Você está na página 1de 7

01 Q826546 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.

429/92

Ano: 2017 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva:


BETA
Escrevente Técnico
Judiciário
Suponha que Secretário da Fazenda de um estado qualquer da Federação aceite exercer, nas horas vagas,
concomitantemente ao exercício do cargo público, atividades de consultoria a empresas sujeitas ao recolhimento
do ICMS, tributo estadual. Nesse caso, à luz do previsto na Lei Federal n° 8.429/92, a conduta descrita pode ser
considerada

a) ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública.

b) ato de improbidade administrativa que importa enriquecimento ilícito.

c) indiferente, pois não caracteriza nenhuma das hipóteses de ato de improbidade administrativa
previstas.

d) ato de improbidade administrativa decorrente de concessão ou aplicação indevida de benefício


financeiro ou tributário.

e) ato de improbidade administrativa que causa prejuízo ao Erário.

02 Q826547 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2017 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
Assinale a alternativa que corretamente discorre sobre as penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa.

a) No caso de condenação por ato de improbidade administrativa decorrente de concessão ou aplicação


indevida de benefício financeiro ou tributário, não cabe a aplicação da pena de perda da função
pública.

b) A aplicação das penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa impede a aplicação das demais
sanções penais, civis e administrativas previstas em legislação específica.

c) Na fixação das penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa, o juiz levará em conta a
extensão do dano causado, assim como o proveito patrimonial obtido pelo agente.

d) A pena de proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou
creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio
majoritário, terá o prazo máximo de 2 (dois) anos.

e) As penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa deverão ser aplicadas cumulativamente,


exceto quando se tratar de ato de improbidade administrativa que atente contra os princípios da
Administração Pública.

03 Q826548 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2017 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
O procedimento administrativo previsto na Lei Federal n° 8.429/92, destinado a apurar a prática de ato de
improbidade,

a) será iniciado por representação, que será escrita ou reduzida a termo, podendo o representante
permanecer anônimo, se assim o desejar.

b) poderá acarretar o exame e o bloqueio de bens, contas bancárias e aplicações financeiras mantidas
pelo indiciado no exterior, se for o caso.

c) poderá compreender o decreto de sequestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido
ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público.

d) impedirá a apuração dos fatos pelo Ministério Público, caso se conclua pela improcedência das
acusações.

e) deverá ser levado ao conhecimento do Ministério Público e do Tribunal ou Conselho de Contas, pela
Comissão Processante.
04 Q826549 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2017 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
No processo judicial de improbidade administrativa, o Ministério Público

a) se não intervir no processo como parte, atuará obrigatoriamente, como fiscal da lei, sob pena de
nulidade.

b) atuará somente como fiscal da lei, mas promoverá as ações necessárias à complementação do
ressarcimento do patrimônio público.

c) atuará somente como autor, não intervindo se a pessoa jurídica interessada propuser a ação
ordinária.

d) é o único legitimado a propor a ação ordinária, dentro de trinta dias da efetivação da medida cautelar.

e) poderá abster-se de contestar o pedido, ou poderá atuar ao lado do autor, desde que isso se afigure
útil ao interesse público, a juízo do Procurador Geral de Justiça.

05 Q823820 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2017 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Serviço Social


A Lei de Improbidade Administrativa prevê que

a) não configura ato de improbidade a aquisição, para si, no exercício de mandato, cargo, emprego ou
função pública, de bens cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do
agente público, pois não importa enriquecimento ilícito.

b) a utilização de trabalho de servidores públicos na execução de obra ou serviço particular, de interesse


privado da autoridade a que estão subordinados, não configura ato de improbidade pela ausência de
lesividade.

c) frustrar a licitude de concurso público configura ato de improbidade administrativa que causa prejuízo
ao erário.

d) suas disposições são aplicáveis, no que couber, àquele que, mesmo não sendo agente público, induza
ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou
indireta.

e) estão sujeitos às suas penas somente os agentes públicos investidos em cargos efetivos que causem
lesão ao erário de forma dolosa e com o propósito de enriquecer ilicitamente.

06 Q824120 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2017 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Psicólogo


A Lei de Improbidade Administrativa prevê que

a) não configura ato de improbidade a aquisição, para si, no exercício de mandato, cargo, emprego ou
função pública, de bens cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do
agente público, pois não importa enriquecimento ilícito.

b) estão sujeitos às suas penas somente os agentes públicos investidos em cargos efetivos que causem
lesão ao erário de forma dolosa e com o propósito de enriquecer ilicitamente.

c) a utilização de trabalho de servidores públicos na execução de obra ou serviço particular, de interesse


privado da autoridade a que estão subordinados, não configura ato de improbidade pela ausência de
lesividade.

d) suas disposições são aplicáveis, no que couber, àquele que, mesmo não sendo agente público, induza
ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou
indireta.

e) frustrar a licitude de concurso público configura ato de improbidade administrativa que causa prejuízo
ao erário.
07 Q671138 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2016 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Titular de Serviços de


Notas e de Registros
Nos termos da Lei no 8.429/92, pode ser responsabilizado por ato de improbidade administrativa

a) não apenas o agente público, mas também o particular ou o terceiro beneficiado pelo ato.

b) o representante da pessoa jurídica que receba subvenção, benefício ou incentivo de órgão público, se
o instrumento formalizado entre as partes contiver previsão expressa de responsabilidade.

c) apenas o agente público enriquecido ilicitamente no exercício de mandato, cargo, emprego ou função
pública.

d) o agente público, objetivamente, e seus prepostos de qualquer nível ou hierarquia, culposamente.

08 Q503188 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2015 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
Em apuração preliminar, verifica-se que servidor do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, responsável por
supervisionar as obras do Fórum da Comarca X, utilizou – em obra particular de construção de sua residência de
veraneio – máquinas, equipamentos e materiais que se encontravam à disposição para a construção do Fórum.
Nos termos da Lei Federal n o 8.429/92, o servidor praticou

a) ato de improbidade administrativa previsto expressamente na lei como ato que importa enri-
quecimento ilícito.

b) ato de improbidade administrativa previsto expressamente na lei como ato que atenta contra os
princípios da Administração Pública.

c) ato ilegal, mas que não pode ser qualificado como ato de improbidade administrativa

d) ato de improbidade administrativa previsto expressamente na lei como ato que causa prejuízo ao
erário.

e) ato de improbidade administrativa que não se encontra previsto expressamente na lei.

09 Q503189 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2015 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
O agente público que se recusar a prestar declaração dos bens exigida pela Lei Federal n o 8.429/92, dentro do
prazo determinado,

a) estará sujeito à penalidade de multa de até 25% (vinte e cinco por cento) de seus vencimentos anuais

b) será punido com a pena de demissão a bem do serviço público, sem prejuízo de outras sanções
cabíveis

c) estará sujeito à suspensão dos vencimentos até que apresente a declaração devida.

d) poderá ser punido com a pena de repreensão.

e) pagará multa por dia de atraso equivalente a 10% (dez por cento) do correspondente ao valor da
remuneração que percebe por dia de trabalho.

10 Q503190 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2015 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
A respeito da ação de improbidade administrativa, considerando o previsto na Lei Federal n o 8.429/92, é correto
afirmar que

a) na ação principal, será seguido o rito sumário, sendo cabível a realização de transação, acordo ou
conciliação.

b) em qualquer fase do processo, reconhecida a inadequação da ação de improbidade, o juiz extinguirá o


processo com julgamento do mérito, não podendo ser a ação novamente intentada.

c) a sentença que julgar procedente ação civil de reparação de dano ou decretar a perda dos bens
havidos ilicitamente determinará o pagamento em favor do Fundo Nacional de Interesses Difusos.

d) a ação principal poderá ser proposta pela pessoa jurídica interessada, atuando nesse caso,
obrigatoriamente, o Ministério Público como fiscal da lei, sob pena de nulidade.

e) estando a inicial em devida forma, o juiz mandará autuá-la e ordenará a notificação do requerido,
para oferecer manifestação por escrito no prazo de 10 (dez) dias.

11 Q503487 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2015 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Contador


Perante a Constituição brasileira, bem como a ética e boas práticas administrativas, o enriquecimento ilícito
auferindo qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo, mandato, função,
emprego ou atividade nas entidades públicas será classificado como

a) Probidade Administrativa.

b) Improbidade Administrativa.

c) Discricionariedade.

d) Indiscricionariedade.

e) Fraude.

12 Q504672 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2015 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Estatístico


Assinale a alternativa correta a respeito da Lei de Improbidade Administrativa (Lei n° 8.429/92).

a) A Lei de Improbidade não se aplica àquele que não é agente público.

b) O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito
às cominações dessa Lei até o limite do valor da herança.

c) Quando o ato de improbidade ensejar enriqueci- mento ilícito, caberá à autoridade administrativa
decretar a indisponibilidade dos bens do indiciado.

d) Ocorrendo lesão ao patrimônio público, independentemente de dolo ou culpa do agente, este deverá
ressarcir integralmente o dano ao erário.

e) A Lei de Improbidade estabelece a pena de prisão ao agente público que cometer ato que redunde
em prejuízo ao erário ou enriquecimento ilícito.

13 Q454374 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
A Lei de Improbidade Administrativa (Lei Federal nº 8.429/92) prevê, acerca dos sujeitos ativo e passivo do ato
de improbidade, que

a) os atos praticados contra entidades para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra
com menos de 50% (cinquenta por cento) do patrimônio ou da receita anual não poderão ser
considerados atos de improbidade administrativa.

b) se sujeitam à Lei de Improbidade os empregados e dirigentes de concessionários e permissionários de


serviços públicos, pois prestam serviço público por delegação e auferem dos usuários o preço pelo uso
do serviço.

c) os atos praticados contra entidades para cuja criação ou custeio o erário haja contribuído ou contribua
com mais de 50% (cinquenta por cento) do patrimônio ou da receita anual, como os serviços sociais
autônomos, podem ser considerados atos de improbidade administrativa.

d) os empregados de empresas públicas e sociedades de economia mista, bem como das entidades
beneficiadas por auxílio ou subvenção estatal, não se qualificam tecnicamente como agentes públicos,
mas como empregados privados, então, portanto, não poderá ser-lhes atribuída a autoria de condutas
de improbidade.

e) se sujeitam à Lei de Improbidade os Chefes do Executivo, Ministros e Secretários; os integrantes das


Casas Legislativas; os magistrados e membros do Ministério Público; excluindo-se, portanto, da
incidência da Lei de Improbidade Administrativa, os servidores públicos de qualquer regime
(estatutário, trabalhista e especial).

14 Q454375 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
Com relação aos atos de improbidade previstos na Lei Federal nº 8.429/92, é correto afirmar que

a) a conduta ímproba somente será considerada caracterizada se comprovados o enriquecimento ilícito


do agente público, o dano ao erário e a prática de ato atentatório aos princípios da Administração
Pública.

b) a fim de que uma conduta seja considera ímproba, é necessário que seja praticada por agente público
em sentido estrito, e que importe em violação a princípio da Administração Pública, dano ao erário e
enriquecimento ilícito.

c) a conduta de improbidade na espécie enriquecimento ilícito pressupõe a percepção da vantagem


patrimonial ilícita obtida pelo exercício da função pública em geral, podendo haver ou não,
concomitantemente, dano ao erário.

d) o pressuposto exigível para os atos de improbidade por violação a princípios é a vulneração em si dos
princípios administrativos, cumulada com o enriquecimento ilícito ou com o dano ao erário.

e) os atos de improbidade que causam dano ao erário são caracterizados pela ocorrência de dano ao
patrimônio de pessoas como a União, Estados e Municípios, e, concomitantemente, enriquecimento
ilícito de agente público, já que não há dano ao erário sem que alguém se locuplete indevidamente.

15 Q454376 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
As sanções previstas pela Lei de Improbidade Administrativa são:

a) ressarcimento integral do dano; perda da função pública; perda dos direitos políticos; pagamento de
multa civil; proibição de contratar com o Poder Público; proibição de receber benefícios ou incentivos
fiscais ou creditícios; pena de reclusão de 1 (um) a 6 (seis) anos.

b) pagamento de multa civil e multa penal, nos casos de culpa; proibição de contratar com o Poder
Público; proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios; perda dos direitos
políticos.

c) perda dos direitos políticos; perda de bens e valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio; pagamento
de multas civil e penal; proibição de contratar com o Poder Público; proibição de receber benefícios ou
incentivos fiscais ou creditícios.

d) perda de bens e valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio; reclusão de 2 (dois) a 8 (oito) anos;
perda dos direitos políticos; ressarcimento integral do dano; proibição de contratar com o Poder
Público.

e)
perda de bens e valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio; ressarcimento integral do dano; perda
da função pública; suspensão dos direitos políticos; pagamento de multa civil; proibição de contratar
com o Poder Público; proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.

16 Q454377 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
João é escrevente técnico judiciário do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e, estando sujeito à
apresentação da declaração de bens prevista na Lei Federal nº 8.429/92, apresentou a declaração devida em
maio de 2014. No entanto, posteriormente, verifica-se que João afirmou na declaração não possuir bens imóveis,
o que, no entanto, não é verdade, já que João é proprietário de apartamento na cidade de São Paulo, onde reside
e trabalha, desde 2010. É constatado também que o imóvel é de valor modesto, de aquisição compatível com os
rendimentos de João e sua esposa. Neste caso, em relação à conduta de João, é correto afirmar que a Lei de
Improbidade Administrativa

a) comina a sanção de suspensão para a conduta de João, que embora não tenha enriquecido
ilicitamente, deixou de apresentar os dados corretos na declaração.

b) prevê sanção de multa a João, por não haver prestado a declaração de bens de forma correta ao
Tribunal de Justiça.

c) considera que João está sujeito a penas disciplinares nas quais serão consideradas a natureza e a
gravidade da infração e os danos que dela provierem para o serviço público.

d) considera João sujeito à pena de demissão a bem do serviço público, sem prejuízo de outras sanções
cabíveis, por haver prestado declaração de bens falsa.

e) não impõe qualquer sanção pela conduta de João, já que seu patrimônio, em si, é lícito, o que é o
cerne da Lei de Improbidade Administrativa.

17 Q390075 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Titular de Serviços de


Notas e de Registros
Sobre a teoria geral da improbidade administrativa, assinale a alternativa correta.

a) A culpa é considerada possível à caracterização tanto do tipo infracional de prejuízo ao erário quanto
ao de violação dos princípios da Administração Pública.

b) A prática de um ato, que simultaneamente tipifique improbidade administrativa e crime, implica em


suspender a ação de improbidade até o julgamento definitivo da ação penal

c) Existe uma relação de subsunção entre os tipos de improbidade administrativa previstos como
enriquecimento ilícito (art. 9.º da Lei n.º 8.429/92), prejuízo ao erário (art. 10) e violação aos
princípios da Administração Pública (art. 11), portanto, praticado um ato que abstratamente
considerado qualifica os três tipos, deve-se imputar apenas o mais grave, o enriquecimento ilícito.

d) Improbidade administrativa é sinônimo de imoralidade administrativa

18 Q390296 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Titular de Serviços de


Notas e de Registros
Sobre a teoria geral da improbidade administrativa, é correto afirmar:

a) consiste numa instância de responsabilidade pública destinada à imputação de sanções por prática de
ilícitos cometidos por agentes públicos, desde que lotados em cargos públicos, com estabilidade ou
em comissão, empregos públicos e, ainda, particulares em colaboração com o Estado, mas desta
esfera são afastados os particulares que devem responder em ação própria de reparação por
eventuais prejuízos causados.

b)
cuida-se de instituto processual por meio do qual se apura a violação da moralidade administrativa, o
enriquecimento ilícito, o prejuízo ao erário, além do descumprimento doloso de outros princípios do
regime jurídico administrativo.

c) alinha-se direta e primordialmente ao princípio republicano, o que significa que, nesta instância de
responsabilidade, a improbidade administrativa relaciona-se imediatamente com os deveres de
transparência, prestação de contas e responsabilidade no exercício da função pública.

d) trata-se de responsabilidade jurídica de natureza penal na qual são atos típicos de improbidade
administrativa o enriquecimento ilícito, o prejuízo ao erário e a violação aos princípios da
Administração Pública.

19 Q338390 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2013 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Advogado


Nos termos da Lei n.º 8.429/92, Lei de Improbidade, constitui ato de improbidade administrativa que atenta
contra os princípios da Administração Pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de
honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições e, notadamente.

a) permitir ou facilitar a aquisição, permuta ou locação de bem ou serviço por preço superior ao de
mercado.

b) revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro, antes da respectiva divulgação oficial,
teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria, bem ou serviço.

c) perceber vantagem econômica para intermediar a libera- ção ou aplicação de verba pública de
qualquer natureza.

d) usar, em proveito próprio, bens, rendas, verbas ou valoes integrantes do acervo patrimonial de órgãos
da Administração Pública Direta.

e) celebrar contrato de rateio de consórcio público sem su- ficiente e prévia dotação orçamentária, ou
sem observar as formalidades previstas na lei.

20 Q313000 Direito Administrativo Improbidade administrativa - Lei 8.429/92

Ano: 2013 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SPProva: Escrevente Técnico


Judiciário
É ato de Improbidade Administrativa (Lei n.º 8.429/92), que causa prejuízo ao erário:

a) permitir ou facilitar a alienação, permuta ou locação de bem integrante do patrimônio da


administração direta, indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes dos Estados, por preço inferior
ao de mercado.

b) utilizar, em obra ou serviço particular, trabalho de servidores públicos, empregados ou terceiros


contratados pela administração direta, indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes dos Estados.

c) receber vantagem econômica de qualquer natureza, direta ou indiretamente, para omitir ato de ofício,
providência ou declaração a que esteja obrigado.

d) utilizar, em obra ou serviço particular, veículos e máquinas da administração direta, indireta ou


fundacional de qualquer dos Poderes dos Estados.

e) perceber vantagem econômica para intermediar a liberação ou aplicação de verba pública de qualquer
natureza.

Respostas 01: 02: 03: 04: 05: 06: 07: 08: 09: 10: 11: 12: 13: 14:
15: 16: 17: 18: 19: 20:

← 1 2 →