Você está na página 1de 40

1

REGRA DE TRÊS SIMPLES E COMPOSTA

ONDE TÊM CAÍDO? VUNESP/FGV/IBFC/FCC/MPE

Grandezas Diretamente Proporcionais

Antes de saber calcular regra de três, é preciso identificar o que é diretamente ou


inversamente proporcional. Na grandeza diretamente proporcional, deve-se sempre
pensar em subir alguma coisa, sendo que o outro lado também tem de subir. Não é
preciso se preocupar com o valor numérico, mas com a grandeza.

Grandezas Inversamente Proporcionais

Trata-se de grandezas inversamente proporcionais quando aumenta um lado e o outro


cai.

OBS: nos exemplos deste curso, o padrão é sempre pensar em subir o primeiro elemento
e observar o que acontece no segundo.
Se com R$ 10,00 é possível comprar 20 pães, ao possuir um valor maior em Reais, a
quantidade de pães também aumentará, portanto são grandezas diretamente
proporcionais. Já se uma pessoa estiver viajando a uma velocidade igual a 100 km/h e
levar 3 horas para ao seu destino, se esse mesmo viajante refazer o mesmo percurso a
uma velocidade maior, o tempo de viagem será menor, logo essas grandezas são
inversamente proporcionais.

ATENÇÃO: OS PASSOS PARA IDENTIFICAR A PROPORCIONALIDADE DAS GRANDEZAS SÃO:


1) Destacar o primeiro elemento;
2) Comparar as grandezas sempre duas a duas.
3) Ligar os números;
Os números que se ligarem ao “x” ficarão no denominador do cálculo.

Como calcular??
Iremos seguir a seguinte regra nas resoluções dos exercícios:
1ª) nas grandezas inversamente proporcionais faremos uma ligação reta, enquanto que
nas grandezas diretamente proporcionais faremos uma ligação em diagonal entre elas.

2
2ª) reorganizaremos os dados extraídos dos exercícios da seguinte forma: na primeira
coluna teremos sempre as grandezas que se referem a pessoas, máquinas etc. Já nas
colunas subsequentes colocaremos as grandezas de tempo sempre mais à direita,
facilitando assim nossa compreensão dos dados.
3ª) faremos sempre simplificações dos cálculos (ver em regras da multiplicação), evite
multiplicar valores.
4ª) os elementos do tipo km/h e h serão sempre inversamente proporcionais.
5ª) quando houver dúvidas sobre como comparar duas grandezas, tente se colocar no
problema.
6ª) quando a grandeza escolhida for o “x”, coloque qualquer valor para poder compará-
lo a outra grandeza.
7ª) esta é uma dica, mas não menos importante que as regras citadas. As bancas de
concurso em geral querem medir a capacidade de raciocínio dos candidatos, e não a
capacidade destes em realizar grandes cálculos, assim, quando se deparar com contas
“cabeludas” tente sempre enxergar os números de outra forma. Como exemplo, o
número 16 pode ser visto como 2 x 8.

EXERCÍCIOS:

1) IBFC/2015: Para realizar um serviço foram necessárias 4 pessoas, trabalhando 6


horas por dia, durante 5 dias. O total de dias necessários para que 3 pessoas
fizessem o mesmo serviço, trabalhando 8 horas por dia, mantendo-se o mesmo
ritmo será?
a) 5
b) 6
c) 7
d) 4

2) AOCP/2016: Quantas horas levará para encher um tanque de 1920 litros sabendo
que a torneira que abastece esse tanque despeja 60 litros a cada 15 minutos?
a) 4 horas
b) 5 horas
c) 6 horas
d) 7 horas
e) 8 horas

3
3) CONSUPLAN/MG/2015: Para varrer dois terços de uma avenida, cinco pessoas
gastam meia hora. Em quanto tempo nove pessoas podem varrer a avenida
inteira?
a) 20 minutos
b) 25 minutos
c) 35 minutos
d) 40 minutos

4) FUMARC/2016: Se o percurso da minha casa até a escola é de 12 Km e realizo


apenas o percurso de casa para escola e da escola para casa 5 vezes na semana,
quanto gasto de combustível por mês de 4 semanas exatas, sabendo que o
consumo do meu veículo é de 10 quilômetros por litro?
a) 48 litros
b) 60 litros
c) 24 litros
d) 42 litros

5) VUNESP/2017: Para imprimir 300 apostilas destinadas a um curso, uma máquina


de fotocópias precisa trabalhar 5 horas por dia durante 4 dias. Por motivos
administrativos, será necessário imprimir 360 apostilas em apenas 3 dias. O
número de horas diárias que essa máquina terá que trabalhar para realizar a
tarefa é?
a) 6
b) 7
c) 8
d) 9
e) 10

4
RAZÃO/PROPORÇÃO/DIVISÃO PROPORCIONAL
ONDE CAI? FCC/AOCP/VUNESP*/FGC

As matérias sobre divisão proporcional estão todas interligadas, já que se baseiam no


mesmo princípio matemático. As questões de concurso que envolvem este tema
demandam um maior conhecimento em equações, sistemas de equações, porcentagens
além das próprias razões e proporções, para serem interpretadas e resolvidas. Mas não
se preocupe, aos poucos vamos nos acostumando com esses conceitos e resolvendo
muitas questões.
Agora você se pergunta: Razão e proporção não são a mesma coisa? E a resposta meu
caro (a), é não. Na linguagem matemática, a escrita das duas são bem semelhantes, mas
não se tratam da mesma coisa. Observe esses exemplos:
FCC/2017: A razão entre as alturas de dois irmãos era 3/4...
O número representado acima, como o próprio exercício traz em seu enunciado é uma
razão.
E a proporção? Fácil, só precisamos calcular duas ou mais razões e verificar se elas nos
dão o mesmo valor. Se por exemplo tivermos 1/2 = 5/10, a constante de
proporcionalidade (você não precisará disso) é igual a 0,5, ou seja, as duas razões são
iguais entre si, e quando isso acontece temos uma proporção. Agora 1/2 = 1/3, o
resultado dessas razões são valores diferentes, logo o sinal de igualdade não deveria
estar representado nessa conta, mas sim o sinal ≠ (diferente) e por conseguinte, não
temos uma proporção.
Mas chega de “lenga lenga” e vamos para a prática. Voltemos ao exemplo da FCC.

6) FCC/2017: A razão entre as alturas de dois irmãos era 3/4, e nessa ocasião, a
altura do irmão mais alto era 1,40 m. Hoje, esse irmão cresceu mais 10 cm. Para
que a razão entre a altura do irmão mais baixo e a altura do irmão mais alto seja
hoje, igual a 4/5, é necessário que o irmão mais baixo tenha crescido nesse
tempo, o equivalente a
a) 13,5 cm
b) 10,0 cm
c) 12,5 cm
d) 14,8 cm
e) 15,0 cm

7) INSTITUTO AOCP/2017: Um senhor aposentado é pai de cinco filhos, sendo que


o mais velho é considerado o 1º filho e o mais novo o último. O pai recebeu sua
aposentadoria no valor de R$ 3.240,00 e resolveu dar uma parte desse valor para
cada um dos filhos da seguinte forma: 1/10 do valor da aposentadoria ao 1º filho,

5
1/3 do valor do 1º filho ao 2º, 1/3 do valor do 2º ao 3ºfilho, 1/3 do valor do 3º
filho ao 4º, 1/4 do valor do 4º filho ao último. Após os cinco filhos receberem os
respectivos valores, o aposentado contabilizou o valor que sobrará de sua
aposentadoria. Qual é esse valor?
a) R$ 3016,00
b) R$ 3000,00
c) R$ 2903,00
d) R$ 2757,00
e) R$ 2356,00

8) FGV/2017: A quantia de 900 mil reais deve ser dividida em partes proporcionais
aos números 4, 5 e 6. A menor dessas partes corresponde a:
a) 210 mil reais
b) 240 mil reais
c) 270 mil reais
d) 300 mil reais
e) 360 mil reais

9) VUNESP/2017: O transporte de 1980 caixas iguais foi totalmente repartido entre


dois veículos, A e B, na razão direta das suas respectivas capacidades de carga,
em toneladas. Sabe-se que A tem capacidade para transportar 2,2 t, enquanto B
tem capacidade para transportar somente 1,8 t.
Nessas condições, é correto afirmar que a diferença entre o número de caixas
carregadas em A e o número de caixas carregadas em B foi igual a
a) 304
b) 286
c) 224
d) 216
e) 198

10) CAIP-IMES/2015: Uma empresa gastou certa quantia no pagamento de horas


extras em propaganda e em cursos de aperfeiçoamento para seus funcionários,
dividida em partes inversamente proporcional a 3, 4 e 5 nessa ordem. Para
propaganda foram gastos R$ 14.250,00. A verba gasta com o pagamento de
horas extras foi de:
a) R$ 18050,00
b) R$ 17900,00
c) R$ 19000,00
d) R$ 19450,00

6
EQUAÇÕES DO PRIMEIRO E DO SEGUNDO GRAU

Finalmente chegamos no assunto que é temido por muitos candidatos, as equações.


Mas calma, não estamos aqui para nos assustar com essas coisas, mas sim para superar
nossos medos e domina-lo, para que resolvamos os nossos problemas do dia-dia.
Logo de cara quero te falar o seguinte: as equações estarão SEMPRE PRESENTES em
qualquer prova de concurso que cobre matemática. E o porquê disso? Simples, é
impossível a resolução de várias questões sem a aplicação dessas benditas equações.
Exemplificando: Imagine que após sua aprovação no tão sonhado concurso, você
consiga poupar dinheiro suficiente para comprar um terreno. Ao perguntar sobre as
características do terreno, o dono deste lhe fala: O perímetro do terreno é igual a 80
metros e ele tem formato retangular e a área dele é igual a 300 m². Sem dizer mais nada,
já somos capazes de calcular quais as medidas desse terreno certo? E tem mais. Vamos
dizer qual é a razão do lado maior para o lado menor. Quer ver? RESOLVIDO EM SALA.

Antes de resolvermos questões de concurso, teremos que lembrar a estrutura das


equações do primeiro e do segundo grau.

Equações do primeiro grau: 𝒂𝒙 + 𝒃 = 𝒄

São chamadas do primeiro grau porque o expoente que está elevando o valor de x é
igual a 1. Não entendeu? Observe aquela equação escrita da seguinte forma: 𝑎𝑥1 + 𝑏 =
𝑐. Aquele número 1 que está sobrescrito em x é chamado de expoente, e sua função é
repetir o número (neste caso x) tantas vezes forem necessárias. No nosso exemplo,
como o expoente é um, não multiplicamos o x, mas sim o repetimos (regra da
potenciação). Você perceberá melhor o papel do expoente nas equações do segundo
grau.
Para descobrirmos o valor de x devemos deixar tudo o que tem x de um lado da
igualdade (normalmente o lado esquerdo) e tudo o que não tem x do outro lado
(normalmente do lado direito). Quando realizamos essas trocas de lado, devemos
inverter o sinal da nossa operação. Observe:
EXEMPLO 1:
2𝑥 + 5 = 13
2𝑥 = 13 − 5
2𝑥 = 8

7
8
𝑥=
2
𝑥=4
EXEMPLO 2: (−𝑥 + 2)(3) = (−𝑥 − 1)(2)

−3𝑥 + 6 = −2𝑥 − 2
−3𝑥 + 2𝑥 = −2 − 6
−𝑥 = −8
𝑥=8

Fácil não? Vamos agora para as equações do segundo grau.

EQUAÇÕES DO SEGUNDO GRAU:


𝒂𝒙𝟐 + 𝒃𝒙 + 𝒄 = 𝟎

𝚫 = 𝐛𝟐 − 𝟒(𝐚)(𝐜)

−𝐛 ± √𝐛 𝟐 − 𝟒𝐚𝐜
𝐱=
𝟐𝐚

Ufa! São essas as fórmulas básicas para a resolução das equações do segundo grau.
Lembra do nosso expoente na equação do primeiro grau? Veja que aqui ele passou de
1 para 2 (temos pelo menos um x que está escrito na forma x²), e isso quer dizer que o
x que está acompanhando o “número a” está multiplicado por ele mesmo. Ficou
confuso? Então será importante que você revise as propriedades da potenciação. Vou
ainda sim reescrever esta equação da seguinte forma: 𝑎(𝑥)(𝑥) + 𝑏𝑥 + 𝑐 = 0. Como o x
está aparecendo duas vezes ao lado de a, podemos “juntá-los elevando ao expoente que
será igual ao número de vezes em que x apareceu na multiplicação, ou seja, duas vezes.
Assim, reescrevemos da forma x²”.
Uma outra informação importante é que as equações do segundo grau sempre nos
fornecerá duas respostas, chamadas de x’ e x”. Em alguns casos, x’ = x” (veremos mais
adiante). Vamos fixar esses conceitos com alguns exemplos:

EXEMPLO 3: 2𝑥 2 + 3𝑥 = −1
2𝑥 2 + 3𝑥 + 1 = 0
𝛥 = (3)2 − 4(2)(1)
8
𝛥=9−8
𝛥=1

−3 + √1 −3 + 1 −2 −1
𝑥′ = = = =
(2)(2) 4 4 2

−3 − √1 −3 − 1 −4
𝑥" = = = = −1
(2)(2) 4 4

EXEMPLO 4:
4𝑥 2 + 80𝑥 + 400 = 0
𝑥 2 + 20𝑥 + 100 = 0
𝛥 = (20)2 − 4(1)(100)
𝛥 = 400 − 400 = 0
−20
𝑥 ′ = 𝑥" = = −10
2

EXEMPLO 5: Resolução por soma e produto:


Existe uma maneira mais simplificada para encontrar as raízes das equações do segundo
grau, o chamado método da soma e do produto. Mas para isso teremos que conhecer
suas respectivas fórmulas. Segue:
−𝑏
Soma das raízes: 𝑆=
𝑎

𝑐
Produto das raízes: 𝑃 =
𝑎

𝑥 2 + 9𝑥 + 14 = 0
Sabemos pelo formulário acima que a soma de x’ com x” é igual a -9 e o produto de
(x’)(x”) = 14.
Vamos pensar o seguinte agora: Quais são os números que somados é igual a -9 e
multiplicados é igual a 14? Fácil, teremos como resposta os números -2 e -7 (Confira!),
e assim, encontramos as raízes de nossa equação.
CUIDADO: Utilize esse método caso os valores de S e P não sejam fracionários (um sobre
o outro), já que, encontrar esses valores mentalmente se torna uma tarefa árdua.

9
COORDENADAS DO VÉRTICE DA PARÁBOLA:

As equações são ferramentas necessárias para o entendimento das funções. Uma


função do segundo grau é do tipo 𝑓(𝑥) = 𝑎𝑥 2 + 𝑏𝑥 + 𝑐. No referencial cartesiano
(figura mais abaixo) o gráfico de uma função do segundo grau é chamado de parábola.
Veja as figuras:

10
O coeficiente a da função altera a concavidade do seu gráfico. Quando a é positivo, ou
seja, a>0, a concavidade do gráfico é para cima, e a função apresenta um valor mínimo
absoluto. Agora, quando o coeficiente a é negativo, ou seja, a<0, a concavidade do
gráfico é voltada para baixo, assim, essa função terá um máximo absoluto. Agora, como
determinar as coordenadas desses valores? Seguem mais duas fórmulas para nosso
arcabouço:
−𝑏
𝑋𝑣 =
2𝑎
𝛥
𝑌𝑣 = −
4𝑎
As fórmulas apresentadas representam a coordenada do vértice da parábola (local mais
alto ou mais baixo do gráfico). É de fundamental importância o conhecimento dessa
coordenada para a resolução de problemas frequentes em concursos. Vamos ao
exemplo de fixação.
EXEMPLO 6: Uma empresa de brinquedos tem o custo em reais de sua produção dada
pela função 𝐶 = 𝑥 2 − 80𝑥 + 3000. Determine a quantidade de unidades produzidas
para que o custo seja mínimo e o valor mínimo do custo.
SOLUÇÃO: Como a função do segundo grau tem o coeficiente a positivo (a = 1>0), a
concavidade da parábola é voltada para cima e o vértice dessa parábola representa o
valor mínimo absoluto. Logo, para sabermos qual é esse valor, devemos determinar as
coordenadas do vértice. Segue:

−(−80) 80
𝑋𝑣 = = = 40
2(1) 2
40 é a quantidade mínima de brinquedos para a obtenção de um lucro mínimo.
Substituindo Xv em C, ficamos:

𝐶 = 402 − 80(40) + 3000


𝐶 = 1600 − 3200 + 3000
𝐶 = 1400
R$ 1400 é o valor desse lucro.
Poderíamos também encontrar o valor 1400 pela fórmula Yv. Treine em casa!

11
11) IBFC/2017: A soma das coordenadas do vértice da parábola da função f(x) = – x2
+ 8x – 12 é igual a:
a) 4
b) 6
c) 8
d) 10

12) VUNESP/2017: A soma de x com 10 está para 3, assim como a diferença entre 15
e x está para 2. O valor de x é
a) 4
b) 5
c) 6
d) 7
e) 10

13) CESGRANRIO/2014: Dentro de uma gaveta há garfos, facas e colheres,


totalizando 48 talheres. A soma das quantidades de garfos e de facas
corresponde ao dobro da quantidade de colheres. Se fossem colocadas mais 6
facas dentro dessa gaveta, e nenhuma colher fosse retirada, a quantidade de
facas se igualaria à de colheres.

Quantos garfos há nessa gaveta?


a) 10
b) 12
c) 16
d) 20
e) 22

14) OBJETIVA/2015: A soma das raízes da equação (x - 2)(x + 2) = 0 é:


a) 3
b) 2
c) 1
d) 0

12
15) PREFEITURA DE BETIM/2015: O(s) valor(es) de m para que a equação x2+mx+3=0
tenha apenas uma raiz real é(são):
a) 0
b) +/- 4
c) 12
d) +/- 2√3

16) IDECAN/2015: Um retângulo cuja área é dada pela expressão x² + 3x ‒ 10 tem


comprimento igual a x + 5. A expressão que representa o perímetro desse
retângulo é:
a) 3x + 8
b) 4 x + 6
c) 5x + 2
d) 6x + a

17) CESPE/2016: Em determinado dia, a quantidade Q de serviços administrativos


demandados por usuários de determinado departamento da UnB, às t horas,
pôde ser modelada pela função quadrática Q(t) = at2 + bt + c, em que a, b e c são
constantes reais e a ≠ 0. Nesse departamento, o expediente inicia-se às 8 horas
da manhã e, nesse dia, a demanda máxima ocorreu às 11 horas da manhã, com
o atendimento de Qmáx = 54 usuários. Com referência a esse modelo, julgue o
próximo item.
Segundo o modelo apresentado, se, nesse dia, no início do expediente, havia a demanda

de usuários por quatro serviços administrativos, então


( ) Certo ( ) Errado

Na situação apresentada, o coeficiente a é, necessariamente, negativo.


( ) Certo ( ) Errado

13
MÍNIMO MÚLTIPLO COMUM E MÁXIMO DIVISOR COMUM
ONDE CAI? VUNESP/IBFC/UNISUL/INSTITUTO EXCELÊNCIA

O M.M.C:

O termo múltiplo na matemática significa o resultado de uma multiplicação. Duas vezes


um é igual a dois, logo o resultado (2) é um múltiplo dos números da operação. Cinco
vezes quatro é igual a 20 e esse resultado é o múltiplo da operação. Uma outra forma
de entendermos o que são múltiplos é decorar a tabuada. Os resultados das tabuadas
são os múltiplos das operações. Entretanto em alguns casos é interessante que
saibamos qual é o Mínimo Múltiplo Comum entre dois ou mais números. Para
entendermos, vamos observar a tabuada da multiplicação do número dois e do número
3.
M (2) = 2, 4, 6, 8, 10, 12, 14, 16, 18, 20, 22...
M (3) = 3, 6, 9, 12, 15, 18, 21, 24, 27, 30, 33...
Entre esses dois números (2 e 3) existem vários múltiplos repetidos. Na sequência acima
vemos que 6,12,18... são os múltiplos repetidos nas duas sequências. Entre esses
últimos, o menor é o número 6. Assim afirmamos que 6 é o M.M.C entre 2 e 3. Fácil não?
Mas e se quisermos saber por exemplo, qual o M.M.C entre 25 e 72? Ninguém tem
decorado as tabuadas desses números e com certeza o M.M.C entre eles é um número
muito grande. Para sairmos dessa sinuca de bico, vamos fatorar ao mesmo tempo esses
números em números primos (lembram-se deles?). Para quem não lembra o que é um
número primo, é aquele algarismo que apenas pode ser dividido por 1 e ele mesmo. O
número 17 é um número primo porque só pode ser dividido por 1, que tem como
resposta 17 e dividido por 17 que tem como resposta o número 1. Entendido isso, vamos
entender como funciona a fatoração.

EXEMPLO 1: MMC (25,72)

25 72 2
25 36 2
25 18 2
25 9 3
25 3 3
25 1 5
5 1 5
1 1 1

14
Da última coluna tiramos os fatores primos e resolvemos a multiplicação entre eles:

𝑀. 𝑀. 𝐶 (25,72) = 23 × 32 × 52 = 1800
Perceberam o detalhe da última coluna? A fatoração em números primos começa
sempre pelo menor número primo que divide ao menos um dos números desejados.
Então devemos conhecer as regras de divisibilidade dos números para saber por qual
fator primo devemos iniciar nossa fatoração.
No exemplo dado, começamos pelo primo 2 por que todo número par é divisível por 2
e essa condição se repetiu até a linha 3. Nas linhas 4 e 5 dividimos pelo fator primo 3,
por que 36 é um número divisível por 3. Como sei isso? Por que a soma dos algarismos
que formam o 36 é um múltiplo de 3 (3+6=9). Já nas duas últimas linhas, dividimos pelo
fator primo 5 por que 25 é um número divisível por 5. Todo número é divisível por 5
quando for terminado por 5 ou por 0. Essas regras de divisibilidade são as mais
importantes e, portanto, devem estar na ponta da língua.
Em provas de concurso, identificamos a utilização do M.M.C quando encontramos o
seguinte tipo de questão:

18) IDHTEC/2016: Um ciclista consegue fazer um percurso em 12 min, enquanto


outro faz o mesmo percurso em 15 min. Considerando que o percurso é circular
e que os ciclistas partem ao mesmo tempo do mesmo local, após quanto tempo
eles se encontrarão?
a) 15 min
b) 30 min
c) 1 hora
d) 1,5 hora
e) 2 horas
Os termos destacados são importantíssimos para o M.M.C. Nas questões que tratam de
encontro num ponto futuro, em algum momento essas pessoas ou coisas devem ter
partido do mesmo lugar ao mesmo tempo. A partir daí podemos fazer a questão da
seguinte forma:

M.M.C (15,12)
15 12 2
15 6 2
15 3 3
5 1 5
2
1 1 2 × 3 × 5 = 60

60 minutos é o resultado. Assim, marcamos a opção C (Transformando minutos em


hora).

15
O M.D.C:

O chamado máximo divisor comum nos remete aos nomes dos elementos de uma
divisão. Quando escrevemos 15/3 = 5, o 15 é o chamado dividendo, 3 é chamado de
divisor e 5 será o meu quociente. Não está representado nesse exemplo, mas ainda
teríamos o resto que é 0.
Assim, o MDC entre dois números será o maior divisor que existe entre eles. Para
encontrarmos esse valor, procederemos de modo semelhante ao MMC, porém faremos
com os números separados.
Vamos calcular o MDC entre 36 e 90.

FATORAÇÃO EM NÚMEROS
PRIMOS DO 36
36 2
18 2
9 3
3 3
1 2² × 3²

FATORAÇÃO EM NÚMEROS
PRIMOS DO 90
90 2
45 3
15 3
5 5
1 2 × 3² × 5

Agora, pegaremos os fatores primos que se repetirão nas duas tabelas (será destacado
de vermelho) e multiplicamos para obtermos o MDC.
𝑀. 𝐷. 𝐶 (36,90) = 2 × 32 = 18
Entretanto, a maneira mais utilizada para calcular o MDC é fatorando os dois números
ao mesmo tempo, mas CUIDADO, a divisão pelo fator primo deve acontecer ao mesmo
tempo nos dois números. Vamos calcular o mesmo MDC anterior para que entendam:

MDC (90,36)
90 36 2
45 18 3
15 9 3
5 3 2 × 32 = 18

16
O menor fator primo que divide o 90 E o 36 ao mesmo tempo é o 2 (linha 1). Depois o
menor fator primo que divide 45 e 18 ao mesmo tempo é o 3 (linha 2). O mesmo
acontece na linha 3. A linha 4 não é fatorada porque não existe um número primo que
divida AO MESMO TEMPO os números 5 e 3. Multiplique os fatores encontrados e está
aí o MDC.
Como o MDC cai nas provas de concurso? Os termos mais utilizados nas questões que
identificam o uso do MDC são:

 Mesma quantidade
 Maior ou menor comprimento
 Mesmo tamanho
 Dividir em grupos
 Máximo de pessoas no grupo
 Mínimo de pessoas no grupo

19) VUNESP/2017: No depósito de uma loja de doces, há uma caixa contendo n


bombons. Para serem vendidos, devem ser repartidos em pacotes iguais, todos
com a mesma quantidade de bombons. Com os bombons dessa caixa, podem ser
feitos pacotes com 5, ou com 6, ou com 7 unidades cada um, e, nesses casos,
não faltará nem sobrará nenhum bombom. Nessas condições, o menor valor que
pode ser atribuído a n é
a) 280
b) 265
c) 245
d) 230
e) 210

20) IBFC/2017: Considerando A o MDC (maior divisor comum) entre os números 24


e 60 e B o MMC (menor múltiplo comum) entre os números 12 e 20, então o
valor de 2A + 3B é igual a:
a) 72
b) 156
c) 144
d) 204

17
21) IBFC/2017: Um marceneiro possui duas barras de ferro, uma com 1,40 metros de
comprimento e outra com 2,45 metros de comprimento. Ele pretende cortá-las
em barras de tamanhos iguais, de modo que cada pedaço tenha a maior medida
possível. Nessas circunstâncias, o total de pedaços que o marceneiro irá cortar,
utilizando as duas de ferro, é:
a) 9
b) 11
c) 12
d) 13

22) UNISUL/2016: Gabriela, em consulta médica foi diagnosticada com uma rara
doença e, de forma cautelar foi necessário a inserção do uso contínuo de três
medicamentos, sendo um deles de 4 em 4 horas, outro de 6 em 6 horas e, ainda
outro de 10 em 10 horas. Desta forma, sabendo que Gabriela ingeriu os três
medicamentos juntos na quarta – feira às 10h 30min, é correto afirmar que o dia
e o horário em que ela tomará os três medicamentos juntos novamente será:
a) Quinta às 15
b) Sábado às 17:30
c) Segunda às 10:30
d) Sexta às 22:30
e) Domingo às 20:15

23) VUNESP/2016: Pretende-se dividir um grupo de 216 pessoas, sendo 126 com
formação na área de exatas e 90 com formação na área de humanas, em grupos
menores contendo, obrigatoriamente, elementos de cada uma dessas áreas, de
modo que: (1) o número de grupos seja o maior possível; (2) cada grupo tenha o
mesmo número x de pessoas com formação na área de exatas e o mesmo
número y de pessoas com formação na área de humanas; e (3) cada uma das 216
pessoas participe de um único grupo. Nessas condições, e sabendo-se que no
grupo não há pessoa com ambas as formações, é correto afirmar que, em cada
novo grupo, a diferença entre os números de pessoas com formação em exatas
e em humanas, nessa ordem, será igual a
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
e) 5

18
24) VUNESP/2016: Um total de 100 crianças, sendo 40 meninos e as demais meninas,
será dividido em grupos, todos com o mesmo número total de crianças e
compostos por um número mínimo de meninos e um número mínimo de
meninas, de modo que cada uma das 100 crianças participe apenas de um grupo.
Dessa forma, o número total de grupos que será formado é
a) 4 e) 25
b) 5
c) 10
d) 20

PORCENTAGEM E OPERAÇÕES COM NÚMEROS REAIS

Abrindo mais um tópico de nosso curso, trataremos agora de dois assuntos que também
andam lado a lado: a porcentagem (%) e as operações com os números reais. Números
reais são todos os números que existem, simples assim. Vejam como exemplo, o número
3
5/34 (lê-se cinco trinta e quatro avos). O número √13 é também um número real. E
porque porcentagem entra nesse mesmo balaio? O símbolo % que causa arrepio em
muita gente, nada mais é que um número fracionário de valor 1/100 ou 0,01 em valor
decimal. Logo, quando resolvemos questões sobre porcentagem, estamos resolvendo
operações com os números reais (seja em fração ou decimal).

VEJAMOS UM EXEMPLO: A Conthexto fará um sorteio de 20% de desconto para quem se


matricular no curso de legislação no próximo mês. Sabendo que o curso custa R$ 480,00,
qual será o valor do desconto dado?

SOLUÇÃO: 20% de alguma coisa significa que vamos fazer o seguinte cálculo:
20
× (𝑑𝑒)𝑎𝑙𝑔𝑢𝑚𝑎 𝑐𝑜𝑖𝑠𝑎
100
A nossa alguma coisa, neste exemplo é o valor do curso. Logo:
20
× 480 = 0,2 × 480 = 96 𝑅𝑒𝑎𝑖𝑠 𝑑𝑒 𝑑𝑒𝑠𝑐𝑜𝑛𝑡𝑜.
100

OUTRO EXEMPLO: Uma loja vende uma peça de roupa por R$ 100,00. No final do ano,
visando maior venda, o gerente desta loja resolveu conceder um desconto de 5% no
valor desta peça para pagamentos realizados a vista e em dinheiro. Ao fim dos dias
festivos, o gerente resolveu acrescer em 10% o valor da peça (quando esta ainda estava
com desconto). Se uma pessoa ganha R$ 1000,00 por mês, qual a porcentagem do
salário gasto no momento do desconto e depois do acréscimo do valor da peça, para
realizar tal compra?

19
5
5% 𝑑𝑒 100 = × 100 = 0,05 × 100 = 5 𝑟𝑒𝑎𝑖𝑠.
100
100 𝑟𝑒𝑎𝑖𝑠 − 5 𝑟𝑒𝑎𝑖𝑠 = 95 𝑟𝑒𝑎𝑖𝑠.
95
= 0,095 = 9,5% 𝑑𝑜 𝑠𝑎𝑙á𝑟𝑖𝑜 𝑔𝑎𝑠𝑡𝑜.
1000
10
95 + × 95 = 𝑅$104,50 (𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑎𝑝ó𝑠 𝑜 𝑎𝑐𝑟é𝑠𝑐𝑖𝑚𝑜).
100
104,50
= 0,1045 = 10,45% 𝑑𝑜 𝑠𝑎𝑙á𝑟𝑖𝑜 𝑔𝑎𝑠𝑡𝑜.
1000

MAIS UM EXEMPLO: Quanto é 50% de 50%?


50 50 2500
× = = 0,25 𝑜𝑢 25%
100 100 10000

25) FCC/2017: A equipe de segurança de um Tribunal conseguia resolver


mensalmente cerca de 35% das ocorrências de dano ao patrimônio nas cercanias
desse prédio, identificando os criminosos e os encaminhando às autoridades
competentes. Após uma reestruturação dos procedimentos de segurança, a
mesma equipe conseguiu aumentar o percentual de resolução mensal de
ocorrências desse tipo de crime para cerca de 63%. De acordo com esses dados,
com tal reestruturação, a equipe de segurança aumentou sua eficácia no
combate ao dano ao patrimônio em
a) 35%
b) 28%
c) 63%
d) 41%
e) 80%

26) MPE-GO/2017: No tanque de combustível de um automóvel flex existem 30 litros


de gasolina. Sabe-se que cada litro de gasolina contém 20% de etanol. Para que
a mistura no tanque contenha exatamente 50% de gasolina e 50% de etanol,
quantos litros de etanol deve-se acrescentar ao tanque?
a) 30
b) 24
c) 18
d) 36
e) 6

20
27) FGV/2017: Em uma escola, foi feita uma pesquisa entre os alunos, para saber
quantos irmãos cada um deles tinha. A quantidade de alunos com o mesmo
número de irmãos está representada no gráfico de setores a seguir.

No gráfico, a quantidade de alunos que não possui irmão está representada pelo setor
0 ; a quantidade de alunos que possui apenas um irmão está representada pelo setor 1,
e assim por diante.

O ângulo central do setor 2 tem 108° . Isto significa que a porcentagem dos alunos dessa
escola que possui dois irmãos é de
a) 30%
b) 36%
c) 40%
d) 45%
e) 50%

28) VUNESP/2017: A tabela seguinte, incompleta, mostra a distribuição, percentual


e quantitativa, da frota de uma empresa de ônibus urbanos, de acordo com o
tempo de uso destes.

21
O número total de ônibus dessa empresa é:
a) 270
b) 250
c) 220
d) 180
e) 120

29) FUNDEP/2017: Veja, a seguir, a oferta da loja Magazine Bom Preço:


Aproveite a Promoção!
Forno Micro-ondas
De R$ 720,00
Por apenas R$ 504,00
Nessa oferta, o desconto é de:
a) 70%
b) 50%
c) 30%
d) 10%

30) IBFC/2017: Assinale a alternativa correta. Um comerciante concedeu desconto


de 20% sobre o preço total de um produto, porém sobre o novo preço concedeu
outro desconto de 10%. Nessas condições, a taxa percentual de desconto
concedida pelo comerciante sobre o preço total do produto foi de:
a) 30%
b) 35%
c) 28%
d) 72%
e) 24%

Juros Simples

Dentro do assunto porcentagem podemos ainda encontrar algumas questões que


contemplam Juros (que podem ser simples ou composto). Para resolvermos este tipo de
questão, devemos saber duas fórmulas. São elas:

𝐽. 𝑆 = 𝐶 × 𝑖 × 𝑡
𝑀 =𝐶+𝐽
Onde: C = Capital; i = taxa; t = tempo e M = montante.
IMPORTANTE: taxa (i) e tempo (t) devem sempre estar na mesma unidade!

22
31) VUNESP/2017: Um capital foi aplicado a juros simples, com taxa de 9% ao ano,
durante 4 meses. Após esse período, o montante (capital + juros) resgatado foi
de R$ 2.018,80. O capital aplicado era de
a) R$ 2012,20
b) R$ 2000,00
c) R$ 1980,00
d) R$ 1970,40
e) R$ 1960,00

32) IBFC/2017: Carlos tem uma dívida no valor de R$ 2.300,00 e pretende antecipá-
la 45 dias antes do vencimento. Se a taxa de desconto simples é de 6% ao mês,
então o valor que Carlos pagará pela dívida é de:
a) R$ 2093,00
b) R$ 2507,00
c) R$ 2162,00
d) R$ 2127,50

23
TABELAS E GRÁFICOS:

Tabelas e gráficos são ferramentas de recorrência para a elaboração de exercícios –


principalmente nos conteúdos de Geografia e Atualidades. A interpretação dos dados
tragos nestas ferramentas é de fundamental importância para a resolução correta dos
exercícios. Vejamos os principais tipos que aparecem em provas de concurso.

33) IADES/2017:

A imagem apresentada mostra os valores cobrados pelos Correios, em 27/10/2016, por


cinco tipos de embalagens. Os dados apresentados mostram que o valor cobrado não é
diretamente proporcional ao volume de cada caixa.

Considerando-se justo o valor cobrado pela caixa CE-04, qual deveria ser o valor da caixa
CE-07, em reais, arredondado para centavos, de modo que o valor pago seja
proporcional ao volume?

a) 1,60
b) 6,95
c) 5,20
d) 6,20
e) 3,20

24
34) FCC/2017: As expressões numéricas abaixo apresentam resultados que seguem
um padrão específico:

1ª expressão: 1 x 9 + 2
2ª expressão: 12 x 9 + 3
3ª expressão: 123 x 9 + 4
...
7ª expressão: █ x 9 + ▲

Seguindo esse padrão e colocando os números adequados no lugar dos símbolos █ e ▲,


o resultado da 7ª expressão será

a) 1 111 111
b) 11 111
c) 1 111
d) 111 111
e) 11 111 111

35) VUNESP/2017: Em uma prova de um processo seletivo, os candidatos podiam


obter apenas um de três conceitos possíveis, A, B ou C. O gráfico mostra a
distribuição desses conceitos entre os homens e as mulheres que realizaram essa
prova.

25
Em relação aos candidatos que fizeram essa prova, é correto afirmar, de acordo com os
dados do gráfico, que o número
a) De mulheres corresponde a 70% do total de candidatos;
b) De homens corresponde a 50% do total de candidatos;
c) De mulheres é 70% maior que o de homens;
d) De homens é 50% menor que o de mulheres;
e) De homens que obtiveram o conceito B corresponde a 20% do total de
candidatos.

36) FAURGS/2017: Na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua,


realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram obtidos
os dados da taxa de desocupação da população em idade para trabalhar. Esses
dados, em porcentagem, encontram-se indicados na apresentação gráfica
abaixo, ao longo de trimestres de 2014 a 2017.

Dentre as alternativas abaixo, assinale a que apresenta a melhor aproximação para o


aumento percentual da taxa de desocupação do primeiro trimestre de 2017 em relação
à taxa de desocupação do primeiro trimestre de 2014.
a) 15%
b) 25%
c) 50%
d) 75%
e) 90%

26
37) FGV/2017: O gráfico a seguir mostra a evolução das taxas de analfabetismo
desde o ano de 1900 até o que se espera em 2020.
Observando o gráfico, analise as afirmativas a seguir:

I – A partir de 1950 a taxa já é menor que 60%.


II – As taxas entre 40% e 30% ocorreram entre os anos 1960 e 1980.
III – Estima-se que a taxa em 2020 seja a metade da taxa em 1990.
Está correto o que se afirma em:
a) Somente em I
b) Somente em I e II
c) Somente em I e III
d) Somente em II e III
e) I, II e III

GABARITO

1. a 7. d 13. e 19. e 25. e 31. e 37. e


2. e 8. b 14. d 20. d 26. c 32. a
3. b 9. e 15. d 21. b 27. a 33. e
4. a 10. c 16. b 22. d 28. d 34. e
5. c 11. c 17. e/c 23. b 29. c 35. e
6. e 12.b 18. c 24. d 30. c 36. e

27
OPERAÇÕES COM CONJUNTOS

As operações com conjuntos são comuns em provas de concurso que no seu edital
trazem apenas a disciplina de raciocínio logico em seu edital. Então fique ligado,
apareceu raciocínio logico estude algumas questões de conjuntos.
Existem dois operadores que aparecem com mais frequência nas questões: A interseção
e a união. Vamos a um exemplo prático para que entendamos essa informação.
Digamos que na nossa turma possua 20 pessoas (12 mulheres e 8 homens). Digamos
que desses alunos, 10 estão empregados (6 homens e 4 mulheres) e 10 estão
desempregados (2 homens e 8 mulheres). Como podemos montar um diagrama de
conjuntos que retrate essa situação? Vejamos. (EM SALA)
Vejamos agora um outro exemplo muito recorrente em provas. Em uma sala, 12 alunos
falam inglês, 7 alunos falam espanhol e 4 alunos falam as duas línguas. Sabendo que 22
alunos estão matriculados na turma, qual o número de alunos que não saibam um dos
idiomas? (EM SALA)
Percebeu a diferença entre os dois diagramas? O primeiro é chamado de conjuntos
disjuntos porque não tem como a pessoa ser homem e mulher ao mesmo tempo e nem
estar empregada e desempregada ao mesmo tempo. Já o segundo, é o diagrama de
interseção, porque é possível que haja pessoas que saibam os dois idiomas ao mesmo
tempo. A construção desses diagramas nos ajudará a resolver muitas questões de
concurso. Vamos a elas?

1) MPE-GO/2017: Em uma pesquisa sobre a preferência entre dois candidatos, 48


pessoas votariam no candidato A, 63 votariam no candidato B, 24 pessoas
votariam nos dois; e, 30 pessoas não votariam nesses dois candidatos. Se todas
as pessoas responderam uma única vez, então o total de pessoas entrevistadas
foi:
a) 141
b) 117
c) 87
d) 105
e) 112

28
2) INSTITUTO AOCP: Para realização de uma pesquisa sobre a preferência de
algumas pessoas entre dois canais de TV, canal A e Canal B, os entrevistadores
colheram as seguintes informações: 17 pessoas preferem o canal A, 13 pessoas
assistem o canal B e 10 pessoas gostam dos canais A e B. Assinale a alternativa
que apresenta o total de pessoas entrevistadas.
a) 20
b) 23
c) 27
d) 30
e) 40

3) FGV/2017: Em certo concurso, inscreveram-se 80 candidatos. Sabe-se que,


desses candidatos, 50 são baianos, 22 possuem curso superior e 26 são de outros
estados e não possuem curso superior. O número de candidatos baianos com
curso superior é
a) 16
b) 18
c) 20
d) 22
e) 24

4) IBFC/2017: Considerando os conjuntos finitos A = {0,1,2,3,4} e B = {1,2,3,4,5,6},


assinale a alternativa incorreta:
a) Algum elemento de A é elemento de B;
b) Há elemento de B que não é elemento de A;
c) Há pelo menos um elemento de A que não é elemento de B;
d) Há, no mínimo, três elementos de B que não são de A.

5) VUNESP/2017: Carlos é o único atleta que tem patrocínio de 3 empresas: A, B e


C. Em se tratando de atletas que recebem patrocínios de apenas 2 dessas
empresas, temos: Leandro e Hamilton, das empresas A e B; Marta e Silas, das
empresas A e C; e Amanda, Renata e Sérgio, das empresas B e C. Se esses atletas
fazem parte de um grupo contendo, ao todo, 18 atletas que recebem patrocínio
das empresas A, B ou C, e cada empresa tem, pelo menos, 1 atleta recebendo
patrocínio somente dela, então é correto afirmar que os números mínimo e
máximo de atletas que a empresa B pode patrocinar são, respectivamente:
a) 6 e 12
b) 5 e 10
c) 8 e 16
d) 7 e 14
e) 4 e 8

29
6) IADES/2014: Em uma escola são praticados dois esportes futebol e basquete do
seguinte modo: 54 alunos praticam apenas um esporte; 32 praticam futebol; 12
praticam ambos e 74 não praticam basquete. Qual é o total de alunos da escola?
a) 108
b) 120
c) 124
d) 128
e) 132

ANÁLISE COMBINATÓRIA

O fatorial (!)

Na análise combinatória faremos constantemente o uso de uma ferramenta matemática


chamada de fatorial, que é representada pelo ponto de exclamação (!).
Quando você encontrar um número escrito da forma 4!, significa que o valor desse
número é:

4! = 4 × 3 × 2 × 1 = 24
Além disso, as fórmulas que veremos mais para frente utilizam com frequência as
simplificações entre fatoriais. Por exemplo:
7! 7 × 6 × 5 × 4 × 3!
= = 7 × 6 × 5 × 4 = 840
3! 3!

Perceberam que abrimos apenas o maior fatorial até chegarmos ao menor deles?
Faremos as contas sempre assim quando se tratar de simplificação entre fatoriais.
Uma outra coisa importante é perceber o seguinte:

5! − 3! ≠ (5 − 3)!
Cuidado com isso. Do lado esquerdo da desigualdade temos:
5 × 4 × 3 × 2 × 1 − 3 × 2 × 1 = 120 − 6 = 114
Já do lado direito da desigualdade calculamos:
(5 − 3)! = 2! = 2 × 1 = 2
Bem diferente as respostas. Novamente, CUIDADO.

30
Princípio Fundamental da Contagem (P.F.C)

A análise combinatória é baseada no PFC. Para entendermos melhor do que se trata


essa sigla, faremos um exemplo bem básico:
EXEMPLO: Uma moeda é lançada três vezes. Qual o número de sequencias possíveis de
cara e coroa?
SOLUÇÃO: Para todos os lançamentos temos duas possibilidades de resultado: Cara e
Coroa. Logo, calculamos da seguinte forma:

2 × 2 × 2 = 23 = 8

Arranjo: Lembre-se sempre A de arranjo = A de altera

Em exercícios que tratam de arranjo, devemos lembrar que a ordem dos elementos
altera o resultado do meu agrupamento. Pense o seguinte: Você está em frente ao caixa
eletrônico e precisa digitar uma senha com 4 dígitos (do 0 ao 9). Se sua senha for 0123,
concorda que se digitar 1230 você errará sua senha? Mas verifique que os números
digitados foram os mesmos. Logo, a ordem dos números alterou meu agrupamento. O
mesmo acontece para o resultado do seu concurso. Se a pessoa A passou em 3º, a
pessoa C passou em 2º e a pessoa B passou em 1º, se alterarmos a ordem da
classificação automaticamente alteramos a classificação. Assim, novamente a ordem
alterou meu agrupamento e trabalharemos com o Arranjo. A fórmula é para o arranjo
simples é:
𝑛!
𝐴𝑛,𝑝 =
(𝑛 − 𝑝)!

Veremos que quase nunca usaremos tal fórmula (ufa!).

7) IBFC/2017: Em certa cidade, as placas de veículos são formadas por duas letras e
três algarismos, sendo que a primeira letra é vogal, a segunda letra é consoante
e o último número é ímpar. Nessas circunstâncias, o total de placas distintas que
podem ser formadas utilizando as 26 letras do alfabeto e os algarismos
1,2,3,4,6,8, não podendo repetir algarismos numa mesma placa, é:
a) 4200
b) 5200
c) 7650
d) 6300

31
Se levarmos em conta que estamos lidando com placas, a ordem dos elementos altera
meu agrupamento, lidaremos com arranjo. Mas como dito antes não usaremos a
fórmula acima, faremos de uma maneira bem mais simplificada. Vejam:

___ ___ x ___ ___ ___


Os espaços acima são os espaços das possibilidades. Os dois primeiros espaços só
entram letras e os três últimos apenas algarismos. Como as placas são formadas por
letras E números, faremos a multiplicação das possibilidades (Haverá exercícios em que
meu agrupamento será formado por uma coisa OU outra coisa, e nesse caso, faremos a
soma de nossas possibilidades).
Obedecendo as restrições dos exercícios, teremos o seguinte:

5 × 21 × 5 × 4 × 2 = 4200
Entendendo os valores acima:
5 = são as vogais existentes em nosso alfabeto, logo teremos 5 possibilidades.
21 = são as consoantes do alfabeto, logo 21 possibilidades.
2 = as possibilidades de números ímpares que o exercício nos deu (números 1 e 3), logo
2 possibilidades.
OBS: Começamos a preencher nossas casas de possibilidades sempre pelas restrições.
5 = possibilidades de algarismos restante.
4 = idem ao anterior.

Combinação:

Diferentemente do arranjo, a combinação não se importa com a ordem dos elementos.


Se jogarmos na loteria os números 3, 12, 21, 23, 30, 38 e depois fazemos um outro jogo
com os números 23,21,30,38,2,12, apesar de termos mudado a ordem dos números
jogados, acabamos fazendo o mesmo jogo. Quando isso acontecer, utilizaremos o
conceito de Combinação. Sua fórmula é:
𝑛!
𝐶𝑛,𝑝 =
𝑝! (𝑛 − 𝑝)!
Assim como no arranjo, exercícios que tratam de combinação podem ser resolvidos sem
a ajuda da fórmula. Vejamos um outro exemplo de concurso:

32
8) IBFC/2016: Para valorizar seus funcionários, uma empresa irá sortear 3 viagens
para a Disney entre seus 10 funcionários, de modo que cada funcionário poderá
ganhar somente uma viagem. O total de possibilidades distintas de sorteio para
esses funcionários é:
a) 120
b) 360
c) 720
d) 420

Solução: Digamos que o resultado do sorteio tenha dado Ana, Beto e Carol como
vencedores. Se o sorteio for feito na ordem Carol, Beto e Ana o grupo de vencedores
continua sendo o mesmo. Ora, se a ordem não altera meu agrupamento o exercício é
de combinação. Resolvemos da seguinte forma:
___ ___ ___
Na primeira casa de possibilidades podemos colocar 10 pessoas, na segunda casa
colocamos 9 pessoas e na terceira casa colocamos 8 pessoas. Agora precisamos retirar
as repetições das ordens, já explicado acima, 3 elementos em ordens diferentes não
altera o agrupamento final. Vamos proceder da seguinte forma para retirar as
repetições. Dividiremos a conta pelo fatorial do número de vagas correspondentes.
Observe como ficará:
10×9×8
𝐶= = 120.
3×2×1

Modificando o exemplo acima. Imagine que essa mesma empresa faria o sorteio entre
4 funcionários entre 12 possíveis. Dos 12 funcionários 8 são brasileiros e 4 são
estrangeiros. Obrigatoriamente neste sorteio, 2 contemplados devem ser brasileiros e
dois devem ser estrangeiros. Quantas são as formas de sortear o grupo que viajará? (EM
SALA).

ANAGRAMAS

Por fim, falaremos um pouco sobre anagramas. Quais são as possibilidades de


anagramas com a palavra CADERNO? CANODER e DERNOCA são dois exemplos de
anagramas com essa palavra. Mas quantos anagramas totais podemos ter?

___ ___ ___ ___ ___ ___ ___


Como não há letras repetidas na palavra caderno, faremos simplesmente o fatorial do
número de letras existente na palavra. Logo:
𝐶𝐴𝐷𝐸𝑅𝑁𝑂 = 7 𝐿𝑒𝑡𝑟𝑎𝑠 = 7! = 5040 𝑎𝑛𝑎𝑔𝑟𝑎𝑚𝑎𝑠.

33
E na palavra ARARA. Quantos anagramas são possíveis formar com essas letras? Como
há repetições, faremos o mesmo procedimento da combinação (retirando essas
repetições), logo, ficaremos com:

5×4×3×2×1
𝐴𝑅𝐴𝑅𝐴 = 5 𝐿𝑒𝑡𝑟𝑎𝑠 = = 10 𝑎𝑛𝑎𝑔𝑟𝑎𝑚𝑎𝑠
3×2×1×2×1
9) IBFC/2017: Considere anagrama como sendo a transposição de letras de uma
palavra para formar uma outra palavra “com” ou “sem sentido”. O número de
anagramas possíveis, que começam com uma vogal, que podem ser formados
com a palavra FÁCIL, é:
a) 24
b) 36
c) 120
d) 48

10) QUADRIX/2017: A respeito de temas ligados a raciocínio lógico e matemático,


julgue o seguinte item.
Com a palavra ODONTO é possível formar mais de trinta anagramas que comecem e
terminem com a letra O.
( ) certo ( ) errado.

LÓGICA PROPOSICIONAL
O assunto de lógica das proposições é o carro chefe em se tratando do conteúdo
raciocínio lógico. Veremos suas principais aplicações em questões de concurso.

PROPOSIÇÃO

Proposição é tudo aquilo que pode ser valorado em verdadeiro ou falso.

 Estamos no ano de 2018. (V/F)?


 2 + 2 = 5. (V/F)?
 O dia sete de setembro não será feriado. (V/F)?
Observe que não podemos valorar as seguintes sentenças:

 Qual o seu nome?


 Bom dia!
 Faça seu trabalho corretamente.
 5 + x = 12.
 Ela é solidária.

34
As sentenças que podem ser valoradas são chamadas de sentenças fechadas ou
proposições. Já as sentenças que não podem ser valoradas são chamadas de sentenças
abertas. Na lógica proposicional SÓ TRABALHAMOS COM AS SENTENÇAS FECHADAS.
As proposições que trazem apenas um sujeito são chamadas de proposições simples.
As proposições compostas são duas ou mais proposições simples ligadas entre si por
um conectivo lógico. São esses os conectivos:

CONJUNÇÃO (E ^)
A B A^B
V V V
V F F
F V F
F F F

DISJUNÇÃO (OU v)
A B AɅB
V V V
V F V
F V V
F F F

DISJUNÇÃO EXCLUSIVA (OU...OU)


A B A<>B
V V F
V F V
F V V
F F F

CONDICIONAL (SE...ENTÃO) →
A B A→B
V V V
V F F
F V V
F F V

35
BICONDICIONAL (SE, E SOMENTE SE)
A B A↔B
V V V
V F F
F V F
F F V

NEGAÇÃO ~
A ~A
V F
F V

11) FCM/2017: Considere que os valores lógicos de p e q são V e F, respectivamente,


e avalie as proposições abaixo.

I- p → ~(p ∨ ~q) é verdadeiro


II- ~p → ~p ∧ q é verdadeiro
III- p → q é falso
IV- ~(~p ∨ q) → p ∧ ~q é falso

Está correto apenas o que se afirma em


a) I e II
b) I, II e III
c) I e IV
d) II e III
e) III e IV

12) IBFC/2017: Assinale a alternativa correta. O valor lógico do bicondicional entre


duas proposições é falso se:
a) Os valores lógicos das duas proposições forem falsos.
b) O valor logico de cada uma das proposições for verdade.
c) O valor logico da primeira proposição for falso.
d) O valor logico da segunda proposição for falso.
e) Somente uma das proposições tiver valor lógico falso.

36
13) IBFC/2017: Sabe-se que p, q e r são proposições compostas e o valor lógico das
proposições p e q são falsos. Nessas condições, o valor lógico da proposição r na
proposição composta {[q v (q ^ ~p)] v r} cujo valor lógico é verdade, é:
a) Falso
b) Inconclusivo
c) Verdade e falso
d) Depende do valor lógico de p
e) Verdade

14) IADES/2017: Assinale a alternativa que apresenta uma tautologia.


a) P v (Q v ~P)
b) (Q → P) → (P→ Q)
c) P → (P → Q ^ ~Q)
d) P v ~Q → (P→ ~Q)
e) P v Q → P ^ Q
OBS: Tautologia acontece quando o resultado da proposição composta for sempre
verdade.

NEGAÇÃO DAS PROPOSIÇÕES COMPOSTAS:

Tanto a negação quanto a equivalência das proposições compostas são temas muito
abordados em concursos públicos. Vamos estudar agora as principais negações dessas
proposições. Segue:

Conectivo e: ~ (A^B) = ~A v ~B
Conectivo ou: ~(AvB) = ~A ^ ~B
Exemplos:
Sou feliz E canto = Não sou feliz OU não canto.
Sou professor OU sou rico = Não sou professor E não sou rico.
Conectivo Condicional: ~(A → B) = A ^ ~B (Repete a primeira E nego a segunda).

Equivalências Lógicas: duas sentenças serão equivalentes quando forem escritas de


forma diferente, mas tiverem ao final o mesmo significado.
Seguiremos 3 regras para identificarmos sentenças logicamente equivalentes:

37
Solução: Se não passo, então não estudo.

Exemplo: Se estudo, então passo.


Solução: Não estudo OU passo.

38
Exemplo: A inflação cai OU o dólar aumenta.
Solução: Se a inflação não cai, então o dólar aumenta.

15) IADES/2017: Qual é a negação da proposição “Engenheiros gostam de biológicas


e médicos gostam de exatas.”?
a) Engenheiros não gostam de biológicas ou médicos não gostam de exatas
b) Engenheiros não gostam de biológicas e médicos gostam de exatas
c) Engenheiros não gostam de biológicas ou médicos gostam de exatas
d) Engenheiros gostam de biológicas ou médicos não gostam de exatas
e) Engenheiros não gostam de biológicas e médicos não gostam de exatas.

16) FCC/2017: Considere a afirmação:

Se sou descendente de italiano, então gosto de macarrão e gosto de parmesão.

Uma afirmação que corresponde à negação lógica desta afirmação é


a) Sou descendente de italiano e, não gosto de macarrão ou não gosto de
parmesão.
b) Se não sou descendente de italiano, então não gosto de macarrão e não gosto
de parmesão.

39
c) Se gosto de macarrão e gosto de parmesão, então não sou descendente de
italiano.
d) Não sou descendente de italiano e, gosto de macarrão e não gosto de parmesão.
e) Se não gosto de macarrão e não gosto de parmesão, então não sou descendente
de italiano.

17) FGV/2017: Considere como verdadeira a seguinte sentença: “Se todas as flores
são vermelhas, então o jardim é bonito”.
É correto concluir que:
a) Se todas as flores não são vermelhas, então o jardim não é bonito.
b) Se uma flor é amarela, então o jardim não é bonito.
c) Se o jardim é bonito, então todas as flores são vermelhas.
d) Se o jardim não é bonito, então todas as flores não são vermelhas.
e) Se o jardim não é bonito, então pelo menos uma flor não é vermelha.

GABARITO

1. b 7. a 13. e
2. a 8. a 14. a
3. b 9. d 15. a
4. d 10. errado 16. a
5. d 11. a 17. e
6. b 12. e

40