Você está na página 1de 4

CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE

São João da Boa Vista – SP Tel./fax (0xx19)-3623-3022 / 0800-173022


Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida
http://www.fae.br/mestrado

DDC-8 ECONOMIA SOLIDÁRIA E AUTOGESTÃO

Disciplina Eletiva - Carga Horária: 30h - 2 Créditos – Sexta-feira, 8:00h – 11:00h

Prof.Dr.Luciel Henrique de Oliveira – luciel@fae.br

EMENTA: Economia solidária: história, concepções, princípios e fundamentos. A autogestão: princípios,


processos e instrumentos de tomada de decisão coletiva. Princípios que norteiam a economia solidária. O
desenvolvimento da economia solidária no Brasil, perspectivas e dificuldades. Economia solidária e
desigualdades; Autogestão e Subjetividade; Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares.
Economia Popular a Economia Solidária. Redes Locais e o Processo de Construção do Território. Espaço,
Território e Desenvolvimento Econômico Local. Exemplos de experiências solidárias. Empreendimentos
econômicos solidários (formas de organização, motivos de criação, produtos e serviços, resultados
financeiros, remuneração, dificuldades e fragilidades); Entidades de Apoio e Fomento a Economia Solidária.
Marco Jurídico da Economia Solidária: Lei 5764/71; Código Civil (art. 45 a 63); Legislações Estaduais;
Questões Atuais. A realidade regional, as demandas, iniciativas e experiências.

OBJETIVO: Discutir conceitos, contextos e práticas de Economia Solidária e Autogestão como formas de
contribuir para o desenvolvimento sustentável de indivíduos e comunidades.

METODOLOGIA: Aulas teóricas expositivas, estudos de caso, leitura e análise de artigos científicos,
apresentação de seminários e discussões.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO: Avaliações por meio de trabalhos apresentados sob forma de seminários. A
avaliação final será a elaboração e apresentação de um artigo científico. Estarão aprovados os alunos com
conceito final igual ou superior a C (regular).

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
Histórico e Contexto da Economia Solidária
A economia Solidária de Paul Singer
Socialismo Utópico e autogestão
A Sociedade dos Pioneiros de Rochdale
O Complexo Cooperativo de Mondragón
Cooperativismo e práticas públicas
Economia Popular e solidária: limites e possibilidades
Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares
Casos de autogestão
Exemplos de práticas bem sucedidas de Economia Solidária e Autogestão.
Comparação e discussão.
Economia de Comunhão.
Educação, Cultura e Práticas em Economia Solidária
PLANO DE ENSINO - PROGRAMAÇÃO AULA A AULA ( 2011 )

Aula / Data Tópico Bibliografia básica


1. Histórico e Contexto da Economia Solidária Castro (2009, Cap.1)

2. A economia Solidária de Paul Singer Castro (2009, Cap.2)


Cronologia dos Argumentos de Paul Singer

3. Socialismo Utópico e autogestão. Cultura Solidária. Castro (2009, Cap.3)


Autogestão e parceria solidária; Mello (2005, p.34 e p.119)
4. A Sociedade dos Pioneiros de Rochdale e o Complexo Castro (2009, Cap.4)
Cooperativo de Mondragón Pereira (2007, Cap.6)
Cooperativismo e práticas públicas
5. Economia Popular e solidária: limites e possibilidades Pereira (2007, Cap.2-3)
Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares.
6. Exemplos de práticas bem sucedidas de Economia Artigos diversos
Solidária e Autogestão. Comparação e discussão em sala.
[ Atividade 1 ]
7. Economia de Comunhão (EdC) Pinto e Leitão (2006)
8. Educação, Cultura e Práticas em Economia Solidária Cortegoso e Lucas (2008)
[ Atividade 2 ]
9. Análise de casos (individual)
[ Atividade 3 ]
10. Apresentação dos trabalhos finais (equipes)
[ Atividade 4 ]

REFERÊNCIAS BÁSICAS

1. CASTRO, Bárbara Geraldo de. A Economia Solidária de Paul Singer: A Construção de um Projeto
Político. Mestrado em Ciência Política. Campinas: Unicamp. 2009 (Dissertação).
2. CORTEGOSO, Ana Lucia; LUCAS, Miguel Gambelli (orgs). Psicologia e Economia Solidária. Interfaces
e perspectivas.São Paulo: Casa do Psicólogo. 2008.
3. MELLO, Sylvia Leser (org). Economia Solidária e Autogestão. Encontros Internacionais. São Paulo:
NESOL-USP, ITCP-USP, PW. 2005.
4. PEREIRA, Maria Cecília Camargo. Experiências Autogestionárias no Brasil e na Argentina. Mestrado
em Educação. Campinas: Unicamp. 2007 (Dissertação).
5. PINTO, Mario Couto Soares; LEITÃO, Sergio Proença. Economia de Comunhão. Empresas para um
capitalismo transformado. Rio de Janeiro: Editora FGV. 2006.
6. SINGER, Paul; SOUZA, André Ricardo de (orgs). A Economia Solidária no Brasil. - A autogestão como
resposta ao desemprego. São Paulo: Contexto. 2000.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

1. ABRAMOVAY, Ricardo. Paradigmas do capitalismo agrário em questão. Campinas: Ed. da


UNICAMP/AMPOCS, 1992.
2. AGUIAR, K. Economia dos setores populares: modos de gestão e estratégias de formação. Disponível
em: www.capina.org.br/download/semi/kagtxtsemi1.pdf. 2006. Acesso em 20/01/2011.
3. ANTEAG. ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRABALHADORES E EMPRESAS DE AUTOGESTÃO.
Portal Corporativo. Disponível em: http://www.anteag.org.br. Acesso em 20/01/2011.
4. ARROYO, João Claúdio Tupinambá; SCHUCH, Flávio Camargo. Economia Popular e Solidária: a
alavanca para um desenvolvimento sustentável e solidário. São Paulo: Editora Fundação Perseu
Abramo, 2006.
5. AZEVEDO, Alessandra B. Antunes de. Autogestão e Competitividade. Estudos de caso em cooperativas
industriais brasileiras e bascas/espanholas. Doutorado em Política Científica e Tecnológica. Campinas:
Unicamp. 2007 (Tese).
6. BRASIL. MTE, SENAES. ATLAS DA ECONOMIA SOLIDÁRIA NO BRASIL 2005. MTE, SENAES, 2006.
7. CALDERON, Adolfo Ignacio; SAMPAIO, Helena (orgs). Experiências universitárias, experiências
solidárias. São Paulo: Olho d’Água, 2001.
8. CARDOSO, Adalberto Moreira. Trabalhar, verbo transitivo: destinos profissionais dos deserdados das
indústrias automobilísticas. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2000.
9. CUNHA, Gabriela Cavalcanti. Economia solidária e políticas públicas: reflexões a partir do caso do
programa Incubadora de Cooperativas, da Prefeitura Municipal de Santo André, SP.. Universidade de
São Paulo. Mestrado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Ciência
Política. São Paulo, 2002 (Dissertação).
10. DOWBOR, Ladislau. A reprodução social: propostas para uma gestão descentralizada. Petrópolis,
Vozes, 1998.
11. FAJN, Gabriel (org.). Fábricas e Empresas Recuperadas: protesta social, autogestión y rupturas en la
subjetividad. Centro Cultural de la Cooperacion, Buenos Aires: Ediciones del Instituto Movilizador de
Fondos Cooperativos, 2003.
12. GAIGER, Luiz Inácio. (org.). Sentidos e Experiências da Economia Solidária no Brasil. Porto Alegre:
Editora da UFRGS, 2004.
13. GAIGER, Luiz Inácio. A Economia Solidária diante do Modo de Produção Capitalista. 2002. Agência de
desenvolvimento solidário. Disponível em: www.ads.org.br
14. GAIGER, Luiz Inácio. Empreendimentos Solidários: uma alternativa para a economia popular? In:
GAIGER (org.). Formas de Combate e Resistência à Pobreza. São Leopoldo: Editora UNISINOS, 1996.
15. GUIMARÃES, Gonçalo. ―Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares: Contribuição para um
modelo alternativo de geração de trabalho e renda.IN: SINGER, Paul e SOUZA, André Ricardo de. A
Economia Solidária no Brasil: A autogestão como resposta ao desemprego. São Paulo: Contexto, 2000.
16. ITCP/UNICAMP. Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares. Disponível em:
http://www.itcp.unicamp.br. Acesso em 30/01/2011.
17. ITCP/USP. Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares. Disponível em: http://www.itcp.usp.br
Acesso em 30/01/2011.
18. ITCP/FGV. Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares. Disponível em: http://www.
itcpfgv.org.br. Acesso em 30/01/2011.
19. LAVACA, Cooperativa de Trabalho. Sin Patrón: fábricas y empresas recuperadas por sus trajadores.
Una historia, una guia. Buenos Aires: Lavaca Editora, 2004.
20. LAVILLE, Jean Louis; FRANCA FILHO, Genauto Carvalho de. A Economia Solidária: uma abordagem
internacional. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.
21. LECHAT, Noelle Marie Paule. Trajetórias Intelectuais e o Campo da Economia Solidária no Brasil.
Doutorado em Ciências Sociais. Campinas: Unicamp. 2004 (Tese).
22. LEITE, Márcia de Paula. Tecendo a Precarização: trabalho a domicílio e estratégias sindicais na
indústria de confecção em São Paulo. In: Revista Trabalho, Educação e Saúde. Volume 2, nº.1, Fiocruz,
Rio de Janeiro (pp. 57-93), 2001.
23. MARCONSIN, Adauto Fernandes. Política Pública de Economia Solidária: uma política em construção.
Doutorado em Educação. Campinas: Unicamp. 2008 (Tese).
24. MASCARENHAS, T.S, Os conhecimentos de gestão e seus mitos. In: ITCP-USP (org) A gestão da
autogestão na Economia Solidária: contribuições iniciais. São Paulo: ITCP-USP, 2007.
25. NEVES, Ednalva Felix das. A capacitação para a gestão de empreendimentos de economia solidária:
experiências e propostas. Mestrado em Política Científica e Tecnológica. Campinas: Unicamp. 2009
(Dissertação).
26. PINTO, João Roberto Lopes. Economia solidária: um elogio à associação em tempos de crise.
Doutorado. Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004. (Tese)
27. POLI, Odilon Luiz. Economia Solidária e Formação Humana: experiências de trabalho e educação em
agroidústrias familiares associativas no Oeste Catarinense. Doutorado em Educação. Campinas:
Unicamp. 2006 (Tese).
28. ROSENFIELD, Cinara. A Autogestão e a Nova Questão Social: repensado a relação indivíduo-
sociedade. GT ANPOCS. São Paulo – USP, 2003.
29. SINGER, P. A recente ressurreição da economia solidária no Brasil. In: Boaventura de Sousa. Santos
(org.) Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2002b.
30. SINGER, P. Introdução a Economia Solidária. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2002ª.
31. SINGER, Paul e SOUZA, André Ricardo de (org.) A Economia solidária no Brasil: a autogestão como
resposta ao desemprego. São Paulo: Contexto, 2003
32. SINGER, Paul. A economia solidária como ato pedagógico. Brasília: INEP, 2005. p. 13-20. BBE.
33. SINGER, Paul. Economia Solidária: um modelo de produção e distribuição. In: SINGER, Paul; SOUZA,
André Ricardo de. (Org.). A Economia Solidária no Brasil: a autogestão como resposta ao desemprego.
São Paulo. Editora Contexto, 2000 (p. 11-28).
34. TIRIBA, Lia. Cultura do trabalho, autogestão e formação de trabalhadores associados na
produção:questões de pesquisa. Perspectiva. Revista do Centro de Ciências da Educação. UFSC,
Florianópolis/SC: Vol. 26, nº 1, jan./jun. 2008 (p. 69-94).

ATIVIDADES

(1) Exemplos de práticas bem sucedidas de Economia Solidária e Autogestão. Comparação e


discussão em sala. (25/03)
 Cada aluno deverá pesquisar, identificar e trazer exemplos de pelo menos duas práticas
bem sucedidas, para comentários e discussão em sala. Sessão de brainstorming.
 Trazer evidências empíricas científicas (sites, artigos, textos não acadêmicos, vídeos, etc)
(2) Educação, Cultura e Práticas em Economia Solidária (Equipes) (08/04)
 Cada equipe deverá escolher um dos 11 casos discutidos por Cortegoso e Lucas (2008) –
partes II, III e IV - disponível na biblioteca do UNIFAE - para estudar, apresentar e discutir
em sala.
(3) Análise de casos (individual) (15/04)
 Cada aluno deverá escolher um caso bem sucedido de prática de Economia Solidária e
Autogestão para apresentar de forma detalhada á turma, mostrando as origens do caso,
seus desdobramentos e a situação atual dos envolvidos.
(4) Apresentação dos trabalhos finais (equipes) (29/04)
 A partir dos casos trabalhados individualmente na atividade 3, as equipes deverão produzir
artigos científicos, fazendo uma análise comparativa dos casos, á luz das teorias estudadas,
discutindo experiências, pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades. Discutir ainda
possibilidades de replicagem destas experiências em outras regiões e setores, de forma a
contribuir para o desenvolvimento sustentado e para a melhoria da qualidade de vida.