Você está na página 1de 3

Marketing Pessoal

Todo bom produto precisa de uma boa embalagem e divulgação, pois sem isso ele é apenas mais
um produto, nada mais do que isso. O marketing pessoal é uma importante ferramenta para a sua
carreira, mas na verdade existem alguns aspectos que devemos levar em consideração na hora de
executá-lo para não cair no ridículo e a magia não virar contra o feiticeiro.
Acredite nas máximas: “imagem é tudo!” e “a primeira impressão é a que fica.” Para o bem
ou para o mal tenha a certeza que são frases que estão embutidas nas cabeças das pessoas e
cada de um de nós precisa aprender a conviver com essa realidade no mundo corporativo. A
questão não é só ser competente, mas também parecer competente. Cuidados com o tom da voz,
a hora certa de falar em uma reunião e até mesmo um aperto de mão firme na hora do
cumprimento são pequenos grandes detalhes que fazem a diferença no resultado final. Para deixar
uma primeira impressão positiva todo cuidado é pouco, especialmente em caso de pessoas,
clientes, parceiros ou fornecedores importantes que não convivem com você no dia-a-dia e não
têm a possibilidade de conhecê-lo melhor. Mudar uma má imagem criada é sempre uma tarefa
difícil e complicada. Procure sempre ter uma atitude positiva em relação ao seu trabalho e colegas,
nada de ser aquela pessoa pessimista e desmancha prazer em novas ações e idéias. Não
confunda ser realista com ser pessimista. Uma coisa é mostrar por A+B que um projeto não é
viável, outra coisa é torcer contra sem qualquer argumento.
Coloque vontade, garra e disposição em suas ações. Tem de fazer mesmo, não tem? Então faça
bem feito! Nada pior do que trabalhar com alguém que não agrega valor à equipe e ainda
desestimula seus pares. Manter o bom astral e humor sempre ajuda na realização de objetivos e
nos relacionamentos. É muito comum profissionais confundirem autoconfiança com arrogância ou
objetividade com grosseria. Respeito ao próximo independente do nível hierárquico, ser educado e
gentil são qualidades imprescindíveis e que nunca podem ser esquecidas.
Dê atenção a todos. É incrível o que as pessoas que estão na base da pirâmide organizacional
podem ajudar na sua carreira. Cargos como secretárias, recepcionistas, porteiros, pessoas da
limpeza, auxiliares de produção e de escritório, empregados domésticos, entre outros, fazem
maravilhas quando bem tratados, quando sentem que são importantes e úteis na empresa ou na
sua casa.
Claudete começou trabalhando em minha casa como empregada doméstica e hoje é secretária do
lar. A dedicação, atenção e carinho com que ela trata a mim, esposa e filhos é algo fora do comum.
Sempre de bom humor, um sorriso no rosto e principalmente disposição em aprender são suas
qualidades mais marcantes. Notei que ela poderia ser muito mais do que uma empregada
doméstica e comecei lentamente a dar novas atribuições, como deixar atender o telefone. Antes, é
claro, contratei uma professora de português que deu aulas particulares em minha casa no horário
de trabalho. Ela voltou a estudar, já concluiu o primeiro grau e está terminando o segundo. Ao
mesmo tempo fez curso de computação e noções básicas de informática. Sempre esforçada ela ia
de acordo com seu ritmo de aprendizado evoluindo dia após dia. Para encurtar a história, hoje ela
atende o telefone, anota recados, resolve pequenos problemas ligados a eventos e sabe enviar
mensagens por e-mail quando estou em viagem. Fico feliz da vida quando recebo um e-mail dela.
É claro que à medida que ela ia recebendo novas atribuições eu procurava maneiras de segurar
esse talento dentro de minha casa. Pessoas de confiança e competentes para cuidar do nosso lar
não são fáceis de encontrar. Logo decidi registrá-la como funcionária da minha empresa, assim ela
tem todos os direitos previstos na lei. Além disso, ela tem benefícios como 14° salário, plano de
saúde e previdência privada. Tudo conquistado pelo seu esforço e dedicação. Nada veio de graça
ou por simples simpatia. E ainda por cima a bendita Claudete faz networking com a vizinhança,
trocando receitas, levando ou recebendo bolos ou tortas de uma ou de outra pessoa. Ela é toda
competência e marketing e nem sabe disso direito. Ela é simplesmente fantástica!
No marketing pessoal, o produto é você. Mas não se esqueça de que é um produto com
particularidades especiais e que possui sentimentos e emoções. Não fique levando ao pé da letra o
que diz e ensina o marketing organizacional e cuidado com o excesso de exposição. Desista de
querer ser bom em tudo, participar de todos os projetos e associações de classe. Preocupe-se em
participar de projetos que agreguem valores à sua carreira e naqueles em que possa ser
verdadeiramente útil e prestativo. Seja ético e idôneo nas suas ações. Honestidade e caráter não
devem ser ações de marketing, mas sim componentes da sua personalidade. Não vejo orgulho

1
nenhum em se declarar honesto e uma pessoa confiável, isso é o básico e não deveria ser um
diferencial. Algumas técnicas do marketing podem e devem ser usadas de forma adaptada como,
por exemplo, a pesquisa de mercado pode ser substituída por sessões de feedback e ainda você
pode fazer artigos para o jornal da sua empresa e se for o caso atuar como mentor para
profissionais que estejam em cargos menores do que o seu.
Cuidado com os famosos blogs na Internet. Caso não tenha algo de útil a dizer e não tenha tempo
para atualizar é melhor nem ter. A questão é sempre estar atento a que tipo de mensagem, postura
profissional e pessoal você está transmitindo. Sendo ainda mais específico aprenda a gerir a sua
marca. Reflita e pergunte sempre:
• Que tipo de sensações as pessoas têm quando lembram do meu nome?
• Sou o tipo de pessoa que ilumina o ambiente?
• Meus superiores e colegas freqüentemente me convidam para opinar e participar de
assuntos importantes?
Desculpe o jargão, mas em se tratando de marketing pessoal sempre queira ser uma Brastemp.
Cuide do seu visual. Suas roupas, acessórios, corte de cabelo, maneira de olhar e interpelar os
outros e principalmente o seu estilo depõem contra ou ao seu favor. O discurso politicamente
correto seria dizer que o importante é quem realmente a pessoa é de fato e não a maneira com se
veste. Discurso bonito, mas pouco prático. No longínquo ano de 1991 o antigo Lloyd´s Bank, hoje
Lloyds TSB, banco inglês de enorme tradição, promoveu seu programa trainee. No processo
seletivo foram analisados currículos de alunos por todo o estado do Paraná e três alunos da
Universidade Estadual de Londrina foram escolhidos. Este humilde escritor que vos escreve estava
entre eles. A etapa de entrevistas e dinâmicas ocorreu em Curitiba e foi uma grande lição pessoal.
Imagine a cena, mas tente não rir, por favor: Londrina uma cidade quente, tipicamente paulista
localizada no norte do Paraná. Curitiba uma cidade de clima moderado, capital do Estado e uma
cidade ligada a aspectos como tradição e formalidade. Chegamos à lindíssima sede do banco, no
centro da cidade e lá entramos de calça jeans, sapatos esportivos e camisa social. Na hora que
olhei os outros candidatos principalmente os de Curitiba, todos estavam, sem exceção, de terno e
gravata. Os entrevistadores nos olhavam de uma forma diferente e participamos durante todo o dia
do processo seletivo. Nenhum de nós foi aprovado e nada me tira da cabeça que ao chegar com
aquelas roupas, digamos, despojadas, fomos praticamente eliminados ali mesmo, sem mais
delongas.
Tenha muito cuidado com os trajes que veste ao visitar clientes, fornecedores e eventos da
empresa e procure aprender, no mínimo, pequenas noções de etiqueta. Para as mulheres os
cuidados são redobrados, pois são muitas as opções e muitas exageram nos decotes,
cumprimentos de saias e roupas justas demais. A aparência é fundamental para aumentar a auto-
estima, autoconfiança e ter uma auto-imagem positiva de si mesmo e o contrário também é
verdadeiro, fazendo com que a pessoa se sinta diminuída e fora do ambiente.
Não julgue e fale mal dos outros. Esporte nacional preferido de dez em cada onze pessoas, a
prática de julgar e falar mal dos outros é tão antiga quanto a história de Adão e Eva. Jogue a
primeira pedra quem nunca queimou a língua ou soltou um veneninho sobre alguém de vez em
quando. Tudo bem! Você é um ser humano e tem todo o direito de errar, mas insistir no erro é uma
tremenda burrice. Sempre lemos sobre ter disciplina em nossas ações, cumprir o prometido, cuidar
com o que falamos e como soamos as palavras. Que tal então praticar a disciplina verbal? Evite a
todo custo, por mais que doa, falar mal de amigos, chefes ou ex-chefes, empresa que trabalhou ou
trabalha. Quando tiver algo sério para falar diga ao maior interessado e, se a empresa como um
todo tiver um comportamento que para você não serve, seja ágil e procure um novo emprego.
Segurar a língua pode evitar grandes problemas no futuro, pois o mundo dá voltas e quem garante
que daqui a algum tempo você não pode precisar da pessoa ou empresa que difamou no passado.
Ninguém gosta de confiar segredos ou informações privilegiadas a pessoas que não são confiáveis
ou que tenham fama de serem um pouco mais faladoras. A língua, em minha opinião, é um dos
principais órgãos do corpo, não pelo aspecto fisiológico, mas sim pelo aspecto psicológico que
pode causar.
Preste atenção no marketing dos outros. O benchmark pode e deve ser usado no marketing
pessoal. Por que será que aquele colega de trabalho sempre é cotado para promoções e é sempre
bem visto por chefes e colegas? Com certeza, ele tem algo de especial, que não deve ser imitado,
mas estudado. É importante observar como as características de tal pessoa podem ser aplicadas

2
na sua vida e adequadas à sua personalidade. Ao mesmo tempo é preciso ter muita atenção e não
perder a sua autenticidade e acabar descaracterizando o seu jeito de ser. Aproveite os exercícios
que fez no começo do livro e relembre quais são os seus pontos fortes. São eles que fortalecerão a
sua marca pessoal e farão com que sua imagem cresça no ambiente corporativo. Aprenda com os
outros e descubra o que é considerado importante de acordo com a cultura, missão, visão e
políticas da empresa. Leia livros de autobiografia, eles são sempre inspiradores e nos ajudam a ter
boas idéias. Da mesma forma que o bom marketing deve ser aprendido e aplicado, o exemplo de
maus marqueteiros devem sempre ser levados em consideração e seus atos utilizados como
exemplos do que não fazer, principalmente em ocasiões sociais, almoços ou jantares de negócios
e encontros com grandes lideranças da empresa.
É muito comum notar nas pessoas que sabem usar o marketing que elas usam o carisma que tem,
mas que também utilizam técnicas bastante simples. Veja abaixo algumas delas:
• As palavrinhas mágicas: “por favor, com licença, muito obrigado e desculpa” são usadas
sempre com muita propriedade.
• Estão sempre atualizados em relação aos fatos do mundo, do país e da empresa.
• Trazem resultados para a empresa. Sabem que não basta parecer, tem que ser o que
parecem.
• Demonstram autoconfiança e controle emocional.
• Tem uma legítima preocupação para com os outros, sejam clientes, colegas de trabalho ou
comunidade. Tem interesse em descobrir como agregar valor ao negócio. Criam
oportunidades.
• Sabem lidar com sentimentos de angústia e frustrações.
• Cuidam do linguajar, gestos e uso da voz. São normalmente elegantes em seus atos e não
cometem exageros em relação a alimentos e bebidas nos eventos sociais ou da empresa.
• Cuidam de aspectos básicos, mas que fazem a diferença como higiene pessoal,
pontualidade, bom uso do telefone celular e do e-mail.
• Retornam as ligações e recados que recebem e evitam deixar assuntos pendentes ou
pessoas sem respostas.
• Cumprem o que foi decidido. São pessoas muito confiáveis e não mudam as regras do
jogo a todo instante.
• Valorizam e cuidam com muito cuidado de seu nome e imagem dentro e fora da empresa.
Sabem que integridade e caráter são seus maiores patrimônios e que definem, em muito,
seu sucesso e ascensão profissional.
Perceba amigo, que não há nada de outro mundo ou algo difícil de fazer. Basta incorporar ao seu
estilo pequenos hábitos e ter disciplina que logo, logo você vai colher bons frutos com seu
marketing pessoal.
Um aspecto muito importante do marketing pessoal e, que vamos ver com um pouco mais de
atenção, é como criar e gerir sua rede de relacionamentos, ou o famoso networking.