Você está na página 1de 56

Projeto de Intervenção Pedagógica

Olimpíadas do Saber

Eduardo Pereira de Azevedo

Orientadora: Renata Faria

Carmo, 05/2015

Página 1
SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO ........................................................................................................ 3

1. DESCRIÇÃO DA ESCOLA.................................................................................... 5

2. DESEMPENHO DA ESCOLA ............................................................................134

3. CARACTERIZAÇÃO DO ENTORNO ...................................................................20

4. PROPOSTA DE INTERVENÇÃO .........................................................................26

5. DETALHAMENTO DA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO .....................................33

6. MARKETING E COMUNICAÇÃO.........................................................................45

7. PLANO FINANCEIRO ..........................................................................................52

Página 2
APRESENTAÇÃO

O projeto de intervenção pedagógica, Olimpíadas do saber, tem como objetivo,


através de jogos olímpicos, envolver adolescentes, jovens e comunidade
escolar na produção de uma cultura colaborativa, entre diferentes atores em
diferentes contextos sociais.

O projeto se constituirá em cinco (5) etapas:

1°- Apresentação,

2°- Planejamento e Sensibilização,

3°- Ações coordenadas por diferentes áreas do conhecimento,

4°- Avalição dos resultados,

5°- Apresentação dos resultados.

Atividades envolvidas: Português (mostra cultural), Matemática (comitê


matemático dos jogos olímpicos escolares), Saúde e Solidariedade (demais
áreas do conhecimento).

Resultados esperados: Português (interesse pela leitura, pratica de produção


textual com melhoria no desempenho escolar e formação de alunos leitores),
Matemática (visão instrumental da matemática para as cidadanias e inserção
social de trabalho, leitura e interpretação de gráficos e tabelas e melhoras no
desempenho escolar e nas avalições externas - IDEB, SAERJ E ENEM) e
Saúde e Solidariedade (melhoria na habilidade motora e condicionamento
físico, diminuição da exposição aos riscos sociais e Ascenção social, através
do esporte).

 Carmo- RJ, atividade econômicas: Agropecuária, indústria e serviços.


Cidade interiorana, cuja possibilidade de envolvimento com as
atividades da unidade escolar e seu entorno são:
 Campo de futebol, do Carmense, onde a prática de atletismo, jogos,
podem se tornar relevante favorecendo o desempenho dos alunos.
 O centro cultural do município de Carmo, que será suporte para sarau
artístico e literário, bem como apresentações de dança e teatro.
 A Praça Getúlio Vargas, tombada pelo patrimônio municipal, representa
turismo e consequentemente, grande concentração de pessoas,
característica esta que favorecerá pesquisas e enquetes com a
população, cujos temas serão: qualidade de vida e cultura.
 A quadra poliesportiva, Ciro Vieira, cuja parceria favorecerá diferentes
tipos de práticas esportivas. A piscina semiolímpica do CIEP 280, Carmo
RJ, contribuirá de local para competições de natação, e outras
modalidades que envolverão esportes aquáticos.

Página 3
O lançamento do projeto será realizado através de reuniões com conselho
escolar, equipe pedagógica, funcionários da equipe administrativa e gestão,
pais, alunos, comunidade, intercambio entre as escolas e diferentes segmentos
da esfera pública. Na divulgação e ampliação do projeto, serão utilizados,
jornais, cartazes, exposição, mostra cultural, painéis eletrônicos, Facebook,
Blog, Folders e palestras.

O sucesso do nosso projeto também dependerá do envolvimento das parcerias


que já temos consolidadas, são elas: os nossos fornecedores de merenda e
manutenção e transporte escolar, além do engendramento de novas parcerias,
como o Carmense Atlético Clube, CIEP 280, Prefeitura do Carmo, entre outras.
O volume de recursos necessários ao bom andamento do projeto está inscrito
e consolidado nas verbas estaduais de merenda e manutenção, kit cultura e
nas parcerias, além da expectativa da verba do programa federal “Mais
Educação”, contamos que o programa permaneça na nossa unidade para o
ano de 2016.

Página 4
1. DESCRIÇÃO DA ESCOLA

Dados Gerais da Escola

Nome completo: Escola Estadual Francisco Varella

Ano de fundação: 06/09/1935 Bairro / Cidade: Centro / Carmo-Rio de Janeiro

Endereço: Rua Francisco Lourenço Alves – nº 19

Telefone: (22) 2537-0902 e-mail: franciscovarella@igmail.com

Nº de alunos: 452 Séries atendidas: Ensino Fundamental Regular (6º, 7º, 8º e 9º ano)

Ensino Médio Regular (1º 2º e 3º ano)

Fachada do Colégio Estadual Francisco Varella – 2015, podemos ver o observatório


“Pegasus”, criado pelo prof. Adilton Cruz no ano de 2000.

Página 5
Evolução da Escola

A unidade Escolar Francisco Varella já existia muito antes do seu ato de


criação, ela se chamava Grupo Escolar Francisco Varella e funcionava em
outro endereço, porém, a partir da deliberação de nº 205 de 28/09/1935 e a sua
publicação em D.O. no ano de 06/09/1935, ela passou a residir a Rua
Francisco Lourenço nº 19, bem no centro de Carmo.

O Grupo da Instrução Gratuita ofereceu o terreno à prefeitura de Carmo, sem


quaisquer ônus, e o Interventor Federal no Estado do Rio de Janeiro, após
censo realizado no município, onde se verificou a existência de 403 crianças
(número superior ao regulamento da Instrução pública na época), pleiteou a
criação do grupo escolar para atender a demanda, ofertando o antigo Ensino
Primário, de 1ª a 4ª séries.

Em 1948, o Estado do Rio de Janeiro adquire da Prefeitura de Carmo o terreno


e formaliza a reforma e construção de um prédio com 1.986 m² em um terreno
de 3.256 m². Na década de 50 foi construído um aviário com mais de 50
espécies empalhadas de aves nativas, esse aviário ainda existe e é uma das
marcas registradas da escola.

Já no fim da década de 50, a escola começa ofertar o Pré-Escolar através do


decreto publicado em D.O no ano de 15/07/59. Ao final da década de 70, a
Escola já se chamava Escola Estadual Francisco Varella, com a capacidade de
abrigar mais de 400 alunos por turno e ofertando o Ensino Fundamental.

Na década seguinte, a escola ganha uma reforma e mais três salas. No ano de
2000, o Diretor Adilton J. F. Cruz, mais conhecido como “Dito”, inova e constrói
um observatório na parte superior da escola, onde durante muitos anos foi
possível acompanhar alguns dos eventos mais importantes do mundo da
astronomia.

No ano seguinte, em 2001, a escola é autorizada a ofertar o ensino médio,


com isso muda de nome mais uma vez, passando a se chamar Colégio
Estadual Francisco Varella. Enfim, estamos em um ano comemorativo, em
setembro faremos 80 anos e esta prevista uma grande festa envolvendo toda a
comunidade escolar, inclusive ex-alunos, ex-funcionários e ex-professores.

Página 6
Missão:

O Colégio Estadual Francisco Varella tem como Missão ofertar uma educação
integral de qualidade, e em tempo integral, proporcionando o crescimento
constante do educando, através de uma aprendizagem interdisciplinar e
significativa, contextualizada nos espaços e territórios da sua cidade,
trabalhando a autoestima e a valorização pessoal do educando, onde ele é
incentivado a participar do processo de aprendizagem, e dessa forma,
inserindo-se na sociedade como cidadão crítico e protagonista de seu tempo.

Visão:

Pretendemos ser uma escola que utilize e desenvolva práticas educativas


multidisciplinares, articuladas à educação integral, trabalhando em equipe e de
maneira colaborativa, comprometida e criativa; ampliando dessa forma as
possibilidades de uma educação para além da aprendizagem formal, sendo
capaz de atender as expectativas e demandas externas e internas, tornando-se
uma escola de referência no munício de Carmo.

Valores:

Formar o jovem como pessoa humana, dotado de iniciativa (ação), liberdade


(opção) e compromisso (responsabilidade), apto para fazer escolhas baseado
nos valores universais da humanidade (democracia, liberdade individual, direito
à vida) que garantam o respeito pela vida humana, pelo meio ambiente, a
dignidade da pessoa, a ética nas decisões e nas relações que estabelece de
maneira fraterna, solidária e justa, pautando-se no respeito às diferenças de
etnia, cor, gênero, credo, ideologia ou condição social.

Professores

Disciplinas Tempo em que


Nome Formação
ministradas trabalha na escola
1-Ana Lúcia Citrângulo Matemática 5 anos Docente 1

2-Ana F. T. Citrângulo Português 3 anos Docente 1

3-Jocilene A. Reguine Matemática 6 anos Docente 1

4-Getulio Militão Ciências 8 anos Docente 1

Página 7
5-Kátia Lutterbach Matemática 3 anos Docente 1

6-Bárbara G. Abreu Ed. Física 1 ano Docente 1

7-Vítor de C. Morais Geografia 1 ano Docente 1

8-Ruth P. de Sousa Português 1 ano Docente 1

9-Julianna B. de Matos Geografia 1 ano Docente 1

10-Santinha Rodrigues Português 1 ano Docente 1

11-Cíntia M. C. Abreu História 8 anos Docente 1

12-Adilton J.F. Cruz História 14 anos Docente 1

13-Dilma M. Ribeiro História 1 ano Docente 2

14-Hunglu J. Seraphim Matemática 6 anos Docente 1

15-Rosimara dos Santos Português 8 anos Docente 1

16-Marcus V. C. Fernandes Física 8 anos Docente 1

17-Nilza Ribeiro de Souza Português 8 anos Docente 1

18-Pryscila T. Barbosa Artes 4 anos Docente 1

19-Tania C. Abreu Ribeiro Geografia 29 anos Docente 2

20-Mirian W. Barros Silva Matemática 1 ano Docente 1

21-Rogerio José V. Couto Português 20 anos Docente 1

22-Gleydson P. Mendonça Ed. Física 10 anos Docente 1

23-Lúcia Helena dos Santos Ensino Religioso 8 anos Docente 1

24-Eugênio Paulo Lopes Geografia 3 anos Docente 1

25-João Victor Garcia Biologia 1 ano Docente 1

26-Alessandro F. de Oliveira História 3 anos Docente 1

27-Cristiane R. Martins Espanhol 1 ano Docente 1

28-Yuri Gonçalves de Souza Ed. Física 1 ano Docente 1

29-Renata P. de O. Barion Português 1 ano Docente 1

30-Marise Abreu de Paula Matemática 1 ano Docente 1

31-José M. de C. Citrângulo Matemática 20 anos Docente 1

Página 8
32-Idégma C. Carvalho Matemática 2 anos Docente 1

33-Felipe dos Santos Senra Ed. Física 1 ano Docente 1

34- Eduardo P. de Azevedo Artes 7 anos Docente 1

35- Solange A. Perrut História 30 anos Docente 2

36- Carlos Coelho de Morais Português 22 Docente 2

37- Jaqueline Macuco Leite Pedagogia 15 Docente 2

38- Lenir Ribeiro Martins Educação Infantil 5 anos Docente 2

39- Eloá Marinho Huguenin Ens. Fundamental 1 14 anos Docente 2

40- Eva Ferreira de Souza Educação Infantil 2 anos Docente 2

41- Patrícia da Silva Bastos Geografia 20 anos Docente 2

42- Rogéria R. dos Santos Pedagogia 28 anos Docente 2

43- Renata Aparecida M. Inglês 2 anos Docente 2

44- Cleonice Cunha Lopes História 1 ano Docente 1

45- Gabriel Duarte Artes 1 ano Docente 1

46- Edinéia Huguenim Educação Infantil 30 anos Docente 2

Demais funcionários

Tempo em
Nome Cargo que trabalha Formação
na escola

Andreia Reis Merendeira 19 anos 2º Grau

Ana Maria H. Murchão Merendeira 17 anos 1º Grau

Sandra M. da Costa Muniz Auxiliar de S. Gerais 14 anos 2º Grau

José Geraldo da Silva Porteiro 13 anos 2º Grau

Espedito Tadeu Rosa Silveira Porteiro 9 anos 2º Grau

Eli de Fátima Cruz Simões Auxiliar de S. Gerais 6 anos 1º Grau

Antônia Damiana R. Alves Merendeira 6 anos 1º Grau

Maria José de Souza Merendeira 2 anos 1º Grau

Página 9
Alunos

Nº total Nº de Média de idade da


Série/ano
de alunos turmas/grupos série/ano

6º ano 81 4 turmas 12 anos

7º ano 77 4 turmas 13 anos

8º ano 90 4 turmas 14 anos

9º ano 84 4 turmas 15 anos

1º ano 50 3 turmas 16 anos

2º ano 55 3 turmas 17 anos

3º ano 15 2 turmas 18 anos

Fazendo parte da comunidade, é fundamental que o Colégio conheça o


contexto social de sua vizinhança e da clientela a que serve. Apesar de óbvia,
nem sempre essa percepção é alcançada pelas unidades escolares, muitas
vezes absorvidas na atividade educativa como expressão de um processo
burocrático e indefinido. Conhecer a comunidade em que está inserida (e,
portanto, sua clientela), suas necessidades, potencialidades e expectativas,
adequando a elas seu trabalho de atendimento educacional, é a única forma
possível para o Colégio atender às suas finalidades - formar cidadãos,
conscientes e capazes, fornecendo, ainda, os conteúdos e habilidades
necessários à sua melhor inserção no ambiente social.

A clientela do Colégio Estadual Francisco Varella não difere das de outras


escolas públicas da periferia do nosso município: carenciada de modo geral,
muitas vezes desnutrida, proveniente de lares desfeitos ou desestruturados
pela falta de emprego ou atividade econômica. Esse contexto leva os nossos
alunos à evasão escolar, buscando alternativas para auxiliar no sustento de
seus familiares. Dentro desse quadro, muitos alunos são prejudicados, não
concluindo seus estudos no período certo. Os pais, em sua maioria, não
frequentam as reuniões organizadas pela escola, não possuem o Ensino
Fundamental e pouco participam das atividades escolares de seus filhos.

Página 10
Diante desse quadro, o Colégio Francisco Varella, através da sua equipe
diretiva, professores e funcionários, utilizando-se da qualidade de seus
profissionais, PPP e dos projetos que a unidade foi contemplada, como o
projeto “Mais Educação”, pretende modificar essa realidade e ofertar uma
educação integral e em tempo integral, onde a educação é pensada para além
dos muros da escola.

Infraestrutura

Item Avaliação Comentários/observações

Abastecimento de água Boa ---

Abastecimento de energia
Boa ---
elétrica

Rede de esgoto Boa ---

Sanitários Boa ---

Instalações para a direção


Boa ---
e equipe gestora

Sala dos professores Boa ---

Já tivemos um, mas os


Laboratório de Informática Inexistente equipamentos estão ruins e
não há sala disponível.

Já tivemos um, mas os


Laboratório de Ciências Inexistente equipamentos estão ruins e
não há sala disponível.

Estamos reorganizando a
Biblioteca Razoável biblioteca que teve que
mudar de sala.

Quadra esportiva Boa

Refeitório Boa

Instalações para Boa

Página 11
deficientes físicos

Oferta de internet Ruim

Equipamentos
tecnológicos para Razoável
utilização em sala

Diretrizes pedagógicas

Diretrizes pedagógicas- Ensino fundamental

O Ensino Fundamental deve estar comprometido com a democracia e a


cidadania. Nesse sentido, baseados no texto da Constituição de 88, os
Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) orientam a escola quanto aos
princípios gerais que visam o respeito aos direitos humanos e exclusão de
qualquer tipo de discriminação, nas relações interpessoais, públicas e privadas.

Diretrizes Pedagógicas – Ensino médio

A área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias deverá possibilitar ao aluno


do Ensino Médio o desenvolvimento de competências no que diz respeito a:

 Compreensão e uso dos sistemas simbólicos das diferentes linguagens


(linguagem verbal, não verbal, verbo visual, audiovisual etc.), como meio
de organização cognitiva da realidade pela constituição de significados,
expressão, comunicação e informação.
 Análise, interpretação e aplicação dos recursos expressivos das
linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a
natureza, função, organização das manifestações, de acordo com as
condições de produção e recepção;
 Confronto de opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e
suas manifestações;
 Preservação das diferentes manifestações da linguagem utilizadas por
diferentes grupos sociais em suas esferas de socialização; usufruindo o
patrimônio nacional e internacional, com suas diferentes visões do
mundo; construindo categorias de diferenciação, apreciação e criação;
 Utilizar-se das linguagens como meio de expressão, informação e
comunicação em situações intersubjetivas, que exijam graus de
distanciamento e reflexão sobre os contextos e estatutos de
interlocutores; e saber colocar-se como protagonista dentro do seu
contexto social;

Página 12
 Entender os princípios das tecnologias de comunicação e informação,
associando-as aos conhecimentos científicos, as linguagens que lhe
darão suporte e aos problemas que se propõe solucionar;
 Entender o impacto das tecnologias da comunicação e da informação na
sua vida, nos processos de produção, no desenvolvimento do
conhecimento e na vida social.

Página 13
2- DESEMPENHO DA ESCOLA

Avaliações Externas

IDEB
Escola Estadual Francisco Varella

Município – Carmo – RJ

Rede Estadual de ensino do RJ

Série 9º ano de escolaridade Ensino Fundamental 2013

Colégio 2007 2009 2011 2013 2009 2011 2013 2015 2017 2019 2021
Estadual 2,8 2,9 3,2 4,7 2,9 3,1 3,4 3,8 4,0 4,3 4,6
Francisco
Varella
Metas Atingidas Metas Projetadas

Como se observa no quadro de resultados e metas projetadas pelo Índice de


Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), os resultados das ações
pedagógicas revelou-se em 2013 no percentual de 4,7, superando a meta
projeta para 2021 que é de 4,6.

Se pontuarmos que estes indicadores reúnem dois conceitos igualmente


importantes para uma educação de qualidade: fluxos escolares e médias de
desempenho nas avaliações que são crescentes a partir de uma visão
diferenciada que vai além da formalidade conteúdista, para uma visão mais
direta da realidade do entorno escolar e da real significação de um projeto de
vida construído pelo próprio aluno.

Avaliação Estadual
Sistema de Avaliação do estado do Rio de Janeiro (SAERJ) 2013

REDE ESTADUAL – CORREÇÃO DE FLUXO

Os resultados da escola

Escola: CE FRANCIASCO VARELLA - 9º ANO

Município: CARMO

DRP: SERRANA II

Página 14
300
267.2 Lingua Portuguesa - 2013
250
% por padrão de desempenho

195.6
200

150

100
64.3
53.5
50 35.7 33.8
5.6 0 0 7
0
Proficiencia Baixo Intermediário Adequado Avançado

901 902

0 a 200 – baixo 200 a 275 – Intermediário 275 a 325 – Adequado

325 e acima - Avançado

300
267 Matemática - 2013
250
% por padrão de desempenho

215.5
200

150

100
64.3 67.6

50 35.7
14.1 16.9
0 0 1.4
0
Proficiência Baixo Intermediario Adequado Avançado

901 902

0 a 200 – baixo 200 a 275 – Intermediário 275 a 325 – Adequado


Avaliações,
325 e acima -pesquisas
Avançado e relatórios internos

Página 15
Matrículas Matrículas
Série/Ano Evasão Transf. Disciplinas Aprov. Reprov.
iniciais finais
Português 71 01
Matemática 71 02
História 71 00
Geografia 71 00
9º ano 85 00 11 74 Ciências 71 00
L. 71 00
Estrangeira
Ed. Física 71 00
Artes 71 0
Total de Aprovação 83%

Observa-se que a porcentagem de aprovação final é de 83% - índice


considerado satisfatórios no desenvolvimento escolar. Contudo, analisando o
desenvolvimento das turmas segundo o dado do SAERJ e do gráfico de
relatórios internos durante os bimestres, alguns fatores se tornaram decisivos
para o êxito dos resultados.

Os fatores foram: Relatórios de analises de turmas Pós-conselho de classe;


plano de estratégias e ações complementares; reforço escolar (contra turno) e
orientação educacional ostensiva.

As dificuldades apresentadas como: dificuldade de leitura e compreensão de


textos, dificuldade de análises de gráficos, tabelas matemáticas, falta de pré-
requisito em matemática, comportamentos inadequados ao ambiente escolar
foram trabalhados em planos operacionais, levando o resultado final ao nível
satisfatório.

Outro fator foram as transferências que em sua maioria eram compostas por
alunos que possuíam necessidades de ensino alternativo como: CEJA e ensino
regular noturno, onde o atendimento se faz de forma diferenciada.

Página 16
Pesquisa com atores da comunidade escolar

Aprovação de parcerias em projetos na escola 75


9095
Aprovação dos projetos escolares 727580
Convivência no espaço escolar 8590
80
Permanencia na escola 95
8590
Adequação do espaço físico na escola 68
7580
Relevancia do papel da escola na comunidade 90
90
65
Aprovação dos recursos e materias didáticos 6870
45
Expectativas de futuro com a escola 75
6570
Aprovação das ações administrativas 70 85
85
Aprovação do trabalho pedagógico 80
6872
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100

Professores e funcionários Responsáveis Alunos

A pesquisa foi de caráter qualitativo, contendo vinte questões objetivas e uma


questão subjetiva, onde se destacava mudanças nas ações pedagógicas e
administrativas. Optou-se pela não identificação do participante da pesquisa
como forma de livre expressão e sugestões para o futuro da unidade escolar.

A pesquisa com a comunidade foi realizada em um sábado letivo, dia


07/03/2015 às 09h00min horas da manhã. As dos professores e funcionários
foram encaminhadas por e-mail e devolução. A pesquisa com os alunos foi
feita por amostragem de turmas, nos intervalos escolares durante o período de
uma semana.

O número de respondentes foi: 23 professores/funcionários, 45 responsáveis e


80 alunos. Distribuídos em porcentagem conforme a explanação abaixo:

Dos resultados obtidos de forma geral, onze pontuações foram feitas:

Aprovação de parcerias em projetos escolares:

 Professores e funcionários – 75 %
 Responsáveis - 95 %
 Alunos – 90 %

Página 17
Aprovação de projetos escolares:
 Professores e funcionários – 80 %
 Responsáveis - 72 %
 Alunos – 75 %
Convivência no espaço escolar:
 Professores e funcionários – 85 %
 Responsáveis - 90 %
 Alunos – 80 %
Permanência na escola:
 Professores e funcionários – 95 %
 Responsáveis - 90 %
 Alunos – 85 %
Adequação do espaço físico na escola:
 Professores e funcionários – 68 %
 Responsáveis - 80 %
 Alunos – 75 %
Relevância no papel da escola na comunidade:
 Professores e funcionários – 90 %
 Responsáveis - 90 %
 Alunos – 65 %
Aprovação dos recursos e materiais didáticos :
 Professores e funcionários – 68 %
 Responsáveis - 70 %
 Alunos – 45 %
Expectativas de futuro com a escola:
 Professores e funcionários – 75
 Responsáveis - 70
 Alunos – 65
Aprovação das ações administrativas:
 Professores e funcionários – 70
 Responsáveis - 85
 Alunos – 85
Aprovação do trabalho pedagógico:
 Professores e funcionários – 80
 Responsáveis - 72
 Alunos – 68

Analisando os dados da pesquisa, observa-se que os responsáveis mantém


uma constante e considerável aprovação do trabalho pedagógico e

Página 18
administrativo da escola. Em relação aos professores, percebe-se que em
relação ao espaço físico no que diz respeito a adequação e a materiais
didáticos e tecnológicos, a porcentagem cai para 65 %, fato este considerado
na pesquisa por improvisações de salas para biblioteca, sala de informática,
sala de projeções que são montadas e desmontadas em função de
acomodações de turmas, ficando as aulas limitadas ao espaço sala de aula.

Também se pontua a falta de conhecimento para utilização de recursos


tecnológicos pelo professor. Destaca-se a insatisfação do professor quando a
maquina de Xerox da escola apresenta defeito, parece que tal fato gera a
impossibilidade de se buscar novas técnicas ou recursos para ministrar os
conteúdos. Em relação os outros aspectos da pesquisa os professores e
funcionários permanecem enraizados no conformismo, do continuísmo, não
sugerindo novas ações que proponham mudanças.

Em relação à classe discente, há uma necessidade de mudança nos matérias e


metodologias pedagógicas, uma vez que o próprio aluno não considera
adequado o recurso utilizado nas ministrações das aulas, o que afetará
certamente o desempenho escolar do mesmo.

Em relação à expectativa de futuro, pontua-se um descaso com a questão da


continuidade dos estudos e o comodismo interiorano pelas ações politicas-
assistencialistas que denotam apatia com a possível mudança da historia social
e pessoal da família e do aluno.

Embora a pesquisa com diferentes atores nos mostre o que a escola como
espaço de transformação social se apresenta aos olhos de cada respondente
vemos os resultados do IDEB, SAERJ, SAERJINHO (avaliação interna) nos
mostram que a escola cumpre seu papel conteudista e ainda não há práticas
relevantes para a transformação social quando não se observa a expectativa
de projetos de vida futuros para as gerações de alunos que ocuparão
diferentes segmentos da sociedade, na qual estamos inseridos.

Página 19
3. CARACTERIZAÇÃO DO ENTORNO

Cidade de CARMO – RJ

Bandeira:

Fundação: 28 de maio de 1832

Gentílico: carmense

Atual prefeito (a): Paulo Cesar Gonçalves Ladeira

Extensão territorial: 324,742 km2

Distância da capital do estado: A distância em linha reta entre Rio de Janeiro


e Carmo (ambas no estado do Rio de Janeiro) é de 125.16 km, mas a distância
de condução é de 190 km.

Municípios limítrofes: Além Paraíba (MG), Cantagalo, Duas Barras,


Sapucaia, Sumidouro e Volta Grande (MG).

População: 17.434 hab. (Censo/IBGE 2010), com uma estimativa de 18.074


para o ano de 2014.

IDH: O Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) - Carmo é 0,696, em 2010,


o que situa esse município na faixa de Desenvolvimento Humano Médio (IDHM

Página 20
entre 0,600 e 0,699). A dimensão que mais contribui para o IDHM do município
é Longevidade, com índice de 0,813, seguida de Renda, com índice de 0,683,
e de Educação, com índice de 0,608.

PIB: O PIB do Município de Carmo está entorno de R$ 291.399.000 (duzentos


e noventa e um milhões trezentos e noventa e nove mil reais), e o PIB per
capita em torno de R$ 16.409, 43 (dezesseis mil quatrocentos e nove reais e
quarenta e três centavos), segundo o IBGE (2012).

Principais atividades econômicas: Agropecuária, Indústria e Serviços.

Saúde: Segundo os indicadores consultados (Fonte: PNUD, Ipea e FJP), os


índices de mortalidade infantil diminuíram significativamente nos últimos vinte
anos, ainda assim há uma reclamação da população pelo atendimento aos
recém-nascidos, a população pede por melhores condições, como por
exemplo: um respiradouro, aparelho que o hospital do município não possui.

A esperança de vida ao nascer é o indicador utilizado para compor a dimensão


Longevidade do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). No
município, a esperança de vida ao nascer cresceu 3,3 anos na última década,
passando de 70,5 anos, em 2000, para 73,8 anos, em 2010. Em 1991, era de
64,8 anos. No Brasil, a esperança de vida ao nascer é de 73,9 anos, em 2010,
de 68,6 anos, em 2000, e de 64,7 anos em 1991.

Segurança: Carmo era conhecido como o município com o menor índice de


homicídio no estado do rio de Janeiro, porém, desde o segundo semestre de
2014, a cidade tem tido inúmeros casos de homicídio e tentativa de homicídio.
O envolvimento de menores nesses crimes preocupa toda a sociedade
carmense, as instituições responsáveis pela segurança no município ainda não
encontraram um caminho para deter o avanço da criminalidade, que tem como
principais vetores: o tráfico de drogas e a violência (familiar) contra a mulher.

O que parece estar acontecendo no município é o efeito disseminação, ou seja,


a criminalidade sendo fortemente combatida na região metropolitana tem
diminuído os índices na capital, o que acarreta na fuga dos criminosos para o
interior do estado, onde a estrutura de segurança pública não está preparada
para combater esse tipo de criminalidade.

Página 21
Transporte: O município, bem como a sua cidade, não possuem um serviço
público de transporte. O transporte intermunicipal é ofertado por empresas
privadas. Não há ônibus, ou mesmo micro-ônibus e pequenos coletivos, para
ofertar o transporte público dentro do município. Para piorar a situação, a
quantidade de taxis no município é recorde, hoje entorno de 300 taxis para
18.000 habitantes, ou seja, um taxi para cada grupo de sessenta habitantes,
bem acima da média indicada (parâmetro mundial de qualidade) como ideal
que estabelece um taxi para cada grupo de 300 habitantes.

O transporte escolar é o único que possui uma pequena estrutura que


coordena as rotas municipais (para os alunos da rede municipal) através da
prefeitura, e as rotas estaduais (para os alunos da rede estadual).

Educação: Os últimos resultados na educação são excelentes, Carmo está em


4º lugar no estado do Rio de Janeiro (com 6,9), ficando atrás apenas de Volta
Redonda (com 7,0), Sumidouro (com 7,1) e Itaperuna (com 7,3) em um total de
92 municípios. A Regional a qual pertence, Serrana II está em 1º lugar.

O município possui cinco (5) escolas estaduais que ofertam o 2º segmento do


ensino fundamental e ensino médio, em várias modalidades. O município
possui nove (9) escolas que ofertam o ensino fundamental 1º segmento e onze
(11) escolas que ofertam o ensino pré-escolar, também em diferentes
modalidades.

Proporções de crianças e jovens frequentando ou tendo completado


determinados ciclos indica a situação da educação entre a população em idade
escolar do estado e compõe o IDHM Educação. No município, a proporção de
crianças de 5 a 6 anos na escola é de 98,04%, em 2010. No mesmo ano, a
proporção de crianças de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino
fundamental é de 77,23%; a proporção de jovens de 15 a 17 anos com ensino
fundamental completo é de 55,62%; e a proporção de jovens de 18 a 20 anos
com ensino médio completo é de 37,60%. Entre 1991 e 2010, essas
proporções aumentaram, respectivamente, em 31,53 pontos percentuais, 37,49
pontos percentuais, 34,12 pontos percentuais e 15,68 pontos percentuais.

Página 22
Melhores escolas da cidade segundo IDEB

Séries Finais:

Resultado e Situação das Escolas IDEB

CIEP BRIZOLÃO 280 5,0

CE Francisco Varella 4,7

Taxa de aprovação

Página 23
fluxo
Fluxo e taxa de aprovação por série 6º 7º 8º 9º

CIEP BRIZOLÃO 280 0,96 95,6 96,8 80,7 98,9

CE Francisco Varella 0,91 96,3 91,3 98,3 93,9

Prova Brasil
Aprendizado
Aprendizado e notas da Prova Brasil
Port. Mat.

CIEP BRIZOLÃO 280 5,24 247,69 261,98

CE Francisco Varella 5,16 251,97 262,16

Possibilidades de atividades na cidade:

Atividade: Semana Olímpica

Local: Campo de futebol do Carmense.

Descrição: Durante uma semana haverá práticas esportivas relacionadas com


o Atletismo, como por exemplo: corrida, corrida com obstáculos, salto em
distância e etc...

Parceiros envolvidos: A diretoria do Carmense e fornecedores do Colégio


Estadual Francisco Varella.

Impactos na aprendizagem: O esporte tem grande apelo entre as crianças e


os adolescentes. Com a proximidade dos Jogos Olímpicos de 2016
poderíamos envolver as várias disciplinas em torno do tema, abordando
questões relacionadas com a saúde, o sentido de união e grupo
proporcionando a integração entre as séries, o estudo da Matemática através
da pontuação das equipes, o estudo da Física através do cálculo da
velocidade, o estudo da Geografia através da escolha e representação das
equipes por países, o estudo da História através das outras competições, o
estudo da Química através do uso dos anabolizantes, a apreciação artística na
confecção das bandeiras e cartazes, o estudo da Língua Portuguesa na
confecção do jornal olímpico e do blog relacionado com o evento, enfim, o tema
proporciona o diálogo entre as disciplinas e os temas transversais.

Página 24
Atividade: Sarau Artístico e Literário

Local: Teatro Municipal de Carmo.

Descrição: Apresentação artística dos alunos do Colégio Estadual Francisco


Varella, no evento os alunos poderão recitar poesias, cantar, dançar ente
outras atividades.

Parceiros envolvidos: Prefeitura de Carmo e fornecedores do Colégio


estadual Francisco Varella.

Impactos na aprendizagem: Com temática variada, a intenção da atividade é


educar os alunos para a prática artística, com foco em Artes e Português. A
atividade pretende, de maneira lúdica, envolver os alunos nas práticas
artísticas, promovendo a replicação dos conteúdos escolares através do teatro,
dança e da leitura.

Atividade: Cidade em Foco

Local: Praça Getúlio Vargas (praça principal).

Descrição: Os alunos farão pesquisas e enquetes com a população, os temas


estarão relacionados com os anseios e as expectativas da população em
relação aos serviços públicos, a qualidade de vida, laser e cultura.

Parceiros envolvidos: Jornal local, prefeitura e fornecedores do Colégio


estadual Francisco Varella.

Impactos na aprendizagem: Envolver os alunos com os problemas da cidade


e as possíveis soluções, faz parte de um dos principais temas transversais, a
cidadania. A participação dos alunos diante das questões locais aproximam os
conteúdos com a realidade. O uso da Matemática para gerar os percentuais, as
pesquisas e relatórios através da Língua Portuguesa, o estudo dos problemas
da comunidade na ótica da Sociologia e Filosofia.

Página 25
4- PROPOSTA DE INTERVENÇÃO

Resumo da proposta

A nossa proposta de intervenção pretende contemplar o conceito de educação


integral em todos os aspectos, através das práticas esportivas, democratizar o
acesso à cultura do esporte como instrumento educacional estendendo o
tempo de permanência das crianças e adolescentes do nosso município nas
escolas e em espaços educativos, visando ao desenvolvimento integral de
crianças, adolescentes e jovens como meio de formação da cidadania e
melhoria da qualidade de vida.

Características relevantes

Impactos na melhoria da aprendizagem e melhoria da qualidade dos


serviços oferecidos pela escola:

O projeto de intervenção pretende atacar os principais problemas


diagnosticados da seguinte forma:

 Dificuldade de leitura e compreensão de textos


 Dificuldade de análises de gráficos e tabelas matemáticas
 Comportamento Inadequado ao ambiente escolar
 Redução do fluxo escolar

Dificuldade de leitura e compreensão de textos

A escola é sim um lugar original de comunicação.

As práticas pedagógicas de língua Portuguesa tem sido alvo de uma constante


preocupação. Afinal, muitas são as dificuldades dos alunos no que diz respeito
ao desenvolvimento da proficiência em leitura e compreensão de texto. No
entanto, não podemos esquecer que é papel da escola como um todo tornar
nossos alunos capazes de utilizar a linguagem como instrumento de
aprendizagem, sabendo fazer uso de informações contidas nos textos, bem
como conhecer e analisar criticamente os usos da língua como veículo de
valores e preconceitos de classe, credo, gênero ou etnia.

Página 26
A escola precisa viabilizar o acesso do aluno ao universo dos textos que
circulam socialmente, ensinar a produzi-los e a interpretá-los. Isso inclui os
textos das diferentes disciplinas, com os quais o aluno se defronta
sistematicamente no cotidiano escolar e, Como se sabe, a comunicação
humana pode efetivar-se por meio de palavras (linguagem verbal) ou por meio
de outros signos (linguagem não verbal). Os gestos e os movimentos fazem
parte dos recursos de comunicação que o ser humano utiliza para expressar
suas emoções e sua personalidade, comunicar atitudes interpessoalmente e
transmitir informações e neste contexto se destaca a disciplina de Educação
Física.
Antes mesmo de comunicarem-se através das palavras, os seres humanos já
se comunicavam por meio do movimento e do corpo, que sente se expressa e
se movimenta... O corpo fala.
Movimentos corporais como, por exemplo, as expressões faciais, os gestos
que compõem uma coreografia de dança bem como os presentes nas
modalidades esportivas, podem também ser entendidas como portadores de
texto. Isso equivale a dizer que a comunicação pode ser otimizada e
potencializada na medida em que compreendermos os argumentos contidos
nas manifestações corporais. Está aí, uma produção textual rica em
significados e ideias.

A interdisciplinaridade da Educação Física com a produção verbal de texto


deverá ser construída, portanto, na capacidade de elaboração de arranjos
constituídos por gestos e/ou palavras que ganham em amplitude e
complexidade na medida em que se assegura a ampliação dos repertórios.
Quanto maior for o repertório de movimentos, mais ricas tendem a serem as
possibilidades de construção de um texto, da mesma forma que quanto maior o
número de palavras que conhecemos, maiores são as possibilidades de
comunicação e expressão. A linguagem é a manifestação mais complexa da
inteligência humana, pois permite que pensamentos sejam compartilhados. É
preciso mais do que uma mente em perfeito funcionamento para que isso
aconteça, aliás, não existe mente sem corpo (DAMÁSIO, 1994). O corpo tem
um papel essencial no comportamento inteligente e na apreensão de
conhecimentos (DREYFUS, 1992).

Página 27
Dificuldade de análises de gráficos e tabelas matemáticas

Evidencia-se, que há uma associação da prática da Educação Física escolar


com os construtos emocionais: O ”interesse e a atitude” e a disciplina de
matemática, pois há integração entre o lado intelectual e emocional, através
das características cognitivas, as psicomotoras, e as afetivas ou emocionais. ,
Pensar a Educação Física de forma interdisciplinar é desenvolver atividades
que através de eixos temáticos, possa entrelaçar conteúdos buscando atingir
um objetivo comum. Algumas atividades desenvolvidas na Educação Física
podem servir de auxilio para outras disciplinas. Por exemplo, no
desenvolvimento do raciocínio lógico-matemática e interpretação de dados são
observados nas brincadeiras como a amarelinha, auxilia a criança na vivencia
prática da sequência crescente da matemática. Brincadeiras realizadas em
duplas, trios, quartetos, também são exemplos de grupamentos de jogadores /
companheiros e de número de pessoas. Marcação de retas com medidas
definidas para diferentes modalidades de jogos, números de jogadores por
esportes, regras, pontuações máximas, painéis eletrônicos, tabelas de jogos e
pontos somadas a outras tantas atividades que visam entendimento cognitivo
prático e empírico, denotam que a melhoria nos conteúdos matemáticas pelos
alunos se torna evidentes por passam por experimentos sociais cotidianos que
emergem de interesse que levam a atitude de interpretar o mundo que os
cercam.

Mediante as novas propostas pedagógicas nos cabe neste mundo cheio de


diversidade de grandes e velozes transformações nos posicionamo-nos diante
do novo com a mesma ansiedade e certeza que a criança se porta diante de
um jogo ou de uma brincadeira interessante: sabemos que cada obstáculo
superado, a cada grau de dificuldade alcançado, um novo desafio nos é
imposto. Superar a si mesmo e aos novos desafios que hão de vir é a nossa
tarefa. Comportamento Inadequado ao ambiente escolar.

Comportamento Inadequado ao ambiente escolar e Redução do fluxo


escolar

Página 28
A composição de um clima motivador é um aspecto inerente às aulas de
Educação Física, tendo como seus elementos o professor, os alunos e as
situações cotidianas em suas múltiplas possibilidades de relações. A falta de
motivação dos alunos e a falta de interesse estão diretamente ligadas a
emoção, gerada por 03 fatores: sistema psíquico cognitivo, sistema fisiológico
(ativação) e sistema social (relações sociais).

Nesta dinâmica de relações, as emoções podem influir diretamente nos


aspectos pessoais, situacionais, exercendo efeitos motivadores sobre o
comportamento, influenciando a percepção, a aprendizagem e o desempenho,
uma vez que a mesma influencia diretamente o comportamento do ser humano
A escola precisa destinar maior atenção nas relações que se estabelecem
entre professores, alunos, família e o próprio ambiente de trabalho constituído
e os entornos escolares. Estamos estabelecendo simultaneamente
relacionamentos em diferentes instâncias, portanto, as aulas de Educação
física, se tornam por excelência meio, intervenção pedagógica eficaz com
conexão direta sobre o comportamento individual, social inerente a praticas que
convivência em sociedade.

Os procedimentos didáticos pedagógicos do professor podem também


influenciam no comportamento dos alunos e, consequentemente, na motivação
dos mesmos. O professor que leva a sério o que faz e que alia a sua
competência técnica ao compromisso de ensinar, desperta a criatividade e
motiva os alunos a reflexão através do mundo que o cerca e seu corpo. Ao
adotar em sua prática a mediação entre a escola e o cotidiano do aluno, o
professor leva grande vantagem sobre as outras disciplinas escolares, pois a
Educação Física, por si só é uma prática motivadora e que permite abordar
uma grande variedade de temas e assuntos relacionados na maioria das
disciplinas existentes no currículo de uma instituição, podendo promover um
ensino mais desafiador e interessante para os alunos.

O comportamento inadequado precisa ser definido, uma vez que pode estar
carregado de vários aspectos não percebidos como transformações no corpo
(explosões hormonais), problemas de saúde, problemas sociais, psicológicos,
familiares, entre outros que passam despercebidos e são minimizados por um

Página 29
simples “pseudônimo” indisciplina. Certamente que o fracasso escolar leva ao
abandona da escola e indisciplina é uma das maneiras que as crianças e os
adolescentes têm de comunicar que algo não vai bem, se entendemos sua
linguagem corporal promoveremos possibilidades para os alunos interagirem
de forma significativa com o meio e definir seu papel com sujeito autônomo,
responsável e coerente, apto para conviver em sociedade.

Interação com a cidade

O município de Carmo possui três campos de futebol, dois campos estão


localizados no centro da cidade e um terceiro em um bairro próximo. A
proposta pretende utilizar esses espaços para a prática esportiva, seja ela
individual, como nas corridas a distância e provas de velocidade, ou as provas
por equipes e esportes.

O espaço escolhido para a intervenção inicial é o Carmense Atlético Clube,


além de ser um espaço muito próximo ao Colégio Francisco Varella, na
verdade ele situa-se ao lado, esta instituição esportiva já é um parceiro do
colégio.

Além desse parceiro, a escola conta com os seus fornecedores de alimentos,


principalmente com um produtor rural que fornecerá o lanche para os atletas e
equipes. Da mesma maneira que o campo de futebol do Carmense Atlético
Clube, nosso fornecedor de merenda está localizado também ao lado do
colégio, o que facilita bastante a gestão dos todos os recursos.

Alinhamento com o PNE

O projeto de intervenção está alinhado ao PNE, ele contempla os dois


segmentos (e em todos os turnos) de ensino que a escola atualmente oferece:
ensino fundamental (2º segmento) e ensino médio, portanto, ele está
comprometido com o aumento da permanência de todos os seus alunos
através do horário em tempo integral, com isso também fomenta um número
maior de matrículas nos dois segmentos para os próximos anos.

As estratégias que serão contempladas são as seguintes:

 6.1- Promover, com o apoio da União, a oferta de educação básica


pública em tempo integral, por meio de atividades de acompanhamento

Página 30
pedagógico e multidisciplinares, inclusive culturais e esportivas, de
forma que o tempo de permanência dos (as) alunos (as) na escola, ou
sob sua responsabilidade, passe a ser igual ou superior a 7 (sete) horas
diárias durante todo o ano letivo, com a ampliação progressiva da
jornada de professores em uma única escola;
 6.4 - Fomentar a articulação da escola com os diferentes espaços
educativos, culturais e esportivos e com equipamentos públicos, como
centros comunitários, bibliotecas, praças, parques, museus, teatros,
cinemas e planetários;
 6.9 - Adotar medidas para otimizar o tempo de permanência dos alunos
na escola, direcionando a expansão da jornada para o efetivo trabalho
escolar, combinado com atividades recreativas, esportivas e culturais.

Alinhamento com o PPP

O projeto de intervenção está alinhado com o PPP da escola, nós já


trabalhamos com vários projetos internos que estão em sintonia com a
intervenção programada. Trabalhamos a questão da indisciplina com o nosso
projeto: “DIGA NÃO A VIOLÊNCIA – PROJETO AMIGOS”, onde damos o foco
para a questão da prática do Bullying dentro das escolas.

Outro projeto que está em sintonia com a intervenção prevista é o projeto:


“Juventude – com liberdade e sem dependências’’, onde trabalhamos a
questão das drogas e a saúde no contexto do jovem e do adolescente”. Através
da prática esportiva poderemos amplificar a ideia de um convívio com regras e
sem violência, além de estabelecer uma relação direta da promoção à saúde
pela prática regular de atividades físicas.

Alinhamento com o Programa Mais Educação

O Programa Mais Educação orienta que as escolas escolham quatro


atividades, dentre os sete macro campos oferecidos. A atividade “Orientação
de Estudos e Leitura”, do macro campo Acompanhamento Pedagógico, é
obrigatória, então os macro campos que serão contemplados pelo nosso
projeto são os seguintes:

Página 31
 ACOMPANHAMENTO PEDAGÓGICO (Obrigatório): Aulas de
Português e Matemática visando a recuperação dos conteúdos onde os
alunos dos dois segmentos possuem as maiores dificuldades.
 ESPORTE E LAZER: Serão oferecidas as seguintes atividades aos
alunos do projeto: Atletismo, Esporte da Escola/Atletismo e Múltiplas
Vivências Esportivas (basquete, futebol, futsal, handebol, voleibol e
xadrez), Futebol, Futsal, Karatê, Basquete e Tênis de Mesa.
 COMUNICAÇÃO - USO DE MÍDIAS E CULTURA DIGITAL E
TECNOLÓGICA: Ambiente de Redes Sociais, Fotografia e Jornal
Escolar, todas estas atividades priorizando a autoria textual a partir dos
resultados obtidos durante as competições com o foco na “Promoção da
Saúde” que é o nosso próximo macro campo.
 PROMOÇÃO DA SAÚDE: Envolver os alunos com o tema abordando a
prática esportiva como item primordial de qualidade de vida, além da
alimentação balanceada através do consumo de frutas regularmente.

Página 32
5- DETALHAMENTO DA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO

Objetivo geral do projeto:

Reconhecer e redimensionar o esporte enquanto conjunto de significados e


comportamentos construídos pelos diferentes contextos sociais e culturais,
como enriquecimento do processo de construção do conhecimento e melhoria
da aprendizagem.

Organização das etapas

ETAPA 1: APRESENTAÇÃO DO PROJETO

Perspectiva estratégica
Objetivos Metas Indicadores

Verificar se houve
adesão através da
Fazer com que cada ator da assinatura na Ata,
comunidade escolar se onde todos se
Apresentar o projeto à
envolva e desenvolva o seu comprometem no
toda comunidade
próprio plano de ação para o sucesso do projeto
escolar.
projeto, promovendo a participando
participação de todos. efetivamente na
elaboração do
mesmo.

Formas de acompanhamento da etapa.

 Verificação do apoio pelo projeto a partir da consulta da Ata de


lançamento e das sugestões que serão partilhadas em um ambiente
colaborativo, medindo desta forma o índice de adesão e aceitação do
projeto.

ETAPA 2: PLANEJAMENTO E SENSIBILIZAÇÃO

Perspectivas estratégicas
Objetivos Metas Indicadores

Envolver toda a equipe Fazer com que todos Verificar se houve:


administrativa, participem e se informem
funcionários e das ações e do Apresentação dos

Página 33
professores do Colégio planejamento do projeto, planos de aula de
Francisco Varella na através da apresentação, cada disciplina;
efetiva participação do individual ou por grupos, de
projeto de intervenção como cada área ou Apresentação dos
compartilhando o que professor irá trabalhar. projetos de cada
cada “ator” ou área área;
desenvolveu para cada
Apresentação das
etapa.
parcerias;

Apresentação do
cronograma.

Formas de acompanhamento da etapa

 A Direção do Colégio, junto com a Coordenação Pedagógica irão criar o


documento final onde constarão todos os planos de aula, projetos por área,
parcerias e suas contribuições, além da confecção detalhada do cronograma
com o posterior envio a todos os envolvidos.

ETAPA 3: AÇÃO COORDENADA POR ÁREA – MÃOS À OBRA

3.1 - Perspectivas estratégicas


Objetivos Metas Indicadores

Elaborar um programa de
Elaborar roteiros, ações que favoreçam a
Observar se houve
produção de melhoria do processo de
aumento no número
entrevistas, cenários e produção e compreensão
de alunos nas aulas
figurinos; bem como a textual, através de jornal
de recuperação em
escolha de um processo escolar, cartazes de
Língua Portuguesa e
de edição para divulgação, mostra cultural
aulas do Reforço
divulgação das dos países envolvidos nos
Escolar e se houve
Olimpíadas internas jogos Olímpicos 2016, mural
melhoria no
escolares, tendo como de curiosidades - recordes e
desempenho de uma
modelo os jogos painel sobre esporte e saúde
maneira geral.
olímpicos de 2016. com folders alusivos ao
tema.

Formas de acompanhamento da etapa

 Verificar a participação na produção textual dos alunos através dos


murais (cartazes), blog, jornal interno e outras mídias acompanhando de
perto e divulgando a produção em um blog de apoio e uma “fã Page”,

Página 34
também será enviados a todos os professores o registro de cada ação
referente a etapa.

3.2 - Perspectivas estratégicas


Objetivos Metas Indicadores

Produzir uma cultura


colaborativa que facilite
o processo de
participação dos Observar o IF (taxas
adolescentes na escola Reduzir o índice geral de de promoção,
e na comunidade, nos abandono do Ensino reprovação e evasão)
jogos olímpicos internos Fundamental I e Ensino durante todo o ano
por meio da formação Médio de 0,7% para 0,5%, letivo, principalmente
de um grupo integrado através do envolvimento no se o número de
de alunos e da criação projeto através da cultura transferências
de espaços alternativos colaborativa. diminuiu durante o
através de parcerias projeto.
para realização dos
jogos e atividades
integradas.

Formas de acompanhamento da etapa

 Durante os conselhos de classe serão levantados os percentuais de


alunos com prováveis problemas de fluxo, com acompanhamento do
Coordenador Pedagógico para as possíveis recuperações paralelas.

3.3 Perspectivas estratégicas


Objetivos Metas Indicadores

Envolver os alunos no Implementar um programa Observar o aumento


uso de tecnologias para com cinco (05) ações que do número de alunos
produção de mídia, eleve o desempenho dos nas aulas de
possibilitando a criação alunos com baixo recuperação em
de painéis eletrônicos rendimento em matemática, Matemática e aulas
(net) tabelas e placares através da criação dos do Reforço Escolar e
eletrônicos, gráficos gráficos de desempenho do se houve uma
identificando como atleta nos jogos, placares e melhoria no
funcionam os sistemas tabelas com resultados dos desempenho de uma
de informação para jogos, montagem das maneira geral
divulgação e resultados equipes e modalidade de

Página 35
dos jogos. esportes, pinturas e
demarcações dos diferentes
espaços dos jogos e
preenchimento de fichas
individuais dos atletas do
exame biométrico.

Formas de acompanhamento da etapa

 Acompanhar a confecção de todos os elementos gráficos nos horários


entre os turnos sob a supervisão pedagógica e/ou professor responsável.

3.4 - Perspectivas estratégicas


Objetivos Metas Indicadores
Mobilizar os alunos para
Implementar um conjunto de Verificar a
que relacionem os ações para envolver os participação e o
Jogos Olímpicos de alunos e comunidade número de alunos
2016 com os Jogos escolar em 50%, nos Jogos que estão praticando
olímpicos internos internos escolares, desde o os esportes durante o
escolares, a fim de seu planejamento, execução horário normal e as
mapear as etapas de e encerramento, como forma atividades extras
planejamento, execução
de espaço aberto ao diálogo escolares.
e encerramento. e participação.

Formas de acompanhamento da etapa

 Acompanhar as atividades esportivas normais e entre os turnos sob a


supervisão pedagógica e/ou professor responsável.

ETAPA 4: AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS

Perspectiva estratégica
Objetivos Metas Indicadores
Fortalecer o trabalho em
Observar se os equipe e criar uma cultura de Observar as
objetivos foram planejamento participativo e anotações de cada
alcançados, seus colaborativo. participante do
percentuais positivos e projeto, bem como os
Incentivar o planejamento índices alcançados
como a equipe se
prévio para o período por cada um.
comportou diante dos
desafios e trabalhando posterior.

Página 36
de maneira
colaborativa.

Formas de acompanhamento da etapa

 A autoavaliação será realizada durante o trabalho coletivo onde o Grupo


Gestor e professores estarão discutindo e trocando ideias priorizando as
ações que foram positivas, analisando as ações que não produziram bons
resultados e sanando os pontos negativos, para que assim haja uma
melhoria no processo ensino-aprendizagem, através do Projeto de
Intervenção.

ETAPA 5: APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS

Objetivos Metas Indicadores

Informar à toda a
Observar na ata de
comunidade escolar os Envolver toda a comunidade
presença a
resultados obtidos com escolar em um evento na
quantidade de
o projeto de quadra, registrar os
participantes por
intervenção, além de melhores momento e
segmento, ler as
premiar o destaque em partilhar o registro nos
sugestões
cada segmento da veículos de comunicação
apresentadas pelos
comunidade escolar. interno e externos. Reforçar
participantes para o
e fidelizar as parcerias para
Apresentar o próximo o próximo projeto. próximo projeto.
projeto de intervenção.

Formas de acompanhamento da etapa

 A autoavaliação será realizada durante o trabalho coletivo onde o Grupo


Gestor e professores estarão discutindo e trocando ideias priorizando as
ações que foram positivas, analisando as que não deram certo e sanando os
pontos negativos, para que assim haja uma melhoria no processo ensino-
aprendizagem, através do Projeto de Intervenção.

Detalhamento das atividades

ATIVIDADE 1.1: Mostra cultural

Breve descrição

A mostra cultural envolverá diferentes alternativas para proporcionar o acesso

Página 37
significativo a Leitura e produções textuais, através de confecções de jornais
escolares, cartazes de divulgações dos jogos, curiosidades, pesquisas
interativas sobre qualidade de vida via esportes, confecção de folders sobre
saúde, figurinos típicos realizados a partir de material reciclável, danças típicas,
preparo de receitas oriundas de diferentes países e suplementos informativos -
Blog e Facebook (Fã Page) resgatando a leitura como instrumento de
interação, comunicação e conhecimento.

O caminho a ser percorrido tem como objetivo transformar a leitura e produção


textual num instrumento de contextualização do ambiente em que se vive, a
leitura deverá ser voltada para a compreensão dos fatos sociais e aplicada na
análise do cotidiano, neste contexto, os jogos internos escolares via Olimpíadas
2016. Público alvo os alunos do Ensino Fundamental II e Ensino Médio com
baixo rendimento escolar nos descritores de códigos e linguagens.

Duração Responsável
Início em: 01/03/2016 Professor Coordenador: Santinha
Término em: 31/08/2016 Farsura (Português)
Equipe
Cargo Nome
Professor DOC I - PORT Rosimara
Professor DOC I - PORT Nilza
Professor DOC I - PORT Ana Flávia
Professor DOC I – PROD. TEXT. Renata
Professor DOC I - ART Priscilla
Professor DOC I – ED. FÍSICA Bárbara
Professor DOC I – ED. FÍSICA Gleydson
Professor DOC I – ED. FÍSICA Yuri
Professor DOC I – ED. FÍSICA Felipe
Professor DOC I - HISTÓRIA Adilton
Professor DOC I – HISTÓRIA Tânia
Professor DOC I- HISTORIA Cintia
Professor DOC I - MAT José Miguel
Professor DOC I – GEO Juliana
Professor DOC I - GEO Eugênio
Agente de Leitura Carlos Coelho
Disciplinas trabalhadas Parceiros envolvidos

 Matemática  Carmense Atlético de Clube


 RPM  Centro de informática Municipal
 Artes  Secretaria Municipal de
 ED. Física Esportes
 Geografia
 Todos os fornecedores
 História
escolares
Supervisão: Coordenação

Página 38
Pedagógica  Jornal da região Serrana

Resultados esperados

 Hábito da leitura através do aumento ao acesso a sala de leitura e


biblioteca, consequentemente maior procura de livros –via- leitura
prazerosa.
 Interesse dos educandos pela leitura, desenvolver a prática de produção
textual, melhorando significativamente seu desempenho escolar.
 Oportunidade de ler e escrever de maneira significativa e prazerosa,
mediando a construção do conhecimento associado á ação simbólica sobre
o mundo onde o aluno consiga construir-se como um sujeito que pensa.
 Habilidade de oralidade, organização de ideias, coesão e coerência,
pontuação...
 Que o projeto de Intervenção venha criar situações para que o exercício de
leitura e escrita produza reação, interação e construção de subjetividade e
conhecimento além dos esperados nos conteúdos escolares.

Formas de registro

Fotos, entrevistas, relatórios, síntese semanal das atividades em construção e


as concluídas, calendário de execução, Registro final: etapas, replanejamentos,
autoavaliação, apresentações de estandes, danças, montagem de painéis,
murais alusivos aos temas-Jogos internos escolares, Jornal escolar, Blog e
facebook (Fã Page)...

ATIVIDADE 1.2: Comitê matemático dos Jogos Olímpicos escolares.

Breve descrição

Envolverá diferentes alternativas para proporcionar o acesso aos números de


forma analítica e gráfica de situações-problema contextualizadas dentro dos
Jogos internos escolares, viabilizando a compreensão da matemática como
instrumento de análise da ação do homem no mundo.

Irão ser feitos através de painéis eletrônicos, placares, tabelas de jogos,


gráficos, comparativos, análise de dados, montagem do ranking após analise,
coleta, organização, construção, pesquisa e identificação das informações e
representações dos resultados dos jogos. Público alvo os alunos do Ensino
Fundamental II e Ensino Médio com baixo rendimento escolar nos descritores
de matemática.

Duração Responsável
Início em: 01/03/2016 Professor Coordenador: Katia
Término em: 31/08/2016 Lutterback (Matemática)

Página 39
Equipe
Cargo Nome
Professor DOC I - MAT Idegma Campanatti
Professor DOC I - MAT José Miguel
Professor DOC I - RPM Marisi
Professor DOC I - RPM Ana Lúcia
Professor DOC I - ART Priscilla
Professor DOC I – ED. FÍSICA Bárbara
Professor DOC I – ED. FÍSICA Gleydson
Professor DOC I – ED. FÍSICA Yuri
Professor DOC I – ED. FÍSICA Felipe
Professor DOC I - GEO Eugênio
Professor DOC I - GEO Juliana
Agente de Leitura Carlos Coelho
Disciplinas trabalhadas Parceiros envolvidos

 Matemática  Carmense Atlético de Clube


 RPM  Centro de informática Municipal
 Artes  Secretaria Municipal de Esportes
 ED. Física
 Todos os fornecedores escolares
 Geografia
 Jornal da região Serrana
Supervisão: Coordenação
Pedagógica

Resultados esperados

 Visão de Matemática como instrumento de cidadania e inserção social, de


trabalho coletivo na interação de situações problemas, tornando-os alunos
mais participativos e críticos;
 Relacionar e interpretar dados apresentados em forma de gráficos, tabelas,
porcentagens, probabilidades;
 Melhorias nos resultados do desempenho escolar na disciplina matemática
sejam nas avaliações internas como: SAERJ, ENEM;
 Formação de grupos autônomos que desenvolvam monitorias, colaborando
na interação de situações de aprendizagem que evolvam raciocínio lógico
dedutivo, melhorando significativamente seu desempenho escolar e de
outros colegas;
 Oportunidade de interpretar o mundo dentro da linguagem matemática de
forma significativa e prazerosa, mediando a construção do conhecimento
associado á ação simbólica sobre o mundo onde o aluno consiga construir-
se como um sujeito que pensa.

Formas de registro

 Fotos, fichas de inscrições nos jogos, relatórios, síntese semanal das


atividades em construção e as concluídas, calendário de execução.
 Registro final: etapas, replanejamentos, autoavaliação, apresentações de

Página 40
estandes, placares com resultados, montagem de painéis, murais alusivos
aos temas - Jogos Internos Escolares, dados estatísticos para o Jornal
Escolar, Blog e Facebook (Fã Page).

ATIVIDADE 1.3: Saúde e Solidariedade


Breve descrição

As atividades oferecidas nos Jogos internos escolares – Via Jogos Olímpicos


2016, se fundamentarão na consciência do próprio corpo, limites e
possibilidades, desenvolvimento do espírito de solidariedade e cooperação
mutua e respeito pelo coletivo. O processo ensino-aprendizagem deverá estar
voltado para estimular a compreensão da convivência no grupo, das regras
necessárias à organização das atividades, da partilha das decisões e deveres
para a integração dos diferentes grupos sociais que se formarão partir das
especificidades e modalidades de esportes escolhidos.

Fatores como: habilidade motora, condicionamento físico (convívio social,


autoestima, saúde) diminuição da exposição aos riscos sociais (drogas,
prostituição, gravidez precoce, criminalidade, trabalho infantil), prática esportiva
como ferramenta de cidadania serão pontos relevantes do projeto de
intervenção, com o objetivo da melhoria do comportamento no ambiente escolar
e na comunidade e perspectiva de continuidade dos estudos para ascensão
social através da preservação da saúde via esporte.

Duração Responsável
Início em: 01/03/2016 Professor Coordenador: Santinha
Término em: 31/08/2016 Farsura (Português)
Equipe
Cargo Nome
Professor DOC I - SOCIOLOGIA Dilma
Professor DOC I - FILOSOFIA Juliana
Professor DOC I – ED. FÍSICA Bárbara
Professor DOC I – ED. FÍSICA Gleydson
Professor DOC I – ED. FÍSICA Yuri
Professor DOC I – ED. FÍSICA Felipe
Professor DOC I - BIOLOGIA Cláudio
Professor DOC I - BIOLOGIA Getúlio
Professor DOC I - CIÊNCIAS Ana Lúcia
Professor DOC I – ENS. RELIG. Lúcia Ladeira
Professor DOC I - ARTES Priscylla
Agente de Leitura Carlos Coelho
Disciplinas trabalhadas Parceiros envolvidos

 Sociologia

Página 41
 Filosofia  Carmense Atlético de Clube
 Artes  Centro de informática Municipal
 ED. Física
 Secretaria Municipal de
 Biologia
Esportes
 Ensino Religioso
 Todos os fornecedores
Supervisão: Coordenação escolares
Pedagógica  Jornal da região Serrana

Resultados esperados

 Melhoria da conduta e atitudes dentro do espaço escolar;


 Diminuição das evasões escolares;
 Maior participação dos alunos nas atividades sociais da escola;
 Melhoria da autoestima dos alunos oriundos de áreas de risco social;
 Maior comprometimento da comunidade escolar nos projetos
extraescolares;
 Corresponsabilidade da comunidade escolar, pais e responsáveis pela vida
acadêmica dos alunos;
 Diálogo entre diferentes atores do contexto social onde está situada a escola
para prevenção de riscos a vida e saúde dos alunos.

Formas de registro

Fotos, fichas de inscrições nos jogos, relatórios, síntese semanal das atividades
em construção e as concluídas, calendário de execução, Registro final: etapas,
replanejamentos, autoavaliação, apresentações de estandes, atividades
conjuntas com a comunidade, formação de grupos em prol da PAZ! Acordos
escolares visando a manutenção do prédio escolar e benfeitorias para projetos
que poderão surgir a partir do vivenciado, criação de regras de convívio
solidário na escola e na comunidade escolar. Caminhada da paz!

Análise preventiva – possíveis problemas de execução

Problemas internos atuais

 Deficiência do número de apoio para limpeza, organização dos espaços


escolares e preparo das refeições;
 Diminuição e atrasos de verbas escolares destinadas à manutenção e
merenda escolar pela SEEDUC;
 Necessidades de pequenos reparos em locais como banheiro, portas de
acesso para poder receber a comunidade escolar;
 Falta de frequência dos alunos que precisam de reforço e atividades
diferenciadas para melhoria do desempenho escolar;

Página 42
 Reunir os professores de diferentes áreas do conhecimento para
planejamento coletivo do projeto;
 A resistência dos alunos às atividades propostas.

Ações corretivas ou preventivas

 Criar em conjunto com a equipe escolar: professores e alunos,


representantes de turmas, visando assim a organização dos espaços
escolares bem como a prevenção de vandalismo nas salas e corredores
escolares, permanecendo limpo o ambiente escolar;
 Priorizar os gastos com manutenção e buscar parcerias com os
fornecedores escolares, Secretaria de esporte Municipal, a fim de
viabiliza parceiros para compra de materiais como Jogos de uniformes,
material esportivo, impressão de materiais, premiações...
 Promover parcerias com os pais para que a escola possa providenciar o
material de reparos, auxiliando na prestação de mão de obra;
 Realizar levantamento dos alunos assistidos pela bolsa família e cobrar
dos responsáveis a frequência como meio de não perder o benefício;
 Reunir os professores de diferentes áreas do conhecimento para o
planejamento em três áreas: Código e linguagens, Matemática e
Comportamentais, em um dia da semana, utilizando do horário de
planejamento na escola;
 Despertar o interesse e o gosto dos alunos pelas atividades escolares,
integrando-as com o cotidiano escolar e com as experiências trazidas
por eles como forma de melhoria dos resultados esperados.

Ameaças externas

 Jornada de trabalho dos alunos, comprometendo a participação nos


jogos escolares e no projeto de melhoria do desempenho escolar;
 Trafico de drogas nas imediações da escola;
 Violência doméstica e de rua;
 Extremo grau de pobreza financeira.

Ações preventivas

Página 43
 Viabilizar junto a empresa, comércio empregador, redução de pelo
menos uma (01) hora para que o aluno possa receber oportunidade de
participação e melhoria de desempenho escolar;
 Oficializar aos órgãos competentes, Conselho Tutelar, Guarda
Municipal, Polícia militar, Ministério Público pedido de ronda nos horários
de entrada e saída dos alunos, bem como palestras aos pais sobre
temas como: segurança do menor, responsabilidades dos pais conforme
ECA, ações preventivas e protetivas;
 Comunicar aos órgãos competentes e solicitar ações para garantir ao
aluno acesso e permanência na escola;
 Criar o grupo de visitação escolar (formados por diferentes segmentos
da sociedade) para coibir a não frequência dos alunos a escola;
 Cadastrar o aluno se maior, o pai se desempregado para as empresas
no entorno escolar, cooperativas, viabilizando algumas oportunidades de
emprego;
 Manter os projetos já existentes na escola: Prevenção ao uso de drogas,
violência, gravidez precoce; bimestralmente como forma de
conscientização e mudança comportamental.

Cronograma - 2016

Etapas Atividades Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

Apresentação
1 O Projeto de intervenção será apresentado no final do ano letivo de 2015.
do projeto

Planejamento e
2 Sensibilização

Ativ. 3.1

3 Ativ. 3.2

Ativ. 3.3

Avaliação dos
4 Resultados

Apresentação
5 dos resultados

Página 44
6- MARKETING E COMUNICAÇÃO

Lançamento do projeto

O lançamento será também um evento e ocorrerá nas dependências da escola,


serão chamados todos os funcionários, professores e comunidade escolar
através de diversos meios de comunicação como, por exemplo; e-mail, convite
impresso e carro de som. A apresentação do projeto será projetada em um
telão na quadra, lugar com capacidade para mais de 400 pessoas, ao lado da
nossa maior parceria, o Carmense Atlético Clube. Durante o evento de
lançamento serão realizados sorteio de camisas estampadas e brindes do
projeto, tudo será registrado em vídeo e colocado posteriormente em uma Fã
Page no Facebook.

Formas de comunicação

Equipe interna

A equipe interna será informada durante todo o andamento do projeto por meio
de informes, avisos impressos e e-mail, reuniões etc.

No lançamento do projeto a equipe assistirá a projeção na quadra da escola e


receberá o “esboço” do projeto impresso com os links para as mudanças e
alterações das respectivas etapas e participações. O arquivo final será
produzido de forma colaborativa e nas “nuvens” (Google Drive).

No início do ano letivo, durante a semana de planejamento, os acertos finais do


projeto serão feitos em reuniões presenciais na escola. Após todo os acertos o
produto final destes encontros, o documento final, será impresso e entregue à
todos.

Durante a evolução das atividades da etapa três, a equipe será informada de


várias maneiras e por diferentes atores da equipe escolar. A partilha dos
trabalhos que serão realizados e das atividades, por toda equipe e entre todos,
será primordial para o trabalho interdisciplinar. Nesta etapa todo o tipo de
comunicação será utilizado.

Página 45
Para a quarta etapa serão realizadas reuniões (por área e geral) para a análise
dos resultados obtidos com o projeto de intervenção. Por meio da
apresentação em Data Show e material impresso, todos poderão observar os
dados coletados durante o projeto.

Finalmente, na última etapa, haverá a apresentação dos resultados


consolidados onde todos deverão participar.

Etapa Meio/Mídia Mensagem Responsáveis

1 Apresentação - Convocação/Divulgação Equipe da Direção


Informe: Reunião, do Projeto. do Colégio –
Data Show, Blog do Coordenação
Colégio, Fã Page. pedagógica.

2 Reunião Acompanhamento Equipe Pedagógica


Pedagógico dos ajustes e Professores
Coordenadores das
atividades

3 Notícia – Informe – Divulgação dos Toda a equipe


Relatório: Blog do trabalhos e partilha dos interna
Colégio, Fã Page, resultados
Jornal Escolar e
Reunião.

4 Reunião – ----- -----


Apresentação -
Relatório

5 Apresentação - Convocação/Divulgação Toda a equipe


Informe: Reunião, dos resultados. interna.
Data Show, Blog do
Colégio, Fã Page.

Responsáveis:

Os responsáveis serão informados do projeto de intervenção na primeira etapa,


serão convocados através de aviso impresso a participarem do evento que
será coordenado pela direção e coordenação pedagógica, juntamente com os
professores coordenadores.

Durante toda a terceira etapa, os responsáveis estarão sendo informados dos


resultados das atividades e dos jogos internos. Esse acompanhamento poderá
ser feito através de informe impresso, Blog do Colégio e Fã Page. Serão

Página 46
também convidados à assistirem aos jogos olímpicos do Colégio, que se
realizará no campo do Carmense atlético Clube, vizinho e parceiro no projeto
de intervenção.

No final do ano, junto com o evento da festa de formatura, os responsáveis


poderão acompanhar os resultados do nosso projeto e do lançamento do
próximo, que será apresentado na quadra e terá seu lançamento também
publicado no jornal local e blog do colégio.

Etapa Meio/Mídia Mensagem Responsáveis

1 Apresentação/Informe: Convocação/Divulgação Equipe da Direção


Reunião, Data Show, do Projeto. do Colégio –
Blog do Colégio, Fã Coordenação
Page. pedagógica.

2 ----- ----- -----

3 Notícia/Informe: Blog Divulgação dos Direção e


do Colégio, Fã Page. trabalhos Coordenação
Pedagógica

4 ----- ----- -----

5 Apresentação/Informe: Convocação/Divulgação Equipe da Direção


Reunião, Data Show, dos resultados. do Colégio –
Blog do Colégio, Fã Coordenação
Page. pedagógica.

Alunos:

Os alunos estarão envolvidos principalmente na terceira etapa, eles


trabalharão, juntamente com os professores coordenadores e equipe, na
divulgação dos resultados através das diversas atividades que serão
desenvolvidas durante todo o primeiro bimestre e segundo bimestre.

Etapa Meio/Mídia Mensagem Responsáveis

1 Apresentação/Informe: Convocação/Divulgação Equipe da Direção


Reunião, Data Show, do Projeto. do Colégio –
Blog do Colégio, Fã Coordenação
Page. pedagógica.

2 ----- ----- -----

Página 47
3 Notícia/Informe: Blog Divulgação dos Direção e
do Colégio, Fã Page. trabalhos Coordenação
Pedagógica

4 ----- ----- -----

5 Apresentação/Informe: Convocação/Divulgação Equipe da Direção


Reunião, Data Show, dos resultados. do Colégio –
Blog do Colégio, Fã Coordenação
Page. pedagógica.

Parceiros:

Os parceiros terão uma participação muito semelhante ao dos responsáveis,


serão informados e estarão presentes na primeira, terceira e última etapa do
projeto.

Etapa Meio/Mídia Mensagem Responsáveis

1 Apresentação/Informe: Convocação/Divulgação Equipe da Direção


Reunião, Data Show, do Projeto. do Colégio –
Blog do Colégio, Fã Coordenação
Page. pedagógica.

2 ----- ----- -----

3 Notícia/Informe: Blog Divulgação dos Direção e


do Colégio, Fã Page. trabalhos. Coordenação
Pedagógica.

4 ----- ----- -----

5 Apresentação/Informe: Convocação/Divulgação Equipe da Direção


Reunião, Data Show, dos resultados. do Colégio –
Blog do Colégio, Fã Coordenação
Page. pedagógica.

Parceiros estratégicos

Nome do Contribuições do Condições da


Vigência
parceiro parceiro no projeto parceria

Carmense O Carmense Atlético O Clube cederá ao Indeterminada


Atlético Clube Clube tem uma Colégio Francisco

Página 48
participação fundamental Varella o seu
em nosso projeto, será campo para as
em seu espaço físico atividades
(campo de futebol – esportivas e a
gramado) que muitas culminância do
atividades, inclusive a projeto. Por sua
culminância do projeto, vez, o Colégio
serão realizadas. continuará a ceder
a sua quadra
coberta para os
treinos da equipe
do clube, bem
como os projetos
sociais aos quais a
entidade está
associada.

Fornecedores Os fornecedores nos Será elaborada Durante todo


de merenda ajudarão na aquisição de uma lista de o projeto.
e suprimentos e materiais
manutenção equipamento específico necessários ao
do Colégio para a realização das desenvolvimento
Francisco atividades desenvolvidas das atividades, o
Varella e na divulgação do fornecedor
projeto. escolherá de que
maneira poderá
contribuir à
aquisição dos
materiais.

Transporte Transportar os nossos Haverá uma Durante todo


escolar – alunos, sem custo agenda onde o projeto de
Empresas e adicional, para os constarão os intervenção.
profissionais diversos territórios destinos e datas

Página 49
que educativos que estarão das atividades que
transportam sendo utilizados nas acontecerão fora
nossos atividades propostas. do espaço escolar.
alunos Cada parceiro nos
auxiliará, marcando
a data em que
pretende fornecer o
serviço.

Possíveis parcerias

Nome do
Contribuições do
parceiro / tipo Obtenção da Contrapartida
parceiro no
de parceria da escola
projeto
organização

Centro de Ajudar aos nossos Iremos apresentar o Iremos


Informática alunos no uso dos projeto e entregar ele disponibilizar
Municipal equipamentos impresso para a equipamentos
para a produção Secretária de como
de conteúdo Educação com o projetores,
digital para a Fã intuito de estreitar as notebooks e
Page e Blog do relações e fidelizar tablets quando
Colégio. uma parceria. for necessário.

Secretaria Disponibilizar a Iremos apresentar o Iremos


Municipal de quadra municipal projeto e entregar ele disponibilizar a
Esportes de esportes, além impresso para o nossa quadra
de professores de Secretário de Esporte para o uso dos
educação física, com o intuito de alunos da rede
pessoas da estreitar as relações e municipal, nos
comunidade com fidelizar uma parceria. horários da
envolvimento nos tarde e início
diversos esportes da noite, com a

Página 50
e material autorização da
esportivo. nossa regional
Serrana II.

Jornal da Fazer a cobertura O responsável pelo O Colégio


Região dos Jogos Jornal da Região deverá ceder a
Serrana. Olímpicos do Serrana é um amigo quadra para
Colégio através da escola, e por várias um evento que
dos textos dos vezes nos procurou será
nossos alunos. para fazer matérias organizado
relacionadas com as pelo Jornal da
atividades realizadas região onde
na/pela escola. estarão
presentes ex-
alunos e ex-
funcionários.

CIEP 280 Disponibilizar a A Diretora do CIEP O Colégio está


piscina 280 já firmou parceria sempre solicito
semiolímpica para com o Colégio as
as nossas Francisco Varella, e necessidades
atividades está disposta em do CIEP 280,
relacionadas com ceder a piscina que que apresar de
os esportes está em reforma para ser uma escola
aquáticos. o nosso projeto de bem maior que
intervenção previsto a nossa pode
para 2016. vir a nos pedir
algum tipo de
ajuda.

Página 51
7- PLANO FINANCEIRO

Recursos necessários

Obras e instalações

Não há necessidade grandes modificações ou obras no nosso colégio, todo


projeto foi pensado na estrutura já existente. No entanto, algumas pequenas
reformas são necessárias tendo em vista o desgaste natural pelos anos da
nossa quadra poliesportiva. Os itens abaixo contemplam a segurança (proteção
de nylon) e a melhoria da iluminação.

Item Local Finalidade Duração prevista Valor

Reforma da
Quadra Melhorar a
iluminação –
coberta iluminação da 2 semanas. 3.600,00
novos refletores
Poliesportiva nossa quadra.
em LED

Proteção em
Quadra Evitar que a bola
nylon - rede
coberta caia em lugar 1 semana 1.200,00
para quadra
Poliesportiva inadequado
poliesportiva

Total 4.800,00

Material permanente

Grande parte do material esportivo, necessário para o nosso projeto de


intervenção, foi recentemente adquirido, faltando apenas os itens descritos
abaixo:

Item Especificação Finalidade Preço unit. Quant. Valor

Mesa em madeira
Mesa de ping Prática do tênis
MDF – para a 380,00 4 1.520,00
pong de mesa
prática esportiva

Kimono Confecionado Prática do 220,00 10 2.200,00

Página 52
com lona grossa Karatê

Tabela de Moldura em
Prática do
Basquete cantoneira de 780,00 2 1.560,00
basquete
oficial aço

Total 5.880,00

Material de consumo

Todo material (didático) usado no projeto de intervenção estará diluído no custo


de material que normalmente o colégio utiliza, portanto, há a previsão de um
pequeno aumento no custo com papelaria, que incidirá na nossa verba de
manutenção. Utilizaremos um pouco mais do que normalmente usamos na
nossa rotina, os valores estão logo abaixo:

Preço
Item Finalidade Quant. Valor
unit.

O material será adquirido para o


Papel A4 130,00 20 2.600,00
trabalho pedagógico

O material será adquirido para o


Tonner 780,00 4 3.120,00
trabalho pedagógico

Total 5.720,00

Gastos com locomoção

Como já mencionamos acima, as empresas de transporte e motoristas


autônomos que fazem o transporte (dos nossos alunos) serão parceiros do
nosso projeto de intervenção, o que gerará um pequeno custo visto que os
valores serão reduzidos. Ainda assim a previsão destes custos está descrito
abaixo, e a verba que será utilizada é a do Kit Cultura.

Motivo da
Destino Tipo de transporte Participantes Valor por mês
viagem

Página 53
CIEP 280 Alunos do
Transporte Escolar
Aula de Natação ensino
Kombi – Van – 200,00
2x por semana fundamental e
Micro ônibus
médio

Total 1.600,00

Serviços de terceiros

O projeto de intervenção “Olimpíadas do Saber” contará com a participação


dos monitores do projeto “Mais Educação”, para as oficinas esportivas
descritas abaixo:

Função/cargo Tipo de gasto Atividades Valor por mês

Ajuda de custo para Dança Artística


Monitor 320,00
monitores

Ajuda de custo para Karatê


Monitor 320,00
monitores

Ajuda de custo para Natação


Monitor 320,00
monitores

Ajuda de custo para Atletismo


Monitor 320,00
monitores

Total 10.240,00

Gastos com pessoal

Todo projeto de intervenção contará com a participação da sua equipe interna


e com a ajuda dos alunos e seus responsáveis. Ainda assim, dependendo da
necessidade e da demanda, a escola possui um cadastro de profissionais
especializados em diversos serviços de manutenção, além de uma verba
específica para esse tipo de gasto.

Página 54
Resumo financeiro do projeto

Necessidade de recursos por categoria Valores

Obras e instalações 4.800,00

Material permanente 5.880,00

Material de consumo 5.720,00

Gastos com locomoção 1.600,00

Serviços de terceiros 10.240,00

Total de recursos necessários 28.240,00

Fontes de recursos

Utilizaremos os recursos estaduais e federais já presentes em nossa unidade,


o montante anual, como podemos ver, supera um pouco mais que o dobro o
custo previsto para o projeto, os valores estão descritos abaixo:

Fonte Valor Ano

Verba de Manutenção (Estadual) 24.400,00

Verba do programa Mais Educação 39.900,00

PDDE 7.000,00

Total 71.300,00

Horas de trabalho da equipe interna

Todo trabalho realizado pela equipe pedagógica, direção, secretaria e


professores será realizado dentro do horário normal, incluindo o horário de
planejamento pedagógico. Haverá a necessidade de um pequeno acréscimo
para garantir o sucesso do projeto, como podemos ver no gráfico abaixo:

Página 55
Cargo/função Quant. de horas Acréscimo

Diretor Geral 40 horas 10 horas

Diretor Adjunto 40 horas 10 horas

Coordenador Pedagógico 40 horas 10 horas

Professores Coordenadores 30 horas 10 horas

Professores do projeto 30 horas 10 horas

Total de horas da equipe gestora 180 horas 230 horas

Página 56