Você está na página 1de 27

1

MODELO DE AÇÃO CIVIL PÚBLICA

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ª VARA DA


FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DO MUNICÍPIO (...), NO ESTADO (...)

ASSOCIAÇÃO, CONSTITUÍDA E EM FUNCIONAMENTO HÁ MAIS DE UM ANO,


PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO, CNPJ Nº..., COM SEDE NA RUA...,
VEM, POR SEU ADVOGADO, INFRA-ASSINADO, COM PROCURAÇÃO ANEXA E
ENDEREÇO PROFISSIONAL NA RUA..., ONDE SERÃO ENCAMINHADAS AS
INTIMAÇÕES DO FEITO, PROPOR AÇÃO CIVIL PÚBLICA EM FACE DE,

 MUNICÍPIO (...), PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PÚBLICO INTERNO, CNPJ


Nº..., COM SEDE NA RUA...;
 NOME, PRENOME A, NACIONALIDADE, ESTADO CIVIL, AGENTE PÚBLICO, RG
Nº..., CPF Nº..., RESIDENTE E DOMICILIADO NA RUA...;
 EMPRESA C, PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO, CNPJ Nº..., COM SEDE
NA RUA...;
 NOME, PRENOME B, NACIONALIDADE, ESTADO CIVIL, PROFISSÃO, RG Nº...,
CPF Nº..., RESIDENTE E DOMICILIADO NA RUA...;

PELOS FATOS E FUNDAMENTOS A SEGUIR:

DO CABIMENTO E DA LEGITIMIDADE

É CABÍVEL A PROPOSITURA DA PRESENTE AÇÃO COM FULCRO NO ART. 129,


§1º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E ART. 1º E SEGUINTES DA LEI Nº 7.347/85,
POR SE TRATAR DE ATO LESIVO A ORDEM ECONÔMICA.

É LEGÍTIMA A AUTORA COM FULCRO NO ART. 5º, INCISO V DA LEI Nº 7.347/85,


HAJA VISTA TER SIDO CONSTITUÍDA HÁ MAIS DE UM ANO E BUSCAR A
PROTEÇÃO DA ORDEM ECONÔMICA.

DOS FATOS

O MUNICÍPIO RÉU CELEBROU CONTRATO ADMINISTRATIVO COM A EMPRESA


C, ORA TERCEIRA RÉ, TENDO COMO OBJETO O FORNECIMENTO DE MATERIAL
ESCOLAR PARA TODA REDE PÚBLICA DE ENSINO MUNICIPAL, PELO PRAZO DE
60 (SESSENTA) MESES. O CONTRATO FOI CELEBRADO SEM REALIZAÇÃO
PRÉVIA DE PROCEDIMENTO LICITATÓRIO E APRESENTOU VALOR DE 5
(CINCO) MILHÕES DE REAIS. O DIRETOR DA ASSOCIAÇÃO, ORA AUTORA,
CONSTITUÍDA E EM FUNCIONAMENTO HÁ MAIS DE UM ANO, COM A
FINALIDADE DE PROTEÇÃO A ORDEM ECONÔMICA, INCONFORMADO COM A
CONTRATAÇÃO IRREGULAR QUE TEM COMO BENEFICIÁRIO O FILHO DA
COMPANHEIRA DO PREFEITO, VEM A JUÍZO, EM FAVOR DA SOCIEDADE, COM
O PROPÓSITO DE DEFENDER A ORDEM ECONÔMICA.

DO MÉRITO

PRIMEIRAMENTE, O ART. 37, INCISO XXI, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL


DETERMINA A OBRIGATORIEDADE DE LICITAR PARA CELEBRAÇÃO DE
CONTRATO COM O PODER PÚBLICO. VEJAMOS:
2

“RESSALVADOS OS CASOS ESPECIFICADOS NA LEGISLAÇÃO, AS OBRAS,


SERVIÇOS, COMPRAS E ALIENAÇÕES SERÃO CONTRATADOS MEDIANTE
PROCESSO DE LICITAÇÃO PÚBLICA QUE ASSEGURE IGUALDADE DE
CONDIÇÕES A TODOS OS CONCORRENTES (...)”.

NO MESMO SENTIDO, O ART. 2º DA LEI Nº 8.666/93 EXIGE A REALIZAÇÃO DE


PROCEDIMENTO LICITATÓRIO PARA CELEBRAÇÃO DE CONTRATOS FIRMADOS
PELO PODER PÚBLICO.

NA SITUAÇÃO APRESENTADA, A CONTRATAÇÃO FOI REALIZADA SEM PRÉVIO


PROCEDIMENTO LICITATÓRIO, VIOLANDO DETERMINAÇÕES LEGAIS
ELENCADAS NOS DISPOSITIVOS ACIMA CITADOS.

SENDO ASSIM, É NULO O CONTRATO ADMINISTRATIVO CELEBRADO PELO


MUNICÍPIO RÉU E A EMPRESA C, EM VIRTUDE DA AUSÊNCIA DE LICITAÇÃO.

ADEMAIS, A CONTRATAÇÃO FOI CELEBRADA COM A INTENÇÃO DE


BENEFICIAR O ENTEADO DO PREFEITO, EM CLARA VIOLAÇÃO AOS
PRINCÍPIOS DA IMPESSOALIDADE E DA MORALIDADE ESTAMPADOS NO
CAPUT DO ART. 37 DA CRFB.

IMPORTANTE RESSALTAR, PORÉM, QUE A CONTRATAÇÃO, NÃO OBSTANTE A


VIOLAÇÃO AOS PRINCÍPIOS DA IMPESSOALIDADE E DA MORALIDADE, QUE
EXIGE DO AGENTE PÚBLICO UMA CONDUTA ÉTICA NO TRATO DA COISA
PÚBLICA, VISOU BENEFICIAR PARENTE DA MULHER DO PREFEITO, O QUE
CONFIGURA, TAMBÉM, VIOLAÇÃO AO PRINCÍPIO DA FINALIDADE QUE TEM
COMO OBJETIVO MAIOR A BUSCA PELO INTERESSE PÚBLICO.

NO CASO EM QUESTÃO, NO ENTANTO, O ATO PRATICADO PELO PREFEITO


TEM COMO FINALIDADE BENEFICIAR O FILHO DA SUA COMPANHEIRA,
CONTRARIANDO O INTERESSE DA COLETIVIDADE.

OUTROSSIM, O ART. 57 DA LEI N. 8.666/93 DETERMINA QUE OS CONTRATOS


DEVE DURAR O PRAZO DE VIGÊNCIA DOS CRÉDITOS ORÇAMENTÁRIO, OU
SEJA, 12 (DOZE) MESES, NO MÁXIMO, O QUE NÃO OCORREU NA SITUAÇÃO EM
FOCO, POIS O CONTRATO FOI FIRMADO PELO PRAZO DE 60 (SESSENTA)
MESES, SUPERIOR AO PRAZO DE VIGÊNCIA DA LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL DO
PODER PÚBLICO, O QUE NÃO É PERMITIDO PELA LEGISLAÇÃO VIGENTE.

ALÉM DO MAIS, AINDA QUE O CONTRATO FIRMADO PELO PREFEITO


DESTINASSE À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS, O QUE NÃO FOI O
CASO, O PRAZO FIRMADO NÃO PODERIA SER DE 60 (SESSENTA) MESES, MAS
COINCIDIR COM O PRAZO DE DURAÇÃO DA LEI ORÇAMENTÁRIA DO
MUNICÍPIO E COM A POSSIBILIDADE DE SUCESSIVAS PRORROGAÇÕES, A
CRITÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ATÉ O LIMITE MÁXIMO DE SESSENTA
MESES, NOS TERMOS DO ART. 57, INCISO II DA LEI N. 8.666/93.

LOGO, NULO É O CONTRATO, ORA IMPUGNADO, NÃO PODENDO SUBSISTIR.

DOS PEDIDOS

PELO EXPOSTO, REQUER:

1. A CITAÇÃO DOS RÉUS PARA QUE, QUERENDO, CONTESTAR O FEITO NO


PRAZO DE LEI;
3

2. A PROCEDÊNCIA DOS PEDIDOS DETERMINANDO A ANULAÇÃO DO ATO


IMPUGNADO E RESSARCIMENTO AO ERÁRIO DOS EVENTUAIS PREJUÍZOS
CAUSADOS;
3. A INTIMAÇÃO DO ILUSTRÍSSIMO REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO
PARA ATUAR COMO FISCAL DA LEI;
4. A PRODUÇÃO DE TODOS OS MEIOS DE PROVAS ADMITIDOS EM DIREITO E
NECESSÁRIOS À SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA, INCLUSIVE A JUNTADA DO
ESTATUTO DE CONSTITUIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO AUTORA;
5. A CONDENAÇÃO DOS RÉUS NOS ÔNUS DA SUCUMBÊNCIA.

DÁ-SE À CAUSA, O VALOR DE R$ 5.000.000,00


TERMOS EM QUE PEDE DEFERIMENTO.
LOCAL, DATA.

ADVOGADO
OAB/...
DISPOSITIVOS UTILIZADOS
- ART. 37, CAPUT, DA CF/88;
- ART. 37, INCISO XXI, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL;
- ART. 129, §1º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL;
- LEI Nº 7.347/85;
- ART. 5º, INCISO V DA LEI Nº 7.347/85;
- ART. 2º DA LEI Nº 8.666/93;

- ART. 57, INCISO II DA LEI N. 8.666/93.


4

MODELO DE AÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA COM PEDIDO DE


ANTECIPAÇÃO DE TUTELA

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA __ª VARA DA


FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA (...), NO ESTADO (...)

FUNDAÇÃO, PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO, CNPJ Nº..., COM SEDE


NA RUA..., VEM, POR SEU ADVOGADO, INFRA-ASSINADO, COM PROCURAÇÃO
ANEXA E ENDEREÇO PROFISSIONAL NA RUA..., ONDE SERÃO ENCAMINHADAS
AS INTIMAÇÕES DO FEITO, PROPOR AÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
COM PEDIDO DE ANTECIPAÇÃO DE TUTELA EM FACE DE NOME, PRENOME,
NACIONALIDADE, ESTADO CIVIL, SERVIDORA PÚBLICA, RG Nº..., CPF Nº...,
RESIDENTE E DOMICILIADA NA RUA..., PELOS FATOS E FUNDAMENTOS A
SEGUIR:

DO CABIMENTO

É CABÍVEL A PROPOSITURA DA PRESENTE AÇÃO, COM FULCRO NO ART. 282


DO CPC E ART. 17 DA LEI N. 8.429/92, POR SE TRATAR DO COMETIMENTO DE
ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA.

DOS FATOS

A SERVIDORA, LOTADA NA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL, FOI ACUSADA


POR SERVIDORES, COLEGAS DE TRABALHOS, DE ESTAR DESVIANDO
DINHEIRO DE UMA FUNDAÇÃO PRIVADA, QUE RECEBE VERBAS DA UNIÃO,
PARA SUA CONTA PESSOAL. A FUNDAÇÃO, ORA AUTORA, TEM PATRIMÔNIO
COMPOSTO POR 60% DE VERBA FEDERAL E FOI CRIADA PARA PROTEÇÃO DO
MEIO AMBIENTE. A DENÚNCIA FOI APURADA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO
FEDERAL E RESTOU COMPROVADA A SITUAÇÃO, INCLUSIVE EM VIRTUDE DO
GRANDE MONTANTE DE VALORES CONSTANTES NA CONTA DA SERVIDORA.

DA ANTECIPAÇÃO DA TUTELA

O ART. 16, § 2º DA LEI Nº 8.429/92 PREVÊ A POSSIBILIDADE DE CONCESSÃO DE


MEDIDA CAUTELAR PARA BLOQUEIO DE CONTAS DO ACUSADO, DESDE QUE
PRESENTES O FUMUS BONI IURIS E O PERICULUM IN MORA.

O PERICULUM IN MORA DECORRE DO FATO DE QUE A ACUSADA PODE


DESFAZER-SE DE TODO MONTANTE DEPOSITADO NA SUA CONTA BANCÁRIA,
COMO FORMA DE FURTAR-SE AO RESSARCIMENTO AO ERÁRIO EM VIRTUDE
DOS PREJUÍZOS CAUSADOS.

O FUMUS BONI IURIS ESTÁ BASEADO NO COMETIMENTO DA INFRAÇÃO DE


IMPROBIDADE PREVISTA NO ART. 9º, INCISO VII DA LEI Nº 8.429/92.

PORTANTO, FAZ-SE NECESSÁRIO O BLOQUEIO DA CONTA BANCÁRIA DA


DEMANDADA.

DO MÉRITO
5

PRIMEIRAMENTE, O ART. 37, 4§ DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DETERMINA QUE


AS SANÇÕES A SEREM APLICADAS PELA PRÁTICA DOS ATOS DE
IMPROBIDADE SEJAM ESTABELECIDAS POR LEI. VEJAMOS:

“OS ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA IMPORTARÃO A SUSPENSÃO


DOS DIREITOS POLÍTICOS, A PERDA DA FUNÇÃO PÚBLICA, A
INDISPONIBILIDADE DOS BENS E O RESSARCIMENTO AO ERÁRIO, NA FORMA
E GRADAÇÃO PREVISTA EM LEI, SEM PREJUÍZO DA AÇÃO PENAL CABÍVEL”.

POR SUA VEZ, O ART. 9º, INCISO VII DA LEI Nº 8.429/92 DEFINE COMO ATO DE
IMPROBIDADE QUE GERA ENRIQUECIMENTO ILÍCITO DO AGENTE, O DESVIO
DE VERBAS PÚBLICAS.

NA SITUAÇÃO APRESENTADA, FICOU COMPROVADO QUE A RÉ DESVIOU


VERBAS PÚBLICAS DA FUNDAÇÃO, ORA AUTORA, PARA SUA CONTA PESSOAL,
EM CLARO COMETIMENTO DE ATO ILÍCITO.

LOGO, DEVEM SER APLICADAS, À RÉ, AS PENAS PREVISTAS NO ART. 12,


INCISO I, DA LEI Nº 8.429/92.

DOS PEDIDOS

ANTE O EXPOSTO, REQUER:

1. A CITAÇÃO DA RÉ PARA, QUERENDO, CONTESTAR O FEITO;


2. A CONCESSÃO DA MEDIDA CAUTELAR DETERMINANDO O BLOQUEIO DA
SUA CONTA BANCÁRIA;
3. A CONDENAÇÃO DA RÉ ÀS SANÇÕES PREVISTAS NO ART. 12, INCISO I, DA
LEI N. 8.429/92, QUAIS SEJAM: A) RESSARCIMENTO INTEGRAL DOS DANOS
CAUSADOS AO ERÁRIO, B) PERDA DA FUNÇÃO PÚBLICA, C) SUSPENSÃO DOS
DIREITOS POLÍTICOS, D) PAGAMENTO DE MULTA, E) PROIBIÇÃO DE
CONTRATAR COM O PODER PÚBLICO, F) PROIBIÇÃO DE RECEBER
BENEFÍCIOS OU INCENTIVOS FISCAIS E CREDITÍCIOS;
4. A INTIMAÇÃO DO ILUSTRÍSSIMO REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO
PARA ATUAR COMO FISCAL DA LEI;
5. A PRODUÇÃO DE TODOS OS MEIOS DE PROVAS ADMITIDOS EM DIREITO E
NECESSÁRIOS À SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA, INCLUSIVE A JUNTADA DOS
DOCUMENTOS ANEXOS;
6. A CONDENAÇÃO DA RÉ AO PAGAMENTOS DAS CUSTAS PROCESSUAIS E
HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.

DÁ-SE À CAUSA O VALOR DE R$...


NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.
LOCAL, DATA.

ADVOGADO
OAB/...
NORMAS APLICADAS
- ART. 282 DO CPC;
- ART. 17 DA LEI N. 8.429/92;
- ART. 16, § 2º DA LEI Nº 8.429/92;
- ART. 9º, INCISO VII DA LEI Nº 8.429/92;
- ART. 37, 4§ DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL;
- ART. 12, INCISO I, DA LEI Nº 8.429/92.
6

MODELO DE AÇÃO POPULAR COM PEDIDO DE ANTECIPAÇÃO DOS EFEITOS


DA TUTELA
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ª VARA DA
FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DO MUNICÍPIO Y, NO ESTADO X

FULANO DE TAL, BRASILEIRO, ESTADO CIVIL, PROFISSÃO, RG Nº..., CPF Nº...,


RESIDENTE E DOMICILIADO NA RUA..., VEM, POR SEU ADVOGADO, INFRA-
ASSINADO, COM PROCURAÇÃO ANEXA E ENDEREÇO PROFISSIONAL NA
RUA..., ONDE SERÃO ENCAMINHADAS AS INTIMAÇÕES DO FEITO, PROPOR
AÇÃO POPULAR COM PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA EM FACE DE,

 MUNICÍPIO Y, PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PÚBLICO INTERNO, CNPJ Nº...,


COM SEDE NA RUA...;
 CICLANO, NACIONALIDADE, ESTADO CIVIL, AGENTE PÚBLICO, RG Nº..., CPF
Nº..., RESIDENTE E DOMICILIADO NA RUA...; E
 BELTRANO, NACIONALIDADE, ESTADO CIVIL, PUBLICITÁRIO, RG Nº..., CPF
Nº..., RESIDENTE E DOMICILIADO NA RUA...,

PELOS FATOS E FUNDAMENTOS A SEGUIR:

DO CABIMENTO

É CABÍVEL A PROPOSITURA DA PRESENTE AÇÃO COM FULCRO NO ART. 5º,


INCISO LXXIII DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E ART. 1º E SEGUINTE DA LEI Nº
4.717/65 POR SE TRATAR DE ATO LESIVO AO INTERESSE PÚBLICO.

DOS FATOS

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE Y REALIZOU CONTRATAÇÃO DIRETA DO


PUBLICITÁRIO, ORA TERCEIRO RÉU, PARA REALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS
INSTITUCIONAIS DA PREFEITURA, BEM COMO DA SUA PUBLICIDADE PESSOAL
QUANDO DA REALIZAÇÃO DE OBRAS PÚBLICAS. O ATO DE CONTRATAÇÃO
DIRETA FOI JUSTIFICADO PELO PREFEITO SOB O ARGUMENTO DE QUE O
OBJETO DA CONTRATAÇÃO SE TRATAVA DE SERVIÇO TÉCNICO DE NOTÓRIA
ESPECIALIZAÇÃO, NÃO NECESSITANDO DE PROCEDIMENTO LICITATÓRIO POR
SER CONSIDERADO INEXIGÍVEL COM BASE NA LEI Nº 8.666/93.

DA ANTECIPAÇÃO DE TUTELA

O ART. 5º, §4º DA LEI Nº 4.717/65 C/C 273 DO CPC ESTABELECE COMO
REQUISITOS PARA CONCESSÃO DE TUTELA ANTECIPADA À
VEROSSIMILHANÇA DAS ALEGAÇÕES E O FUNDADO RECEIO DE DANO
IRREPARÁVEL.

O FUNDADO RECEIO DE DANO IRREPARÁVEL DECORRE DO FATO DE QUE O


CONTRATO FOI CELEBRADO ILEGALMENTE E SE ENCONTRA VIGENTE,
CAUSANDO PREJUÍZO AO INTERESSE PÚBLICO.

A VEROSSIMILHANÇA DAS ALEGAÇÕES SE BASEIA NA AUSÊNCIA DE


LICITAÇÃO, NA INOBSERVÂNCIA DO ART. 25, INCISO II DA LEI Nº 8.666/93 E
PELA VIOLAÇÃO AO PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE ELENCADO,
NOTADAMENTE, NO ART. 37, CAPUT, E §1º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.
7

PORTANTO, É IMPRESCINDÍVEL A SUSPENSÃO DO CONTRATO FIRMADO


ENTRE O PODER PÚBLICO E O PARTICULAR.

DO MÉRITO

PRIMEIRAMENTE, O ART. 37, §1º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL ESTABELECE A


ILICITUDE DA PROPAGANDA INSTITUCIONAL QUE FAÇA MENÇÃO A NOME DE
GOVERNANTES. VEJAMOS:

“A PUBLICIDADE DOS ATOS, PROGRAMA, OBRAS, SERVIÇOS E CAMPANHAS


DOS ÓRGÃOS PÚBLICOS DEVERÁ TER CARÁTER EDUCATIVO, INFORMATIVO
OU DE ORIENTAÇÃO SOCIAL, DELA NÃO PODENDO CONSTAR NOMES,
SÍMBOLOS OU IMAGENS QUE CARACTERIZEM PROMOÇÃO PESSOAL DE
AUTORIDADE OU SERVIDORES PÚBLICOS”.

TAL DISPOSITIVO É COROLÁRIO DO PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE


ESTAMPADO NO CAPUT DO ART. 37 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

COM EFEITO, QUANDO O AGENTE PÚBLICO REALIZA OBRA NÃO É A PESSOA


DELE, AGENTE, QUE ESTÁ ATUANDO, MAS O PRÓPRIO PODER PÚBLICO
MANIFESTANDO A SUA VONTADE, CONSOANTE A TEORIA DO ÓRGÃO.

NA SITUAÇÃO EM APREÇO, A CONTRATAÇÃO FOI CELEBRADA COM A


INTENÇÃO DE FAZER PROPAGANDA PESSOAL DO AGENTE PÚBLICO E NÃO
COM O FIM ESTABELECIDO PELA CARTA MAGNA, QUE É A SATISFAÇÃO DO
INTERESSE PÚBLICO.

SENDO ASSIM, NULO É O CONTRATO FIRMADO PELO PREFEITO E O


PUBLICITÁRIO, EM RAZÃO DO SEU OBJETO.

ADEMAIS, O ART. 37, INCISO XXI, DA CF/88 ESTABELECE A OBRIGATORIEDADE


DE PROCEDIMENTO LICITATÓRIO PARA OS CONTRATOS FIRMADOS PELO
PODER PÚBLICO.

POR SUA VEZ, O ART. 25, INCISO II, DA LEI Nº 8.666/93 NÃO ADMITE A
ALEGAÇÃO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO PARA A CONTRATAÇÃO DE
SERVIÇOS DE PUBLICIDADE.

LOGO, A CONTRATAÇÃO DIRETA EFETIVADA PELO PREFEITO É DESPIDA DE


RESPALDO LEGAL E O CONTRATO, ORA IMPUGNADO, FIRMADO DIRETAMENTE
COM O PODER PÚBLICO É ILÍCITO.

DOS PEDIDOS

PELO EXPOSTO, REQUER:

A) A CITAÇÃO DOS RÉUS PARA QUE, QUERENDO, CONTESTAR O FEITO NO


PRAZO DE LEI;
B) A ANTECIPAÇÃO DOS EFEITOS DA TUTELA COM A SUSPENSÃO DO
CONTRATO, ORA IMPUGNADO;
C) A CONFIRMAÇÃO DA TUTELA ANTECIPADA COM A PROCEDÊNCIA DOS
PEDIDOS, DETERMINANDO A ANULAÇÃO DA CONTRATAÇÃO EFETIVADA E
CONDENAÇÃO DOS RÉUS AO RESSARCIMENTO AO ERÁRIO POR EVENTUAIS
DANOS CAUSADOS AOS COFRES PÚBLICOS.
8

D) A PRODUÇÃO DE TODOS OS MEIOS DE PROVAS ADMITIDOS EM DIREITO E


NECESSÁRIOS À SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA, INCLUSIVE A JUNTADA DO
TÍTULO DE ELEITOR QUE COMPROVA A QUALIDADE DE CIDADÃO DO AUTOR;
E) A CONDENAÇÃO DOS RÉUS AOS ÔNUS DA SUCUMBÊNCIA;
F) A INTIMAÇÃO DO ILUSTRÍSSIMO REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO
PARA ATUAR COMO FISCAL DA LEI;

DÁ-SE À CAUSA, O VALOR DE R$...


NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.
LOCAL, DATA.

ADVOGADO
OAB/...

..................................
DISPOSITIVOS APLICADOS
- ART. 5º, §4º DA LEI Nº 4.717/65 C/C 273 DO CPC;
- ART. 37, INCISO XXI DA CRFB;
- ART. 37, §1º DA CRFB;
- ART. 37, CAPUT, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL;

- ART. 25º, INCISO II DA LEI Nº 8.666/1993.


9

AÇÃO DE DESAPROPRIAÇÃO COM PEDIDO LIMINAR

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA __ª DA


FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DO MUNICÍPIO Y NO ESTADO X

CONSTRUTORA, PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO, CNPJ Nº..., COM


SEDE NA RUA..., VEM, POR SEU ADVOGADO, INFRA-ASSINADO, COM
PROCURAÇÃO ANEXA E ENDEREÇO PROFISSIONAL NA RUA..., ONDE SERÃO
ENCAMINHADAS AS INTIMAÇÕES DO FEITO, PROPOR AÇÃO DE
DESAPROPRIAÇÃO COM PEDIDO LIMINAR EM FACE DE NOME, PRENOME,
NACIONALIDADE, ESTADO CIVIL, PROFISSÃO, RG Nº..., CPF Nº..., RESIDENTE E
DOMICILIADO NA RUA..., PROPRIETÁRIO DO IMÓVEL DECLARADO DE
INTERESSE PÚBLICO E DA AUTORA, PELOS FATOS E FUNDAMENTOS A
SEGUIR:

DO CABIMENTO E DA LEGITIMIDADE

É CABÍVEL A PRESENTE AÇÃO COM FULCRO NO ART. 282 DO CPC E ART. 1º E


SEGUINTE DO DECRETO-LEI Nº 3.365/41 POR SE TRATAR DE
DESAPROPRIAÇÃO DE ÁREA PARTICULAR.

É LEGÍTIMA A AUTORA COM FULCRO NO ART. 3º DO DECRETO-LEI Nº 3.365/41


POR SE TRATAR DE CONCESSIONÁRIA DE SERVIÇO PÚBLICO.

DOS FATOS

A AUTORA SAGROU-SE VENCEDORA EM PROCEDIMENTO LICITATÓRIO E


CONTRATAÇÃO COM O PODER PÚBLICO, NA QUAL TEM COMO OBJETO A
EXPLORAÇÃO E DUPLICAÇÃO DE 40 KM DE RODOVIAS, BEM COMO
PROMOVER AS DESAPROPRIAÇÕES NECESSÁRIAS À REALIZAÇÃO DAS
OBRAS CONTRATADA. EM 15 DE OUTUBRO DE 2013 O PODER PÚBLICO
DECLAROU A UTILIDADE PÚBLICA DO TERRENO, OBJETO DA
DESAPROPRIAÇÃO EM FOMENTO. A AUTORA INFORMOU AO PARTICULAR,
PROPRIETÁRIO DO TERRENO, ACERCA DO ATO EXPROPRIATÓRIO E SOBRE A
URGÊNCIA NA REALIZAÇÃO DA DESAPROPRIAÇÃO, INCLUSIVE LHE
OFERECEU O VALOR DE 100 MIL REAIS PELO TERRENO, O QUAL NÃO FOI
ACEITO. DESSE MODO, A AUTORA VEM A JUÍZO A FIM DE EFETIVAR A
DESAPROPRIAÇÃO.

DA LIMINAR DE IMISSÃO NA POSSE

O ART. 15 DO DECRETO-LEI Nº 3.365/41 ESTABELECE COMO REQUISITOS


PARA CONCESSÃO DA LIMINAR DE EMISSÃO PROVISÓRIA NA POSSE A
DECLARAÇÃO DE URGÊNCIA, FEITA PELO EXPROPRIANTE, E O DEPÓSITO EM
JUÍZO DO VALOR INCONTROVERSO.

A DECLARAÇÃO DE URGÊNCIA FOI EFETIVADA NO PRÓPRIO DECRETO


EXPROPRIATÓRIO E O VALOR INCONTROVERSO FOI DEPOSITADO EM JUÍZO,
CONFORME COMPROVANTE DE DEPÓSITO EM ANEXO.

PORTANTO, A POSSE DO BEM, OBJETO DESTA AÇÃO, DEVE SER CONCEDIDA


À AUTORA.

DO MÉRITO
10

PRIMEIRAMENTE, O ART. 5º, INCISO XXIV DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL PREVÊ


A POSSIBILIDADE DE DESAPROPRIAÇÃO DE ÁREA PARTICULAR, DESDE QUE
DEMONSTRADA À UTILIDADE PÚBLICA OU INTERESSE SOCIAL, BEM COMO O
PODER PÚBLICO EFETIVE O PAGAMENTO EM DINHEIRO DO VALOR JUSTO
PELO TERRENO DESAPROPRIADO. VEJAMOS:

“A LEI ESTABELECE O PROCEDIMENTO PARA DESAPROPRIAÇÃO POR


NECESSIDADE OU POR UTILIDADE PÚBLICA, OU POR INTERESSE SOCIAL,
MEDIANTE JUSTA E PRÉVIA INDENIZAÇÃO EM DINHEIRO, RESSALVADOS OS
CASOS PREVISTOS NESTA CONSTITUIÇÃO”.

POR SUA VEZ, O ART. 5º, ALÍNEA ‘E’ DO DECRETO-LEI N. 3.365/41 CONSIDERA
UTILIDADE PÚBLICA O USO DO BEM PARA CONSTRUÇÃO DE VIAS E
LOGRADOUROS.

NA SITUAÇÃO APRESENTADA, A AUTORA PRECISA DESAPROPRIAR O BEM


PARA CONSTRUÇÃO DE ESTRADA E EFETIVAÇÃO DO CONTRATO
ADMINISTRATIVO, EM CONSONÂNCIA COM O DISPOSITIVO LEGAL.

ADEMAIS, A AUTORA OFERECEU E CONSIGNOU O PAGAMENTO NO VALOR DE


100 MIL, EM DINHEIRO, PELA DESAPROPRIAÇÃO DA ÁREA, VALOR JUSTO
CONFORME ANÁLISE PERICIAL.

OCORRE QUE O RÉU NÃO CONCORDA COM A PRESUNÇÃO DA AUTORA,


SITUAÇÃO NA QUAL É DESPIDO DE RAZÃO.

PORTANTO, A DESAPROPRIAÇÃO DEVE SER URGENTEMENTE EFETIVADA.

DOS PEDIDOS

PELO EXPOSTO, REQUER:

1. A CITAÇÃO DO RÉU PARA QUE, QUERENDO, CONTESTAR O FEITO NO


PRAZO DE LEI;
2. A CONCESSÃO DA LIMINAR, DETERMINANDO A IMISSÃO DA AUTORA NA
POSSE DO BEM;
3. A CONFIRMAÇÃO DA LIMINAR CONCEDIDA COM A DESAPROPRIAÇÃO DO
BEM E CONSEQUENTE TRANSFERÊNCIA DA PROPRIEDADE PARA A AUTORA;
4. A INTIMAÇÃO DO ILUSTRÍSSIMO REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO
PARA ATUAR COMO FISCAL DA LEI;
5. A PRODUÇÃO DE TODOS OS MEIOS DE PROVAS ADMITIDOS EM DIREITO E
NECESSÁRIOS À SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA, INCLUSIVE A JUNTADA DOS
DOCUMENTOS ANEXOS;
6. A CONDENAÇÃO DO RÉU AO PAGAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS E
HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.

DÁ-SE À CAUSA O VALOR DE R$ 100.000,00


NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.
LOCAL, DATA.

ADVOGADO
OAB/...

...................................
11

DISPOSITIVOS APLICADOS

- ART. 282 DO CPC;


- DECRETO-LEI Nº 3.365/41;
- ART. 3º DO DECRETO-LEI Nº 3.365/41;
- ART. 5º, ALÍNEA ‘E’ DO DECRETO-LEI N. 3.365/41; E
- ART. 5º, INCISO XXIV DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.
12

MODELO DE CONTESTAÇÃO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ª VARA DA


FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DO MUNICÍPIO Y, NO ESTADO X

MUNICÍPIO Y, PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PÚBLICO INTERNO, CNPJ Nº...,


COM SEDE NA RUA..., NOS AUTOS DO PROCESSO Nº..., EM QUE LITIGA COM O
DEMANDANTE, JÁ QUALIFICADO NOS AUTOS, VEM, POR SEU ADVOGADO,
INFRAFIRMADO, COM PROCURAÇÃO ANEXA E ENDEREÇO PROFISSIONAL NA
RUA..., ONDE SERÃO ENCAMINHADAS AS INTIMAÇÕES DO FEITO,
APRESENTAR CONTESTAÇÃO ÀS ALEGAÇÕES DO AUTOR, PELOS FATOS E
FUNDAMENTOS A SEGUIR:

DO CABIMENTO

É CABÍVEL A PRESENTE CONTESTAÇÃO COM FULCRO NO ART. 300 E


SEGUINTES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, POR SE TRATAR DE DEFESA DO
RÉU.

DOS FATOS

ALEGA O AUTOR QUE, APÓS REGULAR PROCESSO ADMINISTRATIVO COM


AMPLA DEFESA, FOI NOTIFICADO PELO PODER PÚBLICO MUNICIPAL SOBRE A
REVOGAÇÃO, EM MARÇO DE 2008, DE AUTORIZAÇÃO DE USO DE BEM
PÚBLICO QUE TINHA SIDO A ELE CONCEDIDO PARA VENDER BOLSAS E
SAPATOS, EM STAND MONTADO NA CALÇADA DA RUA PRINCIPAL. E QUE TAL
REVOGAÇÃO, SEGUNDO O PODER PÚBLICO, TERIA ACONTECIDO EM RAZÃO
DA NECESSIDADE DE RETOMADA DO BEM PARA USO COM BASE NO
INTERESSE PÚBLICO. ALEGA AINDA QUE, EM VIRTUDE DO ATO, TEM DIREITO
A INDENIZAÇÃO PELOS PREJUÍZOS DE ORDEM MATERIAL E PELO FATO DE
QUE JÁ GOZAVA DA REFERIDA AUTORIZAÇÃO HÁ 15 (QUINZE) ANOS. A AÇÃO
INDENIZATÓRIA CONTRA O PODER PÚBLICO FOI PROPOSTA EM JANEIRO DE
2015.

DA PRELIMINAR DE PRESCRIÇÃO

DE INICIO, CUMPRE RESSALTAR QUE O ART. 1º-C DA LEI Nº 9.494/97


ESTABELECE QUE AS AÇÕES DE REPARAÇÃO CIVIL EM FACE DO PODER
PÚBLICO PRESCREVE EM 5 (CINCO) ANOS.

NO MESMO SENTIDO, O ART. 1º DO DECRETO-LEI Nº 20.910/32 TAMBÉM


DEFINE O PRAZO PRESCRICIONAL DE 5 (CINCO) ANOS PARA AS AÇÕES
CONTRA A FAZENDA PÚBLICA.

NO CASO EM EPÍGRAFE, O ATO QUE ENSEJOU A PRETENSÃO DO AUTOR FOI


PUBLICADO EM MARÇO DE 2008, SENDO QUE A AÇÃO REPARATÓRIA FOI
PROPOSTA SOMENTE EM JANEIRO DE 2015, HÁ MAIS DE 5 ANOS DO ATO.

DESSE MODO, ESTÁ PRESCRITA A PRETENSÃO DO AUTOR.

NA HIPÓTESE DE SER SUPERADA A PRELIMINAR, EM ATENÇÃO AOS


PRINCÍPIOS DA EVENTUALIDADE E CONCENTRAÇÃO DA DEFESA, PASSA-SE À
ANÁLISE DO MÉRITO.

DO MÉRITO
13

É CEDIÇO QUE A AUTORIZAÇÃO DE USO DE BENS PÚBLICOS É ATO


ADMINISTRATIVO UNILATERAL E PRECÁRIO. DESTA FORMA, A REVOGAÇÃO
DE TAL ATO NÃO ENSEJA QUALQUER PRETENSÃO INDENIZATÓRIA AO
BENEFICIÁRIO.

COM EFEITO, A DOUTRINA TRABALHA O ATO DE AUTORIZAÇÃO COMO


DISCRICIONÁRIO, ENSEJANDO UMA MARGEM DE ESCOLHA DO AGENTE
PÚBLICO E NÃO GERA DIREITO AO BENEFICIÁRIO.

SENDO ASSIM, UMA VEZ REVOGADO O ATO DE AUTORIZAÇÃO DE USO DE


BENS PÚBLICOS NÃO SE PODE COGITAR QUALQUER PAGAMENTO DE
INDENIZAÇÃO.

ADEMAIS, MESMO QUE O ATO, EM ANÁLISE, TIVESSE GERADO DIREITO À


INDENIZAÇÃO DO AUTOR, ESSA, NO ENTANTO, JÁ ESTARIA PRESCRITA, NA
FORMA DO ART. 1º-C DA LEI Nº 9.494/97 E ART. 1º DO DECRETO-LEI Nº
20.910/32.

LOGO, EM RAZÃO DA PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO DO AUTOR O PROCESSO


DEVE SER EXTINTO, COM RESOLUÇÃO DO MÉRITO, NA FORMA DO ART. 269,
INCISO IV DO CPC.

DOS PEDIDOS

ANTE O EXPOSTO, REQUER:

1. SEJA ACATADA A PRELIMINAR DE PRESCRIÇÃO COM A EXTINÇÃO DO


PROCESSO COM JULGAMENTO DE MÉRITO, NOS MOLDES DO ART. 269,
INCISO IV, DO CPC;
2. EM SENDO SUPERADA A PRELIMINAR DE PRESCRIÇÃO SEJA JULGADO
IMPROCEDENTE OS PEDIDOS DO AUTOR;
3. A PRODUÇÃO DE TODOS OS MEIOS DE PROVAS ADMITIDOS EM DIREITO E
NECESSÁRIOS À SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA, INCLUSIVE A JUNTADA DOS
DOCUMENTOS ANEXOS;
4. A CONDENAÇÃO DO AUTOR AO PAGAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS E
HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.

NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.


LOCAL, DATA.

ADVOGADO
OAB/...
..........................
FUNDAMENTAÇÃO
- ART. 300 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL;
- ART. 1º-C DA LEI Nº 9.494/1997;
- ART. 1º DO DECRETO-LEI Nº 20.910/1932;

- ART. 269, INCISO IV DO CPC.


14

AÇÃO DE RESCISÃO CONTRATUAL - ART. 39 DA LEI 8.987 DE 1995

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUROR JUIZ DE DIREITO DA ___ª VARA DA


FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DE (...), NO ESTADO X

EMPRESA A TRANSPORTES, PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO, CNPJ Nº


(...), COM SEDE NA RUA (...), VEM, POR SEU ADVOGADO, INFRA-ASSINADO,
COM PROCURAÇÃO ANEXA E ENDEREÇO PROFISSIONAL NA RUA (...), ONDE
SERÃO ENCAMINHADAS AS INTIMAÇÕES DO FEITO, PROPOR AÇÃO DE
RESCISÃO CONTRATUAL COM PEDIDO DE INDENIZAÇÃO EM FACE DO ESTADO
DO X, PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PÚBLICO INTERNO, CNPJ Nº (...), COM
SEDE NA RUA (...), PELOS FATOS E FUNDAMENTOS A SEGUIR:

DO CABIMENTO

É CABÍVEL A PRESENTE AÇÃO SOB O RITO ORDINÁRIO COM, FULCRO NO ART.


282 E SEGUINTE DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, POR SE TRATAR DE
SITUAÇÃO QUE ENSEJA A ANULAÇÃO CONTRATUAL.

DOS FATOS

A AUTORA FOI CONTRATADA PELO PODER PÚBLICO, MEDIANTE


PROCEDIMENTO LICITATÓRIO REGULAR, PARA REALIZAR SERVIÇOS DE
TRANSPORTE PÚBLICO INTERMUNICIPAL NO ESTADO. CELEBRADO O
CONTRATO DE CONCESSÃO FOI PACTUADO QUE AS TARIFAS PAGAS PELOS
USUÁRIOS CUSTARIAM DE 25 A 65 REAIS, DEPENDENDO DO TRAJETO, SENDO
POSSÍVEL A VENDA DE TRINTA E SEIS CADEIRAS A CADA VIAGEM EFETIVADA,
FICANDO UMA CADEIRA RESERVADA AOS IDOSOS, NOS TERMOS DA
LEGISLAÇÃO VIGENTE. OCORRE QUE, APÓS TRÊS MESES DA CELEBRAÇÃO
DO CONTRATO, A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO APROVOU UMA LEI
CONFERINDO GRATUIDADE DE TRANSPORTE A TODOS OS IDOSOS QUE SE
APRESENTASSE PARA VIAJAR, ATÉ O MÁXIMO DE 15. TAL SITUAÇÃO CAUSOU
TRANSTORNO À EMPRESA, UMA VEZ QUE OS VALORES PACTUADOS A TÍTULO
DE TARIFA JÁ NÃO MAIS CONSEGUIAM SUPRIR OS GASTOS COM A
PRESTAÇÃO DO SERVIÇO. DIANTE DESSA SITUAÇÃO, A AUTORA COMUNICOU
O FATO AO PODER PÚBLICO PEDINDO A REVISÃO DO CONTRATO, MAS ESTE
SE RECUSOU A REVER AS TARIFAS OU ESTABELECER ALGUMA OUTRA
FORMA DE REEQUILIBRAR O CONTRATO.

DO MÉRITO

INICIALMENTE, O ART. 9º, §§ 2º E 3º DA LEI Nº 8.987/95, ESTABELECE QUE OS


ENCARGOS LEGAIS QUE ONERAREM O CONTRATO GERAM O DIREITO A
REVISÃO CONTRATUAL. VEJAMOS:

“§ 2º OS CONTRATOS PODERÃO PREVER MECANISMOS DE REVISÃO DAS


TARIFAS, A FIM DE MANTER-SE O EQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO.
§ 3º RESSALVADOS OS IMPOSTOS SOBRE A RENDA, A CRIAÇÃO, ALTERAÇÃO
OU EXTINÇÃO DE QUAISQUER TRIBUTOS OU ENCARGOS LEGAIS, APÓS A
APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA, QUANDO COMPROVADO SEU IMPACTO,
IMPLICARÁ A REVISÃO DA TARIFA, PARA MAIS OU PARA MENOS, CONFORME
O CASO.
15

NO MESMO SENTIDO, O ART. 65, § 5º DA LEI Nº 8.666/93 DISPÕE QUE


QUALQUER ENCARGO LEGAL, OCORRIDO APÓS A APRESENTAÇÃO DA
PROPOSTA, EM COMPROVADA A REPERCUSSÃO NOS PREÇOS
CONTRATADOS, IMPLICARÃO A REVISÃO DO CONTRATO PARA
REESTABELECER O SEU EQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO.

COM EFEITO, TRATA-SE DE SITUAÇÃO DESIGNADA PELA DOUTRINA COMO


FATO DO PRÍNCIPE, NA QUAL O PODER PÚBLICO, ATUANDO FORA DO
CONTRATO, ATINGE O ACORDO INDIRETAMENTE DESEQUILIBRANDO OS
SEUS TERMOS.

NESSE CASO, A CONCESSIONÁRIA TEM O DIREITO À REVISÃO CONTRATUAL


COMO FORMA DE GARANTIR O EQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO DO
CONTRATO, NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO ACIMA CITADA.

NA SITUAÇÃO APRESENTADA, A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NEGOU-SE A


REVER AS TARIFAS, ENSEJANDO À AUTORA O DIREITO A INDENIZAÇÃO
PELOS DANOS CAUSADOS, ALÉM DE CONFIGURAR INADIMPLEMENTO DO
PODER CONCEDENTE.

EM RAZÃO DISSO, DADO AO DESCUMPRIMENTO CONTRATUAL DO ESTADO, A


AUTORA TEM O DIREITO DE REQUERER A RESCISÃO DO CONTRATO
FIRMADO, NOS TERMOS DO ART. 39 DA LEI Nº 8.987/95.

DOS PEDIDOS

ANTE O EXPOSTO, REQUER:

1. A CITAÇÃO DO RÉU, NA PESSOA DO PROCURADOR-GERAL DO ESTADO


PARA, QUERENDO, CONTESTAR O FEITO;
2. A PROCEDÊNCIA DOS PEDIDOS, DETERMINANDO A RESCISÃO DO
CONTRATO FIRMADO E A CONDENAÇÃO DO RÉU AO PAGAMENTO DE
INDENIZAÇÃO PELOS DANOS CAUSADOS A AUTORA;
3. A PRODUÇÃO DE TODOS OS MEIOS DE PROVAS ADMITIDOS EM DIREITO E
NECESSÁRIOS À SOLUÇÃO DA CONTROVÉRSIA, INCLUSIVE A JUNTADA DOS
DOCUMENTOS ANEXOS;
4. A CONDENAÇÃO DO RÉU AO PAGAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS E
HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.

DÁ-SE À CAUSA O VALOR DE R$...


NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.
LOCAL, DATA.

ADVOGADO
OAB/...

DISPOSITIVOS APLICADOS

- ART. 39, LEI N. 8.987/95;


- ART. 9º, §§ 2º E 3º DA LEI Nº 8.987/95;

- ART. 65, § 5º DA LEI Nº 8.666/93.


16

PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO


BRASIL

NOME, PRENOME, NACIONALIDADE, ESTADO CIVIL, PROFISSÃO, RG Nº..., CPF


Nº..., RESIDENTE E DOMICILIADO NA RUA..., NOS AUTOS DO PROCESSO
ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR Nº..., INSTAURADO NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO
DA FAZENDA, VEM, POR SEU ADVOGADO, INFRA-ASSINADO, COM
PROCURAÇÃO ANEXA E ENDEREÇO PROFISSIONAL NA RUA..., ONDE SERÃO
ENCAMINHADAS AS INTIMAÇÕES DO FEITO, APRESENTAR PEDIDO DE
RECONSIDERAÇÃO EM FACE DA DECISÃO PROFERIDA NOS AUTOS, PELOS
FATOS E FUNDAMENTOS A SEGUIR:

DO CABIMENTO

É CABÍVEL O PRESENTE PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO, COM FULCRO NO


ART. 105/118 DA LEI N. 8.112/90, POR SE TRATAR DE DECISÃO
ADMINISTRATIVA EM QUE RESULTOU NA DEMISSÃO DO SERVIDOR.

DOS FATOS

O RECORRENTE FICOU AUSENTE DO SERVIÇO PÚBLICO POR MAIS DE 30


(TRINTA) DIAS E, EM RAZÃO DISSO, FOI INSTAURADO PROCESSO
ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR QUE CULMINOU NA SUA DEMISSÃO. NA
OCASIÃO O RECORRENTE FOI CITADO POR EDITAL PARA APRESENTAR
DEFESA NO PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS, PORÉM COMO NÃO COMPARECEU FOI
NOMEADO DEFENSOR DATIVO PARA APRESENTAR SUA DEFESA, SEM,
CONTUDO, OBTER ÊXITO. A DECISÃO QUE RESULTOU NA SUA DEMISSÃO FOI
PUBLICADA NO DIA 31 DE JULHO DE 2015, SEXTA-FEIRA. OCORRE QUE O
RECORRENTE PRETENDE DEMONSTRAR POR LAUDO MÉDICO,
APRESENTADO PELO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE, QUE NÃO COMPARECEU AO
SERVIÇO PORQUE SE ENCONTRAVA NA UTI, SOB O ESTADO DE COMA.

DO MÉRITO

INICIALMENTE, O ART. 138 DA LEI N. 8.112/90 DEFINE QUE O ABANDONO DE


CARGO SE CONFIGURA QUANDO O SERVIDOR SE AUSENTA DESTE POR MAIS
DE TRINTA DIAS CONSECUTIVOS DE FORMA INTENCIONAL. VEJAMOS:

“CONFIGURA ABANDONO DE CARGO A AUSÊNCIA INTENCIONAL DO SERVIDOR


AO SERVIÇO POR MAIS DE 30 (TRINTA) DIAS CONSECUTIVOS.”

NO MESMO SENTIDO, O ART. 132, INCISO II, DO MESMO DIPLOMA,


ESTABELECE QUE CONFIGURADA A INFRAÇÃO, PODERÁ SER APLICADA A
PENA DE DEMISSÃO AO SERVIDOR.

NA SITUAÇÃO APRESENTADA, O RECORRENTE AUSENTOU-SE DO SERVIÇO


PÚBLICO PORQUE SE ENCONTRAVA NO ESTADO DE COMA, CONFORME
LAUDO MÉDICO DO SUS EM ANEXO, O QUE LHE IMPEDIA DE COMPARECER AO
SERVIÇO E EXERCER SUAS ATIVIDADES HABITUAIS.
17

TAL SITUAÇÃO DESCARACTERIZA O COMETIMENTO DA INFRAÇÃO, UMA VEZ


QUE NÃO SE FAZ PRESENTE A INTENÇÃO DE AUSENTAR-SE DAS FUNÇÕES
PÚBLICA.

SENDO ASSIM, A APLICAÇÃO DA PENALIDADE DE DEMISSÃO É NULA, NÃO


PODENDO SUBSISTIR.

ADEMAIS, O ART. 163, PARÁGRAFO ÚNICO, DA LEI N. 8.112/90 ESTABELECE


QUE, EM CASO DE INTIMAÇÃO DO RÉU POR EDITAL, O PRAZO PARA
APRESENTAÇÃO DE DEFESA É DE 15 (QUINZE) DIAS, E NÃO DE DEZ COMO
ACONTECEU NESTE CASO.

POR SEU TURNO, O ART. 5º, INCISO LV, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL


DETERMINA O RESPEITO AOS PRINCÍPIOS DO CONTRADITÓRIO E DA AMPLA
DEFESA COMO GARANTIA FUNDAMENTAL DO CIDADÃO. E, DO MESMO MODO,
O ART. 5º, INCISO LIV, DA CRFB, DISPÕES QUE A ATUAÇÃO DA
ADMINISTRAÇÃO DEVE SE DAR EM OBSERVÂNCIA AO DEVIDO PROCESSO
LEGAL, QUANDO ESSA IMPLICA RESTRIÇÃO DE DIREITO E DEVERES DO
CIDADÃO.

NO CASO EM APREÇO, NÃO OBSTANTE, TENHA SIDO O RECORRENTE


INTIMADO POR EDITAL, SOMENTE LHE FOI CONCEDIDO O PRAZO DE 10 (DEZ)
DIAS PARA APRESENTAÇÃO DE DEFESA, QUANDO A LEI DETERMINA QUE
ESTE PRAZO SEJA DE 15 (QUINZE) DIAS.

DESSA FORMA, DESRESPEITADA A GARANTIA CONSTITUCIONAL DO


SERVIDOR DEVE SER DECLARADO NULO O ATO ADMINISTRATIVO EM QUE
RESULTOU NA SUA DEMISSÃO, EM RAZÃO DOS VÍCIOS APRESENTADOS NO
PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR.

DOS PEDIDOS

PELO EXPOSTO, REQUER:

1. SEJA ATRIBUÍDO EFEITO SUSPENSIVO AO PRESENTE RECURSO E


SUSPENSO O ATO IMPUGNADO ATÉ A DECISÃO FINAL;
2. SEJA O PRESENTE RECURSO CONHECIDO E PROVIDO PARA DETERMINAR
A REFORMA DA DECISÃO E SER PROFERIDA NOVA DECISÃO COM A
ANULAÇÃO DO ATO DE DEMISSÃO.

NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.


LOCAL, 01 DE SETEMBRO DE 2015.

ADVOGADO
OAB/...

DISPOSITIVOS CITADOS

- ART. 132, INCISO II DA LEI N. 8.112/1990;


- ART. 105/118 DA LEI N. 8.112/1990;
- ART. 138 DA LEI N. 8.112/1990;
- ART. 163, PARÁGRAFO ÚNICO, DA LEI N. 8.112/1990;
18

- ART. 5º, INCISOS, LIV E LV, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO


TRIBUNAL FEDERAL

NOME, PRENOME, NACIONALIDADE, ESTADO CIVIL, PROFISSÃO, RG N...., CPF


N...., RESIDENTE E DOMICILIADO NA RUA ..., VEM, POR SEU ADVOGADO,
INFRA-ASSINADO, COM PROCURAÇÃO ANEXA E ENDEREÇO PROFISSIONAL
NA RUA ..., ONDE SERÃO ENCAMINHADAS AS INTIMAÇÕES DO FEITO,
APRESENTAR RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL CONTRA ATO DO
GOVERNADOR DO ESTADO Y, AGENTE PÚBLICO, COM ENDEREÇO
PROFISSIONAL NA RUA ..., PELOS FATOS E FUNDAMENTOS A SEGUIR:

DO CABIMENTO

É CABÍVEL A PRESENTE RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL, COM FULCRO NO


ART. 103-A, § 3º, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E ART. 7º DA LEI N. 11.417/2006,
POR SE TRATAR DE ATO QUE VIOLA SÚMULA VINCULANTE.

DOS FATOS

EM JANEIRO DE 2015 O GOVERNADOR DO ESTADO Y NOMEOU SEU IRMÃO


PARA O CARGO DE CONSELHEIRO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO.
INDIGNADA COM A NOMEAÇÃO, A POPULAÇÃO E O RECLAMANTE, QUE
ESTAVA COTADO PARA ASSUMIR O CARGO, APRESENTOU RECLAMAÇÃO
ADMINISTRATIVA, A QUAL FOI JULGADA IMPROCEDENTE PELO CHEFE DO
EXECUTIVO ESTADUAL, SOB A ALEGAÇÃO DE QUE TAL NOMEAÇÃO É ATO
POLÍTICO.

DO MÉRITO

INICIALMENTE, A SÚMULA VINCULANTE Nº 13 VEDA A NOMEAÇÃO DE


CÔNJUGE OU PATENTE PARA CARGO PÚBLICO, SOB A CHEFIA DA
AUTORIDADE NOMEANTE. VEJAMOS:

“A NOMEAÇÃO DE CÔNJUGE, COMPANHEIRO OU PARENTE EM LINHA RETA,


COLATERAL OU POR AFINIDADE, ATÉ O TERCEIRO GRAU, INCLUSIVE, DA
AUTORIDADE NOMEANTE OU DE SERVIDOR DA MESMA PESSOA JURÍDICA
INVESTIDO EM CARGO DE DIREÇÃO, CHEFIA OU EM COMISSÃO OU DE
CONFIANÇA OU, AINDA, DE FUNÇÃO GRATIFICADA NA ADMINISTRAÇÃO
PÚBLICA DIRETA E INDIRETA EM QUALQUER DOS PODERES DA UNIÃO, DOS
ESTADOS, DO DISTRITO FEDERAL E DOS MUNICÍPIOS, COMPREENDIDO O
AJUSTE MEDIANTE DESIGNAÇÃO RECÍPROCA, VIOLA A CONSTITUIÇÃO
FEDERAL.”

ESTA SITUAÇÃO CONFIGURA PRÁTICA DE NEPOTISMO, A QUAL VIOLA O


PRINCÍPIO DA MORALIDADE E DA IMPESSOALIDADE, ESTAMPADOS NO CAPUT
DO ART. 37 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL; PRINCÍPIOS ESTES QUE SÃO DE
OBSERVÂNCIA OBRIGATÓRIA PELA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.
19

O PRINCÍPIO DA MORALIDADE EXIGE HONESTIDADE, BOA-FÉ, CONDUTA


ILIBADA E ATUAÇÃO NÃO CORRUPTA DO AGENTE PÚBLICO NO TRATO DA
COISA PÚBLICA, JÁ O PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE EXIGE ATUAÇÃO NÃO
DISCRIMINATÓRIA, OU SEJA, O AGENTE PÚBLICO NÃO PODE SE UTILIZAR DO
CARGO PÚBLICO PARA BENEFICIAR OU PREJUDICAR OS ADMINISTRADOS,
SOB PENA DE NULIDADE DO ATO E DE SER RESPONSABILIZADO POR ISSO.

ADEMAIS, O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (STF) PACIFICOU ENTENDIMENTO


NO SENTIDO DE QUE O CARGO DE CONSELHEIRO DO TRIBUNAL DE CONTAS
TEM NATUREZA ADMINISTRATIVA E, PORTANTO, A NOMEAÇÃO DE PARENTES
PARA OCUPAÇÃO DESTE CARGO É VEDADA PELA SÚMULA VINCULANTE Nº 03.

NA SITUAÇÃO APRESENTADA, O CHEFE DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL


NOMEOU SEU IRMÃO, PARENTE DE SEGUNDO GRAU EM LINHA COLATERAL,
PARA EXERCER O CARGO ADMINISTRATIVO DE CONSELHEIRO DO TRIBUNAL
DE CONTAS DO ESTADO, EM AFRONTA DIRETA À REFERIDA SÚMULA
VINCULANTE.

LOGO, O ATO É NULO E NÃO GERA QUALQUER EFEITO NO MUNDO JURÍDICO,


NÃO PODENDO, PORTANTO, SUBSISTIR.

DOS PEDIDOS

PELO EXPOSTO, REQUER: A) A NOTIFICAÇÃO DA AUTORIDADE COATORA


PARA QUE PRESTES ESCLARECIMENTOS, NO PRAZO DE LEI; B) A
PROCEDÊNCIA DO PEDIDO DETERMINANDO A ANULAÇÃO DO ATO COATOR; C)
A INTIMAÇÃO DO ILUSTRÍSSIMO REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO
PARA ATUAR COMO FISCAL DA LEI; E D) A JUNTADA DOS DOCUMENTOS
ANEXOS QUE COMPROVAM O DIREITO ALEGADO PELO AUTOR.

NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.


LOCAL, DATA.

ADVOGADO
OAB/...

NORMAS APLICADAS
SÚMULA VINCULANTE N. 13;
ART. 103-A, § 3º, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL;
ART. 7º DA LEI N. 11.417/2006;

ART. 37 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.


20

RECURSO ADMINISTRATIVO

ILUSTRÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA COMISSÃO DE LICITAÇÃO

RAZÃO SOCIAL, PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO, CNPJ Nº..., COM


SEDE NA RUA..., NOS AUTOS DO PROCEDIMENTO LICITATÓRIO Nº...,
REALIZADO PELO MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA, VEM, POR SEU
ADVOGADO, INFRAFIRMADO, COM PROCURAÇÃO ANEXA E ENDEREÇO
PROFISSIONAL NA RUA..., ONDE SERÃO ENCAMINHADAS AS INTIMAÇÕES DO
FEITO, INTERPOR RECURSO ADMINISTRATIVO CONTRA DECISÃO PROFERIDA
NOS AUTOS, PELOS FATOS E FUNDAMENTOS A SEGUIR.

DO CABIMENTO

É CABÍVEL O PRESENTE RECURSO COM FULCRO NO ART. 109 DA LEI N.


8.666/93, POR SE TRATAR DE DECISÃO QUE INABILITA A RECORRENTE DO
CERTAME.

DAS RAZÕES DO RECURSO

EM 15 DE ABRIL DE 2012, NUMA TERÇA-FEIRA, FORA PUBLICADO


PROCEDIMENTO LICITATÓRIO, DO TIPO MENOR PREÇO, NA MODALIDADE
CONCORRÊNCIA, PELO MINISTRO DAS MINAS E ENERGIA, PARA COMPRA DE
VEÍCULOS AUTOMOTORES. A COMISSÃO FOI COMPOSTA POR TRÊS
SERVIDORES ESTÁVEIS. A RECORRENTE APRESENTOU, TEMPESTIVAMENTE,
TODOS OS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS À SUA HABILITAÇÃO, EXCETO A
REGULARIDADE FISCAL, HAJA VISTA SE ENCONTRAVA INADIMPLENTE EM
RELAÇÃO A TRIBUTOS FEDERAIS. APRESENTOU, TAMBÉM, A COMPROVAÇÃO
DE DÉBITO COM A RECEITA FEDERAL, SEM, CONTUDO, CUMPRIR A
REGULARIDADE FISCAL. EM VIRTUDE DA AUSÊNCIA DA REGULARIDADE
FISCAL, COM BASE NA LEI N. 8.666/93, A COMISSÃO LICITANTE INABILITOU A
RECORRENTE DO CERTAME, PUBLICANDO A DECISÃO NO DIÁRIO OFICIAL EM
5 DE MAIO DO MESMO ANO.

DO MÉRITO

PRIMEIRAMENTE, O ART. 42 DA LEI N. 123/06 ESTABELECE QUE A


MICROEMPRESA OU EMPRESA DE PEQUENO PORTE SOMENTE PRECISA
APRESENTAR COMPROVAÇÃO DA REGULARIDADE FISCAL, COMO REQUISITO
PARA HABILITAÇÃO, NO MOMENTO DA CELEBRAÇÃO DO CONTRATO.
VEJAMOS:

NAS LICITAÇÕES PÚBLICAS, A COMPROVAÇÃO DE REGULARIDADE FISCAL


DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE SOMENTE SERÁ
EXIGIDA PARA EFEITO DE ASSINATURA DO CONTRATO.

NO MESMO SENTIDO, O ART. 43, DO MESMO DIPLOMA, DISPÕE QUE A


MICROEMPRESA PODERÁ PARTICIPAR DE QUALQUER LICITAÇÃO AINDA QUE
NÃO DETENHA REGULARIDADE FISCAL, SENDO, QUE, AO FINAL DO
PROCEDIMENTO, EM SE CONSAGRANDO VENCEDORA, TERÁ O PRAZO DE 2
(DOIS) DIAS ÚTEIS, PRORROGÁVEIS POR IGUAL PERÍODO, PARA EFETIVAR A
REGULARIZAÇÃO COM O FISCO.
21

NA SITUAÇÃO APRESENTADA, A RECORRENTE OSTENTA A QUALIDADE DE


MICROEMPRESA E, AINDA ASSIM, FOI INABILITADA DO CERTAME SOB A
ALEGAÇÃO DE NÃO TER REGULARIDADE FISCAL.

DESSA FORMA, A DECISÃO ADMINISTRATIVA VIOLA OS PRECEITOS


NORMATIVOS APRESENTADOS, DEVENDO, PORTANTO, SER ANULADA.

ALÉM DO MAIS, NÃO OBSTANTE O ART. 27, INCISO IV, DA LEI N. 8.666/93,
EXIGIR A REGULARIDADE FISCAL COMO REQUISITO PARA A HABILITAÇÃO NAS
LICITAÇÕES, ESSA REGRA NÃO SE APLICA ÀS MICROEMPRESAS E EMPRESAS
DE PEQUENO PORTE, UMA VEZ QUE ESTAS EMPRESAS SÃO REGIDAS PELAS
REGRAS DO ART. 42 E 43 DA LEI COMPLEMENTAR N. 123/06.

LOGO, O ATO QUE INABILITOU A RECORRENTE FOI EQUIVOCADO E


CONTRARIOU DISPOSITIVOS LEGAIS, PORTANTO, É NULO E NÃO DEVE
SUBSISTIR.

DOS PEDIDOS

PELO EXPOSTO, REQUER:

1. SEJA O PRESENTE RECURSO CONHECIDO E PROVIDO PARA QUE SE


DETERMINE A REFORMA DA DECISÃO E SEJA PROFERIDA NOVA DECISÃO
COM A HABILITAÇÃO DA RECORRENTE PARA AS FASES SEGUINTES DO
CERTAME;
2. CASO NÃO SEJA REFORMADA A DECISÃO, QUE O PRESENTE RECURSO
SEJA ENCAMINHADO PARA A AUTORIDADE SUPERIOR, NOS TERMOS DO ART.
109, § 4º DA LEI Nº 8.666/93.

NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.


LOCAL, DATA.

ADVOGADO
OAB/...

DISPOSITIVOS APLICADOS:

 ARTIGOS 42 E 43 DA LEI Nº 123/06


 ARTIGO 27, INCISO IV, DA LEI Nº 8.666/93.
 ARTIGO 109, § 4º DA LEI Nº 8.666/93.












22

 RECURSO EXTRAORDINÁRIO

 EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO X

 NOME, PRENOME, BRASILEIRO, ESTADO CIVIL, MÉDICO, RG Nº..., CPF
Nº..., RESIDENTE E DOMICILIADO NA RUA..., NOS AUTOS DO PROCESSO
Nº..., EM QUE LITIGA COM O ESTADO X, JÁ QUALIFICADO NOS AUTOS,
VEM, POR SEU ADVOGADO, INFRAFIRMADO, COM PROCURAÇÃO
ANEXA E ENDEREÇO PROFISSIONAL NA RUA..., ONDE SERÃO
ENCAMINHADAS AS INTIMAÇÕES DO FEITO, INTERPOR RECURSO
EXTRAORDINÁRIO EM FACE DA DECISÃO PROFERIDA NOS AUTOS,
REQUERENDO O SEU RECEBIMENTO E REMEÇA AO SUPREMO
TRIBUNAL FEDERAL.

 REQUER, AINDA, A JUNTADA DA COMPROVAÇÃO DO PREPARO.
 NESTES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.
 LOCAL, DATA.

 ADVOGADO
 OAB/...


 (QUEBRA DE PAGINA)


 EGRÉGIO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

 RECORRENTE: NOME, PRENOME
 RECORRIDO: ESTADO X
 PROCESSO Nº...

 DAS RAZÕES DO RECURSO

 AO ATRAVESSAR A RUA NA FAIXA DE PEDESTRES, NA CIDADE X, O
RECORRENTE FOI ATROPELADO POR UMA VIATURA DA POLICIA
MILITAR DO ESTADO X. EM VIRTUDE DO ACIDENTE O RECORRENTE
FRATUROU A COLUNA E FICOU PARAPLÉGICO, NÃO OBSTANTE O
MOTORISTA DO VEÍCULO TENHA TOMADO TODAS AS PRECAUÇÕES
POSSÍVEIS PARA EVITAR O ACIDENTE. EM RAZÃO DISSO, A VÍTIMA
PROPÔS AÇÃO JUDICIAL A FIM DE OBTER INDENIZAÇÃO PELOS DANOS
CAUSADOS, A QUAL FOI JULGADA IMPROCEDENTE, NEGADO O SEU
PEDIDO, UMA VEZ QUE RESTOU COMPROVADA A AUSÊNCIA DE CULPA
DO MOTORISTA. INCONFORMADO COM A DECISÃO, O RECORRENTE
APRESENTOU APELAÇÃO, TEMPESTIVAMENTE, AO TRIBUNAL DE
JUSTIÇA DO ESTADO X, O QUAL, NO JULGAMENTO DA APELAÇÃO
MANTEVE A DECISÃO ANTES PROFERIDA, SOB O FUNDAMENTO DE
QUE A DECISÃO ESTAVA EM CONFORMIDADE COM A ORIENTAÇÃO
ESTAMPADA NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, ACERCA DA MATÉRIA. A
DECISÃO FOI PUBLICADA SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015.

 DO CABIMENTO

 É CABÍVEL O PRESENTE RECURSO EXTRAORDINÁRIO, COM FULCRO
NO ART. 102, INCISO III, ALÍNEA “A” DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E ART.
23

541, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, POR SE TRATAR DE DECISÃO


QUE VIOLA DISPOSITIVO DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

 DO PREQUESTIONAMENTO E DA REPERCUSSÃO GERAL

 A MATÉRIA FOI ALVO DE DISCUSSÃO EM GRAU INFERIOR, TENDO SIDO
JULGADA PELO TRIBUNAL DE JUSTIÇA NA ANÁLISE DA APELAÇÃO.
PORTANTO, HÁ PREQUESTIONAMENTO.

 TRATA-SE DE DISCUSSÃO QUE ENVOLVE O INTERESSE DA
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, SENDO COMPROVADA A REPERCUSSÃO
GERAL, NOS MOLDES DO ART. 102, § 3º, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

 DO MÉRITO

 PRIMEIRAMENTE, O ART. 37, § 6º DA CRFB REGULAMENTA A
RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA DO ESTADO POR DANOS
CAUSADOS À TERCEIRO. VEJAMOS:

 “AS PESSOAS JURÍDICAS DE DIREITO PÚBLICO E AS DE DIREITO
PRIVADO PRESTADORAS DE SERVIÇOS PÚBLICOS RESPONDERÃO
PELOS DANOS QUE SEUS AGENTES, NESSA QUALIDADE, CAUSAREM A
TERCEIROS, ASSEGURADO O DIREITO DE REGRESSO CONTRA O
RESPONSÁVEL NOS CASOS DE DOLO OU CULPA”.

 ADEMAIS, O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL PACIFICOU ENTENDIMENTO
NO SENTIDO DE QUE AINDA QUE A VÍTIMA NÃO SEJA USUÁRIA DOS
SERVIÇOS PÚBLICOS A RESPONSABILIDADE OBJETIVA DO ESTADO
DEVE SER MANTIDA, NA QUAL NÃO SE DISCUTE A EXISTÊNCIA DE
DOLO E CULPA.

 NA SITUAÇÃO APRESENTADA, O DANO DECORREU DA CONDUTA DO
AGENTE PÚBLICO QUE DIRIGIA A VIATURA POLICIAL, SENDO
PRESCINDÍVEL A DEMONSTRAÇÃO DE QUE O AGENTE TENHA AGIDO
COM CULPA OU DOLO.

 DESSA FORMA, A DECISÃO RECORRIDA ESTÁ EQUIVOCADA,
SOBRETUDO PORQUE SE BASEOU NA RESPONSABILIDADE CIVIL
SUBJETIVA PARA NEGAR O PEDIDO DE INDENIZAÇÃO FEITO PELO
RECORRENTE.

 DOS PEDIDOS

 PELO EXPOSTO, REQUER:

 A) SEJA O PRESENTE RECURSO CONHECIDO E PROVIDO PARA QUE SE
DETERMINE A REFORMA DA DECISÃO E SEJA PROFERIDA NOVA
DECISÃO, CONDENANDO O RECORRIDO AO PAGAMENTO DE
INDENIZAÇÃO PELOS DANOS CAUSADOS AO RECORRENTE.
 B) REQUE, AINDA, A CONDENAÇÃO DO RECORRIDO AO PAGAMENTO
DAS CUSTAS PROCESSUAIS E DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.

 NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.
 LOCAL, 31 DE AGOSTO DE 2015.

24

 ART. 37, § 6º DA CRFB;


 ART. 43 DO CÓDIGO CIVIL;
 ART. 102, INCISO III, ALÍNEA “A” DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL;
 ART. 541, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL; E
 ART. 102, § 3º, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.


















































25

 RECURSO ORDINÁRIO CONSTITUCIONAL



 EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO
SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

 NOME, PRENOME, NACIONALIDADE, ESTADO CIVIL, PROFISSÃO, RG
Nº..., CPF Nº..., RESIDENTE E DOMICILIADO NA RUA..., NOS AUTOS DO
PROCESSO Nº..., EM QUE LITIGA COM A UNIÃO FEDERAL, JÁ
QUALIFICADA NOS AUTOS, VEM, POR SEU ADVOGADO, INFRAFIRMADO,
COM PROCURAÇÃO ANEXA E ENDEREÇO PROFISSIONAL NA RUA...,
ONDE SERÃO ENCAMINHADAS AS INTIMAÇÕES DO FEITO, INTERPOR
RECURSO ORDINÁRIO CONSTITUCIONAL EM FACE DO ACÓRDÃO
PROFERIDO NOS AUTOS, REQUERENDO SEU RECEBIMENTO E
REMESSA AO TRIBUNAL COMPETENTE, NOTIFICANDO O RECORRIDO
PARA APRESENTAR CONTRARRAZÕES.

 REQUER, AINDA, A JUNTADA DE COMPROVAÇÃO DO PREPARO.
 NESTES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.
 LOCAL, DATA


 ADVOGADO
OAB/...

 (QUEBRA DE PÁGINA)

 EGRÉGIO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL



 RECORRENTE: NOME, PRENOME...
 RECORRIDO: UNIÃO FEDERAL
 MANDADO DE SEGURANÇA Nº...


 DAS RAZÕES DO RECURSO

 FOI INSTAURADO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR, EM
20 DE JANEIRO DE 2012, POR MEIO DE PORTARIA NO DOU, COM
DESCRIÇÃO SUFICIENTE DOS FATOS, PARA APURAR A CONDUTA DO
RECORRENTE, SERVIDOR PÚBLICO ESTÁVEL, RESIDENTE NA CAPITAL
FEDERAL, SOB A ALEGAÇÃO DE QUE ELE TERIA FAVORECIDO, DE
FORMA ILEGAL, ALGUNS PREFEITOS QUE LHE PROCURAVAM A
RECEBER VERBAS PÚBLICAS. ALEGA AINDA QUE O RECORRENTE
HAVIA ADULTERADO INFORMAÇÕES CONTIDAS NO SISTEMA PARA QUE
TAIS PREFEITOS, CONTRARIANDO AS DISPOSIÇÕES DA LEI DE
RESPONSABILIDADE FISCAL, VOLTASSEM À SITUAÇÃO DE APARENTE
LEGALIDADE, PARA RECEBEREM VERBAS PÚBLICAS. A COMISSÃO
DESIGNADA PELA AUTORIDADE COMPETENTE PARA INSTAURAÇÃO DO
PROCESSO DISCIPLINAR FOI COMPOSTA POR TRÊS SERVIDORES,
QUAIS SEJAM: SV1, CONCURSADA E ADMITIDA EM 20 DE AGOSTO DE
2006; SV2, TAMBÉM CONCURSADO E ADMITIDO EM 14 DE FEVEREIRO
DE 2007 E SV3, NÃO CONCURSADO, QUE EXERCE CARGO
COMISSIONADO DESDE JUNHO DE 2003, CARGO ESTE QUE A LEI
DECLARA COMO DE LIVRE NOMEAÇÃO E LIVRE EXONERAÇÃO. O FEITO
FOI REGULARMENTE CONDUZIDO, TENDO SIDO GARANTIDO AO
ACUSADO O DIREITO AO CONTRADITÓRIO E A AMPLA DEFESA. O
26

JULGAMENTO FOI REALIZADO EM TEMPO HÁBIL, EM ATO DO MINISTRO


DO TRABALHO E EMPREGO, POR MEIO DA PORTARIA DE Nº 3, DE 09 DE
MARÇO DE 2012, PUBLICADA NO DOU EM 10 DE MARÇO DE 2012. O
RECORRENTE FOI DEMITIDO DO CARGO PÚBLICO DE ADMINISTRADOR
E, EM RAZÃO DISSO, IMPETROU MANDADO DE SEGURANÇA COM
PEDIDO LIMINAR ADUZINDO, COM A DEVIDA FUNDAMENTAÇÃO, QUE O
ATO DE DEMISSÃO FOI INVÁLIDO. A AUTORIDADE IMPETRADA
SUSTENTOU, NAS INFORMAÇÕES, A IMPOSSIBILIDADE DE ALTERAÇÃO
DO MÉRITO ADMINISTRATIVO PELO PODER JUDICIÁRIO, SOB PENA DE
VIOLAÇÃO AO PRINCÍPIO REPUBLICANO DA SEPARAÇÃO DOS
PODERES. A LIMINAR FOI INDEFERIDA E DENEGADA APÓS REGULAR
PROCESSO, PUBLICANDO-SE A DECISÃO EM 13 DE ABRIL DE 2012.


 DO CABIMENTO

 É CABÍVEL O PRESENTE RECURSO, COM FULCRO NO ART. 102, ALÍNEA
“A”, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E ART. 539, INCISO I, DO CPC, POR SE
TRATAR DE IMPUGNAÇÃO DE DECISÃO ORIGINÁRIA DO SUPERIOR
TRIBUNAL DE JUSTIÇA, QUE DENEGOU MANDADO DE SEGURANÇA.

 DO MÉRITO

 INICIALMENTE, O ART. 149 DA LEI N. 8.112/90 ESTABELECE QUE EM
PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR A COMISSÃO DEVE SER
COMPOSTA POR TRÊS SERVIDORES ESTÁVEIS. VEJAMOS:

 “O PROCESSO DISCIPLINAR SERÁ CONDUZIDO POR COMISSÃO


COMPOSTA DE TRÊS SERVIDORES ESTÁVEIS DESIGNADOS PELA
AUTORIDADE COMPETENTE (...)”.

 NA SITUAÇÃO EM EPÍGRAFE, UM DOS SERVIDORES, MEMBRO DA
COMISSÃO DISCIPLINAR, QUAL SEJA, SV3, NÃO É CONCURSADO,
TRATANDO-SE DE SERVIDOR OCUPANTE DE CARGO EM COMISSÃO,
DECLARADO EM LEI DE LIVRE NOMEAÇÃO E LIVRE EXONERAÇÃO.

 É CEDIÇO QUE OS DETENTORES DE CARGOS EM COMISSÃO, NÃO
CONCURSADOS, NÃO PODEM ADJUDICAR ESTABILIDADE NO SERVIÇO
PUBLICO. DESTA FORMA, IRREGULAR O PROCESSO ADMINISTRATIVO
DISCIPLINAR, EM RAZÃO DO VICIO ORA APRESENTADO.

 ADEMAIS, O ART. 141, INCISO I, DA LEI Nº 8.112/90 DISPÕE SER
COMPETENTE O PRESIDENTE DA REPÚBLICA PARA APLICAÇÃO DA
PENALIDADE DE DEMISSÃO A SERVIDOR PÚBLICO DO PODER
EXECUTIVO DA UNIÃO.

 NO CASO EM APREÇO, A PENALIDADE DE DEMISSÃO FOI APLICADA
PELO MINISTRO DO TRABALHO E EMPREGO, AUTORIDADE QUE NÃO
TEM COMPETÊNCIA LEGAL PARA A PRÁTICA DO ATO EM QUE
RESULTOU NA DEMISSÃO DO SERVIDOR.

 SENDO ASSIM, PADECE DE NULIDADE O ATO IMPUGNADO, UMA VEZ
QUE ESTE FOI PRATICADO POR AUTORIDADE INCOMPETENTE.

27

 DOS PEDIDOS

 PELO EXPOSTO REQUER: A) SEJA O PRESENTE RECURSO CONHECIDO
E PROVIDO, DETERMINANDO A REFORMA DA DECISÃO COM A
ANULAÇÃO DO ATO DE DEMISSÃO ORA IMPUGNADO; E B) A
CONDENAÇÃO DO RECORRIDO AO PAGAMENTO DAS CUSTAS
PROCESSUAIS.

 NESSES TERMOS, PEDE DEFERIMENTO.
 LOCAL, DATA.

 ADVOGADO
OAB/...


 DISPOSITIVOS APLICADOS

 ART. 102, ALÍNEA “A”, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.
 ART. 539, INCISO I, DO CPC.
 ART. 149 DA LEI N. 8.112/1990.
 ART. 141, INCISO I, DA LEI N. 8.112/1990.