Você está na página 1de 275
FINIS JENNINGS DAKE DO MESMO AUTOR DAS NOTAS DA BIBLIA DE ESTUDO DAKE 2 ; 7 © Manual Biblico Dakesde Finis Jennings Dake, ¢ resuttade'e anos de exaustiva pesquisa © estudo da Palavra de Deus. Referendados por intimeras passagens biblicas, temas importantes que permaneveram desnecessariamente obscuros & seguidas geragoes de cristios podem seragoradevidamenteestudadosecompreendidos. « Escrito de forma simples e clara, mas sem perder a profundidade necessitia, o Manual Biblico Dake éferramenta indispensavel para todos aqueles que levam a sério oestude das Escriturase desejam dominarcommaestria verdades espirituais quenio témsido reveladas tegralmente experimentadasddesde os diasdosapéstolos. Na inesgotivel fonte de consulta que ¢ 0 Manual Biblico Dake, os principais temas destacados sio: -Comocompreender a Biblia -Adoutrina do pecado, daféedonovonascimento Arealidadede Deus, Satands,anjosedeménios Arealidade da batalhaespiritual -Comodetectar os poderes demoniacoseasfalsasreligioes -Como fazer distingao entre carnalidadeepecado Como saber quando vocé esti sendoenganadoe comoevitarogngane Como discemirentremanifestagéesdeDeuse deespiritosdemoniacos -Evidénciasbiblicasparaacuradivina ~Comoficarlivre damisériaedanecessidade -Comoalcancar osbeneficios das promessasde Deus -Comoterumaféem Deusimutével inabalaveleabsoluta Como venceros obsticulos queoimpedemdeterféeorar ~Comoexercerautoridadeilimitada em todaasuaplenitude, conformefoiconcedida por Deus FinisJenningsDake éautor da Biblia de Fstudo Dake, lancada receitementé no Brasil numa co-edigao entre a Editora Atos ea CPAD, De seu rico e abrangente contetdo, destacam'se 25 $00 mil referéncias cruzadas ¢as'35 mil notas de estado. Pastor de linha pentecostal e estudioso incansével, Dake sabiade cortodosos versiculos da Biblia. Ele também éautor do Comentario Dake, clissica obra evangélica de sucesso nos EUA. Faleceu em 1987, aos 84 anosdeidade ISBN 978.88-7607-101-3 HMM) Promo Go seiser dla ame, Criadton, Sabememiguall deems cast PerINITS PEININTINGS) TIYAKRE MANUAL BIBLICO DAKE DO MESMO AUTOR DAS NOTAS DA BIBLIA DE ESTUDO DAKE AG Dake, nis f ings Manual Biblice Dake / 1 Valeria Alt sa Si Editors Atos, 2009. ings Dake: radugie de Nocti Cristiane Bernadete de Jesus. ~ Belo Horizonte 304 p. Vioulo original: Bible eruths unmasked ISBN 978-85-7607-101-3, (Biblia —Ustudo 2. Leicura da Biblia I. Tilo eu: 243 CDD:220.569 Indices para catilogo sistematico: |. Biblia: estudo 220.569 Copyright © 2009 por Editora Atos Todos os direitos reservados 11 © 1950, 2003 by Dake Publishing. Inc. Copye Supervisio editorial Walkyria Freitas Capa Rodrigo Robson Primera edigao Novembro de 2009 Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida, arquivada ou transmitida por qualquer meio ~ eletrénico, mecinico, fotocdpias, etc. ~ sem a devida permissio dos editores, podendo ser usada apenas para citagées breves. Publicado com a devida autorizagio e com todos os direitos reservados pela EDITORA ATOS LTDA. Caixa Postal 402 30161-970 Belo Horizonte MG www.edicoraatos.com.br SUMARIO INTRODUGAO oo. eee ccc eect nett eee e eee eens 7 eCNAURWNYE 10 lL 12 13 14 15 16 Como compreendera Biblia... 06. 06.0ee0eeeee eee ul A tealidade de Deus, Satands, anjose deménios .... A realidade da batalha espiritual Lei moral e governo moral ‘A doutrina do pecado ... Como se livrar do pecado . Adoutrina do novo nascimento ... Evidéncias do novo nascimento A doutrina da fé Como obter resposta a todas as oragées . . . Evidéncia biblica para a cura divina Incredulidade respondida com a Escritura Evidéncia biblica que curar é sempre a vontade de Deus Como ser curado ¢ ficar S40... ss cece e eee ee eee ee Livres da miséria e da necessidade ......... 0000200 e eee Exercendo autoridade ilimitada sobre todos os poderes SatAMICOS oe eee ce eee e terete eee ee 279 INTRODUGAO O Manual Biblico Dake tem a intengo de revelar, de forma sim- ples ¢ clara, verdades biblicas que esto desnecessariamente encober- tas para muitos cristaos. O préprio Satands é 0 maior responsével pelo que fica oculto. Ele nao apenas cega o entendimento dos descrentes (2Co 4.3-4), mas também rouba a Palavra de Deus do coragao dos ctistaos, a menos que eles descubram como vencé-lo — vitdria esta que éa heranga de todo crente. Com o tinico fim de enganar, Satands e seus agentes sao trans- formados em “anjos de luz” e em “servos da justiga” (2Co 11.13-15). Ele usa até o melhor dos santos e ministros de igrejas para propagar falacias de todo o tipo, visando roubar os homens das ricas béngaos da Palavra de Deus. Nés nos propusemos a revelar varias dessas verdades encobertas nas paginas que se seguirio. Prometemos fornecer muitos esclarecimen- tos sobre as Escrituras, visto que buscamos revelar as verdades que se mantiveram encobertas por gerages, verdades que nao foram integral- mente experimentadas pelos cristios desde os dias dos apéstolos. A principio, é bem posstvel que voce fique surpreso com algu- mas de nossas afirmagoes, as questione e chegue até a pensar que nao 6, 9, 10, MANUAL I TEE conta dessas vei Este livro revel vn so cnsinamentos biblicos. Mas se voce for honest consige mesmo ¢ abet para o que as Escrituras realmente ensinam, acabars se dando ides que se destinam a ser experimentadas por todos ‘os cristios, a vontade de Deus e mostra: Como ler ¢ compreender a Biblia. Como alcangar os beneficios das promessas de Deus. Como detectar os poderes demontacos e as falsas religises. Como tesistir20 Diabo e vencé-Lo, bem como aos anjos cai- dos, Como saber quando voce esta sendo enganado e como evi- taro engano. Como discernir entre manifestagdes de Deus e de espiritos demonface Como conhecer a vontade de Deus. Como saber quais pecados e maus hdbitos condenarao a sua alma. Como fazer distingao entre carnalidade e pecado. Como se libertar do pecado, dos maus hdbitos e das derro- tas espiricu: Como nascer de novo ¢ conhecer verdadeiramente a Deus. Como solucionar todos os problemas da vida, tanto agora como daqui para frente. Como ter uma fé em Deus imutdvel, inabaldvel e absoluta. . Como saber que vocé tem a fé correta e est na religiao certa. 15, 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24, 25. 26. 27. 28. 29. 30. TITHE AD Como aumentar a fé © como ust-la. Como ser prospero ¢ bem-sucedido nos negécios. Como s ber se voce vai para o céu ou para o Inferno. Como vencer os obstéculos que o impedem de ter fé ¢ orar, Como se libertar da pobreza e de passar por necessidades. Como obter respostas para todas as orag6es. Como saber quando sua oragio nao seré respondida. Como saber quando sua orag’o serd respondida. Como saber quando é a vontade de Deus curar e respon- der sua oracio. Como obter cura fisica e ter boa satide. Como se libertar das enfermidades, dores ¢ doengas. Como ter dominio préprio e se libertar das preocupagées ¢ da ansiedade. Como fazer as obras que Jesus fez e obras ainda maiores. Como ter o poder que é concedido por Deus. Como ter os dons do Espirito Santo. Como exercer autoridade ilimitada em toda a sua plenitu- de, conforme foi concedida por Deus. Capitulo 1 COMO COMPREENDER A BIBLIA O fundamento de todas as afirmagées feitas na Introdugio é a Biblia. Muitos livros foram escritos para proporcionar um alfvio tem- pordtio dos problemas da vida, mas estavam preocupados basicamen- te com a aparéncia externa. Esses livros sao baseados numa mistura de io e, embora tenham seus méritos, erram completa- psicologia e religi mente a mo quando tentam lidar com 0 cerne do problema da raga humana e, certamente, ndo promovem uma cura verdadeira. O grande problema de nosso mundo nao esté tanto nos desajustes externos, mas sim na depravagao interna causada pelo pe- cado e pela rebeliao contra Deus. O fato é que os homens sao depra- vados, criaturas caidas e sem harmonia com Deus ¢ com seus propési- tos ctiativos. Muitos sao dominados por espiritos demoniacos que pro- curam controlar cada uma de suas aces ¢ os levam a agir de forma contraria & vontade de Deus. Se quisermos ter vitéria sobre as adversidades que enfrentamos e recebermos todos os beneficios da Palavra de Deus, devemos ter cla- reza quanto A verdadeira origem de nossos problemas ¢ nos voltarmos para Deus em busca de ajuda contra esses espiritos demonfacos que dominam a raga humana. Se quisermos ter vitéria completa e eterna, 13 NIRATOTRT TINT Fi devemos encontrar nossa ajuda em Deus, mediante a verdade encon trada nas Escrituras ¢ nao mediante a psicologia ¢ esforgo humano. A Biblia deve ser accita como a inspirada e infalfvel Palavra de Deus. O. «que esta escrito nela deve ser aceito como a palavra de autoridade fi- nal sobre todas as questies. A lei da Biblia é que toda questao precisa ser confirmada pelo depoimento de duas ou trés testemunhas (Mt 18.16; 2Co 13.1). Propomo-nos a seguir esta lei e provar tudo simplesmente com 0 que est escrito nay Escrituras. E importante que o leitor rejeite qualquer teorla que possa ser contréria a simples Palavra de Deus. Vamos acei- tar literalimente o que Deus diz sem questiond-lo nem “desacreditar de sua Palavra”, Deus quer dizer exatamente o que diz e diz exatamente o que quer dizer Quando Deus diz algo, quer dizer exatamente aquilo, Nés te- mos todo o direito do mundo de acreditar que Ele é um ser inteligen- te € que pode usar (e Ele usa) a linguagem humana bem como qual- quer um de nés. Nao se ganha nada duvidando, questionando ou arguindo sobre tudo 0 que Ele diz. Perderemos tudo, tanto agora como no futuro, se continuarmos procedendo assim. O objetivo de Satands é convencer o homem a viver em diivida e incrédulo quanto as pro- messas de Deus para, assim, roubé-lo e impedi-lo de receber os bene- ficios que a fé na Palavra de Deus traz. Se Deus nao quisesse dizer 0 «ue diz, nao teria dito — mas se Ele disse, quem somos nés para o fa- vermos de mentiroso? Em ver disso, nao deverlamos acreditar que Sa- uns é mentiroso, nosso pior inimigo e que a diivida e a incredulida- de so obras suas, com a finalidade de roubar dos homens os benefi- ios da Palavra de Deus por intermédio de Jesus? 14 CATT AA te HHA N&o ha lugar para equivocos Nao hé desculpas par a compreensio incorreta do que a Biblia diz. A Biblia é 0 livro mais simples do mundo de se compreender. A Ginica coisa que precisamos é acreditar e aceitar a verdade das Escritu- ras. Nenhuma de suas passagens sequer indica que ela é de dificil com- preensdo. Apenas os “ignorantes ¢ instdveis” sio mencionados como aqueles que torcem a Palavra para a sua propria destruigao (2Pe 3.16). Sao os que custam a entender e demoram a crer que nao a compreen- dem (Le 24.25-27). E a incredulidade e a dureza de coracio que fa- zem com que as pessoas questionem seu contetido (Mt 13.14-17; Mc 16.13-14), Quem deseja conhecer a verdade poder4 compreendé-la com facilidade, se crer que 0 que a Biblia diz é verdade. O segredo para se conhecer a verdade é descobrir 0 que Deus diz e acreditar nisso. A tentativa de encontrar significados profundos € ocultos no que é simples, evidente e claro roubard, automaticamen- te, a pessoa de uma fé simples em Deus ¢ em sua Palavra. A compre- ens4o verdadeira ¢ a fé vm por se ouvir a mensagem, ¢ a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo (Rm 10.11-18). Por cerca de no- venta vezes aparece nas Escrituras um apelo para que acreditemos no que “estd escrito”, pois ela é bastante simples de ser compreendida, des- de que haja o desejo de acreditar nela. Causas dos equivocos Orgulho, incredulidade obstinada, diivida e rebeliao contra o que “estd escrito” sfo as causas dos equivocos quanto & compreensao da Biblia. A dificuldade nao esté em compreender 0 que esté clara- mente escrito, mas sim em desejar acreditar e obedecer. Se alguém nao conseguir entender a verdade nao poderd rejeité-la. O problema com 15 MANUAL BIILICD DAKE oy rebeldes mencionados em Mateus 13.9-13 fio era de compreen aio, mas de rejeitar o que tinham ouvido: “Aquecle que tem ouvidos para ouvir, ouga!” Os discipulos apro- ximaram-se dele e perguntaram: “Por que falas ao povo por pa- ribolas?” Fle respondeu: “A vocés foi dado 0 conhecimento dos mistérios do Reino dos céus, mas a cles nao. A quem tem sera ado, ¢ este ters em grande quantidade. De quem nao tem, até © que tem The serd tirado. Por essa razao cu Ihes falo por paré- alas: ‘Porque vendo, eles no véem e, ouvindo, nio ouvem nem entendem”, Nas acharemos qualquer passagem biblica dificil de ser compre- eniida se decidirmos nao acreditar nela. Quando rejeitamos o que ou- vimioy © nos recusamos a obedecer, ficamos naturalmente insensiveis € cannes © que ouvimos. Quando fechamos nossa mente para a verda- de, milo podemos compreendé-la com simplicidade. Precisamos estar dispostos a aceitar a Biblia como a Palavra de Deus. Devemos acredi- tur que Fle nao poderia ser honesto se ocultasse de nés as muitas coi- sas pelas quais nos julgara. Precisamos aceitar o que a Biblia diz, nao 0 julyamento que as pessoas fazem dela. Precisamos acreditar que Deus sabia 0 que estava dizendo ¢ que queria dizer exatamente isso. Muitas referéncias biblicas como prova nossa politica apresentar referéncias biblicas para embasar tudo © que esté escrito entre as capas deste manual. Essas passagens sto fornecidas como provas de que o que dizemos é biblico e como auxi- lio para aqueles que desejam investigar por si mesmos o que a Biblia 16 — CONC CONTR EEMTER A com a dizer Alyumas partes das Hscricuras que apresentamos poder contradizer o que voce ten aprendido. Nesses casos, certifique-se de no permitir ideias preconeebidas nem ensinamentos doutringrios que fazer com que a Biblia se amolde © tornem cendenciose. Nao procure a suas ideias, mas, ao contrario, amolde suas ideias & Biblia. Deixe a linguagem simples da Biblia dirimir cada ponto de discrepancia ¢ con- firmar 0 que vocé acredita. As promessas de Deus sao especialmente simples Muitas pessoas pensam que a Biblia é dificil de entender. Em par- ticular, essa crenga & mantida por causa das profecias, dos provérbios ¢ de algumas figuras de linguagem. Entretanto, essas partes nao so mais dificeis de compreender do que as segdes que tratam da histéria ow aquelas que muitos consideram ser “simples”. A profecia nada mais é do que a histéria escrita antecipadamente e deve ser compreendida asua luz, Todos os enigmas, alegorias, tipos, simbolos e figuras de lin- guagem sio explicados nas Escrituras ou sao claros por si mesmos quan- to a seu significado verdadeiro, No que diz respeito as promessas de Deus, nao deve haver ne- nhum equivoco sobre o que dizem ou significam. Cada promessa é uma declaragio simples informando um dever que, quando cumprido, é recompensado por Deus com determinados beneficios. Todas as pro messas de Deus so condicionais, como pode ser constatado nas pré- prias Escrituras. Se vocé quiser receber os beneficios prometidos, de- verd aceitar que diz.a promessa cumprir as condig6es exigidas. En- to, vocé poderd ter certeza de sua realizago nesta vida. Como Deus nao pode mentir, podemos ter certeza de que 0 que prometeu € capaz de cumprir plenamente. Nenhuma de suas promes- 17 sas precisa de interpret agit de acordo com o qu acreditar que ela se realizars. Nao vincule nenhuma outra condicao as promessas de Deus além do que simplesmente estiver escrito. Quando as condigées forem atendi- das, a béngao serd realizada, segundo 0 que o apéstolo Paulo escreve em 2Corintios 1.20: “Pois quantas forem as promessas feitas por Deus, fanitas tém em Cristo o ‘sim’. Por isso, por meio dele, o ‘Amém’ € pro- nunciado por nds para a gléria de Deus”. 18 Capitulo 2 By A REALIDADE DE DEUS, SATANAS, ANJOS E DEMONIOS Pp A realidade do Deus Vivo ‘A fé em Deus e em suas promessas pressupde a existéncia de Deus ¢ de que Ele é um Deus de amor, justiga, misericérdia e verda- de. Esta é uma ideia fundamental ¢ na qual este manual esté baseado. Precisamos reconhecer estes atributos de Deus sem nenhuma dtivida em nossos coragées. Paulo disse: “Sem fé ¢ impossivel agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe ¢ que recom- pensa aqueles que o buscam” (Hb 11.6). Vocé pode e deve acreditar em Deus, se quiser receber os beneficios que Ele prometeu. Nao nos dedicaremos aqui a um estudo completo sobre Deus, pois este t6pico é integralmente tratado em nossa obra intitulada God's Plan for Man (O plano de Deus para o homem). Em vez disso, conti- nuaremos partindo da seguinte premissa: - Vocé acredita em um Deus pessoal. - A Biblia é a Palavra de Deus. - Deus cumpriré tudo 0 que prometeu a vocé. 21 Devemos nos apoiar nesta base biblier fundamental, ¢ ) medida que voce receber os beneficios das promessas, terd a mais sélida prova existéncia de Deus e de sua fidelidade quanto ao seu compromi com o homem. A realidade de Satanas A Biblia nao ensina apenas a realidade de um Deus pessoal, mas tumbém de um demédnio pessoal, 0 adversario de Deus e do homem. amis é mencionado com diferentes nomes cerca de cento e setenta ecinco ve Escrituras. Jesus, 0s apéstolos e os escritores da Biblia referem-se a ele como tunnut pessoa real (1Cr 21.1; Ze 3.1-3; Me 4.1-11; EF6.10-18; 1Pe 5.8- 9; Ap 12.7-12; 20.1-10). Pronomes pessoais, descrigées, nomes, atri- butos ¢ obras sao atribufdos a Satands nas Escrituras. Satands é retratado como o cabega das forgas espirituais que ram contra Deus (Mt 12.24-30; Ef 2.2; 6.10-18; 2Co 11.14; Ap 12.7-12). Ele é um anjo cafdo ¢ o primeiro governa- se rebela dor do planeta terra antes dos dias de Ado. Ele liderou uma re- helitio conera Deus ¢ subiu ao céu com o propésito de banir o Senhor de la, Satands nao tinha pecado, era 0 modelo da perfeigao, inculpavel em scus caminhos desde o dia em que foi ctiado até que se achou maldade nele (Ez 2811-17). Ele foi entao derrotado e expulso do eéu (Is 1412-14; Le 10.18). Sarands, portanto, no é um germe de uma doenga, um erro da mente mortais, um princfpio do mal ou um ser com cascos, chifres, tabo @ tridente que mora no Inferno. Em vez disso, a Bi- lia revela Satands como unt pesioa real, ¢ suas atividades © persona lidade so claras: 10. ll. Ele é 0 enganador de todos os homens (Ap 12.9; 20.1-10; 2Co 11.14). Ele tinha o poder da morte até Cristo ter destrufdo a mor- te, o Inferno e o Hades (Hb 2.14; 1Co 15.24-28; Ap 1.18; 20.11-15). Ele é 0 lider de todos os seres humanos que so pecadores € apéstatas (IJo 3.8-10; 1Tm 5.15) e de todos os espiritos re- beldes (Ef 6.10-18; Mt 9.34). Ele causa toda a sorte de doencas e enfermidades fisicas € mentais (Le 13.16; Jo 10.10; At 10.38). Ele tira vantagem das adversidades enfrentadas pelos homens usando-as para fomentar a rebeligo e manté-los cativos (2Co 2.11; 1Tm 1.20; 5.11-15; 1Pe 5.8-9). Ele tenta os homens ¢ os leva a pecar (1Cr 21.1, Me 1.13; 1Co 7.5). Ele ofende e faz oposigao a Deus (Mt 16.23). Ele se disfarga de anjo de luz com o propésito de enganar (2Co 11.14). Ele resiste aqueles que servem a Deus (Zc 3.1-2; 1Pe 5.8-9). Ele induz pessoas a confrontar Deus (L¢ 22.3; Jo 13.2). Ele envia mensageiros para derrotar os santos (2Co 12.1-7; Dn 10.12-21). . Ele impede que a Palavra de Deus seja difundida (1Ts 2.18; At 13.10). 23 18. Ele rouba a Palavia de Deus dos coragées das pessoas, a fim jam salvas (Mt 13.195 Le de que néo creiam nela ¢ nao s 8.12). 14, Ele transfere poder de operar milagres aos homens (2Ts 2.9; Ap 13.1-18). 15. Ele guerreia contra os mensageiros de Deus e, as vezes, os mantém cativos (Dn 10,12-21). 16. Ele prepara ciladas e armadilhas para os homens cairem em pecado (Tm 3.7; 2Tim 2.26). 17. Ele faz guerra contra os santos (Ef 6.10-18; 1Pe 5.8-9). 18. Ble desvia a atengio dos homens e os cega em relagio & Pa- lavra de Deus (2Co 4.4). 19, Ele promove mente dividida (Tg 1.5-9), diivida e incredu- lidade (Rm 14.23; Gn 3.4-5), escuridéo e opresséo (2Co 4.4; 2Pe 1.4-9), morte e fraqueza (Hb 6.1; 9.14), procrastinagéo ¢ exposiggo (At 24.25; 26.28) e divisdes ¢ disputas entre as pessoas (1Pe 5.8; 1Co 3.1-3). 2. Ele incita as paixdes e as concupiscéncias nos seres huma- nos e se apodera deles 4 medida que se submetem As suas forgas demonfacas (Jo 8.44; Ef 2.1-3; 1Jo 2.15-17). A realidade dos anjos caidos Os anjos sao seres reais com corpos espirituais. Na verdade, a maior diferenga real entre os anjos ¢ a raga humana é que os anjos tém corpos espirituais ¢ muito mais poder ¢ atributos pessoais. Esté com- provado, por um grande ntimero de passagens biblicas, que os anjos sin, dle fato, seres pessoais: 24 10. i. 12. Os anjos sito inteligentes © stbios (28m 14.20; 19.27; Me 24.35). Eles so imortais ¢ poderosos (Dn 10,5-21; Le 20.36; Ap 12.7-12). Eles nao sao seres humanos (At 23.8-9; Hb 2.9,16). Eles tém vontades e corpos espirituais com membros como os homens (Is 14.12-14; Dn 10,5-21; Ap 12.7-12; 20.1- 10; Gn 18-19; Js 5). Eles podem operar, e efetivamente operam, no reino mate- rial (Ap 9.11,14; 12.7-12; 20.1-10). Eles guerreiam em combate corporal real (Ap 12.7-9; Dn 10.5-21). Eles governam nagées (Dn 10.13-21; 12.1; EF 6.10-18). Eles sao seres criados (Gn 6, 1-4; Jé 1.6; 2.1; 38.7; Cl 1.15- 18). Os anjos cafdos sao organizados em principados e poderes para guerrear contra os santos (Rm 8.38; Ef 6.10-18; 1Pe 3.22). Eles se dividem em duas classes — bons e maus (2Pe 2.4; Jd 1.6-7; Ap 12.7-9). Eles esto sujeitos a Jesus Cristo (1Pe 3.22). Os anjos rebeldes serao langados fora do céu (Ap 12.7- 12). . Os anjos caidos enganam os homens (2Co 11.14), se opdem aos santos (Rm 8.38; Ef 6.10-18), cairam originalmente com Liicifer (Is 14.12-145 Ez 28.11-17; Mt 25.41; Ap 12.7-12) € esto condenados ao fogo do Inferno por toda a eterni- dade (Mt 25.41; Jd 1.6-75 Is 24.21-23; 25.7). 25 14, Bles comem alimentos (Gn 18), usam toupas (Jo 20.12), ob: servam os homens (1Co 4.9), cozinham (IRs 19.5-7), vie- jam (Ap 8.13; 9.1), falam Iinguas (1Co 13.1), testemunham confiss6es (Le 12.8-9) ¢ fazem muitas coisas que os homens favem, 15. Bles tém uma alma pessoal e faculdades espirituais como os homens (Le 15.1-10; 1Co 11.10; Mc 8.38; Le 2.13; Ap 5.11; J6 4.18). 16. Bles tém o aspecto fisico dos homens (Gn 18.1-16; 19.1- 5; Js 5.153 Jz 6.115 13.6-20; Dn 10; At 12.7-11; Hb 13.2). Realidade dos deménios ou espiritos imundos Segundo a Biblia, a atividade demoniaca é muito real. A pala- via “deménio” significa “espirito demontaco” ou “diabo”. A palavra “diabo” & usada para Satands, o principe dos deménios (Mt 9.34 12.24). Ele € 0 chefe dos espiritos malignos ¢ a fonte original do mal no Universo. A palavra grega para “diabo”, usada juntamente com Satands, é diabolos, que significa “adversério”, “falso acusador” ou “caluniador”. E traduzida como “acusador” ¢ “caluniador” e € usada em ITiméteo 3.11, 2Timéteo 3.3 € Tito 2.3. Ela foi traduzida como “diabo” quando aplicada a Judas no momento em que se tornou um adversério de Jesus Cristo (Jo 6.70). Em outros trinta ¢ quatro lugares ela é traduzida como “Diabo” ¢ usada para Satands como o adversério principal de Deus ¢ dos ho- mens. Somente um Diabo, mas multos deménios Nox outros setenta © seis lugares onde as palavras “diabo” e “de- imdnios” aparecem, referem-se a espiritos malignos ou deménios, € so derivadas de duas diferentes palavras gregas — diamonion e diamon, que significam “espicitos malignos”, “demdnios” ou “adversé- nos” de Deus e dos homens. Existe somente um diabo chefe, no entanto, existem mui- tos deménios. © Diabo tem um corpo angelical e nao tem como pritica entrar corporalmente em seres humanos, mas os deménios silo espiritos ¢ operam no mundo material, possuindo os corpos de homens e de animais. Outros fatos sobre os deménios I. Eles so chamados de deménios (Mc 16.17), espiritos (Lv 20.6), espiritos imundos (Mc 1.27), espiritos malignos (Lc 7.21) e espiritos enganadores (1Tm 4.1). 2. Os deménios estao sujeitos a Jesus Cristo € aos crentes pela expiacao de Jesus, pelo nome de Jesus ¢ pelo Espirito Santo (Mt 8.16-17; 12.28; Mc 16,17; Le 10.17; At 19.15). 3. Milhares de deménios podem entrar simultaneamente em uma pes- soa e possui-la (Mc 5.9). 4, Os crentes devem discernir, testar, resistir e rejeitar os deménios (1Jo 41-6; 1Co 12.10; Ef 5.275 6.10-18; 1Pe 5.8-9). 5. Eles possuem uma inteligéncia superior (Mt 8.29). 27 6. O lugar justo para os deménios é 0 Abismo (Le 8.31; Ap 9.1-21). 7. Files tam personalidades distintas (Le 8.26-33). 8.Hiles sito esptritos sem corpos (Mt 12.43-45; Ap 16.13-16). 9. Biles sito emissdrios de Satands (Mt 12.26-29). 10. Eles sio numerosos, buscam entrar nos homens ¢ em animais ¢ controli-los (Mc 5.1-18; Mt 12.43-45; Le 8.32). jo demonfaca ¢ a influéncia demonfaca sao diferentes (Mt 11. A possess 423-24 com 16.21-23). 12, Os demdnios sabem que seu destino seré de tormento (Mt 8.29- 42) 14, Liles suber quem tem poder sobre eles (At 19.13-17). 14, Hles cemem a Deus (Tg 2.19), fazem guerra contra os santos (EF 610-18) ¢ influenciam as pessoas para que cometam pecados (1'Tm 41-5; 2Pe 2.10-12). 15. Todos os descrentes so possuidos por eles em um grau maior ou menor (Mt 12.43-45; Ef 2.1-3). 16. As tinicas armas contra eles so a oragao, 0 jejum ¢ a completa ar- madura de Deus (Me 17.21; Ef6.10-18). 17. A consultaa espiritos demontacos é proibida nos dois 'Testamentos (Ly 19.31; 20.6; De 18.10; Is 8.19-215 1Cr 10.13-14; Le 4.415 Ac 16.16; 1Tim 4.1-5; 2Pe 2.1-35 Jo 4.1-6). 28 A natureza dos deménios Os deménios sie malignos (Jz 9.23; 18m 18.9-10), engana- dores (I'l 4.1), mentirosos (IRs 22.22-24), inteligentes (At 16.16) © poderosos (Mc 5.1-18; Ap 16.13-16). Eles se apoderam dos ho- mens € podem ser expulsos (Mt 10.8; Mc 16.17). Eles tem conhecimento (Me 1.24; Le 4.41; At 19.15), fé (Tg 2.19), sentimentos (Mt 8.29; Mc 5.7), companheirismo (1Co 10.20- 21), doutrinas (1'Tim 4.1), vontades (Mt 12.43-45), poderes milagro- sos (Ap 16.13-16), inteligéncia (1Tm 4.1; 1Jo 4.1-6), emogées (At 8.7), desejos (Mt 8.28-31) e outras faculdades espirituais e da alma. A obra dos deménios Os deménios se apoderam das pessoas e causam: mudez sur- dez (Mt 9.32-33; Mc 9.25), cegucira (Mt 12.22), softimento inten- so (Mt 15.22), loucura ¢ mania (Mt 4.23-24; 17.14-21; Mc 5.1-8), imundicie (eles séo chamados de espiritos imundos vinte e uma vezes — Le 4.36), forca sobrenatural (Mc 5.1-18), suicidio (Mt 17.15; Jo 10.10), ataques (Mc 9.20), concupiscéncias (Jo 8.44; Ef 2.1-3; [Jo 2.15-17), falsa adoragao (Lv 17.7; Dt 32.175 2Cr 11.15, Sl 106.37; 1Co 10.20; Ap 9.20), indugao ao erro (IJo 4.1-6; 1Tim 4.1), doenga e enfermidade (Mt 4.23-24; 12.22; 17.15-18; At 10.38), tormentos (Me 4.23-24; 15.22), enganos (1Tin 4.1-2; IJo 4.1-6), mentira (IRs 22.21-24), encantamentos ¢ feitigaria (1Sm 28; 1Cr 10.13; 2Cr 33.6), heresias ¢ falsas doutrinas (1'Tm 4.1), maldade (Le 11.26), medo (2Tm 1.7), mundanismo (1Jo 2.15-17; 1Co 2.12), escravidio (Rm 8.15), discérdia (Mt 13.39; [Rs 22.21-24), violéncia (Mt 17.15), traigdes (Jo 13.2; 1Rs 22.22-23), opressio (At 10.38), peca- 29 do (IJo 3.8), perseguigio (Ap 2.10; [Pe 5.8), inveja (Sm 16.17; 18.8-10), falsa profecia (IRs 22.21-24) ¢ todo o mal possfvel a Deus © aos homens. Eles podem ensinar (1Tim 4.1), roubar (Mt 13.19; Le 8.12), com- bater (6.10-18; 1Pe 5.8-9), ficar furiosos (Mt 8.28; Ap 12.12), predi- zero futuro (Lv 20.27; At 16.16), ser amigaveis (Lv 20.6,27). umbém tém o poder de entrar e sair dos homens quando qquerem, a menos que sejam expulsos e rejeitados (Mt 12.43-45), de sair de um lugar e ir para outro (1Rs 22.21-24; Mc 5.7,12), de falar (Me 1.34; 5.12; At 8.7), de imitar mortos que partiram (1Sm 28.3- 20; 1Cr 10.13; Is 8.19; Dt 18.11) ¢ de fazer muitas outras coisas quan- do se apoderam de corpos. Deminios e doengas Hl expiritos demoniacos para cada doenga, trago profano e erro doutrindrio encontrados no mundo atualmente. Os deménios devem ser expulsos para se obter alivio de sua influéncia. Os espfritos imundos sao agentes de Satands que entram efeti- vamente nos corpos dos seres humanos, causando enfermidade e morte. Eles corrompem os corpos de suas vitimas e trabalham invisi- velmente entre nés. Conhecimento necessdrio sobre os deménios Devemos acreditar na realidade de Satands, dos anjos caidos e deménios para podermos cooperar de forma inteligente com Deus e contra cles, ¢ Ihes opormos resisténcia em nossas prdprias vidas. 30 Eles sito reais ¢ enganar, fazendo-nos acreditar que no existem, apesar de todas as provas de sua existéncia. Se quiser- mos usufruir dos beneticios concedidos por Deus segundo a sua Palavra, devemos acreditar no que Ele disse sobre esses seres e como trabalham para ocasionar 0 pecado, a doenga, a dor, o sofrimento, a pobreza, a privagao ¢ a derrota, levando, com isso, muitas pessoas ao fogo eterno do Inferno. 31 Capitulo 3 Ry A REALIDADE DA BATALHA ESPIRITUAL Satanas, 0 enganador do mundo Apocalipse 12.9 Segundo as Escrituras, a maior ¢ mais importante obra de Sata- nds ¢ imitar as doutrinas ¢ as experiéncias espirituais geradas por Deus, com a tinica finalidade de enganar os santos. Somos recomendados a examinar cada doutrina e experiéncia sobrenatural para determinar se sio provenientes de Deus ou de Satands (1Co 2.12-16; Ep 1.9-10; 1Ts 5.21-22; Io 4.1-6). Devido a diversidade de religiées no mundo, é ébvio que nem todas as doutrinas e experiéncias espirituais individuais de seus adep- tos cém origem em Deus. Portanto, devemos julgé-las ao ganharmos uma compreensio correta da Palavra de Deus, que é clara. O maior risco para os cristaos é aceitar tudo do reino sobrenatural como sendo proveniente de Deus, sem questionar. Por terem se consagrado a uma vida de submissao ao Espirito Santo e se deixarem conduzir por Deus, geralmente os crentes acham que nfo podem ser enganados ou guiados por espiritos demonfacos por meio de doutrinas falsas e interpretagées biblicas erréneas. Entre- 35 tanto, o fate de o crente ser filho de Deus nfio impede o Diabo de palo, de todas as manciras concebfveis, imitando a Deus. tentar en Na verdade, os crentes so exatamente aquel ss em quem ele concen- {ni scus maiores esforcos e contra quem declara guerra. Os enganos e os poderes satanicos dos Uitimos dias foram previstos [exatamente como os magos do Egito imitaram o poder de Deus nos dias de Moisés (Ex 7.9-12; 8.19), 0 Diabo vive tentando imitar a obra ¢ 0 plano verdadeiro de Deus para enganar os homens nestes til- timos dias. Em muitos cultos hé manifestagdes de poderes satanicos nas Wifeas de cura € prospcridade. Geralmente seus adeptos recebem be- ieficios similares dqucles que Deus prometcu a seus filhos. Jesus pre- disse que nos tiltimos dias surgitiam muitos falsos cristos e profetas, os quais walizariam “grandes sinais e maravilhas para, se posstvel, enga- nar aud os eleitos” (Mt 24.24 — veja também 7.22-23). Paulo predisse a mesma coisa quando escreveu: “O Espirito diz claramente que nos tltimos tempos alguns abandonarao a fé e segui- tilo espfritos enganadores e doutrinas de deménios” (Tin 4.1 ~ veja também (lin 4.2-8; 21m 3,1-13; 4.1-4). Ele também disse 0 seguin- t@ sobre 0 futuro anticristo: nao serd revelado o perverso, a quem o Senhor Jesus mataré com 0 sopro de sua boca e destruirs pela manifestagio de sua vinda. A vinda desse perverso é segundo a agao de Satands, com todo o poder, com sinais ¢ com maravilhas enganadoras, Ele fard uso de todas as formas de engano da injustica para os que esto perecendo, porquanto rejeitaram o amor a verdade que 36 . os poderia salvar, Por ayia magi Deus thes envia um poder se- m condenados to- dutor, a fim de que ereiam na mencita, ¢ dos os que niio ereram na verdade, mas tiveram prazer na in- juustiga. 2Tessalonicenses 2.8-12 Pedro ¢ Joao predisseram que Satands concederia um grande po- der aos homens nos tiltimos dias (2Pe 2.1-3; Ap 13.1-18; 19.20). Duas origens de ajuda espiritual Portanto, podemos observar que muitos buscarao e encontrarao ajuda de poderes satanicos nos uiltimos dias. Satands e os deménios, que causam doengas, impedem as pessoas de obter prosperidade e lu- tam para impedir que recebam respostas a suas oragGes, também po- dem retirar a oposigao ¢ ajudar as pessoas a conseguirem beneficios, caso as circunstancias sejam favordveis a eles. Satanés e os deménios nao tém apenas o poder de ajudar as pes- soas, mas também o de manté-las em cativeiro e derrota fisica, espiritual e material. Essa condigao sé terd fim quando elas conhecerem a verda- de que as libertaré. Apenas Deus pode salva-las desse poder maligno, a menos que essas influéncias demonfacas as deixem espontaneamente. Jesus ensinou em Mateus 12.43-45 que os deménios podem sair de uma pessoa e, em seguida, voltar novamente se desejarem. O fato de os deménios fugirem quando sao repreendidos por aqueles que tem poder sobre eles, prova que podem liberar qualquer pessoa que man- tém cativas (Mt 12.22-32; Le 10.18-20; At 19.11-17). Isso explica o motivo pelo qual podem infligir uma doenga, mas também curar quan- do é vantajoso para eles. 37 Quando os poderes demonfacos considenan vantajoso curar as doengas que cles préprios infligiram? A resposta para esta pergunta re- side nas motivagies ¢ esquemas do Inimigo. Satands ¢ seus seguidores usam o engano eas falsas doutrinas que negam os fundamentos da Pa- lavra de Deus da salvagéo. Os adeptos enganados dessas falsas religi- es nunca chegam a saber a verdadeira origem de seu poder. Eles po- dem ser convencidos de que a origem de sua riqueza, satide ¢ poder provém de Deus, mas isso nao é verdade. Jesus disse: Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entraré no Rei- no dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que est nos céus. Muitos me dito naquele dia: ‘Senhor, Se- nhor, nao profetizamos em teu nome? Em teu nome nao ex- pulsamos deménios € nao realizamos muitos milagres?” Entdo eu thes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim voces, que praticam o mal Mateus 7.21-23 Lissas falsas religides, sem excegio, negam o sangue de Jesus Cris- to, © novo nascimento, a ressurteigéo corporal de Jesus e todos os fun- camentos da Palavra de Deus que salvam as almas dos homens. O Dia- ho reforga esse ensinamento ajudando aqueles que seguem tais religi- es, convencendo-os que, por fim, encontraram a verdade, Entretan- to, eles ignoram 0 cristianismo e a verdade da Palavra de Deus e serio condenados porque rejeitaram a Jesus e a Cruz (At 4.12). Deus é a verdadeira fonte de auxtlio, nao 0 Diabo e os demé- nios, Apresentamos a verdadeira mensagem da Biblia e garantimos, sepundo a autoridade da Palavra de Deus, que vocé encontraré cura, suicle, prosperidade, respostas para suas oragdes ¢ tudo o que Deus 38 ¢ —— the promereu. P possivel conhecer Deus de uma forma real ¢ vital, apreciar a plenitude de Deus em sua vida A medida que voce ca- minhar de acordo com a verdade ¢ se amoldar 4 vontade dele. En- tio, sua alma eterna também serd salva e voce tera vida eterna, em ver da condenagao eterna que os adeptos dessas falsas religiGes terao de suportar, Queremos deixar bem claro que hd duas fontes de ajuda, mas se voce deixar que o Deus verdadeiro seja a sua fonte, receberd as suas héngdos nesta vida e na vida futura. Como Satanas engana o mundo Paulo disse: “Isto nao é de admirar, pois 0 préprio Satands se dis- farca de anjo de luz. Portanto, ndo é surpresa que os seus servos fin- jam que sao servos da justiga. O fim deles serd 0 que as suas ages me- recem” (2Co 11.14-15). Esses vers{culos deixam claro que as imitagoes que Satands faz das doutrinas e manifestagGes de Deus sao substitutas da verdade e o mais préximo possfvel dela, com a finalidade de enga- nar aqueles que a buscam. Portanto, é imperativo que sejamos cuida- dosos com 0 que escolhemos acteditar e com 0 poder sobrenatural a0 qual nos entregamos. Hd métodos definidos e descritos nas Escrituras por meio dos quais € possivel detectar o tipo de espfrito que pode es- tar buscando ganhar controle. Como detectar as falsas religides e as obras de deménios 1. Qualquer doutrina que negue ou de alguma forma cause diivida e des- crenca quanto a qualquer ensinamento da Biblia, tem origem demontaca. 39 Nao é de Deus qualquer religito que neguer - A inspiragio da Biblia. = Are: ~ A filiagao divina de Jesus Cristo como 0 tinico Filho de Deus criado, nascido de uma virgem. lidade de Deus como uma pessoa. ~ A preexisténcia de Jesus Cristo, a sua divindade, seu poder mi- lagroso ¢ ministério sobrenatural. ~ A morte, 0 sepultamento, a ressurreicdo e a manifestagao cor- poral de Jesus apés sua ressurreigao. ~ A ascensito corporal de Jesus aos céus e a sua volta para estabe- lecer seu Reino no mundo pela eternidade. - A realidade ¢ © poder do Espirito Santo e de seu ministério para convencer do pecado, gerar salvos em Cristo e continuar a obra de Deus entre os homens. - A realidade da experiéncia crise, incluindo o novo nascimen- 10, 4 purificagao dos pecados e o viver livre do pecado. » A cura divina. ~O batismo e os dons do Espirito Santo. - Os milagres ¢ os sinais que seguem os que creem. - As respostas & oragao. - O cumprimento das promessas de obtengao de satide, felicida- de, prosperidade e varias outras experiéncias do Novo Testamento. - A realidade de Satands, dos deménios, da doenga, do pecado e da queda do homem. - A realidade da criagao de todas as coisas por Deus, do livre ar- bitrio do homem, da universalidade do pecado e da depravagéo do homem. 40 ’ + A necessidade da arrependimento ¢ da experiencia de nascer de novo. - A perdigao eterna da alma como penalidade pelo pecado e a necessidade da expiagio. - A realidade do céu, do Inferno, da ressurreigao e do julgamento de todos os homens. - A imortalidade da alma. Qualquer religido que ensine 0 oposto do que foi exposto e de todas as outras doutrinas fundamentais da Biblia é do Diabo e existe com a finalidade de fazer com que a alma humana seja condenada ao Inferno. 2. Qualquer poder, influéncia ou doutrina que faga com que uma pessoa se torne passiva, inativa, submissa e sem resistencia as obras de esptritos so- brenaturais que procuram controlar a vida de forma contraria as Escritu- ras, nao provém de Deus. O Espirito de Deus sempre, e sem excecao, deseja que os ho- mens optem, de forma livre e ativa, pela rentincia da vontade na medida em que forem iluminados pelas Escrituras. Deus busca a ago inteligente, enquanto os deménios exigem a rentincia da vonta- de sem que isso seja uma escolha ativa nem inteligente, pois exigem passividade por parte de suas vitimas. Eles exigem que 0 homem seja uma mera maquina, um autémato, e que se submeta a eles para, assim, obterem controle absoluto ¢ agirem compulsoriamente através de suas vidas. 4l Um sinal claro de que alguém esti sendo mavide por um espiri- ndo firmar que um esplrito ests faz to maligno é quando podemos a exigéncias ¢ forgando o cumprimento delas. Os deménios trabalham para motivar os homens a agirem rdpida e precipitadamente — levan- do-os a se comportarem assim independentemente das consequéncias para a caust de Jesus Cristo e para as almas perdidas. Os cristios sempre tém dominio de si mesmos. Portanto, toda experiéncia espiritual que requeira a perda de controle do préprio es- ida por um espirito maligno (1Co 14.32). O Espitito pirito é produ: Santo nunca fiz com que as pessoas ajam de forma indecente ou desordenada, para chamar a atengao para si mesmas em cultos piibli- os ou fazer coisas que nunca fariam em particular. Causa da passividade e derrota entre os cristaéos 1, A predisposigao em obedecer ao sobrenatural, pensando que a sub- missio Guma garantia contra a operacdo demonfaca. 2. O des todas as influéncias sobrenaturais e espiritos sao da parte de Deus. Por jo de se comunicar com Deus leva os cristéos a acreditar que isso, muitas vezes se submetem a um espirito maligno ou aceitam uma doutrina contraria 4 doutrina biblica. 3, Um grande desejo de estar completamente entregue a Deus, e de ser submisso a Ele em tudo, pode levar os cristaos a serem subservientes ¢ a fazerem cudo em sujeigao ao sobrenatural. Assim, inconscientemente « aceitam as obras demonfacas ¢ so enganados. 4. A falta de conhecimento das obras realizadas mediante poderes de- monfacos e da Biblia, bem como a falta da diregao de Deus, trazem 42 uunsénelg de discernimento para distinguir entre ra mo Consequi influéneias de Deus e de demdnivs. 5. A ignorineia a respeito da Biblia ea interpretagéo incorreta dos tex- tos bfblicos que tratam de demonios ¢ de suas manifestagoes. 6. Submissio cega'a quaisquer ¢ todas as manifestag6es espirituais inde- pendente da fonte (por isso, frequentemente, se submetem a espiritos demoniacos). 7. Ignorancia sobre as obras verdadeiras do Espirito Santo, segundo as Escrituras. 8. Promessas de obedecer a Palavra de Deus, mas seguindo espiritos malignos. 9, O intenso desejo de conhecer a Deus € suas operagGes espirituais deixam alguns cristios ansiosos e apressados. Por isso, eles se submetem a falsas operagées divinas realizadas por espiritos malignos. 11. © desejo de ser usado por Deus para experimentar o poder sobre- natural prometido a todos os homens. A ignorancia nao é garantia contra deménios Precisamos ter consciéncia de que a ignorancia nao é uma ga- rantia contra as obras de espititos malignos. Na verdade, este é um dos meios principais pelos quais ganham controle. Eles no ficario satis- feitos se nao conseguirem leyar as pessoas a aceitarem suas sugest6es, doutrinas, ideias, interpretagGes ¢ diretrizes e, por isso, tentarao incan- savelmente ganhar cada vez mais terreno. Para us4-las, os deménios tm que manté-as na ignorancia em relacéo a verdade. 43 bo” (EP-4.27) irem-se com toda a armadura de Deus, para poderem ficar fir- 1 nao darem “lugar ao uulo advertiu os crentes eave mes contra (EF 6.10-18). Quando alguém passa a defender, de forma contenciosa, doutrinas que nao estao claramente escritas na Biblia ou que sao con- as ciladas do Diabo ¢ apagar todas as suas setas inflamadas trfrias ds Escrituras, estd sendo vitima de possessao demonfaca e ensinamentos de deménios. Quem est sob controle do Espirito Santo é gentil, humilde, ho- nesto ¢ tem a mente aberta para a verdade. Est4 sempre Avido para jceltar como verdade tudo o que estiver claramente escrito na Palavra de Deus, em vez de teimar em manter seus pontos de vista pessoais ou fentar provar que esté certo sem levar em consideragio 0 que a Biblia diz, Haver prontidio e disposigao para aceitar a nova verdade e para andar na luz 4 medida que ela for recebida (1Jo 1.7). Como nao se deixar enganar Quando uma pessoa nasce de novo, entra no reino do sobrenatu- ral ¢ espiritual e deve comegar sua nova vida com o estudo da Biblia. m, conheceré seus ensinamentos e saberd como andar e como lidar com a batalha espiritual. Se ela nao ficar vigilante e nao combater os poderes satanicos, seré passfvel de ser derrotada pelos demé6nios. Por outro lado, nao haverd nada a temer se tiver uma vida crista consciente da necessidade de leitura biblica e oragao didrias, e viver no Espirito de acordo com a luz recebida pela Palavra de Deus (Cl 2.6-8; GI 5.16-26; Rm 8.1-13; Jo 1.7). Ela deve acordar toda ma- nha e orar, crendo com fé que Deus a ajudaré durante o dia, meditar sempre nas Escrituras e recusar tudo o que venhha a ser contrétio 4 von- tade de Deus, segundo os ensinamentos biblicos. 44 Devemos aprender a nfo acreditar em tudo 0 que ¢ dito a res- a menos que esteja explicitamen- espirituais ¢ eterna fe exerito na Biblia ou em harmonia com ela. Nao importa se as infor- mages vem dos melhores ministros da terra ou de um anjo do céu. This devem ser julgadas de acordo com a Biblia para poderem ser acei- tas como verdadeiras. Devemos aprender a julgar assim cada impres- slo, revelagao, sonho, visdo ou sermao. A possibilidade do engano deve ianter todos vigilantes e abertos para examinar tudo segundo as Es- crturas (2Tm 2.15; 3.15-17). Como detectar as manifestacdes do Espirito Santo A verdadeira manifestagao do Espfrito Santo sera indicada pelas tepras claras e princfpios cristdos apresentados a seguir. 1. Um espirito semelhante ao de Cristo: de amor, paciéncia e fé em Deus (GI 5.21-22). 2. Sobriedade e agudeza de visao espiritual (2Tm 1.7; 1Co 12.1-11). 3. Profunda humildade de corago ¢ mansidao de espirito, alia- dos a uma grande coragem para rejeitar 0 pecado, a doen- ¢a, a pobreza, a enfermidade, 0 desdnimo, 0 erro ¢ tudo mais que possa produzir derrota na vida cris (At 1.8; 10.38; Rm 8.1-13; GI 5.16-26). 4. Absoluta clareza das faculdades mentais para agir de for- ma inteligente ao colocar em pratica as instrugdes biblicas em relagao a responsabilidade e vida crista (1Co 14.32; 2Tm 1,7). 45 5. Auséncia de julgamentos, suspeitas, boatos, difamagio ¢ de todas as obras da carne, conforme relacionadas em Roma- nos 1.29-32, |Corintios 6.9-11, Gélatas 5.19-21 ¢ Marcos 710-22. 6. Auséncia de um espirito condenador ¢ julgador ou do de- sejo de ferir alguém por pensamento, palavra ou agao. ‘Tudo deve ser feito para a edificagéo ¢ aperfeigoamento de todos, segundo os ensinamentos de Jesus de amar a0 préximo como a nés mesmos e de nao fazer aos outros aquilo que nao gostarfamos que nos fizessem (1Co 13; EF 4.22-32; 5.1-18). 7. Auséneia de ignorincia quanto & vontade divina no mo- mento. Quando alguém se sentir impulsionado a agir de forma apressada ¢ urgente, sem saber se esta acéo glorifi- cart ou nao a Deus, seré melhor esperar e orar até no haver mais dtividas de que Ele realmente a deseja. Se Deus estiver nos levando a agir, nfo consideraré um insul- to examinarmos 0 espitito ¢ julgarmos racionalmente se a agio proposta é biblica ou nao, pois Ele mesmo ordena que realizemos esse tipo de julgamento (IJo 4.1-6). Se Deus estiver conduzindo, poderemos esperar, assim como Gidedo esperou, até termos certeza, Gidedo pediu dois si- nais impossiveis a Deus para ter certeza e agir segundo a vontade dele. Encretanto, nao se deixe guiar inteiramente pelos conhecidos si- nai (ou pela abertura aleatéria da Biblia em algum versfculo para co- nhecer a vontade de Deus). Julgue todos os “sinais” segundo a Palavra © aguarde até ter certeza de que é Deus quem esté lhe pedindo para 46 fiver alguima coisa. Todos as atos do Senhor sto voltados para, essencial- mente, libertar o homem do pecado ¢ 0 corpo da dor, da enfermida- de ¢ da privagio ou para alguma outra coisa boa que alguém precise (At 10.38). A obra de Satands visa cegar, ocasionar pecado, desani- mar, minar a fé e gerar erro (Jo 10.10). Terrenos para a obra de Deus e de Satanas Se, por um lado, o Diabo langa mio de mentiras para enganar ais pessoas e manté-las cativas, Deus usa a verdade para promover 0 verdadeiro trabalhar do Espirito Santo (Jo 8.31-36). As forcas demo- nfacas se oporao aqueles que buscam a verdade, colocando obstaculos em seu caminho (Mt 13.19; 2Co 4.1-4). A responsabilidade dos santos em relacdo a batalha espiritual 1. Tome cuidado para nao negligenciar o que traré esclarecimento so- bre a batalha espiritual (SI 1.2-4; 2Tm 2.15; 3.15-17). 2. Nao se torne uma presa facil 4s criticas dos outros nem aos cuidados prementes da vida que o mantém ocupado, impedindo-o de empe- nhar-se na batalha e obter éxito (Le 21.34-36; EF 6.10-18). 3. Nao se esquega de que bastam as armas espirituais para lhe dar vité- ria sobre o pecado ¢ Satands (2Co 10.4-7; Ef 6.10-18). 4, Nao negligencie a oragio e a leitura da Biblia (Ef 6.18; Tm 4.12- 16). 5. Nao se desanime quando parecer que vocé esta perdendo a guerra (1Tm 6.12; 2Tm 4.7; 1Pe 1.7; 4.12; Tg 1.12). 47 6, Fique alerta ¢ resista a Satands (Tg 4.7: Pe 5.89) 7. Nao deixe dle usar a autoridade de Cristo por meio de seu precioso sangue, de seu nome e do poder do Espirito Santo contra os poderes demonfacos (At 1.8; Jo 14.12-15; Mc 16.15-20). 8, Nao deixe de realizar a vontade plena de Deus, de forma racional, & medida que tomar conhecimento dela. Ande na luz da Palavra de Deus (1Jo 1,7). Como saber se alguém esta enganado Nis estamos enganados quando pensamos que 0 pecado no ter nenhum cfeito sobre nds ou que herdaremos o Reino de Deus inde- pendentemente do pecado de nossas vidas (1Co 6.9-11; Rm 8.12-13; GI 5.19-21). Além disso, estamos enganados quando acreditamos que into colheremos 0 que semeamos (Gl 6.7-8), que nao € necessério obe- decer a Biblia (Tg 1.22; 2.10) e que néo podemos ser enganados (Co 10.12-13; 2Co 11.3-15; 1Tm 4.1-9; Ef 6.10-18). Tudo isso sao sinais claros do engano e ilusdo demoniacos. Muitas ilus6es patentes nestes ultimos dias incluem as faldcias que listamos ou a crise nas vidas dos fundadores de novas religiGes. les se abriram ao sobrenatural ¢ aceitaram doutrinas e poderes de deménios, em vez de julgar 0 que receberam segundo os padrées da Palavra de Deus. Ninguém deve obedecer cegamente a qualquer espirito ou acreditar cegamente em qualquer doutrina. Satands nao tem principios de justiga e, portanto, se aproveitard de um coragao honesto, se houver permissdo, tao rapidamente quanto se aproveita de um corago desonesto. 48 Uma palavra para os recém-convertidos Até um novo convertido se familiarizar com as Escrituras e com o reino espirieual em que entrou para buscar a Deus, deverd caminhar com muito cuidado, orando ¢ lendo a Biblia para obedecer ao Senhor, sem permitir que nada o desvie. Se cair, deverd se levantar e voltar a dedicar-se a Deus e ser mais agressive contra o Inimigo do que antes. No inicio, quando ainda esto aprendendo a distinguir a verda- de do engano, poucos sao os que podem garantir que obedecem a Deus em cada detalhe, porque hé a possibilidade da interferéncia de inuitos fatores como a mente, 0 espitito, a vontade, os desejos, as ima- ginacdes, o conhecimento imperfeito ¢ a submissio, ideias falsas e sen- timentos pessoais, bem como dos espiritos demontfacos. O novo convertido deve aprender a discernit os espiritos enga- nadores e as falsas doutrinas. Deixamos de acreditar em mentiras quan- do passamos a acreditar na verdade. Nada pode remover uma menti- ra, exceto a verdade. Nada pode dar completa vitéria sobre 0 demé- nio, exceto Deus, por meio do precioso sangue de Cristo, da oragio ¢ do constante caminhar no Espirito Santo (Rm 8.1-16; GI 5.16-26; Ef 6.10-18). Para obter um estudo completo sobre as obras divinas e as obras satanicas, consulte a nossa obra, God’ Plan for Man (O plano de Deus para o homem). Nos prdximos capitulos discorreremos sobre as obras dos demé- nios, mostrando como os homens sao enganados e mantidos cativos por Satands devido ao pecado e a falsa doutrina. 49 Capitulo 4 LEI MORAL E GOVERNO MORAL A doutrina da lei moral ¢ do governo moral deve ser clara a fim de permitir a compreensio correta do pecado ¢ de seus efeitos malig- nos sobre o homem. O estudo a seguir capacitard vocé a constatar que Deus governa o Universo e que, perante Ele, o homem é responsével por sua propria vida e conduta. Definigdo de lei Lei é a regra de aco estabelecida por autoridade reconhecida para aplicar a justica e prescrever deveres e obrigagGes aos governa- dos. Lei da fisica é a regra de agao do Universo material pela qual to- das as coisas sto mantidas perpetuamente em seus préprios cursos, tra- balhando em harmonia e de acordo com o plano divino. Lei moral éa regra de acao para agentes de moral livre, direcionando-os em sua a¢ao moral ¢ em seus préprios poderes criativos de acordo com o plano di- vino. E a regra de acio livre e inteligente ¢ da liberdade em oposigao a regra de aco escrava e nao inteligente. 33 MANUAL NINE Oak O objetivo da lei moral O objetivo da lei moral é revelar ¢ declarar a regra de agiio mo- ral do livre arbftrio relativa ao bem maior do ser ¢ do Universo; ¢ para governar os atos e intengdes do livre arbftrio em sua relagdo com Deus © com © Universo, Bla reside no motivo ¢ declara 0 que um agente ¢ pretender. deve escolher, des A imutabilidade da lei moral A lel moral nunca pode mudar nem variar no que diz respeito a esijgineia de que todo ser criado com livre arbitrio se consagre ao mes- ini ao qual Deus é consagrado — 0 bem maior do Universo e to- sas Ws Coinas 4 esse respeito. A rebeliaéo daqueles que possuem livre ar- biirie nunes alterard o plano de Deus quanto ao bem de sua criagio. Por causa disso, a lei moral nunca poderd mudar. A obrigacao da lei moral Come a lei moral governa o melhor bem do ser, é naturalmente obigatéria a todos. O que é contrério ao bem do ser é simplesmente al © imprudente, e deve ser proibido. Os agentes de moral livre em cooperar para trazer maior bem puiblico. Eles devem ser con- inl o que traz miséria e transtornos para a sociedade. Este é um plano mutituo para o bem de cada pessoa e do Universo como um todo, ¢ somos obrigados a manter a lei moral em todas as ocasides, de acordo com a instrugio recebida. A exigéncia do governo moral Para existir a lei moral também é preciso existir um governo moral para dirigir, guiar e controlar aqueles que tém livre arbftrio. Isso deve 54 luir recompensas para o bem © puntigdes para o mal, caso contrd- tle, nenhuma sociedade poders funcionar, Deve haver em cada co- munidace algum padrato de vida que todos devem adotar para prova- rem asi mesmos valor de ser parte daquela sociedade. Deve haver alum meio de lidar com os rebeldes que perturbam a sociedade, Lei sem punigoes e recompensas nao ¢ lei, e sim meramente um conselho que pode ser livremente aceito ou rejeitado sem 0 temor de punigao ‘ou a esperanga de recompensa. O governo moral rem a obrigagio de executar fielmente a lei moral. A exigéncia de um governador moral Visto que é necessério ter uma Ici moral ¢ um governo moral para cexecutar essa lei, também deverd haver um governador moral cuja von- tade e decisées sejam consideradas infaliveis por aqueles que esto su- jeitos a tal governo. Esse governador moral deve ser: - Autoritario, ¢ nao somente conselheiro. - Capaz de manter o respeito de seus governados pela execugao fiel e altruista de seus deveres. - Capaz de executar as penalidades e distribuir recompensas. Naturalmente, aquele cujos atributos e cardter melhor qualificd- lo para governar e garantir 0 bem maior de todos, deverd ser 0 gover- nador. E tanto seu direito quanto dever ser 0 governador. Nao ha ne- nhuma outra pessoa que atenda estas exigéncias, a nao ser Deus. Nao ha ninguém que possua seus atributos naturais, seu cardter moral per- feito, sua relacdo com o Universo como criador e mantenedor de to- das as coisas e sua histéria de absoluta justica a todos que o qualificam 55 SUNITETNE TNL EY VA a Ee gls- como o Supremo Governador Moral. Visto que nosso bem ¢ Jade miitua ao mesmo fim, Ele tem a res- Gi ria dependem da conforn ponsabilidade de exigir de nés santidade e consagi ‘\ garantir o bem maior para todos. lo para ajus Portanto, vida e conduta santas so obrigagées naturais para to- dos os semelhantes para o bem maior da criagao. A agéncia moral livre definida A agéncia de moral livre consiste em intelecto, sensibilidade e livre arb(ttio, e isso forma a base da obrigacio moral para o governa- dor moral. O intelecto inclui a raz4o e a autodeterminagao. A sensi- bilidade inclui autoconsciéncia, sensagio, desejo, emogao, paixio ¢ to- dos os sentimentos. O livre arbjtrio, que foi criado originalmente no ser humano e estard com ele por toda a eternidade, ¢ o poder de es- colha concernente & lei moral. E a faculdade do homem de escolher entre o bem e 0 mal sem compulsio nem necessidade, A prova biblica de que os homens s&o agentes de moral livre O fato de que todos os homens tomam decisdes morais e tém livre escolha de agao concernente ao certo ¢ errado prova que so agen- res de moral livre. O fato de que podem escolher livremente servir a Deus ou a Satands, obedecer ou desobedecer leis, escolher ou rejeitar santidade e salvagéo, prova que tém o poder de escolha. Todos os ho- mens de mente sa sabem que tém o poder da livre escolha concernente As ages morais. Mesmo que estejam atados pelo pecado e por Satands, os homens livres para se voltarem para Deus, encontrar salvacao plena e, en- 56 maior de toda a ra retornar ao pecado, » n escolherem (Rm 6.16- criagao. Eles tam- 23; 8.1-13). Nenhum deles pode negar a existéncia da acao livre na a normal sem incorrer na acusagao de insanidade. E com o fim de estabelecer alguma doutrina tendenciosa na igreja, eles podem hegar a realidade da agéncia de moral livre — ¢ até negar a sua legiti- inidade —, mas o fato é que eles sabem da sua existéncia. A Biblia declara que todos os homens tém o poder da livre esco- Iha e que Deus est limitado a abencod-los de acordo com a sua livre cooperagao com Ele (Jo 3.15-20,36; 5.40; 7.17; 9.31; 12.36; 1Co 7.37; 9.17; 1Pe 5.2; Mc 3.35; 16.16; 1Tim 2.4; 2Pe 3.9; Ap 22.17; Js 24.15; Pv 1.29-33; SI] 119.3,173; Is 66.3; Mt 6.24). Todas essas passagens, e muitas outras das Escrituras, afirmam de forma simples que: - Os homens sao livres para escolher a quem servir. - Eles so responsdveis por seu destino. - Quem atender a condigao de salvagao sera salvo e quem nao atender ser4 condenado. - Deus deseja que todos os homens sejam salvos, mas se eles nao quiserem, sero condenados. ~ Deus julgard todos os homens com base em suas préprias livres escolhas de aceitar ou rejeitar a Palavra de Deus. - Se ficasse a cargo da escolha e vontade de Deus, todos os ho- mens seriam salvos. - Todos os homens tém absoluta liberdade de escolha. O fato de termos sido criados com o livre arbitrio é ilustrado mais claramente na liberdade que temos de escolher entre 0 pecado ou a 57 SEARIUAT ERE TOOT Fenty retidddo — de aceitar ow rejeitar a oferta de silvagio feiun por Jesus Cristo. Se poems exercer a nossa vontade em relagiio as escolhas morais, en- tio somos agentes de moral livre, Este aspecto do carter de Deus com © qual fomos criados tem implicagées de longo alcance. Na Palavra de Deus estd claro que todo aquele que estiver ser- vindo ao pecado e aos poderes demoniacos — mesmo chegando quase 40 ponto de total perdicao — ainda mantém o poder da escolha, Aque- les que estao em servidao optaram por permanecer nela e podem fa- ver a escolha de sair dessa condigéo de pecado € encontrar salvagio em Jesus Cristo. Nascemos em pecado, mas em Jesus Cristo temos a promessa da salvagiio, quando nos voltamos para Deus. Sem este poder concedido por Deus para sair do pecado, talvez surja a argumentagao de que nao somos agentes de moral livre. Por exemplo, o fato de as Nagées do Eixo terem sido derrotadas pelos Aliados durante a Segunda Guerra Mun- dial nao prova de que nao tinham a capacidade de fazer uma livre escolha. Isso apenas prova que os Aliados eram mais fortes dentre os dois grupos de agentes de moral livre. A resisténcia deles bem como sua escolha em fazer guerra e posteriormente se render prova que ti- nham 0 poder de desejar ¢ agir livremente. Arguir que os homens nio tém 0 poder de escolher entre cer- to € 0 errado € ignorar a verdade ~ ou isso demonstra uma rebelio obstinada contra o que esté claro para todos. A base da escolha certa A obrigacao de sempre agir visando 0 bem maior é a base da acdo moral. Cada circunstancia com a qual nos deparamos ¢ 0 resul- tado da escolha — tanto das que fazemos quanto das que sao feitas por 58 “ourras pessoas. impor as escolhas que fzemos tenham im- pacto para o maior bem priblico ¢ privado. Esta obri tende-se aos atos supremos da vontade ¢ da intengao. O agente moral santicade como meio para o bem mai- io moral es- esti sob obrigacio de excolher ore felicidade existencial. A base da justica O julgamento baseado na intengao € 0 alicerce da justiga sob o governo moral. Também acreditamos que esta é a base da justiga nos governos civis. Se as boas intengées levam a maus resultados ou as mds incengées levam a bons resultados, quem faz. a escolha deve ser respon- sdvel por suas intengGes e nao ser julgada pelos resultados ou consequéncias de suas agGes. A Biblia respcita a intengao mais do que os resultados de ages externas (2Co 8.12; Tg 1.13-15; 3.9-14). Tanto o vicio como a virtude sao considerados como provenien- tes do coragao (Mc 7.15-23). Onde o coragao esta certo, tudo o mais < considerado certo, ¢ onde 0 coragao é mau, tudo é considerado mau (Mt 7.15-21). Mesmo os pecadores fazem coisas que aparentemente sio exigidas por Deus, mas seus coragées nao s4o retos. Suas intengdes so geralmente egofstas e as atitudes por si sé nao mudam o coragao. A virtude consiste em consagra¢ao para o mesmo fim ao qual Deus est4 consagrado. O vicio consiste na consagracao ao fim ao qual Sata- nds est4 consagrado — a autogratificagao contraria tanto a lei moral quanto o bem maior do Universo. A extensdo da obediéncia a lei moral O alicerce do dever moral € nossa consagracao ao bem maior de todos. Partindo da premissa de que isso é verdade, entio a total con- 59