Você está na página 1de 29

METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

Profª. Patricia Ferreira Thives Uzinski


1

APRESENTAÇÃO

METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA


TODOLOGIA DO ENSINO SUPERIOR

A Metodologia da Pesquisa Científica está organizada a partir de uma


bibliografia especializada e atualizada sobre a temática.
Este caderno auxiliará na elaboração do artigo científico o qual proporcionará
a finalização da formação do aluno.
Desse modo, a metodologia empregada prioriza a leitura do caderno, slides
da aula e do modelo de artigo científico, orientação ao aluno pelo professor à
distância, assim como a sua aprovação final.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


2

OBJETIVOS

Objetivos da disciplina ou curso...

Este caderno de estudos tem como objetivos:

1 Objetivo Geral

Elaborar a ação de pesquisa desencadeando a produção do texto científico


necessário para conclusão do curso de especialização.

2 Objetivos Específicos

Conhecer a formatação e estrutura do artigo científico;


Desenvolver e realizar a pesquisa científica.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


3

SUMÁRIO

1 ARTIGO CIENTÍFICO ......................................................................................06


1.1 ORIENTAÇÕES GERAIS .................................................................................06
1.2 O QUE É ARTIGO CIENTÍFICO? ....................................................................07
1.3 ELEMENTOS E ETAPAS DO ARTIGO CIENTÍFICO ......................................07
1.4 EXTENSÃO E PROPORÇÃO DO ARTIGO .....................................................08

2 DESENVOLVENDO O ARTIGO CIENTÍFICO .......................................................08

3 FORMATAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO ...................... 11


3.1 ELEMENTOS......................................................................................................11
3.1.1 Pré-textuais......................................................................................................11
3.1.2 Textuais ......................................................................................................... 13
3.1.3 Pós-textuais ......................................................................................................13

4 CITAÇÃO E REFERÊNCIA ................................................................................. 14


4.1 CITAÇÃO .............................................................................................................14
4.1.1 Citação Direta .................................................................................................. 14
4.2 INDICAÇÃO DOS AUTORES NA CITAÇÃO ..................................................... 17
4.3 CITAÇÃO INDIRETA ...........................................................................................18
4.4 CITAÇÃO DE INFORMAÇÃO VERBAL ..............................................................19

5 APRESENTAÇÃO DE ILUSTRAÇÕES E TABELAS .........................................19


5.1 FORMATO DE APRESENTAÇÃO DE ELEMENTOS DO TEXTO
ILUSTRAÇÕES (DESENHOS, FOTOGRAFIAS, ORGANOGRAMAS, QUADROS E
OUTROS) ..................................................................................................................19
5.2 FOTOGRAFIAS DEVEM SER TRATADAS COMO FIGURAS ...........................19
5.3 GRÁFICOS ..........................................................................................................20
5.4 QUADROS ..........................................................................................................20
5.5 TABELAS ............................................................................................................20

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


4

5.6 NOTAS DE RODAPÉ ..........................................................................................21


5.7 PALAVRAS ESTRANGEIRAS ............................................................................21

6 REFERÊNCIAS .....................................................................................................21
6.1 REFERÊNCIAS DE LIVROS .............................................................................. 21
6.1.1 Referências de livros no todo ...........................................................................22
6.1.2 Referências de livros em parte .........................................................................23
6.2 REFERÊNCIAS DE TESES, DISSERTAÇÕES E TRABALHOS ACADÊMICOS ...
................................................................................................................................ 23
6.3 REFERÊNCIA DE ENCICLOPÉDIA ........................................................................24
6.4 REFERÊNCIA DE RELATÓRIO ......................................................................... 24
6.5 REFERÊNCIA DE JORNAL ............................................................................... 24
6.5.1 Jornal no Todo.................................................................................................. 24
6.5.2 Artigo de Jornal ............................................................................................... 24
5.6 REFERÊNCIA DE REVISTA............................................................................... 25
6.6.1 Revista no Todo ................................................................................................. 25
6.6.2 Coleção de Revistas no Todo ......................................................................... 25
6.6.2 Artigo de Revista ............................................................................................. 25
6.7 REFERÊNCIA DE ANAIS ................................................................................... 26
6.8 REFERÊNCIA DE VÍDEO .................................................................................. 26
6.9 REFERÊNCIA DE DOCUMENTO - JURÍDICO – LEGISLAÇÃO ....................... 26
6.10 REFERÊNCIA DE CD-ROM OU DVD .............................................................. 26
6.11 REFERÊNCIA DE ENTREVISTA ORAL .......................................................... 26
6.12 INTERNET ........................................................................................................ 27

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ......................................................................... 28

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


5

TÍTULO DO MÓDULO

1 ARTIGO CIENTÍFICO

1.1 ORIENTAÇÕES GERAIS

O artigo científico é o trabalho de conclusão do curso de pós-graduação lato


sensu, e para que o aluno possa receber o certificado de especialista, dois requisitos
devem ser cumpridos cumulativamente e na sequência:

1) Elaboração do artigo científico e aprovação do professor orientador


através do envio da ata de aprovação para a secretaria acadêmica;
A orientação pelo professor orientador é realizada por e-mail e iniciará a partir
do momento que a secretaria acadêmica liberar o nome do aluno para o professor.
Isso ocorre após o pagamento da taxa de orientação pelo aluno.

2) Socialização do artigo científico que acontecerá seis (06) meses após o


último dia de aula presencial, oportunidade na qual acontecerá o coquetel de
encerramento e uma breve cerimônia para entrega da declaração de conclusão de
curso;

a) A socialização acontecerá seis (06) meses após o último dia de aula


presencial;

b) Esta data estará estabelecida no calendário da turma;

c) Estes seis (06) meses serão o período que o aluno terá para
construção, correção e aprovação do artigo científico. No dia da apresentação a
versão final do artigo deverá ser entregue em CD para o consultor local que
encaminhará para a secretaria acadêmica do CENSUPEG;

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


6

d) O aluno que não finalizar o artigo até a data determinada, deverá pagar
taxa equivalente ao valor de R$500 para postergar a entrega do seu artigo;

e) Esta socialização equivalerá 20% da nota final do artigo;

f) Cada aluno terá um tempo de dez (10) minutos para socializar seu
trabalho com os demais colegas e deverá utilizar o modelo de slides do material
disponível em sua plataforma, o qual deverá conter as seguintes informações: título
do artigo, objetivo geral, problema, breve discussão (fundamentação teórica) e
considerações finais (conclusão).

Importante salientar que as normas exigidas pela instituição para o artigo


científico são baseadas nas normas da ABNT, entretanto, existem algumas
especificidades adotadas.

1.2 O QUE É ARTIGO CIENTÍFICO

“Publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos,


técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento” (ABNT NBR
6022, 2003, p. 2).

Os artigos podem ser apresentados de duas formas (abnt, nbr 6022, 2003):

a) Artigo original: Apresenta temas ou abordagens próprias. Geralmente, relata


resultados de pesquisa, bem como desenvolve e analisa dados não-publicados.

b) Artigo de revisão: Resume, analisa e discute informações já publicadas que


geralmente, resultam de revisão de referências já publicadas.

1.3 ELEMENTOS E ETAPAS DO ARTIGO CIENTÍFICO

ELEMENTOS ETAPAS

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


7

Pré-textuais Título
Subtítulo (opcional)
Autores
Resumo
Palavras-Chave
Textuais Introdução
Desenvolvimento
Considerações Finais
Pós-textuais Referências
Apêndice(s) (opcional – não-recomendado)
Anexo(s) (opcional – não-recomendado)

1.4 EXTENSÃO E PROPORÇÃO DO ARTIGO

Extensão: de 8 a 12 páginas

A proporção sugeria dos elementos do artigo:

ELEMENTOS Nº DE PÁGINAS
Pré-textuais ½
Introdução 2
Desenvolvimento 8
Considerações Finais 1
Referências ½
Total 12

2 DESENVOLVENDO O ARTIGO CIENTÍFICO

Para iniciar um artigo científico é preciso definir o tema, e para isso será
necessário realizar alguns passos:

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


8

Passo 1: Selecionar material – definir tema

Uma pesquisa pode começar a partir de uma dúvida, ou afinidade por algum
assunto, por algo que se quer compreender melhor, a partir de uma oportunidade ou
dificuldade, deverás realizar um levantamento das publicações mais recentes sobre
o tema ou os temas e selecionar as mais importantes.

Enfim, realize a leitura dos materiais selecionados e a partir deles defina o


seu TEMA.

Observação importante: O TEMA escolhido deve estar relacionado com o


curso de pós-graduação que irá apresentar o artigo científico.

Passo 2: Organizar as ideias

Para a sistematização do artigo científico pode-se organizar as ideias de duas


formas

1ª Possibilidade - definindo os seguintes itens:

a) Tema
b) Delimitação do tema
c) Transformação do tema em problema
d) Objetivo

Desta forma, poderá desenvolver a pesquisa se elaborar o artigo e em todo o


processo ter o foco neste esboço para que o trabalho tenha atingido o resultado
esperado.
Os quatro itens acima precisam estar relacionados entre si, abaixo segue
exemplo:

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


9

a) Tema: Produtividade
b) Delimitação do tema: As relações entre escolaridade dos funcionários e falhas no
setor de produção de fios nas empresas têxteis do Vale do Itajaí.
c) Transformação do tema em problema: Qual é relação entre escolaridade dos
funcionários e falhas no setor de produção de fios nas empresas têxteis do Vale do
Itajaí?
d) Objetivo: Identificar as relações entre escolaridade dos funcionários e falhas no
setor de produção de fios nas empresas têxteis do Vale do Itajaí.

2ª Possibilidade – respondendo as perguntas:

1) Qual o meu objeto de pesquisa? (tema)


2) Que dúvidas ou curiosidades tenho a cerca dele? (Problema)
3) Por que vou fazer essa pesquisa? (Introdução)
4) Para quê vou pesquisar? (Introdução)
5) Qual meu objetivo ao desenvolver esta pesquisa? Onde quero chegar?
(Introdução)
6) Como será realizada esta pesquisa? (Metodologia)

Para relembrar: O que são objetivos?

Explicitam para o leitor a intenção da pesquisa (onde se quer chegar ao


término da pesquisa);
Revelam o que se quer conhecer, medir ou provar e indicam a contribuição
do trabalho.
Sempre começam com verbos.

a) Objetivo geral:

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


10

– É a intenção da pesquisa no todo;

b) Objetivos Específicos:
– Definem aspectos determinados que se pretende estudar;
– Etapas a serem cumpridas para atingir o objetivo geral.

3 FORMATAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

Quando se pretende escrever um artigo científico, é necessário utilizar


algumas regras para padronizar a escrita deste texto cuja finalidade é mostrar os
resultados de um estudo que não se constitui em dissertação ou tese.
O artigo deve ser escrito utilizando papel A4. As margens superior e esquerda
devem ter 3 cm e as margens direita e inferior devem ter 2 cm. O texto deve ser
escrito em tamanho 12, com espaçamento 1,5cm entre linhas e alinhamento
justificado. Ao iniciar cada parágrafo deve-se deixar 1.25 cm ou teclar Tab.
O artigo deverá ter um mínimo de 8 e um máximo de 12 páginas,
devidamente numeradas. Todas as páginas são contadas, mas a numeração inicia
apenas na segunda página. O número da página deve estar no canto superior da
margem direita.
A seguir, as normas exigidas para apresentação dos elementos do artigo
científico.

3.1 ELEMENTOS

3.1.1 Pré-textuais

a) Título e Subtítulo (opcional)

O título deverá estar no topo da página, em maiúsculas, centralizado,


tamanho 12, negrito. Após o título também se pode usar um subtítulo, cuja utilização
é opcional. Se utilizar subtítulo, não deve deixar espaço entre o título e o subtítulo.
Este deverá ser escrito em maiúsculas e minúsculas, centralizado, tamanho 12,
negrito.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


11

b) Autores

Ao término do título (se não houver subtítulo), devem-se deixar duas linhas
em branco em tamanho 12 e inserir a autoria do texto. Caso haja subtítulo, procede-
se da mesma forma, deixando duas linhas em branco antes do nome do autor.
Abaixo do título, centralizado, tamanho 12, em linhas distintas, você vai inserir o seu
nome (inclua uma nota de rodapé e indique sua titulação e seu e-mail) e, debaixo
deste, o nome do orientador (inclua o nome e o e-mail do seu orientador).

c) Resumo

Na sequência deixe uma linha em branco e escreva a palavra Resumo,


tamanho 12, negrito, alinhado à esquerda. Deixe uma linha em branco. O resumo
deve sintetizar o objetivo, a metodologia e as considerações sobre o estudo. Na
primeira frase do resumo você deverá expressar o assunto tratado. Não é
aconselhável usar citações. O resumo deve ser de um (1) parágrafo de, no máximo,
15 linhas ou 250 palavras, sem recuo na primeira linha. Usar espaçamento simples,
justificado, tamanho 12. Dica: a escrita do resumo é a última etapa do trabalho, pois
exige que você tenha conhecimento de todo o texto para sua produção. Se você
tentar fazê-lo antes, é provável que não consiga elaborá-lo com a objetividade
necessária. Deixe 2 linhas em branco após o resumo.

d) Palavras-Chave

A próxima etapa é a seleção das palavras-chave (Outra dica: escolha as


palavras-chave somente ao término de todo o trabalho). Após o resumo, escreva
“Palavras-chave:” em tamanho 12, negrito, alinhado à esquerda. As palavras-chave
devem ser iniciadas com letras maiúsculas estar separadas entre si por ponto e
finalizadas também por ponto. Listar de 3 a 6 palavras-chave que identifiquem a
área do artigo e que sintetizem sua temática. As palavras escolhidas devem priorizar
a abordagem geral do tema e, na medida do possível, usando grandes áreas do
conhecimento. Por exemplo: se o artigo versar sobre educação especial inclusiva e
autismo, as palavras-chave poderão ser: Educação Especial. Inclusão. Autismo.
Deixe 2 linhas em branco após as palavras-chave.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


12

3.1.2 Textuais

a) Introdução (Letras maiúsculas, negrito, tamanho 12, alinhada à esquerda)

A introdução é uma das últimas partes do artigo a ser elaborada. Deve


apresentar a contextualização, a relevância, o objetivo, a caracterização da
pesquisa, o tema, o problema, o(s) objetivo(s), a justificativa, a metodologia e a
abordagem do que será tratado na fundamentação. Letras maiúsculas, negrito,
tamanho, alinhada à esquerda.

b) Desenvolvimento – Fundamentação Teórica (Letras maiúsculas, negrito,


tamanho 12, alinhada à esquerda)

Conforme a ABNT - NBR 14720 (2002, p. 5) o desenvolvimento é “a parte


principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto”.
Dividido em quantas partes forem necessárias para dar lógica e articulação ao
tema. Composto por ideias de autores, dados da pesquisa e interpretações (se for o
caso), apresentados de forma integrada, substancial e lógica.

c) Considerações Finais (Letras maiúsculas, negrito, tamanho 12, alinhada à


esquerda)

Nesta seção devem constar, de forma sintética, os elementos desenvolvidos


ao longo do artigo (ideias essenciais do referencial teórico, da metodologia, dos
resultados, da análise etc.).

Encerra-se o artigo comparando esses dados ao objetivo que norteou todo o


estudo, destacando as reflexões do autor. Sugere-se não utilizar citações nesta
seção.

3.1.3 Pós-textuais

a) Referências (Letras maiúsculas, negrito, tamanho 12, alinhada à esquerda)

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


13

Trata-se de uma lista de todos os documentos utilizados para elaboração do


artigo. As referências seguem as regras da ABNT e devem estar em ordem
alfabética, alinhada à margem esquerda.

b) Apêndice (opcional: não-recomendado)

Texto ou documento elaborado pelo autor, que visa complementar o trabalho;


São identificados por letras maiúsculas consecutivas, seguidas de travessão e
respectivo título.
Ex.: APÊNDICE A – Roteiro de entrevista.

c) Anexo (opcional: não-recomendado)

Texto ou documento não elaborado pelo autor do trabalho, que complementa,


comprova ou ilustra o seu conteúdo;
Identificados por letras maiúsculas consecutivas, seguidas de travessão e respectivo
título.
Ex.: ANEXO B – Estrutura organizacional da Empresa Alfa.

4 CITAÇÃO E REFERÊNCIA

4.1 CITAÇÃO

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define citação como a


“menção de uma informação extraída de outra fonte.” (NBR 10520, 2002, p.1).
Devem ser mencionadas nas referências as fontes ou os autores que foram
citados no texto.

4.1.1 Citação Direta

É a transcrição literal extraída do texto consultado, respeitando-se redação,


ortografia e pontuação original.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


14

a) Citação Direta Curta

A citação curta é de até três linhas e deve ser inserida no parágrafo entre
aspas.

Exemplo 1 - No parágrafo: Sobrenome do(s) autor(es) (data, nº da página):


Assis (1996, p. 41) afirma que “a informação está nas mãos de poucos,
porque estes têm medo de perder suas tarefas, ou tornar-se substituíveis.”

Exemplo 2 - No final do parágrafo (SOBRENOME DO AUTOR, data, nº da


página):
“A informação está nas mãos de poucos, porque estes têm medo de perder
suas tarefas, ou tornar-se substituíveis.” (ASSIS, 1996, p. 41).

b) Citação Direta Longa

Deve aparecer em parágrafo distinto, com recuo de 4 centímetros da margem


esquerda, espaçamento simples, sem aspas e em fonte 10.

Exemplo 1:
Os métodos de ensino da leitura e da escrita abrangiam apenas o ensino do
alfabeto, suas combinações e produção de sons, seguido depois pelo ensino da
gramática como coisa pronta e acabada. De acordo com Rizzo (1998, p. 22):

[...] a investigação científica passou das línguas (todas as existentes) à


língua (de concepção abstrata), percebida como e enquanto meio de
comunicação do pensamento e definida como sistema de relações,
determinado por suas propriedades internas, cujas possibilidades
combinatórias oferecem-se à verificação empírica: as regras gramaticais.

Exemplo 2:
Os métodos de ensino da leitura e da escrita abrangiam apenas o ensino do
alfabeto, suas combinações e produção de sons, seguido depois pelo ensino da
gramática como coisa pronta e acabada.

[...] a investigação científica passou das línguas (todas as existentes) à


língua (de concepção abstrata), percebida como e enquanto meio de
comunicação do pensamento e definida como sistema de relações,

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


15

determinado por suas propriedades internas, cujas possibilidades


combinatórias oferecem-se à verificação empírica: as regras gramaticais.
(RIZZO, 1998, p. 22).

c) Citação Direta – Citação da Citação

É a citação de parte de um texto encontrado em um determinado autor, referente a


outro autor, ao qual não se teve acesso. Utiliza-se apenas quando não houver
possibilidade de acesso ao documento original. Indicado pela expressão apud que
significa citado por.

Exemplo 1:
A teoria da Gestalt tem nesta perspectiva sua orientação teórica, entrando-se
nos conceitos de estrutura e totalidade. Segundo Piaget (1976 apud MOLL, 1996, p.
80) “Ela consiste em explicar cada invenção da inteligência por uma estruturação
renovada e endógena do campo da percepção ou do sistema de conceitos e
relações.”

Exemplo 2:
A teoria da Gestalt tem nesta perspectiva sua orientação teórica, entrando-se
nos conceitos de estrutura e totalidade. “Ela consiste em explicar cada invenção da
inteligência por uma estruturação renovada e endógena do campo da percepção ou
do sistema de conceitos e relações.” (PIAGET, 1976 apud MOLL, 1996, p. 80).

d) Citação Direta – Omissão

É um recurso utilizado quando não é necessário citar integralmente o texto de um


autor. Não pode alterar o sentido do texto original.

Indicadas por reticências entre colchetes [...], as omissões podem aparecer no início,
no fim e no meio de uma citação.

Exemplo 1:

Conforme Maturana e Varela (1995, p. 25):

[...] só na reflexão que busca o entendimento nós, seres humanos,


poderemos nos abrir mutuamente para espaços de coexistência nos quais a
agressão seja um acidente legítimo da convivência e não uma instituição
justificada com uma falácia racional. [...] Se não agirmos desse modo, [...] só
nos restará fazer o que continuamente estamos fazendo [...].

Exemplo 2:

[...] só na reflexão que busca o entendimento nós, seres humanos,


poderemos nos abrir mutuamente para espaços de coexistência nos quais a
agressão seja um acidente legítimo da convivência e não uma instituição
justificada com uma falácia racional. [...] Se não agirmos desse modo, [...] só

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


16

nos restará fazer o que continuamente estamos fazendo [...] (MATURANA;


VARELA, 1995, p. 25).

e) Citação Direta – Destaque

É utilizado quando se quer dar destaque e realçar uma palavra, uma expressão
ou mesmo uma frase no texto do autor citado. Deve-se escrever em negrito a
parte do texto a ser destacada, inserindo grifo meu ou grifo nosso entre
parênteses, sempre colocado após a página.

Quando já existe destaque no texto original, mantém-se este destaque indicando


sua existência pela expressão grifo do autor ou grifo dos autores entre
parênteses.

Exemplos:

Como afirma Morin (2000, p. 63, grifo nosso), “[...] nossas visões do mundo
são as traduções do mundo [...]", ou seja, o que acreditamos ser a realidade é o
fruto da interpretação feita por nosso cérebro dos estímulos que chegam a ele via
rede nervosa.

Assim, foi necessário “[...] criar uma literatura independente, diversa, [...]
aparecendo o classicismo como manifestação de passado colonial [...]”
(CANDIDO, 1993, p. 12, grifo do autor).

4.2 INDICAÇÃO DOS AUTORES NA CITAÇÃO

a) Citação de trabalhos de um autor:

Para Votre (1994, p. 75) “As formas de prestígio ocorrem mais em textos mais
formais, mais nobres, entre interlocutores que ocupam posições mais elevadas
na escala social.”

ou

“As formas de prestígio ocorrem mais em textos mais formais, mais nobres,
entre interlocutores que ocupam posições mais elevadas na escala social.”
(VOTRE, 1994, p. 75).

b) Citação de trabalhos de dois autores:

Lakatos e Marconi (2001, p. 68) afirmam que “O resumo é a apresentação


concisa [...] do texto, destacando-se os elementos de maior interesse e
importância [...] da obra.”
ou

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


17

“O resumo é a apresentação concisa [...] do texto, destacando-se os


elementos de maior interesse e importância [..] obra.”(LAKATOS; MARCONI,
2001, p. 68).

c) Citação de trabalhos de três autores:

Conforme Bagno, Gagne e Stubbs (2002, p. 73, grifo dos autores), “O


‘erro’ lingüístico, do ponto de vista sociológico e antropológico, se baseia,
portanto, numa avaliação negativa que nada tem de lingüística [...]” .

ou

“O ‘erro’ lingüístico, do ponto de vista sociológico e antropológico, se baseia,


portanto, numa avaliação negativa que nada tem de lingüística [...]” (BAGNO;
GAGNE; STUBBS, 2002, p. 73, grifo dos autores) .

d) Citação de trabalhos de mais de três autores:

Ashley et al (2003, p. 3) “O mundo atual vê, na responsabilidade social, uma


nova estratégia para aumentar seu lucro e potencializar seu desenvolvimento.”

ou

“O mundo atual vê, na responsabilidade social, uma nova estratégia para


aumentar seu lucro e potencializar seu desenvolvimento.”(ASHLEY et al, 2003, p.
3).

4.3 CITAÇÃO INDIRETA

Transcrição não literal das palavras do autor, mas que reproduz o conteúdo e as
idéias do documento original, devendo-se indicar sempre a fonte de onde foi
retirada. Neste tipo de citação não são utilizadas aspas.

Exemplo 1 - No parágrafo: Sobrenome dos autores (data):

Morin (2000) afirma que todo conhecimento sobre o mundo é decorrente da


interpretação de nosso cérebro acerca do universo percebido pelos sentidos,
multiplicando assim os riscos de erro.

Exemplo 2: Ao final do parágrafo: (SOBRENOME DO AUTOR, data):

Todo conhecimento sobre o mundo é decorrente da interpretação de nosso


cérebro acerca do universo percebido pelos sentidos, multiplicando assim os
riscos de erro. (MORIN, 2000).

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


18

4.4 CITAÇÃO DE INFORMAÇÃO VERBAL

A empresa detém metade do mercado nacional de felpudos (informação verbal) 1.

_________
1
José de Souza, Diretor Presidente da ZZZ, em palestra proferida na ASSEVIM,
em Brusque, no dia 25 de abril de 2003.

5 APRESENTAÇÃO DE ILUSTRAÇÕES E TABELAS

5.1 FORMATO DE APRESENTAÇÃO DE ELEMENTOS DO TEXTO ILUSTRAÇÕES


(DESENHOS, FOTOGRAFIAS, ORGANOGRAMAS, QUADROS E OUTROS)

As ilustrações devem ser centralizadas com legenda numerada partindo de 1.


O título da ilustração deve ser precedido pela palavra que a identifique, exemplo:
“Figura” e pelo seu respectivo número. A posição do título é centralizado e abaixo da
ilustração.

A Fonte ou nota
explicativa deve
estar centralizada e
abaixo da figura, em
fonte "Times New
Roman" tamanho
10.

Figura 1 - Veleiro
Fonte: Campos (1998, p. 43).

5.2 FOTOGRAFIAS DEVEM SER TRATADAS COMO FIGURAS

Figura 2 - Vista parcial do ribeirão Encano - Indaial/SC

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


19

Fonte: Foto Rex (2003).

5.3 GRÁFICOS

Os gráficos apresentam dados numéricos em forma gráfica para melhor


visualização. O mesmo procedimento de títulos deve ser adotado para os gráficos,
ou seja, usar a palavra “Gráfico”, seu respectivo número e seu título. A posição do
título é centralizado e abaixo do gráfico.

100
80
60 Leste
40
Oeste
20
Norte
0
1° 3°
Trim . Trim .

Gráfico 1 – Vendas por Trimestre e Regiões


Fonte: Silva (2004, p. 34)

5.4 QUADROS

Elemento que não apresenta dados estatísticos.

Quadro 1: Distância de Florianópolis a outras cidades


Fonte: Guia Floripa, 2007.

5.5 TABELAS

A legenda da tabela deve ser precedida pela palavra “Tabela” e pelo seu respectivo
número. A posição do título é centralizado e acima da tabela.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


20

Tabela 1 – Notas da Turma 2


Fonte: Campos (1998, p. 23)

5.6 NOTAS DE RODAPÉ

As notas de rodapé devem servir como apoio explicativo e devem ficar sempre no pé
da página. A nota deverá estar separada do resto do texto por uma linha. As notas, a
exemplo das figuras, também devem ser numeradas partindo de 1. Sugere-se que
se utilize do recurso de notas do próprio Word para inserir notas de rodapé no texto.
O próprio WORD administrará a numeração. A posição do texto da nota no pé da
página deve ser alinhada à esquerda.

5.7 PALAVRAS ESTRANGEIRAS

Se, porventura, o trabalho utilizar termos em língua estrangeira, estes deverão ser
escritos usando o modo itálico, exceto a palavra “apud”.
Ex. Abstract, feedback, web, education, science.

6 REFERÊNCIAS

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (2002, p. 1) na NBR 6023 afirma que:

Esta norma fixa a ordem dos elementos das referências e estabelece


convenções para transcrição e apresentação de informação originada do
documento e/ou outras fontes de informação.

6.1 REFERÊNCIAS DE LIVROS

Elementos Essenciais:

AUTOR: Último sobrenome em maiúsculas seguido dos prenomes em minúsculas.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


21

Exceções: nomes espanhóis, iniciam pelo penúltimo sobrenome; dois sobrenomes


ligados por traço de união, que são grafados juntos; sobrenomes que indicam
parentesco como "JÚNIOR", "FILHO", "NETO" acompanham o último sobrenome.

Título: Grifado em negrito, sublinhado ou itálico

Subtítulo: Se houver, separado do título por dois pontos, sem grifo.

Edição: Indica-se o número da edição, a partir da segunda edição, seguido de ponto


e da palavra edição (ed.). Não se anota quando for a primeira; as demais deverão
ser anotadas. Assim: 2. ed., 3. ed.

Local da publicação: Quando há mais de uma cidade, indica-se a primeira


mencionada na publicação, seguida de dois pontos.

Editora: Apenas o nome que a identifique, sem a palavra editora, seguida de virgula.

Data: Ano de publicação.

6.1.1 Referências de livros no todo

EXEMPLO:

SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título: subtítulo (se houver). Edição (após a


2ª). Cidade: Editora, ano.

a) Livro com um autor


DEMO, Pedro. Metodologia do conhecimento científico. São Paulo: Atlas, 2000.

b) Livro com subtítulo


KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e
prática da pesquisa. 19. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

c) Livro com autor espanhol


GARCIA LORCA, Federico. Obra poética completa. São Paulo: Martins Fontes,
1996.

d) Livro com autor com sobrenome separado por traço


MERLEAU-PONTY, Maurice. Signos. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

e) Livro com sobrenome indicando parentesco


ASSAF NETO, Alexandre. Estrutura e análise de balanços. 5. ed. São Paulo:
Atlas, 2000.

f) Livro com sobrenome iniciado com prefixos


McDONALD, Ralf. Engenharia de programas. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1987.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


22

g) Livro integrado com coleção ou série


RESS, G. J. G. Câncer. São Paulo: Três, 2002. (Guia da saúde familiar, 11).

h) Livro com dois autores


MARTINS, P. G.; LAUGENI, F. P. Administração da produção. São Paulo:
Saraiva, 1999.

i) Livro com três autores


TAFNER, Malcon Anderson; TAFNER, José; FISCHER, Julianne. Metodologia do
trabalho acadêmico. Curitiba: Juruá, 2000.

j) Livro com mais de três autores


SLACK, Nigel et al. Administração da produção. São Paulo: Atlas, 1999.

k) Livro c/organizador (Org.) Coordenador (Coord.), Editor(ed.).


MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e
criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

l) Livro cujo autor é uma entidade. Quando uma entidade coletiva assume
integral responsabilidade por um trabalho, ela é tratada como autor.
LIONS CLUBE INTERNACIONAL. A formação do líder no novo milênio. São
Paulo: CNG, 2001.
CENTRO DE ORGANIZAÇÃO DA MEMÓRIA SÓCIO-CULTURAL DO OESTE. Para
uma história do oeste catarinense: 10 anos de CEOM. Chapecó: UNOESC, 1995.

6.1.2 Referências de livros em parte

a) Autor do capítulo é o mesmo da obra


SOBRENOME DO AUTOR DA PARTE REFERENCIADA, Prenomes. (Org.). Título
da parte referenciada. In: ______. Título do livro. Edição (após a 2ª). Local: Editora,
ano. Página inicial e final.
HIRANO, Sedi. (Org.). Projeto de estudo e plano de pesquisa. In:______. Pesquisa
social: projeto e planejamento. São Paulo: TAQ, 1979. p. 22-30.

b) Autor do capítulo não é o mesmo da obra


SOBRENOME DO AUTOR DA PARTE REFERENCIADA, Prenome. Título da parte
referenciada. In: SOBRENOME DO AUTOR OU ORGANIZADOR, Prenomes (Org.).
Título do livro. Edição (após a 2ª). Local: editora, ano. Página inicial e final.
ABRAMO, Perseu. Pesquisa em ciências sociais. In: HIRANO, Sedi (Org.).
Pesquisa social: projeto e planejamento. São Paulo: TAQ, 1979. p. 69-76.

6.2 REFERÊNCIAS DE TESES, DISSERTAÇÕES E TRABALHOS ACADÊMICOS

EXEMPLO:
SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes. Título. Ano. Tese, dissertação ou trabalho
acadêmico (grau e área) - Unidade de Ensino, Instituição, Local, Data.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


23

SILVA, Renata. O turismo religioso e as transformações sócio-culturais,


econômicas e ambientais em Nova Trento – SC. 2004. 190f. Dissertação
(Mestrado em Turismo e Hotelaria ) – Centro de Educação Balneário Camboriú,
Universidade do Vale do Itajaí, Balneário Camboriú, 2004.

SILVA, Everaldo. A Atuação do Movimento Sindical Frente ao Processo de


Falência. Os casos dos Sindicatos dos Mineiros/Criciúma e Trabalhadores
Têxteis/Blumenau. 2005. 170f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento
Regional) – Centro de Ciências Humanas e da Comunicação, Universidade Regional
de Blumenau, Blumenau, 2005.

6.3 REFERÊNCIA DE ENCICLOPÉDIA

NOME DA ENCICLOPÉDIA. Local da publicação: Editora, ano.


ENCICLOPÉDIA BARSA. São Paulo: Vozes, 2002.

6.4 REFERÊNCIA DE RELATÓRIO

NOME DA INSTITUIÇÃO. Titulo do relatório. Local da publicação, ano.


CONGRESSO NACIONAL. Relatório da comissão de orçamento. Brasília, 2002.

6.5 REFERÊNCIA DE JORNAL

6.5.1 Jornal no Todo

NOME DO JORNAL. Cidade, data.


DIÁRIO CATARINENSE. Florianópolis, 17 de maio de 2002.

6.5.2 Artigo de Jornal

a) com autor definido

SOBRENOME DO AUTOR DO ARTIGO, Prenomes. Título do artigo. Título do


jornal, Cidade, data (dia, mês, ano). Suplemento, coluna, número da página.

BOCK, Daniel. A crise cambial. Jornal de Santa Catarina, Blumenau, 17 jun. 2002.
Folha Empresa, Caderno 2, p. 12.

SILVA, I. G. Pena de morte para o nascituro. O Estado de São Paulo, São Paulo,
19 set. 1998. Disponível em:
<http://www.providafamilia.org/pena-morte-nascituro.htm>. Acesso em: 19 set. 1998,
14:05:10.

b) sem autor definido

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


24

TÍTULO do artigo (apenas a primeira palavra em maiúscula). Título do jornal,


Cidade, data (dia, mês, ano). Suplemento, número da página, coluna.

ARRANJO tributário. Diário do Nordeste Online, Fortaleza, 27 nov. 1998.


Disponível em: <http://diariodonordeste.com.br>. Acesso
em: 28 nov. 1998, 16:30:14.
Os meses abreviam-se pelas três primeiras letras, com exceção de maio.
Assim: jan., mar., abr., maio, etc.

6.6 REFERÊNCIA DE REVISTA

6.6.1 Revista no Todo

NOME DA REVISTA. Local de publicação: Editora (se não constar no título), número
do volume (v. __), número do exemplar (n.__), mês. Ano. ISSN.

TRENTINI NEL MONDO. Trento: Associazione trentini nel mondo, v. 45, n.7, jul.
2002. ISSN 0048-053

6.6.2 Coleção de Revistas no Todo

TÍTULO DO PERIÓDICO. Local de publicação: Editora, data (ano) do primeiro


volume e se a publicação cessou, também do último. Periodicidade. Número do
ISSN (se disponível)

REVISTA BRASILEIRA DE MEDICINA. São Paulo: Associação Paulista de


Medicina, 1952 – Mensal. ISSN 0035-0362.

6.6.3 Artigo de Revista

a) Com autor definido

SOBRENOME DO AUTOR DO ARTIGO, Prenomes. Título do artigo. Título da


revista, Local da publicação, número do volume, número do fascículo, página inicial-
final do artigo, mês. Ano.

CHASE, Richard; DASU, Sriram. Você sabe o que seu cliente está sentindo?
Exame, São Paulo, v. 35, n. 15, p. 89-96, jul. 2001.

b) Sem autor definido

TÍTULO do artigo (apenas a primeira palavra em maiúscula). Título da revista,


Local da publicação, número do volume, número do fascículo, pagina inicial-final do
artigo, mês. Ano.

IDÉIAS para o século 21. Você S.A., São Paulo, v. 2, n. 18, p. 34-53, dez. 1999.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


25

6.7 REFERÊNCIA DE ANAIS

NOME DO EVENTO, Número do evento, ano de realização. Local. Título. Local:


Editora, ano de publicação. Número de páginas ou volume.

CÍRCULO DE ESTUDOS LINGÜÍSTICOS DO SUL. 5., 2002, Curitiba. Programação


e resumos. Curitiba: UFPR, 2002.

6.8 REFERÊNCIA DE VÍDEO

TÍTULO. Direção de. Local: Distribuidora, ano. unidades físicas (duração em


minutos): som (legendado ou dublado) cor, largura da fita em milímetros. Sistema de
gravação.

ÓPERA do malandro. Direção de Ruy Guerra. Rio de Janeiro: Globo Vídeo, 1985. 1
cassete (120min) dublado. Color. 12 mm. VHS NTSC.

6.9 REFERÊNCIA DE DOCUMENTO - JURÍDICO – LEGISLAÇÃO

JURISDIÇÃO. Título (especificação da legislação, número e data). Ementa. Dados


da publicação.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.


Brasília: Senado, 1988.

SANTA CATARINA (Estado). Lei n. 5.345, de 16 de maio de 2002. Autoriza o


desbloqueio de Letras Financeiras do Tesouro do Estado e dá outras providências.
Diário Oficial do Estado, Poder Executivo, Florianópolis, 16 jun. 2002. Seção 3, p.
39.

6.10 REFERÊNCIA DE CD-ROM OU DVD

Além dos elementos de referências tradicionais, que se acrescentem, quando


disponíveis, as seguintes informações:

 descrição física: CD-ROM ou DVD, multimídia, cor, som, quantidades de


suportes e disquetes de instalação e material adicional;
 descrição da tecnologia de acesso ao conteúdo: hardware (configuração
mínima) e software (sistema operacional) – Windows, Macintosh etc.;
 resumo do conteúdo ou tipo do documento – jogos, material acadêmico, TCC
etc.

6.11 REFERÊNCIA DE ENTREVISTA ORAL

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


26

ENTREVISTADO. Cargo, função ou perfil. Local, Data (dia mês. Ano).


XAVIER, Carlos. Supervisor de Área da Empresa Clean. Entrevista concedida em
Itajaí – SC, 07 abr. 2004

6.12 INTERNET

a) Com autor definido

CAMPOS, José. A influência da cultura no turismo. 2003. Girus. Disponível em:


<http://www.girus.com.br/turismo.htm>. Acesso em: 14 fev. 2004.

b) Sem autor definido, mas com título

O CÓDIGO fonte do programa. DwBrasil. Disponível em:


<http://www.dwbrasil.com.br/html/dw.html>. Acesso em: 11 ago. 2004.

c) Sem autor e sem título

DWBRASIL. Disponível em:


<http://www.dwbrasil.com.br/html/dw.html>. Acesso em: 11 ago. 2004.

Nota: A ABNT não recomenda citar e referenciar material de eletrônico de curta


duração nas redes.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


27

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRADE, Maria Margarida de. Como preparar trabalhos para cursos de pós-
graduação: noções práticas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10522: abreviação na


descrição bibliográfica – Procedimento. Rio de Janeiro, 1998.

______. NBR 10520: apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro,


2002.

______. NBR 6023: Informação e documentação: Referências Elaboração. Rio de


Janeiro, 2002.

______. NBR 6022/2003: Artigo em publicação periódica. Rio de Janeiro, maio,


2003.

______. NBR 14724: informação e documentação – Trabalhos acadêmicos –


Apresentação. Rio de Janeiro, 2005.

_____. NRB 6024:2012 – Informação e documentação: numeração progressiva das


seções de um documento - apresentação;

_____. NBR 6028:2003 – Informação e documentação: resumo - apresentação;

_____. NBR 6033:1989 - ordem alfabética;

_____. NBR 12225:2004 – Informação e documentação: lombada – apresentação;


DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. 6 ed. São Paulo:
Cortez, 1999.

______. Introdução a Metodologia da Ciência. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1987.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projeto de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas,
2007.

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de Metodologia Científica: teoria da ciência


e iniciação a pesquisa. 21 ed. Petrópolis: Vozes,1997.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de


metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF


28

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade.


22 ed.
Petrópolis: Vozes, 2003.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia Científica; guia para eficiência nos estudos. 5 ed.
São Paulo: Atlas, 2002.

SILVA, Marise Borba da. Metodologia para iniciação a prática da pesquisa e


extensão. Caderno Pedagógico I. Florianópolis: UDESC, 2001.

TEIXEIRA, Gilberto. Metodologia da pesquisa: a questão do método na


investigação científica. Disponível em: www.serprofessoruniversitário.pro.br/textos
Acesso em 29de junho de 2007.

NEaD – Núcleo de Educação a Distância da FSF