Você está na página 1de 8

Questões Comentadas: Normas Aplicáveis aos Servidores Públicos

Federais (Lei nº 8.112/1990)


71. Em matéria de proibições aos servidores públicos federais, analise a situação
de cada um deles:
I. Marcílio distribuiu propaganda de uma associação profissional para servidores
não subordinados.
II. Miriam praticou usura destinada a uma entidade de assistência social.
III. Marta, na qualidade de cotista, participa de uma sociedade não personificada.
IV. Manoel promoveu, no horário de folga, manifestação de apreço no recinto da repartição.
Nesses casos, NÃO constituem proibições as situações apresentadas em
(A) I e II.
(B) I e III.
(C) I e IV.
(D) II e IV.
(E) III e IV.

A assertiva I não é uma conduta proibida porque não está elencada nos incisos do
art. 117 da Lei nº 8.112/1990.

A assertiva II constitui prática proibida pelo art. 117, inciso XIV da Lei nº
8.112/1990: praticar usura sob qualquer de suas formas.

A assertiva III não é uma atividade proibida pela funcionária Marta porque ela
participa apenas na condição de cotista, nos termos do art. 117, inciso X da Lei nº
8.112/1990: é proibido participar de gerência ou administração de sociedade privada,
personificada ou não personificada, exercer o comércio, exceto na qualidade de
acionista, cotista ou comanditário.

A assertiva IV constitui prática proibida, ainda que no horário de folga de Manoel,


pois ele estava no recinto da repartição, nos termos do art. 117, inciso V da Lei nº
8.112/1990: promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição.

_________________________________________________________
72. Alexandre, analista judiciário (área judiciária), ausentou-se do Brasil, pelo
período de 4 (quatro) anos, para a realização de um trabalho científico de natureza
jurídica em instituição de ensino superior na Inglaterra, com a regular autorização
do Presidente do Supremo Tribunal Federal. Referida situação diz respeito
(A) à licença para capacitação.
(B) ao afastamento para servir em outra entidade.
(C) ao afastamento para estudo no exterior.
(D) à licença para tratar de assuntos particulares.
(E) ao afastamento para participação em programa de pós-graduação stricto sensu.

A alternativa “C” é a situação retratada no enunciado da questão e está prevista no


art. 95 da Lei nº 8.112/1990. Alexandre obteve autorização do Presidente do
Supremo Tribunal Federal: O servidor não poderá ausentar-se do País para estudo ou
missão oficial, sem autorização do Presidente da República, Presidente dos Órgãos do Poder
Legislativo e Presidente do Supremo Tribunal Federal. E o prazo para o afastamento
para estudo no exterior encontra-se definido no § 1o do art. 95 da Lei nº 8.112/1990:
A ausência não excederá a 4 (quatro) anos, e finda a missão ou estudo, somente decorrido
igual período, será permitida nova ausência.

73. Cecília, servidora pública federal, foi reintegrada no cargo anteriormente


ocupado. Porém, referido cargo estava provido por Francisco. Nesse caso,
Francisco será, dentre outras alternativas,
(A) reconduzido ao cargo de origem, sem direito à indenização.
(B) revertido ao cargo de origem, com direito à indenização.
(C) posto em disponibilidade remunerada, com indenização a critério da administração.
(D) removido ao cargo de origem ou para outro cargo, vedada qualquer indenização.
(E) redistribuído a outro cargo de provimento efetivo de maior remuneração.
A alternativa “A” está correta e está de acordo com o art. 29 da Lei nº 8.112/1990,
o qual conceitua o ato de Recondução: é o retorno do servidor estável ao cargo
anteriormente ocupado e decorrerá de: I - inabilitação em estágio probatório relativo a outro
cargo; e II - reintegração do anterior ocupante. E, no caso de recondução, a Lei nº
8.112/1990 não dispõe sobre a indenização.

A alternativa “B” está incorreta. Atenção com a palavra “Revertido”: Reversão


(é o retorno à atividade de servidor aposentado: I - por invalidez, quando junta médica
oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria; ou II - no interesse da
administração.) Recondução é diferente de Recondução. No caso do enunciado da
questão, o instituto da reversão não é o meio adequado.

A alternativa “C” não está correta, pois está tratando da reintegração (art. 28, § 2º
da Lei nº 8.112/1990) que é diferente da recondução.

A alternativa “D” está incorreta porque o servidor não será removido, mas sim
aproveitado em outro cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o
anteriormente ocupado, nos termos do Parágrafo único do art. 29 da 8.112/1990
.
A alternativa “E” está incorreta porque o servidor será aproveitado em outro
cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado, conforme
arts. 29 e 30 ambos da Lei nº 8.112/1990.

74. A Walter, como servidor público federal, é assegurado o direito de requerer do


Poder Público, em defesa de direito ou interesse legítimo. Diante disso, Walter
deverá observar peculiaridades do direito de petição, dentre outras, o fato de que
(A) esse pedido e os recursos, quando cabíveis, não interrompem a prescrição.
(B) não caberá recurso das decisões sobre os recursos sucessivamente interpostos.
(C) o prazo para a interposição do pedido é de 10 (dez) dias, improrrogáveis, a partir da
decisão recorrida.
(D) esse pedido deve ser dirigido à autoridade superior do órgão, podendo ser renovado por
até duas vezes.
(E) no caso do provimento do pedido de reconsideração, os efeitos da decisão
retroagirão à data do ato impugnado.

A alternativa “A” está incorreta porque nos termos do art. 111 da Lei nº
8.112/1990: O pedido de reconsideração e o recurso, quando cabíveis, interrompem a
prescrição.

A alternativa “B” está incorreta porque o art. 107, inciso II da Lei nº


8.112/1990 dispõe que caberá recurso das decisões sobre os recursos sucessivamente
interpostos.

A alternativa “C” está incorreta porque o prazo para interposição de pedido de


reconsideração ou de recurso é de 30 (trinta) dias, a contar da publicação ou da ciência,
pelo interessado, da decisão recorrida, conforme o art. 108 da Lei nº 8.112/1990.

A alternativa “D” está incorreta, pois constou que o pedido pode ser renovado por
até duas vezes e, na verdade, o pedido de reconsideração não pode ser renovado, nos
termos do art. 106 da Lei nº 8.112/1990: Cabe pedido de reconsideração à autoridade que
houver expedido o ato ou proferido a primeira decisão, não podendo ser renovado.

A alternativa “E” é a correta e está em conformidade com o parágrafo único do art.


109 da Lei nº 8.112/1990: Em caso de provimento do pedido de reconsideração ou do
recurso, os efeitos da decisão retroagirão à data do ato impugnado.
(Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT 18ª Região – FCC – 2013)
36. A acumulação da percepção de vencimentos de cargo público efetivo com
proventos de inatividade, nos termos da Lei nº 8.112/90, é

(A) vedada, tendo em vista que a acumulação de cargos, para ser lícita, pressupõe
atividade em ambos os casos, tornando-se inadmissível por ocasião da
aposentadoria do servidor.
(B) permitida somente se o cargo do qual se aposentou o servidor e fundamenta a
inatividade não tivesse a mesma natureza do cargo efetivo ainda ocupado pelo
servidor.
(C) permitida, ainda que os cargos não fossem cumuláveis na ativa, tendo em vista
que deixa de haver incompatibilidade de horários e das atividades exercidas.
(D) vedada, tendo em vista que só poderiam ser cumuláveis vencimentos de cargos
em comissão, situação que perdura na inatividade de um dos cargos.
(E) permitida, desde que se esteja diante de hipótese de remunerações
que também fossem cumuláveis durante o período de atividade.

A alternativa correta é a letra “E”, pois nos termos do art. 118, § 3o, da Lei
nº 8.112/90: Considera-se acumulação proibida a percepção de vencimento de
cargo ou emprego público efetivo com proventos da inatividade, salvo quando os
cargos de que decorram essas remunerações forem acumuláveis na
atividade.

(Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT 12ª Região – FCC – 2013)


28. Nos termos da Lei nº 8.112/90, no que concerne ao tema "penalidades" é
correto afirmar:

(A) a penalidade de advertência terá seu registro cancelado após o decurso de dois
anos.
A alternativa “A” está incorreta, pois nos termos art. 131 da Lei nº
8.112/90: A penalidade de advertência terá seu registro cancelado, após o
decurso de 3 (três) anos de efetivo exercício, se o servidor não houver, nesse
período, praticado nova infração disciplinar.

(B) o cancelamento da penalidade não surtirá efeitos retroativos.


A alternativa correta é a letra “B”, pois nos termos do art. 131,
parágrafo único, da Lei nº 8.112/90: O cancelamento da penalidade não surtirá
efeitos retroativos.

(C) a penalidade de suspensão terá seu registro cancelado após o decurso de três
anos.
A alternativa “C” está incorreta, pois nos termos art. 131 da Lei nº
8.112/90: A penalidade de suspensão terá seu registro cancelado, após o
decurso de 5 (cinco) anos de efetivo exercício, se o servidor não houver, nesse
período, praticado nova infração disciplinar.

(D) para o cancelamento de penalidade não é necessário que o servidor não tenha
praticado nova infração disciplinar no período necessário ao cancelamento.
A alternativa “D” está incorreta, pois nos termos art. 131 da Lei nº
8.112/90: As penalidades de advertência e de suspensão terão seus registros
cancelados, após o decurso de 3 (três) e 5 (cinco) anos de efetivo exercício,
respectivamente, se o servidor não houver, nesse período, praticado nova
infração disciplinar.
(E) todas as infrações disciplinares comportam cancelamento em seus registros,
após determinado período, inclusive a demissão.
A alternativa “E” está incorreta, pois nos termos art. 131 da Lei nº
8.112/90: As penalidades de advertência e de suspensão terão seus
registros cancelados, após o decurso de 3 (três) e 5 (cinco) anos de efetivo
exercício, respectivamente, se o servidor não houver, nesse período,
praticado nova infração disciplinar.

(Analista Judiciário – Área Judiciária – Especialidade Oficial de Justiça


Avaliador Federal – TRT 12ª Região – FCC – 2013) 56. Bento, servidor público
federal, foi convocado para o serviço militar. Em razão de tal fato, foi concedida
licença de seu cargo público. Concluído o serviço militar, Bento terá alguns dias sem
remuneração para reassumir o exercício do cargo. Nos termos da Lei nº 8.112/90, o
prazo a que se refere o enunciado é, em dias, de até
(A) 5.
(B) 15.
(C) 90.
(D) 30.
(E) 60
A alternativa correta é a letra “D”, pois nos termos do art. 85 da Lei nº
8.112/90: Ao servidor convocado para o serviço militar será concedida
licença, na forma e condições previstas na legislação específica.
Parágrafo único. Concluído o serviço militar, o servidor terá até 30 (trinta) dias
sem remuneração para reassumir o exercício do cargo.

(Técnico Judiciário – Área Administrativa – TRT 12ª Região – FCC – 2013) 52.
Segundo a Lei nº 8.112/90, especificamente no que concerne ao regime jurídico dos
servidores públicos da União, é INCORRETO:

(A) A posse, em regra, ocorrerá no prazo de trinta dias contados da publicação do


ato de provimento.

✎Atenção: o Enunciado da questão está perguntando pela alternativa


incorreta. A alternativa “A” está correta e exatamente nos termos do art. 13, § 1º,
da Lei nº 8.112/90: A posse ocorrerá no prazo de 30 dias contados da
publicação do ato de provimento.

(B) Não se abrirá novo concurso enquanto houver candidato aprovado em concurso
anterior com prazo de validade não expirado.
A alternativa “B” está correta e exatamente nos termos do art. 11, § 2o Lei
nº 8.112/90: Não se abrirá novo concurso enquanto houver candidato aprovado
em concurso anterior com prazo de validade não expirado.

(C) As universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológica federais


poderão prover seus cargos com professores, técnicos e cientistas estrangeiros, de
acordo com as normas e os procedimentos previstos em lei.
A alternativa “C” está correta e exatamente nos termos do art. 5º, § 3º da
Lei nº 8.112/90: As universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológica
federais poderão prover seus cargos com professores, técnicos e cientistas
estrangeiros, de acordo com as normas e os procedimentos desta Lei.

(D) Para as pessoas portadoras de deficiência serão reservadas até 10%


(dez por cento) das vagas oferecidas no concurso público para provimento
de cargo com atribuições compatíveis com a deficiência de que são
portadoras.

A alternativa “D” está INCORRETA, pois nos termos do art. 5º, § 2º, da Lei
nº 8.112/90: Às pessoas portadoras de deficiência é assegurado o direito de se
inscrever em concurso público para provimento de cargo cujas atribuições sejam
compatíveis com a deficiência de que são portadoras; para tais pessoas serão
reservadas até 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas no concurso.

(E) Só haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação.


A alternativa “E” está correta e exatamente nos termos do art. 13, § 4o da
Lei nº 8.112/90: Só haverá posse nos casos de provimento de cargo por
nomeação.

(Técnico Judiciário – Área Administrativa – TRT 12ª Região – FCC – 2013) 53.
De acordo com a Lei nº 8.112/90, considere:

I. Amarildo é servidor público nomeado para um cargo em cidade que conta com
imóvel funcional disponível para o servidor.
No caso da assertiva I, o funcionário Amarildo não tem direito ao auxílio
moradia, pois foi nomeado para um cargo em cidade em que conta com imóvel
funcional disponível para o servidor.
E, nos termos, do art. 60-B, inciso, I, da Lei nº 8.112/90: Conceder-se-á
auxílio-moradia ao servidor se atendidos os seguintes requisitos: I - não exista
imóvel funcional disponível para uso pelo servidor.

II. Marilda, companheira do servidor Naldo, ocupa um imóvel funcional na cidade


onde trabalha.

No caso da assertiva II, a funcionária Marilda não tem direito ao auxílio


moradia, pois o seu companheiro (Naldo) ocupa imóvel funcional.
E, nos termos, do art. 60-B, inciso, II, da Lei nº 8.112/90: Conceder-se-á
auxílio-moradia ao servidor se atendidos os seguintes requisitos: II - o cônjuge
ou companheiro do servidor não ocupe imóvel funcional.

III. Plínio, servidor público federal, é casado e tem dois filhos. Sua filha mais velha
reside com ele e recebe auxílio-moradia.
No caso da assertiva III, o funcionário Plínio não tem direito ao auxílio
moradia, pois a sua filha mais velha reside com ele e recebe auxílio-moradia.

E, nos termos, do art. 60-B, inciso, IV, da Lei nº 8.112/90: nenhuma outra
pessoa que resida com o servidor receba auxílio-moradia.

IV. Pafúncio é nomeado para um cargo em determinada cidade onde já foi


proprietário de um imóvel, vendido cinco anos antes de sua nomeação.

No caso da assertiva IV, o funcionário Pafúncio tem direito ao auxílio-


moradia, pois nos termos do art. 60-B, inciso, III, da Lei nº 8.112/90: Io servidor ou
seu cônjuge ou companheiro não seja ou tenha sido proprietário, promitente
comprador, cessionário ou promitente cessionário de imóvel no Município aonde
for exercer o cargo, incluída a hipótese de lote edificado sem averbação de
construção, nos doze meses que antecederem a sua nomeação.

NÃO terão direito ao auxílio-moradia, os servidores indicados APENAS nas hipóteses


(A) I, II e III.
(B) I, II e IV.
(C) III e IV.
(D) I e III.
(E) II e IV

Assim, a alternativa “A” deve ser a assinalada.

(Técnico Judiciário – Área Administrativa – TRT 12ª Região – FCC – 2013) 54.
Gertrudes é servidora pública do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região e, no
exercício de seu cargo, opõe resistência injustificada ao andamento de um
processo. Após regular processo administrativo, Gertrudes é punida no ano de 2012
com pena de advertência. Neste ano de 2012, a referida funcionária pratica nova
falta funcional e novamente opõe resistência injustificada ao andamento de alguns
processos. Neste caso, de acordo com a Lei nº 8.112/90, Gertrudes, após regular
processo administrativo, será apenada com

(A) repreensão.
(B) advertência, pela última vez.
(C) demissão.
(D) suspensão, que não poderá exceder 60 dias.
(E) suspensão, que não poderá exceder 90 dias.

A alternativa “E” está correta e exatamente nos termos do art. 129 da Lei nº
8.112/90: A advertência será aplicada por escrito, nos casos de violação de
proibição constante do art. 117, incisos I a VIII e XIX, e de inobservância de dever
funcional previsto em lei, regulamentação ou norma interna, que não justifique
imposição de penalidade mais grave.
E, ainda, nos termos do art. 117, inciso IV, da Lei nº 8.112/90: Ao servidor
é proibido: opor resistência injustificada ao andamento de documento e
processo ou execução de serviço.

E, no art. 130 da Lei nº 8.112/90: A suspensão será aplicada em caso de


reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais
proibições que não tipifiquem infração sujeita a penalidade de demissão, não
podendo exceder de 90 (noventa) dias.
(TRT- 10ª Região – Técnico Judiciário - 03/02/2013 – CESPE) De acordo com a Lei n.º
8.112/1990, que dispõe a respeito do regime disciplinar dos servidores públicos civis da
União, das autarquias e das fundações públicas federais, julgue os itens seguintes.

34 A acumulação lícita de cargos públicos por parte do servidor é condicionada à


demonstração de compatibilidade de horários. Certa
A afirmativa está certa e exatamente nos termos do art. 118 da Lei nº
8.112/90: Ressalvados os casos previstos na Constituição, é vedada a acumulação
remunerada de cargos públicos. E, ainda, nos termos do § 2º do art. 118 da Lei nº 8.112/90: A
acumulação de cargos, ainda que lícita, fica condicionada à comprovação da
compatibilidade de horários.

35 Havendo conveniência para o serviço, a pena de suspensão pode ser convertida em multa
correspondente à metade por dia do vencimento ou remuneração, ficando o servidor
obrigado a permanecer no desempenho de suas atribuições. Certa.
A afirmativa está certa e exatamente nos termos do art.130, § 2º da Lei nº 8.112/90:
Quando houver conveniência para o serviço, a penalidade de suspensão poderá ser
convertida em multa, na base de 50% (cinqüenta por cento) por dia de vencimento ou
remuneração, ficando o servidor obrigado a permanecer em serviço.

36 Uma vez aplicadas ao servidor faltoso, as penalidades de advertência e de suspensão


ficarão permanentemente registradas em seu assentamento funcional. Errada.
A afirmativa está errada, pois nos termos do art. 131 da Lei nº 8.112/90: As
penalidades de advertência e de suspensão terão seus registros cancelados, após o
decurso de 3 (três) e 5 (cinco) anos de efetivo exercício, respectivamente, se o
servidor não houver, nesse período, praticado nova infração disciplinar.

(TRT- 10ª Região – Analista Judiciário – Especialidade: Tecnologia da Informação -


03/02/2013 – CESPE) Julgue os itens seguintes, a respeito da Lei n.º 8.112/1990.
34 Ao servidor é facultado abater de suas férias as faltas injustificadas, de modo a preservar
a remuneração referente aos dias em que deixar de comparecer ao serviço. Errada.
A afirmativa está errada, pois nos termos do art. 77, § 2º da Lei nº 8.112/90: É
vedado levar à conta de férias qualquer falta ao serviço.

35 O servidor público civil que fizer jus aos adicionais de insalubridade e periculosidade
acumulará ambos os acréscimos sobre seu vencimento. Errada.
A afirmativa está errada, pois nos termos do art. 68, § 1º da Lei nº 8.112/90: O
servidor que fizer jus aos adicionais de insalubridade e de periculosidade deverá optar
por um deles.
(Polícia Civil do Estado da Bahia – Investigador Polícia – 05/05/2013 - CESPE) No que
se refere ao que dispõe a Lei n.º 8.112/1990 e aos princípios que regem a administração
pública, julgue os itens subsecutivos.

95 É vedado à candidata gestante inscrita em concurso público o requerimento de nova data


para a realização de teste de aptidão física, pois, conforme o princípio da igualdade e da
isonomia, não se pode dispensar tratamento diferenciado a candidato em razão de
alterações fisiológicas temporárias. Errada.
A afirmativa está errada, pois o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Superior Tribunal
de Justiça (STJ) pacificaram o entendimento no sentido de que é possível a remarcação dos
testes de aptidão física sem que isto implique qualquer violação do princípio
constitucional da isonomia.

Sobre o assunto, o Superior Tribunal de Justiça já decidiu:

“ADMINISTRATIVO. PROCESSUAL CIVIL. CONCURSO PÚBLICO. POLICIAL MILITAR ESTADUAL. TESTE


DE APTIDÃO FÍSICA (TAF). REMARCAÇÃO POR FORÇA MAIOR. GRAVIDEZ. POSSIBILIDADE.
PRINCÍPIO CONSTITUCIONAL DA ISONOMIA. PRECEDENTES DO STF E DO STJ.
1. Cuida-se de recurso ordinário interposto contra acórdão que, por maioria, denegou a segurança em
pleito para remarcação de teste de aptidão física em razão da comprovada gravidez da candidata.
2. A fase denominada teste de aptidão e avaliação física foi iniciada após dois anos do transcurso das
inscrições, configurando razoável identificar a situação da candidata como imprevista e de força maior; o
edital de convocação dos candidatos não previu essa possibilidade, apenas indicando que gestantes
deveriam comparecer às provas munidas de atestado médico para realizar os testes, em igualdade com
as demais candidatas, após a firma de termo de responsabilidade pessoal por eventual dano físico.
3. O Tribunal de origem considerou que a violação versava sobre o não comparecimento, quando resta
claro que a impetração deu-se contra a norma do edital concretizada pelo afastamento da candidata
gestante do certame.
4. O Supremo Tribunal Federal pacificou o tema no sentido de que é possível a remarcação
dos testes de aptidão física sem que isto implique qualquer violação do princípio
constitucional da isonomia. Precedentes: AgRg no AI 825.545/PE, Relator Min. Ricardo Lewandowski,
Primeira Turma, publicado no DJe 084 em 6.5.2011 e no Ementário vol. 2516-03, p. 623; AgRg no RE
598.759/AL, Relatora Min. Cármen Lúcia, Primeira Turma, publicado no DJe 223 em 27.11.2009 e no
Ementário vol. 2384-06, p. 1145; AgRg no AI 630.487/DF, Relatora Min. Cármen Lúcia, Primeira Turma,
publicado no DJe 030 em 13.2.2009, no Ementário vol. 2348-06, p. 1168 e no LEXSTF v. 31, n.362, 2009,
p. 114-119; e AgRg no RE 376.607/DF, Relator Min. Eros Grau, Segunda Turma, publicado no DJ em
5.5.2006, p. 35 e no Ementário vol. 2231-03, p. 589. 5. A jurisprudência da Sexta Turma do STJ tem
acompanhado o entendimento do STF, no sentido da possibilidade de remarcação dos testes
de aptidão física sem que isto induza violação do edital ou do princípio da isonomia.
Precedentes: RMS 28.400/BA, Rel. Min.Sebastião Reis Júnior, DJe 27.2.2013; e RMS 31.505/CE, Rel.
Ministra Maria Thereza de Assis Moura, DJe 27.8.2012. Recurso ordinário provido.” ( RMS 37328 / AP,
Relator Ministro Humberto Martins, data do julgamento: 21/03/2013). (grifo nosso).

96 Na composição de comissão de processo disciplinar, é possível a designação de servidores


lotados em unidade da Federação diversa daquela em que atua o servidor investigado.
Certa.
A afirmativa está certa e exatamente nos termos do art. 149 da Lei nº 8.112/90: O
processo disciplinar será conduzido por comissão composta de três servidores estáveis
designados pela autoridade competente, observado o disposto no § 3o do art. 143, que
indicará, dentre eles, o seu presidente, que deverá ser ocupante de cargo efetivo
superior ou de mesmo nível, ou ter nível de escolaridade igual ou superior ao do
indiciado.