Você está na página 1de 12

FOLHETO DE EXERCÍCIOS DE FEE

Nº Enunciado
1. Apresente o circuito equivalente do transformador real, e explique a origem e a função de cada
elemento.
2. Um medidor de energia elétrica registrou durante um tempo de 6h o consumo de 8,952kWh, para uma
certa carga trifásica. A tensão nominal da carga é 220V e sua corrente é 2,66A. Qual é o fator de
potência desta carga?
3. Um transformador de 1000/220 V tem uma potência nominal de 3 kVA. Calcule:
a) O número máximo de lâmpadas incandescentes de 75 W que é possível alimentar com este
transformador
b) O número máximo de lâmpadas fluorescentes de 75 W (cos þ = 0,6) que é possível alimentar com
este transformador.
4. Um transformador monofásico de 150 kVA, 13,8 kV / 2,3 kV, 60 Hz, foi submetido aos ensaios de
vazio e curto-circuito, na frequência de 60 Hz, e obtivemos:
Ensaio de vazio, com alimentação pela baixa tensão:
P = 1500 W, V = 2,3 kV e I = 2,2 A.
Ensaio de curto-circuito, com alimentação pela alta tensão:
P = 1600 W, V = 880 V e I = 10,87 A.
1. Pede-se para determinar os parâmetros do circuito equivalente do transformador.
5. A corrente de excitação de um trafo, 1f, 10 kVA, 2200/220 V, 60 Hz, é 0,25 A medido no lado de
alta. A impedância série do transformador é 10,4 + j 31,3 referido ao lado de alta. Tendo como base
os valores nominais do trafo:
(a)Determine as bases de tensão, corrente, e impedância para o lado de alta e de baixa.
(b) Expresse a corrente de excitação em p.u para os lados de alta e baixa.
6. Para se calcular o número de espiras dos enrolamentos de um transformador fez-se um enrolamento
auxiliar com 12 espiras enroladas em volta do núcleo. Aplicando uma tensão de 220 V no primário,
mediu-se no secundário uma tensão de 120 V e no enrolamento auxiliar uma tensão de 3 V.
Calcule o número de espiras do primário e do secundário deste transformador.
7. Duas impedâncias expressas em pu nas bases 100 kVA e 13,2 kV, valem 0,5∟40º pu e
1,5∟40º pu. Calcule quanto vale a impedância equivalente às duas associadas em paralelo, nas bases
500 kVA e 15,2 kV.
8. Explique as principais razões para se fazer o transporte de energia em alta tensão e a razão da
utilização de cabos nús nas linhas de transmissão aéreas.
9. Um gerador trifásico de 3125 kA, 4,16 kV tem reatância de 0,94 ohms. A sua reatância em pu é
0,1697 pu. Determine a reatância em pu nas bases 10 MVA e 10kV.
10. Uma linha de transmissão bifilar aérea é suprida por uma fonte de tensão constante igual a 800V. A
indutância dos condutores é de 0,00124H/km e sua capacitância é 0,0079.10-6F/km. Tratando-se de
uma linha sem perdas, sendo o comprimento 200 km. Determine:
2. A impedância natural.
3. A constante de propagação.
4. A tensão e a corrente na extremidade da linha

11. Apresente uma tabela/quadro comparado as linhas aérea, subterrâneas e submarinas, em termos de
custo de instalação, custo de manutenção, segurança, estética, riscos, etc.
12. Um consumidor residencial tem uma carga que apresenta demanda instantânea de 1 KW, que se
mantém constante durante três minutos, ao fim dos quais passa bruscamente para 1,2 KW,
mantém-se constante durante três minutos e assim continua de 0,2 em 0,2 KW até atingir 4 KW,
quando se mantém constante por três minutos ao fim dos quais cai abruptamente para 1 KW e
repete o ciclo.

a) Represente o diagrama de Carga para este consumidor.


Calcule a energia total consumida por ele após 22 minutos

13. Um gerador trifásico ligado em estrela alimenta uma carga resistiva trifásica também ligada em
triângulo com resistências 10Ω, 20Ω, e 30Ω. Se a tensão em entre as fases é de 380V, determine:

a) As correntes de linha e de fase.


b) As potências activa, reactiva e aparente total do sistema.

14. Determine as correntes de fase e de linha no


circuito triangulo equilibrado abaixo.
UL=220V.

15. Para a figura ao lado determinar


a energia total consumida e a
potência média.
5. Para a figura ao lado determinar a energia
16.
total consumida e a potência média.

6. Para a figura ao lado determinar a energia total


17.
consumida e a potência média.

18. A que velocidade tem de girar um gerador síncrono octopolar de forma a produzir
uma tensão de 60 Hz de frequência.
19. Um motor de corrente contínua é utilizado para puxar um gerador síncrono e
constituir uma fonte de tensão de frequência variável. Se a velocidade do motor
variar de 820 a 1960 rpm, sendo o gerador tetrapolar, qual a gama de frequências
que é possível obter?
20. Um gerador síncrono trifásico de 1000 KVA, 2200 V, 60 Hz, é ligado em Y. calcule
a corrente de linha à plena carga.
21. Se o gerador do problema anterior entregar uma carga de 720kW, com cos φ=0,8,
calcule a corrente de linha.
22. Uma carga trifásica de 10Ω/fase pode ser ligada através de um comutador em estrela
ou em triângulo. Quando ligada a um gerador síncrono trifásico, calcule:
a) A potência dissipada em Y.
7. b) A potência dissipada em Δ.
23. Num gerador síncrono de 250kVA, 1260V e ligação do induzido em estrela (Y),
alterou-se a ligação para triangulo (Δ). Determine os valores de Potência Aparente
(S), Corrente de Linha (IL), Tensão de Linha (UL).

24. A tensão de fase num gerador síncrono de 60 Hz é 4600 V, com uma corrente de
excitação de 8A. Determine a tensão em circuito aberto a 50 Hz, se a corrente de
excitação for 6A.
25. Se o gerador do problema anterior for utilizado numa rede de 50 Hz, qual será a
tensão aos terminais se a ligação for em estrela (Y)? E se for em triângulo (Δ)?
26. Um gerador síncrono trifásico tetrapolar roda a 1800 rpm e produz uma tensão com
a sequência ACB. Assuma os seguintes valores: Bm = 1,2 T, comprimento da
armadura 0,5 m. Diâmetro interior do estátor 0,4m
a) Determine a f.e.m. induzida por fase
b) Expresse as tensões geradas no domínio do tempo
c) Expresse as tensões como vectores
27. Para o gerador do problema anterior, calcule as tensões de linha se o enrolamento do
induzido está ligado em estrela.
28. Um gerador síncrono tetrapolar gira a 1800 rpm. O fluxo máximo por pólo é
0,032Wb. O enrolamento tem 280 espiras/fase. Calcule a f.e.m induzida/fase.
29. Se o gerador do problema anterior tem uma potencia nominal de 800 kVA e está
ligado em estrela (Y), qual é a corrente nominal?
30. Se o gerador do problema 11 está ligado em triângulo (Δ) e entrega 600 kW com um
factor de potência de 0,866. Calcule a corrente de linha.

31. Um induzido trifásico octopolar, tem um total de 504 condutores activos. O fluxo
por pólo é 0,0128 Wb e é sinusoidal. A frequência é de 60Hz. Calcule a f.e.m.
induzida por fase.
32. O fluxo máximo por pólo de um gerador octopolar é 0,016 Wb. A frequência
nominal é 60Hz. A máquina tem um total de 1728 condutores. Qual a tensão em
circuito aberto se o induzido estiver ligado em triângulo com 2 enrolamentos em
paralelo por fase?

33. Um gerador síncrono trifásico de 250 kVA, 660 V, 60 Hz está ligado em Y. A


resistência do induzido é de 0,2Ω/fase e a reactância síncrona é de 1,4Ω/fase.
Calcule a regulação de tensão à plena carga e cos φ=1.
17. Calcule a regulação de tensão do problema anterior à plena carga e
a) cos φ=0,866 em atraso
b) cos φ=0,7 em avanço
34. Um gerador trifásico ligado em estrela, de 1000kVA, 4600V, 60 Hz apresenta uma
tensão em vazio de 8350V. O gerador opera à potência nominal (Snom) com
cosφ=0,75 em atraso. Calcule:
a) A reactância síncrona (despreze a resistência da armadura)
b) A regulação de tensão
c) O ângulo de carga (δ)
d) A potência desenvolvida (ou interna, no entreferro)
e) A nova tensão e potência aparente (Snom) se os enrolamentos do induzido
forem reconectados em triângulo (Δ)
35. Um gerador síncrono de 100 kVA tem perdas totais de 5,5 kW quando entrega a
potência nominal com um cosφ=0,8. Calcule o rendimento percentual.
36. Um gerador trifásico de 25 kVA, 220V, entrega a sua potência nominal com um
factor de potência de 0,8 em atraso. A resistência dos enrolamentos medida entre 2
terminais e quando ligados em Y, é de 0,20Ω. A reactância síncrona é de 0,6Ω/fase.
A corrente de excitação é de 9,3A a 115Vdc (multiplicar por um factor de correcção
de 1,25, para obter valor efectivo em AC). As perdas por atritos mecânicos são de
460W e as perdas magnéticas são de 610W. Calcule:
a) A regulação de tensão
b) O rendimento à plena carga
37. 21. Um dos geradores de uma central hidráulica tem os seguintes valores nominais:
S=108000 kVA, cosφ=1, 13,8 kV, ligado em Y, 60 Hz, 120 rpm. Dtermine:
a) O n.º de pólos
b) A potência activa nominal
c) A corrente nominal
d) A potência absorvida à carga nominal se o rendimento é de 97% (excluindo as
perdas associadas à excitação)
e) O binário aplicado ao veio do gerador
38. Se num gerador síncrono, uma corrente de excitação de 10 A, resulta em 150 A de
corrente de curto-circuito e 720V em circuito aberto, determine a queda de tensão
interna quando o gerador entrega 60A. A resistência do induzido pode ser ignorada.
39. Um gerador síncrono trifásico opera numa rede de 13,8 kV. A reactância síncrona é
de 5Ω/fase. O gerador entrega à rede 12 MW e 6MVAr (indutivo)
a) O ângulo de carga (δ)
b) O ângulo de fase (φ)
c) A f.e.m. gerada E
40. Um gerador síncrono trifásico de 750 kVA, 2300 V, é curto-circuitado e opera à
velocidade e corrente nominais. A tensão medida em vazio entre terminais é de
1320V com a mesma excitação. A resistência do induzido pode ser ignorada.
Determine a regulação do gerador para um factor de potência capacitivo de 0,8.
41. Repita o problema anterior para um factor de potência de 0,8 em atraso.
42. Um gerador síncrono trifásico de 2400V, 2000 kVA, ligado em triângulo, tem uma
reactância síncrona de 1,5Ω/fase. A resistência do induzido pode ser ignorada. A
excitação do gerador é ajustada para gerar a tensão nominal em vazio. Calcule a
tensão aos terminais quando entrega a corrente nominal com um factor de potência
de 0,8 em atraso.
43. Um transformador de 220/112 V, 110 VA, foi ensaiado em vazio tendo-se obtido os seguintes
valores: U1n=220 V, U20=112 V, I10=0,14 A, P10=8,8 W. Medimos ainda as resistências do primário e
do
secundário, tendo-se obtido R1 = 9,8 e R2=3,7 . Calcule:
a) A relação de transformação.
b) As perdas por efeito de Joule no primário, Pj.
c) Pj/P10, em percentagem.
d) As perdas no ferro do transformador.
e) 0 factor de potência do transformador em vazio.
f) A impedância do transformador em vazio.
44. Fez-se o ensaio em vazio do transformador anterior, alimentado pelo lado do secundário, tendo-se
obtido os seguintes valores: U1n=110V, U20=203 V, I10=0,22 A, P10=8,8 W.
1 ) Calcule as mesmas grandezas do problema anterior.
2) Por que motivo a potência P10 deu o mesmo valor?
45. Um transformador de 220/400 V foi ensaiado em vazio, tendo-se obtido os seguintes valores:
P10=20 W, I10=0,5 A. Calcule:
a) A relação de transformação.
b) 0 factor de potência em vazio.
c) A impedância em vazio.
d) Construa o diagrama vectorial do transformador em vazio.
46. De um catalogo de um transformador tiraram-se os seguintes valores: 1000/230 V, P10 = 150 W.
Qual será o valor da corrente em vazio sabendo que cos 0 = 0,2?
47. Um transformador de 500/220 V absorve em vazio 0,6 A, com um factor de potência de 0,25.
Calcule as suas perdas no ferro.
48. As resistências R1 e R2 dos enrolamentos do primário e do secundário de um transformador redutor
são respectivamente 3 e 1. As reactâncias de dispersão correspondentes, Xd1 e Xd2, são
respectivamente de 5 e 2 . A relação de transformação é 4. Calcule:
a) 0 valor da resistência equivalente do transformador reduzida ao primário.
b) 0 valor da reactância equivalente do transformador reduzida ao primário.
c) 0 valor da resistência equivalente do transformador reduzida ao secundário.
d) 0 valor da reactância equivalente do transformador reduzida ao secundário.
e) A potência dissipada por efeito de Joule nos enrolamentos, supondo que I1 =0,5 A e I2=2 A.
49. Resolva problema idêntico ao anterior considerando agora os seguintes valores: R1 = 1 , R2=0,4
, Xd1 =2 , Xd2=0,8 . 0 transformador é redutor, com rt=3. As intensidades no primário e no
secundário são respectivamente 1 A e 3 A.
50. As resistências R1 e R2 dos enrolamentos do primário e do secundário de um transformador
elevador são respectivamente: 1 e 3 . As reactâncias de dispersão correspondentes, Xd1 e Xd2, são
respectivamente 2 e 5 . A relação de transformação é 4. Calcule:
a) 0 valor da resistência equivalente reduzida ao primário.
b) 0 valor da reactância equivalente reduzida ao primário.
c) 0 valor da resistência equivalente reduzida ao secundário.
d) 0 valor da reactância equivalente reduzida ao secundário.
e) A potência dissipada por efeito de Joule nos þ enrolamentos supondo que I1 =2 A e I2=0,5 A.
51. Resolva problema idêntico ao anterior supondo os seguintes valores: R1 =0,5 , R2=2, Xd1=1 ,
Xd2=2,5 . 0 transformador é elevador, com rt=2. As intensidades no primário e no secundário são
respectivamente: I1 = 1,5 A e I2=0,75 A.
52. A resistência reduzida ao primário de um transformador redutor é de 25 . A resistência reduzida
ao secundário e de 2 . A resistência do enrolamento primário é 4. Calcule:
a) A relação de transformação.
b) A resistência R2.
c) A potência dissipada por efeito de Joule no transformador em carga, sabendo que I1=1A.
53. A resistência reduzida ao secundário de um transformador elevador é 15 . A sua relação de
transformação é igual a 3. Sabendo que a resistência R2 e de 2 , calcule:
a) A resistência reduzida ao primário.
b) A resistência R1 .
54. Um transformador, quando em carga, tem as seguintes intensidades: I1 =2 A e I2=6 A. Sabendo que
a potência dissipada por efeito de Joule em cada um dos enrolamentos é respectivamente P1 = 16 W e
P2 =
18 W, calcule:
a) A relação de transformação.
b) As resistências do enrolamento primário e do secundário.
c) A resistência reduzida ao primário
d) A resistência reduzida ao secundário.
55. No ensaio em curto-circuito de um transformador redutor de 220/50 V, 400 VA, obtiveram-se os
seguintes valores: U1cc=8,8 V
I2n=8 A, P1cc = 12 W. Calcule:
a) A tensão de curto-circuito, em percentagem
b) A relação de transformação.
c) A tensão de curto-circuito reduzida ao
secundário.
d) A resistência, impedância e reactância reduzidas ao secundário.
e) A resistência, impedância e reactância reduzidas ao primário.
f) 0 factor de potência em curto-circuito.
56. Resolva problema idêntico ao anterior, considerando um transformador de 220/150 V, 450 VA, com
os seguintes valores do ensaio em curto-circuito: U1cc=12,1 V I2n=3 A, P1cc=21 W.
57. No ensaio em curto-circuito de um transformador elevador de 110/220 V, 660 VA, obtiveram-se os
seguintes valores: U1cc=5,5 V I2n=3 A, P1cc=23 W. Calcule:
a) A tensão de curto-circuito, em percentagem.
b) A relação de transformação.
c) A tensão de curto-circuito reduzida ao secundário.
d) A resistência, a impedância e a reactância reduzidas ao secundário.
e) A resistência, a impedância e a reactância reduzidas ao primário.
f) 0 factor de potência em curto-circuito
58. Resolva problema idêntico ao anterior considerando que o transformador é de 50/220V, 400 VA,
tendo-se obtido os seguintes valores no ensaio em curto-circuito: U1cc=2 V, I2n= 1,82 A, P1cc= 13 W.
59. Fez-se um ensaio em curto-circuito com um transformador de 220/110 V, tendo-se obtido os
seguintes valores: U1cc=12 V, I2n=0,9 A, I1n=0,45 A, P1cc=4,8 W.
a) Calcule a tensão de curto-circuito em percentagem.
b) Calcule a potência nominal do transformador.
c) Calcule cos 1cc.
d) Calcule as resistência, reactância e impedância reduzidas ao secundário.
e) Calcule as resistência, reactância e impedância reduzidas ao primário.
f) Trace o triângulo das impedâncias reduzidas ao secundário (de Kapp).
60. Fez-se um ensaio em curto-circuito do transformador anterior mas pelo lado do secundário (que
passou a ser o primário) tendo-se obtido os seguintes valores: U1cc=6,2V, I1n=0,9 A, I2n=0,45 A,
P1cc=4,8
W.
1 ) Calcule as mesmas grandezas do problema anterior.
2) Por que motivo P1cc e igual nos dois casos?
61. Um transformador de 220/400 V, 300 VA, tem um factor de potência de curto-circuito de 0,8 e uma
tensão de curto-circuito de 5%. Calcule:
a) A sua potência de curto-circuito.
b) A resistência reduzida ao secundário.
62. Sabe-se que um transformador de 220/100 V, 200 VA, tem uma potência de perdas no cobre, em
regime nominal, de 10 W. 0 seu factor de potência em curto-circuito é 0,7. Calcule a tensão de
curtocircuito em percentagem.
63. Um transformador de 1500/230 V, 10 kVA, foi ensaiado em curto-circuito tendo-se obtido os
seguintes valores: U1cc=75 V, P1cc=300 W.
a) Calcule os valores da queda de tensão e da tensão secundaria quando o transformador fornece a
intensidade nominal nas situações:
1 . Carga resistiva pura
2. Carga indutiva com cos 2=0,8
3. Carga capacitiva com cos 2=0,6
b) Calcule o valor da tensão a aplicar ao primário para que no secundário a carga resistiva tenha aos
seus terminais os 220 V.
64. Um transformador de 5000/230 V, 10 kVA, foi ensaiado em curto-circuito tendo-se obtido os
seguintes valores: U1cc=200 V, P1cc=320 W. Calcule os valores da queda de tensão e da tensão
secundaria
(a carga nominal) nas três situações:
a) Carga resistiva pura
b) Carga indutiva, cos 2=0,5
c) Carga capacitiva, cos 2=0,5
65. Considere um transformador de 1000/230 V, 1500 VA, cujos enrolamentos primário e secundário
são respectivamente de 8 e 0,6 . A tensão de curto-circuito é de 50 V. Calcule:
a) A resistência e a reactância reduzidas ao secundário
b) A tensão secundária, a plena carga, do tipo:
1 . Resistiva pura
2. Indutiva, cos2=0,8
3. Capacitiva, cos2=0,8
c) A tensão a aplicar ao primário de modo que no secundário a carga indutiva tenha aplicada 230 V.
66. Um transformador de 1500/230 V, 6 kVA, alimenta uma carga nominal resistiva, sob a tensão de
215 V. Admitindo que pretendia estabilizar a tensão no secundário em 230 V, calcule, para as duas
hipóteses distintas seguintes.
a) A nova tensão que deveria aplicar ao primário.
b) A percentagem de espiras que deveria `retirar' ou `aumentar' no primário (considere que o
transformador
tem regulação de espiras no primário), mantendo agora constante a tensão em 1500 V.
67. Um transformador de 5000/230 V tem uma potência nominal de 10 kVA. Quando alimenta, a
corrente nominal, uma carga resistiva pura a tensão baixa para 223 V. Quando alimenta, a corrente
nominal, uma carga indutiva pura a tensão baixa para 215V. Calcule:
a) As resistência e reactância, RS e XS, do transformador
b) A tensão U2 se a corrente de carga for de 40A, nas duas situações
1 . cos 2 = 0,7 indutivo
2. cos 2=0,7 capacitivo
68. Um transformador de 5000/230 V, 10 kVA, tem uma queda de tensão de 5% quando alimenta a
carga nominal (carga indutiva com cos 2=0,6).
A potência de curto-circuito deste transformador é de 300 W. Calcule:
a) A tensão U2, a carga nominal.
b) Os valores de RS, XS e ZS.
c) A tensão U2 a 2/3 da corrente nominal (cos 2=0,6 indutivo).
69. Ao ligar um transformador de 1500/220 V, 800 VA, a uma carga capacitiva pura, absorvendo a
corrente nominal, houve uma queda de tensão negativa de 4,5 V. A tensão de curto--circuito do
transformador é de 40 V. Calcule:
a) A impedância da carga.
b) Os valores de RS, XS e ZS
c) A tensão U2 se a corrente no secundário for 3/4 da nominal com cos 2=0,8 indutivo.
70. Um transformador alimentado a 1500 V, alimenta um conjunto de consumidores, a uma tensão U2
de 220 V, à carga nominal I2n=43,5 A (cos 2=0,8). Sabe-se que P1cc=250 W, P10=100 W, U2cc=9,2V.
Calcule:
a) A queda de tensão, à carga nominal.
b) A tensão U20, quando o transformador fica em vazio.
c) A potência nominal do transformador.
71. Um transformador de 220/110 V, 500 VA, tem uma tensão de curto-circuito de 5%. Calcule:
a) As intensidades nominais no primário e no secundário.
b) As intensidades de corrente de curto-circuito no primário e no secundário.
72. Resolva problema idêntico ao anterior considerando um transformador de 1000/220 V, 3kVA, com
uma tensão de curto-circuito de 5 %.
73. Um transformador de 380/110 V, 1000 VA, tem uma potência de curto-circuito de 30 W e uma
reactância reduzida ao secundário de 0,6 . Calcule:
a) As intensidades nominais no primário e no secundário.
b) A resistência reduzida ao secundário.
c) A impedância reduzida ao secundário.
d) A tensão de curto-circuito, em percentagem.
e) As correntes de curto-circuito no primário e no secundário.
74. Desenhe o diagrama vectorial de um transformador monofásico em carga, m=2, e que
tem uma corrente magnetizante no primário de 2,5 A. Calcule a corrente primária e o
factor de potência para as seguintes cargas:
a) 20A e cos_=1.
b) 20A e cos_=0,5 em atraso.
75. Dispõe-se de dois transformadores monofásicos de que se conhecem os seguintes dados:
TRANSFORMADOR 1: 15 kVA, R1 = 0,25_, X1 = 0,36_
TRANSFORMADOR 2: 10 kVA, R2 = 0,39_, X1 = 0,529_
Ambos os transformadores têm uma tensão nominal no secundário de 415V e todos os parâmetros
indicados devem entender-se como “referidos” ao secundário, pede-se:
a) A variação da tensão secundária, do vazio à plena carga, expressa em
percentagem da tensão nominal do secundário, para cada transformador a operar em
separado, à carga nominal e com factor de potência: unitário, 0,8 indutivo e 0,8 capacitivo.
b) Qual é o significado físico dos resultados obtidos?
c) Ao ligar ambos os transformadores em paralelo para alimentar uma carga
puramente resistiva de 25 kVA, o paralelo funcionaria correctamente? Demonstre-o
matematicamente.
76. Dois transformadores monofásicos de 100 kVA, 1000/ 100 V, 50 Hz, funcionam em
paralelo. As impedâncias de curto-circuito de cada um, reduzidas ao primário, são:
Zcc1 = 0,3 + j 0,4 _ e Zcc2 = 0,4 + j 0,3 _, respectivamente. Pretende-se alimentar uma
carga de 150 kVA a 100 V com um cos_=0,8 indutivo. Calcule as correntes, potências
aparente e activa fornecidas por cada transformador.
77. Um transformador monofásico de 100 kVA e 10000/120 V (em vazio), está a fornecer
75 kVA com um cos_= 0,8. ensaiado em curto-circuito e em vazio, deu os seguintes
resultados:
Ucc = 430 V; Pcc = 1,6 kW, I=Inominal; P0=1kW; I0=0,85ª
Calcule:
a) Os parâmetros do circuito equivalente referidos ao lado de alta tensão.
b) O rendimento do transformador para o regime especificado.
c) A corrente no primário do transformador.
d) A tensão no secundário do transformador.

78. Um transformador monofásico de distribuição tem os seguintes dados nominais:


50kVA, 2300/230 V. A resistência do enrolamento primário é de 0,5 _, a do secundário é
de 0,005_, e as perdas no ferro são de 290 W. determine o rendimento em cada uma
das seguintes condições de carga:
a) 50 kW, cos_=1.
b) 5 kW, cos_=1
c) 50 kW, cos_=0,8.
79. Faça o esquema equivalente aproximado, referido ao primário de um transformador
monofásico de 2200/220 V, 60 Hz, do qual se conhecem os seguintes dados:
Ensaio em vazio, alimentado pelo lado de A.T.: U0=2200V, I0=1,0 A, P0=110W
Ensaio em curto-circuito, alimentado pelo lado de B.T.: Ucc=20V, Icc=100A, Pcc=850W Calcule:
a) Os parâmetros do circuito equivalente e esboce o circuito equivalente aproximado
referido ao primário.
b) O coeficiente de regulação e o rendimento quando o transformador alimenta uma
carga de 120 A, com um factor de potência de 0,8 em atraso.
c) Qual é o rendimento máximo e qual a carga, em kVA, a que ocorre? Suponha que
as condições nominais de funcionamento são as da alínea anterior.
80. Um transformador (I) de 40 KVA, 1000/100 V, deu os seguintes resultados num ensaio
em curto-circuito:
51 V, 40 A, 400W (medidos no lado de AT)
Pretende-se ligar em paralelo um outro transformador (II) de 20 kVA, 1000/100 V, que
ensaiado em cuto circuito deu os seguintes resultados:
42 V, 20 A, 245 W (medidos no lado de AT)
a) Indique se se cumprem as condições básicas fundamentais para um correcto
funcionamento dos 2 transformadores, ou seja, comprove se a carga se reparte
proporcionalmente às potências nominais dos transformadores.
b) Algum dos transformadores vai trabalhar sobrecarregado? Em caso afirmativo,
qual?
c) Como se repartirá uma carga indutiva de 60 kVA e cos_=0,8.
81. Um transformador monofásico de 50 kVA, 6600/220V, 50 Hz, ensaiado deu os
seguintes resultados:
VAZIO : 1000 W, 220 V, 25 A dados lidos na B.T.
CURTO-CIRCUITO 1200 W, 300 V, 7,575 A dados lidos na A.T.
Calcular:
a) Os parâmetros do circuito equivalente do transformador, reduzido ao primário.
b) Dispõe-se de três transformadores monofásicos, idênticos ao anterior, e que se
ligam em triângulo no lado de A.T. (primário) e em estrela na parte de B.T.
(secundário). Se se alimentar o primário deste “banco” com uma rede trifásica de 6600
V, determine a tensão de linha no secundário, sendo a corrente de linha de 200 A com
um cos_= 0,8 indutivo.
c) Calcule a tensão de linha secundária e o rendimento se no secundário estiver agora
uma carga equilibrada com uma impedância de 2,16 + j 1,62_/fase.
82. Efectuaram-se medidas de resistência por fase nos enrolamentos de alta e baixa
tensão de um transformador trifásico de 112,5 kVA, 60 Hz, 13800/440 V e ligado em
estrela - estrela. Os valores medidos foram respectivamente r1 = 3,8_ e r2 = 0,02_,
respectivamente.
Calcule as perdas no ferro do transformador, à tensão e frequência nominais, se os dados
de projecto indicam que o rendimento à plena carga e cos_=0,8 indutivo, é de 96%.
83. Dispõe-se de um transformador trifásico ligado em estrela – estrela para ligar a 100
Volts e 50 Hz uma rede de lâmpadas que absorvem 24 kW com um cos_=1. Conhecemse
ainda os seguintes dados:
– R1 (primário) 6,25_/fase
– R2 (secundário) 0,015_/fase
Ensaio em vazio:
– Tensão no primário U1 = 4400 V entre fases
– Tensão no secundário U2 = 102 V entre fases
– Potência P0 = 300 W
Ensaio em curto-circuito:
– São necessários 95 Volts / fase no primário para que circule a corrente nominal.
Calcule:
a) A tensão a que se deverá alimentar o transformador, utilizando a aproximação de
kapp (circuito simplificado)
b) O erro cometido (em %) em relação ao valor exacto.
c) O coeficiente de regulação.
d) As perdas no cobre à plena carga com factor de potência unitário
e) O rendimento do transformador em regime nominal, o rendimento máximo e carga a
que se verifica.
84. Um transformador monofásico de 6,6 kVA, suposto ideal, tem uma razão de transformação em vazio
de 660/ 220 V. Pretende-se obter um auto-transformador mantendo constante a intensidade nominal
de cada bobina. Alterando as ligações dos enrolamentos, é possível obter até quatro auto-
transformadores de diferentes potências nominais. Quais são as potências e respectivas ligações?
85. Efectuaram-se os seguintes ensaios a um transformador trifásico de 124,7 kVA,
relação de transformação 8250/ 500 V, grupo de ligação Yy6.
Ensaio em vazio, alimentado a 400 Volts pelo enrolamento de Baixa Tensão, a potência absorvida foi
de 1300 W.
Ensaio em curto-circuito, alimentado a 314 V pelo lado de Alta Tensão, corrente nominal, a potência
absorvida foi de 3000 W.
Calcule:
a) O rendimento do transformador à plena carga com cosα=0.9 (indutivo ou capacitivo) e alimentado
à tensão nominal na Alta Tensão.
b) O rendimento do transformador quando trabalha a meia carga, tensão nominal e o cosα=1.
c) O rendimento máximo do transformador e carga a que se verifica, com cosα=1 e tensão nominal.
d) A tensão necessária no primário para poder alimentar a carga da alínea a), sendo a tensão do
secundário a 8250 V.
e) As quedas de tensão relativas na resistência, reactância e impedância de curtocircuito à plena
carga.
86. Dois transformadores monofásicos estão ligados em paralelo e alimentam pelo lado
de baixa tensão, uma carga eléctrica de 200 kW com cosα=0,8 indutivo. A tensão de
alimentação da carga é de 370 V. AS características dos dois transformadores estão na
tabela seguinte:
TRANSFORMADOR Sn (kVA) U1n(V) U2n(V) _cc(%) Pcc(kW) P0(kW)
A 125 6000 380 4.2 1 0.4
B 140 6000 380 4 1.2 0.5
Calcular
a) A impedância de curto-circuito de cada transformador.
b) A intensidade que cada transformador fornece à carga.
c) A tensão de alimentação do primário
d) A potência aparente fornecida por cada transformador.
e) O rendimento de cada transformador.
87. Dispõe-se de um transformador monofásico em cuja placa de características constam
os seguintes dados:
Potência nominal Sn=30 kVA
Tensões 15 kV/ 380 V
Tensão de curto – circuito _cc = 3 %
Perdas em curto-circuito Pcc = 150 W
Perdas em vazio P0 = 75 W
Corrente de excitação I0 = 4 %
Frequência 50 Hz
Calcule:
a) As intensidades nominais de cada enrolamento.
b) Os valores da corrente de vazio, segundo o enrolamento de alimentação do
transformador (AT ou BT)
c) A relação de transformação
d) As correntes primária e secundária no caso de um curto-circuito franco num
enrolamento, supondo o outro alimentado à tensão nominal.
e) Os rendimentos à plena carga e a ¾ da carga, se o transformador alimenta uma
carga resistiva pura à tensão nominal.
f) Os rendimentos à plena carga e 60% de plena carga, se o transformador alimenta
um receptor capacitivo com cos_=0,8.
g) O factor de carga correspondente a rendimento máximo.
h) Os valores de _Rcc e _Xcc, e esboce o esquema correspondente do ensaio em curtocircuito.
i) A queda de tensão relativa a plena carga e a ¾ de carga, se se alimentar uma carga indutiva com
cosα=0.8666.
88. Um transformador trifásico de 100 kVA de potência nominal, apresenta umas perdas
de 800 W em vazio e de 2200 W nos enrolamentos à plena carga (Pcu). Determine:
a) As perdas totais à plena carga e a meia carga.
b) O rendimento à plena carga para um cos_=0,8 e um cos_=1.
c) O rendimento a meia carga para os mesmos factores de potência.
d) A carga do transformador para o qual apresenta o máximo rendimento.
e) O rendimento máximo para um factor de potência unitário.