Você está na página 1de 8

Produção de texto

A produção escrita de um texto é um processo que se resume, essencialmente, a três


etapas que deves respeitar:

1ª etapa – a planificação do texto (cujo objetivo é traçar um plano geral do texto que será
escrito posteriormente);

2ª etapa – a textualização (redação do texto, segundo o plano elaborado anteriormente);

3ª etapa – revisão do texto (leitura do texto, tendo como objetivo a correção do mesmo).

Nesta unidade, vou dar-te dicas para que possas conhecer e praticar as técnicas para
produzir textos.

1ª etapa – Planificação de texto

A planificação é o primeiro passo para redigires um texto que respeite o tema e a tipologia
(tipo de texto, ou seja, se é narrativo, descritivo, um diálogo...) propostos, que seja coerente e
coeso, tenha informação pertinente e que esteja bem estruturado.

Para planificar um texto deves:

- ler atentamente as indicações dadas e sublinhar os aspetos mais importantes;

- pensar no que gostarias de escrever, de acordo com o tema proposto;

- registar as tuas ideias;

- ordenar as ideias que registaste;

- traçar o plano do texto, dividindo as ideias registadas anteriormente, de forma a obteres


uma introdução, o desenvolvimento e uma conclusão.
1
Pág.
De seguida, apresento-te uma proposta de escrita e um possível modelo de planificação:

Proposta de escrita

Escreve uma narrativa, real ou imaginada, em que contes uma descoberta muito importante que
alguém tenha feito.

O teu texto, com um mínimo de 140 e um máximo de 200 palavras, deve incluir:

- uma situação inicial, um desenvolvimento e um desfecho;


- um momento de descrição;
- um momento de diálogo;
- pelo menos, duas personagens principais;
- um título adequado.

Planificação de texto

Tema: uma descoberta muito importante


Tipo de texto: narrativo
Limite de palavras: de 140 a 200 palavras
Narrador: não participante

Introdução:
- tempo da ação: dia de outono;
- espaço: jardim de casa da avó;
- personagens: Rita, de 9 anos, e Filipe, de 11 anos (irmãos).

Desenvolvimento:
- as personagens estão a brincar no jardim da avó (descrição do jardim);
- ouvem um barulho estranho vindo de dentro da sebe;
- ignoram aquele barulho, mas depois decidem ir ver o que se passa (diálogo);
- descobrem um animal estranho;
- não identificam a espécie a que pertence;
- levam-no a um veterinário.

Conclusão:
- descobrem que se trata de uma espécie até então desconhecida.
2
Pág.
2ª etapa – Textualização

Nesta etapa, vais redigir o teu texto de acordo com o plano feito anteriormente, tendo
sempre em conta os seguintes tópicos:

- correção ortográfica;

- respeito pelas regras de acentuação (1);

- aplicação de regras de pontuação (2) para representar vários tipos de frase (3);

- marcação de parágrafos (4);

- construção frásica (5);

- seleção de vocabulário adequado ao tema;

- cuidado com a apresentação final do texto.

Assim, vamos rever algumas regras relacionadas com estes tópicos:

Acentuação (1)
Existem três tipos de acento:

- acento agudo – utiliza-se nas vogais abertas, no i e no u (ex.: aí, baú);

- acento grave – não assinala a sílaba tónica, mas sim uma sílaba aberta resultante da
contração de uma preposição com um determinante ou pronome (ex.: à, às, àquela);

- acento circunflexo – utiliza-se nas vogais fechadas (Ex.: pôr).

Regras de acentuação
3
Pág.
Sinais e regras de pontuação (2)

Usamos os sinais de pontuação para fazer pausas (mais ou menos longas) e formas de
entoação que são próprias da fala.

- O ponto final (.) – É uma pausa longa e termina uma frase declarativa.

Exemplo: Vou à escola fazer o teste.

- A vírgula (,) – É uma curta pausa no interior da frase e usa-se em várias situações.

Exemplos: Ó Joana, vai comprar o pão, que a mãe precisa para o jantar! (depois
de um chamamento)

Fui às compras e trouxe pão, leite, chocolates, carne e azeite. (para


enumeração de elementos)

Vale do Paraíso, 24 de Fevereiro de 2010 (entre um nome de um lugar e


uma data)

- O ponto e vírgula (;) – É uma pausa mais longa do que a vírgula e mais curta que um ponto final.
Utiliza-se geralmente para enumerar factos.

Exemplo: A Joana é uma boa aluna: faz os trabalhos de casa e estuda para os
testes; ajuda os colegas com mais dificuldades e vai para a biblioteca estudar; é
pontual e assídua.

- Os dois pontos (:) – É uma pausa longa e usa-se:

a) Para introduzir uma fala em discurso direto

Exemplo: A Rainha perguntou:


- Espelho meu, quem no Mundo há mais bela do que eu?

b) Depois de uma saudação inicial de uma mensagem como carta, postal,


recado, entre outras
4
Pág.

Exemplo: Querida Mãe:


As férias estão a correr muito bem (…)

c) Para anunciar uma enumeração

Exemplo: No meu roupeiro há: camisas, calças, meias, sapatos e casacos.

d) Para transcrever uma frase de outra pessoa

Exemplo: Já dizia o poeta Luís de Camões: “Mudam-se os tempos, mudam-se


as vontades”

- O ponto de interrogação (?) – É uma pausa longa e indica que há uma pergunta

Exemplo: Vais para a explicação?

- O ponto de exclamação (!) – É uma pausa longa e indica uma frase exclamativa que exprime de forma
intensa um sentimento, uma emoção, uma sensação ou uma ordem

Exemplo: Que calor! Queria tanto ir à praia!

Vai já arrumar o quarto!

- As reticências (…) - Indicam um corte na frase ou uma ideia que não foi diretamente expressa,
cabendo ao leitor adivinhar o que não foi escrito:

Exemplo: Com que então não fizeste os trabalhos de casa! Quando chegares a
casa já sabes para onde vais…

Tipos de frase (3)


Qualquer frase representa um tipo, de acordo com a intenção de quem a usa.

Existem quatro tipos de frases:

Declarativa - serve para darmos uma informação (quando declaramos ou informamos alguma coisa). (Ponto final)

Interrogativa - tem como intenção formular uma pergunta (quando perguntamos ou interrogamos). (Ponto de
interrogação)

Imperativa - tem como função dar uma ordem, um conselho, fazer um pedido (quando damos uma ordem). (Ponto
final ou ponto de exclamação)

Exclamativa - serve para transmitirmos sentimentos, sensações (quando mostramos admiração ou exclamamos
algo). ( Ponto de exclamação)

O parágrafo (4)
O parágrafo é uma unidade de texto com sentido que pode ser constituído por um ou mais
períodos. O parágrafo inicia-se sempre numa nova linha e inicia-se um pouco mais à direita da
margem (o que não acontece com as outras frases).
5

O parágrafo termina com um ponto final, um ponto de interrogação, um ponto de


Pág.

exclamação ou reticências.
Construção frásica e coesão textual (5)

Seguidamente, podes ver algumas regras que te ajudarão a construir corretamente as frases
do teu texto e torná-lo coeso:

REGRAS

1- Ter em atenção as concordâncias.

- Os adjetivos e os determinantes concordam em género e número com o nome.


Ex:. Tenho uma gata preta.
- Se dois nomes de géneros diferentes estiverem coordenados, o adjetivo deve colocar-se no
masculino plural.
Ex:. O computador e a televisão estão desligados.
- O sujeito concorda com o verbo em pessoa e número.
Ex:. O livro foi comprado pelo aluno.

2- Adequar os tempos verbais.

- Deves adequar sempre os tempos verbais usados à progressão do texto. Por exemplo, se a
ação narrada se passou num tempo passado, deves usar, preferencialmente, o pretérito
perfeito.

3- Construir o encadeamento (crono)lógico, assegurando a continuidade e a coesão do


texto.

- Substituições por pronomes;


Ex:. O Ricardo joga futebol, e há quem diga que ele adorava ser futebolista.
- Substituições por sinónimos ou expressões equivalentes;
EX:. Quero um ramo de rosas e outro de cravos, porque são as minhas flores
preferidas.
- Uso de conetores adequados (ver quadro seguinte).
CONETORES
Para explicar: Para provar:
Isto é, ou seja, aliás, melhor dizendo, então, neste Com efeito, sem dúvida, efetivamente, deste modo, de
caso, assim, por vezes... facto...

Para concluir: Para contrastar:


Em conclusão, finalmente, concluindo, em resumo, Mas, porém, todavia, contudo, no entanto, apesar de,
portanto, definitivamente, por fim... embora...

Para reforçar uma ideia: Para exemplificar:


Além de, além disso, ainda, sobretudo, também, por Assim, por exemplo...
isso...

Para adicionar: De tempo e de lugar:


E, também, em primeiro lugar, num primeiro Antes, depois, então, dantes, hoje, em seguida, lá, cá,
6

momento, além disso, em segundo lugar, depois de, além, ali, aqui...
Pág.

até que, enquanto, quando...


 EXERCÍCIOS
1. Tendo em conta a informação anterior, redige um texto, respeitando o plano da
página 2.
Textualização: redação do texto

7
Pág.
3ª etapa – Revisão de texto

Esta é a última etapa do processo de expressão escrita.

Depois de teres redigido o texto, deverás lê-lo em voz alta, se possível, para detetares
eventuais erros ou imperfeições ao nível: do tema, da tipologia, da estrutura e da correção
linguística. De seguida, deves corrigir o teu texto e reescrevê-lo.

Para facilitar o processo de revisão de texto, apresento-te, de seguida, uma tabela de


revisão.

Grelha geral de revisão de texto SIM NÃO


Estrutura e organização do texto
Respeitei o tema proposto e a tipologia definida.
Segui as ideias previstas na planificação.
Ordenei e organizei as ideias iniciais.
Dividi o texto em três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão.
Evitei repetições desnecessárias.
Usei conetores diversificados para estruturar o texto.
Evitei escrever frases demasiado longas.
Pontuação
Iniciei parágrafos todos mais à direita da margem.
Usei corretamente os sinais de pontuação.
Ortografia
Evitei erros ortográficos, consultando o dicionário.
Apresentação do texto
O meu texto tem boa apresentação gráfica.
Redigi com caligrafia legível.
8

A docente de Português, Sara Lopes


Pág.