Você está na página 1de 36

ÍNDICE

AGRAL...................................................................................................................................................................1

BION 500 WG.........................................................................................................................................................3

CULTAR 250 SC....................................................................................................................................................9

ENERGIC..............................................................................................................................................................15

EXTRAVON..........................................................................................................................................................17

FIXADE.................................................................................................................................................................19

MODDUS..............................................................................................................................................................21

NIMBUS................................................................................................................................................................27

PRIMEPLUS BR...................................................................................................................................................31

i
ii
AGRAL
Dados técnicos
• Nome comum do ingrediente ativo: NONIL FENOXI POLI (ETILENOXI) ETANOL
• Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 01258589
• Classe: espalhante adesivo
• Composição:
♦ nonil fenoxi poli (etilenoxi) etanol: 200 g/l (20% g/l)
♦ Ingrediente inerte: 80 g/l (80% g/l)
• Formulação: solução aquosa concentrada
• Classe toxicológica: IV − Praticamente Não Tóxico

Instruções de uso
Indicações de aplicação
AGRAL é um espalhante adesivo não iônico, que pode ser adicionado a qualquer herbicida, fungicida,
inseticida ou fertilizante foliar.
AGRAL melhora a distribuição dos defensivos propiciando a formação de uma película protetora
uniforme ocorrendo:

♦ Melhor absorção foliar dos herbicidas.


♦ Maior penetração de fungicidas e inseticidas sistêmicos.
♦ Redução dos riscos de queima.

O uso do AGRAL é especialmente necessário quando o defensivo agrícola for aplicado sobre
superfícies com folhas lisas, cerosas ou pilosas.
O produto é neutro e dispensa diluição prévia, misturando−se facilmente a qualquer defensivo
ou água.

Doses recomendadas
De um modo geral, adiciona−se 30 ml de AGRAL em 100 litros de água para as pulverizações
de inseticidas, fungicidas, herbicidas e fertilizante foliar.
Em folhagens cerosas, ou insetos ou fungos difíceis de umectar, utilizar 50 ml de AGRAL para
100 litros de mistura.
AGRAL deve sempre ser adicionado à calda de pulverização do GRAMOXONE e do
REGLONE, utilizando−se 100 ml de AGRAL para cada 100 litros de água. No caso específico
de dessecação da batata, não utilizar o espalhante adesivo. Recomenda−se o uso do AGRAL
na lavagem do equipamento de pulverização, na proporção de 50 ml para cada 100 litros de
água (0,05%), após o uso de qualquer defensivo.

Limitações de uso
Período de carência

Deve ser observado o intervalo de segurança do defensivo agrícola que está sendo utilizado.

Fitotoxicidade

Não ocorre fitotoxicidade se o produto for utilizado de acordo com as recomendações de uso.

Telefone de emergência
SYNGENTA 24 horas: 0800−160210

AGRAL 10/12/2002 15:44:19 1


Proteção da saúde humana
Medidas gerais e primeiros socorros
• Durante a manipulação, preparação da calda ou aplicação, use macacão com mangas compridas,
botas e chapéu.
• Perigoso se ingerido.
• Produto irritante aos olhos.
• Produto irritante à pele.
• Leia e siga com atenção as instruções do rótulo.
• Como o produto será utilizado com outros defensivos agrícolas, o aplicador deve observar todos os
ítens de precauções no manuseio do defensivo agrícola.
• Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos.
• Evite comer, beber ou fumar durante o manuseio ou aplicação do produto.
• Mantenha o produto afastado de alimentos ou de ração animal.
• Não contamine lagos, fontes, rios e demais coleções de água, lavando as embalagens ou aparelhagem
aplicadora, bem como lançando−lhes seus restos.
• Mantenha a embalagem original sempre fechada e em lugar seco e ventilado.
• Inutilize e enterre profundamente as embalagens do produto.
• Mantenha afastados das áreas de aplicação crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas,
por um período de 7 dias após a aplicação do produto.
• Não utilize equipamentos com vazamentos.
• Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc., com a boca.
• Uso exclusivamente agrícola.
• Após a utilização do produto, remova as roupas protetoras e tome banho.
• Não dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente.
• Distribua o produto da própria embalagem, sem contato manual.
• Procure imediatamente assistência médica, em qualquer caso, se suspeita de intoxicação.
• Aplique somente as doses recomendadas.
• Mantenha a embalagem longe do fogo.

Sintomas de alarme
Náuseas e vômitos.

Antídotos e tratamento
Tratamento sintomático.

2 10/12/2002 15:44:19 AGRAL


BION 500 WG
Dados técnicos
• Nome comum do ingrediente ativo: ACIBENZOLAR−S−METHYL
• Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 05801
• Classe: ativador de plantas do grupo químico dos benzothiadiazoles
• Composição:
♦ Éster S−metílico do ácido 1,2,3−benzotiadiazol−7−carbotióico (ACIBENZOLAR−S−METHYL):
500 g/kg (50% m/m)
♦ Ingredientes inertes: 500 g/kg (50% m/m)
• Formulação: granulado dispersível
• Classe toxicológica: III – Medianamente Tóxico

Instruções de uso
Indicações
BION 500 WG é um ativador de plantas e não tem ação direta contra os patógenos. Aplicado
na parte aérea das plantas, ele ativa os seus próprios mecanismos naturais de defesa e
aumenta sua resistência às doenças. Devido ao seu modo de ação particular, o produto deve
ser aplicado antes da entrada dos patógenos, de forma preventiva, devendo ser,
preferencialmente, associado a fungicida(s). O produto é rapidamente absorvido pelos tecidos
foliares e se transloca sistemicamente, tanto para as folhas quanto para as raízes, ativando
assim a planta de forma generalizada. Efetuar as aplicações do BION 500 WG , mantendo o
programa rotineiro de fungicidas. Devido às suas características, BION 500 WG é indicado
para o Manejo Integrado de Doenças.

Doenças Doses Início, Números e Épocas de


Culturas
Nome Comum Nome Científico g/100 l Aplicação
Uso recomendado para aplicações
na produção de mudas. Iniciar as
aplicações com um período de
antecedência de cerca de 30 dias
Cacau (mudas) Vassoura−de−bruxa (R) Crinipellis perniciosa(R) 300 em, relação ao início da época
crítica de infecção da
vassoura−de−bruxa. Reaplicar a
cada 60 dias, totalizando 3
aplicações ao ano.
Uso recomendado para aplicações
na produção de mudas. Iniciar as
aplicações nos períodos de maior
Cllorose variegada (R)
Cítros (mudas) Xylella fastidiosa (R) 80 crescimento vegetativo,
dos citros
repetindo−se em intervalos de 45
dias, totalizando 4 aplicações ao
ano.
Requeima (R) Phytophora infestans (R) O início das aplicações deve ser
Pinta Preta Alternaria solani feito de forma totalmente
preventiva. Em tomate envarado,
Xanthomonas campestris
Mancha Bacteriana iniciar as aplicações quando as
pv. Vesicatoria
plantas ultrapassarem a altura do
Tomate 5 primeiro amarrio. Em tomate
rasteiro, iniciar as aplicações
Mancha bacteriana Pseudomonas syringae quando a cultura atingir cerca de 30
pequena (R) pv. Tomato(R) dias de idade. Reaplicar a cada 5−7
dias, totalizando no máximo 10
aplicações/safra.
(R) Restrição estadual para Estado do Paraná

BION 500 WG 10/12/2002 15:44:19 3


Modo de aplicação
A dose recomendada deve ser diluída em água e aplicada na forma de pulverização com
qualquer tipo de equipamento terrestre, através de pulverizadores costais (manual,
pressurizado ou motorizado), ou tratorizados com barra. Os equipamentos devem ser
adaptados com bicos de jato cônico vazio da série “D” ou similar, com pressão variando de 80
a 100 PSI, observando−se uma cobertura total das plantas, ou observando−se o Diâmetro
Mediano Volumétrico (DMV) de 200 a 250 µm, e densidade acima de 200 gotas/cm².
Recomendam−se os seguintes volumes de calda

• Cacau (mudas): 30−50 ml/planta, conforme o desenvolvimento das mudas


• Citros (mudas): 30−50 ml/planta, conforme o desenvolvimento das mudas
• Tomate: de 500 a 1000 l/ha, conforme o desenvolvimento das plantas

Intervalo de Segurança
Intervalo de segurança é o período de tempo que deverá transcorrer entre a última aplicação e
a colheita.

Cultura Dias
Tomate 5
Não especificado por se tratar
Cacau e citros
de aplicação em mudas

Intervalo de Reentrada
A reentrada na lavoura após a aplicação do produto, só deverá ocorrer quando a calda
aplicada estiver seca. Caso seja necessária a reentrada na lavoura antes desse período, é
necessário utilizar aqueles mesmos equipamentos de proteção individual usados durante a
aplicação.

Limitações de uso
Não há casos de incompatibilidade conhecidos

Fitotoxicidade
Quando aplicado segundo as recomendações, o produto pode ser aplicado sem risco particular
de fitotoxicidade.

Proteção da saúde humana


Precauções gerais
• Uso exclusivamente agrícola
• Não distribua, não prepare a calda e não aplique o produto sem o uso de todos os equipamentos
individuais de proteção que estão qualificados nesta bula;
• Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto;
• Ao utilizar o equipamento de aplicação, verifique o seu estado de conservação – não utilize
equipamentos com vazamento ou defeitos;
• Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca;
• Não utilize equipamentos de proteção individual danificados;
• Ao abrir a embalagem faça−o de modo evitar poeiras.
• Não transporte o produto juntamente com rações, alimentos, medicamentos, animais e pessoas.

Precauções no manuseio
• Se houver contato do produto com qualquer parte do corpo, lave−a imediatamente e veja primeiros
socorros.
• Para usar o produto: abrir a embalagem, preparar a calda, aplicá−lo, armazená−lo e descartar a
embalagem − utilize os equipamentos de proteção individual, conforme qualificados nesta bula. .
• Produto moderadamente irritante para os olhos.

4 10/12/2002 15:44:19 BION 500 WG


• Para proteger os olhos, use protetor ocular. Se houver contato com os olhos, lave−os com água,
imediatamente, e veja primeiros socorros.– sendo possível, ligue também para o Centro de Informação
Toxicológica, cujo telefone é fornecido nesta Bula.
• Evite ter contato do produto com o corpo.
• Evite inalar, cheirar ou aspirar o produto.
• Não coma, não beba e nem fume enquanto manusear o produto, lave as mãos e a face antes de
fazê−los.
• Se houver alguma indisposição, pare de trabalhar, siga as medidas de primeiros socorros e procure um
médico. Se possível, ligue para os telefones de emergência da Empresa ou Centro de Informação
Toxicológica, cujos telefones estão mencionados nesta bula.
• Use os equipamentos de proteção individual para a preparação da calda: macacão com mangas
compridas, protetor ocular ou facial, luvas impermeáveis e botas.

• Se o produto for acidentalmente ingerido, veja primeiros socorros.– Se possível, ligue para os telefones
de emergência da Empresa ou Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados
nesta bula.
• Se o produto entrar em contato com a pele, remova as roupas contaminadas, lave as partes atingidas
imediatamente, com bastante água, por várias vezes e veja primeiros socorros. Produto
moderadamente irritante para a pele.
• Se o produto entrar em contato com os olhos, lave−os imediatamente, com bastante água, por várias
vezes e veja primeiros socorros.
• Se o produto for inalado, remova a pessoa para local arejado e se possível, ligue para os telefones de
emergência da Empresa ou Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados
nesta bula.

Precauções durante a aplicação


• Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação.
• Não aplique o produto contra o vento ou na presença de ventos fortes
• Evite inalar ou aspirar a nuvem de pulverização.
• Proteja−se usando os seguintes equipamentos de proteção para a aplicação: macacão de mangas
compridas, luvas impermeáveis, máscara protetora, chapéu ou boné e botas.

Precauções após a aplicação


• Não reutilize a embalagem vazia.
• Mantenha o restante do produto na embalagem original, adequadamente fechado, em local trancado,
longe do alcance de crianças e animais.
• Guardar longe de alimentos, bebidas e ração animal.
• Após o uso, limpe completamente o equipamento de proteção e lave todo o corpo e troque as roupas.
Lave as roupas contaminadas (separadamente das roupas normais) antes de reutilizá−las.
• Evite ao máximo o contato com a área já aplicada até o término do intervalo de reentrada na área.
• Obedeça o intervalo de reentrada. A reentrada na área só deverá ocorrer quando a calda aplicada
estiver seca. Caso necessite entrar na área já aplicada pelo produto, antes desse período, use todos os
equipamentos de proteção.

Efeitos colaterais
Por não ser o produto de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos
colaterais.

Primeiros socorros
• Ingestão: Administrar repetidamente carvão medicinal em grande quantidade de água. Não induza o
vômito, procure imediatamente um médico levando a bula, rótulo ou receita agronômica do produto. Se
possível, ligue para os telefones de emergência da Empresa ou Centro de Informação Toxicológica,
cujos telefones estão mencionados nesta bula. Nunca dê nada pela boca a uma pessoa inconsciente.
• Pele: Remova a roupa contaminada e lave completamente a área do corpo afetada com água e sabão,
inclusive os cabelos e sob as unhas.
• Olhos: Lave os olhos com água limpa por vários minutos e procure imediatamente um médico, levando
a bula, rótulo ou receita agronômica do produto. Se possível, ligue para os telefones de emergência da
Empresa ou Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados nesta bula.
• Inalação: do produto, remova a pessoa da área contaminada para um local bem ventilado e proteja
contra o resfriamento do corpo.
• Em qualquer caso de suspeita de intoxicação: procure imediatamente um médico, mostre a bula, rótulo
ou receita agronômica do produto, se possível, ligue para os telefones de emergência da Empresa ou
Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados nesta bula

BION 500 WG 10/12/2002 15:44:19 5


Antídotos e tratamento
Não há antídoto específico. Tratamento sintomático em função do quadro clínico. Medidas
terapêuticas imediatas para reduzir ou impedir a absorção, neutralizar a ação do produto e
intensificar sua eliminação. Em caso de ingestão administre de carvão ativado e laxantes,
lavagem gástrica (considerar a rápida absorção do composto). Não se conhece interações
medicamentosas ou contra−indicações no tratamento dos intoxicados com este produto.

Ação no ser humano


Estudos realizados em animais de laboratório, com administração de Acibenzolar−S−Methyl
por via oral, mostraram que cerca de 90% do produto ingerido, é rapidamente absorvido pelo
trato gastro−intestinal, prontamente metabolizado e excretado (cerca de 90% pela urina e cerca
de 5% pelas fezes). Não houve bioacúmulo do produto nos órgãos e em tecidos. Os resíduos
em órgãos e tecidos decresceram rapidamente com meia vida menor que 5 horas. O
metabolismo foi similar em machos e fêmeas e independente da dose ou pré−tratamento.

Efeitos agudos
Estudos realizados com animais de laboratório evidenciaram baixo grau de toxicidade aguda
oral, dermal.e inalatória, leve irritação para pele e olhos e ausencia de sensibilização.

• Toxicidade aguda oral (ratos): maior que 5.000 mg/kg. Não houve sintomas de intoxicação.
• Toxicidade aguda dérmica (ratos): maior que 2.000 mg/kg. Não houve sintomas de intoxicação.
• Toxicidade aguda inalatória (ratos): maior que 2,76 mg/l. Os animais apresentaram atividade reduzida e
piloereção.
• Irritação a olhos (coelhos): Irritação moderada reversível em 72 horas
• Irritação a pele (coelhos): Irritação leve, reversível em 7 dias.
• Sensibilidade dérmica (porquinhos da índia): Não sensibilizante

Efeitos crônicos
No animal mais sensível, o cão, Acibenzolar−S−Methyl não provocou efeitos adversos até o
nível de 5 mg/dia do produto por kg de peso corpóreo do animal testado. Na dose mais alta,
200 mg/dia do produto por kg de peso corpóreo do animal testado, foi observada uma leve
depressão no ganho de peso corpóreo em fêmeas, uma anemia hipocrômica moderada com
reticulócitos e aumento da hematopoiesis extramedular e sinais morfológicos de aumento da
ciclagem de células vermelhas do sangue, uma toxicidade ao fígado moderada, uma
diminuição dos parâmetros das células brancas do sangue e mudanças nos eletrólitos

Proteção ao meio ambiente


Precauções gerais
• O produto é perigoso ao meio ambiente (Classe III).
• Evite a contaminação ambiental − Preserve a Natureza.
• Não utilize equipamento com vazamentos.
• Aplique somente as doses recomendadas.
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d´água.
• Descarte corretamente as embalagens e restos do produto

Instruções de armazenamento
• Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros
materiais.
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência, com os dizeres: CUIDADO VENENO.
• Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para
recolhimento de produtos vazados.
• Em caso de armazéns maiores, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843.

6 10/12/2002 15:44:19 BION 500 WG


• Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

Instruções em caso de acidentes


• Isole e sinalize a área contaminada.
• Contate as autoridades locais competentes e a Empresa SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS
LTDA . Plantão Syngenta 24 horas: Tel: 0800−262500 ou 0800−160210
• Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra
eventuais vapores).
• Em caso de derrame, siga as instruções abaixo:
♦ Piso pavimentado: Recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado
e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso,
contate a Empresa ou o distribuidor ou qualquer representante da Empresa na região. O
produto deverá ser desativado conforme orientações de destinação de resíduos e embalagens.
Lave o local com grande quantidade de água.
♦ Solo: Retire as camadas de terra contaminada, até atingir o solo não contaminado e adote os
mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada.
♦ Corpos d´água: Interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e
contacte o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas
dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da
quantidade do produto envolvido.
♦ Em caso de incêndio: Use extintores de água em forma de neblina, CO2ou pó químico,
ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

Destinação de resíduos e embalagens


• Não reutilize as embalagens. As embalagens devem ser perfuradas de maneira a torná−las
inadequadas para outros usos (exceto em caso de existência do recolhimento das mesmas pela
Empresa).
• Observar as legislações Estadual e Municipal específicas.
• Fica proibido enterrar embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.
• Para desativação de restos do produto, contate a Empresa SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS
LTDA . e o Órgão Estadual de Meio Ambiente. A desativação do produto é feita através de incineração
em fornos destinados para este tipo de operação e aprovados pelo órgão estadual responsável,
equipados de câmaras para lavagem de gases efluentes.

BION 500 WG 10/12/2002 15:44:19 7


8 10/12/2002 15:44:19 BION 500 WG
CULTAR 250 SC
Dados técnicos
• Nome comum do ingrediente ativo: PACLOBUTRAZOL
• Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 07900
• Classe: fitorregulador
• Composição:
♦ 2RS, 3RS−1−(4−Clorofenil)−4,4−dimetil−2−(1H−1,2,4−Triazol−1/il)pentano−3−ol: 26,50% (m/v)
(250 g/l)
♦ Ingredientes inertes: 79,50% (m/v) (750 g/l)
• Formulação: suspensão concentrada
• Classe toxicológica: IV − Pouco Tóxico

Instruções de uso
Cultura e doses de aplicação
CULTAR 250 SC contém PACLOBUTRAZOL, um fitorregulador, que atua inibindo a síntese de
giberelinas, produzindo uma diminuição do crescimento vegetativo. O benefício advindo do uso
de CULTAR 250 SC manifesta−se numa folhagem mais equilibrada e na redução de
crescimento vegetativo e podas. Eventualmente, efeitos na qualidade de frutos (cores,
tamanhos, maturação e produção) também podem ser observados. No cultivo da mangueira,
juntamente com boas práticas culturais, pode estimular e adiantar a floração.
A absorção de CULTAR 250 SC aplicado ao solo (mais eficiente) é feita através das raízes,
sendo transportado pelo xilema até os pontos de crescimento vegetativo.

Cultura Dose Época de aplicação


2,0* a 6,0ml (0,5* a 1,5g
Mangueira (Mangifera Aplicar diluído em 1 ou 2 litros de água antes da
de i.a.) de CULTAR 250
indica) Variedades: aplicação, 90 a 120 dias antes da quebra de
SC por metro de diâmetro
Tommy Atkins e Haden dormência.
da copa da árvore.
*As menores doses deverão ser utilizadas nas condições de menor crescimento vegetativo.

Recomendações
Recomenda−se aplicar CULTAR 250 SC em árvores em idade de produção durante a época
de crescimento e desenvolvimento vegetativo, depois da poda e da adubação, aplicando o
produto na base ou ao redor do tronco, tendo o cuidado de se eliminar as ervas daninhas e a
folhagem para assegurar que o produto se deposite diretamente onde há maior concentração
de raízes.
Após 90 a 120 dias da aplicação de CULTAR 250 SC, recomenda−se a prática de quebra de
dormência com pulverização de nitrato de potássio (KNO3) a 4%.

Modo e equipamentos de aplicação


Prepare a quantidade necessária de produto de acordo com o diâmetro da copa e em
quantidade de água que for requerida conforme a área onde será aplicado CULTAR 250 SC,
que pode variar de 1000 a 2000 ml de solução por árvore; se a aplicação for feita na base do
tronco, requer−se menos solução do que quando se faz ao redor do tronco, na projeção da
copa, na zona de maior concentração radicular, onde a quantidade de solução será maior.

Detalhes de aplicação
Aplicar na pós−colheita depois da poda e quando o 2º fluxo de brotação já estiver totalmente
expandido. Após cerca de 90 a 120 dias da aplicação, as plantas começam a apresentar ramos
sem brotação ou vegetação nova, ou folhagem verde−escura, podendo ocorrer floração
espontânea, dependendo da época. Nos anos seguintes, de acordo com a resposta de redução
de crescimento vegetativo, será determinado, a critério do Técnico responsável, a necessidade
de aplicação ou não.

CULTAR 250 SC 10/12/2002 15:44:19 9


Intervalo de segurança
Manga: 278 dias.

Limitações de uso
• Não aplique em condições de estiagem ou estresse por qualquer causa (enfermidade, praga) visto que
o efeito esperado pode ser reduzido nestas condições.
• Não aplique em árvores muito jovens que não estiverem prontas para iniciar produção comercial.
• Recomenda−se que CULTAR 250 SC seja aplicado apenas em plantas sadias e de acordo com a
maturidade das mesmas.
• O produto, quando aplicado nas doses e formas indicadas, não causa efeitos fitotóxicos às culturas
tratadas.
• Não é recomendado o plantio de outras culturas nos espaços entre as plantas tratadas com CULTAR
250 SC .
• A reutilização do solo para novas culturas ou para replante de plantas novas deverá observar um
intervalo de 180 dias após a última aplicação, para evitar os efeitos do produto sobre a nova cultura ou
sobre as novas plantas.
• Não recomendado o plantio de qualquer cultura nas entrelinhas das mangueiras, porque o
desenvolvimento dessas culturas pode ser afetado pelo produto.
• O uso não indicado do produto ou em desacordo com a orientação de técnico habilitado poderá causar
prejuízo à cultura. Fertilizantes e nutrientes deverão ser aplicados de acordo com a produção obtida
das plantas tratadas e de acordo com a boa prática agrícola.

Intervalo de reentrada
Recomenda−se aguardar o completo secamento da calda sobre a cultura tratada. Aguardar
pelo menos 24 horas. Evitar que pessoas alheias ao trato com a cultura e animais circulem
pela área tratada.

Proteção da saúde humana


Precauções gerais
• Não distribua, não prepare a calda e não aplique o agrotóxico sem proteger as mãos, pés, olhos, boca,
nariz, orelhas e o restante do corpo, use todos os equipamentos de proteção que estão qualificados
nesta bula.
• Uso exclusivamente agrícola deste agrotóxico.
• Não transporte o agrotóxico juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
• Não inale, não cheire, não aspire e não ingira o agrotóxico.
• Utilizar este produto somente de acordo com as instruções do rótulo e bula.
• Não permitir a exposição de crianças, mulheres grávidas ou em lactação ao produto.
• Informar a todos os envolvidos, no manuseio e aplicação do produto, as medidas de segurança e os
riscos do uso inadequado do produto.

Precauções no manuseio
• Não comer, beber ou fumar durante o manuseio do produto.
• Não manipular o produto com as mãos desprotegidas.
• Usar macacão impermeável com mangas compridas, chapéu impermeável de abas largas, protetor
ocular, máscara com filtro cobrindo boca e nariz, luvas, botas e avental impermeável.
• Não permita que crianças ou qualquer pessoa não autorizada permaneça na área em que estiver
sendo aplicado o produto, ou em áreas tratadas logo após a aplicação.

Precauções durante a aplicação


• Não utilizar equipamentos com vazamento.
• Não desentupir bicos, orifícios e válvulas com a boca.
• Não aplicar o produto contra o vento.
• Usar macacão impermeável com mangas compridas, chapéu impermeável de abas largas, protetor
ocular, máscara com filtro cobrindo boca e nariz, luvas, botas e avental impermeável.

10 10/12/2002 15:44:19 CULTAR 250 SC


Precauções após a aplicação
• Não reutilize a embalagem vazia para qualquer finalidade.
• Manter o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de
crianças e animais.
• Trocar imediatamente as roupas utilizadas na aplicação do agrotóxico, tomar banho e lavar bem as
roupas de todos os expostos, separadamente das outras roupas da família.
• Dar a necessária manutenção nos equipamentos de segurança. Atentar para o período de vida útil dos
filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante e lavar os equipamentos de proteção
individual após cada uso.
• Usar macacão impermeável com mangas compridas, chapéu impermeável de abas largas, protetor
ocular, máscara com filtro cobrindo boca e nariz, luvas, botas e avental impermeável no descarte de
embalagens.
• O restante do produto deve ser armazenado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais
e se possível em sua embalagem original.
• Evite ao máximo o contato com a área onde foi feita a aplicação, até o término do intervalo de
reentrada. Caso tenha necessidade de fazê−lo, faça de forma protegida, usando todos os
equipamentos de segurança.
• Obedeça ao intervalo de reentrada na área já aplicada, que é de 24 horas.

Primeiros socorros
• Ingestão: Não provocar vômito. Lavar a boca e os lábios com água. Ingerir 1 a 2 copos (120 a 240 ml)
de água, crianças e adultos respectivamente, e procurar imediatamente um Serviço de Saúde, levando
a embalagem, rótulo ou bula do produto. Não dê nada por via oral para pessoas inconscientes.
• Olhos: Lave imediatamente com água em abundância por 15 minutos. Procurar um Serviço de Saúde.
• Pele: Remover a roupa contaminada e lavar vigorosamente a área exposta com água e sabão.
Procurar imediatamente um Serviço de Saúde.
• Inalação: Remover o exposto para local arejado. Procurar imediatamente um Serviço de Saúde. Levar
sempre a embalagem, rótulo ou bula do produto.

Tratamento médico
O tratamento deve ser sintomático, em função do quadro clínico. Medidas terapêuticas
imediatas para reduzir ou impedir a absorção, neutralizar a ação do produto e intensificar sua
eliminação. O vômito Pode surgir espontaneamente após a ingestão. Observe o paciente e
trate sintomaticamente. Se for ingerido, fazer lavagem gástrica, tendo−se o cuidado para não
permitir aspiração pulmonar do conteúdo gástrico. A aspiração pode provocar pneumonite
química. Tratamento sintomático e de sustentação. Considere administração de carvão ativado
e laxante.

Antídoto
Não há antídoto específico. Antídoto de amplo espectro: carvão ativado.

Mecanismos de ação no ser humano


Foram realizados estudos com ratos (Alderley Park), com uma dose única de 5 e 250 mg de
14C−triazol de PACLOBUTRAZOL / Kg, onde após 3 dias foram coletados urina e fezes.
Ação: A principal ação do produto está relacionada com sua propriedade irritativa de pele e
mucosas.
Absorção: A principal rota é pela via oral. Metabolismo e Excreção: Todo o material foi
rapidamente oxidado em paclobutrazol diol, o qual foi excretado ou sofreu oxidação para ácido
carboxílico. A biotransformação foi limitada até moiety t−butil, sem que fosse detectado tanto o
anel de triazol como o anel fenil clorado. Nos dois sexos, uma pequena quantidade das doses
foi excretada rapidamente pela urina, principalmente como paclobutrazol ácido ou como
conjugado de diol. A maior parte da dose foi eliminada pela bile. Os metabólitos presentes na
bile foram desconjugados pelos microorganismos intestinais e a maior parte da radioatividade
dos metabólitos presentes na bile foram excretados via fezes. O residual destes metabólitos
radiomarcados foram reabsorvidos e metabolizados novamente e excretados via urina, como
paclobutrazol ácido e conjugados com diol e diol simples. Machos oxidaram o produto em ácido
carboxílico mais rapidamente do que as fêmeas.

CULTAR 250 SC 10/12/2002 15:44:19 11


Efeitos agudos e crônicos
CULTAR 250 SC apresenta toxicidade oral aguda em fêmeas de 2,14 ml/kg (com o intervalo
de confiança de 0,85 a 3,73). A toxicidade dermal aguda, tanto para machos como para
fêmeas, foi maior que 4,0 ml/kg. Em testes com animais de laboratórios, quando aplicado nos
olhos de coelhos, este produto foi considerado irritante leve a não irritante. A instilação de
CULTAR 250 SC causou efeitos como: vermelhidão da conjuntiva, quemose e secreção. Após
24 horas da aplicação, estes sintomas desapareceram e os olhos dos coelhos estavam
normais. O produto não foi irritante quando aplicado a derme de coelhos e não promoveu
resposta sensibilizante na pele de cobaias. Em estudos de mutagenicidade com procariontes e
eucariontes, CULTAR 250 SC não apresentou efeito mutagênico. Quando o produto foi
administrado na dieta de animais de laboratório, não se detectou efeitos no sistema nervoso,
efeitos carcinogênicos ou mutagênicos nas avaliações crônicas. Após 90 dias de administração
via oral, PACLOBUTRAZOL apresentou um nível sem efeito adverso de 250 ppm. Este produto
não causou efeito sobre tamanho de ninhadas e taxa de implantação de fetos, quando
administrado em grupos de ratas. Neste caso, o nível sem fetotoxicidade foi de 10 mg/kg/dia.
Grupos de 15 machos e 30 fêmeas de ratos foram alimentados com uma dieta contendo
PACLOBUTRAZOL e cruzados produzindo uma F1A e recruzados, resultando em uma F1B. A
administração deste produto resultou em um nível sem efeito tóxico observado de 250 ppm e
um nível sem efeitos reprodutivos maior que 1.250 ppm. Não houve incidência de qualquer
efeito adverso de PACLOBUTRAZOL sobre as condições clínicas ou sobrevivência de ratos
que receberam este produto por 2 anos na dieta. No grupo exposto a 1.250 ppm, foi observado
uma diminuição no peso ganho dos animais e aumento no peso do fígado, sem efeitos de
oncogênese. O nível sem efeito tóxico foi de 250 ppm, equivalente a 6,8 e 8,8 mg/kg/dia em
machos e fêmeas, respectivamente.

Efeitos colaterais
Por não ser o agrotóxico de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos
colaterais.

Proteção ao meio ambiente


Riscos ao ambiente
• Este produto é perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE III).
• Evite contaminação ambiental − Preserve a Natureza;
• Não utilize equipamentos com vazamentos;
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes;
• Aplique somente as doses recomendadas;
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d´água.
Evite a contaminação da água;
• Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.
• Este produto é altamente persistente no meio ambiente.

Instruções de armazenamento
• Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros
materiais.
• A construção deve ser alvenaria ou de material não comburente.
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
• Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para
o recolhimento de produtos vazados.
• Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843.
• Observe as disposições constantes da legislação Estadual e Municipal.

Instruções em caso de acidente


• Isole e sinalize a área contaminada.
• Contate as autoridades locais competentes e a empresa SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS
LTDA., pelo telefone de emergência: 0800−160210.

12 10/12/2002 15:44:19 CULTAR 250 SC


• Utilize o equipamento de proteção individual − EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha,
óculos protetores e máscara contra eventuais vapores).
• Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos
ou corpos d’ água. Siga as instruções abaixo:
♦ Piso pavimentado: coloque material absorvente (por exemplo: serragem ou terra) sobre o
conteúdo derramado e recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente
lacrado e identificado devidamente. Remova conforme orientações de destinação adequada de
resíduos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água;
♦ Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado e adote os
mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada;
♦ Corpos d’água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e
contacte o centro de emergência da Empresa, visto que as medidas a serem adotadas
dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da
quantidade do produto envolvido.
♦ Em caso de incêndio: Use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico,
ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

Destino final dos resíduos e embalagens


• As embalagens rígidas devem ser enxaguadas três vezes (tríplice lavagem) e a calda resultante
acrescentada à preparação para pulverização.
• Não reutilize embalagens. As embalagens devem ser perfuradas, de maneira a torná−las inadequadas
para outros usos (Obs.: exceto em caso de existência do recolhimento das mesmas pela Empresa).
• Observe as legislações Estadual e Municipal específicas.
• Fica proibido enterrar embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.

Método de desativação do produto


• Recomenda−se a incineração em fornos destinados para este tipo de operação e aprovados pelo
Órgão Estadual responsável, equipados de câmaras para lavagem de gases efluentes.
• Para desativação do produto, contacte a Empresa Syngenta Proteção de Cultivos Ltda. e o Órgão
Estadual do Meio Ambiente.

CULTAR 250 SC 10/12/2002 15:44:19 13


14 10/12/2002 15:44:19 CULTAR 250 SC
ENERGIC
Dados técnicos
• Nome comum dos ingredientes ativos: NONIL FENOXI POLI (ETILENOXI) ETANOL + SAL SÓDIO
DO ÁCIDO DODECIL BENZENO SULFÔNICO
• Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 00848590
• Classe: espalhante adesivo não iônico/aniônico
• Grupo químico: nonil fenol etoxilado / dodecil benzeno sulfônico
• Composição:
♦ Nonil fenoxi poli (etilenoxi) etanol: 226 g/l (22,6% m/v)
♦ Sal sódico do ácido dodecil benzeno sulfônico: 226 g/l (22,6% m/v)
♦ Ingredientes inertes: 568 g/l (56,8% m/v)
• Formulação: concentrado solúvel
• Classe toxicológica: IV − Pouco Tóxico

Instruções de uso
Instruções gerais
ENERGIC é um espalhante adesivo não iônico/aniônico que deve ser adicionado à calda de
pulverização de herbicidas pós−emergentes, fungicidas, inseticidas e fertilizantes foliares.
ENERGIC propicia melhor distribuição das formulações obtendo:

♦ Melhor absorção foliar dos herbicidas;


♦ Maior penetração dos fungicidas e inseticidas sistêmicos;
♦ Redução de riscos de queima.
ENERGIC é recomendado principalmente para ser utilizado com os herbicidas
pós−emergentes que contenham em suas formulações os princípios ativos Fomesafen,
Fluazifop−Butil e Fluziafop−P−Butil.

Modo de utilização
ENERGIC deve ser adicionado à calda de pulverização. ENERGIC deve ser adicionado na
concentração de 0,2% v/v, ou seja, 200 ml de ENERGIC para cada 100 litros de emulsão
(calda de pulverização).

Equipamentos de proteção individual


Seguir os EPIs recomendados para o herbicida, fungicida ou inseticida usado na calda de
pulverização a ser aplicada.

Intervalo de reentrada
Seguir as indicações recomendadas para o herbicida, fungicida ou inseticida usado na calda de
pulverização a ser aplicada.

Proteção da saúde humana


Precauções gerais
• Não coma, não beba e não fume durante o uso do produto.
• Não utilize equipamentos com vazamento.
• Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.

Precauções no manuseio
• Se houver contato do produto com os olhos, lave−os imediatamente e veja primeiros socorros.
• Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e veja primeiros socorros.

ENERGIC 10/12/2002 15:44:19 15


• Ao contato do produto com a pele, lave−a imediatamente e veja primeiros socorros.
• Durante o manuseio use luvas e óculos.

Precauções durante a aplicação


• Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação.

Precauções após a aplicação


• Não reutilize a embalagem vazia.
• Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de
crianças e animais.
• Tome banho, troque e lave as suas roupas em separado.

Primeiros socorros
• Ingestão: Provoque vômito e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário
agronômico do produto.
• Olhos: Lave com água em abundância e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou
receituário agronômico do produto.
• Pele: Lave com água e sabão em abundância e, se houver irritação, procure o médico, levando a
embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
• Inalação: Procure local arejado.

Ação no ser humano


Trata−se de produto de baixa toxicidade e pequena probabilidade de acidentes. Não foram
realizados testes específicos nesse setor.

Efeitos agudos e crônicos


Não foram realizados estudos específicos.

Efeitos colaterais
Não há informação sobre efeitos colaterais possíveis.

Antídoto
Não há antídoto específico. Tratamento sintomático.

Proteção ao meio ambiente


Riscos ao ambiente
• Este produto é pouco perigoso ao meio ambiente, desde que utilizado corretamente.
• Evite a contaminação ambiental – Preserve a Natureza.
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
• Não utilize equipamento com vazamento.
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d’água.
• Aplique somente as doses recomendadas
• Plantão Syngenta 24 horas: 0800160210.

Destino final de embalagens e das sobras do produto


• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d’água.
• As embalagens devem ser enxagüadas 3 vezes e a calda resultante acrescentada à calda de
pulverização.
• As embalagens poderão ser utilizadas para acondicionar produtos que não se destinem à alimentação
humana ou animal, desde que respeitadas as recomendações das autoridades locais/regionais.

16 10/12/2002 15:44:19 ENERGIC


EXTRAVON
Dados técnicos
• Nome comum do ingrediente ativo: ALQUIL−FENOL−POLIGLICOLÉTER
• Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 011187−89
• Classe: espalhante adesivo
• Grupo Químico: alquilfenoletoxilados
• Composição:
♦ Alquil−Fenol−Poliglicoléter 250 g/l (25% m/v)
• Formulação: solução aquosa concentrada
• Classe toxicológica: IV − Praticamente Não Tóxico

Instruções de uso
Indicações
EXTRAVON é um espalhante adesivo agrícola para ser adicionado às caldas de pulverização
de fungicidas, inseticidas e herbicidas, para melhorar a distribuição e aderência desses
defensivos na superfície das plantas. O uso de EXTRAVON na calda de pulverização
proporciona uma diminuição da tensão superficial das gotas de pulverização e, portanto, uma
cobertura mais uniforme da superfície tratada promovendo um contato mais direto do produto
com a planta, melhorando a eficácia, principalmente, dos produtos com ação de contato.

Modo de utilização
Pode ser aplicado tanto a baixo como a alto volume com qualquer tipo de equipamento. O
equipamento de pulverização a ser utilizado deve ser o indicado para cada defensivo
obedecendo−se as recomendações de cada fabricante. A dose indicada de EXTRAVON deve
ser adicionada como último componente à calda de pulverização e com o mecanismo de
agitação do pulverizador em funcionamento para promover a uniformização da calda.

Doses
Nas pulverizações de fungicidas e inseticidas a volume normal, o EXTRAVON é indicado nas
doses de 10 a 30 ml/100 litros de calda. Quando a pulverização for a baixo volume, a dose
deve ser proporcional a quantidade de calda. A dose de EXTRAVON a ser utilizada vai
depender da molhabilidade de cada cultura. Culturas facilmente molháveis como: batatinha,
fumo, alface, beringela, tomate, etc., requerem dose de 10 ml/100 litros de calda. Plantas
como: algodão amendoim, soja, milho, menta, macieira, pessegueiro, etc., requerem uma dose
média de 20 ml/100 litros de calda. Plantas dificilmente molháveis, tais como: banana, café,
cana−de−açucar, citros, cacau, cebola, alho, repolho, pimentão, etc., requerem dose de 30
ml/100 litros de calda. Nas aplicações de herbicidas em pós−emergência para controle de
plantas daninhas já estabelecidas, recomenda−se dose de 100 ml/100 litros de calda,
tomando−se como base um volume de aplicação de 500 l/ha.

Detalhes de aplicação
EXTRAVON pode ser utilizado nas diversas reaplicações de defensivos que se fizerem
necessárias, sem limitação quanto ao número ou época de aplicação.

Outras restrições
EXTRAVON não deve ser adicionado à calda de produtos defensivos, cujo rótulo contra−indica
a adição de espalhante adesivo.

Incompatibilidade
Não deve ser adicionado a produtos que contra−indiquem a adição de espalhante adesivo.

EXTRAVON 10/12/2002 15:44:19 17


Fitotoxicidade
Não há.

Proteção da saúde humana


Precauções gerais
• Leia e siga as instruções do rótulo.
• Durante a manipulação, preparação da calda ou aplicação, use macacão com mangas compridas,
botas e chapéu.
• Mantenha a embalagem originial sempre fechada e em lugar seco e ventilado.
• Aplique somente as doses recomendadas.
• Inutilize e enterre profundamente as embalagens vazias do produto.
• Uso exclusivamente agrícola.
• Distribua o produto da própria embalagem, sem contato manual.
• Evite comer, beber ou fumar durante o manuseio ou aplicação do produto.
• Mantenha o produto afastado de alimentos ou de ração animal.
• Não dê nada po via oral a uma pessoa inconsciente.
• Não contamine lagos, fontes, rios e demais coleções de água, lavando as embalagens ou aparelhagem
aplicadora, bem como lançando−lhes seus restos.
• Procure imediatamente assistência médica em qualquer caso de suspeita de intoxicação.
• Mantenha afastado das áreas de aplicação, crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas por
um período de 7 dias após a aplicação do produto.
• Não distribua o produto com as mãos desprotegidas, use luvas impermeáveis.
• Não desentupa bicos, orifícios, válvulas e tubulações, etc., com a boca.
• Mantenha a embalagem longe do fogo.
• Após a utilização do produto, remova as roupas protetoras e tome banho.
• Não utilize equipamentos com vazamento.
• Não transporte o produto junto com medicamentos, rações, alimentos, animais e pessoas.
• O EXTRAVON é um espalhante adesivo recomendado para adição às caldas de defensivos agrícolas.
As precauções no manuseio destes últimos deverão ser rigorosamente observadas.

Sintomas de alarme
Não específicos.

Antídoto e tratamento
Nenhum antídoto específico. Tratamento sintomático.

18 10/12/2002 15:44:19 EXTRAVON


FIXADE
Dados técnicos
• Nome comum do ingrediente ativo: NONIL FENOL ETOXILADO
• Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 01168388
• Classe: espalhante adesivo
• Composição:
♦ Nonil Fenol Etoxilado: 900 g/l (90% m/v)
• Formulação: solução não aquosa concentrada
• Classe toxicológica: IV − Praticamente Não Tóxico

Instruções de uso
Detalhes de aplicação
FIXADE é um espalhante adesivo não iônico, que deve ser adicionado a calda de pulverização,
com o objetivo de melhorar a absorção foliar do herbicida, fungicida e inseticida. O FIXADE é
recomendado para ser utilizado com herbicidas, inseticidas e fungicidas.

♦ O FIXADE deve ser adicionado à calda de pulverização de herbicida, fungicida e


inseticida.
♦ Use FIXADE na concentração de 0,2% v/v, ou seja 200 ml de FIXADE para cada 100
litros de calda de herbicidas e 0,1% v/v, ou seja, 100 ml de FIXADE para cada 100
litros de calda de inseticidas e fungicidas.
♦ Variável de acordo com as recomendações de uso do produto ao qual se adiciona
FIXADE .

Limitações de uso
O período de carência para as culturas a ser observado, deverá ser aquele estabelecido para
os produtos ao qual FIXADE é adicionado.

Fitoxidade
Não apresenta, se utilizado de acordo com as recomendações de uso aprovadas.

Incompatibilidade
Não há casos de incompatibilidade conhecidos.

Proteção da saúde humana


Precauções gerais
• Durante a manipulação, preparação da calda ou aplicação, use macacão com mangas compridas,
botas e chapéu.
• Perigoso se ingerido.
• Produto irritante aos olhos.
• Produto irritante a pele.
• Leia e siga com atenção as instruções do rótulo.
• Observação: O aplicador deve observar todos os itens de Precauções no Manuseio dos produtos para
os quais FIXADE é adicionado.
• Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos.
• Evite comer, beber ou fumar durante o manuseio ou aplicação do produto.
• Mantenha o produto afastado de alimentos ou de ração animal.
• Não contaminar lagos, rios e demais coleções de água, lavando as embalagens ou aparelhagens
aplicadora bem como lançando−lhes seus restos.
• Mantenha a embalagem original sempre fechada e em lugar seco e ventilado.
• Inutilize e enterre profundamente as embalagens do produto.

FIXADE 10/12/2002 15:44:19 19


• Mantenha afastados das áreas de aplicação crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas.
• Não utilize equipamentos com vazamentos.
• Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações , etc, com a boca.
• Uso exclusivamente agrícola.
• Após a utilização do produto remova as roupas protetoras e tome banho.
• Não dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente.
• Procure imediatamente assistência médica em qualquer caso de suspeita de intoxicação.
• Aplique somente as doses recomendadas.

Sintomas de alarme
Náuseas e vômitos.

Tratamento
Tratamento Sintomático.

20 10/12/2002 15:44:19 FIXADE


MODDUS
Dados técnicos
• Nome comum do ingrediente ativo: ETIL−TRINEXAPAC
• Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 00296
• Classe: regulador de crescimento
• Composição:
♦ 25% m/v (250 g/l) de ETIL−TRINEXAPAC; 4 ciclopropil (hidróxi) metileno 3,5
dioxociclohexanocarboxilato de etila.
♦ Ingredientes inertes e adjuvantes: 75% m/v.
• Formulação: concentrado emulsionável
• Embalagem: 1 litro
• Classe Toxicológica: III − Medianamente Tóxico

Instruções de uso
Indicações gerais
MODDUS é um regulador de crescimento, seletivo, recomendado para aplicação na cultura da
cana de açúcar, visando a aceleração dos processos de maturação da planta e acúmulo de
sacarose no colmo.
Sua aplicação é indicada tanto na cana planta como na cana−soca.

Modo de ação
O produto MODDUS, uma vez aplicado, é absorvido pela planta, e passa a atuar seletivamente
através da redução do nível de giberelina ativa, induzindo a planta a uma inibição temporária
ou redução do ritmo de crescimento, sem afetar porém, o processo de fotossíntese e a
integridade da gema apical. O retorno ao ritmo normal de crescimento das plantas depende da
dose aplicada e condições ambientais reinantes. Os resultados experimentais obtidos indicam
que o MODDUS proporciona acúmulo de sacarose no colmo da cana a partir de 30 dias após a
aplicação, e mantém o incremento acumulado além de 90 dias. Os maiores incrementos de
açúcar, no entanto, são observados entre 45 a 75 dias após a aplicação do produto
(dependendo da dose aplicada), período este indicado para colheita que representa maior
retorno econômico.

Áreas de utilização/objetivo do tratamento


MODDUS é indicado para a maximização do manejo varietal, aumento do teor de sacarose da
cana−de−açúcar, e inibição de florescimento das variedades floríferas.
Pelas características do produto, sua utilização pode ser estendida durante todo o período de
safra, visando sobretudo a obtenção de mais açúcar por hectare, nas diferentes fases de corte
da cana.

• Início de safra: manejo varietal, inibição do florescimento e antecipação da colheita;


• Meio da safra: exploração do potencial máximo de sacarose das variedades da época;
• Final da safra: manutenção de teor de sacarose, evitando o seu declínio e, principalmente, para a
melhoria da qualidade da matéria prima proveniente de cana do ano.

Doses recomendadas
Produto Dose − Litros/ha Dose − gramas ingrediente ativo/ha
Moddus 1,0 − 1,2 250 − 300

O manejo da cultura com MODDUS, visando o maior benefício econômico com o


escalonamento da colheita, poderá ser realizado operando−se com doses ou épocas
diferenciadas de aplicação, conforme recomendações abaixo.

• Doses diferenciadas numa mesma época de aplicação:


Esta alternativa caracteriza−se pela aplicação de doses diferenciadas do produto na mesma época,

MODDUS 10/12/2002 15:44:19 21


devendo a área a ser tratada programada com cada dose, em função da necessidade de suprimento de
matéria prima para a indústria e prevendo−se o início do corte a partir de 40 a 50 dias após o
tratamento para a dose maior (1,2 l/ha), e 45 a 60 dias para a dose menor (1,0 l/ha).
• Época diferenciada de aplicação e dose única:
Esta alternativa caracteriza−se pelo escalonamento das épocas de aplicação com a utilização da dose
única do produto (1,0 l/ha), devendo−se programar a área a ser aplicada (cada época), em função da
necessidade de suprimento de matéria prima para a indústria, prevendo−se o início do corte a partir de
50 a 60 dias após cada tratamento.

Detalhes de aplicação
MODDUS deve ser aplicado na forma de pulverização com auxílio de aeronaves agrícolas
(aviões agrícolas ou helicópteros), dadas as características vegetativas da planta da
cana−de−açúcar, época de aplicação e as extensivas áreas a serem tratadas. MODDUS pode
ser utilizado durante todo o período de safra, devendo ser aplicado 40 a 60 dias antes do corte
da cana, segundo a dose utilizada e, estando a cultura na fase final de desenvolvimento
vegetativo. Na região Centro−Sul, a época de aplicação coincide entre meados de fevereiro a
meados de outubro, dependendo dos objetivos do tratamento. As aplicações realizadas entre
meados de fevereiro a abril visam melhorar a qualidade da cana do início da safra e anterior a
colheita. A partir de maio até meados de outubro, o tratamento tem por objetivo explorar o
potencial máximo de sacarose dos cultivares intermediários e tardios, evitar o declínio do teor
de sacarose no final de safra devido a fatores climáticos, e também para melhorar a qualidade
da matéria prima proveniente de cana de ano. Desde que aplicado nas condições adequadas e
com a observância dos parâmetros recomendados para sua utilização, uma aplicação do
MODDUS atende plenamente aos propósitos dos tratamentos.

Fatores relacionados com a aplicação


Estágio de desenvolvimento da Cana−de−açúcar

A aplicação deve ocorrer com a cultura da cana−de−açúcar na fase final de desenvolvimento


vegetativo, porém, sem que tenha alcançado um estádio avançado de maturação fisiológica, o
que na maioria de nossas cultivares coincide entre os dez a dose meses de idade.
A aplicação realizada antes dos doze meses de idade, poderá apresentar redução significativa
no porte das plantas com possíveis efeitos na produtividade, enquanto que a aplicação
efetuada muito além de doze meses terá menor probabilidade de resposta, devido ao processo
natural de maturação da planta.

Preparo de calda

A calda pode ser preparada basicamente através de duas maneiras:

• Preparo diretamente no tanque da aeronave: neste caso adicionar a água previamente no tanque e
depois o produto, nos volumes requeridos.
• Preparação de pré mistura: utilizando um recipiente auxiliar (tanque ou tambor), preparar a pré mistura
do produto. Em seguida com auxílio da motobomba transferir a mesma para o tanque da aeronave
parcialmente cheio para, posteriormente, completar o volume desejado com água.

Obs.: Em ambos os sistemas mencionados acima a relação produto/água nunca deverá ser
inferior a 1:5, ou seja, uma parte de produto em cinco partes de água ou mais.Sempre colocar
primeiro a água, para depois adicionar a dose de Moddus (Nunca: Moddus e depois aguá).

Condições climáticas

As respostas às aplicações do MODDUS são, aparentemente menos significativas quando as


plantas se encontram no estado de “stress” hídrico.

Intervalo de segurança
Não determinado devido à modalidade de emprego.

Limitações de uso
• MODDUS não deve ser aplicado com a cultura no estado de “stress” por deficiência hídrica.
• MODDUS não deve ser aplicado em plantas jovens, normalmente com menos de 10 meses de idade
ou com estrutura produtiva não formada.

22 10/12/2002 15:44:19 MODDUS


• Recomenda−se evitar a manutenção prolongada da planta da cana−de−açúcar tratada com MODDUS
no campo, após atingir o pico de maturação.
• Não é recomendado deixar calda pronta do produto de um dia para o outro.

Fitotoxidade
• Dentro das doses recomendadas e nas condições indicadas para aplicação, MODDUS se mostra
bastante seguro para a cultura da cana−de−açúcar.
• Como conseqüência da aplicação do produto, a planta apresentará redução dos internódios,
engrossamento do palmito, e eventuais emissões de brotações laterais, especialmente em lavouras
acamadas, onde as gemas foram expostas à luz.
• Uma eventual redução de porte da planta poderá ser observada, se a aplicação for realizada em
plantas muito jovens, ou se o corte da cana for realizado após um período muito longo ao
recomendado.
• Os sintomas do produto na planta acima descritos são temporários, após o que a mesma retomará o
processo de desenvolvimento normal.

Intervalo de reentrada
Deve−se aguardar até que a calda aplicada esteja totalmente seca.

Intervalo de segurança
Não determinado devido à modalidade de emprego.

Equipamentos e parâmetros de aplicação


MODDUS deve ser aplicado com aeronaves agrícolas adaptadas com barra e equipadas com
bicos hidráulicos ou rotativos tipo micronair.

Parâmetros para o avião Ipanema

Parâmetros Especificações
Equipamento barra e bicos hidráulicos rotativo
Tipos de Bicos cônico vazio micronair
Ângulo dos Bicos/Pás 90º − 135º 40º a 60º
Altura do Vôo sobre Cultura 3 a 4 metros 3 a 4 metros
Faixa de Aplicação 15 metros 15 metros
Diâmetro das Gotas 200 – 400 µm 200 – 400 µm
Volume de Aplicação 30 a 40 l/ha 30 a 40 l/ha
17 cada asa e 3 sob
Distribuição dos Bicos 3 a 4 por asa
fuselagem

IMPORTANTE:
• Nas operações com aeronaves, atender às normas da Portaria No 96 de 16/10/92 da Secretaria de
Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura e do Abastecimento e da Reforma Agrária.
• Para aplicações com outros tipos de aeronaves, consultar a área técnica na NOVARTIS.

Parâmetros climáticos (Portaria 96)


Recomenda−se o acompanhamento das condições ambientais no momento da pulverização,
de modo a obter a máxima segurança e eficiência biológica do produto.

• Temperatura máxima: 30°C


• Velocidade do vento: 3 a 10 km/hora
• Umidade relativa do ar: mínima 55%

Planejamento operacional
Recomenda−se para maior uniformidade de distribuição da pulverização e agilidade na
aplicação aérea do MODDUS, o planejamento e demarcação prévia da área a ser tratada.

MODDUS 10/12/2002 15:44:19 23


Proteção da saúde humana
Precauções gerais
• Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto.
• Não utilize equipamentos com vazamentos.
• Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
• Lave bem as mãos antes de comer, beber ou fumar.
• Ao abrir a embalagem, faça−o de modo a evitar respingos.
• Produto recomendado exclusivamente para aplicação aérea. Não aplique o produto contra o vento.
• Em caso de indisposição, pare a atividade imediatamente, e veja primeiros socorros.

Precauções no manuseio
• Evite o contato com os olhos, pele e roupas. Perigoso se ingerido, inalado ou absorvido pela pelo. Em
caso de acidentes, veja primeiros socorros.
• Durante o preparo da calda os usuários do produto deverão utilizar Equipamento de Proteção Individual
(EPI) adequados: camisa de mangas compridas, calça, avental impermeável, luvas de nitrila, botas de
borracha, viseira, boné ou chapéu.
• A escolha do equipamento de proteção a ser utilizado deverá estar de acordo com o tipo de
formulação, com o estágio da cultura, com o equipamento de aplicação e com o trabalho executado
(preparo da calda, pulverização, etc.).
• Utilizar o EPI recomendado em perfeitas condições e devidamente limpo.
• Os EPI’s devem ser guardados em local apropriado, fora da área de armazenamento de produtos.
• Caso num acidente o produto caia na roupa, troque−a imediatamente, tome banho e coloque roupa lim
pa. Lave em separado do restante das roupas da família.

Precauções durante a aplicação


• Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação.
• Não aplique o produto contra o vento.

Precauções após a aplicação


• Não reutilize a embalagem vazia.
• Mantenha o produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e
animais.
• Tome banho, troque e lave as roupas utilizadas na aplicação. Lave separado do restante das roupas da
família.
• Lave o equipamento de proteção antes de reutilizá−lo.

Primeiros socorros
• Ingestão: Não provoque o vômito. Em caso de ingestão procure imediatamente assistência médica.
Administre grande quantidade de carvão medicinal com água em abundância. Nunca dê nada por via
oral e uma pessoa inconsciente.
• Olhos: Em caso de contato com os olhos, lave−os imediatamente com água limpa em abundância por
no mínimo 10 minutos. Procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico
do produto. Não aplique qualquer produto nos olhos, sem o prévio consentimento de um médico.
• Pele: Lave as partes atingidas imediatamente com água e sabão em abundância. Caso a irritação
persista, procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
Não aplique qualquer substância na área atingida sem o prévio consentimento de um médico.
• Inalação: Em caso de inalação, remova imediatamente o paciente para local arejado, e procure o
médico, levando a embalagem, rótulo ou bula do produto. O antídoto não é específico. Deve−se aplicar
tratamento sintomático.

Ação no ser humano


Não estão disponíveis informações quanto ao mecanismo de ação, absorção e excreção para o
ser humano. Os resultados encontrados em experimentos com animais de laboratório
demonstraram que o ETIL TRINEXAPAC é absorvido e metabolizado por ratos, sendo
eliminado rapidamente e extensivamente através principalmente da urina.

24 10/12/2002 15:44:19 MODDUS


Efeitos agudos
• DL50 Oral (ratos): maior que 4.000 mg/kg
• DL50 Dérmica (ratos): maior que 4.800 mg/kg
• Irritação ocular (coelhos): não irritante
• Irritação cutânea (coelhos): não irritante.

Efeitos crônicos:
• ETIL−TRINEXAPAC: A toxicidade crônica foi estudada em animais de laboratório com o produto
técnico, sendo administrado em várias doses a ratos, cães e camundongos, em diversos experimentos,
e foi possível o estabelecimento de doses de não efeito tóxico observado.

Efeitos colaterais
Não foram relatados efeitos colaterais devido à exposição ao produto.

Sintomas de Alarme
Não há casos conhecidos ou relatados de intoxicação envolvendo seres humanos com a
formulação. Sob condições de laboratório, sintomas não específicos de intoxicação foram
observados em ratos.

Proteção ao meio ambiente


Riscos ao ambiente
• Este produto é MUITO PERIGOSO ao meio ambiente.
• Evite a contaminação ambiental – Preserve a Natureza.
• Não utilize equipamentos com vazamentos
• Aplique somente as doses recomendadas
• Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância mínima de 500
(quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público; e
de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de
animais e culturas suscetíveis a danos.
• Observe as disposições constantes na legislação Estadual e Municipal concernentes as atividades
aeroagrícolas.
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d’água.
• Descarte corretamente as embalagens e restos do produto – siga as instruções constantes da bula.
• Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

Instruções de armazenamento
• Mantenha o produto em sua embalagem original.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros
ma teriais.
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente.
• O local deve ser ventilado, coberto, e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
• Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas
ou para o recolhimento de produtos vazados.
• Em caso de armazéns maiores, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843.
• Observe as disposições constantes da legislação Estadual e Municipal.

Instruções em caso de acidente


• Contate as autoridades locais competentes e a Empresa SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS
LTDA. − Telefone de Emergência: 0800 160210 / 0800262500
• Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra
eventuais vapores).
• Isole e sinalize a área contaminada.
• Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos
ou cursos de águas naturais, siga as instruções abaixo:

MODDUS 10/12/2002 15:44:19 25


• Piso pavimentado: Recolher o material com auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes
devidamente lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico. Lave o local
com grande quantidade de água.
• Solo: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir solo não contaminado, e adotar os mesmos
procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada.
• Corpos d’água: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contatar o Centro de
Emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do
acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade de produto envolvido.
• Em caso de incêndio: Use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a
favor do vento para evitar intoxicação.

Destino final dos resíduos e embalagens


• As embalagens deverão ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação
para ser pulverizada (tríplice lavagem).
• Não reutilize embalagens vazias.
• As embalagens devem ser destruídas e enterradas em fosso para lixo tóxico.
• O local para construção do fosso deve ser distante de casas, de instalações ou de qualquer fonte de
água, fora do trânsito de pessoas ou animais, porém de fácil acesso e onde não se preveja o
aproveitamento agrícola, mesmo a longo prazo.
• O local não deve ser sujeito a inundações ou acúmulos de água.
• O solo deve ser profundo, de permeabilidade média para permitir uma percolação lenta e degradação
biológica do agrotóxico.
• Abrir um fosso de 1 a 2 m de profundidade, comprimento e largura, não devendo exceder a 3 m, de
acordo com as necessidades.
• Distribuir no fundo do fosso uma camada de pedras irregulares e uma camada de brita.
• Ao redor do fosso cavar uma valeta, com escoadouro para impedir a penetração de enxurradas.
• Reservar uma área suficiente para instalação de mais fossos, de acordo com a necessidade.
• Isolar a área com cerca de tela, para impedir a entrada de animais e dificultar a entrada de pessoas.
• Colocar uma placa de advertência (CAVEIRA) com os dizeres CUIDADO LIXO TÓXICO.
• Antes de iniciar o uso do fosso, e após cada 15 cm de material descartado, colocar camadas de cal
virgem ou calcário para ajudar a neutralização.
• Completada a capacidade do fosso, cobrir com uma camada de 50 cm de terra e compactar bem. Uma
camada adicional de 30 cm de terra deve ser colocada sobre o aterro, para que este fique acima do
nível do terreno.
• Observar a legislação Estadual e Municipal específica.
• Fica proibido o enterro de embalagens em área inadequadas, consulte o órgão Estadual de Meio
Ambiente.

Método de desativação do produto


Imediatamente após o esgotamento e no momento do preparo da calda, as embalagens vazias
devem ser enxaguadas por três vezes com ¼ do volume de água limpa, e a calda resultante
transferida para ser aplicada.
ATENÇÃO: Quando não for possível adotar nenhuma das recomendações acima, o material
deverá ser incinerado à temperatura de 800ºC a 1200ºC.

26 10/12/2002 15:44:19 MODDUS


NIMBUS
Dados técnicos
• Nome comum do ingrediente ativo: ÓLEO MINERAL PARAFÍNICO
• Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 04997
• Classe: adjuvante do grupo dos hidrocarbonetos
• Composição:
♦ Óleo mineral parafínico: 42,80% m/v
♦ Ingredientes inertes: 43,55% m/v
• Formulação: concentrado emulsionável
• Classe toxicológica: IV − Pouco Tóxico

Instruções de uso
Indicações gerais
NIMBUS é um adjuvante que deve ser adicionado à calda de pulverização de herbicidas, que
são aplicados em pós−emergência das culturas ou plantas daninhas, e fungicidas nas culturas
de soja, café e trigo.
NIMBUS aumenta a atividade biológica e a eficiência de diferentes compostos devido a:

♦ Distribuição mais adequada das formulações sobre as superfícies foliares, aumentando


a absorção e translocação dos compostos aplicados.
♦ Aumenta a penetração dos compostos através da cutícula foliar, devido à destruição
das camadas de cêra presentes nas folhas.

NIMBUS é recomendado para ser utilizado com herbicidas pós−emergentes e fungicidas nas
culturas de café, soja e trigo cuja aplicação com óleo mineral é recomendada.
NIMBUS deve ser utilizado na concentração de 0,5 l para cada 100 litros de calda de
pulverização, ou na dosagem de 1,0 l/ha.

Modo de aplicação
NIMBUS deve ser adicionado à calda de pulverização de fungicidas nas culturas de soja, trigo
e café e herbicidas pós−emergentes.

Intervalo de segurança e de reentrada


Seguir as indicações recomendadas para o herbicida, ou fungicida usado na calda de
pulverização a ser aplicada. Pessoas sem equipamento de proteção individual (EPI’s) somente
deverão entrar nas áreas tratadas após a completa secagem da calda de pulverização.

Limitações de uso
Não há.

Proteção da saúde humana


Precauções gerais
• Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto.
• Não utilize equipamentos com vazamentos.
• Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
• Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

Precauções no manuseio
• Se houver contato do produto com os olhos, lave−os imediatamente e veja primeiros socorros.
• Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e veja primeiros socorros.

NIMBUS 10/12/2002 15:44:19 27


• Ao contato do produto com a pele, lave−a imediatamente e veja primeiros socorros.
• Use macacão com mangas compridas, luvas e óculos.

Precauções durante a aplicação


• Evite o máximo possível o contato com a aplicação.
• Não aplique o produto contra o vento.
• Use macacão com mangas compridas, luvas e botas.

Precauções após a aplicação


• Não reutilize a embalagem vazia.
• Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de
crianças e animais.
• Tome banho, troque e lave bem suas roupas ao final de cada dia de trabalho.

Primeiros socorros
• Ingestão: Não provoque vômito e procure logo um médico, levando a embalagem, rótulo ou bula do
produto.
• Olhos: Lave−os com água em abundância por 20 minutos e, se houver irritação, procure o médico
levando a embalagem, rótulo ou bula do produto.
• Pele: Lave as partes afetadas com água em abundância por 20 minutos e, se houver irritação procure
o médico levando a embalagem, rótulo ou bula do produto.
• Inalação: Procure local arejado e vá ao médico levando o rótulo ou bula do produto.

Antídoto e tratamento médico


Não há antídoto específico. Tratamento sintomático. Se for necessário a lavagem gástrica ou
intestinal, deve−se impedir a inalação do conteúdo gástrico, principalmente se o paciente
estiver inconsciente.

Ação no ser humano


Em testes com animais o produto é excretado através da urina e das fezes.

Efeitos agudos e crônicos


• DL50 aguda oral para ratos, da formulação: >4.000 mg/kg para ratos fêmeas
• DL50 aguda dérmica para ratos, da formulação: > 4000 mg/kg

Efeitos colaterais
Não há notificação de efeitos colaterais

Proteção ao meio ambiente


Riscos ao ambiente
• Produto é PERIGOSO ao meio ambiente − CLASSE III
• Produto é altamente persistente no meio ambiente
• Produto é altamente tóxico para organismos aquáticos (microcrustáceos e algas)
• Evite a contaminação ambiental − Preserve a Natureza
• Não lave o equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d’água
• Não utilize equipamento com vazamentos
• Aplique somente doses recomendadas
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes
• Aplique este produto de acordo com as recomendações do produto ao qual será adicionado.
• Descarte corretamente as embalagens e restos do produto − siga as instruções da bula.
• Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

28 10/12/2002 15:44:19 NIMBUS


Instruções de armazenamento
• Mantenha o produto em sua embalagem original.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros
materiais.
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente.
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres CUIDADO VENENO
• Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas
ou para recolhimento de produtos vazados.
• Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843.
• Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

Instruções em caso de acidente


• Contacte as autoridades locais competentes e a empresa ZENECA Brasil Ltda.
• Telefone de emergência: 0800160210.
• Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra
eventuais vapores).
• Isole e sinalize a área contaminada.
• Em caso de derrame, siga as instruções abaixo:
♦ Piso pavimentado: Absorver o produto derramado com terra ou serragem.
Recolher o material com auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes devidamente
lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico lave o local com
grande quantidade de água.
♦ Solo: retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os
mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada.
♦ Corpos d’água: interromper imediatamente o consumo humano e animal e contactar o centro
de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das
proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do
produto envolvido.
♦ Em caso de incêndio: Use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico
ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

Destino de resíduos e embalagens


• As embalagens devem ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação
para ser pulverizada (tríplice lavagem).
• Não reutilize embalagens vazias.
• Observe legislação Estadual e Municipal específica.
• Fica proibido o enterro de embalagens em áreas inadequadas.
• Consulte o órgão estadual do meio ambiente.

NIMBUS 10/12/2002 15:44:19 29


30 10/12/2002 15:44:19 NIMBUS
PRIMEPLUS BR
Dados técnicos
• Nome comum do ingrediente ativo: FLUMETRALIN
• Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 000293
• Classe: regulador de crescimento
• Composição:
♦ 12,5% m/v FLUMETRALIN:
N−(2−cloro−6−fluorobenzil)−N−etil−a,a,a−trifluoro−2,6−dinitro−p−toluidina
♦ Ingredientes inertes: 87,5% m/v
• Formulação: concentrado emulsionável
• Classe toxicológica: IV − Pouco Tóxico

Instruções de uso
Indicações
O PRIMEPLUS BR é um antibrotante para tratamento tópico da cultura do fumo que atua
inibindo o crescimento de botões axiais, tanto nos tipos de fumo curado como fumo de galpão
(Virginia, Amarelinho, Burley e Galpão Comum).

Doses
Cultura
l/ha ml/100 l água ml/planta
Fumo 3,0 − 4,0 1250 15 − 20

Forma de aplicação
PRIMEPLUS BR deve ser aplicado através do sistema campânula, que possibilita o tratamento
individual das plantas de fumo. Para assegurar a “performance” do produto, recomenda−se a
utilização de 250 litros de calda/ha ou 15 ml/planta, considerando−se uma densidade de 16.666
plantas/ha. Para o caso de culturas muito vigorosas, a quantidade de 15 ml/planta pode não
ser suficiente. Neste caso, recomenda−se utilizar uma quantidade maior de calda para garantir
que todas as axilas da planta recebam tratamento.
Para o preparo de calda, adicionar 250 ml de PRIMEPLUS BR por 20 litros de água o que
possibilitará o tratamento de aproximadamente 1330 plantas de fumo.

Detalhes de aplicação
PRIMEPLUS BR deve ser aplicado somente uma vez, imediatamente após a capação que
normalmente ocorre no estágio de botões alongados na abertura das primeiras folhas.
PRIMEPLUS BR não inibe o crescimento de botões axiais com mais de 2,5 cm de
comprimento. Portanto botões com essas dimensões devem ser eliminados por ocasião da
capação, ou imediatamente antes do tratamento.

Intervalo de segurança
Uso não alimentar

Intervalo de reentrada
1 dia.

Fitotoxidade
Na cultura e doses recomendadas não apresenta efeito fitotóxico.

Outras restrições
• PRIMEPLUS BR não deve ser misturado com outros agrotóxicos na aplicação.

PRIMEPLUS BR 10/12/2002 15:44:19 31


• PRIMEPLUS BR não inibe o crescimento de brotos com mais de 2,5 cm de comprimento, portanto
estes devem ser eliminados por ocasião da aplicação.
• No caso de aplicação antecipada ao estágio indicado, poderá ocorrer deformação de folhas jovens da
parte superior das plantas, porém esta deformação pode ser temporária.
• PRIMEPLUS BR não deve ser aplicado em plantas murchas.
• Por ser um produto de ação localizada e de contato, não deve ser aplicado em plantas muito inclinadas
que não permitam o fluxo do produto até a última axila.
• PRIMEPLUS BR apresenta melhor atuação quando não há ocorrência de chuvas, no período de 2
horas após a aplicação.
• PRIMEPLUS BR não deve ser aplicado após 24 horas da capação.

Proteção da saúde humana


Precauções Gerais
• Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto.
• Não utilize equipamentos com vazamentos.
• Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
• Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

Precauções no manuseio
• Use protetor ocular. Se houver contato do produto com os olhos, lave−os imediatamente e veja
primeiros socorros.
• Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e veja primeiros socorros.
• Use luvas de borracha. Ao contato do produto com a pele, lave−a imediatamente e veja primeiros
socorros.
• Ao abrir a embalagem, faça−o de modo a evitar respingos.
• Use macacão com mangas compridas, chapéu de abas largas, viseira ocular, luvas, botas e avental
impermeável.

Precauções durante a aplicação


• Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação.
• Não aplique o produto contra o vento.
• Use macacão com mangas compridas, chapéu de abas largas, luvas e botas.

Precauções após a aplicação


• Não reutilize a embalagem vazia.
• Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de
crianças e animais.
• Tome banho, troque e lave suas roupas.

Primeiros socorros
• ingestão: Em caso de ingestão acidental não provoque vômito, beba água e procure imediatamente o
médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
• pele: Evite o contato com a pele. Caso isso aconteça, lave as partes atingidas imediatamente com
água e sabão e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico
do produto.
• olhos: Evite contato com os olhos. Caso isso aconteça, lave com água em abundância e procure o
médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
• inalação: Evite a inalação ou aspiração do produto. Caso isso aconteça, remova imediatamente o
paciente para local arejado e chame o médico.

Ação no ser humano


O produto foi rapidamente excretado em ratos, tanto machos como fêmeas. Cerca de 76% foi
excretado via urina e fezes em 48 horas.

32 10/12/2002 15:44:19 PRIMEPLUS BR


Efeitos agudos
Toxicidade aguda oral (ratos): DL50 >6000 mg/kg
Toxicidade aguda dérmica (ratos): DL50 >6200 mg/kg
Irritação a pele (coelhos): Não se mostrou irritante
Irritação aos olhos (coelhos): Não se mostrou irritante

Efeitos crônicos
Em teste realizado durante 2 anos a dose de Não Efeito Tóxico encontrada foi de 300 ppm
para ratos e 300 ppm para camudongos.

Sintomas de alarme
Os sintomas de intoxicação observados em laboratório, naqueles animas submetidos a altas
doses do produto foram: tremores e redução no consumo de alimento. Não há casos
conhecidos ou relatados de intoxicação envolvendo seres humanos com a formulação.

Efeitos colaterais
Não foram relatados efeitos colaterais devido à exposição ao produto.

Antídoto e tratamento médico


O antídoto não é especificado. Deve−se aplicar tratamento sintomático.

Proteção ao meio ambiente


Precauções gerais
• Produto é MUITO PERIGOSO ao meio ambiente.
• Evite a contaminação ambiental – Preserve a Natureza.
• Produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
• Produto é TÓXICO para organismos aquáticos.
• Não utilize equipamento com vazamento.
• Aplique somente as doses recomendadas.
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d´água.
• Dê a destinação adequada para as embalagens e restos do produto − siga as instruções constantes no
ítem destino final de resíduos e embalagens.
• Em caso de acidente siga corretamente as instruções constantes na bula.

Instruções de armazenamento
• Mantenha o produto em sua embalagem original.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros
materiais.
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente.
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
• Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas
ou para o recolhimento de produtos vazados.
• Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843.
• Observe as disposições constantes da legislação Estadual e Municipal.

Destino final de resíduos e embalagens


• As embalagens deverão ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação
para ser pulverizada (tríplice lavagem).
• Nos locais onde estiver operando o Programa Nacional de Recolhimento e Destinação Adequada de
Embalagens deverão ser observadas suas diretrizes − Consulte seu agrônomo.
• As embalagens, após enxaguadas, devem ser destruídas e enterradas em fosso para lixo tóxico.

PRIMEPLUS BR 10/12/2002 15:44:19 33


• O local para construção do fosso deve ser distante de casas, de instalações ou de qualquer fonte de
água, fora do trânsito de pessoas ou animais, porém de fácil acesso e onde não se preveja o
aproveitamento agrícola, mesmo a longo prazo.
• O local não deve ser sujeito a inundações ou acúmulos de água.
• O solo deve ser profundo e de permeabilidade média para permitir uma percolação lenta e degradação
biológica do agrotóxico.
• Abrir um fosso de 1 a 2 metros de profundidade, comprimento e largura, não devendo exceder a 3
metros, de acordo com as necessidades.
• Ao redor do fosso cavar uma valeta, com escoadouro, para impedir a penetração de enxurradas.
• Reservar uma área suficiente para instalação de mais fossos, de acordo com a necessidade.
• Isolar a área com cerca de tela, para impedir a entrada de animais e dificultar a entrada de pessoas.
• Colocar uma placa de advertência (CAVEIRA) com os dizeres: CUIDADO LIXO TÓXICO.
• Antes de iniciar o uso do fosso e, após, cada 15 cm de material descartado, intercalar com camadas de
cal virgem, calcário ou carvão para promover a neutralização.
• Cobrir com lona ou plástico o fosso, enquanto não estiver completo.
• Completada a capacidade do fosso, cobrir com uma camada de 50 cm de terra e compactar bem. Uma
camada adicional de 30 cm de terra deve ser colocada sobre o aterro, para que este fique acima do
nível do terreno.
• Observar legislação Estadual e Municipal específica.
• Fica proibido o enterrio de embalagens em áreas de
abrangência dp PROGRAMA NACIONAL DE RECOLHIMENTO
E DESTINAÇÃO ADEQUADA DE EMBALAGENS DE AGROTÓXICOS, consulte o Órgão Estadual do
Meio Ambiente.

Instruções em caso de acidente


• Contate as autoridades locais competente e a Empresa SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS
LTDA. Telefone de Emergência 24 horas: 0800−160210 / 0800−262500.
• Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra
eventuais vapores).
• Isole e sinalize a área contaminada.
• Em caso de derrame sobre:
♦ Piso pavimentado: absorva o produto derramado com terra ou areia. Recolha esse material
com auxílio de uma pá e coloque em tambores ou recipientes devidamente lacrados e
identificados. Remova para área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande
quantidade de água;
♦ Solo: retire, com o auxílio de uma pá, as camadas de terra contaminada até que atinja solo
seco e coloque em tambores ou recipientes lacrados e identificados;
♦ Água: interrompa imediatamente o consumo humano e animal e contate o centro de
emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções
do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto
envolvido.
♦ Em caso de incêndio: use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico,
ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

34 10/12/2002 15:44:19 PRIMEPLUS BR

Você também pode gostar