Você está na página 1de 8

TRABALHO DE FÍSICA

2º Ano “F”
- Grupo 01

Movimento Retilíneo
Uniforme
1º Bimestre: Reunir conteúdos para
elaboração do trabalho.
Movimento retilíneo uniforme (MRU) é descrito como um
movimento de um móvel em relação a um referencial, movimento este
ao longo de uma reta de forma uniforme, ou seja, com velocidade
constante. Diz-se que o móvel percorreu distâncias iguais em
intervalos de tempo iguais. No MRU a velocidade média assim como
sua velocidade instantânea são iguais.

Obs: A velocidade instantânea refere-se a um determinado intervalo


de tempo “t” considerado, definida matematicamente por; V=limΔt-
>0=Δs/Δt. Para o estudo da cinemática no ensino médio não é
especialmente necessária sabermos a conceituação matemática de
velocidade instantânea,uma vez que envolve limites assim como
diferenciais que só são vistos na maioria das vezes no ensino superior
em relação aos cursos de exatas. Basta sabermos o cálculo da
velocidade média pois ambos são iguais como mencionado acima.

Função Horária que define o MRU


Inicialmente consideramos que para definirmos a velocidade de um
móvel no MRU, basta “trabalharmos” com a principal fórmula que
descreve este movimento, vejamos;

V=ΔS/ΔT

Onde;

Δs= variação de espaço ou descolamento

Δt= variação de tempo, ou intervalo de tempo

1) Exemplo: Um carro encontra-se no Km 32 -em relação a uma


determinada rodovia- ao mesmo tempo o condutor verifica seu relógio
ao qual o mesmo marca 13h. Posteriormente seu veículo encontra-se
no km 160, novamente o condutor verifica seu relógio que marca
14h:30min. O condutor, um amante da cinemática resolve calcular sua
velocidade, considerando a mesma constante durante todo o percurso.
Qual foi o valor da velocidade calculada?
Resolução: Primeiramente devemos identificar que o movimento é
retilíneo uniforme, agora podemos aplicar a fórmula prática da
velocidade no MRU.

V=ΔS/ΔT

ΔS=160 km-32 km=128 km

ΔT= 14,5h-13h=1,5h

Logo:

V=128 km/1,5h=85,3km/h

Agora vamos considerar que um móvel em MRU desloca-se de uma


posição inicial so no instante to=0s(origem do tempo) até uma posição
s num instante posterior denominado t com uma velocidade v. Vamos
calcular a velocidade “v” desse móvel considerando o movimento
retilíneo uniforme.

(Fonte:
http://www.infoescola.com/fisica/movime
nto-retilineo-uniforme/)

Movimento Retilíneo

Introdução

O movimento retilíneo é a forma mais simples de deslocamento, visto que


os movimentos são ao longo de uma reta, quer seja horizontal, movimento de
um carro, quer seja vertical, queda ou lançamento de um objeto. Como tudo
ocorre em uma dimensão pode-se dispensar o tratamento vetorial mais
rebuscado e tratarmos em termos de grandezas escalares, com o devido
cuidado de analisar os sentidos de velocidades e as mudanças de sinais que
são freqüentes quando redefinimos o eixo de referência. Estudaremos o
movimento uniforme, uniformemente variado, lançamento vertical e uma
composição de movimento vertical com o horizontal chamado de lançamento
de projétil.

Movimento Retilíneo e Uniforme

O movimento retilíneo e uniforme tem as seguintes características:

 velocidade constante, daí o termo uniforme;


 distâncias iguais são percorridas para o mesmo intervalo de tempo;
 aceleração nula.

Equação no MRU

Considere um móvel percorrendo uma trajetória retilínea com respeito a um


referencial adotado, por exemplo, a origem do eixos dos x. No instante de
tempo t0 = 0, o móvel encontra-se em s0 (posição inicial) e no instante de
tempo, t, o móvel está na posição s. Como a velocidade média para o
movimento retilíneo e uniforme é idêntica a velocidade em qualquer
tempo, vm = v, tem-se da definição de velocidade escalar média (2.8):

então isolando-se s temos a equação horária do MRU dada pela equação


(3.1)

A variação do espaço s = s - s0 = vt é numericamente igual a área sob a


curva do gráfico da velocidade contra o tempo (gráfico de vxt).

Fonte:
http://www.fisica.ufpb.br/prolicen/Cursos/
Curso1/mr31int.html)
O movimento retilíneo uniforme (MRU) é caracterizado pela uniformidade de espaços
em intervalos de tempo iguais, o que implica em uma velocidade constante (sem
aceleração).[1] [2] Ocorre ao longo de uma linha reta, como no caso de um veículo que
trafega por uma pista retilínea.

Observe o exemplo que o rapaz percorre espaços iguais em tempos iguais. Ele leva 2 s
para percorrer cada 10 m, ou seja, quando está a 10 m se passaram 2 s, quando está em
20 m se passaram 4 s e assim sucessivamente, de tal forma que se calcularmos sua
velocidade em cada uma das posições descritas (em relação a posição inicial, que neste
caso é zero), teremos:

Portanto quando falamos de MRU não tem mais sentido em utilizarmos o conceito de
velocidade média, já que a velocidade não se altera no decorrer do movimento, logo
passaremos a utilizar:

v = vm

Função horária do M.R.U

Partindo da definição da velocidade:

Aplicando as observações descritas acima, temos:

Simplificando a expressão, temos que:

Isolando o espaço s, fica:

Portanto a Função Horária do MRU é dada por:


Por convenção, definimos: Movimento progressivo: quando um corpo se desloca em
um sentido que coincide com a orientação da trajetória, ou seja, para frente, então ele terá
uma v>0 e Δs>0. Movimento retrógrado: quando o sentido do movimento for
contrário ao sentido de orientação da trajetória, ou seja, para trás, então ele terá uma v<0
e Δs<0.

Diagramas
Podemos observar que o espaço é uma função do tempo s = f(t), do 1º grau em t. Uma
função de 1º grau é representada graficamente por uma reta, no sistema de coordenadas
cartesianas, em relação ao eixo dos tempos.

Notamos que o gráfico da função é uma reta crescente, portanto, o movimento é


progressivo, ou seja, o móvel caminha na mesma direção e sentido da orientação da
trajetória. Para v > 0 a função é crescente, assim o gráfico da função pode ser:

Nesse caso a velocidade é menor do que zero (v < 0), o movimento é retrógrado, ou
seja, o móvel caminha no sentido contrário ao da orientação da trajetória. Para v < 0 a
função é decrescente, e a representação gráfica da função é:

Gráficos da velocidade
Como a velocidade escalar média é constante, os gráficos podem ser:

1 – Para v > 0:


Note que o gráfico da velocidade é uma reta paralela ao eixo dos tempos, para v = f(t).
Essa função é uma função constante.

2 – Para v < 0:

Nota: Os gráficos não determinam a trajetória, apenas representam as funções do


movimento.

Como no movimento uniforme a aceleração é nula (a=0), o gráfico da aceleração é uma


reta que coincide com o eixo dos tempos.

 cte = constante

Aplicação da fórmula
Um tiro é disparado contra um alvo preso a uma grande parede capaz de refletir o som. O
eco do disparo é ouvido 2,5 segundos depois do momento do golpe. Considerando a
velocidade do som 340m/s, qual deve ser a distância entre o atirador e a parede?

Aplicando a equação horária do espaço, teremos:

, mas o eco só será ouvido quando o som "ir e voltar" da parede. Então:
É importante não confundir o s que simboliza o deslocamento do s que significa segundo.
Este é uma unidade de tempo. Para que haja essa diferenciação, no problema foram
usados: S (para deslocamento) e s (para segundo).

Fonte:
(https://pt.wikipedia.org/wi
ki/Movimento_retil%C3%AD
neo_uniforme)