Você está na página 1de 6

DOCUMENTO ORIENTADOR – PLANEJAMENTO 2018 – 14 A 16 DE FEVEREIRO

 Estrutura – 5 movimentos
o Acolhimento
o Semana de Atividades Diagnósticas
o Planejamento 2018
o Semana de Apoio às Aprendizagens
o Avaliação de Aprendizagem em Processo (AAP)
 Planejamento 2018 – Apresentação
o 2017
 Metas atingidas
 Necessidade de replanejamento
 Autoavaliação institucional 2017
 Análise dos resultados das avaliações internas e externas – Foco Aprendizagem
 PPP da escola
o 2018
 Além dos anteriores
 Acolhimento
 Relações sociais, trajetórias pessoais e culturais
 Uma das 1ª ações do início do ano letivo
 Outras ações a partir dos indicadores das AAP e do SARESP
 Como se configura a aprendizagem dos alunos
o Diferentes ritmos e itinerários escolares
o Etapas que se encontram (o que atingiram e o que não atingiram)
o Estar atento aos alunos
 que necessitam de maior atenção para o desenvolvimento da
competência leitora e escritora no ciclo de alfabetização
 jovens e adultos que retornaram aos estudos
 atendimento especializado
o alunos - assentamentos, escolas indígenas, hospitais etc.

 1º momento – 1 e 2 de fevereiro
o Acolhimento
 2º momento – 5 a 9 de fevereiro
o Professores de todas as áreas
 Atividades diagnósticas a partir do SARESP, das AAP, dos consolidados do Conselho de Classe e
Série/2017
o Ferramenta importante – MATRIZ DE AVALIAÇÃO PROCESSUAL
 “identificar as habilidades previstas no Currículo do Estado de São Paulo que devem ser
desenvolvidas pelos estudantes” (p.6)
o Documentos orientadores
 Anos iniciais
 Português
 Matemática
 3º momento – 14 a 16 de fevereiro
o Disponibilização de SD de Língua Portuguesa e de Matemática – aplicação de atividades intensivas de
apoio às aprendizagens nas semanas de 19/02 a 02/03
o Material – habilidades contempladas nas etapas anteriores
o As atividades não devem ser vistas como uma lista de exercícios
o As SD – disponibilizadas na Intranet em 01/02
o BNCC – Base Nacional Comum Curricular
 Criar espaço para a discussão
o 6º ano do Ensino Fundamental
 Reflexão sobre aspectos particulares desses alunos
 Vivências que apoiem o desenvolvimento da proficiência em habilidades de leitura e escrita,
raciocínio lógico e matemática – atividades práticas
o 1ª série do Ensino Médio
 Reflexão e planejamento de ações – ingresso no Ensino Médio
o Documentos Orientadores
 Centro de Estudos e Tecnologias Educacionais
 Núcleo de Apoio Pedagógico Especializado
 Núcleo de Inclusão Educacional
 4º momento – 19 de fevereiro a 2 de março
o Semana de Apoio às Aprendizagens
 A partir da seleção das SD realizadas no Planejamento, desenvolvam atividades de recuperação
de conhecimentos
 5º momento – 19 de fevereiro a 2 de março
o Aplicação da 18ª AAP
 Identificar avanços e pontos de atenção
 Desenvolvimento da proficiência
ORIENTAÇÕES PARA O ACOLHIMENTO 2018
 Estrutura
o Apresentação
o Acolhimento: um princípio do educar e cuidar
o Como fazer?
o Planejamento para as ações de Acolhimento
o Experiências
o Referências

 Apresentação
o Orientações
o Texto introdutório
 Acolhimento: um princípio do educar e cuidar
o Definições (Houaiss)
 Acolhedor
 Acolher
 Acolhida
 acolhimento
o princípio básico para qualquer prática educativa
o missão – “educar” e “cuidar”
o acolhimento – “responsabilidade de todos”
 Como fazer?
o Estudantes e suas famílias
o Atenção às diferentes modalidades e suas especificidades
o Ações
 Planejamento para as ações de Acolhimento
o Objetivos
 Ações de protagonismo
 Cotidiano democrático e inclusivo
 Atividades pedagógicas – resgate da escola na vida do aluno
 Construção de um contrato de convivência
 Trabalho com valores, como respeito, confiança, compromisso etc.
 Ações para potencializara participação do Grêmio e Conselho de Escola
o Período
 Horário normal de aulas
o Ações
 Acolhimento dos professores
 Acolhimento dos Anos Iniciais
 Acolhimento Ensino Fundamental, Médio – estudantes acolhendo os alunos
o Orientações
 Grêmio – principais autores da ação
 Uso dos diferentes ambientes pedagógicos da escola – Ex.: Sala de Leitura
 Experiências
o Sugestões – outras escolas
o Documentos
DOCUMENTO ORIENTADOR – ATIVIDADES INICIAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL ANOS
FINAIS E ENSINO MÉDIO

 Estrutura
o Apresentação
o Caracterização do material de aplicação
o Aspectos Metodológicos
o Considerações Finais

 Apresentação
o Pressuposto – leitura e a produção de textos são práticas culturais, sendo por meio da linguagem que
ocorre a vida em sociedade
o Linguagem – “meio de socializar cultura”
o Sugestões didáticas de Língua Portuguesa (5 a 9/02)
o Semanas de 19/02 a 02/03
 Trabalho com SD – Sugestões
 Aplicação da AAP
 Caracterização do material de aplicação
o Subsídios ao trabalho diagnóstico
 2 SD para cada ano do EF Anos Finais e 1 SD para cada série do EM
 6º ano – Produção de texto escrita e 8 questões Diagnósticas
 Caderno de recomendações pedagógicas
 Caderno do Professor da Avaliação Diagnóstica
 Disponíveis na Biblioteca CGEB na Intranet
 Aspectos Metodológicos
o Leitura das recomendações
o Trabalho com o 6º ano – verificar aspectos da aprendizagem do aluno segundo o Ler e Escrever
o Verificar se o aluno é capaz de:
 interagir produtivamente em situações de intercâmbio oral, ao ouvir com atenção,
compreender explicações, explicar, manifestar opiniões, argumentar e contra-
argumentar;
 planejar e realizar, inclusive fazendo uso de textos escritos, exposições orais;
 compartilhar a escolha de obras literárias, a leitura, a escuta, os comentários e os
efeitos das obras lidas;
 selecionar textos para leitura, de acordo com seus propósitos e a natureza dos
temas;
 demonstrar certa autonomia ao buscar recursos para compreender ou superar
dificuldades de compreensão durante a leitura;
 reescrever e/ou produzir textos escritos utilizando a escrita convencional e
considerando o contexto de produção;
 revisar textos (próprios e de outros) posicionando-se como leitor crítico para garantir
a adequação composicional e a correção gramatical.
DOCUMENTO ORIENTADOR – ATIVIDADES INICIAIS DE MATEMÁTICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E
ENSINO MÉDIO

 Apresentação
o Semanas de 19/02 a 02/03
 Trabalho com SD – Sugestões
 Aplicação da AAP
 Indicadores e intervenção pedagógica
 Caracterização do material de aplicação
o Subsídios ao trabalho diagnóstico
 4 SD para cada ano do Ensino Fundamental e 2 para cada série do Ensino Médio
 6º ano – 1 caderno contendo atividades iniciais e 8 questões objetivas
 Caderno das recomendações pedagógicas
 Caderno do Professor da Avaliação Diagnóstica
 Aspectos Metodológicos
o Leitura do caderno
o Escolha das SD mais adequada a cada turma
o Na correção da AD
 Confronto entre o aprendizado obtido com a aplicação das SD e o que foi realizado na AD
 Análise quantitativa e qualitativa do índice de acertos, com a finalidade de traçar um plano de
ação – realinhamento do processo de recuperação contínua durante o ano letivo

DOCUMENTO ORIENTADOR – CENTRO DE ESTUDOS E TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS

 Que tal começar o planejamento de ensino contando com mais de 2 mil objetos digitais de aprendizagem?
o Escolha do professor – momento de contar com diferentes tecnologias e recursos
o Curriculo+
o ODA – Objeto Digital de Aprendizagem
o Currículo + - Parceria: plataforma “Escola Digital”
 A nova lei sobre o uso do celular na sala de aula
o Lei nº 16.567 de 06-11-2017
o Liberação do celular em sala de aula para usos pedagógicos
o

DOCUMENTO ORIENTADOR – NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO ESPECIALIZADO (CAPE)


Sugestões para o Planejamento 2018
 O que é Educação Especial?
 O que é Educação Inclusiva?
 Que benefícios a inclusão traz a alunos e professores?
 Como funciona a inclusão de crianças/adolescentes com deficiência, altas habilidades/superdotação e
transtorno do espectro autistana rede de ensino estadual? Como é esse processo?
 Qualquer criança com deficiência pode estudar em uma escola pública da rede estadual de ensino?
 A criança com deficiência, matriculada na escola da rede estadual de ensino, frequenta a sala regular ou a
classe regida por professor especializado?
 Como é a preparação dos professores, funcionários e diretores das escolas para receber os alunos com
deficiência, altas habilidades/superdotação e transtorno do espectro autista?
 Um professor, da classe comum, sem capacitação pode ensinar alunos com deficiência, altas habilidades e/ou
superdotação e transtorno do espectro autista?
 A escola pode se recusar a matricular um aluno com deficiência por não se sentir em condições de atendê-lo?
O professor pode se recusar a lecionar para turmas inclusivas?
 Os pais precisam ser avisados que há um aluno com deficiência na mesma turma de seu filho?

Altas habilidades e/ou superdotação


 Como reconhecer uma pessoa com altas habilidades e/ou superdotação?
 Como é feita a identificação por parte dos professores?
 Como orientar os pais?
 O que fazer na escola?

Transtornos do Espectro Autista – TEA


 Qual a orientação dada ao professor acerca do trabalho a ser desenvolvido dentro da sala comum regular?
 Como garantir a permanência e a aprendizagem do aluno autista dentro da escola regular?

Deficiência Intelectual
 Quais são os mecanismos para, ao promover a inclusão de um aluno com deficiência intelectual, garantir o
aprendizado dos conteúdos nas escolas estaduais de São Paulo?
 Dicas para trabalhar com deficiência intelectual

Deficiência Auditiva
 Como orientar o professor interlocutor?
 Dicas para trabalhar com deficiência auditiva

Deficiência Física
 Dicas para trabalhar com deficiência física

Deficiência Visual
 Como perceber um aluno com deficiência visual?
 Todo aluno com visão subnormal/baixa visão usa lupa?
 Caso o aluno com deficiência visual não tenha recebido o material escolar (Caderno do aluno, ler e Escrever
ou o EMAI), no início do ano letivo, o que o professor deve fazer?
 Dicas para trabalhar com alunos com deficiência visual

Surdocegueira
 Como se comunicar com um aluno com surdocegueira?
 Qual a orientação para a unidade escolar em relação aos alunos com surdocegueira inseridos na classe
comum?

Classe hospitalar
 O aluno(a) está internado(a) em tratamento no hospital. Quais os procedimentos para não perder o ano
escolar?

Orientação Geral

Sugestões para Elaboração do Planejamento Escolar 2018