Você está na página 1de 118
Rua Joaquim Felipe, 60 Boa Vista - Recife/PE Fone: 3421 - 1313 www.nuceconcursos.com.br GUN TA FeIRIX OOGBis ESPECIAL Conhecimentos Bancarios sO ae pefacdon 1- SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL As instituigdes financefras: er das Pe t em dois grupos: os inftermediarios financeiros eas chamadas instituigdes auxiliares. > Gapha eft Os intermediarios financeiros so instituigdbs £ hinge que se caracterizam por criarem seus proprios passives, ou seja, capiam diretamente dos poupadores suas reservas e, por sua conta Tisco, apicam esses recursos junto aos tomadores de crédito (através de empréstimos € financiamentos). Os intermediarios financeiros 880 08 responsaveis7pela devolugao dos 2 recursos dos tamadores' independentemente da a! honra. das obrigagdes contraidas__ pelos tomadores. Com isso, conclui-se que a intermediagéo financeira se da da forma indireta, Nesse segmento incluem-se os bancos 1.1 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Segundo Fortuna (2002, p.15), ‘O Sistema Financelro Nacional € 0 conjunto de instituigdes que se dedicam, de alguma forma, ao trabalho de propiciar condiges —satisfatorias para a manutengéo de um fluxo de recursos entre poupadores ¢ investidores". © mercado financeiro (nome dado 20 local onde se processam essas trensagdes) permite que alguém (um individuo ou empresa), com sobra de recursos © sem perspectives de aplicagao em —_algum empreencimento proprio, entre em contato com outro, cujas perspectivas de _investimento superam suas respectivas disponibilidades de ~gomerciais, de —_.investimento,_— de eet “desenvolvimento, as gaixas econémicas, as Graficamente, uma representagao do sistema “sociedades de crédito. imobiiaro (SC ¢ as financero seria associagées de poupancas © empréstmos propcemse 3 colacat em conte: poupadetas rheeeee: (Tomadorca).| SO investidores, Taciliando © acess destos bur Squeles, no asumindo qualquer obrigacao Ba > junto aos poupadores em caso da nao Cmts scbenits buat pace devolugéo dos recursos emprestados 0s ! ; tomadores. Aqui, a intermediagao ocorre de Ce Mf fimo areta Pola intermedagao, 28 msituedes Ofera de Recursos Demanda de Recursos: auxiliares recebem comissdes pelos servigos bessa forma, 0 mercado fnanceio pode ser Presa. Como sremlos, densities SSSA" SAO SaSie™ Sane my 5 Meta came Sa 8 wee prosetee de crescimento ceondmico,responsivel somoedes comeras ocstibuid pola intermediagao entre os | poupadores » S : (ofertantes de recursos) e os tomadores % Outra caracterizag3o de instituic&o financeira {demandantes de recursos). Os tomadores, em ~S poderd ser dada sob a otica da capacidade que fungdo da necessidade, sujeitam-se a pagar por_, ~ ela tem de criar ou ndo moada eseritural, Nesse isso. Parte dessa quantia fica com o intermediaric _y €aS0, as instituigdes podem ser classificadas em financeiro, como um premio peta prestacéo de: monetarias e nao monetérias (ou bancérias © servigo de intermediagao, A diferenca € paga aos fifo vpancérips). Poupadores como prémio pela opgae de ndor-") ar —7isstiigéed” “Hidhetarias tem como caracteristica a pOssibiidade de captar recursos het ei A LE > Sings ao chamado.depesto & vita (eortat Uma pat Hehe EBS obits £8 mercada'y 2 correntes}e com 50, poder ciara moede financeiro sas instituigées financairas. De” 3 éscritual. S8o exemplos de insftuigdes ‘corto com a Lei 4.595/64 (conhecida como a Lei~{ = financeiras monetarias 0 Banco do Brasil, os dg Reforma Banca), art 17, sao consideradas & ., bancos comerciais (oficiais @ privados) @ os instituigdes financeiras J tancos miltiplos com carteira comercial. A (Poupadores) GAPE) entre outras, Texeeteas oS Petes a ITO US i ine sconbmicos | As instuigbes classifcadas como ‘suxllares Superavisice |_| midrce cues | Bavico { ‘consumir 0s recursos no momento, ofertando sua’, reserva para os tomadores q ng pessoas rceas® que tenham como atividade } *~capacidade de criar moeda origina-se do fato de 2 coleta, a intermediagao” \. trabainarem em um sistema de reservas bu. aplioagla de recu’sds fnandelros préprios ou ~* fracionarias, mantendo em caixa apenas uma je loreelros, em mooda nacional ou estrangeira. e “+ parte dos depésites que recebem do pudlico, a Ter ee valor de ptooriedade de tercoros”" =) 6 ste, om seu pardgrafo on oc” E.) Ja as insttuigdes nao monetarias no possuem —efeioe dosta Lei ©. Ga legisiagao em vigor 2, Condo da, _ciiacaada—-maada. | Flas necessitam contrair passives para poder emprestar, por sua conta e fisco, os recursos captados, S80 exemplos de instituighes nao monetarias os bancos de desenvolvimento, os equiparam-se &S instituigdesfinanceiras as pessoas fisicas que exergam qualquer das atividades referidas neste artigo, de forma permanente ou eventual.” NUCLEO DE. Soscunsos ESPECIAL bancos de investimento e as financeiras. © Sistema Financeiro Nacional esta dividido conforme diagrama a seguir: ‘Consett tnetéri: Nacional Const: | -Miistro Conhecimentos Bancarios normativo, por exceléncia, nao Ihe cabem fungoes executivas, sendo 0 responsével pela fozig30 das ditetrizes das pollticas monetérias, Crediticia e cambial do Pais. Pelo envolvimento Favenda | * Miristro 69 Planejamerto 0 Banco Centra | ‘Nacional Agents | Peapaseneamen | Subsistema de Intermedia | Demais Instituigbes Baneérias, io Banedrias| No sentido estrito, ou seja, considerando apenas © mercado financeiro, devem ser excluidas @ SUSEP e@ a Secretaria de _Previdéncia ‘Complementar do subsistema Normativo. 4.2 — Subsistema Normativo E 0 responsavel pelo funcionamento do mercado financeito, regulamentando, __concedendo autorizagao para funcionamento, fiscalizando, & punindo, se necessério, as instituigses que compéem 0 mercado financeiro. E composto pelo Conseiho Monetario Nacional (CM), pelo Banco Central do Brasil (BACEN, BC ou BCB), pela Comisséo de Valores Mobiliarios (CVM) e pelo Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN). © subsistema normativo Gividido em dois grupos: também pode ser + Autoridades Monetarias: composto pelo Conseino Monetério Nacional e pelo Banco Central; + Autoridades de Apoio: composto pela CVM, CRSFN, BB, CEF e BNDES. 2:4 Conselho Monetario Nacional (CMN) © Oro supremo do SFN, e como érg8o Sess is ovo Grol Je SPC tea) she putter Ba, ¢ yee ‘Conselho ce Recursos do, ‘Sistema Franceiro Neconal ‘use| ‘Superinteranca de Seguros Privacos - SUSEP Funamccnenerte:, AS, “ores do mel i : altes ‘Barco Nacional de Dese-velvimentd Econdmico e Social ~ Cai Econésmica Federal | Boncos les Boreas Cmercas Pies e Patios Eanes oe Beverivnen Sten rier de Poupana © Erorésino SrBoaate de Cito Fnncomento © Imesimen — ey repocagter> Boca de vares © See os Kies a) onus nutes Cs an ceberde : ses; Laon cei Loobs: factewrin o% estas polticas no cenerio edshémico nacional, © CMN acaba transformando-se num conselho de politica econémica. 'A medida Provisoria n° 642, de 30/08/94, que criou o Plano Real, simplificou a composi¢ao do MIN, dando um perfil mais econdmico.O CMN passou a ser integrado pelos seguintes meinbros: Ministre da Fazenda (Presidente do Conselho), Ministro Chefe da Secretaria de Planejamento e Presidente do Banco Central ‘A MP criou também.a Comissao Técnica de Moede e do Crédito (COMOC) com a competéncla bésica de regulamentar as matérias de responsabilidade do CMN. Essa comiss80, subordinada ao CMN, tem os ‘seguintes componentes: Presidente do BACEN (coordenador) Presidente da CVM; Secretério Executivo do Ministério Planejamento e Orgamento; + Secretério do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda; ‘© Secretério de Politica Econémica do Ministerio da Fazenda; + 04 diretores do BACEN, indicados por seu presidente et Conckia(