Você está na página 1de 118

Sistema MICROMINE

Soluções em Geologia e Mineração

TUTORIAL MICROMINE 2010

- Versão 1.3 -

Micromine Pty Limited


174 Hampden Road
Nedlands, WA 6009
T: +61 (0) 8 9423 9000
www.micromine.com

Rua Desembargador Leão Starling 200


31.310-370 Belo Horizonte, MG, Brasil.
Tel/Fax: +55 (31) 33475904.
www.bnaconsultoria.com

Belo Horizonte
2010
ÍNDICE

1. DIFERENTES TIPOS DE LINGUAGEM ............................................................................ 4

2. NEW PROJECT ............................................................................................................. 4

3. IMPORTS ..................................................................................................................... 6

4. EDITAR ARQUIVOS ...................................................................................................... 8

5. DRILLHOLE VALIDATE .................................................................................................. 9

6. CRIANDO DATABASE PARA FUROS DE SONDAGEM .................................................. 15

7. CRIANDO DATABASE PARA TRINCHEIRAS ................................................................. 16

8. VIZEX FORMS (FORMULÁRIOS DE VISUALIZAÇÃO) ................................................... 27

9. TIPOS DE VISUALIZAÇÃO PARA DRILLHOLES (FURO DE SONDAGEM) ....................... 28

VISUALIZAÇÃO DRILLHOLETRACE (TRAÇOS DO FURO) .................................................................. 28


VISUALIZAÇÃO DRILLHOLE VALUES (VALORES AO LONGO DO FURO)................................................. 30
VISUALIZAÇÃO DRILLHOLE HATCH (HACHURAS AO LONGO DO FURO) ............................................... 33

10. MÓDULO ESTATÍSTICA .......................................................................................... 36

ESTATÍSTICA DESCRITIVA NORMAL/LOG ................................................................................... 36


ESTATÍSTICA DESCRITIVA MEDIANA/MODA............................................................................... 38
ESTATÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO ............................................................................................... 39

11. MANIPULAÇÕES MATEMÁTICAS DOS ARQUIVOS ................................................. 41

12. SEÇÕES .................................................................................................................. 43

GERAR SEÇÕES MANUALMENTE .............................................................................................. 43


GERAR ARQUIVOS DE SEÇÃO CONTROLE ................................................................................... 45

13. GEOREFERENCIAMENTO DE IMAGENS NAS SEÇÕES (OPCIONAL).......................... 48

14. MODELAMENTO GEOLÓGICO ................................................................................ 53

15. 14-FILTRO .............................................................................................................. 56

16. GERAR MALHA TRIANGULADA (WIREFRAME)....................................................... 56

17. CRIAR SUPERFÍCIES – DTM (MODELAMENTO DIGITAL DE TERRRENO) .................. 61

2
Tutorial MICROMINE - Exploration
18. OPERAÇÕES BOOLEANAS ...................................................................................... 62

19. GERAR COORDENADAS ......................................................................................... 64

20. COMPOSIÇÃO DAS AMOSTRAS – COMPOSITE ...................................................... 68

21. CRIANDO UM MODELO DE BLOCOS ...................................................................... 71

JUNTAR DOIS MODELOS DE BLOCOS .................................................................................. 78


OPCIONAL – BLOCK SETUP .................................................................................................... 82
OPCIONAL – REBLOCAGEM ................................................................................................... 85

22. PIT DESIGN ............................................................................................................ 88

23. PLOTAGEM ............................................................................................................ 98

VISUALIZAÇÃO DA SEÇÃO COM O PLANO DE ORIGEM.................................................................... 98

24. LINK DO MICROMINE COM O GOOGLE ............................................................... 108

25. ROTAÇÃO DE OBJETOS – MODELO DE BLOCOS ................................................... 115

3
Tutorial MICROMINE - Exploration
1. DIFERENTES TIPOS DE LINGUAGEM
O MICROMINE é o único software de mineração que possui suporte e interface em
várias línguas, dentre elas o Português.
Mudar idioma: (Tools | Options | Default Language )

OBS: Ao selecionar outra língua de interesse é necessário fechar e abrir novamente o


MICROMINE. Escolha a opção na qual o usuário se sinta mais tranquilo para entender
o sistema.

2. NEW PROJECT
Para criar um novo projeto selecionamos o seguinte passo.
Caminho: (File | Project | New)

Os campos existentes permitem definir:


- Nome do Projeto
- Local de destino dos arquivos
- Criar uma Pasta para o Projeto
-Título para o Projeto
- Unidades métricas

4
Tutorial MICROMINE - Exploration
Para explorar os arquivos presentes no Projeto temos:
Caminho: (File |Explore | Current Project)

Podemos criar pastas para organizar os arquivos. Cole a pasta chamada IMPORTS que contém
todos os inputs que serão utilizados no projeto.

Na pasta IMPORTS existe um banco de dados em Excel (BD.xls) e Access


(BD.mdb), assim como, arquivos de imagens para georeferenciamento.

5
Tutorial MICROMINE - Exploration
3. IMPORTS
Para importar dados de Excel basta seguir o procedimento:
Caminho: (File | Import | ODBC).

Em Select Data Source... é possível selecionar e buscar os dados de importação em


diferentes fontes de dados como, por exemplo, Excel Files.

Recomendações: Verificar os arquivos de importação antes de


realizar as importações no MICROMINE.

Em Fields To Import é possível escolher as colunas existentes


no arquivo que será importado. Em File: escreva o nome do
arquivo.

6
Tutorial MICROMINE - Exploration
Clique em Import. Para verificar o arquivo que foi importado, clique
com o botão direito do mouse sobre o arquivo COLLAR
possibilitando a visualização dos dados. Ao abrir o arquivo é
permitido editar as informações importadas. Clique na ferramenta
Modify File, modificar arquivo.

Ao clicar na ferramenta Modify File, abrirá uma caixa de diálogo informando as


estruturas do arquivo. Nesta caixa de diálogo podemos editar e acrescentar novos
campos definindo o seu tipo: TYPE (C = caracteres; N = numérico), WIDTH < 256
(número de caracteres presentes) e DECIMALS (número de casas decimais).

É necessário importar os outros arquivos que comportam as demais informações


essenciais para começar um projeto, como SURVEY, ASSAY e GEOLOGY. Importe estes
arquivos de acordo com os passos descritos acima para o arquivo COLLAR.

7
Tutorial MICROMINE - Exploration
Após a importação podemos acessar o Gerenciador de Arquivos pela barra de
ferramentas do MICROMINE. Com isto é possível realizar várias operações como
copiar, deletar, renomear, visualizar cada tipo de arquivo, dentre outras.

4. EDITAR ARQUIVOS
Para abrir um arquivo temos:
Comando: (File | Open)

Podemos visualizar os arquivos através de suas extensões.

8
Tutorial MICROMINE - Exploration
Ao abrir um arquivo é possível editar a planilha e substituir
números ou caracteres presentes, por exemplo, uma simples
operação de substituição de vírgulas “,” por pontos “.”

5. DRILLHOLE VALIDATE
Validação das informações importadas referentes aos furos de sondagem.
Caminho: (Drillhole | Validate | Drillhole)

Ao preencher todos os formulários descritos acima clicar em Forms: Assim será


salvo o formulário Drillhole Validation.

9
Tutorial MICROMINE - Exploration
Clicar em Salvar como (Save As).

Clicar em OK. Após isto, aparecerão os erros existentes entre os arquivos


presentes no formulário de acordo com as Opções de Validação que selecionamos em
Options, dentro da página Report.

Aparecerá o histórico dos erros presentes.

10
Tutorial MICROMINE - Exploration
O primeiro erro indica sobreposição de intervalos, facilmente verificado onde
indicamos na ilustração acima.
Outro erro comum é mostrado abaixo, nele o intervalo é maior que o comprimento
total do furo e, conseqüentemente, ocorre também a sobreposição de intervalos.

11
Tutorial MICROMINE - Exploration
Após a correção dos erros, fechar a página que apresenta as informações e
localização dos erros existentes. É necessário validar novamente até que os arquivos
selecionados no formulário de validação não apresentem mais erros.

12
Tutorial MICROMINE - Exploration
Observe que os arquivos selecionados após a correção não apresentam erros nem
incompatibilidades entre si. Ao realizar esta operação é interessante verificar o histórico
armazenado no Arquivo criado (Validação ASSAY) na página Report.
Temos que realizar a validação para todos os arquivos de intervalos e arquivos de
eventos, pois eles carregam as informações dos furos de sondagem.

13
Tutorial MICROMINE - Exploration
Foi realizada a validação do arquivo de intervalo ASSAY no tópico acima, é
necessário continuar a validação para o outro arquivo de intervalo, por exemplo,
GEOLOGY. Basta realizar os mesmos passos descritos acima para a validação.

IMPORTANTE:
Em todas as caixas de diálogo no MICROMINE é possível visualizar os arquivos já
existentes e os arquivos criados após a operação desejada, basta clicar com o botão
esquerdo do mouse sobre estes arquivos. Existe uma simbologia adotada em todas as
caixas de diálogo do MICROMINE, na qual, os campos escritos em preto não são campos
obrigatórios e os escritos em vermelho são campos obrigatórios para realizar a operação
desejada. Os quadrados mostrados ao lado direito onde inserimos os arquivos, não
preenchidos, representam os arquivos já existentes (inputs) e os quadrados totalmente
preenchidos se azul representam arquivos que serão gerados (outputs), ou seja é
necessário escrever o nome do arquivo para criá-lo. No exemplo abaixo o arquivo
COLLAR é um arquivo existente onde podemos visualizar o quadrado não preenchido,
enquanto o Report apresenta a simbologia do quadrado todo preenchido.

14
Tutorial MICROMINE - Exploration
6. CRIANDO DATABASE PARA FUROS DE SONDAGEM

Definir o tipo de Banco de Dados (Furos de Sondagem ou


Trincheira) e nomear a Database.

Preencher os campos obrigatórios (Campos escritos em vermelho) e adicionar os


arquivos de intervalos (ASSAY, GEOLOGY) em Event Files....

15
Tutorial MICROMINE - Exploration
Podemos também realizar uma Validação da Database criada.

7. CRIANDO DATABASE PARA TRINCHEIRAS


Para criar um DATABASE de trincheiras temos que ter um arquivo de entrada com
seguintes configurações:

16
Tutorial MICROMINE - Exploration
Importante entendermos como o MICROMINE entende arquivos de canal,
canaletas, trincheiras, verifica-se que se trata de um arquivo semelhante a um string,
onde temos a cada mudança de trajetória a coordenada desta posição. A diferença básica
que em furos de sondagem a mudança do Azimute e do Dip são suavizadas ao longo da
trajetória do furo de sondagem, já em trincheiras as mudanças de Azimute e de Dip são
mais bruscas e não existem deslocamentos suavizados, logo para banco de dados de
trincheiras, canais ou canaletas toda vez que houver a mudança de Azimute e Dip é
necessário ter a coordenada desta mudança. Como no exemplo abaixo:

Com a ferramenta indicada na imagem acima pela seta pode acompanhar as


informações de cada intervalo.
Muitas vezes o arquivo não está definido na configuração necessária dos dados de
entrada no MICROMINE, geralmente para conseguir estes pontos de coordenadas temos
que fazer algumas manipulações, no seu banco de dados, caso exista somente a
coordenada inicial da canaleta.

17
Tutorial MICROMINE - Exploration
Segue abaixo os procedimentos necessários do processo:
1- Criar o campo From e To dos intervalos e Lenght no arquivo indicado como
CSUR.DAT

2- Juntar arquivos CCOL com CSUR, antes deste procedimento faça uma cópia
destes arquivos na qual será realizado manipulações dos dados. No caso
XX_CCOL e XX_CSUR.

18
Tutorial MICROMINE - Exploration
Para realizar este processo é necessário que ambos os arquivos tenham a mesma
quantidade de campos com as mesmas condições de largura e decimais e esteja na
mesma ordem.

Execute e verifique o resultado do processo de Anexar Arquivo, é necessário


ordenar os campos preenchidos.
19
Tutorial MICROMINE - Exploration
Após o processo o arquivo será ordenado como abaixo:

Com isso teremos o arquivo com as coordenadas e na seqüência os azimutes e


dips consecutivos de trincheiras, canais ou canaletas.

3- MERGE (MESCLAR)
Neste procedimento será preenchido todos os campos de x,y,z no arquivo Alvo
XX_CSUR, importante mostrar o campo chave (comum entre os dois arquivos), e mesclar
os campos de interesse (x,y,z)

20
Tutorial MICROMINE - Exploration
Mais a frente entenderá o motivo desta operação. Ao executar mostrará o que foi
mesclado.

Confira o resultado no arquivo.

21
Tutorial MICROMINE - Exploration
Agora já podemos fazer os cálculos matemáticos para gerar as coordenadas de
cada intervalo de Trincheiras , canais ou canaletas.

4- Realização dos cálculos matemáticos no MICROMINE


Cálculos dos DELTAS e das COORDENADAS. Lembrando de marcar as exceções
numéricas, e autorização dos campos que serão criados.

Conferir os resultados. Abaixo segue a memória de cálculo pela fórmula do Excel,


para conferência dos resultados obtidos.

22
Tutorial MICROMINE - Exploration
Vamos realizar somente mais um cálculo referente ao acumulado dos campos
DELTA_X, DELTA_Y, DELTA_Z. Novos campos AC_DELTA_X, AC_DELTA_Y,
AC_DELTA_Z que serão preenchidos. Lembre de marcar os campos de exceções
numéricas. Não se preocupe com as casas decimais geradas para as coordenadas neste
momento.

23
Tutorial MICROMINE - Exploration
Neste procedimento como o campo de referência é o HOLE_ID (CARACTERE)
para acumular os campos DELTA_X, DELTA_Y, DELTA_Z os novos campos serão
caracteres é necessário mudar para numérico, caso tenha campos de HOLE_ID definidos
como caracteres.

Para obter as novas coordenadas basta realizar a operação abaixo:

24
Tutorial MICROMINE - Exploration
Existem várias maneiras, caminhos para se chegar a este resultado final. Esta foi
uma das maneiras que foi avaliado.

5- Criar um DATA BASE DE TRINCHEIRAS

25
Tutorial MICROMINE - Exploration
Os erros que serão gerados são referentes a erros dentro do arquivo Valores de To
igual ao From como demonstrado abaixo.

Basta deletar esta linha ou verificar se é outro valor.

6- Criar BASE DE DADOS TRINCHEIRA

26
Tutorial MICROMINE - Exploration
Para realizar a vizualização os procedimentos são os mesmos para furo de
sondagem.1º Visualização do Traço, 2º dos Valores, e se tiver geologia no formulário
definir a hachura ou fazer hachura dos teores.

8. VIZEX FORMS (FORMULÁRIOS DE VISUALIZAÇÃO)


O Vizex Forms encontra-se no canto esquerdo do display. Nele estão contidos
todos os formulários de visualização existentes no MICROMINE. Podemos acessá-lo
através da barra de Ferramentas.

27
Tutorial MICROMINE - Exploration
9. TIPOS DE VISUALIZAÇÃO PARA DRILLHOLES (FURO DE
SONDAGEM)
Visualização DrillholeTrace (Traços do Furo)
Aplicar um duplo-clique no botão esquerdo do mouse em Drillhole Trace que está
presente no Vizex Forms (Formulários de Visualização).

Preencha os formulários, definindo os dados de entrada na página (Input Data), Database, selecionar Display
Trace, cor do traço e espessura da linha. As outras páginas presente neste formulário são opções de
visualização.

Após preencher todas estas páginas do formulário de Drillhole Trace acima, temos
que salvar o formulário no ícone salvar como, Save As..., nomear o formulário e clicar em
OK.

Ao lado esquerdo inferior do MICROMINE (Display) encontra-se o que será


visualizado no Vizex, neste caso aparecerá o formulário de visualização que salvamos
anteriormente.

28
Tutorial MICROMINE - Exploration
Opções De Visualização
Caminho: (View | Toolbars | View), ou acessar estas opções através das barras de
ferramentas. Inicialmente recomendamos a utilização das ferramentas citadas na tabela
abaixo.

Ícones Ferramentas
Seleção

Zoom

Mover no plano

Rotacionar 3D

Visualizar tudo, Visualizar antes, depois

29
Tutorial MICROMINE - Exploration
Tipos de Visadas dos objetos

Ícones Ferramentas

Plano de trabalho

Gride 3D

Gride Plano X-Y

Gride Plano X-Z

Configurações para os tipos de Gride

Orientação dos Eixos

Visualização Drillhole Values (Valores ao longo do furo)


Para realizar este tipo de visualização temos que proceder semelhantemente ao
que foi descrito anteriormente para visualizarmos os Drillhole Trace.
Aplicar um duplo-clique no botão esquerdo do mouse em Drillhole Values que está
presente no Vizex Forms (Formulários de Visualização).

30
Tutorial MICROMINE - Exploration
Defina os dados de entrada na página (Input Data), como Database e arquivo de
intervalo (ASSAY).
Para definir os Labels, basta dar um duplo-clique com o botão esquerdo do mouse
sobre o campo (Field), então, selecione um dos campos existentes no arquivo intervalo
selecionado, neste caso selecionaremos o campo que nos mostra os teores de ferro
magnético (FE_MAG) ao longo do furo.

Aplicar um duplo-clique ao campo Colour Set (conjunto de cores). É possível definir


um formulário de cores. Recomendamos sempre salvar o formulário criado, clicar em
Save As (Salvar Como).

31
Tutorial MICROMINE - Exploration
Defina as opções de visualização em Display Options do formulário. Em seguida
salvar o Formulário do Drillhole Values corretamente preenchido, clicar em Save As...,
nomear o formulário (Title) e clicar em OK.

32
Tutorial MICROMINE - Exploration
Visualização Drillhole Hatch (Hachuras ao longo do furo)

33
Tutorial MICROMINE - Exploration
Duplo clique para mapear o campo referente às litologias.

Clique botão esquerdo do mouse para abrir o formulário.

Importante salvar o Formulário Hatch Set (conjunto de Hachuras).

34
Tutorial MICROMINE - Exploration
Na sequência salvar o Formulário Drillhole Hatch.

35
Tutorial MICROMINE - Exploration
10. MÓDULO ESTATÍSTICA
Estatística Descritiva Normal/Log
Caminho: (Stats | Descriptive | Normal/Ln)

36
Tutorial MICROMINE - Exploration
Quando trabalharmos com dados numéricos sempre aparecerá a opção de
Exceções Numéricas (Numeric Exceptions), estas exceções numéricas estão
relacionadas à presença de caracteres, espaços em branco não definidos em uma análise
química em um determinado intervalo e limites de detecção provenientes de análises
químicas referentes ao campo em que estamos mapeando, no caso, FE_MAG. Neste
tutorial devemos sempre marcar todas as opções, como apresentado na figura abaixo.

Salvar o Formulário e clicar em Run.

37
Tutorial MICROMINE - Exploration
Estatística Descritiva Mediana/Moda
Caminho: (Stats | Descriptive | Median/Mode)

Salvar o Formulário e clicar em Run.

38
Tutorial MICROMINE - Exploration
Estatística de Distribuição
Caminho: (Stats | Distribution)

39
Tutorial MICROMINE - Exploration
Ícones Ferramentas

Rodar estatística

Salvar o Formulário

Dump – Função semelhante Print Screen

40
Tutorial MICROMINE - Exploration
OBS: Verifica-se a existência de um erro analítico de poucas amostras com teores
acima de 50%, o que estequiometricamente é impossível. Sendo assim, temos de realizar
manipulações deste campo presente na tabela ASSAY.

11. MANIPULAÇÕES MATEMÁTICAS DOS ARQUIVOS


Caminho: (File | Fields)
Podemos, através desta função, realizar várias operações com os valores
presentes nas colunas de cada tabela que compõe cada arquivo. Utilizaremos a opção
Calculate, para trazer todos os altos teores para 48%. Neste caso esta operação é
somente um exemplo, pois sabemos que para realizar qualquer tipo de modificação no
banco de dados são necessários vários critérios e um estudo melhor elaborado.

Escolher o arquivo ASSAY, mapear o campo de input, escolher a função, definir


qual o valor que traremos os altos teores e escrever o campo de destino desta
manipulação.

41
Tutorial MICROMINE - Exploration
Clicar em Run aparecerá uma mensagem perguntando se queremos criar o novo
campo. Clique em Sim e depois em OK.

OBS: Clique com o botão direito do mouse, aparecerão


várias opções que podemos realizar com o arquivo,
selecione a opção Edit, ou seja, edição do arquivo.

42
Tutorial MICROMINE - Exploration
12. SEÇÕES
Gerar seções manualmente
Temos como gerar seções aleatórias e manualmente utilizando a ferramenta
Section Tool, como apresentado na figura abaixo:

Ícones Ferramentas
- Section Tool Criar seções
- Display Limits Opções / Salvar seções
- Clip View Abrir / Fechar Corredor
Opções de Recuo, Avanço e passo,
Caminhar de acordo com o Step (Passo)

Selecione a ferramenta , clique e


mantenha pressionado o botão
esquerdo do mouse no ponto inicial da
seção. Arraste o mouse até o ponto
final da seção que será criada.
Teremos a figura abaixo que define
então o avanço e recuo da seção que
será criada.

Clique em Display Limits para salvar a


seção criada, basta salvarmos o
formulário.

43
Tutorial MICROMINE - Exploration
Para voltar às visualizações normais bastam alguns tipos de Visadas dos objetos.

44
Tutorial MICROMINE - Exploration
Gerar arquivos de Seção Controle
Para criarmos estas seções temos que criar um arquivo de Strings, mostrando
onde serão realizadas as nossas seções.
Siga as instruções abaixo de acordo com a figura apresentada.
1-Clique em [New] String... ; abrirá um arquivo Untitled(Untitled.STR)
2-Pressione N no teclado para ativar a opção New String na Barra de Ferramenta.
3-Clique no ponto final e inicial da seção e pressione Esc no teclado ou clique com
o botão direito do mouse para desabilitar a criação de strings. Se desejar mover os pontos
criados basta colocar o mouse sobre o ponto que será possível a sua mudança.
4-Crie as 4 seções como definido na figura abaixo.
Dica: Importante criar estas linhas da esquerda para a direita, pois isto define as
referências de visualização de sua seção.

5-Clique com o botão direito do mouse sobre o arquivo Untitled(Untitled.STR),


selecione Save AS e defina um nome para o arquivo.

45
Tutorial MICROMINE - Exploration
6-Salve o Formulário de visualização do String, basta dar um duplo-clique sobre
Untitled (Line 1.STR), escolher as opções de visualização Display Options e clicar em
Save AS...

7-Clicar em (Strings | Section Control File | Create From String File)

Para nomear as seções basta clicar com o botão direito do mouse sobre o arquivo
Line 1 e editar. Escrever o nome das seções no campo STRING. Clique em Salvar após
nomear cada seção.
Clicar em Forms para salvar o Formulário String Section Control File e clicar em
OK. Teremos este arquivo criado, o qual pode ser visualizado no output do formulário.

46
Tutorial MICROMINE - Exploration
É necessário carregar a seção criada. Para isto devemos clicar na página Sections
e clicar em Load Section Control File. Selecione o arquivo de seções criado para criar o
conjunto de Seções.

Será criado a sequência de seções. Acione a seção desejada com um duplo clique
com o botão esquerdo do mouse. Se necessário arrumar a visualização, mova a seção
com a ferramenta Pan , clique com o botão esquerdo do mouse sobre a
seção e selecione Update, para a seção receber o posicionamento de sua modificação.
Se necessário faça esta operação para todas as seções.

47
Tutorial MICROMINE - Exploration
13. GEOREFERENCIAMENTO DE IMAGENS NAS SEÇÕES
(OPCIONAL)
Para georeferenciar uma imagem no espaço precisamos de no mínimo 3 Pontos.
Utilizaremos as coordenadas da boca dos furos de sondagem como referência de acordo
com a tabela que será apresentada abaixo.
Caminho: (File | Image | Georeference)

48
Tutorial MICROMINE - Exploration
Selecione a página 3D Plane, localize a
imagem que será georeferenciada. Clique
em Georeference Image

Abrirá uma página onde é possível mover e aplicar um zoom na imagem para
localização dos pontos de georeferenciamento. Segue abaixo os pontos de cada seção
com suas localizações respectivas.

49
Tutorial MICROMINE - Exploration
Furo Seção X Y Z
Hole Section East North RL
1 13 708529.360 5283580.121 48.4
1 13 708529.360 5283580.121 -100
42 13 708213.436 5283541.536 55

13 13-A 708396.111 5283691.175 43.8


13 13-A 708396.111 5283691.175 -100
14 13-A 708214.799 5283671.325 50.4

65 14 708408.203 5283861.185 42.4


65 14 708408.203 5283861.185 -100
67 14 708206.015 5283824.229 43.5

53 14-A 708556.768 5284043.656 47.1


53 14-A 708556.768 5284043.656 -100
9 14-A 708221.309 5284030.849 42.7

Após definir os pontos pressione Enter, clique na seta verde no canto superior da
página e salve o formulário em Save As...

50
Tutorial MICROMINE - Exploration
Teremos a Imagem georeferenciada na seção de acordo com as coordenadas dos
pontos acima definidos.
Dica: No MICROMINE o Display de visualização Vizex respeita uma hierarquia de
visualização através das ordens dos formulários de visualização, se deixarmos a imagem
em um nível superior, teremos de aplicar a ela uma transparência para enxergarmos os
furos de sondagem, teores e litologias por completo.

Para facilitar esta visualização basta mudarmos as ordens de visualização e aplicar


o comando , assim será visualizado por completo todas as informações
contidas no furo facilitando a modelagem geológica.

51
Tutorial MICROMINE - Exploration
Após modelarmos todas as imagens teremos:

Dica: Para mudar a cor de fundo do Vizex basta ir ao caminho: (View | Vizex
Background Options) e definir a cor que desejar. Esta mudança poderá atrapalhar outras
visualizações como, por exemplo, o Grid que está definido com a cor preta. É necessário
então, mudar a sua cor no caminho: (View | Grid | Grid Settings).

52
Tutorial MICROMINE - Exploration
14. MODELAMENTO GEOLÓGICO
Nesta etapa serão utilizadas informações como: teores, litologia, imagem
georeferenciada e as seções criadas. A construção de polígonos em cada seção
representará parte dos corpos geológicos.

Ícones Ferramentas
Opções de Snap, referência para acionar ou localizar
um Ponto, Line, Grid, Interseções. “S” ou “S + Shift”

- New Points Criar Pontos

- New String Criar Linhas “N”

- New Poligon Criar Polígonos

- Insert Points Inserir Pontos “I”

Faça o modelamento dos corpos de minério selecionando cada seção utilizando o


Snap to Point nos furos de sondagem. Para começar a desenhar basta clicar em New
String e proceder como descrito anteriormente para salvar o arquivo e o formulário
quando geramos linhas para criar as seções.

53
Tutorial MICROMINE - Exploration
Ao final do modelamento teremos um resultado parecido com este apresentado
abaixo.

Após salvar o arquivo e o formulário você poderá inseris vários


campos que achar necessário ao arquivo.

Ao selecionar os Strings que definem o corpo 1 click em Properties e


no campo que foi criado coloque o valor 1. Selecione os outros
Strings e atribua valor 2.

Com isto podemos definir diferentes cores aos Strings de cada corpo,
realizar um filtro nos dados.

Para definir um em qualquer formulário, basta mapearmos o campo que possui


atributos que possam diferenciá-lo e então clicar com o botão direito do mouse em para
definir o Color Set. Salve o formulário Edit Colour Sets.

54
Tutorial MICROMINE - Exploration
Selecione os todos os polígonos criados, clique com o botão esquerdo do mouse e
selecione a opção Condition Strings Segments. Com este comando é possível criar
pontos ao longo da linha, respeitando os postos existentes, dentro de uma restrição
definida pelo usuário.

Nesta caixa de condição a mínima separação entre os pontos


será de 0.1m (10% de um metro), e ele vai permitir uma
distância máxima entre dois pontos de 20 em 20 metros.

55
Tutorial MICROMINE - Exploration
15. FILTRO
Para realizar um filtro em um arquivo, basta entrar em qualquer formulário e
selecionar Filter. Podemos realizar filtros diversos de algum ou de vários campos
do arquivo selecionado. No exemplo abaixo será feito um filtro dos polígonos que
se referem ao corpo de minério 1.

Selecione o campo desejado em Field Name, escolha o


operador, se o campo escolhido é numérico selecione a opção
Numeric.

Lembre de salvar este formulário. Para isto clique em Save AS,


em seguida Save and Close e OK. Teremos no Vizex somente o
Selecione Filter corpo de minério definido pelo filtro.
e clique com o

Duplo click para abrir botão direito do mouse Dica: Sempre que for necessário atualizar as operações

o formulário. sobre o espaço realizadas, é necessário para algumas operações realizar um

Refresh, basta clicar na ferramenta existente no Display.

16. GERAR MALHA TRIANGULADA (WIREFRAME)

Ao clicar em Build Wireframe aparecerá uma caixa de diálogo onde selecionamos [New]
Triangulation, clique em OK.

Selecione o primeiro polígono e posteriormente o segundo em sua sequência, assim


serão apresentadas as triangulações. Para continuar o processo clique nos próximos
polígono até que todo o corpo apresente a sua triangulação como nos processos abaixo.

56
Tutorial MICROMINE - Exploration
Observe que foram realizadas somente triangulações em volta do corpo, é
necessário fechar este corpo. Abaixo segue uma sugestão para fechar o corpo de
minério.
1-Selecione a visada Plan View
2- Utilize a ferramenta que nos permite definir direções, inclinações,
tamanho, etc.

Após realizar este processo, clique no arquivo de String no Display e ative a sua
Layer, esta operação mostrará o arquivo selecionado em negrito. Selecione o
polígono da extremidade, clique com o botão direito do mouse e selecione
Copy/Move String.

Defina os parâmetros como mostrado no formulário ao lado e clique


em OK. Ative a Layer clicando com o botão esquerdo do mouse
sobre o arquivo Untitled(New Wireframe). Selecione a ferramenta
para triangularizar, , e completar o corpo de minério.

57
Tutorial MICROMINE - Exploration
A ferramenta permite fechar o polígono selecionado. É necessário repetir o mesmo
procedimento para a outra extremidade do corpo mineralizado e aí sim teremos um
sólido. Para aparecer o PopUP basta deixar o mouse sobre o sólido.

Defina o tipo, com um duplo clique em Type e escolha um tipo já


existente na lista.

Defina um nome qualquer para o sólido, um código, e clique em OK.

58
Tutorial MICROMINE - Exploration
Duplo clique para
salvar o Formulário.

É necessário repetir os procedimentos acima para o outro corpo de minério.

Em cada seção crie linhas que separem a zona de minério alterado e fresco. Repita
os procedimentos de como criar um String.

59
Tutorial MICROMINE - Exploration
Copie e mova os Strings das extremidades com o comando Copy/Move String.

Temos estas linhas definidas nas imagens acima.


Dica: Para abrir outra janela basta clicar no comando New Overview Window.

60
Tutorial MICROMINE - Exploration
17. CRIAR SUPERFÍCIES – DTM (MODELAMENTO DIGITAL DE
TERRRENO)
Este comando permite gerar superfícies

Após o preenchimento dos formulários clique em Forms e depois em Run:

Duplo click no
formulário Wireframe

61
Tutorial MICROMINE - Exploration
Com esta operação é possível triangularizar pontos topográficos.

18. OPERAÇÕES BOOLEANAS


Utilizamos este comando para realizar operações entre superfícies e sólidos.
Caminho: (Wireframe | Boolean)

Basta preenchermos o formulário e não esqueça de salvá-lo.

Realize esta operação para cada corpo de minério.

62
Tutorial MICROMINE - Exploration
O sistema MICROMINE possibilita realizar várias operações bastante interativas
facilitando o entendimento do resultado final.

Para visualizar o resultado desta operação vamos criar um Set que mostrará os
dois corpos cortados ao mesmo tempo.

Lembre de salvar o formulário.

63
Tutorial MICROMINE - Exploration
Set que possibilita a visualização
mais dinâmica dos corpos de minério
cortados.

19. GERAR COORDENADAS


Para realizar composição dos intervalos, Composite, do arquivo ASSAY, é
necessário gerar coordenadas para cada intervalo.
Caminho: (Drillhole | Generate | Downhole Coordinates)

Defina os campos obrigatórios de acordo com a figura


abaixo:

Após o preencher o formulário e salvá-lo, clique em Run.


Verifique o resultado clicando com o botão direito do
mouse sobre o arquivo ASSAY e selecione Edit.

64
Tutorial MICROMINE - Exploration
Para cada intervalo existente no arquivo ASSAY será gerado uma coordenada que
definirá a localização do centróide do intervalo no espaço. Neste momento será criado um
campo chamado ORE que utilizaremos nos passos a seguir.

Teremos então um campo ORE com valores iguais a “0” em todas as linhas.

Com estes campos definidos será possível carimbar, os intervalos que se


apresentam dentro do corpo de minério.
Caminho: (Wireframe | Assign)
Este comando possibilita codificar as amostras que estão dentro do sólido:

Preencha os campos como abaixo definido. Selecione Set criado anteriormente com
um duplo clique com o botão esquerdo do mouse em Name.

Clique em More..., para definirmos os atributos que receberemos no arquivo ASSAY.


Escolha o atributo <USER VALUE>, escreva um valor, e escolha o campo que
receberá este valor. Receberemos o valor 1 em todas as amostras que estiverem
dentro do corpo de minério.

65
Tutorial MICROMINE - Exploration
Visualização das amostras dentro do sólido, referente ao Assign.
Crie um arquivo de pontos para visualizar:

Preencher o formulário referente ao arquivo de pontos.

Criar um Colour set, salvar o formulário.

Preencha os formulários como descrito abaixo:

66
Tutorial MICROMINE - Exploration
Salvar o formulário e clicar em Run. Clique com o botão esquerdo do mouse para
visualizar o resultado do Report File.

67
Tutorial MICROMINE - Exploration
20. COMPOSIÇÃO DAS AMOSTRAS – COMPOSITE
O primeiro passo é conhecer como estão definidos os comprimentos das amostras.

Escreva o nome do
campo que receberá os
resultados.

Avaliação estatística referente ao comprimento das amostras.

68
Tutorial MICROMINE - Exploration
Clique sobre o Bin e
teremos a quantidade
de pontos referente a
este comprimento.

Sabemos o comportamento dos intervalos amostrados, logo podemos regularizar


estes intervalos através de sua composição, para tanto, utilizaremos o comando:
Caminho: (Drillhole | Compositing | Downhole)
OBS: Existem várias opções de composição, apresentaremos a composição ao
longo do furo como exemplo. Utilizaremos somente as amostras que estão presentes
dentro do corpo de minério.

69
Tutorial MICROMINE - Exploration
Teremos como resultado:

Sample Comp. Fe_Total


90 0,8 22,39
91 0,2 39,43
Composite 1 25,798

70
Tutorial MICROMINE - Exploration
Utilizou-se a média ponderada, pois selecionamos no formulário em Numerics

Fields :

21. CRIANDO UM MODELO DE BLOCOS


Será criado um modelo de bloco sublocado, no qual os blocos da periferia do corpo
poderão ser subdivididos em até 10 vezes na direção (East, North e RL) do bloco.
Realizamos este processo de sub-blocagem para aproximarmos ao máximo o volume do
corpo de minério do volume do modelo de blocos, lembrando que apresentamos apenas
uma sugestão de como realizar este processo, sendo que, para definir o tamanho dos
blocos e de sub-blocos deve-se levar em conta vários fatores.

Após preencher o formulário e salvá-lo, clicar em Run.

Para visualizarmos o arquivo do modelo de bloco basta preencher o formulário.

71
Tutorial MICROMINE - Exploration
Salve o formulário e clique em Ok.

Avaliação da frequência dos tamanhos dos blocos gerados no processo de sub-


blocagem.

Comparação Volume sólido versus Volume Modelo de Blocos

72
Tutorial MICROMINE - Exploration
73
Tutorial MICROMINE - Exploration
Volume
Sólido 48218187.16
Modelo Blocos 48193062.50
Diferença(%) 0.052

Interpolação de teores por IDW- (IPD – Inverso da potência da Distância).


Para executarmos um IPD (Inverso da potência da distância) , devemos acessar o
formulário que se encontra em:
Caminho: (Modelling | 3D Block Estimated | Inverse Distance Weighting)

74
Tutorial MICROMINE - Exploration
Devemos informar quais amostras devem ser usadas no IPD, para isso, entre com
o nome do arquivo no campo File, na página de input do formulário. Usaremos apenas
amostras que se encontram dentro do corpo, para isso aplicaremos um filtro.

Na opção de Input Fields, devemos informar qual campo, ou campos, que serão
utilizados no IPD, além dos campos de coordenadas das amostras.

75
Tutorial MICROMINE - Exploration
Podemos definir um novo modelo de blocos para receber os valores estimados na

opção Block Definitions , neste caso será utilizado um modelo de blocos

existente na opção Define Block From File . Neste tutorial será utilizado o
modelo de blocos criado e codificado anteriormente, blocos limitados pelo wireframe. Se
selecionarmos a opção Interpolate parent blocks only, somente os blocos pais (blocos que
não foram subdivididos) serão estimados.
A opção Discretisation permite subdividir os blocos, por um valor inteiro, em cada
direção. Estes blocos subdivididos são estimados separadamente e depois é usada a
média destes valores para estimar o bloco inicial. É importante lembrar que não são
gerados subblocos no arquivo de saída quando utilizamos esta opção.

O próximo passo é definir um elipsóide de busca. Para isso, clique com botão
direito do mouse na opção Data Search, para criar um novo formulário. Após nomea-lo,
devemos fornecer um raio de busca, definir o número de setores do nosso elipsóide, o
máximo de pontos por setor e o mínimo de pontos global, utilizados no IPD. Note que
podemos escolher entre as opções Spherical ou Elipsoidal. Neste exemplo usaremos a
opção Spherical. Nesta opção somente a primeira página do formulário está disponível
para ser preenchida, pois em todas direções o raio será o mesmo.

76
Tutorial MICROMINE - Exploration
Caso seja escolhida a opção Spherical, devemos fornecer as direções dos eixos e
os fatores a serem aplicados no raio. Por exemplo se tivermos um raio de 100 metros, e
usarmos um fator de 0.66 em uma determinada direção, este eixo será de 66 metros. É
recomendável usar um raio de 1, pois nesse caso o fator será o tamanho do eixo. Existem
quatro opções de orientação dos eixos, como ilustrado abaixo.

Na sequência devemos definir qual será a potência a ser usada, no campo Inverse
power. Podemos também definir uma distância mínima da amostra ao centro do bloco, no
campo Minimum distance. Caso a distância de uma amostra ao centro do bloco seja
menor que este valor estipulado, a amostra não será utilizada na interpolação.
Neste caso queremos que cada bloco estimado utilize, pelo menos, amostras de
dois furos diferentes. Para casos como este, existe a opção Count Reference field. O
campo Count field corresponde ao campo criado no arquivo de saída que receberá, neste
caso, o número de furos utilizados na interpolação do bloco. O campo Count reference
field deve ser preenchido com o parêmetro de referência que desejamos usar, neste caso
o parâmetro Hole existente no arquivo Comp_1m. No campo Min count devemos entrar
com um número que será o mínimo de vezes que um valor diferente aparece no campo
de referência, nas amostras localizadas dentro do raio de busca. Por exemplo, neste caso
queremos no mínimo dois furos, consequentemente dois valores diferentes para o
parâmetro Hole. Caso as amostras localizadas dentro do raio de busca não sejam de, no
mínimo, dois furos diferentes, o bloco não será estimado. O campo Min count per
reference e Max count per reference definem o número mínimo e máximo de amostras de
cada furo que serão utilizadas.

77
Tutorial MICROMINE - Exploration
Na página de output, a opção Display Data tem a função de mostrar a localização
das amostras durante a interpolação. Selecionando a opção Display Blocks, os blocos
também serão mostrados no processo. Para criar campos no modelo de blocos de saída
que recebam o número de pontos utilizado e o desvio padrão, selecione repectivamente
as opções Write number of points e Write standard deviation. Em file entre com o nome
do modelo de blocos de saída, e em report file entre com o nome do relatório que será
gerado após a interpolação. Caso seja de interesse adicionar campos extras no modelo
de blocos de saída, clique na opção Add fields, como por exemplo, Nº das rodadas para
estimar os blocos. Nesta opção podemos definir o nome, o tipo, o tamanho e um valor
para os campos criados.

Juntar dois MODELOS DE BLOCOS


Block Setup
Em muitas oportunidades recebemos modelos de blocos sem informações das
definições do bloco (Block Definitions), com esta ferramenta podemos descobrir a origem
destes blocos.
Caminho: (Modelling | Sub - Blocking | Setup Block Model)

78
Tutorial MICROMINE - Exploration
Click em refresh para ser realizado a leitura dos blocos e em seguida Block
Definitions. Com isso teremos todas as informações da origem dos centróides dos blocos
do arquivo.

Para criar a caixa do Modelo de Blocos deverá ser definido um novo Block Definition,
lembrando que o centróide dos blocos tenham que coincidir, portanto basta adicionarmos
as coordenadas múltiplos de acordo com o tamanho do bloco as posições East, North e
RL que definirão a caixa do modelo de blocos.

79
Tutorial MICROMINE - Exploration
Salve o Form e click em Run.

80
Tutorial MICROMINE - Exploration
Após esta operação poderá então juntar os 2 modelos de bloco

81
Tutorial MICROMINE - Exploration
Opcional – Block Setup
Em muitas oportunidades recebemos modelos de blocos sem informações das
definições do bloco (Block Definitions), com esta ferramenta podemos descobrir a origem
destes blocos.
Caminho: (Modelling | Sub - Blocking | Setup Block Model)

82
Tutorial MICROMINE - Exploration
Click em refresh para ser realizado a leitura dos blocos e em seguida Block
Definitions. Com isso teremos todas as informações da origem dos centróides dos blocos
e teremos também feramentas para calcular sub-blocagem destes blocos se necessário.

A seguir será mostrado como subblocar os blocos na direção North, ou seja passar
estes blocos anteriormente definido com dimensão 25m para 12.5m, ou seja, o número de

83
Tutorial MICROMINE - Exploration
blocos nesta direção será multiplicada por 2, click no botão x2. Será necessário mudar a
origem do bloco (centróide), pois quando sub-blocamos o centróide do bloco será outra.

Memória de cálculo
9289422.5 – 6.25 = 9289416.25
Com as novas informações do Block definitions é necessário salvar o formulário,
para ser utilizado no próximo processo.

84
Tutorial MICROMINE - Exploration
Opcional – Reblocagem
Caminho: (Modelling | Sub - Blocking | Reblock Block Model)

85
Tutorial MICROMINE - Exploration
Selecione o modelo de blocos de entrada , mapear os campos que definem as
coordenadas destes blocos. Crie um novo modelo de bloco para o output e selecione o
Block Definitions que foi definido anteriormente.

Arquivo de entrada, dmensão original do bloco em North (_Y = 25m)

86
Tutorial MICROMINE - Exploration
Arquivo de saída, verificação da dimensão do bloco em North (_Y = 12.5m)

87
Tutorial MICROMINE - Exploration
22. PIT DESIGN
Para desenhar uma cava, primeiramente devemos preencher o formulário com os
parâmetros necessários. Para isso clique em:
Caminho: (Mining | OnpenCut | Pit Design | New)

Você também pode usar o Vizex layers e selecionar New Pit Design;

Ou se preferir, caso não tenha nenhuma camada ativa, basta apertar a tecla “N” e
selecionar a opção New Pit design na caixa de dialogo q irá aparecer.

Entre com os parâmetros da cava na página Input Data do formulário. Esses


parâmetros também podem ser mapeados de um modelo de blocos, para isso basta

88
Tutorial MICROMINE - Exploration
mapear os campos na página Variable Constraints. Note que com esta opção é possível
variar os parâmetros no mesmo banco, como ângulo do talude e largura do banco. Na
página Display Options, podemos definir as cores dos strings (pé, crista, acessos, etc).
OBS: a opção Taper berm at road crossing quando selecionada, na página Input
Data do formulário, retira o acesso ao banco pelas estradas, ou seja, realizará estradas
contínuas.

Após salvar o formulário, ele automaticamente aparecerá no seu Display, podendo


ser editado a qualquer momento. As ferramentas de Open Pit podem ser acessadas
através do caminho Mining | OnpenCut | Pit Design, ou nas barras de ferramenta Pit
Design e Mine Design. A figura abaixo mostra estas ferramentas e suas descrições.

89
Tutorial MICROMINE - Exploration
Agora basta desenhar uma linha de base para sua cava (pé), e clicar na opção
Project String. Com isto será gerado automaticamente uma linha de crista para seu
talude. Neste ponto podemos desenhar outra linha de pé ou simplesmente expandir a
linha de crista com o comando Expand String. O comando Project to Berm cria
automaticamente uma crista e um pé. Note que podemos mudar a qualquer momento os
parâmetros da sua cava, na própria barra de ferramentas.

Podemos inserir um acesso em qualquer ponto da cava, basta clicar com o botão
direito no ponto da string desejado e selecionar a opção Road | Properties (figura abaixo).
Neste formulário preenchemos os parâmetros da estrada, como largura e gradiente. Note
que a estrada pode ser construída no sentido horário ou anti-horário. Após o formulário
ser salvo, ele aparecerá na opção Road | Properties, e basta clicá-lo para inserir outro
acesso, com os mesmos parâmetros. Após inserir o acesso, basta projetar e expandir as
linhas para que automaticamente o acesso seja criado.

90
Tutorial MICROMINE - Exploration
OBS: o que define a posição do acesso é o ponto escolhido (note que a cor dele
muda para vermelho). Ao retirarmos o acesso deste ponto (Road | Properties |None), a
91
Tutorial MICROMINE - Exploration
estrada não será mais construída ao projetar os strings. Consequentemente podemos
retirar o acesso e inseri-lo em qualquer outro ponto do banco, como ilustrado na figura
abaixo.

Para prolongar uma estrada já existente clique no ponto da estrada com botão
direito e selecione a opção Road | Flat Section e entre com a distância desejada.

92
Tutorial MICROMINE - Exploration
Para criar um Switchback no banco clique no ponto da estrada com botão direito e
selecione a opção Road | Switchback | Flat. Neste formulário devemos preencher o raio
da curva e o número de pontos do arco interno e externo.

Para criar um Switchback no próximo banco clique no ponto da estrada com botão
direito e selecione a opção Road | Switchback |On the Next Bench e defina um gradiente,
além dos outros parâmetros já citados.

93
Tutorial MICROMINE - Exploration
Abaixo algumas opções quando criamos um Switchback:

94
Tutorial MICROMINE - Exploration
Utilização do raio interno do círculo:

Utilização do raio central do círculo:

95
Tutorial MICROMINE - Exploration
Utilização do raio externo do círculo:

Slot:

Clique com o botão direito na string e siga o caminho: New | Slot Ramp Line
aparecerá uma caixa de diálogo onde é necessário definir os parâmetros da rampa.

96
Tutorial MICROMINE - Exploration
97
Tutorial MICROMINE - Exploration
23. PLOTAGEM
Visualização da Seção com o plano de origem
A seguir será plotado uma seção. Clique na página do Vizex e defina a visualização
de uma seção. Em seguida clique em Plot | Generate Plot File.

Na caixa de diálogo defina um nome para o arquivo de plot em seguida clique na


opção Edit Defaults... Nesta opção você pode definir o tamanho do papel entre outras
opções.

Defina o modelo (Template) – Default2DPlotTemplate, clique em seguida em abrir.

98
Tutorial MICROMINE - Exploration
Clique em OK aparecerá uma imagem de acordo com a definida no Vizex. Este
modelo apresentado a seguir é muito utilizado e de fácil interação com as ferramentas,
que serão descritas a seguir.

99
Tutorial MICROMINE - Exploration
Ferramenta Descrição
Ferramenta de Seleção

Ferramenta de Panorama:
Movimentar o plot
Criar um novo frame

Movimenta a imagem possibilitanto


um melhor posicionamento no plot
Ferramenta utilizada para exportar o
plot.

Para mudar a escala dê um duplo clique sobre a imagem e digite a escala


desejada:

Para editar o layout basta dar um duplo clique em um dos frames. Por exemplo
para inserir um imagem dê um duplo clique na caixa [image “LOGO”]. Insira o caminho da
imagem e clique em OK.

Os demais frames funcionam da mesma forma basta dar um duplo clique e edite
da forma que desejar, para alterar o tipo do frame clique com o botão direito do mouse
sobre o frame escolha a opção Change Type... e escolha um tipo.

100
Tutorial MICROMINE - Exploration
Para retirar um frame clique com o botão direito sobre ele e escolha a opção
Remove.
Para inserir uma legenda clique na aba Forms dê um duplo clique sobre Legend.

101
Tutorial MICROMINE - Exploration
Atalho Função
Inserir um formulário salvo

Novo Item na Legenda


Excluir item

Mover o item para cima


Mover o item para baixo

Se você desejar inserir um símbolo na legenda clique em selecione o Type


como Symbol dê um duplo clique em Value escolha um simbolo e defina a cor e
descrição que desejar.

Para inserir uma rosa dos ventos clique em Nort Arrow para mudar o símbolo clique
na imagem abrirá uma nova caixa de diálogo com outras opções, caso queira rotacionar a
imagem basta colocar o ângulo no campo Rotation.

102
Tutorial MICROMINE - Exploration
Para exportar um plot clique em Plot | Export... dê um nome para o arquivo de
saída escolha um tipo e a resolução e clique em OK.

Obs.: Para criar um novo plot com uma imagem diferente e mesmo layout
desmarque a opção Auto Load Into Plot Editor.

Caso queira plotar como uma imagem marcar a opção Plot as image.
Outro modelo de plotagem é o plot tridemensional Plot | Generate Vizex 3D Plot
esse tipo de plot exibi a imagem que esta no Vizex ao mudar a imagem do vizex o plot
também será alterado.
Neste Plot funcionam as opções 3D de visualização como, por exemplo, girar o
objeto visualizado.
Para alterar o template clique com o botão direito:

103
Tutorial MICROMINE - Exploration
104
Tutorial MICROMINE - Exploration
Selecione a ferramenta indicada abaixo para girar a imagem desejada e aplicar o
zoom quando necessário.

Utiliza-se (shift+botão esquerdo) – para girar a imagem em 3D e (Ctrl+botão


esquerdo) – Para definir o zoom desejado.

105
Tutorial MICROMINE - Exploration
Podem ser definidas as posições da imagem com o auxílio das réguas de
marcação.

106
Tutorial MICROMINE - Exploration
107
Tutorial MICROMINE - Exploration
24. LINK DO MICROMINE COM O GOOGLE
Com as coordenadas UTM ou GEOGRÁFICAS fica fácil localizar no Google Earth,
basta marcar a posição do marcador.

108
Tutorial MICROMINE - Exploration
Com este ponto de interesse, localizado no Google Earth, basta Salvar o lugar
como arquivo de extensão, por exemplo (*.Kml), na pasta do projeto que queira realizar o
Link.

Preparação das informações necessárias para gerar o Link juntamente com o


MICROMINE em uma tabela de pontos. Identifique o ponto em que vai ser realizado o
Link. Crie 2 campos caracteres por exemplo LABEL para descrever as informações do
tipo de arquivo, por exemplo (Web site, Google Earth, arquivo PDF, imagens JPEG) e
outro chamado de LINK, para informar o caminho onde o MM obterá a informação.

109
Tutorial MICROMINE - Exploration
110
Tutorial MICROMINE - Exploration
É necessário habilitar os ícones de GeoLink no MICROMINE em TOOLS |
OPTIONS | VIZEX | Geolinking.

Após realizar esta operação basta selecionar o ponto e posicionar o mouse sobre
ele, aparecerá um marcador. Basta dar um duplo clique para realizar o Link.

111
Tutorial MICROMINE - Exploration
112
Tutorial MICROMINE - Exploration
Pode também realizar um Link com o Web Site se necessário, basta inserir o LINK
como no exemplo descrito abaixo.

113
Tutorial MICROMINE - Exploration
114
Tutorial MICROMINE - Exploration
25. ROTAÇÃO DE OBJETOS – MODELO DE BLOCOS

Para realizar a rotação dos modelos de blocos criados é necessário definir os


centroides dos blocos como pontos, e anotamos a ângulo de rotação do modelo de
blocos.

Em seguida deve escolher um ponto de referência para rotacionar o modelo de


blocos a partir deste ponto. Neste caso será utilizado o centróide do primeiro bloco.

115
Tutorial MICROMINE - Exploration
Anote as coordenadas x e y deste ponto escolhido e utilize as funções do módulo
Survey:
Caminho: ( Survey | Convert Coordenates Between | Plane Grids )

É necessário selecionar a opção BRG CORRN/SCALE em transformation. Esta


opção você escolhe um ponto inicial e um ponto final e o ângulo de rotação. Na outra
opção você seleciona dois pontos iniciais e dois pontos finais. Temos a opção de fornecer
dois pontos, caso a necessidade de transladar os pontos e depois rotaciona-ló. Neste
caso queremos apenas rotaciona-ló, então entramos com o mesmo ponto no GRID A e no
GRID B (a coordenada do centróide que foi anotada anteriormente). Defina também o
ângulo de rotação lembrando que ângulos positivos são definidos no sentido horário.

116
Tutorial MICROMINE - Exploration
Em seguida clique em File Setup, selecione o arquivo de entrada e o arquivo de
saída, com os respectivos campos de referência. GRID A é o arquivo de input
(coordenadas de entrada x,y) e o GRID B é o arquivo onde serão criadas as novas
coordenadas.

Verifique o resultado final dos blocos rotacionados com o novo arquivo gerado.
Muitas vezes é necessário rotacionar os outros objetos como strings, pits, superfícies ,
furos dentre outros objetos.

117
Tutorial MICROMINE - Exploration
118
Tutorial MICROMINE - Exploration