Você está na página 1de 6

Michel Foucault

o Poder Psiquiátrico
Curso dado no College de France
(1973-1974)

Edição estabelecida por Jacques Lagrange


sob a direção de François Ewald
e Alessandro Fontana

Tradução
EDUARDO BRANDÃO

Revisão técnica
SALMA TANNUS MUCHAlL
MÁRCIO ALVES DA FONSECA

martins l="antes
seLO martins
íNDICE

Nota ...................................................................................~ XI

AULAS, ANO 1973-1974

Aula de 7 de novembro de 1973 ....................................... 3


Espaço asilar e ordem disciplinar. - Operação te-
rapêutica e "tratamento moral". - Cenas de cura.
- Os deslocamentos efetuados pelo curso em rela-
ção à História da loucura: (1) De uma análise das
"representações" a uma "analítica do poder"j (2)
Da "violência" à "microfísica do poder"j (3) Das
"regularidades institucionais" às "disposições" do
poder.

Aula de 14 de novembro de 1973 ..................................... 25


Cena de cura: Jorge m. Da "macrofísica da sobe-
rania" à "microfísica do poder" disciplinar. - A no-
va figura do louco. - Pequena enciclopédia das ce-
nas de cura. - Prática da hipnose e histeria. - A
cena psicanalíticaj cena antipsiquiátrica. - Mary
Bames em Kingsley Hall. - Manipulação da lou-
cura e estratagema de verdade: Mason Coxo

Aula de 21 de novembro de 1973 ..................................... 49


Genealogia do "poder de disciplina". O "poder de
soberania". A função-sujeito nos poderes de rus-
ciplina e de soberania. - Formas do poder de disci-
plina: exército, policia, aprendizagem, oficina, es-
cola. - O poder de disciplina como "instância
normalizadora". - Tecnologia do poder de discipli-
na e constituição do "indivíduo". - A emergência
das ciências do homem.

Aula de 28 de novembro de 1973 ..................................... 79


Elementos de uma história dos dispositivos disci-
plinares: as comunidades religiosas na Idade Mé-
dia; a colonização pedagógica da juventude; as
missões jesuíticas no Paraguai; o exército; as ofi-
cinas; as cidades operárias. A formalização des-
ses dispositivos no modelo do Panapticon de Jeremy
Bentham. - A instituição familiar e a emergência
da função-psi.

Aula de 5 de dezembro de 1973 ................. ....................... 117


O asilo e a família. Da interdição ao internamen-
to. A ruptura entre o asilo e a família. - O asilo,
uma máquina de curar. Tipologia dos "apare-
lhos corporais". - O louco e a criança. As ca-
sas de saúde. - Dispositivos disciplinares e po-
der familiar.

Aula de 12 de dezembro de 1973 .......... ....... ..................... 153


A constituição da criança como alvo da interven-
ção psiquiátrica. - Uma urepia asilar-familiar: o
asilo de Clermont-en-Oise. - Do psiquiatra co-
mo "mestre ambíguo" da realidade e da verdade
nas práticas protopsiquiátricas ao psiquiatra como
"agente de intensificação" do real, - Poder psi-
quiátrico e discurso de verdade. - O problema da
simulação e da insurreição dos histéricos. - A
questão do nascimento da psicanálise.

Aula de 19 de dezembro de 1973 ..... ,. ............ "................. 179


O poder psiquiátrico. - Uma terapia de François
Leuret e seus elementos estratégicos: 1? a dese-
quilibração do poder; 2'? a reutilização da lingua-
gem; 3? o arranjo das necessidades; 4? o enun-
ciado da verdade. - O prazer da doença. - O dis-
positivo asilar.

Aula de 9 de janeiro de 1974............................................ 217


Poder psiquiátrico e prática da "direção O jo- ll
• -

go da "realidade" no asilo. - O asilo, espaço me-


dicamente marcado, e a questão da sua direção:
médica ou administrativa. - As marcas do saber
psiquiátrico: (a) a técnica do interrogatório; (b) o
jogo da medicação e da punição; (c) a apresenta-
ção clínica. - "Microfísica do poder asilar. - A
ll

emergência da função-psi e da neuropatologia. -


O tríplice destino do poder psiquiátrico.

Aula de 16 de janeiro de 1974 .................................... ,..... 255


Os modos de generalização do poder psiquiá-
trico e a psiquiatrização da infância. - r. A espe-
cificação teórica da idiotia. O critério do desen-
volvimento. Emergência de um~ psicopatologia
da idiotia e do retardo mentaL Edouard Seguin:
o instinto e a anomalia. - n. A anexação institu-
cional da idiotia pelo poder psiquiátrico. O "tra-
tamento moral" dos idiotas: Seguin. O processo
de internamento e de estigmatização da periculo-
sidade dos idiotas. O recurso à noção de degene-
rescência.
Aula de 23 de janeiro de 1974.................................. ........ 299
O poder psiquiátrico e a questão da verdade: o
interrogatório e a confissão; o magnetismo e a
hipnose; a droga. - Elementos para uma história
da verdade: I. A verdade-acontecimento e suas
formas: práticas judiciária, alquímica e médica. -
lI. A passagem a uma tecnologia da verdade de-
monstrativa. Seus elementos: (a) os procedimen-
tos da investigação; (b) a instituição de um sujeito
do conhecimento; (c) a exclusão da crise na me-
dicina e na psiquiatria, e seus suportes: o espaço
disciplinar do asilo, o recurso à anatomia patoló-
gica; as relações entre a loucura e o crime. - Po-
der psiquiátrico, resistência histérica.

Aula de 30 de janeiro de 1974.......................................... 345


O problema do diagnóstico em medicina e em
psiquiatria. - O lugar do corpo na nosologia psi-
quiátrica: o modelo da paralisia geral. - O desti-
no da noção de crise em medicina e em psiquia-
tria. - A prova de realidade em psiquiatria e suas
formas: L O interrogatório e a confissão. O ritual
da apresentação clínica. Nota sobre a "herança
patológica" e a degenerescência. TI. A droga. Mo-
reau de Tours e o haxixe. A loucura e o sonho.-
m. O magnetismo e a hipnose. A descoberta do
"corpo neurológico".

Aula de 6 de fevereiro de 1974."...................................... 387


A emergência do corpo neurológico: Broca e Du-
chenne de Boulogne. - Doenças com diagnósti-
co diferencial e doenças com diagnóstico absoluto.
- O modelo da "paralisia geral" e as neuroses.-
A batalha da histeria: 1. A organização de um "ce-
nário sintomatológico". - TI. A manobra do "ma-
nequim funcionaY' e a hipnose. A questão da simu-
lação. - ill. Neurose e traumatismo. A irrupção do
corpo sexual.
Resumo do curso.. ......... .... ...... ..... ............... ............ .... .... ... 439
Situação do curso... .............. ............... ................... ........... 455

1ndices
Índice das noções....... ..... ........................................ 481
índice de nomes de pessoas.. ............... ................. 495
índice de nomes de lugar.. ............... ........... ........... 509