Você está na página 1de 11

1

Leia o texto para responder às questões de números que algo, em vez de ser belo, era
01 e 02. Não sentimos nem o extremo quente, nem o “interessante”.Claro, quando as pessoas diziam que
extremo frio. As qualidades excessivas nos são uma obra de arte era interessante, isso não significava
inimigas e não sensíveis: não as sentimos, toleramo- que necessariamente tivessem gostado — muito
las. Demasiada juventude e demasiada velhice menos que a achassem bela. Em geral significava
impedem o espírito; instrução demais e pouca apenas que achavam que deviam gostar. Ou que
demais. Enfim, as coisas extremas são para nós como gostavam, mais ou menos, embora não fosse bela. Ou
se não existissem, e nós não existimos em relação a podiam definir algo como interessante a fim de evitar
elas: elas nos escapam, ou nós a elas. (Blaise Pascal. a banalidade de chamá-lo de belo. A fotografia foi a
Pensamentos. Trad. Pietro Nassetti. São Paulo, arte em que “o interessante” triunfou primeiro, e bem
Martin Claret, 2003) cedo: a nova maneira fotográfica de ver propunha que
tudo era um tema potencial para a câmera. O belo não
01. O autor apresenta a juventude e a velhice poderia consentir numa gama tão vasta de temas. O
demasiadas como condições que amplo emprego do “interessante” como critério de
valor acabou, inevitavelmente, enfraquecendo o seu
(A) devem ser sentidas, mas não memorizadas. gume transgressivo. O que resta da antiga insolência
repousa sobretudo no seu desdém pelas
(B) escapam à razão, embora sejam inspiradoras.
consequências das ações e dos julgamentos. O
(C) acometem especialmente os mais sensíveis. interessante é, agora, sobretudo uma ideia
consumista, vergada sob o peso da ampliação do seu
(D) são limitadoras do espírito por razões opostas. domínio: quanto mais coisas se tornam interessantes,
mais o mercado se expande. (Susan Sontag. “Uma
(E) podem ser entendidas por mentes muito discussão sobre a beleza”. In Ao mesmo tempo. Trad.
instruídas. Rubens Figueiredo. São Paulo, Companhia das
Letras, 2008. Adaptado)
02. O trecho – ... nós não existimos em relação a
elas... – permanecerá redigido corretamente, 03. De acordo com o texto, é correto afirmar que
conforme a norma-padrão da língua, e com o sentido
preservado, se a expressão destacada for substituída (A) a caracterização do “interessante” como uma
por: ideia consumista evidencia o quanto essa proposta era
elitista em sua origem.
(A) no que concerne.
(B) o conceito de “interessante” nasceu para
(B) no que preconiza. substituir a ideia de beleza, mas atualmente já não é
mais empregado.
(C) no que tem vínculo.
(C) o “interessante”, como critério de valoração, não
(D) no que demanda. se distingue do conceito de beleza, pois ambos
excluem a literatura.
(E) no que faz conexão.
(D) o termo “interessante” permitiu que as pessoas
Leia o texto para responder às questões de números dissessem com maior precisão se haviam gostado ou
03 a 07. O fato de a beleza aplicar-se a certas coisas e não de uma obra.
não a outras, o fato de ser um princípio de
discriminação constituiu, no passado, a sua força e a (E) a noção de beleza perdeu espaço para o conceito
sua atração. A beleza pertencia à família de ideias que de “interessante” conforme a discriminação se tornou
estabelecem escalas e casava bem com uma ordem um defeito.
social sem remorsos quanto à posição, classe,
hierarquia e ao direito de excluir. O que antes havia 04. Segundo as informações do texto, é correto
sido uma virtude do conceito passou a ser o seu afirmar que o fato de o “interessante” ter vigorado
defeito. A discriminação, antes uma faculdade primeiro na fotografia justifica-se
positiva (significava julgamento refinado, padrões
elevados, esmero), tornou-se negativa: significava (A) pelo desprezo que essa arte tem relegado ao belo.
preconceito, intolerância, cegueira para as virtudes
daquilo que não era idêntico a quem julgava. O (B) pela pluralidade de olhares que essa arte passou a
movimento mais forte e mais bem-sucedido contra a abarcar.
beleza ocorreu nas artes: beleza — e dar importância
(C) pelo vínculo entre essa arte e os ideais
à beleza — era restritivo; como reza a expressão
consumistas.
corrente, elitista. Nossas apreciações, assim sentiam,
poderiam ser muito mais inclusivas se disséssemos
2

(D) pela insistência dessa arte em fugir das narcisismo, mas eu chamaria de: alegria de ser.
excentricidades. Alegria de encontrar na figura exterior os ecos da
figura interna: ah, então é verdade que eu não me
(E) pelas limitações técnicas características dessa arte imaginei, eu existo. (Clarice Lispector. Aprendendo a
viver. São Paulo, Rocco, 2004)

05. No texto, são empregadas como sinônimas as 08. “A surpresa”, expressa no título do texto,
palavras caracteriza

(A) ordem e direito (1o parágrafo). (A) a sensação da pessoa que se olha ao espelho pela
primeira vez e vê no reflexo um sujeito com quem
(B) família e posição (1o parágrafo). não se identifica.
(C) restritivo e elitista (3o parágrafo). (B) a satisfação em perceber que se tem o direito de
ser um pouco narcisista para resgatar a autoestima
(D) critério e valor (5o parágrafo).
perdida.
(E) gume e peso (5o parágrafo).
(C) o estado daquele que percebe que seu narcisismo
06. Considere o segundo parágrafo: O que antes havia não é fruto de um comportamento doentio, mas sim
sido uma virtude do conceito passou a ser o seu de amor próprio.
defeito. A discriminação, antes uma faculdade
(D) o contentamento de quem se dá conta da
positiva (significava julgamento refinado, padrões
realidade de sua própria existência ao se contemplar
elevados, esmero), tornou-se negativa: significava
diante do espelho.
preconceito, intolerância, cegueira para as virtudes
daquilo que não era idêntico a quem julgava. Um (E) o instante exato em que nos olhamos ao espelho
vocábulo empregado com sentido exclusivamente e percebemos o quanto somos diferentes do que
figurado, nesse contexto, é: pretendíamos.
(A) virtude. 09. O período do texto – A isto se chamaria talvez de
narcisismo, mas eu chamaria de: alegria de ser. – está
(B) discriminação.
corretamente reescrito, de acordo com a norma-
(C) faculdade. padrão de pontuação, em:

(D) esmero. (A) A isto se chamaria talvez, de narcisismo, mas eu


chamaria de “alegria de ser”.
(E) cegueira.
(B) A isto se chamaria, talvez, de narcisismo; mas eu
07. No trecho – ... quanto mais coisas se tornam chamaria de alegria de ser.
interessantes, mais o mercado se expande. –, a
relação de sentido estabelecida pelas expressões (C) A isto, se chamaria, talvez de narcisismo, mas eu
destacadas é de chamaria de – alegria de ser.

(A) proporção. (D) A isto se chamaria, talvez de narcisismo. Mas, eu


chamaria de... alegria de ser.
(B) finalidade.
(E) A isto, se chamaria talvez, de narcisismo, mas,
(C) concessão. eu chamaria de alegria de ser.

(D) modo. 10. O trecho – Não há homem ou mulher que por


acaso não se tenha olhado ao espelho e se
(E) dúvida. surpreendido consigo próprio. – está reescrito com as
expressões em destaque flexionadas no plural e as
Leia o texto para responder às questões de números formas verbais flexionadas no pretérito, de acordo
08 a 10. A surpresa Olhar-se ao espelho e dizer-se com a norma-padrão da língua e sem prejuízo de
deslumbrada: Como sou misteriosa. Sou tão delicada sentido, em:
e forte. E a curva dos lábios manteve a inocência.
Não há homem ou mulher que por acaso não se tenha (A) Não houve homens ou mulheres que por acaso
olhado ao espelho e se surpreendido consigo próprio. não se tiveram olhado ao espelho e se surpreendido
Por uma fração de segundo a gente se vê como a um consigos próprios.
objeto a ser olhado. A isto se chamaria talvez de
3

(B) Não houveram homens ou mulheres que por (D) convencer as pessoas de que os vegetais
acaso não se tiveram olhado ao espelho e se considerados feios são mais nutritivos que os bonitos.
surpreendido consigo próprios.
(E) vender alimentos que não se enquadram nos
(C) Não houve homens ou mulheres que por acaso padrões de beleza a um valor mais acessível.
não se tivessem olhado ao espelho e se surpreendido
consigo próprios. 12. A iniciativa de comercializar “alimentos feios”

(D) Não houveram homens ou mulheres que por (A) tem como objetivo central fazer com que as
acaso não se tivessem olhado ao espelho e se pessoas consumam vegetais mais saudáveis.
surpreendido consigos próprios.
(B) combate o desperdício, ao levar as pessoas a
(E) Não houveram homens ou mulheres que por consumir alimentos com moderação.
acaso não se teriam olhado ao espelho e se
surpreendido consigo próprio. (C) visa lucrar com um mercado composto
exclusivamente por consumidores de baixa renda.
Leia o texto para responder às questões de números
11 a 15. Comida “feia” também faz bem para a saúde (D) tem obtido bons resultados, embora se limite ao
Frequentemente desprezadas por terem um aspecto mercado de hortaliças, legumes e frutas.
que não está de acordo com os “padrões de beleza”
(E) atende a um propósito beneficente, além de ser
impostos pela indústria, as frutas e verduras “feias”
vantajosa em termos comerciais.
voltaram a ser um objeto atrativo pelos que lutam
contra o desperdício de alimentos. O agricultor 13. Uma palavra que substitui a expressão destacada
francês Nicolas Chabanne, fundador do movimento em – A iniciativa começou com frutos e legumes,
em defesa dos “alimentos feios”, trabalha para mas, pouco a pouco, está se expandindo. –, sem
posicionar esses produtos no mercado e já tem mil alteração de sentido, é:
parceiros no mundo todo. Sua estratégia é simples.
Vender uma maçã com um rótulo cujo logotipo (A) subitamente.
mostra um rosto com um único dente aos produtores
que se comprometem a colocá-la entre seus alimentos (B) paulatinamente.
“feios”, oferecendo-os pelo menor preço. Depois,
parte do dinheiro arrecadado é destinada a (C) repentinamente.
associações de caridade e de consumidores. “Quando
você coloca uma maçã feia ao lado de outras muito (D) provavelmente.
bonitas, nossos olhos fixam antes nas mais bonitas”,
(E) impreterivelmente.
disse Chabanne, que se esforça para mostrar às
pessoas que os produtos menos esteticamente
14. Um termo que introduz uma exemplificação no
atrativos também são de qualidade e, inclusive, mais
enunciado está em destaque na seguinte passagem:
baratos. A iniciativa começou com frutos e legumes,
mas, pouco a pouco, está se expandindo. Agora, (A) Frequentemente desprezadas por terem um
engloba também outros produtos, como queijos e aspecto que não está de acordo com os “padrões de
cereais ingeridos no café da manhã. “É um negócio beleza” impostos pela indústria… (1o parágrafo)
social e rentável porque aproveita a luta contra os
resíduos a fim de voltar a vender parte da produção (B) Vender uma maçã com um rótulo cujo logotipo
que não é normalmente valorizada”, afirmou Thomas mostra um rosto com um único dente aos
Pocher, proprietário de um supermercado no norte da produtores… (3o parágrafo)
França. (EFE, http://exame.abril.com.br. Adaptado)
(C) … os produtos menos esteticamente atrativos
11. A proposta do agricultor Nicolas Chabanne também são de qualidade e, inclusive, mais baratos.
envolve (4o parágrafo)

(A) fazer com que os consumidores paguem pelos (D) Agora, engloba também outros produtos, como
alimentos feios o mesmo preço pago pelos bonitos. queijos e cereais ingeridos no café da manhã. (5o
parágrafo)
(B) combater o desperdício revendendo alimentos
que não estão em bom estado de conservação. (E) ... aproveita a luta contra os resíduos a fim de
voltar a vender parte da produção que não é
(C) adquirir, a um preço baixo, alimentos descartados normalmente valorizada… (6o parágrafo)
pela indústria por serem considerados feios.
4

15. As aspas empregadas em Comida “feia” (título), (B) aumentar os impostos ou cortar gastos, duas
frutas e verduras “feias” (1o parágrafo) e alimentos ações difíceis de serem executadas.
“feios” (3o parágrafo) têm a função de
(C) cobrar mais impostos dos cidadãos que recebem
(A) comparar os alimentos a produtos de beleza, os benefícios provenientes da aposentadoria.
quais servem para enfeitar as pessoas.
(D) solicitar empréstimos ou fazer financiamentos
(B) sinalizar que a ideia de feiura se apresenta com para custear os altos gastos do governo.
conotação irônica, equivalendo a beleza.
(E) aumentar o tempo de contribuição dos
(C) sugerir uma crítica à distinção que se faz entre os trabalhadores ou exigir que estes cortem despesas.
alimentos a partir de um critério estético.
17. Um problema que agrava a situação do sistema
(D) explicitar que a noção de beleza é consensual e, previdenciário brasileiro é
por isso, não deve ser questionada.
(A) a redução da expectativa de vida.
(E) reproduzir a fala de cientistas que provaram que
a aparência dos alimentos é irrelevante (B) o recente aumento da receita do governo.

(C) a atual queda no número de tributos.

Leia o texto para responder às questões de números (D) o envelhecimento da população.


16 a 20.
(E) a elevação do número de trabalhadores ativos.
Sem ilusionismo Muita gente acredita que mudar o
sistema previdenciário do país é uma forma de 18. Ao empregar no plural o termo destacado na frase
submissão do governo aos desejos inescrupulosos do – Não haverá mágico que consiga mudar essa
mercado financeiro e dos fiscalistas de plantão. Ledo realidade. –, a redação correta, conforme a norma-
engano. Se uma despesa avança em velocidade padrão, será:
incompatível com a receita usada para bancá-la, só há
(A) Não haverá mágicos que consigam mudar essa
dois caminhos para corrigir a distorção: você gera
realidade.
mais dinheiro para financiar a festa ou pisa no freio
do gasto. O orçamento de um governo é semelhante (B) Não haverá mágicos que consiga mudar essa
ao de uma pessoa comum. Se seu salário é de mil realidade.
moedas e suas despesas bateram em mil e duzentas,
está na hora de pedir aumento ou diminuir a lista de (C) Não haverão mágicos que consigam mudar essa
despesas. Não há mágica. O problema é que quando o realidade.
assunto é previdência, todo mundo espera a chegada
do ilusionista. Governos só conseguem engordar o (D) Não haverão mágicos que consiga mudar essa
caixa cobrando mais impostos. Mas quem já paga realidade.
tributos (muitos) não vê com bons olhos tal
alternativa. Então, chegamos à segunda opção: a (E) Não haverão mágicos que consigam mudarem
tesoura. “Mas como cortar despesas num país tão essa realidade.
carente?”, ponderam alguns. “Como propor mais
tempo de trabalho para quem está próximo de 19. Assinale a alternativa em que a expressão entre
encostar a chuteira?”, questionam outros. O caminho colchetes substitui corretamente aquela destacada em
do equilíbrio nunca foi uma via fácil. O fato é que a negrito, segundo a norma-padrão.
população brasileira está envelhecendo e vivendo
(A) Se uma despesa avança em velocidade
mais. E o sistema ativo é insuficiente para garantir o
incompatível com a receita… [que não harmoniza-se
funcionamento da engrenagem. Não haverá mágico
da]
que consiga mudar essa realidade. (Renato Andrade,
01.01.2016. www.folha.uol.com.br. Adaptado)
(B) … só há dois caminhos para corrigir a
distorção… [que corrige-se a]
16. Segundo o autor, para garantir o funcionamento
do sistema previdenciário, é preciso
(C) O orçamento de um governo é semelhante ao de
uma pessoa comum. [comparável com o]
(A) atender às exigências do mercado financeiro
quanto aos investimentos públicos.
(D) Mas quem já paga tributos (muitos) não vê com
bons olhos tal alternativa. [não mostra-se favorá- vel
de]
5

(E) … o sistema ativo é insuficiente para garantir o (D) natural, que não é essencialmente positivo nem
funcionamento da engrenagem… [não encontra-se negativo.
apto à garantir]
(E) entediante, que não justifica alguma reflexão
20. O segmento destacado em – Se uma despesa filosófica.
avança em velocidade incompatível com a receita
usada para bancá-la, só há dois caminhos para 22. No segundo parágrafo, os termos “pombistas” e
corrigir a distorção… – estará corretamente “pombeiros” foram empregados para se referir
substituído, preservando-se o sentido e a correção àqueles que
gramatical, por:
(A) nutrem horror aos pombos.
(A) Caso uma despesa avance…
(B) têm amor aos pombos.
(B) Ainda que uma despesa avance…
(C) são indiferentes aos pombos.
(C) Contudo uma despesa avança…
(D) sobrevivem às custas de pombos.
(D) Pois uma despesa avança…
(E) estudam a origem dos pombos.
(E) Para que uma despesa avance…
23. O termo gavião, destacado em sua última
Leia o texto para responder às questões de números ocorrência no texto – … pode lhe suceder que ele
21 a 23. encontre seu gavião em outro homem. –, é
empregado com sentido
O gavião Gente olhando para o céu: não é mais disco
voador. Disco voador perdeu o cartaz com tanto (A) próprio, equivalendo a inspiração.
satélite beirando o sol e a lua. Olhamos todos para o
céu em busca de algo mais sensacional e comovente – (B) próprio, equivalendo a conquistador.
o gavião malvado, que mata pombas. O centro da
(C) figurado, equivalendo a ave de rapina.
cidade do Rio de Janeiro retorna assim à
contemplação de um drama bem antigo, e há o (D) figurado, equivalendo a alimento.
partido das pombas e o partido do gavião. Os
pombistas ou pombeiros (qualquer palavra é melhor (E) figurado, equivalendo a predador.
que “columbófilo”) querem matar o gavião. Os
amigos deste dizem que ele não é malvado tal; na 24. A frase redigida de acordo com a norma-padrão
verdade come a sua pombinha com a mesma da língua portuguesa é:
inocência com que a pomba come seu grão de milho.
Não tomarei partido; admiro a túrgida inocência das (A) A grande quantidade de satélites que beiram o sol
pombas e também o lance magnífico em que o gavião e a lua tornou os discos voadores menos atraentes.
se despenca sobre uma delas. Comer pombas é, como
diria Saint-Exupéry, “a verdade do gavião”, mas (B) Algo mais sensacional e comovente estão
matar um gavião no ar com um belo tiro pode tomando a atenção daqueles aos quais olham para o
também ser a verdade do caçador. Que o gavião mate céu do Rio de Janeiro.
a pomba e o homem mate alegremente o gavião; ao
(C) À contemplar um drama bem antigo, foi formado
homem, se não houver outro bicho que o mate, pode
dois partidos na cidade: o das pombas e o do gavião.
lhe suceder que ele encontre seu gavião em outro
homem. (Rubem Braga. Ai de ti, Copacabana, 1999.
(D) O autor alegou de que os gaviões comem suas
Adaptado)
pombas com a mesma inocência com que tal come o
seu milho.
21. O fato de o gavião matar a pomba é visto, pelo
autor, como um evento
(E) É impossível pomba e gavião conviver sem que
exista confrontos de algum tipo, pois este se alimenta
(A) mórbido, o qual denuncia a natureza cruel dos
daquelas.
seres vivos.
25. Considere a tira. (André Dahmer. Malvados.
(B) espetacular, pois é algo raro de se encontrar na
www.folha.uol.com.br) O comentário do último
natureza.
quadrinho revela que a personagem
(C) irrelevante, uma vez que não interfere no
(A) faz uma avaliação otimista da vida.
cotidiano da cidade.
6

(B) se recusa a ver os problemas da vida. varal, está interessadíssima no senhor, gamadona. O
velho subiu nas nuvens, encantado. Recusou-se a dar
(C) demonstra uma visão negativa da vida. mais detalhes, mandou-o para casa, e chamou a
senhora: – Ele esteve aqui. É um senhor de idade.
(D) exalta os aspectos benéficos da vida. Bonitão, viu? Confessou que fez tudo por amor, para
chamar a sua atenção. Percebeu que uma chama
(E) tem entusiasmo pelas qualidades da vida.
romântica brilhou nos olhos dela. Caso encerrado.
Leia a crônica Caso de polícia, de Ivan Angelo, e (Humberto Werneck, Org. Coleção melhores crônicas
responda às questões de números 26 a 33. Desde que – Ivan Angelo. Global, 2007. Adaptado)
viu pela primeira vez um filme policial, o rapaz quis
26. Pelas informações presentes no texto, é correto
ser um homem da lei. Sonhava viver aventuras, do
afirmar que o rapaz
lado do bem. Botar algemas nos pulsos de um
criminoso e dizer, como nos livros: “Vai mofar na (A) decidiu ser delegado intrigado pelos crimes não
cadeia, espertinho”. Estudou Direito com o objetivo solucionados pela polícia e se imaginava repetindo
de ser delegado de polí- cia. No início do curso, até frases de seus personagens favoritos, quando
pensou em tornar-se um grande advogado criminal, prendesse criminosos.
daqueles que desmontam um por um os argumentos
do nobre colega, mas a partir do segundo ano (B) cursou Direito com o intuito de tornar-se um
percebeu que seu negócio eram mesmo as algemas. respeitado advogado criminal, mas seu desempenho
Assim que se formou, inscreveu-se no primeiro mediano nos estudos o levou a optar por ser delegado
concurso público para delegado. Fez aulas de defesa de polícia.
pessoal e tiro. Estudou tanto que passou em primeiro
lugar e logo saiu a nomeação para uma delegacia em (C) preparou-se com esmero para o primeiro dia de
bairro de classe média, Vila Mariana. No dia de trabalho, incorporando os gestos e a aparência de
assumir o cargo, acordou cedo, fez a barba, tomou James Bond, embora estivesse contrariado por ter
uma longa ducha, reforçou o desodorante para o caso sido designado para um bairro de classe média.
de algum embate prolongado, vestiu o melhor terno,
caprichou na gravata e olhou-se no espelho satisfeito. (D) surpreendeu os demais funcionários da delegacia
Encenou um sorriso cínico imitando Sean Connery e por conduzir, com firmeza e rigor jurídico, o caso dos
falou: – Meu nome é Bond. James Bond. Na vizinhos idosos que há tempos brigavam por motivos
delegacia, percorreu as dependências, conheceu a insignificantes.
equipe, conferiu as armas, as viaturas, e sentou-se à
mesa, à espera do primeiro caso. Não demorou: (E) decepcionou-se por seu primeiro caso não
levaram até ele uma senhora idosa e enfezada. – apresentar a relevância que ele esperava, entretanto
Doutor, estão atirando pedras no meu varal! Adeus conseguiu encerrá-lo de forma bem-sucedida,
007. O delegado-calouro caiu na besteira de dizer à servindo-se de trâmites não ortodoxos.
queixosa que aquilo não era crime. – Não é crime?
27. Analisando as atitudes do delegado, da senhora
Quer dizer que podem jogar pedras no meu varal? –
queixosa e do vizinho, pode-se caracterizá-los,
Eu não posso prender ninguém por isso. – Ah, é?
correta e respectivamente, como:
Então a polícia vai permitir que continuem a jogar
pedras no meu varal? A sujar minha roupa? James (A) sonhador; fofoqueira e apaixonado.
Bond não tinha respostas. Procurou saber quem
jogava as pedras. A velha senhora não sabia, mas (B) conciliador; vaidosa e taciturno.
suspeitava de alguém da casa ao lado. O delegado
mandou “convidarem” o vizinho para uma conversa e (C) intransigente; autoritária e esperto.
pediu que trancassem a senhora numa sala. – Ai, meu
Deus, só falta ser um velhinho, para completar! – (D) inexperiente; decidida e solitário.
murmurou o desanimado Bond. Era um velhinho que
confessou tudo dando risadinhas travessas. (E) ingênuo; dissimulada e divertido.
Repreendeu-o com tom paterno: – O senhor não pode
28. Assinale a alternativa que traz a afirmação correta
fazer uma coisa dessas. Por que isso, aborrecer as
sobre o texto.
pessoas? – É para passar o tempo. Vivo sozinho, e
com isso eu me divirto um pouco, né? O moço
(A) A expressão assim que, no 2o parágrafo, exprime
delegado cruzou as mãos atrás da cabeça, fechou os
ideia de tempo e pode ser substituída corretamente
olhos e meditou sobre os próximos trinta anos.
por enquanto.
Pensou também na vida, na solidão e em arranjar uma
namorada. Abriu os olhos e lá estava o velhinho. –
Pois eu vou contar uma coisa. A sua vizinha, essa do
7

(B) O pronome aquilo, no 7o parágrafo, refere-se à (B) porém … depois que … de sorte que
maneira desrespeitosa com que a senhora idosa tratou
o novo delegado. (C) portanto … mas … conforme

(C) A expressão com tom paterno, no 13o parágrafo, (D) entretanto … e … para que
associa ao verbo repreender a circunstância adverbial
de modo. (E) pois … visto que … a fim de que

(D) A expressão subir nas nuvens, no 18o parágrafo, 31. Nas frases reescritas a partir das ideias do texto, o
está empregada em sentido próprio e significa ficou sinal indicativo de crase está corretamente empregado
entusiasmado. em:

(E) Os diminutivos velhinho e risadinhas, no 13o (A) O rapaz estudou Direito visando à se tornar um
pará- grafo, e os aumentativos gamadona e bonitão, respeitado delegado de polícia.
no 17o e no 19o parágrafos, atribuem valor afetivo a
(B) Caso exercesse a profissão de advogado,
esses substantivos
imaginava-se suficientemente astuto para opor-se à
29. Considere os trechos destacados na frase a seguir. qualquer argumentação de outros colegas.
Na delegacia, vagarosamente percorreu as
(C) Inscreveu-se no concurso e dedicou-se à aulas de
dependências, cumprimentou todos da equipe,
defesa pessoal e tiro.
decidiu conferir as armas e as viaturas e sentou-se à
mesa, onde aguardou o seu primeiro caso. Assinale a (D) Passou em primeiro lugar e em pouco tempo se
alternativa em que os pronomes estão adequadamente deu à nomeação para a delegacia do bairro de Vila
colocados na frase e substituem, correta, Mariana, em São Paulo.
respectivamente e de acordo com a norma-padrão da
língua portuguesa, as expressões destacadas. (E) Para dar continuidade à investigação, o jovem
delegado convocou o velhinho a quem a senhora
(A) Na delegacia, vagarosamente as percorreu, havia se referido como suspeito.
cumprimentou-os, decidiu conferi-las e sentou-se à
mesa, onde o aguardou. 32. Assinale a alternativa em que a pontuação foi
empregada de acordo com a norma-padrão da língua
(B) Na delegacia, vagarosamente as percorreu, portuguesa.
cumprimentou-os, decidiu conferir-lhes e sentou-se à
mesa, onde aguardou-o. (A) O moço delegado cruzando, as mãos atrás da
cabeça, fechou os olhos e pôs-se a pensar, na vida, na
(C) Na delegacia, vagarosamente as percorreu, solidão, em ter uma namorada. Abriu os olhos e lá
cumprimentou-lhes, decidiu conferi-las e sentou-se à estava o velhinho a observá-lo com curiosidade!
mesa, onde aguardou-o.
(B) O moço delegado, cruzando as mãos atrás da
(D) Na delegacia, vagarosamente percorreu-as, cabeça, fechou os olhos e pôs-se a pensar: na vida, na
cumprimentou-lhes, decidiu conferi-las e sentou-se à solidão, em ter uma namorada... Abriu os olhos e lá
mesa, onde o aguardou. estava o velhinho a observá-lo com curiosidade.
(E) Na delegacia, vagarosamente percorreu-as, (C) O moço delegado, cruzando as mãos atrás da
cumprimentou-os, decidiu conferir-lhes e sentou-se à cabeça, fechou os olhos e pôs-se a pensar: na vida, na
mesa, onde aguardou-o. solidão, em ter uma namorada. Abriu os olhos e lá
estava, o velhinho a observá-lo com curiosidade!
30. Leia a frase.
(D) O moço delegado cruzando, as mãos atrás da
O velhinho ficou encantado ao pensar que a vizinha
cabeça, fechou os olhos e pôs-se a pensar, na vida, na
se interessava por ele,_______________ o delegado-
solidão, em ter uma namorada... Abriu os olhos e, lá
calouro recusou-se a dar mais
estava, o velhinho a observá-lo com curiosidade.
detalhes_________________ mandou-o para casa,
chamando posteriormente a senhora queixosa- (E) O moço delegado cruzando as mãos atrás da
________________ ambos finalizassem a conversa. cabeça, fechou os olhos, e pôs-se a pensar: na vida,
Para que a frase mantenha o sentido do texto, as na solidão, em ter uma namorada... Abriu os olhos e
lacunas devem ser preenchidas, correta e lá estava, o velhinho a observá-lo, com curiosidade.
respectivamente, por:

(A) todavia … quando … caso


8

33. De acordo com a norma-padrão da língua I. Às pessoas é dada a opção de questionar as leis
portuguesa, a concordância verbal e nominal está vigentes.
correta em:
II. Às vezes que tivemos problemas quanto à
(A) Nesta locadora existe à disposição dos clientes distribuição de verbas já foram mencionadas.
filmes policiais renomados, tanto nacionais como
estrangeiros. III. Ignorou as formas de fazer referência a situações
controversas tal como a apresentada à sua avaliação.
(B) À porta do hotel, havia repórteres aguardando a
entrevista com o ator escolhido para ser James Bond IV. Não há, àqueles que queiram se manifestar, tal
nos próximos filmes da série. possibilidade.

(C) Depois de ouvida atentamente as reprimendas do Estão corretas quantas das proposições? Assinale a
delegado, o velhinho justificou-se dizendo que alternativa que contenha essa resposta:
importunava a vizinha apenas para divertir-se um
pouco. (A) Três, apenas.

(D) A senhora indignou-se com as pedras que (B) Uma, apenas.


sujavam seu varal e, embora idosa, resolveu ela
(C) Duas, apenas.
mesmo ir à delegacia.
(D) Todas as quatro proposições estão corretas.
(E) Graças à intervenção do delegado, o caso foi
encerrado de forma que todos estivessem quite com a
justiça. 37.Releia, agora, o primeiro parágrafo do texto.

34. Observe: “B não ‘pode’ ver isso, porque trairia "A radiologia, assim como diversas outras áreas da
sua identidade”. O emprego dos porquês requer medicina, evolui ano a ano, mês a mês, pesquisa após
especial atenção. Dessa forma, analise as frases das pesquisa."
alternativas a seguir e assinale a única
Sobre ele, analise as afirmativas e assinale a
INCORRETA. alternativa que apresente apenas informações
corretas.
(A) Nenhum porquê foi apresentado de forma
convincente. (A) Nas expressões "ano a ano" e "mês a mês"
deveria haver sinal indicativo de crase.
(B) Nada faz sentido, porque ninguém se entende.
(B) Nas expressões "ano a ano" e "mês a mês" o "a" é
(C) O trajeto porque retornei trouxe-me boas um artigo; por isso, não poderia ser substituído por
recordações. "após", como aparece em "pesquisa após pesquisa".

(D) Não quis informar por que teria se atrasado. (C) Todas as vírgulas presentes no trecho foram
utilizadas pela mesma razão: isolar apostos.
35. Dentre as alternativas, assinale a EXCEÇÃO
quanto à correção da regência. (D) As palavras "áreas", "mês" e "após" são, todas,
acentuadas pela mesma regra.
(A) Os responsáveis receberam o auxílio de que
necessitavam para dar sequência ao processo. (E) O "a" em "ano a ano" e em "mês a mês" é
preposição e aparece, corretamente, sem marcação
(B) Obedeceu ao regimento da instituição e se com sinal indicativo de crase.
manteve alheia aos comentários.
38. Assinale a alternativa em que haja uma análise
(C) Os profissionais da saúde assistiram os enfermos correta de palavras, expressões ou trechos de "De
no ambulatório central. acordo com o Instituto Nacional de Saúde Mental,
não há um único teste capaz de diagnosticar uma
(D) Não manifestar-se, em tempo oportuno, implica criança com o transtorno.".
na perda da vaga.
(A) "não" – advérbio de negação e complemento
36. Observe o emprego ou ausência do sinal verbal direto.
indicativo de crase nas proposições que seguem,
(B) "há" – verbo transitivo direto, cujo sujeito é
de acordo com a norma padrão:
"teste".
9

(C) "uma criança" – complemento verbal direto de (E) são necessário inteligência e bons dentes.
"diagnosticar".
42. A Polícia Civil apreendeu 415,4 quilos
(D) "com o transtorno" – complemento verbal
de crack __________ em uma casa na
indireto, precedido da preposição "com".
Avenida Salim Farah Maluf. No local,
(E) "transtorno" – adjetivo que atua como predicativo também __________ dois quilos de
do sujeito "uma criança".
maconha. Um homem de 28 anos e um
39. Sobre a forma verbal "olha", que abre o primeiro adolescente de 17 __________ .
quadrinho, analise as afirmativas.
(A) escondidos … havia … foram detidos
I. É a terceira pessoa do singular do presente do
indicativo, no contexto em que aparece. (B) escondido … havia … foram detido
II. É de um verbo da primeira conjugação. (C) escondidos … haviam … foi detido
III. Não indica, semanticamente, no contexto em que
aparece, o simples ato de "olhar para algo".
(D) escondido … haviam … foram detidos

IV. Mostra que o paciente também é da área da (E) escondidos … havia … foram detido
radiologia, tanto que o médico pretende confirmar o
diagnóstico com ele. 43. Assinale a alternativa em que a concordância
verbal está correta.
Está correto o que se afirma em:
(A) Haviam cooperativas de catadores na cidade de
(A) nenhuma das afirmativas São Paulo.

(B) somente uma das afirmativas (B) O lixo de casas e condomínios vão para aterros.

(C) somente duas das afirmativas. (C) O tratamento e a destinação corretos do lixo
evitaria que 35% deles fosse despejado em aterros.
(D) somente três das afirmativas.
(D) Fazem dois anos que a prefeitura adia a questão
(E) todas as afirmativas do lixo.

40. O termo que mais adequadamente substituiria a (E) Somos nós quem paga a conta pelo descaso com a
palavra "discreto", no primeiro quadrinho, dentre as coleta de lixo
opções a seguir, seria:
44. Assinale a alternativa que completa, correta e
(A) "representativo". respectivamente, as lacunas do trecho.
(B) "pequeno".
_____________ 103 toneladas de lixo reciclável
diariamente.
(C) "nítido".
_____________ 16 centrais de triagem em São Paulo.
(D) "extenso".
(A) Coleta-se. Têm-se
(E) "prejudicial". (B) Coleta-se. Hoje tem
(C) Coletam-se. Existe
41. Assinale a alternativa em que a frase – Para achar (D) Coleta-se. São
comida nesses labirintos… É preciso inteligência… E (E) Coletam-se. Hoje existem
bons dentes! – está reescrita corretamente, no que se
refere à concordância. 45 Assinale a alternativa correta quanto à
concordância verbal.
(A) são necessários inteligência e bons dentes.
(A) Começaram as investigações pelas ações do
(B) é necessário muita inteligência e bons dentes. jovem soldado.
(B) Um jovem soldado e a WikiLeaks divulgou
(C) é necessária ter inteligência e bons dentes. informações secretas.
(C) Mais de um relatório diplomático vazaram na
(D) são necessárias inteligência e bons dentes. internet.
10

(D) Repartições, investimentos, pessoas, nada As vizinhas do andar de cima? Não _____vejo faz
impediram o jovem soldado. tempo.
(E) Os telegramas relacionados com o Brasil foi, para
o ministro Jobim, muito negativos. (A) às . há . às . as
(B) as . há . as . às
46. Assinale a frase em que o acento indicador de (C) às . a . as . às
crase está empregado corretamente. (D) às . a . às . as
(E) as . há . às . as
(A) Vendemos CDs à partir de R$ 10.
(B) Todos nossos produtos podem ser comprados à 51.Assinale a alternativa correta, quanto à
prazo. acentuação, segundo a nova regra.
(C) Você será encaminhado à um de nossos gerentes.
(D) As peças do mostruário também estão à venda. (A) Não se deve por a culpa apenas no uso dos
(E) Você está convidado à conhecer nosso setor de pauzinhos.
eletrodomésticos.
(B) Neste momento, os teóricos reveem os seus
47. Assinale a alternativa correta quanto ao uso do conceitos.
acento indicativo da crase.
(C) Em um mundo de modelos inatingiveis, as
(A) Os catadores andam à pé e coletam lixo reciclável pessoas que não tem amor-proprio, não conseguem
pelas ruas da cidade. paz interior.
(B) O lixo reciclável é destinado à aterros sanitários
em municípios vizinhos.
(C) Os especialistas estão à procura de soluções para (D) Não entendia o conteudo nem via saída para
o tratamento do lixo. aquele problema tão fortuito.
(D) A prefeitura tem muito à fazer antes de implantar
a coleta seletiva do lixo. (E) O corredor para a cada cem metros para poder
(E) A notícia do lixo em São Paulo chegou à Vossa respirar
Excelência pelo jornal.
52. Assinale a alternativa em que as palavras são
48. Assinale a alternativa que completa, correta e acentuadas graficamente pelos mesmos motivos que
respectivamente, as lacunas das frases. justificam, respectivamente, as acentuações de:
_______ situações insustentáveis do lixo na capital. década, relógios, suíços
Esse problema chega ____ autoridades que deverão
tomar _____ providências cabíveis. (A) flexíveis, cartório, tênis

(A) As . as . as (B) inferência, provável, saída


(B) Há . às . as
(C) Há . as . às
(D) Às . as . às (C) óbvio, após, países
(E) As . hás . as
(D) islâmico, cenário, propôs
49. Assinale a alternativa correta quanto ao uso do
acento indicativo da crase. (E) república, empresária, graúda

(A) Sei que é mulher de um ator chamado Tom 53.Assinale a alternativa contendo a frase em que
Cruise, de quem também só assisti à um filme: “De todas as palavras estão corretamente acentuadas, de
Olhos Bem Fechados”. acordo com a norma culta.
(B) Os ortopedistas alertam quando os saltos altos
não são adequados à uma estrutura óssea em
(A) No cérebro, fervilham ideias srcinais que ele
formação.
anotava a lápis nos papéis.
(C) Os ortopedistas observam que a estrutura óssea
em formação só se completará à partir dos 12 ou 13
anos. (B) Atrás daquele aspécto austero, escondia-se um
(D) O problema não se limita às crianças de observador sútil e irónico.
Hollywood ou àquelas de pais famosos.
(E) Estamos gerando crianças-adultos, que (C) Cada rêu sofreu os castigos do paranôico
dificilmente chegarão à viver a maturidade. assassino.

50. A Fúria se rende _____ vuvuzelas. (D) No céu também há uma hóra melancôlica.
Caim é o último livro de José Saramago, que
morreu_____ uma semana.
(E) O baiano toca berimbáu no Anhangabau.
Sujeito _____ crises de humor, ele não vive em paz.
11

54. Complete, correta e respectivamente, as lacunas cujos prefixos, de origem latina, correspondem,
das frases conforme a nova regra. quanto ao significado, aos de origem grega?
(A) translúcido, ingerir, sobrepor, ambivalência
I. Por que eles não ____ ao hospital? (B) disseminar, intramuscular, superficial,
ambiguidade
II. É preciso que eles ____ sua autorização. (C) disjungir, emigrar, supervisão, bilíngue
(D) transalpino, enclausurar, supercílio, ambicionar
(E) percorrer, imergir, epopeia, ambivalên
(A) vêm ... deem
59.Assinale a alternativa que contém, pel
(B) vêm ... dêm a ordem, o nome do processo de formação das
seguintes palavras:ataque,tributária e expatriar
(C) vêem ... dêem :
(A) prefixação, sufixação, derivação imprópria
(D) vem ... dêm
(B) derivação imprópria, sufixação, parassíntese
(E) vêem ... dêm
(C) prefixação, derivação imprópria, parassíntese
55. Considere as informações: PM ______266 em
blitz da Lei Seca, multa 15 e prende dois. Nesta terça- (D) derivação regressiva, sufixação, prefixação e
feira,________ integrantes das polícias Civil, Militar sufixação
e Técnico-Científica estiveram reunidos com
advogados, promotores de justiça e para decidir (E) derivação regressiva, sufixação, parassíntese
ajustes nos procedimentos administrativos referentes
à lei federal 11.705, que trata da________ no trânsito.
Os espaços das frases devem ser preenchidos,
respectivamente, com:

(A) pára ... juízes ... embriaguez

(B) para ... juizes ... embriaguêz

(C) pára ... juizes ... embriaguez

(D) para ... juízes ... embriaguez

(E) para ... juízes ... embriaguez

56. Assinale a alternativa em que a palavra em


destaque é acentuada pela mesma razão gramatical
que a palavra.índices

(A) Adônis representa o deus grego da beleza


masculina.
(B) A saúde das pessoas depende fundamentalmente
da alimentação.
(C) A morte é uma solução irreversível
(D) Os dados da pesquisa foram representados em um
gráfico
(E) Além do cuidado com o corpo, é preciso manter
o emocional equilibrado.

57.Em –Jamais em minha vida achei na rua ou em


qualquer parte do globo um objeto qualquer.
–, o termo em destaque introduz ideia de

(A) posse.
(B) modo.
(C) tempo.
(D) direção.
(E) lugar.

58.Considere as seguintes palavras, cujos prefixos


são de origem grega:diáfano, endocárdio,
epiderme,anfíbio.Qual alternativa apresenta palavras