Você está na página 1de 1

11/02/2018 Manual de Epicteto – Wikipédia, a enciclopédia livre

Manual de Epicteto
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Enquirídio (Enchirídion) ou Manual de Epiteto,


(em grego: Ἐγχειρίδιον Επικτήτου) é um pequeno manual com Enquirídio
conselhos éticos estoicos compilado por Arriano, que foi aluno
de Epiteto no início do século II.

Apesar de o conteúdo ser derivado dos Discursos de Epicteto, não é


propriamente um resumo dos Discursos, mas sim uma compilação de
preceitos práticos. O Manualé um guia para o dia-a-dia. Ao contrário de
outros mestre da Filosofia da Grécia Antiga, como Platãoe outros
metafísicos, Epiteto foca a sua atenção em como alguém se pode aplicar
de maneira prática num ponto de vista filosófico. O tema primário nesta
curta obra é a de que uma pessoa deve esperar o que deve acontecer e
desejar que tal aconteça. O outro motivo na narrativa que aparece é a
opinião de Epiteto sobre o julgamento dos eventos

O que preocupa as pessoas não são as coisas em si mas o


seu julgamento acerca delas. Por exemplo: a morte não é
algo opressivo (de outra maneira de tal forma a Sócrates)...
-- Manual - capítulo 5[1].

Subjacente a isto tudo, no entanto, está a ideia de que "algumas coisas


nos são dependentes e outras não o são"[1] sendo que devemos reagir e Capítulo 1 do Enquirídio de Epicteto de uma edição de
1683 em grego e latim
interagir em concordância com essas coisas.
Autor(es) Epiteto / Arriano
Nos séculos seguintes, o Enquirídio foi visto como um manual prestável
Idioma Grego helenístico
de filosofia prática, mantendo a sua autoridade com os cristão e pagãos.
País Grécia
No século VI, Simplício da Cilícia escreveu um comentário sobre ele, e
Assunto Ética
dois escritores cristãos, Nilo do Sinai e um autor anónimo, escreveram
Género Filosofia
paráfrases da obra, adaptadas ao pensamento cristão, na primeira parte
Lançamento c. 125
do século V. O Enquirídio foi publicado pela primeira vez em latim
por Angelo Poliziano, em Roma, no ano de 1493. Em 1496, foi traduzido
por Beroaldus, em Bolonha. O original em grego, com comentários de Simplício, apareceu primeiramente em Veneza, no
ano de 1528.

O livro foi um comum texto escolar na Escócia, durante o Iluminismo Escocês. Adam Smith tinha uma cópia de uma
edição de 1670 na sua biblioteca, adquirida quando ainda jovem estudante.[2]

Referências
1. ↑ a b Flávio Arriano. O Enquirídio de Epiteto . Trad. Aldo Dinucci; Alfredo Julien. São Cristóvão, Sergipe: EdiUFS, 2012.
2. ↑ Phillipson, Nicholas (2010). Adam Smith: An Enlightened Life. [S.l.]: Yale University Press. 19 páginas Parâmetro
desconhecido |Google Books= ignorado (ajuda)
v•e Estoicismo
Estoicismo
Zenão de CítioPerseu de CítioArísto de QuiosEsferoHérilosCleantes de AssosCrisipo de SolisZenão de TarsoCrates
antigo
Estoicismo
Filósofos Panécio de RodesDárdano de AtenasMnesarco de AtenasHecato de RodesPosidónioDiódotoGeminoAntípatro de Tiro
médio
Novo
SénecaCornutoMusónio RufoEufratesCleómedesEpitetoHiéroclesSexto de QueroneiaJúnio RústicoMarco Aurélio
estoicismo
Filosofia EstoicismoCategorias estoicasPaixões estoicasFísica estoicaNeoestoicismo
Conceitos AdiáforaApatheiaAtaraxiaDiairesisEudemoniaCatalepsiaLogosKathekonPhysisPneumaProhairesis
Obras Diálogos (Séneca)Discursos (Epicteto)Enquirídio (Epicteto)Epístolas (Séneca)Meditações (Marco Aurélio)A República (Zenão)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Manual_de_Epicteto 1/1

Você também pode gostar