Você está na página 1de 14

1

Mateus 4

SATANAZ TENTA JESUS NA REGIÃO SELVAGEM / 4: 1-11 / 18


Da tentação de Jesus podemos aprender que seguir o Senhor pode trazer perigosas e
intensas batalhas espirituais. Nem sempre nos sentiremos bem; Experimentaremos
tempos de privação, solidão e hostilidade. A tentação de Jesus também mostra que
nossas vitórias espirituais nem sempre podem ser vistas pelo mundo assistindo. Acima
de tudo, mostra que devemos usar o poder de Deus para enfrentar a tentação e não tentar
resistir a ela em nossa própria força.
4: 1 Então Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo diabo. A
palavra "então" indica uma conexão importante do final do capítulo 3 e do início do
capítulo 4 . O mesmo Espírito Santo que enviou Jesus para ser batizado, então enviou
Jesus ao deserto. A tentação era uma necessidade divina para provar o propósito
messiânico de Jesus. Levado pelo Espírito, Jesus tomou a ofensiva contra o inimigo,
Satanás, entrando no deserto solitário e desoladopara enfrentar a tentação. No Antigo
Testamento, o "deserto" era um lugar desolado e perigoso onde viviam animais
selvagens (ver, por exemplo, Isaías 13: 20-22 ; 34: 8-15 ).
"Diabo" em grego significa "acusador"; Em hebraico, a palavra "Satanás" significa o
mesmo ( 4:10 ). O diabo tentou Eva no Jardim do Éden, e aqui ele tentou a Jesus no
deserto. Satanás é um arcanjo caído. Ele é um ser real, criado, não simbólico, e está
constantemente lutando contra aqueles que seguem e obedecem a Deus. O verbo "ser
tentado" descreve ação contínua porque Jesus foi tentado constantemente durante os
quarenta dias. A palavra "tentado" significa "pôr à prova para ver o que o bem ou o mal,
forças ou fraquezas, existem em uma pessoa." O Espírito empurrou Jesus para o deserto
onde Deus pôs Jesus à prova - não para ver se Jesus estava Pronto, mas
para mostrar que ele estava pronto para a sua missão. Satanás, porém, tinha outros
planos; Ele esperava frustrar a missão de Jesus tentando a Jesus fazer o mal. Satanás
tentou fazer com que Jesus declarasse sua realeza prematuramente. Satanás tentou fazer
com que Jesus tomasse seu poder messiânico em suas próprias mãos e abandonasse a
vontade de seu Pai. Se Jesus tivesse cedido, sua missão na Terra - morrer por nossos
pecados e nos dar a oportunidade de ter a vida eterna - teria sido perdida. Para mais
sobre Satanás, veja 1 Crônicas 21: 1 ; Jó 1-2 ; Zacarias 3: 1-2 ; Lucas
10:18 ; Apocalipse 20 . Ver 1 Crônicas 21: 1 ; Jó 1-2 ; Zacarias 3: 1-2 ; Lucas
10:18 ; Apocalipse 20 . Ver 1 Crônicas 21: 1 ; Jó 1-2 ; Zacarias 3: 1-2 ; Lucas
10:18 ; Apocalipse 20 .

CONHEÇA O INIMIGO, CONHEÇA O MÉTODO


Satanás, o arquiinimigo de todos os crentes, tem tentado que as pessoas se desviem de Deus
desde que a primeira mulher na terra ouviu suas mentiras. Curiosamente, seus métodos nunca
mudaram realmente. Ele tentou Eva no Jardim do Éden, Jesus no deserto, e nos tenta em nossas
vidas diárias. Quando sabemos como ele ataca, podemos estar preparados.
2

Como Satanás tentou ...

Nós (ver 1 João


Jesus véspera
2:16 )

Transforme pedras em pão para


Fruta seria bom para comer Luxúria da carne
comer

Prove sua filiação divina Ganhe sabedoria para ser como Deus Orgulho da vida

Olhe para a fruta e ver que ela parece


Obter tudo o que podia ver Luxúria dos olhos
saborosa

As tentações do diabo se concentraram em três áreas cruciais: (1) necessidades e


desejos físicos, (2) posses e poder e (3) orgulho (ver 1 João 2: 15-16 para uma
lista semelhante ). Essa tentação pelo demônio nos mostra que Jesus era humano e deu a
Jesus a oportunidade de reafirmar o plano de Deus para seu ministério. Ele também nos
dá um exemplo a seguir quando somos tentados. A tentação de Jesus foi uma
demonstração importante de sua impecabilidade. Ele enfrentou a tentação e não cedeu.

TEMPO DE TESTE
Este tempo de prova mostrou que Jesus realmente era o Filho de Deus, capaz de
vencer o diabo e suas tentações. Uma pessoa não mostrou obediência verdadeira se
ele ou ela nunca teve a oportunidade de desobedecer. Lemos em Deuteronômio 8:
2-3 que Deus levou Israel ao deserto para humilhá-los e testá-los. Deus queria ver
se o seu povo realmente o obedeceria ou não. Você também será testado. Porque
você sabe que o teste virá, você deve estar alerta e pronto para isso. Lembre-se,
suas convicções são apenas reais se eles se mantêm sob pressão!

4: 2 Ele jejuou quarenta dias e quarenta noites, e depois ficou


faminto. Jesus jejuou durante seu tempo no deserto - sem comida e talvez até com água,
embora alguns jejuns permitiam comida e água apenas à noite. O jejum foi usado como
uma disciplina espiritual para a oração e um tempo de preparação para grandes tarefas
que estavam por vir.
O número quarenta traz à mente os quarenta dias de chuva no grande Dilúvio
( Gênesis 7:17 ), os quarenta dias que Moisés gastou no Monte Sinai ( Êxodo 24:18 ), os
quarenta anos de Israel andando no deserto ( Deuteronômio 29: 5 ), os quarenta dias da
provocação de Golias contra Israel antes da vitória de Davi ( 1 Samuel 17:16 ), e os
quarenta dias de tempo de temor de Elias no deserto ( I Reis 19: 8 ). Em todas essas
situações, Deus trabalhou em seu povo, preparando-os para tarefas especiais.
No final deste jejum de quarenta dias, Jesus obviamente estava esfomeado . O status
de Jesus como Filho de Deus não facilitou este jejum; Seu corpo físico sofreu a fome e
dor de ir sem sustento. As três tentações registradas aqui ocorreram quando Jesus estava
em seu estado mais fraco fisicamente. Mas Satanás não podia enfraquecer Jesus
espiritualmente.
3

PONTOS FRACOS
Jesus não foi tentado dentro do templo ou em seu batismo, mas no deserto, onde
estava cansado, sozinho, com fome e, portanto, mais vulnerável. O diabo muitas
vezes nos tenta quando estamos em nosso ponto mais fraco - sob estresse físico ou
emocional (por exemplo, solitário, cansado, pesando grandes decisões ou
enfrentando incerteza). Mas ele também gosta de nos tentar através de nossas
forças, onde somos mais suscetíveis ao orgulho. Protegemos-nos contra seus
ataques quando começamos o dia com oração, construímos nossas atitudes em
torno da verdade da Bíblia e dependemos do Espírito Santo de Deus para nos
manter longe do dano espiritual.

4: 3 Chegou o tentador, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, ordena que


estas pedras se tornem pães. "O tentador" é outro nome para o diabo ( 4: 1 ),
Satanás. Jesus pode ter terminado seu jejum, mas Satanás não terminou suas
tentações. Na verdade, seu primeiro esforço com Jesus foi tentá-lo a fazer o
óbvio. "Você esteve em jejum e está faminto", disse Satanás. "Por que você não apenas
transformar algumas dessas pedras em pão e ter-se uma pequena refeição?" O que
poderia ser tão errado sobre isso? Mas havia muito mais acontecendo aqui do que uma
oferta aparentemente compassiva para uma pessoa com fome para almoçar.
Satanás formulou sua tentação de maneira interessante. Ele disse: "Se você é o Filho
de Deus." A palavra "se" não implicava dúvida; Tanto Jesus quanto Satanás conheceram
a verdade. Em vez disso, Satanás tentou Jesus com seu próprio poder. Se, de fato, Jesus
era o Filho do único e verdadeiro Deus todo-poderoso, então Jesus certamente
poderia ordenar que essas pedras se tornassem pães, se assim o quisesse, para satisfazer
sua fome. "O Filho de Deus não tem razão para estar com fome", sugeriu
Satanás. Satanás não duvidou da filiação de Jesus nem de sua capacidade de transformar
pedras em pão. Em vez disso, ele queria que Jesus usasse seu poder da maneira errada
no momento errado - usar sua posição para atender às suas próprias necessidades, em
vez de cumprir sua missão dada por Deus.
Em milagres posteriores, Jesus forneceu cestos cheios de pão, mas ele os forneceu
para uma multidão faminta, não para satisfazer-se. E fez os milagres no tempo de Deus
para os propósitos de Deus como parte de sua missão (ver 14: 13-21 ; 15: 32-39 ).
4: 4 Respondeu ele: Está escrito: Não só de pão viveis, mas de toda palavra que
vem da boca de Deus. " Jesus viu através do esquema de Satanás. Jesus não tentou
entrar em uma discussão com Satanás (como Eva tinha feito); Em vez disso,
elerespondeucom palavras do que está escrito na Escritura, citando Deuteronômio 8:
3 . As palavras em Deuteronômio descrevem a lição de Deus para a nação de
Israel. Este teste foi projetado para ajudar Israel a depender de Deus:
• Lembrai-vos do longo caminho que o Senhor vosso Deus vos guiou nesses quarenta
anos no deserto, para vos humilhar, testando-os para saber o que havia em vosso
coração, guardando ou não os seus mandamentos. Ele vos humilhou, deixando-vos
ter fome, e depois alimentando-vos com maná, que nem vós nem vossos
antepassados conhecestes, para vos fazer entender que não só de pão vives, mas de
toda palavra que vem da boca de O LORD . ( Deuteronômio 8: 2-3 NRSV )
Em todas as três citações de Deuteronômio, encontradas em Mateus 4: 4 , 7 e 10 , o
contexto mostra que Israel falhou cada teste cada vez. Portanto, Jesus transmitiu a
Satanás que, embora o teste possa ter causado a falha de Israel, não funcionaria com
Jesus. Mateus mostrou a superioridade espiritual de Cristo sobre a nação.
4

Jesus, o Filho de Deus, humilhou-se no deserto, voluntariamente submetido ao


julgamento da fome extrema, a fim de aprender a obediência através do
sofrimento. Jesus veio à Terra para cumprir a missão do Pai. Tudo o que ele dizia e
fazia trabalhava para esse objetivo; Nada poderia dissuadi-lo ou distraí-lo. Jesus
entendeu que a obediência à missão do Pai era mais importante que a comida - não
importa o que seu corpo físico dissesse, não importa o que Satanás dissesse.
Para cumprir verdadeiramente sua missão, Jesus teve que ser completamente
humilhado, totalmente auto-humilhado. Fazer-se pão teria mostrado que Jesus não tinha
deixado de lado todos os seus poderes, não se humilhara e não se identificara
completamente com a raça humana. Mas Jesus recusou, mostrando que usaria seus
poderes apenas em submissão ao plano de Deus e que dependeria de Deus, não de seus
poderes milagrosos, para suas necessidades diárias. Jesus não viveu só de pão; Jesus
viveu e serviu verdadeiramente por cada palavra que vem da boca de Deus, dando-se
completamente à missão de Deus. Mateus mostra que devemos seguir o exemplo de
Jesus e depender de Deus.

Desejos normais
Jesus estava com fome e fraco depois de jejum por quarenta dias, mas escolheu não
usar seu poder divino para satisfazer seu desejo natural de alimento. Alimentos,
fome e comer são bons, mas o momento estava errado. Jesus estava no deserto para
jejuar, para não comer. E porque Jesus havia abandonado o uso ilimitado e
independente de seu poder divino para experimentar plenamente a humanidade,
não usaria seu poder para transformar as pedras em pão. Também podemos ser
tentados a satisfazer um desejo perfeitamente normal de uma forma errada ou
errada. Se nos entregarmos ao sexo antes do casamento ou se roubamos para
conseguir comida, estamos tentando satisfazer os desejos dados por Deus de
maneiras erradas. Muitos desejos são normais e bons, mas Deus quer que você os
satisfaça da maneira correta e na hora certa. O verdadeiro discipulado significa
aprender de Cristo como conhecer os caminhos certos e os momentos certos.

4: 5 Então o diabo o levou para a cidade santa, e o fez ficar no ponto mais alto do
templo. Esta tentação é estabelecida na cidade santa, isto é, Jerusalém, a sede religiosa
e política da Palestina. O templo era o centro religioso da nação judaica eo lugar onde o
povo esperava que o Messias chegasse ( Malaquias 3: 1 ). Herodes, o Grande, tinha
renovado o templo na esperança de ganhar a confiança dos judeus. O templo era o
edifício mais alto da área, e este ponto mais alto era provavelmente a parede de canto
que se projetava para fora da encosta, com vista para o vale abaixo. O historiador Josefo
escreveu sobre a enorme altura desde o topo do templo até o fundo do desfiladeiro
abaixo. A partir deste ponto, Jesus podia ver toda Jerusalém atrás dele e o país por
milhas na frente dele. Se o diabo levou fisicamente Jesus a Jerusalém, ou se isso ocorreu
em uma visão não está claro. Em todo caso, Satanás preparava o terreno para sua
próxima tentação.
4: 6 E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, atira-te para baixo. Pois está escrito: "Ele
dará a seus anjos sobre vós", e: "Nas suas mãos os levantarão, para que não
ponham o vosso pé contra uma pedra". " Jesus havia citado a Escritura em resposta à
primeira tentação de Satanás. Aqui Satanás tentou a tática com Jesus. Satanás usou a
Escritura para tentar convencer Jesus a pecar!
Satanás também começou dizendo: "Se você é o Filho de Deus". Como em 4: 3 ,
Satanás não estava sugerindo dúvida, mas dizendo: "Se você é o Filho de Deus,
5

certamente Deus quer protegê-lo do mal. Então jogue-se para baixo deste pináculo para
que Deus envie seus anjos para protegê-lo. "Então Satanás citou palavras do Salmo 91:
11-12 para apoiar seu pedido. O salmo descreve a proteção de Deus para aqueles que
confiam nele. O Salmo 91:11 começa, Ele dará a Seus anjos carga sobre
você; Verso 12 prossegue: Nas suas mãos te sustentam, para que não coloque o teu pé
contra uma pedra.
Alguns estudiosos acreditam que Satanás queria que Jesus aproveitasse a profecia
em Malaquias 3: 1 ; O povo acreditava que essa profecia significava que o Messias
apareceria de repente no templo. Que prova espetacular da messianidade de Jesus isso
seria se de repente ele apareceu no pináculo do templo diante de todo o povo e depois
saltou para fora, apenas para ser cuidadosamente colocado no chão pelos anjos de
Deus. Certamente todos acreditariam então.
Mais provável, no entanto, essa tentação não se concentrou em Jesus provando ao
povo que ele era o Messias. Em vez disso, Satanás estava focalizando o relacionamento
de Jesus com seu Pai. Satanás queria que Jesus testasse essa relação para ver se a
promessa de proteção de Deus seria verdadeira.

CONHECIMENTO PERIGOSO
Que pensamento sórdido que Satanás conhece a Escritura e sabe como usá-la para
seus próprios propósitos! Às vezes os amigos ou os associados apresentarão razões
atrativas e convincentes porque você deve tentar algo que você acredita está
errado. Eles podem até encontrar versículos bíblicos que parecem apoiar seu ponto
de vista. Estude a Bíblia cuidadosamente, especialmente os contextos mais amplos
de versículos específicos, para que você entenda os princípios de Deus para viver e
o que ele quer para sua vida. Só se você realmente entender o que toda a Bíblia diz
que você será capaz de reconhecer erros de interpretação quando as pessoas tomam
versos fora do contexto para fazê-los dizer o que eles querem que eles
digam. Escolha seus professores da Bíblia com cuidado. Temos muito a aprender
com os outros. Professores capazes e sábios freqüentemente apresentam o contexto
mais amplo para nos ajudar a crescer em nosso conhecimento bíblico.

Satanás estava citando as Escrituras fora de contexto, fazendo soar como se Deus
protegesse até mesmo através do pecado, removendo as conseqüências naturais dos atos
pecaminosos. Nem saltar do teto em uma exposição pública ou saltar, a fim de testar as
promessas de Deus teria sido parte da vontade de Deus para Jesus. No contexto, o salmo
promete a proteção de Deus para aqueles que, estando em sua vontade e servindo-o,
encontram-se em perigo. Não promete proteção para crises criadas artificialmente em
que os cristãos chamam a Deus para testar seu amor e cuidado. Não devemos testar a
Deus, como Jesus explicará (veja o versículo seguinte).
4: 7 Respondeu-lhe Jesus: Outra vez está escrito: Não ponhas a prova o Senhor teu
Deus. " Jesus não entraria em uma discussão com Satanás sobre esta segunda tentação,
como também se recusara a fazer na primeira. Em vez disso, Jesus citou novamente as
Escrituras, mas, ao contrário do método de Satanás, Jesus citou com uma compreensão
do verdadeiro significado. Não importa o que as palavras que Satanás citou podem
ter soado como (isto é, eles pareciam dizer que não importa o que Jesus fez, Deus o
protegeria), os fatos eram que, enquanto Deus promete proteger seu povo, ele também
exige que eles Não colocá-lo à prova.
Jesus citou Deuteronômio 6:16 , "Não ponhas ao Senhor teu Deus à prova, como
você o testou em Massá" ( NRSV ). Nesta passagem, Moisés estava se referindo a um
incidente durante os desvios do deserto de Israel, registrado em Êxodo 17: 1-7 . O povo
6

estava sedento e pronto para motim contra Moisés e retornar ao Egito se ele não lhes
fornecesse água. Deus forneceu a água, mas somente depois que o povo "brigou e testou
o Senhor, dizendo: 'O Senhor está entre nós ou não?' "( NRSV ).
Jesus poderia ter saltado do templo; Deus poderia ter enviado anjos para trazê-lo
com segurança para o chão. Mas para Jesus saltar do pináculo do templo teria sido uma
prova ridícula do poder de Deus, e teria sido fora da vontade de Deus. Jesus sabia que
seu Pai poderia protegê-lo; Ele também entendeu que todas as suas ações deveriam estar
focadas no cumprimento da missão de seu Pai, mesmo que significasse sofrimento e
morte (o que, naturalmente, aconteceu).

CONHEÇA A PALAVRA
Jesus foi capaz de resistir a todas as tentações do diabo porque ele não só conhecia
a Escritura, mas também a obedeceu. Efésios 6:17 diz que a Palavra de Deus é uma
espada para usar em combate espiritual. Conhecer os versículos da Bíblia é um
passo importante para nos ajudar a resistir aos ataques do diabo, mas também
devemos obedecer à Bíblia. Note que Satanás conhecia as Escrituras, mas ele
falhou em obedecê-las. Conhecer e obedecer a Bíblia nos ajuda a seguir os desejos
de Deus e não os do diabo.

4: 8-9 Mais uma vez, o diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os
reinos do mundo e seu esplendor; E ele disse-lhe: "Tudo isso te darei, se cairás e
me adorares". A impossibilidade óbvia de ser capaz de ver o mundo inteiro a partir de
uma montanha faz pouca diferença nessa história, mas suporta a visão Que esta
experiência pode ter sido visionária. O foco não está na montanha, mas nos reinos do
mundo que estavam (e estão) sob o domínio de Satanás. Atualmente, Satanás é "príncipe
deste mundo" ( João 12:31 NVI ). Lucas registra as palavras de Satanás nesta tentação
como: "A vós darei a sua glória e toda esta autoridade; Porque foi entregue a mim, e eu
a dou a quem eu quiser "( Lucas 4: 6 NRSV ). Satanás se ofereceu para "dar" domínio
sobre o mundo a Jesus. Satanás sabia que um dia Jesus Cristo governaria a terra
(veja Filipenses 2: 9-11 ). A oferta não era má, mas desafiava a obediência de Jesus ao
tempo e à vontade de Deus. A tentação de Satanás era, em essência, "Por que
esperar? Eu posso dar isso a você agora! " Claro, ele nunca iria realmente dar-lhes
porque a oferta tinha uma captura. Jesus teria que cair e adorar Satanás. "Porque
esperar? Eu posso dar isso a você agora! " Claro, ele nunca iria realmente dar-lhes
porque a oferta tinha uma captura. Jesus teria que cair e adorar Satanás. "Porque
esperar? Eu posso dar isso a você agora! " Claro, ele nunca iria realmente dar-lhes
porque a oferta tinha uma captura. Jesus teria que cair e adorar Satanás.

As tentações
Como se passando por uma prova final de preparação, Jesus foi tentado por Satanás no
deserto. Três partes específicas da tentação são listadas por Mateus. Eles são familiares porque
enfrentamos os mesmos tipos de tentações. Como o gráfico mostra, a tentação é muitas vezes a
combinação de uma necessidade real e uma possível dúvida que criam um desejo
inadequado. Jesus demonstra a importância ea eficácia de conhecer e aplicar as Escrituras para
combater a tentação.

Atreva-se Deus a resgatá-


Tentação Fazer pão Adore-me! (Satanás)
lo (baseado na Escritura
7

mal aplicada, Salmo 91:


11-12 )

Necessidades reais Necessidade


Necessidade física: Necessidade Emocional:
usadas como base psicológica: Significado,
Fome Segurança
para a tentação poder, realização

Possíveis dúvidas
Deus forneceria
que tornaram as Deus protegeria? Deus governaria?
comida?
tentações reais

Desejo de poder rápido,


Possíveis Fome, impaciência, Orgulho, insegurança,
soluções fáceis,
fraquezas Satanás necessidade de necessidade de testar
necessidade de provar a
procurou explorar "provar sua filiação" Deus
igualdade com Deus

Deuteronômio 8: 3 : Deuteronômio 6:13 :


Deuteronômio 6:16 : Não
A resposta de Depende de Deus Sem compromisso com
teste o foco de Deus: o
Jesus Foco: O propósito o mal Foco: A pessoa de
plano de Deus
de Deus Deus

Satanás tentou Jesus a tomar o mundo como um reino terrestre naquele momento,
sem levar a cabo seu plano para salvar o mundo do pecado. Para Jesus, isso significava
obter seu domínio prometido sobre o mundo sem experimentar o sofrimento ea morte da
cruz. Satanás ofereceu um atalho indolor. Mas Satanás não entendeu que o sofrimento
ea morte eram uma parte do plano de Deus que Jesus tinha escolhido obedecer. Satanás
esperava distorcer a perspectiva de Jesus fazendo-o concentrar-se no poder mundano,
não no cumprimento dos planos de Deus. Além disso, Jesus teria de denunciar sua
lealdade ao Pai para adorar a Satanás. O objetivo de Satanás sempre foi substituir Deus
como o objeto de adoração.
4:10 Disse-lhe Jesus: Fora com você, Satanás! Porque está escrito: Adorareis
ao SENHOR vosso Deus, e somente a vós servireis. " Jesus mais uma vez encontrou a
tentação com a Escritura. Citando Deuteronômio, Jesus dispensou Satanás com as
palavras "afastado com você." As tentações reduzidas a uma escolha entre Deus e
Satanás. Ninguém pode adorar e servir a ambos. Para Jesus ter um atalho para a meta,
governar o mundo ao adorar Satanás ( 4: 9 ) seria quebrar o primeiro mandamento:
"Ouve, ó Israel: O Senhor nosso Deus, o Senhor é um! Amarás o Senhor teu Deus com
todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças .... Temerás ao
Senhor teu Deus e o servirás ... "( Deuteronômio 6: 4-5 , 13 NKJV ). Jesus tomaria o
caminho da submissão a Deus. Jesus iria adorar e servir o Senhor sozinho. Somente
fazendo isso seria capaz de cumprir sua missão de trazer a salvação ao mundo.

ENTICED
O diabo ofereceu o mundo inteiro a Jesus se Jesus se inclinasse e o adorasse. Hoje
Satanás nos oferece o mundo tentando atrair-nos com materialismo, sexo e
poder. O diabo gostaria que acreditássemos que "a vida é curta, obtenha tudo o que
puder!" Mesmo os líderes cristãos se vêem tentados a construir impérios aqui na
terra. Mas Satanás exige que as pessoas paguem por esse sucesso vendendo suas
almas para ele. Devemos resistir às tentações da mesma maneira que Jesus fez. Se
você se apetece algo que o mundo oferece, cite as palavras de Jesus ao diabo:
8

"Adore ao Senhor, seu Deus, e sirva somente a ele." Então siga esse conselho, com
o apoio e as orações dos amigos cristãos.

4:11 Então o diabo o deixou, e vieram os anjos e o assistiram. O diabo não podia
ficar quando Jesus lhe disse para ir embora ( 4:10 ). Jesus é o superior de
Satanás; Satanás deve fazer como Jesus ordena. Então o diabo deixou Jesus. Lucas
registra que Satanás "esquerda [Jesus] até momento oportuno" ( Lucas 4:13 NVI ). Este
seria apenas o primeiro de muitos encontros que Jesus teria com o poder de Satanás.
Que os anjos vieram e assistiram a ele em nada diminui a intensidade das tentações
que Jesus enfrentou. Os anjos podem ter dado comida e bebida a Jesus porque a palavra
grega diekonoun , normalmente traduzida como "ministrar" ou "atender", também pode
significar "servir comida" (ver 1 Reis 19: 5 onde anjos ministraram a Elias). Mais
provavelmente, o ministério dos anjos era de natureza espiritual - atendendo às
necessidades espirituais de Jesus. O verbo indica ação contínua. Como as tentações de
Satanás duraram continuamente durante os quarenta dias, assim fizeram as ministrações
dos anjos.
Anjos, como aqueles que esperaram em Jesus, têm um papel significativo como
mensageiros de Deus. Esses seres espirituais estavam envolvidos na vida de Jesus na
Terra, anunciando seu nascimento a Maria, (2) tranquilizando a José, (3) nomeando
Jesus, (4) anunciando o nascimento de Jesus aos pastores, (5) protegendo Jesus por
Enviando sua família para o Egito, e (6) ministrando a Jesus no Getsêmani. Anjos estão
continuamente presentes. Hebreus 1:14 define anjos como mensageiros para Deus e
ministros para as pessoas. Eles mostram compaixão pelos seres humanos. Passagens
como Mateus 18:10 ; Lucas 15:10 ; Atos 12: 14-15 ; E Apocalipse 19:10 apóiam a idéia
de anjos da guarda. Como agentes de Deus, os anjos trazem ajuda especial aos crentes
( Atos 5: 19-21 ;

FONTE DE FORÇA
Jesus foi tentado pelo diabo, mas ele nunca pecou! Embora possamos nos sentir
sujos depois de sermos tentados, devemos lembrar que a tentação em si não é
pecado. Nós pecamos quando nos entregamos e desobedecemos a Deus. Recordar
esta verdade nos ajudará a nos afastarmos da tentação. Hebreus 4:15 diz que Jesus
"tem sido tentado em todos os sentidos, assim como nós somos, mas sem pecado"
( GL .). Ele sabe de primeira mão o que estamos experimentando, e ele está disposto
e capaz de nos ajudar em nossas lutas. Quando tentado, retorne-se a Deus para
obter força por meio de uma breve oração, faça um telefonema a um amigo cristão
ou encontre um lugar calmo para retirar sua Bíblia e ler um salmo.

JESUS PREGA NO GALILEO / 4: 12-17 / 30


Jesus se mudou de Nazaré, sua cidade natal, para Cafarnaum, cerca de 20 milhas mais
ao norte. Capernaum, na costa noroeste do Mar da Galiléia, tornou-se a base de Jesus
em seu ministério na Galiléia. Os Evangelhos não dizem por que Jesus se moveu, mas
Capernaum ofereceu melhores possibilidades para o ministério. (1) Estava mais longe
da intensa oposição dos fariseus em Nazaré. (2) Era uma cidade movimentada, então a
mensagem de Jesus poderia alcançar mais pessoas e se espalhar mais rapidamente. (3)
Era o lar de vários discípulos e podia fornecer recursos extras e apoio para seu
ministério. Mateus explicou como o movimento de Jesus havia sido profetizado nas
9

Escrituras. As ações, palavras e movimentos de Jesus mostraram sua obediência à


vontade de Deus e cumpriram as Escrituras a seu respeito.
4: 12-13 Jesus, ouvindo dizer que João fora preso, voltou para a Galiléia. Deixando
Nazaré, ele foi e viveu em Cafarnaum, que estava ao lado do lago na área de
Zebulom e Naftali. Mateus mencionou a prisão de João Batista como meramente um
sinal para o ministério de Jesus na Galiléia, sua região natal. Ele se mudou
de Nazaré (onde sua família se estabeleceu , 2:23 ) a Cafarnaum. Lucas explicou que
João havia sido preso por terrepreendido publicamente oRei Herodes por ter tomado a
mulher de seu irmão ( Lucas 3: 19-20 ). Os protestos públicos de João haviam muito
irritado Herodes, então ele colocou João na prisão, presumivelmente para silenciá-lo. Os
Herodes eram famosos por sua crueldade e maldade; Herodes, o Grande, ordenou o
assassinato dos bebês em Belém ( 2:16 ). O Herodes que havia aprisionado João era
Herodes Antipas; Sua esposa era Herodias, sobrinha de Herodes Antipas e
anteriormente esposa de seu irmão. A prisão de João Batista foi apenas um ato mau em
uma família cheia de incesto, engano e assassinato. (A história completa é contada
em 14: 1-12 .)
Zebulom e Naftali eram duas das doze tribos originais de Israel. Eles tinham sido
alocados neste território e tinham-no estabelecido durante a conquista de Canaã sob
Josué (veja Josué 19: 10-16 , 32-39 ). "Ao lado do lago" refere-se à área ao redor do
Mar da Galiléia (também chamado Mar de Tiberíades ou Lago de Gennesaret).
4: 14-16 Para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías, dizendo: A terra
de Zabulon ea terra de Naftali, pelo caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia
dos gentios; Assentou-se em trevas, viu uma grande luz, e sobre aqueles que
estavam sentados na região e sombra da morte, a Luz amanheceu ". Mateus
continuou mostrando como toda a vida de Jesus, mesmo sua viagem, seguiu os planos
de Deus e cumpriu as Escrituras. Alguns leitores judeus podem ter se perguntado por
que o ministério de Jesus não estava focado em Jerusalém - o Messias prometido não
começaria falando no próprio templo? No entanto, Mateus explicou que o movimento
de Jesus para a região da Galiléia, onde Cafarnaum estava localizado, cumpriu [que] foi
dito pelo profeta Isaías em Isaías 9: 1-2 .
Como mencionado acima, esta área tinha sido o território dessas duas tribos de
Israel após a conquista de Canaã. Quando os assírios invadiram e capturaram o reino do
norte de Israel, estas tribos ao norte estavam entre as primeiras a cair. "No tempo de
Peca, rei de Israel, Tiglate-Pileser, rei da Assíria, veio e tomou Ijom, Abel, Bete-Maacá,
Janoa, Quedes e Hazor. Ele tomou Gilead e da Galiléia, incluindo toda a terra de
Naftali, e deportado o povo para a Assíria "( 2 Reis 15:29 NVI ). Depois de conquistar
uma nação, geralmente Assíria deportaria todas as pessoas que vivem lá e, em seguida,
repovoar a área com os outros. Todos os que reinstalaram a área eram pagãos, gentios -
assim Isaías chamou a área Galileia dos Gentios. Enquanto os judeus eventualmente se
mudaram de volta para a área, o espiritual escuridão sobre a terra continuaria por
séculos até que uma grande luz, sob a forma de Messias dos judeus, viria a viver entre
as pessoas. Estas palavras prefiguram a missão de Jesus: Ele veio para pregar a salvação
pela graça, mesmo para aqueles na escuridão espiritual mais profunda, e ele trouxe essa
mensagem para o mundo inteiro - judeus e gentios.
4:17 Daí em diante Jesus começou a pregar: "Arrependei-vos, porque o reino dos
céus está próximo." Jesus começou seu ministério com a palavra que o povo ouvira
João Batista dizer: Arrependei-vos. A mensagem é a mesma hoje. Tornar-se um
10

seguidor de Cristo começa com arrependimento, afastando-se de nosso egocentrismo e


autocontrole. O próximo passo é virar o caminho certo, virar-se para Cristo e crer nele.
O "reino dos céus" significa o mesmo que o "reino de Deus" em Marcos e
Lucas. Mateus usou o "céu" em vez de "Deus" porque os judeus, por sua intensa
reverência e respeito, não pronunciaram o nome de Deus. Os profetas do Antigo
Testamento frequentemente falavam do futuro reino, governado por um descendente do
rei Davi, que seria estabelecido na terra e existiria para a eternidade. Assim, quando
Jesus disse: "O reino dos céus está próximo", os judeus entenderam que ele queria dizer
que o Messias tinha vindo inaugurar seu tão esperado reino terreno (veja as notas
de Mateus 3: 1-2 ).
Claro, isso causou grande excitação entre as pessoas. O problema surgiu, no entanto,
em mal interpretar a natureza deste reino e no momento da sua chegada. O reino de
Deus começou quando Deus entrou na história como um ser humano. Mas o culminar
do reino de Deus não será plenamente realizado até que todo o mal no mundo tenha sido
julgado e removido. Cristo veio à Terra primeiro como o Servo sofredor. Quando ele
voltar, ele virá como Rei e Juiz para governar toda a terra. O reino iniciado com o
nascimento de Jesus não derrubaria a opressão romana e inauguraria a paz universal. O
reino de Deus que começou calmamente na Palestina foi o governo de Deus no coração
das pessoas. Assim, o reino estava tão "próximo" quanto a vontade das pessoas de fazer
Jesus reinar sobre suas vidas. Como Jesus disse: "O reino de Deus está dentro de vós"
( Lucas 17: 21 NIV ). O culminar do reino pode ainda estar por muitos anos afastado
para nós, contudo sua realidade espiritual é tão perto como aceitar Jesus como o
salvador.

QUATRO PESCADORES SEGUEM JESUS / 4: 18-22 / 33


Jesus disse a Pedro, André, Tiago e João que deixassem seus negócios de pesca e se
tornassem "pescadores de homens", para ajudar os outros a encontrarem Deus. Jesus
estava chamando-os para longe de seu comércio produtivo para ser produtivo
espiritualmente. Todos os seguidores de Cristo precisam de pescar por almas. Aqueles
que praticam os ensinamentos de Cristo e compartilham o evangelho serão capazes de
atrair aqueles que os rodeiam para Cristo como um pescador que puxa peixes para o
barco.
4:18 Ao passar pelo mar da Galiléia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e
André, seu irmão, lançando uma rede no mar, pois eram pescadores. Localizado
650 metros abaixo do nível do mar, o Mar da Galiléia é um grande lago de 150 metros
de profundidade e rodeado por colinas. A pesca era a principal indústria das cerca de
trinta cidades que rodeavam o Mar da Galiléia durante o dia de Jesus. Cafarnaum, onde
Jesus se estabeleceu ( 4:13 ), era a maior dessas cidadespesqueiras. Simão e seu irmão
André vieram de Betsaida, outra cidade na praia ( João 1:44 ), mas tinham habitado em
Cafarnaum ( Marcos 1:21 , 29 ).
Jesus, caminhando junto ao mar, viu dois irmãos. Jesus não se aproximou
de Simão (que conhecemos como Pedro ) e André como estranhos. Sabemos pelo
Evangelho de João ( 1: 35-49 ) que eles tinham tido contato prévio. Jesus
estava caminhando na praia com um propósito - encontrar pescadores a quem queria
chamar para segui-lo. Jesus os encontrou lançando uma rede no mar. Usando redes foi
o método mais comum de pesca. Uma rede circular (dez a quinze pés de diâmetro) seria
jogada no mar. Em seguida, seria elaborado, e as capturas içadas no barco. Os
pescadores do Mar da Galiléia eram homens fortes e ocupados.
11

ME SIGA
Quando Jesus entrou na vida de Pedro, este simples pescador tornou-se uma nova
pessoa com novos objetivos e novas prioridades. Ele não se tornou uma pessoa
perfeita, no entanto, e ele nunca deixou de ser Simon Peter. Podemos nos perguntar
o que Jesus viu em Simão, que o fez dar a este discípulo potencial um novo nome:
Pedro, a "rocha". O Pedro impulsivo certamente não agiu como pedra sólida na
maior parte do tempo. Mas Jesus estava procurando pessoas reais. Ele escolheu
pessoas que poderiam ser mudadas por seu amor; Então ele os enviou para
comunicar que sua aceitação estava disponível para qualquer um - mesmo para
aqueles que muitas vezes falham. Podemos nos perguntar o que Jesus vê em nós
quando nos chama a segui-lo. Mas sabemos que Jesus aceitou Pedro. Sabemos
também que, apesar de suas falhas, Pedro passou a fazer grandes coisas para
Deus. Continue seguindo Jesus, mesmo quando você falhar.

4:19 Então disse-lhes: Segui-me, e eu vos farei pescadores de homens. O primeiro


par de homens que Jesus chamou para segui-lo eram irmãos, Simão e André. Andrew
tinha sido um discípulo de João Batista, que, quando introduzido ao "Cordeiro de
Deus", virou-se e seguiu Jesus ( João 1: 35-39 ). Então André trouxe seu irmão Simão a
Jesus. Quando Jesus se encontrou com Simão, ele disse: 'Você é Simão, filho de
João. Você será chamado Cefas "(que, traduzido, é Peter)" ( João 01:42 NVI ). Esses
homens compreendiam e acreditavam quem era Jesus. Jesus chegou na praia naquele
dia para mudar suas vidas para sempre. Jesus disse a Simão (Pedro) e André que
deixassem o seu negócio de pesca e o seguissem . "Seguir" significa aceitar Jesus como
autoridade, prosseguir seu chamado, Para modelar após seu exemplo, para se juntar ao
seu grupo. Jesus estava pedindo a esses homens para se tornarem seus discípulos e
começar a pescar para as pessoas. "Seguir" é o termo principal para o discipulado nos
Evangelhos. Os discípulos no dia de Jesus literalmente seguiram seus mestres e os
imitaram. Jesus exigiu que seus discípulos lhe dessem sua fidelidade, diariamente contam
o custo do compromisso e servem os outros como ele fez.
O Antigo Testamento representa Deus pescando homens, colhendo-os para
julgamento ( Jeremias 16:16 , Ezequiel 29: 4-5 , 38: 4 , Amós 4: 2 , Habacuque 1: 14-
17 ). Reunir almas é urgente porque o julgamento está chegando, então os fiéis
seguidores de Cristo deveriam trazer as pessoas enquanto ainda havia tempo. Esses
discípulos eram aptos a pescar peixes, mas precisariam de um treinamento especial
antes que pudessem se tornar pescadores de homens - para pescar as almas das
pessoas. As palavras "Eu farei" retratam Jesus como o agente de empoderamento; Esses
homens estavam simplesmente a seguir. Jesus estava chamando-os para longe de seu
comércio produtivo para ser produtivo espiritualmente, ajudando os outros a acreditar
na Boa Nova e continuar seu trabalho depois que ele foi embora. Esta era uma mudança
radical do relacionamento usual do rabino / discípulo. No Judaísmo, os discípulos
simplesmente observavam o mestre e memorizavam seu ensinamento. Os discípulos de
Jesus teriam um papel ativo. Eles participariam do reino como pescadores de homens.
4:20 Eles imediatamente deixaram suas redes e seguiram-no. Depois de seu encontro
anterior com Jesus, Simão Pedro e André voltaram a pescar. Mas quando Jesus os
chamou para segui-lo como discípulos, eles imediatamente deixaram suas redes. Esses
homens já conheciam Jesus, assim quando Jesus os chamou, eles estavam dispostos a
segui-lo. O julgamento estava chegando; Eles tiveram que responder
imediatamente. Suas vidas tinham mudado; Sua lealdade agora era para seu
professor. Sua ação indicou discipulado radical, rendição total. Este primeiro par deixou
sua ocupação; O segundo par ( 4:22 ) também deixou seu pai. Quando Jesus chama, as
12

pessoas devem estar dispostas a realinhar os planos e metas anteriores, às vezes


deixando algo importante para seguir Jesus.
4: 21-22 E, saindo dali, viu dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão,
no barco com seu pai Zebedeu, remendando as redes, e os chamou. Imediatamente
deixaram o barco e seu pai, e o seguiram. Não muito longe na praia havia outros dois
irmãos, James e John. Zebedeu, seu pai, possuía um negócio de pesca onde trabalhavam
com Pedro e André ( Lucas 5:10 ). James e João estavam sentados em seu barco
amarrado com seu pai Zebedeu, consertando suas redes. O peso de uma boa captura de
peixe e a constante pressão sobre as redes significava que os pescadores tinham que
gastar muito tempo mantendo suas redes reparadas e em boa forma. Os buracos tinham
que ser remendados em preparação para a pesca da próxima noite.
João tinha conhecido Jesus anteriormente. Em seu Evangelho, João registra que ele
e André estavam seguindo João Batista e que então eles começaram a seguir Jesus
( João 1: 35-39 ). Não temos registro de que Tiago conhecesse Jesus, mas ele
provavelmente sabia sobre Jesus de seu irmão. O fato de o nome de James sempre ser
mencionado antes de John's indica que James era o irmão mais velho. Quando Pedro,
André e João deixaram a Galiléia para ver João Batista, Tiago ficou com os barcos e
redes de pesca. Mais tarde, quando Jesus os chamou, Tiago estava tão ansioso quanto
seus companheiros para segui-lo. Tiago e João estavam prontos para o chamado de
Jesus.
Ambos os conjuntos de irmãos imediatamente deixaram para trás as vidas que
tinham conhecido e embarcou em uma aventura. Certamente Jesus deve ter feito uma
grande impressão sobre eles, e sabendo que Jesus os escolheu deve ter motivado-os a
seguir sem hesitação. Tiago e João deixaram o pai no barco. Eles não deixaram seu pai
para gerenciar por si mesmo; Marcos registra que ele já havia contratado homens que o
ajudaram ( Marcos 1:20 ). Zebedeu deve ter sido um pai muito compreensivo; Talvez
ele também acreditasse e teria ido ao longo dele em dias mais jovens.

HORA DE IR
Tiago e seu irmão, João, juntamente com Pedro e André, foram os primeiros
discípulos que Jesus chamou para trabalhar com ele. O chamado de Jesus motivou
esses homens a se levantar e deixar seus empregos - imediatamente. Eles não
fizeram desculpas sobre por que não era um bom momento. Partiram
imediatamente e seguiram. Nós não sabemos se uma decisão tão radical é
necessária de cada pessoa viva hoje. Estamos todos a deixar nossos empregos e
casas para seguir a Cristo no ministério? Aparentemente não, porque Jesus tinha
muitos crentes e discípulos, mas ele escolheu apenas doze para deixar tudo e segui-
lo. Mesmo aqueles doze não abandonaram as esposas ou sua responsabilidade para
com seus pais. Mas todos nós devemos avaliar o nosso serviço e fazer o que Cristo
requer. Alguns estudantes podem precisar mudar majores e ir para o
ministério; Cristo pode escolher alguns para mudar os meios de subsistência e
entrar em diferentes campos de serviço para ele.

JESUS PREGA EM TODO O GALILEO / 4: 23-25 / 36


4:23 Jesus foi por toda a Galiléia, ensinando nas suas sinagogas, pregando as boas
novas do reino e curando todas as doenças e enfermidades entre o povo. Jesus
viajou por toda a Galiléia, visitando as várias cidades e aldeias. Ele estava ensinando,
pregando e curando, os três aspectos principais de seu ministério . "Ensinar" mostra a
13

preocupação de Jesus de que as pessoas aprendam; "Pregar" mostra sua preocupação


com o compromisso; E "cura" mostra sua preocupação com a integridade física. Os
milagres de cura de Jesus autenticaram seu ensino e pregação; Eles provaram que ele
realmente era de Deus.
Quando Jesus chegou a uma cidade, primeiro foi para a sinagoga. As
Sinagogas foram estabelecidas durante o Exílio para dar aos judeus lugares para se
reunirem e adorarem porque não podiam ir ao templo. As sinagogas tornaram-se mais
tarde centros de ensino e de pregação. A maioria das cidades que tinham dez ou mais
famílias judaicas tinha uma sinagoga. O edifício serviu como um local de encontro
religioso no sábado e como uma escola durante a semana. O líder da sinagoga era mais
um administrador do que um pregador. Seu trabalho era convidar rabinos para ensinar e
pregar. Na sinagoga, havia dois tipos de mensagens: (1) exposição ou ensinamento-feito
enquanto o líder estava sentado; (2) exortação ou pregação-feito enquanto o líder estava
de pé. Portanto, Jesus teve a oportunidade de compartilhar as boas novas do reino com
os judeus que vieram às sinagogas . A "boa notícia" era que o reino dos céus havia
chegado. Costumava-se convidar a visitar rabinos como Jesus para falar, mas a
mensagem terrível de Jesus e milagres poderosos ( curando todas as doenças
e enfermidades entre as pessoas em cada aldeia) o separavam dos outros.
4:24 Então a fama dele se espalhou por toda a Síria, e trouxeram-lhe todos os
enfermos, os que estavam aflitos com várias doenças e dores, demoníacos,
epilépticos e paralíticos, e ele os curou. O ensino e a cura de Jesus causaram agitação
entre as pessoas. Aqueles que o ouviam disseram à família e amigos, que contaram aos
outros, para que a notícia se espalhou por toda a Síria. "Síria" pode se referir à área ao
norte da Galiléia, indicando que a fama de Jesus se espalhou além das fronteiras da
Palestina. Os romanos usaram a "Síria" para se referir a toda a Palestina, exceto para a
região da Galiléia, que estava sob a administração independente de Herodes
Antipas. Assim, a fama de Jesus se espalhou pela Galiléia e por toda a Palestina.
Jesus tornou-se conhecido muito rapidamente. Certamente sua habilidade aclamada
para curar pessoas de doenças fez com que as pessoas trouxessem familiares e amigos
doentes. Jesus curou várias doenças e dores (provavelmente não diagnosticadas por
médicos), demoníacos (pessoas possuídas por demônios), epilépticos (aqueles que
tiveram convulsões ou outro comportamento inexplicável não relacionado à possessão
demoníaca) e paralíticos (aqueles que se tornaram paralisados).
Por que Jesus realizou curas físicas? Como Criador, Jesus queria que as pessoas
tivessem saúde e integridade em vez de doença. As curas também mostraram a
compaixão de Jesus por pessoas sofredoras e revelaram que o reino havia chegado ao
poder e à presença. Embora Jesus se recusasse a fazer "sinais" ao capricho de duvidar de
líderes religiosos, ele realizou milagres de cura que fizeram muitos crerem nele.
4:25 Grandes multidões da Galiléia, da Decápolis, de Jerusalém, da Judéia e da
região do outro lado do Jordão o seguiram. Grandes multidões vieram a Jesus de
toda a região da Galiléia, onde Jesus estava concentrando seu ministério. "A Decápolis"
refere-se a uma liga de dez cidades gentias a leste do Mar da Galiléia que se juntaram
para o comércio e defesa mútua. "A região através do Jordão" provavelmente se refere
também ao território gentio. A cidade de Jerusalém estava na região da Judéia. As
pessoas vieram desta região para o sul, bem como de sua cidade líder. A notícia sobre
Jesus estava fora, e judeus e gentios estavam vindo longas distâncias para ouvi-lo. As
palavras "seguiu-o" podem ou não se referir a tornar-se discípulos. Alguns simplesmente
o seguiam de um lugar para outro para ouvi-lo falar e ver seus milagres. Alguns que
14

seguiram certamente também vieram a acreditar nele, aceitando as Boas Novas sobre o
reino.

Barton, BB (1996). Matthew . Wheaton, IL: Editores da casa de Tyndale.


Exportado de Software Bíblico Logos , 23:29 25 de março de 2017.