Você está na página 1de 152

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA E AMBIENTAL

Araçuaí – MG

2017

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

Presidente da República MICHEL MIGUEL ELIAS TEMER LULIA

Ministro da Educação JOSÉ MENDONÇA BEZERRA FILHO

Secretário de Educação Profissional e Tecnológica ELINE NEVES BRAGA NASCIMENTO

Reitor Prof. JOSÉ RICARDO MARTINS DA SILVA

Pró-Reitor de Administração e Planejamento Prof. EDMILSON TADEU CASSANI

Pró-Reitor de Desenvolvimento Institucional Prof. ALISSON MAGALHÃES CASTRO

Pró-Reitora de Ensino Prof. RICARDO MAGALHÃES DIAS CARDOSO

Diretor de Ensino PROF. WALLAS SIQUEIRA JARDIM

Pró-Reitor de Extensão PROF. MARIA ARACI MAGALHÃES

Pró-Reitor de Pesquisa, Inovação Tecnológica e Pós-Graduação Prof. ROGÉRIO MENDES MURTA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

Equipe Técnico-Pedagógica do Departamento de Ensino da Pró-Reitoria de Ensino

Diretor Departamento de Ensino Superior ROBERTO MARQUES SILVA

Pedagoga ANTÔNIA ANGÉLICA MENDES DO NASCIMENTO

Técnica em Assuntos Educacionais DANIELA FERNANDES GOMES

Pedagoga PAULA FRANCISCA DA SILVA

Técnica em Assuntos Educacionais ROBERTA CARDOSO SILVA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

IFNMG – Campus Araçuaí

Diretor-Geral Prof. AÉCIO OLIVEIRA DE MIRANDA

Diretor de Administração e Planejamento Prof. BRUNO PELIZZARO DIAS AFONSO

Diretor de Ensino Prof. IRÃ PINHEIRO NEIVA

Coordenação de Ensino Pedagoga ANEUZIMIRA CALDEIRA SOUZA

Equipe Organizadora ADAILTON CARDOSO DA SILVA CARLOS AUGUSTO PEREIRA E SILVA ELAINE FERRARI DE BRITO ELIANE MACEDO SOBRINHO SANTOS GILMARA GONÇALVES SANTOS GILVÂNIA ANTUNES MEIRELES IRÃ PINHEIRO NEIVA JANAINNE NUNES ALVES JOÃO LUIZ JACINTHO KAÍQUE MESQUITA CARDOSO LÉCIO ALVES NASCIMENTO MAGDA MATOS TANURE AMARAL NATALINO MARTINS GOMES RUDNEY CARLOS DA MATA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

1.1 Apresentação Geral

7

1.2 Apresentação

do Campus

8

2 IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

11

3 JUSTIFICATIVA

12

4 OBJETIVOS

16

4.1 Objetivo Geral

16

4.2 Objetivos Específicos

17

5 PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS

18

6 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

20

6.2

Estrutura Curricular do Curso

21

6.2.1 Matriz curricular do curso

23

6.2.2 Disciplinas Optativas

29

6.2.3 Representação gráfica da formação (fluxograma)

32

6.2.4 Ementário por disciplina:

34

PERÍODO

34

PERÍODO

39

PERÍODO

45

PERÍODO

50

PERÍODO

57

PERÍODO

62

PERÍODO

69

8º PERÍODO

75

9º PERÍODO

82

10º PERÍODO

87

Ementário das disciplinas optativas

88

 

6.2.5 Prática Profissional

117

6.2.6 Estágio Curricular Supervisionado

119

6.2.6.1 Embasamento Legal

119

6.2.6.2 Aspectos Teóricos e Pedagógicos

120

6.2.6.3 Atividades complementares (AC) /Atividades acadêmico-científico-culturais

(AACC)

122

6.2.6.4 Trabalho de conclusão de curso

128

7 CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE DISCIPLINAS E APROVEITAMENTO DE

CONHECIMENTOS E EXPERIÊNCIAS ANTERIORES

133

8 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO APLICADOS AOS ALUNOS DO CURSO

133

8.1 Avaliação da Aprendizagem

134

8.2 Promoção e Reprovação

135

8.3 Frequência

136

9 MECANISMOS DE AUTOAVALIAÇÃO DO CURSO

136

10 COORDENAÇÃO DO CURSO

138

11 PERFIL DO CORPO DOCENTE ENVOLVIDO NO CURSO

139

12 PERFIL DO CORPO TÉCNICO ADMINISTRATIVO ENVOLVIDO NO CURSO

141

13 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS OFERECIDOS AOS PROFESSORES E ALUNOS

DO CURSO

143

13.1 Infraestrutura de Laboratórios Específicos do Curso

143

13.2 Equipamentos e Mobiliário

146

13.3 Recursos Tecnológicos

146

13.4 Instalações e Equipamentos Oferecidos aos Docentes e Discentes do Curso

147

13.5 Biblioteca

149

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

13.5.1 Objetivos

150

13.5.2 Tratamento Técnico da Informação

150

13.5.3 Informatização

150

13.5.4 Formas de Utilização do Acervo

150

14 CERTIFICADOS E DIPLOMAS A SEREM EXPEDIDOS

152

15 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

152

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

APRESENTAÇÃO

1.1 Apresentação Geral

Em 29 de dezembro de 2008, com a sanção da Lei Federal nº 11.892, que criou no

Brasil 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, através da junção de Escolas Técnicas Federais, Cefets, Escolas Agrotécnicas e Escolas vinculadas a Universidades, o Instituto Federal do Norte de Minas Gerais surgiu com a relevante missão de promover uma educação pública de excelência por meio da junção indissociável entre ensino, pesquisa e extensão, interagindo pessoas, conhecimento e tecnologia, visando proporcionar a ampliação do desenvolvimento técnico e tecnológico da região norte mineira.

O Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) é uma instituição de educação

superior, básica e profissional, pluricurricular, multicampi e descentralizada, especializada na oferta de educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino, com base na conjugação de conhecimentos técnicos e tecnológicos com sua prática pedagógica. Abrange as mesorregiões do Norte de Minas, do Vale do Jequitinhonha, do Vale do Mucuri e, ainda, parte do Noroeste de Minas. Nessa abrangência, e com a organização estruturada no formato multicampi, atende as microrregiões da abrangência do IFNMG a partir dos seguintes municípios: Almenara, Araçuaí, Arinos, Montes Claros, Januária, Pirapora, Salinas, Teófilo Otoni, Diamantina, Campus Avançado Janaúba e Campus Avançado Porteirinha e a Reitoria, sediada em Montes Claros.

O IFNMG, em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), tem como missão o

propósito de assumir o compromisso de intervir em suas regiões de abrangência, identificando os problemas e criando soluções tecnológicas para o desenvolvimento sustentável, com inclusão social. A proposta, portanto, é formar profissionais capazes de se adequarem às mudanças do mundo do trabalho e propiciar uma articulação entre o ensino técnico e o científico. De modo a promover o desenvolvimento pleno no seio da comunidade local e regional, investindo na formação de recursos humanos para o desempenho das profissões exigidas pela sociedade e necessárias para o mercado em contínuas e profundas transformações. O IFNMG, ao definir sua missão, assume sua preocupação com as necessidades, presentes e futuras, do meio no qual está inserido. Traz, em sua concepção, o compromisso de

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

que a educação profissional, científica e tecnológica é essencial, não somente para que o município e a região alcancem o nível necessário de desenvolvimento cultural, econômico e social sustentável, mas também para o cultivo da criatividade cultural, para a melhora do padrão de vida, assim como para a vivência dos direitos humanos, da democracia e do amplo respeito. Assim, vimos apresentar o Projeto Pedagógico do Curso Engenharia Agrícola e Ambiental do Campus Araçuaí, buscando atender os anseios desta região, com a perspectiva de promover a verticalização do ensino e propiciar aos discentes e a comunidade externa a continuidade dos estudos após a Educação Básica e/ou Técnica. A proposta surgiu após discussão sobre a necessidade de criação e reestruturação de cursos, a qual contou com a

participação da comunidade local, por meio de intensos debates em reuniões, mobilizações e audiências públicas.

A construção deste Projeto Pedagógico de Curso pautou-se na legislação vigente, no

Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e nos princípios democráticos, contando com a

participação dos profissionais da área do curso e da equipe pedagógica.

É preciso pensar, debater e articular coletivamente os desafios e possibilidades,

incluindo aí um olhar crítico, atento para as mudanças e, prioritariamente, para a realidade e

expectativa dos educandos que se matriculam em nossos cursos, seus anseios e necessidades. Assim, expomos neste documento a estrutura que orientará a nossa prática pedagógica do Curso Engenharia Agrícola e Ambiental, entendendo que o presente documento está passível de ser ressignificado e aprimorado sempre que se fizer necessário.

1.2 Apresentação do Campus

O Campus Araçuaí foi inaugurado em 19 de janeiro de 2010, obtendo autorização para

funcionamento através da Portaria Ministerial n° 111, do dia 29 de janeiro de 2010 e iniciou suas atividades pedagógicas no dia 08 de março de 2010. Um dos seus nobres objetivos é ofertar educação profissional e tecnológica, em todos os seus níveis e modalidades, formando e qualificando cidadãos com vistas na atuação profissional nos diversos setores da economia, com ênfase no desenvolvimento socioeconômico local, regional e nacional. Buscando atender tal objetivo, esta instituição inaugurou suas atividades letivas em março do mesmo ano de 2010, ofertando cursos técnicos concomitantes/subsequentes nas

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

áreas de agroecologia e informática, atendendo a forte vocação local no que se refere à agricultura familiar e uma demanda reprimida na área de informática. No início do segundo ano de existência, o campus Araçuaí continuou ampliando as suas ofertas, com cursos técnicos em agroecologia e informática integrados ao ensino médio e o curso superior de Tecnologia em Gestão Ambiental. No ano de 2013, o campus Araçuaí passou a ofertar o curso técnico em meio ambiente integrado ao ensino médio e suspendeu a oferta do curso técnico em agroecologia na mesma modalidade. Buscando atender públicos diferenciados e praticando políticas de inclusão. O Campus Araçuaí aderiu em 2011, ao programa Mulheres Mil, ofertando cursos profissionalizantes para mulheres da região; e em 2012 ao PRONATEC (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) que oferece cursos de formação inicial e continuada a alunos e profissionais da rede pública estadual. Considerando demandas de diversos segmentos da sociedade e a necessidade de oportunizar alternativas para os jovens da região, o IFNMG – Campus Araçuaí ampliou suas ofertas, no início de 2016, com o curso técnico em agrimensura e a reoferta do curso técnico em agroecologia, ambos integrados ao Ensino Médio. Em 2016 reestruturou o curso Técnico em Informática na modalidade concomitante/ subsequente para o curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática. Do mesmo modo, ocorreu com o curso Técnico em Administração na modalidade concomitante/subsequente que foi substituído pelo curso em Comércio, em 2017. Atualmente, o Campus Araçuaí oferece os Cursos Técnicos Integrados ao Ensino Médio em Meio Ambiente, Agrimensura, Agroecologia e Informática; técnicos Concomitante/Subsequente em Comércio, Suporte e Manutenção em Informática, o Curso Técnico em Enfermagem no formato Subsequente. Oferta ainda o Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental; Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e o Bacharelado em Administração. Ainda, cursos de curta duração e Cursos Técnicos na modalidade a Distância, através do programa e-Tec Brasil, contemplando o ingresso de mais de 500 alunos em diversos cursos. A comunidade escolar é constituída, atualmente, por 57 Docentes e 48 Técnicos- Administrativos em Educação todos devidamente qualificados para as suas respectivas funções. Ao longo destes anos, o IFNMG – Campus Araçuaí tem se aproximado de instituições locais e regionais que trabalham com a temática ambiental, agroecológica, agricultura

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

familiar, educação no campo e outras. Passou a frequentar reuniões do CMDRS (Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável), Sindicatos dos Trabalhadores Rurais (STR's), ONG's, compor conselhos de algumas organizações, promover encontros e seminários, dentre outras atividades que lhe tem colocado em contato direto com a realidade local. Sempre que oportuno tem celebrado convênios e parcerias com empresas locais para oferta de estágio aos seus discentes. Ofertou por três oportunidades curso FIC de agricultor orgânico e elaborou um projeto para implantar em seus domínios uma “mini” fazenda agroecológica para práticas didáticas e pedagógicas, que muito contribui com a formação de seus estudantes. Foi instalada em junho/2017uma estação meteorológica, objeto de termo de cooperação firmado entre o Campus Araçuaí e Instituto Nacional de Meteorologia – INMET, com objetivo de fornecer informações meteorológicas em tempo real de Araçuaí e região. Desde o início de suas atividades, em sintonia com os arranjos produtivos, culturais, sociais e ambientais de âmbito local e regional o Campus tem se orientado para oferta de cursos na área agrícola e ambiental, contando com especializado corpo docente nessas áreas. Sendo o quadro atual composto por profissionais de diversas engenharias (florestal, agrimensura e cartográfica, agronômica, agrícola e ambiental), médico veterinário e biólogos, além de profissionais de outras áreas. Dessa forma, O IFNMG – Campus Araçuaí reafirmando o seu compromisso em contribuir para o fortalecimento da região na qual está inserido, desenvolver e compartilhar tecnologias, através da articulação entre ensino, pesquisa e extensão apresenta a proposta de criação do Curso Superior em Engenharia Agrícola e Ambiental. Esta proposta tem por finalidade formar engenheiros com sólida formação científica e profissional, instrumentalizando-os para absorver e desenvolver novas tecnologias e atuar de forma crítica e criativa na identificação e resolução de problemas de Engenharia no meio rural, considerando seus aspectos ambientais, sociais, políticos, econômicos e culturais. Enfim, o Campus busca atender a demanda regional, qualificando a clientela atendida por meio do ensino, pesquisa e extensão, sendo a proposta Pedagógica de Curso aqui apresentada respaldada pela Lei 9.394/96; Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008; Diretrizes Curriculares Nacionais do curso em Engenharia Agrícola e Regulamento dos Cursos de Graduação do IFNMG entre outras normas contidas neste documento.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

2 IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

2.1 Denominação do Curso: Engenharia Agrícola e Ambiental

2.2 Carga Horária Total: 3.603:20

2.3 Modalidade: Presencial

2.4 Tipo: Bacharelado

2.5 Ano de Implantação: 2018

2.6 Habilitação(ões): Engenharia Agrícola e Ambiental

2.7 Titulação(ões) Conferida(s): Engenheiro Agrícola e Ambiental

2.8 Turno de Oferta: Integral

2.9 Regime Acadêmico: Semestral

2.10 Número de Vagas Oferecidas: 40

2.11 Periodicidade de Oferta: Anual

2.12 Requisitos e Formas de Acesso: Enem / SISU – Sistema de Seleção Unificada,

Vestibular e outros previstos neste PPC e no Regulamento dos Cursos de Graduação do

IFNMG

2.13 Duração do Curso: 5 anos

2.14 Prazo para Integralização: Mínimo de 5 anos, Máximo de 7 anos e meio.

2.15Autorização para Funcionamento: Em andamento

2.16 Local de Oferta: Campus Araçuaí: Fazenda do Meio Pé da Serra, S/N, BR –

km

(038) 3201-3099 – Email:

367,

comunicacao.aracuai@ifnmg.edu.br

278,

Araçuaí

MG.

Fone:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

3 JUSTIFICATIVA

A região do Vale do Jequitinhonha está localizada no nordeste de Minas Gerais, com

aproximadamente 980 mil habitantes, onde ⅔ (dois terços) vivem na zona rural. A região se divide em três microrregiões: Alto Jequitinhonha (entre Diamantina e Minas Novas), Médio

Jequitinhonha (entre Pedra Azul e Araçuaí) e o Baixo Jequitinhonha (entre divisa do Sul da Bahia e a Microrregião de Almenara). A região é conhecida em todo território brasileiro graças aos aspectos culturais e reservas de minerais. Apesar do baixo PIB e IDH, é também referência pela produção e comercialização de gêneros alimentícios e artesanatos, provenientes da Agricultura Familiar, tendo como ponto de referências a formação dos mercados municipais e feiras livres (IBGE apud RATTES, 2004).

A região do Vale do Jequitinhonha apresenta em sua trajetória histórica, uma forte

ligação com a região nordeste do Brasil, desde sua ocupação e povoamento até as ligações inter-regionais, apontando para uma continuidade entre ambos. A marcar essa trajetória histórica está o fenômeno das secas, que periodicamente lança o homem do Vale, assim como seus irmãos nordestinos, numa luta pela sobrevivência. A economia, por sua vez, embora tenha incorporado benefícios trazidos pelos órgãos governamentais, ainda se ressente da

ausência de capitais, da falta de padrão tecnológico regional, da má distribuição e de níveis insatisfatórios de renda, além de outros fatores. Por isso, nesses espaços geográficos menos desenvolvidos do Brasil, a atuação quantitativa e qualitativa de profissionais especializados na área de Ciências Agrárias e Ambientais é fundamental para a reversão do quadro de subdesenvolvimento e de degradação da natureza. O aproveitamento e o estímulo à produção agropecuária, a regularização do abastecimento e a competição no mercado internacional, além da necessidade de conservação do meio ambiente, demandam a formação de profissionais especializados em Ciências Agrárias e Ambientais, principalmente para as regiões semiáridas do país.

O Vale do Jequitinhonha enfrenta graves problemas sociais, como, elevado índice de

analfabetismo, carência em serviços básicos como esgoto, abastecimento de água e energia, renda per capita muito baixa e a migração sazonal no período de seca. O enfrentamento desses

problemas, na busca de geração de emprego e renda sempre esbarra na falta de estrutura e pouca capacitação profissional em toda a região (RATTES, 2004).

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

A economia local apresenta forte vinculação com o setor rural, particularmente, o setor

agropecuário local é responsável por parte da geração de empregos, serviços e produtos, mas, agrega muito pouco valor à economia local, sendo que grande parte desses problemas reside- se na baixa produtividade, além de dificuldades na obtenção de assistência técnica, crédito adequado, infraestrutura de transporte, armazenamento e distribuição, e equipamentos para beneficiamento e agregação de valor (SERVILHA, 2008). O município de Araçuaí, situa-se a 307 metros de altitude na mesorregião Jequitinhonha, estando 685 km de distância de Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais (IBGE, 2010). A cidade situa-se dentro do Médio Jequitinhonha, catalisando diversos serviços e negócios que se realizam no âmbito regional. Uma das suas características marcantes é a sua forte vocação agroecológica, o que pode ser constatada pela presença e atuação de diversas entidades não governamentais com abordagem agroecológica, como Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento (CPCD), Cáritas Diocesana, Escola Família Agroecológica, Visão Mundial, dentre outras. O comércio local é caracterizado pela oferta de

produtos e serviços voltados para o atendimento da agricultura familiar, fato que por si já dá conta da dimensão da mesma para o município. A cidade oferece diversos serviços direcionados à agricultura familiar.

É em Araçuaí que encontramos ainda um dos campi do IFNMG: o Campus Araçuaí.

Esse campus contempla 17 municípios dentro da sua área de abrangência, sendo eles: Araçuaí,

Berilo, Cachoeira de Pajeú, Chapada do Norte, Comercinho, Coronel Murta, Francisco Badaró, Itaobim, Itinga, Jenipapo de Minas, José Gonçalves de Minas, Medina, Novo Cruzeiro, Padre Paraíso, Pedra Azul, Ponto dos Volantes, Virgem da Lapa. Ao todo, essa área possui uma população de 266.604 habitantes, conforme o Censo de 2010 (IBGE, 2010). Essa área de abrangência possui uma expressiva população rural. Conforme dados do referido Censo, em alguns desses municípios, essa população chega a ultrapassar a casa dos 60%, como é o caso Novo Cruzeiro (66%) e Chapada do Norte (63%), mencionando aqui algumas cidades de maior expressividade populacional da área mencionada. Falando mais detalhadamente sobre Araçuaí[1], o município possui uma população de 36.013 habitantes, sendo 65% na área urbana e 35 % na zona rural (IBGE, 2010) distribuídos em uma área de 2.236 km 2 . É a sub-região do Vale onde concentra o maior número de pequenos agricultores, contando ainda com a presença expressiva de comunidades e povos tradicionais.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

Predomina o cultivo de leguminosas, oleaginosas, plantas medicinais, criação de galinhas, produção de queijo, requeijão e outros. Segundo SILVA (2008), em sua maioria não fazem o uso de agrotóxicos ou fertilizantes químicos em sua produção, muitas vezes não pela conscientização dos malefícios que o uso desses produtos pode ocasionar, mas sim devido ao elevado custo para obtenção dos mesmos ou falta de oportunidades. Apesar disso e do precário acesso às terras de qualidade, esses agricultores conseguem desenvolver sistemas de produção adaptados às condições locais. Muitas comunidades sobrevivem do extrativismo, principalmente na Área de Proteção Ambiental do município (APA) da Chapada do Lagoão, coletando frutos do cerrado, como o pequi, (Caryocar brasiliense), cagaita (Eugenia dysenterica), mangaba (Hancornia speciosa), marolo, Araticum (Annona sp.) plantas medicinais e folhas de palmeira (coquinho - Allagoptera leucocalyx) para a fabricação de vassouras, plantas medicinais e outros. Toda esta diversidade produtiva tem seu excedente comercializado na feira livre e no mercado municipal da cidade. Há muitos anos esses espaços são de extrema importância para a microrregião de Araçuaí, no sentido de juntar as diversidades de produção (familiar, caseira, artesanal e cultural) para a comercialização e consequentemente divulgação de produtos e trocas de conhecimentos entre pessoas. É reconhecida como a feira mais frequentada por pessoas na região, que no período de 7h00 às 14h00, aos sábados, permanecem aglomeradas no espaço físico entre o mercado municipal e área externa, em torno de 4.000 pessoas entre comerciantes e consumidores. Atualmente a Feira de Araçuaí agrega produtores de vários municípios, como: Berilo, Virgem da Lapa, Coronel Murta, Itinga, Itaobim, e Padre Paraíso (SERVILHA, 2008), além de Taiobeiras Norte de Minas e até região de Vitória da Conquista – BA.

Outro aspecto a ser considerado diz respeito à degradação ambiental em crescente expansão na região. Quanto às limitações do quadro natural, esta região tem problemas de seca constante, com totais anuais de chuva em média de 817 mm segundo a Companhia Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM, 2005), seus rios são afetados por processos erosivos originados por causas naturais, declividades e características climáticas, e antrópicas, representadas principalmente pelas atividades de mineração e agropecuárias, associados a empreendimentos voltados à monocultura, notadamente de eucalipto, sobretudo nas áreas de chapadas. Nesse município, os fundos dos vales e as vertentes são geralmente utilizados para a prática da agricultura de subsistência, sendo muito comum a ocupação das margens dos rios

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

onde os solos são mais férteis. A queimada, como forma de limpar o solo, ainda é bastante utilizada tanto na agricultura quanto na formação das pastagens (RIBEIRO E GALIZONI,

2003).

Tais informações são extremamente relevantes para os fins da proposta que está sendo aqui encaminhada, devido ao perfil agropecuário da região do Vale, que ainda apresenta uma atividade agrícola com baixos índices de produtividade e com sérios problemas ambientais, o IFNMG – Campus Araçuaí propôs-se a implantar o curso de Graduação em Engenharia Agrícola e Ambiental, vislumbrando uma perspectiva com melhores índices no futuro próximo. O Curso Superior Engenharia Agrícola e Ambiental do Campus Araçuaí, cumpre as exigências legais vigentes e atende as “Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação, contemplando a flexibilização curricular. Além disso, o curso adequa-se às atuais tecnologias para a agricultura moderna, atende as questões ambientais e está programado, sobretudo, para atender às peculiaridades das regiões de clima semiárido, bem como à agroindústria e, principalmente, aos pequenos produtores rurais. Dessa forma, o IFNMG – Campus Araçuaí amplia a sua relevante função político-social perante a sociedade e mais uma vez interioriza sua atuação no Estado de Minas Gerais.

A implantação do Curso de Engenharia Agrícola e Ambiental no IFNMG - Campus Araçuaí corrobora com o efetivo processo de interiorização da universidade pública, principalmente em regiões de elevadas demandas em todos os segmentos socioeconômico como é no semiárido mineiro, compreendendo uma das regiões mais carentes de Minas Gerais. Esse projeto possibilita ao IFNMG, como instituição pública de ensino superior, assumir, de fato, o lugar e os meios de se tornar agente solidário da sociedade mineira e nacional. Apesar da imensa carência de profissionais na área de Ciências Agrárias na região, a disponibilidade de cursos na área ambiental ainda é extremamente baixa. Assim, iniciativas no sentido de ampliar a capacidade instalada de vagas em cursos de graduação são bem-vindas, especialmente na área ambiental. A matriz curricular do curso foi elaborada no sentido de contemplar disciplinas comuns a todas as engenharias e disciplinas profissionalizantes com conteúdos específicos das áreas de Máquinas e Mecanização Agrícola, Construções Rurais, Hidráulica Aplicada à Agricultura, Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos, Avaliação de Impactos Ambientais, Controle de Poluição em Sistemas Agroindustriais e Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

O mercado de trabalho tem apresentado significativas demandas direcionadas ao

Engenheiro Agrícola e Ambiental, já que, por ser um profissional com atribuições nas áreas de Construções Rurais, Hidráulica Aplicada à Agricultura, Planejamento e Gestão de Recursos

Hídricos, Avaliação de Impactos Ambientais, Controle de Poluição em Sistemas

Agroindustriais e Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto, ele passou a poder atuar

também na solução de problemas ambientais, decorrentes de atividades agropecuárias,

agroindustriais, industriais e urbanas, seja no tratamento e destinação final dos resíduos, na gestão e qualidade da água e do solo ou na recuperação de áreas degradadas. A crescente

contratação de Engenheiros Agrícolas e Ambientais, para assumir cargos de responsabilidade

ou mesmo de gerência na área ambiental em usinas siderúrgicas, mineradoras e até em

empresa petrolífera, é indicativo da ampliação do mercado de trabalho para esses profissionais.

A boa aceitação do profissional pelo mercado se dá em razão da sua formação básica em diversos ramos das engenharias, o que possibilita que esse profissional, além de dar

adequada solução ao problema ambiental, possa intervir no processo produtivo, de forma a

minimizar os problemas ambientais causados pela atividade. Assim, esse profissional faz o planejamento ambiental das áreas de plantio e de criação de rebanhos, determinando os locais

para disposição de resíduos, a reciclagem de dejetos da produção e a preservação das fontes de água para impedir que sejam contaminados por agrotóxicos.

4 OBJETIVOS 4.1 Objetivo Geral

Formar Engenheiros com sólida formação científica e profissional, instrumentalizando-os para absorver e desenvolver novas tecnologias e atuar de forma crítica

e criativa na identificação e resolução de problemas de Engenharia no meio rural, focando na melhoria da condição social, cultural e econômica da comunidade rural do semiárido, por enfatizar a importância de consideração dos aspectos ambientais dos projetos, conscientizando para a prática profissional focada no desenvolvimento sustentável, levando-se em conta os

interesses das atuais e futuras gerações.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

4.2 Objetivos Específicos

Os objetivos específicos do curso são:

Estimular o desenvolvimento de pensamento reflexivo do aluno, aperfeiçoando sua capacidade investigativa, inventiva e solucionadora de problemas.

Formar Engenheiros comprometidos com a preservação do meio ambiente e o seu desenvolvimento sustentável, priorizando a melhoria da qualidade de vida do homem do campo, da fauna e da flora.

Estimular o desenvolvimento humano do discente envolvendo-o na vida da Instituição, a fim de compreender, desde cedo, a importância do papel do exercício profissional como instrumento de promoção de transformações social, política, econômica, cultural e ambiental.

Exercitar a autonomia no aprender buscando constantemente o aprimoramento profissional através da educação continuada.

Permitir que o acadêmico desenvolva sua habilidade de expressão e comunicação.

Aprimorar a capacidade do estudante de trabalhar em equipe, desenvolvendo o relacionamento interpessoal e exercitando a cooperação.

Aprimorar valores éticos e humanísticos essenciais para o exercício profissional, tais como, a solidariedade, respeito à vida humana, convivência com a pluralidade e a diversidade de pensamento.

Estimular a investigação científico-tecnológica por meio de iniciação científica.

Enfatizar a importância de consideração dos aspectos ambientais dos projetos, conscientizando para a prática profissional focada no desenvolvimento sustentável, levando-se em conta os interesses das atuais e futuras gerações.

Dotar o discente de visão sistêmica a fim de formar um profissional capacitado para solucionar problemas de engenharia nos setores agropecuário e agroindustrial, fundamentado no domínio integrado de conhecimentos técnicos necessários para empreender a gestão ambiental em nível de micro e macroescala.

Despertar, desde cedo, o espírito empreendedor do discente, estimulando-o a participar da geração de soluções inovadoras no âmbito da Engenharia Agrícola e Ambiental e a desenvolver visão crítica para percepção de oportunidades de negócios.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

Proporcionar a formação de um profissional que possa atuar em atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Instigar o aprendizado dos procedimentos e das técnicas e o manuseio apropriado dos recursos tecnológicos aplicados na prática profissional.

Estimular o relacionamento com empresas dos diversos segmentos de atuação do profissional Engenheiro Agrícola e Ambiental, através de estágios.

Propiciar ao acadêmico o reconhecimento dos limites e das possibilidades da sua prática profissional.

5 PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS

De acordo com a normatização dos cursos de Graduação em Engenharia Agrícola, fundamentada na Resolução n° 02 de 02 de fevereiro de 2006, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação – MEC, que caracteriza e fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Engenharia Agrícola, o perfil de egresso agrega:

Estudar a viabilidade técnica e econômica, planejar, projetar, especificar, supervisionar, coordenar e orientar tecnicamente;

realizar assistência, assessoria e consultoria;

dirigir empresas, executar e fiscalizar serviços técnicos correlatos;

realizar vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e pareceres técnicos;

desempenhar cargo e função técnica;

promover a padronização, mensuração e controle de qualidade;

atuar em atividades docentes no ensino técnico profissional, ensino superior, pesquisa, análise, experimentação, ensaios e divulgação técnica e extensão;

conhecer e compreender os fatores de produção e combiná-los com eficiência técnica e econômica;

aplicar conhecimentos científicos e tecnológicos;

conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;

identificar problemas e propor soluções;

desenvolver, e utilizar novas tecnologias;

gerenciar, operar e manter sistemas e processos;

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;

atuar em equipes multidisciplinares;

avaliar o impacto das atividades profissionais nos contextos social, ambiental e econômico;

conhecer e atuar em mercados do complexo agroindustrial e de agronegócio;

compreender e atuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário;

atuar com espírito empreendedor;

conhecer, interagir e influenciar nos processos decisórios de agentes e instituições, na gestão de políticas setoriais.

Pode-se ainda considerar: Desenvolvimento de condutas e atitudes de respeito, uso racional e sustentável do ambiente, de constante preocupação com a recuperação e/ou conservação dos recursos naturais, de emprego de raciocínio crítico no julgamento de causas e efeitos das ações de Engenharia, com objetivo da promoção da qualidade da vida humana em equilíbrio com o meio ambiente. Compreensão e tradução das necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidade, com relação aos problemas tecnológicos, socioeconômicos, gerenciais e organizativos, bem como utilização racional dos recursos disponíveis, além da conservação do equilíbrio do ambiente; aquisição de capacidade crítica perante o mundo, discutindo valores, crenças, ideologias e costumes; aprimoramento da sua formação sociocultural e ênfase na noção de responsabilidade e solidariedade coletiva. Por isso o egresso será incentivado a atuar no contexto agroecológico, atendendo a agricultura familiar de forma a fortalecer a produção local. Dessa forma, o curso de Engenharia Agrícola e Ambiental deverá formar um profissional com sólida base científica e tecnológica, capacidade crítica e criativa, de forma a lhe permitir resolver problemas da agropecuária, inclusive os de regiões com características do semiárido e cerrado brasileiros. O profissional formado no IFNMG – Campus Araçuaí terá um forte embasamento em vários ramos da engenharia, para aplicação de conhecimentos na solução de problemas da atividade agrícola, em seus múltiplos aspectos, necessidades e desenvolvimento. As principais áreas de conhecimento do curso são: Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental; Construções Rurais e Ambiência; Meio Ambiente e Poluição; Planejamento, Gestão e Ciências Sociais; Agropecuária, Máquinas e Mecanização Agrícola e Energia e Geoprocessamento.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

Tratando-se, ainda, de profissional envolvido com constantes modificações ambientais, produtos e processos advindos do uso de recursos naturais, é imperativo que sejam assimiladas e desenvolvidas pelos futuros profissionais condutas e atitudes de respeito, uso racional e sustentável do ambiente, de constante preocupação com a recuperação e/ou conservação dos recursos naturais, de emprego de raciocínio crítico no julgamento de causas e efeitos das ações de Engenharia, com objetivo da promoção da qualidade da vida humana em equilíbrio com o meio ambiente. Assim sendo, o profissional em Engenharia Agrícola e Ambiental formado no IFNMG – Campus Araçuaí terá como perfil:

sólida formação científica e profissional com plena capacidade de absorver e desen- volver tecnologia para a região semiárida brasileira;

capacidade crítica e criativa na identificação e resolução de problemas que afligem a região semiárida, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambien- tais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da socie- dade da região;

compreensão e tradução das necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidade,

com relação aos problemas tecnológicos, socioeconômicos, gerenciais e organizativos, bem como utilização racional dos recursos disponíveis, além da conservação do equilí- brio do ambiente;

capacidade de adaptação, de modo flexível, crítico e criativo, às novas situações.

6 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR 6.1 Orientações Metodológicas O curso de graduação em Engenharia Agrícola e Ambiental ofertado pelo IFNMG Campus Araçuaí apresenta uma matriz curricular que, cumulativamente, busca atender as características definidas para o perfil do egresso, como também propiciar o desenvolvimento das competências e habilidades nos discentes, agregando para tal uma metodologia que contempla a relação entre a teoria e prática, que capacita, concomitantemente, o profissional a adequar-se às novas situações. A metodologia do curso prevê a abordagem a partir do contexto da realidade regional, nacional e internacional, focados na perspectiva histórica, inter-relacionadas com aspectos

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, utilizando dentre outros instrumentos de mediação, as tecnologias inovadoras. Os conteúdos previstos para a integralização do curso serão distribuídos em três núcleos, conforme estabelecido nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Engenharia Agrícola, sendo: núcleo de conteúdos básicos; núcleo de conteúdos profissionais essenciais; e núcleo de conteúdos profissionais específicos. Conforme as Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos, essa temáti- ca é de extrema relevância para a construção de sociedades que valorizem e desenvolvam condições para garantia da dignidade humana. O documento orienta ainda que a inserção da Educação em Direitos Humanos na Educação Superior deve ser transversalizada em todas as esferas institucionais, abrangendo o ensino, a pesquisa, a extensão e a gestão. No Curso Ba- charelado em Engenharia Agrícola e Ambiental, a Educação em Direitos Humanos será abor- dada de maneira mista, ou seja, combinando transversalidade e disciplinaridade. Desse modo o ensino, pesquisa e extensão alicerçarão a praxis, contemplando as intervenções. A transver- salidade propiciará o trabalho com projetos, aproximando o currículo técnico à formação hu- mana. A disciplina Sociologia Rural, ministrada no 3º Período do curso apresenta em seu ementário aspectos da Educação para os Direitos Humanos, além da abordagem pertinente à Lei 11645/2008, que trata da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena e Lei 9.795/99, que dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental. A História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena e a Política Nacional de Educação Am- biental também serão trabalhadas por meio da transversalidade, instrumentados pela pedago- gia de projetos. O tripé ensino, pesquisa e extensão serão facilitadores das intervenções articu- ladas, que contemplarão as questões locais, regionais, nacionais e globais por meio dos pro- gramas educacionais vigentes.

6.2 Estrutura Curricular do Curso

O curso de Graduação em Engenharia Agrícola e Ambiental do IFNMG Campus Araçuaí, disponibiliza ao discente um conjunto de disciplinas distribuídas gradualmente, com mecanismo vertical de integração, possibilitando a aquisição de conhecimentos progressivos orientados para sua atuação profissional.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

A matriz curricular proposta neste projeto consta de disciplinas obrigatórias básicas e profissionalizantes e de disciplinas optativas, apresentadas a seguir, juntamente à adequação da organização pedagógica ao perfil profissional. O funcionamento da estrutura curricular proposta para o curso de Engenharia Agrícola e Ambiental atende plenamente as Diretrizes Curriculares Nacionais e Leis, Resoluções e Normativas do Sistema CONFEA/CREA’s. O Curso tem uma duração mínima de cinco anos (10 semestres) e máxima de 7 anos e meio (15 semestres), totalizando 3603:20 horas, preenchida também por atividades extraclasse, com 216:40 horas de estágio curricular obrigatório supervisionado, 120:00 horas de Atividades Acadêmico-Científico-Culturais e 200 horas de disciplinas optativas. A integralização curricular ficará vinculada à frequência mínima de 75% nas atividades teóricas, bem como nas práticas, de cada disciplina e ainda em consonância com obtenção da média de pontos necessária para aprovação, prevista no Regulamento dos Cursos de Graduação do IFNMG. As disciplinas são organizadas em períodos, com tempos avaliativos semestrais, possuindo aulas teóricas, práticas de campo e laboratórios, bem como o cumprimento do estágio supervisionado. Na atual estrutura, o acadêmico necessita cursar todas as disciplinas obrigatórias oferecidas para a sua formação profissional, entretanto, há um elenco de disciplinas optativas que complementarão a formação profissional dos acadêmicos. A exigência de carga horária mínima nessas disciplinas optativas para a integralização da carga horária total é de 200 horas. Sempre que necessário serão adotadas estratégias de nivelamento com os alunos que ingressarem no curso de Engenharia Agrícola e Ambiental com dificuldades em conteúdos vinculados às áreas de Cálculo, Química, Física e Língua Portuguesa. Como atividades complementares são oferecidas oportunidades de: monitoria, estágio, congressos, simpósios, encontros científicos, iniciação científica, atividades de extensão e outros eventos, com o objetivo de serem consideradas como um reforço da estrutura básica das disciplinas obrigatórias.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

6.2.1 Matriz curricular do curso

1° PERÍODO

CÓD.

DISCIPLINA

 

CH/A

CH

 

50

m

60

m

ARABCEG001

Introdução

à

Engenharia

Agrícola

e

Ambiental

40

33:20:00

ARABCEG021

Sociologia rural

 

40

33:20:00

ARABCEG003

Cálculo Diferencial e Integral I

 

80

66:40:00

ARABCEG004

Álgebra Linear

 

60

50:00:00

ARABCEG005

Química Geral

 

60

50:00:00

ARABCEG006

Desenho Técnico Assistido por Computador

 

40

33:20:00

ARABCEG007

Botânica

80

66:40:00

TOTAL DE DISCIPLINAS = 7

 

400

333:20:00

2° PERÍODO

COD.

DISCIPLINA

 

CH/A

CH

 

50

m

60

m

 

Gênese,

Constituição,

Propriedades

e

ARABCEG008

Classificação de Solos

 

80

66:40:00

ARABCEG002

Algoritmos

80

66:40:00

ARABCEG009

Cálculo Diferencial e Integral II

 

60

50:00:00

 

Desenho Técnico Assistido por Computador

 

ARABCEG010

Aplicado à Eng. Agrícola

 

40

33:20:00

ARABCEG011

Química Orgânica

 

60

50:00:00

ARABCEG012

Microbiologia Geral

 

60

50:00:00

ARABCEG013

Física I

80

66:40:00

TOTAL DE DISCIPLINAS = 7

 

460

383:20:00

3° PERÍODO

 

CH/A

CH

COD.

DISCIPLINA

 

50 m

 

60 m

ARABCEG016 Física do Solo

 

60

50:00:00

ARABCEG017 Química Analítica

 

80

66:40:00

ARABCEG018 Topografia geral

 

80

66:40:00

ARABCEG019 Ecologia Básica

 

40

33:20:00

ARABCEG020 Cálculo Diferencial e Integral III

 

60

50:00:00

ARABCEG015 Fitotecnia Especial

 

60

50:00:00

ARABCEG022 Física II

 

80

66:40:00

TOTAL DE DISCIPLINAS = 7

 

460

 

383:20:00

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

4° PERÍODO

COD

DISCIPLINA

CH/A

CH

 

50

m

60

m

ARABCEG023

Meteorologia e Climatologia

40

33:20:00

ARABCEG024

Cálculo Numérico

60

50:00:00

ARABCEG025

Física III

60

50:00:00

ARABCEG026

Estatística

60

50:00:00

ARABCEG027

Zootecnia Geral

60

50:00:00

ARABCEG028

Técnicas e materiais de construção rural

60

50:00:00

ARABCEG029

Mecânica

60

50:00:00

ARABCEG014

Metodologia Científica

40

33:20:00

TOTAL DE DISCIPLINAS = 8

440

366:40:00

5° PERÍODO

COD

DISCIPLINA

CH/A

CH

 

50

m

60

m

ARABCEG030

Mecanização agrícola

60

50:00:00

ARABCEG031

Relação Solo-Água-Clima-Planta

40

33:20:00

ARABCEG032

Fenômenos de transporte

60

50:00:00

ARABCEG033

Estatística Experimental

60

50:00:00

ARABCEG034

Resistência de materiais

60

50:00:00

ARABCEG035

Máquinas e Motores

60

50:00:00

ARABCEG036

Cartografia básica

40

33:20:00

TOTAL DE DISCIPLINAS = 7

380

316:40:00

6° PERÍODO

COD

DISCIPLINA

CH/A

CH

 

50

m

60

m

ARABCEG037

Instalações zootécnicas

60

50:00:00

ARABCEG046

Mecânica dos solos

60

50:00:00

ARABCEG039

Hidrologia

60

50:00:00

ARABCEG040

Geoprocessamento e sensoriamento remoto 80

 

66:40:00

ARABCEG041

Propriedades físicas de produtos agrícolas

40

33:20:00

ARABCEG042

Energia na agricultura

40

33:20:00

ARABCEG043

Qualidade do meio físico ambiental

40

33:20:00

ARABCEG044

Hidráulica

60

50:00:00

TOTAL DE DISCIPLINAS = 8

440

366:40:00

7° PERÍODO

COD

DISCIPLINA

CH/A

CH

 

50

m

60

m

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

ARABCEG045

Águas residuárias e efluentes

 

60

50:00:00

ARABCEG047

Manejo e conservação do solo e água

 

60

50:00:00

ARABCEG048

Avaliações e perícias rurais

 

40

33:20:00

ARABCEG038

Irrigação e Drenagem

 

80

66:40:00

ARABCEG050

Obras hidráulicas

 

40

33:20:00

 

Introdução ao processamento de produtos

 

ARABCEG051

de origem animal e vegetal

 

40

33:20:00

-

Optativa I

80

66:40:00

TOTAL DE DISCIPLINAS = 7

 

400

333:20:00

8° PERÍODO

COD

DISCIPLINA

 

CH/A

CH

 

50

m

60

m

ARABCEG052

Eletrônica de comandos e instrumentação

 

40

33:20:00

 

Eletrotécnica básica e Instalações elétricas

 

ARABCEG053

rurais

60

50:00:00

ARABCE066

Prevenção e combate a incêndios

 

20

16:40:00

ARABCEG054

Economia rural

 

40

33:20:00

 

Avaliação

de

impactos

ambientais

e

ARABCEG055

licenciamento ambiental

 

80

66:40:00

 

Tratamento e aproveitamento agrícola de

 

ARABCEG056

resíduos sólidos

 

60

50:00:00

ARABCEG057

Armazenamento e beneficiamento de grãos 80

 

66:40:00

-

Optativa II

 

40

33:20:00

 

TOTAL DE DISCIPLINAS = 8

 

420

350:00:00

9° PERÍODO

COD

DISCIPLINA

 

CH/A

CH

 

50

m

60

m

ARABCEG058

Certificação e auditoria ambiental

 

40

33:20:00

ARABCEG059

Administração rural

 

40

33:20:00

ARABCEG060

Recuperação de áreas degradadas

 

60

50:00:00

ARABCEG061

Trabalho de conclusão de curso – TCC I

 

60

50:00:00

ARABCEG062

Extensão rural

 

40

33:20:00

 

Planejamento

e

Gestão

de

Recursos

 

ARABCEG063

Hídricos

60

50:00:00

-

Optativa III

 

60

50:00:00

 

TOTAL DE DISCIPLINAS = 7

 

360

300:00:00

10° PERÍODO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

 

CH/A

CH

COD

DISCIPLINA

50 m

60 m

ARABCEG064

Planejamento agroambiental integrado

40

33:20:00

ARABCEG065

Trabalho de conclusão de curso – TCC II

60

50:00:00

-

Optativa IV

60

50:00:00

 

TOTAL DE DISCIPLINAS = 3

160

133:20:00

QUADRO RESUMO DA INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR

Item

CH/A(50 min)

CH (60 min)

Total de disciplinas obrigatórias

3680

3066:40:00

Total de disciplinas optativas (obrigatórias)

240

200:00:00

Estágio Curricular Supervisionado

260

216:40:00

Atividades-Acadêmico-Científico-Culturais

144

120:00:00

Carga horária total

4.324

3603:20:00

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

IFNMG – Campus Araçuaí

 

COMPONENTES CURRICULARES

   

PRÉ-REQUISITOS

 

EQUIVALÊNCIAS

 
 

C

CH

 

CH

CH

CH

CH

Per. Código

Denominação

H

hora

Per. Código

 

Denominação

 

h/a

hora

Código

DenominaçãoCurso

h/a

hora

ARABCEG002

Algoritmos

80

66:40:00

-

-

-

-

-

ARATLAS001 Algoritmos

 

80

66:40:00

4º

ARABCEG014

Metodologia Científica

40

33:20:00

-

-

-

-

-

ARATLAS018 Metodologia

Científica

40

33:20:00

2º

ARABCEG009

Cálculo Diferencial e Integral II

60

50:00:00

ARABCEG003

Cálculo Diferencial e Integral I

80

66:40:00

ARABCEG010

Desenho Téc. Ass. por Comp. Aplicado

 

à Engenharia Agrícola

40

33:20:00

ARABCEG006

Desenho Téc. Ass. por Computador 40

33:20:00

ARABCEG011

Química Orgânica

60

50:00:00

ARABCEG005

Química Geral

 

60

50:00:00

ARABCEG015

Fitotecnia Especial

40

33:20:00

ARABCEG007

Botânica

80

66:40:00

       

Gênese, Constituição, Propriedades

           

ARABCEG016

Física do Solo

40

33:20:00

ARABCEG008

e Classificação

 

80

66:40:00

de Solos

ARABCEG017

Química Analítica

80

66:40:00

ARABCEG011

Química Orgânica

 

60

50:00:00

   

Desenho

Téc.

Ass.

por

Comp.

ARABCEG018

Topografia geral

80

66:40:00

ARABCEG010

Aplicado à Engenharia Agrícola 40 33:20:00

 

ARABCEG020

Cálculo Diferencial e Integral III

60

50:00:00

ARABCEG009

Cálculo Diferencial e Integral II

60

50:00:00

ARABCEG029

Mecânica

40

33:20:00

ARABCEG022

Física II

80

66:40:00

ARABCEG030

Mecanização agrícola

60

50:00:00

-

-

-

-

-

ARABCEG031

Relação Solo-Água-Clima-Planta

40

33:20:00

ARABCEG023

Meteorologia e Climatologia

 

40

33:20:00

ARABCEG033

Estatística Experimental

60

50:00:00

ARABCEG026

Estatística

 

60

50:00:00

ARABCEG034

Resistência de materiais

80

66:40:00

ARABCEG029

Mecânica

 

40

33:20:00

ARABCEG035

Máquinas e Motores

60

50:00:00

-

-

-

-

-

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

IFNMG – Campus Araçuaí

               

Zootecnia Geral

60

50:00:00

ARABCEG027

 

ARABCEG037

Instalações zootécnicas

 

60

50:00:00

Técnicas e materiais de construção rural

 
 

ARABCEG028

60

50:00:00

 

Geoprocessamento

e

sensoriamento

 

ARABCEG018

Topografia geral

80

66:40:00

ARABCEG040

remoto

80

66:40:00

ARABCEG023

Meteorologia e Climatologia

40

33:20:00

 

ARABCEG022

Física II

80

66:40:00

ARABCEG046

Mecânica dos solos

 

60

50:00:00

ARABCEG016

Física do Solo

40

33:20:00

ARABCEG047

Manejo e conservação do solo e água

 

60

50:00:00

ARABCEG016

Física do Solo

40

33:20:00

ARABCEG052

Eletrônica de comandos e instrumentação 40

33:20:00

ARABCEG049

Eletrotécnica Básica

40

33:20:00

ARABCEG053

Eletrotécnica básica e instalações elétricas rurais

 

40

33:20:00

ARABCEG025

Física III

60

50:00:00

ARABCEG055

Avaliação

de

impactos

ambientais

e

60

50:00:00

ARABCEG043

Qualidade do meio físico ambiental 40

33:20:00

 

licenciamento ambiental

   

ARABCEG060

Recuperação de áreas degradadas

 

60

50:00:00

ARABCEG019

Ecologia Básica

40

33:20:00

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

6.2.2 Disciplinas Optativas

A carga horária total de Disciplinas Optativas a ser integralizada pelos discentes é de

240h/a.

As disciplinas optativas têm por objetivo:

• Proporcionar aos discentes a possibilidade de construir o seu percurso acadêmico de

acordo com seus interesses, enriquecendo e alargando seu currículo;

• Oportunizar ao discente a vivência teórico-prática de disciplinas específicas que não

estão inseridas na matriz regular. Fica definido que, ao final do semestre letivo que anteceder aquele em que consta a previsão de oferta de disciplinas optativas e de acordo com a disponibilidade do corpo docente, o coordenador do curso submeterá aos estudantes o elenco das disciplinas para deliberação e escolha. A escolha se fará por votação direta dos acadêmicos na disciplina, mediante oferta da Instituição no período da escola, sendo selecionada aquela que alcançar preferência, por maioria simples. A Disciplina Optativa será ofertada a todo o corpo discente, respeitando-se os pré-requisitos, se for o caso. Salienta-se que a qualquer momento, a partir da primeira oferta de Disciplina Optativa, poderão ser disponibilizadas outras opções de matrícula, além daquelas elencadas nos grupos abaixo. As disciplinas sugeridas como optativas não esgotam possibilidades de inclusões na matriz. O elenco de disponibilidade destas disciplinas pode ser ampliado de acordo com a demanda, disponibilidade e dinâmica da evolução dos conhecimentos. Semestralmente o Colegiado do curso, caso necessário, pode convalidar novas disciplinas. Cabe ao Coordenador do Curso manter o Departamento de Ensino e CRA informados sobre a oferta de novas disciplinas, conforme rege o artigo 75 do Regulamento dos Cursos de Graduação do IFNMG.

Disciplinas Optativas:

GRUPO 1 – INFORMÁTICA

DISCIPLINA

CH/A CH

PRÉ-REQUISITO

PRÉ-REQUISITO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

 

50

m

60 m

DISCIPLINA

Banco de dados I

80

66:40:00

Algorítmos

Engenharia de software

80

66:40:00

 

Programação web I

80

66:40:00

Algorítmos

GRUPO 2 – ADMINISTRAÇÃO

DISCIPLINA

CH/A

CH

 

PRÉ-REQUISITO

50

m

60

m

DISCIPLINA

Marketing I

80

66:40:00

 

Empreendedorismo

40

33:20:00

 

Gestão da qualidade

80

66:40:00

 

Gestão do agronegócio

40

33:20:00

Economia rural

Economia brasileira

40

33:20:00

 

Ética e responsabilidade social

40

33:20:00

 

Associativismo e cooperativismo

40

33:20:00

 

Legislação ambiental

60

50:00:00

 

GRUPO 3 – EDIFICAÇÕES E MECANIZAÇÃO DE SISTEMAS AGRÍCOLAS

 

CH/A

CH

PRÉ-REQUISITO

DISCIPLINA

50

m

60

m

DISCIPLINA

Elementos de máquinas

60

50:00:00

 

Estrutura para edificações rurais

80

66:40:00

Mecânica

Controle e automação

60

50:00:00

Instalações elétricas rurais

GRUPO 4 – AVALIAÇÃO E PLANEJAMENTO AMBIENTAL

 

CH/A

CH

PRÉ-REQUISITO

DISCIPLINA

50

m

60

m

DISCIPLINA

Silvicultura

60

50:00:00

Relação Solo-Água-Clima-Plan- ta

 

Técnicas e materiais de

Projetos agropecuários

60

50:00:00

construção rural

Projetos de máquinas agrícolas

80

66:40:00

Máquinas e motores

Projetos de irrigação

60

50:00:00

Irrigação e Topografia

Agricultura de precisão

60

50:00:00

SIG

GRUPO 5 – ESTRATÉGIAS DE CONVIVÊNCIA COM A SECA

DISCIPLINA

CH/A

50

m

CH

60

m

PRÉ-REQUISITO

DISCIPLINA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

Agricultura orgânica

6066:40:00

Relação Solo-Água-Clima-Plan- ta

 

Relação Solo-Água-Clima-

Sistemas de produção agroecológico

8066:40:00

Planta

Desenvolvimento agrícola sustentável

6066:40:00

Sociologia rural

Manejo agroecológico de pequenos e médios animais

8066:40:00

Zootecnia geral

Nutrição animal e forragicultura agroecológica

8066:40:00

Zootecnia geral

Sustentabilidade nos sistemas de produção animal

6066:40:00

Zootecnia geral

Produção de Ruminantes com Bases Agroecológica

8066:40:00

Zootecnia geral

Tecnologia de Convivência com o Semiárido

8066:40:00

 
 

Técnicas e materiais de

Projetos e Instalações Agroecológicas

8066:40:00

construção rural

GRUPO 6 - LINGUAGENS E CÓDIGOS

DISCIPLINA

CH/A

CH

PRÉ-REQUISITO

50

m

60

m

DISCIPLINA

LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) 40

33:20:00

 

Língua portuguesa aplicada Inglês técnico Espanhol instrumental

40

33:20:00

 

40

33:20:00

40

33:20:00

GRUPO 7 - ENFERMAGEM

DISCIPLINA

CH/A

CH

PRÉ-REQUISITO

50

m

60

m

DISCIPLINA

Primeiros socorros para atividades no campo

40

33:20:00

 

Higiene e segurança no trabalho

40

33:20:00

 

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

6.2.3 Representação gráfica da formação (fluxograma)

Núcleo de conteúdos básicos

Núcleo de conteúdos profissionais essenciais

Núcleo de conteúdos profissionais específicos

1º Período CH: 440 Há

2º Período CH: 480 Ha

3º Período CH: 420 Há

4º Período CH: 440 Ha

5º Período CH: 480 Ha

Introdução à Engenharia Agrícola e Ambiental

Gênese, Constituição, Propriedades e Classificação de Solos

 

Meteorologia e

 

Física do Solo

Climatologia

Mecanização agrícola

Sociologia rural

Cálculo Diferencial e Integral II

Química Analítica

Cálculo Numérico

Relação Solo-Água-Clima- Planta

Cálculo Diferencial e Integral I

Desenho Técnico Assistido por Computador Aplicado à Eng. Agrícola.

Topografia geral

Física III

Fenômenos de transporte

Álgebra Linear

Química Orgânica

Ecologia Básica

Estatística

Estatística Experimental

Química Geral

Microbiologia Geral

Cálculo Diferencial e Integral III

Zootecnia Geral

Resistência de materiais

Desenho Técnico Assistido por Computador

Física I

Fitotecnia especial

Técnicas e materiais de construção rural

Máquinas e Motores

Botânica

Algoritmos

Física II

Mecânica

Cartografia básica

 

Metodologia Científica

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

6º Período CH: 400 Há

7º Período CH: 400 Ha

8º Período CH: 320 Ha

9º Período CH: 260 Ha

10º Período CH: 320 Ha

Instalações zootécnicas

Águas residuárias e efluentes

Eletrônica de comandos e instrumentação

 

Certificação e auditoria ambiental

 

Planejamento agroambiental integrado

Mecânica dos solos

Irrigação e drenagem

Eletrotécnica básica e Instalações elétricas rurais

Administração rural

Trabalho de conclusão de curso – TCC II

Hidrologia

Manejo e conservação do solo e água

Economia rural

Recuperação de áreas degradadas

Optativa IV

Geoprocessamento e sensoriamento remoto

 

Avaliação de impactos ambientais e licenciamento ambiental

Trabalho de conclusão de curso – TCC I

 

Propriedades físicas de produtos agrícolas

Avaliações e perícias rurais

Tratamento e aproveitamento agrícola de resíduos sólidos

Extensão rural

   

Armazenamento e beneficiamento de grãos

Planejamento de Gestão de Recursos Hídricos

Energia na agricultura

Obras hidráulicas

Prevenção e combate a incêndios

Qualidade do meio físico ambiental

Introdução ao processamento de produtos de origem animal e vegetal

Optativa II

Optativa III

Hidráulica

Optativa I

 

Atividades-Acadêmico-Ciêntifico-Culturais

 

Estágio Curricular Supervisionado

33

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

6.2.4 Ementário por disciplina:

1º PERÍODO

Disciplina: Introdução à Engenharia Agrícola e Ambiental

N° de aulas semanais: 2

Carga horária:

40h/a

Carga horária: 33:20h

Ementa: O engenheiro Agrícola e Ambiental e suas atribuições. A crise ambiental. O meio ambiente

natural e o rural. Princípios ecológicos. A atmosfera e características gerais. Conceituação de

poluição ambiental. Energia: uso, fontes naturais e alternativas.

 

Bibliografia Básica:

BRAGA. Benedito; IVANILDO Hespanhol; CONEJO, Joao G. Lotufo, et al. Introdução a Engenharia Ambiental. 2ª Ed. Editora: Pearson / Prentice Hall.São Paulo, SP, 2005.

BERNARDO, S.; SOARES, A.A.; MANTOVANI, E.C. Manual de Irrigação. 8.ed. Viçosa:

Imprensa Universitária, 2006. 625p.

 

VON SPERLING, Marcos. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3. ed. – Belo Horizonte: Departamento de engenharia Sanitária e Ambiental; Universidade Federal de Minas Gerais. 2005.

Bibliografia Complementar:

 

ONCHIROLLI, Osmar. Ética e Responsabilidade Social Empresarial. São Paulo: Jurua, 2006.

ROCHA, Julio Cesar. Introdução à Química ambiental. Porto Alegre: Bookman, 2004.

CDEN. Código de ética profissional: da engenharia, da arquitetura, da agronomia, da geologia, da geografia e da meteorologia. Disponível em: http:// www.gerenciamento.ufba.br/Downloads/Código de Ética final_070303.pdf. Acesso em: 03 Ago. 2009.

PRUSKI, Fernando Falco. Conservação de Solo e Água: Fernando Falco Pruski. Viçosa: Ed. UFV, 2006.

Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. Disponível em: http:

<ww.agriambi.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=24&Itemid=11> Acesso em 24 de Abril de 2013.

Disciplina: Sociologia Rural

N° de aulas semanais: 2

Carga horária:

40h/a

Carga horária: 33:20h

Ementa: A sociologia como compreensão do projeto de modernidade; Estrutura fundiária e
Ementa: A sociologia como compreensão do projeto de modernidade; Estrutura fundiária e
Ementa: A sociologia como compreensão do projeto de modernidade; Estrutura fundiária e
Ementa: A sociologia como compreensão do projeto de modernidade; Estrutura fundiária e

Ementa: A sociologia como compreensão do projeto de modernidade; Estrutura fundiária e

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

organização social; Estrutura fundiária e organização social brasileira; Campesinato na sociologia

rural; Representações sociais e políticas do/sobre o mundo rural; Comunidades e povos

tradicionais/instituições sociais e políticas do meio rural; conflitos socioambientais; Conceitos,

filosofia, objetivos e histórico da extensão rural; Novos movimentos sociais – matrizes discursivas

para um novo projeto de sociedade; Relações étnico-raciais: superando o conceito de raça através do

conceito de Etnicidade. Educação em direitos humanos.

 

Bibliografia Básica:

MARTINS, José de Souza. Cativeiro da Terra. São Paulo: Hucitec, 1998.

LALLEMENT, Michel. História das idéias sociológicas. Das origens a Max Weber. Petrópolis:

Vozes, 2005 (Vol.1 e2).

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? 10 Ed. Rio: Paz e Terra, 1988.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio & HUNTLEY, Lynn (orgs.). Tirando a máscara – Ensaios sobre o racismo no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2000. Coletânea de artigos que traz uma visão ampla e plural da questão racial no Brasil.

BRASIL, Governo Federal. Parecer CNE/CP Nº 8/2012; CNE/CP N° 8, de 06/03/2012; Resolução

CNE/CP N° 1, de 30/05/2012. Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos.

DEMO, P. Introdução à sociologia: complexidade, interdisciplinaridade e desigualdade social. 1° edição. 2002. 382p.

Bibliografia Complementar:

SHIVA, Vandana. Monoculturas da Mente. São Paulo: Gaia, 2003.

LITTLE, Paul E. Territórios Sociais e Povos Tradicionais no Brasil. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2004.

LARAIA, Roque. Cultura, um conceito Antropológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

ABRAMOVAY. Ricardo. Paradigmas do capitalismo agrário em questão. 2º Edição. Campinas:

Hucitec/ Editora da Unicamp, São Paulo, 1998.

PRADO, Erly. SAMPAIO, Ivan Barbosa Machado. MODENA, Celina Maria. Extensão Rural: um presente à moda grega? in: Cadernos Técnicos de Veterinária e Zootecnia. n.45, nov. 2004 (p. 5-15).

WEBER, M. Ensaios de Sociologia. 5° edição. 1982. 503p.

Disciplina: Cálculo

N° de aulas semanais: 4

Carga horária:

80h/a

Carga horária: 66:40h

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

Diferencial e Integral I

 

Ementa: Números, Conjuntos e Funções de uma variável real. Limites e Continuidade. Derivadas.

Aplicações das derivadas, máximos e mínimos, construção de gráficos, Regra de L'Hospital.

Bibliografia Básica:

 

STEWART, James. Cálculo I: Tradução da 8ª Edição Norte-Americana. 8 ed. Cengage Learning. São Paulo. 2017

HOFFMANN, L. D. Cálculo: um curso moderno e suas aplicações. 10 ed. Editora LTC. Rio de Ja- neiro. 2010

GUIDORIZZI, Hamilton Luiz. Um Curso de Cálculo. 5 Ed. Editora LTC. Rio de Janeiro. 2001. Vol

1.

Bibliografia Complementar:

 

ÁVILA, G

Cálculo das Funções de uma Variável. 7ª Edição. Editora LTC. Rio de Janeiro. 2011.

Vol1.

EZZI, Gelson et al. Fundamentos de Matemática elementar 8: limites, derivadas, noções de inte- gral. 6ª Edição. Editora Atual. São Paulo. 2005.

SIMMONS, Geroge F. Cálculo com Geometria Analítica: Volume 1. Editora Pearson. São Paulo

1987.

FLEMMING, Diva Marília; GONÇALVES, Mirian Buss. Cálculo A: funções, limite, derivação, in- tegração. 6ª Edição. Editora Pearson Prentice Hall. São Paulo. 2007.

DEMANA, Franklin D. et al. Pré-cálculo. São Paulo: Editora Pearson, 2009. 379 p. Tradução de:

Aldy Fernandes da Silva.

 

Disciplina: Álgebra Linear

N° de aulas semanais: 3

Carga horária:

60h/a

Carga horária: 50:00h

Ementa: Matrizes. Determinantes e matriz inversa. Sistema de equações lineares. Espaços Vetoriais.

Base e dimensão. Transformações lineares. Diagonalização de operadores.

 

Bibliografia Básica:

IEZZI, Gelson. HAZZAN, Samuel. Fundamentos de Matemática Elementar, vol. 4: sequências, matrizes, determinantes, sistemas. – volume 4, 8ª edição. Editora Atual, São Paulo: 2013.

ANTON e HORRES; Álgebra linear com aplicações. Editora Bookman. Edição 10ª Ed. 2008.

BOLDRINI, C.; FIGUEIREDO, W. Álgebra Linear. Edição 3ª Ed. 1986.

 

Bibliografia Complementar:

 

CALLIOLI, C.A.; DOMINGUES, H.H.; COSTA, R.C.F. Álgebra Linear e Aplicações. 7ª edição. Editora: Atual. 2010.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais IFNMG – Campus Araçuaí

DOMINGUES, Hygino H

Álgebra moderna. São Paulo: Atual, 2010.

LIPSCHUTZ, Seymour.; Álgebra Linear, Coleção Schaum. Editora: Makron Books, 3ª ed, 2011.

434p.

CORRÊA, Paulo S. Q.; Álgebra linear e Geometria analítica. Editora: Interciência. Rio de Janeiro.

2006

LAWSON, T. Álgebra linear. 2 ed. São Paulo: Edgard Blucher. 348 p. 1997.

Disciplina: Química Geral

N° de aulas semanais: 3

Carga horária:

60h/a

Carga horária: 50:00h

Ementa: Conceitos e medidas em química. Propriedades periódicas. Ligações químicas. Gases,

sólidos, líquidos e soluções. Cálculos estequiométricos. Cinética e Equilíbrio químico. Equilíbrio

iônico. Equilíbrio de dissociação: ácido-base. Hidrólise de sais. Soluções tampão. Atividades de

Laboratório.

Bibliografia Básica:

MAHAN, B.H., MEYERS, R.J. Química: um curso universitário. São Paulo, Edgard Blucher,

1993.

BRADY, J.E., RUSSEL, J.W., HOLUM J.R. Química: a matéria e suas transformações. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 2003.

RUSSEL, J. Química Geral. Vol. 1. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 1994.

Bibliografia Complementar:

 

MASTERTON, W.L., SLOWINSKI, E.J., STANITSKI, C.L. Princípios de Química. 6 ed. Rio de Janeiro, Editora Guanabara Koogan. 1990. 681 p.

ALMEIDA, P. G. V. Química Geral : Práticas Fundamentais [organizado por] Paulo Gontijo Veloso de Almeida. Viçosa: Editora UFV, 2002.

ATKINS, P., & JONES, L. Princípios de Química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. Porto Alegre, Bookman. 2001. 914 p.

ATKINS, P., JONES, L. Princípios de Química. Porto Alegre: Bookman, 2006.

RUSSEL, J. Química Geral.