3
CURSO PROGRESSÃO

Prof.: TICIANE CORADINI


Aula: A argumentação e a Estruturação do texto dissertativo

exemplificações, etc.

 Concluir o parágrafo com a ênfase do que foi defendido acima, 11. Recursos de Coesão e Coerência Textual
apresentando posicionamento.
Expressões usadas no inicio do parágrafo de Introdução:
Conclusão do texto
1. Afirma que/ É de suma importância...
2. Na atual conjuntura não difícil perceber que...
-Retomar a tese de uma forma diferenciada nas palavras;
3. É preciso, inicialmente observar que...
-Sintetizar todas as ideias do texto;
4. Deve-se analisar, antes de tudo, que...
-Desfecho criativo (frase de efeito).
5. Apesar de contrariedades é urgente que...
-Caso haja possibilidade, mostrar soluções para o problema levantado:
6. É alarmente...
7. É urgente que...
 Ação interventiva – elemento essencial, auxilia na identificação
8. É compreensível que...
da proposta;
9. Com o advento da globalização...
 O agente – é o responsável indicado para realizar essa ação;
10. No decorrer da história
 O modo/meio – como será executada e;
11. Retroceder na história...
 Efeito – o que se espera alcançar.
12. Foi somente com o inicio do...
13. Viver numa sociedade globalizada requer domínio de veiculação das
Observação final:
informações
É de suma importância atentar desde já para qual pessoa
discursiva se usa no desenvolvimento do texto dissertativo argumentativo.
Elementos de coesão usados entre a tese e os argumentos:
Os Concursos admitem a primeira pessoa do plural (nós), sendo
inadmissível o uso da primeira pessoa no singular (eu), e também a 1. Dentre tantos aspectos importantes a serem apontados, destacam-se
terceira pessoa (ele, ela, eles e elas), a qual se dará ênfase na pratica com 2. Dentre tantos pontos importantes a serem citados, destacam-se
relevância. Por conseguinte, vale ressaltar o cuidado para que não haja 3. Dentre tantas qualidades importantes a serem lembradas, é possível
aglutinação de pessoas do discurso no mesmo texto e nenhum tipo de citar
alternância entre elas de nenhuma espécie. 4. Dos diversos motivos relevantes a serem lembrados, destacam-se
5. Dos inúmeros efeitos negativos causados por essa conduta, é possível
citar
10. Esquematização da Estrutura 6. Das inúmeras vantagens a serem observadas, é possível citar
7. Dentre tantos fatores relevantes, ressalta-se
Contextualização do 8. Entre tantos motivos relevantes, observa-se
1º Parágrafo tema. Tese. Conectivo + Introdução 9. De acordo com o problema mencionado
INTRODUÇÂO 1º Argumento + 2º (± 5 linhas) 10. Essa é uma questão que deve ser avaliada
Argumento.
Frase inicial + TÓPICO
FRASAL (retomar o 1º Expressões usadas no inicio do parágrafo de desenvolvimento:
argumento de uma 1. Vale ressaltar...
2º Parágrafo
forma diferenciada nas 2. É preciso frisar...
DESENVOLVIMENTO
palavras). Verbos de 3. É necessário lembrar...
Ação + exemplificação. 4. Cabe salientar...
Conectivo conclusivo + 5. É necessário frisar, por outro lado, que...
conclusão. Desenvolvimento 6. Ainda cabe analisar que...
Frase inicial + TÓPICO (±18 linhas) 7. Ainda convém lembrar que...
FRASAL (retomar o 2º 8. Pelo simples fato...
argumento de uma 9. Ademais...
3º Parágrafo
forma diferenciada nas 10. Nessas condições...
DESENVOLVIMENTO
palavras). Verbos de 11. Há de se considerar também que...
Ação + exemplificação. 12. Ao examinar algumas causas...
Conectivo conclusivo + 13. Outro fator indispensável...
conclusão. 14. Por outro lado...
Conectivo de Conclusão 15. Alem disso...
+ Retomada da tese de 16. Não obstante os aspectos positivos...
uma forma diferenciada
4º Parágrafo
nas palavras. Conectivo Conclusão Expressões usadas para iniciar a exemplificação nos parágrafos de
CONCLUSÃO GERAL
+ Sinterização de todas (± 5 linhas) desenvolvimento:
DO TEXTO
as ideias do texto.
Conectivo + desfecho Obs.: Verbos de ação elevam o padrão e elaboram melhor as marcas de
criativo (frase de efeito). autoria do autor do texto no momento de efetuar a exemplificação
enumerativa:
Caso haja possibilidade:
Verifica-se
- Ação interventiva Nota-se
- O agente; Constata-se
- O modo Observa-se
- Efeito –

(Redação) www.cursoprogressao.net 4
CURSO PROGRESSÃO

Prof.: TICIANE CORADINI


Aula: A argumentação e a Estruturação do texto dissertativo

Expressões usadas para finalizar os parágrafos de desenvolvimento: filósofo alemão.

1. Dessa forma “Eduquem as crianças e não será necessário castigar os


2. Portanto homens.” Pitágoras, filósofo e matemático grego.
3. Decorrente de tais considerações
4. Sendo assim “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” Cora
5. Por conseguinte Coralina, poetisa brasileira.

Expressões usadas no inicio do parágrafo de Conclusão: “O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem um perversidade
intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de
1. Diante disso desigualdade, de descaso.” Darcy Ribeiro, antropólogo e político
2. Desse modo brasileiro.
3. Em suma
4. Como se vê “O desenvolvimento humano só existirá se a sociedade civil afirmar cinco
5. Dessa forma pontos fundamentais: igualdade, diversidade, participação, solidariedade e
6. Portanto liberdade.” Betinho, sociólogo brasileiro.
7. Decorrente de tais considerações
8. Sendo assim “Os Estados não são agentes morais; as pessoas são.” Noam Chomsky,
9. Por conseguinte linguista e filósofo americano.

13. Parâmetros para correção


12. CITAÇÕES FILOSÓFICAS DE CUNHO POLITICO E
SOCIAL.

“Inteligência é a habilidade das espécies para viver em harmonia com o


1. TEMA (Valor – 30,0 pontos). É a colocação do título; a
meio ambiente.” Paul Atson, cofundador do Greenpeace. correta interpretação do tema central; capacidade de
reflexão; o não tangenciamento, desvio ou fuga parcial do
“Como seres humanos, estamos suscetíveis a confundir o sem precedentes tema; a estrutura dissertativa, com introdução,
com o improvável. Em nossa experiência cotidiana, se algo nunca ocorreu desenvolvimento e conclusão, em que não haja
antes, assumimos que não vai acontecer no futuro, mas as exceções podem características de relato puro, pela incidência recorrente
nos matar e a mudança climática é uma dessas exceções.” Al Gore, ex ou pela predominância de verbos no pretérito. Na
vice-presidente dos Estados Unidos e ecologista. introdução, a apresentação do assunto geral, o
direcionamento ou delimitação do tema e o
“Os direitos humanos são violados não só pelo terrorismo, a repressão, os
assassinatos, mas também pela existência de extrema pobreza e estruturas posicionamento do aluno, ou objetivo do trabalho; no
econômicas injustas, que originam as grandes desigualdades.” Papa desenvolvimento, a abordagem do tema, a apresentação
Francisco. de no mínimo duas ideias-força, o aprofundamento
necessário para alicerçar cada uma delas, a clara intenção
“Devemos promover a coragem onde há medo, promover o acordo onde persuasiva, o grau de conhecimento, maturidade e
existe conflito, e inspirar esperança onde há desespero.” Nelson Mandela, capacidade de abstração mental; na conclusão, a retomada
ex presidente da África do Sul. do tema, a ratificação do objetivo do trabalho e o fecho.
“A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o
mundo.” Nelson Mandela, ex presidente da África do Sul.

“A injustiça num lugar qualquer é uma ameaça à justiça em todo o lugar”. 2. LINGUAGEM. (P1) Adequação Vocabular (coerência,
Martin Luther King, ativista político. coesão textual, clareza, estruturação frasal, períodos
gramaticalmente íntegros, impessoais, sem prolixidade,
“Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a não utilização de pronome de tratamento "você", não
sociedade muda.” Paulo Freire, filósofo brasileiro. utilização de texto apelativo, verbos no imperativo,
aconselhamentos; utilização da norma culta da Língua,
“Um país não muda pela sua economia, sua política e nem mesmo sua
sem repetição viciosa, sem marcas de oralidade e/ou
ciência; muda sim pela sua cultura.” Betinho, sociólogo brasileiro.
gírias, não utilização de clichês). (P2) Apresentação (sem
“A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces.” rasuras, letra padrão da Língua, marginação, capricho).
Aristóteles, filósofo grego.
3. GRAMÁTICA. (P3) Fiel cumprimento das regras, de
“A menos que modifiquemos a nossa maneira de pensar, não seremos acordo com a norma culta. OBSERVAÇÕES
capazes de resolver os problemas causados pela forma como nos RELATIVAS AOS ITENS 2) LINGUAGEM E 3)
acostumamos a ver o mundo.” Albert Einstein, físico alemão. GRAMÁTICA: - a penalização será de 3,0 (três) pontos
por erro; - a penalização máxima atribuída à soma dos
“A ciência nunca resolve um problema sem criar pelo menos outros dez”.
erros será de 70,0 (setenta) pontos; - as penalizações serão
George Bernard Shaw, dramaturgo e jornalista irlandês.
assinaladas por linha, sendo que os erros no título serão
“A dúvida é o princípio da sabedoria.” Aristóteles, filósofo grego. assinalados na linha “0” (zero); - erros de Gramática que
infrinjam a mesma regra gramatical, em situações
“O ser humano é aquilo que a educação faz dele.” Immanuel Kant, idênticas, serão penalizados apenas uma vez.

(Redação) www.cursoprogressao.net 5
CURSO PROGRESSÃO

Prof.: TICIANE CORADINI


Aula: A argumentação e a Estruturação do texto dissertativo

4. QUANTIDADE DE LINHAS. (P4) PENALIZAÇÃO


EM FUNÇÃO DA QUANTIDADE DE LINHAS. A
redação deverá conter entre 25 e 30 linhas, inclusive, para
não ser penalizada. A Redação que apresentar um número
de linhas inferior a 17 e superior a 38 receberá a nota 0,0
(zero vírgula zero). A Redação com número de linhas
inferior a 25 ou superior a 30 será penalizada conforme a
tabela a seguir. Quantidade de linhas 17 ou 38 18 ou 37
19 ou 36 20 ou 35 21 ou 34 22 ou 33 23 ou 32 24 ou 31
Penalização 8,0 7,0 6,0 5,0 4,0 3,0 2,0 1,0.

5. CONDIÇÃO PARA GRAU ZERO Será atribuída a nota


0,0 (zero vírgula zero) à redação que apresentar: - fuga
total do tema; - modalidade diferente da proposta; - texto
ilegível; - linguagem ou texto incompreensível; - texto em
poesia; - texto com menos de 17 ou mais de 38 linhas.

6. CONDIÇÃO PARA ELIMINAÇÃO A correção da


redação é realizada se utilizando de um processo de
mascaramento da identificação do candidato. A
identificação da redação, pelo nome, número de inscrição
ou qualquer outro tipo de sinal, intencional ou não, que
possibilite a identificação do candidato pela banca de
correção, implicará na eliminação do candidato.

(Redação) www.cursoprogressao.net 6

Você também pode gostar