Você está na página 1de 39

As redes de comunicações da Eletronorte e as possíveis

parceiras

Manaus, Janeiro de 2015


Necessidade de meio de comunicação pelas linhas de transmissão de
energia elétrica

Sistemas de Potência exigem o controle de informações críticas:


• sinais de proteção;
• identificação da origem de falhas.

Particularmente desejável em uma rede integrada – Sistema Interligado


Nacional (SIN):
• tamanho e características únicos em âmbito mundial.

Teleproteção é a solução para prover ao sistema:


• proteção de alta velocidade e seletividade;
• confiabilidade.
Tecnologias utilizadas para a finalidade de teleproteção

• FioPiloto: cabos especiais de sinalização de proteção com blindagem e


isolação contra tensões induzidas, empregados para distâncias de até 25
km;

• Powerline Carrier (PLC) ou Ondas Portadoras em Linhas de Alta


Tensão (OPLAT): utiliza a própria linha de transmissão de energia elétrica
como meio de propagação do sinal, empregados para distâncias de até 400
km;

• Linhas de comunicação alugadas (leased lines): utiliza a infraestrutura


de rede de empresas de telecomunicações;

• Sistema de micro-ondas: rádio direcional para até 50 km (linha de


visada) direto, com possibilidade de aumentar essa distância, dependendo
das condições geográficas, tipo e posição de antenas; empregado para
longas distâncias através de estações repetidoras.
Cabo para-raios com núcleo de fibras ópticas (OPGW)

Sistema aéreo Optical Ground Wire (OPGW), também conhecido como:


• cabo de guarda com fibra óptica; ou
• cabo para-raios com núcleo de fibras ópticas;

Padrão mais difundido atualmente para proteção e comunicação em


linhas de transmissão de energia elétrica;

Cabos OPGW desempenham simultaneamente duas funções:


• condutor-terra;
• meio transmissor de informações – incluindo voz, dados e
imagens.

Características dos cabos OPGW:


• durabilidade e resistência;
• confiabilidade;
• altíssima capacidade de transmissão de dados.
Cabo para-raios com núcleo de fibras ópticas (OPGW)

Composição do sistema:

• fios de armação
• feitos de aço aluminizado;
• protegem a linha contra as descargas atmosféricas;

• camada intermediária de vedação radial preenchida com gel


• não permite a passagem de umidade para o núcleo;
• absorve hidrogênio, não permitindo que seja absorvido pelas fibras;

• núcleo feito de tubo de alumínio


• abriga em seu interior o tubo loose e o conjunto de fibras ópticas.
Rede DWDM

DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) ou Multiplexação


Densa por Divisão de Comprimento de Onda é uma tecnologia que
pode combinar dezenas de canais em uma única fibra;

Distinção entre ondas eletromagnéticas é feita pela frequência (f em Hz)


ou pelo comprimento de onda (λ em metros) – cada canal corresponde a
um comprimento de onda diferente;

Janelas de transmissão utilizadas atualmente (por fibras monomodo):


• 2ª janela (aprox. 1300 nm);
• 3ª janela (Conventional band ou C-band) de 1530 a 1565 nm;
• 4ª janela (Long band ou L-band) de 1565 a 1620 nm.
DWDM – Sistema de Transmissão
DWDM – Multiplexer/Demultiplexer

DWDM DWDM
Mux Demux

Comprimentos de onda
já multiplexados

Comprimentos de onda já Comprimentos de onda


convertidos vindo dos separados irão para os
transponders transponders
Rede DWDM Eletronorte – Sistema MT/RO/AC e Sistema PA/MA

Belém

Porto Sinop Itaituba


Velho

Santarém
Tucuruí

Imperatriz
Barra do
Coxipó Peixe
Rede DWDM Eletronorte – Sistema MT/RO/AC e Sistema PA/MA
Legenda dos diagramas

Amplificador Booster 21 dBm

Amplificador Booster 24 dBm Mux/Demux – 8 Canais

Pré Amplificador 14 dBm

Amplificador de Linha 21 dBm Mux/Demux – 40 Canais

Amplificador de Linha 24 dBm


OADM – 4 Canais

Amplificador Raman 28 dBm

Amplificador Raman 30 dBm

Mecânica de 4U’s
Mecânica de 5U’s
Rede DWDM Eletronorte – Sistema MT/RO/AC e Sistema PA/MA

Legenda dos diagramas


Transponders existentes na rede DWDM atual

Muxponder OTU-2 4x2,5G 10G

Transponder 2,5G Terminal OTN

Transponder OTU-2 10G Terminal

Transponder OTU-2 10G Regenerador


Combinador ODU OTU-2 8x1,25 10G
Transponder OTU-3 40G Terminal
Transponder OTU-3 40G Regenerador
Rede DWDM Eletronorte – Sistema MT/RO e Sistema PA/MA

Barra do Peixe-MT – Porto Velho-RO (Rede Atual)


Barra do Peixe Rondonópolis Coxipó Barra dos Bugres Jauru Comodoro - JTE

217 km 189 km 137 km 241 km 170 km

Sentido Sinop
200 km

Porto Velho Ariquemes Jarú Ji-Paraná Pimenta Bueno Vilhena

190 km 85 km 80 km 140 km 172 km


Rede DWDM Eletronorte – Sistema MT/RO e Sistema PA/MA

Imperatriz-MA – Belém-PA (Rede 1 Atual)


Tucuruí
Jacundá Tailândia Belém
Vila do Conde

90 km 138 km 175 km 160 km 52 km

Marabá

190 km

Imperatriz
Rede DWDM Eletronorte – Sistema MT/RO e Sistema PA/MA

Imperatriz-MA – Belém-PA (Rede 2 Atual)


Tucuruí
Jacundá Tailândia Belém
Vila do Conde

90 km 138 km 175 km 160 km 52 km

Marabá

190 km

Imperatriz
Rede DWDM Eletronorte – Sistema TO/MA

Brasília-DF – Imperatriz-MA (Rede Atual)

Gurupi Miracema Colinas Porto Franco Imperatriz

255 km 180 km 255 km 110 km


Rede DWDM Eletronorte – Sistema MA

Imperatriz-MA – São Luís-MA (Rede Atual)

Grajaú Presidente Dutra Miranda São Luís


Peritoró

201 km 214 km 114 km 92 km 134 km


Rede SDH
A tecnologia SDH (Synchronous Digital Hierarchy) ou Hierarquia Digital
Síncrona é utilizada para multiplexação TDM (Time Division Multiplexing)
com altas taxas de transmissão;

Pode utilizar-se de um canal da rede DWDM como backbone ou mesmo ter


a fibra óptica como meio físico primário de transmissão;

•Equipamentos: multiplexadores terminais, multiplexadores add/drop,


matriz de conexão cruzada;

•Tributários: placas do equipamento, com uma ou mais interfaces de


conexão, com diferentes taxas de transmissão, que podem ser ópticas ou
mesmo elétricas.
• 2 Mbps (E1), 34 Mbps (E3), 155 Mbps (STM-1), 622 Mbps (STM-
4), 2,5 Gbps (STM-16).

• Agregado: determinado pelo número máximo de placas no equipamento,


geralmente 10 Gbps (STM-64).
Rede Ethernet

Não mais utiliza o conceito de comutação de circuitos determinísticos;

Baseada no paradigma de comutação de pacotes (unidade de


transmissão de dados) entre nós da rede por meios (caminhos)
compartilhados por outros nós;

Introdução do conceito de rede estatística:


• a comutação de pacotes é mais complexa, apresentando maior
variação na qualidade de serviço;
• utiliza melhor os recursos da rede, uma vez que são utilizadas
técnicas de multiplexação temporal estatística.
Rede Ethernet

O protocolo de comunicação Ethernet situa-se no subnível MAC (Medium


Access Control) ou subnível de “Controle de Acesso ao Meio”, do nível 2
(camada de enlace) do Modelo OSI;

As redes baseadas em TCP/IP utilizam o protocolo Ethernet;

Objetivos do nível de enlace:


• receber/transmitir uma sequência de bits do/para o nível físico;
• transformá-los em uma linha que esteja livre de erros de transmissão;
• enviar informação a ser utilizada pelo nível superior de rede.

Equipamentos:
• switches.
Negócio de
Telecomunicações
A Rede Óptica
Objetivos da Rede de Telecomunicações da
Eletronorte

Atendimento ao setor Prestação de


elétrico;
Modernização da Serviços de
Administração e dos Telecomunicações e
Serviços Corporativos Desenvolvimento Regional
;

Parcerias com governos/empresas estaduais


visando ampliar a capilaridade da rede de
Telecomunicações da Eletronorte
Clientes dos serviços de
telecomunicações

CLIENTES Foco na Transmissão:


INTERNOS
SCADA (Supervisory Control and Data
Acquisition)

FACTS (Flexible AC Transmission Systems

PMU (Phasor Measurement Units)

SEP (Sistemas Especiais de Proteção

Serviços Corporativos:

Internet Teleconferência Telefonia IP

Eletronorte – Setor Elétrico


Clientes dos serviços de
telecomunicações

CLIENTES Inclusão
EXTERNOS Digital

Provedores de Internet

Programa Navega Pará


A Estratégia de Atuação

Atuação
Eletronorte
Serviço de Valor Agregado

Serviço Carrier´s Carrier


Swap de Fibras
Infra-Estrutura
Dark Fiber - RDF

ROW
A Criação do Produto

Serviço de
Voz, Dados e
RECEITA

Vídeo

Fibra iluminada
Alta Capacidade

Fibra Apagada

Infraestrutura

COMPLEXIDADE E RISCO
Produto - Ponto a Ponto

Características
 Ponto a ponto
 Transparência a protocolos
Suporte a redes legadas (Ex: TDM)
Tecnologia digital para acesso e DWDM

Mercado Alvo para transporte


Garantia de 100% de banda

Operadoras de Telecomunicações

Pilares do Produto

Aplicações
 Montagem de Backbone Privativo

 Construção e atualização remota de base de dados

 Transporte de sinais (vídeo, dados e voz)


Produto - Ethernet 500 Plus

Características
Velocidades:de 501 Mbps até o máximo
de 5.000 Mbps
Permite reconfiguração de banda a
qualquer momento
Mercado Alvo
Garantia de 100% de banda

Provedores de Internet
Pilares do Produto

Aplicações
Interligação de pontos da rede do
cliente

Transporte de sinais (vídeo, dados e voz)


O Negócio de Telecomunicações no Plano Estratégico
2010 – 2020
O Negócio de Telecomunicações no Plano
Estratégico 2010 – 2020
O Negócio de Telecomunicações no Plano
Estratégico 2010 – 2020

Plano Estratégico
O Negócio de Telecomunicações no Plano
Estratégico 2010 – 2020
O Negócio de Telecomunicações no Plano
Estratégico 2010 – 2020

Iniciativas Estratégicas Corporativas

Objetivo 9: Disponibilizar tecnologias e infraestrutura


Seq. Iniciativa Estratégica Líder
DG,
Aprimorar e integrar a gestão de TI e Telecomunicação com foco na
9.1 DE,
estratégia. DO
Aprimorar e integrar a gestão de processos de apoio (Suprimento,
9.2 Vigilância, Frota, Conservação, Limpeza, Viagens, Telefonia, DG
Documentos, ...).
Direcionar os investimentos em pesquisas para a inovação, por meio
9.3 de projetos que agreguem valor aos negócios (aumentar receitas e/ou DO
reduzir custos).
O Negócio de Telecomunicações no Plano
Estratégico 2010 – 2020

Iniciativas Estratégicas Corporativas

Objetivo 9: Disponibilizar tecnologias e infraestrutura


Seq. Iniciativa Estratégica Líder
DG,
9.1 Aprimorar e integrar a gestão de TI e Telecomunicação com foco na DE,
estratégia. DO

Aprimorar e integrar a gestão da operação e Manutenção da ETL


9.1.1
Telecomunicação. OET

9.1.2 Aprimorar o processo de prestação de Serviços de Telecomunicação. ETL


Impactos da Edição da MP 579 e Lei 12.783

Publicação da MP 579 de 11 de setembro de 2012

Separação de ativos

Investimentos não reconhecidos pela ANEEL

Estrutura de custos e receitas independentes


Conclusões

MP 579 de 11/09/2012  Lei 12.783 de 11/01/2013

A publicação da MP 579, que posteriormente foi convertida em


1 lei, veio criar oportunidades para potencializar o Negócio de
Telecomunicações
O impacto financeiro provocado pela perda de receita que as
empresas foram submetidas, pode ser minimizado com outras
2 fontes de receitas como por exemplo de a prestação de serviços
de telecomunicações

É fundamental uma atuação conjunta das empresas do


3 Grupo Eletrobras para aumentar a sinergia e ampliar a rede
de serviços de telecomunicações
Obrigado!

Bernardo L.V. Carvalho


(61) 3429-8500
bernardo.carvalho@eletronorte.gov.br