Você está na página 1de 6

EF10DP © Porto Editora

TA Teste de Avaliação 3
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

FORMULÁRIO
Energia, fenómenos térmicos e radiação
P
E = m c DT E = m DH DU = W + Q Er =
A
T / K = t / °C + 273,15

1. Classifique de verdadeira 1V2 ou falsa 1F2 cada uma das afirmações seguintes.
1A2 Os sistemas físicos só podem ser abertos ou fechados.
1B2 A energia interna de um sistema mantém-se sempre constante.
1C2 Um sistema a temperatura elevada tem mais energia interna do que o mesmo sistema a
temperatura mais baixa.
1D2 Um sistema está em equilíbrio térmico com a sua vizinhança quando a temperatura é a mesma.
1A2 F. Os sistemas físicos podem ser abertos, fechados ou isolados.
1B2 F. A energia interna de um sistema não é constante. Por exemplo, um sistema a temperatura mais
elevada tem mais energia interna do que o mesmo sistema a temperatura mais baixa.
1C2 V.
1D2 V. Dois sistemas em equilíbrio térmico encontram-se à mesma temperatura.

2. Uma das formas de aproveitamento da radiação solar é a sua transformação em energia elétrica, em
painéis fotovoltaicos.
Um painel fotovoltaico é constituído por células fotovoltaicas de um material semicondutor, como o
silício. A incidência da radiação solar nestas células cria uma diferença de potencial elétrico nos seus
terminais, produzindo uma corrente elétrica contínua.
Quando se pretende instalar um painel fotovoltaico, por exemplo, numa habitação, é preciso conhecer a
potência elétrica necessária, a potência solar média disponível por unidade de área do painel e a
potência elétrica fornecida pelo painel por unidade de área, para depois se calcular a área adequada do
painel fotovoltaico a instalar nessa habitação.
2.1. O que é necessário conhecer para dimensionar a área de um painel fotovoltaico para uma
determinada instalação elétrica?
Para se dimensionar a área de um painel fotovoltaico para uma determinada instalação elétrica, é
preciso conhecer a potência elétrica necessária, a potência solar média disponível por unidade de
área do painel e a potência elétrica fornecida pelo painel por unidade de área, para depois se
calcular a área adequada do painel fotovoltaico a instalar nessa habitação.
2.2. Suponha que a energia solar total incidente no solo, durante um ano, na localidade onde vive, é de
2,20 * 1010 J m- 2.
Calcule a área de painéis fotovoltaicos necessária para um gasto diário médio de eletricidade de
19,0 kW h, se instalar na sua casa painéis com um rendimento de 30%.
Erad. inicial/ano = 2,20 * 1010 J m- 2 ; hpainel 1%2 = 30%
Egasta/dia = 19,0 kW h = 19,0 * 103 * 3600 = 6,84 * 107 J

74
Teste de Avaliação 3

• Cálculo do gasto médio de eletricidade por ano:


Egasta/ano = 6,84 * 107 * 365 § Egasta/ano = 2,50 * 1010 J
• Cálculo da energia solar necessária por ano:
Egasta
Sendo h 1%2 = * 100 .
Esolar nec.

Substituindo pelos valores, tem-se:


2,50 * 1010 2,50 * 1010
0,30 = § Esolar nec. = § Esolar nec. = 8,33 * 1010 J
Esolar nec. 0,30
• Cálculo da área de painéis necessária:
2,20 * 1010 8,33 * 1010
= § Apainéis = 3,8 m2
1 m2 A

2.3. Os painéis solares fotovoltaicos são, hoje, ainda muito pouco utilizados, a nível mundial, para
produzir energia elétrica em larga escala. Tal facto deve-se, por exemplo…
1A2 … aos custos elevados da tecnologia utilizada, à necessidade de ocupação de grandes áreas e ao
baixo rendimento do processo de produção de energia elétrica.
1B2 … à falta de tecnologia, ao recurso de uma energia renovável e ao número reduzido de horas de
luz solar por dia.
1C2 … à poluição atmosférica, ao efeito de estufa e ao número reduzido de horas de luz solar por ano.
1D2 … à falta de tecnologia, ao grande impacto ambiental e ao elevado investimento a longo prazo.
Selecione a opção correta.

Testes
1A2 . Os painéis solares fotovoltaicos são, hoje, ainda muito pouco utilizados, a nível mundial, para
produzir energia elétrica em larga escala devido, essencialmente, aos custos elevados da
tecnologia utilizada, à necessidade de ocupação de grandes áreas e ao baixo rendimento do
processo de produção de energia elétrica.

2.4. Com base na informação apresentada no texto, selecione a opção que contém os termos que devem
preencher os espaços, de modo a tornar verdadeira a afirmação seguinte.
“A potência elétrica fornecida por um painel fotovoltaico da sua orientação
relativamente aos pontos cardeais e da sua inclinação.”

1A2 … não depende… não depende 1B2 … não depende… depende

1C2 … depende… depende 1D2 … depende… não depende


1C2 . A potência elétrica fornecida por um painel fotovoltaico depende da sua orientação
relativamente aos pontos cardeais e da sua inclinação. Devem, por isso, ser colocados de modo
que a intensidade da radiação solar incidente seja máxima. Por exemplo, no hemisfério norte,
devem ser orientados para sul e com uma inclinação adequada à latitude do lugar. Em Portugal, a
inclinação deve ser de cerca de 45o com a horizontal.

3. Para determinar a capacidade térmica mássica do alumínio, um grupo de alunos utilizou um bloco
calorimétrico numa montagem semelhante à que foi feita na atividade laboratorial.
Admita que toda a energia fornecida pela resistência de aquecimento é transmitida para o bloco.
3.1. Como se pode medir a energia fornecida ao bloco calorimétrico, num determinado intervalo de tempo?
EF10DP © Porto Editora

A energia fornecida ao bloco calorimétrico, num determinado intervalo de tempo, corresponde à


energia dissipada por efeito Joule na resistência de aquecimento.
U
E=
Dt
75
Teste de Avaliação 3

3.2. Qual das seguintes expressões poderá ser utilizada no cálculo da capacidade térmica mássica do

EF10DP © Porto Editora


alumínio?
Q
1A2 Dq = m c Q 1B2 c =
Dq
mQ
1C2 c = 1D2 Q = m c Dq V
Dq
1D2 .

3.3. A figura seguinte apresenta um gráfico da variação da temperatura, Dq, em função da energia
fornecida, E, semelhante ao gráfico obtido pelos alunos.

Dq / °C

10,9

2,0

0 2000 10 000 E/J

Com base neste gráfico, determine o valor da capacidade térmica mássica do alumínio.
E
E = m c Dq § c =
m Dq
Sendo m = 1,0 kg, substituindo pelos valores, tem-se:
10 000 - 2000
c= § c = 900 J kg- 1 K- 1
1,0 * 110,9 - 2,02

3.4. Esboce, no mesmo gráfico, a variação de temperatura em função da energia fornecida, para o
caso do bloco de alumínio, com massa de 1,0 kg, e de um bloco de latão com a mesma massa
1clatão = 370 J kg- 1 K- 12.

Dq / °C
Latão

Alumínio

0 E/J

3.5. Determine a capacidade térmica de um bloco de alumínio com uma massa de 600 g.
Sendo C = m c, tem-se, substituindo pelos valores:
C = 0,600 * 900 § C = 540 J K- 1

76
Teste de Avaliação 3

4. Considere um vaso de cobre, com massa de 300 g, que Capacidade térmica mássica
Substâncias
contém 300 g de água à temperatura de 25,0 °C. Uma J kg- 1 K- 1
esfera metálica, em equilíbrio térmico com água em
Aço 460
ebulição, é rapidamente introduzida dentro do
Água 4186
recipiente. Após alguns minutos, a temperatura de
equilíbrio é de 30,0 °C. Considerando o sistema Alumínio 900
isolado e os valores da tabela seguinte, determine: Chumbo 159

4.1. a quantidade de energia cedida como calor, pela Cobre 385


esfera, ao sistema vaso de cobre + água; Ferro 443
mH2O = mCu = 300 g = 0,300 kg
q1 = 25,0 °C
qe = 30,0 °C
Qcedido + Qabsorvido = 0 § Qcedido = - Qabsorvido
Quantidade de calor absorvido pela água: cH2O mH2O 1q e - q 12
Quantidade de calor absorvido pelo vaso de cobre: cCu mCu 1q e - q 12
Assim:
Qcedido = - fcH2O mH2O 1q e - q 12 + cCu mCu 1q e - q 12g
Substituindo:
Qcedido = - f4186 * 0,300 * 130,0 - 25,02 + 385 * 0,300 * 130,0 - 25,02g
Qcedido = - 6,86 * 103 J

4.2. a capacidade térmica da esfera;

Testes
Q
Q = C Dq § C =
Dq
Substituindo:
- 6,86 * 103
C= § C = 98,0 J K- 1
30,0 - 100

4.3. o material de que é feita a esfera, sabendo que a sua massa é de 213 g.
m = 213 g = 0,213 kg
C
C = mc § c =
m
Substituindo:
98,0
c= § c = 460 J kg- 1 °C- 1
0,213
Pela consulta da tabela, conclui-se que a esfera metálica é feita de aço.

5. Para calcular a energia libertada por uma dada massa de vapor de mercúrio para, à temperatura de
ebulição, passar completamente ao estado líquido, a pressão constante, é necessário conhecer…
1A2 … a massa do vapor de mercúrio e a capacidade térmica mássica do mercúrio líquido.
1B2 … a temperatura de ebulição e a variação de entalpia de vaporização.
1C2 … a massa do vapor de mercúrio e a temperatura de ebulição.
1D2 … a massa do vapor de mercúrio e a variação de entalpia de vaporização.
EF10DP © Porto Editora

Selecione a opção correta.

1D2 , pois é E = m DHvaporização .

77
Teste de Avaliação 3

6. A condutividade térmica de um metal A é três vezes superior à condutividade térmica de um metal B.

EF10DP © Porto Editora


Uma placa do metal A tem a mesma área e o dobro da espessura de uma placa do metal B. A placa do
metal A é sujeita a uma taxa temporal de transferência de energia como calor que é o dobro da taxa a
que é sujeita a placa do metal B.
Comparando a diferença de temperatura entre as duas superfícies da placa de metal A, DTA, e a
diferença de temperatura entre as duas superfícies da placa de metal B, DTB, é de esperar que…
3
1A2 … DTA = DTB .
2
3
1B2 … DTB = DTA .
4
4
1C2 … DTB = DTA .
3
1D2 … DTA = 6 DTB .

Selecione a opção correta.

1B2 . Pela Lei da Condução Térmica é:


Q A
= k DT
Dt L
Q Q
Se kA = 3 kB , AA = AB , LA = 2 LB e a b =2a b .
Dt A Dt B
tem-se:

Q AA Q A
a b kA DTA 2a b 3 kB B DTA
Dt A LA Dt B 2 LB
= ± = §
Q AB Q AB
a b k DT a b k DT
LB LB
B B B B
Dt B Dt B
3
DTA
2 3
§ 2= § DTB = DTA
DTB 4

7. Quando se acende uma lareira numa sala, é transferida energia como calor para as paredes da sala.
7.1. Quais são os processos de transferência de energia como calor envolvidos neste processo?
Os processos de transferência de energia são: condução, convecção e radiação.

7.2. Descreva o modo como ocorrem as transferências de energia por condução e por convecção.
O mecanismo de transferência de energia por condução pode ser explicado por interações entre as
partículas do ar, que levam a que as de maior energia cinética cedam energia às de menor energia
cinética, passando estas a vibrar mais, mas sem haver um deslocamento em massa dessas
partículas.
O mecanismo de transferência de energia por convecção pode ser explicado pelo deslocamento em
massa de partículas do ar devido a diferenças de densidade.

7.3. Explique como é que é possível a transferência de energia como calor entre dois corpos a
temperaturas diferentes, não existindo um meio material entre eles.
Não existindo um meio material entre os corpos, a transferência de energia faz-se através da
propagação de luz (radiação eletromagnética).

78
Teste de Avaliação 3

8. Durante um ciclo, uma máquina térmica recebe da fonte quente uma energia como calor de 500 J e
realiza um trabalho W.
Classifique cada uma das afirmações seguintes de verdadeira 1V2 ou falsa 1F2, corrigindo estas últimas.
1A2 A variação da energia interna durante o ciclo é nula.

1B2 Segundo a convenção de sinais utilizada, a energia como calor recebida da fonte quente é positiva e
o trabalho trocado com o exterior é negativo.

1C2 Por aplicação da Primeira Lei da Termodinâmica, o trabalho realizado pela máquina é de 500 J.

1D2 Se o trabalho realizado fosse de 500 J, o rendimento da máquina seria de 100%, o que contraria a
Segunda Lei da Termodinâmica.

1E2 Se o rendimento da máquina for de 40% o trabalho realizado pela máquina durante o ciclo é de 300
J, enquanto 200 J são cedidos à fonte fria.

1F2 Se o trabalho realizado pela máquina for de 125 J, o rendimento da máquina é de 25%.

1A2 V, pois no fim de um ciclo um sistema volta ao estado inicial.


1B2 V.
1C2 F, pois, para além da energia como calor recebida da fonte quente, há energia como calor trocada
com a fonte fria.
Q1 + Q2 + W = 0 § Q1 - 0 Q2 0 - 0 W 0 = 0
0W0
1D2 V. Como h 1,2 = * 100 , o rendimento seria de 100% , mas, de acordo com a Segunda Lei da
Q1

Testes
Termodinâmica, num processo cíclico, a energia como calor proveniente de uma única fonte não
pode ser convertida integralmente em trabalho.
0W0
1E2 F. Sendo h 1,2 = * 100 , seria 0 W 0 = 0,40 * 500 § 0 W 0 = 200 J .
Q1
0W0 125
1F2 V, pois sendo h 1,2 = * 100 ± h 1,2 = * 100 § h 1,2 = 25, .
Q1 500

FIM

Cotações
1. 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 3.1. 3.2. 3.3. 3.4. 3.5. 4.1. 4.2. 4.3. 5. 6. 7.1. 7.2. 7.3. 8. Total 1 pontos2
8 10 18 8 8 8 8 12 10 10 20 10 10 8 8 6 12 8 18 200
EF10DP © Porto Editora

79

Você também pode gostar