Você está na página 1de 24

ÍNDICE

Cuidados Gerais com o Equipamento----------------------------------------------2


ATENÇÃO : Explicação dos símbolos utilizados------------------------------------------------3
Observações Preliminares-----------------------------------------------------------5
Descrição do STRIAT---------------------------------------------------------------6
Performance essencial---------------------------------------------------------------6
STRIAT - Alimentação Elétrica---------------------------------------------------7
STRIAT - Controles, indicadores e operação------------------------------------8
Corrente contínua ou Galvânica---------------------------------------------------11
Galvanização-------------------------------------------------------------------------11
ESTE MANUAL DE INSTRUÇÕES FAZ MENÇÃO AO EQUI- Eletroforese--------------------------------------------------------------------------12
PAMENTO STRIAT FABRICADO PELA IBRAMED. Iontoforese ou Ionização-----------------------------------------------------------13
Orientações para aplicação da corrente Galvâniva-----------------------------14
Um pouco sobre estrias-------------------------------------------------------------15
Procedimento Técnico--------------------------------------------------------------16
Instruções de uso - Aprendendo a usar o STRIAT-----------------------------18
Instruções de uso - Colocando a agulha no eletrodo caneta-------------------19
Instruções de uso - Cuidados gerais com a agulha-----------------------------22
Descarte da agulha------------------------------------------------------------------23
Lembretes----------------------------------------------------------------------------24
SOLICITAMOS QUE SE LEIA CUI-
DADOSAMENTE ESTE MANUAL DE Referências Bibliográficas---------------------------------------------------------25
INSTRUÇÕES ANTES DE UTILIZAR Precauções e Contra Indicações---------------------------------------------------25
O APARELHO E QUE SE FAÇA RE- Eletrodos – Recomendações-------------------------------------------------------26
FERÊNCIA AO MESMO SEMPRE Proteção ambiental------------------------------------------------------------------27
QUE SURGIREM DIFICULDADES.
Limpeza dos Eletrodos-------------------------------------------------------------27
MANTENHA-O SEMPRE AO SEU ALCANCE.
Manutenção--------------------------------------------------------------------------27
Garantia e Assistência Técnica----------------------------------------------------28
Localização de defeitos-------------------------------------------------------------29
a
Manual de Operação STRIAT - 4 edição (revisada em 12/2007) Termo de Garantia------------------------------------------------------------------30
Este manual de instruções foi elaborado pela Prof. Dra. Elaine C. Guirro
STRIAT – Acessórios e Características Técnicas------------------------------32
Compatibilidade eletromagnética-------------------------------------------------34
Pontos de vendas--------------------------------------------------------------------40
Pesquisa comercial------------------------------------------------------------------42
1 2

ATENÇÃO
Cuidados Gerais com o Equipamento
RISCO DE CHOQUE ELÉTRICO
NÃO ABRIR

O STRIAT é um equipamento que não necessita de pro-


vidências ou cuidados especiais de instalação. Sugerimos
apenas alguns cuidados gerais:

O símbolo de um raio dentro de um triângulo é


um aviso ao usuário sobre a presença de "tensões ♦ Evite locais sujeitos a vibrações.
perigosas", sem isolação na parte interna do apa-
relho que pode ser forte o suficiente a ponto de
constituir um risco de choque elétrico. ♦ Instale o aparelho sobre uma superfície firme e horizontal, em lo-
cal com perfeita ventilação.

♦ Evite locais úmidos, quentes e com poeira. Este equipamento não


é protegido contra penetração nociva de água.
Um ponto de exclamação dentro de um triân-
gulo alerta o usuário sobre a existência de im-
portantes instruções de operação e de manu- ♦ Posicione o cabo de rede de modo que fique livre, fora de locais
tenção (serviço técnico) no manual de instru- onde possa ser pisoteado, e não coloque qualquer móvel sobre ele.
ções que acompanha o aparelho.

♦ Não introduza objetos nos orifícios do aparelho e não apóie reci-


pientes com líquido.

♦ Não use substâncias voláteis (benzina, álcool, thinner e solventes


ATENÇÃO: Para prevenir choques elétricos, não utilizar o plugue em geral) para limpar o gabinete pois elas podem danificar o aca-
do aparelho com um cabo de extensão, ou outros tipos de tomada a bamento. Use apenas um pano macio, seco e limpo.
não ser que os terminais se encaixem completamente no receptáculo.
Desconecte o plugue de alimentação da tomada quando não utilizar o
aparelho por longos períodos.
3 4
Explicação dos símbolos utilizados Na Caixa de Transporte:

- ATENÇÃO! Consultar e observar exatamente as


insruções de uso contidas no manual de operação.

-FRÁGIL: O conteúdo nesta embalagem é fragil e deve ser


- Equipamento CLASSE II. Equipamento no qual a transportado com cuidado.
proteção contra choque elétrico não se fundamenta
apenas na isolação básica, mas incorpora ainda
precauções de segurança adicionais, como isolação dupla
ou reforçada, não comportando recursos de aterramento -ESTE LADO PARA CIMA: Indica a correta posição para
para proteção, nem dependendo de condições de tranporte da embalagem.
instalação.

- Equipamento com parte aplicada de tipo BF.


50ºC

-LIMITES DE TEMPERATURA: Indica as


5ºC temperaturas limites para transporte e armazenagem
da embalagem.
- Risco de choque elétrico.

- MANTENHA LONGE DA CHUVA: A embalagem


- Indica sensibilidade à descarga eletrostática não deve ser transportada na chuva.

IPX0 - Equipamento não protegido contra penetração nociva de


água.
- EMPILHAMENTO MÁXIMO: Número máximo de
10 embalagens identicas que podem ser empilhadas uma
V~ - Volts em corrente alternada sobre as outras. Neste equipamento, o número limite de
empilhamento é 10 unidades.
~ line - Rede elétrica de corrente alternada
5 6

Observações Preliminares Descrição do STRIAT

O STRIAT é um equipamento fabricado para uso na área de O Striat utiliza tecnologia de microcomputadores, ou seja, é
dermato-funcional (estética) e traumato-ortopedia. Não causa depen- microcontrolado. Foi projetado seguindo as normas técnicas exis-
dência e não tem efeitos colaterais indesejáveis, podendo ser utiliza- tentes de construção de aparelhos médicos (NBR IEC 60601-1, NBR
do em ionização e em todos os tratamentos estéticos no combate às IEC 60601-1-2 e NBR IEC 60601-2-10).
rugas e estrias. Este equipamento corresponde a CLASSE II tipo BF
de segurança e proteção. Deve ser operado somente por profissionais Performance Essencial - O STRIAT é um eletroestimula-
qualificados e dentro dos departamentos médicos devidamente cre- dor de simples operação, tornando-se essencial para a prática clínica
denciados. Não está previsto o uso destas unidades em locais onde em dermato-funcional (estética) e traumato-ortopedia. É um equipa-
exista risco de explosão, tais como departamentos de anestesia, ou mento de corrente contínua (galvânica em miliampéres) e micro cor-
na presença de uma mistura anestésica inflamável com ar, oxigênio rente contínua (galvânica em microampéres), com a finalidade de fa-
ou óxido nitroso. zer ionização e prestar apoio no tratamento de rugas e estrias.
INTERFERÊNCIA ELETROMAGNÉTICA POTENCIAL: Quanto A técnica consiste na aplicação de suave estimulação elétrica
aos limites para perturbação eletromagnética, o Striat é um equipa- através de eletrodos colocados em áreas corporais. Esta técnica é não
mento eletro-médico que pertence ao Grupo 1 Classe A. A conexão invasiva, sem efeitos sistêmicos, não causa dependência e não tem
simultânea do paciente ao estimulador Striat e a um equipamento ci- efeitos colaterais indesejáveis. A intensidade de corrente necessária
rúrgico de alta freqüência podem resultar em queimaduras no local ao tratamento depende da sensação do paciente. Sendo assim, o tra-
de aplicação dos eletrodos e possível dano ao estimulador. A opera- tamento deverá ser iniciado com níveis de intensidade mínimos (bem
ção a curta distância (1 metro, por exemplo) de um equipamento de baixos), aumentando-se cuidadosamente até se conseguir os efeitos
terapia por ondas curtas ou micro ondas pode produzir instabilidade adequados ao procedimento e de acordo com a reportagem do pacien-
na saída do aparelho. Para prevenir interferências eletromagnéticas, te. Quando uma pessoa é submetida aos vários tipos de corrente, ela
sugerimos que se utilize um grupo da rede elétrica para o Striat e ou- irá sentir uma sensação de formigamento no local ou nas áreas entre
tro grupo separado para os equipamentos de ondas curtas ou micro os eletrodos. Essa sensação é normalmente confortável para a maioria
ondas. Sugerimos ainda que o paciente, o Striat e cabos de conexão dessas pessoas. O grau de sensação é controlado pelo ajuste dos pa-
sejam instalados a pelo menos 3 metros dos equipamentos de terapia râmetros (controles) do equipamento. Devido à tecnologia utilizada
ser a mesma dos microcomputadores, estes controles operam via te-
por ondas curtas ou micro ondas. clado de toque. Todas as informações referentes aos parâmetros esco-
lhidos pelo profissional terapeuta serão mostradas em visor numéri-
Equipamentos de comunicação por radio freqüência, móveis ou por- co.
táteis, podem causar interferência e afetar o funcionamento do Stri-
at.
Trata-se de um aparelho de características modernas e de tec-
Atenção: A aplicação dos eletrodos próximo ao tórax pode aumentar nologia avançada, tornando-se eficaz e seguro.
o risco de fibrilação cardíaca.

IBRAMED
7 8

STRIAT - ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA STRIAT - Controles, indicadores e instruções de uso

O STRIAT é um equipamento monofásico de


CLASSE II com parte aplicada de tipo BF de segurança e proteção. O
Striat é um equipamento bi-volt, ou seja, a comutação 110/220 volts
é automática. Não é necessário se preocupar com a tensão da rede lo-
cal. Basta ligar o aparelho na “tomada de força” que o equipamento
fará a seleção 110Volts ou 220Volts automaticamente.
O cabo de ligação à rede elétrica é destacável.
O equipamento utiliza o plugue de rede como recurso para
separar eletricamente seus circuitos em relação à rede elétrica em to-
dos os pólos.

ATENÇÃO :
Na parte traseira do Striat encontra-se o fusível de pro-
teção. Para trocá-lo, desligue o aparelho da tomada de
rede, e com auxílio de uma chave de fenda pequena,
remova a tampa protetora, desconecte o fusível, faça a
substituição e recoloque a tampa no lugar.

Colocar sempre os fusíveis indicados pela IBRAMED:


Usar fusível de 2 A (20 AG)

RISCOS DE SEGURANÇA PODERÃO OCORRER SE O


EQUIPAMENTO NÃO FOR DEVIDAMENTE INSTALA-
DO.
OBS.: Dentro do equipamento, existem tensões perigosas. Nun-
ca abra o equipamento.
9 10

10- MICROGALVANIC OUTPUT: conexão do cabo eletrodo caneta


1- Chave liga-desliga. com agulha da corrente micro-galvânica para o paciente.

2- Display indicador da intensidade desejada da corrente micro- 11- TEST CABLE: conexão para teste do eletrodo caneta com agu-
galvânica (uA) ou da corrente galvânica (mA). lha. Conectar este eletrodo no TEST CABLE e colocar a garra em
contato com a ponta do eletrodo caneta. O indicador OK acenderá in-
3- Tecla MODE – esta tecla permite a seleção da corrente micro- dicando que o cabo está bom.
galvânica ou galvânica. Quando selecionado corrente micro- Obs.: Este eletrodo é usado nas aplicações com corrente micro-
galvânica, a intensidade poderá ser escolhida de 10 a 400 uA (steps galvânica para tratamento de rugas e estrias.
de 10 uA). Quando selecionado corrente galvânica, a intensidade po-
derá ser escolhida de 0 a 20 mA (steps de 1 mA). 12- Conexão do cabo de força a ser conectado na rede elétrica.

4- Indicadores luminosos da corrente selecionada: Galvanic ou Mi- 13- Porta Fusível (Ler neste manual – Striat – Alimentação elétrica)
crogalvanic.

5- Indicadores luminosos da unidade de corrente selecionada:


mA – miliampéres uA – microampéres

6- Teclas UP/DOWN: Teclas selecionadoras da intensidade desejada


da corrente micro-galvânica (uA) ou da corrente galvânica (mA).
Tecla UP – aumenta da intensidade
Tecla DOWN – diminui a intensidade

7- Indicadores luminosos (amarelo) da presença de uma intensidade


de corrente de saída para o paciente que possa entregar para uma re-
sistência de carga de 1000 ohms uma tensão maior que 10 V ou uma
corrente maior que 10 mA eficazes.

8- O indicador luminoso OK – indica a integridade do cabo eletrodo


caneta com agulha.

9- GALVANIC OUTPUT: conexão do cabo da corrente galvânica


para o paciente.
11 12

Corrente Contínua ou GALVÂNICA Eletroforese - Segundo DUMOULIN (1980), é a migração sob influ-
ência da corrente contínua, de soluções coloidais, células de sangue,
A corrente galvânica também denominada de corrente contí- bactérias e outras células simples, fenômeno este que se dá por ab-
nua, define-se como aquela em que o movimento das cargas de mes- sorção ou oposição de íons.
mo sinal se deslocam no mesmo sentido, com uma intensidade fixa.
O termo contínua indica que a intensidade de corrente é constante em Eletrosmose - Sob influência da carga elétrica adquirida pelas estru-
turas membranosas, é produzida uma modificação da água contida
valor e em sentido.
nos tecidos.
A aplicação da corrente galvânica pode ser dividida em: gal-
vanização propriamente dita e iontoforese (ionização). Vasodilatação da pele - Todas reações químicas, e alterações de liga-
ções que ocorrem na presença da corrente contínua, libera energia e
GALVANIZAÇÃO altera a temperatura local.

A galvanização é o uso da corrente galvânica, utilizando ex- Eletrotônus - Pode-se chamar de eletrotônus ou potencial eletrônico,
clusivamente os efeitos polares (que se manifestam unicamente sob as modificações elétricas locais, produzidas pela corrente elétrica, no
os eletrodos) por ele promovidos. potencial de repouso das membranas celulares.
Os tecidos biológicos apresentam uma grande quantidade de
íons positivos e negativos dissolvidos nos líquidos corporais, os quais Quando no início da aplicação, o paciente irá relatar uma
podem ser colocados em movimento ordenado por um campo elétrico sensação pequena de formigamento. Com o aumento gradativo da in-
polarizado, aplicado à superfície da pele. Este movimento dos íons tensidade, a sensação passa para o formigamento mais pronunciado,
dentro dos tecidos tem importantes conseqüências, primeiramente fí- agulhadas, ardência e dor.
sicas e conseqüentemente químicas, podendo ser agrupadas nas se- A corrente galvânica, ao passar pelo tecido, transfere íons de
guintes categorias: um polo para outro. Há uma dissociação eletrolítica do cloreto de só-
dio (NaCl) tissular, em cátions sódio (Na) e ânions cloreto (Cl). O â-
- Efeitos eletroquímicos nion cloro, como portador de carga negativa, migrará para o polo po-
sitivo do eletrodo, perdendo sua carga elétrica negativa e assim rea-
- Efeitos osmóticos
gindo e transformando-se em cloro molecular (Cl2). O mesmo ocorre
- Modificações vasomotoras com o sódio, que ao migrar para o polo negativo irá perder seu elé-
- Alterações na excitabilidade tron, reagindo e transformando-se em sódio metálico (Na).
São devidos à ação da corrente galvânica sobre os nervos va-
Ao lado desses efeitos polares de transferência iônica, haverá du- somotores que a hiperemia se torna ativa, pronunciando-se de forma
rante a galvanização, outros efeitos denominados interpolares: mais significativa no pólo negativo. Os nervos vasomotores perma-
necem por considerável tempo hipersensibilizados. A hiperemia atin-
- Eletroforese ge também estruturas mais profundas, por ação reflexa. Com isso há
- Eletrosmose um aumento da irrigação sanguínea, acarretando maior nutrição teci-
- Vasodilatação da pele dual profunda (subcutâneo, fáscias e músculos superficiais). Decor-
- Eletrotônus rente da hiperemia, tem-se maior oxigenação, aumento do metabo-
lismo, aumento das substâncias metabolizadas.
13 14

A presença dos metabólitos produz reflexamente vasodilata- ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DE CORRENTE GALVÂ-
ção das arteríolas e capilares, o que leva a um aumento do fluxo san- NICA
güíneo, maior quantidade de substâncias nutritivas, mais leucócitos e
anticorpos, facilitando a reparação da área. - Experimentos têm demonstrado que as baixas intensidades são
mais efetivas como força direcional, que as altas intensidades de
corrente;
IONTOFORESE - A intensidade de corrente não deve ultrapassar 0,1 mA/cm2 de
área de eletrodo ativo;
- Usualmente, o eletrodo negativo deve ser de maior tamanho, por
ser mais irritante que o positivo;
Iontoforese ou ionização, também denominada de transferên- - Há necessidade de um bom acoplamento entre os eletrodos e a
cia iônica, é a penetração de substâncias no organismo, por meio de pele, e uma boa umidificação das almofadas para que se diminua
uma corrente galvânica, que é a que melhor possibilita a migração a resistência e se evite queimaduras;
iônica da substância a ser aplicada pela sua emissão constante e uni- - Deve-se utilizar eletrodos metálicos, preferencialmente o alumí-
direcional do fluxo elétrico. nio, para as correntes polarizadas;
A iontoforese é utilizada a mais de meio século, já sendo - Soluções de continuidade (ferimentos, ulcerações etc.) podem
mencionada na literatura dos anos de 1700 e 1800. As substâncias u- concentrar fluxo iônico e causar queimaduras;
tilizadas na maioria das vezes são elementos básicos associados a di- - Após ionizações, as almofadas devem ser lavadas, com a finali-
versos radicais de valor fisiológico. dade de remoção de resíduos químicos utilizados;
Quando dois eletrodos metálicos, conectados a uma fonte de - Não há nenhuma vantagem em utilizar solução com concentração
corrente contínua, são interpostos a um segmento corpóreo, em con- superior à indicada pelo fabricante.
tato com uma solução eletrolítica, há possibilidade de se promover a
transferência de íons para o interior dos tecidos, utilizando-se para GALVANISMO INTRA ORAL
tanto, das propriedades polares da corrente galvânica.
A passagem da corrente galvânica através de uma solução e- Tem-se provado que correntes galvânicas pequenas associa-
letrolítica produz íons, partículas eletricamente carregadas, dissolvi- das com o eletrogalvanismo estão presentes continuamente na cavi-
das ou suspensas na solução, migrando de acordo com a carga elétri- dade bucal. As correntes galvânicas podem ter conseqüências desfa-
voráveis não só sobre as restaurações metálicas, mas igualmente so-
ca.
bre os dentes e tecidos moles.
A base do sucesso da transferência iônica está no princípio
Quando dois materiais metálicos, com diferentes potenciais,
físico básico "pólos semelhantes se repelem e pólos opostos se atra- estão em contato em presença de um eletrólito, ocorre uma diferença
em", sendo, portanto, a seleção da polaridade iônica correta, e a reali- de potencial, isto é uma transferência de elétrons. Tem-se então o tipo
zação desta com a polaridade semelhante do eletrodo para adminis- de corrosão denominada de corrosão galvânica, que resulta do aco-
tração é da maior importância. plamento de materiais metálicos dissimilares imersos em um eletróli-
A iontoforese associa os efeitos polares da corrente galvânica to, causando uma transferência de carga elétrica de um par para o ou-
aos efeitos inerentes a droga utilizada, sendo portanto bastante efeti- tro, por terem potenciais elétricos diferentes. Ela se caracteriza por
vo para diversos protocolos na área de estética. apresentar corrosão localizada, próxima à região do acoplamento, o-
casionando profundas perfurações do material metálico que funciona
como ânodo. Infelizmente, o meio oral é muito condutivo.
15 16

PROCEDIMENTO TÉCNICO
UM POUCO SOBRE ESTRIAS

Para a realização do tratamento antiestrias, há necessidade de


Na literatura disponível sobre estrias, os autores são unâni- um eletrodo ativo especial, o qual consiste de uma fina agulha susten-
mes em considerá-la como seqüela irreversível. tada por um eletrodo do tipo caneta. O eletrodo passivo é do tipo pla-
Estudo de Guirro e col. (1990), utilizando corrente contínua ca. Pelo fato dos eletrodos possuírem tamanhos diferentes, o menor, a
filtrada constante da ordem de alguns micro amperes (microgalvâni- agulha, apresenta maior concentração de corrente. A faixa ideal para
ca), abriu uma nova perspectiva no tratamento das estrias. Dados pre- tratamento das estrias concentra-se na faixa de 70 a 100 micro ampé-
liminares mostraram que ocorre um acentuado aumento no número res (uA), podendo variar dependendo da sensibilidade do paciente.
de fibroblastos jovens, uma neovascularização e o retorno da sensibi- O STRIAT possui intensidade suficiente para o tratamento de
lidade dolorosa após algumas sessões de eletro-estimulação. A eficá- rugas, no qual a intensidade de corrente varia de 150 a 400 uA. A in-
cia do tratamento, desde que controlada as variáveis, pode chegar até tensidade não pode ser aumentada em demasia para o tratamento das
100%, dependendo da capacidade reacional de cada paciente, varian- estrias, por ser um tratamento invasivo.
do o número de sessões de acordo com a cor da pele, a idade e tama- O procedimento técnico consiste do acoplamento do eletrodo
nho das estrias. É importante que não haja promessa de eliminação passivo, previamente umedecido com água, ao paciente. O eletrodo
total da estria, visto que é impossível prever o resultado para todos os ativo, a agulha, deve ser esterilizado a cada início de tratamento. Su-
indivíduos. gerimos o uso de agulhas descartáveis. Por ser um tratamento invasi-
É importante que o tratamento inicie homolateral, deixando- vo, a área estimulada também deverá ser esterilizada a cada sessão.
se um lado controle para observação macroscópica da evolução do A introdução da agulha deve ser sub-epidérmica, paralela a
tratamento. Quando o reparo for perceptível, iniciar o tratamento no pele, superficialmente, sobre toda a extensão da estria. Deve-se obter
lado contralateral. um quadro de hiperemia e edema sobre toda a extensão da estria. Ao
O método é invasivo e o processo de regeneração da estria término do tratamento, observamos estrias mais visíveis, edemacia-
está baseado na compilação dos efeitos intrínsicos da corrente contí- das e hiperêmicas. Não se deve efetuar nova aplicação até que esse
nua, e dos processos envolvidos na inflamação aguda. Por se tratar de quadro tenha desaparecido por completo.
uma técnica invasiva, há necessidade de se questionar o paciente
quanto a sua predisposição para o aparecimento de quelóides, utiliza-
ção de medicamentos, integridade da pele, etc (ficha de avaliação).
17 18

Em estrias profundas a sensibilidade está alterada e, portanto, - Se as estrias ocorrem durante a gravidez, o tratamento só poderá
no inicio do tratamento (dias ou semanas) a paciente pode não referir ser iniciado quando os níveis hormonais regredirem aos anterio-
dor. Com o passar das aplicações pode surgir um quadro de dor per- res à gravidez.
feitamente suportável, com a mesma intensidade de uma aplicação - O tratamento não deve ser iniciado na puberdade por se tratar de
em pele normal. Devido ao caráter de bilateralidade das estrias, elas um período de grandes alterações hormonais, que acreditam al-
devem, no início do tratamento, serem estimuladas unilateralmente, guns autores, ser a causa do aparecimento das estrias.
deixando o contralateral para controle, com a finalidade de compara-
los.
Na fase final do tratamento, quando o aspecto da pele já esta Instruções de uso - Aprendendo a usar o STRIAT
dentro dos padrões de normalidade, pode haver rompimento de pe-
quenos vasos, dada a neovascularização. As petéquias serão absorvi- Procedimento para ligar o aparelho:
das por completo dentro de um a três dias.
Os primeiros sinais de regeneração de estrias são: 1- o nive- - Conecte o cabo de força no equipamento e o plugue de força na re-
lamento da estria em relação à pele normal (podendo até tornarem-se de elétrica de 110 volts ou 220 volts. O equipamento é bivolt, portan-
mais largas); 2- alteração de coloração; 3- aumento da sensibilidade to, a seleção 110/220 volts é automática.
dolorosa e por fim 4- o desaparecimento da estria.
- Pressione a chave (1); o display indicador da intensidade (2) acen-
Cada paciente deve ter uma agulha individual, se possível
derá.
descartável a cada tratamento, ou poderá ser imersa em liquido esteri-
lizante, não oxidante, a fim de se evitar contaminação. - Através da Tecla MODE (3), selecione o tipo de corrente necessário
A seqüência e o número de aplicações variam de acordo com ao tratamento: corrente micro-galvânica (rugas e estrias) ou corrente
a resposta individual de cada paciente. galvânica (ionização).
No tratamento de rugas e linhas de expressão a intensidade
será dada de acordo com a sensibilidade do paciente, ou seja, se a pe- - Se a corrente escolhida for a galvânica, conecte o cabo de aplicação
le for seca ele sentirá menos, se for hidratada o contrário. na conexão de saída Galvanic Output (9).
O procedimento nas rugas pode ser invasivo ou não, sendo
que o intervalo entre as sessões depende da forma de aplicação. No - Se a corrente escolhida for a micro-galvânica, conecte antes o cabo
caso do procedimento ser invasivo, o intervalo deve ser de no míni- de aplicação eletrodo caneta agulha no TEST CABLE (11), e teste o
mo 3 dias entre sessões. cabo. Coloque os terminais do cabo de aplicação em contato (ponta
da caneta e jacaré em curto). O indicador luminoso OK (8) deverá
FATORES ENVOLVIDOS NO TRATAMENTO POR MICRO- acender indicando que o cabo está íntegro. Desconectar do test cable
CORRENTE CONTÍNUA: e conectá-lo na conexão de saída MicroGalvanic OutPut (10).
- Todos os fatores que modificam a qualidade da resposta inflama-
tória, exercem influência sobre o tratamento. - Colocar a agulha no eletrodo caneta e estando o paciente devida-
- No caso do paciente apresentar níveis elevados de glicocorticói- mente preparado, aumente a intensidade de corrente necessária ao
des, seja endógeno ou exógeno, como por exemplo na síndrome tratamento através do controle de intensidade (6).
de Cushing, a aplicação não pode ser efetuada, sob a pena de re-
sultados pobres e risco para o paciente.
19 20
Instruções de uso -
2º Passo: Introdução da agulha na caneta eletrodo - a agulha deverá
Colocando a agulha no eletrodo caneta ser introduzida e presa na extremidade da caneta eletrodo. Para isto,
solte a presilha da agulha girando-a no sentido anti-horário.

1º Passo:

3º Passo: Introduza aproximadamente 10 mm a agulha no orifício da


presilha.

obs.: tamanho da agulha aproximado em milímetros.


21 22

Instruções de uso -
Cuidados gerais com a agulha
BIOSSEGURANÇA- Pode ser definida como: “O conjunto de ações
voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos ine-
rentes as atividades de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento
tecnológico e prestação de serviços, riscos que podem comprometer a
saúde do homem, dos animais, do meio ambiente ou a qualidade dos
trabalhos desenvolvidos”
As grandes causas de acidentes estão relacionadas a:
• Instrução inadequada.
• Supervisão ineficiente.
• Uso inadequado dos Equipamentos de Proteção Individual
(EPI)
• Não observação de normas existentes.
4º Passo: Gire a presilha da agulha no sentido horário para que a agu-
lha fique presa. • Práticas inadequadas.
• Planejamento falho.
• Jornada excessiva de trabalho.

Para boas práticas de atendimento a pacientes, é necessário co-


nhecer as normas e os procedimentos de segurança, para minimizar
os riscos de acidentes.
Cabe ressaltar alguns cuidados durante o uso das agulhas no tra-
tamento das estrias e rugas:
• Na introdução das agulhas, nunca tocar na lâmina das mesmas.
Sugerimos o uso de luvas.
• Na retirada das agulhas, ter atenção para evitar acidentes. As agu-
lhas deverão ser descartadas em recipiente adequado conforme
orientações descritas em página seguinte.
• Em caso de utilização de agulhas não descartáveis, utilizar produ-
tos químicos desinfetantes.

OBS: Recomendamos a utilização de agulhas descartáveis.


23 24
Descarte da agulha:
Lembretes:
GRUPO - PERFURO CORTANTES – são os objetos e instrumen-
tos contendo cantos, bordas, pontos ou protuberâncias rígidas e agu- CUIDADOS A SEREM OBSERVADOS DURANTE A INSER-
das, capazes de cortar ou perfurar. ÇÃO DAS AGULHAS
Enquadram-se neste grupo: lâminas de barbear, bisturis, agu-
• Manter o material a ser utilizado em campo estéril;
lhas, escalpes, ampolas de vidro, lâminas e outros assemelhados pro-
venientes de serviços de saúde. • A ponta da agulha deve ser mantida estéril antes da sua pene-
As agulhas devem ser descartadas separadamente, no local de tração;
sua geração, imediatamente após o uso, em recipientes rígidos, resis- • Após a limpeza (esterilização) da pele dos pacientes não pal-
tentes à punctura, ruptura e vazamento, com tampa. par o ponto de inserção.
• As agulhas descartáveis (esterilizadas) devem ser mantidas
em sua embalagem original e guardadas em local próprio on-
de não exista riscos de contaminação.
Produto químico desinfetante:

Em caso de utilização de agulhas não descartáveis, sugerimos


o uso de Glutaraldeído.

Mecanismo de ação - altera o DNA, RNA e síntese protéica.


Espectro de ação - bactericida, fungicida, microbactericida e espori-
cida.
Concentração - 2%
Tempo de exposição – 45 a 60 minutos.
Indicação – desinfecção de alto nível.

Apresenta atividade germicida em presença de matéria orgânica, en-


tretanto a agulha em glutaraldeído, sem limpeza prévia, pode apre-
sentar impregnação de sangue e secreções, pela formação de precipi-
tados, dificultando a limpeza de maneira especial. O produto deve ser
manipulado em local arejado e com uso de EPI.

Observação: Materiais demasiadamente porosos como os de látex


podem reter o glutaraldeído, caso não haja bom enxágüe.
25 26
PRECAUÇÕES E CONTRA INDICAÇÕES ELETRODOS – RECOMENDAÇÕES - O STRIAT possibilita esti-
mulação neuromuscular transcutânea com corrente Galvânica e corrente
microgalvânica. Para isso utilizamos eletrodos de alumínio-esponja ve-
getal 80 x 100 mm e/ou eletrodo caneta com agulha na ponta que são
Pacientes portadores de: fornecidos com o equipamento. O tamanho (área em cm 2 ) dos eletrodos
utilizados na eletroestimulação é muito importante;
- Diabetes - Recomendamos usar somente os eletrodos que são fornecidos como
acessórios do STRIAT no tamanho 80 X 100 mm. O método de a-
- Hemofilia plicação destes eletrodos é muito simples. Os eletrodos de alumínio
- Síndrome de Cushing utilizados de 80 X 100 mm devem ser colocados dentro do “saqui-
- Propensão a quelóides nho” de esponja vegetal e a garra jacaré do cabo de ligação ao paci-
- Psoríase ente conectada no eletrodo de alumínio.
- Vitiligo - Se o usuário quiser utilizar outro tipo de eletrodo, recomendamos
- Anti-inflamatórios sem corticóide (para aplicação no dia) sempre os de tamanho maior que os fornecidos como acessório.
- Eletrodos de tamanho menor que os fornecidos como acessório, po-
de causar irritações e queimaduras na pele. Se necessário a utiliza-
ção de eletrodos menores, recomendamos que a densidade de cor-
Pacientes que fazem uso de: rente não ultrapasse 0,1 mA/cm 2 . Se houver necessidade de ultra-
passar estes valores, o usuário deverá ficar atento a possíveis efeitos
- Esteróides danosos (NBR IEC 60601-2-10).
- Corticosteróides - Os valores máximos de corrente de saída para o paciente fornecidos
por este equipamento não ultrapassam o limite de densidade de cor-
rente especificado pela norma NBR IEC 60601-2-10. Sendo assim,
com os eletrodos recomendados, o equipamento pode ser operado
Referências Bibliográficas com a saída no máximo, caso seja necessário.
- Alguns produtos químicos (gel, cremes, etc) podem causar danos
Guirro, E.C.º; Ferreira, ªL. e Guirro, R.R.J.: Estudos Preliminares dos aos eletrodos, diminuindo a sua vida útil.
Efeitos da Corrente Galvânica de Baixa Intensidade no Tratamento - Depois de usar os eletrodos, limpe-os com água corrente. Sempre
de Estrias Atróficas da Cútis Humana. Anais do X Congresso Brasi- limpe os eletrodos antes de guardá-los.
leiro de Fisioterapia (Fortaleza, CE, 1991).
Atenção: A aplicação dos eletrodos próximos ao tórax pode
Guirro, E.C.O. e Guirro, R.R.J.: Estria. In.; Fisioterapia em Estética – aumentar o risco de fibrilação cardíaca.
Fundamentos, Recursos e Patologias. São Paulo, Editora Manole,
1992. ELETRODOS - BIOCOMPATIBILIDADE (ISO 10993-1): A Ibra-
med declara que os eletrodos de alumínio, esponja vegetal e eletrodo ca-
neta com agulha, fornecidos com o equipamento, não ocasionam reações
Guirro; E.C.O e Guirro; R.R.J. : Estria In.; Fisioterapia em Estética – alérgicas. Estes eletrodos devem ser somente colocados em contato com
Fundamentos, Recursos e Patologias. São Paulo, Editora Manole, a superfície intacta da pele, respeitando-se um tempo limite de duração
1996. deste contato de 24 horas. Não existe risco de efeitos danosos às células,
nem reações alérgicas ou de sensibilidade. Os eletrodos de borracha de
silicone não ocasionam irritação potencial na pele.
27 28
Durabilidade dos eletrodos - É normal o desgaste com o tempo de
utilização dos eletrodos de alumínio esponja vegetal e/ou da agulha GARANTIA
utilizada no eletrodo caneta. Um eletrodo desgastado perderá a ho-
mogeneidade da condução à corrente elétrica, dando a sensação de A IBRAMED Indústria Brasileira de Equipamentos Médicos
que o aparelho está fraco. Poderá ainda haver a formação de pontos Ltda., aqui identificada perante o consumidor pelo endereço e telefo-
de condução elétrica, onde a densidade de corrente será muito alta, ne: rua Milão, 50 - Amparo-SP; fone (19) 38179633, garante este
podendo causar sensação desconfortável ao paciente. Substituir os e- produto pelo período de dezoito (18) meses, observadas as condições
letrodos no máximo a cada seis meses, mesmo que não seja utilizado,
ou até mensalmente em caso de uso intenso. do termo de garantia anexo a documentação deste aparelho.

Proteção ambiental: A IBRAMED declara que não existem riscos


ou técnicas especiais associados com a eliminação deste equipamento
e acessórios ao final de suas vidas úteis.
Droga de equi-
pamento !!
LIMPEZA DOS ELETRODOS
Depois de usar os eletrodos, limpe-os com água corrente. Sempre ASSISTÊNCIA TÉCNICA
limpe os eletrodos antes de guardá-los.

MANUTENÇÃO
Sugerimos que o usuário faça uma inspeção e manutenção preventiva
na IBRAMED ou nos pontos de venda a cada 12 meses de utilização
do equipamento. Como fabricante, a IBRAMED se responsabiliza
pelas características técnicas e segurança do equipamento somente Não espere chegar a
nos casos onde a unidade foi utilizada de acordo com as instruções de
uso contidas no manual do proprietário, onde manutenção, reparos e este ponto !!! Ligue:
modificações tenham sido efetuados pela fabrica ou agentes expres- (19) 3817 9633
samente autorizados; e onde os componentes que possam ocasionar
riscos de segurança e funcionamento do aparelho tenham sido substi-
tuídos em caso de avaria, por peças de reposição originais.
Se solicitado, a IBRAMED poderá colocar à disposição a
documentação técnica (esquemas dos circuitos, lista de peças e com-
ponentes, etc) necessária para eventuais reparações do equipamento. Qualquer dúvida ou problema de funcionamento com o
Isto, no entanto, não implica numa autorização de reparação. Não as- seu equipamento entre em contato com nosso departa-
sumimos nenhuma responsabilidade por reparações efetuadas sem mento técnico!
nossa explícita autorização por escrito.
29 30
E agora ?
Termo de Garantia

LOCALIZAÇÃO DE DEFEITOS 1-) O seu produto IBRAMED é garantido contra defeitos de


fabricação, se consideradas as condições estabelecidas por este ma-
O que pode inicialmente parecer um problema nual, por 18 meses corridos.
nem sempre é realmente um defeito. Portanto, an-
tes de pedir assistência técnica, deve-se verificar 2-) O período de garantia contará a partir da data da compra
os itens descritos na tabela abaixo. ao primeiro adquirente consumidor, mesmo que o produto venha a
ser transferido a terceiros. Compreenderá a substituição de peças e
mão de obra no reparo de defeitos devidamente constatados como
Problemas Solução sendo de fabricação.
• O cabo de alimentação esta devidamente
conectado? 3-) O atendimento em garantia será feito EXCLUSIVA-
O aparelho não liga 1. Caso não esteja, é preciso conectá-lo. Ve-
rifique também a tomada de força na pa-
MENTE pelo ponto de venda IBRAMED, pela própria IBRAMED
rede. ou outro especificamente designado por escrito pelo fabricante.
• Você verificou o fusível de proteção?
Verifique se não há mal contato. Verifi- 4-) A GARANTIA NÃO ABRANGERÁ OS DANOS QUE
que também se o valor está correto como O PRODUTO VENHA A SOFRER EM DECORRÊNCIA DE :
O aparelho não liga 2. indicado no manual de operação.
• Você seguiu corretamente as recomenda-
O aparelho esta ligado mas não ções e instruções do manual de operação?
O produto não for utilizado exclusivamente para uso médico.
emite corrente para o paciente 1. Verifique e refaça os passos indicados no
item sobre controles, indicadores e ope- Na instalação ou uso não forem observadas as especificações
ração. e recomendações deste Manual.
• Você verificou eletrodos e cabos de co-
nexão ao paciente? Acidentes ou agentes da natureza, ligação a sistema elétrico
O aparelho esta ligado mas não Verifique se o plugue do cabo está devi-
emite corrente para o paciente 2. damente colocado ao aparelho. com voltagem imprópria e/ou sujeitas a flutuações excessivas ou so-
Verifique se os eletrodos estão devida- brecargas.
mente colocados ao corpo do paciente.
O aparelho tiver recebido maus tratos, descuido ou ainda so-
frer alterações, modificações ou consertos feitos por pessoas ou enti-
dades não credenciadas pela IBRAMED.

Houver remoção ou adulteração do número de série do apare-


lho.
Acidentes de transporte.
31 32

5-) A garantia legal não cobre : despesas com a instalação do STRIAT – Acessórios
produto, transporte do produto até a fábrica ou ponto de venda, des-
pesas com mão de obra, materiais, peças e adaptações necessárias à 02 eletrodos de alumínio-esponja vegetal 80 x 100 mm
preparação do local para instalação do aparelho tais como rede elétri- 01 cabo eletrodo caneta com agulha de conexão ao paciente (para
ca, alvenaria, rede hidráulica, aterramento, bem como suas adapta- microgalvânica)
ções. A garantia não cobre também peças sujeitas a desgaste natural 01 cabo com jacarés preto e vermelho para ionização de conexão ao
tais como botões de comando, teclas de controle, puxadores e peças paciente (corrente galvânica)
móveis, cabo de força, cabos de conexão ao paciente, cabo do trans- 01 cinta elástica com velcro
dutor, eletrodos de borracha de silicone condutivo, eletrodos para dia- 01 cabo de força destacável
termia, eletrodos de vidro para microdermoabrasão, pilhas e baterias Embalagem com 10 agulhas esterilizadas
de 9 volts, transdutor ultra-sônico (quando constatado o uso indevido 01 manual de instruções
ou queda do mesmo), gabinetes dos aparelhos.
6-) Nenhum ponto de venda ou oficina tem autorização para O uso de cabos, eletrodos e outros acessórios diferentes daqueles es-
alterar as condições aqui mencionadas ou assumir compromissos em pecificados acima, pode resultar em aumento das emissões ou dimi-
nome da IBRAMED. nuição da imunidade do equipamento.

STRIAT - Características técnicas

O striat é um equipamento projetado para modo de operação contí-


nua. Utiliza tecnologia de microcontroladores que garantem a preci-
são dos valores mostrados. Esta exatidão dos dados de operação está
Aparelho : de acordo com o prescrito na norma particular para segurança de e-
Número de série : quipamento para estimulação neuromuscular - NBR IEC 60601-2-10,
Registro Anvisa (MS) : cláusula 50 / subcláusulas 50.1 e 50.2. O controle de amplitude de sa-
ída controla continuamente a intensidade de corrente desde o mínimo
até o máximo e o seu valor mínimo não excede 2% do valor na posi-
Data de fabricação : ção máxima. Os parâmetros, tais como, formas de onda de saída, du-
ração de pulso, freqüência de repetição do pulso, faixa de amplitude
Prazo de validade : 5 anos de corrente de saída não diferem por mais que +− 30% mencionados
na descrição técnica a seguir.
Engenheiro responsável : Alexandre Pio Gon Os valores das durações dos pulsos e freqüências de repeti-
ções dos pulsos aqui descritas foram medidas a 50% da amplitude
CREA - 0685098583 máxima de saída.
Estes parâmetros são válidos para uma impedância de carga
de 1000 ohms. O efeito da impedância de carga nos parâmetros des-
critos é muito importante. Se o aparelho por operado fora da faixa de
impedância de carga especificada, poderá haver imprecisão nos valo-
33

res dos parâmetros, bem como alteração das formas de onda aqui
descritas.

O STRIAT é um equipamento monofásico de CLASSE II com parte


aplicada de tipo BF de segurança e proteção.

Alimentação :--------------------------110/220 volts (60 Hz) automático


Amplitude máxima de corrente microgalvânica------------------400 uA
Amplitude máxima de corrente galvânica--------------------------20 mA

Tipo de pulso—----------------------corrente contínua filtrada constante


Potência de entrada - Consumo (máx.):----------------------------35 VA

Peso (aprox. sem acessórios):-----------------------------------------460 g


Empilhamento máximo:-------------------------------------------10 caixas
Temperatura p/ transporte:----------------------------------------5 a 50 0 C

Temperatura ambiente de trabalho:------------------------------5 a 45 0 C

Nota: O aparelho e suas características poderão sofrer alterações sem


prévio aviso.
34

Compatibilidade Eletromagnética:

O STRIAT foi desenvolvido de forma a cumprir os requisitos exigidos na norma IEC 60601-1-2 de compatibilidade eletromagnética.
O objetivo desta norma é:

- garantir que o nível dos sinais espúrios gerados pelo equipamento e irradiados ao meio ambiente estão abaixo dos limites especificados na norma IEC CISPR 11,
grupo 1, classe A (Emissão radiada).

- garantir a imunidade do equipamento às descargas eletrostáticas, por contato e pelo ar, provenientes do acúmulo de cargas elétricas estáticas adquiridas pelo corpo
(Descarga Eletrostática - IEC 61000-4-2).

- garantir a imunidade do equipamento quando submetido a um campo eletromagnético incidente a partir de fontes externas (Imunidade a RF Irradiado - IEC 61000-
4-3).

Precauções:
- A operação a curta distância (1 metro, por exemplo) de um equipamento de terapia por ondas curtas ou micro ondas pode produzir instabilidade na saída
do aparelho.

- Para prevenir interferências eletromagnéticas, sugerimos que se utilize um grupo da rede elétrica para o STRIAT e um outro grupo separado para os e-
quipamentos de ondas curtas ou micro ondas. Sugerimos ainda que o paciente, o STRIAT e cabos de conexão sejam instalados a pelo menos 3 metros dos equipa-
mentos de terapia por ondas curtas ou micro ondas.
- Equipamentos de comunicação por radio freqüência, móveis ou portáteis, podem causar interferência e afetar o funcionamento do STRIAT. Sempre instale
este equipamento de acordo com o descrito neste manual de instruções.

Atenção:
- O STRIAT atende às normas técnicas de compatibilidade eletromagnética se utilizado com os cabos, eletrodos e outros acessórios fornecidos pela IBRA-
MED descritos neste manual (capítulo: Acessórios e características técnicas).
- O uso de cabos, eletrodos e outros acessórios de outros fabricantes e/ou diferentes daqueles especificados neste manual, bem como a substituição de com-
ponentes internos do STRIAT, pode resultar em aumento das emissões ou diminuição da imunidade do equipamento.
- O STRIAT não deve ser utilizado adjacente ou empilhado a outro equipamento.
35

Orientação e declaração do fabricante – emissões eletromagnéticas


O eletro-estimulador STRIAT é destinado para uso em ambiente eletromagnético especificado abaixo.
O usuário do equipamento deve assegurar que ele seja utilizado em tal ambiente.
Ambiente eletromagnético - orienta-
Ensaio de emissão Conformidade
ções
O eletro-estimulador STRIAT utiliza energia
Emissões de RF de RF apenas para suas funções internas. No
entanto, suas emissões de Rf são muito bai-
Grupo 1 xas e não é provável que causem qualquer
NBR IEC CISPR 11
IEC CISPR 11 interferência em equipamentos eletrônicos
próximos.
Emissões de RF
Classe A O eletro-estimulador STRIAT é ade-
NBR IEC CISPR 11
IEC CISPR 11 quado para utilização em todos os esta-
belecimentos que não sejam residenci-
Emissões de Harmônicos
ais e que não estejam diretamente co-
Classe A
nectados à rede pública de distribuição
IEC 61000-3-2
de energia elétrica de baixa tensão que
Emissões devido à flutuação alimente edificações para utilização
de tensão/cintilação doméstica.
Classe A
IEC 61000-3-3
36

Orientação e declaração do fabricante – imunidade eletromagnética


O eletro-estimulador STRIAT é destinado para uso em ambiente eletromagnético especificado abaixo. O usuário do equipamento
deve assegurar que ele seja utilizado em tal ambiente.
Nível de Ensaio Nível Ambiente eletromagnético - orienta-
Ensaio de imunidade
IEC 60601 de Conformidade ções
Pisos deveriam ser de madeira, concre-
Descarga eletrostática
± 6 kV por contato ± 6 kV por contato to ou cerâmica. Se os pisos forem co-
(ESD)
bertos com material sintético, a umida-
± 8 kV pelo ar ± 8 kV pelo ar de relativa deveria ser de pelo menos
IEC 61000-4-2
30%.

Transitórios elétricos ± 2 kV nas linhas de ± 2 kV nas linhas de


rápidos / trem de pulsos alimentação alimentação Qualidade do fornecimento de energia
(Burst) deveria ser aquela de um ambiente
± 1 kV nas linhas de ± 1 kV nas linhas de hospitalar ou comercial típico.
IEC 61000-4-4 entrada / saída entrada / saída

± 1 kV modo diferen- ± 1 kV modo diferen-


Surtos Qualidade do fornecimento de energia
cial cial
deveria ser aquela de um ambiente
IEC 61000-4-5 hospitalar ou comercial típico.
± 2 kV modo comum ± 2 kV modo comum
37

Nível de Ensaio Nível Ambiente eletromagnético - orienta-


Ensaio de imunidade
IEC 60601 de Conformidade ções
< 5% U T
< 5% U T
(> 95% de queda de tensão
(> 95% de queda de tensão
em U T ) por 0,5 ciclo
em U T ) por 0,5 ciclo
40% U T Qualidade do fornecimento de energia
40% U T
Quedas de tensão, interrup- (60% de queda de tensão (60% de queda de tensão deveria ser aquela de um ambiente hos-
ções curtas e variações de em U ) por 5 ciclos em U T ) por 5 ciclos pitalar ou comercial típico. Se o usuário
T
tensão nas linhas de entrada do equipamento exige operação conti-
de alimentação 70% U T nuada durante interrupção de energia, é
70% U T
(30% de queda de tensão recomendado que o equipamento seja
IEC 61000-4-11 (30% de queda de tensão alimentado por uma fonte de alimenta-
em U T ) por 25 ciclos
em U T ) por 25 ciclos ção ininterrupta ou uma bateria.
< 5% U T
< 5% U T
(> 95% de queda de tensão
(> 95% de queda de tensão
em U T ) por 5 segundos
em U T ) por 5 segundos

Campo magnético na fre-


Campos magnéticos na freqüência da a-
qüência de alimentação
limentação deveriam estar em níveis ca-
(50/60 Hz) 3 A/m 3 A/m
racterísticos de um local típico num
ambiente hospitalar ou comercial típico.
IEC 61000-4-8

NOTA: U T é a tensão de alimentação c.a. antes da aplicação do nível de ensaio


38

Orientação e declaração do fabricante – imunidade eletromagnética


O eletro-estimulador STRIAT é destinado para uso em ambiente eletromagnético especificado abaixo. O usuário do equipamento deve assegurar que ele seja
utilizado em tal ambiente.
Nível de Ensaio Nível
Ensaio de imunidade Ambiente eletromagnético - orientações
IEC 60601 de Conformidade
Equipamentos de comunicação de RF portátil e móvel não devem ser utili-
zados próximos a qualquer parte do STRIAT, incluindo cabos, com distan-
cia de separação menor que a recomendada, calculada a partir da equação
aplicável à freqüência do transmissor.
Distancia de separação recomendada

d = 1,2 P
RF Conduzida 3 Vrms
3V d = 0,35 P 80 MHz até 800 MHz
IEC 61000-4-6 150 kHz até 80 MHz
d = 0,7 P 800 MHz até 2,5 GHz

RF Radiada 10 V/m Onde P é a potência máxima nominal de saída do transmissor em watts (W).
10 V/m de acordo com o fabricante do transmissor, e d é a distancia de separação re-
IEC 61000-4-3 80 MHz até 2,5 GHz comendada em metros (m).
É recomendada que a intensidade de campo estabelecida pelo transmissor de
RF, como determinada através de uma inspeção eletromagnética no local,
a
seja menor que o nível de conformidade em cada faixa de freqüência b .
Pode ocorrer interferência ao redor do equipamento marcado com o seguinte
símbolo:

NOTA 1: Em 80 MHz e 800 MHz aplica-se a faixa de freqüência mais alta.


NOTA 2: Estas diretrizes podem não ser aplicáveis em todas as situações. A propagação eletromagnética é afetada pela absorção e reflexão de estruturas, objetos e
pessoas.
a
As intensidades de campo estabelecidas pelos transmissores fixos, tais como estações de rádio base, telefone (celular/sem fio) e rádios móveis terrestres, rádio a-
mador, transmissão rádio AM e FM e transmissão de TV não podem ser previstos teoricamente com precisão. Para avaliar o ambiente eletromagnético devido a
transmissores de RF fixos, recomenda-se uma inspeção eletromagnética no local. Se a medida de intensidade de campo no local em que o STRIAT é usado excede o
nível de conformidade utilizado acima, o aparelho deve ser observado para se verificar se a operação está normal. Se um desempenho anormal for observado, proce-
dimentos adicionais podem ser necessários, tais como a reorientação ou recolocação do equipamento.
b
Acima da faixa de freqüência de 150 KHz até 80 MHz, a intensidade do campo deve ser menor que 10 V/m.
39

Distancias de separação recomendadas entre os equipamentos de comunicação de RF portátil e móvel e o


STRIAT
O eletro-estimulador STRIAT é destinado para uso em ambiente eletromagnético no qual perturbações de RF são controladas. O
usuário do eletro-estimulador pode ajudar a prevenir interferência eletromagnética mantendo uma distancia mínima entre os equi-
pamentos de comunicação de RF portátil e móvel (transmissores) e o STRIAT, como recomendado abaixo, de acordo com a potên-
cia máxima dos equipamentos de comunicação.
Distancia de separação de acordo com a freqüência do transmissor
m
Potência máxima no-
minal de saída do
150 KHz até 80 MHz 80 MHz até 800 MHz 800 MHz até 2,5 GHz
transmissor
W
d = 1,2 P d = 0,35 P d = 0,7 P

0,01 0,12 0,035 0,07


0,1 0,38 0,11 0,22
1 1,2 0,35 0,7
10 3,8 1,1 2,2
100 12 3,5 7
Para transmissores com uma potência máxima nominal de saída não listada acima, a distancia de separação recomendada d em metros
(m) pode ser determinada através da equação aplicável para a freqüência do transmissor, onde P é a potência máxima nominal de saída
em watts (W) de acordo com o fabricante do transmissor.
NOTA 1: Em 80 MHz até 800 MHz, aplica-se a distancia de separação para a faixa de freqüência mais alta.
NOTA 2: Estas diretrizes podem não ser aplicáveis em todas as situações. A propagação eletromagnética é afetada pela absorção e refle-
xão de estruturas, objetos e pessoas.