Você está na página 1de 14

FREQUENCIA E VIBRAÇÃO

O assunto está organizado da seguinte forma:

Na primeira parte é feita a apresentação de conceitos iniciais, onde os termos


frequência, vibração, sintonia e ressonância são explicados à luz da física tradicional e, na medida do
possível, já são feitas conexões com o foco do trabalho que é a aplicação destes conceitos no estudo dos
fenômenos medianímicos.

Na segunda parte é feita a análise da aplicação dos conceitos de frequência, vibração,


sintonia e ressonância nos estudos medianímicos.

Por fim, uma breve conclusão.

FREQUÊNCIA

O que são ondas?

Da Wikipédia, “uma onda é uma perturbação oscilante de alguma grandeza física no


espaço e periódica no tempo. A propagação das perturbações no ambiente formam as ondas, que
possuem algumas características que lhe identificam, como a frequência e a amplitude (energia).

A frequência das ondas é a quantidade de oscilações que aconteceram num determinado


intervalo de tempo. As oscilações que ocorrem dentro do intervalo de tempo de um segundo são
medidas em Hertz (nome do cientista que estudou o fenômeno). Portanto, para 20 oscilações por
segundo, diz-se 20 Hertz ou, abreviadamente, 20 Hz.

A amplitude da oscilação revela a quantidade de energia que a onda transporta. Quando


maior a perturbação, maior a amplitude da onda.

O melhor exemplo e o mais comum é o fenômeno que se produz quando jogamos uma
pedra na água, gerando uma perturbação. A propagação desta perturbação forma ondas, normalmente
concêntricas, que se espalham pela superfície da água até dissipar energia e não ser mais percebida.
Figura 1. Exemplo de perturbação que se propaga. Um pedra jogada n'água.

Graficamente as ondas podem ser expressas por senóides (ou cossenóides) no eixo do tempo, onde
pode-se “ler” a quantidade de oscilações por segundo e a sua amplitude.

Onda

Figura 2. Exemplo de representação gráfica de uma onda.

Um outra forma de se referenciar frequência, é mencionar o “comprimento de onda” correspondente.


Através da fórmula abaixo podemos calcular a frequência.

λ = 1/ frequência

Tipos de ondas e suas frequências

Ondas mecânicas
As ondas mecânicas são aquelas que se propagam através de um meio material, seja o
ar, a água, o ferro, etc. Este tipo de onda não é capaz de se propagar no vácuo, onde não há matéria. No
exemplo da pedra jogada n'água, temos uma onda mecânica: as moléculas da água, próximas a
perturbação inicial, chocam-se com as moléculas imediatamente ao lado e repassam a energia.

Dessa forma – numa reação em cadeia – os efeitos da perturbação se propagam até que
a energia seja dissipada completamente na massa de água.

As ondas sonoras também são ondas mecânicas. Um estalar de dedos ou o canto


produzido pelas cordas vocais de um cantor cumprem o papel de “perturbação” que se propaga no
ambiente ao comprimir as moléculas do ar até que o ar comprima o tímpano dentro do ouvido humano.

Ondas eletromagnéticas

São as perturbações que se propagam tanto nos meios materiais como no vácuo. A
perturbação inicial que dá origem ao processo é normalmente uma perturbação elétrica, como uma
variação brusca num potencial elétrico. Pelas leis da eletrodinâmica, uma corrente elétrica gera – no
entorno do condutor – um campo magnético. Um campo magnético, por sua vez, tem capacidade

de gerar um campo elétrico correspondente, orientado perpendicularmente no espaço. Essa


perturbação elétrica inicial e a criação recíproca dos campos elétricos e magnéticos se propaga no
espaço atingindo longas distâncias (em comparação com as ondas mecânicas) em razão da quantidade
de energia da perturbação inicial.

As ondas eletromagnéticas também podem ser representadas na forma de gráficos,


como no exemplo abaixo.

λ = Distância entre duas cristas da onda

Onda eletromagnética
Figura 3. Exemplo de representação gráfica de onda eletromagnética.

Um exemplo típico de perturbação elétrica que dá origem a ondas eletromagnéticas são as descargas
elétricas atmosféricas – os raios – que chegam à ordem de milhares de amperes (unidade de medida de
corrente elétrica) e provocam perturbações eletromagnéticas que se propagam por centenas de
quilômetros, tão distantes que não podemos embora não seja possível visualizar os raios, pode-se
perceber os efeitos eletromagnéticos nos rádios sintonizados em AM.

As ondas eletromagnéticas são as mais importantes para o presente estudo porque vão
ajudar no estudo dos fenômenos medianímicos.

O conjunto de frequências eletromagnéticas, desde aquelas com poucas oscilações por


segundo (usadas para radiocomunicação marítima) até aquelas com bilhões de oscilações por segundo
(usadas em radioastronomia), é chamado de Espectro Eletromagnético. O espectro
é dividido em blocos, de acordo com a aplicação que se dá a cada conjunto de frequências. Veremos
rapidamente algumas aplicações de algumas frequências e vamos nos deter naqueles blocos que mais
interessam ao nosso estudo.

a) Comunicação marítima, ondas muito longas (comprimento de onda), frequência baixa.

b) Rádio AM – Exemplo: Rádio Gaúcha 600Khz.

c) Rádio FM – Exemplo: Rádio Itapema FM 102,3 Mhz


d) Televisão – Exemplo: TV COM canal 36 – 602 Mhz

e) Microondas caseiro. Frequência de 2,45Ghz

f) Radiação infravermelho – Mapas meteorológicos, em torno de 400 Thz

g) Luz visível – uma das faixas importantes para nosso estudo. Trata-se de uma pequena parte do
espectro que compreende as faixas vibratórias de ondas eletromagnéticas que são percebidas pelo olho
humano. Sob o aspecto espiritual, representam as condensações adequadas de energia que são capazes
de estimular a retina humana. Adiante veremos o espectro completo e veremos que é uma faixa
bastante estreita em relação a amplitude do espectro inteiro.

Figura 4. Tabela do comprimento de ondas e respectivas frequências das luz visível

h) Raio X - emissões eletromagnéticas de natureza semelhante à luz visível … Como toda energia
eletromagnética de natureza ondulatória, os raios X sofrem interferência, polarização, refração,
difração, reflexão entre outros efeitos. Embora de comprimento de onda muito menor, sua natureza
eletromagnética é idêntica à da luz.

i) Raios Gama - radiação eletromagnética produzida geralmente por elementos radioativos.

Este tipo de radiação tão energética também é produzido em fenômenos astrofísicos de grande
violência. Por causa das altas energias que possuem, os raios gama constituem um tipo de radiação
ionizante capaz de penetrar na matéria mais profundamente … devido à sua elevada energia, podem
causar danos no núcleo das células.

j) Radioastronomia – frequências muito altas


Figura 5. O espectro eletromagnético com destaque para a faixa da luz visível.

No livro Mecanismos da Mediunidade, capítulo 3, André Luíz, pelo médium Waldo Vieira, relata a
experiência do cientista Clerk Maxwell, na qual um facho de luz impelido sobre um feixe de poeira
deslocava a poeira de forma sutil mas suficiente para que se calculasse a força empreendida e se
constatasse que a luz tem peso específico. Isso implicava a existência de massa para a luz. Com base
nessa experiência, Einstein deu continuidade aos experimentos e estudos que resultaram na famosa
fórmula E=m.c2 que significa que pode-se converter energia (luz) em matéria e vice-versa.

Propagação de ondas eletromagnéticas diferentemente das ondas mecânicas, as ondas


eletromagnéticas atingem grandes distâncias, propagam-se no vácuo e penetram materiais. Com
relação ao modo de propagação, lembrando o princípio de reação em cadeia dos campos elétrico e
magnético atuando reciprocamente, tomamos como exemplo novamente as propriedades das ondas
eletromagnéticas usadas na radiocomunicação.

Uma perturbação “não dirigida” vai obedecer a um padrão de propagação uniforme e


regular em todas as direções, como podemos ver no diagrama de irradiação de uma antena comum (não
diretiva)
Figura 6. Propagação de uma perturbação eletromagnética “não dirigida”.

Já uma perturbação “dirigida”, assume a forma de um “facho de luz”, como uma lanterna apontada em
uma determinada direção, onde se usa um refletor para orientar a energia para a direção desejada.
Como também no caso de uma antena parabólica de telecomunicações, que tem um refletor alta
diretividade.

Figura 7. Propagação de perturbações eletromagnéticas “dirigidas”

RESSONÂNCIA

Na física, estudamos as propriedades da ondas, entre outras estão aquelas que mais
interessam a este estudo, quais sejam: reflexão, refração, interferência e ressonância. Para que se
verifique a ocorrências dessas propriedades são necessários alguns requisitos que não serão esgotados
nesta breve explicação, mas serão adequadamente considerados nas aplicações dessas

propriedades nas ocorrências dos fenômenos medianímicos que veremos adiante.


Reflexão ocorre quando uma onda se depara com um anteparo que, por suas
características físicas, não deixa que a onda o atravesse, rebatendo a energia tal como um espelho
retorna a imagem de quem está a sua frente.

Refração ocorre quando a onda passa de um meio de propagação como o ar – por


exemplo – para outro meio de propagação, como a água. Ao passar de um meio para outro, a energia
continua a se propagar, porém sofre alterações na transição (normalmente perde energia por reflexão
parcial) e fica sujeita as condições de propagação do segundo meio (a água).

Interferência ocorre quando duas ondas interagem entre si resultando em uma terceira
onda com características das duas originais. As interferências podem ocorrer entre frequências
diferentes, mas são mais significativas quando ocorrem entre frequências iguais ou semelhantes. São as
interferências construtivas e as interferências destrutivas.

A interferências destrutiva ocorre quando as duas ondas se encontram em contra-fase, ou

seja, enquanto uma está com o pico máximo de energia a outra está – no mesmo local e mesmo

instante – está com o pico mínimo. O resultado é a anulação mútua.

A interferência construtiva ocorre quando ambas se encontram em fase, ou seja, estão


no mesmo local e mesmo instante com o seu pico máximo de energia. O resultado é a soma das
energias das duas ondas. Este efeito também é conhecido como ressonância.

Ondas de diferentes frequências não se interferem. “Estruturas de padrões vibratórios distintos se


transpassam sem se afetarem. Espíritos cruzam paredes.” (Barradas – Curso AP Mod I Jul09)

VIBRAÇÃO

Este tópico será usado para fazermos a transição das explicações técnicas iniciais para o
foco do nosso estudo, que é a aplicação dos conceitos de frequência, vibração, sintonia e ressonâncias
nos fenômenos medianímicos.

Do livro Mecanismos da Mediunidade, capítulo 8 - Mediunidade e Eletro magnetismo -,


temos, sobre corrente elétrica, que “sabendo que a corrente elétrica é a fonte do magnetismo
conhecido até agora na Terra e no Plano Espiritual. Nesta mesma condição entenderemos a corrente
mental, também corrente de natureza elétrica, embora menos ponderável na esfera físicas.

A definição de vibração se assemelha a definição de frequência. Da Wikipédia temos que


“vibração é o movimento de um ponto oscilando em torno de um ponto de referência. A amplitude do
movimento é indicada em milímetros ou polegadas. O número de vezes que ocorre o movimento
completo em determinado tempo é chamado de frequência em geral indicada em Hertz“.
Contudo, uma ampliação do conceito de vibração poderia ser descrito como uma
característica especial das ondas, que lhe dá uma identidade ou uma finalidade. Em telecomunicações
seria o que se chama de “sinal modulante”, ou seja, a informação contida naquela onda que se propaga.
Usando esta metáfora para as ondas sonoras, podemos dizer que existe a parte mecânica do processo,
que é a compressão em cadeia das moléculas do ar transportando o som, e que também existe o
componente identificador da mensagem transmitida, que carrega o sentimento do emissor, que se
revela no mérito das palavras proferidas. Por isso usam-se expressões como “vibrando de alegria” e
“vibrações positivas”.

Esta mensagem, esta “vibração identificada”, é inerente a todos os seres, animados e


inanimados, e obedece ao padrão do meio onde existem. A explicação encontrada no livro Estudando a
Mediunidade, de Martins Peralva, no capítulo IV – Vibrações Compensadas – é bastante ilustrativo e
deixa claro que sintonia, ressonância e vibrações compensadas são processos

naturais como ocorre o sentimento de afinidade entre pessoas de mesmo nível intelectual e vibracional;
porque árvores de uma mesma espécie se desenvolvem melhor quando plantadas em grupo; enfim,
porque os “semelhantes se atraem”: porque, além de vibrarem na mesma faixa de frequência, têm
também um mesmo padrão na mensagem que emitem, têm as mesmas idéias,

necessidades, desejos, etc.

SINTONIA

Tecnicamente falando, é o nome que se dá ao processo de ajuste de dois ou mais


elementos a uma única faixa de frequência ou mesmo a uma frequência específica. O exemplo prático
elementar é digitar no rádio (sintonizar) a frequência 107,7MHz, correspondente a frequência do
transmissor da rádio FM cultura de Porto Alegre. Estaremos, com isso, colocando o receptor na mesma
faixa de frequência do emissora, permitindo ao aparelho decodificar as mensagens que são enviadas
pelo radiodifusor.

Segundo Martins Peralva em Estudando a Mediunidade, “sintonia significa, em definição mais ampla,
entendimento, harmonia, compreensão, ressonância ou equivalência”...”, é um fenômeno de harmonia
psíquica, funcionando, naturalmente, à base de vibrações.”

Do livro Mecanismos da Mediunidade temos as seguintes considerações a respeito de


sintonia: “Existem … manifestações da luz, da eletricidade, do calor e da matéria, desconhecidas nas
faixas da evolução humana, das quais, por enquanto, somente poderemos recolher informações peças
vias do espírito.
Ainda, do mesmo livro: “Temos o homem … como um viajante do cosmo, respirando
num vastíssimo império de ondas que se comportam como massa ou vice-versa”, lembrando a fórmula
de Einstein, sobre a transformação de energia em matéria e vice-versa: E=m.c2. Continua no livro:

”o homem... condicionado nas suas percepções, à escala do progresso que já alcançou, progresso esse
que se mostra sempre acrescentado pelo patrimônio de experiência em que se gradua, no campo
mental que lhe é característico, em cujas dimensões revela o que a vida já lhe deu, ou tempo de
evolução, e aquilo que ele próprio já deu à vida, ou tempo de esforço pessoal na construção do
destino... usa o cérebro, por intermédio do qual exterioriza as ondas que lhe marcam a individualidade
no concerto das forças universais, e absorve aquelas com as quais pode entrar em sintonia.”

Cada pessoa tem sua própria frequência e vibração, caracterizada não somente pela energia (onda)
emitida, mas pela característica intrínseca que esta energia transporta, que - em resumo - é a própria
identidade do indivíduo, é como a sua impressão digital. “As mulheres vibram uma oitava acima dos
homens. Daí as mulheres terem mais facilidade para realizar comunicações mediúnicas.”

(Barradas – Curso AP Mod I Jul09)

No curso de apometria módulo I realizado em 11 e 12 de Julho de 2009, tive a


oportunidade de reunir algumas frases com as quais ilustro este trabalho com o objetivo de tornar mais
claros os conceitos aqui abordados.

a) “Nós temos o 'privilégio', pela lei cósmica, de nos mantermos em sintonia com os nossos desafetos”

(João Pedro Faria Rodrigues – Curso AP Mod I Jul09).

Já vimos que os semelhantes se atraem, conforme a explicação do livro do Martins


Peralva.

Ora, se reconhecemos que temos uma pendência com alguma entidade, que necessita
algum tipo de reparo, alguma ação de perdão, de aproximação, de re-harmonização, etc, estaremos
conectados com esta pessoa, com este “desafeto”, e isto se configura num privilégio no momento em
que esta sintonia nos dá a oportunidade de realizarmos o resgate.

b) “O homem nunca se desligou de Deus, só perdeu a sintonia” (Barradas – Curso AP Mod IJul09)

Esta frase, analisada com a devida profundidade, encerra grande parte do que este
trabalho busca esclarecer. Ela nos lembra que somos centelha divina, que vivemos num planeta
adequado a nosso grau de evolução e diz que precisamos ressintonizar com Deus. Esperamos que o
conhecimento sobre frequência e sintonia ajude no processo de ressintonia com Deus.

Ainda no curso referido, tivemos a oportunidade de assistir a palestra sobre “A multidimensionalidade


do homem” com o Dr. Barradas , onde ele apresentou uma lista dos “corpos” abaixo, referindo-se ao
corpo Átmico como sinônimo do que se chama de espírito e dizendo que este corpo vibra em “altíssima
frequência” e o corpo físico de “mais baixas frequências”.

- Átmico, espírito, centelha divina.

- Búdico.

- Mental superior.

- Mental inferior.

- Astral, emocional, matéria astral, corpo do mundo espiritual, personalidade.

- Duplo etérico, ainda físico, sede dos chacras, receptor e transmutador do prana.

- Físico, sede da consciência atual, sensações, vida biológica. “baixas frequências”.

Ao discorrer sobre o espectro eletromagnético fiz questão de salientar dois aspectos com
relação aos raios Gama e raios X, que oscilam em frequências superiores e com comprimento de onda
próximas ao tamanho de átomos e, por isso, com grande influências sobre a matéria.

Cada corpo acima descrito, do físico ao átmico, tem sua própria constituição material
(densidade) e, por conseqüência, tem sua própria faixa vibratória. Pelo meu entendimento, meramente
especulativo neste trabalho, acredito estar próximo desta faixa de frequências (raios X e raios gama) as
energias que circulam entre os planos físico e espiritual nos esforços de sintonia dos trabalhos
mediúnicos.

APLICAÇÕES NOS ESTUDOS MEDIANÍMICOS

No curso de apometria módulo I realizado em 11 e 12 de Julho de 2009, anotei a


seguinte frase da apresentação do Dr. Barradas: “Energia metapsíquicas: usadas desde sempre,
conforme registros históricos”, que se seguiu de exemplos de aplicação das energias mentais utilizadas
desde a antiguidade, passando pelos rituais indígenas e chegando à nosso tempo pela via do estudo da
Teosofia. Nos anos 60 do século passado, o Dr. Lacerda estudava as energias metapsíquicas e Teosofia
nos livros de Helena Blavatsky e Anne Besant quando cunhou o termo “Apometria”. Ele fundamentou
cientificamente e instrumentalizou operacionalmente um conjunto de técnicas anímico mediúnicas e
desenvolveu um método de trabalho medianímico de atendimento espiritual, energético e
desobsessivo, segundo Dr Barradas com o intuito de “servir ao próximo com amor e instrumentalizar a
medicina de maneira a permitir diagnósticos mais concretos e terapêutica adequada ao tratamento da
maioria das enfermidades de origem psicossomáticas”. (Barradas –Curso AP Mod I Jul09)

No atendimento apométrico, entre outras técnicas, utiliza-se a contagem acompanhada


do estalar de dedos, que tem como objetivo comandar a “energia mental, ordenada pela mente e
projetada pela vontade na forma de fluxo eletromagnético”

(Barradas – Curso AP Mod I Jul09).

Está de acordo com a lei número oito da apometria: Lei do ajustamento de sintonia
vibratória dos desencarnados com o médium ou outros espíritos. Impulsos ordenados pela contagem
para sintonizar médium, consulente, assistência, etc.

Portanto, a energia mental referida deve ser entendida como uma onda, com uma
frequência (sintonia) e com uma vibração (comando) adequados ao trabalho medianímico que se deseja
realizar. Nos atendimentos realizados com técnicas apométricas, utilizam-se termos como “abrir o
campo” que significa sintonizar o consulente e o médium numa mesma faixa de frequência; “abrir a
frequência” é acionar no consulente o seu “canal” de comunicação.

É pertinente informar que há consumo de energia gerada na mente pelo pensamento


irradiado na forma de fluxo eletromagnético. Esta energia pode ser calculada e medida utilizando-se a
fórmula do fluxo magnético mental abaixo representada, que o Dr. Lacerda inferiu da fórmula do cálculo
do fluxo eletromagnético da física tradicional.

Fórmulas:

Σ=K.ZS=E.H

Dr. Lacerda Ciência eletrônica

Fluxo magnético mental Fluxo eletromagnético igual a Plasma cósmico x energia vital
igual a fluxo elétrico x fluxo magnético

Da introdução do livro Mecanismos da Mediunidade temos uma frase de Emmanuel que


diz que “A força magnética é simples agente, sem ser causa das ocorrências medianímicas, nascidas,
invariavelmente, de espírito para espírito”. Ou seja, a emanação de energia, a propagação de uma
frequência por si só não é suficiente para que ocorram os devidos efeitos. É necessário que haja
coordenação e vontade no processo para que os objetivos sejam alcançados.

“A mente é a sede do pensamento. A vontade é o livre arbítrio” (Barradas – Curso AP Mod I Jul09).
Segundo as fórmulas, o homem gera um campo mento-magnético caracterizado como um vetor de
força Σ (sigma) capaz de, orientado pela vontade, atuar nas partículas do fluído cósmico universal,
produzindo vibrações, energias que, atuando na matéria astral, produz alimentos roupas, reconstitui
tecidos, etc.

Reflexão, Refração e Sintonia no Passe

O passe é um ótimo exemplo para verificação das propriedades das ondas


eletromagnéticas em aplicação nos processos medianímicos.

Do livro Mecanismos da Mediunidade temos que, “estabelecido o clima de confiança,


criase a ligação sutil entre o passista e consulente por um elo de forças ainda imponderáveis no mundo,
e verte o auxílio da Esfera Superior na medida dos créditos de um e de outro”.

A reflexão ocorre quando não se estabelece o clima de confiança entre passista e


consulente ou quando a diferença vibratória entre os dois é tamanha que as energias que fluem de um
para outro são incompatíveis e, como resultado, o consulente que deveria receber e internalizar as
energias emanadas do médiuns acaba refletindo estas energias tal como um espelho que devolve tudo o
que é projetado sobre ele.

A refração, conforme vimos, ocorre quando uma energia passa de um meio de


propagação para outro. No passe, consideramos que a energia que provem da Esfera Superior passa
pelo médium que tem a função de canalizar a energia para o consulente. Este fluxo de energia fica
sujeito às falhas de sintonia entre passista e consulente e não é raro ocorrer transmutação de energia
durante a passagem pelo médium, que acaba por cumprir o papel de uma espécie de filtro para as
energias que provém da esfera superior direcionadas para o consulente.

Quando há perfeita sintonia entre passista, consulente e plano espiritual o processo é


ideal e toda a emanação da Esfera Superior vai chegar ao consulente. Esta é uma condição ideal e temos
que ter presente que a assimilação da energia pelo consulente será sempre em razão do seu
merecimento, que é permeado por sua vontade, pelo seu estado mental.

Ainda sobre sintonia, no livro Mecanismos da Mediunidade no capítulo 12 – reflexo


Condicionado – , vale recuperar aqui o termo reflexão no sentido de elucubração, estado mental.

“Toda a mente vibra na onda de estímulos e pensamentos em que se identifica, facilmente percebemos
que cada espírito gera em si mesmo inimaginável potencial de forças mentoeletromagnéticas,
exteriorizando nessa corrente psíquica os recursos e valores que acumula em si próprio … gerando força
criativa incessante em nós, assimilando, por impulso espontâneo, as correntes mentais que se
harmonizem com o nosso tipo de onda, impondo às mentes simpáticas o fruto de nossas elucubrações e
delas recolhendo o que lhes seja característico, em ação que independe da distância espacial, sempre
que a simpatia esteja estabelecida e, com mais objetividade e eficiência, quando o serviço de troca
mental se evidencie assegurado conscientemente”.
É importante ao estudante dos fenômenos medianímicos entender os processos físicos
que ocorrem na interatividade entre o plano físico e os demais planos existentes. Noções de energia
mental, vibração, diretividade de fluxo e demais aspectos abordados neste trabalho ajudam na
educação mediúnica e objetivam facilitar os processos de intercâmbio com o plano espiritual. Além
disso, não se pode perder de vista a questão da vibração e da sintonia, do mérito do pensamento que
revela o que nós somos em essência: lembrando a frase do Dr. Barradas já citada: “o homem nunca se
desligou de Deus, só perdeu a sintonia”

Com esta frase em mente, consideremos o que está no livro Mecanismos da Mediunidade: “a
mediunidade ou capacidade de sintonia está em todas as criaturas, porque todas as criaturas são
dotadas de campo magnético particular, campo esse, porém que é sempre mais pronunciado naqueles
que estejam temporariamente em regime de 'descompensação vibratória', seja de teor purgativo ou
de elevada situação.”

Em desdobramentos espontâneos ou dirigidos, ou no desdobramento definitivo


(desencarne), a sintonia vai falar mais alto. É uma lei rígida e inexorável. Vamos nos juntar, atrair e ser
atraído pelos nossos semelhantes em natureza. (Barradas – Curso AP Mod I Jul09) Assim, cientes de que
somos seres vibracionais e que estamos momentaneamente dessintonizados com o Criador, a
compreensão dos elementos como frequência, vibração, sintonia e ressonância vão ajudar a capacitar o
estudante dos fenômenos medianímicos a prestar um trabalho mais qualificado, fazendo brilhar a
própria luz, iluminando assim também os seus próximos.