Você está na página 1de 5

O VALKNUT

O Valknut (pronunciado "VAL-knoot") é um dos mais amplamente discutidos ainda enigmáticos de todos os símbolos
que aparecem em conexão com a mitologia nórdica. Visualmente, é composto de três triângulos interligados.
Arqueologicamente, aparece em várias runestones e pedras memórias pictóricas que datam da era viking e estão na
ilha sueca de Gotland, bem como em mercadorias graves do enterro dos navios de Oseberg na Noruega. [1] Seu
nome não é mencionado em fontes de qualquer período; Valknut é uma palavra composta norueguesa moderna que
significa "nó daqueles que caíram na batalha" e foi introduzida por noruegueses que viveram muito depois da era
viking.

Qual, então, o significado desse símbolo?

A resposta curta é que não sabemos.

A resposta mais longa é:

No registro arqueológico, o Valknut aparece apenas em conexão com o culto dos mortos, como nas runestones
acima mencionadas e no enterro dos navios. Símbolos de aparência semelhante também podem ser encontrados
nas urnas de cremação dos anglo-saxões [3], outras pessoas germânicas intimamente relacionadas com os nórdises
de forma linguística, étnica e em termos de sua visão de mundo e religião pré-cristã.

Na maioria desses casos, Odin também está presente. Mesmo nos casos em que ele não está presente diretamente
ao lado do Valknut, muitas vezes encontramos outros símbolos que estão intimamente associados com ele. Por
exemplo, as urnas anglo-saxãs apresentam representações de cavalos e lobos, dois animais que são muitas vezes os
companheiros de Odin nos contos mitológicos nórdicos .

Encontrar as associações com a morte e Odin juntos não deveria ser uma surpresa, já que Odin era, entre muitas,
muitas outras coisas, um psicopompo - isto é, uma figura que transporta os espíritos dos mortos para o submundo e
depois volta para o mundo dos vivos - bem como o líder de vários exércitos dos mortos, como os guerreiros de
Valhalla e da Wild Hunt .

Odin também foi um dos mais poderosos de todos os mágicos e xamãs . Nas fontes literárias , Odin e seus espíritos
atendentes, como as valquírias, costumam usar magia que é descrita em termos de ligação e destruição, amarrando
a mente ou desvinculando-a. Nas palavras do historiador HR Ellis Davidson, "Odin teve o poder de estabelecer laços
na mente, de modo que os homens se tornaram indefesos na batalha, e ele também poderia afrouxar as tensões do
medo e da tensão por seus dons de loucura de batalha, intoxicação, e inspiração. "Ela e outros interpretam o
Valknut, com sua aparência de nó, como uma expressão simbólica dessa idéia. [4]

Esta explicação é ainda mais plausível, uma vez que a forma da magia nórdica dos pagãos que as fontes mencionam
mais frequentemente, a saber, seidr , consistiu em alcançar um estado de consciência elevado, onde se poderia
discernir a teia do destino e re-tecer cadeias particulares, a fim de cumprir o propósito do praticante. O tecelagem
neste sentido simbólico e poder espiritual eram quase sinônimo, então não deveria surpreender que um símbolo
envolvendo o poder sobre a vida e a morte fosse visualizado como um nó.

Uma explicação menos satisfatória que alguns estudiosos invocaram é que o Valknut poderia ser o " Coração de
Hrungnir " ( Hrungnis hjarta ) mencionado na Prosa Edda de Snorri Sturluson : "Hrungnir tinha um coração feito de
pedra dura e apontado para três cantos, assim como o símbolo esculpido que se chamou o coração de Hrungnir
desde então ". [5]Tudo o que essa descrição nos diz sobre a forma visual de "Coração de Hrungnir" é que ela tinha
uma forma triangular. Essa é uma descrição tão geral que a idéia de que o Coração de Hrungnir e o Valknut são o
mesmo símbolo só pode ser realmente levada a sério se o contexto arqueológico em que o símbolo aparece fosse
combinar a descrição de Snorri. Como vimos, isso está longe do caso. O "coração feito de pedra dura" é totalmente
incongruente com a magia extática de Odin.

Assim, dado o estado atual do nosso conhecimento, podemos razoavelmente assumir que o significado do Valknut
tem muito a ver com a morte, a transição da vida para a morte e provavelmente de volta, Odin, e o poder de se ligar
e desatar. Isto sugere poderosa e convincente uma gama particular de significados possíveis. Isso nos diz algo do seu
significado, mas isso é tão geral que dificilmente pode ser a imagem inteira. O Valknut acreditava que desse um
poder particular sobre o ciclo da vida e da morte? Em caso afirmativo, transmitiu esse poder àquele que desenhou o
símbolo ou a pessoa morta sobre a qual foi desenhada? Isso ajudou a provocar um estado particular desejado de
estar dentro do reino dos mortos, ou acelerou o retorno dos mortos à vida ou algo diferente?

Em última análise, então, embora possamos estar relativamente seguros das idéias com as quais o Valknut foi
associado, seu significado particular é um mistério tentador.

Valknut, o símbolo de Odin e seu significado na mitologia nórdica

O Valknut é um dos símbolos mais intrigantes que as pessoas nórdicas deixaram para trás. O nome é composto de
duas palavras raiz, 'valr', que significa 'guerreiro morto' e 'knut', que é mais facilmente decifrável como 'nó'. Assim, o
Valknut é o "Nó do Guerreiro Assassinado".

O design do Valknut é sempre uma série de três triângulos interligados. Às vezes, os triângulos são desenhados no
estilo borromeano como três formas discretas, mas sobrepostas e interligadas; no entanto, a variação mais
interessante é um engenhoso unicursal onde uma linha única e interminável completa as três formas como uma.

Este símbolo antigo está associado ao deus Odin da mitologia nórdica. Odin não era apenas o governante de todos
os deuses nórdicos, mas também o deus dos Norsemen da guerra e da morte.

Os guerreiros que perderam a vida na batalha ganharam um lugar no grande salão supervisionado por Odin, Valhalla
(Hall of the Slain) e se tornaram seus filhos adotivos. De fato, 'valr' é a fonte da palavra inglesa 'valor' que
associamos a grandes atos de indivíduos corajosos.

Várias representações do Valknut que foram descobertas em locais arqueológicos também levam a figura do próprio
Odin, ou animais como o corvo e o lobo que eram seus companheiros constantes. Essa é a principal razão pela qual é
conhecido como o símbolo de Odin hoje.

Esta associação com os mortos e com o deus da morte levou a que Valknut fosse considerado o símbolo de um
"Culto dos mortos".
Embora isso possa parecer exato em um visual superficial, é realmente uma interpretação superficial de algo muito
mais significativo. O Valknut simboliza o reconhecimento de indivíduos corajosos no auge da vida que se sacrificaram
pelo bem do clã.

Descifrando o Valknut, o Símbolo de Odin

Para um símbolo que parece ter tido tanta importância e foi associado ao deus principal dos Nórdicos, é
desproporcionalmente pouco conhecido sobre seus significados e usos exatos. Isso ocorre porque, literalmente, não
existe um único registro contemporâneo escrito que mencione o Valknut do período em que ele estava em uso.

O registro arqueológico

Na ausência de registros escritos, somos obrigados a recorrer a interpretações do símbolo do contexto dentro do
qual aparece em relíquias arqueológicas. O mais conhecido destes é talvez o Lärbro Stone ou Stora Hammar.

A Pedra Lärbro ou Stora Hammar

Este é um grande monólito na ilha de Gotland, na Suécia, que tem várias cenas horizontais da mitologia nórdica
esculpidas e coloridas em sua frente. O segundo deles do topo representa uma cena que possui um Valknut.

No seu centro é uma figura que carrega uma lança e tem um corvo sobre o ombro, enquanto ele coloca as mãos em
benção sobre um guerreiro enterrado em um túmulo. Acima do guerreiro é um Borromean Valknut, indicando que
ele foi morto em batalha, e acima dele, outro corvo sobe.

A conjunção do símbolo de Odin / o Valknut , um guerreiro morto, um túmulo e uma figura segurando uma lança e
flanqueada por um corvo, enquanto outra está acima da cabeça é significativa para a identificação dessa figura - só
pode ser Odin, deus da morte . A lança que ele exerce é Gungnir , que nunca perde a sua marca e os dois corvos são
os constantes companheiros de Odin que viajam pelos mundos para trazer notícias para ele.

A maneira como as mãos de Odin estão estendidas sobre o guerreiro pode indicar que o deus está oferecendo suas
bênçãos enquanto o túmulo do herói assassinado é consagrado, ou pode descrever a maneira pela qual Odin o está
levantando da terra para levá-lo ao seu lugar legítimo em Valhalla.

A Pedra Tängelgarda

A Tängelgarda Stone também foi descoberta na ilha sueca de Gotland. Ele, apresenta o Valknut criado em sua forma
unicursal e não há apenas um, mas dois retratados.

Odin é mostrado na forma do clássico guerreiro nórdico, montado em cima de um cavalo e com armas e um
escudo. Atrás dele está uma tropa de guerreiros. Os espaços triangulares formaram a primeira e segunda pernas do
cavalo de Odin, e a segunda e a terceira pernas, cada uma com um Valknut.

Misterticamente, o terceiro espaço triangular, formado pelas terceira e quarta pernas e o solo não contém outro
Valknut, mas um triângulo simples.

Outras Relíquias

Três outros achados arqueológicos proeminentes que caracterizam o Valknut em suas diversas formas incluem o
navio de enterro norueguês Oseberg, onde foi inscrito sobre um poste de cama e encontrado também em uma
tapeçaria, e um anel encontrado no rio Nene na Inglaterra.

Além disso, o Valknut foi identificado em East Anglia em urnas de enterro, acompanhado de representações de lobos
e corvos, fortalecendo ainda mais o link para Odin e os Norsemen.

Coração de Hrungnir

Alguns estudiosos sugeriram que o Valknut pode ser uma representação do coração de Hrungnir. Hrungnir é um
personagem mencionado na Prosa Edda, da qual recebemos uma grande quantidade de percepção do mundo dos
Vikings.

Nela, o coração de Hrungnir é descrito como sendo "feito de pedra dura com três cantos afiados".
Embora esta possa ser uma descrição geral do Valknut em termos de forma, esta referência única não tem peso
adequado para que seja considerada como a resposta consumada a perguntas sobre o Valknut. Além disso, a
ausência de qualquer referência a Odin enfraquece sua relevância.

A Prática de Seidr

O intrincado design do Valknut - que é uma forma complexa que pode ser feita a partir de uma única linha unicórica
- torna-se uma associação com trapaças mentais. Este truque recebeu um nome muito específico pelo Norse - Seidr .

Seidr era uma forma de feitiçaria ou magia que os nórdicos tanto temiam quanto tinham uma grande
consideração. Foi descrito como um meio de alterar a realidade para um observador, semelhante à criação de
hologramas e visões para mascarar a realidade deles. Importante, o principal praticante de Seidr foi Odin.

Na batalha, acreditava-se que Odin poderia colocar vínculos mentais contra o inimigo, ofuscá-los e espalhar o terror
em seu meio. Por outro lado, também poderia ser usado para o efeito oposto, dando aos guerreiros vikinges clareza
de pensamento e ação no caos do campo de batalha.

Tanta evidência, tão pouca confirmação

Importante, nenhuma dessas tentativas de decifrar o Valknut das interpretações de suas representações foi
inteiramente bem-sucedida.

Nossa compreensão de seu significado a partir das palavras de eruditos eruditos é simplesmente uma conjectura
baseada em análise; falta a confirmação que viria como resultado de escritos do tempo e pessoas que o usaram.

O poder de três

O estilo individual de um Valknut pode variar, mas sempre consiste em três triângulos interligados. Três triângulos
de três vértices cada um - havia definitivamente algum poder que o número '3' ocupava para os nórdicos.

O número três sempre apareceu de forma proeminente nas religiões antigas e modernas. Em vários milênios e em
culturas espalhadas por todo o mundo, foi levado a representar:

 as três etapas do Universo - Criação, Preservação e Destruição

 os três planos da existência - céu, terra e inferno;

 a Santíssima Trindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo;

 os três elementos básicos - ar, água e fogo;

 os três períodos de tempo: passado, presente e futuro;

 os três períodos de vida - infância, idade adulta e velhice;

 o conceito de Corpo, Mente e Espírito.

O número três também apresenta significativamente na mitologia nórdica.

Os Norns, as Três Deusas do Destino

Há três deusas do Destino: Urd (Destino), Verdani (Presente) e Skuld (Futuro). Juntos, eles giram os fios que ditaram
os eventos e ações em torno de todo deus, gigante e anão.

Os Três Mundos e as Três Raízes da Árvore da Vida

Yggdrasil, a árvore da vida nórdica, tem três raízes. Uma raiz leva a Asgard, lar dos deuses, um a Jotunheim, o reino
dos Gigantes e o último a Niflheim, o Submundo. Havia três poços, um sob cada uma das raízes.

Três na História da Criação


As sagas nórdicas contam um tempo antes de serem criados os mundos dos deuses, dos gigantes e dos
homens. Aqui, existiam três áreas distintas:

 Niflheim - Terra de névoa

 Muspelheim - Terra de fogo

 Ginnungagap - o vazio entre Niflheim e Muspelheim

Foi em Ginnungagap que o primeiro ser foi criado. Ele não era um deus, mas um Jotun (gigante). O nome dele era
Ymir. Depois dele veio Buri, o primeiro dos deuses. Netos de Buri, os três irmãos Odin, Vili e Ve vieram depois e
mataram Ymir.

Os três irmãos criaram o primeiro homem e mulher, cada um dando aos mortais uma capacidade única:

 Odin respirou neles a vida.

 Vili deu-lhes inteligência e a capacidade de se mover.

 Ve deu-lhes os cinco sentidos.

As Três Classes da Sociedade

Heimdall é o deus que guarda a ponte de Bitfrost, a única maneira de entrar em Asgard. Ele é creditado com a
criação das três classes de sociedade - servos, camponeses e a nobreza. Ele fez isso dormindo com três mulheres
mortais de três famílias diferentes. Cada mulher tinha o progenitor de uma classe de homens.

O fim dos mundos - Ragnarok

O gigante Loki que morava com os deuses de Aesir teve três filhos com a gigante Angrboda-Hel, que governa
Niflheim, o Submundo; Fenrir, o lobo gigante e Jormungandr, a serpente Midgard (mundo).

Em Ragnarok (Twilight of the Gods), uma série cataclísmica de eventos acabará com Fenrir matando Odin,
Jormungandr matando Thor e desencadeando o fim de todos os mundos.

Além disso, existem nove mundos em Yggdrasil, a Árvore da Vida. Os três triângulos com três vértices cada um
podem aludir a toda a existência a esse respeito.

A partir desta série de elementos das sagas nórdicas, sabemos que o número '3' era uma parte essencial de suas
tradições e crenças, tanto negativas como positivas. A presença de três triângulos no Valknut simplesmente lhe dá
outra perspectiva ou outra pista a partir da qual foram feitas tentativas para decifrar seu significado e uso.