Você está na página 1de 6

A RTIGO ORIGINAL

Manual de orientações de terapia ocupacional quanto à proteção


articular para pacientes com artrite reumatóide
Occupational therapy orientation manual for the use of articulate protection by patients with
rheumatoid arthritis
Maysa Alahmar Bianchin1, Graziella Andressa da Silva Paula2, Mariana Penaquio Carvalho3, Roberto Acayaba4, Regina Chueire5

Data de recebimento: 07/06/2009 Resumo lução do tratamento de Terapia Ocupa-


Data da aprovação: 15/01/2010 cional, na maior colaboração nos demais
Artrite reumatóide é uma das doen-
tratamentos, no aumento da qualidade de
ças crônicas mais comumente relatadas
vida e da auto-estima destes pacientes.
pela reumatologia. Sendo considerada
de caráter sistêmico e progressivo, a
Palavras-Chave: Artrite reumatói-
principal manifestação é a inflamação
de, Terapia ocupacional, Qualidade de
articular que causa dor e fadiga na qual
vida
se relacionam muito às dificuldades fun-
cionais, comportamentais, sociais e na
Abstract
execução das atividades de vida diária,
de trabalho e de lazer. Nesse caso, a in- Rheumatoids arthritis is one of the
tervenção da Terapia Ocupacional é de most reported chronic diseases by Rheu-
extrema importância, pois intervém na matology. Considering its systemic and
manutenção ou aumento da capacida- progressive character, the main mani-
de de realizar as atividades cotidianas festation of this disease is the articulate
e aplicar a técnica de proteção articular inflammation, which causes pain and
que é um conjunto de atitudes que de- fatigue, most related to functional, beha-
vem ser ensinadas ao paciente para pou- vioural and social difficulties, and to ac-
par suas articulações de cargas lesivas e complishes like daily activities, working
desnecessárias, reduzindo a tensão e dor and leisure. In this case, Occupational
nas articulações envolvidas. Baseando- Therapy intervention is extremely im-
se nesses fatos, surgiu a idéia da elabo- portant, as it interferes in the mainte-
ração de um manual de orientações para nance or increase in capability of daily
pacientes portadores de artrite reumatói- activities accomplishment and applies
1. Professora Adjunta do Departamento de
Ciências Neurológicas da Faculdade de Me- de, contendo dados sobre a doença, tra- the articulate protection thecnique, whi-
dicina de São José do Rio Preto, Terapeuta tamento e exemplos ilustrativos através ch is a group of attitudes that must be
Ocupacional. Doutora em Neurociência e de fotos, indicando as maneiras corretas taught to the patient in order to save his
Comportamento da Universidade Federal de e incorretas de proteger as articulações articulations from hurtful and unneces-
São Paulo - USP
e com isso diminuir a dor e facilitar a sary charges, reducing strain and pain in
2. Terapeuta Ocupacional supervisora res-
ponsável pelo Serviço de Reumatologia do realização das atividades cotidianas. involved articulations. Based on these
Hospital de Base de São José do Rio Preto Esse manual foi desenvolvido a partir facts, the idea of elaborating an orien-
– FUNFARME de orientações dadas nos atendimentos tation manual for patients with rheuma-
3. Aprimoranda de Terapia Ocupacional do grupais que acontecem semanalmente toids arthritis, containing information
Ambulatório do Hospital de Base de São
José do Rio Preto.
no ambulatório do Hospital de Base, e about the disease, treatments and illus-
4. Médico responsável pelo Serviço de será oferecido gratuitamente aos pacien- trative examples by using pictures to
Reumatologia do Hospital de Base de São tes portadores de artrite reumatóide que point correct and incorrect ways to pro-
José do Rio Preto. frequentam esse grupo. Espera-se que a tect articulations, in order to reduce the
5. Médica fisiatra, professora assistente do implantação desse manual de orienta- pain and facilitate the accomplishment
departamento de ortopedia/ traumatologia
da faculdade de medicina de São José do ções facilitará ao paciente uma melhor of daily activities, came up. This manual
Rio Preto. Coordenadora do ambulatório de compreensão da doença e das técnicas was developed through orientations gi-
toxina botulínica. de proteção articular, ajudando na evo- ven by groups attendance, which takes

Med Reabil 2010; 29(1); 23-8 23


Bianchin MA, Paula GAS, Carvalho MP, Acayaba R, Chueire R

place in “Hospital de Base” weekly and manual, patients will better understand the increase of patient´s life quality and
that will be offered gratuitously for pa- their disease and the articulate protec- self-esteem.
tients with rheumatoids arthritis who at- tion techniques, helping in the evolution
tend to these groups. It´s expected that, of Occupacional Therapy treatment, Key-words: Arthritis, rheumatoid;
with the implantation of this orientation collaborating in other treatments and in Occupational therapy; Quality of life

Introdução cânico(3). Consequentemente as articu- ensinadas e treinadas com o paciente


lações instáveis não mantêm as forças para poupar suas articulações das car-
Artrite reumatóide é uma doença
atuantes para a estabilização durante os gas lesivas e desnecessárias, reduzindo a
sistêmica crônica, de caráter inflamató-
movimentos prejudicando suas funções tensão e dor nas articulações envolvidas
rio, que afeta principalmente os tecidos
normais como as de pinça e preenção, e, consequentemente, auxiliar na redu-
sinoviais de revestimento articular e
com isso as articulações deformam em ção da inflamação e preservar a integri-
tendinoso(1-10). Sua etiologia permanece
sentidos patológicos provocando a su- dade das estruturas articulares(1,2,3,14).
desconhecida, tendo indícios de ser uma
bluxação ou até luxação(3). Normalmente, os pacientes com ar-
doença auto-imune(1,2,3,4,8,11). Acomete
O processo destrutivo observado na trite reumatóide costumam ter labilidade
ambos os sexos e pode ocorrer em qual-
doença pode resultar em deficiência de emocional, e tendem ao desânimo e à de-
quer idade3, afetando assim 1% da po-
tendões, músculos e nervos levando a pressão devido sua dor e da fadiga, pre-
pulação mundial, o que a torna um sério
deformidades articulares, e consequen- judicando a colaboração no tratamento(1).
problema de saúde pública, com graves
temente, em uma diminuição funcional Nesse sentido, é importante a organiza-
consequências clínicas, psíquicas, so-
nas atividades de vida diária, trabalho e ção de reuniões em grupos educativos
ciais e econômicas(4,5,9,12).
lazer(1,3,9,10,14). com conteúdo programático e período
Segundo Rodrigues et al (2005), o
Dentre as profissões da área da saú- de tempo pré-determinados, nas quais,
diagnóstico é baseado em sete critérios,
de, a Terapia Ocupacional é de grande o terapeuta ocupacional pode elucidá-
elaborados pelo Colégio Americano de
importância no tratamento da artrite reu- los quanto, aos objetivos do tratamento,
Reumatologia4, que incluem os aspectos
matóide, pois auxilia o indivíduo a recu- o que pode ser conseguido em termos de
clínicos mais característicos da doen-
perar, desenvolver e construir habilida- melhora funcional, como proteger suas
ça: (1) rigidez matinal por mais de uma
des que são importantes para sua inde- articulações e como conservar energia,
hora; (2) sinais de artrite em três ou mais
pendência funcional, saúde, segurança e diminuindo a dor e a fadiga(1,3,7). Em gru-
articulações; (3) sinais de artrite nas pe-
interação social(15), tornando-se centrada po, o paciente conhece melhor a doença
quenas articulações da mão e punho; (4)
nas atividades de vida diária, trabalho e e pode trocar experiências melhorando a
artrite e edema simétricos; (5) nódulos
lazer, potencialmente prejudicadas em auto-estima e a qualidade de vida(1,3).
reumatóide subcutâneos; (6) presença
decorrência de processos que interferem O objetivo de realizar esse trabalho
do fator reumatóide sérico; (7) osteope-
na funcionalidade dos indivíduos(5,15). foi à necessidade de elaborar um manual
nia ou erosão periarticular demonstradas
Dessa maneira, além dos programas de orientações de proteção articular para
radiologicamente nas mãos e punhos.
de educação em saúde, quanto às orien- pacientes com de artrite reumatóide. De-
Para a confirmação do diagnóstico, o pa-
tações de proteção articular, treino de senvolvido com a finalidade de oferecer
ciente deve apresentar no mínimo quatro
habilidades para performance nas ativi- a esses pacientes um material ilustrativo
desses sete critérios(3,6).
dades de vida diária, manejo da fadiga, com orientações dadas durante os aten-
Sua característica clínica mais evi-
aumento do conhecimento sobre a doen- dimentos grupais, e assim, ressaltar uma
dente é a sinovite, que se caracteriza
ça e os melhores métodos para lidar com melhor compreensão da doença e das
pela inflamação do tecido sinovial, loca-
os efeitos físicos, psicológicos e funcio- técnicas de proteção articular, auxiliar
lizado ao redor das articulações, que tem
nais, a Terapia Ocupacional intervém na prática cotidiana, favorecer um me-
como função de lubrificar a articulação.
através de técnicas cinésioterápicas, que lhor desempenho nas atividades rotinei-
Quando ocorre a sinovite, há uma des-
incluem manutenção ou aumento da for- ras, diminuir a dor e a sobrecarga nas
truição destas estruturas não realizando
ça e mobilidade articular, e prevenção, articulações acometidas e com isso pro-
mais sua função normal que é a prote-
correção ou minimização dos efeitos das teger as que estão saudáveis, reduzir a
ção(1,3,6). Assim, se desenvolve um duelo
tensão e dor nas articulações envolvidas
entre a doença e o organismo, resultando deformidades(1,15). Essa abordagem pode
e, consequentemente, auxiliar na redu-
em violenta reação inflamatória articu- ser individual ou em grupo, aliada ao
ção da inflamação e preservar a integri-
lar que se caracteriza por calor, edema acompanhamento médico e dos demais
dade das estruturas articulares.
e dor(1,3,6,7,13). profissionais da área da saúde(14).
Quando a sinovite não é contida, as O terapeuta ocupacional é um profis-
sional habilitado a aplicar a técnica de
Material e Métodos
estruturas capsuloligamentares vão se
afrouxando, tornando o problema não proteção articular, que se define como Este manual foi elaborado pelo ser-
apenas bioquímico, mas, também me- um conjunto de atitudes que devem ser viço de Terapia Ocupacional e contém:

24 Med Reabil 2010; 29(1); 23-8


Manual de orientações de terapia ocupacional quanto à proteção articular para pacientes com artrite reumatóide

Uma breve explicação com linguagem Hospital de Base de São José do Rio uma panela, carregar uma bolsa, segurar
simplificada como definição causa, si- Preto/SP, consistindo no segundo maior uma tigela para mexer o alimento; além
nais e sintomas, diagnóstico e tratamento centro de atendimento de saúde do esta- de mudanças de posturas, como levantar
da artrite reumatóide; um breve resumo do de São Paulo abrangendo uma região de uma cadeira e pegar objetos pesados.
sobre a intervenção da Terapia Ocupa- de 131 municípios no Estado e que devi- Este manual de orientações será
cional na artrite reumatóide; objetivos da do à localização Geo-política estratégi- oferecido gratuitamente aos pacientes
técnica de proteção articular e, exemplos ca, atende também uma clientela de 460 portadores de artrite reumatóide que
ilustrativos através de fotos indicando as municípios de 17 outros estados do país. frequentam os atendimentos grupais
maneiras erradas e ressaltando as formas Após autorização dos pacientes as do serviço de Terapia Ocupacional do
adequadas de utilizar as articulações. fotos foram tiradas demonstrando a ambulatório do Hospital de Base, que
O presente trabalho foi desenvolvi- maneira correta e incorreta de manuse- acontecem semanalmente com duração
do nas dependências do ambulatório do ar objetos, como abrir um pote, segurar de uma hora.

CERTO ERRADO

Use a palma da mão para abrir tampas e potes Não utilize os dedos

Utilizar as duas mãos para segurar Nunca utilizar uma única mão. Objeto pesado.

Apoiar no braço e na cintura Não segura com os dedos

Med Reabil 2010; 29(1); 23-8 25


Bianchin MA, Paula GAS, Carvalho MP, Acayaba R, Chueire R

CERTO ERRADO

Carregar braço no ombro Não segurar com a mão

Utilizar as duas mãos para segurar objetos pesados Nunca utilize em uma única mão

Segura copos com a palma das mãos Nunca segurar com os dedos

Utilizar a palma das mãos Evitar de usar somente os dedos

26 Med Reabil 2010; 29(1); 23-8


Manual de orientações de terapia ocupacional quanto à proteção articular para pacientes com artrite reumatóide

CERTO ERRADO

Torcer a roupa utilizando a torneira Evitar de usar somente as mãos

Utilizar as duas mãos para segurar objetos Nunca utilizar uma única mão

Manter a coluna reta ao pegar objetos pesados Não deixar a coluna curvada

Utilizar uma colher de cabo comprido para cozinhar Não utilizar colher de cabo curto

Med Reabil 2010; 29(1); 23-8 27


Bianchin MA, Paula GAS, Carvalho MP, Acayaba R, Chueire R

Conclusão tóide. In: Pardini P. Reabilitação da mão. Paulo, Brasil. Rev Bras Reumatol. 2007;
São Paulo: Atheneu; 2008. p. 379-94. 47:84-90.
Espera-se que a implantação des- 4. Rodrigues CRF, Dal Bó S, Teixeira SM. 10. Vannuci AB, Nunes MJ, Ribeiro LH, Wais-
se manual de orientações facilitará ao Diagnóstico precoce da artrite reumatóide. berg MG, Zerbini CA. Artrite reumatóide.
paciente uma melhor compreensão da Rev Bras Anal Clín. 2005; 37:201-4. RBM Rev Bras Med. 2006; 63:252-62.
5. Carvalho MGR, Nordhoek J, Silva MCO. 11. Silva AF, Matos AN, Lima ÁMS, Lima EF,
doença e das técnicas de proteção arti-
Grupo de orientação a indivíduos acome- Gaspar AP, Braga JAF, et al. Valor diagnós-
cular, ajudando na evolução do trata- tidos por doenças reumáticas: espaço edu- tico do anticorpo antipeptídeo citrulinado
mento de Terapia Ocupacional, na maior cativo e terapêutico. Rev Bras Reumatol. cíclico na artrite reumatóide. Rev Bras
colaboração nos demais tratamentos, no 2006; 46:134-6. Reumatol. 2006; 46:174-80.
aumento da qualidade de vida e da auto- 6. Kihara A, Konai MS, Silva J, Sakamoto 12. Abreu MM, Kowalski SC, Ciconelli RM,
estima destes pacientes. FA, Ciconelli RM, Natour J, et al. Diag- Ferraz MB. Avaliação do perfil sociodemo-
nóstico por imagem do antepé de pacientes gráfico, clínico-laboratorial e terapêutico
Julga-se necessário outros estudos
com artrite reumatóide inicial. Rev Bras dos pacientes com artrite reumatóide que
para comprovar a efetivação do uso de Reumatol. 2007; 47:123-6. participaram de projetos de pesquisa na es-
educação em saúde com os pacientes de 7. Caldana WCI, Ciconelli RM, Juliano Y, cola paulista de medicina, nos últimos 25
artrite reumatóide e seus benefícios. Fernandes ARC. A ressonância magnética anos. Rev Bras Reumatol. 2006; 46:103-9.
do quadril na avaliação de pacientes com 13. Brioschi ML, Yeng LT, Pastor EMH, Tei-
Referências Bibliográficas artrite reumatóide: estudo descritivo. Ra- xeira MJ. Utilização por imagem infraver-
diol Bras. 2005; 38:255-60. melha em reumatologia. Rev Bras Reuma-
1. Buckner WS. Artrite. In: Pedretti LW, Early 8. Silva RG, Pippa MGB, Zerbin CAF. Ava- tol. 2007; 47: 42-51.
MB, Org. ������������������������������
Terapia ocupacional: capacida- liação da composição corpórea e densidade 14. Noordhock J, Loschiavo FQ. Órtese de re-
des práticas para disfunções físicas. São mineral óssea em mulheres portadoras de pouso para fase aguda de artrite reumatói-
Paulo: Roca; 2005. p.847-74. artrite reumatóide. Rev Assoc Med Bras. de. Rev Bras Reumatol. 2007; 47:121-2.
2. Yasuda YL. Artrite reumatóide e osteoar- 2007; 53:135-41. 15. Nordhoeck J, Loschiavo FQ. Intervenção
trite. In: Trombly CA, Radomski MV, Org. 9. Louzada P Jr, Souza BDB, Toledo RA, Ci- da terapia ocupacional no tratamento de in-
Terapia Ocupacional para disfunções físi- conelli RM. Análise descritiva das caracte- divíduos com doenças reumáticas utilizan-
cas. São Paulo: Santos; 2005. p. 1001-23. rísticas demográficas e clínicas de pacien- do a abordagem da proteção articular. Rev
3. Araújo PMP. Reabilitação da mão reuma- tes com artrite reumatóide no estado de São Bras Reumatol. 2005; 45:242-4.

Instituição onde o trabalho foi realizado: Setor de Terapia Ocupacional do Ambulatório do Hospital de Base de São José do Rio Preto.
Endereço para correspondência: Graziella Andressa da Silva Paula. R. José Polachini Sobrinho, 480 ap.22 BL 01 – 15084-160 – São José
do Rio Preto/SP – Brasil. E-mail: grazy22@gmail.com ou grazy22@ibest.com.br

REVISTA MEDICINA DE REABILITAÇÃO


SIM Eu quero assinar a Revista Medicina de Reabilitação, para receber no
Condições:
período de 1 ano, totalizando 3 edições.
Individual
Nome:____________________________________________________________ R$ 100,00
_________________________________________________________________ Institucional
Endereço:__________________________________________________________ R$ 150,00
_________________________________________________________________ Estudante/Residente
Cidade:_ ______________________________________ Estado:______________ R$ 60,00
CEP:_ _____________________ E-mail:_________________________________ * Com apresentação da carta
assinada pelo diretor do
Programa, com data do início
Assinatura:_________________________________________________________ e final do programa

Depósito: Banco Citibank - Banco nº 745 - Agência: 0031 - Conta: 31078257


Nome: Centro de Estudos - Medicina de Reabilitação
Enviar comprovante depósito e cadastro pelo Telefax: (11) 2577-7111 – Informações: E-mail: revistamedicina@uol.com.br

28 Med Reabil 2010; 29(1); 23-8

Você também pode gostar