Você está na página 1de 126

Prof.

Juliano Viegas

○○ ○○ ○○ ○○

Índice
○○ ○○ ○○ ○○

Unidade 1 - Fonética ...................................................................... 3

Unidade 2 - Ortografia ................................................................... 7

Unidade 3 - Prosódia / Acentuação ............................................... 16

Unidade 4 - Semântica.................................................................... 24

Unidade 5 - Estrutura e formação de palavras ............................. 27

Unidade 6 - Classe de palavras ..................................................... 38

Unidade 7 - Concordâncias ............................................................ 77

Unidade 8 - Crase .......................................................................... 84

Unidade 9 - Sintaxe ....................................................................... 89

Unidade 10 - Regência verbal e nominal ...................................... 99

Unidade 11 - As estruturas do período composto ........................ 105

Unidade 12 - Colocação Pronominal .............................................. 111

Unidade 13 - As palavras ’’que’’ e ’’se’’ ..................................... 114

Unidade 14 - Pontuação ................................................................ 117

Unidade 15 - Interpretação textual .............................................. 123

Gabarito ......................................................................................... 126


Língua Portuguesa
Língua Portuguesa Prof. Juliano Viegas
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 1
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

FONÉTICA
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

1. Fonema e Letra
A palavra falada é formada por combinações de unidades mínimas de som (fonemas). Na escrita, a repre-
sentação do fonema ocorre através de letras. Por isso, o fonema não pode ser confundido com a letra. O fonema é
a menor unidade sonora da língua, enquanto a letra é um sinal gráfico e visual, cuja função é representar o fonema
de acordo com as normas da língua.
A correspondência entre letra e som não ocorre em todas as situações, pois uma mesma letra pode repre-
sentar fonemas distintos, como o x nas palavras: próximo, exato e feixe.
Mas, há casos em que letras distintas representam o mesmo som, como acontece com as palavras seco,
cedo, laço e próximo.
Por fim, nota-se que uma letra pode representar mais de um fonema, como fixo, cuja leitura é “fikso”,
enquanto existe letra que não tem som, como o h em hora. Temos ainda os sons ora representados por uma só
letra, ora por duas como xícara/chinelo, gato/guitarra e rabo/carro.

1.2 Tipos de Fonemas


Os fonemas são classificados em vogais, consoantes e semivogais:
As vogais são sons produzidos sem obstáculos para a passagem de ar, que passa livremente pela boca,
oriundo do pulmão. Sua emissão é independente de outro fonema, por isso constitui a base da sílaba.
As consoantes apresentam quatro critérios de classificação:
Já as semivogais sempre acompanham um vogal, formando sílaba com ela. Na língua escrita às semivogais
são representadas pelo “i” e “u”, podendo em alguns casos serem representadas pelo “e” e “o”.
Deve-se observar também que a é sempre vogal e se estiver acompanhada de outra vogal na mesma sílaba,
esta será semivogal.

1.3 Sílaba
A sílaba é conjunto de sons que pode ser emitido numa só expiração. Na língua portuguesa a parte central da
sílaba sempre é a vogal.
Assim, na estrutura da sílaba existe, uma vogal, à qual se juntam, ou não, semivogais ou consoantes.
A maneira mais fácil para separar as sílabas é pronunciar a palavra lentamente, de forma melódica.
Na língua portuguesa, os vocábulos são classificados de acordo com o número de sílabas que apresentam,
podendo ser:
• monossílabos (apenas uma sílaba): cão, chá;
• dissílabos (apresenta duas sílabas): mulher, garfo;
• trissílabos (possuem três sílabas): macaco, equipe;
• polissílabos (formados por mais de três sílabas): amizade; felicidade.
A consoante inicial não seguida de vogal fica na sílaba seguinte (pneu-má-ti-co, mne-mô-ni-co). Se a conso-
ante não seguida de vogal estiver dentro do vocábulo, ela fica na sílaba precedente (ap-to, rit-mo). Na questão,
baseadas em texto de Gustavo Franco, marque o item em que a substituição da seqüência sublinhada pela
alternativa proposta acarreta prejuízo à coerência ou à correção gramatical.

1.4 Encontros vocálicos


Os encontros vocálicos referem-se à seqüência de sons vocálicos (vogais e/ou semivogais) que pode
ocorrer numa mesma sílaba ou em sílabas separadas. As vogais serão as pronunciadas mais fortes, enquanto as
Língua Portuguesa

semivogais serão mais fracas, ou seja, e átonas. São três os tipos de encontros vocálicos: hiatos, ditongos e
tritongos.
• hiatos: é a seqüência de duas vogais em sílabas diferentes. (saúde, cooperar, ruim, crêem)
• ditongos: ocorre quando uma vogal e uma semivogal são pronunciadas numa só sílaba, independente da
ordem destas.
Os ditongos podem ser classificados em decrescentes: leite, baixo, céu, herói, mão, mãe, põe , muito, além.
Crescentes: Série, água, vítreo, quando, frequente.
Oral : quase, noite, céu.
Nasal : põe, quando.

3
Prof. Juliano Viegas

• tritongos: são constituídos por uma vogal entre duas semivogais numa só sílaba. Ex.: Paraguai, iguais.
Os tritongos também podem ser classificados em nasais ou orais, seguindo as mesmas regras dos ditongos.

Além dessas regras gerais, deve-se observar também que:


Am / em / en , no final das palavras, correspondem aos ditongos /ao / & /ei / nasalizados.
Cuidado com os falsos ditongos, pois quando átonos finais, os encontros (ia, ie, io, ao e ua) são normalmen-
te ditongos crescentes, mas também podem ser hiatos Ex. : memória, democracia, navio. Se esses grupos não
forem finais nem átonos, só podem ser hiatos ex. : viela.
Os encontros de palavras como praia, maio, feio, goiaba e baleia são separados de forma a criar um ditongo
e uma vogal sozinha depois.

1.5 Encontro consonantal


O encontro consonantal é a seqüência de duas ou mais consoantes, sem vogal intermediária, que não
sejam dígrafo. Esse encontro pode ocorrer na mesma sílaba ou não (carpete, bíblia).
Os encontros consonantais (gn, mn, pn, ps, pt e tm) não são muito comuns. Quando eles aparecem no início
da sílaba são inseparáveis. Quando estão no meio
criam uma pronúncia mais difícil (pneu/advogado). No uso coloquial, há uma tendência a destruir esse
encontro, inserindo a vogal i depois da consoante surda.
Quando x corresponde a cs (táxi, falamos “tácsi”), há um encontro consonantal fonético. Nesse caso, x é
chamado de dífono.

1.6 Dígrafo
O dígrafo é o grupo de duas letras que representa um único fonema.
São dígrafos consonatais da língua portuguesa:
lh, nh, ch, rr, ss, qu (seguidos de e ou i), gu (seguidos de e ou i), sc, sç, xc e xs.
Os encontros gu e qu se forem usados com trema ou acento, não serão dígrafos, uma vez que o u será
pronunciado.
Além desses, existem também os dígrafos vocálicos formados pelas vogais nasais:
am, an, em, en, im, in, om, on, um e un.

1.7 Separação silábica


Na língua portuguesa, a divisão das sílabas deve ser feita a partir da soletração, usando o hífen para marcar
as sílabas (con-ver-sí-vel).
Para a separação silábica correta devem-se observar as seguintes regras:
• Uma vogal por sílaba;
• os ditongos e tritongos não podem ser separados (Pa-ra-guai, Ro-gé-rio, au-la);
• os hiatos têm as vogais separadas (a-é-re-o);
• os dígrafos ch, lh, nh, gu e qu não são separados (cho-ca-lho);
• os dígrafos ss, rr, sc, sç e xc são separados (pás-sa-ro, nas-cer, cor-ri-da);
• as vogais idênticas e os grupos consonantais cc e cç são separados (co-or-de-na-dor, in-te-lec-ção);
• os encontros consonantais ocorridos em sílabas internas diferentes são separados (em-pre-gar);
• grupos consonantais que ocorrem no início dos vocábulos são inseparáveis: psi-co-se, dra-ma, pneu-mo-ni-a.
• O prefixo Sub- quando seguido de vogal, ex.: Subentender, a separação é a seguinte : Su.ben.ten.der. O
prefixo é separado.
Língua Portuguesa

4
Prof. Juliano Viegas

○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício I
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Assinale a alternativa errada a respeito da palavra 08. Assinale a alternativa que não apresenta todas as
“churrasqueira”. palavras separadas corretamente.
(A) apresenta 13 letras e 10 fonemas (A) de-se-nho, po-vo-ou, fan-ta-si-a, mi-lhões
(B) apresenta 3 dígrafos: ch, rr, qu (B) di-á-rio, a-dul-tos, can-tos, pla-ne-ta
(C) divisão silábica: chur-ras-quei-ra (C) per-so-na-gens, po-lí-cia, ma-gia, i-ni-ci-ou
(D) é paroxítona e polissílaba (D) con-se-guir, di-nhei-ro, en-con-trei, ar-gu-men-
(E) apresenta o tritongo: uei tou
(E) pais, li-ga-ção, a-pre-sen-ta-do, au-tên-ti-co
02. Qual das alternativas abaixo possui palavras com
mais letras do que fonemas? 09. Dadas as palavras: Sub-ter-râ-neo / su-bes-ti-mar /
(A) Caderno trans-tor-no, constatamos que a separação silábica
(B) Chapéu está correta:
(C) Flores (A) apenas nº 1;
(D) Livro (B) apenas nº 2;
(E) Disco (C) apenas nº 1 e 2;
(D) em todas as palavras
03. Assinale a melhor resposta. Em papagaio, temos: (E) n. d. a.
(A) um ditongo
(B) um tritongo 10. Dadas as palavras: tung-stê-nio / bis-a-vô / du-e-lo,
(C) um trissílabo constatamos que a separação silábica está correta:
(D) um oxítono (A) apenas nº 1
(E) um proparoxítono (B) apenas nº 2
(C) apenas nº 3
04. Assinale a série em que apenas um dos vocábulos (D) em todas as palavras
não possui dígrafo: (E) n. d. a.
(A) folha - ficha - lenha - fecho
(B) lento - bomba - trinco - algum 11. Nas palavras alma, pinto e porque, temos, respec-
(C) águia - queijo - quatro - quero tivamente:
(D) descer - cresço - exceto - exsudar (A) 4 fonemas - 5 fonemas - 6 fonemas.
(E) serra - vosso - arrepio - assinar (B) 5 fonemas - 5 fonemas - 5 fonemas.
(C) 4 fonemas - 4 fonemas - 5 fonemas.
05. Assinale a alternativa que inclui palavras da frase (D) 5 fonemas - 4 fonemas - 6 fonemas.
abaixo que contêm, respectivamente, um ditongo (E) 4 fonemas - 5 fonemas - 5 fonemas.
oral crescente e um hiato. As mágoas de minha
mãe, que sofria em silêncio, jamais foram compre- 12. A alternativa que apresenta uma incorreção é:
endidas por mim e meus irmãos. (A) o fonema está diretamente ligado ao som da fala.
(A) foram - minha (B) as letras são representações gráficas dos
(B) sofria - jamais fonemas.
(C) meus - irmãos (C) a palavra “tosse” possui quatro fonemas.
(D) mãe - silêncio (D) uma única letra pode representar fonemas dife-
(E) mágoas - compreendidas rentes.
(E) a letra “h” sempre representa um fonema.
06. Assinale a seqüência em que todas as palavras
estão partidas corretamente. 13. Todas as palavras abaixo possuem um encontro
(A) trans-a-tlân-ti-co / fi-el / sub-ro-gar vocálico e um encontro consonantal, exceto:
(B) bis-a-vô / du-e-lo / fo-ga-réu (A) destruir. (D) pneu.
(C) sub-lin-gual / bis-ne-to / de-ses-pe-rar (B) magnésio. (E) autóctone.
(D) des-li-gar / sub-ju-gar / sub-scre-ver (C) adstringente.
(E) cis-an-di-no / es-pé-cie / a-teu
14. A série em que todas as palavras apresentam
07. Segundo as normas do vocabulário oficial, a sepa- dígrafo é:
ração silábica está corretamente efetuada em am- (A) assinar / bocadinho / arredores.
bos os vocábulos das opções: (B) residência / pingue-pongue / dicionário.
Língua Portuguesa

(A) to-cas-sem, res-pon-dia (C) digno / decifrar / dissesse.


(B) mer-ce-ná-ri-o, co-in-ci-di-am (D) dizer / holandês / groenlandeses.
(C) po-e-me-to, pré-dio (E) futebolísticos / diligentes / comparecimento.
(D) ru-i-vo, pe-rí-o-do
(E) do-is, pau-sas 15. Verificamos a presença de um hiato em:
(A) entendia.
(B) trabalho.
(C) conjeturou.
(D) mais.
(E) saguão.

5
Prof. Juliano Viegas

16. A alternativa que apresenta certa dificuldade de 23. Só não existe hiato em:
distinção entre ditongo crescente e hiato é: (A) atoleiros.
(A) pai-saúde-mau-juízo. (B) miaram.
(B) Saara-preencher-cruel-doer. (C) ruído.
(C) faísca-degrau-chapéu-vôo. (D) defendiam.
(D) piada-miolo-poente-miudeza. (E) haviam.
(E) frear-foi-saída-rei.
24. Indique a palavra que tem 5 fonemas:
17. A alternativa que apresenta uma incorreção é: (A) ficha.
(A) “chapéu” possui um dígrafo e um ditongo decres- (B) molhado.
cente. (C) guerra.
(B) “guerreiro” possui dois dígrafos e um ditongo (D) fixo.
decrescente. (E) hulha.
(C) “mangueira” possui dois dígrafos e um ditongo
decrescente. 25. Assinale o vocábulo com ditongo nasal decrescen-
(D) “enxagüei” possui dois dígrafos e um tritongo. te:
(E) “exato” não possui dígrafos e nem encontro (A) quando.
vocálico. (B) zangou.
(C) misteriosos.
18. A alternativa em que as letras sublinhadas nas (D) vitória.
palavras constituem, respectivamente, dígrafo e en- (E) moravam.
contro consonantal é:
(A) exceção / étnico 26. A palavra “charuto” apresenta:
(B) banho / desça (A) um dígrafo e seis fonemas.
(C) seguir / nascimento (B) um dígrafo e sete fonemas.
(D) aquático / psicologia (C) sete letras e sete fonemas.
(E) occipital / represa (D) sete letras e dois dígrafos.
(E) sete letras e cinco fonemas.
19. Observe os encontros vocálicos e os dígrafos e
assinale a única afirmativa incorreta: 27. Marque o item que apresenta erro na divisão silábica:
(A) na palavra cãibra ocorre um ditongo nasal de- (A) téc-ni-co (D) con-fec-ção
crescente. (B) de-ce-pção (E) obs-tá-cu-lo
(B) na palavra freqüente ocorre um ditongo oral cres- (C) ad-jun-to
cente.
(C) na palavra radiouvinte ocorre um tritongo oral. 28. Aponte a dupla em que a letra X representa o mesmo
(D) na palavra pneumonia ocorrem um ditongo de- fonema.
crescente e um hiato. (A) enxame – inexaurível
(E) na palavra zoologia ocorrem dois hiatos. (B) defluxado – taxar
(C) intoxicado – exceto
20. Observe os encontros vocálicos e os dígrafos e (D) têxtil – êxtase
assinale a única afirmativa incorreta: (E) tóxico - taxativo
(A) a palavra discente tem dígrafo consonantal e um
dígrafo vocálico. 29. Marque a opção em que todas as palavras apresen-
(B) a palavra entranhas tem um dígrafo vocálico e um tam um dígrafo:
dígrafo consonantal. (A) fixo, auxílio, tóxico, enxame
(C) a palavra também tem dois dígrafos vocálicos. (B) enxergar, luxo, bucho, olho
(D) a palavra tranqüilo tem um dígrafo vocálico e não (C) bicho, passo, carro, banho
apresenta dígrafo consonantal. (D) choque, sintaxe, unha, coxa
(E) a palavra borracha tem dois dígrafos (E) exceto, carroça, quase, assado
consonantais.
30. Assinale a alternativa em que todas as palavras têm
21. O vocábulo cujo número de letras é igual ao número a mesma classificação silábica :
de fonemas está em: (A) enchiam, saíam, dormiu, noite
(A) sucedida. (B) feita, primeiro, crescei, rasteiras
(B) habitando. (C) ruído, saudade, ainda, saúde
(C) grandes. (D) eram, roupa, sua, surgiam
Língua Portuguesa

(D) espinhos. (E) dia, sentia, ouviam, loura


(E) ressoou.
31. Assinale a alternativa que apresenta tritongo, hiato,
22. A palavra que apresenta ditongo crescente é: ditongo crescente e dígrafo respectivamente.
(A) acordou. (A) quais – saúde – perdoe – álcool
(B) teriam. (B) cruéis – mauzinho – quais – psique
(C) noites. (C) quão – mais – mandiú – quieto
(D) jamais. (D) aguei – caos – mágoa – chato
(E) quando. (E) joia – juiz – pônei – carroça

6
Prof. Juliano Viegas

32. Identifique o conjunto de três palavras que apre- 34. A separação silábica da palavras subinspetor,
sentam um encontro consonantal, dígrafo e um abscissa, fortuito e sublinhar está correta em:
dífono respectivamente. (A) sub–ins-pe–tor, abs–cis–as, for-tui–to, su–bli–
(A) brasa, amparo, léxico nhar
(B) monte, arguir, cauim (B) su–bins–pe–tor, abs–cis–sa, for-tui-to, sub-li-
(C) canto, folha, sexto nhar
(D) lambugem, êxoto, enxurrada (C) sub-ins-pe-tor, ab-scis-as, for-tui-to, su-bli-nhar
(E) quaisquer, amém, axila (D) su-bins-pe-tor, abs-scis-as, for-tui-to, su-bli-nhar
(E) su-bins-pe-tor, abs-ci-ssa, for-tu-í-to, sub-li—
33. A palavra que apresenta tantos fonemas quantas nhar
são as letras que a compõem é:
(A) importância 35. A alternativa em que há um erro de divisão silábica, no
(B) milhares que se refere à escrita, é:
(C) sequer (A) cai-ar, joi-a, gló-ria
(D) técnica (B) as-sar, tê-nue, ré-gua
(E) adolescente (C) sé-rie, ma-io, bis-a-vô
(D) co-lap-so, par-tiu, fri-ís-si-mo
(E) sub-le-var, subs-cre-ver, pror-ro-gar

Unidade 2
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

ORTOGRAFIA
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

A ortografia é a parte da língua responsável pela grafia correta das palavras. Essa grafia baseia-se no padrão
culto da língua.
As palavras podem apresentar igualdade total ou parcial no que se refere a sua grafia e pronúncia, mesmo
tendo significados diferentes. Quanto à grafia correta em língua portuguesa, devem-se observar as seguintes
noções ortográficas :

O uso de c, ç, s, ss, sc, xc e x para representar o fonema /s/

Escreve-se com S

as palavras substantivadas derivadas de verbos com as terminações em : ender ou endir. Ou que contenham
treminações de radicais : rg, rter, pel, corr e sent.
Exemplos: pretender - pretensão / expandir - expansão / ascender - ascensão / inverter - inversão / aspergir
aspersão / submergir - submersão / divertir - diversão / impelir - impulsivo / compelir - compulsório / repelir - repulsa
/ recorrer - recurso / discorrer - discurso / sentir - sensível / consentir - consensual

Escreve-se com SS
1. os nomes derivados dos verbos cujas terminações em eder, edir, tir, meter e imir.
Exemplos: agredir - agressivo / imprimir - impressão / admitir - admissão / ceder - cessão / exceder - excesso
/ percutir - percussão / regredir - regressão / oprimir - opressão / comprometer - compromisso / submeter - submissão
Língua Portuguesa

2. quando o prefixo termina com vogal que se junta com a palavra iniciada por s
Exemplos: a + simétrico - assimétrico / re + surgir - ressurgir

3. no pretérito imperfeito simples do subjuntivo


Exemplos: ficasse, falasse.

7
Prof. Juliano Viegas

Escreve-se com C ou Ç

1. os vocábulos de origem árabe:


Exemplos: cetim, açucena, açúcar

2. os vocábulos de origem tupi, africana ou exótica


Exemplos: cipó, Juçara, caçula, cachaça, cacique

3. os sufixos aça, aço, ação, çar, ecer, iça, nça, uça, uçu.
Exemplos: barcaça, ricaço, aguçar, empalidecer, carniça, caniço, esperança, carapuça, dentuço

4. nomes derivados do verbo ter.


Exemplos: abster - abstenção / deter - detenção / ater - atenção / reter - retenção

5. após ditongos
Exemplos: foice, coice, traição

6. palavras derivadas de outras terminadas em te, to(r)


Exemplos: marte - marciano / infrator - infração / absorto – absorção

Escreve-se com XC ou SC

Quando aparecer o fonema /S/ entre duas vogais, geralmente, entre duas vogais i ou e.
Exemplos: descender, discente, fascículo, acréscimo, imprescindível, miscigenação, miscível, plebiscito,
rescisão, seiscentos, etc.

O uso de XC é aplicado em palavras que iniciam com E:


Excêntrico, excedente, excepcional, etc.

Outras palavras:
Exsudar, ascensorista, consciência, transcender.

Escreve-se com X

Usamos a letra X em certas palavras com som de S por etimologia.


Exemplo: Máximo, Trouxe, Auxiliar, etc.

O uso de s, x e z para representar o fonema /z/

Escreve-se com S e não com Z

1. Os sufixos: esa e isa que indicam feminino dos vocábulos são sempre com S.
Exemplos: freguês - freguesa, poeta - poetisa, barão - baronesa, príncipe - princesa, duque - duquesa etc.

2. Os sufixos gregos: ase, ese, ise e ose.


Exemplos: catequese, metamorfose.

3. As formas verbais pôr e querer.


Exemplos: pôs, pus, quisera, quis, quiseste.

4. Nomes derivados de verbos com radicais terminados em d.


Exemplos: aludir - alusão / decidir - decisão / empreender - empresa / difundir - difusão
Língua Portuguesa

5. Os diminutivos cujos radicais terminam com s


Exemplos: Luís - Luisinho / Rosa - Rosinha / lápis - lapisinho

6. Após ditongos
Exemplos: coisa, pausa, pouso.

7. Em verbos derivados de nomes cujo radical termina com s.


Exemplos: anális(e) + ar - analisar / pesquis(a) + ar – pesquisar

8
Prof. Juliano Viegas

Escreve-se com Z

1. Os sufixos ez e eza nos substantivos (abstratos) derivados de adjetivo.


Exemplos: macio - maciez / rico – riqueza / tímido – timidez /

2. O sufixo izar formardor de verbo (desde que o radical da palavra de origem não termine com s).
Exemplos: final - finalizar / concreto – concretizar.

3. como consoante de ligação se o radical não terminar com s.


Exemplos: pé + inho - pezinho / café + al - cafezal ? lápis + inho - lapisinho

Escrevre-se com X

Nos Vocábulos iniciados por E seguidos do fonema /Z/ : Exemplo, exímio, exame, exato, êxodo, exótico, etc.
Exceção : Esôfago, esotérico.

Os fonemas /J/ e /G/


Escreve-se com J e não com G
1. as palavras de origem grega ou árabe
Exemplos: tigela, girafa, gesso.

2. estrangeirismo, cuja letra G é originária.


Exemplos: sargento, gim.

3. as terminações: agem, igem, ugem, ege, oge (com poucas exceções)


Exemplos: imagem, vertigem, penugem, bege, foge.

Observação
Exceção: pajem
4. As terminações: ágio, égio, ígio, ógio, ugio.
Exemplos: sufrágio, sortilégio, litígio, relógio, refúgio.

5. os verbos terminados em ger e gir.


Exemplos: eleger, mugir.

6. depois da letra “r” com poucas exceções.


Exemplos: emergir, surgir.

7. depois da letra a, desde que não seja radical terminado com j.


Exemplos: ágil, agente.

Escreve-se com J e não com G

1. as palavras de origem latinas


Exemplos: jeito, majestade, hoje.

2. as palavras de origem árabe, africana ou exótica.


Exemplos: alforje, jibóia, manjerona.

3. as palavras terminada com aje.


Língua Portuguesa

Exemplos: laje, ultraje

9
Prof. Juliano Viegas

O uso de x e ch para representar o fonema

Escreve-se com X e não com CH

1. as palavras de origem tupi, africana ou exótica.


Exemplo: abacaxi, muxoxo, xucro.

2. as palavras de origem inglesa (sh) e espanhola (J).


Exemplos: xampu, lagartixa.

3. depois de ditongo.
Exemplos: frouxo, feixe.

4. depois de sílaba inicial en :


Exemplos: enxurrada, enxoval, enxada, enxaqueca .
Observação:
Exceção: quando a palavra de origem não derive de outra iniciada com ch - Cheio - enchente, Chumaço –
enchumaçar, charco – encharcar.

Escreve-se com CH e não com X

1. as palavras de origem estrangeira


Exemplos: chave, chumbo, chassi, mochila, espadachim, chope, sanduíche, salsicha.

As letras e & i

1. Os ditongos nasais são escritos com e: mãe, põem. Com i, só o ditongo interno cãibra.
2. os verbos que apresentam infinitivo em -oar, -uar são escritos com e: caçoe, tumultue. Escrevemos com i,
os verbos com infinitivo em -air, -oer e -uir: trai, dói, possui.
3. atenção para as palavras que mudam de sentido quando substituímos a grafia e pela grafia i: área
(superfície), ária (melodia) / delatar (denunciar), dilatar (expandir) / emergir (vir à tona), imergir (mergulhar) / peão (de
estância, que anda a pé), pião (brinquedo).

O quê Grafia dos PORQUÊS


É necessário que saibamos os raros casos nos quais
deve ser acentuado por adquirir tonicidade.
(A) Substantivo:
Um quê de estranho era seu comportamento.
Interjeição de espanto ou protesto:
Quê! Não posso acreditar
(C) Em fim de frase:
A lei está se referindo a quê ?
Língua Portuguesa

10
Prof. Juliano Viegas

Palavras e expressões

1. a cerca de X acerca de X há cerca de


A cerca de significa aproximadamente, mais ou menos:
Estamos a cerca de dois quarteirões do quartel.
Acerca de é sinônimo de a respeito de, sobre :
Discute-se muito acerca da violência urbana.
Há cerca de exprime tempo decorrido.
Os noivos viajaram há cerca de dois anos.

2. a fim de X afim
A fim seguido por DE sempre separado. Significa com o objetivo de:
Estudo bastante a fim de ingressar na faculdade.
Afim é adjetivo corresponde a semelhante.
O seu projeto é afim ao meu.

3. ao encontro de X de encontro a
Ao encontro de significa a favor de:
Correu ao encontro do marido às 19:00h.
De encontro a significa oposição:
Correu de encontro ao marido às 3:00h da madrugada com a panela de pressão.

4. ao invés de X em vez de
Ao invés de = Ao contrário de:
Quando ouviu a piada, ao invés de rir, chorou.
Em vez de = Em lugar de:
Em vez de irmos à praia, preferimos estudar.

5. a par X ao par
A par = ciente, bem informado :
Já estamos a par de tudo o que ocorreu.
Ao par = Equivalência cambial.
O real e o dólar já estiveram quase ao par.

6. há X a
Há = tempo decorrido:
Cheguei há dez minutos. A = tempo futuro:
O navio zarpará daqui a pouco.

7. se não X senão
Use “se não” (união da conjunção se + advérbio não) quando puder trocar por “caso não”, “quando não” :
Se não houver a participação de todos, seremos derrotados.
Use “senão” quando puder substituir por “do contrário”, “de outro modo”, “caso contrário”, “porém”, “a não
ser”, “mas sim”, “mas também”.
Exemplos
a) Você tem de comer toda a comida do prato, senão é desperdício. (de outro modo)
Língua Portuguesa

b) Se o clima estiver bom você vai, senão não vai. (do contrário)
c) Não lhe resta outra coisa senão pedir perdão. (a não ser)
d) Se não fosse o trânsito, não tinha me atrasado. (caso não)

11
Prof. Juliano Viegas

8. tão pouco X tampouco


Ela não olhava para mim, tampouco (= também não) me dirigia a palavra.
Trabalhamos demais, porém ganhamos tão pouco. (=muito pouco)

9. Reivindicar
Rei + vindicar

10. Atrasado
conforme o professor Édison Oliveria, é quem escreve com Z.

11. Empecilho
Vem de empecer, que significa estorvar.

12. Beneficente
que pratica beneficência.

Emprego do Hífen
Tabela Antes da REFORMA ORTOGRÁFICA 2009
Língua Portuguesa

12
Prof. Juliano Viegas

USO do hífen Após a REFORMA ORTOGRÁFICA 2009

Língua Portuguesa

Observações do hífen:

1.Não se usa hífen quando o segundo ter-


mo perdeu o h original: desumano, inábil.

2.quando a pronúncia for fechada (pos, pre,


pro), liga-se sem hífen ao outro termo: preencher,
posposto (exceções: preaquecer, predeterminar,
preestabelecer, preexistir)

13
Prof. Juliano Viegas

○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício II
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. A alternativa que apresenta o emprego correto do 08. Assinale a opção em que a palavra está incorreta-
hífen é: (regra antes da reforma ortográfica 2009) mente grafada:
(A) super-transatlântico (A) duquesa. (D) francês.
(B) arqui-inimigo (B) magestade. (E) estupidez.
(C) subumano. (C) gorjeta.
(D) extraoficial.
(E) micro-organismo. 09. Dos pares de palavras abaixo, aquele em que a
segunda não se escreve com a mesma letra subli-
02. Todas as alternativas são verdadeiras quanto ao nhada na primeira é:
emprego da inicial maiúscula, exceto: (A) vez / reve___ar.
(A) Nos nomes dos meses quando estiverem nas (B) propôs / pu__ eram.
(C) atrás / retra __ ado.
datas.
(D) cafezinho/ blu __ inha.
(B) No começo de período, verso ou alguma citação
(E) esvaziar / e___ tender.
direta.
(C) Nos substantivos próprios de qualquer espécie
10. Indique o item em que todas as palavras devem ser
(D) Nos nomes de fatos históricos dos povos em preenchidas com x:
geral. (A) pran__a / en__er / __adrez.
(E) Nos nomes de escolas de qualquer natureza. (B) fei__e / pi__ar / bre__a.
(C) __utar / frou__o / mo__ila.
03. Indique a única seqüência em que todas as palavras (D) fle__a / en__arcar / li__ar.
estão grafadas corretamente: (E) me__erico / en__ame / bru__a.
(A) fanatizar - analizar - frizar.
(B) fanatisar - paralizar - frisar. 11. Todas as palavras estão com a grafia correta, exceto:
(C) banalizar - analisar - paralisar. (A) dejeto. (D) iminente.
(D) realisar - analisar - paralizar. (B) ogeriza. (E) vadiar.
(E) utilizar - canalisar - vasamento. (C) vadear.

04. A forma dual que apresenta o verbo grafado incorre- 12. A alternativa que apresenta palavra grafada incorre-
tamente é: tamente é:
(A) hidrólise - hidrolisar. (A) fixação - rendição - paralisação.
(B) comércio - comercializar. (B) exceção - discussão - concessão.
(C) ironia - ironizar. (C) seção - admissão - distensão.
(D) catequese - catequisar. (D) presunção - compreensão - submissão.
(E) análise - analisar. (E) cessão - cassação - excurção.

05. Quanto ao emprego de iniciais maiúsculas, assina- 13. Assinale a alternativa em que todas as palavras
le a alternativa em que não há erro de grafia: estão grafadas corretamente:
(A) A Baía de Guanabara é uma grande obra de arte (A) analizar - economizar - civilizar.
(B) receoso - prazeirosamente - silvícola.
da Natureza.
(C) tábua - previlégio - marquês.
(B) Na idade média, os povos da América do Sul não
(D) pretencioso - hérnia - majestade.
tinham laços de amizade com a Europa.
(E) flecha - jeito - ojeriza.
(C) Diz um provérbio árabe: “a agulha veste os outros
e vive nua.” 14. Assinale a alternativa em que todas as palavras
(D) “Chegam os magos do Oriente, com suas dádi- estão grafadas corretamente:
vas: ouro, incensos e mirra “ (Manuel Bandeira). (A) atrasado - princesa - paralisia.
(E) A Avenida Afonso Pena, em Belo Horizonte, foi (B) poleiro - pagem - descrição.
ornamentada na época de natal. (C) criação - disenteria - impecilho.
(D) enxergar - passeiar - pesquisar.
06. Marque a opção cm que todas as palavras estão (E) batizar - sintetizar - sintonisar.
grafadas corretamente:
(A) enxotar - trouxa - chícara. 15. Assinale a alternativa em que todas as palavras
Língua Portuguesa

(B) berinjela - jiló - gipe. estão grafadas corretamente:


(C) passos - discussão - arremesso. (A) tijela - oscilação - ascenção.
(D) certeza - empresa - defeza. (B) richa - bruxa - bucha.
(E) nervoso - desafio - atravez. (C) berinjela - lage - majestade.
(D) enxada - mixto - bexiga.
07. A alternativa que apresenta erro(s) de ortografia é: (E) gasolina - vaso - esplêndido.
(A) O experto disse que fora óleo em excesso.
(B) O assessor chegou à exaustão. 16. Marque a única palavra que se escreve sem o h:
(C) A fartura e a escassez são problemáticas. (A) omeopatia. (D) erdeiro.
(D) Assintosamente apareceu enxarcado na sala. (B) umidade. (E) iena.
(E) Aceso o fogo, uma labareda ascendeu ao céu. (C) umor.

14
Prof. Juliano Viegas

17. Em qual das alternativas abaixo aparece uma pala- 26. Então _____ não posso ir também? Só ______ sou
vra que apresenta erro ou seja no omissão na mais novo? Responda, ou não vai me dizer
existência do hífen? (regra antes da reforma ortográ- __________?
fica 2009) (A) porque, porque, porque
(A) antiintelectual, bem-vindo (B) porque, por que, por quê
(B) malmequer, vaga-lume (C) por que, por que, por quê
(C) superelegante, sobre-humano (D) por que, porque, por quê
(D) protomédico, intra-medular (E) por que, por que, porque
(E) supersônico, pseudo-herói
27. Há erro de grafia na alternativa :
18. Assinalar a alternativa em que todas as palavras (A) Por que você decidiu cursar Comunicação Social
devem ser escritas com “j”. ?
(A) __irau, __ibóia, __egue (B) Eu ignoro o porquê de sua decisão em cursar
(B) gor__eio, privilé__io, pa__em Comunicação Social.
(C) ma__estoso, __esto, __enipapo (C) Eu ignoro por que motivo você se decidiu cursar
(D) here__e, tre__eito, berin__ela Comunicação Social.
(D) Eu ignoro por que você se decidiu cursar Comu-
19. Se qui_esse, o vice-reitor da revista enviaria o escri- nicação Social.
tor para uma via_em ao e_tran_eiro. (E) Você se decidiu cursar Comunicação Social só
(A) z , j , x , j (D) z , g , s , g por que pensa que o curso oferece boas perspec-
(B) s , g , s , g (E) s , j , s , g tivas ?
(C) s , j , s , j
28. Assinale a alternativa correspondente à grafia corre-
20. Assinalar a alternativa que apresenta um erro de ta dos vocábulos: desli_e, vi_inho, atravé_, empre_a.
ortografia: (A) z, z, s, s (D) s, s, z, s
(A) enxofre, exceção, ascensão (B) z, s, z, z (E) z, z, s, z
(B) abóbada, asterisco, assunção (C) s, z, z, s
(C) despender, previlégio, economizar
(D) adivinhar, prazerosamente, beneficente 29. Indique a alternativa onde todas as palavras estão
corretas: (regra APÓS a reforma ortográfica 2009)
21. Assinalar a alternativa que contém um erro de orto- (A) Vice-reitor, pré-carnavalesco, anti-comunista
grafia: (B) Super-produção, auto-didata, ultra-saudável
(A) beleza, duquesa, francesa (C) Pseudo-profeta, inter-resistente, pós-guerra
(B) estrupar, pretensioso, deslizar (D) Sobre-humano, intra-muscular, ante-sala
(C) esplêndido, meteorologia, hesitar (E) Anterrepublicano, neo-humanismo, semirreta
(D) cabeleireiro, consciencioso, manteigueira
30. O amor verdadeiro provoca sempre alegria.
22. Assinalar a alternativa correta quanto à grafia das _________? __________ é crescimento, realiza-
palavras: ção, dom de vida. No entanto você poderia perguntar
(A) atraz - ele trás ____________ sofrem aqueles que amam.
(B) atrás - ele traz (A) Porque , Por que, porque.
(C) atrás - ele trás (B) Por quê , Por que , porque
(D) atraz - ele traz (C) Porque , Porque , por que
(D) Por que , Porque , por que
23. Assinalar a palavra graficamente correta: (E) Por quê , Porque , por que
(A) bandeija
(B) mendingo 31. Conforme a reforma ortográfica 2009.
(C) irrequieto 01. pós/datar =________________________
(D) carangueijo 02. neo/clássico =_____________________
03. pré/carnavalesco =__________________
24. Assinalar a alternativa que completa as lacunas da 04. vice/diretos =______________________
frase abaixo, na ordem em que aparecem. “O Brasil 05. super/agudo =_____________________
de hoje é diferente, _____ os ideais de uma socie- 06. anti/estético =______________________
dade _____ justa ainda permanecem”. 07. pseudo/herói =_____________________
(A) mas - mas 08. arqui / duque =_____________________
(B) mais - mas 09. inter/continental =___________________
(C) mas - mais 10. contra/dança =_____________________
Língua Portuguesa

(D) mais - mais 11. intra/ocular =_______________________


12. intra/molecular =____________________
25. Pense nos ideiais _____ batalhamos há tanto tem- 13. extra/humano =_____________________
po, e diga-me _______ fracassamos. Será ______ 14. sub/raça =________________________
fomos incapazes ou descuidados em algum ponto? 15. semi/esférico =_____________________
(A) por que, por que, por que 16. contra/prova =______________________
(B) por que, por que, porque 17. anti/cristo =________________________
(C) porque, porque, porque 18. super/realismo =___________________
(D) porque, por que, porque 19. infra/vermelho =____________________
(E) por que, porque, por que 20. ultra/som =________________________

15
Prof. Juliano Viegas

Unidade 3
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Prosódia / Acentuação
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

• palavras oxítonas, a última sílaba é a tônica, seja a palavra acentuada ou não: caju, japonês, Corumbá,
maracujá, maná, Maringá, rapé, massapê, filé, sapé, filó, rondó, mocotó, jiló, amém, armazém, também, Belém,
parabéns, armazéns, nenéns, Iguaçu, caqui, vender.

• palavras paroxítonas, a penúltima sílaba é a tônica, seja a palavra acentuada ou não: porta, miudeza, hora,
amável, júri, vírus.

• palavras proparoxítonas, antepenúltima sílaba é a tônica, todas são acentuadas: cômodo, sonâmbulo.

• Já os monossílabos são palavras que apresentam apenas uma sílaba. Eles podem ser tônicos ou átonos.
Os monossílabos tônicos apresentam acento próprio, portanto, pronunciado com intensidade (gás, faz). Já os
monossílabos átonos não se destacam e estão ligados às palavras mais próximas (o homem, de madeira).

Regras de acentuação
Antes da REFORMA ORTOGRÁFICA 2009
Língua Portuguesa

16
Prof. Juliano Viegas

Existe uma Regra Geral das Paroxítonas, a qual se contrapõe à regra das oxítonas.

Oxítonas terminadas em Paroxítonas terminadas em


A(s), E (s), O(s), EM, ENS A(s), E(s), O(s), EM, ENS, AM
São acentuadas Não são acentuados

Por essa regra, entende-se por que acontece o seguinte:

Acentuada Não - Acentuada


hífen Hífens, item, itens

Acento Diferencial

Pôr (verbo) Por (preposição)


Pára (verbos) Para (preposição)
Pêlo (substantivo) Pelo (por + o)
Pólo (sul/norte) Pólo (filhotes de gavião)
Côa (verbo) Co’a (com a)
Pélo (verbo) Pelo (por + o)
Péla (verbo) Pela (por + a)
Pôde (prest. perf.) Pode (pres. Ind.)
Pêra (fruta) Pera (per + a)

Verbos TER e VIR

Derivado Derivado
Singular Plural
Singular Plural

Tem Têm Retém Retêm

Vem Vêm Convém Convêm

Outros Sinais Gráficos

Língua Portuguesa

17
Prof. Juliano Viegas

Regras de acentuação COM a REFORMA ORTOGRÁFICA 2009


Língua Portuguesa

18
Prof. Juliano Viegas

Acento Diferencial

Esta regra desapareceu, exceto para os verbos: Perdem o acento as palavras compostas com o
verbo PARAR:
PODER, PÔR, TER e VIR. para-brisa, para-choque, para-lama, para-raios,
para-sol.
Sem hífen:
paraquedas, paraquedista, paraquedismo.

Trema (O trema não é acento gráfico.) Desapareceu o


trema sobre o U em todas as palavras do português: Linguiça,
averiguei, delinquente, tranquilo, linguístico. Exceto as de língua
estrangeira: Günter, Gisele Bündchen, müleriano

Nos nomes compostos, considera-se a tonicidade da última palavra para efeito de classificação. As demais
palavras que constituem o nome composto são ditas átonas.

Exemplos: couve-flor - oxítona, arco-íris - paroxítona.

Notações Léxicas
São sinais de que nos servimos, na escrita, para indicar a pronúncia correta da palavra. Além do acento
agudo (´) e do acento circunflexo (^), são notações léxicas:

a) O til – indica a nasalização das vogais a e o: maçã, ação, mãe, põe, coração (também indica sílaba tônica,
se a palavra não tiver outro acento);

b) A cedilha – indica que o c tem o valor de SS antes de a, o e u: raça, baço, caçula;

c) O apóstrofo – indica a supressão de fonema: pau-d’arco;

d) O hífen – usa-se nas derivações prefixas, nos compostos e para ligar os pronomes oblíquos ao verbo;

e) O acento grave – modernamente, apenas se usa para indicar a crase.

Erros comuns de Prosódia


Quando alguém, ao pronunciar uma palavra, coloca o acento tônico numa silaba que não é a tônica, dizer-
mos que comentou uma silabada.

Segue-se uma relação de palavras, cuja sílaba tônica grifamos, comumente mal pronunciadas. Abaixo
seguem as palavras com as sílabas tônicas CORRETAS.

Avaro Inaudito
Ágape Ínclito
Aríete Intuito
Aziago Ínterim
Alcione Ibero
Aerólito Lêvedo
Arquétipo Maquinaria
Batavo Misantropo
Bávaro Nenúfar
Barbaria Normandia
Barbárie Nobel
Bímano Novel
Boemia Pântano
Cartomancia Pegada
Ciclope Perito
Língua Portuguesa

Circuito Pudico
Crisântemo Refém
Decano Revérbero
Edito (decreto, lei) Ruim
Édito (ordem judicial) Rubrica
Estratégia Sá trapa
Fortuito Trânsfuga
Filantropo Ureter
Gratuito Zênite
Grácil Zéfiro
Ímprobo

19
Prof. Juliano Viegas

○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício III
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Atenção: As questões de 1 a 35 estão aplicadas com as regras antes da reforma ortográfica 2009.

01. Assinale o item em que todas as palavras são 08. Assinale a série cuja acentuação gráfica se justifi-
acentuadas pela mesma regra de: também, incrível que da mesma forma que em: baiúca - ônus - apóio.
e caráter. (A) viúvo, ônibus, pastéis
(A) alguém, inverossímil, tórax (B) vírus, hífen, jibóia
(B) hífen, ninguém, possível (C) centopéia, Garibáldi, caí
(C) têm, anéis, éter (D) egoísmo, Quéops, escarcéu
(D) há, impossível, crítico (E) lápis - vôlei - girassóis
(E) pólen, magnólias, nós
09. Das alternativas abaixo, aquela em que as demais
02. Assinale a alternativa correta não se acentuam com base na mesma regra da
(A) Não se deve colocar acento circunflexo em pala- palavra entre aspas é:
vra como avo, bisavo, porque há palavras
(A) “holandês” - anunciá-lo / paletós
homógrafas com pronúncia aberta
(B) “desejável” - açúcar / hífen
(B) Não se deve colocar acento grave no a do contex-
(C) “público” - súbito / álcool
to: Fui a cidade
(C) Não se deve colocar trema em palavras como (D) “matéria” - glória / idéia
tranquilo, linguiça, sequência (E) “daí” - viúva / sanduíche
(D) Não se deve colocar trema em palavras deriva-
das como avozinho, vovozinho 10. Em que série nem todas as palavras se acentuam
(E) O emprego do trema é facultativo pelo mesmo motivo:
(A) juízo, aí, saíste, saúde
03. Assinale a alternativa em que pelo menos um vocá- (B) poética, árabes, lírica, metáfora
bulo não seja acentuado: (C) glória, apóia, série, inócuo
(A) voo, orfão, taxi, balaustre (D) réptil, fêmur, contábeis, ímã
(B) itens, parabens, alguem, tambem (E) assembléia, dói, papéis, céu
(C) tactil, amago, cortex, roi
(D) papeis, onix, bau, ambar 11. Todas as palavras devem ser acentuadas na alter-
(E) hifen, cipos, leem, pe nativa:
(A) pudico, pegada, rubrica
04. Assinale a opção em que as palavras, quanto à (B) gratuito, avaro, policromo
acentuação gráfica, estejam agrupadas pelo mes- (C) abdomen, itens, harem
mo motivo gramatical. (D) magoo, perdoe, ecoa
(A) problemáticos, fácil, álcool (E) contribuia, atribuimos, caiste
(B) já, até, só
(C) também, último, análises 12. O ________ resulta da __________ entre a alga e
(D) porém, detêm, experiência o fungo.
(E) país, atribuíram, cocaína (A) líquen, simbiose (D) líquen, simbióse
(B) liquen, simbiose (E) líquem, simbióse
05. “À luz de seu magnífico ______ -de-sol ______
(C) liquem, simbiose
parece uma cidade ______ .
(A) por, Itaguaí, tranquila
13. Assinale o item em que as palavras estão acentua-
(B) por, Itaguai, tranqila
(C) por, Itaguaí, tranqüila das segundo a mesma regra:
(D) pôr, Itaguaí, tranqüila (A) miúdo, pêndulo
(E) pôr, Itaguai, tranquila (B) história, distância
(C) pedrês, porém
06. A alternativa em que todas as palavras têm acento (D) respeitável, pálpebra
gráfico é: (E) Lucília, três
(A) para-brisa - perdoe - enjoo - preveem.
(B) pudico - polen - pensil - miudo. 14. Há erro(s) de acentuação gráfica em:
(C) ruim - heroina - sutil - interim. (A) recém-vindo, decano, refrega
(D) xicara - pode(passado) - hifen – pera(subst.) (B) pudico, bímano, gratuito
(E) trofeu - coroneis - afoito - carencia. (C) inaudito, pegada, zênite
Língua Portuguesa

(D) íbero, ávaro, levedo


07. São acentuadas graficamente pela mesma razão (E) filantropo, opimo, aziago
as palavras da opção:
(A) há - até - atrás 15. Assinale a opção em que todos os vocábulos deve-
(B) história - ágeis - você riam estar acentuados graficamente:
(C) está - até - você (A) perdoo, balaustre, bambu
(D) ordinário - apólogo - insuportável (B) itens, assembleia, cafeina
(E) mágoa - ícone - número (C) tuneis, juri, pessoa
(D) aerodromo, estrategia, nectar
(E) agape, apoio (subst.), nuvens

20
Prof. Juliano Viegas

16. Por serem proparoxítonos, deveriam estar acentua- 24. Há erro de acentuação em:
dos os vocábulos da opção: (A) O repórter havia afirmado que a canoa da Repú-
(A) refrega, ibero, decano blica andava órfã.
(B) aziago, pegada, avaro (B) Ontem você não pode vir por água no fogo e
(C) leucocito, alcoolatra, interim souberam disso através dos colegas.
(D) inaudito, batavo, erudito (C) Rui vem de ônibus, lê o jornal e sempre procura
(E) rubrica, maquinaria, pudico saber o nome dos partidos que retêm o uso do
poder.
17. Qual dentre as palavras abaixo deve ser necessari- (D) Ainda não soube do porquê de sua desistência
amente acentuada: do vôo de ontem
(A) ai (E) “Deus te abençoe” era o grito de pára que acal-
(B) pais mava a meninada na hora de dormir.
(C) doida
(D) sauva 25. A alternativa em que todas as palavras recebem
(E) saia
acento gráfico é:
(A) pudico, rubrica, destruido, Piaui
18. Assinale a opção em que os vocábulos obedecem
à mesma regra de acentuação gráfica: (B) campo, polens, hifen, abdomens
(A) pés, hóspedes (C) feiura, pessego, virus, voce
(B) sulfúrea, distância (D) salada, camera, tatu, latex
(C) fosforecência, provém (E) item, pudico, gratuito, raiz
(D) últimos, terrível
(E) satânico, porém 26. Qual a seqüência acentuada por terminar em encon-
tro vocálico pronunciado como ditongo crescente?
19. Num dos itens abaixo, a acentuação gráfica não está (A) assembléia, caracóis, solidéu e jibóia
devidamente justificada. Assinale este item: (B) Tambaú, Camalaú, Tambaí e açaí
(A) círculo: vocábulo paroxítono (C) série, pátio, área e tênue
(B) além: vocábulo oxítono terminado em -em (D) imóveis, pênseis, pudésseis e mísseis
(C) órgão: vocábulo paroxítono terminado em til
(E) bônus, júri, lápis e tênis
(D) dócil: vocábulo paroxítono terminado em -l
(E) pôde: acento diferencial
27. Assinale a alternativa em que pelo menos um vocá-
20. Marque a alternativa em que pelo menos um vocá- bulo não seja acentuado.
bulo não seja acentuado: (A) abençoo, refens, polen, cipos
(A) voo, parabens, hifen, sofas (B) tenis, esplendido, voce, portatil
(B) fenix, esplendido, voce, volatil (C) papeis, rubrica, onix, urubu
(C) aneis, rubrica, tenis, urubu (D) compo-la, leem, Tamanduatei, armazem
(D) chama-la, veem, Tamanduatei, tambem (E) apos, climax, sape, saude
(E) cipos, biceps, rape, sauva
28. Analisando as palavras: 1. apóiam, 2. bainha, 3.
21. A alternativa em que somente uma das palavras abençoo, notamos que está/estão corretamente
deve receber acento gráfico é: grafada(s):
(A) Luis, patroa, nuvem
(A) apenas a palavra n.º 1
(B) hifens, item, somente
(B) apenas a palavra n.º 2
(C) arcaico, itens, caju
(D) seduzi-lo, maracatu, cafezal (C) apenas a palavra n.º 3
(E) abençoe, saiu, hotel (D) todas as palavras
(E) n.d.a.
22. Das palavras abaixo, uma admite duas formas de
justificar o acento gráfico: 29. Assinale a opção na qual todas as palavras devem
(A) combustível ser acentuadas.
(B) está (A) persegui-lo, candido, benção, estreia
(C) três (B) espelho, reporter, interim, arguem
(D) países (C) eletron, fluor, eloquente, abençoe
(E) veículos (D) iamos, caiste, vendereis, foramos
(E) impar, itens, arguem, apoia
23. Assinale a alternativa em que a acentuação das
palavras se explica pela mesma regra.
Língua Portuguesa

30. Há erro de acentuação num dos conjuntos seguin-


(A) fábrica, máquina, ímã
(B) saúde, egoísta, atribuí-lo tes:
(C) môo, pó, vêm (A) grátis, jibóia, juriti, altruísmo
(D) quilômetro, cinqüenta, privilégio (B) aqui, Nobel, também, rubrica
(E) hífen, médium, álcool (C) apóio, item, espelho, tênue
(D) ávaro, íngreme, trégua, caráter
(E) circuito, boêmia, ínterim, Nélson

21
Prof. Juliano Viegas

31. A única alternativa que possui, pelo menos, uma 39. Argumentado com ______, o promotor exige que
palavra indevidamente acentuada é: _______ a exatidão das declarações do depoente.
(A) fórceps-avícola (A) eloquencia – averíguem
(B) lábaro-néctar. (B) aloquência – averíguem
(C) homília-hieróglifo. (C) aloquência – averiguem
(D) aloquência – averigúem
(D) ístmo-resfolego
(E) aloquencia – averiguem
(E) bólido-interim.
40. Todos os carros _____ forçosamente ______ pon-
32. A alternativa em que nenhuma palavra tem acento to, porque as obras da estrada ________ a passa-
gráfico é: gem.
(A) cadaver- modelo- todo- vezes (A) param – naquele – obstruíram
(B) toda- flui- orgão- fossil (B) param - naquêle – obstruíram
(C) governo- juri- juriti- cutis (C) páram – naquele – obstruíram
(D) garoa- armazens- polen- caju (D) páram – naquele – obstruiram
(E) item- polens- rubrica- erro (E) param – naquele – obstruiram

33. O acento gráfico desempenha a mesma função em: 41. A alternativa que apresenta todas as palavras com
(A) carnaúba e história. acentuação gráfica correta é:
(B) petróleo e paciência. (A) pálido – cafézinho – femur
(C) jacarandá e lápis. (B) chapéu – umbú – eles provém
(D) glória e está. (C) sozinho – pôr (verbo) – averigue
(E) mausoléu e líquido. (D) mágoa – serio – biceps
(E) porem – esplendido - úmido
34. A palavra que pode ser enquadrada em duas dife-
rentes regras de acentuação é: 42. A série em que há erro de acentuação é:
(A) estratégia. (D) refém. (A) ácido – prótons – itens
(B) abençôo. (E) pajé. (B) fácil – ruído – através
(C) límpido. (C) fez – trem – caracu
(D) otário – heróico – sagui
35. A alternativa em que todas as palavras estão corre- (E) perdoo – ipê – índio
tamente acentuadas:
(A) atraí-los - bíceps - médiuns - vôos. 43. Há erro relacionado com a acentuação gráfica em:
(B) jibóia - pegáda - álbuns - Nobél. (A) Deverias pôr as barbas de molho.
(C) três - refém - sôbre - elétrons. (B) As indústrias têxteis estavam em grande expan-
(D) gratuíto - têxtil - rubiácea - pélo (verbo). são.
(E) revoem - convêm (singular) - mês - pôr (verbo). (C) A localização dos pólos petroquímicos provocou
grande discussão.
Atenção: As questões de 36 a 59 estão com aplicação (D) As raízes das árvores rasgavam o solo.
(E) Os contribuintes consideram muito elevadas as
da reforma ortográfica 2009.
alíquotas.
36. Há erro de acentuação num dos conjuntos seguin-
44. Todas as alternativas devem ser acentuadas em:
tes:
(A) pudico – pegada – rubrica
(A) grátis - jiboia – jutiti – altruísmo
(B) gratuito – avaro –policromo
(B) aqui – Nobel – também – rubrica
(C) abdomen – itens – harem
(C) apoio – item – espelho – tênue (D) magoe – perdoe – ecoa
(D) ávaro – íngreme – trégua – caráter (E) contribuia – atribuimos – caiste
(E) circuito – boêmia – ínterim – Nélson
45. Somente o plural exige acento gráfico em:
37. Apenas num dos conjuntos seguintes há erro(s) de (A) refém – refens (D) cônsul - consules
acentuação: (B) hífen – hifens (E) cascável – cascaveis
(A) urubu – juriti – júri (C) mês – meses
(B) baú – Tramandaí – admiti-lo
(C) rubrica – bílis – suéter 46. Considere as seguintes afirmações:
(D) você – pólens – Lindóia I - As palavras confidências, inapetência e
(E) item – independência – Leo tartarugário são acentuadas pelas mesma ra-
zão.
Língua Portuguesa

38. A alternativa em que há um erro de acentuação II - As palavrasa aí, é e país podem ser grafadas
gráfica é: sem acento, caso em que terão outro significado.
(A) seriamente – caju – sabê-lo-emos – tranquilo III - A palavra pára-brisa recebe acento em virtude de
(B) repor – abençoa – movê-lo-ias – tínheis a preposição que a compõe ser originalmente
(C) vezes – abençoo – feri-lo – ventoinha acentuada.
(D) retém-no – têxtil – pô-lo-á – éter Quais estão corretas?
(E) for – descrêem – contratá-lo-iamos – heroína (A) Apenas I (D) Apenas I e II
(B) Apenas II (E) I,II e III.
(C) Apenas III

22
Prof. Juliano Viegas

47. Todas as palavras abaixo têm um equivalente em 53. Assinale a alternativa em que a palavra deveria ter
língua portuguesa, sem acento gráfico, à exceção recebido acento gráfico.
de: (A) Paiçandu (D) Rubrica
(A) agência (D) acúmulo (B) contribuido (E) Entorno
(B) é (E) hábitos (C) Gratuito
(C) à s
54. Assinale a alternativa correta quanto à ortografia e
48. Considere as seguinte afirmações: acentuação das palavras.
I - A palavra zoólogos recebe acento gráfico devido (A) A reação do público pressionou os políticos, que
à presença de hiato. tomaram medidas enérgicas no caso.
II - Caso raiz aparecesse no plural, seriam criadas
Os meteorologistas analisaram as fotos que vêem
as mesmas condições de acentuação da palavra
dos satélites.
babuíno.
III - A ausência de acento gráfico em dúvida provo- (C) A bola deslisou pelo pátio do colégio e chegou até
caria mudança na sua pronúncia. a porta da sala dos professores.
Quais estão corretas? (D) Os sêres humanos precisam de mais amor para
(A) Apenas I (D) Apenas II e III que uma visível melhora aconteça no mundo.
(B) Apenas II (E) I, II, III (E) Muitos pássaros, atualmente, estão em extinsão,
(C) Apenas III mas poucos se preocupam em preservá-los.

49. Assinale o trecho que apresenta erro de acentuação 55. Assinale a frase incorreta quanto à acentuação
gráfica: gráfica:
(A) Inequivocamente, estudos sociológicos mos- (A) A funcionária remeterá os formulários até o início
tram que, para ser eficaz, o chicote, anátema da do próximo mês.
sociedade colonial, não precisava bater sobre as (B) Ninguém poderia prever que a catástrofe traria
costas de todos os escravos. tamanho ônus para o país.
(B) A diferença de ótica entre os díspares movimen- (C) Este voo está atrasado; os senhores têm que
tos que reivindicam um mesmo amor à natureza embarcar pela ponte aérea e fazer conexão no Rio
se enraízam para além das firulas das discus- para Florianópolis.
sões político-partidárias. (D)O pronunciamento feito pelo diretor na assem-
(C) No âmago do famoso santuário, erguido sob a bléia revestia-se de caráter inadiável.
égide dos conquistadores, repousam enormes
(E)Segundo o regulamento em vigor, o órgão com-
caixas cilíndricas de oração em forma de mantras,
petente tomará as providências cabíveis.
onde o novel na fé se purifica.
(D) O alvo da diatribe, o fenômeno da reprovação
escolar, é uma tolice inaceitável, mesmo em um 56. Assinale a opção que contém uma, dentre as cinco
paradígma de educação deficitária em relação palavras sublinhadas, que devem receber acento
aos menos favorecidos. gráfico:
(E) Assustada por antigas endemias rurais, a, até (A) Eles tem de, sozinhos, aparar o pelo do animal
então, álacre sociedade brasileira tem, enfim, e prepara-lo para a exposiçao.
consciência do horror que seria pôr filhos em um (B) A estrategia utilizada pelo jogador pos a rainha
mundo tão inóspito. em perigo em tempo recorde.
(C) Saimos do tribunal mas, por causa do tumulto,
50. Assinale a alternativa em que todas as palavras não conseguimos a rubrica dos juizes.
estejam acentuadas corretamente: (D) A quimica vem produzindo novas cores para as
(A) Quero por um ponto final nessa polemica. industrias de tecido.
(B) Com desconfiança, após sua rúbrica em todos (E) Eles não veem o apoio que se da a qualquer
os documentos. pessoa que aqui vem pedir ajuda.
(C) Preferem maçã à pêra.
(D) Lavou o pêlo do animal com sabão comum. 57. “Alem do trem, voces tem onibus, taxis e aviões”.
(E) Como bom contador, ele gosta de boêmia. (A) 5 acentos
(B) 4 acentos
51. Assinale a alternativa que completa corretamente (C) 3 acentos
as frases:
(D) 2 acentos
I - Cada qual faz como melhor lhe _______ .
(E) 1 acento
II - O que _________ estes frascos ?
III - Neste momento os teóricos ________ os con-
ceitos 58. Não leva acento:
IV - Eles ________ a casa do necessário (A) atrai-la (D) vende-la
Língua Portuguesa

(A) convém, contém, reveem, proveem (B) supo-la (E) revista-la


(B) convém, contêm, reveem, provêm (C) conduzi-la
(C) convém, contém, revêm, provém
(D) convêm, contêm, revêem, provêem 59. Assinale a alternativa em que todos os vocábulos
(E) convêm, contêm, revêem, proveem são acentuados por serem oxítonos:
(A) paletó, avô, pajé, café, jiló
52. A regra que justifica a acentuação gráfica de juízes parabéns, vêm, hífen, saí, oásis
é a mesma que fundamenta a acentuação de: (C) você, capilé, Paraná, lápis, régua
(A) lâmpada (D) grajaú (D) amém, amável, filó, porém, além
(B) herói (E) princípios (E) caí, aí, ímã, ipê, abricó
(C) pólen

23
Prof. Juliano Viegas

Unidade 4
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Semântica
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

A Semântica trata de significados das palavras através do tempo e do espaço. Nesse chão, estudam-se:

4.1. Sinônimos
São palavras relacionadas por um sentido comum, constituindo uma família ideológica.

a) Perfeitos, quando têm a mesma significação:

Alfabeto = abecedário
brabo = grito
Adversário = antagonista
contraveneno = antídoto
sarar = curar
extinguir = apagar

b) Imperfeitos, quando têm a significação aproximada:

Bela – formosa – linda


Sólido – seguro – estável
Caridade – bondade - benevolência

4.2 Antônimas
São palavras de significação oposta:

Ordem x anarquia
soberba x humildade
Louvar x censurar

A antônima pode originar-se de um prefixo de sentido contrário ou negativo.

4.3 Sentido Próprio


Diz-se da palavra que é empregada na sua significância original.

4.4 Sentido Figurado


Ocorre quando a palavra está empregada em sentido translado, ou seja, quando por um processo de
analogia, é empregada em sentido diverso do próprio:

A dama trazia uma flor nos cabelos. (sentido próprio)


A dama pertence à flor da sociedade. (sentido figurado)

À noite, no campo, podemos admirar as estrelas. (sentido próprio)


“A lua (...) salpicava de estrelas o nosso chão. (sentido figurado)

4.6 Homônimas
Palavras que se pronunciam na mesma forma que outra, mas cujo sentido e escrita são diferentes. Essas
são chamadas de homófonas:
Língua Portuguesa

Acento - Sinal gramatical Assento - cadeira.


Acerto - ajuste Asserto - proposição afirmativa
Ascender - subir Acender - iluminar, atear fogo
Caçar - animais Cassar - anular (mandato,direito)
Concerto - musical Conserto - reparo
Xeque - xadrez Cheque - ordem de pagamento
Cessão - ato de ceder Sessão - reunião Seção - setor

24
Prof. Juliano Viegas

As palavras que se escrevem do mesmo jeito, mas a pronúncia e o significado são diferentes. Essas são
chamadas de homógrafas:

Almoço (com o “ô”, nome de uma refeição)


Almoço (com o “ó” forma do verbo almoçar)
Jogo (com o “ô”, substantivo)
Jogo (com o “ó”, verbo)

As palavras com grafia e pronúncia idênticas, mas com significados diferentes. Essas palavras são chama-
das de homônimas perfeitas:

Cedo – verbo ou advérbio


Mato – substantivo ou verbo
Luta – substantivo ou verbo.

4.7 Parônimas
São palavras parecidas na pronúncia, mas diferentes na grafia e com significados diferentes

Observe no quadro seguinte alguns parônimos importantes

Absolver = inocentar Absorver = sorver


Arrear = pôr arreios Arriar = abaixar
Comprimento = extensão Cumprimento = saudação
eferir = conceder Diferir = distinguir, adiar
Descrição = ato de escrever Discrição = ser discreto
Despercebido = não notado Desapercebido = distraído
Discente = alunos Docente = professores
Emergir = flutuar Imergir = afundar
Emigrar = sair de um país Imigrar = entrar em um país
Eminente = notável Iminente = logo
Flagrante = evidente Fragrante = aromático
Infligir = aplicar castigo Infringir = desrespeitar
Ratificar = aprovar Retificar = corrigir

4.8 Polissemia
São chamadas as palavras com mais de um sentido:

Oração = prece, discurso, frase.


Ponto = sinal, lugar, registro de trabalho.
Código = coleção de leis, sistema de sinais.
Banco = assento, estabelecimento de crédito.

4.9 Hiperônimos x Hipônimos


Os hiperônimos são palavras que, em relação a outras da mesma área semântica, têm sentido mais
genérico, mais abrangente. Por exemplo, peixe é hiperônimo em relação a traíra, sardinha, salmão e etc. Por outro
lado, as que têm significados são hipônimos. Assim, são hipônimos palmeiras, ipê jacarandá em relação ao
hiperônimo árvore. Diríamos, para memorizar, que o hipo (debaixo de) cabe hiper (acima de).
Língua Portuguesa

25
Prof. Juliano Viegas

○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício IV
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Estão corretamente empregadas as palavras na 08. Devemos alterar, ou seja, ________ agora este
frase: projeto, porque, após, não serão permitidas
(A) Receba meus cumprimentos pelo seu aniversá- __________ .
rio. (A) ratificar - ratificações (D) retificar - ratificações
(B) Ele agiu com muita descrição. (B) retificar - retificações (E) retificar - retificação
(C) O pião conseguiu o primeiro lugar na competi- (C) ratificar - retificações
ção.
(D) Ele cantou uma área belíssima. 09. No _______ do violoncelista _______ havia muitas
(E) Eu descriminei todos os produtos na lista. pessoas, pois era uma _________ beneficente.
(A) conserto - eminente - sessão
02. Assinalar a alternativa que preenche corretamente (B) concerto - iminente - seção
as lacunas do seguinte período: “Em _____ plená- (C) conserto - iminente - seção
ria, estudou-se a _____ de terras a _____ japone- (D) concerto - eminente - sessão
ses.” (E) concerto - eminente - cessão
(A) seção - cessão - emigrantes
(B) cessão - sessão - imigrantes 10. Parece-nos plausível que venha a ocorrer exacer-
(C) sessão - secção - emigrantes bação dos ânimos, pois a decisão foi tomada arbi-
(D) sessão - cessão - imigrantes trariamente. Têm significação oposta à dos ter-
(E) Sessão - sessão - imigrantes mos sublinhados na frase acima, respectivamente:
(A) inverossímil, pacificação, pressurosamente.
03. Cauda/rabo, calda/açúcar derretido para doce. São, (B) inadmissível, apaziguamento, criteriosamente.
portanto, palavras homônimas. Associe as duas
(C) inaceitável, apaziguamento, gratuitamente.
colunas e assinale a alternativa com a seqüência
(D) inadmissível, arrefecimento, injustificadamente
correta.
1 - conserto ( ) valor pago
11. Qual o significado da frase: O sargento trazia uma
2 - concerto ( ) juízo claro
prescrição superior no sentido de vadearem o rio,
3 - censo ( ) reparo
malgrado a chuva.?
4 - senso ( ) estatística
(A) O sargento trazia uma ordem superior no sentido
5 - taxa ( ) pequeno prego
de atravessarem o rio a vau, apesar das chuvas.
6 - tacha ( ) apresentação musical
(B) O sargento trazia uma ordem superior no sentido
(A) 5-4-1-3-6-2 (D) 1-4-6-5-2-3
de secarem o rio, apesar das chuvas.
(B) 5-3-2-1-6-4 (E) 5-4-2-3-6-1
(D) 4-2-6-1-3-5 (C) O sargento trazia uma intimação superior no
sentido de atravessarem o rio, depois da chuva
04. Assinalar o par de palavras antônimos: passar.
(A) pavor - pânico (D) O sargento trazia um pedido superior no sentido
(B) pânico - susto de contornarem o rio, enquanto houvesse chuva.
(C) dignidade - indecoro
(D) dignidade - integridade 12. Ele sempre demonstrou animosidade para com os
(E) real - verídico mais jovens, sobretudo quando estes, inadvertida-
mente, dispõem-se a falar sobre temas tidos como
05. O antônimo para a expressão “época de estiagem” polêmicos.
é: Os termos sublinhados poderiam ser substituídos,
(A) tempo quente sem prejuízo para o sentido da frase, por, respecti-
(B) tempo de ventania vamente:
(C) falta de chuva (A) intolerância, apressadamente e incontroversos.
(D) estação florida (B) boa vontade, pressurosamente e delicados.
(E) estação chuvosa (C) tolerância, inocentemente e indevassáveis.
(D) má vontade, irrefletidamente e controversos.
06. Quanto à sinonímia, associar a coluna da esquerda
com a da direita e indicar a seqüência correta. 13. Não fez _____, embora seu projeto fosse bastante
1- insigne ( ) ignorante _______ .
2- extático ( ) saliente (A) conceções, pretensioso.
3- insipiente ( ) absorto (B) conceções, pretencioso.
4- proeminente ( ) notável (C) concessões, pretensioso.
Língua Portuguesa

(A) 4 - 3 - 2 - 1 (D) concessões, pretencioso.


(B) 1 - 2 - 3 - 4 (E) consseções, pretensioso.
(C) 3 - 4 - 2 - 1
(D) 3 - 1 - 4 - 2 14. A ___ da greve estava ___, pois os empregadores
(E) 4 - 2 - 1 - 3 ____ nos erros cometidos no passado.
(A) confraglação, eminente, recindiram
07. Aponte o antônimo do vocábulo “sucinto” : (B) deflagração, iminente, reincidiram
(A) conciso (D) breve (C) deflagração, iminente, incidiram
(B) inerente (E) eficaz (D) deflagração, eminente, reincidiram
(C) prolixo (E) conflagração, iminente, recindiram

26
Prof. Juliano Viegas

Unidade 5
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Estrutura e formação de palavras


○○ ○○ ○○ ○○ ○○

5.1 Estrutura das palavras


I - O radical é a forma mínima que indica o sentido básico de uma palavra; substantivo, adjetivo, verbo etc. Os
radicais permitem a formação de famílias de palavras: menin-o, menin-a; menin-ada, menin-inho, menin-ona.

II - A vogal temática é o elemento que possibilita a ligação entre o radical e os afixos. Pode ser:

1. Nominal: refere-se a um substantivo ou adjetivo sem indicar o gênero:


Casa, terra, povo, triste.

ATENÇÃO: Em português, algumas palavras não possuem a vogal temática e, por isso, são chamadas de
atemáticas, tais como : luz, mar, ar, terminadas em consoantes.

2. Verbal: refere-se a um verbo.


Cant - a - r, cant - a - rei, beb - e - r, beb - e - ria , part - i - r, part - i - remos.

III - O tema é o acréscimo da vogal temática ao radical: Na palavra pedra, temos:


Pedr + a = pedra Pul + a - r = tema

Radical + V.T. = TEMA Radical + a = pula

IV - As desinências estão apoiadas ao radical para marcar as flexões gramaticais. Podem ser nominais ou
verbais:

1. As nominais indicam flexões de gênero e número dos nomes: gato = gat - a desinência de gênero e gato - s
desinência de número.
No caso de gato/gata, há oposição de gênero entra as palavras; as vogais finais são desinências nominais
e não vogais temáticas.

2. Já as verbais indicam:

a) tempo e modo; modo-temporais.


Exemplo: fal-á-sse-mos.
sse= pretérito imperfeito do subjuntivo.

b) pessoa e número; número-pessoais.


Exemplo: fal-á-sse-mos
mos= 1ª pessoa do plural.

c) Formas nominais do verbo.


Exemplo: Lembr - a - r desinência de infinitivo.
Lembr - ado - desinência de particípio.
Lembr - a - ndo desinência de gerúndio.

V - Os afixos são elementos que se posicionam antes ou depois do radical para formar palavras novas. Os
afixos da língua portuguesa podem ser:

1. prefixos, colocados antes do radical:


infeliz, antepor, desligar
Língua Portuguesa

2. sufixos, colocado depois do radical:


felizmente, surdez, socialista

VI - A vogal e consoante de ligação são elementos mórficos sem valor significativo que surgem para facilitar
ou até possibilitar a pronúncia de determinadas construções:

silv-í-cola, pe-z-inho, pobre-t-ão, rat-i-cida, rod-o-via

27
Prof. Juliano Viegas

5.2 Processos de formação das palavras


Na Língua Portuguesa, dois processos básicos de formação das palavras: a derivação e a composição.
Há também outros (cinco) processos de formação das palavras.

DERIVAÇÃO: processo em que a palavra primitiva (um radical) sofre o acréscimo de afixos. São SEIS tipos de
derivação.

1º prefixal: acréscimo de prefixo à palavra primitiva inútil, desanimar, recolocar

2º sufixal: acréscimo de sufixo à palavra primitiva claramente, vandalismo, saboroso

3º parassintética ou parassíntese: acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo, à palavra primitiva.: Esse


processo é responsável pela formação de verbos, de base substantiva ou adjetiva;
enlatado, anoitecer

4º Prefixal e sufixal: A palavra derivada tem prefixo e sufixo não simultâneos.


Infelizmente, deslealdade

ATENÇÃO: Para não confundir parassintética com prefixal e sufixal faça o seguinte:

1º retire um dos afixos, caso a palavra deixe de existir isoladamente com o prefixo ou sufixo teremos uma
parassíntese:

abotoar= Se retirarmos o prefixo a, teremos botoar, ou se retirarmos o sufixo ar, teremos abotão. Nenhuma
das duas palavras (botoar e abotão) existem, ou seja, são necessários os dois afixos, ao mesmo tempo, no radical
Bot para que haja o verbo AbotoAR.

2º caso o vocábulo exista isoladamente com um ou com outro afixo teremos uma derivação prefixal e sufixal,
veja:
desnivelar= desnivel
nivelar

5º regressiva (deverbal): redução da palavra primitiva. Ocorre por meio da troca da terminação verbal ar, er
ou ir por uma vogal a, e ou i. Nesse processo forma-se substantivos abstratos por derivação regressiva de formas
verbais:

VERBO Substantivo deverbal


abalar o abalo
buscar a busca
chorar o choro
comprar a compra
vender a venda
trocar o troco, a troca
fugir a fuga

6º imprópria: é a alteração da classe gramatical da palavra primitiva.

o jantar aconteceu às 20h. - de verbo para substantivo,

é um judas - de substantivo próprio a comum

É terrível ouvir um não - de advérbio para substantivo

A derivação imprópria só se realiza dentro de uma frase.


Língua Portuguesa

COMPOSIÇÃO: processo em que ocorre a junção de dois ou mais radicais. Existem dois tipos de composição.

1º justaposição: quando não ocorre a alteração fonética. A justaposição:


Exemplo: girassol, sexta-feira, cobra-d´água

2º aglutinação: quando ocorre a alteração fonética, com perda de elementos.


Exemplo: pernalta, de perna + alta
embora, de em + boa + hora
boquiaberto, de boca + aberto

28
Prof. Juliano Viegas

Outros processos de formação de palavras


• Hibridismo: são palavras compostas, ou derivadas, constituídas por elementos originários de línguas
diferentes:
automóvel e monóculo, grego e latim

sociologia, bígamo, bicicleta, latim e grego

alcalóide, alcoômetro, árabe e grego

sambódromo - africano e grego

• Onomatopéia: reprodução imitativa de sons:


pingue-pingue, zunzum, miau.

• Abreviação vocabular: redução da palavra até o limite de sua compreensão:


(metrô, moto, pneu, extra, dr., obs.)

• Siglas: a formação de siglas utiliza as letras iniciais de uma seqüência de palavras:


Academia Brasileira de Letras - ABL. A partir de siglas, formam-se outras palavras também (aidético, petista)

• Neologismo: nome dado ao processo de criação de novas palavras, ou para palavras que adquirem um
novo significado.

Atividade 1
Ponha nos parênteses a letra correspondente ao processo de formação.
A - Derivação prefixal D - Derivação regressiva
B - Derivação sufixal E - Comp. justaposição
C - Derivação parassintética F - Comp. Aglutinação

01. ( ) jogador 11. ( ) desonestidade


02. ( ) passatempo 12. ( ) plenilúnio
03. ( ) emudecer 13. ( ) super-homem
04. ( ) desligar 14. ( ) caixa- d‘água
05. ( ) aguardente 15. ( ) ultrassom
06. ( ) cor-de-rosa 16. ( ) embarcar
07. ( ) choro (subst.) 17. ( ) embarcação
08. ( ) fidalgo 18. ( ) estudos
09. ( ) prever 19. ( ) medrosas
10. ( ) bondoso 20. ( ) sufixo

Atividade 2

Classifique os elementos em destaques de acordo com os seguintes códigos:


PR - prefixo DV - desinência verbal
SF - sufixo VT - vogal temáti
RD - radical VL - vogal de ligação
TM - tema CL - Consoante ligação
DN - desinência nominal

01. constituição ____ 14. boiada ____


02. constituindo ____ 15. boiando ____
03. incerteza ____ 16. ferrugem ____
04. adjunto ____ 17. ferroso ____
Língua Portuguesa

05. armazenem ___ 18. justapor ____


06. correm ____ 19. justa ____
07. cafeicultor ____ 20. vendíamos ____
08. redescobrir ____ 21. vendêssemos ____
09. esterilizar _____ 22. aguaceiro ____
10. parteirazinha ____ 23. amável ____
11. andamos ____ 24. flor - de - lis ____
12. gravíssima _____ 25. mata - burro _____
13. calmamente ____ 26. sabemos ____

29
Prof. Juliano Viegas

5.3 Significado das palavras


O significado de algumas palavras pode ser identificado através da estrutura de seus elementos mórficos.
Na seqüência veremos os prefixos, os sufixos e os radicais, a partir de sua origem grega ou latina e a relação
com a língua portuguesa.

5.3.1 Principais prefixos latinos


• a-, ab-, abs- (indica afastamento; separação = aberrar, abdicar, abster, abstrair, amovível, aversão);
• a-, ad-, ar-, as- (movimento para; aproximação; direção = adjunto, adnominal, adjetivo, adventício, advogado,
abordar, apurar, arribar, arraigar, associar, assimilar);
• ante- (anterioridade; precedência = antepor, anteceder, antebraço, antecâmara);
• circu-, circum- (movimento em torno, posição em redor= circumpolar, circum-ambiente, circunavegação,
circunferência);
• cis- (posição aquém = cisplatino, cisandino);
• co-, com-, con-, cor- ([da preposição latina cum] concomitância, companhia, ação conjunta = competir,
companheiro, concorrer, congregar, cooperar, coerente, corroborar, corrosivo);
• contra- (oposição, ação conjunta = contradizer, contraveneno, contrapeso);
• de- (movimento de cima para baixo = declive, débil, decrescente, decapitar);
• des- (separação, ação contrária, negação = desviar, desleal, desfazer, desprotegido);
• di-, dir-, dis- (dualidade, divisão, separação, movimento em muitos sentidos = disforme, discutir, dissemi-
nar, dirimir, dilacerar, difundir);
• entre- (posição intermediária = entreato, entrelinha, entretela, entremeio);
• ex-, es-, e- (movimento para fora, afastamento, estado anterior = extrair, expectorar- exportar, escorrer,
esquecer, emigrar, emergir);
• extra- (posição exterior = extraordinário, extravasar, extramuros);
• in-, im-, i-, ir-, em-, en- (movimento para dentro, tendência, mudança de estado = incrustar, ingerir, investigar,
impressão, imigrar, irromper, enterrar, embarcar, enformar);
• in-, im-, i-, ir- (sentido exclusivamente negativo, de privarão [é de etimologia diferente do in- anterior] =
indecente, inerte, impróprio, imberbe, ilegal, imoral, ignorar, irrestrito);
• intra- (posição interior = intravenoso, intrapulmonar, intramedular);
• intro- (movimento para dentro = introduzir, intrometer, intróito, introspecção);
• justa- (posição ao lado, perto de = justaposto, justafluvial, justalinear);
• ob-, o-, os- (posição em frente, diante de, oposição = objeto, obstáculo, ofuscar, opor, ocupar, ostentar);
• per- (movimento através = perpassar, permeável, perfurar, pernoitar);
• pos- (ação posterior = posdatar, postergar, postônica, posposto);
• pre- (anterioridade = predatar, prefixo, preliminar, prefácio, pré-tônica);
• pro- (movimento para a frente, diante de = prosseguir, progredir, profano, proclamar);
• re- (movimento para trás, repetição = regredir, reagir, reiterar, recomeçar);
• retro- (movimento mais para trás = retroceder, retrospectiva, retrocesso, retroagir);
• soto-, sota- (posição inferior = sotopor, soto-mestre, sota-capitão);
• sub-, sus-, su-, sob-, so- (movimento de baixo para cima, estado inferior, redução = sublevar, subir, subalter-
no, suspender, suspeitar, sufocar, sobpor, sopé, sonegar, soerguer, soterrar);
• super-, sobre-, supra- (posição em cima, posição acima, excesso, intensidade = superpor, supercílio,
supérfluo, sobrecarga, sobreviver, supra-renal, supramencionado);
• trans-, trás-, tres- (movimento para além de; posterioridade, posição excedente = transmontano, transpor,
transportar, transbordar, trasladar, trespasse, tresmalhar);
• ultra- (posição além de, excesso = ultramar, ultrapassar, ultra-som);
• vice-, vis- (substituição, em lugar de = vice-presidente, vice-rei, visconde).

5.3.2 Principais prefixos gregos


• an-, a- (sentido exclusivamente negativo, privação = anarquia, anônimo, ateu, acéfalo, afônico);
• aná- (ação ou movimento contrário, repetição = anagrama, anáfora, análise);
• anfi- (de um e outro lado, em torno de = anfiteatro, anfíbio);
• anti- (oposição = antípoda, antipatia, antiaéreo, anticlerical);
• apó- (afastamento, separação = apogeu, apócrifo, apóstolo);
Língua Portuguesa

• arqui-, arc-, arque-, arce-, arci- (procedência, superioridade = arquipélago, arquiteto, arcanjo, arquétipo,
arcebispo, arcipreste) catá- (movimento de cima para baixo, posição superior, oposição = catástrofe, catapulta,
catálogo, catacrese);
• diá-, di- (movimento através de, passagem, afastamento = diagonal, diâmetro, diagnóstico, diocese, diurético);
• dis- (dificuldade, falta, privação = dispnéia, disenteria, dissimetria);
• ec-, ex- (movimento para fora, separação = eclipse, eclético, êxodo, exorcismo);
• en-, em-, e- (posição interna, posição sobre = encéfalo, energia, entusiasmo, emplasto, elipse);
• endo-, end- (posição interior, movimento para dentro = endotérmico, endoscopia, endosmose);
• epi- (posição superior, movimento pura, cm direção a = epiderme, epílogo, epitáfio, epístola, epíteto);
• eu-, ev- (bem, bom, felizmente = eucaristia, eufonia, eufemismo, evangélico);

30
Prof. Juliano Viegas

• hiper- (posição superior, excesso = hipérbole, hipertrofia, hipertensão);


• hipo- (posição inferior = hipotenusa, hipótese, hipocrisia);
• meta-, met- (movimento de um lugar para outro, mudança = metamorfose, metáfora, meteoro, metonímia);
• para-, par- (proximidade, comparação = paradigma, paradoxo, parasita, paródia, paralelo);
• peri- (em torno de, ao redor de = perímetro, perífrase, peripécia);
• pró- (posição em frente, movimento para frente = problema, prólogo, prognóstico, programa);
• sin-, sim-, si- (simultaneidade, reunião, companhia = sinfonia, sincronia, síncope, símbolo, simpatia, silepse,
sílaba).

5.3.3 Sufixos
Os sufixos podem ser divididos em três tipos:
• sufixo nominal: aquele responsável pela formação de nome (substantivo ou adjetivo): pad-eiro, favel-ado.
• sufixo verbal: aquele responsável pela formação de um verbo: computador + izar.
• sufixo adverbial: aquele responsável pela formação de advérbio; em pó

5.3.3.1 Principais sufixos nominais


Sufixos aumentativos
• -aça (barcaça, barbaça);
• -aço (estilhaço, ricaço);
• -alhão (brincalhão, vagalhão);
• -anzil (corpanzil);
• -ão (chorão, sapatão);
• -aréu (fogaréu, povaréu);
• -arra (naviarra, bocarra);
• -arrão (canzarrão, homenzarrão);
• -astro (poetastro, medicastro);
• -az (voraz, cartaz);
• -ázio (copázio, gatázio);
• -eirão (vozeirão, asneirão);
• -orra (cabeçorra, beiçorra);
• -aça (dentuça, carduça)

5.3.3.2 Sufixos diminutivos


• -acho (a), -icho (a), -ucho (a) (riacho, fogacho, cornicho, barbicha, gorducho, papelucho);
• -ebre (casebre)
·• -eco (a), -ico (a) (jornaleco, soneca, Antonico, burrico);
• -ela (rodela, viela, janela);
• -elho (a), -ejo, ilho (a) (artelho, rapazelho, lugarejo, quintalejo, ladrilho, cartilha);
• -ete, -eto (a), -ito (a), -ote (a) (lembrete, artiguete, coreto, saleta, cabrito, Manuelito, casita, filhote, serrote,
velhota);
• -inho (a), -ino (a), -im (amiguinho, menininha, pequenino, violino, neblina, espadim, camarim);
• -isco (a), -usco (a) (chuvisco, asterisco, odalisca, velhusco, chamusco);
• -oca (sitioca, engenhoca);
• -ola (rapazola, gaiola, fazendola);

5.3.3.3 Sufixos diminutivos eruditos


• -ículo (a) (artículo, cubículo, gotícula, película, partícula);
• -ulo (a) (glóbulo, grânulo);
• -únculo (a) (homúnculo, questiúncula);
• -úsculo (a) (corpúsculo, opúsculo);

5.3.4 Outros sufixos nominais


• -áceo (a) (semelhança, pertinência = galináceo, rosácea, farináceo, herbáceo);
• -ácea (qualidade, ação = audácia, falácia);
• -aco (a) (relação íntima, estado íntimo, origem = austríaco, maníaco, cardíaco, demoníaco, amoníaco,
Língua Portuguesa

zodíaco);
• -ado (a), -ato (a) (posse, instrumento, matéria, quantidade = barbado, avermelhado, bispado, paulada,
cacetada, bananada, laranjada, boiada, noitada, temporada, sensato, cordato);
• -agem (ação, resultado de ação, relação íntima = viagem, miragem, imagem, homenagem, folhagem,
selvagem);
• -aico (referência, pertinência = prosaico, judaico, arcaico, incaico, hebraico);
• -al, -ar (pertinência, coleção, quantidade, cultura de vegetais = genial, mortal, areal, pantanal, curral, tribunal,
arrozal, bananal, familiar, militar);
• -alha (quantidade pejorativa = canalha, gentalha, parentalha);
• -ama, -ame (quantidade = dinheirama, vasilhame, madeirame);

31
Prof. Juliano Viegas

• -anca, -ância (ação, resultado da ação, estado = esperança, lembrança, ignorância, vigilância, tolerância);
• -ando (a) (ação furtiva aplicada a um indivíduo = doutorando, vestibulando);
• -aneo (a) (modo de ser, capacidade = contemporâneo, sucedâneo, instantâneo, momentâneo);
• -ano (a) (proveniência, origem, semelhança, sectário ou partidário de = italiano, sergipano, paulistano,
republicano, parnasiano, camoniano, meridiano, cotidiano);
• -ão(ã) (forma popular do sufixo -ano (a) = alemão, aldeão, beirão);
• -aria, -eiro (a) (atividade, estabelecimento comercial, coleção = pizzaria, padaria, estrebaria, tesouraria,
livraria, pedraria,bruxaria)
• -ário(a) (profissões, lugares onde -se guardam coisas = operário, mandatário, escriturário, vestiário, armário);
• -ção, -são (ação, resultado da ação = condição, traição, extensão, prisão, visão);
• -dade (qualidade, modo de ser, estado = dignidade, bondade, maldade, castidade, crueldade, normalidade,
ruindade, falsidade);
• - ouro (a) (pertinência, ação = vindouro, ancoradouro, manjedoura);
• -dura, -tura, -sura (resultado da ação, instrumento de uma ação = assadura, armadura, ditadura, criatura,
abertura, tintura, mensura, clausura);
• -edo (cheio de = arvoredo, vinhedo, olivedo, rochedo, lajedo, passaredo);
• -el (formador de adjetivos = cruel, fiel);
• -ença, -ência (ação ou resultado da ação = crença, doença, presença, diferença, violência, falência, ocorrên-
cia, prudência);
• -engo (a) (relação, pertinência, posse = mulherengo, flamengo, realengo);
• -eno (a) (referência, origem = terreno, chileno, nazareno, obsceno);
• -ense, -ês (a) (origem, procedência, relação = parisiense, piauiense, fluminense, português, francês, cor-
tês, burguês, inglesa);
• -ente, -ante, -inte (agente, ação, qualidade, estado = doente, poente, agente, navegante, pedinte, ouvinte,
constituinte);
• -ento (a) (agente, cheio de, que tem o caráter de = barulhento, poeirenta, ciumento, avarento, lamacento);
• -esco (a), -isco (a) (relação, semelhança, qualidade = carnavalesco, quixotesco, parentesco, gigantesco,
mourisco);
• -este (relação = agreste, celeste);
• -estre (relação = pedestre, campestre, silvestre, terrestre);
• -eu (origem, procedência, relação = hebreu, judeu, europeu, galileu);
• -ez, -eza (formam substantivos abstratos = altivez, surdez, palidez, riqueza, beleza, safadeza, avareza, tristeza);
• -ia (qualidade, estado, propriedade, profissão = moléstia, alegria, chefia, diretoria, filosofia);
• -iça, -ícia (formam substantivos abstratos = justiça, preguiça, cobiça, malícia);
• -ice, -ície (formam substantivos abstratos = velhice, meninice, doidice, imundície, calvície);
• -ício (a), -iço (a) (relação, referência = alimentício, natalício, adventício, patrício, movediço, quebradiço);
• -il (semelhança, referência = pueril, senil, hostil, civil, febril, canil);
• -ino((A) (relação, semelhança, origem, natureza = divino, latino, cristalino, londrino, marroquino, matutino,
peregrino);
• -io(a) (relação = vazio, estio, sadio, sombrio, tardio, fugidio);
• -ismo (doutrina, escola, teoria, sistema, modo de proceder ou pensar, ação = socialismo, capitalismo,
comunismo, romantismo, ostracismo, realismo, anarquismo, terrorismo, exorcismo);
• -ista (partidário ou sectário de doutrina, sistema, teoria, principio, agente, ocuparão, origem = socialista,
capitalista, comunista, simbolista, realista, anarquista, dentista, artista, pianista, budista, paulista, sulista, nortista);
• -ita (origem, pertinência = eremita, jesuíta, israelita, selenita);
• -ite (inflamação = amigdalite, bronquite, gastrite, estomatite);
• -mento (a) (instrumento, coleção, ação ou resultado da ação = ferramenta, vestimenta, fardamento, ferimento,
casamento, sentimento, armamento);
• -onho (a) (propriedade hábito constante = risonho, medonho, tristonho, enfadonho);
• -or (qualidade, propriedade = sabor, amargor, fervor);
• -(d)or, -(t)or, -(s)or (agente, profissão, instrumento de ação = trabalhador, corredor, escritor, inspetor, leitor,
agressor, professor, confessor);
• -oso (a) (abundância, plenitude = famoso, apetitoso, meticuloso, medrosa, saudosa, venenosa);
• -oz (formador de adjetivos = veloz, atroz, feroz);
• -tério (instrumento, lugar onde se faz algo = saltério, cemitério, necrotério, batistério);
• -tico (a) (relação = rústico, aromático, aquático, fanático, lunático);
Língua Portuguesa

• -tório (a) (lugar, resultado da ação = refeitório, laboratório, imigratório, vitória);


• -tude, -dão (formador de substantivos abstratos = amplitude, juventude, similitude, magnitude, solidão,
gratidão, retidão);
• -udo (a) (provido ou cheio de = peludo, barbudo, carnuda, narigudo, pontudo);
• -ugem (semelhança, quantidade = ferrugem, penugem, rabugem);
• -ulho (quantidade, coleção = pedregulho, marulho, barulho);
• -ume (resultado de ação, coleção = azedume, queixume, negrume, cardume);
• -ura (formador de substantivos abstratos = alvura, candura, formosura, ternura);
• -urno (a) (duração = diurno, noturno, taciturna);
• -vel (possibilidade ou posse = impagável, inestimável, indelével, cabível, perecível);
• rtuguês apenas o sufixo -mente: feliz-mente

32
Prof. Juliano Viegas

5.3.5 Principais radicais gregos e latinos

5.3.5.1 Radicais gregos


• acro (alto, elevado = acrobata, acrópole, acrofobia);
• aer, aero (ar = aeronave, aeronauta);
• agogo (o que conduz = pedagogo, demagogo);
• agro (campo = agronomia, agrônomo);
• alg, algia (dor, sofrimento = analgésico, nevralgia);
• andro (homem, macho = andrógino, androfobia);
• anemo (vento = anemógrafo, anemômetro);
• antropo (ser humano = antropocentrismo, antropofagia);
• arcai, arqueo (antigo, velho = arcaísmo, arqueologia);
• aristo (ótimo, o melhor = aristocracia, aristocrata);
• aritmo (número = aritmética, aritmologia);
• arquia (governo = monarquia, anarquia);
• asteno, astenia (fraqueza, debilidade = astenopia, neurastenia);
• astro (corpo celeste = astronomia, astrodinâmica);
• atmo (gás, vapor = atmosfera, atmômetro);
• baro (pressão, peso = barômetro, barítono);
• bata (o que anda = acrobata, nefelibata);
• biblio (livro = biblioteca, bibliotecário);
• bio (vida = biologia, biografia);
• caco (feio, mau = cacofonia, cacoépia);
• cali (belo = caligrafia, calidoscópio);
• cardio (coração = cardíaco, cardiograma);
• cefalo (cabeça = acefalia, cefaléia);
• ciclo (círculo = ciclometria, bicicleta, triciclo);
• cine, cinesi (movimento = cinética, cinesalgia);
• cito (célula = citologia, citoplasma);
• cosmo (mundo, universo = cosmovisão, macrocosmo);
• cracia (poder, autoridade = gerontocracia, tecnocracia);
• cromo (cor = cromogravura, cromógeno);
• crono (tempo = cronômetro, cronograma);
• datilo (dedo = datilografia, datiloscopia);
• deca (dez = decâmetro, decalitro);
• demo (povo = democracia, demográfico);
• derma (pele = dermatologista, dermite);
• di (dois = dissílabo, ditongo);
• dinamo (força, potência = dinamite, dinamismo);
• doxo (crença, opinião = ortodoxo, paradoxo);
• dromo (corrida = autódromo, hipódromo);
• eco (casa, domicílio, habitat = ecologia, ecônomo, ecossistema);
• edro (base, face = poliedro, pentaedro);
• ergo (trabalho = ergofobia, ergógrafo);
• esperma, espermato (semente = espermatologia, espermatozóide);
• etio, etimo (origem = etiologia, etimologia);
• etno (raça, nação = etnia, etnocentrismo);
• fago (que come ou aquele que come = antropófago, necrófago);
• filo (amigo, amante = fílósofo, filantropo);
• fisio (natureza física ou moral = fisiologia, fisionomia, fisioterapia);
• fobo (aversão = claustrofobia, xenofobia);
• fono (som, voz = fonógrafo, fonoteca);
• gamo (casamento = gamomania, monogamia);
• gastro (estômago = gastronomia, gástrico);
• gene (origem = gênese, genética);
• geo (terra = geografia, geóide);
Língua Portuguesa

• gine, gineco (mulher = andrógino, ginecocracia);


• gono, gonio (ângulo = polígono, goniômetro);
• grafia (escrita = ortografia, caligrafia);
• helio (sol = heliocentrismo, heliografia);
• hemo (sangue = hemorragia, hemograma);
• hepato (fígado = hepatite, hepático);
• hetero (outro, diferente = heterossexual, heterogêneo);
• hidro (água = hidrografia, hidrófilo);
• higro (umidade = higrômetro, higrófilo);
• hipno (sono = hipnose, hipnotismo);

33
Prof. Juliano Viegas

• hipo (cavalo = hipódromo, hipopótamo);


• homeo, homo (semelhante = homeopatia, homossexual);
• icon, icono (imagem = iconoclasta, iconografia);
• ictio (peixe = ictiofagia, ictiologia);
• iso (igual = isóbaro, isósceles);
• latria (culto = idolatria, alcoólatra);
• lito (pedra = litografia, aerólito);
• log, logia (estudo = ginecologia, astrologia);
• macro (grande = macrocosmo, macrobiótica);
• mancia (adivinhação = quiromancia, cartomancia);
• mani, mania (loucura = manicômio, cleptomania);
• mega, megalo (grande = megalomaníaco, megalocefalia);
• meso (meio = Mesopotâmia, mesóclise);
• metro (que mede, medição = barômetro, termômetro);
• micro (pequeno = microcosmo, microfone);
• miso (ódio, aversão = misantropia, misossofia);
• mito (fábula = mitologia, mitomania);
• mnemo (memória = amnésia, mnemônico);
• mono (único, sozinho = monarquia, monobloco);
• morfo (forma = zoomórfico, amorfo, morfologia);
• necro (morte, cadáver = necrotério, necrofilia);
• neo (novo, moderno = neologismo, neolatino);
• neuro (nervo = neurite, neuralgia);
• nomo (regra, lei = nomologia, agrônomo);
• odonto (dente= odontologia, odontalgia);
• oftalmo (olho = oftalmologista, oftalmia);
• oligo (pouco = oligarquia, oligopólio);
• onimo (nome = ortônimo, sinônimo);
• onir, oniro (sonho = onírico, oniromancia);
• ornito (ave = ornitologia, ornitofilia);
• orto (reto, correto = ortônimo, ortografia);
• oxi (agudo, ácido = oxítona, oxidação);
• paleo (antigo = paleografia, paleontologia);
• pato (doença, sofrimento = patologia, patogenia);
• pedia (educação = ortopedia, pediatria);
• pole, polis (cidade = metrópole, acrópole, Florianópolis);
• poli (muito = poligamia, polígono, politeísmo);
• potamo (rio = Mesopotâmia, hipopótamo);
• pneumato (ar, gás, espírito = pneumatologia, pneumatólise);
• pneum(o) (pulmão = pneumonia, pneumotórax);
• proto (primeiro = protozoário, protótipo);
·• pseudo (falso = pseudônimo);
• psico (alma, espírito = psicologia, psiquiatria);
• quiro (mão = quiromancia);
• rino (nariz = rinite, rinoceronte);
• rizo (raiz = rizotônico, rizófago);
• scopio (o que faz ver = telescópio, microscopia);
• sema, semio (sinal = semáforo, semiótica);
• sidero (ferro, aço = siderurgia, siderografia);
• sismo (terremoto = sísmico, sismógrafo);
• sofo (sábio = filosofia, sofomaníaco);
• soma, somo, somato (corpo, matéria = cromossomo, somatologia);
• stico (linha, verso = dístico, hemistíquio);
• tanato (morte = eutanásia, tanatofobia);
• taqui (rápido = taquicardia, taquigrafia);
• teca (coleção = fonoteca, filmoteca, discoteca);
Língua Portuguesa

• tecno (arte, ofício = tecnologia, tecnocracia);


• tele (ao longe, distância = telefone, telescópio, telégrafo);
• teo (deus, divindade = teocentrismo, teocracia);
• termo (calor, temperatura = termômetro, térmico, termostato);
• topo (lugar, localidade = topografia, topônimo);
• xeno (estranho = xenofobia, xenofilia);
• xer, xero (seco, secura = xerófilo, xerografia);
• xilo (madeira = xilogravura, xilófago);
• zoo (animal = zoologia, zoomorfo).

34
Prof. Juliano Viegas

5.3.5.2 Radicais latinos

• agri (campo = agricultura, agrícola);


• ambi (ambos = ambivalência, ambidestro, ambíguo);
• ambulo (caminhar, andar = sonâmbulo, noctâmbulo);
• animi (alma = animicida, anímico);
• arbori (árvore = arborícola, arboriforme, arboricultura);
• beli (guerra = bélico, belicista, beligerante);
• bi, bis (repetição, duas vezes = bisavô, bilíngüe, bissexual);
• calori (calor = caloria, calorífero);
• cida (que mata = vermicida, inseticida);
• cola (que habita, que cultiva = vinícola, citrícola);
• cole, colo (pescoço = colar, colarinho);
• color (cor, coloração = colorífico, quadricolor);
• cordi (coração = cordial);
• corn(i) (chifre, antena = cornear, cornudo, cornucópia);
• crimino (crime = criminoso, criminologia);
• cruci (cruz = crucificado);
• cultura (ato de cultivar = suinocultura, piscicultura);
• cupr(i) (cobre = cúprico, cuprífero);
• curvi (curvo = curvilíneo);
• deci (décimo = decímetro, decigrama);
• digit(i) (dedo = digitador, digitação);
• dui (dois = duidade, duelo);
• ego (eu = egocentrismo, egoísmo);
• equi (igual = equivalência, eqüidistante);
• estil(i) (estilo = estilista, estilismo);
• estrato (coberta, camada = estratosfera, estrato);
• evo (idade = longevidade, longevo, medievo);
• fero (que contém = mamífero, carbonífero);
• ferr(i), ferro (ferro = ferrovia, ferrífero, ferrugem);
• fico (que faz, que produz = benéfico, maléfico, frigorífico);
• fide (fé = fidelidade, fidedigno);
• fili (filho = filiação, filial);
• forme (forma = uniforme, disforme, cordiforme);
• frater (irmão = fraterno, fratricida);
• frig(i) (frio = frigidez, frigorífico);
• fugo (que foge = centrífugo, vermífugo);
• genito (relativo a geração = genitor);
• gradu (grau, passo = centígrado, graduação);
• herbi (erva = herbívoro, herbicida);
• homin(i) (homem = hominal, homicídio);
• igni (fogo = ignição, ígneo);
• lati (largo, amplo = latifúndio, latofólio);
• loquo (que fala = ventríloquo, altíloquo);
• luc(i) (luz = lucidez, lúcido);
• mini (muito pequeno = minissaia, mínimo);
• multi (numeroso = multissecular, multiangular);
• ocul(i) (olho = oculista, oculiforme);
• odori (odor, cheiro = odorífero, desodorante);
• oni (tudo, todo = onipresente, onisciente);
• pani (pão = panificadora);
• pari (igual = paridade, paritário);
• ped(i), pede (pé = pedestre, pedicuro, bípede);
• personal(i) (pessoal = personalidade, personificar);
• petr(i) (pedra = petrificar, petróleo);
• pisci (peixe = piscicultura, pisciano);
Língua Portuguesa

• plani (plano = planisfério, planície);


• pluri (muitos = pluralizar, pluricelular);
• pluvio (chuva = pluviômetro, pluviosidade);
• popul(o) (povo = populoso, populismo);
• primi (primeiro = primogênito, primícias);
• quadr(i), quadru (quatro = quadrangular, quadrúpede, quadricular);
• radic(i) (raiz = radicar, radiciação);
• reti (reto, direito = retificar, retilíneo);
• reti (rede = reticulado, retiforme);
• retro (movimento para trás = retroceder, retroagir);

35
Prof. Juliano Viegas

• sabat(i) (sábado = sabatina, sabatismo);


• sacar(i) (açúcar = sacarífero, sacarose, sacarina);
• sesqui (um e meio = sesquicentenário, sesquipedal);
• sexi, sexo (sexo = sexologia, assexuado);
• sideri (astro = sideral, sidério);
• silvi (selva = silvícola, silvicultura);
• sino (da China = sinologia, sino-brasileiro);
• socio (sociedade = sociologia, sociolingüística);
• sono (som, ruído = sônico, sonoplastia);
• sudor(i) (suor = sudoríparo, sudoral);
• telur(i) (terra, solo = telúrico, telurismo);
• toni (tom, vigor = tônico, tonificar);
• toxico (veneno = toxicomania, toxina);
• triti (trigo = triticultura, triticultor);
• veloci (veloz = velocípede, velocímetro);
• vermi (verme = vermífugo, vermicida);

○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício V
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. A palavra “aguardente” formou-se por: 06. O vocábulo ESPANTOSO é formado por:
(A) hibridismo (A) derivação prefixal
(B) aglutinação (B) derivação sufixal
(C) justaposição (C) derivação prefixal e sufixal
(D) parassíntese (D) aglutinação
(E) derivação regressiva (E) justaposição

02. Assinale a opção em que todas as palavras se 07. A palavra cujo sufixo indica lugar é:
formam pelo mesmo (A) rósea
processo: (B) aparato
(A) ajoelhar / antebraço / assinatura (C) banqueiro
(B) atraso / embarque / pesca
(D) escritório
(C) o jota / o sim / o tropeço
(E) substituição
(D) entrega / estupidez / sobreviver
(E) antepor / exportação / sanguessuga
08. No vocábulo CHEGAVAM, o elemento mórfico subli-
03. As palavras couve-flor, planalto e aguardente são nhado chama-se:
formadas por: (A) tema
(A) derivação (D) composição (B) radical
(B) onomatopéia (E) prefixação (C) sufixo
(C) hibridismo (D) desinência modo-temporal
(E) desinência número-pessoal
04. As palavras entardecer, desprestígio e oneroso,
são formadas, respectivamente, por: 09. O vocábulo formado por derivação prefixal e sufixal é:
(A) prefixação, sufixação e parassíntese (A) reconquistado
(B) sufixação, prefixação e parassíntese (B) riqueza
(C) parassíntese, sufixação e prefixação (C) empobrecer
(D) sufixação, parassíntese e prefixação (D) enriquecer
(E) parassíntese, prefixação e sufixação (E) anoitece

05. Considerando o processo de formação de palavras, 10. Na palavra “associamos”, o elemento assinalado é:
relacione a coluna II com a coluna I: (A) desinência nominal
Coluna I (B) tema
(1) derivação imprópria (C) desinência verbal
(2) prefixação (D) vogal temática
(3) prefixação e sufixação (E) vogal de ligação
Língua Portuguesa

(4) sufixação
(5) composição por justaposição 11. Temos uma prefixação e sufixação em:
Coluna II
(A) impureza
( ) desenredo
(B) malmequer
( ) narrador
(C) embandeirar
( ) infinitamente
(D) pernigrosso
( ) o voar
( ) pão de mel (E) naviozinho
(A) 3, 4, 2, 5, 1 (D) 2, 4, 3, 5, 1
(B) 2, 4, 3, 1, 5 (E) 4, 1, 5, 2, 3
(C) 4, 1, 5, 3, 2

36
Prof. Juliano Viegas

12. As palavras auriverde e humanização são respec- 16. Considere as seguintes afirmações:
tivamente: I - Quando usamos a palavra monstro como adje-
(A) derivação por aglutinação e composição por tivo temos uma derivação imprópria.
aglutinação II - A derivação da palavra cabralino transforma um
(B)derivação prefixal e composição por justa posi- nome próprio em um adjetivo através do acrésci-
ção mo de um sufixo.
(C) composição por aglutinção e derivação sufixal III - As palavras inaceitável, incorporado, e intole-
(D) derivação parassintética e derivação prefixal e rância apresentam o mesmo prefixo.
sufixal (A) Apenas I
(E) composição por justaposição e composição por (B) Apenas I e II
aglutinação (C) Apenas I e III
(D) Apenas II e III
13. Assinale a alternativa em que uma das palavras não (E) I, II e III
é formada por prefixação:
(A) readquirir, predestinado, propor 17. O prefixo de irregular difere semanticamente de
(B) dever, deter, antever prefixo de:
(C) remeter, conter, antegozar (A) imigrante
(D) irrestrito, antípoda, prever (B) desumano
(E) irregular, amoral, demover (C) ilimitado
(D) anormalidade
14. Aponte a alternativa cujas palavras são respectiva- (E) intolerância
mente justaposição, aglutinação e parassíntese:
(A) varapau, girassol, enfeixar 18. Ao apresentar a forma Encorujar-se o autor possi-
(B) pontapé, anoitecer, ajoelhar bilita que entendamos que ela é derivada do subs-
(C) vaivém, pontiagudo, enfurecer tantivo coruja, com o acréscimo de
(D) maldizer, petróleo, embora (A) um prefixo e de um sufixo que deriva verbos de
(E) penugem, plenilúnio, despedaçada substantivos.
(B) um prefixo que deriva adjetivos de substantivos
15. Sobre a palavra inatingível são feitas as três cita- e de um sufixo.
ções: (C) um radical e de um sufixo que deriva verbos de
I - Trata-se de uma palavra que não apresenta substantivos.
variações de gênero gramatical. (D) um prefixo e de um sufixo que deriva adjetivos de
II - Contém um prefixo que significa movimento para substantivos.
dentro. (E) uma desinência verbal que indica modo, tempo
III - Apresenta um sufixo que deriva adjetivos de e pessoa.
verbos.
Quais são corretas? 19. Assinale a alternativa cujo sufixo tem o mesmo valor
(A) apenas I. significativo do que o de mudança.
(B) apenas II. (A) pobreza
(C) apenas I e III. (B) jogador
(D) Apenas II e III. (C) dignidade
(E) I,II e III. (D) navegante
(E) traição

Língua Portuguesa

37
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 6
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Classe de palavras
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

As palavras são classificadas de acordo com as funções exercidas nas orações.


Na língua portuguesa podemos classificar as palavras em:
• Substantivo • Adjetivo • Pronome
• Verbo • Artigo • Numeral
• Advérbio • Preposição • Interjeição

6.1 Substantivo
É a palavra variável que denomina qualidades, sentimentos, sensações, ações, estados e seres em geral.

6.1.1. Classificação do substantivo


Primitivo: não se origina de outra palavra:
jornal, pedra, trabalho

Derivado: forma-se a partir de um primitivo:


jornalista, pedregulho, trabalhador

simples: apresenta apenas um radical:


alface, garoto, cidade.

Composto: apresenta mais de um radical:


guarda-chuva, peixe-boi, girassol.

Comum: nomeia o ser de uma maneira geral, dentro da sua espécie:


cidade, homem, atleta.

Próprio: nomeia um ser específico entre todos de uma espécie (nomes registrados):
Curitiba, Pedro, Pelé.

Concreto: nomeia um ser real ou imaginário, de natureza independente, se há concretização da imagem do


substantivo ou se podemos senti-lo, esse será concreto:
mesa, chuva, saci.

Abstrato: nomeia uma ação, qualidade ou estado:


fuga, felicidade, cegueira.

Coletivo: esigna um conjunto de seres ou coisas da mesma espécie, veja alguns coletivos:

abecedário – de letras discoteca – de discos


acervo – de obras de artes elenco – de atores
alcateia – de lobos esquadrilha – de aviões
arquipélago – de illhas fato – de cabras
atlas – de mapas flora – de plantas
banda – de músicos galeria – de estátuas
bando – de aves horda – de bandidos
biblioteca – de livros manada – de animais
cardume – de peixes molho – de chaves, de capim
chusma – de criados pinacoteca – de quadros, de telas
Língua Portuguesa

código – de regulamentos plêiade – de homens notáveis


colégio – de alunos, de eleitores resma – de folhas de papel
colmeia – de abelhas réstia – de alhos, de cebolas
constelação – de estrela vara – de porcos
cordilheira – de montanhas vocabulário – de palavras.
década – de dez anos

38
Prof. Juliano Viegas

6.1.2 Gênero do Substantivo


(masculino X feminino) os substantivos podem ser:
• biformes: quando apresentam uma forma para o masculino e outra para o feminino:
rato – rata, conde – condessa, aluno - aluna
• uniformes: quando apresentam uma única forma para ambos os gêneros. Nesse caso, eles estão dividi-
dos em:
a) epicenos: usados para animais de ambos os sexos (macho e fêmea):
a cobra - a cobra macho / macha
o tigre - o tigre fêmea / fêmeo

atenção: Não se estranhe “cobra macha” ou “tigre fêmeo”. Fêmeo e macha são aí adjetivos, devem por isso
concordar com seu substantivo cobra (fem.) e tigre (masc.). Assim as duas situações são aceitas.

b) comum de dois gêneros: aqueles que designam pessoas, fazendo a distinção dos sexos por palavras
determinantes:
o aborígine / a aborígine, o herege / a herege, o manequim / a manequim, o mártir / a mártir.

c) sobrecomuns: apresentam um só gênero gramatical para designar pessoas de ambos os sexos –


o apóstolo, o cônjuge, o guia, a testemunha.

Observação: Alguns substantivos, quando mudam de gênero, mudam de sentido.

(o cisma X a cisma / o corneta X a corneta / o crisma X a crisma / o cura X a cura / o guia X a guia / o lente
X a lente / o moral X a moral / o maria-fumaça X a maria-fumaça / o voga X a voga).

Formação de alguns femininos


Quanto ao número (singular X plural), os substantivos simples formam o plural em função do final da palavra.
Os nomes terminados em -ão fazem feminino em -ã, -oa ou -ona = alemã, leoa, valentona.
Os nomes terminados em -e mudam-no para -a, entretanto a maioria é invariável = monge X monja, infante
X infanta, mas o/a dirigente, o/a estudante.
Algumas curiosidades sobre os substantivos
Palavras masculinas
• ágape (refeição dos primitivos cristãos);
• anátema (excomungarão);
• axioma (premissa verdadeira);
• caudal (cachoeira);
• carcinoma (tumor maligno);
• champanha, clã, clarinete, contralto, coma, diabete/diabetes (Fem. classificam como gênero vacilante);
• diadema, estratagema, fibroma (tumor benigno);
• herpes, hosana (hino);
• jângal (floresta da Índia);
• lhama, praça (soldado raso);
• praça (soldado raso);
• proclama, sabiá, soprano (Fe M classificam como gênero vacilante);
• suéter, tapa (FeM classificam como gênero vacilante);
• teiró (parte de arma de fogo ou arado);
• telefonema, trema, vau (trecho raso do rio).

Palavras femininas
• abusão (engano);
• alcíone (ave doa antigos);
• aluvião, araquã (ave);
• áspide (reptil peçonhento)
• baitaca (ave);
• cataplasma, cal, clâmide (manto grego);
Língua Portuguesa

• cólera (doença);
• derme, dinamite, entorce, fácies (aspecto);
• filoxera (inseto e doença);
• gênese, guriatã (ave);
• hélice (Fem. classificam como gênero vacilante);
• jaçanã (ave);
• juriti (tipo de aves);
• libido, mascote, omoplata, rês, suçuarana (felino);
• sucuri, tíbia, trama, ubá (canoa);
• usucapião (FeM classificam como gênero vacilante);
• xerox (cópia).

39
Prof. Juliano Viegas

Gênero vacilante
• acauã (falcão);
• inambu (ave);
• laringe, personagem (Ceg. fala que é usada indistintamente nos dois gêneros, mas que há preferência de
autores pelo masculino);
• víspora.
Alguns substantivos biformes
• abade - abadessa;
• abegão (feitor) - abegoa;
• alcaide (antigo governador) - alcaidessa, alcaidina;
• aldeão - aldeã;
• anfitrião - anfitrioa, anfitriã;
• beirão (natural da Beira) - beiroa;
• besuntão (porcalhão) - besuntona;
• bretão - bretoa, bretã;
• cantador - cantadeira;
• castelão (dono do castelo) - castelã;
• cavaleiro - cavaleira, amazona;
• charlatão - charlatã;
• cônsul - consulesa;
• cônego - canonisa;
• czar - czarina;
• diácono (clérigo) - diaconisa;
• doge (antigo magistrado) - dogesa;
• druida - druidesa;
• elefante - elefanta e aliá (Ceilão);
• embaixador - embaixadora e embaixatriz;
• ermitão - ermitoa, ermitã;
• hortelão (trata da horta) - horteloa;
• javali - javalina;
• felá (camponês) - felaína;
• flâmine (antigo sacerdote) - flamínica;
• frade - freira;
• frei - sóror;
• lebrão - lebre;
• maganão (malicioso) - magana;
• oficial - oficiala;
• padre - madre;
• papa - papisa;
• pardal - pardoca, pardaloca, pardaleja;
• parvo - párvoa;
• peão - peã, peona;
• perdigão - perdiz;
• prior - prioresa, priora;
• mu ou mulo - mula;
• rajá - rani;
• rapaz - rapariga;
• rascão (desleixado) - rascoa;
• sandeu - sandia;
• sintrão - sintrã;
• sultão - sultana;
• varão - matrona, mulher;
• veado - veada;
• vilão - viloa, vilã.
Língua Portuguesa

6.1.3 Formação do Plural dos substantivos


1. Substantivos em -ÃO e seus plurais
ditongo -ÃO: -ÕES / -ÃES / -ÃOS, variando em cada palavra: pagãos, cidadãos, cortesãos, escrivães, sacris-
tães, capitães, capelães, tabeliães, deães, faisães, guardiães.
Os substantivos paroxítonos terminados em - ão fazem plural em - ãos (bênçãos, órfãos, gólfãos). Alguns
gramáticos registram artesão (artífice) - artesãos e artesão (adorno arquitetônico) - artesões.

40
Prof. Juliano Viegas

Há substantivos que aceitam duas até três formações, veja abaixo:


• alão - alões, alãos, alães;
• aldeão - aldeãos, aldeões;
• capelão - capelães;
• castelão - castelãos, castelões;
• cidadão - cidadãos;
• cortesão - cortesãos;
• ermitão - ermitões, ermitãos, ermitães;
• escrivão - escrivães;
• folião - foliões;
• hortelão - hortelões, hortelãos;
• pagão - pagãos;
• sacristão - sacristães;
• tabelião - tabeliães;
• tecelão - tecelões;
• verão - verãos, verões;
• vilão - vilões, vilãos;
• vulcão - vulcões, vulcãos.

2. vogal ou ditongo (exceto -ÃO)


acréscimo de -S
porta / portas, troféu / troféus.

3.-EM, -IM, -OM, -UM


acréscimo de –NS: jardim/ jardins;

4. -R ou -Z
-ES = mar X mares, raiz X raízes.

5. -S
substantivos oxítonos acréscimo de -ES (país X países). Os não-oxítonos terminados em -S são invariáveis,
marcando o número pelo artigo (os atlas, os lápis, os ônibus), cais, cós e xis são invariáveis;

6. -N
-S ou -ES, sendo a última menos comum (hífen X hifens ou hífenes), cânon > cânones;

7. -X
invariável, usando o artigo para o plural: tórax / os tórax;

8. -AL, EL, OL, UL


troca-se -L por –IS: animal / animais, barril / barris. Exceto mal por males, cônsul por cônsules, real (moeda)
por réis, mel por méis ou meles;

9. IL
se oxítono, trocar -L por -S. Se não oxítonos, trocar -IL por –EIS: til / tis, míssil / mísseis. Observação: réptil /
reptil por répteis / reptis, projétil / projetil por projéteis / projetis;

10. Plural do diminutivo dos substantivos


sufixo diminutivo -ZINHO(A) / -ZITO(A): colocar a palavra primitiva no plural, retirar o -S e acrescentar o sufixo
diminutivo: ex.: coroneizinhos, mulherezinhas.
Observação: palavras com esses sufixos não recebem acento gráfico.

11. metafonia
-o tônico fechado no singular muda para o timbre aberto no plural, também variando em função da palavra.
(ovo X ovos, mas bolo X bolos).
Alguns substantivos que sofrem metafonia no plural:
Língua Portuguesa

abrolho, caroço, corcovo, corvo, coro, despojo, destroço, escolho, esforço, estorvo, forno, forro, fosso, impos-
to, jogo, miolo, poço, porto, posto, reforço, rogo, socorro, tijolo, toco, torno, torto, troco.

13. Substantivos compostos


Os substantivos compostos formam o plural da seguinte maneira:
1. Sem hífen forma o plural como os subst. simples pontapé/pontapés

2. Com hífen existe a regra geral:


Existindo o plural das duas palavras pluralizem as duas: guarda-noturno/ guardas-noturnos, segunda-feira/
segundas-feiras.

41
Prof. Juliano Viegas

ATENÇÃO: Porém há os substantivos compostos que não entram na regra geral. Veja:

1. Substantivo que contém verbo, o verbo é invariável.


Exemplo: guarda-chuva / guarda-chuvas.
(verbo)

Nenhum dos elementos vai para o plural se formado por verbos de sentidos opostos e frases substantivas.
Exemplo: os leva-e-traz, os bota-fora, os pisa-mansinho, os bota-abaixo, os louva-a-Deus, os ganha-
pouco, os diz-que-me-diz)

2. Pluralizados em elementos repetidos, muito parecidos ou onomatopaicos, só o segundo vai para o plural.
Exemplo: tico-ticos, tique-taques, corre-corres, pingue-pongues.

3. Com elementos ligados por preposição, apenas o primeiro se flexiona.


Ex. : pés-de-moleque.
Da preposição o ”S” não passa !

4. São invariáveis os elementos grão, grã e bel.


Exemplo: grão-duques, grã-cruzes, bel-prazeres.

5. Pluralizaremos o primeiro elemento nos compostos, sempre que a segunda palavra determinar a primeira
palavra, indicando tipo, semelhança ou finalidade deste
Exemplo: sambas-enredo, bananas-maçã ou usa-se a regra geral. Sambas-enredos, bananas-maçãs.

6. Nenhum dos elementos vai para o plural se formado por verbos de sentidos opostos e frases substantivas
(os leva-e-traz, os bota-fora, os pisa-mansinho, os bota-abaixo, os louva-a-Deus, os ganha-pouco, os diz-que-me-
diz);

14. Substantivos só usados no plural


anais, antolhos, arredores, arras (bens, penhor), calendas (1º dia do mês romano), cãs (cabelos brancos),
cócegas, condolências, damas (jogo), endoenças (solenidades religiosas), esponsais (contrato de casamento ou
noivado), esposórios (presente de núpcias), exéquias (cerimônias fúnebres), fastos (anais), férias, fezes, manes
(almas), matinas (breviário de orações matutinas), núpcias, óculos, olheiras, primícias (começos, prelúdios), pêsa-
mes, vísceras, víveres etc., além dos nomes de naipes.

6.1.4 Grau do substantivo


Os substantivos podem apresentar diferentes graus, porém grau não é uma flexão nominal. São três graus:
normal, aumentativo e diminutivo e podem ser formados através de dois processos:
• analítico: associando os adjetivos as palavras grande ou pequeno, ou similar ao substantivo.
Exemplo: grande projeto / pequeno projeto

• sintético: anexando-se ao substantivo sufixos indicadores de grau.


Exemplo: projetão / projetinho, meninão X menininho.

Certos substantivos, apesar da forma, não expressam a noção aumentativa ou diminutiva. (cartão, cartilha).

alguns sufixos aumentativo: -ázio, -orra, -ola, -az, ão, -eirão, -alhão, -arão, -arrão, -zarrão;

alguns sufixos diminutivo: -ito, -ulo-, -culo, -ote, -ola, -im, -elho, -inho, -zinho.
O sufixo -zinho é obrigatório quando o substantivo terminar em vogal tônica ou ditongo: cafezinho, paizinho.

6.2 Adjetivo
É a palavra variável que restringe a significação do substantivo, indicando qualidades e características deste.
Língua Portuguesa

Mantém com o substantivo que determina relação de concordância de gênero e número.

6.2.1 adjetivos pátrios


indicam a nacionalidade ou a origem geográfica, normalmente são formados pelo acréscimo de um sufixo
ao substantivo de que se originam.
Exemplo: Alagoas por alagoano.
Podem ser simples ou compostos, referindo-se a duas ou mais nacionalidades ou regiões; nestes últimos
casos assumem sua forma reduzida e erudita, com exceção do último elemento.
Exemplo: franco-ítalo-brasileiro.

42
Prof. Juliano Viegas

6.2.2 locuções adjetivas


expressões formadas por preposição e substantivo e com significado equivalente a adjetivos.
Ex.: anel de prata = anel argênteo , andar de cima = andar superior / estar com fome = estar faminto.
Podemos encontra uma locução adjetiva em duas formas:
a) Após o substantivo;
Eu a vi na janela de cima.
b) Após um verbo de ligação;
Joana é pra frente nas festas.
VL loc. Adj.

6.3.3. Flexão do adjetivo


O adjetivo pode apresentar flexão de
a) Gênero b) Número c) Grau

a) Gênero do adjetivo

Pode ser uniforme


Exemplo: o garoto inteligente - a decisão inteligente.

Pode ser biforme


Exemplo: o menino honesto - a decisão honesta

Quanto ao gênero, não se diz que um adjetivo é masculino ou feminino, e sim que tem terminação masculina
ou feminina.

b) Número do adjetivo(plural)

1. Os adjetivos simples formam o plural segundo os mesmos princípios dos substantivos simples, em
função de sua terminação.
Exemplo: carro veloz - carros velozes, sapato azul – sapatos azuis, médico charlatão – médicos charlatães.
Os substantivos utilizados como adjetivos ficam invariáveis.
Exemplo: Ana comprou blusas cinza.
Jonantan vendeu as motos laranja.

2.Os adjetivos compostos têm como regra geral, flexionar o último elemento em gênero e número.
Exemplo: os esforços sobre-humanos
os problemas sócio-econômicos
As colaborações luso-francesas

Exceção: surdo-mudo flexionamos e pluralizamos os dois:


surdos-mudos, surda-muda, surdas-mudas

Os adjetivos compostos de cores

I- Apenas o segundo elemento varia, quando ambos forem adjetivos.


Exemplo: As bolsas castanho-escuras

II- São invariáveis cores em que o segundo elemento é um substantivo.


Exemplo: blusas azul-turquesa, as bolsas branco-gelo.

III- Não variam as locuções adjetivas formadas pela expressão cor-de-...


Exemplo: vestidos cor-de-rosa.

IV- as cores: azul-celeste, azul-marinho e verde-gaio são invariáveis.

c) Grau do adjetivo,quanto ao grau, os adjetivos apresentam duas formas: comparativo e superlativo.


Língua Portuguesa

O grau do adjetivo demonstra a intensidade com que o adjetivo caracteriza substantivo. Há dois graus:
- comparativo;
- superlativo;

GRAU COMPARATIVO
Estabelece uma comparação entre dois seres de uma mesma característica que ambos possuem. Há três
tipos de grau comparativo:
- comparativo de superioridade: mais + adjetivo + que (do que)
Exemplo: João é mais inteligente que Gabriel.
Esse carro é mais caro do que rápido.

43
Prof. Juliano Viegas

- comparativo de igualdade: tão + adjetivo + quanto (como)


Exemplos: A sua casa é tão luxuosa quanto a minha.
O linux é tão seguro quanto o Windows.
- comparativo de inferioridade: menos + adjetivo + que
Exemplo: Juliana é menos alta que Karla.

GRAU SUPERLATIVO
Usa-se o grau superlativo para intensificar uma característica de um ser em relação a outros seres. Subdi-
vide-se em:
- superlativo absoluto → que pode ser sintético ou analítico;
- superlativo relativo → que pode ser de superioridade ou inferioridade.

SUPERLATIVO ABSOLUTO
Analítico: é composto por palavras que dão idéia de intensidade + adjetivo.
Exemplos: Ele é um empresário muito competente.
O cão do vizinho é extremamente violento.

Sintético: é composto pelo adjetivo + sufixo.


Exemplos: As duplas sertanejas são riquíssimas.
Ele é um fortíssimo candidato.

SUPERLATIVO RELATIVO
De superioridade: o mais + adjetivo + de
Exemplo: Esse carro é o mais sofisticado do mercado.

De inferioridade: o menos + adjetivo + de


Exemplo: Júlio é o menos interessado da classe.

6.3 Artigo
Recebem o nome de artigo as palavras o, a, os, as, um, uma, uns e umas que se antepõem aos substantivos
a fim de determiná-los ou indeterminá-los e, ao mesmo tempo, indicar o gênero a que pertencem.

Artigos definidos: indicam seres determinados, individualizados.


Exemplo: Visitamos o museu.

Artigos indefinidos: indicam seres de maneira vaga, generalizada:


Exemplo: Um dia irei visitá-lo.

Emprego do artigo
1. Muitos nomes próprios indicativos admitem o artigo, outros não:
a Inglaterra, o Rio de janeiro, Portugal, Roma.

2. Antes de nome de pessoas, geralmente, não se usa artigo:


Exemplo: Rubinho não teve sorte na última corrida.

3. Depois do numeral ambos é obrigatório o emprego do artigo:


Exemplo: Analisamos ambos os textos.

4. Com o adjetivo no grau superlativo, pode-se variar a posição do artigo na frase:


Exemplo: Conheço as regiões mais lindas do Brasil.
Conheço regiões as mais lindas do Brasil.

5. Não se emprega o artigo antes de pronomes de tratamento, com exceção de senhor (a), senhorita e
madame:
Exemplo: Vossa Senhoria será o homenageado da noite.
Língua Portuguesa

6. Não se combina com preposição o artigo que integra o nome de jornais, revistas, obras literárias etc.
Esse caso foi publicado em O Globo (e não “no Globo”)

7. Não se emprega artigo em locuções adverbiais em que figuram as palavras casa ou terra empregadas
sem determinação ou qualificação:
Exemplo: Ontem não saí de casa.
Os turistas já retornaram a terra. (a = preposição)

Atenção: Quando as palavras casa e terra estiverem determinadas ou qualificadas, o artigo é obrigatório.
Aquela é a casa de meus avós.
Visitarei a amada terra onde nasci.

44
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício VI
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Assinale o par de vocábulos que formam o plural 10. Aponte a alternativa em que haja erro quanto à flexão
como órfão e mata-burro, respectivamente: do nome composto:
(A) cristão / guarda-roupa (A) vice-presidentes, amores-perfeitos, os bota-fora
(B) questão / abaixo-assinado (B) tico-ticos, salários-família, obras-primas
(C) alemão / beija-flor (C) reco-recos, sextas-feiras, sempre-vivas
(D) tabelião / sexta-feira (D) pseudo-esferas, chefes-de-seção, pães-de-ló
(E) cidadão / salário-família (E) pisca-piscas, cartões-postais, mulas-sem-ca-
beças
02. Relativamente à concordância dos adjetivos com-
postos indicativos de cor, uma, dentre as seguintes, 11. Assinale a alternativa que apresenta apenas subs-
está errada. Qual? tantivos abstratos:
(A) saia amarelo-ouro (A) Deus – papai-noel – fantasma – saci-pererê
(B) papel amarelo-ouro (B) fada – amor – fumaça – boneca
(C) caixa vermelho-sangue (C) amor – ódio – saudade – medo
(D) caixa vermelha-sangue (D) fada – casamento – saudade – liberdade
(E) caixas vermelho-sangue (E) fada – boneca – sorriso – fumaça

03. Indique a frase correta: 12. Assinale a alternativa em que apareçam substanti-
(A) Mariazinha e Rita são duas leva-e-trazes. vos simples, respectivamente, concreto e abstrato.
(B) Os filhos de Clotilde são dois espalhas-brasas. (A) água, vinho
(C) O ladrão forçou a porta com dois pés-de-cabra. (B) Pedro, Jesus
(D) Godofredo almoçou duas couves-flor. (C) Pilatos, verdade
(E) Alfredo e Radagásio são dois gentilhomens. (D) Jesus, abaixo-assinado
(E) Nova Iorque, Deus
04. Flexão incorreta:
(A) os cidadãos (D) os tóraxes 13. Assinale a alternativa que contenha substantivos,
(B) os açúcares (E) os fósseis respectivamente, abstrato, concreto e concreto:
(C) os cônsules (A) fada, fé, menino
(B) fé, fada, beijo
05. Mesma pronúncia de “bolos”: (C) amor, pulo, menino
(A) tijolos (D) fornos (D) amor, fada, menino
(B) caroços (E) rostos (E) menino, amor, pulo
(C) olhos
14. Examine os coletivos abaixo:
06. Não varia no plural: Atilho: grupo de ilhas de coral.
(A) tique-taque (D) para-lama Conciliábulo: qualquer assembleia de prelados ca-
(B) guarda-comida (E) cola-tudo tólicos que discutem assuntos dogmáticos.
(C) beija-flor Baixela: conjunto de instrumentos científicos de
pouco precisão.
07. Está mal flexionado o adjetivo na alternativa: Tertúlia: reunião de pessoas ilustres, reunião fami-
(A) Tecidos verde-olivas liar.
(B) Festas cívico-religiosas Verifica-se que:
(C) Guardas noturnos luso-brasileiros (A) apenas um está correto
(D) Ternos azul-marinho (B) apenas dois estão corretos
(E) Vários porta-estandartes (C) três estão corretos
(D) todos estão corretos
08. Na sentença “Há frases que contêm mais beleza do (E) nenhum está correto
que verdade”, temos grau:
(A) comparativo de superioridade 15. As expressões sublinhadas correspondem a um
(B) superlativo absoluto sintético adjetivo, exceto em:
(C) comparativo de igualdade (A) João Fanhoso anda amanhecendo sem entusi-
(D) superlativo relativo asmo.
(E) superlativo por meio de acréscimo de sufixo (B) Demorava-se de propósito naquele complicado
Língua Portuguesa

banho.
09. Assinale a alternativa em que a flexão do substantivo (C) Os bichos da terra fugiam em desabalada car-
composto está errada: reira.
(A) os pés-de-chumbo (D) Noite fechada sobre aqueles ermos perdidos da
(B) os corre-corre caatinga sem fim.
(C) as públicas-formas (E) E ainda me vem com essa conversa de homem
(D) os cavalos-vapor
(E) os vaivéns

45
Prof. Juliano Viegas

16. Das frase seguintes, uma contém uma locução 23. Indique o erro quanto ao emprego do artigo:
adjetiva. Marque-a: (A) Em certos momentos, as pessoas as mais
(A) Esta é a torneira de água quente. corajosas se acovardam.
(B) Comprei uma lâmpada vermelha. (B) Em certos momentos, as pessoas mais corajo-
(C) O piano dela é alemão. sas se acovardam.
(D) Esta boneca é muito feia. (C) Em certos momentos, pessoas as mais corajo-
(E) Ela é uma mulher corajosa sas se acovardam.
(D) Em certos momentos, as mais corajosas pesso-
17. Assinale a oração em que o termo cego(s) é um as se acovardam.
adjetivo: (E) n.d.a
(A) Os cegos habitantes de um mundo esquemático,
sabem onde ir... 24. O emprego correto do artigo definifo “o” com nomes
(B) O cego de Ipanema representava naquele mo- dos estados brasileiros é:
mento todas as alegorias da noite escura da (A) Pernambuco
alma ... (B) Goiás
(C) Todos os cálculos do cego se desfaziam na (C) Sergipe
turbulência do álcool. (D) São Paulo
(D) Naquele instante era só um pobre cego. (E) Acre
(E) ... da Terra que é um globo cego girando no caos.
25. Assinale a alternativa em que há erro:
18. Não contém locução adjetiva: (A) Li a notícia no Estado de São Paulo.
(A) Só há tristezas na guerra. (B) Li a notícia em O Estado de São Paulo.
(B) Vede a majestade do mar. (C) Esta notícia, eu a vi em A Gazeta.
(C) Admirai a grandeza do Universo. (D) Vi essa notícia em A Gazeta
(D) Olha a beleza do céu. (E) Foi em O Estado de São Paulo que li a notícia.
(E) Fala da situação da economia.
26. Em qual dos casos o artigo denota familiaridade:
19. (A) O Amazonas é um rio imenso.
I - O cônjuge se aproximou. (B) D. Manoel, o Venturoso, era bastante esperto.
II - O servente veio atender-nos. (C) O Antônio comunicou-se com o João.
III - O gerente chegou cedo. (D) O professor João Ribeiro está doente.
Não está claro se é homem ou mulher: (E) Os Lusíadas são um poema épico.
(A) no primeiro período
(B) no segundo período 27. Determine o caso em que o artigo tem valor de
(C) no terceiro período qualificativo:
(D) no primeiro e no segundo períodos (A) Estes são os candidatos de que lhe falei.
(E) no segundo e no terceiro períodos (B) Procure-o, ele é o médico.
(C) Certeza e exatidão, estas qualidades não as
20. Em qual das alternativas colocaríamos o artigo tenho.
definido feminino para todos os substantivos? (D) Os problemas que o afligem não me deixam
(A) sósia - doente - lança-perfume descuidado.
(B) dó - telefonema - diabetes (E) Muita é a procura; pouca a oferta.
(C) clã - eclipse - pijama
(D) cal - elipse - dinamite 28. Em uma das frases, o artigo definido está emprega-
(E) champanha - criança - estudante do erradamente. Em qual?
(A) A velha Roma está sendo modernizada.
21. Os plurais de vice-rei, porta-estandarte, navio-esco- (B) A “Paraíba” é uma bela fragata.
la e baixo-relevo são: (C) Não reconheço agora a Lisboa do meu tempo.
(A) vice-reis, porta-estandartes, navios-escola, bai- (D) O gato escaldado tem medo de água fria.
xos-relevo (E) O Havre é um porto de muito movimento.
(B) vice-reis, portas-estandartes, navios-escola, bai-
xos-relevo 29. O plural de “qualquer capitão-mor português” é:
(C) vices-reis, porta-estandartes, navios-escola, bai- (A) quaisquer capitães-mores portugueses
xo-relevos (B) quaisquer capitãos-mores portugueses
(D) vice-reis, porta-estandartes, navio-escolas, bai- (C) quaisquer capitão-mores portugueses
xos-relevos (D) qualquer capitãos-mores portugueses
(E) vice-reis, porta-estandartes, navios-escola, bai- (E) quaisquer capitães-mor portugueses
Língua Portuguesa

xos-relevos
30. Dentre os plurais de nomes compostos aqui relaci-
22. Procure e assinale a única alternativa em que há onados, há um que está errado. Qual?
erro, quanto ao problema do emprego do artigo: (A) escolas-modelo
(A) Nem todas opiniões são valiosas. (B) quebra-nozes
(B) Disse-me que conhece todo o Brasil. (C) chefes-de-sessões
(C) Leu todos os dez romances do escritor. (D) guardas-noturnos
(D) Andou por todo Portugal. (E) redatores-chefes
(E) Todas cinco, menos uma, estão corretas.

46
Prof. Juliano Viegas

31. Assinalar a forma correta do plural de “O cristão vê, 38. Sua carreira foi sempre muito desigual e cheia de
no cesto, apenas um peixinho e um pãozinho”: .......... .
(A) Os cristãos vêem nos cestos apenas uns (A) vaisvéns
peixinhos e uns pãezinhos. (B) vaisvém
(B) Os cristões vêm nos cestos apenas uns peixinhos (C) vaivéns
e uns pãezinhos. (D) vais-e-vens
(C) Os cristãos vêm nos cestos apenas uns peixinhos (E) vai-vens
e uns pãozinhos.
(D) Os cristãos vêem nos cestos apenas uns
peixinhos e uns pãozinhos. 39. A alternativa em que o substantivo e o adjetivo
(E) Os cristães vêem nos cestos apenas uns composto formam o plural, respectivamente, como
peixinhos e uns pãozinhos. “além-mar” e “anglo-saxão” , é:
(A) furta-cor / verde-oliva
32. Assinale a única série de duplas singular-plural em (B) alto-falante / surdo-mudo
que existe uma forma incorreta: (C) cola-tudo / sino-soviético
(A) cidadão - cidadões (D) guarda-civil / azul-marinho
(B) cônsul - cônsules (E) abaixo-assinado / vermelho-claro
(C) projetil - projetis
(D) corrimão - corrimões 40. Identifique o substantivo que só se usa no plural:
(E) olho-de-sogra - olhos-de-sogra (A) lápis
(B) pires
33. Assinale a opção em que todos os adjetivos não se (C) tênis
flexionam em gênero: (D) ônibus
(A) delgado, móbil e forte (E) idos
(B) oval, preto e simples
(C) feroz, exterior e enorme 41. O termo que faz o plural como cidadão é:
(D) brilhante, agradável e esbelto (A) limão
(E) imóvel, curto e superior (B) órgão
(C) guardião
34. Viam-se ____ junto aos _____ do jardim. (D) espertalhão
(A) papelsinhos / meios-fio (E) balão
(B) papeizinhos / meio-fios
(C) papeisinhos/meio-fios 42. “... o tupi-guarani, língua originalíssima, aglutinante,
(D) papelsinhos / meios/fios é verdade, mas a que o polissintetismo dá muitas
(E) papeizinhos / meios-fios feições de riqueza...”. Originalíssima é adjetivo no
grau:
35. As crianças colhiam .......... e .......... no jardim. (A) absoluto analítico
(A) amor-perfeitos - sempres-vivas (B) absoluto sintético
(B) amor-perfeitos - sempre-vivas (C) relativo de superioridade
(C) amores-perfeitos - sempre-vivas (D) comparativo de superioridade
(D) amores-perfeitos - sempres-vivas (E) comparativo de igualdade
(E) amor-perfeitos - sempres-viva
43. Marque a opção em que o adjetivo composto está
36. Os .......... requereram aumento dos .......... . flexionado incorretamente:
(A) escrivãos - salários-família (A) relações afetivo–sexuais
(B) escrivães - salários-famílias (B) manchas roxo–escuras
(C) escrivães - salário-famílias (C) soluções alcalino–terrosas
(D) escrivães - salários-família (D) questão argentina–boliviana
(E) escrivãos - salários-famílias (E) discussões político–econômicas

37. Será que esses .......... precisam ter as firmas reco- 44. Os acidentados foram encaminhados a diferentes
nhecidas por ..........? clínicas _____ .
(A) abaixo-assinados - tabeliães (A) médicas-cirúrgicas
(B) abaixos-assinados - tabeliães (B) médica-cirúrgicas
(C) abaixos-assinado - tabeliões (C) médico-cirúrgicas
(D) abaixos-assinados - tabeliões (D) médicos-cirúrgicas
(E) abaixo-assinados - tabeliãos (E) médica-cirúrgicos
Língua Portuguesa

47
Prof. Juliano Viegas

6.4 Numeral
Os numerais são palavras que se referem ao número de seres ou ao seu número de ordem
Classifica-se o numeral em
a) cardinal
b) ordinal
c) multiplicativo
d) fracionário

O NUMERAL CARDINAL
É aquele que indica a sucessão natural dos números. São eles: um, dois , três., quatro, cinco, seis, sete, etc.

O NUMERAL ORDINAL
É aquele que indica ordem numa série. São eles: primeiro, segundo, terceiro, quarto, quinto, sexto, sétimo,
oitavo...

O NUMERAL MULTIPLICATIVO
É aquele que indica multiplicação da quantidade numérica. São eles: duplo ou dobro, triplo ou tríplice, quádruplo,
quíntuplo, sêxtuplo, séptuplo, óctuplo

NUMERAL FRACIONÁRIO
É aquele que indica, exprime e dá idéia de divisão de quantidade fracionária. São eles: meio ou metade, terço,
quarto, quinto, sexto, sétimo, oitavo...

Como distinguir: ARTIGO UM e NUMERAL UM?

UM - UMA só são numerais quando designamos a unidade


Exemplo: Com uma só mão, Pedro levantou a saca de café.
Reparem que neste caso ele se opõe a dois, três, quatro, etc.
As formas de plural : uns, umas pertencem exclusivamente ao artigo indefinido.
Podemos portanto dizer que: sempre em dada frase, pudermos passar para o plural as palavras um - uma e exigir
o emprego de uns ou umas, trata-se de artigo indefinido e não de numeral. E se o plural de um, uma for dois,
duas, ou melhor, se opõe a dois, três, quatro, é um numeral.

Algumas observações
1. Em se tratando na nomenclatura de papas, reis, e na designação de séculos, capítulos de livro e artigos
e parágrafos de lei, os numerais ORDINAIS são sempre empregados até DEZ e os numerais CARDINAIS de ONZE
em diante

Exemplo:
• D. Pedro primeiro.
• Luís quinze.
• D.. Henrique Oitavo
• Papa Pio Nono
• Papa Pio Doze
• Papa João Oitavo
• Papa João Vinte Três
• Quarto século
• Século XX (= Século vinte)
• Artigo nono.
• Parágrafo quinto.
• Artigo treze
• Parágrafo quinze.

2. O numeral MEIO flexiona em gênero e número com o substantivo a que ele se refere, passa a ser numeral
Língua Portuguesa

adjetivo.
Exemplo: Comprei quatro quilos e meio de galinha.
Falei três horas e meia.

3. Há numerais que indicam coleção.


Casal, dezena, centena, cento, par, milhar, dúzia, grosa, ambos, quarteirão (= grupo de 25), semana, quinze-
na, quarentena. Estes numerais flexionam-se em número.

4. Sempre usamos o numeral de peso e medida no masculino.


Exemplo: Um grama, trezentos gramas etc.

48
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício VII
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. A alternativa que apresenta um vocábulo numeral 04. Identifique o caso em que não haja expressão nu-
cardinal é: mérica de sentido indefinido:
(A) a quinta casa (A) Ele é o duodécuplo colocado.
(B) o triplo de folhas (B) Quer que veja esse filme pela milésima vez?
(C) a folha vinte um (C) “Na guerra os meus dedos disparam mil mor-
(D) a metade do caminho tes.”
(E) o capítulo quadragésimo primeiro (D) “ A vida tem uma só entrada, a saída é por cem
portas.”
02. Assinale a alternativa em que o numeral tem valor (E) n.d.a
hiperbólico:
(A) Naquele estádio havia quinhentas pessoas. 05. Triplo e tríplice são numerias:
(B) Mais de cem milhões de brasileiros choraram. (A) ordinal o primeiro e multiplicativo o segundo.
(C) Ele foi o quadragésimo colcado. (B) ambos ordinais.
(D) “Com mil demônios” – praguejou ele, diante do (C) ambos cardinais.
acidente fatal. (D) ambos multiplicativos.
(E) Cinco oitavos do prêmio couberam a mim. (E) multiplicativo o primeiro e ordinal o segundo.

03. indique o item em que os numerais estão correta- 06. Milhão tem como ordinal correspondente milionési-
mente empregados. mo. A relação entre cardinais e ordinais se apresen-
(A) Ao Papa Paulo seis sucedeu João Paulo primei- ta inadequada na opção:
ro. (A) cinqüenta - qüinquagésimo, novecentos e um -
(B) Antes do artigo dez vem o artigo nono. nongentésimo primeiro
(C) Depois do capítulo sexto, li o capítulo décimo (B) setenta - septuagésimo, quatrocentos e trinta -
primeiro. quadringentésimo trigésimo
(D) Após o parágrafo nono virá o prarágrafo décimo. (C) oitenta - octingentésimo, trezentos e vinte -
(E) O artigo vigésimo segundo foi revogado. trecentésimo vigésimo
(D) quarenta - quadragésimo, duzentos e quatro -
ducentésimo quarto
(E) noventa - nonagésimo, seiscentos e sessenta -
sexcentésimo sexagésimo

6.5 Pronome
É palavra variável em gênero, número e pessoa que substitui ou acompanha um substantivo, indicando-o
como pessoa do discurso.

Pronome substantivo X pronome adjetivo

A diferença entre pronome substantivo e pronome adjetivo pode ser atribuída a qualquer tipo de pronome,
podendo variar em função do contexto frasal. Assim, o pronome substantivo é aquele que substitui um substantivo,
representando-o.
Exemplo: Ele prestou socorro.

Já o pronome adjetivo é aquele que acompanha um substantivo, determinando-o.


Exemplo: Aquele rapaz é belo. Os pronomes pessoais são sempre substantivos.

Veja outros exemplos:


É importante que todos compareçam à nossa festa.
(pron.Subst.) (pron. Adj.)
Língua Portuguesa

Ninguém concordará com essa proposta.


(pron.Subst.) (pron. Adj.)

49
Prof. Juliano Viegas

6.5.1 Pronome pessoal


Indicam uma das três pessoas do discurso, substituindo um substantivo. A seguir um quadro com todas as
formas do pronome pessoal:

Pronomes pessoais
Número Pessoa Pronomes retos Pronomes oblíquos
Átonos Tônicos
primeira eu me mim, comigo
singular segunda tu te ti, contigo
terceira ele, ela o, a, ele, ela, si,
lhe, se consigo
nós nos nós, conosco
primeira vós vos vós,
Plural segunda eles, elas os, as, convosco
terceira lhes, se eles, elas, si,
consigo

a) Os pronomes pessoais retos desempenham, normalmente, função sintática de sujeito; enquanto os


oblíquos, geralmente, de complemento.

b) Os pronomes oblíquos tônicos devem vir regidos de preposição. Em comigo, contigo, conosco e convosco,
a preposição com já é parte integrante do pronome.

c) Quanto ao emprego, as formas oblíquas o, a, os, as completam verbos que não vêm regidos de preposi-
ção; enquanto lhe e lhes para verbos regidos das preposições a ou para (não expressas).

d) Apesar de serem usadas pouco, as formas mo, to, no-lo, vo-lo, lho e flexões resultam da fusão de dois
objetos, representados por pronomes oblíquos (Ninguém mo disse = ninguém o disse a mim).

e) Os pronomes átonos o, a, os e as viram lo(a/s), quando associados a verbos terminados em r, s ou z e


viram no(a/s), se a terminação verbal for em ditongo nasal.

f) Os pronomes o/a (s), me, te, se, nos, vos desempenham função se sujeitos de infinitivo ou verbo no
gerúndio, junto ao verbo fazer, deixar, mandar, ouvir e ver.
Exemplo: Mandei-o entrar / Eu o vi sair / Deixei-as chorando.

g) A forma você, atualmente, é usada no lugar da 2ª pessoa (tu/vós), tanto no singular quanto no plural,
levando o verbo para a 3ª pessoa.

h) Quando precedidos de preposição, os pronomes retos (exceto eu e tu) passam a funcionar como oblí-
quos. Eu e tu não podem vir precedidos de preposição, exceto se funcionarem como sujeito de um verbo no infinitivo.
Exemplo: Isto é para eu fazer / para mim fazer.
correto errado

i) Os pronomes acompanhados de só ou todos, ou seguido de numeral, assumem forma reta e podem


funcionar como objeto direto.
Exemplo: Estava só ele no banco / Encontramos todos eles.

j) Os pronomes me, te, se, nos, vos podem ter valor reflexivo, enquanto se, nos, vos - podem ter valor reflexivo
e recíproco.

k) As formas se, si e consigo têm valor exclusivamente reflexivo e usados para a 3ª pessoa.
Exemplo: Aquela vaidosa garota só pensa em si.
Ele não reencontrava a intimidade consigo mesmo.
Já conosco e convosco devem aparecer na sua forma analítica (com nós e com vós) quando vierem
Língua Portuguesa

com modificadores : todos, outros, mesmos, próprios, numeral ou oração adjetiva.


Exemplo: Você viajará com nós todos.
Você viajará conosco.

l) Os pronomes pessoais retos podem desempenhar função de sujeito, predicativo do sujeito ou vocativo,
este último com tu e vós (Nós temos uma proposta / Eu sou eu e pronto / Ó, tu, Senhor Jesus).

m) Quanto ao uso das preposições junto aos pronomes, deve-se saber que não se pode contrair as prepo-
sições de e em com pronomes que sejam sujeitos.
Exemplo: Em vez de ele continuar, desistiu / Vi as bolsas dele bem aqui.

50
Prof. Juliano Viegas

n) Os pronomes átonos podem assumir valor possessivo.


Exemplo: Levaram-me o dinheiro / Pesavam-lhe os olhos.

enquanto alguns átonos são partes integrantes de verbos como suicidar-se, apiedar-se, condoer-se, ufanar-
se, queixar-se, vangloriar-se.

Já os pronomes oblíquos podem ser usados como expressão expletiva.


Exemplo: Não me venha com essa.

Entre os pronomes pessoais, incluem-se os pronomes pessoais de tratamento.

Veja a tabela a seguir:

Já as formas de tratamento serão precedidas de Vossa,


quando nos dirigirmos diretamente à pessoa e de Sua, quando
fizermos referência a ela. Troca-se na abreviatura o V. pelo S.

6.5.2 Pronome possessivo


Fazem referência às pessoas do discurso, apresentando-as como possuidoras de algo. Concordam em
Língua Portuguesa

gênero e número com a coisa possuída.

São pronomes possessivos da língua portuguesa as formas:


1ª pessoa: meu(s), minha(s) nosso(a/s);
2ª pessoa: teu(s), tua(s) vosso(a/s);
3ª pessoa: seu(s), sua(s) seu(s), sua(s).

Quanto ao emprego, normalmente, vem antes do nome a que se refere; podendo, também, vir depois do
substantivo que determina. Neste último caso, pode até alterar o sentido da frase.

51
Prof. Juliano Viegas

O uso do possessivo seu (a/s) pode causar ambigüidade, para desfazê-la, deve-se preferir o uso do dele (a/s).
Exemplo: Ele disse que Maria estava trancada em sua casa. (- casa de quem?); pode também indicar
aproximação numérica.
Exemplo: ele tem lá seus 40 anos.

Não se usam os possessivos em relação às partes do corpo ou às faculdades do espírito da própria pessoa.
Exemplo: Estou com dor na nuca
e não:
Estou com dor na minha nuca.

Perdi a confiança nele.


e não:
Perdi a minha confiança nele.

6.5.3 Pronome demonstrativo


Indicam posição de algo em relação às pessoas do discurso, situando-o no tempo e/ou no espaço. São:

As formas, tal (is), o (s) e a(s) podem desempenhar papel de pronome demonstrativo quando têm significa-
do de aquele (a), esse (a).
Exemplo: O réu não sabia o que responder.
(= ... aquilo que responder.)
Esta rua não é a que te indiquei.
(=... aquela que te indiquei.)
Jamais repita tal asneira.
(=... essa asneira.)

As formas mesmo, próprio, semelhante podem desempenhar papel de pronome demonstrativo quando
têm significado de idêntico ou em pessoa.
Exemplo: Eu não posso viver na mesma casa.
Foi a própria Carmélia quem me fez o convite.
O mesmo jeito estonteado e o mesmo ar.

Quanto ao emprego, os pronomes demonstrativos apresentam-se da seguinte maneira:


• uso indicando localização no espaço - este (aqui), esse (aí) e aquele (lá); em relação ao falante.
• uso indicando localização temporal - este (presente), esse (passado próximo) e aquele (passado remoto ou
bastante vago);
• uso anafórico, em referência ao que já foi ou será dito -este (novo enunciado) e esse (retoma informação);
Exemplo: A ordem é esta: estudar bastante.
“Ordem e Progresso” - essas são as palavras inseridas em nossa bandeira.

6.5.4 Pronome relativo


Retoma um termo expresso anteriormente (antecedente) na oração anterior e introduz uma oração depen-
dente, adjetiva.
Exemplo: Esta é a moça / que eu admiro.
Pronome relativo (= moça)
Língua Portuguesa

No exemplo acima, a palavra que é pronome relativo, pois refere-se à moça e, ao mesmo tempo, introduz
uma nova oração que é dependente dessa palavra, da oração anterior.

Os pronomes relativos são os seguintes


VARIÁVEIS INVARIÁVEIS
o qual, a qual, as quais, que, quem, onde
as quais,cujo(s), cuja(s),
quanto(s)

52
Prof. Juliano Viegas

A. Emprego dos pronomes relativos


1. Que é o pronome relativo mais usado, refere-se a pessoas ou coisas.
Exemplo: Em Pasárgada tenho a mulher que quero,
na cama que escolherei.

O pronome relativo que pode ter como antecedente os demonstrativos o, a, os ou as.


Exemplo: A que acaba de entrar é minha prima.

2. Quem refere-se pessoa e é sempre preposicionado.


Exemplo: Você é o amigo a quem sempre apoiei.

3. O qual refere-se a pessoas ou coisas.


Exemplo: Visitarei a filha do vizinho a qual está doente.

4. Cujo (é relativo e possessivo) equivale a do qual, de quem, de que. Concorda em gênero e número com
o substantivo posposto e não admite artigo após.
Exemplo: Sempre gostei desse poeta cujas poesias declamo.
(= dela, do poeta)

5. Quanto, como simples relativo, tem por antecedente os pronomes indefinidos tudo, todos(as).
Exemplo: Em tudo quanto olhei fiquei em parte.

6. Onde indica lugar, desempenha normalmente função de adjunto adverbial de lugar.


Exemplo: A terra onde vivemos tem mais amores.

B. Substituições dos relativos


1. que X o qual
Embora “que” possa ser substituído por “o qual” e suas variáveis para efeito de reconhecimento, isso não
dever ser feito na prática, se não houver preposição antes de “que”.

Exemplo: - para o uso de “que” somente -


a) Substantivo próximo (ao lado):
A mulher tentou prender o crisântemo que deslizava.
(Subst. Próximo)

Exemplo: - para o uso de “que” ou “o qual” –


a) Após preposições monossilábicas:
Li a história de que você me falou.
da qual

b) Nas orações adjetivas explicativas:


Seus alunos, que são estudiosos, serão aprovados.
Or. Adj. Explicativa
Seus alunos, os quais são estudioso, serão aprovados.

Exemplo: - para uso de “o (a) qual” somente –

a) Quando o substantivo estiver distante do pronome relativo:


Visitei o museu de minha cidade, o qual me deixou maravilhado.
(=museu)

Após preposições a partir de duas sílabas ou locuções prepositivas:

Você já sabe os assuntos sobre os quais deve discutir?


(preposição)
Língua Portuguesa

E não: ...sobre que deve discutir?

2. onde X aonde
O uso de “onde” é para verbos que indicam estada, permanência. Podemos substituí-lo pelas ex-
pressões em que ou na qual.
Exemplo: Não conheço o bairro onde moras. = permenência.
(= em que/ = na qual)

Atenção: Para ideia de tempo usamos “em que”:


Exemplo: Esta é uma época em que a violência impera.

53
Prof. Juliano Viegas

O uso de “aonde” é para verbos que indicam movimento, equivale para onde, de onde ou donde.
Exemplo: Nossos passos aonde irão?
A terra de onde (= donde) vim produz uvas e vinhos.

que x a que, de cujo x cujo etc.


Questões, como o exemplo abaixo, são normais em concursos e muito frequentes, as quais temos que
completar lacunas com o pronome relativo correto e verificar se é necessária uma preposição que anteceda o
relativo. veja e responda:

“Derrubaram as paredes ____ tijolos estavam quebrados.”


“Esse é o candidato _____ honestidade desconfio.”
a) de cujas, cujo d) cujos, cuja
b) cujos, de cuja e) de cujos, de cuja
c) de cujos, de cujo

Para encontrar a alternativa correta é muito simples; 1º separar as orações (o pronome relativo sempre
introduz uma nova oração no período). 2º Analisar o verbo dentro da oração do pronome relativo para ver se esse
exige ou não o uso de preposição. Pode ser para complemento verbal ou adjunto adverbial de lugar.
basta fazer as questões ao verbo: de que(m)?, com que(m)? etc. Ou em que?, onde?

6.5.5.Pronome indefinido
Referem-se à 3ª pessoa do discurso quando considerada de modo vago, impreciso ou genérico, represen-
tando pessoas, coisas e lugares. Alguns também podem dar idéia de conjunto ou quantidade indeterminada. Em
função da quantidade de pronomes indefinidos, merece atenção sua identificação.

São pronomes indefinidos de:


• pessoas: quem, alguém, ninguém, outrem;
• lugares: onde, algures, alhures, nenhures;
• pessoas, lugares, coisas: algo, tudo, nada, todo (a/s), algum (a/s), vários ((A), nenhum (a/s), certo (a/s),
outro (a/s), muito
• (a/s), pouco (a/s), quanto (a/s), um (a/s), qualquer (s), cada.

Sobre o emprego dos indefinidos


a) O pronome algum, após o substantivo a que se refere, assume valor negativo (= nenhum).
Exemplo: Computador algum resolverá o problema;

b) O pronome cada deve ser sempre seguido de um substantivo ou numeral (Elas receberam 3 balas cada
uma);

c) pronome outrem equivale a “qualquer pessoa”;

d) pronome nada, colocado junto a verbos ou adjetivos, pode equivaler a advérbio.


Exemplo: Ele não está nada contente hoje;

e) São locuções pronominais indefinidas - quem quer que, o que quer, seja quem for, cada um etc.

f) Os pronomes indefinidos todo (a), no singular, desacompanhados de artigo, têm o significado de qualquer.
Exemplo: Toda criança chora.
(=qualquer)

Quando antecedidos de artigo, têm o significado de inteiro.


Exemplo: Ela faz o mesmo serviço durante todo o dia.
(= o dia inteiro)

Atenção: A palavra todo (a) tem valor de advérbio quando figura em referência a um adjetivo. Equivale a muito
Língua Portuguesa

ou completamente.
Exemplo: A criança amanheceu toda molhada.
Hoje ele é um homem todo mudado.

6.5.6 Pronome interrogativo


São os pronomes indefinidos que, quem, qual, quanto usados na formulação de uma pergunta direta ou
indireta. Referem-se à 3ª pessoa do discurso.
Exemplo: Quantos livros você tem? / Não se sabe quantos convidados deverão comparecer.

54
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício VIII
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Observe as frases: 07. Leia com atenção as frases abaixo:


I – A língua portuguesa foi a que chegou até ___ 1. Vá depressa, que o chefe quer falar ____ .
através de gerações. 2. Leva ____ o guarda-chuva, que está nublado.
II – Não basta ___ querer que a grafia coincida com 3. Informaram- ____ que amanhã não haverá
a pronúncia; é preciso a reforma. expeiente.
III – Torna-se muito complicado para ___ acompa- 04. Felizmente, poucos são os que se aborrecem
nhar essa mudança. perante _______ .
IV – Para ___, unificar a grafia é impossível.
V – Deixaram alguns pontos para ___ estudar. Está correto:
(A) contigo – consigo – no – ti e mim.
A opção que completa corretamente as frases é: (B) com você – contigo – lhe – ela e mim
(A) eu – eu – eu – mim – mim . (C) contigo – contigo – lhe – você e eu
(B) eu – eu – mim – eu – mim. (D) consigo – contigo – lhe – mim e tu
(C) mim – eu – eu – mim – eu. (E) consigo – com você – no – ti e você
(D) mim – eu – mim – mim – eu
(E) mim – a mim – mim – eu – mim. 08. Assinale a alternativa correta:
“ Era para ___ falar ___ ontem, mas não ___ localizei
02. Assinale a opção em que o emprego do pronome em parte alguma.”
pessoal está de acordo com a norma culta. (A) mim, consigo, o
(A) Entre o chefe e eu há confiança mútua. (B) mim, contigo, te
(B) Para eu, vencer é fundametal. (C) eu, com ele, lhe
(C) Vim falar consigo sobre o debate de amanhã. (D) mim, consigo, lhe
(D) Já lhe avisei do ocorrido na empresa. (E) eu, com ele, o
(E) Esta linha telefônica vai de mim a ti.
09. Observe as seguintes frases:
03. A substiuição do termo sublinhado pelo pronome I – Ele deixou os livros aqui para ___ entregá-los a
está incorreta em: você.
(A) Viram a moça. / Viram-na. II – Está tudo acabado entre você e ___ .
(B) Pedi a elas o material. / pedi-lhes o material. III – Toda a responsabilidade recairá sobre ___ e ele.
(C) Tocou o hino completo. / Tocou-o completo. IV – Paulo, poderíamos falar ___ ?
(D) Parti em pedaços o bolo. / Parti-lo em pedaços. V – Queremos falar ___ mesmos;
(E) Deixou para o filho a herança. / Deixou-a para o
filho. As lacunas acima devem, pela ordem, ser comple-
tadas com
04. A alternativa em que o pronome pessoal não obecede (A) eu - mim - mim - com você - com vós
à norma culta é : (B) eu - mim - eu - consigo - convosco
(A) Trouxemos um presente para si. (C) mim - eu - mim - com você - convosco
(B) Ninguém lhe ouvia as queixas. (D) mim - mim - mim - com você - com vós
(C) O vento traz consigo a tempestade. (E) eu - eu - mim - consigo - com vós
(D) Fizeram tudo para eu ir lá.
(E) Não vá sem mim. 10. Alcança-me, por favor, ___ pincéis atômicos que
tens aí sobre a tua mesa, para ___ grifar algumas
05. Assinale a alternativa incorreta quanto ao emprego palavras ___ aviso que pretendo fixar no mural.
do pronome si. (A) esses - mim - desse
(A) Madalena queria a mãe junto de si. (B) esses - mim - deste
(B) Ofereço esse presente para si. (C) esses - eu - deste
(C) Meu filho será confiante em si mesmo. (D) estes - mim - desse
(D) Quando voltou a si, não se lembrava de nada (E) estes - mim - desse
(E) Vivem brigando entre si.
11. Assinale a frase em que o pronome possessivo foi
06. Assinale a alternativa em que o pronome lhe tem usado incorretamente.
valor possessivo. (A)Vossa senhoria trouxe seu discurso e os docu-
(A) Caiu-lhe nas mãos um belo romance de José de mentos indeferidos?
Língua Portuguesa

Alencar. (B) Vossa Reverendíssima juíza queira desculpar-


(B) Dei-lhe indicações completamente seguras. me se interrompo vosso trabalho.
(C) Basta-lhe uma palavra apenas (C) Voltando ao Vaticano, Sua Santidade falará a fiéis
(D) Seus amigos escreveram-lhe um sigelo poema. de várias nacionalidades.
(E) Informaram-lhe o resultado da prova realizada (D) Informamos que Vossa excelência e seus auxi-
ontem. liares conseguiram muitas adesões.
(E) Sua excelência, o Sr. Ministro da justiça, conside-
rou a medida inconstitucional.

55
Prof. Juliano Viegas

12. Usando os pronomes adequados, complete as 18. Na oração: “Certos amigos não chegaram a ser
lacunas do texto: jamais amigos certos”, o termo destacado é res-
“Por favor, passe _____ caneta que está aí perto de pectivamente:
você; _____ aqui não serve para _____ desenhar.” (A) adjetivo e pronome
(A) aquela - esta - mim (B) pronome adjetivo e adjetivo
(B) esta - esta - mim (C) pronome substantivo e pronome adjetivo
(C) essa - esta - eu (D) pronome adjetivo e pronome indefinido
(D) essa - essa - mim (E) adjetivo anteposto e adjetivo poposto
(E) aquela - esta - eu
19. Ontem, fomos recepcionados pela Cristina onde
13. No trecho: “O presidente não recebeu ninguém, não nos acolheu com muito carinho.
havia nenhuma fotografia sorridente dele, nenhuma A metodologia é excelente onde permite que a crian-
frase imortal, nada que fosse supimpa”, tem-se: ça aproveite o máximo.
(A) quatro pronomes adjetivos indefinidos. A sala é bem espaçosa onde favoreceu as brinca-
(B) dois pronomes adjetivos indefinidos e dois pro- deiras em grupo.
nomes substantivos indefinidos. Há uma boa diversidade de atividades onde o pro-
(C) um pronome substantivo indefinido e três prono- fessor também é um observador.
mes adjetivos indefinidos. No português padrão, onde deve ser substituído,
(D) quatro pronomes substantivos indefinidos. respectivamente, por:
(E) Um pronome adjetivo indefinido e três pronomes
substantivos indefinidos. (A) quem - da qual - pois - o que
(B) a qual - pois - o que - das quais
14. Assinale a alternativa que completa corretamente (C) a qual - da qual - pois - que
as lacunas das frases apresentadas. (D) quem - pois - que - pois
1. “ ____ documento que tens à mão é importante, (E) a que - pois - da qual - das quais
Pedrinho?”
2. “ A estrada do mar, larga e oscilante, ____ sim, o 20. Assinale a opção que apresenta MAU uso dos pro-
tentava.” nomes.
3. “ Na traseira do caminhão lia-se ____ frase: (A) À situação com a qual lidamos parece ser seme-
‘Tristeza não paga dívida’.” lhante àquela.
4. “ Cuidado, mergulhador, ____ animais são vene- (B) É excelente a solução dada pela empresa, pois
esta terá maiores lucros, e aquela beneficiará
nosos: a arraia miúda, o peixe-escorpião, a medu-
empregados.
sa, o mangangá.”
(C) Quantos aos funcionários, a pesquisa lhes for-
necerá dados úteis.
(A) Esse - essa - esta - estes (D) A solução depende de ele ter boas intenções e de
(B) Este - esta - esta - estes nós termos vontade de agir.
(C) Este - esta - essa - esses (E) As famílias cujos os chefes estão desemprega-
(D) Esse - essa - essa - esses dos sabem bem o que é depressão.
(E) Esse - essa - essa - estes
21. A lacuna da frase “A situação _____ aspiro começou
15. Examinando a estrofe de Zé kety, analise o tipo de a se delinear” é preenchida, de acordo com a norma
pronome predominante. culta, por:
“Uns com tanto (A) onde (D) que
Outros tantos com algum (B) cujo (E) a qual
Mas a maioria (C) a que
Sem nenhum.”
(A) pronome pessoal de tratamento 22. As mulheres____ olhos brilham não são dignas de
(B) pronome do caso oblíquo confiança.
(C) pronome indefinido O lugar ____ moro é muito arejado.
(D) pronome demostrativo É um cidadão ____ honestidade se pode confiar.
(E) n.d.a. (A) cujos os – que – em que
(B) cujos – em que – em cuja
16. Identifique a oração em que a palavra certo é pro- (C) cujos – em que - cuja
nome indefinido. (D) cujos os – em que – cuja a
(A) Certo perdeste o juízo. (E) cujos – que em cuja
(B) Certo rapaz te procurou.
23. Há erro no emprego do pronome relativo grifado
Língua Portuguesa

(C) Escolheste o rapaz certo.


(preposicionado ou não) na seguinte frase:
(D) Marque o conceito certo.
(A) Desconheço o artista de que falas.
(E) Não deixe o certo pelo errado.
(B) Este é o livro de cujo autor ele fez alusão.
(C) Os crimes pelos quais ele foi julgado eram anti-
17. Classifique a palavra sublinhada: “Sei o que fazes”. gos.
(A) pronome adjetivo indefinido (D) O juiz de cujas sentenças ele recorreu vai entrar
(B) pronome pessoal de licença.
(C) artigo (E) As decisões do STF às quais ele se referia eram
(D) pronome substantivo demonstrativo todas de grande utilidade.
(E) pronome adjetivo demonstrativo

56
Prof. Juliano Viegas

24. Aponte a opção que completa corretamente as fra- 28. Indique a frase em que o pronome relativo está
ses abaixo: empregado corretamente.
1. Este é o garoto ___ pai fui professor. (A) É um cidadão em cuja honestidade se pode
2. Era uma grande árvore ___ sombra descansáva- confiar.
mos. (B) Feliz é o pai cujos os filhos são ajuizados.
3. Você é a pessoa ____ recorrerei. (C) Comprou uma casa maravilhosa, cuja casa lhe
(A) de cujo – em cuja – a quem custou uma fortuna.
(B) cujo – em cuja - que (D) Preciso de um pincel, sem o cujo não poderei
(C) a cujo – cuja – a quem terminar o quadro.
(D) cujo o – cuja – a quem (E) Os jovens, cujos pais conversei com eles, pro-
(E) do qual – sobre a qual – para quem meteram mudar de atitude.

25. “Os depoimentos ___ teve acesso comprovaram 29. ”foram intimados a comparecer ...”; “... não a fize-
que a República não cumpriu, nesses cem anos, as ram...”; “... a sua oração..” As três ocorrências do a
promessas ___ foi portadora.” são, respectivamente:
(A) a que – de que (A) preposição, pronome, preposição
(B) aos quais – de cujas (B) artigo, artigo, preposição
(C) pelos quais – às quais (C) pronome, artigo, preposição
(D) os quais - das quais (D) preposição, pronome, artigo
(E) que - que (E) artigo, pronome, pronome

26. O homem, ____ méritos você se referiu, mostrou-se 30. Assinale a alternativa que preenche corretamente
agradecido. as lacunas do período ao lado: “Não nos interessa
(A) cujos .......... eles vêm, .......... moram, nem .......... pretendem
(B) a cujos ir.”
(C) cujos a (A) de onde - aonde - aonde
(D) para cujos (B) aonde - onde - aonde
(E) de cujos (C) donde - aonde - aonde
(D) donde - onde - aonde
27. O trabalho ___ ele se dedica é dos mais louváveis, (E) donde - aonde - onde
por isso receberá o prêmio ____ lhe falei.
(A) que - de que 31. O funcionário ...... ele se referiu é pessoa ...... se pode
(B) a que - que confiar.
(C) a que - de que (A) que - da qual (D) do qual – que
(D) que - que (B) a que - quem (E) o qual – em que
(E) de cujos (C) a quem - em que

6.6 Verbo
É a palavra variável que exprime um acontecimento representado no tempo, seja ação, estado ou fenômeno
da natureza.
Os verbos apresentam três conjugações. Em função da vogal temática, podem-se criar três paradigmas
verbais.
1ª fal – ar, 2ª com – er, 3ª part – ir

Classificação dos verbos


a) regulares: seguem o paradigma verbal de sua conjugação;

b) irregulares: não seguem o paradigma verbal da conjugação a que pertencem. As irregularidades podem
aparecer no radical ou nas desinências (ouvir - ouço/ouve, estar - estou/estão);
Entre os verbos irregulares, destacam-se os anômalos que apresentam profundas irregularidades. São
classificados como anômalos em todas as gramáticas os verbos ser e ir.

c) defectivos: não são conjugados em determinadas pessoas, tempo ou modo (falir - no presente do
Língua Portuguesa

indicativo só apresenta a 1ª e a 2ª pessoa do plural). Os defectivos distribuem-se em três grupos: impessoais,


unipessoais (vozes ou ruídos de animais, só conjugados nas 3ª pessoas) por eufonia ou possibilidade de confu-
são com outros verbos;

c) abundantes - apresentam mais de uma forma para uma mesma flexão. Mais freqüente no particípio,
devendo-se usar o particípio regular com ter e haver; já o irregular com ser e estar
Exemplo: Carlos havia aceitado o cargo de secretário
Carlos foi aceito como secretário.

57
Prof. Juliano Viegas

Veja a tabela de alguns verbos abundantes

Infinitivo Forma regular Forma irregular

aceitar aceitado aceito

benzer benzido bento

corrigir corrigido correto

distinguir distinguido distinto

eleger elegido eleito

fritar fritado frito

ganhar gastado gasto

imprimir imprimido impresso

morrer morrido morto

pagar pagado pago

tingir tingido tinto

Observação
A. Pegar e chegar só possuem forma regular: pegado e chegado.

B. Abrir, cobrir, escrever só possuem a forma irregular aberto, coberto e escrito.

C. auxiliares: juntam-se ao verbo principal (infinitivo, gerúndio ou particípio) ampliando sua significação.
Presentes nos tempos compostos e locuções verbais. São auxiliares : ser,estar, ter, haver.
Exemplo: Estou fazendo a lição.
Verbo auxiliar gerúndio do verbo principal

D. Pronominais: certos verbos possuem pronomes pessoais átonos que se tornam partes integrantes
deles. Nesses casos, o pronome não tem função sintática : suicidar-se, apiedar-se, queixar-se, atrever-se, arrepen-
der-se, queixar-se, precaver-se etc.

Formas rizotônicas e arrizotônicas


formas rizotônicas: tonicidade no radical; ex.: eu cant – o
formas arrizotônicas: tonicidade fora do radical; ex.: nós cant – aríamos.

Flexão verbal
• número: singular ou plural;
• pessoa gramatical: 1ª, 2ª ou 3ª;
• modo: indicativo (certeza de um fato ou estado), subjuntivo (possibilidade ou desejo de realização de um
fato ou incerteza do estado) e imperativo (expressa ordem, advertência ou pedido).
• voz: ativa, passiva e reflexiva;
• tempo: referência ao momento em que se fala (pretérito, presente ou futuro). O modo imperativo só tem um
tempo, o presente;

Quanto ao tempo verbal, eles apresentam os seguintes valore


Língua Portuguesa

• presente do indicativo: indica um fato real situado no momento ou época em que se fala;
• presente do subjuntivo: indica um fato provável, duvidoso ou hipotético situado no momento ou época em que se
fala;
• pretérito perfeito do indicativo: indica um fato real cuja ação foi iniciada e concluída no passado;
• pretérito imperfeito do indicativo: indica um fato real cuja ação foi iniciada no passado, mas não foi
concluída ou era uma ação costumeira no passado;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: indica um fato provável, duvidoso ou hipotético cuja ação foi iniciada mas
não concluída no passado;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: indica um fato real cuja ação é anterior a outra ação já passada;
• futuro do presente do indicativo: indica um fato real situado em momento ou época vindoura;

58
Prof. Juliano Viegas

• futuro do pretérito do indicativo: indica um fato possível, hipotético, situado num momento futuro, mas
ligado a um momento passado;
• futuro do subjuntivo: indica um fato provável, duvidoso, hipotético, situado num momento ou época futura;

• Imperativo

imperativo negativo (todo derivado do presente do subjuntivo) e imperativo afirmativo (as 2ª pessoas vêm do
presente do indicativo sem S, as demais também vêm do presente do subjuntivo).

• Quanto à formação, os tempos compostos da voz ativa constituem-se dos verbos auxiliares TER ou HAVER
+ particípio do verbo que se quer conjugar, dito principal.

Quadro geral dos modos e tempos

Veja o quadro do imperativo


Língua Portuguesa

59
Prof. Juliano Viegas

Formas nominais são três


1. Infinitivo
O impessoal é usado em sentido genérico ou indefinido, não relacionado a nenhuma pessoa, o pessoal
refere-se às pessoas do discurso, dependendo do contexto. Recomenda-se sempre o uso da forma pessoal se for
necessário dar à frase maior clareza e ênfase.

Usa-se o impessoal:
• sem referência a nenhum sujeito: É proibido fumar na sala;

• nas locuções verbais: Devemos avaliar a sua situação;

• quando o infinitivo exerce função de complemento de adjetivos: É um problema fácil de solucionar;

• quando o infinitivo possui valor de imperativo - Ele respondeu: “Marchar!”

Usa-se o pessoal:
• quando o sujeito do infinitivo é diferente do sujeito da oração principal: Eu não te culpo por saíres daqui;

• quando, por meio de flexão, se quer realçar ou identificar a pessoa do sujeito: Foi um erro responderes
dessa maneira;

• quando queremos determinar o sujeito (usa-se a 3ª pessoa do plural): - Escutei baterem à porta.

2. Gerúndio
Forma nomial que pode exercer a função de advérvio ou de adjetivo:
Esforçando-te, conseguirás teus intentos.
(esforçando = com esforço – advérbio)

Ele caminhava cambaleando pelas ruas.


(= cambaleante – adjetivo)

3. Particípio
Forma nominal que pode exercer a função de adjetivo e recebe flexão de gênero, número e grau.
Sou um cidadão honrado.
Somos pessoas honradas.
É um cidadão honradíssimo.

Vozes, os verbos apresentam a voz


Chama-se voz a forma que o verbo adquire para indicar se o sujeito pratica ou sofre a ação expressa pelo verbo.
• ativa: sujeito é agente da ação verbal;
Exemplo: Um furacão destruiu aquele povoado.
Sujeito agente

• passiva: sujeito sofre a ação expressa pelo verbo


Exemplo: Aquele povoado foi destruído por um furacão.
Sujeito paciente agente da passiva

A voz passiva pode ser analítica ou sintética (somente com verbo transitivo direto ou direto e indireto):

a) analítica: - verbo auxiliar (ser) + particípio do verbo principal;


Exemplo: Pedro foi ferido por João.
Língua Portuguesa

b) sintética: na 3ª pessoa do singular ou plural + SE (partícula apassivadora);


Exemplo: Formou-se uma grande fila na entrada do circo.
(= sujeito paciente)
Não se veem rosas neste jardim.

60
Prof. Juliano Viegas

reflexiva: sujeito é agente e paciente da ação verbal. Também pode ser recíproca ao mesmo tempo (acrés-
cimo de SE = pronome reflexivo, variável em função da pessoa do verbo); O verbo é sempre acompanhado de um
pronome pessoal oblíquo da mesma pessoa do sujeito a que se refere : me, te, nos, vos e se. Tais pronomes
possuem o valor de a si/mim mesmo(a).
Exemplo: Eu me feri.
Ele se feriu.
Nós nos ferimos.
A criança feriu-se na escada. (feriu a si mesma)

Voz reflexiva recíproca – Ocorre quando a ação é mútua entre os elementos do sujeito. Nesse caso, o
pronome oblíquo equivale a um ao outro, uns aos outro:
Exemplo: Os dois lutadores encaravam-se raivosos.
(encaravam-se um ao outro)

Inversão de vozes
1. Na transformação da voz ativa na passiva, a variação temporal é indicada pelo auxiliar (ser na maioria das
vezes), como notamos nos exemplos a seguir:
Ele fez o trabalho - O trabalho foi feito por ele (mantido o pretérito perfeito do indicativo)
O vento ia levando as folhas - As folhas iam sendo levadas pelas folhas
(mantido o gerúndio do verbo principal).

2. Na transaformação de voz passiva analítica na voz passiva sintética.


Flores são vendidas. – Vendem-se flores.

Formação dos tempos verbais


a) Formação do presente do subjuntivo:
Base: 1ª pessoa do singular do presente do indicativo;

b) Formação do Pretérito Imperfeito do Indicativo:

c) Derivados do Pretérito Perfeito do Indicativo:


Três tempos derivam do pretérito perfeito do indicativo. A base para formação desses tempos é a 3ª pessoa
do plural do pretérito perfeito.
Língua Portuguesa

61
Prof. Juliano Viegas

Conjugações dos verbos


Alguns verbos da língua portuguesa apresentam problemas de conjugação. A seguir temos uma lista, seguida
de comentários sobre essas dificuldades de conjugação.
• Abolir (defectivo) - não possui a 1ª pessoa do singular do presente do indicativo, por isso não possui presente
do subjuntivo e o imperativo negativo. (= banir, carpir, colorir, delinqüir, demolir, descomedir-se, emergir, exaurir,
fremir, fulgir, haurir, retorquir, urgir)
• Cear (irregular) - presente do indicativo - ceio, ceias, ceia, ceamos, ceais, ceiam - pretérito perfeito indicativo -
ceei, ceaste, ceou, ceamos, ceastes, cearam (= verbos terminados em -ear: falsear, passear... - alguns
apresentam pronúncia aberta: estréio, estréia...)
• Falir (defectivo) - presente do indicativo - falimos, falis - pretérito perfeito indicativo - fali, faliste... (= aguerrir,
combalir, foragir-se, remir, renhir)
• Ir (irregular) - presente do indicativo - vou, vais, vai, vamos, ides, vão - pretérito perfeito indicativo - fui, foste... -
presente subjuntivo - vá, vás, vá, vamos, vades, vão
• Jazer (irregular) - presente do indicativo - jazo, jazes... - pretérito perfeito indicativo - jazi, jazeste, jazeu...
• Mobiliar (irregular) - presente do indicativo - mobílio, mobílias, mobília, mobiliamos, mobiliais, mobíliam -
pretérito perfeito indicativo - mobiliei, mobiliaste... / Obstar (regular) - presente do indicativo - obsto, obstas... -
pretérito perfeito indicativo - obstei, obstaste...
• Precaver-se (defectivo e pronominal) - presente do indicativo - precavemo-nos, precaveis-vos - pretérito perfeito
indicativo - precavi-me, precaveste-te... / Prover (irregular) - presente do indicativo - provejo, provês, provê,
provemos, provedes, provêem - pretérito perfeito indicativo - provi, proveste, proveu... / Reaver (defectivo) - presente
do indicativo - reavemos, reaveis - pretérito perfeito indicativo - reouve, reouveste, reouve... (verbo derivado do haver,
mas só é conjugado nas formas verbais com a letra v)
• Requerer (irregular) - presente do indicativo - requeiro, requeres... - pretérito perfeito indicativo - requeri,
requereste, requereu... (derivado do querer, diferindo dele na 1ª pessoa do singular do presente do indicativo e
no pretérito perfeito do indicativo e derivados, sendo regular)
• Rir (irregular) - presente do indicativo - rio, ris, ri, rimos, rides, riem - pretérito perfeito indicativo - ri, riste... (= sorrir)
• Suar (regular) - presente do indicativo - suo, suas, sua... - pretérito perfeito indicativo - suei, suaste, sou... (= atuar,
continuar, habituar, individuar, recuar, situar)
• Valer (irregular) - presente do indicativo - valho, vales, vale... - pretérito perfeito indicativo - vali, valeste, valeu...
Também merecem atenção os seguintes verbos irregulares:
• Pronominais: Apiedar-se, dignar-se, persignar-se, precaver-se

Caber
• presente do indicativo: caibo, cabes, cabe, cabemos, cabeis, cabem;
• presente do subjuntivo: caiba, caibas, caiba, caibamos, caibais, caibam;
• pretérito perfeito do indicativo: coube, coubeste, coube, coubemos, coubestes, couberam;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: coubera, couberas, coubera, coubéramos, coubéreis, couberam;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: coubesse, coubesses, coubesse, coubéssemos, coubésseis, coubessem;
• futuro do subjuntivo: couber, couberes, couber, coubermos, couberdes, couberem.

Estar
• presente do indicativo: estou, estás, está, estamos, estais, estão;
• presente do subjuntivo: esteja, estejas, esteja, estejamos, estejais, estejam;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: estivera, estiveras, estivera, estivéramos, estivéreis, estiveram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: estivesse, estivesses, estivesse, estivéssemos, estivésseis, estivessem;
• futuro do subjuntivo: estiver, estiveres, estiver, estivermos, estiverdes, estiverem;

Fazer
• presente do indicativo: faço, fazes, faz, fazemos, fazeis, fazem;
• presente do subjuntivo: faça, faças, faça, façamos, façais, façam;
• pretérito perfeito do indicativo: fiz, fizeste, fez, fizemos, fizestes, fizeram;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: fizera, fizeras, fizera, fizéramos, fizéreis, fizeram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: fizesse, fizesses, fizesse, fizéssemos, fizésseis, fizessem;
• futuro do subjuntivo: fizer, fizeres, fizer, fizermos, fizerdes, fizerem.
Língua Portuguesa

Seguem esse modelo desfazer, liquefazer e satisfazer.


Os particípios desse verbo e seus derivados são irregulares: feito, desfeito, liquefeito, satisfeito, etc.

Haver
• presente do indicativo: hei, hás, há, havemos, haveis, hão;
• presente do subjuntivo: haja, hajas, haja, hajamos, hajais, hajam;
• pretérito perfeito do indicativo: houve, houveste, houve, houvemos, houvestes, houveram;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: houvera, houveras, houvera, houvéramos, houvéreis, houveram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: houvesse, houvesses, houvesse, houvéssemos, houvésseis, houvessem;
• futuro do subjuntivo: houver, houveres, houver, houvermos, houverdes, houverem.

62
Prof. Juliano Viegas

Ir
• presente do indicativo: vou, vais, vai, vamos, ides, vão;
• presente do subjuntivo: vá, vás, vá, vamos, vades, vão;
• pretérito imperfeito do indicativo: ia, ias, ia, íamos, íeis, iam;
• pretérito perfeito do indicativo: fui, foste, foi, fomos, fostes, foram;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: fora, foras, fora, fôramos, fôreis, foram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: fosse, fosses, fosse, fôssemos, fôsseis, fossem;
• futuro do subjuntivo: for, fores, for, formos, fordes, forem.

Poder
• presente do indicativo: posso, podes, pode, podemos, podeis, podem;
• presente do subjuntivo: possa, possas, possa, possamos, possais, possam;
• pretérito perfeito do indicativo: pude, pudeste, pôde, pudemos, pudestes, puderam;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: pudera, puderas, pudera, pudéramos, pudéreis, puderam;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: pudesse, pudesses, pudesse, pudéssemos, pudésseis, pudessem;
• futuro do subjuntivo: puder, puderes, puder, pudermos, puderdes, puderem.

Pôr
• presente do indicativo: ponho, pões, põe, pomos, pondes, põem;
• presente do subjuntivo: ponha, ponhas, ponha, ponhamos, ponhais, ponham;
• pretérito imperfeito do indicativo: punha, punhas, punha, púnhamos, púnheis, punham;
• pretérito perfeito do indicativo: pus, puseste, pôs, pusemos, pusestes, puseram;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: pusera, puseras, pusera, puséramos, puséreis, puseram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: pusesse, pusesses, pusesse, puséssemos, pusésseis, pusessem;
• futuro do subjuntivo: puser, puseres, puser, pusermos, puserdes, puserem;
Todos os derivados do verbo pôr seguem exatamente esse modelo: antepor, compor, contrapor, decompor,
depor, descompor, dispor, expor, impor, indispor, interpor, opor, pospor, predispor, pressupor, propor, recompor,
repor, sobrepor, supor, transpor são alguns deles.

Reaver
• presente do indicativo: só na 1ª e 2 ª pessoa do plural: reavemos, haveis;
• presente do subjuntivo: NÃO HÁ CONJUGAÇÃO
• pretérito perfeito do indicativo: reouve, rouveste, reouve, reouvemos, reouvestes, reouveram;
• pretérito perfeito do indicativo: reavia, reavias, reavia, reavíamos, reavíeis, reaviam;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: reouvera, reouveras, reouvera, reouvéramos, reouvéreis, reouveram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: reouvesse, reouvesses, reouvesse, reouvéssemos, reouvésseis, reouvesem;
• futuro do presento do indicativo: reaverei, reaverás, reaverá, reaveremos, reavereis, reaverão.
• Futuro do pretérito do indicativo: reaveria, reaverias, reaveria, reaveríamos, reaveríeis, reaveriam;
• futuro do subjuntivo: reouver, reouveres, reouver, reouvermos, reouverdes, reouverem.

Ser
• presente do indicativo: sou, és, é, somos, sois, são;
• presente do subjuntivo: seja, sejas, seja, sejamos, sejais, sejam;
• pretérito imperfeito do indicativo: era, eras, era, éramos, éreis, eram;
• pretérito perfeito do indicativo: fui, foste, foi, fomos, fostes, foram;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: fora, foras, fora, fôramos, fôreis, foram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: fosse, fosses, fosse, fôssemos, fôsseis, fossem;
• futuro do subjuntivo: for, fores, for, formos, fordes, forem.
As segundas pessoas do imperativo afirmativo são: sê (tu) e sede (vós).

Ter
• presente do indicativo: tenho, tens, tem, temos, tendes, têm;
• presente do subjuntivo: tenha, tenhas, tenha, tenhamos, tenhais, tenham;
• pretérito imperfeito do indicativo: tinha, tinhas, tinha, tínhamos, tínheis, tinham;
• pretérito perfeito do indicativo: tive, tiveste, teve, tivemos, tivestes, tiveram;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: tivera, tiveras, tivera, tivéramos, tivéreis, tiveram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: tivesse, tivesses, tivesse, tivéssemos, tivésseis, tivessem;
• futuro do subjuntivo: tiver, tiveres, tiver, tivermos, tiverdes, tiverem.
Língua Portuguesa

Seguem esse modelo os verbos ater, conter, deter, entreter, manter, reter.

Trazer
• presente do indicativo: trago, trazes, traz, trazemos, trazeis, trazem;
• presente do subjuntivo: traga, tragas, traga, tragamos, tragais, tragam;
• pretérito perfeito do indicativo: trouxe, trouxeste, trouxe, trouxemos, trouxestes, trouxeram;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: trouxera, trouxeras, trouxera, trouxéramos, trouxéreis, trouxeram;
• futuro do presente: trarei, trarás, trará, etc.;
• futuro do pretérito: traria, trarias, traria, etc.;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: trouxesse, trouxesses, trouxesse, trouxéssemos, trouxésseis, trouxessem;
• futuro do subjuntivo: trouxer, trouxeres, trouxer, trouxermos, trouxerdes, trouxerem.

63
Prof. Juliano Viegas

Ver
• presente do indicativo: vejo, vês, vê, vemos, vedes, vêem;
• presente do subjuntivo: veja, vejas, veja, vejamos, vejais, vejam;
• pretérito perfeito do indicativo: vi, viste, viu, vimos, vistes, viram;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: vira, viras, vira, víramos, víreis, viram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: visse, visses, visse, víssemos, vísseis, vissem;
• futuro do subjuntivo: vir, vires, vir, virmos, virdes, virem.
Seguem esse modelo os derivados antever, entrever, prever, rever. Prover segue o modelo acima apenas no
presente do indicativo e seus tempos derivados; nos demais tempos, comporta-se como um verbo regular da
segunda conjugação.

Vir
• presente do indicativo: venho, vens, vem, vimos, vindes, vêm;
• presente do subjuntivo: venha, venhas, venha, venhamos, venhais, venham;
• pretérito imperfeito do indicativo: vinha, vinhas, vinha, vínhamos, vínheis, vinham;
• pretérito perfeito do indicativo: vim, vieste, veio, viemos, viestes, vieram;
• pretérito mais-que-perfeito do indicativo: viera, vieras, viera, viéramos, viéreis, vieram;
• pretérito imperfeito do subjuntivo: viesse, viesses, viesse, viéssemos, viésseis, viessem;
• futuro do subjuntivo: vier, vieres, vier, viermos, vierdes, vierem;
• particípio e gerúndio: vindo.
Seguem esse modelo os verbos advir, convir, desavir-se, intervir, provir, sobrevir
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício IX
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Sem a reforma ortográfica 2009

01. A forma correta do verbo submeter-se, na 1a. pes- 06. Se __________ o livro, não __________ com ele;
soa do plural do imperativo afirmativo é: __________ onde combinamos.
(A) submetamo-nos (D) submetei-vos (A) reouveres - fiques - põe-no
(B) submeta-se (E) submete-nos (B) reouveres - fiques - põe-lo
(C) submete-te (C) reaveres - fica - ponha-o
(D) reaveres - fique - ponha-o
02. __________ mesmo que és capaz de vencer; (E) reaveres – fique – põe-lo
__________ e não __________ .
(A) Mostra a ti - decide-te - desanime 07. Se eles __________ suas razões e __________
(B) Mostre a ti - decida-te - desanimes suas teses, não os __________ .
(C) Mostre a ti - decida-te - desanimes (A) expuserem - mantiverem - censura
(D) Mostra a ti - decida-te - desanimes (B) expuserem - mantiverem - censures
(E) Mostra a ti - decide-te - desanimes (C) exporem - manterem - censures
(D) exporem - manterem - censura
03. Depois que o sol se __________, haverão de (E) expuzerem – mantiverem - censures
__________ as atividades.
(A) pôr - suspender 08. Se o __________ por perto, __________; ele
(B) por - suspenderem __________ o esforço construtivo de qualquer pes-
(C) puser - suspender soa.
(D) puzer - suspender (A) veres - precavenha-se - obstrue
(E) pôr - suspenderem (B) vires - precavém-te - obstrui
(C) veres - acautela-te - obstrui
04. Não se deixe dominar pela solidão. __________ a (D) vires - acautela-te - obstrui
vida que há nas formas da natureza, __________
09. Se ele se __________ em sua exposição,
atenção à transbordante linguagem das coisas e
__________ bem. Não te __________.
__________ o mundo pelo qual transita distraído.
(A) deter - ouça-lhe - precipites
(A) Descobre - presta - vê
(B) deter - ouve-lhe - precipita
(B) Descubra - presta - vê
(C) detiver - ouve-o precipita
(C) Descubra - preste - veja
(D) detiver – ouça-o precipita
(D) Descubra - presta - veja
(E) detiver - ouve-o -precipites
Língua Portuguesa

(E) Descobre – preste - vê


10. Os habitantes da ilha acreditam que, quando Jesus
05. Se __________ a interferência do Ministro nos pro-
gramas de televisão e se ele __________, não __________ e __________ todos em paz, haverá
ocorreriam certos abusos. de abençoá-los.
(A) requerêssemos - interviesse (A) vier - os ver
(B) requiséssemos - interviesse (B) vir - os ver
(C) requerêssemos - intervisse (C) vier - os vir
(D) requizéssemos - interviesse (D) vier - lhes vir
(E) requizéssemos - intervisse (E) vir – lhes ver

64
Prof. Juliano Viegas

11. Os pais ainda __________ certos princípios, mas 19. A oração “o engenheiro podia controlar todos os
os filhos já não __________ neles e __________ de empregados da estação ferroviária” está na voz
sua orientação. ativa. Assinale a forma verbal passiva correspon-
(A) mantém - crêem - divergem dente.
(B) mantêem - crêem - divergem (A) podiam ser controlados
(C) mantêm - crêem - divergem (B) seriam controlados
(D) mantém - crêem - divirgem (C) podia ser controlado
(E) mantém – creem – divergem (D) controlavam-se
(E) foram controlados
12. Se todas as pessoas __________ boas relações e
__________ as amizades, viveriam mais felizes. 20. Assinale a oração que não tem condições de ser
(A) mantivessem - refizessem transformada em passiva.
(B) mantivessem - refazessem (A) As novelas substituíram os folhetins do passado
(C) mantiverem - refizerem (B) O diretor reuniu para esta novela um elenco
(D) mantessem - refizessem especial
(E) mantessem - refizessem (C) Alguns episódios estão mexendo com as emo-
ções do público
13. __________ graves problemas que o __________, (D) O autor extrai alguns detalhes do personagem de
durante vários anos, no porto, e impediram que pessoas conhecidas
__________ , em tempo devido, sua promoção. (E) A memória do público grava com força determi-
(A) sobreviram - deteram - requeresse nados tipos das novelas.
(B) sobreviram - detiveram - requisesse
(C) sobrevieram - detiveram - requisesse * Instruções para as questões de 21 a 24: Passe
(D) sobreviram – detiveram - requeresse a frase dada, se for ativa, para a voz passiva, e vice-
(E) sobrevieram - detiveram - requeresse versa. Assinale a alternativa que, feita a transformação,
substitui corretamente a forma verbal grifada, sem que
14. Eu não __________ a desobediência, embora ela haja mudança de tempo e modo verbais.
me _________, portanto, não __________ comigo.
(A) premio - favoreça - contes 21. Não se faz mais nada como antigamente.
(B) premio - favorece - conta (A) é feito (D) fazem
(C) premio - favoreça - conta (B) têm feito (E) fora feito
(D) premeio - favoreça - contas (C) foi feito
(E) premeio - favoreça - conta
22. O seguinte período apresenta uma forma verbal na
15. Se ao menos ele __________ a confusão que voz passiva: “as pessoas comprometidas com a
aquilo ia dar! Mas não pensou, não se __________, corrupção deveriam ser punidas de forma mais
e __________ na briga que não era sua. rigorosa”. Qual a alternativa que apresenta a forma
(A) prevesse - continha - interveio verbal ativa correspondente?
(B) previsse - conteve - interveio (A) deveria punir (D) deveriam punir
(C) prevesse - continha - interviu (B) puniria (E) devem punir
(D) previsse - conteve - interviu (C) puniriam
(E) prevesse - conteve - interveio
23. Em meio àquele tumulto, ele ia terminando o com-
16. A locução verbal que constitui voz passiva analítica é: plicado trabalho.
(A) Vais fazer essa operação? (A) foi terminando
(B) Você teria realizado tal cirurgia? (B) foi sendo terminado
(C) Realizou-se logo a intervenção. (C) foi terminado
(D) A operação foi realizada logo. (D) ia sendo terminado
(E) Qual foi o resultado do transplante? (E) fora sendo terminado

17. Saí de lá com a certeza de que os livros me seriam 24. Se fôssemos ouvidos, muitos aborrecimentos seri-
enviados por ele, sem falta, na data marcada. am evitados.
(A) iria enviar (A) ouvíssemos - estaríamos
(B) enviaria (B) formos ouvidos - serão evitados
(C) enviará (C) nos ouvissem - se evitariam
(D) foram enviados (D) nos ouvissem – evitariam
Língua Portuguesa

(E) enviara (E) ouvisse-nos – evitariam-se

18. A oração “o alarme tinha sido disparado pelo guar- 25. Há verbos chamados abundantes, porque têm mais
da” está na voz passiva. Assinale a alternativa que de uma forma, especialmente para o particípio,
apresenta a forma verbal ativa correspondente. como expulso e expulsado. Assinale o par em que
(A) disparara os dois verbos não têm os dois particípios no uso
(B) fora disparado corrente da língua:
(C) tinham disparado (A) aceitar – acender; (D) soltar – romper;
(D) tivera disparado (B) fazer – ver; (E) prender – extinguir.
(E) tinha disparado (C) emitir – incorrer;

65
Prof. Juliano Viegas

26. Os períodos que possuem verbos auxiliares: 33. Transpondo para a voz ativa a frase “O processo
I - É mister trabalharmos mais. deve ser revisto pelos dois funcionários”, obtém-se
II - Já vem raiando a madrugada. a forma verbal:
III - Ela ficava filosofando, ao contemplar as estrelas. (A) deve-se rever;
(A) I e II; (B) devem rever;
(B) II e III; (C) será revisto;
(C) I e III; (D) reverão;
(D) I, II e III; (E) rever-se-á.
(E) nenhum possui verbo auxiliar.
34. Complete as frases abaixo com o presente do sub-
27. Em “ _____ como se tivéssemos vivido sempre juntivo dos verbos indicados entre parênteses:
juntos”, a forma verbal está no: (A) Como os preços baixaram, é necessário que nós
(A) imperfeito do subjuntivo; ________ o orçamentos (refazer);
(B) futuro do presente composto; (B) É importante que nossa tentativa _______ o
(C) mais-que-perfeito composto do indicativo; esforço (valer);
(D) mais-que-perfeito composto do subjuntivo; (C) Convém que ele ______ um novo acordo (pro-
(E) futuro composto do subjuntivo. por);
(D) Para que não nomeemos é necessário que nós
28. Assinale a alternativa correta quanto ao uso de _________ o que elas pensam (saber);
verbos abundantes: (E) Espero que todos os responsáveis _________
(A) foi elegido pelas mulheres, apesar de haver eleito a culpa (assumir).
a maioria dos homens;
(B) por haver aceitado as condições do acordo, seus (A) refaçamos - valha - proponha - saibamos - assu-
documentos foram entregues ao escrivão; mam;
(C) antes de chover, ele tinha cobrido o carro; (B) refazemos - valha - proponham - sabemos -
(D) tem fazido muito calor ultimamente; assumam;
(E) por ter morto um animal indefeso, o caçador foi (C) refaçamos - valham - proponha - soubemos -
matado pelos índios. assumem;
(D) refazemos - valha - proponha - saibamos - assu-
29. “Acredito que Maria tenha feito a lição”, passando- mam;
se a oração sublinhada para a voz passiva, o verbo (E) N.D.A.
ficará assim:
(A) foi feita; 35. Assinale a alternativa em que todas as formas
(B) tenha sido feita; verbais pedidas estejam certas:
(C) esteja sendo feita; Haver (presente subjuntivo, 1ª pessoa do singular);
(D) tenha estado feita; Crer (presente indicativo, 3ª pessoa do plural);
(E) seja feita. Passear (presente subjuntivo, 2ª pessoa do plural).
(A) haja – crêem – passeeis;
30. Transportando para a voz passiva a frase “eu estava (B) haje – crêm – passeieis;
revendo, naquele momento, as provas tipográficas (C) haje – creem – passeais;
do livro”, obtém-se a forma verbal . . . (D) hajai – creim – passeiais;
(A) ia revendo; (E) haja – creiem – passeies.
(B) estava sendo revisto;
(C) seriam revistas; 36. “As linhas ______ para um ponto e depois se ______
(D) comecei a rever; no infinito”.
(A) convergem – esvão;
(E) estavam sendo revistas.
(B) convirgem – esvaem;
(C) convergem – esvaiem;
31. Assinale a alternativa que contém voz passiva:
(D) convergem – esvaem;
(A) tínhamos apresentado diversas opções;
(E) convirgem – esvão.
(B) dorme-se bem naquele hotel;
(C) precisa-se de gerentes de vendas;
37. Assinale a alternativa que completa corretamente
(D) difundia-se o boato de que haveria racionamento;
os espaços em branco:
(E) N. D. A
“É preciso que _______ novidades interessantes
que _____ e ______ ao mesmo tempo”.
32. Transportando para a voz ativa a oração “os sócios
(A) surjam – divertem – instruam;
foram convocados para uma reunião”. Obtém-se
(B) surjam – divirtam – instruam;
Língua Portuguesa

a forma verbal:
(A) convocaram-se; (C) surjam – divirtam – instruem;
(B) convocaram; (D) surgem – divertem – instruem;
(C) convocar-se-ia; (E) surgem – divirtam – instruam.
(D) haviam sido convocados;
(E) haverão de ser convocados

66
Prof. Juliano Viegas

38. Considere as frases: 45. A relação dos verbos que completam, conveniente-
1) “Eles querem que nós (fazer) o trabalho”. mente e em correspondência com as frases, as
2) “Fazemos esforços para que todos (caber) na respectivas com lacunas:
sala”. 1 - “eles ______ melhor, sentados aqui”
Flexionando corretamente os verbos indicados, te- 2 - “todos ainda ______ nisso”
remos: 3 - “este produto ______ os mesmos fatores”
(A) façamos - cabem; (A) vêm - creêm - contém;
(B) fazemos - caibam; (B) vêem - crêm - contém;
(C) fazemos - coubessem; (C) vêem - crêem - contém;
(D) façamos - caberem; (D) vêm - crêem - contém;
(E) façamos - caibam. (E) vêem - crêem - contêm.

39. Assinale a frase em que há erro de conjugação 46. “Se você _________ e o seu amigo ________ talvez
verbal: você __________ os seus bens”.
(A) os esportes entretêm a quem os pratica; (A) requisesse - intervisse - reavesse;
(B) ele antevira o desastre; (B) requeresse - intervisse - reavessse;
(C) só ficarei tranqüilo quando vir o resultado; (C) requeresse - interviesse - reouvesse;
(D) eles se desavinham freqüentemente; (D) requeresse - interviesse - reavesse;
(E) ainda hoje requero o atestado de bons antece- (E) requisesse - intervisse - reouvesse.
dentes.
47. “No desempenho de tuas funções, ________ aten-
40. Das frases que seguem, uma traz errado emprego cioso com todos, _________ ser útil sempre e não
da forma verbal. Assinale-a: _________ as tuas responsabilidades”.
(A) cumpre teus deveres, e terás a consciência tran- (A) sê - procure - negue;
qüila; (B) seja - procura - negue;
(B) nada do que se possui com gosto se perde sem (C) seja - procure - negues;
desconsolação; (D) sê - procura - negues;
(C) não voltes atrás, pois é fraqueza desistir-se da (E) seja - procura - negues.
coisa começada;
(D) dizia Rui Barbosa: “Fazeis o que vos manda a 48. “Caso __________ realmente interessado, ele não
consciência, e não fazeis o que convém ao ape- ___________ de falar”.
tites. (A) estiver - haja;
(B) esteja - houvesse;
41. Assinale o item que contém as formas verbais (C) estivesse - haveria;
corretas: (D) estivesse - havia;
(A) reouve – intervi; (D) reavi - intervi; (E) estiver - houver.
(B) reouve – intervim; (E) rehavi - intervim
(C) rehouve – intervim; 49. Assinale a alternativa que completa corretamente a
seguinte frase: “Quando _________ mais aperfei-
42. Que alternativa contém as palavras adequadas para çoado, o computador certamente ___________ um
o preenchimento das lacunas? eficiente meio de controle de
“Do lugar de onde eles ________, _______ diversas toda a vida social”.
romarias”. (A) estivesse - será;
(A) provém – afluem; (D) provêem - afluem; (B) estiver - seria;
(B) provém – aflue; (E) provêm - afluem. (C) esteja - era;
(C) provém – aflui; (D) estivesse - era;
(E) estiver - será.
43. A frase “Procure compreender seus pais” está na 3ª
pessoa do singular. Passando-a à 2ª pessoa do 50. O modo verbal que expressa uma atitude duvidosa,
singular, teremos: incerta é o:
(A) procuras compreender vossos pais; (A) indicativo;
(B) procurai compreender teus pais; (B) imperativo;
(C) procura compreender seus pais; (C) subjuntivo;
(D) procura compreender teus pais; (D) imperativo e subjuntivo;
(E) N.R.A. (E) N. D. A.

44. Assinale a alternativa que completa corretamente a 51. Aponte a alternativa, em que a segunda forma está
Língua Portuguesa

frase abaixo. Observe que na primeira lacuna a incorreta como plural da primeira:
forma verbal é do imperativo afirmativo e, na segun- (A) tu ris - vós rides;
da, a forma verbal é do imperativo negativo. Além (B) ele lê - eles lêem;
disso, note que é a forma verbal “Vencerás” que (C) ele tem - eles têm;
determina a pessoa gramatical a ser usada nas (D) ele vem - eles vêem;
duas formas do imperativo. (E) eu ceio - nós ceamos.
“ ________, não _________ e vencerás”
(A) lute – desista; (D) lutas - desiste;
(B) lutai – desisti; (E) lutai - desista.
(C) luta – desistas;

67
Prof. Juliano Viegas

6.7 Advérbio
Advérbio é a palavra invariável que exprime circunstância e modifica o verbo, o adjetivo e até mesmo o próprio
advérbio.
a) modificando um verbo:
Aquele vereador fala bem.
fala = verbo / bem = advérbio.

b) modificando um adjetivo:
Aquela garota é bastante magra.
basntante = advérbio / magra = adjetivo

c) modificando outro advérbio:


Essa professora fala muito alto.
Muito = advérbio / alto = advérbio

Classificação dos advérbios


Os advérbios são classificados, de acordo com a circunstância que exprimem.

» lugar: aqui, aí, ali, cá, lá, acolá, além, longe, perto, dentro, adiante, defronte, onde, acima, abaixo, atrás,
algures (= em algum lugar), alhures (=um outro lugar), nenhures (=em nenhum lugar), em cima, de cima, à direita,
à esquerda, ao lado, de fora, por fora, etc.

» tempo: hoje, ontem, anteontem, amanhã, atualmente, brevemente, sempre, nunca, jamais, cedo, tarde,
antes, depois, já, agora, ora, então, outrora, aí, quando, à noite, à tarde, de manhã, de vez em quando, às vezes, de
repente, hoje em dia, etc.

» modo: bem, mal, assim depressa, devagar, rapidamente, lentamente, facilmente, (e a maioria dos adjeti-
vos terminados em -mente), às claras, às pressas, à vontade, à toa, de cor, de mansinho, de cócoras, em silêncio,
com rancor, sem medo, frente a frente, face a face, etc.

» intensidade: muito, pouco, mais, menos, ainda, bastante, assaz, demais, tanto, deveras, quanto, quase,
apenas, mal, tão, de pouco, de todo, etc.

» afirmação: sim, decerto, certamente, efetivamente, seguramente, realmente, sem dúvida, por certo, com
certeza, etc.

» negação: não, absolutamente, tampouco, de modo algum, de jeito nenhum, etc.

» dúvida: talvez, quiçá, acaso, porventura, provavelmente, etc.


Advérbios interrogativos podem expressar circunstâncias de:

lugar: onde, aonde, de onde/onde esse autor nasceu?


tempo: quando/ Quando voltaremos lá ?
modo: como/ Como ele está trajado
causa: por que, por quê / Por que você mentiu ?

Flexão do advérbio
Alguns advérbios flexionam-se no comparativo e no superlativo.

» grau comparativo:
a) De igualdade: tão+advérbio+quanto
Cheguei tão cedo quanto queria.
b) De superioridade: mais+advérbio+que
Cheguei mais cedo que queria.
c) De inferioridade: menos+advérbio+que
Língua Portuguesa

Cheguei menos cedo que queria.

» grau superlativo:
a) Analítico:
Minha amiga mora muito longe.
b) Sintético:
Não a visito porque ela mora longíssimo.

68
Prof. Juliano Viegas

Observações:
O uso de advérbios no grau diminutivo pode indicar afetividade ou intensidade.
Estou chegando pertinho, pertinho.
Estive lá agorinha.

Emprega-se as formas mais bem e mais antes de particípios em vez de melhor ou pior.

Exemplo: Meu texto está mais bem elaborado do que o seu.


(e não melhor elaborado)

Locuções adverbiais
É a união de duas ou mais palavras que equivalem a um advérbio, forma-se de preposição mais um
substantivo ou advérbio. Veja alguns exemplos:

às vezes às escuras
às claras às cegas
às tontas às pressas
vez por outra de tempos em tempos
de onde em onde de qualquer modo
de cima de cor
de propósito em breve
de quando em vez pouco a pouco

6.8 Preposição
Preposição é a palavra invariável que une termos de uma oração, estabelecendo entre eles variadas relações.
Marília de Dirceu (idéia de posse)
Poema de amor (idéia de assunto)

Classificação das preposições


As preposições podem ser:
essenciais: palavras que só funcionam como preposição. São elas:

a com em por trás


ante contra entre sem
até de para sob
após desde perante sobre

acidentais: são palavras de classes diferentes que, eventualmente, desempenham função prepositiva. São
elas: Dão ideia de exceção;

afora como conforme consoante


durante exceto fora mediante
menos salvo segundo visto

Exemplo: Foram todos, exceto eu.


Todos reclamaram, fora tu.
Salvo Mário, não sobrou ninguém.

Locuções prepositivas
É a união de duas ou mais palavras com função de preposição. Veja os exemplos:

abaixo de junto a
antes de por cima de
a respeito de a fim de
Língua Portuguesa

defronte de a par de
em vez de debaixo de
por baixo de diante de
acima de por detrás de
ao lado de para com
depois de além de
apesar de por diante de
em torno de por causa de

Exemplo: Estás à beira do abismo.

69
Prof. Juliano Viegas

Locução prepositova X locução adverbial

A diferença entre a locução prepositiva e a adverbial é que na primeira,


o último vocabulo é sempre uma preposição e na segunda, nunca
é preposição. Veja:
Venho de longe / Estava longe de ti.

Locução adverbial Locução prepositiva

Combinação e contração da preposição


Combinação: a preposição não sofre perda de fonemas. Dá-se a combinação com:

» preposição a + artigos definidos o, os:


Fomos ao médico.

» preposição a + advérbio onde:


Aonde estamos indo?

Contração: quando a preposição sofre perda de fonemas. Dá-se a contração com as preposições:

Preposição Outro elemento Contração

a, as à, às
a aquele(s) (a) (as) àquele(s) (a) (as)
aquilo àquilo

o(s), a(s) do(s), da(s)


de um,uns, uma(s) dum, duns,duma(s)
este(s) (a) (as) deste(s) (a) (as)
esse(s) (a) (as) desse(s) (a) (as)
isto, isso disto, disso
aquele(s) (a) (as) daquele(s) (a) (as)
aquilo daquilo
aí, ali, aqui daí, dali, daqui
outro(s) (a) (as) doutro(s) (a) (as)

o(s), a(s) no(s), na(s)


um, uns, uma(s) num, nuns,numa(s)
este(s) (a) (as) neste(s) (a) (as)
em esse(s) (a) (as) nesse(s) (a) (as)
isto, isso nisto, nisso
aquele(s) (a) (as) naquele(s) (a) (as)
aquilo naquilo

por (per) o(s), a(s) pelo(s), pela(s)

Relações entre os Termos


Língua Portuguesa

Veja a seguir algumas das relações mais comuns que as preposições estabelecem entre os termos:

1. Tempo: Tudo aconteceu em 24 hotas.


2. Finalidade: És pura demais para sofrer.
3. Posse: Eis o caderno de Mariana.
4. Causa: A criança chorava de fome, professora !
5. Matéria: Era uma casa de pedra, espaçosa e arejada.
6. Origem: Você é descendente de alemães ?
7. Lugar: Estarei em casa quando você chegar.

70
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício X
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Assinale o item que só contenha preposições: 07. Assinale a frase em que “meio” funciona como
(A) durante, entre, sobre advérbio:
(B) com, sob, depois (A) Só quero meio quilo.
(C) para, atrás, por (B) Achei-o meio triste.
(D) em, caso, após (C) Descobri o meio de acertar.
(E) após, sobre, acima (D) Parou no meio da rua.
(E) Comprou um metro e meio.
02. O “que” está com função de preposição na alterna-
tiva: 08. Assinale a alternativa correspondente à classe gra-
(A) Veja que lindo está o cabelo da nossa amiga! matical da palavra a, respectivamente: Esta gravata
(B) Diz-me com quem andas, que eu te direi quem é a que recebi; Estou disposto a tudo; Fiquei conten-
és. te com a nota; Comprei-a logo que a vi.
(C) João não estudou mais que José, mas entrou na (A) artigo - artigo - preposição - preposição
Faculdade. (B) preposição - artigo - pronome demonstrativo -
(D) O Fiscal teve que acompanhar o candidato ao artigo
banheiro. (C) pronome demonstrativo - preposição - artigo -
(E) Não chore que eu já volto. pronome pessoal
(D) pronome pessoal - preposição - artigo - pronome
03. “Saberão que nos tempos do passado o doce amor pessoal
era julgado um crime.” (E) nenhuma das alternativas
(A) 4 substantivos
(B) 3 adjetivos 09. Indique a oração que apresenta locução prepositiva:
(C) 4 verbos (A) Havia objetos valiosos sobre a pequena mesa
(D) 7 palavras átonas de mármore.
(E) 2 preposições (B) À medida que os inimigos se aproximavam, as
tropas inglesas recuavam.
04. No trecho: “E o azul, o azul virginal onde as águias (C) Seguiam a maneira militar devido à influência do
e os astros gozam, tornou-se o azul espiritualizado...”, pai.
as palavras destacadas correspondem (D) Agiu de caso pensado, quando se afastou de
morfologicamente, pela ordem, a: você.
(E) De repente, riscou e reescreveu o texto.
(A) adjetivo - pronome relativo - substantivo - prono-
me relativo 10. No período “O povoado século XX está a bordo de
(B) substantivo - pronome relativo - substantivo- pro- uma vida desgastante, cheia de imprevistos incon-
nome reflexivo venientes”, a preposição em realce está indicando
(C) adjetivo - advérbio - substantivo - pronome refle- relação de:
xivo (A) fim
(D) substantivo - advérbio - advérbio - pronome rela- (B) lugar
tivo (C) causa
(E) adjetivo - conjunção - substantivo - pronome (D) modo
(E) meio
05. Na frase “As negociações estariam meio abertas só
depois de meio período de trabalho”, as palavras 11. Assinale a função morfológica de caro em “Ele
destacadas são, respectivamente: vendeu caro as mercadorias”.
(A) adjetivo, adjetivo (A) substantivo
(B) advérbio, adjetivo (B) adjetivo
(C) advérbio, advérbio (C) advérbio
(D) numeral, adjetivo (D) pronome
(E) numeral, advérbio (E) preposição

06. Nos trechos: “A menina conduz-me diante do leão...”; 12. Ele discursou de improviso. O termo sublinhado é
“... sobre o focinho contei nove ou dez moscas...”; locução:
“... a juba emaranhada e sem brilho.” (A) adverbial
(B) conjuntiva
Língua Portuguesa

Sob o ponto de vista gramatical, os termos destaca-


dos são, respectivamente: (C) explicativa
(A) locução adverbial, locução adverbial, locução ad- (D) adjetiva
verbial (E) prepositiva
(B) locução conjuntiva, locução adjetiva, locução ad-
verbial 13. Morfologicamente, a expressão sublinhada na frase
(C) locução adjetiva, locução adverbial, locução verbal abaixo é classificada como locução - Estava à toa na
(D) locução prepositiva, locução adverbial, locução vida ...
adjetiva (A) adjetiva (D) conjuntiva
(E) locução adverbial, locução prepositiva, locução (B) adverbial (E) substantiva
adjetiva (C) prepositiva

71
Prof. Juliano Viegas

14. Única oração contendo, simultaneamente, prono- 16. Escrever encima da fachada é escrever .......... ela.
me, advérbio e preposição: (A) sobre (D) em baixo de
(A) João viajou ontem com a esposa. (B) sob (E) ao lado
(B) Não queremos partir agora. (C) sub
(C) Ele é muito bom quando sóbrio.
(D) O que me pede está muito difícil de conseguir. 17. “Ainda que endureçamos os nossos corações
(E) Hoje os atletas correrão por aqui. diante da vergonha e da desgraça experimentadas
pelas vítimas, o ônus do analfabetismo é muito alto
15. Assinale a alternativa em que ocorre combinação de para todos os demais.”
uma preposição com um pronome demonstrativo: A locução ainda que e o advérbio muito estabele em,
(A) Estou na mesma situação. respectivamente, sentido de:
(B) Neste momento, encerramos nossas transmis-
sões. (A) restrição e quantidade
(C) Daqui não saio. (B) causa e modo
(D) Ando só pela vida. (C) tempo e meio
(E) Acordei num lugar estranho. (D) concessão e intesidade
(E) condição e especificação

6.8 Conjunção
Conjunção é a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos de uma mesma oração.

Joaquim escorregou e machucou a cabeça.

Luana trouxe comida e refrigerante.

Eu sei que você não foi à aula hoje

Classificação das conjunções

a) Conjunções coordenativas
Ligam duas orações independentes. São elas:

1. aditivas: quando estabelecem uma relação de soma entre dois termos ou duas orações. São elas: e, nem,
não só... mas também.
Carlos não veio à reunião nem ligou avisando.

2. adversativas: estabelecem uma relação de oposição entre as orações. São elas: mas, porém, contudo,
entretanto, não obstante, todavia.
Quero contar-lhe uma coisa mas tenho medo.

3. alternativas: estabelecem uma relação de alternância entre as orações. São elas: ou, ora...ora, ou...ou,
quer...quer, já...já, seja...seja.
Ora estuda, ora dorme.

4. conclusivas: exprimem idéia de conclusão ou conseqüência entre as orações. São elas: logo, pois
(posposto ao verbo), portanto, assim, por isso, por conseguinte, então.
O homem pensa, logo existe.

5. explicativas: estabelece uma idéia de explicação entre duas orações. São elas: pois (anteposto ao verbo),
porque, porquanto, que.
Língua Portuguesa

Fecha a janela, porque faz frio.

72
Prof. Juliano Viegas

b) Conjunções subordinativas
Ligam duas orações dependentes. São elas:

1. causais: exprimem idéia de causa. São elas: porque, porquanto, visto que, visto como.
Janaina não comprou o carro porque não teve dinheiro.
2. Temporais: exprimem idéia de tempo. São elas: quando, enquanto, depois que, logo que, sempre que,
senão quando.
Quando você me deixou, quase morri.
3. Condicionais: exprimem condição. São elas: se, salvo se, caso, contanto que, uma vez que, dado que, a
menos que.
Se não chover amanhã, iremos ao clube.
4 Finais: exprimem idéia de finalidade. São elas: para que, a fim de que, porque (=para que), que.
Correu muito para que não chegasse atrasado.
5. Comparativas: estabelecem comparação. São elas: que, do que (depois de mais, menos, maior, menor,
melhor, pior), qual (depois de tal), como, assim como, bem como, que nem.
Ela é como sua mãe, alegre.
6. Concessivas: exprimem concessão. São elas: embora, ainda que, posto que, por muito que.
Embora estivesse exausta, fui trabalhar.
7. Conformativas: exprimem idéia de conformidade. São elas: como, conforme, consoante, segundo.
Entreguei o relatório, conforme você pediu.
8. Consecutivas: exprimem com a segunda oração uma conseqüência ou resultado do que foi declarado na
primeira. São elas: tão, tal, tanto, tamanho...que.
A dor era tão forte que não pude sair.
9. proporcionais: exprimem idéia de aumento ou diminuição, de simultaneidade. São elas: quanto mais...tanto
mais, quanto menos...tanto menos, quanto mais, à medida que, à proporção que, quanto mais...mais, quanto
mais...menos, quanto menos...mais.
Quanto mais se vive, mais se aprende.
10. integrantes: introduzem a segunda oração que completa o sentido da primeira. São elas: que, se, como.
Espero que você seja feliz.
Não sei se você conheçe meu pai.
Locuções conjuntivas são duas ou mais palavras que tem o valor de conjunção. Veja algumas:
ainda que
à medida que
por conseqüência

9. Interjeição
Interjeição é a palavra invariável usada para exprimir emoções e sentimentos. Uma interjeição pode ser
usada para expressar as mais diversas emoções, mas, relacionemos as principais interjeições e seus estados
emocionais correspondentes:

» advertência: Alerta! Atenção! Calma! Cuidado! Devagar! Fogo! Olha! Sentido! Calma!
» afugentamento: Fora! Passa! Sai! Rua! Xô!
» alegria: Ah! Eh! Oh! Oba! Viva! Aleluia!
» animação: Avante! Eia! Vamos! Coragem! Força!
» aplauso: Apoiado! Bravo! Bis! Parabéns! Isso!
» chamamento: Oi! Ô! Olá! Alô! Psit!
» desejo: Que me dera! Se Deus quiser! Oxalá! Tomara!
» dor: Ah! Oh! Ai! Ui!
» espanto: Puxa! Oh! Xi! Uai! Ué!
» silêncio: Psiu! Pst! Silêncio! Quieto!
» concordância: Claro! Ótimo! Sim!
» desacordo: Ora! Barbaridade!
» pena: coitado!
Língua Portuguesa

» satisfação: Boa! Oba! Opa! Upa!


» saudação: Olá! Oi! Salve! Adeus!

Locução interjetiva
São duas ou mais palavras com valor de interjeição. Veja alguns exemplos:

Meu Deus! Puxa vida!


Ora bolas! Que pena!
Ora essa! Cruz-credo!
Santo Deus! Pobre de mim!

73
Prof. Juliano Viegas

○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício XI
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Aponte a alternativa em que a palavra em negrito é 07. Aponte o período em que a palavra se seja uma
conjunção explicativa: conjunção subordinada integrante:
(A) Como estivesse cansado, não foi trabalhar. (A) A tristeza daquela jovem se funda em problemas
(B) Assim que fores ao Rio, não te esqueças de sociais.
avisar-me. (B) Em suas palavras, não se separam mentiras e
(C) Retirou-se antes, já que assim o quis. verdades.
(D) Não se aborreça, que estamos aqui para ouvi-lo. (C) Se essa obra fosse impressa no Brasil, teria o
(E) Não compareceu, porque não foi avisado. valor de oito mil cruzeiros.
(D) Os dirigentes indagaram se seriam ordens ade-
02. Em “Orai porque não entreis em tentação”, o valor da quadas a seus subalternos.
conjunção do período é de: (E) Os chefes administrativos mantêm-se
(A) causa atualizados quanto a questões existenciais das
(B) condição mais complexas.
(C) conformidade
(D) explicação 08. Na frase: “Você é que pensa que a vida flui segundo
(E) finalidade as leis do poder!”, a palavra que classifica-se, res-
pectivamente, como:
03. As formas que traduzem vivamente os sentimentos (A) palavra de realce, pronome relativo
súbitos, espontâneos e instintivos dos falantes são (B) advérbio de intensidade, conjunção integrante
denominados: (C) advérbio de intensidade, pronome relativo
(A) conjunções (D) conjunção integrante, pronome relativo
(B) interjeições (E) palavra de realce, conjunção integrante
(C) preposições
(D) locuções Prova sobre morfologia
(E) coordenações
01. A alternativa que apresenta classes de palavras
04. Assinale a alternativa em que aparece a conjunção cujos sentidos podem ser modificados pelo advér-
final que: bio são:
(A) Não sei que digo a você. (A) adjetivo - advérbio - verbo.
(B) Cinco dias são passados que dali saímos. (B) verbo - interjeição - conjunção.
(C) Peço a Deus que te faça venturoso. (C) conjunção - numeral - adjetivo.
(D) Crio estas crianças, que vês, que refrigério sejam (D) adjetivo - verbo - interjeição.
da minha velhice. (E) interjeição - advérbio - verbo.
(E) n.d.a
02. Das palavras abaixo, faz plural como “assombra-
05. Embora todas as conjunções sejam aditivas, uma ções”
oração apresenta idéia de adversidade: (A) perdão. (D) cristão.
(A) Não achou os documentos e nem as fotocópias. (B) bênção. (E) capitão.
(B) Queria estar atento à palestra e o sono chegou. (C) alemão.
(C) Não só aprecio a Medicina como também a
03. Na oração “Ninguém está perdido se der amor...”, a
Odontologia.
palavra grifada pode ser classificada como:
(D) Escutei o réu e lhe dei razão.
(A) advérbio de modo.
(E) Não só escutei o réu mas também lhe dei razão.
(B) conjunção adversativa.
(C) advérbio de condição.
06. Assinale a alternativa em que a palavra como assu-
(D) conjunção condicional.
me valor de conjunção subordinativa conformativa:
(E) preposição essencial.
(A) Como ele mesmo afirmou, viveu sempre trope-
çando nos embrulhos da vida.
04. Marque a frase em que o termo destacado expressa
(B) Como não tivesse condições necessárias para
circunstância de causa:
competir, participou com muita insegurança, das
(A) Quase morri de vergonha.
atividades esportivas.
(B) Agi com calma.
(C) As frustrações caminham rápidas como as tem-
(C) Os mudos falam com as mãos.
Língua Portuguesa

pestades das matas devastadoras.


(D) Apesar do fracasso, ele insistiu.
(D) Indaguei-me apreensiva como papai tinha assu-
(E) Aquela rua é demasiado estreita.
mido aquela contínua postura de contemplação.
(E) Como as leis eram tentativas naquele vilarejo,
05. “Enquanto punha o motor em movimento.” O verbo
todos os moradores entavam um meio de obedi-
destacado encontra-se no:
ência às normas morais.
(A) Presente do subjuntivo.
(B) Pretérito mais-que-perfeito do subjuntivo.
(C) Presente do indicativo.
(D) Pretérito mais-que-perfeito do indicativo.
(E) Pretérito imperfeito do indicativo.

74
Prof. Juliano Viegas

06. Aponte a opção em que muito é pronome indefinido: 15. Indique a frase em que o verbo se encontra na 2ª
(A) O soldado amarelo falava muito bem. pessoa do singular do imperativo afirmativo:
(B) Havia muito bichinho ruim. (A) Faça o trabalho.
(C) Fabiano era muito desconfiado. (B) Acabe a lição.
(D) Fabiano vacilava muito para tomar decisão. (C) Mande a carta.
(E) Muito eficiente era o soldado amarelo. (D) Dize a verdade.
(E) Beba água filtrada.
07. A flexão do número incorreta é:
(A) tabelião - tabeliães. 16. Em “Escrever é alguma coisa extremamente forte,
(B) melão - melões. mas que pode me trair e me abandonar.”, as pala-
(C) ermitão - ermitões. vras grifadas podem ser classificadas como, res-
(D) chão - chãos. pectivamente:
(E) catalão - catalões. (A) pronome adjetivo - conjunção aditiva.
(B) pronome interrogativo - conjunção aditiva.
08. Dos verbos abaixo apenas um é regular, identifique-o: (C) pronome substantivo - conjunção alternativa.
(A) pôr. (D) reaver. (D) pronome adjetivo - conjunção adversativa.
(B) adequar. (E) brigar (E) pronome interrogativo - conjunção alternativa.
(C) ser.
17. Marque o item em que a análise morfológica da
09. A alternativa que não apresenta erro de flexão verbal palavra sublinhada não está correta:
no presente do indicativo é: (A) Ele dirige perigosamente - (advérbio).
(A) reavejo (reaver). (B) Nada foi feito para resolver a questão - (pronome
(B) precavo (precaver). indefinido).
(C) coloro (colorir). (C) O cantar dos pássaros alegra as manhãs -
(D) frijo (frigir). (verbo).
(E) adequo (adequar). (D) A metade da classe já chegou - (numeral).
(E) Os jovens gostam de cantar música moderna -
10. A classe de palavras que é empregada para exprimir (verbo).
estados emotivos:
(A) adjetivo. (D) conjunção. 18. Quanto à flexão de grau, o substantivo que difere dos
(B) interjeição. (E) advérbio. demais é:
(C) preposição. (A) viela.
(B) vilarejo.
11. Todas as formas abaixo expressam um tamanho (C) ratazana.
menor que o normal, exceto: (D) ruela.
(A) saquitel. (D) marmita. (E) sineta.
(B) grânulo. (E) óvulo
(C) radícula. 19. Está errada a flexão verbal em:
(A) Eu intervim no caso.
12. Em “Tem bocas que murmuram preces...”, a se- (B) Requeri a pensão alimentícia.
qüência morfológica é: (C) Quando eu ver a nova casa, aviso você
(A) verbo-substantivo-pronome relativo-verbo-subs- (D) Anseio por sua felicidade.
tantivo. (E) Não pudeste falar.
(B) verbo-substantivo-conjunção integrante-verbo-
substantivo. 20. Das classes de palavra abaixo, as invariáveis são:
(C) verbo-substantivo-conjunção coordenativa-ver- (A) interjeição - advérbio - pronome possessivo.
bo-adjetivo. (B) numeral - substantivo - conjunção.
(D) verbo-adjetivo-pronome indefinido-verbo-subs-
(C) artigo - pronome demonstrativo - substantivo.
tantivo.
(D) adjetivo - preposição - advérbio.
(E) verbo-advérbio-pronome relativo-verbo-substan-
(E) conjunção - interjeição - preposição.
tivo.
21. Todos os verbos abaixo são defectivos, exceto:
13. A alternativa que possui todos os substantivos cor-
(A) abolir.
retamente colocados no plural é:
(B) colorir.
(A) couve-flores / amores-perfeitos / boas-vidas.
(C) extorquir.
(B) tico-ticos / bem-te-vis / joões-de-barro.
(D) falir.
(C) terças-feiras / mãos-de-obras / guarda-roupas.
Língua Portuguesa

(E) exprimir.
(D) arco-íris / portas-bandeiras / sacas-rolhas.
(E) dias-a-dia / lufa-lufas / capitães-mor.
22. O substantivo composto que está indevidamente
escrito no plural é:
14. “...os cipós que se emaranhavam...” . A palavra
(A) mulas-sem-cabeça.
sublinhada é:
(B) cavalos-vapor.
(A) conjunção explicativa.
(B) conjunção integrante. (C) abaixos-assinados.
(C) pronome relativo. (D) quebra-mares.
(D) advérbio interrogativo. (E) pães-de-ló.
(E) preposição acidental.

75
Prof. Juliano Viegas

23. A alternativa que apresenta um substantivo invariá- 30. A alternativa em que não há erro de flexão do verbo
vel e um variável, respectivamente, é: é:
(A) vírus - revés. (A) Nós hemos de vencer.
(B) fênix - ourives. (B) Deixa que eu coloro este desenho.
(C) ananás - gás. (C) Pega a pasta e a flanela e pole o meu carro.
(D) oásis - alferes. (D) Eu reavi o meu caderno que estava perdido.
(E) faquir - álcool. (E) Aderir, eu adiro; mas não é por muito tempo!

24. “Paula mirou-se no espelho das águas”: Esta ora- 31. Em “Imaginou-o, assim caído...” a palavra destaca-
ção contém um verbo na voz: da, morfologicamente e sintaticamente, é:
(A) ativa. (A) artigo e adjunto adnominal.
(B) passiva analítica. (B) artigo e objeto direto.
(C) passiva pronominal. (C) pronome oblíquo e objeto direto.
(D) reflexiva recíproca. (D) pronome oblíquo e adjunto adnominal.
(E) reflexiva. (E) pronome oblíquo e objeto indireto.

25. O único substantivo que não é sobrecomum é: 32. O item em que temos um adjetivo em grau superla-
(A) verdugo. tivo absoluto é:
(B) manequim. (A) Está chovendo bastante.
(C) pianista. (B) Ele é um bom funcionário.
(D) criança. (C) João Brandão é mais dedicado que o vigia.
(E) indivíduo. (D) Sou o funcionário mais dedicado da repartição.
(E) João Brandão foi tremendamente inocente.
26. A alternativa que apresenta um verbo indevidamente
flexionado no presente do subjuntivo é: 33. A alternativa em que o verbo abolir está incorreta-
(A) vade. mente flexionado é:
(B) valham. (A) Tu abolirás.
(C) meçais. (B) Nós aboliremos.
(D) pulais. (C) Aboli vós.
(E) caibamos. (D) Eu abolo.
(E) Eles aboliram.
27. A alternativa que apresenta uma flexão incorreta do
verbo no imperativo é: 34. A alternativa em que o verbo “precaver” está correta-
(A) dize. mente flexionado é:
(B) faz. (A) Eu precavejo.
(C) crede. (B) Precavê tu.
(D) traze. (C) Que ele precavenha.
(E) acudi. (D) Eles precavêm.
(E) Ela precaveu.
28. A única forma que não corresponde a um particípio
é: 35. A única alternativa em que as palavras são, respec-
(A) roto. tivamente, substantivo abstrato, adjetivo biforme e
(B) nato. preposição acidental é:
(C) incluso. (A) beijo-alegre-durante
(D) sepulto (B) remédio-inteligente-perante
(E) impoluto (C) feiúra-lúdico-segundo
(D) ar-parco-por
29. Na frase: “Apieda-te qualquer sandeu”, a palavra (E) dor-veloz-consoante
sandeu (idiota, imbecil) é um substantivo:
(A) comum, concreto e sobrecomum.
(B) concreto, simples e comum de dois gêneros.
(C) simples, abstrato e feminino.
(D) comum, simples e biforme.
(E) simples, abstrato e biforme.
Língua Portuguesa

76
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 7 ○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Concordâncias
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

a) Concordância nominal
Na concordância nominal, os determinantes do substantivo (adjetivos, numerais, pronomes adjetivos
e artigos) alteram sua terminação (gênero e número) para se adequarem a ele, ou a pronome substantivo ou
numeral substantivo, a que se referem na frase.

1. regra geral - O adjetivo e as palvras adjetivas concordam em gênero e número com o substantivo ou
pronome a que se referem:
Exemplo: aluno esforçado – aluna esforçada
alunos esforçados – alunas esforçadas

Casos especiais
Adjetivo na função de adjunto adnominal;
1. Substantivo do mesmo gênero: o adjetivo fica no singular ou vai para o plural:
Agiu com força e paciência notável.
Agiu com força e paciência notáveis.

2. Substantivos diferentes + um adjetivo:


o adjetivo concorda com o núcleo mais próximo ou vai para o masculino plural:
Exemplo: Invocamos a sabedoria e o poder divino.
Invocamos a sabedoria e o poder divinos.
Invocamos o poder e a sabedoria divina.

3. Adjetivo (anteposto) + substantivos: A concordância se faz com o núcleo mais próximo:


Visitei belíssimos museus e bibliotecas.
Visitei belíssimas bibliotecas e museus.

Atenção: Um adjetivo anteposto em referência a nomes de pessoas deve estar sempre no plural.
Exemplo: As simpáticas Joana e Marta agradaram a todos.

4. um substantivo determinado por artigo é modificado por dois ou mais adjetivos, podem ser usadas as
seguintes construções:
1. Estudo a cultura brasileira e a portuguesa;
2. Estudo as culturas brasileira e portuguesa;
3. Os dedos indicador e médio estavam feridos;
4. O dedo indicador e o médio estavam feridos.

A construção: Estudo a cultura brasileira e portuguesa, embora provoque incerteza, é aceita por alguns
gramáticos.

5. Adjetivo na função de predicativo do sujeito composto;


Concorda com o gênero dominante ou plural masculino.
Exemplo: a) A refém foi resgatada do bote;
b) O calor e a poluição eram intensos.
c) O sol e a lua são poéticos

Atenção: Dependendo do número do verbo de ligação iniciando a frase, há duas possibilidades de


concordância:
Língua Portuguesa

Foi criticado o técnico e a equipe.


Foram criticados o técnico e a equipe.
Era tentadora sua boca e seus olhos.
Eram tentadores seus olhos e sua boca.

6. No caso de numerais ordinais; que se referem a um único substantivo composto, podem ser usadas as
seguintes construções:
1. Falei com os moradores do primeiro e segundo andar./
2. (...) do primeiro e segundo andares.

77
Prof. Juliano Viegas

Casos particulares

1. Anexo, incluso, obrigado, mesmo, próprio - são adjetivos ou pronomes adjetivos, devendo concordar com
o substantivo a que se referem.
a) O livro segue anexo;
b) A fotografia vai inclusa;
c) As duplicatas seguem anexas;
d) Elas mesmas resolveram a questão.

Atenção: Mesmo = até, inclusive é invariável.


Exemplo: mesmo eles ficaram chateados. A expressão “em anexo” é invariável.

2. Meio, bastante, menos - meio e bastante, quando se referem a um substantivo, devem concordar com
esse substantivo. Quando funcionarem como advérbios, permanecerão invariáveis. “Menos” é sempre invariável.
a) Tomou meia garrafa de vinho;
b) Ela estava meio aborrecida;
c) Bastantes alunos foram à reunião;
d) Eles falaram bastante;
e) Eram alunas bastante simpáticas;
f) Havia menos pessoas vindo de casa.

3. Muito, pouco, longe, caro, barato - podem ser palavras adjetivas ou advérbios, mantendo concordância se
fizerem referência a substantivos.
a) Compraram livros caros;
b) Os livros custaram caro;
c) Poucas pessoas tinham muitos livros;
d) Leram pouco as moças muito vivas;
e) Andavam por longes terras;
f) Eles moram longe da cidade;
g) Eram mercadorias baratas;
h) Pagaram barato aqueles livros.

4. É bom, é proibido, é necessário - expressões formadas do verbo ser + adjetivo: Não variam se o sujeito
não vier determinado, caso contrário a concordância será obrigatória.
a) Água é bom;
b) A água é boa;
c) Bebida é proibido para menores;
d) As bebidas são proibidas para menores;
e) Chuva é necessário;
f) Aquela chuva foi necessária.

5. Só = sozinho (adjetivo. - var.) / só = somente, apenas (não flexiona).


a) Só elas não vieram;
b) Vieram só os rapazes.
Só forma a expressão “a sós” (sozinhos).

6. Conforme = conformado (adjetivo - var.) / conforme = como (não flexiona).


a) Eles ficaram conformes com a decisão;
b) Dançam conforme a música.

7. Pseudo, salvo (= exceto) e alerta não se flexionam


a) Eles eram uns pseudo-sábios;
b) Salvo nós dois, todos fugiram;
c) Eles ficaram alerta.

8. Silepse com expressões de tratamento - usa-se adjetivo masculino em concordância ideológica com um
homem ao qual se relaciona a forma de tratamento que é feminina.
Língua Portuguesa

a) Vossa Majestade, o rei, mostrou-se generoso;


b) Vossa Excelência é injusto.

9. O adejtivo possível, em expressões como: o mais/ menos possível, o melhor/pior possível. Deve concor-
dar em número com o artigo.
Exemplo: Descobriram-se irregularidades o mais grave possível.
Descobriram-se irregularidades as mais graves possíveis.

10. mais bem X melhor


Antes de particípio, deve-se usar mais bem.
Estas obras estão mais bemacabadas.

78
Prof. Juliano Viegas

b) Concordância verbal
7.1 Regras gerais
1. sujeito simples - verbo concorda com o sujeito simples em pessoa e número.
a) Uma boa Constituição é desejada por todos os brasileiros;
b) De paz necessitam as pessoas.

2. sujeito coletivo (singular na forma com idéia de plural) - verbo fica no singular, concordando com a palavra
escrita não com a idéia.
O pessoal já saiu.
Quando o verbo se distanciar do sujeito coletivo, o verbo poderá ir para o plural concordando com a idéia de
quantidade (silepse de número) - a turma concordava nos pontos essenciais, discordavam apenas nos pormeno-
res.

3. sujeito é um pronome de tratamento - verbo fica na 3ª pessoa.


a) Vossa Senhoria não é justo;
b) Vossas Senhorias estão de acordo comigo.

4. Concordância verbal com expressões


a) expressão mais de + numeral - verbo concorda com o numeral.
Exemplo: • Mais de um candidato prometeu melhorar o país;
• Mais de duas pessoas vieram à festa.
b) expressão mais de um + se (idéia de reciprocidade) - verbo no plural.
Exemplo: • Mais de um sócio se insultaram.
c) expressão mais de um + mais de um - verbo no plural:
Exemplo: Mais de um candidato, mais de um representante faltaram à reunião.
d) expressão um e outro - verbo no singular ou no plural (Um e outro falava/ falavam a verdade.).

e) expressão um ou outro - verbo no singular (Um ou outro rapaz virava a cabeça para nos olhar).

f) expressões perto de, cerca de, mais de, menos de + sujeito no plural - verbo no plural.
Exemplo: 1. Perto de quinhentos presos fugiram.
2. Cerca de trezentas pessoas ganharam o prêmio.
3. Mais de mil vozes pediam justiça.
4. Manos de duas pessoas fizeram isto.

5. Núcleos e infinitivos
a) com núcleos sinônimos - verbos no singular ou plural.
Exemplo: O rancor e o ódio cegou o amante. / O desalento e a tristeza abalaram-me.
b) com núcleos em gradação - verbo singular ou plural.
Exemplo: um minuto, uma hora, um dia passa/passam rápido.
c) dois infinitivos como núcleos - verbo no singular estudar e trabalhar é importante.
Havendo determinante, o verbo irá para o plural.
Exemplo: O estudar e o Trabalhar são importantes.
d) dois infinitivos exprimindo idéias opostas - verbo no plural.
Exemplo: Rir e chorar se alternam.

6. sujeito composto de diferentes pessoas gramaticais: depende da pessoa prevalente.


a) eu + outros pronomes - verbo na 1ª pessoa plural.
Exemplo: eu, tu e ele sairemos.
b) tu + eles - verbo na 2ª pessoa do plural (preferência) ou 3ª pessoa do plural.
Exemplo: tu e teu colega estudastes/estudaram?
c) Se o sujeito estiver posposto, também vale a concordância atrativa.
Exemplo: saímos/saí eu e tu.
d) sujeito composto ligado por nem - verbo no plural.
Exemplo: Nem o conforto, nem a glória lhe trouxeram a felicidade.
e) Aparecendo pronomes pessoais misturados, leva-se em conta a prioridade gramatical.
Língua Portuguesa

Exemplo: nem eu, nem ela fomos ao cinema.


f)idéia explicativa ou alternativa - concordância com sujeito mais próximo.
Exemplo: (ou eu ou ele irá / ou ele ou eu irei)

79
Prof. Juliano Viegas

7. Sujeito numeral
a) verbo concorda com termo posposto ao número.
Exemplo: 80% da população tinha mais de 18 anos / Dez por cento dos sócios saíram da empresa.
b) o verbo concorda com o número quando estiver anteposto a ele.
Exemplo: Perderam-se 40% da lavoura.
c) verbo no plural, se o número vier determinado por artigo ou pronome no plural.
Exemplo: Os 87% da produção perderam-se / aqueles 30% do lucro obtido desapareceram.
d) sujeito é número fracionário - verbo concorda com o numerador.
1/4 da turma faltou ontem. / 3/5 dos candidatos foram reprovados.
Rio de Janeiro como Florianópolis são belas cidades. / tanto uma, como a outra, suplicava-lhe o perdão.

7.2. Casos especiais e de concursos


1. Pronomes relativos quem x que
Quem (pronome relativo sujeito) - verbo na 3ª pessoa do singular concordando com o pronome quem ou
concorda com o antecedente.
Exemplo: 1. Fui eu quem falou (falei).
2. Fomos nós quem falou (falamos).
que (pronome relativo sujeito) - verbo concorda sempre com o antecedente.
Fomos nós que falamos.

2. Verbo na 3ª pessoa + SE
Temos que analisar o verbo:
a) Quando o verbo for intransitivo, transitivo indireto ou de ligação o verbo permanece no singular. E o SE é
classificado de índice de indeterminação do sujeito.
Exemplo: 1. Vive-se por muitos anos em Taquari.
V.I.
2. Responde-se a quaisquer questões.
V.T.I.
3. Era-se mais feliz nos anos dourados.
V.L.

Quando o verbo for Transitivo direto, o verbo concorda com o sujeito paciente. O SE é classificado de partícula
apassivadora.
Discutiu-se o plano. / Discutiram-se os planos.
V.T.D.

3. locução verbal constituída de: parecer + infinitivo - verbo parecer varia ou o infinitivo
a) As pessoas pareciam acreditar em tudo.
b) As pessoas parecia acreditarem em tudo.
Com o infinitivo pronominal, flexiona-se apenas o infinitivo.
Exemplo: Elas parece zangarem-se com a moça.

4. verbos dar, bater e soar + horas - verbos têm como sujeito o número que indica as horas.
a) Deram dez horas naquele momento.
b) Meio-dia soou no velho relógio da igreja.

5. verbos indicadores de fenômenos da natureza - verbo na 3ª pessoa singular por serem impessoais,
extensivo aos auxiliares se estiverem em locuções verbais.
a) Geia muito no Sul.
b) Choveu por muitas noites no verão.
Em sentido figurado deixam de ser impessoais.
Exemplo: Choveram vaias para o candidato.

6. haver = existir,acontecer ou tempo decorrido


é impessoal.
Língua Portuguesa

Exemplo: a) Havia vários alunos na sala (= existiam).


b) Houve bastantes acidentes naquele mês (= aconteceram).
c) Havia meses que não nos víamos.
d) Deve haver muitas pessoas na fila (devem existir).

Considera-se errado o emprego do verbo ter por haver quando tiver sentido de existir ou acontecer.
Exemplo: há um lugar ali. / tem um lugar ali.

Atenção: Os verbos existir e acontecer são pessoais e concordam com seu sujeito.
Exemplo: Existiam sérios compromissos. / Aconteceram bastantes problemas naquele dia.

80
Prof. Juliano Viegas

7. verbo fazer indicando tempo decorrido ou fenômeno da natureza (impessoal):


a) Fazia anos que não vínhamos ao Rio.
b) Faz verões maravilhosos nos trópicos.
c) Deve fazer meses que não chove no sítio.

8. Nomes só usados no plural - a concordância depende da presença ou não de artigo.


a) sem artigo - verbo no singular.
Exemplo: Minas Gerais produz muito leite.
férias faz bem.

b) precedidos de artigo plural - verbo no plural.


Exemplo: Os Andes separam a Argentina do Chile.
“Os Lusíadas” exaltam a grandeza do povo português as Minas Gerais produzem muito leite.

Para nomes de obras literárias, admite-se também a concordância ideológica (silepse) com a palavra obra
implícita na frase.
Exemplo: “Os Lusíadas” exalta a grandeza do povo português.

7.3 Casos de concordância do verbo SER


1. verbo ser - impessoal quando indica data hora e distância, concordando com a expressão numérica ou
a palavra a que se refere.
Exemplo: a) Eram seis horas.
b) Hoje é dia doze. / Hoje é ou são doze.
c) Daqui ao centro são treze quilômetros.

2. se estiver entre dois núcleos das classes a seguir, em ordem, concordará, preferencialmente, com a
classe que tiver prioridade, independente de função sintática.

* pronome pessoal → pessoa → substantivo concreto → substantivo abstrato → pronome indefinido, de-
monstrativo ou interrogativo.
a) Tu és Maria.
b) Maria és tu.
c) Tu és minhas alegrias.
d) Minhas alegrias és tu.
e) Maria é minhas alegrias.
f) Minhas alegrias é Maria.
g) As terras são a riqueza.
h) A riqueza são as terras.
i) Tudo são flores.
j) Emoções são tudo.

3. se o sujeito é palavra coletiva, o verbo concorda com o predicativo (A maioria eram adolescentes. / A maior
parte eram problemas.).

4. sujeito indica peso, medida, quantidade + é pouco, é muito, é bastante, é suficiente, é tanto, verbo ser no
singular.
Exemplo: a) Três mil reais é pouco pelo serviço.
b) Dez quilômetros já é bastante para um dia.
c) Vinte quilômentros é muito para uma caminhada.
d) Trezentos gramas de queijo lanche é suficiente.

7.4. Concordância Irregular ou ideológica


Quando a concordância (nominal ou verbal) se faz de acordo com o sentido contido na frase, e não segundo
as regras da sintaxe. Há três tipos de silepse:
Língua Portuguesa

1. Silepse de gênero – Ocorre quando a concordância se faz com o gênero gramatical subentendido:
A criança levou um tombo e ficou tonto.
No exemplo, a concordância ocorre com o substantivo menino implícito na palavra criança.
2. Silepse de pessoa -
Os brasileiros somos improvisadores.
Idéia de inclusão do emissor de quem fala entre os brasileiros.
3. Silepse de número - Ocorre quando a concordância se faz com o número gramatical subentendido:
A multidão dispersou e saíram a gritar.
Na frase, a concordância occorre com a ideia pessoas contida no coletivo multidão.

81
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício XII
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Indique a opção correta, no que se refere à concor- 08. Verbo deve ir para o plural:
dância verbal, de acordo com a norma culta: (A) Organizou-se em grupos de quatro.
(A) Haviam muitos candidatos esperando a hora da (B) Atendeu-se a todos os clientes.
prova. (C) Faltava um banco e uma cadeira.
(B) Choveu pedaços de granizo na serra gaúcha. (D) Pintou-se as paredes de verde.
(C) Faz muitos anos que a equipe do IBGE não vem (E) Já faz mais de dez anos que o vi.
aqui.
(D) Bateu três horas quando o entrevistador chegou. 09. Verbo certo no singular:
(E) Fui eu que abriu a porta para o agente do censo. (A) Procurou-se as mesmas pessoas
(B) Registrou-se os processos
02. Assinale a frase em que há erro de concordância (C) Respondeu-se aos questionários
verbal: (D) Ouviu-se os últimos comentários
(A) Um ou outro escravo conseguiu a liberdade. (E) Somou-se as parcelas
(B) Não poderia haver dúvidas sobre a necessidade
da imigração. 10. Ainda ____ furiosa, mas com _____violência, pro-
(C) Faz mais de cem anos que a Lei Áurea foi assi- feria injúrias _____ para escandalizar os mais arro-
nada. jados.
(D) Choveram papéis picados nos comícios. (A) meia, menas, bastantes
(E) Deve existir problemas nos seus documentos. (B) meia, menos, bastante
(C) meio, menos, bastante
03. Assinale a opção em que há concordância inade- (D) meio, menos, bastantes
quada: (E) meio, menas, bastantes
(A) A maioria dos estudiosos acha difícil uma solu-
ção para o problema. 11. Assinale a alternativa correta quanto à concordância
(B) A maioria dos conflitos foram resolvidos. verbal:
(C) Deve haver bons motivos para a sua recusa. (A) Soava seis horas no relógio da matriz quando
(D) De casa a escola é três quilômetros. eles chegaram.
(E) Nem uma nem outra questão é difícil. (B) Apesar da greve, diretores, professores, funcio-
nários, ninguém foram demitidos.
04. Há erro de concordância em: (C) José chegou ileso a seu destino, embora hou-
(A) fazendas e engenho prósperas vessem muitas ciladas em seu caminho.
(B) dificuldades e obstáculo intransponível (D) Fomos nós quem resolvemos aquela questão.
(C) cercas e trilhos abandonados (E) O impetrante referiu-se aos artigos 37 e 38 que
(D) atos e coisas más ampara sua petição.
(E) serraria e estábulo conservados
12. A concordância verbal está correta na alternativa:
05. Indique a alternativa em que há erro: (A) Ela o esperava já faziam duas semanas.
(A) Os fatos falam por si sós. (B) Na sua bolsa haviam muitas moedas de ouro.
(B) A casa estava meio desleixada. (C) Eles parece estarem doentes.
(C) Os livros estão custando cada vez mais caro. (D) Devem haver aqui pessoas cultas.
(D) Seus apartes eram sempre o mais pertinentes (E) Todos parecem terem ficado tristes.
possíveis.
(E) Era a mim mesma que ele se referia, disse a 13. Assinale a incorreta:
moça. (A) Dois cruzeiros é pouco para esse fim.
(B) Nem tudo são sempre tristezas.
06. Enumere a segunda coluna pela primeira (adjetivo (C) Quem fez isso foram vocês.
posposto): (D) Era muito árdua a tarefa que os mantinham
(1) velhos ( ) camisa e calça ............ juntos.
(2) velhas ( ) chapéu e calça ............ (E) Quais de vós ainda tendes paciência?
( ) calça e chapéu ............
( ) chapéu e paletó ........... 14. É provável que ....... vagas na academia, mas não
( ) chapéu e camisa .......... ....... pessoas interessadas: são muitas as formali-
(A) 1 - 2 - 1 - 1 - 2 (D) 1 - 2 - 2 - 2 - 2 dades a ....... cumpridas.
Língua Portuguesa

(B) 2 - 2 - 1 - 1 - 2 (E) 2 - 1 - 1 - 1 - 2 (A) hajam - existem - ser


(C) 2 - 1 - 1 - 1 - 1 (B) hajam - existe - ser
(C) haja - existem - serem
07. Assinale a frase que encerra um erro de concordân- (D) haja - existe - ser
cia nominal: (E) hajam - existem - serem
(A) Estavam abandonadas a casa, o templo e a vila.
(B) Ela chegou com o rosto e as mãos feridas.
(C) Decorrido um ano e alguns meses, lá voltamos.
(D) Decorridos um ano e alguns meses, lá voltamos.
(E) Ela comprou dois vestidos cinza.

82
Prof. Juliano Viegas

15. ....... de exigências! Ou será que não ....... os sacri- 22. ______, em 1939, as transmissões regulares entra
fícios que ....... por sua causa? Nova Iorque e Chicago, mas quase não ____ apa-
(A) Chega - bastam - foram feitos relhos. Atualmente, _____ 400 televisores para cada
(B) Chega - bastam - foi feito mil habitantes.
(C) Chegam - basta - foi feito (A) Iniciaram-se – havia - existem
(D) Chegam - basta - foram feitos (B) Iniciou-se – havia - existem
(E) Chegam - bastam - foi feito (C) Iniciou-se – haviam - existe
(D) Iniciou-se – havia - existem
16. Soube que mais de dez alunos se ....... a participar (E) Iniciaram-se – haviam - existem
dos jogos que tu e ele ....... . 23. “Já a criança não entende a dinâmica do trânsito, é
(A) negou - organizou impulsiva e tem dificuldade em avaliar riscos.”
(B) negou - organizasteis Se a expressão a criança fosse substituída por as
(C) negaram - organizaste crianças, quantas outras palavras da mesma frase
(D) negou - organizaram sofreriam ajustes para fins de concordância?
(E) negaram - organizastes (A) Duas (D) Cinco
(B) Três (E) Seis
17. Não está correta a frase: (C) Quatro
(A) Vai fazer cinco anos que ele se diplomou.
(B) Rogo a Vossa Excelência vos digneis aceitar o 24. Se, no período “ É a polícia que toma a decisão no
meu convite. processo de seleção da clientela do sistema
(C) Há muitos anos deveriam existir ali várias árvo- penal, que recolhe, no universo da população, a
res. matéria-prima que será colocada na esteira rolan-
(D) Na mocidade tudo são flores. te da indústria em que se converteu o sistema
(E) Deve haver muitos jovens nesta casa. penal” Substituíssemos a polícia por os policiais,
quantas formas verbais deveriam ser modificadas
18. A frase em que a concordância nominal contraria a para fins de concordância verbal?
norma culta é: (A) 1 (D) 4
(A) Há gritos e vozes trancados dentro do peito. (B) 2 (E) 5
(B) Estão trancados dentro do peito vozes e gritos. (C) 3
(C) Mantêm-se trancadas dentro do peito vozes e
gritos. 25. Se na frase “ É claro que não foi a publicidade de
(D) Trancada dentro do peito permanece uma voz e TV que inventou a perversão invertida que há no
um grito. gesto de quem dá migalhas aos fracos – ela ape-
(E) Conservam-se trancadas dentro do peito uma nas encontrou aí sua via de convencimento e, mais
voz e um grito. exatamente, de sedução.”, a palavra publicidade
fosse substituída por propagandas e a palavra per-
19. Suponho que ....... meios para que se ....... os cálcu- versão por perversidades, quantas outras palavras
los de modo mais simples. – até o limite do travessão – deveriam sofrer modi-
(A) devem haver - realize ficações necessárias?
(B) devem haver - realizem (A) 1 (D) 4
(C) deve haverem - realize (B) 2 (E) 5
(D) deve haver - realizem (C) 3
(E) deve haver - realize
26. Quanto à concordância verbal, assinale a opção
incorreta:
20. Indique a alternativa correta:
(A) Há hoje no mundo, o equivalente a 13 “brasis”
(A) Tratavam-se de questões fundamentais.
sem emprego ou vivendo precariamente do
(B) Comprou-se terrenos no subúrbio.
subemprego.
(C) Precisam-se de datilógrafas.
(B) O número total de desempregados e
(D) Reformam-se ternos.
subempregados alcançam 800 milhões de pes-
(E) Obedeceram aos severos regulamentos.
soas, segundo a federação Internacional de
Empregos Técnicos.
21. No mundo _____ diariamente 8.000 periódicos e (C) Não há solução à vista nem sequer consenso
_______ 250 milhões de revistas a cada quinza com relação a causas e soluções para a crise do
dias. emprego, o mais sérioproblema estrutural na
(A) publicam-se – distribui-se virada do século.
Língua Portuguesa

(B) publicam-se – distribue-se (D) O emprego pode ser visto como uma doença
(C) publica-se – distribui-se diabolicamente complexa e revestida, tal como o
(D) publica-se – distribue-se câncer, de uma multiplicidade de aspectos, cujos
(E) publicam-se – distribuem-se mecanismo permaneceram mal conhecidos e
mal explorados.
(E) Depois da Segunda Guerra Mundial, os econo-
mistas ofereceram salário e emprego para toda
uma geração. Mas, a partir dos anos 70, instalou-
se no mundo rico uma nítida dicotomia entre
emprego e salário.

83
Prof. Juliano Viegas

27. Observe as frases: 28. “Não deverá haver qualquer outro mecanismo de
1. Antes da partida, foi constatado sério problema influência na tomada de uma decisão administrativa
no piso da quadra. que não fosse o da maior conveniência social.
2. Em competições muito disputadas, luta-se pelo Substituindo-se mecanismo por sistemas, quantas
ponto decisivo até o fim. o utras palavras do período deverão variar?
3. Tratou-se, na reunião, de debate referente à (A) duas (D) quatro
estratégia a ser utilizada pela equipe. (B) cinco (E) mais de cinco
4. Empartida decisiva, não pode haver jogada (C) três
desperdiçada.
Se pluralizarmos a expressão em destaque, a forma 29. Leia o parágrafo:
verbal deverá permanecer no singular nas frases Para o psicanalista Miguel Calmom, na medida em
que as instituições sociais, que têm por função
(A) 1, 2 e 3. produzir um certo bem-estar, fracassam, o que se
(B) 1, 2, 3 e 4. destaca na prática social e individual é a busca do
(C) 1 e 4. bem-estar a qualquer preço.
(D) 2 e 3. Caso colocássemos a palavra instituições no sin-
(E) 2, 3 e 4. gular, quantas outras do parágrafo sofreriam ajuste
de concordância?
(A) duas (D) cinco
(B) três (E) quatro
(C) seis

UNIDADE 8
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Crase
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Conceito
Crase não é acento, e sim superposição de dois “as”. O primeiro é uma preposição, o segundo, pode ser
a) um artigo definido, b) um pronome demonstrativo a(as) ou c) aquele(a/s),e aquilo. O acento que marca
este fenômeno é o grave (`).
Exemplo: O domínio da crase depende de o aluno conhecer a regência de alguns verbos e nomes.
a) Iremos à biblioteca.
(Iremos a + a biblioteca)

b) Sua gravata é semelhante à que comprei.


(= a + a = aquela)
c) Refiro-me à quele rapaz.
(= a + aquela)

Antes de qualquer verificação do uso da crase, como a famosa substituição, analise qual palavra há após a
lacuna
ou “A” proposto para análise na questão. Veja:

As situações onde não existe crase são


antes de palavra masculina e verbos.
a) Vende-se a prazo.
b) O texto foi redigido a lápis.
c) Ele começou a fazer dietas.
d) O bom estudante passa o dia a estudar.

antes de artigo indefinido e numeral cardinal (exceto em horas).


a) Refiro-me a uma blusa mais fina.
b) O vilarejo fica a duas léguas daqui.
Língua Portuguesa

antes dos pronomes pessoais (inclusive as formas de tratamento), demonstrativos, indefinidos(com exce-
ção a outra),
a) Enviei uma mensagem a Vossa Majestade.
b) Nada direi a ela.

Atenção: os pronomes senhora, senhorita e madame são exceções, pois ocorre a crase:
a) Mandei flores à senhora Iracema.

84
Prof. Juliano Viegas

c) Refiro-me a estas flores.


d) Não deram valor a essa idéia.
e) Direi a todas as pessoas.

Atenção: O pronome indefinido outra aceita o uso de crase.


Exemplo: Fiz alusão a esta moça e à outra.

no meio de expressões com palavras repetitivas.


Ficamos cara a cara.

É importante cuidar das “pegadinhas” da crase que sempre aparecem em provas:

a) antes da preposição a tiver outra preposição.


Compareceu perante a juíza no dia da audiência.
(preposição)

Atenção: Com a preposição até o uso é facultativo.

b) no a singular seguido de palavra no plural.


Pediu apoio a pessoas estranhas.

Singular + plural não há crase.

Casos especiais da crase


1. Quando as palavra casa, terra e distância não estiverem especificadas não usaremos a crase. Usare-
mos Crase quando essas palavras aparecerem determinadas.
Exemplo: aI) Iremos a casa assim que chegarmos.
aII) Iremos à casa de minha mãe.
bI) O Marinheiro forma a terra.
bII) Voltei à terra natal.
bIII) A espaçonave voltará à Terra em um mês.
cI) Via-se o barco à distância de quinhentos metros
cII) Olhava-nos a distância.

Na expressão devido à (s) + palavra feminina ocorre a crase.

2. antes de topônimos, a menos que estejam determinados.


a) Iremos a Curitiba.
b) Iremos à bela Curitiba.
c) Iremos à Bahia.

Quando o topônimo não estiver determinado, usa-se o teste da troca do verbo para chegar. Se nesta troca
aparecer volto da, crase há; se for crase de, crase pra quê.

3. em locuções prepositivas, adverbiais ou conjuntivas femininas.


à queima-roupa, às cegas, às vezes, à beça, à medida que, à proporção que, à procura de, à vontade
Em expressões que indicam instrumento, crase é opcional.
Exemplo: escrevi a (à) máquina.

4. expressão à moda de, mesmo que subentendida.


a) Era um penteado à (à moda de) francesa.
b) O jogador fez um gol à Pele.

Ocorrência da Crase
Condições necessárias para ocorrer crase: termo regente deve exigir a preposição e o termo regido tem de
Língua Portuguesa

ser uma palavra feminina que admita artigo.

Uma dica é trocar a palavra feminina por uma masculina equivalente, se aparecer ao (s) usa-se crase, caso
apareça a ou o (s) não haverá crase
a) Todos iriam à reunião
Todos iriam ao encontro.
b) Dirija-se à biblioteca da escola.
ao banheiro
c) O fumo prejudica a saúde.
o organismo

85
Prof. Juliano Viegas

A crase é obrigatória
• quando as palavras “rua”, “loja”, “estação de rádio” estiverem subentendidas.
Exemplo: Maria dirigiu-se à Globo (estação de rádio).

A crase é facultativa
• antes de nomes próprios femininos (exceto em nomes de personalidade pública - sem artigo):
Enviei um presente a (à) Maria.
• antes do pronome adjetivo possessivo feminino:
a) Pediu informações a minha secretária.
b) Pediu informações à minha secretária.
c) Pediu informações as minhas secretárias.
d) Pediu informações às minhas secretárias.

Atenção: Se o pronome possessivo for substantivo e por regência a preposição for exigida, a crase será
obrigatória (Foi a [à] sua cidade natal e à minha)

Crase com aquela(e) ou aquilo


Com os demonstrativos aquele (s), aquela (s) e aquilo, basta verificar se, por regência, alguma palavra pede
a preposição que irá se fundir com o “a” inicial do próprio pronome.
Uma dica é trocar aquele (a/s) por esse (a/s) e aquilo por isto, se antes aparecer a, há crase.

a) Enviei presentes àquela menina.


(= a essa)
b) A matéria não se relaciona àqueles problemas.
(= a esses)
c) Não se de ênfase àquilo.
(= a isso)
d) Comprei aquela casa .
(= essa)

Crase com o pronome demonstrativo a(s)


aparece antes de que e equivale a aquela(s).

Deve-se fazer o teste da troca por um masculino similar e verificar se aparece ao (s) ou podemos trocar “a”
por essa, se antes aparecer a, há crase.

a) Esta estrada é paralela à que corta a cidade


O caminho é paralelo ao que corta a cidade.
Esta estrada é paralela a essa que corta a cidade.

b) Esta capa é semelhante à que lhe dei.


Este boné é semelhante ao que lhe dei.
Esta capa é semelhante a essa que lhe dei.

Atenção: Crase com pronomes relativos “que” e “quem” não ocorre crase.
a) A menina a que me refiro não estudou
b) A professora a quem me refiro é bonita.

Crase com o pronome qual (s)


Uma dica é trocar o substantivo feminino anterior ao pronome por um masculino, se aparecer ao (s) há crase,
ou verificar se o verbo após o pronome relativo qual exige o uso da preposição a:

a) A reunião à qual não compareceste terminou cedo.


O encontro ao qual ...
A reunião / à qual (+ a reunião) não compareceste/...
Quem comparece, comparece em/a algum lugar.
Língua Portuguesa

b) Eis a pessoa à qual devo um favor.


Eis o rapaz ao qual devo um favor.
Eis a pessoa / à qual (= a pessoa) devo um favor.
Quem deve, deve alguma coisa a alguém.

Crase antes de horas


Compareceu às 10 horas. / compareceu aos 10 minutos.
À 1 hora, irá ao encontro. / Ao 1º minuto, ...

Atenção: Virá daqui a uma hora / Virá daqui a um minuto.


A reunião estava marcada para as 10 horas..

86
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício XIII
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Em qual das alternativas o uso do acento indicativo 09. Use a chave ao sair ou entrar __________ 20 horas.
decrase é facultativo? (A) após às
(A) Minhas idéias são semelhantes às suas. (B) após as
(B) Ele tem um estilo à Eça de Queiroz (C) após das
(C) Dei um presente à Mariana. (D) após a
(D) Fizemos alusão à mesma teoria. (E) após à
(E) Cortou o cabelo à Gal Costa.
10. _____ dias não se consegue chegar _____ nenhu-
02. “O pobre fica ___ meditar, ___ tarde, indiferente ___ ma das localidades _____ que os socorros se
que acontece ao seu redor”. destinam.
(A) à - a - aquilo (A) Há - à - a
(B) a - a - àquilo (B) A - a - a
(C) a - à - àquilo (C) À - à - a
(D) à - à - aquilo (D) Há - a - a
(E) à - à - àquilo (E) À - a - a

03. “A casa fica ___ direita de quem sobe a rua, __- duas 11. Fique _____ vontade; estou _____ seu inteiro dispor
quadras da Avenida Central”. para ouvir o que tem _____ dizer.
(A) à - há (A) a - à - a (D) à - à - à
(B) a - à (B) à - a - a (E) a - a - a
(C) a - há (C) à - à - a
(D) à - a
(E) à - à 12. No tocante _____ empresa _____ que nos propuse-
mos _____ dois meses, nada foi possível fazer.
04. “O grupo obedece ___ comando de um (A) àquela - à - à
pernambucano, radicado ___ tempos em São Pau- (B) aquela - a - a
lo, e se exibe diariamente ___ hora do almoço”. (C) àquela - à - há
(A) o - à - a (D) aquela - à - à
(B) ao - há - à (E) àquela - a - há
(C) ao - a - a
(D) o - há - a 13. Chegou-se _____ conclusão de que a escola tam-
(E) o - a - a bém é importante devido _____ merenda escolar
que é distribuída gratuitamente _____ todas as
05. “Nesta oportunidade, volto ___ referir-me ___ pro- crianças.
blemas já expostos ___ V. Sª ___ alguns dias”. (A) à - à - à (D) à - à - a
(A) à - àqueles - a - há (B) a - à - a (E) à - a - a
(B) a - àqueles - a - há (C) a - à - à
(C) a - aqueles - à - a
(D) à - àqueles - a - a 14. A tese _____ aderimos não é aquela _____ defen-
(E) a - aqueles - à - há dêramos no debate sobre os resultados da pesqui-
sa.
06. Assinale a frase gramaticalmente correta: (A) a qual - que
(A) O Papa caminhava à passo firme. (B) a que - que
(B) Dirigiu-se ao tribunal disposto à falar ao juiz. (C) à que - a que
(C) Chegou à noite, precisamente as dez horas. (D) a que - a que
(D) Esta é a casa à qual me referi ontem às pressas. (E) a qual a que
(E) Ora aspirava a isto, ora aquilo, ora a nada.
15. Em relação _____ mímica, deve-se dizer que ela
07. O Ministro informou que iria resistir _____ pressões exerce função paralela _____ da linguagem.
contrárias _____ modificações relativas _____ aqui- (A) a - a (D) à - aquela
sição da casa própria. (B) à - à (E) a - àquela
(A) às - àquelas - à (D) às - aquelas - à (C) a - à
(B) as - aquelas - a (E) as - àquelas - à
Língua Portuguesa

(C) às àquelas - a 16. Foi _____ mais de um século que, numa reunião de
escritores, se propôs a maldição do cientista que
08. A alusão _____ lembranças da casa materna trazia reduzira o arco-íris _____ simples matéria: era uma
_____ tona uma vivência _____ qual já havia renun- ameaça _____ poesia.
ciado. (A) a - a - à
(A) às - a - a (B) há - à - a
(B) as - à - há (C) há - à - à
(C) as - a - à (D) a - a - a
(D) às - à - à (E) há - a - à
(E) às - a - há

87
Prof. Juliano Viegas

17. A estrela fica _____ uma distância enorme, _____ 25. Eis o lema _____ sempre obedecia: ódio _____
milhares de anos-luz, e não é visível _____ olho nu. guerra e aversão _____ injustiças.
(A) a - à - à (A) à que - à - as
(B) a - a - a (B) à que - à - às
(C) à - a - a (C) a que - à - às
(D) à - à - a (D) a que - à - as
(E) à - a - à (E) a que - a - as

18. Estava __________ na vida, vivia _____ expensas 26. Faltou _____ todas as reuniões e recusou-se _____
dos amigos. obedecer _____ decisões da assembléia.
(A) atoa - as (A) a - a - as (D) à - a - às
(B) a toa - à (B) a - a - às (E) à - à - às
(C) a tôa - às (C) a - à - às
(D) à toa - às
(E) à toa - as 27. Expunha-se _____ uma severa punição, porque as
ordens _____ quais se opunha eram rigorosas e
19. Estavam _____ apenas quatro dias do início das destinavam-se _____ funcionárias daquele setor.
aulas, mas ele não estava disposto _____ retomar (A) a - as - às (D) à - às - às
os estudos. (B) à - às - as (E) a - às - às
(A) há - à (C) à - as - às
(B) a - a
(C) à - a 28. _____ alguns meses o Ministro revelou-se disposto
(D) há - a _____ abrir _____ discussões em torno do acesso
(E) a - à dos candidatos e dos partidos _____ televisão.
(A) A - a - as - à (D) Há - à - as - à
20. Disse _____ ela que não insistisse em amar _____ (B) Há - a - às - a (E) Há - a - as - à
quem não _____ queria. (C) A - à - às - a
(A) a - a - a
(B) a - a - à 29. _____ Igreja cabe propugnar pelos princípios éticos
(C) à - a - a e morais que devem reger _____ vida das comuni-
(D) à - à - à dades, enquanto _____ política deve visar ao bem
(E) a - à - à comum.
(A) A - à - à (D) À - à - à
21. Quanto _____ suas exigências, recuso-me _____ (B) À - a - a (E) A - a - a
levá-las _____ sério. (C) À - à - a
(A) às - à - a
(B) a - a - a 30. Leia o texto e marque a afirmação incorreta.
(C) as - à - à A ciência e o processo científico não constituem
(D) à - a - à __1__ única forma de obtenção do conhecimento.
(E) as - a - à Além da experiência cotidiana, constituindo __2__
base cultural, __3__ os saberes reflexivos da
22. Quanto _____ problema, estou disposto, para ser filosofia. Apenas o simples processo experimen-
coerente __________ mesmo, _____ emprestar- tal da ciência não conduz __4__ sabedoria: é
lhe minha colaboração. necessário submeter os seus resultados __5__
(A) aquele - para mim - a elaboração filosófico-conceitual, __6__ precei-
(B) àquele - comigo - a tos éticos, para torná-los verdadeiramente hu-
(C) aquele - comigo - à manos.
(D) aquele - por mim - a (A) As lacunas 1 e 2 devem ser preenchidas com a,
(E) àquele - para mim - à artigo feminino singular.
(B) Na lacuna 3 é correto colocar há, pois o verbo
23. A lâmpada _____ cuja volta estavam mariposas haver, quando utilizado no sentido de existir, é
_____ voar, emitia luz _____ grande distância. impessoal.
(A) a - à - à (C) Duas opções, a e à, podem ser utilizadas in-
(B) à - a - à distintamente na lacuna 4, uma vez que conferem
(C) a - à - a sentido idêntico ao período.
(D) a - a - a (D) Estaria correto preencher a lacuna 5 com à.
Língua Portuguesa

(E) à - a - a (E) A estrutura sintática do período admite que a


lacuna 6 seja preenchida com aos.
24. Aquela candidata _____ rainha de beleza, quando
foi _____ televisão, pôs-se _____ roer as unhas. 31. Na frase : O curso só atenderá ___ seus propósitos
(A) à - à - a daqui ___ alguns anos. Preenche corretamente as
(B) à - a - à lacunas a alternativa:
(C) a - a - à (A) há / a; (D) a/ à;
(D) à - à - à (B) a / a; (E) a/ há.
(E) a - à - a (C) à / a;

88
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 9
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Sintaxe
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

a) Frase, oração e período


Frase - todo enunciado de sentido completo, capaz de estabelecer comunicação. Podem ser nominais ou
verbais.
Cuidado!
Reduza a velocidade.

Oração - enunciado que se estrutura em torno de um verbo ou locução verbal.


Nossa viagem será longa.
Está chovendo muito neste verão.

Período - constitui-se de uma ou mais orações. Podem ser simples ou compostos.

Observação
haverá num período tantas orações quanto forem os verbos, considerando locuções verbais e tem-
pos compostos como um só verbo.

Exemplo: a) Simples – é constituído de apenas uma oração, o período simples também recebe o nome
de oração absoluta.
Exemplo: Ele percorreu todo o sul do Brasil.

b) Composto – é constituído de duas ou mais orações.


O comandante garante /que a tropa chegará hoje.

1ª oração 2ª oração

Análise sintática da oração


TERMOS ESSENCIAIS – As orações, normalmente, apresentam dois termos essenciais: o sujeito e o predicado.

Este romance / Apresenta uma trama simples.

1. Sujeito
O verbo mantém relação de concordância com seu sujeito. A composição do sujeito explícito pode ser uma
única palavra ou um conjunto de palavras (onde se deve determinar o núcleo ou núcleos), incluindo também as
orações substantivas subjetivas. Pergunta-se ao verbo:
Quem é que ....?
O que é que .... ?
Podem ser núcleo do sujeito: substantivo ou um equivalente dele (pronomes substantivos, numerais subs-
tantivos ou palavras substantivadas).

Tipos de sujeito
Os tipos de sujeito são basicamente dois, segundo Pasquale e Ulisses, determinado (simples, composto e
oculto) e indeterminado (indeterminado e oração sem sujeito).

1. Determinado
a) simples - possui um núcleo.
Maria esteve aqui.
Língua Portuguesa

Exemplo:
Alguém me viu .
Duas vieram.
b) composto - possui mais de um núcleo, independente de sua ordem na frase.
Exemplo: João e eu visitamos a moça / Jessé ou José casará com ela? / Estão aqui o seu dinheiro e sua
bolsa!

Atenção: É comum trocar-se o sujeito pelo obejeto direto, então é primordial encontrar 1° quem é o
seujeito da orção para depois localizar o complemento verbal.

89
Prof. Juliano Viegas

(C) sujeito, elíptico ou desinencial (oculto) -


determinado, mas implícito na desinência verbal (DNP) ou subentendido através de uma frase anterior.
Deve-se atentar para a 3ª pessoa do plural, onde não há sujeito oculto eles ou elas e sim um caso de sujeito
indeterminado.

Exemplo: Vivemos felizes .


“Antes de iniciar este livro, imaginei construí-lo pela divisão do trabalho” - G. Ramos.
Beba esse leite, menino!

2. indeterminado
quando não se pode (ou não se quer) precisar que elemento é o sujeito. Ocorre de duas maneiras:
a) Verbo na 3ª pessoa do plural, sem sujeito explícito
Exemplo: Nunca lhe ofereceram emprego.
Detiveram os assaltantes na porta do banco.

b) Verbo na 3ª pessoa do singular (exceto VTD) + SE. A classificação do SE é índice de indeterminação do


sujeito.
Exemplo: Precisa-se de empregados.
Vai-se à cidade por vários caminhos.

Atenção – se o verbo estiver na 3ª pessoa singular ou plural seguido de SE e for VTD, sujeito será determi
nado. A classificação de SE é partícula apassivadora. Pois admite a passagem da voz passiva sintética para
a voz passiva analítica.
Exemplo: Celebrou-se a missa / Celebraram-se as missas.
A missa foi celebrada. / As missas foram celebradas.

4. oração sem sujeito, sujeito inexistente


o processo verbal encerra-se em si mesmo, sem atribuição a nenhum ser. Ocorre sempre com verbos
impessoais nos seguintes casos:

a) Verbos que exprimem fenômenos da natureza;


Ventava muito durante o desfile.

b) Os verbos que exprimem sentido fenômenos da natureza usados no sentido figurado tornas-se pessoais
e possuem sujeito.
A coragem ventou em sua alma desalentada.
sujeito

Verbos haver, fazer, ser, estar indicando tempo cronológico ou clima (no caso do ser, também distância);
verbo haver = existir ou em referência a tempo decorrido.
Exemplo: São três anos de solidão / Há cem voluntários / Há muitos anos não o vejo / Vai para dois
meses de espera

c) Verbo haver com sentido de existir, sempre no singular:


Exemplo: Houve muitos incidentes durante o jogo.
Havia dias em que não conversávamos.

2. Predicado
Apresenta-se em três tipos:
Para se classificar o predicado, torna-se indispensável o estudo dos tipos de verbos (transitivos, intransitivos
e de ligação).

1. Predicado nominal
É formado por um verbo de ligação acrescido de um nome (substantivo, adjetivo ou pronome), dito predicativo
do sujeito. O núcleo deste predicado é o predicativo, uma vez que o verbo somente estabelece ligação.
Língua Portuguesa

V.L.: ser, estar, parecer, ficar, permanecer, continuar, andar, tornar-se.

Exemplo: O rapaz estava apreensivo.


Predicativo do sujeito
Ela caiu de cama.
Predicativo do sujeito

A mãe virou bicho naquele dia.


Predicativo do sujeito

90
Prof. Juliano Viegas

2. Predicado verbal
É formado por um verbo transitivo ou intransitivo, isto é, um verbo que não seja de ligação. Neste caso, o
verbo será sempre significativo, constituindo o núcleo do predicado verbal
Exemplo: Os passageiros desceram. / Comprei flores. / Comprei-lhe flores.

3. Predicado verbo-nominal
Encerra em si mesmo uma união de predicados. Apresenta um verbo significativo (núcleo do predicado
verbal) e um predicativo (núcleo do predicado nominal), portanto dois núcleos.
Exemplo: Ela entrou risonha na sala.
João abaixou os olhos pensativo.
Considero inexeqüível o projeto exposto.

Predicativo
Expressa um estado ou qualidade do sujeito ou do objeto. Pode ser representado por: substantivo ou
expressão substantivada, adjetivo ou locução adjetiva, pronome, numeral ou oração subordinada substantiva
predicativa.
Exemplo: Os filhos são frutos
Ela era chata e sem utilidade
Todos eram um
O difícil era que ele viesse

O predicativo pode referir-se ao objeto, sendo mais raramente ao objeto indireto. Exprime, às vezes, a
conseqüência do fato indicado pelo predicado verbal.
Exemplo: Elegeram o macaco Tião governador / Todos lhe chamavam ladrão

ATENÇÃO - O predicativo pode vir precedido de preposição (de, em, para, por), de locução prepositiva ou
da palavra como. Exemplo: Ele formou-se de advogad. / Considerei-o como um farsante

Observe alguns predicativos do objeto: Todos nos julgam culpados / Considero uma verdade isso / As
paixões tornam os homens cegos / Acho razoáveis suas pretensões / O maior desprazer de um homem é ver a
amada triste / O governador nomeou a professora reitora / O juiz julgou o recurso improcedente.

TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO


1. Verbos
• ligação - expressam estado permanente ou transitório, mudança ou continuidade de estado, aparência de
estado (ser, estar, permanecer, ficar, continuar, parecer, andar = estar). Deve-se entender que estes verbos não
serão mais de ligação se não estabelecerem relação entre sujeito e seu predicativo. (Ando preocupado / Andei cem
metros, Fiquei triste / Fiquei na sala, Permaneceu suspensa / Permaneceu no cargo)
• intransitivo - quando a significação verbal está inteiramente contida no verbo, não necessitando de
complementação.
• transitivo - pedem complementos verbais para completarem a sua significação. Podem ser transitivos
diretos, indiretos e diretos e indiretos, dependendo do complemento.

A regência verbal é importante para se compreender que os verbos devem ser classificados em função do
contexto em que se apresentam. Há casos de verbos que aparecem com transitividades diferentes se os contextos
foram trocados.
Exemplo: Perdoai sempre. - intransitivo / Perdoai as ofensas - transitivo direto / Perdoai aos inimigos -
transitivo indireto / Perdoai as ofensas aos inimigos. - transitivo direto e indireto

ATENÇÃO - verbos transobjetivos: julgar, chamar, nomear, eleger, proclamar, designar, considerar, decla-
rar, adotar, ter, fazer, tornar, encontrar, deixar, ver, coroar, sagrar, achar etc.

2. Complementos Verbais
Língua Portuguesa

a) Objeto direto.
Completa um verbo transitivo direto sem se ligar a ele por preposição necessária. Representa-se por:
substantivo, pronome substantivo, numeral, palavra ou expressão substantivada ou oração subordinada substan-
tiva objetiva direta.
Exemplo: Amava a mulher.
Não direi nada .
Ele deixou cinco caídos.
Use aquele i.
Pode indicar: o ser sobre o qual recai a ação verbal, o resultado da ação ou o conteúdo da ação.
Exemplo: Castigou o filho / Construiu uma bela casa / Contestou sua reeleição

91
Prof. Juliano Viegas

b) Objeto direto preposicionado.


Por motivos estilísticos, o objeto direto pode ser preposicionado. Nesse caso, a preposição não é obrigató-
ria. Observe alguns casos:

Sabe-se que Brutus traiu a César.


VTD ODP

Sabe-se que Brutus o Traiu.


OD VTD

Você jamais comerá do meu pão.


VTD ODP

c) Objeto indireto
Complemento ligado a um verbo transitivo indireto, ligado a ele por meio de uma preposição necessária (a,
mais raramente para), regida pelo verbo.

Pode ser representado por: substantivo ou expressão substantivada, pronome substantivo, numeral ou
oração subordinada substantiva objetiva indireta.
Exemplo: Ele divergiu do rapaz.
A moça apresentou-o a elas .
A mãe gostava de ambos.

d) Objeto representado por pronome oblíquo


Os pronomes pessoais oblíquos, como foi visto no estudo da morfologia, são indicados para uso sintático
de objetos.

Os pronomes o, a, os, as são utilizados para substituir o objeto direto. Já os pronomes lhe, lhes substituem
o objeto indireto. Os demais pronomes oblíquos átonos (me, te, se, nos e vos) tanto podem ser empregados para
substituir objeto direto quanto indireto. Neste último caso, deve-se analisar a transitividade verbal para classificar o
complemento.
Exemplo: Emprestei-o .
O assunto interessa-lhe .
Telefonou-me .
Convidaram-nos.

Cabe também destacar que com a utilização dos pronomes como objeto indireto a preposição não aparece,
dificultando um pouco a análise.
Exemplo: Comprei um presente a ela = comprei-lhe um presente

e) Objeto pleonástico
Recurso utilizado para chamar a atenção para o objeto, que antecede o verbo. O objeto deslocado é repetido
através de um pronome pessoal átono.
Exemplo: Estas obras, já as li no ano passado.
Ao avarento, nada lhe satisfaz.

3. Agente da passiva
Nas orações de voz passiva analítica, é o elemento que pratica a ação verbal, daí seu nome de agente, uma
vez que o sujeito é paciente. Seu emprego na forma analítica não é obrigatório, podendo ser omitido em função de
ter menor importância.

O agente da passiva vem precedido de preposição (de, per, por).


Exemplo: A casa foi construída com esforço (Por quem?) / Vários exércitos foram vencidos pelos romanos.
Língua Portuguesa

4. Complemento nominal
Tanto o CN como o OI vêm precedidos de preposição obrigatória, mas a palavra que rege esta preposição é
diferente nos dois casos: nome (substantivo abstratos, adjetivo ou advérbio) no CN e verbo no OI.

Eu Tenho necessidade de proteção


Substantivo de idéia vaga, então o termo de proteção complementa seu sentido.

Sou contrário aos seus planos.


Adjetivo CN

92
Prof. Juliano Viegas

Agi contrariamente aos seus planos.


Advérbio CN

• substantivo abstrato de ação, correspondente a verbo cognato que seja transitivo ou que peça
complementação adverbial de circunstância
Exemplo: A inversão da ordem - onde o verbo de “inverter a ordem” é trans. direto .

Devemos obediência aos pais - onde o verbo de “obedecer aos pais” é trans. indireto ida a Roma -
onde o verbo de “ir a Roma” pede adjunto adverbial

• substantivo abstrato de qualidade, derivado de adjetivo que se possa usar transitivamente


Exemplo: A certeza da vitória - onde se pode construir “certo da vitória” .

Tenho fidelidade aos amigos - onde se pode construir “fiel aos amigos”

ATENÇÃO - se perderem o caráter abstrato, os substantivos deixam de reger CN

OBSERVAÇÃO: O complemento nominal também pode ser representado por pronome pessoal oblíquo:

Tenho-lhe profunda admiração. (= admiração a você)


Aquele festival foi-nos agradável. (= agradável a nós)

TERMOS ACESSÓRIOS DA ORAÇÃO


1. Adjunto adnominal
Acompanha um substantivo, núcleo de uma função sintática qualquer, procurando caracterizá-lo, determiná-
lo ou individualizá-lo

O adj. adnominal pode ser expresso por: artigos, numerais ou pronomes adjetivos, adjetivos e locuções
adjetivas. A um mesmo núcleo podem-se subordinar adjuntos adnominais de naturezas diferentes.

O adj. adnominal constituído de artigo ou pronomes adjetivo pode aparecer combinado ou contraído com
uma preposição, que não possui função sintática.

Exemplo: Naquele dia (aquele é adj. adnominal, mas em não possui função sintática)

São considerados adjuntos adnominais os pronomes oblíquos com valor possessivo.

Exemplo: Pisou-me o pé = o meu pé /

Tirou-nos até a roupa = até a nossa roupa.

Neste caso, alguns autores divergem entendendo-o como OI.

Quando é representado por um loc. adjetiva, é comum confundir o adj. adnominal com o CN, por causa da
preposição.

2. CN X Adj. adnominal
• Adj. adnominal qualifica, especifica, enquanto CN integra a significação antecedente e nunca indica posse
• CN pode referir-se a um substantivo abstrato, adjetivo ou advérbio, mas o adjunto adnominal só se refere ao
substantivo.
Língua Portuguesa

Exemplo: Matou os mosquitos - A matança de mosquitos, onde “de mosquitos” é o CN


• CN é paciente ou alvo da noção expressa pelo nome (sentido passivo)
• Adj. adnominal indica agente ou o possuidor da noção expressa pelo substantivo (sentido ativo), além de
também poder expressar especificação. (Pegue esse prato de porcelana / Esta é a casa de Paulo)

A invenção de palavras caracteriza a obra de Guimarães Rosa. (CN - “palavras” é paciente da ação contida no
substantivo “invenção”)

A invenção de Santos Dumont abriu caminho para o futuro. (Adj. adnominal - “Santos Dumont” é o agente da

93
Prof. Juliano Viegas

ação expressa pelo substantivo “invenção”)


A plantação de cana enriqueceu a economia do país. (CN - pois “plantação” tem valor abstrato da ação de
plantar cujo objeto/paciente é “cana”)

O fogo destruiu toda a plantação de cana. (Adj. adnominal - porque “plantação” aqui é concreto, logo intransitivo)

3. Adjunto adverbial
Apesar poder se referir ao verbo, o adj. adverbial não é complemento verbal, mas um termo acessório que
acrescenta determinada circunstância ao que se refere.

Pode ser representado por um advérbio ou uma locução adverbial, indicando alguma circunstância. Quando
expresso por um advérbio, pode modificar um adjetivo ou outro advérbio. Incluem-se como adj. adverbiais também
as palavras e expressões denotativas

Exemplo: Costumava falar em altos brados (modo), Aonde você vai? (lugar), Ele é muito bom goleiro
(intensidade), Retirou a terra com a pá (instrumento)

Além dos já adjuntos adverbiais conhecidos, temos:

Circunstância Exemplos

de causa Todos tremíamos de frio.


de assunto Discutimos sobre futebol.
de meio É bom viajar de avião.
de instrumento Abriram com um martelo.
de finalidade Devemos estudar para passar.
de companhia Ela sempre viveu com os pais.
de condição Não saia sem minha permissão.
de concessão Sempre estudei apesar do cansaço.

4.Aposto
Termo ou expressão de caráter individualizador ou de esclarecimento, que acompanha um elemento da
oração, qualquer que seja a função deste.

Conforme o sentido que empresta a seu referente, pode ser analisado como:
• explicativo - Mariovaldo, meu primo, esteve aqui.
• enumerativo - Eis os três rapazes: José, Ruan e Sérgio
• recapitulativo ou resumitivo - Os pais, os netos e as primas, todos estavam radiantes
• distributivo - Matemática e Biologia são ciências, aquela exata e esta humana
• especificativo - O poeta Olavo Bilac / O estado de Tocantins / A serra de Teresópolis

De maneira geral, o aposto explicativo é destacado por pausas, podendo ser representadas por vírgulas,
dois pontos ou travessões. Pode vir precedido de expressões explicativas do tipo: a saber, isto é, quer dizer etc.

5. Vocativo
Termo ou expressão de natureza exclamativa que tem função de invocar ou destacar alguém ou ente perso-
nificado. Não mantém relação sintática com qualquer outro elemento da oração, por isso não faz parte do sujeito ou
do predicado.

Virá sempre marcado por pontuação e admite a anteposição de interjeição de chamamento.


Exemplo: Ei!, amigo, espere por mim / “Pai, afasta de mim esse cálice” / “Gosto muito de você, leãozinho”

Função sintática do pronome relativo


Língua Portuguesa

Os pronomes relativos que introduzem as or. sub. adjetivas desempenham funções sintáticas. Para esse
tipo de análise, deve-se substituir o pronome relativo por seu antecedente e proceder a análise como se fosse um
período simples.

a) O homem, que é um ser racional, aprende com seus erros.


sujeito que = homem.

b) Os trabalhos que faço me dão prazer.


objeto direto que = os trabalhos

94
Prof. Juliano Viegas

c) Os filmes a que nos referimos são italianos.


objeto indireto que = os filmes.
d) O homem rico que ele era hoje passa por dificuldades.
pred. do sujeito que = rico
e) O filme a que fizeram referência foi premiado.
complemento nominal que = o filme
f) O filme cujo artista foi premiado não fez sucesso.
adj. adnominal
g) O bandido por quem fomos atacados fugiu.
ag. da passiva
h) A escola onde estudamos foi demolida.
adj. Adverbial

ATENÇÃO:
• cujo sempre funciona como adj. adnominal; onde como adj. adverbial de lugar e como será adj. adver-
bial de modo.
• relativo preposicionado - OI, CN, Adj. adverbial, Agente da passiva / relativo não preposicionado - Sujeito,
OD, Predicativo do sujeito

○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício XIV
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Em todas as alternativas, o termo em negrito exerce 05. Todos os itens abaixo apresentam o pronome rela-
a função de sujeito, exceto em: tivo com função de objeto direto, exceto:
(A) Quem sabe de que será capaz a mulher de seu (A) “Aurélia não se deixava inebriar pelo culto que lhe
sobrinho? rendiam.”
(B) Raramente se entrevê o céu nesse aglomerado (B) “Está fadigada de ontem? perguntou a viúva com
de edifícios. a expressão de afetada ternura que exigia o seu
(C) Amanheceu um dia lindo, e por isso todos corre- cargo.”
ram às piscinas. (C) “... com a riqueza que lhe deixou seu avô, sozinha
(D) Era somente uma velha, jogada num catre preto no mundo, por força que havia de ser enganada.”
de solteiros. (D) “... O Lemos não estava de todo restabelecido do
(E) É preciso que haja muita compreensão para atordoamento que sofrera.”
com os amigos. (E) “Não o entendiam assim aquelas três criaturas,
que se desviviam pelo ente querido.”
02. Em “Eu era enfim, senhores, uma graça de aliena-
do.”, os termos da oração grifados são respectiva- 06. A partícula apassivadora está exemplificada na al-
mente, do ponto de vista sintático: ternativa:
(A) adjunto adnominal, vocativo, predicativo do sujei- (A) Fala-se muito nesta casa.
to (B) Grita-se nas ruas.
(B) adjunto adverbial, aposto, predicativo do objeto (C) Ouviu-se um belo discurso.
(C) adjunto adverbial, vocativo, predicativo do sujeito
(D) Ria-se de seu próprio retrato.
(D) adjunto adverbial, vocativo, objeto direto
(E) Precisa-se de um dicionário.
(E) adjunto adnominal, aposto, predicativo do sujeito
07. Classifique o “se” na frase: “Ele queixou-se dos
03. “O homem está imerso num mundo ao qual perce-
maus tratos recebidos”.
be ...” A palavra em negrito é:
(A) partícula integrante do verbo
(A) objeto direto preposicionado
(B) conjunção condicional
(B) objeto indireto
(C) pronome apassivador
(C) adjunto adverbial
(D) conjunção integrante
(D) agente da passiva
Língua Portuguesa

(E) adjunto adnomina (E) símbolo de indeterminação do sujeito

04. Assinale a frase cujo predicado é verbo-nominal: 08. O se é índice de indeterminação do sujeito na frase:
(A) “Que segredos, amiga minha, também são gen- (A) Não se ouvia o sino.
te ...” (B) Assiste-se a espetáculos degradantes.
(B) “... eles não se vexam dos cabelos brancos ...” (C) Alguém se arrogava o direito de gritar.
(C) “... boa vontade, curiosidade, chama-lhe o que (D) Perdeu-se um cão de estimação.
quiseres ...” (E) Não mais se falsificará tua assinatura.
(D) “Fiquemos com este outro verbo.”
(E) “... o assunto não teria nobreza nem interesse ...”

95
Prof. Juliano Viegas

09. O se é pronome apassivador em: 15. Observe os termos sublinhados na passagem: “O


(A) Precisa-se de uma secretária. rio vai às margens. Vem com força de açude
(B) Proibiram-se as aulas. arrombado.” Os termos sublinhados são, respecti-
(C) Assim se vai ao fim do mundo. vamente:
(D) Nada conseguiria, se não fosse esforçado. (A) predicativo do sujeito e adjunto adnominal de
(E) Eles se propuseram um acordo. modo
(B) adjunto adverbial de modo e adjunto adnominal
10. Em relação à função da partícula se, numere a (C) adjunto adverbial de lugar e adjunto adverbial de
coluna II de acordo com a coluna I e depois assinale modo
a numeração correta: (D) adjunto adverbial de modo e objeto indireto
coluna I (E) adjunto adverbial de lugar e complemento nomi-
1. Partícula apassivadora nal
2. Índice de indeterminação do sujeito
3. Objeto direto reflexivo 16. “O corpo, a alma do carpinteiro não podem ser mais
4. Objeto indireto . brutos do que a madeira.” A função sintática dos
5. Conjunção termos sublinhados é, pela ordem:
6. Partícula de realce (A) objeto direto - predicativo do sujeito
coluna II (B) sujeito - sujeito
( ) Veja se falta alguém. (C) predicativo do sujeito - sujeito
( ) “Vai-se a primeira pomba despertada...” (D) objeto direto - predicativo do sujeito
( ) Daqui se assiste ao desfile. (E) predicativo do sujeito - predicativo do sujeito
( ) Ele arroga-se o direito de reclamar.
17. Observe a estrofe: “Lembra-me que, em certo dia /
( ) Ainda se ouvem gemidos
Na rua, ao sol de verão, envenenado morria / Um
( ) A jovem olhava-se no espelho.
pobre cão.” Aparece aí a inversão do:
(A) 5, 4, 2, 6, 1, 3
(A) objeto direto: um pobre cão
(B) 5, 6, 2, 4, 1, 3
(B) sujeito: um pobre cão
(C) 2 ,6, 5, 1, 4, 3
(C) sujeito: certo dia
(D) 5, 6, 2, 1, 3, 4
(D) predicado: lembra-me
(E) 2, 6, 5, 4, 1, 3
(E) predicativo do sujeito: me
11. No período “Avistou o pai, que caminhava para a 18. Na oração “Esboroou-se o balsâmico indianismo
lavoura”, a palavra que classifica-se de Alencar ao advento dos Romanos”, a classifica-
morfologicamente como: ção do sujeito é:
(A) conjunção subordinativa integrante (A) oculto
(B) pronome relativo (B) inexistente
(C) conjunção subordinativa final (C) simples
(D) partícula expletiva (D) composto
(E) conjunção subordinativa causal (E) indeterminado
19. Em “O hotel virou catacumba”:
12. Das expressões sublinhadas abaixo, com as idéias
(A) o predicado é nominal
de tempo ou lugar, a única que tem a função sintática
(B) o predicado é verbo-nominal
do adjunto adverbial é:
(C) o predicado é verbal
(A) “Já ouvi os poetas de Aracaju”
(D) o verbo é transitivo direto
(B) “atravessar os subúrbios escuros e sujos”
(E) estão corretas c e d
(C) “passar a noite de inverno debaixo da ponte”
(D) “Queria agora caminhar com os ladrões pela
20. Em “E quando o brotinho lhe telefonou, dias depois,
noite”
comunicando que estudava o modernismo, e den-
(E) “sentindo no coração as pancadas dos pés das
tro do modernismo sua obra, para que o professor
mulheres da noite”
lhe sugerira contato pessoal com o autor, ficou
assanhadíssimo e paternal a um tempo”, os verbos
13. ”Ande ligeiro, Pedro”.
assinalados são, respectivamente:
(A) sujeito (D) aposto
(A) transitivo direto, transitivo indireto, de ligação,
(B) objeto direto (E) adjunto transitivo direto e indireto
Língua Portuguesa

(C) vocativo (B) transitivo direto e indireto, transitivo direto, transi-


tivo indireto, de ligação
14. “Ele observou-a e achou aquele gesto feio, gros- (C) transitivo indireto, transitivo direto e indireto, tran-
seiro, masculinizado.” Os termos sublinhados são: sitivo direto, de ligação
(A) predicativos do objeto (D transitivo indireto, transitivo direto, transitivo dire-
(B) predicativos do sujeito to e indireto, de ligação
(C) adjuntos adnominais (E) transitivo indireto, transitivo direto e indireto, de
(D) objetos diretos ligação, transitivo direto
(E) adjuntos adverbiais de modo

96
Prof. Juliano Viegas

21. Nas frases abaixo, o pronome oblíquo está correta- 25. No período “... a nacionalidade viveu da mescla de
mente classificado, exceto em: três raças que os poetas xingaram de tristes: as três
(A) “Fugia-lhe é certo, metia o papel no bolso ...” raças tristes”, as unidades sublinhadas exercem,
(objeto indireto) respectivamente, as funções sintáticas de:
(B) “... ou pedir-me à noite a bênção do costume” (A) adjunto adverbial - objeto direto - predicativo do
(objeto indireto) objeto - aposto
(C) “Todas essas ações eram repulsivas: eu tolera- (B) objeto indireto - sujeito - predicativo do objeto -
va-as ...” (objeto direto) adjunto adverbial
(D) “... que vivia mais perto de mim que ninguém” (C) objeto direto - objeto direto - adjunto adnominal
(objeto indireto) - adjunto adverbial
(E) “... eu jurava matá-los a ambos ...” (objeto direto) (D) adjunto adverbial - objeto direto - adjunto
adnominal - aposto
22. Na frase “Fugia-lhe, e certo, metia o papel no bolso, (E) adjunto adverbial - sujeito - adjunto adverbial -
corria a casa, fechava-se, não abria as vidraças, adjunto adverbial
chegava a fechar os olhos”, são adjuntos adverbiais:
(A) no bolso - a casa - não 26. “Nesse momento começaram a feri-lo nas mãos, a
(B) no bolso - não pau.” Nessa frase o sujeito do verbo é:
(C) certo - no bolso - a casa - se - não (A) nas mãos
(D) lhe - certo - no bolso - a casa - se - não (B) indeterminado
(E) certo - no bolso - a casa - não - a fechar (C) eles (determinado)
(D) inexistente ou eles: dependendo do contexto
(E) n.d.a
23. Entre as alternativas abaixo, aponte a única em que
um dos termos corresponde à análise dada: “Pare-
27. Em: “Os sururus em família têm por testemunha a
ciam infinitas as combinações de cores no azul do
Gioconda”, as expressões sublinhadas são:
céu.”
(A) complemento nominal - objeto direto
(A) Pareciam é um verbo intransitivo
(B) predicativo do objeto - objeto direto
(B) Infinitas é objeto direto
(C) objeto indireto - complemento nominal
(C) Cores é o núcleo do sujeito
(D) objeto indireto - objeto indireto
(D) Do céu é o complemento nominal
(E) complemento nominal - objeto direto
(E) n.d.a
preposicionado
24.
28. No texto: “Acho-me tranqüilo - sem desejos, sem
I. No período “Seus olhos se encheram de alegria,
esperanças. Não me preocupa o futuro”, os termos
vendo salvo o guerreiro branco”, os termos subli-
destacados são, respectivamente:
nhados são, pela ordem, adjunto adnominal, (A) predicativo, objeto direto, sujeito
predicativo do objeto direto e objeto direto; (B) predicativo, sujeito, objeto direto
II. No fragmento do texto: “ - Mas o cão é teu compa- (C) adjunto adnominal, objeto direto, objeto indireto
nheiro e amigo fiel. Mais amigo e companheiro será (D) predicativo, objeto direto, objeto indireto
de Poti, servindo a seu irmão que a ele.” Sintatica- (E) adjunto adnominal, objeto indireto, objeto direto
mente, “teu companheiro e amigo fiel” está para
“cão”, assim como “mais amigo e companheiro” 29. “No mar, tanta tormenta e tanto dano, / Tantas vezes
está para “Poti”; a morte apercebida; / Na terra, tanta guerra, tanto
III. No período “Tu o chamarás Japi; e será o pé engano, / Tanta necessidade aborrecida! / Onde
ligeiro com que de longe corramos um para o pode acolher-se um fraco humano, / Onde terá
outro”, os elementos sublinhados são respectiva- segura a curta vida, / Que não se arme e se indigne
mente: predicado verbo-nominal e oração subordi- o Céu sereno / Contra um bicho da terra tão peque-
nada adjetiva. no?”
Assinale: Na oração “Onde terá segura a curta vida...”:
(A) se estiverem corretas apenas as alternativas I e II (A) o adjetivo segura é predicativo do objeto vida
(B) se estiverem corretas apenas as alternativas I e III (B) o adjetivo curta é adjunto adnominal do sujeito
(C) se estiverem corretas apenas as alternativas II e vida
III (C) os dois adjetivos - segura e curta - são adjuntos
(D) se todas as alternativas estiverem corretas
Língua Portuguesa

do substantivo vida
(E) se todas as alternativas estiverem incorretas (D) o adjetivo segura está empregado com valor de
adjunto adverbial
(E) os adjetivos - segura e vida - são predicativos do
sujeito vida

97
Prof. Juliano Viegas

30. Aponte a alternativa em que ocorre o adjunto adver- 34. O sujeito é simples e determinado em:
bial de causa: (A) Há somente um candidato ao novo cargo, dou-
(A) Comprou livros com dinheiro tor?
(B) O poço secou com o calor (B) Vive-se bem ao ar livre.
(C) Estou sem amigos. (C) Na reunião de alunos, só havia pais.
(D) Vou ao Rio. (D) Que calor, filho!
(E) Pedro é efetivamente bom. (E) Viam-se eleitores indecisos durante a pesquisa.

31. Assinale a análise do termo destacado: “A terra era 35. Preencha a coluna II conforme o código estabeleci-
povoada de selvagens.” do na coluna I e assinale a alternativa correta de
(A) objeto direto acordo com essa relação:
(B) objeto indireto coluna I
(C) agente da passiva (1) sujeito determinado simples
(D) complemento nominal (2) sujeito indeterminado
(E) adjunto adverbial (3) sujeito desinencial (implícito na terminação ver-
bal)
32. (4) sujeito paciente
I - Paulo está adoentado. (5) sujeito inexistente
coluna II
II - Paulo está no hospital.
( ) Era um mistério curioso aquela vida.
(A) O predicado é verbal em I e II
( ) No auge da rebelião, houve um tiroteio de quinze
(B) O predicado é nominal em I e I
minutos entre policiais e bandidos.
(C) O predicado é verbo-nominal em I e II ( ) Quando se dispõe de força interna, vive-se me-
(D) O predicado é verbal em I e nominal em II lhor.
(E) O predicado é nominal em I e verbal em II ( ) Corrigiram-se os artigos após a última emenda
do jornalista.
33. Assinale a frase em que há sujeito indeterminado: ( ) Nem quererá despejá-lo imediatamente.
(A) Compram-se jornais velhos. (A) 5 - 3 - 2 - 1 - 4 (D) 1 - 3 - 5 - 2 - 4
(B) Confia-se em suas palavras. (B) 5 - 3 - 2 - 4 - 1 (E) 1 - 5 - 3 - 2 - 4
(C) Chama-se José o sacerdote. (C) 1 - 5 - 2 - 4 - 3
(D) Choveu muito.
(E) É noite. 36. Qual a função sintática de LHE em:
”A mãe ajeitou-lhe o vestido.”
(A) objeto indireto
(B) Adjunto adnominal
(C) obejto direto
(D) complemento nominal
(E) aposto
Língua Portuguesa

98
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 10 ○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Regência Verbal e Nominal


○○ ○○ ○○ ○○ ○○

A regência Verbal trata das relações entre o verbo e seus elementos (o.d / o.i) e a regência nominal trata da
relação entre os nomes e as preposições.

Veja a tabela de alguns verbos transobjetivos :

Língua Portuguesa

99
Prof. Juliano Viegas
Língua Portuguesa

100
Prof. Juliano Viegas

Regência nominal
Substantivos, adjetivos e advérbios podem, por regência nominal, exigir complementação para seu sentido
precedida de preposição.

Segue uma lista de palavras e as preposições exigidas. Merecem atenção especial as palavras que exigirem
preposição A, por serem passíveis de emprego de crase.
• acostumado a, com;
• afável com, para;
• afeiçoado a, por;
• aflito com, por;
• alheio a, de;
• ambicioso de;
• amizade a, por, com;
• amor a, por;
• ansioso de, para, por;
• apaixonado de, por;
• apto a, para;
• atencioso com, para;
• aversão a, por;
• ávido de, por;
• conforme a;
• constante de, em;
• constituído com, de, por;
• contemporâneo a, de;
• contente com, de, em, por;
• cruel com, para;
• curioso de;
• desgostoso com, de;
• desprezo a, de, por;
• devoção a, por, para, com;
• devoto a, de;
• dúvida em, sobre, acerca de;
• empenho de, em, por;
• falta a, com, para;
• imbuído de, em;
• imune a, de;
• inclinação a, para, por;
• incompatível com;
• indiferente a;
• intolerante com, para com;
• junto a, de;
• leal a;
• obediente a;
• orgulhoso com, para com;
• preferível a;
• prestes a, para;
• propenso a, para;
• próximo a, de;
• respeito a, com, de, por, para;
• sábio em, para;
• seguro de, em;
• situado a, em, entre;
• último a, de, em;
• único a, em, entre, sobre.
• Vizinho a, de, com.
Língua Portuguesa

101
Prof. Juliano Viegas

○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício XV
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Assinale a opção que apresenta a regência verbal 08. O que devidamente empregado só não seria regido
incorreta, de acordo com a norma culta da língua: de preposição na opção:
(A) Os sertanejos aspiram a uma vida mais confor- (A) O cargo ....... aspiro depende de concurso.
tável. (B) Eis a razão ....... não compareci.
(B) Obedeceu rigorosamente ao horário de trabalho (C) Rui é o orador ....... mais admiro.
do corte de cana. (D) O jovem ....... te referiste foi reprovado.
(C) O rapaz presenciou o trabalho dos canavieiros. (E) Ali está o abrigo ....... necessitamos.
(D) O fazendeiro agrediu-lhe sem necessidade.
(E) Ao assinar o contrato, o usineiro visou, apenas, 09. Os encargos ....... nos obrigaram são aqueles ....... o
ao lucro pretendido. diretor se referia.
(A) de que - que
02. Assinale a opção que contém os pronomes relati- (B) a cujos - cujos
vos, regidos ou não de preposição, que completam (C) por que - que
corretamente as frase abaixo: Os navios negreiros, (D) cujos - cujo
....... donos eram traficantes, foram revistados. Nin- (E) a que - a que
guém conhecia o traficante ....... o fazendeiro ne-
gociava. 10. As mulheres da noite ....... o poeta faz alusão ajudam
(A) nos quais / que a colorir Aracaju, ....... coração bate de noite, no
(B) cujos / com quem silêncio.
(C) que / cujo A alternativa que completa corretamente as lacunas
(D) de cujos / com quem da frase acima é:
(E) cujos / de quem (A) as quais / de cujo
(B) a que / no qual
03. Assinale a opção em que as duas frases se comple- (C) de que / o qual
tam corretamente com o pronome lhe: (D) às quais / cujo
(A) Não ..... amo mais. / O filho não ..... obedecia. (E) que / em cujo
(B) Espero-..... há anos. / Eu já ..... conheço bem.
(C) Nós ..... queremos muito bem. / Nunca ..... perdo- 11. É tal a simplicidade ....... se reveste a redação desse
arei, João. documento, que ele não comporta as formalidades
(D) Ainda não ..... encontrei trabalhando, rapaz. / ....... demais.
Desejou-..... felicidades. (A) que - os
(E) Sempre ..... vejo no mesmo lugar. / Chamou-..... (B) de que - aos
de tolo. (C) com que - para os
(D) em que - nos
04. Assinale a opção em que todos os adjetivos devem (E) a que - dos
ser seguidos pela mesma preposição:
(A) ávido / bom / inconseqüente 12. Diferentes são os tratamentos ....... se pode subme-
(B) indigno / odioso / perito ter o texto literário. Sempre se deve aspirar, no
(C) leal / limpo / oneroso entanto, ....... objetividade científica, fugindo .......
(D) orgulhoso / rico / sedento subjetivismo.
(E) oposto / pálido / sábio (A) à que, a, do
(B) que, a, ao
05. Assinale a frase em que está usado indevidamente (C) à que, à, ao
um dos pronomes seguintes: o, lhe. (D) a que, a, do
(A) Não lhe agrada semelhante providência? (E) a que, à, ao
(B) A resposta do professor não o satisfez.
(C) Ajudá-lo-ei a preparar as aulas. 13. Emprego indevido de o:
(D) O poeta assistiu-a nas horas amargas, com (A) O irmão o abraçou.
extrema dedicação. (B) O irmão o encontrou.
(E) Vou visitar-lhe na próxima semana. (C) O irmão o atendeu.
(D) O irmão o obedeceu.
06. Regência imprópria: (E) O irmão o ouviu.
(A) Não o via desde o ano passado.
Língua Portuguesa

(B) Fomos à cidade pela manhã. 14. Isso ..... autorizava ..... tomar a iniciativa.
(C) Informou ao cliente que o aviso chegara. (A) o - à
(D) Respondeu à carta no mesmo dia. (B) lhe - de
(E) Avisamos-lhe de que o cheque foi pago. (C) o - de
(D) o - a
07. Alternativa correta: (E) lhe - a
(A) Precisei de que fosses comigo.
(B) Avisei-lhe da mudança de horário.
(C) Imcumbiu-me para realizar o negócio.
(D) Recusei-me em fazer os exames.
(E) Convenceu-se nos erros cometidos.

102
Prof. Juliano Viegas

15. Assinale a opção cuja lacuna não pode ser preen- 21. Sendo o carnaval uma das festas ..... mais gosto,
chida pela preposição entre parênteses: achei preferível ir ao baile ..... viajar para a praia.
(A) uma companheira desta, ..... cuja figura os mais (A) que - à
velhos se comoviam. (com) (B) que - do que
(B) uma companheira desta, ..... cuja figura já nos (C) das quais - que
referimos anteriormente. (a) (D) de que - a
(C) uma companheira desta, ..... cuja figura havia um (E) de que - do que
ar de grande dama decadente. (em)
(D) uma companheira desta, ..... cuja figura andara 22. Embora pobre e falta ..... recursos, foi fiel ..... ele, que
todo o regimento apaixonado. (por) ..... queria bem com igual constância.
(E) uma companheira desta, ..... cuja figura as crian- (A) em - a - o
ças se assustavam. (de) (B) em - para - o
(C) de - para - o
16. Assinale a alternativa que substitui corretamente as (D) de - a - lhe
palavras sublinhadas: (E) de - para - lhe
1. Assistimos à inauguração da piscina.
2. O governo assiste os flagelados. 23. Observe o verbo que se repete: “aspirou o ar” e
3. Ele aspirava a uma posição de maior destaque. “aspirou à glória”. Tal verbo:
4. Ele aspirava o aroma das flores. (A) apresenta a mesma regência e o mesmo senti-
5. O aluno obedece aos mestres. do nas duas orações
(A) lhe, os, a ela, a ele, lhes (B) embora apresente regências diferentes, ele tem
(B) a ela, os, a ela, o, lhes sentido equivalente nas duas orações
(C) a ela, os, a, a ele, os (C) poderia vir regido de preposição também na
(D) a ela, a eles, lhe, lhe, lhes primeira oração sem que se modificasse o sen-
(E) lhe, a eles, a ela, o, lhes tido dela
(D) apresenta regência e sentidos diferentes nas
17. Assinale a opção que completa corretamente as duas orações
lacunas da seguinte frase: Toda comunidade, ..... (E) embora tenha o mesmo sentido nas duas ora-
aspirações e necessidades devem vincular-se os ções, ele apresenta regência diferente em cada
temas da pesquisa científica, possui uma cultura uma delas
própria, ..... precisa ser preservada.
(A) cujas / de que 24. Assinale o item em que a regência do verbo proceder
(B) a cujas / que contraria a norma culta da língua:
(C) cujas / pela qual (A) O juiz procedeu ao julgamento.
(D) cuja / que (B) Não procede este argumento.
(E) a cujas / de que (C) Procedo um inquérito.
(D) Procedia de uma boa família.
18. Assinale a alternativa gramaticalmente correta: (E) Procede-se cautelosamente em tais situações.
(A) Não tenham dúvidas que ele vencerá.
(B) O escravo ama e obedece o seu senhor. 25. Escolha, abaixo, a exata regência do verbo chamar:
(C) Prefiro estudar do que trabalhar. (A) Chamamo-lo inteligente.
(D) O livro que te referes é célebre. (B) Chamamo-lo de inteligente.
(E) Se lhe disserem que não o respeito, enganam- (C) Chamamos-lhe inteligente.
no. (D) Chamamos-lhe de inteligente.
(E) Todas as regências acima estão corretas.
19. Indique a alternativa correta:
(A) Preferia brincar do que trabalhar. 26. Como não .......... vi, chamei o contínuo e mandei-
(B) Preferia mais brincar a trabalhar. .........., então, ......... .
(C) Preferia brincar a trabalhar. (A) o - o - procurá-lo
(D) Preferia brincar à trabalhar. (B) lhe - o - procurá-lo
(E) Preferia mais brincar que trabalhar. (C) lhe - lhe - procurar-lhe
(D) o - ele - procurar-lhe
20. Destaque a frase em que o pronome relativo está (E) lhe - lhe - procurá-lo
empregado corretamente:
(A) É um cidadão em cuja honestidade se pode 27. Assinale a alternativa correta quanto à regência:
confiar. (A) Fomos ao cinema e assistimos um filme.
Língua Portuguesa

(B) Feliz o pai cujos filhos são ajuizados. (B) Prefiro mais trabalhar do que estudar.
(C) Comprou uma casa maravilhosa, cuja casa lhe (C) Iremos para o Rio de Janeiro nas próximas férias.
custou uma fortuna. (D) Ele está curioso em saber a resposta.
(D) Preciso de um pincel delicado, sem o cujo não (E) Ele aspira a um cargo de chefia.
poderei terminar meu quadro.
(E) Os jovens, cujos pais conversei com eles, pro-
meteram mudar de atitude.

103
Prof. Juliano Viegas

28. Preencha convenientemente as lacunas das frases 31. Assinale a opção que preenche corretamente as
seguintes, indicando o conjunto obtido: lacunas da frase: “As mulheres, .......... olhos as
1. A planta ............ frutos são venenosos foi derruba- lágrimas caíam, assistiram a uma cena .......... não
da. gostavam.”
2. O estado ............ capital nasci é este. (A) cujos - que
3. O escritor ............ obra falei morreu ontem. (B) em cujos - que
4. Este é o livro ........... páginas sempre me referi. (C) de cujos - de que
5. Este é o homem ............ causa lutei. (D) cujos - de que
(A) em cuja, cuja, de cuja, a cuja, por cuja (E) de cujos - que
(B) cujos, em cuja, de cuja, cujas, cuja
(C) cujos, em cuja, de cuja, a cujas, por cuja 32. Opção incorreta:
(D) cujos, cujas, cuja, a cujas, por cuja (A) Prefiro ganhar a perder.
(E) cuja, em cuja, cuja, cujas, cuja (B) Esqueceram-se de tudo.
(C) Há muito que não o vejo.
29. Observe as frases seguintes: (D) Assisti a um filme.
I - Pedro pagou os tomates. (E) Eu lhe estimo muito.
II - Pedro pagou o feirante.
III - Pedro pagou os tomates ao feirante. 33. Assinale a alternativa que completa conveniente-
Assinale a alternativa que teve considerações corre- mente as lacunas abaixo:
tas sobre tais frases: I - Certifiquei ............ de que o prazo esgotara-se.
(A) Estão corretas apenas a I e II porque o verbo II - Recebi ............ em meu escritório.
pagar é transitivo direto. III - Informo ............ que as notas fiscais estão
(B) A II está errada, porque pagar tem por objeto um rasuradas.
nome de pessoa, é transitivo indireto (o certo IV - Avisei ............ de que tudo fora resolvido.
seria “ao feirante”). (A) o - o - lhe - o
(C) Apenas a I está correta. (B) o - o - o - o
(D) A frase III é a única correta e pagar é transitivo (C) lhe - lhe - lhe - o
direto nesta frase. (D) o - lhe - lhe - o
(E) Todas as frases estão construídas conforme as (E) lhe - lhe - o - o
regras de regência do verbo pagar.
34. Preveniu- .... logo .... perigos que .... ameaçavam.
30. Obedeça-............, estime-............ e sempre que pre- (A) lhe - dos - o
cisar .......... . (B) o - face os - lhe
(A) os, os, recorra a eles (C) lhe - face os - o
(B) lhes, os, recorra a eles (D) o - dos - o
(C) lhes, lhe, recorra-lhes (E) lhe - dos - lhe
(D) os, lhes, recorra-lhes
(E) os, lhes, recorra a eles 35. Tinha aptidão ___ trabalho; era, porém, inclinado
___ farras.
(A) para o - à (D) ao - as
(B) com o - as (E) pelo - em
(C) para o - a
Língua Portuguesa

104
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 11
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

As estruturas do período composto


○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Tipos de oração
Absoluta - é a que forma um período simples
Coordenada - mantém com outra uma relação sintática de independência
Subordinada - é aquela que depende sintaticamente de outra oração (OP)
Principal - é aquela da qual a oração subordinada depende
Intercalada - é independente e de cunho esclarecedor.
Exemplo: “Meu pai - Deus o guarde - mostrou-me o caminho do bem”).

Coordenação
Sindéticas X Assindéticas - em função da presença ou não do síndeto (conjunção)
Assindética –
Exemplo: Não reclame, trabalhe mais!

São as orações coordenadas sindéticas que serão classificadas em função da idéia expressa pela conjun-
ção que as une. Essas orações, sejam elas sindéticas ou não, mantêm o mesmo valor sintático, sendo a primeira
o ponto de partida para a relação semântica estabelecida (para RL, coordenada culminante).

Tipos de orações coordenadas


1. Aditivas - relacionam pensamentos similares - e e nem, a primeira une duas afirmações; a segunda (+e
não), une duas negações.
Exemplo: Não veio nem telefonou.

2. Adversativas - relacionam pensamentos contrastantes - mas (adversativa por excelência), porém, todavia,
contudo, entretanto, no entanto (marcam uma espécie de concessão atenuada).
Exemplo: A estrada era perigosa, entretanto todos queriam visitá-la.

3. Alternativa - relacionam pensamentos que se excluem - ou, ora ... ora, quer ... quer, já ... já, seja ... seja.
Exemplo: Ora chama pela mãe, ora procura o pai.

4. Conclusiva - relacionam pensamentos tais, que o segundo encerra a conclusão do enunciado do primeiro
- logo, portanto, pois, por conseguinte, conseqüentemente etc.
Exemplo:Falta carne no mercado, portanto conheça a comida vegetariana.

5. Explicativa - relacionam pesnamentos em seqüência justificativa, de tal forma que a segunda frase explica
a razão de ser da primeira - que, pois(antes do verbo), porque, porquanto.
Exemplo: Vou sair, pois aqui está muito abafado.

Observações
A conjunção aditiva e pode aparecer com valor adversativo. Ex.: “É ferida que dói e não se sente.” e
conclusivo. Ex.: Ele estudou muito e passou no concurso.
A conjunção mas (adversativa) pode aparecer com valor aditivo. Ex.: Era um homem trabalhador, mas
principalmente honesto.

Subordinação.
Língua Portuguesa

As orações subordinadas podem ser classificadas quanto à sua função em substantivas, adjetivas e
adverbiais.

1. Substantiva
Tem função sintática própria dos substantivos; introduzida, basicamente, pelas conjunções integrantes que
e se. Além das conjunções integrantes, podem ser introduzidas, também, por pronomes ou advérbios interrogativos.
Exemplo: Você sabe quem fez isso?, Ignora-se quantos são os responsáveis, Não sei quando voltarei.
A função da or. sub. substantiva depende da estrutura da oração principal.

105
Prof. Juliano Viegas

Tipos de orações substantivas


1. subjetiva - sujeito do verbo da oração principal.
Exemplo: É necessário que ele viaje.
Tem-se or. sub. subjetiva se, na Oração Principal, tiver:

• verbos do tipo - convém, urge, ocorre, importa, acontece, parece, consta, corre, cumpre, dói... na 3ª pessoa
do singular
Exemplo: Convém que estudes

• verbos na voz pass. sintética - verbo + SE.


Exemplo: Sabe-se que tudo vai bem.

• verbo na voz pass. analítica - ser, estar, ficar + particípio do VP.


Exemplo: Foi avisado que ele viria.

• verbos ser, estar, ficar + subs. ou adj.


Exemplo: Seria conveniente que nós voltássemos / É bom que estejamos juntos.

2. objetiva direta - OD do verbo da oração principal, necessita da presença de um verbo trans. direto na or.
Principal.
Exemplo: Espero que ele volte

3. objetiva indireta - OI do verbo da oração principal, necessita de um verbo trans. direto ou trans. direto e
indireto na or. Principal.
Exemplo: Necessito de que ele volte.

4. completiva nominal - CN de um subs. ou adj. da oração principal.


Exemplo: Tenho necessidade de que ele volte

5. predicativa - predicativo da oração principal. Funciona como predicativo do sujeito da or. principal com
verbo de ligação.
Exemplo: Minha esperança é que ele volte.

6. apositiva - aposto de um termo da oração principal.


Exemplo: Espero somente isto: que ele volte.

2. Adjetiva

Exerce a função sintática de adjunto adnominal de um termo da Oração Principal, sendo introduzida por
pronome relativo (que, qual/s, como, quanto/a/s, cujo/a/s, onde). Estes pronomes relativos podem ser precedidos
de preposição.

Tipos de oração subordinada adjetiva

Restritiva Explicativa

restringe o sentido da OP explica o sentido da OP

é indispensável é dispensável

Sem vírgula. sempre isolado por vírgula.

Exemplo: Grande Sertão: Veredas, que foi publicado em 1956, causou muito impacto.(O. S. adjetiva
explicativa)
O professor castigava os alunos que se comportavam mal. (O. S.adjetiva restritiva).
Língua Portuguesa

3. Adverbial

Correspondem sintaticamente a um adjunto adverbial, sendo introduzidas por conj. subordinativas adverbi-
ais. A ordem direta do período é Oração Principal + oração subordinada adverbial, entretanto muitas vezes a oração
adverbial vem antes da Oração Principal.

106
Prof. Juliano Viegas

Tipos de orações adverbiais


1. Causal - fator determinante do acontecimento relatado na Oração Principal.
Exemplo: Saí apressado, porque estava atrasado.
Principais conjunções: porque, porquanto, desde que, já que, visto que, uma vez que, como, que...

Observação: a oração causal introduzida por como fica obrigatoriamente antes da principal.

2. Consecutiva - resultado ou efeito da ação manifesta na Oração Principal.


Exemplo: Saímos tão distraídos, que esquecemos os ingressos
Principais conjunções: que (precedido de tão, tal, tanto, tamanho), de maneira que, de forma que...

3. Comparativa - comparação com o que aparece expresso na OP, buscando entre elas semelhanças ou
diferenças. Pode aparecer com o verbo elíptico. (Naquele lugar chovia, como chove em Belém)
Principais conjunções: assim como, tal qual, que, do que, como, quanto...

4. Condicional - circunstância da qual depende a realização do fato expresso na OP. (Sairei, se você der
autorização)
Principais conjunções: se (=caso), caso, contanto que, dado que, desde que, uma vez que, a menos que,
sem que, salvo se, exceto se...

5. Conformativa - idéia de adequação, de não contradição com o fato relatado na OP. (Saímos na hora,
conforme havíamos combinado)
Principais conjunções: conforme, como, segundo,consoante...

6. Concessiva - admissão de uma circunstância ou idéia contrária, a qual não impede a realização do fato
manifesto na OP. (Saímos cedo, embora o espetáculo fosse mais tarde)
Principais conjunções: embora, ainda que, se bem que, mesmo que, apesar de que, conquanto, sem que...

Observação: sempre com verbo no subjuntivo.

7. Temporal - circunstância de tempo em que ocorreu o fato relatado na OP. (Saímos de casa, assim que
amanheceu)
Principais conjunções: quando, assim que, logo que, tão logo, enquanto, mal, sempre que...

8. Final - objetivo ou destinação do fato relatado na OP. (Fomos embora, para que não houvesse confusão)
Principais conjunções: para que, para, a fim de que, com a finalidade de...

9. Proporcional - relação existente entre dois elementos, de modo que qualquer alteração em um deles
implique alteração também no outro. (Os alunos saíram, à medida que terminavam a prova)
Principais conjunções: à medida que, à proporção que, enquanto, ao passo que, quanto...

Oração Reduzida
Apresenta duas características básicas:
1. não é introduzida por conectivos, mas equivale a uma or. Desenvolvida.
2. apresenta verbo numa das três formas nominais.

Observação: Não é a falta de conectivo que determina a existência de uma or. reduzida, e sim a forma
nominal do verbo.

Classificam-se: em reduzida de particípio, gerúndio ou infinitivo, em função da forma verbal que apresentam.

• reduzidas de infinitivo - podem vir ou não precedidas de preposição e, geralmente, são substantivas ou
adverbiais, raramente adjetivas. As or. adverbiais, em geral, vêm precedidas de preposição. Entretanto, as proporci-
onais e as comparativas são sempre desenvolvidas.
Língua Portuguesa

ATENÇÃO: algumas orações reduzidas de infinitivo merecem atenção: vem depois dos verbos deixar,
mandar, fazer, ver, ouvir, olhar, sentir e outros verbos causativos e sensitivos.

Deixei-os fugir (= que eles fugissem) - or. sub. subs. objetiva direta. Este é o único caso em que o
pronome oblíquo exerce função sintática de sujeito (caso de sujeito de infinitivo).

• reduzidas de gerúndio - geralmente adverbial, raramente adjetiva e coord. aditiva. A maioria das adverbiais
são temporais. Não há consecutiva, comparativa e final reduzida de gerúndio.

107
Prof. Juliano Viegas

ATENÇÃO: Segundo Rocha Lima, as or. sub. adv. modais só aparecem sob a forma reduzida de gerúndio,
uma vez que não existem conj. modais. (A disciplina não se aprende na fantasia, sonhando, ou estudando)

• reduzida de particípio - geralmente adjetiva ou adverbial, também sendo mais comuns as temporais.
Eventualmente, uma or. coordenada pode vir como reduzida de gerúndio.
Liquidada a conta, receberam-se as promissórias

Análise das orações reduzidas


As orações reduzidas são passiveis de transformação em desenvolvidas. Para tanto, coloca-se a conjunção
ou o pronome relativo que a circunstancia requer e passa-se o verbo para um tempo do modo indicativo ou
subjuntivo. Fazendo isso, facilita-se a classificação.

Exemplo: O pai mandou o filho estudar. (O pai mandou que o filho estudasse.)
Logo: oração subordinada substantiva objetiva direta.

Comprando este livro, você não precisará de outro. (caso você compre este livro, não precisará
de outro.
Logo: oração subordinada adverbial constitucional.

Vi alguns homens trabalhando no telhado. (vi alguns homens que trabalhavam no telhado)
Logo: oração subordinada adjetiva restritiva.

Terminada a sessão, todos se retiram. (Quando terminou a sessão, todos se retiram.)


Logo: oração subordinada adverbial temporal.

Orações Intercaladas ou Interferentes


As orações Intercaladas ou interferentes são independentes da estrutura sintática do período. São empre-
gadas com o objetivo de inserir no período uma opinião, observação, ressalva, ou advertência do emissor. Apare-
cem sempre isoladas por virgulas, travessão ou parênteses.

Exemplo: “A rosa, disse o Gênio, é a tua infância.” (Augusto Meier)

“Deveras, respeito - o, adquirir uma boa compreensão de ti.” (Fernando Namora)

“ Estão vendo - disse - O Getulio com esta certa varre a sua testada.” (Erico Verissimo).

“ Beba uma gole d’ água - ofereceu Luiza.” (Jorge Amado).

“Marcela compreendeu a causa do meu silêncio (não era difícil), só hesitou, creio eu, em
decidir o que dominava mais, se o assombro do presente, se a memória do passado. (Macha-
do de Assis).
Língua Portuguesa

108
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício XVI
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. A oração sublinhada está corretamente classifica 07. Em todos os períodos há orações subordinadas
da, EXCETO em: substantivas, exceto em:
(A) Casimiro Lopes pergunta se me falta alguma (A) O fato era que a escravatura do Santa Fé não
coisa / oração subordinada adverbial condicional andava nas festas do Pilar, não vivia no coco
(B) Agora eu lhe mostro com quantos paus se faz como a do Santa Rosa.
uma canoa / oração subordinada substantiva (B) Não lhe tocara no assunto, mas teve vontade de
objetiva direta tomar o trem e ir valer-se do presidente.
(C) Tudo quanto possuímos vem desses cem mil (C) Um dia aquele Lula faria o mesmo com a sua
réis / oração subordinada adjetiva restritiva filha, faria o mesmo com o engenho que ele
(D) Via-se muito que D. Glória era alcoviteira / oração fundara com o suor de seu rosto.
subordinada substantiva subjetiva (D) O oficial perguntou de onde vinha, e se não sabia
(E) A idéia é tão santa que não está mal no santuário notícias de Antônio Silvino.
/ oração subordinada adverbial consecutiva (E) Era difícil para o ladrão procurar os engenhos da
várzea, ou meter-se para os lados de Goiana
02. Na frase: “Maria do Carmo tinha a certeza de que
estava para ser mãe”, a oração destacada é: 08. “Minha alva Dinamene, a Primavera, / Que os cam-
(A) subordinada substantiva objetiva indireta pos deleitosos pinta e veste, / E, rindo-se, uma cor
(B) subordinada substantiva completiva nominal aos olhos gera / Com que na terra vem o Arco celeste
(C) subordinada substantiva predicativa / O cheiro, rosas, flores, a verde hera, / Com toda
(D) coordenada sindética conclusiva formosura amena agreste, / Não é para meus olhos,
(E) coordenada sindética explicativa tão formosa / Como a tua, que abate o lírio e a rosa”
(Camões)
03. A segunda oração do período? “Não sei no que No último verso da segunda estrofe “como a tua”
pensas”, é classificada como: sintaticamente é:
(A) substantiva objetiva direta (A) adjunto adnominal de modo
(B) substantiva completiva nominal (B) adjunto adverbial de modo
(C) adjetiva restritiva (C) oração subordinada substantiva indireta
(D) coordenada explicativa (D) oração subordinada adverbial consecutiva
(E) substantiva objetiva indireta (E) oração subordinada adverbial comparativa

04. No seguinte grupo de orações destacadas: 09. Classifique as orações em destaque do período
1. É bom que você venha. seguinte: “Ao analisar o desempenho da economia
2. Chegados que fomos, entramos na escola. brasileira, os empresários afirmaram que os resul-
3. Não esqueças que é falível. tados eram bastante razoáveis, uma vez que a pro-
dução não aumentou, mas também não caiu.”
Temos orações subordinadas, respectivamente:
(A) principal, subordinada adverbial final
(A) objetiva direta, adverbial temporal, subjetiva
(B) principal, subordinada substantiva objetiva dire-
(B) subjetiva, objetiva direta, objetiva direta
ta
(C) objetiva direta, subjetiva, adverbial temporal
(C) subordinada adverbial temporal, subordinada
(D) subjetiva, adverbial temporal, objetiva direta
adjetiva restritiva
(E) predicativa, objetiva direta, objetiva indireta
(D) subordinada adverbial temporal, subordinada
objetiva direta
05. Em - “Há enganos que nos deleitam”, a oração
(E) subordinada adverbial temporal, subordinada
grifada é:
substantiva subjetiva
(A) substantiva subjetiva
(B) substantiva objetiva direta
10. No período: “Era tal a serenidade da tarde, que se
(C) substantiva completiva nominal
percebia o sino de uma freguesia distante, dobran-
(D) substantiva apositiva
do a finados.”, a segunda oração é:
(E) adjetiva restritiva
(A) subordinada adverbial causal
(B) subordinada adverbial consecutiva
06. “Lembro-me de que ele só usava camisas brancas.”
(C) subordinada adverbial concessiva
A oração sublinhada é:
(D) subordinada adverbial comparativa
(A) subordinada substantiva completiva nominal
(E) subordinada adverbial subjetiva
(B) subordinada substantiva objetiva indireta
Língua Portuguesa

(C) subordinada substantiva predicativa


11. “Sabendo que seria preso, ainda assim saiu à rua.”
(D) subordinada substantiva subjetiva
(A) reduzida de gerúndio, conformativa
(E) subordinada substantiva objetiva direta
(B) subordinada adverbial condicional
(C) subordinada adverbial causal
(D) reduzida de gerúndio, concessiva
(E) reduzida de gerúndio, final

109
Prof. Juliano Viegas

12. Na frase “Entrando na faculdade, procurarei empre- 17. Meu pai, que havia arrancado três dentes, não pôde
go.”, a oração subordinada indica idéia de: viajar naquele dia. A oração grifada classifica-se
(A) concessão como subordinada:
(B) oposição (A) adverbial temporal
(C) condição (B) substantiva predicativa
(D) lugar (C) adjetiva restritiva
(E) conseqüência (D) substantiva apositiva
(E) adjetiva explicativa
13. No trecho “Cecília ... viu do lado oposto do rochedo
Peri, que a olhava com uma admiração ardente”, a 18. A classificação da oração grifada está correta em
oração grifada expressa uma: todas as opções, exceto em:
(A) causa (A) Ela sabia que ele estava fazendo o certo - subor-
(B) oposição dinada substantiva objetiva indireta
(C) condição (B) Era a primeira vez que ficava assim tão perto de
(D) lugar uma mulher - subordinada substantiva subjetiva
(E) explicação (C) Mas não estava neles modificar um namoro que
nascera difícil, cercado, travado - subordinada
14. Leia, com atenção, os períodos abaixo: adjetiva
Caso haja justiça social, haverá paz. (D) O momento foi tão intenso que ele teve medo -
Embora a televisão ofereça imagens concretas, ela subordinada adverbial consecutiva
não fornece uma reprodução fiel da realidade. (E) Solta que você está me machucando - coordena-
Como todas aquelas pessoas estavam concentra- da sindética explicativa
das, não se escutou um único ruído.
Assinale a alternativa que apresenta, respectiva- 19. No período: “Ainda que fosse bom jogador, não
mente, as circunstâncias indicadas pelas orações ganharia a partida”, a oração destacada encerra
sublinhadas: idéia de:
(A) tempo, concessão, comparação (A) causa
(B) tempo, causa, concessão (B) concessão
(C) condição, conseqüência, comparação (C) fim
(D) condição, concessão, causa (D) condição
(E) concessão, causa, conformidade (E) proporção

15. Em “É possível que comunicassem sobre políticos”, 20. “Não compreendíamos a razão por que o ladrão não
a segunda oração é: montava o cavalo”. A oração em destaque é:
(A) subordinada substantiva subjetiva (A) subordinada adjetiva restritiva
(B) subordinada adverbial predicativa (B) subordinada adjetiva explicativa
(C) subordinada substantiva predicativa (C) subordinada adverbial causal
(D) principal (D) substantiva objetiva indireta
(E) subordinada substantiva objetiva direta (E) substantiva completiva nominal

16. Quando o enterro passou / Os homens que se 21. “Nota-se facilmente que nunca perceberam o papel
achavam no café / Tiraram o chapéu maquinalmente secundário que exerciam naquele período.” A ora-
(Manuel Bandeira) ção em destaque é:
A oração que se achavam no café é: (A) substantiva objetiva direta
(A) subordinada adverbial condicional (B) substantiva completiva nominal
(B) coordenada sindética adversativa (C) substantiva predicativa
(C) subordinada substantiva subjetiva (D) substantiva subjetiva
(D) subordinada substantiva objetiva direta (E) n.d.a
(E) subordinada adjetiva restritiva
Língua Portuguesa

110
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 12 ○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Colocação Pronominal
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Em função da posição do pronome em relação ao verbo, classifica-se:


• próclise - antes do verbo (Nada se perde)
• mesóclise - no meio do verbo (Dirigir-lhe-emos a palavra)
• ênclise - depois do verbo (Fugiram-nos as palavras)

A regra geral diz que se deve colocar o pronome enclítico, desde que não haja fator de próclise, ou seja, um
dos futuros do indicativo, com atenção aos casos especiais.

Uso de próclise
1. oração negativa, desde que não haja pausa entre o verbo e as palavras de negação
Exemplo: Ninguém se mexe / Nada me abala.

ATENÇÃO: se a palavra negativa preceder um infinitivo não-flexionado, é possível a ênclise: Calei para não
magoá-lo

2. frases exclamativas (começadas por palavras exclamativas) e optativas (desejo)


Exemplo: Deus te guie. / Quanto sangue se derramou inutilmente!

3. conjunção subordinativa
Exemplo: Preciso de que me responda algo / O homem produz pouco, quando se alimenta mal.

ATENÇÃO: A elipse da conjunção não dispensa a próclise: Quando passo e te vejo, exalto-me

4. pronome ou palavras interrogativas


Exemplo: Quem me viu ontem? / Queria saber por que te afliges tanto

5. pronome indefinido, demonstrativo e relativo


Exemplo: Alguém me ajude a sair daqui / Isso te pertence? / Ele que se vestiu de verde está ridículo

6. advérbio (não seguido de vírgula) e numeral ambos


Exemplo: Aqui se vê muita miséria.
Aqui, vê-se muita miséria.
Ambos se olharam profundamente.

ATENÇÃO: se o sujeito estiver logo antes do verbo, a próclise será facultativa. Este fator, entretanto, não
pode quebrar o princípio dos fatores de próclise.
Exemplo: Ele se feriu ou ele feriu-se.
O homem se recupera ou o homem recupera-se.

Exemplo: ninguém me convencerá / Tudo se fez por uma boa causa


por questão de eufonia, pode-se preferir a próclise ao invés da ênclise, quando o sujeito vier antes do verbo
Exemplo: “Cada dia lhe desfolha um afeto” (Alexandre Herculano) / Você viu-o / Você o viu

Uso de mesóclise
Respeitados os princípios de próclise, far-se-á mesóclise caso o verbo esteja nos tempos futuros do
indicativo.
Exemplo: dar-te-ia = daria + te / dar-te-ei = darei + te
Diante da platéia, cantar-se-ia melhor / Os amigos sinceros lembrar-nos-ão um dia

Usa-se ênclise
Língua Portuguesa

1. Em início da frase ou após sinal de pontuação.


2. Casos não proclíticos e não mesoclíticos em geral.
3. Nas orações imperativas afirmativas
Exemplo: Procure suas colegas e convide-as
4. Junto ao infinitivo não flexionado, precedido da preposição a, em se tratando dos pronomes o/a (s)
Exemplo: Todos corriam a escutá-lo com atenção / Ele começou a insultá-la / Nem sei se nos tornaremos
a vê-los novamente
5. Estando o infinitivo pessoal regido da preposição para, é indiferente a colocação do pronome oblíquo
antes ou depois do verbo, mesmo com a presença do advérbio não
Exemplo: Silenciei para não irritá-lo / Silenciei para não o irritar

111
Prof. Juliano Viegas

Formas infinitas e locuções verbais

Formas infinitas
infinitivo - regra geral = ênclise.
Exemplo: Viver é adaptar-se.

Admite-se também a próclise se o infinitivo não-flexionado vier precedido de preposição ou palavra negativa.
Exemplo: para te servir / servir-te, não o incomodar / incomodá-lo.

ATENÇÃO: se o pronome for o/a (s) e o infinitivo regido da preposição a, é obrigatória a ênclise / Se o
infinitivo vier flexionado, prefere-se a próclise (desde que não inicie o período)

gerúndio - regra geral = ênclise

A próclise é obrigatória se: o gerúndio vier precedido da preposição em ou se o gerúndio vier precedido de
advérbio que o modifique diretamente, sem pausa (Em se tratando de colocação pronominal, sei tudo!)

particípio

Sem auxiliar não admite próclise ou ênclise e sim a forma oblíqua regida de preposição
Exemplo: Concedida a mim a preferência, farei por merecê-la

Locuções verbais
Aux. + infinitivo: podem os pronomes, conforme as circunstâncias, estar em próclise ou ênclise, ora ao verbo
auxiliar, ora à forma nominal.
Exemplo: Devo calar-me / devo-me calar / devo me calar - Não devo calar-me / não me devo calar / não
devo me calar

Observação:
mesmo com fator de próclise, a ênclise no infinitivo é correta

Aux. + preposição + infinitivo.


Exemplo: Há de acostumar-se / há de se acostumar - Não se há de acostumar / não há de acostumar-se)

Aux. + gerúndio podem os pronomes, conforme as circunstâncias, estar em próclise ou ênclise, ora ao verbo
auxiliar, ora à forma nominal:
Exemplo: Vou-me arrastando / vou me arrastando / vou arrastando-me / Não me vou arrastando / não vou
arrastando-me

ATENÇÃO: com fator de próclise, o pronome não pode aparecer entre os verbos

• Aux. + particípio (os pronomes se juntam ao auxiliar e jamais ao particípio, de acordo com as circunstân-
cias.
Exemplo: Os amigos o tinham prevenido / os amigos tinham-no prevenido - Nunca a tínhamos visto
antes

Ênclise dos pronomes O, OS, A e AS


1. Se o verbo terminar em R, S ou Z, suprime-se esse R, S ou Z e antepõe-se L ao pronome oblíquo:
Comprar + o = compra – lo
Fizemos + o = fisemo – lo
Diz + o = di-lo
Língua Portuguesa

2. Se o verbo terminar em ão, õe ou m, antepõe-se n ao pronome oblíquo:


dão + o = dão – no
repõe + a = repõe – na
dizem + o = dizem – no

3. No demais casos nada varia.

112
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício XVII
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Indique a opção correta que preenche de forma 05. Assinale a alternativa correta quanto à colocação
correta as lacunas da frase: pronominal, de acordo com a norma culta.
(A) Sempre cumprimentaram-na pelo seu aniversa-
“Os Projetos que _____ estão em ordem; _______ rio
ainda hoje, conforme __________ “. (B) Poucos se negaram a participar da ação
voluntaria.
(A) enviam-me / devolvê-los-ei / lhes prometi (C) Esse é o autor que referiu-se o comentarista.
(B) enviam-me / os devolverei / lhes prometi (D) Me acusaram daquele ato de covardia.
(C) enviam-me / os devolverei / prometi-lhes (E) Nunca diga-lhe que estive aqui.
(D) me enviam / devolvê-los-ei /prometi-lhes
(E) me enviaram / os devolverei / prometi-lhes 06. “Se ninguém ___ a verdade, e se precisei lutar para
___ nada ____ a respeito.”
02. A colocação pronominal está de acordo com a nor- (A) disse-me, a encontrar, se falou
ma culta em: (B) disse-me, encontrá-la, se falou
(A) Se lavaram e saíram as pressas. (C) me disse, encontrá-la, falou-se
(B) Ele sabe que todos receber-me-ão com alegria. (D) disse-me, encontrá-la, falou-se
(C) Eu não direi-lhe o que aconteceu. (E) me disse, encontrá-la, se falou
(D) ao dirigir-me a palavra baixou os olhos.
(E) Ele sempre afirma que fala a verdade. 07. Assinale a frase com erro de colocação pronominal:
(A) Tudo se acaba com a morte, menos a saudade
03. Assinale a alternativa correta quanto à colocação (B) Com muito prazer, se soubesse, explicaria-lhe
pronominal, de acordo com a mesma culta. tudo
(A) O processo da eleição me tem desagradado. (C) João tem-se interessado por suas novas ativida-
(B) Ninguém se lembrou de que o conclave previsto des
para o dia 18. (D) Ele estava preparando-se para o vestibular de
(C) Os cadeias não deixaram-lhe opção da escolha. Direito
(D) Em tratando-se de eleição, o voto deve ser secre (E) Ele não a quer.
to.
(E) Quem garante-me o sucesso da votação. 08. Assinale a frase com erro de colocação pronominal:
(A) Tudo me era completamente indiferente
04. Assinale a alternativa correta quanto à colocação (B) Ela não me deixou concluir a frase
pronominal, de acordo com a norma culta. (C) Este casamento não deve realizar-se
(A) Por que expulsaram-se os holandeses que vie- (D) Ninguém havia lembrado-me de fazer as reser-
ram ao Brasil? vas
(B) Nada compara-se a contribuição de Post à pin-
tura e, principalmente à arquitetura. 09. Assinale a frase incorreta:
(C) As colônias da Holanda, o governo não as co- (A) Nunca mais encontrei o colega que me empres-
mandava diretamente. tou o livro
(D) A ocupação de Pernambuco, foi o conde Mauricio (B) Retiramo-nos do salão, deixando-os sós
de Nassau que comandou-a. (C) Faça boa viagem! Deus proteja-o
(E) Ninguém esqueceu-se do episodio da domina- (D) Não quero magoar-te, porém não posso deixar
ção Holandesa. de te dizer a verdade

Língua Portuguesa

113
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 13
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

As palavras ’’que’’ e ’’se’’


○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Estudo da palavra SE
1.Classificação
» substantivo - determinado por artigo ou pronome adjetivo (O se é uma palavra interessante / Nenhum se
apareceu nesta festa)

» conj. subordinativa integrante - liga or. subordinadas substantivas (Não sei se ele chegará tarde / Veja se
os convidados já chegaram)

» conj. subordinativa condicional - equivale a caso - necessitando adaptações de tempos verbais, mas sem
alteração do sentido da frase (Se vocês forem, também vou / Ele ficará reprovado, se não estudar)

» pronome integrante do verbo - parte de verbos pronominais - arrepender-se, queixar-se, suicidar-se,


apiedar-se, dignar-se, zangar-se, debater-se (=agitar-se) etc. (O prisioneiro se ajoelhou na igreja / Maria queixou-se
ao professor)

» pronome reflexivo - aparece na voz reflexiva = a si mesmo/a, a si próprio/ª (O menino feriu-se com a faca /
O médico trancou-se no consultório)

» pronome reflexivo recíproco - aparece na voz reflexiva, com idéia de reciprocidade = a si mesmos/as, a si
próprios/as. (Mãe e filha se beijaram / Os deputados se cumprimentaram amigavelmente.)

» pronome apassivador - aparece na voz passiva sintética, com verbo TD, na 3ª pessoa. Neste caso, haverá
sujeito paciente e não OD, estando o verbo concordando em número com o sujeito. (Aluga-se uma linda casa = uma
linda casa é alugada / Alugam-se lindas casas = lindas casas são alugadas)

• índice de indeterminação do suj. - aparece na voz ativa. Neste caso, haverá sujeito indeterminado.

Dicas para identificação:


• com verbo TI na 3ª pessoa do singular (Precisa-se de bons alunos)
• com verbo TD na 3ª pessoa do singular + OD preposicionado (Ama-se muito a Deus)
• com verbo intransitivo na 3ª pessoa do singular (Vive-se muito bem neste país)
• com verbo de ligação na 3ª pessoa do singular (Quando se é jovem, as preocupações não existem)
partícula expletiva ou de realce - pode ser retirada da oração sem prejuízo de sentido. Neste caso, é comum
aparecer com verbo intransitivo; havendo, também, sujeito expresso na frase. (Ninguém ainda se foi embora)

2. Função sintática

Se = pronome reflexivo:

• OD - acompanha verbo TD.


Exemplo: O homem jogou-se do quarto andar / O diretor e o professor cumprimentaram-se
• OI - acompanha verbo TD e I - se = para si mesmo (a/s), um ao outro. (O rapaz dá-se ares de importância /
Os namorados deram-se as mãos)
• sujeito de infinitivo - acompanha verbo no infinitivo. (A empregada deixou-se ficar à janela - sujeito do verbo
ficar)
Língua Portuguesa

114
Prof. Juliano Viegas

Estudo da palavra QUE

1.Classificação
• substantivo comum - é acentuado; determinado por artigo ou pronome adjetivo (Ele tem um quê encanta-
dor)

• interjeição - acentuado, indicando emoção. Geralmente, acompanhado do ponto de exclamação (Quê! Ele
conseguiu vencer ?!)

• pronome relativo substantivo - que = o/a qual (s). O homem que é bom deve ser respeitado por todos.

• pronome indefinido adjetivo - antecede substantivo, determinando-o = quanto a/s. (Que saudades tenho da
minha terra!)
• pronome indefinido substantivo - antecede preposição de + substantivo (Que de encanto há em seu olhar)

• pronome interrogativo adjetivo - introduz interrogação, acompanhando substantivo (Que promessas ele
fez? / Ignoramos que horas são.)

• pronome interrogativo substantivo - em oração interrogativa direta ou indireta. (Que queres? / Desconheço
que queres.)

• advérbio de intensidade - antecede adjetivo e equivale a quão. (.Que bondosa ela era.)

• preposição acidental - que = de. (Tenho que estudar muito.)

• palavra expletiva ou de realce - dispensável, sem alterar o sentido. Locução expletiva - é que (Que saudade
que tenho da aurora da minha vida ! / vocês é que são os mais felizes.)

• conj. coord. aditiva - que = e (A mulher reclama que reclama.)

• conj. coord. adversativa - que = mas, porém... (Outro, que não eu, viajará com você.)

• conj. coord. alternativa - idéias alternadas - que ... que = quer ... quer (Que perca, que ganhe, a sua
indiferença é sempre a mesma.)

• conj. coord. explicativa - idéia de explicação - que = porque (Não grite, que não resolverá o problema.)

• conj. sub. integrante - inicia as or. sub. substantivas (Convém que obedeças ao regulamento / Esperamos
que vocês façam boa viagem.)

• conj. sub. causal - idéia de causa - que = porque (Não sairás que chove muito.)

• conj. sub. comparativa - idéia de comparação - que = do que (És mais inteligente que pareces.)

• conj. sub. consecutiva - idéia de conseqüência - que geralmente precedido de tão, tal, tanto, tamanho.
(Comeu tanto que passou mal)

• conj. sub. concessiva - idéia de concessão - que = embora. (Ricos que são, hão de aguardar a vez. / Mil
anos que eu vivesse, não esqueceria aquela mágoa.)

• conj. sub. conformativa - idéia de conformidade - que = segundo (A faxineira, que eu saiba, é muito humilde)

• conj. sub. final - idéia de finalidade - que = para que (Fazemos votos que descubra o caminho.)

• conj. sub. temporal - idéia de tempo - que = desde que (Chegados que fomos, começamos a trabalhar.)
Língua Portuguesa

115
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercício XVIII
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Observe a palavra sublinhada: “Quem diz o que quer 07. No verso “Que suaves coisas que tu murmuravas”,
ouve o que não quer.” A função sintática dela é: a segunda palavra que é:
(A) sujeito (A) pronome relativo
(B) complemento nominal (B) interjeição
(C) partícula expletiva (C) palavra de realce
(D) predicativo (D) conjunção subordinada integrante
(E) objeto direto (E) conjunção coordenativa explicativa

02. Observe a palavra sublinhada: “Quem diz o que quer 08. Em “ir-se a vida”, o se é:
ouve o que não quer.” Sua função morfológica é: (A) partícula apassivadora
(A) substantivo (B) índice de indeterminação do sujeito
(B) conjunção integrante (C) pronome reflexivo
(C) pronome relativo (D) pronome recíproco
(D) advérbio (E) partícula expletiva
(E) pronome demonstrativo
09. Na oração “Contam-se casos curiosos sobre os
03. “Ó tu / Que és presidente / Do Conselho Municipal / índios”, o se é:
Se é que tens mulher e filhos, / Manda tapar os (A) pronome pessoal oblíquo
buracos da / Rua dos Junquilhos. (Artur Azevedo) A (B) índice de indeterminação do sujeito
palavra que aparece duas vezes no texto com a (C) pronome apassivador
seguinte classificação morfológica, respectivamen- (D) pronome reflexivo
te: (E) pronome possessivo
(A) pronome relativo e partícula expletiva
(B) partícula expletiva e pronome relativo 10. “É da história do mundo que (1) as elites nunca
(C) pronome relativo e conjunção integrante introduziram mudanças que (2) favorecessem a
(D) conjunção integrante e pronome relativo sociedade como um todo. Estaríamos nos enga-
(E) partícula expletiva e conjunção integrante nando se achássemos que (3) estas lideranças
empresariais aqui reunidas teriam motivação para
04. Na frase: “Trabalhou-se com prazer.”, a palavra se é: fazer a distribuição de poderes e rendas que (4) uma
(A) partícula de realce nação equilibrada precisa ter. ” O vocábulo que está
(B) conjunção integrante numerado em suas quatro ocorrências, nas quais
(C) pronome reflexivo se classifica como conjunção integrante e como
(D) índice de indeterminação do sujeito pronome relativo. Assinalar a alternativa que regis-
(E) conjunção coordenativa explicativa tra a classificação correta em cada caso, pela or-
dem:
05. O que não é pronome relativo na opção: (A) 1. pronome relativo, 2. conjunção integrante, 3.
(A) Não há mina de água que não o chame pelo pronome relativo, 4. conjunção integrante
nome, com arrulhos de namorada. (B) conjunção integrante, 2. pronome relativo, 3. pro-
(B) Não há porteira de curral que não se ria para ele, nome relativo, 4. conjunção integrante
com risadinha asmática de velha regateira. (C) 1. pronome relativo, 2. pronome relativo, 3. con-
(C) “Me espere em casa, que eu ainda vou dar uma junção integrante, 4. conjunção integrante
espiada na novilhada parida da vereda.” (D) conjunção integrante, 2. pronome relativo, 3. con-
(D) “Tenho uma corrente de prata lá em casa que junção integrante 4. pronome relativo
anda atrás de uma trenheira destas para pendu- (E) 1. pronome relativo, 2. conjunção integrante, 3.
rar na ponta.” conjunção integrante, 4. pronome relativo
(E) “Quem seria aquele sujeito que estava de pé,
encostado ao balcão, todo importante no terno de 11. “Se você sair agora, nunca saberá se dissemos a
casimira?” verdade a eles e qual foi sua reação ao se verem
diante daquela descoberta.” No texto acima a partí-
06. O “que” está com função de preposição na alterna- cula se é, respectivamente:
tiva: (A) conjunção condicional, conjunção condicional,
(A) Veja que lindo está o cabelo da nossa amiga! partícula apassivadora
(B) Diz-me com quem andas, que eu te direi quem (B) conjunção integrante, partícula expletiva, partícu-
Língua Portuguesa

és. la apassivadora
(C) João não estudou mais que José, mas entrou na (C) conjunção integrante - pronome reflexivo - prono-
Faculdade. me reflexivo
(D) O Fiscal teve que acompanhar o candidato ao (D) conjunção condicional,conjunção integrante, pro-
banheiro. nome reflexivo
(E) Não chore que eu já volto. (E) conjunção condicional,conjunção integrante, par-
tícula apassivadora

116
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 14
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Pontuação
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Os sinais de pontuação têm por finalidade

» assinalar pausas e inflexões de voz;

» separar palavras, ,expressões e orações que devam ser destacadas;

» esclarecer o sentido da frase, afastando qualquer ambigüidade.

1. Emprego dos dois pontos


» enumeração.
Exemplo: Tinha duas ambições: sucesso e dinheiro.

» introduzindo uma citação ou diálogo.


Exemplo: Ele respondeu secamente: “Não vou ao baile!”

2. Emprego do ponto de interrogação


» após uma frase interrogativa direta
Exemplo: Espera por alguém?

3. Emprego do ponto de exclamação


» em frases que indiquem surpresa, espanto, admiração, alegria.
Exemplo: Que espetáculo!

» após interjeições.
Exemplo: Bravo!, Bis!!!

4. Emprego das reticências


» marcando interrupção do pensamento.
Exemplo: Se for assim...

deixando o sentido da frase ser interpretado pelo leitor.


Exemplo: A resposta dela...

» denotando hesitação.
Exemplo: Amanhã... Não sei não...

» realçando palavras ou expressões em ambiente literário.


Exemplo: Para fazer pelos meus... ninguém ...

5. Emprego das aspas


» indicando citações de outros autores (Disse Fernando Pessoa: “Tudo vale a pena se a alma não é pequena”)

» em palavras ou expressões estrangeiras e gírias (Ele foi o “must”, “tá”?!)

6. Emprego do travessão
» indicando diálogos (— Ele voltará?)
Língua Portuguesa

» destacando algum elemento frasal ou um aposto, podendo aparecer entre travessões (Jomar — primo de
minha avó — sorria feliz)

7. Emprego dos parênteses:


» em algum comentário ou explicação, isolando-os da frase

117
Prof. Juliano Viegas

8. Emprego do ponto e vírgula:


» separar itens de uma enumeração (em leis, decretos, portarias, regulamentos etc.)

» separar orações com certa extensão, que dificultem a compreensão e respiração.


Exemplo: “Aí, a fiscalização era rigorosa; nem lhe escapavam as capas e as armações da cangalhas,
que nos menores orifícios podiam esconder diamante.” (afonso Arinos)

» para frisar o sentido adversativo antes da conjunção

» separar orações que sejam quebradas por vírgula, para marcar pausa maior entre as orações

9. Emprego da vírgula
Para o emprego correto da vírgula, deve-se considerar a ordem direta da frase:

sujeito - verbo - complementos - adj. adverbial

Erros quando a ordem é direta:

não pode haver vírgula entre sujeito e predicado O supervisor, distribuiu as tarefas - ERRADO

não pode haver vírgula entre o verbo e seus complementos.


Exemplo: Os alunos refizeram, todos os textos – ERRADO.

não pode haver vírgula entre o nome e o complemento nominal ou adjunto adnominal.
Exemplo: A extração, do dente foi dolorosa - ERRADO

I - Entre os termos da oração


1. separar termos coordenados da mesma função e assindéticos, ainda que sejam repetidos
Exemplo: Ele pensava em Bibiana, em seus olhos, em seu corpo.
Tutu era honeto, forte, poderoso e saudável.

ATENÇÃO: havendo “e” entre os dois últimos termos, suprime-se a vírgula.

2. separar vocativos e o nome do lugar nas datas.


Exemplo: Brasília, 21 de abril de 2007.
Ó mundo, por que sofro assim !

3. indicar inversões:
a) do adjunto adverbial (se o adjunto for de pequena extensão, torna-se facultativo o uso da vírgula).
Exemplo: De repente, minha família foi saindo ...

b) do complemento pleonástico antecipado.


Exemplo: Ao avarento, não lhe peço nada.

4. indicar intercalações:
a) de expressões explicativas, continuativas e conclusivas; como isto é, a saber, por exemplo, ora digo, ou
seja, aliás etc.
Exemplo: Viajaremos amanhã, aliás, depois de amanhã.

b) do adjunto adverbial e aposto (menos o especificativo).


Exemplo: Era costume sempre, na família, a ceia de Natal.
Tiago, o jogador de xadrez, perdeu a cabeça e ...

c) indicar, às vezes, elipse (omissão do verbo):


Língua Portuguesa

Ele virá hoje; eu, amanhã. (, = irei)

118
Prof. Juliano Viegas

II - Entre as orações
Em período composto
1. Para separar as orações coordenadas assindéticas (sem conectivos).
Exemplo: Barbeio-me, Visto-me, calço-me.

2. Para separar as orações coordenadas sindéticas, quando os sujeitos das duas orações forem diferentes;

a) para separar as coordenadas adversativas. É bom saber que não se pode usar vírgula depois do mas. e
que, quando: porém, contudo, todavia, no entanto e entretanto iniciarem a frase, poderão ou não ser seguidos de
vírgula. Essas últimas conjunções sempre terão uma vírgula antes e outra depois quando estiverem intercaladas
no período.
Exemplo: Morreu Felipe dos Santos; outros, porém, nascerão.

b) para separar as coordenadas sindéticas alternativas em que haja as conjunções ou....ou, ora.....ora,
quer....quer, seja......seja.
Exemplo: Ora respondia, ora ficava mudo.

c) para separar as coordenadas sindéticas conclusivas (logo, pois, portanto). O pois com valor conclusivo (=
portanto) sempre deve vir entre vírgulas
Exemplo: Não era alfabetizado; não podia, pois, ter carta de habilitação

d) para separar as coordenadas sindéticas explicativas.


Exemplo: Não fale assim, porque estamos ouvindo você.

e) para separar as coordenadas sindéticas aditivas,

Vírgula antes do e
Não se emprega em orações com o mesmo sujeito:
Exemplo: Comprei um livro e um caderno.
Fui ao supermercado e à farmácia.
Usa-se
a) quando vier em polissíndeto:
Exemplo: E fala, e resmunga, e chora, e pede socorro.

b) a vírgula separa elementos com a mesma função sintática, exceto se estiverem ligados pela conjunção e:
Exemplo: O João, o Antônio, a Maria e o Joaquim foram passear.

c) pode-se usar a vírgula se os sujeitos forem diferentes


Exemplo: Eles explicam seus pontos de vista, e a imprensa deturpa-os.

d) se o e assumir outros valores que não o aditivo, cabe o emprego de vírgula


Exemplo: Responderam a mãe, e não foram repreendidos. (adversidade).

3. para separar as adverbiais reduzidas e as adverbiais antepostas ou intercaladas na principal.


Exemplo: Para adiantar o expediente, não lera o documento.
Todos faziam sinal, para que o time não recuasse.
E os passos dele, iniciando a semana, parecem o de um bicho se arrastando penosamente.

4. Isolar as subordinadas adjetivas explicativas.


Exemplo: O rapaz, que tinha o passo firme, resolvei o problema.
O aluno, que estuda, aprende.

5. Orações subordinadas substantivas - em ordem direta não há vírgula.


Exemplo: Espero que todos estudem a matéria. Ordem direta.
Língua Portuguesa

Quando na ordem indireta a vírgula é obrigatória.


Exemplo: Que ele é um boçal, eu já percebera. Ordem indireta.

119
Prof. Juliano Viegas

Considerações finais
Como vimos, a vírgula é empregada para marcar a separação entre termos deslocados ou intercalados,quer
no período simples, quer o período composto. Portanto, não havendo deslocamento ou intercalação de um termo ou
de uma oração, a vírgula não é compatível nos seguintes casos:

• entre sujeito e predicado:


Muitos paulistanos deixam o carro na garagem.
sujeito predicado

• entre o verbo e complemento verbal (objeto direto e objeto indireto)


Os animais protegem seus filhotes.
VTD OD

As crianças necessitam de carinho.


VTI OI

• Entre o substantivo, adjetivo e advérbio e completo nominal:


A invenção da impressa aproximou os povos.
subst. completo nominal

O fumo é prejudicial a saúde.


adj. compl. nominal

Opinamos contrariamente ao seu projeto.


adv compl. nominal

• entre substantivo e adjunto adnominal:


existirão rosas sem espinhos
Subst. Adj. adn

• entre oração principal e oração subordinada substantiva:


Não me espanta que você seja tão imaturo.
or. princ. or. sub. subst.

Mais cuidado: Se a oração subordinada substantiva figurar antes da principal, a virgula devera separá-las:
Que você é um hipócrita todos nós sabemos.
or. sub. subst. or. princ.

• entre oração principal e oração subordinada adjetiva restritiva:


Você foi o único amigo que me apoiou naquele dia.
or. princ. or. Sub. Adj. Restritiva

• entre oração principal e oração subordinada adverbial proposta:


Fico tranqüilo quando você volta cedo para casa.
or. princ. or. Sub. Adv. temporal
Língua Portuguesa

120
Prof. Juliano Viegas
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Exercícios XIX
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

01. Indique o erro de pontuação. 07. Quando se trata de trabalho científico( ) duas coisas
(A) Diga-me quantas horas são? devem ser consideradas( ) uma é a contribuição
(B) Dorme, que eu penso. teórica que o trabalho oferece( ) a outra é o valor
(C) Os soldados agacharam-se, e ele saltou. prático que possa ter.
(D) As nuvens, as folhas, os ventos não são deste (A) dois pontos - ponto e vírgula - ponto e vírgula
mundo. (B) dois pontos - vírgula - ponto e vírgula
(E) Fecho os meus olhos sobre o mundo - quanta luz! (C) vírgula - dois pontos - ponto e vírgula
(D) ponto e vírgula - dois pontos - ponto e vírgula
02. Qual o período com pontuação correta? (E) ponto e vírgula - vírgula - vírgula
(A) Pouco depois, quando chegaram, outras pesso-
as a reunião ficou mais animada. 08. “Uma das coisas mais bonitas que Deus criou foi o
(B) Pouco depois quando chegaram outras pesso- livre arbítrio” ,disse à VEJA o pastor Raul, diretor do
as a reunião ficou mais animada. centro de formação teológica da igreja luterana.
(C) Pouco depois, quando chegaram outras pesso- Qual a justificativa da vírgula antes da palavra dire-
as, a reunião ficou mais animada. tor?
(D) Pouco depois quando chegaram outras pesso- (A) adjunto adverbial deslocado
as a reunião, ficou mais animada. (B) Isolar vocativo
(E) Pouco depois quando chegaram outras pesso- (C) Or. Subord. adjetiva
as a reunião ficou, mais animada. (D) Isolar aposto
(E) Topônimo
03. Das seguintes redações abaixo, assinale a que não
está pontuada corretamente. 09. “No nível profissional , o caminho é encontrar o
(A) Os meninos, inquietos, esperavam o resultado equilíbrio entre a satisafação pessoal e financeira.”
do pedido. A vírgula da frase citada separa:
(B) Inquietos, os meninos esperavam o resultado do (A) aposto explicativo
pedido. (B) nexo deslocado
(C) Os meninos esperavam, inquietos, o resultado (C) adjunto adverbial deslocado.
do pedido. (D) predicativo deslocado
(D) Os meninos inquietos esperavam o resultado do (E) Vocativo
pedido.
(E) Os meninos, esperavam inquietos, o resultado 10. Assinale a justificativa incorreta para o emprego do
do pedido. sinal de pontuação.
Desde 1993,(1) houve a apreensão de 582 mil m3
04. Assinale a alternativa incorreta quanto às normas de de madeira em tora. O Ibama emitiu multas no valor
uso da vírgula. Emprega-se a vírgula para... de R$ 1,8 bilhão, 241 pessoas envolvidas em ações
(A) intercalar expressões explicativas (isto é, ou seja). ilegais foram presas (63 delas servidores públicos
(B) Separar o verbo do seu objeto direto. e 178 empresários madeireiros, despachantes e
(C) Separar o local e a data na correspondência. contadores). O governo confiscou 26 tratores,(2) 54
(D) Separar orações adjetivas explicativas. caminhões e 459 motosserras. Para manter e
(E) Nenhuma das respostas. aprofundar resultados na luta contra o
desmatamento,(3) o governo luta pela aprovação do
05. Podem acusar-me: estou com a consciência tran- Projeto de Lei de Gestão de Florestas Públicas,(4)
qüila”. Os dois pontos (:) do período poderiam ser que tramita há nove meses no Congresso. O Projeto
substituídos por vírgula, explicitando-se o nexo entre permitirá ao governo implantar Distritos Florestais
as orações pela conjunção: para estímulo de manejo sustentável de produtos e
(A) portanto serviços da floresta. O primeiro deles já tem ende-
(B) e reço certo:(5) a região da BR- 163 (16 milhões de
(C) como hectares - 5 milhões destinados ao manejo e produ-
(D) pois ção de 4,1 a 6,7 milhões de m3 de toras, com
(E) embora geração de 100 mil empregos diretos).
(Rubens Amadori – Ibama)
06. Assinale o período de pontuação correta. (A) 1 - para separar adjunto adverbial anteposto.
(A) Permita-me, portanto cumprimentá-lo, por tão (B) 2 - para separar elementos que compõem uma
enumeração.
Língua Portuguesa

brilhante desempenho.
(B) Permita-me, portanto, cumprimentá-lo, por tão (C) 3 - para separar oração subordinada adverbial
brilhante desempenho. anteposta à principal.
(C) Permita-me portanto, cumprimenta-lo, por tão (D) 4 - para isolar oração subordinada adjetiva
brilhante desempenho. explicativa.
(D) Permita-me portanto cumprimenta-lo por, tão (E) 5 - para indicar uma citação de outra voz.
brilhante desempenho.
(E) Permita-me, portanto, cumprimenta-lo por tão 11. Assinale a opção incorreta em relação ao texto.
brilhante desempenho. 01 Sob modalidades institucionais diferentes
02 — padrão ouro, padrão dólar, taxas flutuantes de
03 câmbio e de juros — a economia é freada preventi-

121
Prof. Juliano Viegas

04 vamente antes que a espiral preços-salários a pre- 13. Em relação ao texto, assinale a opção incorreta:
05 cipite em uma inflação crescente. O caso das eco- 01 As entidades filantrópicas, mesmo sendo imunes
06 nomias latino-americanas, que tiveram grandes 02 ou isentas do pagamento de impostos, têm de estar
07 inflações em época de paz, na segunda metade do 03 inscritas no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica
08 século XX, é a exceção que confirma essa regra. 04 (CNPJ) e não podem ser consideradas inaptas
(Paul Singer) 05 (omissas de declaração do Imposto de Renda por
(A) Os travessões podem ser substituídos por pa- 06 três anos consecutivos). Durante as investigações,
rênteses, sem prejuízo para a correção do perío- 07 tenta-se descobrir e autuar os contribuintes que
do. 08 utilizam o número do CNPJ das entidades filantró
(B) As primeiras vírgulas do texto são justificadas 09 picas para o funcionamento de outra empresa, con
por orações assindéticas. 10 siderada “laranja” ou “fantasma”.
(C) A justificativa das vírgulas em: ,na segunda (A) O trecho entre vírgulas(l.1 a 2) poderia iniciar
metade do século XX, é por se tratar de um o texto mantendo-se a vírgula após “impostos” e com
adjunto adverbial intercalado. as devidas modificações das maiúsculas.
(D) A eliminação da vírgula após “latino-america- (B) A expressão “têm de”(l.2) pode ser substituída
nas” (l.6) mantém a correção gramatical, mas por devem, sem prejuízo para a correção do
altera a informação do período. período.
(E) Em “a espiral” e “a precipite”(l.4 e 5), o “a” não (C) O uso da vírgula depois de investigações(l.6) é
exerce a mesma função sintática, pois não per- justificado por uma oração subordinada
tence à mesma classe gramatical. deslocada.
(D) Os parênteses(l.5 e 6) podem ser eliminados,
12. Leia o seguinte texto para responder às questões desde que se insira a expressão ou seja entre
01 A palavra ética, no cotidiano brasileiro, ganhou um vírgulas após “inaptas”(l.4).
02 status paradoxal: é muito falada, muito cortejada e (E) As expressões “laranja” e “fantasma”(l.10)
03 sinônimo de transformação da realidade, mas, na exemplificam o uso de aspas para inserir voca-
04 prática, parece algemada a um passado prisioneiro bulário informal e figurado em texto formal.
05 e. práticas que ferem a lei e, portanto, a própria ética.
06 Nesse contexto há inúmeros obstáculos a vencer. 14. Assinale a opção em que o texto foi transcrito com
07 Não há dúvida de que os avanços se têm sucedido. erro de pontuação.
08 E o balanço do debate em torno da ética nos (A) A Organização das Nações Unidas - ONU é
09 negócios, na política, no dia-a-dia do cidadão de organismo multilateral constituído pelos aliados logo
10 monstra: a agulha magnética da defesa da ética após o término da Segunda Guerra Mundial. Reflete,
11 tem se movido em ritmo ascendente, num mutirão portanto, a preocupação dos vencedores do conflito
12 dos mais construtivos. armado em não permitir o ressurgimento de regimes
13 Embora o percurso a vencer seja acidentado elon- nazistas que haviam sido esmagados na Europa.
14 go, não há dúvida de que a perplexidade, de nature- (B) Ruíram regimes outrora fortes. A Alemanha Co
15 za passiva, irá ceder lugar, mais rapidamente do que munista virou história, e a poderosa União Soviética
16 se possa imaginar, à força da ação; esta, sim,a deixou de existir. A realidade de hoje é substancial
17 chave para fazer da ética no país um valor perma mente, diferente da geografia política dos anos se
18 nente e de natureza coletiva. tenta.
Considerando o desenvolvimento das idéias do (C) A bipolaridade, que caracterizou a política inter
texto, assinale a opção incorreta a respeito do uso nacional até o final dos anos oitenta, ajudou a manter
dos sinais de pontuação no texto. estável o papel da ONU e das agências a ela ligadas.
(A) O sinal de dois pontos na linha 2 introduz um No entanto, um dia o Muro de Berlim caiu. Em
esclarecimento sobre o que foi anunciado como
seguida, os países do leste redescobriram a liber
“status paradoxal”.
dade.
(B) A substituição da vírgula que separa a oração
(D) A Segunda Guerra Mundial, em termos políticos,
iniciada por “mas” (l.3) de sua oração coordena-
demorou a terminar. Restaram dois protagonistas,
da anterior pelo sinal de ponto e vírgula teria a
ambos superpotências, dotados de arsenais capa
vantagem de separar orações em um período
zes de destruir o planeta várias vezes: União Sovié
que já tem alguns termos intercalados, demarca-
tica e Estados Unidos.
dos por vírgulas.
(E) A ONU, contudo, permanece a mesma. Não
(C) Desconsiderando os ajustes na letra maiúscu-
mudou. Seus integrantes não dão sinais de perce
la, o emprego da conjunção coordenativa iniciada
ber a nova realidade.
por “E o balanço”(l.8) indica que o ponto que a
antecede poderia ser omitido ou substituído por
15. “Bem-aventurado, pensei eu comigo, aquele em
Língua Portuguesa

vírgula sem que isso resultasse em erro grama-


tical ou incoerência textual. que os afagos de uma tarde serena de primavera no
(D) O emprego da vírgula depois de silêncio da solidão produzem o torpor dos mem-
“ascendente”(l.11) introduz uma expressão ad- bros.” No período em apreço, usaram-se vírgulas
verbial; por isso é obrigatório e sua omissão para separar:
resultaria em erro gramatical. (A) uma oração pleonástica
(E) A oração que se segue ao sinal de ponto e vírgula (B) uma oração coordenada assindética
à linha 16 constitui uma afirmação enfática, de (C) um adjunto deslocado
acordo com a argumentação do texto, e por isso (D) elementos paralelos
esse sinal poderia ser substituído pelo travessão (E) uma oração intercalada
simples, para destacar o final do enunciado.

122
Prof. Juliano Viegas

UNIDADE 15
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

INTERPRETAÇÃO TEXTUAL
○○ ○○ ○○ ○○ ○○

Texto
Os concursos apresentam questões interpretativas que têm por finalidade a identificação de um leitor autô-
nomo. Portanto, o candidato deve compreender os níveis estruturais da língua por meio da lógica, além de neces-
sitar de um bom léxico internalizado.
As frases produzem significados diferentes de acordo com o contexto em que estão inseridas. Torna-se,
assim, necessário sempre fazer um confronto entre todas as partes que compõem o texto. Além disso, é fundamen-
tal apreender as informações apresentadas por trás do texto e as inferências a que ele remete. Este procedimento
justifica-se por um texto ser sempre produto de uma postura ideológica do autor diante de uma temática qualquer.

Denotação e Conotação
Sabe-se que não há associação necessária entre significante (expressão gráfica, palavra) e significado, por
esta ligação representar uma convenção. É baseado neste conceito de signo lingüístico (significante + significado)
que se constrõem as noções de denotação e conotação.
O sentido denotativo das palavras é aquele encontrado nos dicionários, o chamado sentido verdadeiro, real.
Já o uso conotativo das palavras é a atribuição de um sentido figurado, fantasioso e que, para sua compreensão,
depende do contexto. Sendo assim, estabelece-se, numa determinada construção frasal, uma nova relação entre
significante e significado.
Os textos literários exploram bastante as construções de base conotativa, numa tentativa de extrapolar o
espaço do texto e provocar reações diferenciadas em seus leitores.
Ainda com base no signo lingüístico, encontra-se o conceito de polissemia (que tem muitas significações).
Algumas palavras, dependendo do contexto, assumem múltiplos significados, como, por exemplo, a palavra
ponto: ponto de ônibus, ponto de vista, ponto final, ponto de cruz ... Neste caso, não se está atribuindo um sentido
fantasioso à palavra ponto, e sim ampliando sua significação através de expressões que lhe completem e esclare-
çam o sentido.

Como Ler e Entender Bem um Texto


Basicamente, deve-se alcançar a dois níveis de leitura: a informativa e de reconhecimento e a interpretativa.
A primeira deve ser feita de maneira cautelosa por ser o primeiro contato com o novo texto. Desta leitura, extraem-se
informações sobre o conteúdo abordado e prepara-se o próximo nível de leitura. Durante a interpretação propria-
mente dita, cabe destacar palavras-chave, passagens importantes, bem como usar uma palavra para resumir a
idéia central de cada parágrafo. Este tipo de procedimento aguça a memória visual, favorecendo o entendimento.
Não se pode desconsiderar que, embora a interpretação seja subjetiva, há limites. A preocupação deve ser
a captação da essência do texto, a fim de responder às interpretações que a banca considerou como pertinentes.
No caso de textos literários, é preciso conhecer a ligação daquele texto com outras formas de cultura, outros
textos e manifestações de arte da época em que o autor viveu. Se não houver esta visão global dos momentos
literários e dos escritores, a interpretação pode ficar comprometida. Aqui não se podem dispensar as dicas que
aparecem na referência bibliográfica da fonte e na identificação do autor.
A última fase da interpretação concentra-se nas perguntas e opções de resposta. Aqui são fundamentais
marcações de palavras como não, exceto, errada, respectivamente etc. que fazem diferença na escolha adequada.
Muitas vezes, em interpretação, trabalha-se com o conceito do “mais adequado”, isto é, o que responde melhor ao
questionamento proposto. Por isso, uma resposta pode estar certa para responder à pergunta, mas não ser a
adotada como gabarito pela banca examinadora por haver uma outra alternativa mais completa.
Ainda cabe ressaltar que algumas questões apresentam um fragmento do texto transcrito para ser a base de
Língua Portuguesa

análise. Nunca deixe de retornar ao texto, mesmo que aparentemente pareça ser perda de tempo. A
descontextualização de palavras ou frases, certas vezes, são também um recurso para instaurar a dúvida no
candidato. Leia a frase anterior e a posterior para ter idéia do sentido global proposto pelo autor, desta maneira a
resposta será mais consciente e segura.

123
Prof. Juliano Viegas

Roteiro de Interpretação
Na hora de interpretar um texto, alguns cuidados são necessários:

a) ler atentamente todo o texto, procurando focalizar sua idéia central;

b) interpretar as palavras desconhecidas através do contexto;

c) reconhecer os argumentos que dão sustentação a idéia central;

d) identificar as objeções à idéia central;

e) sublinhar os exemplos que foram empregados como ilustração da idéia central;

f) antes de responder as questões, ler mais de uma vez todo o texto, fazendo o mesmo com as questões e as
alternativas;

g) a cada questão, voltar ao texto, não responder “de cabeça”;

h) se preferir, faça anotações à margem ou esquematize o texto;

i) se o enunciado pedir a idéia principal, ou tema, estará situada na introdução, na conclusão, ou no título;

j) se o enunciado pedir a argumentação, esta estará localizada, normalmente, no corpo do texto.

Semântica: é a parte da gramática que estuda o significado das palavras. É bom estudar: homônimos e
parônimos, denotação e conotação, polissemia, sinônimos e antônimos. Não esqueça que a mudança de um “i“
para “e” pode mudar o significado da palavra e do contexto.
IMINENTE – EMINENTE

Normalmente, numa prova, o candidato é convidado a:

1. IDENTIFICAR – é reconhecer os elementos fundamentais de uma argumentação, de um processo, de


uma época (neste caso, procuram-se os verbos e os advérbios, os quais definem o tempo).

2. COMPARAR – é descobrir as relações de semelhança ou de diferenças entre as situações do texto.

3. COMENTAR - é relacionar o conteúdo apresentado com uma realidade, opinando a respeito.

4. RESUMIR – é concentrar as idéias centrais e/ou secundárias em um só parágrafo.

5. PARAFRASEAR – é reescrever o texto com outras palavras.

EXEMPLO

TÍTULO DO TEXTO PARÁFRASES

A INTEGRAÇÃO DO MUNDO
A INTEGRAÇÃO DA
HUMANIDADE
A UNIÃO DO HOMEM
“O HOMEM UNIDO” HOMEM + HOMEM =
MUNDO
A MACACADA SE UNIU
Língua Portuguesa

(SÁTIRA)

Observação: são muitos os erros de coesão no dia-a-dia e, entre eles, está o mau uso do pronome relativo
e do pronome oblíquo átono. Este depende da regência do verbo; aquele do seu antecedente. Não se pode esque-
cer também de que os pronomes relativos têm, cada um, valor semântico, por isso a necessidade de adequação ao
antecedente.
Os pronomes relativos são muito importantes na interpretação de texto, pois seu uso incorreto traz erros
de coesão. Assim sendo, deve-se levar em consideração que existe um pronome relativo adequado a cada
circunstância, a saber:

124
Prof. Juliano Viegas

QUE (NEUTRO) - RELACIONA-SE COM QUALQUER ANTECEDENTE. MAS DEPENDE DAS CONDIÇÕES
DA FRASE.

QUAL (NEUTRO) IDEM AO ANTERIOR.

QUEM (PESSOA)

CUJO (POSSE) - ANTES DELE, APARECE O POSSUIDOR E DEPOIS, O OBJETO POSSUÍDO.

COMO (MODO)

ONDE (LUGAR)

QUANDO (TEMPO)

QUANTO (MONTANTE)

EXEMPLO:
Falou tudo QUANTO queria (correto)
Falou tudo QUE queria (errado - antes do QUE, deveria aparecer o demonstrativo O).

Os dez mandamentos para análise de textos


1 - Ler duas vezes o texto. A primeira para tomar contato com o assunto; a segunda para observar como o texto
está articulado; desenvolvido.

2 - Observar que um parágrafo em relação ao outro pode indicar uma continuação ou uma conclusão ou,
ainda, uma falsa oposição.

3 - Sublinhar, em cada parágrafo, a idéia mais importante (tópico frasal).

4 - Ler com muito cuidado os enunciados das questões para entender direito a intenção do que foi pedido.

5 - Sublinhar palavras como: erro, incorreto, correto, etc., para não se confundir no momento de responder à
questão.

6 - Escrever, ao lado de cada parágrafo, ou de cada estrofe, a idéia mais importante contida neles.

7 - Não levar em consideração o que o autor quis dizer, mas sim o que ele disse; escreveu.

8 - Se o enunciado mencionar tema ou idéia principal, deve-se examinar com atenção a introdução e/ou a
conclusão.

9 - Se o enunciado mencionar argumentação, deve preocupar-se com o desenvolvimento.

10 - Tomar cuidado com os vocábulos relatores (os que remetem a outros vocábulos do texto: pronomes
relativos, pronomes pessoais, pronomes demonstrativos, etc.)
Língua Portuguesa

125
Prof. Juliano Viegas

Gabarito

Exercício I: 1E/ 2B/ 3A/ 4C/ 5E/ 6C/ 7C/ 8C/ 9D/ 10C/ 11C / 12E/ 13C/ 14A/ 15A/ 16D/ 17D/ 18A/ 19B/ 20C/ 21A/
22E/ 23A/ 24D/ 25E/ 26A/ 27B/ 28D/ 29C/ 30C/ 31D/ 32 A/ 33D / 34B/ 35C /

Exercício II: 1C/2 A/3C/4D/5D/6C/7D/8B/9D/10E/11B/ 12E/13E/14 A/15E/16B/17D/18 A/19B/20C/21B/22B/


23C / 24C/25B/26D/27E/28A/29D/30E/

Exercício III: 1A/ 2D/ 3B/ 4E/ 5D/ 6D/ 7C/ 8D/ 9D/ 10C / 11E/ 12A/ 13B/ 14D/ 15D/ 16C/ 17D/ 18B/ 19A/ 20C/ 21A/
22E/ 23B/ 24B/ 25C/ 26C/ 27C/ 28E/ 29D/ 30D/ 31D/ 32E/ 33B/ 34A/ 35A/ 36D/ 37D/ 38E/ 39C/ 40A/ 41C/ 42D/ 43C/
44E/ 45E/ 46D/ 47E/ 48D/ 49D/ 50E/ 51B/ 52D / 53B/ 54A/ 55D/ 56E / 57A/ 58C/ 59A/

Exercício IV: 1A/2D/ 3A/ 4C/ 5C/ 6C/ 7C/ 8B/ 9D/ 10B/ 11A/ 12D/ 13C/ 14B/

Exercício V: 1B/ 2B/ 3D/ 4E/ 5B/ 6B/ 7D/ 8E/ 9A/ 10D/ 11A/ 12C/ 13B/ 14C/ 15C/ 16B/ 17A/ 18A/ 19E/

Exercício VI: 1A/ 2D/ 3C/ 4D/ 5E/ 6E/ 7A/ 8A/ 9B/ 10E/ 11C/ 12C/ 13D/ 14B/ 15B/ 16A/ 17E/ 18A/ 19A/ 20D/
21E/ 22A/ 23A/ 24E/ 25A/ 26C/ 27B/ 28D/ 29A/ 30C/ 31A/ 32A/ 33C/ 34E/ 35C/ 36D/ 37A/ 38C/ 39E/ 40E/ 41B/ 42B/
43D/ 44C/

Exercício VII: 1C/2D/3D/4A/5D/ 6C/

Exercício VIII: 1C/ 2E/ 3D/ 4A/ 5B/ 6A/ 7B/ 8E/ 9A/ 10C/ 11B/ 12C/ 13B/ 14A/ 15C/ 16B/ 17D/ 18B/ 19B/ 20E/
21C/ 22B/ 23B/ 24A/ 25A/ 26B/ 27C/ 28A/ 29D/ 30D/ 31C/

Exercício IX: 1A/ 2E/ 3C/ 4C/ 5A/ 6A/ 7B/ 8D/ 9E/ 10C/ 11C/ 12A / 13E/ 14A/ 15B/ 16D/ 17B/ 18E/ 19A/ 20C/ 21A/
22D/ 23D/ 24D/ 25B/ 26B/ 27D/ 28B/ 29B/ 30E/ 31D/ 32B/ 33B/ 34A/ 35A/ 36D/ 37B/ 38E/ 39E/ 40E/ 41B/ 42E/ 43D/
44C/ 45C/ 46C/ 47D/ 48C/ 49E/ 50C/ 51D/

Exercício X:
1A/2D/3E/4B/5B/6D/7B/8C/9C/10B/11C/12A/13B/14D/15B/ 16A/ 17D/

Exercício XI:
1D/ 2E/ 3B/ 4D/ 5B/ 6C/ 7D/ 8E/

PROVA MORFOLOGIA:
1A/ 2A/ 3D/ 4A/ 5E/ 6B/ 7E/ 8E/ 9D/ 10B/ 11D/ 12A/ 13B/ 14C/ 15D/ 16D/ 17C/ 18C/ 19C/ 20E/ 21E/ 22C/ 23A/
24E/ 25C/ 26D/ 27B/ 28D/ 29D/ 30E/ 31C / 32E/ 33D/ 34E/ 35C/

Exercício XII:
1C/ 2E/ 3D/ 4A/ 5D/ 6C/ 7A/ 8D/ 9C/ 10C/ 11D/ 12C/ 13D/ 14C/ 15A/ 16E/ 17B/ 18E/ 19D/ 20D/ 21E/ 22A/ 23C/
24C/ 25E/ 26B/ 27E/ 28D/ 29E/

Exercício XIII: 1C/ 2C/ 3D/ 4B/ 5B/ 6D/ 7A/ 8D/ 9B/ 10D/ 11B/ 12E/ 13D/ 14B/ 15B/ 16E/ 17B/ 18D/ 19B/ 20A/
21B/ 22B/ 23D/ 24E/ 25C/ 26B/ 27E/ 28E/ 29B/ 30C/ 31B/

Exercício XIV: 1D/ 2C/ 3A/ 4C/ 5E/ 6C/ 7A/ 8B/ 9B/ 10B/ 11B/ 12D/ 13C/ 14A/ 15E/ 16C/ 17D/ 18C/ 19B/ 20D/
21D/ 22B/ 23E/ 24B/ 25A/ 26B/ 27B/ 28A/ 29A/ 30B/ 31C/ 32E/ 33B/ 34E/ 35C/ 36B/

Exercício XV: 1D/ 2D/ 3C/ 4D/ 5E/ 6E/ 7A/ 8C/ 9E/ 10D/ 11B/ 12E/ 13D/ 14D/ 15E/ 16B/ 17B/ 18E/ 19C/ 20A/
21D/ 22D/ 23D/ 24C/ 25E/ 26A/ 27E/ 28C/ 29B/ 30B/ 31C/ 32E/ 33A/ 34D/ 35C/

Exercício XVI: 1A/ 2B/ 3E/ 4D/ 5E/ 6B/ 7C/ 8E/ 9D/ 10B/ 11D/ 12C/ 13E/ 14D/ 15A/ 16E/ 17E/ 18A/ 19B/ 20A/
Língua Portuguesa

21E/

Exercício XVII: 1D/ 2D/ 3B/ 4C/ 5B/ 6E/ 7B/ 8D/ 9C/

Exercício XVIII: 1E/ 2C/ 3A/ 4D/ 5C/ 6D/ 7A/ 8E/ 9C/ 10D/ 11D/

Exercício XIX: 1A/ 2C/ 3E/ 4B/ 5D/ 6E/ 7C/ 8D/ 9C/ 10E/ 11B/ 12D/ 13C/ 14B/ 15E/

126