Você está na página 1de 13

A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos

Dezembro/2013

A definição das partes interessadas (stakeholders) e o


gerenciamento da comunicação em projetos

Nelson Junqueira Neto - njunqueira@gmail.com


MBA Gestão de Projetos em Engenharias e Arquitetura
Instituto de Pós-Graduação e Graduação – IPOG
Goiânia, 13 de maio de 2013

Resumo
A definição das partes interessadas e o gerenciamento da comunicação em projetos são
ações diretamente relacionadas com o sucesso do projeto, pois é comprovado que um gerente
de projetos passa a maior parte de seu tempo se comunicando.
As ocorrências de conflitos e/ou crises provocadas por um registro equivocado das partes
interessadas (stakeholders) resultam em atraso de cronogramas, aumento de custos e
mudanças indesejáveis no projeto, tornando a abordagem deste tema crucial para o esperado
sucesso do projeto.
A provável hipótese para esses fracassos relacionados à área de comunicação em projetos
podem estar relacionados com o que usualmente é observado na maioria dos projetos: um
plano de gerenciamento da comunicação incompleto ou até muitas vezes inexistente.
O objetivo deste estudo está em direcionar os diversos gerentes de projeto em uma eficaz
identificação e classificação das partes interessadas (stakeholders) mitigando assim os
possíveis fracassos decorrentes de uma falha de comunicação ou mesmo pela não
identificação de algum grupo primordial para o sucesso do projeto.
Para o estudo e detalhamento proposto, foi realizada uma pesquisa bibliográfica,
comparando as diversas teorias encontradas e procurando extrair as melhores práticas que
resultem em um confiável registro das partes interessadas.
O resultado desta pesquisa originou um modelo eficaz e confiável para que o processo de
identificação das partes interessadas de um projeto possa ser realizado por qualquer gerente
de projeto que esteja comprometido com o sucesso de seu trabalho.
Palavras-chave: Partes Interessadas. Stakeholders. Gestão da Comunicação, Gestão de
Projetos

1. Introdução
O processo “identificação das partes interessadas (stakeholders)” é de grande importância
para o projeto, sendo seu registro e sua classificação os documentos resultantes deste processo
e que darão ao gerente de projetos as condições para realização de um gerenciamento da
comunicação em concordância com as boas práticas propostas pelo PMBOK®.
A identificação das partes interessadas (stakeholders) faz parte do grupo de processos de
iniciação da área de conhecimento “Gerenciamento das Comunicações”, conforme a
classificação realizada pelo PMBOK® – Project Management Body of Knowledge. Ainda, de
acordo com o PMBOK®, as principais entradas e saídas do processo identificar as partes

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

interessadas são:

ENTRADAS FERRAMENTAS E TECNICAS SAIDAS


- Termo de abertura do projeto; - Analise das partes - Registro das partes
- Documentos de aquisição; interessadas; interessadas;
- Fatores ambientais da empresa; - Opinião especializada. - Estratégia para
- Ativos de processos organizacionais. gerenciamento das
partes interessadas.
Figura 1 - Identificar as partes interessadas: entradas, ferramentas e técnicas, e saídas
Fonte: Adaptado do PMBOK® (2008)

O tema objeto de estudo deste trabalho me chamou a atenção, pois é notório que muitos dos
problemas enfrentados pelos gerentes de projetos nos dias de hoje poderiam ser mitigados ou
mesmo evitados a partir de uma identificação prévia do público de interesse e da elaboração
de um plano de ação sustentado em um registro das partes interessadas confiável.
Foi notado que a ausência de uma metodologia para identificação das partes interessadas
(stakeholdres) muitas vezes dificultou a elaboração do registro das mesmas de forma
confiável, tornando o plano de gerenciamento da comunicação ineficaz no seu propósito de
promover a apuração, armazenamento, recuperação e destinação final das informações.
Portanto, o objetivo desta pesquisa será o de descrever, através da pesquisa das diversas
propostas encontradas nos estudos, uma metodologia para que a prévia identificação das
partes interessadas seja realizada com o intuito de municiar o gerente de projetos com um
documento atualizado e confiável.
Uma das razões para que a identificação das partes interessadas seja realizada muitas vezes de
forma equivocada pode estar relacionado a fatores ambientais da empresa como o de não dar
a devida importância a este processo.
Outra razão para os fracassos que ocorrem no gerenciamento das comunicações em projetos é
a ausência de atualização/reavaliação das partes interessadas (stakeholders) durante a
execução do mesmo, o que torna o projeto frágil em relação a novos grupos que podem se
tornar partes interessadas após o início do projeto.
Para o desenvolvimento do presente artigo, vamos compreender os conceitos de
“comunicação” e de “partes interessadas (stakeholders)” de um projeto.
1.1. Comunicação:

De acordo com Matos (2009: XXVII), “a palavra comunicação é originária do latim


communicare, que significa tornar comum, partilhar, repartir, associar, trocar opiniões,
conferenciar”.
Por outro lado, para Cunha (2009: 12) a comunicação “é praticada pelo ser humano para
interagir com seres humanos ou com os animais e é basicamente a capacidade de se fazer
entender pela outra parte”.
Para ajudar no entendimento do conceito de comunicação, vamos acompanhar a observação
realizada por Bordenare (1994: 20):
Na comunicação há sempre uma intenção básica: como fonte codificadora,
certamente o emissor espera que o receptor selecione sua mensagem, a
compreenda, a aceite e, finalmente, a aplique.
Por sua vez, o receptor ao decodificar a mensagem também tem uma intenção

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

básica. Ele deseja selecionar o que é importante para ele. Dessa forma, vai
direcionar a sua compreensão e avaliação, para depois decidir se aceita ou
não o conteúdo transmitido, e aplicar o que achar válido na mensagem.
(BORDENAVE, 1994: 20)

Portanto, conforme o que foi pesquisado, podemos afirmar que a comunicação é de essencial
importância para a troca de informações entre as pessoas. Os autores listados e suas
referências confirmam a complexidade deste processo que deve ser feito com planejamento e
cuidado. É importante usarmos o recurso do feedback para assegurarmos e confirmarmos que
a informação transmitida pelo codificador seja corretamente entendida pelo decodificador da
mensagem.
Sendo assim, Cunha (2009:12) ainda afirma que “num ambiente de projetos, a comunicação
clara, essencial, organizada e padronizada é fundamental para garantir o sucesso do projeto”,
evidenciando que a gestão da comunicação em projetos deve ser bem planejada e pensada
para que a distribuição da informação seja realizada de acordo com as necessidades das partes
interessadas (stakeholders).
Temos ainda que considerarmos que para se comunicar, podemos fazê-lo de duas formas: por
meio da comunicação verbal ou por meio da comunicação não verbal.
A comunicação não verbal engloba as formas de comunicação que não faz uso das palavras.
É, portanto, a maneira como “o corpo, o tom de voz, a cor da pele, o tamanho da abertura da
íris e todos os fatores que podemos perceber, não por meio de palavras, que são passadas pelo
transmissor da mensagem” Cunha (2009: 18).
A comunicação verbal engloba diretamente o uso de palavras e frases. Essa é a forma de
comunicação mais usual, pois o gerente de projetos está a todo o momento precisando se
comunicar com as diversas partes interessadas (stakeholders) do projeto.
Outro fator importante na comunicação é a maneira como a informação é transmitida. Ela
pode ser transmitida através da fala (forma mais primitiva), da escrita, ou com o auxílio da
tecnologia, fazendo o uso de telefones, emails, internet e etc.
1.2. Partes interessadas (stakeholders):

Os projetos podem influenciar e serem influenciados por pessoas ou grupos que fazem parte
do ambiente em que estão sendo desenvolvidos. Então, é grande importância que os gerentes
de projetos em entendam todas as interações, influências e também em como se comunicar
com estes diferentes grupos, conhecidos no meio como partes interessadas (stakeholders) do
projeto.
O termo “partes interessadas” se refere diretamente à palavra de origem inglesa “stakeholder”
onde “stake” significa estaca e “holder” significa detentor, sendo que sua simples tradução
literal para o português seria "quem segura uma estaca". Normalmente este termo inglês
“quem segura uma estaca” é usado para referenciar as pessoas que tomam as decisões. Para o
melhor entendimento no português, decidiu-se usar o termo “partes interessadas” como
sinônimo de stakeholder.
A primeira abordagem das partes interessadas (stakeholders) ocorreu por volta do ano de
1933, segundo Preston (1990), apesar de ainda não existir o termo como ele é hoje conhecido.
Naquela época, a General Eletric Company realizou a identificação de suas partes
interessadas com sendo os acionistas, clientes, público e empregados.

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

Já Freeman (1984) considera que o princípio da abordagem das partes interessadas ocorreu
em 1963, através da SRI International, que listou suas principais partes interessadas.
Na visão do PMBOK – 4ª EDIÇÃO (2008), partes interessadas (stakeholders) de um projeto
“são pessoas e organizações, tais como clientes, patrocinadores, a organização executora e o
público, que estão ativamente envolvidas no projeto ou cujos interesses podem ser positiva ou
negativamente afetados pela execução ou pelo término do projeto”.
Por outro lado, para Gerardi (2000:75), a definição de partes interessadas (stakeholder) é
considerada como “qualquer pessoa ou organização que está ativamente envolvida em um
projeto, ou aqueles que seus interesses podem ser afetados positiva ou negativamente pela
execução do mesmo”.
Já Freeman (1984) afirma que as partes interessadas são qualquer grupo ou indivíduo que
pode afetar ou ser afetado pelo sucesso dos objetivos de uma organização. Em outro
momento, Freeman (2004) já define as partes interessadas como “aqueles grupos que são
vitais para sobrevivência e sucesso das organizações”. É importante lembrar que Freeman é
considerado o “pai da definição de stakeholdres” pela literatura especializada da área.
Portanto, podemos avaliar que as três primeiras definições de partes interessadas apresentadas
pelos autores pesquisados mostram que há uma convergência no entendimento do termo,
sendo este entendimento o mais aceito pelos diversos círculos acadêmicos. Quando os autores
usam o termo “afetados ou serem afetados” eles acabam por incluir indivíduos externos às
organizações e grupos que se consideram partes interessadas mesmo a organização não os
considerando como tal. Assim temos este conceito como sendo o mais amplo e equilibrado
dentre os existentes atualmente.
Já a definição de Freeman (2004) é orientada para uma visão organizacional das partes
interessadas, sendo mais adequada a avaliações internas das organizações. Por isso, esta
definição não é muito empregada nos trabalhos realizados para elaboração do plano de
gerenciamento das comunicações.
Tendo o conceito de “partes interessadas” claro em nosso trabalho, poderemos agora discorrer
sobre a importância de sua identificação para alcançar os objetivos esperados pela execução
de um projeto.
É importante lembrar que a “identificação das partes interessadas (stakeholders)” é um
processo novo do PMBOK Guide 4ª Edição, no entanto não é uma tarefa necessariamente
nova no gerenciamento de projetos, pois sempre foi necessário para o sucesso do projeto.
Então, nesta sua última edição, o PMBOK procurou dar a devida atenção a este processo
devido a sua grande importância e também ao fato de em vários momentos ele estar sendo
negligenciado, provocando resultados desastrosos na condução e gerenciamento de projetos.

2. Desenvolvimento
Neste tópico irei indicar uma modelo para a identificação eficaz das partes interessadas de um
projeto. As atividades aqui propostas foram frutos de pesquisa onde se observou o emprego
de boas práticas no processo de identificação das partes interessadas. Procura-se assim
garantir a efitividade desta identificação através de uma metodologia de levantamento e
registro das partes interessadas e sua atualização na periodicidade prevista no plano de
gerenciamento das comunicações.
É de responsabilidade do gerente de projetos gerenciar/desenvolver uma comunicação
adequada com as várias partes interessadas identificadas no projeto. Diferentes expectativas e
ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

caracaterísticas devem ser avaliadas para a carreta identificacao das mesmas, buscando
sempre „maximizar as influências positivas e mitigar os impactos negativos”, conforme
mencionado pelo PMI (2009: 206).
Sabendo que as partes interessadas são qualquer pessoa ou organização que está ativamente
envolvida no projeto, ou seus interesses podem ser afetados negativa ou positivamente pela
execução do projeto, é crítico que se identifique todas elas o quanto antes possível.
Um gerente de projetos deve ter a certeza de estar identificando todas as potenciais partes
interessadas para o projeto. Potenciais stakeholders incluem, mas não se limitam a:
- Concorrentes;
- Funcionários;
- Possiveis novos funcionários;
- Consumidores;
- Possíveis novos consumidores;
- Governo;
- Entidades de classe;
- Investidores;
- Sindicatos trabalhistas;
- Comunidade;
- Acionistas;
- Fornecedores.
Com a intenção de facilitar o trabalho de identificação das partes interessadas (stakeholders)
de um projeto, apresentarei abaixo uma lista de tarefas em que a obediência e execução de sua
sequência permitirá ao gerente de projetos uma qualidade no trabalho desenvolvido:
- Identificar e documentar a lista de todos as partes interessadas do projeto. Esta tarefa
inclui:
o Determinar quem são as partes interessadas internas;
o Identificar/documentar as partes interessadas externas;
o Priorizar, na lista de partes interessadas, aquelas com maior participação e
importância no projeto.
- Validar o registro (lista) das partes interessadas. Esta tarefa inclui:
o Reuniões com as partes interessadas para determinarem interesses e necessidades
específicas;
o Avaliar a influência das partes interessadas (stakeholders) na organização para
determinar seu posicionamento perante ao projeto.
- Definir a maneira de comunicação a ser adotada com cada uma das partes interessadas
identificadas. Esta tarefa inclui:
o Preparar documento descrevendo qual o estilo de abordagem (tipo de
comunicação) que será realizada com cada uma das partes interessadas
(stakeholders);
o Desenvolver um plano de comunicação preliminar registrando as necessidades das
partes interessadas (stakeholders) identificadas.
- Definir as responsabilidades do gerente de projetos e de todos as outras partes interessadas
(stakeholders) do projeto. Esta tarefa inclui:
o Definir em qual fase ou ciclo do projeto que cada uma das partes interessadas
estará participando e/ou que seus interesses podem estar sendo impactados;

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

o Apresentar às partes interessadas principais (neste caso geralmente o


patrocinador), o registro e a estratégia para gerenciamento das partes interessadas
do projeto.
O gerente de projetos deverá registrar as informações mais relevantes de cada uma das partes
interessadas identificada. Essa informação pode incluir os interesses das partes interessadas,
envolvimento, expectativas, importância, influência, e impacto para a execução do projeto
assim como de qualquer necessidade específica de informação requerida. Mesmo que algumas
partes interessadas não necessitem de nenhum tipo de informação/comunicação, „e importante
que estes grupos ou indivíduos estejam identificados.
Segundo Gerardi (2012: 31) é através de uma identificação eficaz das partes interessadas de
um projeto que os “gerentes de projetos podem evitar a ocorrência de crises e estresse
desnecessários e entendendo as funções e responsabilidades de todos os envolvidos”.

2.1. Listar as potencias partes interessadas (stakeholders) do projeto:

Esta tarefa consiste em garantir uma ampla identificação e listagem das potenciais partes
interessadas de um projeto. Para esta tarefa temos como documentos de suporte para analisar
e listar possíveis partes interessadas o Termo de Abertura do Projeto, documentos de
aquisição e ativos de processos organizacionais, além de considerarmos os fatores ambientais
da empresa.
A opinião especializada também é importante neste momento e podem ser obtidas através de
consultas ou reuniões em grupos.
Geralmente se consegue listar novas potenciais partes interessadas (stakeholders) ao se
entrevistar as partes interessadas já listadas anteriormente, fazendo isso sucessivamente até
que todas partes estejam incluídas. Esta listagem servirá como entrada para todas as outras
atividades do processo de identificação das partes interessadas (stakeholders).

2.2. Matriz de representação de grau de poder/interesse:


No momento da identificação das partes interessadas e classificação de seu nível de interesse
e envolvimento no projeto, será importante usar algum tipo de ferramenta para auxílio nesta
tarefa. Neste artigo, vou sugerir o uso do matriz de representação de grau de poder/interesse
para a identificação do nível de autoridade e preocupação que a parte interessada pode exercer
sobre o projeto. Abaixo segue o modelo de matriz de representação de grau de poder/interesse
para utilização nesta fase do processo:

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

Figura 2 – Matriz de representação de grau de poder/interesse


Fonte: Inêz (2010)

A matriz de representação de grau de poder/interesse é uma ferramenta que auxiliará na


classificação das partes interessadas e no preenchimento do registro das partes interessadas
(documento que iremos abordar posteriormente).
Para o uso desta matriz, é necessário já ter realizado uma listagem das potenciais partes
interessadas do projeto. Esta listagem é realizada analizando o termo de abertura do projeto,
documentos de aquisição referentes ao projeto, entrevistas e através de opiniões
especializadas.
A Figura 2 demostra alguns exemplos de partes interessadas classificadas de acordo com seu
grau de poder e interesse no projeto. Normalmente, os eixos poder e interesse são graduados
de 0 até 10, sendo que notas são atribuidas às partes interessadas listadas, fazendo sua locação
em um dos quatro quadrantes da matriz. Essa graduação pode variar de acordo com a vontade
do gerente de projetos que está avaliando as partes interessadas. Por exemplo, as partes
interessadas B, H e F possuem alto poder e alto interesse no projeto, razão pela qual estão no
quadrante ʹgerenciar com atençãoʹ. Já a parte interessada A possui alto poder mas baixo
interesse no projeto, por isso se encontra no quadrante ʹmanter satisfeitoʹ. Assim,
sucessivamente, podemos fazer a análise das partes interessadas de acordo com o quadrante
em que foram locadas.

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

2.3. Questionário de necessidades e expectativas:

Para a realizar a classificação de importância e impacto de cada parte interessada no projeto,


devemos também fazer o uso de uma ferramenta chamada questionário de necessidades e
expectativas das partes interessadas. Este questionário focará na importância das partes
interessadas para o projeto e para a organização, na influência exercida por elas, na sua
participação e em suas expectativas. Segue abaixo um modelo de questionário para ser usado
nesta parte do processo:

PARTES INTERESSADAS NO PROJETO: QUESTIONÁRIO DE NECESSIDADES E


EXPECTATIVAS
Projeto: Data:
Parte Interessada: Departamento:

Objetivo: Quais os resultados esperados ou desejados para o projeto? Categorias de


objetivos incluem: finalidade, custo, prazo, flexibilidade e efetividade.
Item Expectativa
1
2
3
4

Avaliação: De que forma nós poderemos avaliar se conseguimos alcançar os


objetivos esperados?
1
2
3

Impacto: Quais as mudanças você acredita que sua área deverá realizar para se
adaptar às mudanças provocadas pela implementação e/ou desenvolvimento do
projeto?
1
2
3

Envolvimento: Como você enxerga o papel de sua área dentro do projeto?


1
2
3

Colaboração: Que mudanças você acredita que sua área ou você podem implementar
no projeto para que ele seja mais eficiente/adequado? Você seria o responsável por
essas contribuições?
1
2
3

Figura 3 - Questionário de necessidades e expectativas

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

Fonte: O autor (2013)

Este questionário de necessidades e expectativas é altamente indicado para a identificação


interesses e/ou expectativas que muitas vezes não são evidenciadas em uma conversa ou
entrevista. É sabido que algumas pessoas se sentem mais avontade e seguras com a
impessoabilidade que esta ferramenta proporciona. O questionário acima pode antecipar
alguns sentimentos, desejos e expectativas que normalmente ficam ocultos até que se tornem
críticos para o sucesso do projeto.
2.4. Registro das partes interessadas:

Após fazer a listagem das potencias partes interessadas no projeto, validar a lista com o
patrocinador, realizar a classificação destas partes interessadas no projeto através das
ferramentas ʹmatriz de representação de grau de poder/interesseʹ e ʹquestionário de
necessidades e expectativasʹ, o gerente de projetos estará preparado para elaborar o registro
das partes interessadas que servirá como documento de entrada para a elaboração do plano de
gerenciamento das comunicações.
O processo de identificação das partes interessadas tem duas importantes saídas: o registro
das partes interessadas e a estratégia para gerenciamento das partes interessadas. Em nosso
trabalho, a estratégia para gerenciamento das partes interessadas estará incluso no mesmo
documento do registro das partes interessadas e assim vai ser chamado.
Portanto, o registro das partes interessadas é um produto da identificação das partes
interessadas. Este registro será usado para documentar as características, expectativas,
necessidades e objetivos de cada uma das partes interessadas do projeto. Abaixo segue um
formulário como exemplo para o registro das partes interessadas:

REGISTRO DAS PARTES INTERESSADAS (STAKEHOLDERS)


IMPACTO
Contato
Inform.
Depart.

Ações para
Prioridade
Cargo

Classsif.

Parte Estilo
Papel no Principais Principais geren. das
Interessada de
Projeto Requisitos Expectativas partes
Com.
interessadas

Figura 4 - Registro das partes interessadas


Fonte: Adapatado de Mulcahy (2011) e Cássia (2011)

A Figura 4 é exemplo para registro das partes interessadas que já possui informações em que
se define a estratégia para gerenciamento das partes interessadas (colunas estilo de
comunicação e ações para grenciamento das partes interessadas). Esta estratégia se dará
conforme os requisitos de comunicação de cada uma das partes interessadas identificadas.

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

As classificações das partes interessadas realizadas através da matriz de representação de grau


de poder/interesse e do questionário de necessidades e expectativas vão permitir ao gerente de
projetos a possibilidade de definir o estilo de abordagem e demais estratégias para o
gerenciamento das partes interessadas, promovendo a potencialização dos impactos positivos
e suprimindo os possíveis impactos negativos que possam ocorrer.
Para o preenchimento do registro acima proposto, segue abaixo um detalhamento de cada uma
das colunas, esclarecendo quaisquer dúvidas que passa ocorrer durante este processo:
- Partes Interessadas: esta coluna deverá ser preenchida com o nome da pessoa ou grupo
identificada na tarefa de identificação das potenciais partes interessadas do projeto;
- Cargo: nesta coluna, identificar o cargo da parte interessada na empresa em que trabalha.
Em caso de grupos ou indivíduos sem cargos específicos, preencher com N/A (não
aplicável;
- Departamento: nesta coluna, identificar o departamento da empresa em que a parte
interessada se encontra trabalhando. Da mesma forma que a coluna ʹcargoʹ, preencher com
N/A (não aplicável) caso a parte interessada seja um grupo ou indivíduo sem cargo
específico;
- Informações de Contato: colocar neste campo qualquer informação de contato disponível
da parte interessada identificada, como telefones, emails e etc.;
- Papel no Projeto: Documentar nesta coluna o papel que a parte interessada possui perante
o projeto. Esse papel pode ser o de patrocinador, cliente, usuário, colaborador,
fiscalização e etc.;
- Principais Requisitos: Evidenciar os principais requisitos das partes interessadas nesta
coluna. O questionário de necessidades e expectativas, as entrevistas realizadas com as
diversas partes interessadas deverão ser consultadas para o preenchimento desta coluna.
Este campo é de grande importância para o sucesso do projeto pois, caso algum requisito
não tenha sido evidenciado, certamente poderá provocar mudanças no projeto,
ocasionando atrasos e onerações indesejáveis;
- Principais Expectativas: Este campo também contem informações levantadas através das
entrevistas das partes interessadas e do questionário de necessidades e expectativas. Esta
coluna incluirá o que as partes interessadas esperam que ocorra com elas, seu
departamento, sua comunidade e/ou empresa durante e após a implantação do projeto.
- Prioridade: Neste campo será considerado a prioridade da parte interessada identificada
em relação à estratégia de comunicação no projeto, considerando para isso o uso de três
letras em que ʹAʹ significa alta prioridade, ʹBʹ significa baixa prioridade e ʹMʹ significa
média prioridade. Esta classificação se dará através da experiência do gerente e sua equipe
de projetos, com o auxílio da matriz de representação de grau de poder/interesse.
- Classificação: Mais uma coluna em que os registros matriz de representação de grau de
poder/interesse e questionário de necessidades e expectativas e a opinião especializada
poderão auxiliar no preenchimento. As classificações serão ʹ+ʹ (positivo) caso a parte
interessada seja a favor do projeto, ʹ-ʹ (negativo) caso a parte interessada seja contra o
projeto e ʹ+/-ʹ (neutro) caso a parte interessada seja indiferente em relação ao projeto;
- Estilo de comunicação: evidenciar como será realizada a comunicação com a parte
interessada e a periodicidade desta comunicação. Relatórios de status físico/financeiro
mensal, releases periódicos, informações antecipadas de transtornos, contato direto e

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

notas semanais são exemplos de estilos de comunicação. Esta coluna faz parte da
estratégia para gerenciamento das partes interessadas do projeto;
- Ações para Gerenciar as Partes Interessadas: Nesta coluna, que também faz parte da
estratégia para gerenciamento das partes interessadas, o gerente de projetos irá descrever e
indicar as ações que podem ser implantadas para que os aspectos negativos e positivos do
envolvimento das partes interessadas no projeto possam ser gerenciadas, potencializando
os impactos positivos e diminuindo os impactos negativos de cada uma das partes
interessadas. Abaixo segue figura em que se atribui as ações de gerenciamento das partes
interessadas de acordo com a classificação das mesmas:

DESCRIÇÃO DA PARTE AÇÕES PARA GERENCIAR AS


INTERESSADA PARTES INTERESSAS
Alto interesse no projeto, baixa Convidar as partes interessadas para
influência, extremamente participarem do processo de
especializada em áreas de alto risco gerenciamento dos riscos
Baixo interesse, fonte de
Assegurar que os requisitos sejam
importantes requisitos no projeto
claros.
(alta influência), difícil para se
Enviar relatórios
trabalhar
Saber por que as partes interessadas
não apoiam o projeto e basear seu
Alto interesse, grande influência,
plano para gerenciar estas partes
não apoia o projeto
interessadas em lidar com esses
motivos
Envolver as partes interessadas nas
Alto interesse, grande influência, reuniões da equipe, reportar a essas
apoia o projeto pessoas e incluir as informações
solicitadas pelas partes interessadas
Interesse moderado, grande Convidar as partes interessadas para
influência, realiza muitas atividades ingressarem oficialmente na equipe
no projeto, apoia o projeto de gerenciamento de projetos
Interesse moderado, grande Planejar reuniões periódicas com as
influência porque identificou um partes interessadas durante o projeto
grande número de riscos potenciais para verificar se elas
para o projeto, apoia o projeto identintificaram mais riscos
Planejar encontrar e encaminhar
Interesse moderado, nervosa com o
literatura relevante para ajudar as
término de suas atividades
partes interessadas e providenciar
designadas
treinamento, se necessário
Figura 5 - Ações para gerenciar as partes interessadas
Fonte: Mulcahy (2011)

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

A identificação das partes interessadas também deve ser realizada durante a implantação do
projeto, e não apenas na fase de planejamento do mesmo. Conforme afirmado por Cunha
(2009:26), “ao longo do projeto outras partes interessadas surgem e precisam ser identificadas
para que o gerenciamento das comunicações possa contemplá-las em suas definições”.
Portanto, os gerentes de projetos devem se preocupar em fazer novas análises das partes
interessadas do projeto com uma periodicidade que atenda o nível de complexidade do projeto
que gerenciam.

3. Conclusão

Como foi demonstrado neste estudo, é fator primordial para o sucesso do projeto a definição
da forma de comunicação que será realizada com as partes interessadas (stakeholders),
garantindo que essa comunicação ocorra de forma eficaz, suficiente e pró ativa quando
necessária.
Este estudo procurou expor a importância do processo identificar as partes interessadas
(stakeholders) no gerenciamento de projetos nas organizações, detalhando tarefas e atividades
necessárias para a geração do registro das partes interessadas (stakeholders).
Ainda, de acordo com o que foi demonstrado neste estudo, a identificação falha das partes
interessadas (stakeholders) de um projeto pode provocar seu total fracasso sendo responsável
pelo aumento nos custos, prazo e possíveis mudanças indesejáveis no projeto, lembrando que
mudanças sempre são mais críticas quando têm de ser implantadas e integradas após o início
do projeto.
Portanto, é seguro afirmar que a obediência a esta forma proposta pela pesquisa de se realizar
a identificação das partes interessadas (stakeholders) de um projeto certamente conduzirá o
gerente de projetos a entregar um documento confiável e que servirá como base para a
elaboração do plano de gerenciamento das comunicações do projeto.
O estudo revela ainda que os gerentes de projetos devem garantir, através do processo
proposto neste estudo, a correta identificação das partes interessadas, a correta classificação
das partes interessadas assim como a atualização do registro das partes interessadas na
periodicidade adequada para o projeto.
Espero, com esta pesquisa, ter contribuído para que os gerentes de projetos tenham
ferramentas suficientes para a confiável identificação das partes interessadas (stakeholders) de
um projeto, já que muitas vezes este é um processo negligenciado nas organizações. Foi
mostrada toda a sistemática do processo e também relacionado alguns problemas que podem
ser provocados pela identificação equivocada de alguma das partes interessadas (stakeholders)
do projeto.
4. Referências

ARAÚJO, Carla de Cássia. Gerenciamento da Comunicação em Projetos. Apostila pós


graduação IPOG-GO. Goiânia, 2011.

BORDENAVE, Juan E. Diaz. Além dos Meios e Mensagens: Introdução à comunicação


como processo, tecnologia, sistema e ciência. 5ª ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013
A definição das partes interessadas (stakeholders) e o gerenciamento da comunicação em projetos
Dezembro/2013

CUNHA, Bruno C. A importância da comunicação e os elementos que a influenciam no


gerenciamento de projetos. Monografia de Pós Graduação. PUC-Rio. Rio de Janeiro,2009.

FONTAINE, Charles; HAARMAN, Antoine; SCHMID, Stefan. The Stakeholder Theory.


2006.

FREEMAN, Robert E. Strategic Management: A Stakeholder Approach. Boston: Pitman,


1984.

GERARDI, Bart. Gerenciamento de Projetos sem Crise. Tradução: Rafael Zanolli. São
Paulo: Novatec Editora; New York, EUA: Apress Inc, 2012.

INÊZ, Patrícia. Como aumentar evitar o fracasso e aumentar as chances de sucesso –


Parte I. http://patriciainez.blogspot.com.br/2010_05_01_archive.html acessado em 05 de
maio de 2013.

MATOS, Gustavo G. Comunicação Empresarial sem complicação: como facilitar a


comunicação na empresa, pela via da cultura e do diálogo. 2ª ed. (Revisada e Ampliada).
Barueri, São Paulo: Manole, 2009.

MULCAHY, Rita. Preparatório para o exame PMP. Tradução: Roberto Pons, PMP. 5ª ed.
Estados Unidos: RMC Plubications, 2008.

––––––––– Preparatório para o exame PMP. Tradução: Roberto Pons, PMP. 7ª ed. Estados
Unidos: RMC Plubications, 2011.

PRESTON, L.E. Research in corporate social performance and policy. v. 10, Greenwich,
CT: JAI Press, 1990.

PMI (Project Management Institute). Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de


Projetos (Guia PMBOK®). 4ª Ed. Newton Square, Pensilvânia (EUA): Project Management
Institute, Inc, 2009.

ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 6ª Edição nº 006 Vol.01/2013 –dezembro/2013