Você está na página 1de 9

RELATÓRIO NÚMERO 7

CONSTRUÇÃO E LANÇAMENTO DE FOGUETES DE GARRAFA


PET

COLÉGIO DE APLICAÇÃO – UFPE

BOLSISTA: DANILO LUNA CAMPOS

EMAIL: KLYKC@HOTMAIL.COM

PROCESSO DE ICJ: 115673/2013-0

TUTORA: MARTA BIBIANO

COORDENADOR DO PROJETO APROVADO: DR. JOÃO BATISTA GARCIA


CANALLE

E-MAIL DO COORDENADOR DO PROJETO: JOAOCANALLE@GMAIL.COM

INSTITUIÇÃO EXECUTORA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE


JANEIRO - UERJ

TÍTULO DA FEIRA DE CIÊNCIA OU MOSTRA CIENTÍFICA: VI MOSTRA


BRASILEIRA DE FOGUETES

NÚMERO PROCESSO NO CNPQ: 552.952/2011-7

ABRANGÊNCIA: NACIONAL.

RECIFE, 30 DE NOVEMBRO DE 2013


No mês de novembro, procurou-se ultrapassar as marcas dos
lançamentos de outubro, em busca de alcances superiores a 300 metros. Para
isso, eu fiz novos voos, e com novos foguetes, em busca de uma melhor
performance. Além disso, pensando na resistência do ar, comecei a fazer
lançamentos com foguetes de garrafas de 1 litro neste mês, pois elas possuem
uma área menor para sofrer resistência quando comparadas com as garrafas
de 2 litros.
Neste mês, eu consegui corrigi alguns erros que surgiram no mês
anterior, como um problema na presilha do gatilho que fazia com que o foguete
fosse lançado espontaneamente. Também foi possível melhorar a vedação,
comprei novas fitas veda-rosca, novas bexigas e coloquei-as de uma forma
mais presa no cano, mas infelizmente essa vedação neste mês só funcionou
até as 70 libras, depois que o foguete ultrapassava essa pressão ele voltava a
vazar. Sendo assim, eu consegui fazer bonitos voos em que o foguete
conseguia voar retamente, mas não consegui bons alcances devido à baixa
pressão atingida.
O maior alcance atingido em novembro foi o de 90 metros com uma
pressão de 70 libras, e o maior alcance atingido durante a bolsa de iniciação
científica foi o de setembro, com um voo de 118 metros e uma pressão de 100
libras.
Com o problema do vazamento, eu não fui capaz de definir se realmente
o foguete de 1 litro consegue fazer lançamentos mais longos do que os
foguetes de 2 litros, já que eu não atingi a pressão de 100 libras nele.
Entretanto, eles se demonstram mais eficientes, pois pensando na equação de
Clayperon: PV = nRT, é possível perceber que utilizando metade da
quantidade de vinagre e bicarbonato de sódio no foguete de 1 litro é possível
atingir a mesma pressão que 100% de vinagre e bicarbonato de sódio causaria
em um foguete de 2 litros, já que o volume é reduzido em 50%.
Ao longo deste relatório eu coloquei novamente a descrição de como eu
produzi os foguetes de 2 litros, a base e acrescentei a produção do foguete de
1 litro. No final deste relatório eu coloquei fotos dos lançamentos deste mês
(novembro), e o vídeo do lançamento que alcançou 90 metros.
.

1. Descrição dos Foguetes e Plataforma utilizados.

Na elaboração dos foguetes, seguiu-se o padrão sugerido pela organização


da MOBFOG. Foram utilizadas três garrafas PET (2 litros e sem “cintura”), das
quais duas foram cortadas para constituírem o bico e a saia do foguete (foto 1).
A terceira garrafa formava a parte inferior do corpo do foguete, o local onde é
armazenado o combustível (foto 2). Para a junção das três partes, foi utilizada
fita adesiva.
Foto 1

Foto 2

O bico do foguete possui cerca de 20 cm. O corpo e a saia juntos somam 30


cm. O comprimento total do veículo apresenta cerca de 50 cm.

O “peso” posto no bico foi de aproximadamente 100 g. Optou-se pela


utilização de massa de modelar. Para a fixação, escolheu-se o uso de cola
instantânea.

4 aletas foram colocadas no foguete e o ângulo entre cada uma delas era
de aproximadamente 90º. Para que houvesse maior durabilidade, preferiu-se o
uso de plástico de pastas escolares. Foram fixadas ao foguete com fita
adesiva.
Para a ponta frontal do foguete, preferiu-se a fixação do tradicional lacre da
garrafa PET.

Na construção da plataforma, foram utilizados 12 pedaços de canos de 32


mm PVC, cada um com 15 cm; 2 pedaços de canos de 32 mm PVC, cada um
com 10 cm; 1 pedaço de cano de 32 mm PVC com 30 cm; 2 pedaços de cano
de 25 mm PVC, com 20 cm; 1 pedaço de cano de 20 mm PVC, com 25 cm; 4
T’s de 32 mm; 1 T de 25 mm; 1 luva de 32 mm, 1 luva de cano para esgoto de
40 mm; 2 luvas de ¾ de polegada; 2 joelhos para cano de 25 mm; 2 T’s para
cano de 25 mm; 1 registro (adaptado para cano de 25 mm); 1 cruzeta de 25
mm; 1 manômetro; lacres de vedação; fita isolante; fita veda rosca;
adaptadores para variadas medidas de canos; 1 garrafa tipo “caçulinha”; 1
caps; 5 metros de fio de nylon; 1 presilha; 2 anéis de borracha; 1 válvula de
pneu; pequenos pedaços de canos auxiliares.

Na parte inferior da base, foi montada uma estrutura de apoio com canos
de 15 cm, joelhos, luva e T’s (foto 3). Nela foi projetado um sistema de escape
para casos de emergência. Também é possível a colocação de materiais que
proporcionem maior peso à base entre o espaço interior não preenchido dos
canos.

Foto 3

Saindo em angulação de 90 graus da parte inferior da base, existe o braço


de sustentação: um pedaço de cano de 32 mm PVC com 30 cm que sustenta
o braço superior de lançamento do foguete (foto 4). Dentro dele, temos outro
cano PVC de 20 cm (25 mm). Ele pode ser ajustado internamente ao cano de
32 mm conforme a angulação desejada para o lançamento. Constituindo a
parte superior do braço de sustentação, temos 1 T de 25 mm, 2 joelhos de 25
mm e canos auxiliares. Esta estrutura superior serve para que o braço de
lançamento tenha uma maior área de apoio.

Foto 4

O braço de lançamento projeta-se diagonalmente à parte inferior da base,


com uma angulação de 45 graus (foto 5). Ele forma a “zona de pressão” da
base, que será aproveitada para dar maior impulso ao lançamento. Um T
(fixado também na parte inferior da base) promove a regulação da angulação
de todo o braço (juntamente com o braço de sustentação). Dele sai um
pequeno cano auxiliar que se liga ao registro. Do registro temos outro pequeno
cano auxiliar que faz a ligação com a cruzeta. Lateralmente a esta última,
temos fixadas 2 luvas de ¾ de polegada. Uma sustenta o caps e a válvula de
pneu (há a opção da utilização de ar comprimido) e a outra a garrafa
“caçulinha”, onde é posto o bicarbonato de sódio que age na reação.
Foto 5

Seguindo na parte frontal da cruzeta, temos outro pequeno cano auxiliar e o


outro “T” para cano de 25 mm. Este sustenta o manômetro e seus canos
adaptadores. Passando o “T” do manômetro, temos 1 pedaço de cano com 20
cm (de 25 mm). Preso a ele pela presilha e a fita isolante, lacres de vedação,
que ficam envoltos na luva de cano para esgoto de 40 mm (constitui o gatilho
juntamente com o fio de naylon). Acima do último cano mencionado, outro cano
auxiliar que faz a ligação com o pedaço de cano de 25 cm e 20 mm. Neste há
reforço da fita veda rosca e dos anéis de borracha, que promovem a vedação
do foguete juntamente com os lacres de vedação e a luva de 40 mm para cano
de esgoto.

Para a acoplagem do foguete na base, o braço de lançamento forma um


ângulo de 30 graus com a linha do chão, no lado oposto ao do braço de
sustentação. Nesse momento, coloca-se a garrafa “caçulinha” já com o
bicarbonato na luva de ¾ (rosca). Após colocação do bicarbonato, acopla-se o
foguete com o vinagre em seu interior. Verifica-se a sua correta vedação pela
fita veda rosca e os anéis de borracha, fecham-se os lacres (juntamente com a
luva de 40 mm), põe-se o braço de lançamento em sua correta posição
novamente (sustentado pelo braço de sustentação) e aguarda-se até que a
reação atinja uma pressão de 100 libras para o acionamento do gatilho e o
lançamento do foguete.

Caso haja falhas, o escape é liberado pelo registro.

2. Medidas de bicarbonato de sódio e vinagre para foguetes de 2 litros.

Estequiometricamente foi possível perceber que se deve colocar


aproximadamente 80 gramas de bicarbonato de sódio para cada 500 ml de
vinagre (essa proporção varia com a concentração de ácido acético).
Empiricamente (observando o voo do foguete, o modo no qual ele subia, e em
qual posição ele caía) foi possível perceber que o peso ideal de um foguete de
garrafa PET de 2 litros é de cerca de 800 gramas. Portanto, utilizando a
proporção estequiométrica, usou-se aproximadamente 100 gramas de
bicarbonato de sódio, 600 gramas de vinagre e 100 gramas era o peso do
foguete com a massa de modelar no bico.

3. Produção do foguete de garrafa PET de 1 litro e as medidas de


bicarbonato de sódio e vinagre

A produção dos foguetes de 1 litro é bem parecida com a criação dos


foguetes de dois litros. É necessário utilizar 2 garrafas, 4 aletas são colocadas
(com tamanhos menores que os das aletas dos foguetes de 2 litros), usa-se a
fita durex para prender os foguetes e as aletas.
O peso utilizado na ponta do foguete possuía uma massa de
aproximadamente 30 gramas.

Foto do foguete de 1 litro.


Aleta com aproximadamente 3,4 cm de comprimento.

Aleta com aproximadamente 2 cm de altura.

Utilizou-se aproximadamente 350 ml de vinagre e 90 gramas de


bicarbonato de sódio no voo de foguetes de 1 litro.

4. Lançamentos de novembro.

Vídeo do voo de 90 metros:


http://www.youtube.com/watch?v=nc7aqQy08pw&feature=youtu.be

Fotos no dia dos lançamentos:

Foto 1
Foto 2

Foto 3

Foto 4

Você também pode gostar