Você está na página 1de 20

www.penalemfoco.com.

br

APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA


(ART. 168-A DO CÓDIGO PENAL)
PRINCIPAIS JULGADOS DO STF e STJ NOS ÚLTIMOS ANOS

www.penalemfoco.com.br
www.penalemfoco.com.br

APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA, NO


ENTENDIMENTO DO STF

Segunda Turma conduta típica do crime de sonegação de


Ementa: AÇÃO PENAL. EX-PREFEITO E ATUAL contribuição previdenciária é o dolo genérico,
DEPUTADO FEDERAL. DENÚNCIA DE INFRAÇÃO consistente na intenção de concretizar a evasão
AO DECRETO-LEI 201/1967, ART. 1º, III E IX. tributária” (AP 516, Plenário, Relator o Ministro
APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. Ayres Britto, DJe de 20.09.11). 2. A inexigibilidade
EMENDATIO LIBELLI. ABSOLVIÇÃO EM RELAÇÃO de conduta diversa consistente na precária
A PARCELA DA APROPRIAÇÃO, EXTINÇÃO DA condição financeira da empresa, quando extrema
PUNIBILIDADE PELO PAGAMENTO, EM RELAÇÃO ao ponto de não restar alternativa socialmente
AO MAIS. 1. A apropriação indébita previdenciária menos danosa do que o não recolhimento das
(art. 168-A do Código Penal) prevalece sobre o tipo contribuições previdenciárias, pode ser admitida
previsto no art. 1º, XIV, do Decreto-Lei 201/1967, como causa supralegal de exclusão da
quando a hipótese versa descumprimento de lei culpabilidade do agente. Precedente: AP 516,
municipal atinente a recolhimento a autarquia Plenário, Relator o Ministro Ayres Britto, DJe de
previdenciária. 2. Ausência de descrição própria de 20.09.11. 3. Deveras, a análise da precariedade, ou
desvio de renda pública, independente da suposta não, da condição econômica da empresa demanda o
apropriação indébita, leva à absolvição, sobretudo revolvimento do conjunto fático probatório, inviável na
quando a prova dos autos evidencia não ter havido via do habeas corpus. Destarte a ausência de
o suposto fato. Improcedência da denúncia, no comprovação nas instâncias ordinárias das
ponto. 3. Incide, no caso, o entendimento de que o dificuldades econômicas enfrentadas pela empresa
pagamento do tributo, a qualquer tempo, extingue impede a exclusão da culpabilidade do agente em
a punibilidade do crime tributário. Precedente. razão da aplicação do instituto da inexigibilidade de
(AP 450, Relator(a): Min. TEORI ZAVASCKI, conduta diversa. Precedentes: HC 98.272, Segunda
Segunda Turma, julgado em 18/11/2014, ACÓRDÃO Turma, Relatora a Ministra Ellen Gracie, DJe de
ELETRÔNICO DJe-028 DIVULG 10-02-2015 PUBLIC 16.10.09; RHC 86.072, Primeira Turma, Relator o
11-02-2015) Ministro Eros Grau, DJ de 28.10.05) 4. In casu, o
paciente deixou de repassar à Previdência Social as
contribuições descontadas de seus empregados no
Primeira Turma período compreendido entre março de 1999 e janeiro
Ementa: PENAL E PROCESSUAL PENAL. HABEAS de 2000. Destarte, foi condenado a 2 (dois) anos e 6
CORPUS. APROPRIAÇÃO INDÉBITA (seis) meses de reclusão, em regime aberto, e ao
PREVIDENCIÁRIA (ART. 168, § 1º, I, DO CP). pagamento de 16 (dezesseis) dias-multa, pela prática
ELEMENTO SUBJETIVO DO TIPO. DOLO do crime previsto no artigo 168-A, § 1º, inciso I, do
ESPECÍFICO. NÃO-EXIGÊNCIA. PRECÁRIA Código Penal (apropriação indébita previdenciária) e a
CONDIÇÃO FINANCEIRA DA EMPRESA. NÃO- pena privativa de liberdade foi substituída por duas
COMPROVAÇÃO. EXCLUDENTE DE reprimendas restritivas de direito. 5. A defesa, ao não
CULPABILIDADE. INEXIGIBILIDADE DE CONDUTA comprovar que empresa administrada pelo paciente
DIVERSA. INAPLICABILIDADE. ORDEM passava por dificuldades financeiras que a
DENEGADA. 1. O crime de apropriação indébita impossibilitavam de cumprir a obrigação de repassar à
previdenciária exige apenas “a demonstração do Previdência Social os valores referentes às
dolo genérico, sendo dispensável um especial fim contribuições descontadas de seus empregados, não
de agir, conhecido como animus rem sibi habendi se desincumbiu de conjugar do quadro fático-jurídico o
(a intenção de ter a coisa para si). Assim como dolo específico. 6. Ordem denegada.
ocorre quanto ao delito de apropriação indébita (HC 113418, Relator(a): Min. LUIZ FUX, Primeira
previdenciária, o elemento subjetivo animador da Turma, julgado em 24/09/2013, PROCESSO
www.penalemfoco.com.br

ELETRÔNICO DJe-206 DIVULG 16-10-2013 PUBLIC imputação do crime de apropriação indébita


17-10-2013) previdenciária para o Código Penal (art. 168-A),
não tendo havido alteração na descrição da
conduta anteriormente incriminada na Lei nº
8.212/90. 2. Inviável analisar eventual extinção da
punibilidade frente a ocorrência da prescrição em
Primeira Turma razão da insuficiência elementos nos autos para
EMENTA: QUESTÃO DE ORDEM NA AÇÃO PENAL. tanto. 3. Agravo regimental não provido.
CONSTITUCIONAL. PROCESSUAL PENAL. CRIME (AI 804466 AgR, Relator(a): Min. DIAS TOFFOLI,
DE APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. Primeira Turma, julgado em 13/12/2011,
SUSPENSÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA E PROCESSO ELETRÔNICO DJe-032 DIVULG 13-02-
EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. PARCELAMENTO E 2012 PUBLIC 14-02-2012)
PAGAMENTO DO DÉBITO ANTES DO TRÂNSITO
EM JULGADO DA SENTENÇA PENAL
CONDENATÓRIA: EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. Segunda Turma
PRECEDENTES. EMENTA: HABEAS CORPUS. APROPRIAÇÃO
1. A jurisprudência deste Supremo Tribunal é firme INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. PARCELAMENTO DA
no sentido da possibilidade de suspensão da DÍVIDA. INADIMPLEMENTO. EXTINÇÃO DA
pretensão punitiva e de extinção da punibilidade PUNIBILIDADE. NÃO OCORRÊNCIA. ORDEM
nos crimes de apropriação indébita previdenciária, DENEGADA. Conforme registrou o acórdão
admitindo a primeira se a inclusão do débito atacado, a pessoa jurídica da qual o paciente é
tributário em programa de parcelamento ocorrer sócio ingressou no Refis “sob a vigência da Lei
em momento anterior ao trânsito em julgado da 9.964/00.” Portanto, não há como prosperar a tese
sentença penal condenatória e a segunda quando da ultratividade do disposto no art. 34 da Lei
o débito previdenciário for incluído - e pago - no 9.249/1995. De qualquer forma, ainda que se
programa de parcelamento ordinário de débitos admita esse argumento, não basta o mero
tributários. Precedentes. 2. Questão de ordem parcelamento da dívida para que ocorra a extinção
resolvida no sentido de declarar extinta a punibilidade da punibilidade do autor do crime de apropriação
do réu em relação ao crime de apropriação indébita indébita previdenciária (CP, art. 168-A, § 1º, I). É
previdenciária, pela comprovação da quitação dos necessário que o débito seja integralmente
débitos discutidos no presente processo-crime, nos quitado. Precedentes (HC 76.978, rel. min. Maurício
termos das Leis ns. 10.684/03 e 11.941/09. Corrêa, DJ de 19.02.1999, p. 27; e HC 98.777-MC,
(AP 613 QO, Relator(a): Min. CÁRMEN LÚCIA, rel. min. Celso de Mello, DJe de 30.04.2009).
Tribunal Pleno, julgado em 15/05/2014, ACÓRDÃO Habeas corpus denegado.
ELETRÔNICO DJe-107 DIVULG 03-06-2014 PUBLIC (HC 99943, Relator(a): Min. JOAQUIM BARBOSA,
04-06-2014) Segunda Turma, julgado em 08/02/2011, DJe-039
DIVULG 25-02-2011 PUBLIC 28-02-2011 EMENT
VOL-02472-01 PP-00049)
Primeira Turma
EMENTA Agravo regimental no agravo de
instrumento. Matéria criminal. Apropriação Segunda Turma
indébita previdenciária. Lei nº 9.983/2000. Abolitio EMENTA: HABEAS CORPUS. APROPRIAÇÃO
Criminis. Inocorrência. Princípio da continuidade INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. ANISTIA.
normativo-típica. Precedentes. Prescrição da INOCORRÊNCIA. INCONSTITUCIONALIDADE DO
pretensão punitiva estatal. Ausência de elementos ART. 11, PARÁGRAFO ÚNICO, DA LEI 9.639/98,
nos autos para análise. Precedentes. 1. A DECLARADA PELO SUPREMO TRIBUNAL
jurisprudência desta Suprema Corte alinhou-se no DEFERAL. ABOLITIO CRIMINIS. ART. 95 DA LEI
sentido de que, nos moldes do princípio da 8.212/91. AUSÊNCIA. CÁLCULO DA PRESCRIÇÃO
continuidade normativo-típica, o art. 3º da Lei nº COM BASE NA PENA DO ART. 2º DA LEI 8.173/90.
9.983/2000 apenas transmudou a base legal de IMPOSSIBILIDADE. INÉPCIA DA DENÚNCIA E
www.penalemfoco.com.br

ILEGITIMIDADE PASSIVA DE UM DOS RÉUS. 109, III) e que a pena máxima cominada aos crimes
INOCORRÊNCIA. ORDEM DENEGADA. 1. A anistia imputados aos réus seria de 5 anos de reclusão, para
do crime de apropriação indébita previdenciária, ambos os tipos penais, afirmou-se que os fatos
com base no art. 11, parágrafo único, da Lei delituosos teriam sido perpetrados no período de
9.639/98, foi declarada formalmente janeiro de 1995 a agosto de 2002, sendo o crédito
inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal, tributário definitivamente constituído em abril de 2003.
tendo em vista a ausência de aprovação daquele Em seguida, absolveu-se a co-ré, ao fundamento de
dispositivo legal pelo Congresso Nacional, que por que não haveria como lhe atribuir a responsabilidade
erro o enviou à publicação. 2. A substituição do penal pelos fatos imputados na denúncia. Consignou-
art. 95 da Lei 8.212/91 pelo art. 168-A do Código se não ter ficado demonstrado, durante a instrução
Penal não ocasionou a abolitio criminis da criminal, que ela detivesse poder de mando ou que
apropriação indébita previdenciária, mas mera houvesse exercido qualquer atividade na empresa,
troca do diploma normativo de regência. 3. sendo esta gerida pelo parlamentar, o qual exercia
Narrados os fatos e suas circunstâncias, com todos os atos de administração necessários ao seu
imputação fundamentada dos crimes aos funcionamento.
pacientes e apresentação de indícios de sua Logo após, reconheceu-se a materialidade delitiva das
responsabilidade conjunta, não há ilegitimidade condutas atribuídas ao parlamentar, tendo em conta a
passiva nem inépcia. 4. Ordem denegada. existência de farta documentação, detalhada nas
(HC 96337, Relator(a): Min. JOAQUIM BARBOSA, notificações fiscais de lançamento de débito.
Segunda Turma, julgado em 23/11/2010, DJe-020 Ressaltou-se, inclusive, que a empresa sequer
DIVULG 31-01-2011 PUBLIC 01-02-2011 EMENT impugnara o débito fiscal na esfera administrativa.
VOL-02454-01 PP-00248) Rejeitou-se a alegação de que os crimes exigiriam a
comprovação do animus rem sibi habendi. Enfatizou-
se que a orientação da Corte encontra-se consolidada
Plenário no sentido de que, para a caracterização dos aludidos
Ação Penal: Apropriação Indébita e Sonegação tipos penais, é suficiente a demonstração do dolo
Previdenciárias genérico, sendo dispensável um especial fim de agir.
O Tribunal julgou procedente pedido formulado em Observou-se, também, que o “recibo de pedido de
ação penal promovida pelo Ministério Público Federal parcelamento” da Lei 11.941/2009, juntado pela
para condenar Deputado Federal pela prática dos defesa, não se prestaria para a pretendida suspensão
crimes tipificados no art. 168-A, § 1º, I e art. 337-A, III, da pretensão punitiva estatal, porquanto o pagamento
c/c o art. 71, caput e art. 69, todos do CP, à pena de 7 da primeira parcela fora efetuado mais de 6 meses
anos de reclusão e ao pagamento de 60 dias-multa, após o seu vencimento. Relativamente à autoria,
calculados na base de meio salário-mínimo vigente em mencionou-se que a situação contratual da empresa
agosto de 2002 (término da continuidade delitiva), permanecera inalterada desde sua constituição,
atualizados monetariamente. No caso, a partir de ação embora esta se encontrasse atualmente desativada,
fiscal realizada em empresa de propriedade do sem baixa registrada na junta comercial. Destacou-se
acusado, ele e sócia foram denunciados pela suposta que a mera participação no quadro societário como
ausência de repasse, ao Instituto Nacional do Seguro sócio-gerente não poderia significar a automática
Social – INSS, de valores arrecadados a título de responsabilização penal. Nada obstante, repeliu-se a
contribuições incidentes sobre a remuneração de assertiva de que, apesar de o parlamentar figurar no
empregados, relacionados em folha de pagamento contrato social como único responsável pela gerência
mensal e rescisões de contrato de trabalho. A inicial da sociedade, a efetiva administração teria sido
acusatória também descrevera a omissão de fatos delegada a seu filho. Afirmou-se que tal outorga de
geradores de contribuições previdenciárias na Guia de poderes de representação não conferira exclusividade
Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de ao outorgado, de modo que o acusado teria
Serviço e Informações à Previdência Social – GFIP. preservado seus poderes. Ademais, asseverou-se que
Preliminarmente, afastou-se a ocorrência de extinção inexistira alteração contratual válida que o excluísse
da punibilidade pela prescrição da pena em abstrato. do quadro societário da empresa. Enfatizou-se, no
Ao salientar que esta operaria em 12 anos (CP, art. ponto, inclusive, que o acusado ainda responde a uma
www.penalemfoco.com.br

ação penal por suposta falsidade de modificação imposta revelar-se-ia suficiente. Por fim, determinou
contratual no registro de junta comercial. Assinalou-se que, após o trânsito em julgado, seja dada a ciência à
que a prova testemunhal carreada não infirmaria a Justiça Eleitoral e inscrito o nome do réu no rol dos
condição do parlamentar de responsável pela culpados. Vencidos os Ministros Ayres Britto, relator,
administração de sua empresa, haja vista que a Cármen Lúcia e Marco Aurélio relativamente à fixação
defesa somente arrolara pessoas que não tinham da pena e ao seu regime inicial de cumprimento, que
contato direto ou vínculo com a sociedade empresária. assentavam a pena-base em 3 anos de reclusão e 126
Refutou-se, também, o argumento de não-ocorrência dias-multa, e 3 anos e 6 meses de reclusão e 180
do crime de sonegação previdenciária (CP, art. 337- dias-multa, respectivamente, para os crimes previstos
A), por inexigibilidade de conduta diversa, em função nos artigos 168-A, § 1º, I e 337-A, III, ambos do CP.
das dificuldades financeiras da empresa. Verificou-se Ademais, em virtude da continuidade delitiva,
que a supressão ou redução da contribuição social e impunham o aumento de metade, para o delito de
de quaisquer acessórios são implementados por meio apropriação indébita previdenciária, e de 1/3, para o
de condutas fraudulentas instrumentais à evasão, de sonegação previdenciária, a perfazer 9 anos e 2
incompatíveis com a boa-fé necessária para tal meses de reclusão e 429 dias-multa, pena esta a ser
reconhecimento. Além disso, o conjunto probatório cumprida em regime inicial fechado.
não revelaria a precária condição financeira da AP 516/DF, rel. Min. Ayres Britto, 27.9.2010.
empresa.
No tocante à dosimetria da pena, prevaleceu o voto do
Min. Joaquim Barbosa, revisor, que estabeleceu a Segunda Turma
pena-base em 3 anos de reclusão e 30 dias-multa, Princípio da Insignificância e Art. 168-A do CP
para cada delito, e, ante a ausência de circunstâncias A Turma, tendo em conta o valor supra-individual do
atenuantes e agravantes, aplicou, para ambas as bem jurídico tutelado, indeferiu habeas corpus em que
penas provisórias, o aumento de 1/6, em razão da condenados pelo delito de apropriação indébita
continuidade delitiva, tornando-as definitivas em 3 previdenciária (CP, art. 168-A) pleiteavam a aplicação
anos e 6 meses de reclusão mais 30 dias-multa, as do princípio da insignificância. Consignou-se que, não
quais, somadas (CP, art. 69), totalizaram 7 anos de obstante o pequeno valor das contribuições
reclusão e 60 dias-multa. Em conseqüência, fixou o sonegadas à Previdência Social, seria incabível a
regime semi-aberto para o cumprimento inicial da incidência do almejado princípio.
pena. Entendeu incabível a substituição da pena HC 98021/SC, rel. Min. Ricardo Lewandowski,
privativa de liberdade por restritivas de direitos, em 22.6.2010.
virtude do montante da pena aplicada e, pela mesma HC 100938/SC, rel. Min. Ricardo Lewandowski,
razão, o sursis. Deixou, contudo, de aplicar o disposto 22.6.2010.
no art. 92, I, b, do CP, por reputar que não se trataria
de efeito automático, e que, no caso, a reprimenda
www.penalemfoco.com.br

APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA, NO


ENTENDIMENTO DO STJ

Quinta Turma (HC 266.988/SP, Rel. Ministro REYNALDO SOARES


EXECUÇÃO PENAL. HABEAS CORPUS DA FONSECA, QUINTA TURMA, julgado em
SUBSTITUTIVO DE RECURSO PRÓPRIO. 15/10/2015, DJe 21/10/2015)
INADEQUAÇÃO DA VIA ELEITA. SONEGAÇÃO
FISCAL. APROPRIAÇÃO INDÉBITA
PREVIDENCIÁRIA. CONDENAÇÃO. AÇÃO PENAL Quinta Turma
TRANSITADA EM JULGADO. PENAL E PROCESSUAL. APROPRIAÇÃO
PARCELAMENTO DO DÉBITO TRIBUTÁRIO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. VIOLAÇÃO AO ART.
POSTERIOR AO TRÂNSITO EM JULGADO. 619 DO CPP. NÃO OCORRÊNCIA. ART. 9º, § 2º, DA
IMPOSSIBILIDADE DE SUSPENSÃO DA LEI N.
PRETENSÃO EXECUTÓRIA ESTATAL. 10.684/2003. EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL.
AUSÊNCIA DE CONSTRANGIMENTO ILEGAL. GARANTIA DA DÍVIDA.
WRIT NÃO CONHECIDO. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. IMPOSSIBILIDADE.
1. O Supremo Tribunal Federal, por sua Primeira 1. Inexiste contrariedade ao art. 619 do Código de
Turma, e a Terceira Seção deste Superior Tribunal Processo Penal quando o acórdão impugnado
de Justiça, diante da utilização crescente e aprecia fundamentadamente a controvérsia, não
sucessiva do habeas corpus, passaram a restringir sendo o órgão julgador obrigado a se manifestar
a sua admissibilidade quando o ato ilegal for sobre todos os argumentos suscitados pelas
passível de impugnação pela via recursal própria, partes, notadamente quando encontrar motivação
sem olvidar a possibilidade de concessão da suficiente ao deslinde da causa.
ordem, de ofício, nos casos de flagrante 2. A garantia ofertada em sede de execução fiscal
ilegalidade. Esse entendimento objetivou preservar não configura causa extintiva de punibilidade do
a utilidade e a eficácia do mandamus, que é o agente, porquanto não se equipara à quitação
instrumento constitucional mais importante de integral do débito previdenciário, nos termos
proteção à liberdade individual do cidadão previstos nos arts. 34 da Lei n. 9.249/1995 e 9º, §
ameaçada por ato ilegal ou abuso de poder, 2º, da Lei n. 10.684/2003.
garantindo a celeridade que o seu julgamento 3. Agravo regimental desprovido.
requer. (AgRg no AREsp 718.860/SP, Rel. Ministro
2. Na espécie, verifica-se que a Corte de origem GURGEL DE FARIA, QUINTA TURMA, julgado em
entendeu que o parcelamento do débito, oriundo 06/10/2015, DJe 21/10/2015)
de sonegação fiscal, após o trânsito em julgado da
sentença condenatória, não tem o condão de
suspender a pretensão executória, benesse que Quinta Turma
estaria em desacordo com literal previsão legal. AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL.
3. Com efeito, sobre a matéria, o Supremo Tribunal APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA.
Federal e esta Corte Superior de Justiça REITERAÇÃO CRIMINOSA. RECONHECIMENTO.
pacificaram entendimento no sentido de que a NECESSIDADE DE REEXAME DO CONJUNTO
suspensão da pretensão punitiva estatal fundada FÁTICO PROBATÓRIO. ÓBICE DA SÚMULA 7/STJ.
no art. 68 da Lei n. 11.941/2009 somente é cabível VALOR INFERIOR À R$10.000,00. PRINCÍPIO DA
se a inclusão do débito tributário em programa de INSIGNIFICÂNCIA.
parcelamento ocorrer em momento anterior ao APLICABILIDADE. RECURSO IMPROVIDO.
trânsito em julgado da sentença penal 1. Rever o entendimento do Tribunal de origem que
condenatória. não houve reiteração criminosa enseja o reexame
4. Habeas corpus não conhecido.
www.penalemfoco.com.br

do conjunto fático-probatório, inviável na via eleita APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA.


ante o óbice da Súmula 7/STJ. NULIDADE OCORRIDA NA INSTRUÇÃO CRIMINAL.
2. Esta Corte Superior de Justiça firmou PRECLUSÃO. INEXIGIBILIDADE DE CONDUTA
entendimento no sentido de que o reconhecimento DIVERSA. AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE
do princípio da insignificância no delito de DIFICULDADES FINANCEIRAS DA EMPRESA.
apropriação indébita está adstrito ao valor de R$ RECURSO NÃO PROVIDO.
10.000,00 (dez mil reais) previsto no artigo 20 da 1. Após a decisão que indeferiu o pedido de
Lei n. 10.522/02. redirecionamento de créditos, o agravante, na
3. No caso dos autos, extrai-se que o valor das primeira oportunidade em que se manifestou nos
contribuições previdenciárias supostamente autos - depois de encerrada a instrução, na antiga
sonegadas totalizam R$9.160,70, estando dentro fase do art. 499 do Código de Processo Penal -,
do limite estabelecido para atipicidade material não alegou que não teria sido intimado da decisão
dos fatos. de fl. 189, tampouco que não teria tomado
3. Agravo regimental a que se nega provimento. conhecimento do documento fornecido pelo INSS,
(AgRg no REsp 1435301/MT, Rel. Ministro em que a autarquia afirmou inexistir parcelamento
LEOPOLDO DE ARRUDA RAPOSO em relação ao débito objeto da denúncia.
(DESEMBARGADOR CONVOCADO DO TJ/PE), 2. Uma vez que a suposta nulidade ocorrida na
QUINTA TURMA, julgado em 08/09/2015, DJe instrução criminal não foi arguida no momento
15/09/2015) oportuno (art. 571, II, do Código de Processo
Penal), correta a conclusão do decisum ora
recorrido de que a nulidade suscitada foi
Sexta Turma alcançada pela preclusão.
PENAL E PROCESSO PENAL. HABEAS CORPUS. 3. Para que fique caracterizada a causa supralegal
SUBSTITUTIVO. APROPRIAÇÃO INDÉBITA de exclusão da culpabilidade relativa à
PREVIDENCIÁRIA. PAGAMENTO INTEGRAL DO inexigibilidade de conduta diversa, é necessário
DÉBITO. EFEITOS PENAIS REGIDOS PELO ART. que a defesa comprove, por força do disposto no
9º, § 2º, DA LEI 10.684/2003. EXTINÇÃO DA art. 156 do Código de Processo Penal, que a
PUNIBILIDADE. ORDEM CONCEDIDA. omissão no recolhimento das contribuições
1. Ressalvada pessoal compreensão diversa, devidas ao INSS decorreu de dificuldades
uniformizou o Superior Tribunal de Justiça ser financeiras da empresa, o que, no caso, não
inadequado o writ em substituição a recurso ocorreu.
especial e ordinário, ou de revisão criminal, 4. Para acolher a alegação de que a empresa da
admitindo-se, de ofício, a concessão da ordem qual o agravante era sócio estava absolutamente
ante a constatação de ilegalidade flagrante, abuso impossibilitada de efetuar o recolhimento das
de poder ou teratologia. contribuições devidas ao INSS, seria necessário o
2. Comprovado o pagamento integral dos débitos revolvimento de matéria fático-probatória,
oriundos da falta de recolhimento de contribuições procedimento que, conforme é cediço, é vedado
sociais, ainda que efetuado posteriormente ao em recurso especial, nos termos da Súmula n. 7
recebimento da denúncia, extingue-se a deste Superior Tribunal.
punibilidade, nos termos do 9º, § 2º, da Lei 5. Agravo regimental não provido.
10.684/03. (AgRg no AREsp 299.662/PB, Rel. Ministro
3. Habeas corpus não conhecido, mas, de ofício, ROGERIO SCHIETTI CRUZ, SEXTA TURMA,
concedida a ordem para determinar o trancamento julgado em 03/09/2015, DJe 23/09/2015)
da ação penal.
(HC 126.243/SP, Rel. Ministro NEFI CORDEIRO,
SEXTA TURMA, julgado em 06/08/2015, DJe Sexta Turma
26/08/2015) PENAL. PROCESSUAL PENAL. HABEAS CORPUS
SUBSTITUTIVO DE RECURSO ESPECIAL,
ORDINÁRIO OU DE REVISÃO CRIMINAL. NÃO
Sexta Turma CABIMENTO. ART.
www.penalemfoco.com.br

168-A, § 1º DO CP. APROPRIAÇÃO INDÉBITA 3. No caso dos autos, a denúncia foi ofertada a
PREVIDENCIÁRIA. DEMONSTRAÇÃO DO DOLO partir de inquérito policial instruído com
ESPECÍFICO. DESNECESSIDADE. representação fiscal para fins penais,
1. Ressalvada pessoal compreensão diversa, documentação que se revela suficiente para a
uniformizou o Superior Tribunal de Justiça ser deflagração da ação penal e que não impede o
inadequado o writ em substituição a recursos especial exercício do direito de defesa pelo acusado.
e ordinário, ou de revisão criminal, admitindo-se, de 4. Caso a defesa entenda que a íntegra do
ofício, a concessão da ordem ante a constatação de procedimento administrativo é essencial à
ilegalidade flagrante, abuso de poder ou teratologia. comprovação de suas teses, poderá, ela mesma,
2. Nos termos dos precedentes desta Corte, o dolo providenciar a sua juntada aos autos, uma vez que
exigível para o crime de apropriação indébita o recorrente, na qualidade de sócio e
previdenciária, pela natureza omissiva, exige administrador da pessoa jurídica por meio da qual
apenas a vontade livre e consciente de não teria sido praticado o delito contra a Previdência
recolher os valores descontados a título de Social, tem legitimidade para obtê-la junto ao
contribuições previdenciárias ao INSS. Assim, na órgão fazendário.
espécie, presente a justa causa para a ação penal. 5. Recurso improvido.
3. Habeas corpus não conhecido. (RHC 51.729/SP, Rel. Ministro LEOPOLDO DE
(HC 183.963/SP, Rel. Ministro NEFI CORDEIRO, ARRUDA RAPOSO (DESEMBARGADOR
SEXTA TURMA, julgado em 23/06/2015, DJe CONVOCADO DO TJ/PE), QUINTA TURMA, julgado
03/08/2015) em 23/06/2015, DJe 24/09/2015)

Quinta Turma Quinta Turma


RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS. PROCESSUAL PENAL. HABEAS CORPUS
APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. SUBSTITUTIVO DE RECURSO PRÓPRIO.
DENÚNCIA INSTRUÍDA COM INQUÉRITO POLICIAL APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. EX-
DEFLAGRADO A PARTIR DE REPRESENTAÇÃO PREFEITO. SUSPENSÃO DA PRETENSÃO
FISCAL PARA FINS PENAIS. DESNECESSIDADE PUNITIVA ESTATAL. PARCELAMENTO.
DE JUNTADA AOS AUTOS DO PROCESSO COMPROVAÇÃO MEDIANTE LEI MUNICIPAL
ADMINISTRATIVO FISCAL. INTELIGÊNCIA DO AUTORIZATIVA. INSUFICIÊNCIA. PENA-BASE.
DECRETO 2.730/1998 E DA PORTARIA 2.439/2010 EXASPERAÇÃO.
DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL. FUNDAMENTAÇÃO IDÔNEA.
DOCUMENTAÇÃO QUE PODE SER OBTIDA PELA 1. A jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça,
DEFESA CASO A REPUTE INDISPENSÁVEL PARA acompanhando a orientação da Primeira Turma do
A COMPROVAÇÃO DE SUAS TESES. Supremo Tribunal Federal, firmou-se no sentido de
CONSTRANGIMENTO ILEGAL INEXISTENTE. que o habeas corpus não pode ser utilizado como
DESPROVIMENTO DO RECLAMO. substituto de recurso próprio, sob pena de desvirtuar a
1. A íntegra do procedimento administrativo fiscal finalidade dessa garantia constitucional, exceto
não constitui peça obrigatória para o oferecimento quando a ilegalidade apontada é flagrante, hipótese
da denúncia nos crimes de apropriação indébita em que se concede a ordem de ofício.
previdenciária, que pode se embasar em quaisquer 2. A teor do disposto na Lei n. 10.684/2003, em seu
documentos que comprovem a constituição art. 9º, a inclusão no regime de parcelamento
definitiva do débito. Inteligência dos artigos 1º e 2º enseja a suspensão da pretensão punitiva do
do Decreto 2.730/1998 e da Portaria 2.439/2010. Estado, no que tange ao delito do art. 168-A do CP,
2. Esta Corte Superior de Justiça e o Supremo "durante o período em que a pessoa jurídica
Tribunal Federal têm admitido a comprovação da relacionada com o agente dos aludidos crimes
materialidade delitiva em ilícitos semelhantes ao estiver incluída no regime de parcelamento".
examinado no presente feito por meio de 3. Hipótese em que as instâncias ordinárias
documentos diversos do processo administrativo afastaram a aplicação do benefício estampado
fiscal. naquele dispositivo legal por considerar que a
www.penalemfoco.com.br

promulgação de lei municipal autorizando o 3. No caso dos autos, a sociedade empresária


parcelamento da dívida junto ao Fundo Municipal gerida pelos recorrentes aderiu ao REFIS em
de Previdência Social não basta para comprovar a 6.4.2000, data anterior à entrada em vigor da Lei
existência de um efetivo e real acordo, bem como 9.964/2000 (11.4.2000), e anterior, também, ao
que o eventual parcelamento realizado pelo recebimento da exordial acusatória, devendo
sucessor do paciente na gestão do município não incidir, pois, o disposto na Lei 9.249/1995, sendo
alcança o acusado, pois o ato de parcelar deveria de rigor a declaração de extinção da punibilidade.
ter sido efetuado pelo agente da prática criminosa Precedentes.
e não por terceira pessoa. 4. Recurso provido para determinar o trancamento
4. Controvertido o parcelamento, decidir de modo da Ação Penal n.
diverso implica, necessariamente, revolver o 0001371-58.2001.403.6106, em trâmite perante a 4ª
acervo probatório, providência que não se Vara da Subseção Judiciária de São José do Rio
coaduna com a via estreita do mandamus. Preto/SP.
Precedentes. (RHC 51.629/SP, Rel. Ministro JORGE MUSSI,
5. Devidamente justificada a fixação da pena-base em QUINTA TURMA, julgado em 10/02/2015, DJe
2 anos e 8 meses de reclusão, na valoração da única 20/02/2015)
circunstância judicial desfavorável ao acusado
(culpabilidade).
6. Habeas corpus não conhecido. Sexta Turma
(HC 246.372/MS, Rel. Ministro GURGEL DE FARIA, DIREITO PENAL. INOCORRÊNCIA DA EXTINÇÃO
QUINTA TURMA, julgado em 28/04/2015, DJe DA PUNIBILIDADE PELO PAGAMENTO DO DÉBITO
18/05/2015) PREVIDENCIÁRIO APÓS O TRÂNSITO EM
JULGADO DA CONDENAÇÃO.
Nos crimes de apropriação indébita previdenciária
Quinta Turma (art. 168-A do CP), o pagamento do débito
RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS. previdenciário após o trânsito em julgado da
APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. sentença condenatória não acarreta a extinção da
ADESÃO A PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO punibilidade. O art. 9º da Lei 10.684/2003 dispõe que:
FISCAL - REFIS - NA VIGÊNCIA DA LEI 9.249/1995 “É suspensa a pretensão punitiva do Estado, referente
E ANTES DO RECEBIMENTO DA DENÚNCIA. aos crimes previstos nos arts. 1º e 2º da Lei nº 8.137,
CAUSA DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. de 27 de dezembro de 1990, e nos arts. 168A e 337A
CONSTRANGIMENTO ILEGAL EVIDENCIADO. do Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 –
PROVIMENTO DO RECURSO. Código Penal, durante o período em que a pessoa
1. A Terceira Seção desta Egrégia Corte, no jurídica relacionada com o agente dos aludidos crimes
julgamento do RHC 11.598/SC, pacificou o estiver incluída no regime de parcelamento. § 1º A
entendimento de que, na vigência da Lei n. prescrição criminal não corre durante o período de
9.249/95, ocorrendo o parcelamento do débito suspensão da pretensão punitiva. § 2º Extingue-se a
antes do recebimento da denúncia, extingue-se a punibilidade dos crimes referidos neste artigo quando
punibilidade do agente, ainda que não se tenha a pessoa jurídica relacionada com o agente efetuar o
efetuado seu o pagamento integral. pagamento integral dos débitos oriundos de tributos e
2. Firmou-se nesta Corte Superior de Justiça o contribuições sociais, inclusive acessórios”. O referido
entendimento de que a incidência das regras de dispositivo trata da extinção da punibilidade pelo
extinção da punibilidade nas hipóteses de pagamento da dívida antes do trânsito em julgado da
parcelamento do crédito tributário, disciplinadas condenação, uma vez que faz menção expressa à
de formas distintas pelas nas Leis 9.249/1995 e pretensão punitiva do Estado. Dessa forma, não há
9.964/2000, depende da data na qual ocorreu a que se falar em extinção da punibilidade pelo
adesão ao respectivo programa, sendo certo que a pagamento quando se trata de pretensão executória,
partir do último diploma legal tal fato apenas dá como na hipótese em análise. Precedente do STJ:
ensejo à suspensão da pretensão punitiva até a RHC 29.576-ES, Quinta Turma, DJe 26/2/2014.
quitação integral das parcelas. Precedente do STF: QO na AP 613-TO, Plenário,
www.penalemfoco.com.br

DJe 4/6/2014. HC 302.059-SP, Rel. Min. Maria A prescrição da pretensão punitiva do crime de
Thereza de Assis Moura, julgado em 5/2/2015, DJe apropriação indébita previdenciária (art. 168-A do
11/2/2015. CP) permanece suspensa enquanto a exigibilidade
do crédito tributário estiver suspensa em razão de
decisão de antecipação dos efeitos da tutela no
Quinta Turma juízo cível. Isso porque a decisão cível acerca da
PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO exigibilidade do crédito tributário repercute diretamente
ESPECIAL. APROPRIAÇÃO INDÉBITA no reconhecimento da própria existência do tipo penal,
PREVIDENCIÁRIA. VALOR DO DÉBITO SUPERIOR visto ser o crime de apropriação indébita
A DEZ MIL REAIS. PRINCÍPIO DA previdenciária um delito de natureza material, que
INSIGNIFICÂNCIA. INAPLICABILIDADE. pressupõe, para sua consumação, a realização do
I - A Terceira Seção desta eg. Corte Superior lançamento tributário definitivo. RHC 51.596-SP, Rel.
firmou orientação, no julgamento do Recurso Min. Felix Fischer, julgado em 3/2/2015, DJe
Especial representativo da controvérsia n. 24/2/2015.
1.112.748/TO, de minha relatoria, que, no crime de
descaminho, o princípio da insignificância
somente afasta a tipicidade da conduta se o valor Quinta Turma
dos tributos elididos não ultrapassar a quantia de PROCESSUAL PENAL. RECURSO ORDINÁRIO EM
dez mil reais, estabelecida no art. 20 da Lei n. HABEAS CORPUS. APROPRIAÇÃO INDÉBITA
10.522/02. PREVIDENCIÁRIA. TRANCAMENTO DA AÇÃO
II - A publicação da Portaria MF 75/2012, por não PENAL. CRÉDITO COM INEXIGIBILIDADE
possuir força legal, não tem o condão de modificar SUSPENSA POR FORÇA DE TUTELA
o patamar para aplicação do princípio da ANTECIPADA. REFLEXO NA PRESCRIÇÃO DA
insignificância (REsp n. 1.393.317/PR, Sexta PRETENSÃO PUNITIVA. FLUÊNCIA DO PRAZO.
Turma, Rel. Min. Rogério Schietti Cruz, DJe de INOCORRÊNCIA.
2/12/2014). PRESCRIÇÃO EM PERSPECTIVA.
III - "A Lei nº 11.457/07 considerou como dívida IMPOSSIBILIDADE. ENUNCIADO 438 DA SÚMULA
ativa da União também os débitos decorrentes das DO STJ. ABSOLVIÇÃO SUMÁRIA, ERRO DE
contribuições previdenciárias, conferindo-lhes PROIBIÇÃO INVENCÍVEL E CAUSA SUPRALEGAL
tratamento semelhante ao que é dado aos créditos EXCLUDENTE DE CULPABILIDADE.
tributários. Dessa forma, não há porque fazer REVOLVIMENTO DA MATÉRIA FÁTICO-
distinção, na esfera penal, entre os crimes de PROBATÓRIA. RECURSO DESPROVIDO.
descaminho, de apropriação indébita ou de I - A jurisprudência do excelso Supremo Tribunal
sonegação de contribuição previdenciária, razão Federal, bem como desta eg. Corte, há muito já se
pela qual é admissível a incidência do princípio da firmou no sentido de que o trancamento da ação penal
insignificância a estes últimos delitos, quando o por meio do habeas corpus é medida excepcional, que
valor do débito não for superior a R$ 10.000,00 somente deve ser adotada quando houver inequívoca
(dez mil reais)" (AgRg no REsp n. 1348074/SP, comprovação da atipicidade da conduta, da incidência
Quinta Turma, Rel. Min. Moura Ribeiro, DJe de de causa de extinção da punibilidade ou da ausência
26/8/2014). de indícios de autoria ou de prova sobre a
Agravo regimental desprovido. materialidade do delito, o que não ocorre no caso
(AgRg no REsp 1447953/SP, Rel. Ministro FELIX (Precedentes do STF e do STJ).
FISCHER, QUINTA TURMA, julgado em 05/02/2015, II - A denúncia deve vir acompanhada com o mínimo
DJe 18/02/2015) embasamento probatório, ou seja, com lastro
probatório mínimo apto a demonstrar, ainda que de
modo indiciário, a efetiva realização do ilícito penal por
Quinta Turma parte do denunciado. Em outros termos, é imperiosa
DIREITO PENAL. EFEITOS DA SUSPENSÃO DA existência de um suporte legitimador que revele de
EXIGIBILIDADE DE CRÉDITO TRIBUTÁRIO NA modo satisfatório e consistente, a materialidade do
PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA. fato delituoso e a existência de indícios suficientes de
www.penalemfoco.com.br

autoria do crime, a respaldar a acusação, de modo a SOCIETÁRIO. INÉPCIA DA DENÚNCIA. OFENSA


tornar esta plausível. Não se revela admissível a AO ART. 41 DO CPP CONFIGURADA. DESCRIÇÃO
imputação penal destituída de base empírica idônea o INSUFICIENTE DA CONDUTA TÍPICA. AMPLA
que implica a ausência de justa causa a autorizar a DEFESA.
instauração da persecutio criminis in iudicio. EXERCÍCIO COMPROMETIDO. NECESSIDADE DE
III - Não se pode discutir a ausência de justa causa SE INDIVIDUALIZAR MINIMAMENTE A CONDUTA
para a propositura da ação penal, em sede de habeas PRATICADA PELO ACUSADO. SENTENÇA
corpus, se necessário um minucioso exame do RESTABELECIDA.
conjunto fático-probatório em que sucedeu a infração 1. O agravo regimental não merece prosperar,
(Precedentes). Na hipótese, há, com os dados porquanto as razões reunidas na insurgência são
existentes até aqui, o mínimo de elementos que incapazes de infirmar o entendimento assentado na
autorizam o prosseguimento da ação penal, sendo por decisão agravada.
demais prematura a pretensão de seu trancamento 2. Adverte a jurisprudência desta Corte e do
(Precedentes do STF e do STJ). Supremo Tribunal Federal que a descrição das
IV - Se o crédito tributário permaneceu com a condutas dos acusados na denúncia dos
exigibilidade suspensa em razão de antecipação denominados crimes societários não necessita
dos efeitos da tutela, a prescrição da pretensão cumprir todos os rigores do art. 41 do Código de
punitiva também deve permanecer suspensa, Processo Penal, devendo-se firmar pelas
tendo em vista que a decisão cível acerca da particularidades da atividade coletiva da empresa.
exigibilidade do crédito tributário repercute 3. Isso não significa que se deva aceitar descrição
diretamente no reconhecimento da própria genérica baseada unicamente na informação da
existência do tipo penal, visto ser o crime de condição de acionista, de sócio, ou de
apropriação indébita previdenciária um delito de representante legal de pessoa jurídica ligada a
natureza material, que "pressupõe, para sua eventual prática criminosa, porquanto a
consumação, a realização do lançamento tributário responsabilização por infrações penais deve levar
definitivo, momento a partir do qual começa a em conta, qualquer que seja a natureza delituosa,
contagem do prazo prescricional" (HC n. sempre a subjetivação do ato e do agente do
209712/SP, Quinta Turma, Rel. Ministra Laurita Vaz, crime.
DJe de 23/5/2013). 4. É inepta a denúncia pela prática do crime de
V - "É inadmissível a extinção da punibilidade pela apropriação indébita previdenciária quando
prescrição da pretensão punitiva com fundamento em fundada tão somente na circunstância de o
pena hipotética, independentemente da existência ou acusado constar do quadro societário da empresa.
sorte do processo penal" (en. 438 da súmula do STJ). É necessário o mínimo de individualização da
VI - Na espécie, concluir pela absolvição sumária do conduta e a indicação do nexo de causalidade
recorrente, assim como acatar as teses de erro de entre esta e o delito de que se trata, sem o que fica
proibição invencível e de causa supralegal de impossibilitado o exercício da ampla defesa.
excludente de culpabilidade demandaria revolvimento 5. Agravo regimental improvido.
da matéria fático-probatória, inviável na estreita via (AgRg no AREsp 484.238/MG, Rel. Ministro
cognitiva do habeas corpus. SEBASTIÃO REIS JÚNIOR, SEXTA TURMA, julgado
Recurso ordinário desprovido. em 04/12/2014, DJe 18/12/2014)
(RHC 51.596/SP, Rel. Ministro FELIX FISCHER,
QUINTA TURMA, julgado em 03/02/2015, DJe
24/02/2015) Terceira Seção
PENAL. EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA.
CARACTERIZAÇÃO DO DELITO DE
Sexta Turma APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA -
AGRAVO REGIMENTAL EM AGRAVO EM ART. 168-A DO CÓDIGO PENAL.
RECURSO ESPECIAL. PENAL E PROCESSO TIPICIDADE. DOLO ESPECÍFICO (ANIMUS REM
PENAL. APROPRIAÇÃO INDÉBITA SIBI HABENDI).
PREVIDENCIÁRIA. ART. 168-A DO CP. CRIME COMPROVAÇÃO.
www.penalemfoco.com.br

DESNECESSIDADE. DEFINITIVAMENTE CONSTITUÍDO QUANTO À


I - Observa-se que a infração penal tipificada no PESSOA JURÍDICA QUE É A DEVEDORA
art. 168-A do Código Penal constitui-se em delito PRINCIPAL.
omissivo próprio. O núcleo do tipo é o verbo DESNECESSIDADE DE ESGOTAMENTO DA VIA
deixar, que se perfaz com a simples conduta ADMINISTRATIVA QUANTO A CADA UM DOS
negativa do sujeito, caracterizando-se com o não ACUSADOS NO PROCESSO CRIMINAL.
fazer o que a lei determina, sendo desnecessária, CONSTRANGIMENTO ILEGAL NÃO
para a configuração do crime, a comprovação do CARACTERIZADO. DESPROVIMENTO DO
fim específico de apropriar-se dos valores RECLAMO.
destinados à Previdência Social consistente no 1. Segundo entendimento adotado por esta Corte
animus rem sibi habendi. Superior de Justiça, os crimes de sonegação de
II - Não se deve emprestar maior relevo à contribuição previdenciária e apropriação indébita
nomenclatura utilizada pelo legislador na edição previdenciária, por se tratarem de delitos de
da Lei nº 9.983/2000, para definir o crime - caráter material, somente se configuram após a
apropriação indébita previdenciária -, de modo a se constituição definitiva, no âmbito administrativo,
considerar como elemento do tipo o dolo das exações que são objeto das condutas
específico, a vontade livre e consciente do sujeito (Precedentes).
de se apropriar dos valores relativos às 2. Quando os ilícitos tributários são praticados na
contribuições, a exemplo do que ocorre no crime gestão de pessoas jurídicas e em favor destas, é
de apropriação indébita. Ao contrário deste, que é irrelevante, para a persecução penal, que os
crime de resultado, a apropriação indébita responsáveis pelas condutas delituosas tenham
previdenciária é crime formal; a intenção integrado pessoalmente a relação procedimental
específica ou vontade de se beneficiar com a deflagrada na esfera administrativa com a
ausência do recolhimento nada tem a ver com a finalidade de constituir o crédito.
consumação do fato que ocorre no momento que 3. No caso dos autos, após a constituição
ele deixa de recolher as contribuições no prazo definitiva do crédito previdenciário, o recorrente
legal. impetrou mandado de segurança que foi julgado
III- A Terceira Seção, no julgamento do EREsp procedente para determinar o reinício do
1296631/RN, Relatora Ministra LAURITA VAZ, procedimento administrativo fiscal tão somente no
TERCEIRA SEÇÃO, DJe 17/09/2013, pacificou o que se refere a ele, excluindo seu nome da CDA de
entendimento da desnecessidade do dolo n. 31.138.871-1 e intimando-o do lançamento para,
específico para se configurar o delito de querendo, providenciar sua defesa.
apropriação indébita previdenciária. 4. O simples fato de o procedimento administrativo
IV - Embargos acolhidos. haver sido anulado quando ao recorrente não
(EREsp 1207466/ES, Rel. Ministro GURGEL DE interfere na comprovação da materialidade dos
FARIA, TERCEIRA SEÇÃO, julgado em 22/10/2014, delitos a ele assestados, uma vez que teriam sido
DJe 06/11/2014) praticados no âmbito de pessoa jurídica com
relação a quem o crédito previdenciário permanece
definitivamente constituído, o que é suficiente para
Quinta Turma que possa ser deflagrada a persecução penal.
RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS. 5. Recurso improvido.
APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA E (RHC 40.411/RJ, Rel. Ministro JORGE MUSSI,
SONEGAÇÃO DE CONTRIBUIÇÕES QUINTA TURMA, julgado em 23/09/2014, DJe
PREVIDENCIÁRIAS (ARTIGOS 168-A E 337-A DO 30/09/2014)
CÓDIGO PENAL). CONSTITUIÇÃO DEFINITIVA DO
CRÉDITO PREVIDENCIÁRIO. INSTAURAÇÃO DA
AÇÃO PENAL. POSTERIOR ANULAÇÃO DO Sexta Turma
PROCESSO ADMINISTRATIVO APENAS QUANTO AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL.
AO RECORRENTE POR IRREGULARIDADE DIREITO PENAL. ART. 168-A DO CP.
FORMAL. CRÉDITO QUE PERMANECE APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA.
www.penalemfoco.com.br

CAUSA SUPRALEGAL DE EXCLUSÃO DA Quinta Turma


CULPABILIDADE. REGULAR ESCRITURAÇÃO DOS AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL.
DESCONTOS. CRIME DE APROPRIAÇÃO INDÉBITA
INEXIGIBILIDADE DE CONDUTA DIVERSA. PREVIDENCIÁRIA. ART. 168-A, DO CP.
DIFICULDADES FINANCEIRAS. MAJORAÇÃO DA PENA-BASE. JUÍZO DE VALOR
EXCLUSÃO DE CULPABILIDADE. ABSOLVIÇÃO NEGATIVO. CONSEQUÊNCIAS DO CRIME.
APONTADA NA ORIGEM. EXCESSIVO PREJUÍZO AOS COFRES PÚBLICOS.
IMPOSSIBILIDADE. CRIME OMISSIVO PRÓPRIO. POSSIBILIDADE. MANUTENÇÃO DA DECISÃO
CONDUTA TÍPICA VERIFICADA NOS PRESENTES AGRAVADA.
AUTOS. AGRAVO REGIMENTAL NÃO PROVIDO.
1. Na via especial, a discussão acerca da 1. A fixação da pena-base acima do mínimo legal
classificação jurídica dos fatos dispostos nos autos foi devidamente fundamentada, quando da análise
mitiga a incidência da Súmula 7/STJ. das consequências do crime, na vultosa perda de
2. No que tange ao delito de apropriação indébita arrecadação de recursos públicos e não em virtude
previdenciária, este Superior Tribunal considera da vítima ser a Previdência Social.
que constitui crime omissivo próprio, que se 2. O Superior Tribunal de Justiça tem
perfaz com a mera omissão de recolhimento da posicionamento firme no sentido de que, na
contribuição previdenciária dentro do prazo e das apropriação indébita previdenciária, o juízo de
formas legais, prescindindo, portanto, do dolo valor negativo das consequências do crime
específico. autoriza a majoração da sanção básica quando
3. O agravo regimental não merece prosperar, verificado o excessivo prejuízo ao Erário Público.
porquanto as razões reunidas na insurgência são 3. Agravo regimental não provido.
incapazes de infirmar o entendimento assentado na (AgRg no REsp 1364766/SP, Rel. Ministro MOURA
decisão agravada. RIBEIRO, QUINTA TURMA, julgado em 05/12/2013,
4. Agravo regimental improvido. DJe 11/12/2013)
(AgRg nos EDcl no REsp 1399138/PB, Rel. Ministro
SEBASTIÃO REIS JÚNIOR, SEXTA TURMA, julgado
em 04/09/2014, DJe 23/09/2014) Sexta Turma
RECURSO ESPECIAL. APROPRIAÇÃO INDÉBITA
PREVIDENCIÁRIA - ART. 168-A DO CÓDIGO
Quinta Turma PENAL. SONEGAÇÃO PREVIDENCIÁRIA - ART.
AGRAVO REGIMENTAL NO HABEAS CORPUS. 337-A DO CÓDIGO PENAL. CONTINUIDADE
APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. DELITIVA. POSSIBILIDADE. APROPRIAÇÃO
INQUÉRITO POLICIAL. PROCEDIMENTO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA PRATICADA EM
ADMINISTRATIVO FISCAL EM TRÂMITE. EMPRESAS DIVERSAS PERTENCENTES AO
TRANCAMENTO. VIABILIDADE. CRIME MATERIAL. MESMO GRUPO EMPRESARIAL. CRIME
RECURSO IMPROVIDO. CONTINUADO. POSSIBILIDADE.
1. A orientação pacífica desta Corte de Justiça é no 1. É possível o reconhecimento de crime
sentido de que o esgotamento da via continuado em relação aos delitos tipificados nos
administrativa em que se discute a existência, o artigos 168-A e 337-A do Código Penal, porque se
valor ou a exigibilidade da contribuição assemelham quanto aos elementos objetivos e
previdenciária é condição de procedibilidade para subjetivos e ofendem o mesmo bem jurídico
ação penal em que se apura delito tipificado no tutelado, qual seja, a arrecadação previdenciária.
artigo 168-A, do CP. 2. A prática de crimes de apropriação indébita
2. Agravo regimental a que se nega provimento. previdenciária em que o agente estiver à frente de
(AgRg no HC 151.296/RS, Rel. Ministro MOURA empresas distintas, mas pertencentes ao mesmo
RIBEIRO, QUINTA TURMA, julgado em 20/05/2014, grupo empresarial, não afasta o reconhecimento
DJe 23/05/2014) da continuidade delitiva.
3. Recurso especial a que se nega provimento.
www.penalemfoco.com.br

(REsp 859.050/RS, Rel. Ministro ROGERIO SUSPENSÃO DA AÇÃO PENAL E DO PRAZO


SCHIETTI CRUZ, SEXTA TURMA, julgado em PRESCRICIONAL. FATO NOVO.
03/12/2013, DJe 13/12/2013) INCLUSÃO DA EMPRESA EM PROGRAMA DE
PARCELAMENTO. MATÉRIA NÃO APRECIADA NA
CORTE A QUO. SUPRESSÃO DE INSTÂNCIA.
Quinta Turma CONCESSÃO DA ORDEM DE OFÍCIO. ART. 68 DA
PENAL E PROCESSUAL PENAL. AGRAVO LEI N. 11.941/2009.
REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL. 1 - Sobrevindo notícia nos autos, em petição
CRIME DE APROPRIAÇÃO INDÉBITA juntada pela defesa, de novo acordo firmado pelo
PREVIDENCIÁRIA NA FORMA CONTINUADA. recorrente com a Procuradoria-Geral da Fazenda
INEXIGIBILIDADE DE CONDUTA DIVERSA. Nacional para o reparcelamento dos débitos
DIFICULDADES FINANCEIRAS. tributários, objeto do presente recurso ordinário -
EXCLUDENTE DE CULPABILIDADE. NÃO ainda que essas alegações não tenham sido
OCORRÊNCIA. FIXAÇÃO DA PENA-BASE ACIMA submetidas à apreciação do órgão a quo - é
DO MÍNIMO LEGAL. CIRCUNSTÂNCIAS DO CRIME. cabível o deferimento da ordem de ofício, haja
MAJORAÇÃO DA PENA. vista manifesta ilegalidade imposta ao recorrente.
VIABILIDADE. REAPRECIAÇÃO DO CONJUNTO 2 - Presente prova inequívoca da reinserção dos
FÁTICO. IMPOSSIBILIDADE. débitos tributários no sistema de parcelamento
INCIDÊNCIA DA SÚMULA 7/STJ. fiscal, é de rigor determinar-se a suspensão da
1- No tocante à caracterização do crime de ação penal na origem e da prescrição da pretensão
apropriação indébita, o Tribunal a quo entendeu punitiva do Estado, nos termos do disposto no art.
estar caracterizada a materialidade do delito, 68 da Lei n.
consubstanciada na prova material dos descontos 11.941/2009.
e do não-recolhimento da contribuição 3 - Recurso ordinário não conhecido.
previdenciária dos empregados da empresa, bem 4 - Ordem concedida de ofício para determinar a
como a autoria delitiva, em razão dos testemunhos suspensão da ação penal n. 1999.61.10.000191-6 e
e das provas documentais acostadas aos autos. da prescrição da pretensão punitiva estatal, durante o
2- Quanto à configuração de inexigibilidade de período que a empresa estiver inscrita no regime de
conduta diversa, a Corte estadual entendeu que só parcelamento.
afasta a condenação a existência de prova robusta (RHC 34.215/SP, Rel. Ministro ROGERIO SCHIETTI
acerca da absoluta impossibilidade de efetuar os CRUZ, SEXTA TURMA, julgado em 24/09/2013, DJe
recolhimentos, não bastando a existência de 03/10/2013)
meras dificuldades, sendo que, nesse caso, a
prova técnica, oral e documental, não autoriza o
acolhimento de qualquer tese exculpatória do Sexta Turma
recorrente, tendo em conta que este não trouxe [PENAL. HABEAS CORPUS. OPERAÇÃO OURO
aos autos nenhum elemento de prova VERDE. APROPRIAÇÃO INDÉBITA
corroborasse a sua alegação. PREVIDENCIÁRIA. CRIME CONTRA A ORDEM
3 - Modificar tais premissas, necessitaria de TRIBUTÁRIA. PRÉVIO MANDAMUS
revolvimento de matéria fática. PARCIALMENTE DENEGADO. PRESENTE WRIT
4- Agravo regimental a que se NEGA SUBSTITUTIVO DE RECURSO ORDINÁRIO.
PROVIMENTO. INVIABILIDADE. VIA INADEQUADA. INQUÉRITO
(AgRg no REsp 1367353/SP, Rel. Ministro MOURA POLICIAL.
RIBEIRO, QUINTA TURMA, julgado em 19/11/2013, PROCESSO ADMINISTRATIVO PENDENTE.
DJe 25/11/2013) DISCUSSÃO SOBRE A EXIGIBILIDADE DO
TRIBUTO E DA CONTRIBUIÇÃO. DÚVIDA
RAZOÁVEL SOBRE A EXISTÊNCIA DOS
Sexta Turma CRÉDITOS PREVIDENCIÁRIO E TRIBUTÁRIO.
PROCESSUAL PENAL E PENAL. APROPRIAÇÃO AUSÊNCIA DE ELEMENTO NORMATIVO DOS
INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA.
www.penalemfoco.com.br

TIPOS. ATIPICIDADE. FLAGRANTE ILEGALIDADE. 1. O crime continuado é uma ficção jurídica criada
EXISTÊNCIA. por razões de política criminal, de modo que os
HABEAS CORPUS NÃO CONHECIDO. ORDEM crimes subsequentes devem ser considerados
CONCEDIDA DE OFÍCIO. como continuação do primeiro, estabelecendo o
1. É imperiosa a necessidade de racionalização do Código Penal um tratamento unitário à pluralidade
emprego do habeas corpus, em prestígio ao âmbito de de atos.
cognição da garantia constitucional e em louvor à 2. Observando-se a regra do critério trifásico, a
lógica do sistema recursal. In casu, foi impetrada pena de cada crime praticado em continuidade
indevidamente a ordem como substitutiva de recurso delitiva deve ser primeiramente individualizada. Só
ordinário. assim será possível identificar a mais grave, de
2. Enquanto houver processo administrativo modo a aplicar a fração de aumento decorrente da
questionando a existência, o valor ou a continuidade. Por isso, a valoração negativa das
exigibilidade de tributos e contribuição consequências do crime deve ter como parâmetro
previdenciária, atípicas são as condutas previstas o montante sonegado por ocasião da prática de
no artigo 2.º, inciso I, da Lei n.º 8.137/90 e no artigo cada conduta e não o montante total relativo à
168-A do Código Penal, que têm, como elemento soma dos crimes praticados.
normativo do tipo, a existência do crédito tributário 3. "É vedada a utilização de inquéritos policiais e
e da contribuição devida a ser repassada. ações penais em curso para agravar a pena-base."
3. Não importa violação à independência das (Súmula 444/STJ) 4. Recurso especial improvido.
esferas administrativa e judiciária o aguardo de (REsp 1196299/SP, Rel. Ministro MARCO AURÉLIO
decisum administrativo, no qual se constitui o BELLIZZE, QUINTA TURMA, julgado em 02/05/2013,
lançamento definitivo dos créditos. DJe 08/05/2013)
4. Na espécie, verifica-se manifesta ilegalidade
pois, versando a discussão no campo
administrativo sobre questão que interfere no Sexta Turma
próprio reconhecimento da justa causa para a AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL.
eventual ação penal, razoável se faz o trancamento PEDIDO DE PARCELAMENTO DO DÉBITO
do inquérito. TRIBUTÁRIO. VIGÊNCIA DAS LEIS Nº 9.964/00 E
5. Habeas corpus não conhecido. Ordem 10.684/03.
concedida, de ofício, a fim de determinar o SUSPENSÃO DO CURSO DO PROCESSO. ART. 34
trancamento do inquérito policial, sem prejuízo de DA LEI 9.249/95. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE.
renovação da persecução penal, diante da eventual INAPLICABILIDADE. AGRAVO REGIMENTAL A
superveniência de lançamento definitivo no feito QUE SE NEGA PROVIMENTO.
administrativo. 1. A Terceira Seção desta Corte, interpretando o
(HC 163.603/SC, Rel. Ministra MARIA THEREZA DE art. 34 da Lei nº 9.249/95, firmou o entendimento de
ASSIS MOURA, SEXTA TURMA, julgado em que o simples parcelamento do débito tributário
20/08/2013, DJe 03/09/2013) leva à extinção da punibilidade, desde que
efetuado na vigência da mencionada norma.
2. Tratando-se de crime supostamente praticado
RECURSO ESPECIAL. CRIMES DE APROPRIAÇÃO entre 1995-1998, tendo sido requerido o
INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA PRATICADOS EM parcelamento quando já em vigor o artigo 15 da Lei
CONTINUIDADE DELITIVA. PENA-BASE. 9.964/00 e posteriormente o artigo 9º da Lei
VALORAÇÃO NEGATIVA DAS CONSEQUÊNCIAS 10.684/03, a extinção da punibilidade fica
DO CRIME. IMPOSSIBILIDADE DE UTILIZAÇÃO DO condicionada ao seu pagamento integral.
MONTANTE TOTAL SONEGADO COMO Precedentes desta Corte e do Supremo Tribunal
PARÂMETRO. VIOLAÇÃO DO CRITÉRIO Federal.
TRIFÁSICO DE DOSIMETRIA DA PENA. 3. Agravo Regimental a que se nega provimento.
VALORAÇÃO NEGATIVA DA CONDUTA SOCIAL. (AgRg no REsp 1182214/SC, Rel. Ministra MARIA
IMPOSSIBILIDADE. SÚMULA 444/STJ. THEREZA DE ASSIS MOURA, SEXTA TURMA,
julgado em 07/03/2013, DJe 18/03/2013)
www.penalemfoco.com.br

II. A Medida Provisória não é o instrumento


normativo apropriado para dispor sobre Direito
Quinta Turma Penal, em razão do princípio da legalidade, que
AGRAVO REGIMENTAL EM AGRAVO impõe seja a matéria disciplinada pela Lei em seu
REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. PENAL E sentido estrito.
PROCESSUAL PENAL. CRIME DE APROPRIAÇÃO III. Não estando em vigor o art. 15 da Lei
INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. 9.964/2000, acerca dos efeitos penais da adesão ao
ADESÃO AO REFIS ANTES DO OFERECIMENTO programa REFIS vigorava o regime anterior que
DA DENÚNCIA AINDA NA VIGÊNCIA DA LEI N.º permitia a extinção da punibilidade, por força do
9.249/95. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. art.
PRECEDENTES. AGRAVO DESPROVIDO. 34 da Lei nº 9.249/95 e art. 61 do Código de
1. O parcelamento do débito fiscal deferido antes Processo Penal.
do recebimento da denúncia é causa extintiva da IV. Consoante reiterada jurisprudência desta Corte
punibilidade dos agentes para os crimes contra a Superior, nos termos do art. 34 da Lei n. 9.249/95 -
ordem tributária, a teor do art. 34 da Lei n.º em vigor ao tempo da adesão da empresa ao
9.249/95, ainda que não se tenha efetuado o referido programa fiscal, ocorrendo o
pagamento integral. parcelamento do débito antes do recebimento da
Precedentes. denúncia, extingue-se a punibilidade do agente,
2. Hipótese em que a empresa administrada pelo ainda que não efetuado o pagamento integral do
Réu optou pelo REFIS em 24/03/2000, ou seja, débito.
antes da publicação da Lei n.º 9.964 de 18/04/2000. V. Ordem concedida, nos termos do voto do
3. Decisão que se mantém por seus próprios Relator.
fundamentos. (HC 202.685/BA, Rel. Ministro GILSON DIPP,
4. Agravo regimental desprovido. QUINTA TURMA, julgado em 12/06/2012, DJe
(AgRg no AgRg no REsp 1213068/RN, Rel. Ministra 20/06/2012)
LAURITA VAZ, QUINTA TURMA, julgado em
19/02/2013, DJe 28/02/2013)
Terceira Seção
RECLAMAÇÃO. PENAL. FORMAÇÃO DE
Quinta Turma QUADRILHA, FALSIDADE IDEOLÓGICA E
CRIMINAL. HABEAS CORPUS. APROPRIAÇÃO LAVAGEM DE DINHEIRO. OFERECIMENTO DE
INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. ADESÃO AO DENÚNCIA. DESRESPEITO À DECISÃO
PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO FISCAL - REFIS PROFERIDA NO PEDIDO DE EXTENSÃO NO HC N.
ANTES DA VIGÊNCIA DA LEI N. 9.964/2000. 53.033/BA. INEXISTÊNCIA.
VIGÊNCIA DA MEDIDA PROVISÓRIA N. 200.4-6, DE SONEGAÇÃO FISCAL E APROPRIAÇÃO INDÉBITA
10/03/2000. DISPOSIÇÃO SOBRE MATÉRIA PENAL. PREVIDENCIÁRIA.
VEDAÇÃO. PARCELAMENTO DO DÉBITO ANTES DESCUMPRIMENTO PARCIAL. NECESSIDADE DE
DO RECEBIMENTO DA DENÚNCIA. ART. 34 DA LEI CONSTITUIÇÃO DEFINITIVA DE CRÉDITO
N. 9.249/95. TRIBUTÁRIO.
PAGAMENTO INTEGRAL DO DÉBITO. 1. A ordem concedida em favor do paciente,
DESNECESSIDADE. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. quando do deferimento do pedido de extensão no
ORDEM CONCEDIDA. HC n. 53.033/BA, limitou-se a obstar a deflagração
I. Na hipótese dos autos as notificações fiscais de de inquérito policial, enquanto não constituído
lançamento de débito relacionadas à empresa definitivamente o crédito tributário, tão somente
Peval Mineração S/A compõem parcelamento quanto ao delito de sonegação fiscal.
incluído no Programa de Recuperação Fiscal - 2. Constatação de plano de que inexistiu
REFIS em 22/03/2000, antes, portanto, da entrada desrespeito à ordem concedida por esta Corte, em
em vigor da Lei n. razão do oferecimento de denúncia pela suposta
9.964/2000. Vigorava a Medida Provisória n. 2.004- prática dos delitos tipificados nos arts. 288 e 299
6, de 10/03/2000. do Código Penal (formação de quadrilha e
www.penalemfoco.com.br

falsidade ideológica), bem como no art. 1º, caput e 9. Reclamação parcialmente procedente para
inciso VII, da Lei n. 9.613/1998 (lavagem e determinar o trancamento parcial da ação penal,
ocultação de bens, direitos e valores, praticado por apenas em relação à imputação de prática dos
organização criminosa). crimes tipificados nos arts. 1º, I e III, da Lei n.
3. A Sexta Turma, ao deferir o pedido de extensão 8.137/1990 e 168 e 168-A do Código Penal que
pela ausência de constituição de crédito tributário, digam respeito a créditos tributários pendentes de
em nenhum momento afirmou que, para que a constituição definitiva na data do oferecimento da
referida condição objetiva de punibilidade se denúncia.
fizesse presente, seria necessário que houvesse (Rcl 5.064/BA, Rel. Ministro SEBASTIÃO REIS
lançamento definitivo em desfavor do ora JÚNIOR, TERCEIRA SEÇÃO, julgado em
reclamante. 23/05/2012, DJe 01/06/2012)
4. Pela leitura da denúncia, verifica-se que, em
diversas situações, já houve a constituição do
referido crédito, seja em nome de coparticipantes Terceira Seção
da empreitada criminosa (Joice Fontes Barbosa, CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA.
Segismundo Secemski) ou de pessoa jurídica da APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA E
qual o reclamante ou corréus seriam sócios ou ESTELIONATO. PAGAMENTO INTEGRAL DO
administradores, ainda que, como no caso do DÉBITO. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PELA
reclamante, de maneira informal (Diverbingos JUSTIÇA FEDERAL DO CRIME PREVISTO NO
Administradora de Eventos Ltda.). ARTIGO 168-A DO CÓDIGO PENAL. DELITO
5. O fato de não ter sido oferecida denúncia em REMANESCENTE. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA
relação a Segismundo Secemski, em razão de seu ESTADUAL.
falecimento, não retira a aptidão dos créditos 1. Tendo sido extinta a punibilidade do crime de
tributários - que contra ele haviam sido apropriação indébita previdenciária, em razão do
constituídos - de dar suporte à ação penal na qual pagamento integral do débito, a apuração de
são imputadas condutas que com ele teriam sido eventual crime de estelionato será da competência
praticadas pelo reclamante, em concurso de da Justiça Estadual, porquanto praticado contra
agentes. particular e inexistente qualquer interesse da
6. Se os delitos foram praticados em concurso de União.
pessoas, quanto às condutas nas quais houve o 2. Conflito conhecido para declarar competente o
lançamento definitivo tributário, em nome de Juízo de Direito da 1ª Vara Criminal de
corréus ou de empresas a eles ligadas, está Araraquara/SP, o suscitado.
satisfeita a condição objetiva de punibilidade, uma (CC 122.195/SP, Rel. Ministro MARCO AURÉLIO
vez que a ordem concedida por esta Corte não BELLIZZE, TERCEIRA SEÇÃO, julgado em
impôs a limitação de que a inscrição na dívida 23/05/2012, DJe 11/06/2012)
ativa deveria ser feita em nome do ora reclamante.
7. Hipótese, contudo, em que, segundo a denúncia,
alguns tributos cuja sonegação nela é descrita
ainda careceriam de inscrição definitiva, razão pela Quinta Turma
qual, em relação a elas, a instauração da PROCESSUAL PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NO
persecução penal desrespeitou a ordem concedida RECURSO ESPECIAL. APROPRIAÇÃO INDÉBITA
por esta Corte. PREVIDENCIÁRIA. INÉPCIA DA DENÚNCIA. NÃO
8. A individualização de qual imputação está DESCRIÇÃO DA EFETIVA PARTICIPAÇÃO DO
amparada por crédito tributário definitivamente PREFEITO NO CRIME DENUNCIADO.
constituído exige exame aprofundado das provas RESPONSABILIDADE PENAL OBJETIVA.
que lastrearam a acusação, o que é incompatível AUSÊNCIA DE IMPUGNAÇÃO DO FUNDAMENTO
com a via estreita da Reclamação constitucional, DO DECISUM AGRAVADO. SÚMULA 182/STJ.
razão pela qual caberá ao Juízo de primeiro grau AGRAVO NÃO CONHECIDO.
proceder a essa análise.
www.penalemfoco.com.br

1. A falta de impugnação específica dos fundamentos RECURSO PARCIALMENTE CONHECIDO E,


utilizados na decisão agravada atrai a incidência do NESSA EXTENSÃO, DESPROVIDO.
Enunciado Sumular 182 desta Corte Superior. 1. A alegada contrariedade a dispositivo de lei federal,
2. Ainda que assim não fosse, vale destacar que a sem, no entanto, desenvolver argumentos ou
peça vestibular acusatória não descreveu, demonstrar de que maneira o acórdão recorrido teria
suficientemente, como teria ocorrido a participação do violado a norma, atrai a incidência da Súmula n.º 284
denunciado no possível crime de apropriação indébita do Excelso Pretório.
previdenciária. 2. A nulidade da audiência de inquirição das
3. "O simples fato de o réu ser ex-Prefeito do testemunhas não implica necessariamente sejam
Município não autoriza a instauração de processo declarados também nulos os atos posteriores.
criminal por crimes praticados durante seu Não há como ser reconhecido o vício, que tem caráter
mandato, se não restar comprovado, ainda que relativo, se dele não resultou qualquer prejuízo
com elementos a serem aprofundados no decorrer comprovado para o acusado.
da ação penal, a mínima relação de causa e efeito 3. No caso, o aresto hostilizado consignou que as
entre as imputações e a sua condição de gestor da oitivas realizadas em nada interferiram nas teses
municipalidade, sob pena de se reconhecer a defensivas, bem assim não desabonaram a conduta
responsabilidade penal objetiva" (HC 53.466/PB, do Réu. Dessa forma, não há indicação da utilidade da
Rel. Ministro GILSON DIPP, Quinta Turma, DJ medida requerida, restando imperiosa a conclusão de
22/05/2006) 4. Se a inicial acusatória não descreve que não há prejuízo para a Defesa.
minimamente as condutas delituosas 4. Para configurar o crime de apropriação indébita
supostamente praticadas, ela é considerada previdenciária, não se revela imprescindível a
inepta, pois impede o exercício da ampla defesa prova pericial, podendo a materialidade ser
pelo acusado, que deve se defender dos fatos embasada nos procedimentos administrativo ou
narrados, ainda que sucintamente, na exordial. fiscal, como na hipótese. Ademais, essa diligência
5. Agravo regimental não conhecido. foi requerida somente nas razões da apelação
(AgRg no REsp 1166311/MG, Rel. Ministro JORGE criminal, restando preclusa a matéria.
MUSSI, QUINTA TURMA, julgado em 15/03/2012, 5. Insta sobrelevar, ainda, que as instâncias ordinárias
DJe 22/03/2012) procederam a minucioso cotejo do elementos coligidos
durante a instrução criminal e, a partir do seu exame,
Quinta Turma apresentaram fundamentos coerentes para a
RECURSO ESPECIAL. PENAL. APROPRIAÇÃO condenação. Dessa forma, reconhecer a pretensa falta
INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. TESE DE VIOLAÇÃO de provas esbarra no óbice contido na Súmula n.º 7
AO ART. 619 DO CÓDIGO DE PROCESSO PENAL. desta Corte.
AUSÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE TESE. 6. Nos crimes de autoria coletiva, é prescindível a
MERA ALEGAÇÃO DE OFENSA AOS descrição minuciosa e individualizada da ação de cada
DISPOSITIVOS LEGAIS. SÚMULA N.º 284 DO acusado, bastando a narrativa das condutas
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. NEGATIVA DE delituosas e da suposta autoria, com elementos
VIGÊNCIA AO ART. 573, § 1.º, DO CÓDIGO DE suficientes para garantir o direito à ampla defesa e ao
PROCESSO PENAL. NÃO OCORRÊNCIA. contraditório, como verificado na hipótese.
ARGUIÇÃO DE NULIDADE RELATIVA. PREJUÍZO 7. No caso, a inicial acusatória descreve as condutas
NÃO DEMONSTRADO. delituosas do Recorrente, relatando, em linhas gerais,
DIFICULDADES FINANCEIRAS. ESTADO DE os elementos indispensáveis para a demonstração da
NECESSIDADE. INEXIGIBILIDADE DE CONDUTA existência do crime em tese praticado, bem assim os
DIVERSA. FALTA DE PROVA PERICIAL. indícios suficientes para a deflagração da persecução
CERCEAMENTO DE DEFESA NÃO CONFIGURADO. penal.
REEXAME PROBATÓRIO. SÚMULA N.º 7 DESTA 8. Recurso parcialmente conhecido e, nessa extensão,
CORTE. AFRONTA AO ART. 41 DO CÓDIGO DE desprovido.
PROCESSO PENAL. ALEGADA INÉPCIA DA (REsp 1044537/RS, Rel. Ministra LAURITA VAZ,
INICIAL ACUSATÓRIA. IMPROCEDÊNCIA. QUINTA TURMA, julgado em 25/10/2011, DJe
07/11/2011)
www.penalemfoco.com.br

novo sob exame do STF, mas, como até agora não há


decisão do tema na Corte Suprema, continua a
Sexta Turma prevalecer o entendimento jurisprudencial de ser
AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. necessário o esgotamento da via administrativa para o
APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. início de apuração da apropriação indébita da
PROPOSITURA DA AÇÃO PENAL ANTES DA contribuição previdenciária. Isso posto, no caso,
VIGÊNCIA DA LEI INSTITUIDORA DO REFIS. ressalta o Min. Relator que, conforme informação
ARTIGO 15 DA LEI N. 9.964/2000. APLICAÇÃO contida nos autos, são dois lançamentos, um deles foi
RETROATIVA. POSSIBILIDADE. SUSPENSÃO DA impugnado pela via administrativa e o outro não.
PRETENSÃO PUNITIVA DO ESTADO. CABIMENTO. Assim, a Turma, ao prosseguir o julgamento,
SÚMULA N. 83 DO STJ APLICÁVEL TAMBÉM AO concedeu parcialmente a ordem de HC para trancar o
APELO NOBRE PELA ALÍNEA "A" DO inquérito quanto à notificação fiscal de um deles em
PERMISSIVO CONSTITUCIONAL. razão do recurso administrativo pendente.
1. A orientação jurisprudencial consolidada na Súmula Precedentes citados: RHC 22.717-PR, DJe 29/6/2009,
n. 83 desta Corte é aplicável também aos recursos e HC 96.348-BA, DJe 4/8/2008. HC 97.789-SP,
especiais fundados na alínea "a" do art. 105, III da Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, julgado em
Constituição da República. E isto, porque, se a 3/12/2009.
jurisprudência do Tribunal se firmou no mesmo sentido
do acórdão recorrido, não há se cogitar de ofensa, por
parte deste último, à lei federal. Sexta Turma
2. "Nos termos do art. 5º, inciso XL, da CONTRIBUIÇÃO PREVIDNCIÁRIA. APROPRIAÇÃO.
Constituição Federal é de se aplicar o art. 15 da Lei A Turma, prosseguindo o julgamento, proveu o
nº 9.964/2000 retroativamente às hipóteses em que agravo, entendendo que, no crime de apropriação
a adesão ao REFIS se deu após o recebimento da indébita de contribuição previdenciária, a conduta
denúncia, mas a persecutio criminis in iudicio teve omissiva delimitada no art. 13, § 2º, do CP deve vir
início antes da entrada em vigor da lei instituidora pautada pelo desvalor do resultado, por inexistir o
do referido programa (Precedentes desta Corte e dolo na conduta não intencional, como a que não
do Pretório Excelso).Recurso desprovido." (EREsp se realizou por circunstância fora das condições
n. 659.081/SP, Rel. Min. FELIX FISCHER, DJ do empresário. Na hipótese, a vontade de se
30/10/2006). apropriar dos valores descontados dos salários dos
4. Decisão que deve ser mantida pelos seus próprios empregados sem motivo justo deve ser discutido já
fundamentos. com a imputação da denúncia, sob pena de aceitar a
3. Agravo interno ao qual se nega provimento. prática do crime, mesmo diante da impossibilidade de
(AgRg no REsp 795.184/SP, Rel. Ministro CELSO efetuar o recolhimento. Desse modo, no caso de
LIMONGI (DESEMBARGADOR CONVOCADO DO empresa acometida de grave crise financeira,
TJ/SP), SEXTA TURMA, julgado em 16/12/2010, DJe comprovada a sua impossibilidade de agir, cabível o
01/02/2011) reconhecimento da atipicidade diante da falta de prova
da responsabilidade subjetiva. Cabe, portanto, exigir
que a denúncia demonstre o dolo específico, não
Quinta Turma configurado na espécie. Precedentes citados: REsp
APROPRIAÇÃO INDÉBITA. CONTRIBUIÇÃO 63.986-PR, DJ 28/8/1995, e REsp 866.394-RJ, DJe
PREVIDENCIÁRIA. 22/4/2008. AgRg no REsp 695.487-CE, Rel. Min.
É cediço que, conforme recente orientação do STF, Maria Thereza de Assis Moura, julgado em
o esgotamento da via administrativa na qual se 10/11/2009.
discute a exigibilidade do tributo é condição de
procedibilidade para a instauração de inquérito
policial a fim de apurar o delito tipificado no art. Sexta Turma
168-A, § 1º, I, do CP e esse entendimento passou a APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA.
nortear os julgados sobre a matéria neste Superior INQUÉRITO. PROCESSO CÍVEL PENDENTE.
Tribunal. Também se destacou que a matéria está de
www.penalemfoco.com.br

Trata-se de HC no qual se busca trancar o inquérito conduta prevista no art. 168-A do CP, que tem,
policial que apura a ocorrência de delito previsto no como elemento normativo do tipo a existência da
art. 168-A do CP. A instauração do mencionado contribuição devida a ser repassada. Não importa
inquérito decorreu de fiscalização na empresa do ora violação da independência das esferas
paciente que resultou na existência de débito referente administrativa e judiciária o aguardo da decisão
à notificação fiscal de lançamento de débito (NFLD). administrativa, a quem cabe efetuar o lançamento
Ocorre que houve compensação administrativa da definitivo. HC 128.672-SP, Rel. Min. Maria Thereza
NFLD com um crédito do paciente perante a de Assis Moura, julgado em 5/5/2009.
Previdência Social, a qual, posteriormente e sem
notificação prévia, foi desfeita. Assim, o paciente
ajuizou uma ação ordinária na qual foi concedida uma Quinta Turma
antecipação de tutela a fim de responder à APROPRIAÇÃO INDÉBITA. INSS.
exigibilidade do crédito da NFLD. Uma vez suspensa CRIME MATERIAL.
a exigibilidade do crédito previdenciário, Apesar de o STJ já ter firmado o entendimento de que
necessário o exaurimento de instância cível para a são os crimes contra a ordem tributária que
condição de procedibilidade em eventual ação necessitam, para sua caracterização, do
penal, pois somente deveria ser repassada a exaurimento da via administrativa, recentemente, o
contribuição quando houvesse certeza de sua STF firmou a orientação de que também os crimes
existência, seu valor e sua exigibilidade. Contudo, de sonegação e apropriação indébita de
não é caso de trancamento do inquérito policial. contribuições previdenciárias têm natureza
Deve-se suspender o inquérito até a decisão final material, a exigir a ocorrência de resultado
na esfera cível. Deve-se aguardar o seu resultado naturalístico para sua consumação: o dano à
para então verificar se há justa causa, pois a Previdência. Desse modo, nesses casos, faz-se
tipicidade do crime pelo qual foi acusado necessita necessário, a fim de se vislumbrar justa causa
da solução definitiva no cível. HC 146.013-MS, Rel. para instauração de inquérito policial, o
Min. Maria Thereza de Assis Moura, julgado em esgotamento da via administrativa, tido como
20/10/2009. condição de procedibilidade para a ação penal,
pois o suposto crédito pendente de lançamento
definitivo impede a configuração daqueles delitos
Sexta Turma e a contagem do prazo prescricional. Precedente
APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA. citado do STF: INQ 2.537-GO, DJ 13/6/2008. HC
PROCESSO ADMINISTRATIVO PENDENTE. 96.348-BA, Rel. Min. Laurita Vaz, julgado em
A Turma concedeu a ordem para suspender o 24/6/2008.
inquérito policial até o julgamento definitivo do
processo administrativo, por entender que,
enquanto houver processo administrativo
questionando a existência, o valor ou a
exigibilidade de contribuição social, é atípica a