Você está na página 1de 2

Nº 198, segunda-feira, 16 de outubro de 2017 1 ISSN 1677-7042 5

MINISTÉRIO DA DEFESA Entidade: AR LIDERSIS VII - fraudar na execução do contrato:


Processo Nº: 99990.000426/2017-71
DECRETO DE 13 DE OUTUBRO DE 2017 No termo do Parecer n° 316/2017 CGAF/DAFN e Despacho Pena - impedimento do direito de licitar e contratar com a
Decisório n° 287,DEFIRO o pedido de credenciamento da AR LI- União e descredenciamento do SICAF pelo período de 30 (trinta)
DERSIS vinculada à AC SERPRO ACF e AC SERPRO RFB, na meses;
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição cadeia da AC SERPRO e AC RFB, com instalação técnica localizada
que lhe confere o art. 84, caput, inciso XXI, da Constituição, e tendo VIII - comportar-se de modo inidôneo:
em vista o disposto nos art. 12 e art. 29 do Regulamento da Ordem do na Rua QS 03, Lotes 3/9, s/n, sala 1309, Edifício Pátio Capital, Águas
Mérito Naval, aprovado pelo Decreto nº 3.400, de 3 de abril de 2000, Claras, Brasília/DF, para as Políticas de Certificados já credenciadas.
e na qualidade de Grão-Mestre da Ordem do Mérito Naval, resolve Pena - impedimento do direito de licitar e contratar com a
Entidade: AR PRIMECERT CERTIFICADOS DIGITAIS União e descredenciamento do SICAF pelo período de 24 (vinte e
ADMITIR, Processo Nº: 99990.000629/2017-68 quatro) meses; e
No termo do Parecer n° 437/2017 CGAF/DAFN e Despacho
no Quadro Suplementar da Ordem do Mérito Naval, no grau de Decisório n° 288, DEFIRO o pedido de credenciamento da AR PRI- IX - cometer fraude fiscal:
Grande Oficial, o Almirante YAMIL OCTAVIO BORDA SOSA, Co- MECERT CERTIFICADOS DIGITAIS vinculada à AC SERPRO
mandante-Geral da Armada Boliviana. ACF e AC SERPRO RFB, na cadeia da AC SERPRO e AC RFB, Pena - impedimento do direito de licitar e contratar com a
com instalação técnica localizada na Rua dos Guajajaras, no 715, Sala União e descredenciamento do SICAF pelo período de 40 (quarenta)
Brasília, 13 de outubro de 2017; 196º da Independência e 602, Pavimento 6 - Lourdes - Belo Horizonte/MG, para as Políticas meses;
129º da República. de Certificados já credenciadas.
Parágrafo único. Para os fins desta Instrução Normativa,
MICHEL TEMER GASTÃO JOSÉ DE OLIVEIRA RAMOS considera-se:
Raul Jungmann
I - retardar a execução do objeto qualquer ação ou omissão
SECRETARIA-GERAL do licitante que prejudique o bom andamento da licitação, inclusive
Presidência da República SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO
deixar de entregar a amostra no prazo assinalado no edital, que
evidencie tentativa de indução a erro no julgamento, ou que atrase a
assinatura do contrato ou da ata de registro de preços;
DESPACHOS DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA INSTRUÇÃO NORMATIVA N o- 1, DE 13 DE OUTUBRO DE 2017
II - não manter a proposta a ausência de seu envio, bem
MENSAGEM como a recusa do envio de seu detalhamento, quando exigível, ou
Estabelece critérios sobre conduta e dosime- ainda o pedido, pelo licitante, da desclassificação de sua proposta,
tria na aplicação da penalidade de impedi- quando encerrada a etapa competitiva, desde que não esteja fun-
N o- 402, de 13 de outubro de 2017. mento de licitar e contratar prevista no art. damentada na demonstração de vício ou falha na sua elaboração, que
7º da Lei nº 10.520, de 17 de julho de 2002, evidencie a impossibilidade de seu cumprimento;
Senhor Presidente do Senado Federal, no âmbito da Presidência da República.
Comunico a Vossa Excelência que, nos termos do § 1o do art. III - falhar na execução contratual o inadimplemento grave
O SECRETÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO DA SECRE- ou inescusável de obrigação assumida pelo contratado;
66 da Constituição, decidi vetar parcialmente, por contrariedade ao
interesse público, o Projeto de Lei no 44, de 2016 (no 5.768/16 na TARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, no uso da
Câmara dos Deputados), que "Altera o Decreto-Lei no 1.001, de 21 de atribuição que lhe confere o inciso VII, do art. 7º, do Anexo V do IV - fraudar na execução contratual a prática de qualquer ato
outubro de 1969 - Código Penal Militar". Decreto nº 9.038, de 26 de abril de 2017, e destinado à obtenção de vantagem ilícita, induzindo ou mantendo em
erro a Administração Pública; e
Ouvido, o Ministério da Defesa manifestou-se pelo veto ao Considerando o teor das determinações 9.5.1 e 9.5.2 do
seguinte dispositivo: Acórdão nº 754/2015-TCU-Plenário, expedido pelo Tribunal de Con- V - comportar-se de modo inidôneo a prática de atos di-
tas da União, as quais foram objeto de divulgação aos órgãos do recionados a prejudicar o bom andamento do certame ou do contrato,
"Art. 2o Esta Lei terá vigência até o dia 31 de dezembro de Sistema de Serviços Gerais - SISG no Portal de Compras do Governo tais como a fraude ou frustração do caráter competitivo do pro-
2016 e, ao final da vigência desta Lei, retornará a ter eficácia a Federal; cedimento licitatório, ação em conluio ou em desconformidade com a
legislação anterior por ela modificada." lei, indução deliberada a erro no julgamento, prestação falsa de in-
Considerando a necessidade de instrução processual admi- formações, apresentação de documentação com informações inve-
Razões do veto nistrativa no âmbito da Presidência da República com adequação rídicas, ou que contenha emenda ou rasura, destinados a prejudicar a
entre meios e fins, com vedação a imposição de obrigações, restrições veracidade de seu teor original.
"As hipóteses que justificam a competência da Justiça Mi- e sanções em medida superior àquelas estritamente necessárias ao
litar da União, incluídas as estabelecidas pelo projeto sob sanção, atendimento do interesse público, resolve: Art. 3º As sanções previstas nos incisos I a IX do art. 2º
não devem ser de caráter transitório, sob pena de comprometer a poderão ser majoradas em 50% (cinquenta por cento), para cada
segurança jurídica. Ademais, o emprego recorrente das Forças Art. 1º Estabelecer procedimentos para a definição da do- agravante, até o limite de 60 (sessenta) meses, em decorrência do
Armadas como último recurso estatal em ações de segurança simetria na aplicação da penalidade de impedimento de licitar e con- seguinte:.
pública justifica a existência de uma norma permanente a regular tratar prevista no art. 7º da Lei nº 10.520, de 17 de julho de 2002, no
a questão. Por fim, não se configura adequado estabelecer-se I - quando restar comprovado que o licitante ou contratado
âmbito da Presidência da República. tenha registro no Sistema de Cadastramento Unificado de Forne-
competência de tribunal com limitação temporal, sob pena de se
poder interpretar a medida como o estabelecimento de um tri- cedores - SICAF de penalidade aplicada no âmbito da Presidência da
Art. 2º Nas licitações na modalidade pregão realizadas no República, em decorrência da prática de qualquer das condutas ti-
bunal de exceção, vedado pelo artigo 5o, inciso XXXVII da âmbito da Presidência da República é obrigatória a instauração de
Constituição". pificadas na presente norma, nos 12 (doze) meses que antecederam o
procedimento administrativo para a aplicação das respectivas sanções, fato em decorrência do qual será aplicada a penalidade;
quando da ocorrência das condutas a seguir relacionadas:
Essas, Senhor Presidente, as razões que me levaram a vetar II - quando restar comprovado que o licitante tenha sido
o dispositivo acima mencionado do projeto em causa, as quais ora I - não assinar o contrato/ata de registro de preços ou não desclassificado ou inabilitado por não atender às condições do edital,
submeto à elevada apreciação dos Senhores Membros do Congresso aceitar/retirar o instrumento equivalente, quando convocado dentro do quando for notória a sua impossibilidade de atendimento ao esta-
Nacional. prazo de validade de sua proposta: belecido;
N o- 403, de 13 de outubro de 2017. Encaminhamento ao Congresso Pena - impedimento do direito de licitar e contratar com a III - quando o licitante, deliberadamente, não responder às
Nacional do ato constante do Decreto de 11 outubro de 2017, pu- União e descredenciamento do Sistema de Cadastramento Unificado diligências destinadas a esclarecer ou a complementar a instrução do
blicado no Diário Oficial da União do dia 13 de outubro de 2017, que de Fornecedores - SICAF pelo período de 4 (quatro) meses; processo licitatório; ou
"Outorga concessão à Eldorado Sistema de Televisão Ltda. para exe-
cutar, sem direito de exclusividade, serviço de radiodifusão de sons e IV - quando restar comprovado que o licitante tenha prestado
imagens, no Município de Pindamonhangaba, Estado de São Paulo". II - deixar de entregar documentação exigida para o cer-
tame: declaração falsa de que é beneficiário do tratamento diferenciado
concedido em legislação específica.
Pena - impedimento do direito de licitar e contratar com a
CASA CIVIL União e descredenciamento do SICAF pelo período de 2 (dois) meses; Art. 4º As penas previstas nos incisos I, II, IV e V do art. 2º
poderão ser reduzidas em 50% (cinquenta por cento), uma única vez,
INSTITUTO NACIONAL DE TECNOLOGIA III - fizer declaração falsa ou apresentar documentação falsa: após a incidência do previsto no art. 3º, quando não tenha havido
DA INFORMAÇÃO nenhum dano à Administração, em decorrência de qualquer das se-
Pena - impedimento do direito de licitar e contratar com a guintes atenuantes:
DESPACHOS DO DIRETOR-PRESIDENTE União e descredenciamento do SICAF pelo período de 24 (vinte e
quatro) meses; I - a conduta praticada tenha sido, desde que devidamente
Entidade: AR FECOMERCIO RO comprovada, decorrente de falha escusável do licitante ou contratado;
Processo Nº: 99990.000594/2017-67 IV - ensejar o retardamento da execução do objeto:
No termo do Parecer n° 323/2017 CGAF/DAFN e Despacho II - a conduta praticada seja decorrente da apresentação de
Decisório n° 281, DEFIRO o pedido de credenciamento da AR FE- documentação que contenha vícios ou omissões para os quais não
Pena - impedimento do direito de licitar e contratar com a tenha contribuído, ou que não sejam de fácil identificação, desde que
COMERCIO RO, vinculada à AC CERTISIGN MÚLTIPLA e AC União e descredenciamento do SICAF pelo período de 4 (quatro) devidamente comprovado; ou
CERTISIGN RFB, na cadeia da AC CERTISIGN e AC RFB, res- meses;
pectivamente, com instalação técnica localizada na Avenida Carlos III - a conduta praticada seja decorrente da apresentação de
Gomes, nº 382 - Caiari - Porto Velho/RO, para as Políticas de Cer- V - não manter a proposta: documentação que não atendeu às exigências do edital, desde que reste
tificados já credenciadas. evidenciado equívoco em seu encaminhamento e a ausência de dolo.
Pena - impedimento do direito de licitar e contratar com a
Entidade: AR FOCUS CERTIFICADOS União e descredenciamento do SICAF pelo período de 4 (quatro) Art. 5º A penalidade a que se refere o inciso II do art. 2º será
Processo no: 99990.000887/2017-44 meses; afastada quando a entrega da documentação ocorrer fora dos prazos
Acolhe-se o parecer n° 421/2017/CGAF/DAFN e Despacho estabelecidos, desde que não tenha acarretado prejuízos à Admi-
Decisório n° 286 que opina pelo deferimento do pedido de des- VI - falhar na execução do contrato: nistração, observando-se ainda, cumulativamente, que:
credenciamento da AR FOCUS CERTIFICADOS vinculada à AC
SERASA CD, localizada na Alameda Santos 1000, 10° Andar, Sala 2, Pena - impedimento do direito de licitar e contratar com a União I - a documentação entregue esteja correta e adequada ao que
Cerqueira César, São Paulo-SP. e descredenciamento do SICAF pelo período de 12 (doze) meses; fora solicitado;
Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP nº 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012017101600005 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
6 ISSN 1677-7042 1 Nº 198, segunda-feira, 16 de outubro de 2017

II - o eventual atraso no cumprimento dos prazos não seja CONSIDERANDO a Portaria MCTIC nº 3.992, de 14 de VIII - Resolução nº 570, de 22 de agosto de 2011, que
superior a sua quarta parte; julho de 2017, que estabelece que as entidades de que tratam os aprova o Regulamento para Certificação e Homologação de Acu-
Anexos I, II e III da Portaria MCTIC nº 3.540, de 2017, que tenham muladores Chumbo-Ácido Estacionários Regulados por Válvula;
III - não tenha ocorrido nenhuma solicitação de prorrogação a opção de alterar as características técnicas de suas estações, visando IX - Resolução nº 554, de 20 de dezembro de 2010, que
dos prazos; à utilização de redes de frequência única - SFN, terão o prazo de 90 aprova a Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e
(noventa) dias contados a partir da sua publicação, para adaptarem Transceptores de Estações Rádio Base e de Estações Repetidoras;
IV - não tenha ocorrido nenhuma hipótese de agravantes suas instalações em SFN, nos termos do art. 7º da Portaria nº 3.540, X - Resolução nº 543, de 28 de julho de 2010, que aprova o
prevista no art. 3º; e de 2017; Regulamento para Certificação e Homologação de Sistemas Reti-
CONSIDERANDO o Ofício ABERT nº 45/2017, de 26 de ficadores para Telecomunicações;
V - o licitante faltoso não tenha sofrido registro de pe- setembro de 2017, o qual informa que se encontram em andamento, XI - Resolução nº 542, de 29 de junho de 2010, que aprova
nalidade no SICAF em decorrência da prática de quaisquer condutas em Consulta Nacional, junto à Associação Brasileira de Normas Téc- o Regulamento para Certificação e Homologação de Unidades Re-
tipificadas na presente norma em procedimentos licitatórios ou em nicas - ABNT, os Projetos de Emenda das Normas ABNT NBR tificadoras Chaveadas em Alta Freqüência para Telecomunicações;
contratações ocorridas nos 12 (doze) meses que antecederam o fato 15608-3, 15604 e 15603-2, que tratam das novas regras de con- XII - Resolução nº 533, de 10 de setembro de 2009, que
em razão do qual será aplicada a penalidade. figuração do canal virtual, com estimativa de serem publicadas até 31 aprova a Norma para Certificação e Homologação de Equipamentos
de dezembro de 2017; de Telecomunicações quanto aos Aspectos da Avaliação da Taxa de
Art. 6º Quando a ação ou omissão do licitante ou contratante CONSIDERANDO que o Ofício ABERT nº 45/2017 solicita Absorção Específica (SAR);
ensejar o enquadramento de concurso de condutas, aplicar-se-á a pena a prorrogação do prazo constante do artigo 1° da Portaria MCTIC nº XIII - Resolução nº 529, de 03 de junho de 2009, que aprova
mais grave. 3.992, de 2017, de 90 (noventa) dias, para 31 de dezembro de 2017, o Regulamento para Certificação de Equipamentos de Telecomuni-
com a justificativa de assegurar a aplicação das novas regras da cações quanto aos Aspectos de Segurança Elétrica;
Art. 7º A aplicação das penas previstas nesta Instrução Nor- ABNT para o setor de radiodifusão, resolve: XIV - Resolução nº 512, de 23 de setembro de 2008, que
mativa não exclui a possibilidade de aplicação de outras sanções Art. 1º O art. 1° da Portaria MCTIC nº 3.992, de 14 de julho aprova a Norma para Certificação e Homologação da Interface Ana-
previstas no edital, no contrato ou na legislação vigente, sem prejuízo de 2017, passa a vigorar com a seguinte redação: lógica de Adaptadores para Terminal de Assinante;
das responsabilidades civil e criminal, inclusive por perdas e danos XV - Resolução nº 498, de 27 de março de 2008, que aprova
"Art. 1° As entidades de que tratam os Anexos I, II e III da
causados à Administração. a Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e Re-
Portaria MCTIC nº 3.540, de 4 de julho de 2017, que tenham a opção
de alterar as características técnicas de suas estações, visando à uti- transmissores para o Sistema Brasileiro de Televisão Digital Ter-
Art. 8º Na apuração dos fatos de que trata a presente Ins- restre;
trução, a Administração atuará com base no princípio da boa-fé ob- lização de redes de frequência única - SFN, terão até 31 de dezembro
de 2017 para adaptarem suas instalações em SFN, nos termos do art. XVI - Resolução nº 492, de 19 de fevereiro de 2008, que
jetiva, assegurando ao licitante ou ao contratante a ampla defesa e o aprova a Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e
contraditório, o direito de juntar todo e qualquer meio de prova 7° da Portaria nº 3.540, de 2017."
Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data da sua pu- Transceptores Digitais para o Serviço Fixo em Aplicações Ponto-
necessário à sua defesa, podendo, inclusive, requerer diligências. Multiponto nas Faixas de Freqüências acima de 1 GHz;
blicação.
XVII - Resolução nº 482, de 25 de setembro de 2007, que
Parágrafo único. A Administração Pública formará sua con- aprova a Norma para Certificação e Homologação de Telefone de Uso
vicção com base na livre apreciação dos fatos e condutas praticadas, GILBERTO KASSAB
Público;
devendo, quando necessário, promover diligências para a apuração da XVIII - Resolução nº 481, de 10 de setembro de 2007, que
veracidade das informações e provas apresentadas pela defesa. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES aprova a Norma para a Certificação e Homologação de Baterias de
CONSELHO DIRETOR Lítio e Carregadores Utilizados em Telefones Celulares;
Art. 9º. Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de XIX - Resolução nº 476, de 02 de agosto de 2007, que
sua publicação. aprova a Norma para Certificação e Homologação de Terminal de
RESOLUÇÃO Nº 686, DE 13 DE OUTUBRO DE 2017 Acesso Público - TAP;
ANTONIO CARLOS PAIVA FUTURO
XX - Resolução nº 472, de 11 de julho de 2007, que aprova
Revogar Normas e Regulamentos Técnicos a Norma para Certificação e Homologação de Cabos Coaxiais Semi-
de Certificação de Produtos para Teleco- Rígidos de 50 Ohms;
Ministério da Ciência, Tecnologia, municações XXI - Resolução nº 470, de 04 de julho de 2007, que aprova
a Norma para Certificação e Homologação de Cabos Coaxiais Fle-
Inovações e Comunicações O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE xíveis de 50 Ohms ou 75 Ohms;
TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que lhe foram con- XXII - Resolução nº 468, de 08 de junho de 2007, que
feridas pelo art. 22 da Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, e pelo
GABINETE DO MINISTRO art. 35 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações,
aprova a Norma para Certificação e Homologação de Cabos Coaxiais
aprovado pelo Decreto nº 2.338, de 7 de outubro de 1997, Rígidos de 75 Ohms;
PORTARIA Nº 1/SEI, DE 22 DE SETEMBRO DE 2017 CONSIDERANDO o cenário de rápido desenvolvimento tec- XXIII - Resolução nº 467, de 08 de junho de 2007, que
nológico no setor de telecomunicações, com a fabricação de produtos aprova a Norma para Certificação e Homologação de Cabos Coaxiais
O MINISTRO DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLO- em escala mundial e em velocidade cada vez maior; Flexíveis de 75 Ohms com trança de Fios de Alumínio;
GIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES, no uso de suas atribui- CONSIDERANDO a necessidade de atualização das refe- XXIV - Resolução nº 442, de 21 de julho de 2006, que
ções, e tendo em vista o que consta do Processo Administrativo nº rências técnicas de forma a acompanhar a evolução tecnológica e aprova o Regulamento para a Certificação de Equipamentos de Te-
53103.000018/2001, resolve: evitando o bloqueio do uso de produtos que possuam novas tec- lecomunicações quanto aos Aspectos de Compatibilidade Eletromag-
Art.1º Revogar a Portaria nº 1030, de 23 de dezembro de nologias no País; nética;
2008, publicada no Diário Oficial da União em 31 de dezembro de CONSIDERANDO a atual sistemática de estabelecimento de XXV - Resolução nº 430, de 21 de fevereiro de 2006, que
2008, que outorgou autorização à Associação dos Moradores do Ter- requisitos técnicos por meio de Lista de Requisitos Técnicos de Pro- aprova a Norma para Certificação e Homologação de Terminais Mó-
ceiro Distrito de Aliança, para executar o serviço de radiodifusão dutos para Telecomunicações (LRT), mais aderente à evolução tec- veis de Acesso dos Serviços de Telecomunicações por Satélite;
comunitária no município de Aliança, estado de Pernambuco, tendo nológica; XXVI - Resolução nº 414, de 14 de setembro de 2005, que
em vista o desinteresse da entidade em permanecer executando o CONSIDERANDO a necessidade de uniformização dos pro- aprova a Norma para Certificação e Homologação de Equipamentos
serviço. cedimentos internos da Agência para fins de certificação de pro- para Estações Terrenas do Serviço Fixo Por Satélite;
Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua pu- dutos; XXVII - Resolução nº 399, de 15 de abril de 2005, que
blicação. CONSIDERANDO o constante dos autos do Processo nº aprova a Norma para Certificação e Homologação de Conectores para
53500.009149/2016-55; Cabos Coaxiais;
GILBERTO KASSAB CONSIDERANDO as contribuições recebidas em decorrên- XXVIII - Resolução nº 390, de 14 de dezembro de 2004, que
cia da Consulta Pública nº 34, de 02 de dezembro de 2016, publicada
aprova o Regulamento para Certificação e Homologação de Centrais
no Diário Oficial da União do dia 05 de dezembro de 2016, re-
PORTARIA Nº 6.053 DE 13 DE OUTUBRO DE 2017 solve: Privadas de Comutação Telefônica - CPCT;
Art. 1º Revogar as seguintes Resoluções, referentes a Nor- XXIX - Resolução nº 384, de 05 de outubro de 2004, que
Altera o art. 1º da Portaria MCTIC nº mas e Regulamentos Técnicos de Certificação de Produtos para Te- aprova a Norma para Certificação e Homologação de Acumuladores
3.992, de 14 de julho de 2017. lecomunicações: Alcalinos de Níquel-Cádmio Estacionários;
I - Resolução nº 610, de 18 de abril de 2013, que aprova a XXX - Resolução nº 370, de 13 de maio de 2004, que aprova
O MINISTRO DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, Norma para Certificação e Homologação de Antenas para Uso em a Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e Trans-
INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que lhe Aplicações Ponto-Área Bidirecionais; ceptores Monocanais Analógicos AM;
confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição Federal, II - Resolução nº 609, de 18 de abril de 2013, que aprova a XXXI - Resolução nº 361, de 01 de abril de 2004, que
CONSIDERANDO que a Lei nº 13.341, de 29 de setembro Norma para Certificação e Homologação de Antenas para Uso em aprova a Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e
de 2016, extinguiu e transferiu as competências do Ministério das Aplicações Ponto-a-Ponto; Transceptores Monocanais Analógicos FM e PM para Operação nas
Comunicações para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e III - Resolução nº 603, de 13 de novembro de 2012, que Faixas de Freqüências Abaixo de 1 GHz;
Comunicações - MCTIC; aprova a Norma para certificação e homologação de acumuladores XXXII - Resolução nº 359, de 01 de abril de 2004, que
CONSIDERANDO o disposto no art. 14 do Decreto nº chumbo-ácido estacionários regulados por válvula para aplicações aprova a Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e
5.820, de 29 de junho de 2006, que estabelece que o Ministério da específicas; Transceptores Digitais para o Serviço Fixo em Aplicações Ponto-
Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações expedirá normas IV - Resolução nº 602, de 13 de novembro de 2012, que Multiponto nas Faixas de Freqüências abaixo de 1 GHz;
complementares necessárias à execução e operacionalização do Sis- aprova a Norma para Certificação e Homologação de Acumuladores
tema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre - SBTVD-T; XXXIII - Resolução nº 348, de 02 de setembro de 2003, que
Chumbo-Ácido Estacionários Ventilados para Aplicações Específi- aprova a Norma para Certificação e Homologação de Cabos Pára-
CONSIDERANDO que a Portaria MC nº 925, de 22 de agosto cas;
de 2014, estabelece, na Seção II, art. 3º, que os sinais emitidos pelas es- raios com Fibras Ópticas para Linhas Aéreas de Transmissão
V - Resolução nº 601, de 13 de novembro de 2012, que
tações de radiodifusão de sons e imagens e de retransmissão de televisão aprova a Norma para Certificação e Homologação de Acumuladores (OPGW);
devem estar de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Chumbo-Ácido Estacionários Ventilados para Aplicação em Sistemas XXXIV - Resolução nº 306, de 05 de agosto de 2002, que
Técnicas - ABNT, referentes ao padrão do SBTVD-T adotado no Brasil; Fotovoltaicos de Baixa Potência; aprova a Norma para Certificação e Homologação de Bloqueador de
CONSIDERANDO a Portaria MCTIC nº 3.540, de 4 de julho VI - Resolução nº 597, de 02 de outubro de 2012, que aprova Sinais de Radiocomunicações;
de 2017, que disciplina e aprova as regras para utilização de canais o Regulamento para Certificação e Homologação de Acumuladores XXXV - Resolução nº 300, de 20de junho de 2002, que
virtuais pelas entidades executantes dos serviços de radiodifusão de Chumbo-Ácido Estacionários Ventilados; aprova a Norma para Certificação e Homologação de Cabos Te-
sons e imagens e de retransmissão de televisão do SBTVD-T, nos VII - Resolução nº 572, de 28 de setembro de 2011, que lefônicos Metálicos; e,
agrupamentos de municípios de Rio Verde - GO, Brasília-DF e Goiâ- aprova a Norma para Certificação e Homologação de Antenas de XXXVI - Resolução nº 299, de 20 de junho de 2002, que aprova
nia-GO, e aprova a numeração dos canais virtuais; Estações Terrenas Operando com Satélites Geoestacionários; a Norma para Certificação e Homologação de Cabos de Fibras Ópticas.
Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP nº 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012017101600006 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.