Você está na página 1de 4

COLÉGIO PEDRO II - UNIDADE SÃO CRISTÓVÃO III

2ª SÉRIE – MATEMÁTICA II – PROFº WALTER TADEU


www.professorwaltertadeu.mat.br

1ª LISTA DE LOGARITMOS - GABARITO

1) Os números a, b e c são tais que seus logaritmos decimais log a, log b e log c, nesta ordem, estão em
progressão aritmética. Sabendo que log b = 2, determine o produto abc.
Solução. Como loga, logb e logc estão em PA, então o valor central é a média aritmética dos extremos.

 log a  log c
log b   log( ac)  2 log b  log( ac)  2(2)  (ac)  10 4
 2  abc  10 4.10 2  10 6
log b  2  b  10 2

2) Suponha que ln a  2 e ln b  3 . Determine:


 a2 
b) ln b  
1
a) ln b 2  c) ln  4   
2
d) ln
b  a
Solução. Aplicando as propriedades dos logaritmos, temos:

a) ln b  2. ln b  2.(3)  6 b) ln b  (3)  9


2 2 2

 a2 
c) ln  4   ln( a )  ln(b )  2(ln a)  4. ln(b)  2.(2)  4.(3)  4  12  8
2 4

b 
1
d) ln  ln 1  ln a  0  2  2
a
3) (ITA-SP) Calcule o valor de log216 – log432.
Solução. Calculando separadamente os logaritmos, temos:
i) log 2 16  x  16  2  2  2  x  4
x 4 x

ii) log 4 32  y  32  4  2  2
y 5 2
  y
 2y  5  y 
5
2
5 85 3
Logo, log 2 16  log 4 32  4   
2 2 2

4) (UCS-RS) Calcule o valor de log 1 (log 5 125) .


3
Solução. Aplicando a definição de logaritmo sucessivamente, temos:

i) log 5 125  x  125  5  5  5  x  3


x 3 x

y
1
ii) log 1 (log 5 125)  log 1 (3)  y  3     3  3
1
  y
 y  1
3 3  3

Logo, log 1 (log 5 125)  1


3

1
5) (UE-PI) Se 9 p 1  3 2 e log 2 (q  1)  , calcule p2 + p.q + q2.
2
Solução. Encontrando separadamente os valores de p e q, temos:
2p  2
i) 9 p 1  3 2
 3 
2 p 1
3 2

 32 p  2 
1/ 2
3 2

2
 2  p 1  2  p  2 1

1
ii) log 2 (q  1)   q  1  21 / 2  q  2  1
2

 
 p2  2 1 2  2  2 2 1


  
iii)  p.q  2  1 . 2  1  2  1  1  p  p.q  q  2  2 2  1  1  2  2 2  1  7
2 2

 2
 2

q  2  1  2  2 2  1

6) (UFJF-MG) Considere a função f : IR  IR definida por f ( x)  log 10 ( x 2  6 x  10) . Marque a opção


que expressa o valor de f(6) – f(- 2).
5
a) 26 b) log 10 26 c) 1 d) log 10 e) 1  log 10 26
13
Solução. Calculando os valores aplicados na função, temos:

 f (6)  log 10 (6 2  6(6)  10)  log 10 (10) 10 5


  log 10 (10)  log 10 (26)  log  log
 f (2)  log 10 ((2)  6(2)  10)  log 10 (26)
2
26 13

7) (UF-MG) Nessa figura, está representado o gráfico da função


 1 
f ( x)  log 2   . Qual o valor de f(1)?
 ax  b 

Solução. Observando os pontos marcados no gráfico, temos:

 1  1 1
i) f (0)  log 2    0  log 2    0   2 0  b  1
 a(0)  b  b b

 1  1
ii) f (5)  log 2    4   2 4  5a  1  16  5a  15  a  3
 a(5)  1  5a  1
Substituindo os valores de a e b na função, calculamos o valor de f(1).

 1   1  1
iii) f ( x)  log 2    f (1)  log 2    log 2    z  2 2  2 z  z  f (1)  2
 3x  1   3(1)  1  4

8) (PUC-RS) Encontre o conjunto solução da equação logx (10 + 3x) = 2, em lR.


Solução. É necessário determinar as condições de existência.

i) Condições de existência: x > 0 e x 1

10
10  3x  0  3x  10  x  
3
ii) Utilizando a definição de logaritmo

x  5
10  3x  x 2  x 2  3x  10  0  ( x  5).( x  2)  0  
 x  2  (indefinido )
Logo, S = {5}.
9) (FGV-RJ) Expresse na forma de intervalo o domínio da função y = log(– x2 + 2x + 3).
Solução. A base é 10. Então a única restrição será que (– x2 + 2x + 3) > 0. Resolvendo a equação e
analisando os intervalos, temos:

Logo, os valores negativos estão no intervalo: ]-∞ ; -1[ U ]3 ; ∞[.

10) (UFSCar-SP) O domínio de definição da função f ( x)  log x 1 ( x 2  5x  6) é:


a) x < 2 ou x > 3 b) 2 < x < 3 c) 1 < x < 2 ou x > 3 d) x < 1 ou x > 3 e) 1 < x < 3
Solução. Exercício semelhante ao anterior, mas como a base é x – 1. Há duas condições a serem satisfeitas.
i) x – 1 > 0. Logo, x > 1. ii) x2 – 5x + 6 > 0.
As situações são mostradas e o domínio será a interseção das condições.

Logo, Df = {x IR / 1< x < 2 ou x > 3}.


 11 
11) (UF-MG) Resolva a equação 2 log 10 x  1  log 10  x   . O conjunto solução de todos os valores reais é:
 10 
a) {- 1, 11} b) {5, 6} c) {10} d) {11}

Solução. Identificando as condições de existência vemos que:

 11  11
i) 2 log10 x  x  0 ii) log 10  x    x   0  x  1,1
 10  10
Escrevendo 1 = log1010 e aplicando as propriedades do logaritmo, temos:

 11    11 
2 log 10 x  log 10 10  log 10  x    2 log 10 x  log 10 (10). x    2 log 10 x  log 10 (10 x  11) 
 10    10 
 x  11
log 10 x 2  log 10 (10 x  11)  x 2  10 x  11  x 2  10 x  11  0  ( x  11)( x  10)  0  
 x  10

Analisando as condições, a opção viável é x = 11.

12) Suponha que a taxa de juros que um determinado banco europeu oferece, aos seus clientes, é de 6% ao ano,
em regime de juros compostos.
a) Determine o capital acumulado ao fim de 7 anos, por um cliente que depositou 50.000 euros.
b) Quantos anos terá de esperar, o referido cliente, para obter um capital acumulado de 100.000 euros?
c) Qual seria o depósito inicial efetuado por este cliente, para obter 85.000 euros ao fim dos mesmos 7 anos?

Solução. O regime de juros compostos indica que determinado capital (C) aplicado durante um período
igual a n com uma taxa i gera um montante (M) calculado pela fórmula: M = C.(1 + i) n. Utilizando essa
fórmula nos itens e utilizando C = 50000; i = 0,06 e n = 7, temos:

a) M = capital acumulado. Logo, M  50000.(1  0,06)  75181,51(euros) .


7

100000
b) Calculando t: 100000  50000.(1  0,06)  (1,06)   (1,06) t  2  t  log 1,06 2
t t

50000
log 2
Fazendo a mudança de base 1,06 para a base 10, vem: t   11,9(anos)
log 1,06
85000 85000
c) Calculando C: 85000  C.(1  0,06)  C    56529,85(euros)
7

(1  0,06) 7
1,5036

13) (UF-AL) A expressão N(t)= 1500.20,2t permite o cálculo do número de bactérias existentes em uma cultura,
ao completar t horas do início de sua observação (t = 0). Após quantas horas da primeira observação haverá
250000 bactérias nessa cultura? (Dados: log2 = 0,30 log3 = 0,48).

Solução. Igualando o valor pedido para a função, temos:

 N (t )  250000 250000 500


  250000  1500.2 0, 2t
 2 0, 2t
  2 0, 2t
 .
 N (t )  1500.2
0, 2t
1500 3
Aplicando a definição de logaritmos, vem:
500  500 
2 0, 2t   0,2t  log 2    log 2 500  log 2 3 .
3  3 
Como os valores indicados estão na base 10, é necessário fazer uma mudança da base 2 para a base 10.
10
OBS : log 5  log  log 10  log 2  1  0,30  0,70
2
log 500 log 3 log( 5)(100) log 3 log( 5)  log(100) log 3
log 2 500  log 2 3       
log 2 log 2 log 2 log 2 log 2 log 2
0,70  2 0,48 2,22
    7,4
0,30 0,30 0,30
7,4
Voltando a equação inicial, concluimos: 0,2t  7,4  t   37(horas)
0,2