Você está na página 1de 3

Resolução nº 01/2017, do GT de Organização da Conferência RJ

Art. 1º. As conferências municipais serão conduzidas pelas Comissões Municipais


Provisórias (CMP), em articulação com o GT de Organização da Conferência Estadual.

§ 1º - Caso a CMP esteja inativa, será formado um coletivo responsável pela organização
da Conferência Municipal, preferencialmente formado pelos membros da CMP inativa.

§ 2º - A CMP deverá comunicar previamente ao GT de Organização da Conferência


Estadual a data, local e horário de realização da Conferência.

§ 3º - Uma vez aprovada pelo GT de Organização, a Conferência Municipal deverá ser


comunicada aos filiados com pelo menos 7 dias de antecedência.

Art. 2º – As Conferências Estaduais/Distrital da REDE terão a seguinte Pauta Mínima:

1) Informes;

2) Análise de conjuntura;

3) Indicação dos membros da Comissão Municipal Provisória;

4) Escolha dos delegados para a Conferência Estadual;

5) Deliberação de Resoluções e Moções.

Art. 3º - O credenciamento dos (as) participantes da Conferência Municipal terá início pelo
menos 1 (uma) hora antes da abertura dos trabalhos e será concluído ao término do
segundo ponto da pauta.

§ 1º - Para o credenciamento dos (as) filiados (as) com direito a voz e voto, será utilizada
listagem fornecida pelo GT de Organização da Conferência Estadual. A lista terá que conter
nome completo e CPF e ou identidade do filiado e data de cadastro no sistema do filiaweb.

§ 2º - Para participarem da Conferência Municipal, os (as) filiados (as) aptos (as) ao voto
deverão identificar-se perante a mesa de credenciamento e assinarem a lista de presença.

Art. 4º. Estarão aptos (as) a participar da Conferência Municipal, com direito a voz e voto,
os (as) filiados (as) até o dia 31 (trinta e um) de agosto e em dia com suas contribuições
partidárias.

§ 1º - A Conferência Municipal deverá eleger os delegados (as) para a Conferência


Estadual na proporção de 1 (um(a)) delegado (a) para cada grupo de 5 (cinco) filiados (as)
participantes desde que estejam em dia com suas obrigações estatutárias.

§ 2º - Fração igual ou superior a 3 (três) filiados (as) aptos ao voto na Conferência Municipal
elege mais 1(um) delegado (a) às Conferências Estaduais/Distrital, a partir do primeiro
delegado eleito.
§ 3º - Será permitida/garantida a participação on line de filiados (as), desde que assegurada
a sua identificação.

§ 4º - A escolha de delegados para a Conferência Estadual deverá respeitar o percentual


mínimo de 30% de um dos gêneros, sempre arredondando para mais.

§ 5º - O (a) pré-filiado (a) cadastrado(a) no sistema on line da REDE até a data estabelecida
no caput, poderá participar da Conferência desde que faça o curso de formação e sua
filiação seja confirmada pela Comissão Executiva Estadual até a data da Conferência.

§ 6º - A regularidade financeira dos (as) filiados (as) será definida/informada pela


Coordenação Nacional de Finanças em parceria com as Comissões Executivas
Estaduais/Distrital.

§ 7º - As Conferências/Plenárias Municipais poderão ser realizadas até 10 dias antes da


Conferência Estadual.

Art. 5º - A Comissão Municipal Provisória será composta, no mínimo, pelas seguintes


coordenações:

I – Coordenação Geral, composta por dois porta-vozes;

II – Coordenação Executiva;

III – Coordenação de Finanças;

IV – Coordenação de Organização.

§ 1º - A indicação da CMP será feita, preferencialmente, pela construção do consenso


progressivo, conforme estimula o Estatuto Partidário. Caso não seja possível o
consenso, a eleição será feita por voto em chapas.

§ 2º - As chapas deverão respeitar o percentual mínimo de 30% de gênero.

§ 3º - A composição final da CMP respeitará a proporcionalidade direta e qualificada dos


votos obtidos por cada chapa, expressa da seguinte forma:

I – A chapa que obtiver o maior número de votos terá direito a primeira escolha;

II – Ao ser contemplada por uma escolha, a chapa terá seus votos divididos pelo número de
cargos obtidos mais um;

III – A ordem de escolha dos cargos obedecerá à ordem de votos alcançada pelas chapas
após a eleição e as sucessivas divisões referidas acima.

Art. 6º. Ao final da Conferência Municipal, a Mesa diretora deverá fazer a leitura da Ata e
providenciar seu registro em cartório.

Parágrafo único - A Mesa diretora deverá encaminhar cópia da Ata registrada ao GT de


Organização da Conferência Estadual.

Rio de Janeiro, de outubro de 2017

Interesses relacionados