Você está na página 1de 58

CADERNO DE

QUESTÕES 1
-
ABIN
-
OFICIAL DE
INTELIGÊNCIA ÁREA 1

1
SUMÁRIO

LÍNGUA PORTUGUESA……………………………...03
ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA…………………...07
DIREITO ADMINISTRATIVO……………………….10
DIREITO CONSTITUCIONAL………………………13
LÍNGUA INGLESA E ESPANHOLA………………...18
RACIOCÍNIO LÓGICO………………………………23
HISTÓRIA DO BRASIL………………………………28
HISTÓRIA MUNDIAL………………………………..32
GEOGRAFIA DO BRASIL…………………………...35
GEOGRAFIA MUNDIAL…………………………….39
POLÍTICA E SEGURANÇA………………………….44
DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO…………...48
DIREITO PENAL……………………………………...51
GABARITO…………………………………………….54

2
LÍNGUA PORTUGUESA

Texto 1

Além de ter incorporado, no desempenho de seus cargos, conceitos como os da


transparência e da impessoalidade, décadas antes de eles serem consolidados na Constituição
Federal de 1988, o renomado escritor Graciliano Ramos foi um gestor em busca da eficiência e que
agia com extremo zelo com os recursos públicos.
Não se trata apenas do seu combate ao patrimonialismo e ao nepotismo, mas também do que
se designa, hoje, de foco no resultado com responsabilidade fiscal. Um exemplo disso é o fato de
que, como prefeito de Palmeira dos Índios, município do agreste alagoano, de 1928 a 1930, ele
construiu estradas gastando menos da metade do que se costumava gastar por quilômetro construído
pela administração do estado.
O autor foi, também, um gestor público visionário que investia em planejamento urbano,
fiscalizava obras pessoalmente e priorizava medidas preventivas para evitar desastres naturais,
como enchentes.

Internet: <www.agendaa.com.br> (com adaptações).

A respeito das ideias e dos aspectos linguísticos do texto 1, julgue os itens a seguir.

01) (CESPE 2017 - TRF1) A locução “Além de” (l. 1) estabelece uma relação de adição no período
em que ocorre.

02) (CESPE 2017 - TRF1) O referente da forma pronominal “eles” (l. 2) é o termo “cargos” (l. 1).

03) (CESPE 2017 - TRF1) Sem prejuízo dos sentidos originais e da correção gramatical do texto, o
trecho “Não se trata apenas do seu combate ao patrimonialismo e ao nepotismo” (l. 5) poderia ser
assim reescrito: Isso não se trata somente do combate do escritor contrário ao patrimonialismo e ao
nepotismo.

04) (CESPE 2017 - TRF1) Depreende-se do texto que Graciliano Ramos, além de literato, foi um
administrador público cujo estilo de trabalho pode ser atualmente considerado modelo em gestão
pública.

05) (CESPE 2017 - TRF1) O texto trata da biografia de Graciliano Ramos e informa os motivos que
o levaram a abandonar o ofício de escritor para se dedicar à política.

No que se refere aos aspectos linguísticos e aos mecanismos de construção da argumentação do


texto 1, julgue os próximos itens.

06) (CESPE 2017 - TRF1) Infere-se que na oração introduzida por “mas também” (l. 5) está elíptico
o verbo tratar-se.

07) (CESPE 2017 - TRF1) A correção gramatical e os sentidos originais do texto seriam mantidos
caso o trecho “se designa” (l. 6) fosse alterado para vem designar.

08) (CESPE 2017 - TRF1) O elemento “disso” (l. 6) retoma “foco no resultado com
responsabilidade fiscal” (l. 6).

3
09) (CESPE 2017 - TRF1) O elemento “ele” (l. 7) refere-se a “prefeito” (l. 7).

10) (CESPE 2017 - TRF1) A oração introduzida pela expressão “mas também” (l. 5) introduz uma
ideia que complementa e reforça a ideia contida na oração imediatamente anterior a ela.

Texto 2

No direito brasileiro convencional, a relação entre a espécie humana e as demais espécies


animais limita-se à tutela dos animais pelo poder público em função da sua utilidade enquanto fauna
brasileira intrínseca ao meio ambiente equilibrado. Alguns doutrinadores brasileiros inovadores
defendem a existência de um direito animal, ou seja, de direitos garantidos aos animais não
humanos como sujeitos.
A Constituição de 1988 contém uma norma que protege os animais, independentemente de
sua origem ou classificação. Porém, a proteção que lhes é garantida baseia-se em um argumento
puramente utilitarista: os animais são protegidos com a finalidade de garantir um hábitat saudável às
atuais e futuras gerações humanas.
Desprovidos de valor próprio e de relevância jurídica no direito penal, os animais são tema
de direito civil. Ainda são estudados na atualidade brasileira, sob a influência do direito romano,
como simples coisas semoventes, como se desprovidos fossem da capacidade de sentir dor ou
apego. Em jurisprudência majoritária, são apenas objetos que possuem a capacidade de se mover e
que podem proporcionar lucros aos seus proprietários.

Nathalie Santos Caldeira Gomes. Ética e dignidade animal. Internet: <www.publicadireito.com.br>


(com adaptações).

No que se refere aos aspectos linguísticos do texto 2, julgue os itens seguintes.

11) (CESPE 2017 - TRF1) Sem prejuízo da correção gramatical e do sentido original do texto, o
trecho “são protegidos” (l. 8) poderia ser substituído por protegem-se.

12) (CESPE 2017 - TRF1) A correção gramatical e a coerência do texto seriam mantidas caso o
vocábulo “inovadores” (l. 3) fosse isolado por vírgulas.

13) (CESPE 2017 - TRF1) A oração “que protege os animais” (l. 6) delimita o sentido do termo
“norma” (R.8).

14) (CESPE 2017 - TRF1) O emprego do sinal indicativo de crase em “à tutela dos animais” (l. 2) é
facultativo.

15) (CESPE 2017 - TRF1) Caso fosse inserida vírgula após “poder público” (l. 2), a correção
gramatical do texto seria mantida.

Acerca dos sentidos e dos aspectos linguísticos do texto 2, julgue os itens a seguir.

16) (CESPE 2017 - TRF1) A inserção de uma vírgula imediatamente após “objetos” (l. 13) manteria
a correção gramatical e o sentido original do período.

17) (CESPE 2017 - TRF1) A correção gramatical e o sentido original do texto seriam preservados
caso a conjunção “Porém” (l. 7) fosse substituída por Mas.

4
18) (CESPE 2017 - TRF1) No segundo parágrafo, o trecho que se segue aos dois-pontos descreve
aquilo em que consiste o “argumento puramente utilitarista” (l. 7 e 8).

19) (CESPE 2017 - TRF1) A oração “Desprovidos de valor próprio e de relevância jurídica no
direito penal” (l. 10) introduz no período uma ideia de concessão, razão por que poderia ser
corretamente introduzida por Embora, feito o devido ajuste na inicial maiúscula da palavra
“Desprovidos”.

20) (CESPE 2017 - TRF1) Caso os termos “coisas semoventes” (l. 12) e “objetos que possuem a
capacidade de se mover” (l. 13) fossem intercambiados, a correção e o sentido do texto seriam
mantidos.

Texto 3

Comecemos pelo conceito. A democracia veio dos gregos. Democracia não é só a eleição do
governo pelo povo, mas, sim, a atribuição, pelo povo, do poder — que inclui mais que o mero
governo; inclui o direito de fazer leis. Na democracia antiga, direta, isso cabia ao povo reunido na
praça pública.
Um grande êxito dos atenienses, se comparados aos modernos, era o amor à política. Moses
Finley, um dos maiores conhecedores do tema, conta que, em Atenas, a assembleia popular se
reunia cerca de quarenta vezes ao ano. Pelo menos mil pessoas costumavam comparecer, às vezes
dez mil, de um total de quarenta mil possíveis (a presença não era obrigatória). Comparo esse
empenho ao nosso. Quantos não resmungam para votar uma só vez a cada dois anos? Nesse
período, o ateniense teria passado oitenta tardes na praça, ouvindo, votando.
Mas a “falha” dos atenienses era a inexistência de direitos humanos. Não havia proteção
contra as decisões da assembleia soberana. Ela podia decretar o banimento de quem quisesse, sem
se justificar: assim Temístocles foi sentenciado ao ostracismo pelo mesmo povo que ele salvara dos
persas. Desde a era moderna, os direitos do homem, protegendo-o do Estado, se tornam cruciais.
Estes são os grandes legados das três revoluções modernas — a inglesa, a americana e a francesa:
somos protegidos não só dos desmandos do monarca absoluto, contra os quais o melhor antídoto
seria a soberania popular, mas também da tirania do próprio povo e de seus eleitos.
Renato Janine Ribeiro. Os direitos humanos e a democracia. In: Valor Econômico. 7/1/2013.

Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto precedente, julgue os próximos itens.

21) (CESPE 2017 – TCE-PE) Sem prejuízo da informação veiculada no texto, seria mantida sua
correção gramatical se o termo “proteção”, em “Não havia proteção contra as decisões da
assembleia soberana” (l. 11 e 12), fosse substituído por mecanismos de proteção.

22) (CESPE 2017 – TCE-PE) Com o emprego das aspas na palavra ‘falha’ (l. 11), o autor deixa
explícita uma marca de opinião que interfere no sentido dessa palavra no texto.

23) (CESPE 2017 – TCE-PE) De acordo com o autor, no mundo contemporâneo há


proporcionalmente mais participação política do que havia na democracia ateniense.

24) (CESPE 2017 – TCE-PE) O texto defende a ideia de que, com as revoluções modernas,
aumentou a capacidade de defesa do indivíduo contra o Estado.

25) (CESPE 2017 – TCE-PE) O autor emprega recursos do tipo textual narrativo para explicar o
funcionamento da democracia direta ateniense.

5
Texto 4

O fim do século XIX e o início do XX são marcados pela passagem da pedagogia tradicional
para a pedagogia nova. A pedagogia tradicional, portadora dos costumes dos séculos passados,
define-se como uma prática de saber-fazer conservadora, prescritiva e ritualizada, e como uma
forma que respeita e perpetua o método de ensino do século XVII. Essa tradição, baseada na ordem,
foi levada ao extremo no século XIX, no período dito de “ensino mútuo”, que corresponde à
Revolução Industrial.
A pedagogia tradicional é caracterizada pela preocupação com a eficiência sempre maior,
inspirada no modelo econômico dominante, e pelo impulso da educação popular, isto é, o
aparecimento de enormes grupos-classes, implicando uma organização global extremadamente
detalhada.
Entretanto, no início do século XX, a pedagogia tradicional foi contestada pela Escola Nova.
A pedagogia nova se constitui como oposição estreita à tradição: concentração da atenção na
criança, suas afinidades e seus campos de interesse; definição do docente como guia etc. A
pedagogia nova se opõe a uma pedagogia tradicionalmente centrada no mestre e nos conteúdos a
transmitir.

C. Gauthier e M. Tardif. A pedagogia – Teorias e práticas da Antiguidade aos nossos dias. 2.ª ed. Editora Vozes, 2013, p.
175 (com adaptações).

Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto 4, julgue os seguintes itens.

26) (CESPE 2017 – SEDF) Nos segmentos “A pedagogia nova se constitui como oposição” (l. 12) e
“A pedagogia nova se opõe” (l. 13 e 14), o pronome “se” desempenha a mesma função sintática.

27) (CESPE 2017 – SEDF) O que distingue a pedagogia nova da pedagogia tradicional é o
protagonismo que cada uma delas atribui a aprendizes, professores e conteúdos.

28) (CESPE 2017 – SEDF) O texto não apresenta juízo de valor sobre as abordagens pedagógicas
apresentadas no título.

29) (CESPE 2017 – SEDF) A conjunção “Entretanto” (l. 11) tem, no período em que se insere,
sentido conclusivo, equivalendo, semanticamente, a Portanto.

30) (CESPE 2017 – SEDF) Conforme o texto, no período da Revolução Industrial, houve uma
grande preocupação com a qualidade e com a eficiência da educação popular.

6
ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA E LEGISLAÇÃO CORRELATA

2 Decreto nº 8.793/2016 (Política Nacional de Inteligência)

Acerca da Política Nacional de Inteligência (Decreto 8.793/2016), julgue (C ou E) os itens a seguir.

01) É fixada pelo Presidente da República, após exame e sugestões do competente órgão de controle
externo da atividade de Inteligência, no âmbito do Senado Federal.

02) Contrainteligência é definida como a atividade que objetiva prevenir, detectar, obstruir e
neutralizar a Inteligência adversa e as ações que constituam ameaça à salvaguarda de dados,
conhecimentos, pessoas, áreas e instalações de interesse da sociedade e do Estado.

03) Neutralizar ações da Inteligência adversa e identificar fatos ou situações que possam resultar em
ameaças, riscos ou oportunidades constituem pressupostos da atividade de inteligência.

04) A Inteligência é uma atividade perene e sua existência não se confunde com a do Estado ao qual
serve.

05) Os atuais cenários internacional e nacional revelam peculiaridades que induzem a atividade de
Inteligência a redefinir suas prioridades, dentre as quais adquirem preponderância aquelas
relacionadas a questões econômico-comerciais e científico-tecnológicas.

06) Para efeito da Política Nacional de Inteligência, consideram-se principais ameaças aquelas que
apresentam potencial capacidade de pôr em perigo a integridade da sociedade e do Estado e a
segurança nacional do Brasil. Uma delas é a sabotagem, a qual consiste na ação que visa à obtenção
de conhecimentos ou dados sensíveis para beneficiar Estados, grupos de países, organizações,
facções, grupos de interesse, empresas ou indivíduos.

07) Prevenir ações de espionagem no País e ampliar a capacidade de detectar, acompanhar e


informar sobre ações adversas aos interesses do Estado no exterior constituem diretrizes da Política
Nacional de Inteligência.

3 Estratégia Nacional de Inteligência.

Acerca da Estratégia Nacional de Inteligência (ENINT), julgue (C ou E) os itens a seguir.

08) A ENINT não é um documento rígido e terá flexibilidade para considerar os ajustes que se
fizerem necessários em função da alteração de variáveis e de cenários que possam impactar a
atividade de Inteligência. Ela traz uma oportunidade de aprendizado para todos os órgãos que
compõem o SISBIN, com a certeza de que o êxito de qualquer sistema está diretamente relacionado
a sua capacidade de atuação coesa, integrada e direcionada.

09) Os órgãos do SISBIN estão sujeitos ao controle do Tribunal de Contas da União (TCU), que
avalia a gestão financeira e patrimonial. Em âmbito interno, os órgãos são controlados pela
Secretaria de Controle Interno da Presidência da República (CISET/PR), no caso de órgãos ligados
à Presidência da República, e pelo Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União.

7
10) O controle que tem por objetivo verificar tanto a legitimidade como a eficácia da atividade de
Inteligência é exercido pela Câmara de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Conselho de
Governo.

11) Para o SISBIN, foi desenvolvida a seguinte Missão: desenvolver a atividade de Inteligência, de
forma integrada, para promover e defender os interesses do Estado e da sociedade brasileira.

12) Com base nos desafios estratégicos identificados e nos eixos de sustentação da ENINT, foram
definidos 33 objetivos para o desempenho eficaz da atividade de Inteligência, considerado o
horizonte temporal de três anos.

13) Os objetivos elaborados na ENINT possuem ordem de prioridade definida e retratam o foco
estratégico para direcionar os esforços e sinalizam os resultados essenciais a serem atingidos pelo
SISBIN no cumprimento da sua Missão.

14) A elaboração e a consolidação do Plano Nacional de Inteligência será um processo liderado pelo
Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin) e deverá abranger todo o Sistema. O Sisbin monitorará,
ainda, a implementação do Plano e se reunirá periodicamente para discutir o andamento das ações e
propor as medidas corretivas necessárias.

5.4 Lei nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

15) (CESPE 2017 - TCE-PE) Entre as diretrizes da referida lei inclui-se a utilização de meios de
comunicação viabilizados pela tecnologia da informação.

16) (CESPE 2017 - TCE-PE) É prerrogativa do agente público a recusa em fornecer informação
regularmente requerida nos termos da referida lei, desde que esteja autorizado pela chefia imediata.

17) (CESPE 2017 - SEDF) Cidadão que solicite informações de interesse público deve esclarecer a
finalidade para a qual pretenda utilizar as informações requeridas.

18) (CESPE 2017 - SEDF) A solicitação de acesso às informações requeridas deve ser atendida no
prazo máximo e improrrogável de vinte dias.

19) (CESPE 2017 - SEDF) Um documento ultrassecreto pode permanecer em sigilo por prazo
inferior a vinte e cinco anos.

20) (CESPE 2017 - SEDF) Os órgãos e as entidades públicas devem assegurar a concessão de
acesso a partes ostensivas de documentos sigilosos.

21) (CESPE 2015 - MPOG) Com os dispositivos legais que preveem a revisão das informações
classificadas como secretas e ultrassecretas, as informações que não forem reavaliadas no prazo de
dois anos serão, automaticamente, consideradas como informações de acesso público conforme
determina a referida lei.

22) (CESPE 2015 - MPOG) Pelo princípio da transparência, é facultado a qualquer pessoa, natural
ou jurídica, formular pedido de acesso a informação, desde que informe nome, endereço, número de
identificação válido e especificação da informação requerida, além de justificativa e finalidade da
informação requerida.

8
23) (CESPE 2015 - TCU) Existem três níveis para a classificação da informação conforme a
referida lei: ultrassecreto, secreto e reservado, com prazos de sigilo de vinte e cinco, quinze e cinco
anos respectivamente.

24) (CESPE 2015 - TCU) O fornecimento de informações públicas está condicionado à solicitação
da pessoa interessada.

25) (CESPE 2015 - TCU) Classificam-se como reservadas as informações que puderem colocar em
risco a segurança do presidente, do vice-presidente da República e de respectivos cônjuges e filhos.
Essas informações ficam sob sigilo pelo prazo de cinco anos, que é o prazo máximo de restrição de
acesso à informação classificada como reservada.

26) (CESPE 2014 - ANATEL) Em se tratando de acesso a informação em documento cuja


manipulação possa prejudicar a sua integridade, deve-se oferecer consulta a cópia, com certificação
de que esta confere com o original.

27) (CESPE 2014 - ANATEL) Informações ou documentos que versem sobre conduta que implique
violação de direitos humanos praticada por agentes públicos ou a mando de autoridades públicas
não devem ser objeto de restrição de acesso.

28) (CESPE 2014 - ANATEL) Informação sigilosa é definida como aquela que, em razão de sua
imprescindibilidade para a segurança da sociedade e do Estado, é submetida a permanente restrição
de acesso público.

29) (CESPE 2014 - ANATEL) Caso a informação solicitada esteja disponível ao público em
formato impresso, eletrônico ou qualquer outro meio de acesso universal, devem ser informados ao
requerente o lugar e a forma pela qual poderá ser consultada, obter ou reproduzir a referida
informação, procedimento que não desonera o órgão ou entidade pública da obrigação do
fornecimento direto da informação.

30) (CESPE 2013 - STF) O servidor está obrigado a resguardar o sigilo da informação classificada
como sigilosa, a menos que tenha acesso ao seu conteúdo em razão de causas fortuitas ou eventuais.

9
DIREITO ADMINISTRATIVO

3 Atos administrativos.

01) (CESPE 2015 - FUB) A motivação do ato administrativo deve ser contemporânea à decisão e
emanar da autoridade responsável pela decisão administrativa.

02) (CESPE 2015 - DPE-PE) Em obediência ao princípio da solenidade das formas, o ato
administrativo deve ser escrito, registrado e publicado, não se admitindo no direito público o
silêncio como forma de manifestação de vontade da administração.

03) (CESPE 2015 - ANTAQ) A sanção do presidente da República é qualificada como ato
administrativo em sentido estrito, ou seja, é uma manifestação de vontade da administração pública
no exercício de prerrogativas públicas, cujo fim imediato é a produção de efeitos jurídicos
determinados.

04) (CESPE 2014 - CÂMARA) A imperatividade é atributo presente apenas nos atos
administrativos que imponham restrições de direitos, não se aplicando aos atos ampliativos de
direitos.

05) (CESPE 2013 - MS) A invalidação de atos administrativos ampliativos de direitos dos
administrados somente poderá ocorrer como consequência de um processo administrativo.

06) (CESPE 2013 - MI) O conceito de ato administrativo não se confunde com o conceito legal de
ato jurídico.

07) (CESPE 2013 - UNIPAMPA) O gestor público que constatar a prática de ato administrativo
ilegal deve, obrigatoriamente, anulá-lo, e, caso seja comprovada a boa-fé do servidor que praticou o
ato ilegal, a anulação produzirá efeito ex nunc.

08) (CESPE 2013 - CNJ) A licença concedida ao administrado para o exercício de direito poderá ser
revogada pela administração pública por critério de conveniência e oportunidade.

09) (CESPE 2012 - TC-DF) O fator limitador do ato administrativo discricionário é o critério da
conveniência e oportunidade.

10) (CESPE 2008 - FUB) É intransferível e irrenunciável a competência para praticar ato
administrativo.

11) (CESPE 2017 - SEDF) Mauro editou portaria disciplinando regras de remoção no serviço
público que beneficiaram, diretamente, amigos seus. A competência para a edição do referido ato
normativo seria de Pedro, superior hierárquico de Mauro. Os servidores que se sentiram
prejudicados com o resultado do concurso de remoção apresentaram recurso quinze dias após a data
da publicação do resultado.

Nessa situação hipotética,

a portaria editada por Mauro contém vício nos elementos competência e objeto.

10
12) (CESPE 2015 - TCE-RN) O parecer é ato administrativo em espécie que, quando obrigatório,
vincula a decisão a ser proferida pela autoridade competente.

13) (CESPE 2015 - FUB) Instrução é ato administrativo unilateral editado pelos ministros de
Estado.

14) (CESPE 2014 - ANATEL) A revogação importa em juízo de oportunidade e conveniência, razão
por que os atos administrativos somente podem ser revogados pela autoridade que os tenha exarado.

15) (CESPE 2015 - CÂMARA) Caso um analista administrativo pratique ato cuja competência
técnica incumba a seu superior hierárquico, tal ato será nulo em razão da incompetência do agente.

16) (CESPE 2014 - CAIXA) A autorização de serviço público consiste em ato unilateral,
discricionário e precário, por meio do qual se delega um serviço público a um autorizatário, que o
explorará, predominantemente, em benefício próprio

17) (CESPE 2014 - PGE-BA) Os atos enunciativos, como as certidões, por adquirirem os seus
efeitos por lei, e não pela atuação administrativa, não são passíveis de revogação, ainda que por
razões de conveniência e oportunidade.

18) (CESPE 2014 - TRT17) O motivo é a justificativa escrita da ocorrência dos pressupostos
jurídicos autorizadores da prática de determinado ato administrativo.

19) (CESPE 2013 - BACEN) A declaração de nulidade do ato surte efeitos retroativos a todos
aqueles que, de alguma forma, se beneficiaram dos efeitos produzidos pelo ato viciado.

20) (CESPE 2013 - MJ) O motivo do ato administrativo não se confunde com a motivação
estabelecida pela autoridade administrativa. A motivação é a exposição dos motivos e integra a
formalização do ato. O motivo é a situação subjetiva e psicológica que corresponde à vontade do
agente público.

4 Poderes da administração pública.

21) (CESPE 2017 - PFCE) O exercício do poder regulamentar é privativo do chefe do Poder
Executivo da União, dos estados, do DF e dos municípios.

22) (CESPE 2017 - SEDF) A coercibilidade, uma característica do poder de polícia, evidencia-se no
fato de a administração não depender da intervenção de outro poder para torná-lo efetivo.

23) (CESPE 2017 - SEDF) José, chefe do setor de recursos humanos de determinado órgão público,
editou ato disciplinando as regras para a participação de servidores em concurso de promoção.

A respeito dessa situação hipotética, julgue o item seguinte.

A edição do referido ato é exemplo de exercício do poder regulamentar.

24) (CESPE 2016 - TCE-PA) Os atos decorrentes do poder regulamentar têm natureza originária e
visam ao preenchimento de lacunas legais e à complementação da lei.

11
25) (CESPE 2015 - DPU) A multa, como sanção resultante do exercício do poder de polícia
administrativa, não possui a característica da autoexecutoriedade.

26) (CESPE 2014 - CÂMARA) Como regra, tem competência exclusiva para exercer o poder de
polícia a entidade que dispõe de poder para regular a matéria; excepcionalmente, pode haver
competências concorrentes na regulação e no policiamento.

27) (CESPE 2013 - STF) O poder disciplinar da administração pública decorre da relação de
hierarquia, razão por que não se admite a aplicação de penalidade ao particular sem relação
contratual com a administração.

28) (CESPE 2013 - STF) Considere a seguinte situação hipotética. Carlos fez uma ligação direta de
energia elétrica em sua residência, fraudando o controle e a cobrança do referido serviço por
companhia elétrica da iniciativa privada que exerce essa função pública delegada. Ao detectar a
fraude, a companhia elétrica cortou o fornecimento de energia elétrica e multou o Carlos. Nessa
situação hipotética, considerando-se exclusivamente o direito administrativo, a empresa agiu no
legítimo exercício do poder de polícia mediante delegação.

29) (CESPE 2013 - ANP) Uma forma de manifestação do poder de polícia ocorre quando a
administração pública baixa ato normativo, disciplinando o uso de fogos de artifício.

30) (CESPE 2013 - ANP) A doutrina divide o atributo de autoexecutoriedade do poder de polícia
em exigibilidade e executoriedade, sendo que, na exigibilidade, a administração utiliza meios
diretos de coação, como, por exemplo, a impossibilidade de licenciamento do veículo enquanto as
multas de trânsito não forem pagas.

12
DIREITO CONSTITUCIONAL

1 Princípios fundamentais da Constituição Federal de 1988.

01) (CESPE 2016 - DPU) Acerca dos princípios fundamentais expressos na Constituição Federal de
1988 (CF), julgue o item a seguir.

A prevalência dos direitos humanos, a concessão de asilo político e a solução pacífica de conflitos
são princípios fundamentais que regem as relações internacionais do Brasil.

02) (CESPE 2015 - MPOG) Acerca dos princípios fundamentais e dos direitos e deveres individuais
e coletivos, julgue o item a seguir.

Nas relações internacionais, a República Federativa do Brasil é regida pelo princípio da concessão
de asilo político.

03) (CESPE 2015 - MPOG) Acerca dos princípios fundamentais previstos na Constituição Federal
de 1988 (CF), julgue o item a seguir.

De acordo com a CF, os objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil incluem


erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais.

04) (CESPE 2015 - MPOG) Acerca dos princípios fundamentais previstos na Constituição Federal
de 1988 (CF), julgue o item a seguir.

Nos termos da nossa CF, todo o poder emana do povo que, por sua vez, o exerce diretamente ou por
meio de representantes eleitos.

05) (CESPE 2015 - MPOG) Acerca dos princípios fundamentais previstos na Constituição Federal
de 1988 (CF), julgue o item a seguir.

O Brasil rege-se nas relações internacionais, entre outros princípios, pelos princípios da intervenção
e vedação de concessão de asilo político.

06) (CESPE 2015 - MPOG) Acerca dos princípios fundamentais previstos na Constituição Federal
de 1988 (CF), julgue o item a seguir.

A busca pela integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina visa à
formação de uma comunidade latino-americana de nações.

07) (CESPE 2015 - FUB) Julgue o item seguinte , relativo aos princípios fundamentais da
República Federativa do Brasil.

O princípio da dignidade da pessoa humana pode ser relativizado, porque, diante de casos
concretos, é permitido o juízo de ponderação, visto que são variados os titulares desse direito
fundamental.

08) (CESPE 2015 - FUB) O pluralismo político é princípio fundamental que assegura aos cidadãos
até mesmo o apartidarismo.

13
09) (CESPE 2015 - IRB) A respeito do processo legislativo e dos direitos e garantias fundamentais,
conforme disposto na Constituição Federal de 1988, julgue (C ou E) o item subsequente.

A concessão de asilo político a estrangeiro é princípio que rege a República Federativa do Brasil nas
suas relações internacionais, mas, como ato de soberania estatal, o Estado brasileiro não está
obrigado a realizá-lo.

10) (CESPE 2015 - FUB) Julgue o item a seguir, a respeito da Constituição Federal de 1988 (CF) e
dos fundamentos da República Federativa do Brasil.

A livre iniciativa, fundamento da República Federativa do Brasil, possui valor social que transcende
o interesse do empreendedor, merecendo proteção constitucional apenas quando respeitar e ajudar a
desenvolver o trabalho humano. Por isso, não se coaduna com a CF empreitada que deixe de
assegurar os direitos sociais dos trabalhadores.

11) (CESPE 2015 - FUB) Julgue o item a seguir, a respeito da Constituição Federal de 1988 (CF) e
dos fundamentos da República Federativa do Brasil.

O pluralismo político, fundamento da República Federativa do Brasil, é pautado pela tolerância a


ideologias diversas, o que exclui discursos de ódio, não amparados pela liberdade de manifestação
do pensamento.

12) (CESPE 2015 - FUB) Com base nas disposições da Constituição Federal de 1988 (CF), julgue o
item seguinte.

O regime político adotado na CF caracteriza a República Federativa do Brasil como um estado


democrático de direito em que se conjuga o princípio representativo com a participação direta do
povo por meio do voto, do plebiscito, do referendo e da iniciativa popular.

13) (CESPE 2014 - ANTAQ) Julgue o item a seguir, com relação aos princípios fundamentais da
Constituição Federal de 1988 e à aplicabilidade de suas normas.

A concessão de asilo político é princípio norteador das relações internacionais brasileiras, conforme
expressa disposição do texto constitucional.

14) (CESPE 2014 - TJ-SE) Julgue os itens a seguir, a respeito da teoria dos direitos fundamentais e
dos princípios fundamentais na Constituição Federal de 1988 (CF).

A dignidade da pessoa humana, princípio fundamental da República Federativa do Brasil, promove


o direito à vida digna em sociedade, em prol do bem comum, fazendo prevalecer o interesse
coletivo em detrimento do direito individual.

15) (CESPE 2013 - ANCINE) A respeito dos direitos fundamentais e dos remédios constitucionais,
julgue o item seguinte.

A Constituição Federal de 1988 (CF) prevê expressamente a prevalência dos direitos humanos
como sendo um dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil.

14
5 Poder Legislativo.

16) (CESPE 2017 - TRF1) A respeito da organização dos poderes da República, julgue o item que
se segue.

Compete exclusivamente ao Congresso Nacional processar e julgar o presidente e o vice-presidente


da República caso estes cometam crimes de responsabilidade.

17) (CESPE 2017 - TRF1) Com relação aos Poderes Legislativo e Executivo, julgue o seguinte
item.

O controle externo a cargo do Congresso Nacional é exercido com o auxílio do Tribunal de Contas
da União, que possui a atribuição, de natureza jurisdicional, de julgar as contas dos administradores
e demais responsáveis pela gestão do dinheiro público.

18) (CESPE 2017 - TRF1) À luz das disposições constitucionais acerca do Poder Legislativo,
julgue o item seguinte.

A perda do mandato de deputado ou de senador que tenha agido de maneira incompatível com o
decoro parlamentar será decidida de ofício pela presidência da Câmara dos Deputados ou do Senado
Federal.

19) (CESPE 2017 - TCE-PE) A respeito do Poder Legislativo, julgue o item subsecutivo.

A legalidade do ato de admissão de uma pessoa para o provimento de cargo em comissão na


administração pública direta e indireta deve ser apreciada pelo Tribunal de Contas da União, para
fins de registro.

20) (CESPE 2017 - IRB) Acerca das características do Estado, do sistema de governo e da
organização dos poderes na ordem jurídico-constitucional brasileira, julgue (C ou E) o item
subsequente.

Cabe ao Congresso Nacional, por meio de decreto legislativo, a aprovação de tratados, acordos e
atos internacionais que acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional.

21) (CESPE 2017 - SEDF) Julgue o próximo item, relativo ao Poder Executivo e ao Poder
Legislativo.

No exercício de atividade investigatória, caso se deparem com a necessidade de quebra do sigilo


fiscal de alguém, as comissões parlamentares de inquérito deverão requerer tal quebra ao Poder
Judiciário, pois elas não possuem poderes de investigação próprios das autoridades judiciais.

22) (CESPE 2016 - ANVISA) Julgue o item a seguir com base na CF.

O Congresso Nacional, com o auxílio do TCU, tem competência para fiscalizar a legalidade
contábil, financeira, orçamentária e patrimonial da União, mediante controle externo

15
23) (CESPE 2016 - TCE-PA) Acerca de processo legislativo e fiscalização contábil, financeira e
orçamentária, julgue o item a seguir, considerando as disposições constitucionais sobre o Poder
Legislativo.

No âmbito do controle externo, estão sujeitas ao dever de prestar contas as pessoas físicas e as
pessoas jurídicas que utilizem, guardem, gerenciem ou administrem dinheiros, bens e valores
públicos, desde que submetidas a regime de direito público.

24) (CESPE 2016 - TCE-PA) Acerca de processo legislativo e fiscalização contábil, financeira e
orçamentária, julgue o item a seguir, considerando as disposições constitucionais sobre o Poder
Legislativo.

Os tratados ou acordos internacionais firmados pelo presidente da República que impliquem


compromissos gravosos ao patrimônio nacional somente terão validade se forem aprovados pelo
Senado Federal, órgão ao qual compete, em caráter privativo, resolver definitivamente esses temas.

25) (CESPE 2016 - TCE-PA) Considerando as disposições constitucionais sobre o Poder


Legislativo e o processo legislativo, julgue o item a seguir.

A Constituição Federal de 1988 reserva ao Congresso Nacional a prerrogativa de autorizar


referendos e convocar plebiscitos.

26) (CESPE 2016 - TCE-PA) No que diz respeito aos Poderes Executivo, Judiciário e Legislativo,
julgue o item subsequente.

Perderá o mandato o deputado federal que for investido no cargo de chefe de missão diplomática
temporária.

27) (CESPE 2016 - DPU) Julgue o item subsequente, relativo à organização político-administrativa
do Brasil e aos poderes da União.

Compete ao Congresso Nacional sustar ato normativo expedido pelo Poder Executivo que exorbite
do poder regulamentar.

28) (CESPE 2016 - DPU) Em relação aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e à
Defensoria Pública (DP), julgue o item a seguir.

De forma subsidiária à atividade de fiscalização exercida pelo Tribunal de Contas da União, pode o
Congresso Nacional exercer função fiscalizatória sobre a União e sobre as entidades da
administração direta e indireta.

29) (CESPE 2015 - TCE-RN) Em relação ao Poder Legislativo, julgue o item a seguir.

Considere que um deputado federal tenha encaminhado ao Ministério Público notícia-crime contra
autoridades judiciais e administrativas por suspeita de práticas ilícitas no âmbito de uma autarquia
federal. Sob esse enfoque, quanto à abrangência e à eficácia da imunidade parlamentar material,
este ato, ainda que não constitua exercício estrito do mandato parlamentar, é tutelado pela
inviolabilidade parlamentar, pois guarda relação de pertinência com o poder de controle do
Parlamento sobre a administração da União.

16
30) (CESPE 2015 - MEC) No que se refere a disposições constitucionais sobre o Poder Executivo e
o Legislativo, julgue o próximo itens.

As comissões parlamentares de inquérito gozam dos poderes investigatórios próprios das


autoridades judiciais, ressalvadas as determinações de busca e apreensão domiciliar, de quebra de
sigilo fiscal e de prisão, que se submetem à cláusula de reserva de jurisdição.

17
LÍNGUA INGLESA E LÍNGUA ESPANHOLA

I LÍNGUA INGLESA.

Text I

The corruption of trust after a mass credentials breach — along with the opacity of the
correction process — can permanently alter market share and even entire industries. Public trust has
never been at such a premium, and the stakes are high for enterprise organizations to offer
transparency, clarity and efficiency.
Undeniably, authentication requires game-changing transparency and ease of solution today
to prepare for the scale of transformation tomorrow. Many of us charged with seeing around corners
are only beginning to perceive the coming sea change in security, amplified by the internet of things
(IoT) and all its conveniences and inevitable uses. The industry must lay a new foundation of trust
for administrators and end users alike. The time has come to realize that cyber security is no longer
just a technology issue, it is a business one too.
Our brave new world (private and public) has opened two-way paths between personal,
sensitive data and access to it on mobile phones, tablets and laptops. To use an analogy, individuals
today carry their keys, driver’s licenses and credit cards on their person everywhere they go. No one
would volunteer to leave them in a storage unit with a hundred of other IDs, credit cards and keys.
Yet this happens every minute of every day with personal credentials. As evidence of criminals
feeding on this untenable situation, reports show 81% of intentional data breaches are credentials-
based.

Internet: <www.forbes.com> (adapted).

According to the text I, judge the following items.

01) (CESPE 2017 - TRF1) Nowadays mass credentials breaches should be considered both a
technology and a business issue.

02) (CESPE 2017 - TRF1) The pronoun “this” (line 15) refers to the practice of keeping personal
documents in a safe place.

03) (CESPE 2017 - TRF1) The internet of things (IoT) makes enterprises more susceptible to
security threats.

04) (CESPE 2017 - TRF1) In the context, the expression “seeing around corners” (line 6) means
being suspicious.

18
Text II

Diplomacy has never enjoyed a wholly favourable reputation. Often confused with its
clandestine cousin, espionage, it has for centuries been associated with deviousness and duplicity.
Only the other day, when I was giving a talk, a woman came up to me afterwards and expressed
astonishment that I had actually given straight answers to questions. “I expected”, she said, “the
usual wishy-washy that you get from diplomats.” In modern times, diplomacy has also become
associated with appeasement of one kind or another, with kowtowing to foreign governments.
These criticisms have acquired the rancid flavour of class warfare, a deeply ingrained British
pastime. For centuries, diplomacy recruited from the aristocracy and upper classes. When I joined
the Foreign Office in 1966, recruitment had become more widely meritocratic; but it was
overwhelmingly a male meritocracy drawn from a few elite universities. Today, the recruitment
pool is vastly bigger in every way. But, the old myths persist. The image of a diplomat clad in
pinstripes, quaffing champagne, and leading the good life in a magnificent embassy, dies hard.

Christopher Meyer. Getting Our Way: 500 Years of Adventure and Intrigue: the Inside Story of
British Diplomacy. London: Weidenfeld & Nicolson, 2009, p. 6 (adapted).

Decide whether the following statements are right (C) or wrong (E) according to text II.

05) (CESPE 2017 - IRB) It can be correctly inferred from the text that there tends to be presently
more female diplomats, as well as diplomats with more diverse social backgrounds, than in 1966.

06) (CESPE 2017 - IRB) It can be correctly concluded from the text that the recruitment methods
adopted in the past have fuelled suspicion against diplomats and created a fallacious idea about their
work.

07) (CESPE 2017 - IRB) For the author, the bad reputation diplomacy holds has to do with the
frequent international negotiations in which diplomats deal with foreign officials.

08) (CESPE 2017 - IRB) The words “clad” (line 11) and “quaffing” (line 12) could be correctly
replaced by dressed and sipping without this altering the meaning of the sentence, although this
substitution would make the text less humorous.

09) (CESPE 2017 - IRB) There would be no change in the meaning of the passage from “Often”
(line 1) to “duplicity” (line 2) if it were replaced by Even though it is often confused with
espionage, which is its illegitimate cousin, diplomacy has been linked with misbehaviour and
duplicity for centuries.

10) (CESPE 2017 - IRB) The excerpt “that you get from diplomats” (line 5) could be correctly
replaced by which one gets from diplomats without this changing the meaning of the text.

11) (CESPE 2017 - IRB) The recruitment policy of the British diplomatic service was designed and
planned by elite academics and university intellectuals.

19
Text III

When Harold Palmer (1877 – 1949) first began as a teacher of English as a foreign language
in 1902 at a language school in Verviers, Belgium run on Berlitz lines, the main attraction of the job
was that it allowed him to live abroad in a French-speaking country. In all likelihood he would
eventually come back home in a few years and “settle down”, like many others before and since.
Palmer, however, stayed on, opened his own school, and began to think seriously about the work he
was doing and how it could be improved. When he died forty-seven years later, English language
teaching was well on its way to a professionhood which he, more than any other single individual,
had helped to bring about.

A. P. R. Howatt and H. G. Widdowson. A history of English language teaching. 2nd ed. Oxford
University Press, 2004, p. 264 (adapted).

Judge the following items, concerning the ideas and linguistic aspects of text III.

12) (CESPE 2017 - SEDF) As in the phrase “a language school in Verviers, Belgium run on Berlitz
lines” (line 2), the relative pronoun and the auxiliary verb which forms the passive voice have been
omitted, the excerpt “run on Berlitz lines” could be correctly replaced with which was run on
Berlitz lines.

13) (CESPE 2017 - SEDF) Palmer must have had another job prior to working as a teacher of EFL.

14) (CESPE 2017 - SEDF) Palmer was hired by the Berlitz corporation in Belgium.

15) (CESPE 2017 - SEDF) In the text, the connective adverb “however” (line 5) is synonymous
with nonetheless.

20
II LÍNGUA ESPANHOLA

Texto para las cuestiones de 16 a 30

Guanajuato, «más cervantina que Castilla»

A más de 9.000 kilómetros de distancia de aquellos molinos que retrató Cervantes en El


Quijote, en la otra orilla de ese Océano Atlántico que el escritor nunca pudo cruzar, hay una ciudad
que lleva sesenta y cuatro años rindiéndole tributo. Guanajuato, la capital cervantina de América tal
como la calificó la UNESCO, comenzó hace seis décadas a transformarse de la mano de los
Entremeses, «hasta convertirse en un lugar más cervantino que la propia Castilla», resalta el
historiador teatral mexicano Edgar Ceballos. Una obra que aún sigue representándose en sus calles
y que impulsó la creación del Festival Cervantino, uno de los eventos interartísticos más destacados
de América Latina.
La hermandad entre la ciudad y el escritor vivirá una auténtica eclosión el próximo mes de
octubre cuando el Festival dedique su 44.a edición a este genio de las letras. Una relación que
comenzó gracias a Enrique Ruelas (1913-1987), un catedrático y director de teatro que en 1952
trasladó a Guanajuato los Entremeses sin imaginar la trascendencia que la obra tendría para esta
ciudad minera del centro de México. La acercó al pueblo al representarla en la vía pública e
involucrar en ella a un gran número de guanajuatenses de las más diversas clases sociales. Aquella
función marcó así un punto de inflexión en el vínculo que esta urbe mantenía con los escenarios y,
de hecho, sesenta y cuatro años después, sigue programándose y atrayendo a un gran número de
visitantes.
«A Ruelas se le ocurrió enlazar varios entremeses y añadirle un prólogo y un epílogo.
Seleccionó una plazuela e invitó a todos los habitantes a vestirse al estilo del siglo XVI. El día del
estreno fue impresionante. Resultó algo inédito. Se apagaron las luces y empezaron a deambular
medio centenar de personas con trajes propios de esa época», comenta Ceballos, autor de una
biografía sobre Ruelas.
Políticos, jueces, diputados,… Hasta el propio rector de la Universidad de Guanajuato
participó en los Entremeses interpretando a Don Quijote de La Mancha. Pero no solo la élite
universitaria y política de la ciudad se unió al evento. También carniceros, obreros o albañiles
tuvieron su papel en estas representaciones que supusieron el despertar turístico de la ciudad. Una
obra que impulsó la economía, fue un instrumento de cohesión social y convirtió a Guanajuato en
una urbe cervantina.
Fundador de la escuela de teatro en la Nacional Preparatoria y del Teatro Universitario de
Guanajuato, Ruelas no solo trasladó a la calle los Entremeses. Un caballero de Olmedo de Lope
de Vega o Yerma de García Lorca fueron otras de las obras que este director representó en espacios
naturales. Consiguió acercar así el teatro a la gente y en concreto la obra de Cervantes hasta lograr
que Guanajuato se convirtiera en un destino cultural de México. Una labor en la que también tuvo
un papel determinante Eulalio Ferrer, un exiliado español que se refugió en México y trajo a esta
ciudad su colección sobre el escritor. Fundó el Museo Iconográfico del Quijote y creó el Coloquio
Cervantino, un encuentro de escritores y expertos de la obra de Cervantes que aún hoy se sigue
celebrando.
«Hay dos figuras que convierten a Guanajuato en una ciudad cervantina. Una es Enrique
Ruelas y la otra es Eulalio Ferrer. La combinación de ambos hace que el escritor esté tan vivo en
esta ciudad, cuya fisonomía es tan cercana a una ciudad del Quijote en particular y de Cervantes en
general», ha asegurado el director del Cervantino, Jorge Volpi.
Los coloquios y los entremeses cervantinos que ambos trajeron a esta ciudad serán parte de
los actos del festival que esta edición está dedicada al autor de El Quijote. Regresa así este
certamen a sus orígenes y recuerda al escritor que impulsó su nacimiento. El Cervantino se jacta

21
este año de celebrar el mayor de los homenajes del planeta a este autor y, de hecho, como aseguró el
propio Volpi en la presentación del programa, aspira a convertir a Guanajuato en la capital
cervantina del mundo durante el mes de octubre.

De acuerdo con el texto,

16) (CESPE 2016 - IRB) hace seis lustros que la ciudad mexicana de Guanajuato es un lugar
cervantino.

17) (CESPE 2016 - IRB) Enrique Ruelas, autor de la obra literaria Entremeses, dio a conocer a
Cervantes en Guanajuato.

18) (CESPE 2016 - IRB) en Guanajuato existe una gran producción agrícola.

19) (CESPE 2016 - IRB) Guanajuato está a 9.000 km de Castilla.

En conformidad con el texto,

20) (CESPE 2016 - IRB) representar los Entremeses no ha llegado a ayudar económicamente al
municipio de Guanajuato.

21) (CESPE 2016 - IRB) en la primera puesta en escena de Entremeses se necesitaron farolas.

22) (CESPE 2016 - IRB) en la primera escenificación teatral de Entremeses, los papeles de
políticos y de obreros fueron representados por guanajuatenses que ejercían esas mismas
profesiones en el día a día.

23) (CESPE 2016 - IRB) con la escenificación de Entremeses se consigue una gran integración
social.

Ruelas

24) (CESPE 2016 - IRB) no logró, con su experiencia dramática en México, alejar el teatro del
ciudadano.

25) (CESPE 2016 - IRB) en su representación de Entremeses se ciñó fielmente al texto cervantino.

26) (CESPE 2016 - IRB) repetirá en 2016 como director teatral de Entremeses.

27) (CESPE 2016 - IRB) representó, al aire libre, obras de otros autores.

De acuerdo con el texto,

28) (CESPE 2016 – IRB) 1 se percibe, durante todo el año, un brote de concordia entre el autor de
El Quijote y la ciudad mexicana de Guanajuato.

29) (CESPE 2016 - IRB) Miguel de Cervantes nunca intentó llegar a las Indias.

30) (CESPE 2016 - IRB) en Guanajuato son especialistas en la elaboración de alimentos que se
ponen en las mesas.

22
RACIOCÍNIO LÓGICO

3 Lógica sentencial (ou proposicional).

01) (CESPE 2017 - TRF1) A partir da proposição P: “Quem pode mais, chora menos.”, que
corresponde a um ditado popular, julgue o próximo item.

A negação da proposição P pode ser expressa por “Quem não pode mais, não chora menos”.

02) (CESPE 2016 - ANVISA) Julgue o seguinte item, relativos a raciocínio lógico, a princípios de
contagem e probabilidade e a operações com conjuntos.

A sentença Se João tem problemas cardíacos, então ele toma remédios que controlam a pressão
pode ser corretamente negada pela sentença João tem problemas cardíacos e ele não toma remédios
que controlam a pressão.

03) (CESPE 2015 - TCE-RN) Em campanha de incentivo à regularização da documentação de


imóveis, um cartório estampou um cartaz com os seguintes dizeres: “O comprador que não escritura
e não registra o imóvel não se torna dono desse imóvel”.

A partir dessa situação hipotética e considerando que a proposição P: “Se o comprador não escritura
o imóvel, então ele não o registra” seja verdadeira, julgue o item seguinte.

A negação da proposição P pode ser expressa corretamente por “Se o comprador escritura o imóvel,
então ele o registra”.

04) (CESPE 2015 - STJ) Mariana é uma estudante que tem grande apreço pela matemática, apesar
de achar essa uma área muito difícil. Sempre que tem tempo suficiente para estudar, Mariana é
aprovada nas disciplinas de matemática que cursa na faculdade. Neste semestre, Mariana está
cursando a disciplina chamada Introdução à Matemática Aplicada. No entanto, ela não tem tempo
suficiente para estudar e não será aprovada nessa disciplina.

A partir das informações apresentadas nessa situação hipotética, julgue o item a seguir, acerca das
estruturas lógicas.

Considerando-se como p a proposição “Mariana acha a matemática uma área muito difícil" de valor
lógico verdadeiro e como q a proposição “Mariana tem grande apreço pela matemática" de valor
lógico falso, então o valor lógico de p → ¬q é falso.

05) (CESPE 2015 - MPOG) Considerando a proposição P: “Se João se esforçar o bastante, então
João conseguirá o que desejar”, julgue o item a seguir.

A negação da proposição P pode ser corretamente expressa por “João não se esforçou o bastante,
mas, mesmo assim, conseguiu o que desejava”.

06) (CESPE 2014 - ANTAQ) Julgue o item seguinte, acerca da proposição P: Quando acreditar que
estou certo, não me importarei com a opinião dos outros.

Uma negação correta da proposição “Acredito que estou certo” seria “Acredito que não estou
certo”.

23
07) (CESPE 2014 - TJ-SE) Considerando que P seja a proposição “Se os seres humanos soubessem
se comportar, haveria menos conflitos entre os povos”, julgue os itens seguintes.

A negação da proposição P pode ser corretamente expressa pela proposição “Se os seres humanos
não soubessem se comportar, não haveria menos conflitos entre os povos”.

08) (CESPE 2014 - TC-DF) Considere a proposição P a seguir.

P: Se não condenarmos a corrupção por ser imoral ou não a condenarmos por corroer a legitimidade
da democracia, a condenaremos por motivos econômicos.

Tendo como referência a proposição apresentada, julgue os itens seguintes.

A negação da proposição “Não condenamos a corrupção por ser imoral ou não condenamos a
corrupção por corroer a legitimidade da democracia” está expressa corretamente por “Condenamos
a corrupção por ser imoral e por corroer a legitimidade da democracia”

09) (CESPE 2014 - TC-DF) Julgue os itens que se seguem, considerando a proposição P a seguir:
Se o tribunal entende que o réu tem culpa, então o réu tem culpa.

A negação da proposição “O tribunal entende que o réu tem culpa” pode ser expressa por “O
tribunal entende que o réu não tem culpa”.

10) (CESPE 2014 - MEC) Considerando a proposição P: “Nos processos seletivos, se o candidato
for pós-graduado ou souber falar inglês, mas apresentar deficiências em língua portuguesa, essas
deficiências não serão toleradas”, julgue os itens seguintes acerca da lógica sentencial.

A negação da proposição “O candidato é pós-graduado ou sabe falar inglês” pode ser corretamente
expressa por “O candidato não é pós-graduado nem sabe falar inglês”.

11) (CESPE 2014 - CÂMARA) Considerando que P seja a proposição “Se o bem é público, então
não é de ninguém”, julgue o item subsequente.

A negação da proposição P está corretamente expressa por “O bem é público e é de todos”.

12) (CESPE 2014 - SUFRAMA) Com base na proposição P: “Na máxima extensão permitida pela
lei, a empresa não garante que o serviço por ela prestado não será interrompido, ou que seja livre de
erros”, julgue o item subsequente.

A negação da proposição P está corretamente expressa por “Na mínima extensão não permitida pela
lei, a empresa garante que o serviço por ela não prestado será interrompido e que não seja livre de
erros”.

13) (CESPE 2014 - SUFRAMA) Considerando que P seja a proposição “O atual dirigente da
empresa X não apenas não foi capaz de resolver os antigos problemas da empresa como também
não conseguiu ser inovador nas soluções para os novos problemas”, julgue o item a seguir a respeito
de lógica sentencial.
A negação da proposição P está corretamente expressa por “O atual dirigente da empresa X foi
capaz de resolver os antigos problemas da empresa ou conseguiu ser inovador nas soluções para os
novos problemas”.

24
14) (CESPE 2014 - PF) Considerando que P seja a proposição “Não basta à mulher de César ser
honesta, ela precisa parecer honesta”, julgue os itens seguintes, acerca da lógica sentencial.

A negação da proposição P está corretamente expressa por “Basta à mulher de César ser honesta, ela
não precisa parecer honesta”.

15) (CESPE 2014 - PF) Ao planejarem uma fiscalização, os auditores internos de determinado
órgão decidiram que seria necessário testar a veracidade das seguintes afirmações:

P: Os beneficiários receberam do órgão os insumos previstos no plano de trabalho.


Q: Há disponibilidade, no estoque do órgão, dos insumos previstos no plano de trabalho.
R: A programação de aquisição dos insumos previstos no plano de trabalho é adequada.

A respeito dessas afirmações, julgue o item seguinte, à luz da lógica sentencial.

A negação da afirmação Q pode ser corretamente expressa por “Não há disponibilidade, no estoque
do órgão, dos insumos não previstos no plano de trabalho”.

5 Princípios de contagem e probabilidade.

(CESPE 2011 - BRB) Em uma cidade, 1.000 habitantes foram entrevistados a respeito de suas
relações com os bancos A e B. Dos entrevistados, 450 eram correntistas apenas do banco A, 480
eram correntistas do banco B, 720 eram correntistas de apenas um desses bancos e o restante não
era correntista de nenhum desses 2 bancos.

Com as informações do texto acima, julgue os itens 16 a 18.

16) (CESPE 2011 - BRB) É correto afirmar que a probabilidade de um dos entrevistados ser
correntista dos 2 bancos é superior a 0,20.

17) (CESPE 2011 - BRB) É correto afirmar que a probabilidade de um dos entrevistados não ser
correntista de nenhum dos bancos é igual a 0,08.

18) (CESPE 2011 - BRB) É correto afirmar que a probabilidade de um dos entrevistados ser
correntista apenas do banco B é inferior a 0,25.

19) (CESPE 2011 - PREVIC) Suponha que os funcionários de uma empresa se organizem em 10
grupos para contratar um plano previdenciário com apenas um benefício em cada contrato, de modo
que a renda por invalidez seja contratada por 3 grupos, a pensão por morte, o pecúlio por morte e o
pecúlio por invalidez sejam contratados por 2 grupos cada, e a renda por aposentadoria seja
contratada por 1 grupo. Nessas condições, a quantidade de maneiras em que esses 10 grupos
poderão ser divididos para a contratação dos 5 benefícios básicos será inferior a 7 × 104.

20) (CESPE 2010 - EMBASA) Suponha que uma empresa irá sortear 3 passagens aéreas para um
curso de formação. O sorteio será realizado entre os 8 setores dessa empresa, e, se um setor for
premiado, o chefe do setor contemplado indicará um funcionário para participar do evento. Em
relação a esse sorteio, julgue o item que se segue.
Se um setor puder ser contemplado até duas vezes, então haverá 112 resultados distintos possíveis
para esse sorteio.

25
21) (CESPE 2008 - SEPLAG-DF) Pesquisa feita entre alunos do ensino médio de escolas públicas
revelou as atividades extra-curriculares de suas preferências: teatro, música, coral, dança e xadrez.

Se o aluno puder escolher três dessas atividades, então ele terá 10 possibilidades de escolha.

22) (CESPE 2008 - BB) Caso as senhas de acesso dos clientes aos caixas eletrônicos de certa
instituição bancária contenham 3 letras das 26 do alfabeto, admitindo-se repetição, nesse caso, a
quantidade dessas senhas que têm letras repetidas é superior a 2 × 103.

23) (CESPE 2007 - PETROBRAS) Considere que, no final de uma reunião de executivos, foram
trocados 78 apertos de mãos; cada executivo apertou uma única vez a mão de todos os outros. Nesse
caso, o número de executivos presentes nessa reunião era inferior a 15.

24) (CESPE 2005 - TRT16) Considere que o gerente de um laboratório de computação vai cadastrar
os usuários com senhas de 6 caracteres formadas pelas letras U, V e W e os números 5, 6 e 7. É
permitida uma única duplicidade de caractere, se o usuário desejar, caso contrário, todos os
caracteres têm de ser distintos. Nessa situação, o número máximo de senhas que o gerente consegue
cadastrar é 2.880.

25) (CESPE 2015 - TCE-RN) Para fiscalizar determinada entidade, um órgão de controle escolherá
12 de seus servidores: 5 da secretaria de controle interno, 3 da secretaria de prevenção da corrupção,
3 da corregedoria e 1 da ouvidoria. Os 12 servidores serão distribuídos, por sorteio, nas equipes A,
B e C; e cada equipe será composta por 4 servidores. A equipe A será a primeira a ser formada,
depois a equipe B e, por último, a C.

A respeito dessa situação, julgue o item subsequente.

A chance de a equipe A ser composta por um servidor de cada unidade é superior a 10%.

26) (CESPE 2011 - FUB) Em um concurso público para cargos de nível superior e médio, 1.098
candidatos se inscreveram para concorrer a 109 vagas.

Considerando essa situação, julgue os itens a seguir.

Suponha que a quantidade de candidatos concorrendo aos cargos de nível médio tenha sido igual ao
dobro da quantidade de candidatos que concorreram aos cargos de nível superior. Nessa situação,
escolhendo-se ao acaso um candidato entre os inscritos, a probabilidade de esse candidato escolhido
estar concorrendo a algum cargo de nível superior é igual a 1/3.

27) (CESPE 2010 - INMETRO) Se uma moeda for lançada 5 vezes, o número de sequências
diferentes de cara e coroa que poderão ser obtidas será igual a 25.

28) (UFES 2017 - UFES) Uma determinada família é composta por pai, por mãe e por seis filhos.
Eles possuem um automóvel de oito lugares, sendo que dois lugares estão em dois bancos
dianteiros, um do motorista e o outro do carona, e os demais lugares em dois bancos traseiros. Eles
viajarão no automóvel, e o pai e a mãe necessariamente ocuparão um dos dois bancos dianteiros. O
número de maneiras de dispor os membros da família nos lugares do automóvel é igual a 1440.

26
29) (MPE-GO 2017 - MPE-GO) João recebeu 32 relatórios verdes e 40 relatórios vermelhos. Ele
deve colocar esses relatórios em envelopes da seguinte forma: Todos os envelopes devem conter a
mesma quantidade de relatórios. Nenhum envelope pode misturar relatórios de cores diferentes.
Cumprindo essas exigências, o menor número de envelopes que ele precisará utilizar é 12.

30) (FUNCERN 2017 - IF-RN) Em uma empresa, existem 14 funcionários do sexo masculino.
Entre todos os trabalhadores da empresa, serão selecionadas 5 pessoas para formar uma comissão
sindical.

Se essa comissão deve ter, precisamente, 3 homens, e a quantidade de comissões possíveis de serem
formadas é igual a 43.680, o total de funcionários dessa empresa é 30.

27
HISTÓRIA DO BRASIL

1.4 A Era Vargas: política, economia e sociedade.

01) (CESPE 2017 - IRB) No período entre 1930 e 1937, a política econômico-financeira do governo
Vargas procurou atender a interesses de diversos setores, incluindo-se os agrários.

02) (CESPE 2017 - IRB) Em 1932, o levante armado de São Paulo contra Getúlio Vargas reuniu
forças políticas que esperavam o retorno das formas oligárquicas de poder, bem como aquelas que
reivindicavam uma democracia liberal para o país.

03) (CESPE 2017 - IRB) Conforme determinava a Constituição promulgada em 1934, Getúlio
Vargas foi eleito presidente da República, nesse ano, por voto direto, tendo recebido o apoio de
líderes sindicais e de elites regionais.

04) (CESPE 2017 - IRB) A descoberta do plano Cohen, com provas de que os integralistas
pretendiam tomar o poder por meio de um golpe de Estado e alinhar o Brasil ao fascismo italiano,
foi a justificativa empregada por Vargas para a instalação da ditadura do Estado Novo, em 1937.

05) (CESPE 2017 - IRB) As Forças Armadas defenderam, homogeneamente, a industrialização


pesada e a exploração e o beneficiamento do petróleo, além do ingresso de tecnologia e capitais
estrangeiros para viabilizá-las.

06) (CESPE 2017 - IRB) Nas eleições de 1945, Getúlio Vargas comprovou sua popularidade e sua
força eleitoral.

07) (CESPE 2017 - SEDF) Ao romper com as instituições da República Velha, a Era Vargas, a partir
de 1930, dá início ao processo de modernização econômica do país e de consolidação da cidadania,
com a prevalência dos direitos civis, políticos e sociais.

08) (CESPE 2017 - SEDF) O Estado Novo de Vargas apresentava indisfarçável tendência fascista: a
federação, o Poder Legislativo e os partidos políticos foram suprimidos; a censura tornou-se
onipresente; e a ação da polícia política levou a prisões arbitrárias e ao uso recorrente da tortura.

09) (CESPE 2016 - IRB) A Revolução Constitucionalista de 1932 traduziu a insatisfação das elites
políticas de São Paulo com o governo provisório de Getúlio Vargas, a despeito das demonstrações
dadas pelo político gaúcho, em seus primeiros anos de exercício do poder nacional, de apreço pelo
federalismo e de adesão aos princípios da democracia representativa moderna em voga no mundo.

10) (CESPE 2016 - IRB) Entre as “pressões de variada natureza” que inviabilizaram a estratégia de
Getúlio Vargas de colocar-se na liderança do processo de distensão do Estado Novo, destaque
especial deve ser conferido aos comunistas que, comandados por Luís Carlos Prestes — recém-
libertado da prisão política —, insurgiram-se contra a proposta queremista e aglutinaram as
correntes de oposição na defesa de eleições gerais, com a derrubada do ditador.

11) (CESPE 2016 - IRB) O lançamento do Manifesto dos Mineiros, em plena Segunda Guerra
Mundial, constituiu o ponto de partida de um movimento interno oposicionista, de cunho liberal,
que expressava descontentamento com uma ordem política autoritária, de contornos fascistas, que
tão claramente caracterizava o Estado Novo.

28
12) (CESPE 2016 - IRB) Levado pelas circunstâncias a cerrar fileiras contra o Eixo na Segunda
Guerra Mundial, a ditadura varguista viveu a contradição — que se mostrou insolúvel — de lutar
externamente pela liberdade enquanto mantinha o país submetido a um rígido regime ditatorial.
Nessa perspectiva, a vitória aliada nos campos de batalha impulsionou o sentimento oposicionista
que culminou com a deposição de Vargas em outubro de 1945, poucos meses depois de encerrado o
conflito.

13) (CESPE 2015 - IRB) Sob o Estado Novo de Getúlio Vargas, os direitos civis e políticos
praticamente desapareceram, subjugados pelo caráter ditatorial do regime; todavia, foi nesse
contexto que os direitos sociais ganharam relevância, especialmente com o advento de ampla
legislação trabalhista.

14) (CESPE 2015 - IRB) A Era Vargas (1930-1945) assinala o início do processo de modernização
do país, a começar pela implantação da indústria de base. Enquanto os direitos civis e políticos eram
suprimidos pela força de um Estado crescentemente autoritário, os direitos sociais vinham à tona,
especialmente com a legislação trabalhista. A respeito desse período da República brasileira, julgue
(C ou E) o item a seguir.

Nesse período, a política externa brasileira alinhou-se decididamente aos Estados Unidos da
América, notadamente a partir de 1941, tendo se distanciado dos países do rio da Prata, onde havia
simpatias pelo nazifascismo.

15) (CESPE 2015 - IRB) A recusa de Getúlio Vargas, em 1945, de convocar novas eleições
presidenciais e uma assembleia nacional constituinte levou à sua derrubada por uma aliança entre a
cúpula militar e a União Democrática Nacional.

3 O regime militar e a redemocratização (1964 aos dias atuais).

16) (CESPE 2017 - IBR) O governo Geisel iniciou a liberalização do regime militar — a chamada
distensão — de modo controlado, com o objetivo de construir uma democracia conservadora.

17) (CESPE 2017 - IRB) A luta armada contra o regime militar, promovida por organizações
políticas de esquerda, abalou a estrutura política autoritária, criando as condições para a vitória da
chapa oposicionista Tancredo Neves – José Sarney na eleição presidencial de 1985.

18) (QUADRIX 2017 - SEDF) O Ato Institucional n.º 5 foi uma espécie de sopro liberal em meio
ao autoritarismo, abrandando o caráter ditatorial do regime instaurado em 1964, quando foi deposto
o presidente João Goulart.

29
19) (CESPE 2016 - IRB) No ano em que ocorreu, a campanha das Diretas Já mobilizou milhares de
pessoas, mas, naquele mesmo ano, a mobilização foi logo frustrada, retardando-se com isso o
avanço da democracia representativa. Em seguida, assistiu-se no país à nova mobilização da
sociedade, agora voltada para a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte. Ou, melhor
dizendo, de um Congresso Constituinte. Aí, até a redação final e aprovação da Constituição de
1988, de tudo se discutiu. A Constituição resultante, apesar de tudo, representou o marco de um
novo período da história do Brasil contemporâneo.

Adriana Lopez e Carlos Guilherme Mota. História do Brasil: uma interpretação. São Paulo: Senac
São Paulo, 2008, p. 872 (com adaptações).

Considerando a abrangência histórica do período a que o texto anterior se refere, julgue (C ou E) o


item que se segue.

A emenda Dante de Oliveira, no marco de uma campanha popular sem precedentes na história
brasileira, teve menos votos a favor do que contra no Congresso Nacional, inviabilizando, naquele
momento, o retorno das eleições presidenciais diretas. Para muitos estudiosos, uma razão
preponderante para a derrota da emenda foi a divisão entre as lideranças oposicionistas, que nem
mesmo chegaram a partilhar o mesmo palanque na campanha, que tinha por lema a frase “Eu quero
votar para presidente”.

20) (CESPE 2015 - IRB) A experiência democrática brasileira vivenciada a partir de 1946 foi
rompida pelo golpe ditatorial de 1964. O melhor retrato que se pode traçar daquele período é o de
“um país em movimento". Rápida industrialização e acelerada urbanização ecoavam por todos os
setores da vida nacional, infiltrando-se na política e se expressando pelas mais diversas
manifestações artístico-culturais. Cerca de duas décadas de regime autoritário, embora tenham
cerceado bastante a participação política da sociedade, não foram capazes de impedir que a luta pela
liberdade e pela democracia florescesse. Em 1985, esgotado o ciclo comandado pelos militares e
pela força destes, o país retomou a experiência democrática interrompida, então renovada e
identificada com as demandas de um novo tempo.

Relativamente a esse contexto da história contemporânea do Brasil, julgue o próximo item.

A coesão das forças militares, encabeçadas pelo Exército, explica a fácil vitória dos que se opunham
ao reformismo de João Goulart, a despeito da falta de apoio de setores poderosos da sociedade civil,
como o empresarial, o político e o religioso, aos protagonistas do golpe de 1964.

21) (CESPE 2015 - IRB) Em dezembro de 1968, o regime militar aprofundou radicalmente seu
caráter ditatorial: a edição do AI-5 suspendeu as garantias individuais, atacou a imunidade
parlamentar, cerceou o Poder Judiciário e superdimensionou o poderio do Poder Executivo.

30
(CESPE 2015 - IRB) Entre 1967 e 1974, a ditadura consolidou um modelo de modernização
conservadora e ditatorial, impulsionada pelo Estado. Houve, em grande medida, uma retomada da
tradição nacional-estatista e da noção da importância-chave do Estado como promotor e regulador
da economia, da política e da cultura.

Daniel Aarão Reis. In: História do Brasil Nação. Rio de Janeiro Objetiva/MAPFRE, 2014, v. 5
(1964-2010), p. 23-4 (com adaptações).

Considerando o trecho de texto acima e o período histórico nele referido, julgue (C ou E) os itens
22 a 25.

22) (CESPE 2015 - IRB) A política econômica do governo de Médici, baseada na firme condução
pelo Estado, provocou um ciclo de grande crescimento econômico.

23) (CESPE 2015 - IRB) O projeto de desenvolvimento e industrialização, impulsionado pelo


Estado, articulava capitais nacionais e estrangeiros; no plano político, o Ato Institucional n.º 5
servia para reprimir as oposições.

24) (CESPE 2015 - IRB) Nesse período, o Brasil teve posturas de subordinação aos interesses
comerciais dos países industrializados, apoiando as posições desses países nos fóruns internacionais
em que se discutia o comércio internacional.

25) (CESPE 2015 - IRB) Houve a estatização da indústria cinematográfica, com a criação da
empresa estatal EMBRAFILME, que tinha o monopólio da produção e distribuição de filmes no
Brasil.

26) (CESPE 2015 - DEPEN) Ao estruturar-se em torno de uma liderança única e carismática, o
regime ditatorial instalado no Brasil em 1964 procurou dar continuidade ao padrão populista de
relação com a sociedade, consolidado por Getúlio Vargas.

27) (CESPE 2015 - DEPEN) O regime militar que vigorou no Brasil de 1964 a 1985 anulou os
direitos políticos da população, eliminou completamente os partidos de oposição e suspendeu,
permanentemente, eleições em todos os níveis do poder público.

28) (CESPE 2014 - CAMARA) Sob o ponto de vista político, a principal marca do regime
autoritário instaurado com a deposição de João Goulart foi a supressão das eleições diretas em todos
os níveis, na maior parte do período, e o fim do alistamento eleitoral obrigatório aos dezoito anos de
idade, o que reduziu significativamente o número de eleitores no país.

29) (CESPE 2014 - CAMARA) Considerado por muitos o “golpe dentro do golpe", o AI–5, editado
em dezembro de 1968 por Costa e Silva, aprofundou o caráter discricionário do regime, evidenciado
pela cassação de mandatos, suspensão de direitos políticos, que atingiu a magistratura, pela
ampliação da censura à imprensa e às artes, entre outras manifestações típicas de uma “ditadura
escancarada", segundo Elio Gaspari.

30) (CESPE 2014 - CAMARA) Conduzida pelas lideranças oposicionistas, a distensão lenta,
gradual e segura, na transição do regime militar ao poder civil, foi assumida por Médici, refluída
sob Geisel e retomada por Figueiredo, que a concluiu sem maiores atropelos.

31
HISTÓRIA MUNDIAL

1.2 A expansão da sociedade capitalista: neocolonialismo e imperialismo.

01) (CESPE 2017 - IRB) Ao final do século XIX, quase a totalidade do território africano estava
sujeita ao controle de países europeus como a Grã-Bretanha, a França, a Alemanha e Portugal.

02) (CESPE 2016 - IRB) Na Conferência de Berlim (1884-1885), Portugal viu-se forçado a abrir
mão das suas principais possessões coloniais na África, a saber, dos territórios que hoje
correspondem, mais ou menos, a Angola e Moçambique.

03) (CESPE 2016 - IRB) As múltiplas disputas entre Grã-Bretanha e Alemanha por colônias na
África e na Ásia, na virada do século XIX para o século XX, e a inexistência de processos de
regulação dessas disputas, constituem a principal causa da deflagração da Primeira Guerra Mundial.

04) (CESPE 2016 - IRB) A derrota britânica na Guerra de Independência travada pelas treze
colônias inglesas da América do Norte, a independência do Haiti em relação à França, bem como os
processos de emancipação frente às metrópoles ibéricas, conduzidos nas Américas do Sul e Central
nas primeiras décadas do século XIX, marcaram o fim do colonialismo típico do Antigo Regime e o
início de uma nova fase da história colonial europeia.

05) (CESPE 2016 - IRB) Em razão do seu próprio passado colonial e do seu considerável mercado
consumidor interno, os Estados Unidos da América abstiveram-se de participar da expansão
colonial levada adiante pela maioria das grandes potências mundiais no último quarto do século
XIX.

06) (CESPE 2015 - IRB) A expansão imperialista do século XIX encontrou unidade e consistência
na ideia, disseminada à exaustão, de que a expansão seria benéfica para os povos por ela atingidos:
assim, levar o progresso e propagar a civilização seria missão e direito; e a incompreensão dos
beneficiários seria o “fardo do homem branco", na conhecida expressão de Kipling.

07) (CESPE 2015 - IRB) Na Índia, o impacto da dominação britânica pode ser sintetizado em dois
aspectos essenciais: a desarticulação da economia artesanal, especialmente a rural, e a exploração
imperialista sistemática, ou seja, a adoção de determinadas práticas de dominação e de controle
pelos ingleses.

08) (CESPE 2014 - IRB) A expansão imperialista no século XIX, que se estendeu ao século
seguinte, foi conduzida pelas potências industrializadas do Ocidente. Na África, elas transformaram
antigos Estados nacionais em meras colônias e, na Ásia, subjugaram o Japão e a Indochina, mas não
conseguiram conter a vigorosa resistência chinesa.

09) (CESPE 2012 - IRB) O processo de colonização vigente nas décadas finais do século XIX
integra um contexto de expansão do sistema produtivo, do qual resultam a busca de mercados
consumidores, de matéria-prima industrial e de bases estratégicas, bem como o surgimento de áreas
propícias ao investimento de capitais e ao recebimento dos contingentes populacionais excedentes
das metrópoles.

10) (CESPE 2012 - IRB) A disputa entre Portugal e Bélgica pelas riquezas minerais de Angola
exemplifica a influência determinante exercida pela corrida colonial sobre a política continental,
com a qual se envolveram as potências europeias no período de 1871 a 1890.

32
11) (CESPE 2012 - IRB) A Conferência de Berlim, realizada entre novembro de 1884 e fevereiro de
1885, consagrou o princípio da ocupação declarada de áreas em litígio, garantindo a soberania ao
país que ocupava o território.

12) (CESPE 2012 - IRB) O novo colonialismo europeu, identificado a partir do último terço do
século XIX, retomou a corrida por possessões coloniais, motivado pelos mesmos interesses e
inspirado pelas mesmas dinâmicas políticas, religiosas, civilizacionais e econômicas que marcaram
o século XVI.

13) (CESPE 2012 - IRB) A corrida colonialista do final do século XIX, para a qual serve de
exemplo de ordem econômica o capitalismo industrial, necessitado, naquele momento, de ampliar o
fornecimento de matérias-primas e de aumentar o mercado consumidor, resultou da conjunção de
vários processos, entre os quais se incluem fatores de natureza estratégica e ideológica.

14) (CESPE 2011 - IRB) Durante o século XIX, o imperialismo europeu na África foi caracterizado
pela ocupação gradual de grandes extensões territoriais, diferentemente do que ocorreu, nesse
período, na América Latina.

15) (CESPE 2011 - IRB) Ao contrário do que aparentava, o imperialismo formal, que caracterizou o
final do século XIX, foi uma continuação histórica de processo anterior, que, já em curso na história
do Atlântico Sul desde os tempos do mercantilismo, permitia a acumulação capitalista por meio do
mercado de escravos e especiarias.

2.1 A 1ª Guerra Mundial.

16) (CESPE 2017 - IRB) A polêmica quanto às circunstâncias que levaram à Primeira Guerra
Mundial, bem como a respeito da responsabilidade pelo conflito, iniciou-se no final da década de 30
do século passado, no momento em que se intensificavam os sinais de agressividade da política
externa da Alemanha de Hitler.

17) (CESPE 2017 - IRB) Uma das razões que justificam a designação de guerra mundial ao conflito
iniciado em 28 de julho de 1914 é a circunstância de que, desde as Guerras Napoleônicas, nenhum
grande conflito armado havia envolvido mais que duas das principais potências mundiais.

18) (CESPE 2017 - IRB) Embora tivesse sido previamente aliada da Alemanha e do Império
Austro-Húngaro — no âmbito da chamada Tríplice Aliança —, a Itália atuou na Primeira Guerra
Mundial, a partir de 1915, ao lado da Tríplice Entente, após receber promessas de ganhos
territoriais.

19) (CESPE 2016 - IRB) A Primeira Guerra Mundial teve efeitos econômicos positivos em vários
países latino-americanos: o aumento da demanda por matérias-primas e a produção de
manufaturados antes importados.

20) (CESPE 2014 - IRB) Durante a Primeira Guerra Mundial, a Entente, por reconhecer o potencial
de conflito que a região dos Bálcãs supunha, tentou preservar a integridade de cada país de acordo
com as respectivas etnias e religiões.

21) (CESPE 2013 - IRB) Durante a Primeira Guerra Mundial, a Espanha, a Suíça e os Países Baixos
mantiveram-se imparciais e conseguiram permanecer relativamente distantes do conflito.

33
22) (CESPE 2013 - IRB) Em consequência à Primeira Guerra Mundial, o continente europeu
passou por uma profunda transformação geopolítica, devido ao fim de grandes impérios, como o
alemão, o austro-húngaro, o russo e o turco-otomano.

23) (CESPE 2012 - IRB) Ao término da Primeira Guerra, além de sofrer as consequências dos
milhões de mortos e inválidos, a Europa viu-se devedora dos EUA, tendo perdido a primazia na
economia mundial e, ainda, assistiu a manifestações de muitas de suas colônias, que reivindicavam
a alteração de suas relações com as metrópoles.

24) (CESPE 2012 - IRB) Considerando o contexto histórico que antecedeu a Primeira Grande
Guerra, julgue o item abaixo.

Comprovada a participação direta do governo sérvio no assassinato do sucessor ao trono austro-


húngaro, o governo da Áustria radicalizou sua posição em relação ao de Belgrado. Ao apresentar
seu ultimato à Sérvia, a Áustria demonstrou, ainda que de maneira sutil, apoio ao movimento
nacionalista eslavo na região balcânica.

25) (CESPE 2012 - IRB) Considerando o contexto histórico que antecedeu a Primeira Grande
Guerra, julgue o item abaixo.

Entre os contextos de crise que impeliram as potências para a guerra, destacam-se a criação da
Entente Cordiale anglo-francesa e a reação alemã à sua criação, manifestada nas pretensões de
Berlim em relação ao Marrocos, em claro sinal de que a Alemanha desejava barrar a expansão
francesa no norte da África.

26) (CESPE 2011 - CORREIOS) Vincula-se a ascensão do fascismo na Itália, em 1920, à derrota
italiana na I Guerra Mundial e à xenofobia que caracterizava a sociedade italiana da época.

27) (CESPE 2011 - IRB) A chamada linha Maginot, estratégia defensiva posta em prática pela
França no período que antecedeu ao início da Primeira Guerra Mundial, embora contestada
inclusive por alguns oficiais franceses, contribuiu para retardar a invasão do país pelas tropas
alemãs na Segunda Guerra.

28) (CESPE 2009 - IRB) Acerca do processo histórico que desencadeou a I Guerra Mundial, julgue
(C ou E) os itens a seguir.

A ascensão econômica e política do Império Austro-Húngaro levou-o a confrontar os interesses


ingleses nos Bálcãs. O assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando, em Sarajevo, permitiu que
se atribuísse ao imperialismo britânico a responsabilidade pelo clima de tensão regional, e
constituiu o marco inicial da guerra.

29) (CESPE 2009 - IRB) Acerca do processo histórico que desencadeou a I Guerra Mundial, julgue
(C ou E) os itens a seguir.

A expansão econômica da Alemanha levou-a a competir com a Inglaterra e com a França.

30) (CESPE 2009 - IRB) Acerca do processo histórico que desencadeou a I Guerra Mundial, julgue
(C ou E) os itens a seguir.

No início, a guerra reforçou a coesão nacional no Império Austro-Húngaro e na Rússia.

34
GEOGRAFIA DO BRASIL

3 O processo de industrialização e suas repercussões na organização do espaço.

01) (MPE-GO 2017 - MPE-GO) Nas últimas décadas do século XX e início do século XXI, o
processo de desconcentração da indústria brasileira se acelerou em decorrência da política de
desenvolvimento regional instituída pelo Estado, exemplificada pela criação da Zona Franca de
Manaus.

02) (CESPE 2016 - IRB) No decorrer do século XX, o aparelhamento dos portos, a construção de
estradas de ferro e as novas formas de participação do país na fase industrial fizeram do Sudeste a
região com maior concentração de capital, de modo independente de uma nova regionalização
agrária ou urbana brasileira.

03) (FGV 2016 - IBGE) Entre os fatores que explicam a dinâmica de internacionalização das
empresas brasileiras nas últimas décadas, está a assinatura de tratados de livre comércio do
Mercosul com outros blocos econômicos, como o NAFTA e a União Europeia.

04) (CESPE 2015 - MPOG) A manutenção do parque industrial brasileiro na região Sudeste e a
expansão do agronegócio concentraram a maior parte das cidades médias (entre 100 e 500 mil
habitantes) na região mais desenvolvida do país, no eixo Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

05) (VUNESP 2014 - MPE-SP) Atualmente, seguindo uma tendência mundial, o Brasil vem
passando por um processo de desconcentração industrial. Uma das características desse processo é a
migração das indústrias de áreas tradicionais como o ABCD paulista para cidades médias do interior
de São Paulo ou de outros estados onde os custos de produção são menores.

06) (FGV 2014 - PJP) Com relação à concentração e a desconcentração industrial na Região
Nordeste brasileira, julgue o item abaixo.

Nas últimas décadas, segmentos industriais leves e de baixa sofisticação, a exemplo de têxteis,
calçados e confecções, têm se deslocado para estados da Região Nordeste, em função da existência
de mão de obra barata e incentivos fiscais.

07) (FGV 2014 - PJP) Com relação à concentração e a desconcentração industrial na Região
Nordeste brasileira, julgue o item abaixo.

A partir da década de 1970, a flexibilização da produção industrial provocou o esvaziamento


industrial das regiões metropolitanas do país e a transferência das unidades produtivas para cidades
médias localizadas na Região Nordeste.

08) (FGV 2014 - PJP) Com relação à concentração e a desconcentração industrial na Região
Nordeste brasileira, julgue o item abaixo.

Nas décadas de 1960 e 1970, a atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste


(SUDENE), atraiu projetos de industrialização, permitiu a expansão produtiva e atendeu aos
interesses dos empresários da Região Sudeste.

35
09) (FGV 2014 - PJP) Sobre o processo de desconcentração industrial, ocorrido no Brasil entre as
décadas de 1970 e 1990, julgue o item abaixo.

A Região Sudeste aumentou sua participação relativa no total de pessoas ocupadas no setor
industrial.

10) (FGV 2014 - PJP) Sobre o processo de desconcentração industrial, ocorrido no Brasil entre as
décadas de 1970 e 1990, julgue o item abaixo.

A Região Sul aumentou sua participação na produção industrial, graças à emigração de


estabelecimentos industriais da região metropolitana de São Paulo.

11) (FGV 2014 - PJP) Sobre o processo de desconcentração industrial, ocorrido no Brasil entre as
décadas de 1970 e 1990, julgue o item abaixo.

A Região Norte ampliou seu papel no quadro industrial brasileiro, passando a abrigar várias etapas
das cadeias produtivas agroindustriais.

12) (IBFC 2013 - SEAP-DF) A década de 1990 é marcada pelas privatizações e centralização
industrial no Brasil, e também pelo desenvolvimento de centros de alta tecnologia associada a
centros universitários de pesquisa. Com nova orientação governamental, tem-se a grande aplicação
de capital estrangeiro, planejamento de infra estrutura e instalação de setores básicos.

13) (IBFC 2013 - SEAP-DF) A indústria alimentícia é um dos setores mais antigos no Brasil, seu
desenvolvimento ocorre a partir do processo de urbanização que desponta na década de 1940,
devido ao aumento da atividade industrial.

14) (ESAF 2013 - MF) Sabe-se que a Revolução Industrial, iniciada em fins do século XVIII,
alterou radicalmente o sistema produtivo e as próprias bases da sociedade contemporânea. No
Brasil, a histórica imagem de um país essencialmente agrário, com uma sociedade ruralizada ao
extremo, começa a desaparecer a partir dos anos 1930, com o surgimento da indústria de base, que
se fez acompanhar da rápida urbanização. A esse respeito, julgue o item abaixo.

Diferentemente do que ocorre hoje, os maiores fluxos migratórios entre os anos 1950 e 1970
dirigiram-se ao Centro-Oeste devido à expansão da fronteira agrícola.

15) (ESAF 2013 - MF) Sabe-se que a Revolução Industrial, iniciada em fins do século XVIII,
alterou radicalmente o sistema produtivo e as próprias bases da sociedade contemporânea. No
Brasil, a histórica imagem de um país essencialmente agrário, com uma sociedade ruralizada ao
extremo, começa a desaparecer a partir dos anos 1930, com o surgimento da indústria de base, que
se fez acompanhar da rápida urbanização. A esse respeito, julgue o item abaixo.

A moderna urbanização brasileira se fez de modo relativamente planejado e ordenado, cujo símbolo
maior é a construção de Brasília.

36
(CESPE 2012 - IRB) O Brasil, que sempre se caracterizou pela existência, em uma região ou em
outra, de fronteira de povoamento, viu, com o processo de industrialização do campo, o
aparecimento de fronteiras de modernização nas quais se verificaram profundas transformações
socioespaciais. Ambos os tipos de fronteira suscitam novos centros de comercialização e
beneficiamento de produção agrícola, de distribuição varejista e prestação de serviços ou, em
muitos casos, de centros que já nascem como reservatórios de uma força de trabalho temporária.
R. L. Corrêa. Estudos sobre a rede urbana. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2006, p. 323 (com
adaptações).

A partir das informações apresentadas no texto acima, julgue (C ou E) os itens 16 a 19.

16) (CESPE 2012 - IRB) A implantação, na região amazônica, de atividades industriais e agrárias
exploradas por empresas públicas e privadas exemplifica o processo de desenvolvimento descrito
no texto.

17) (CESPE 2012 - IRB) Dado o processo de industrialização do campo, resultante da


modernização das técnicas e das relações sociais de produção, a maior parte da força de trabalho da
produção agrícola concentra-se nas grandes propriedades, o que reduz o índice de subemprego e
atenua a baixa produtividade rural.

18) (CESPE 2012 - IRB) Sob o impacto da globalização, as transformações mencionadas no texto
provocam uma menor diferenciação entre os centros urbanos, que passam a desempenhar as
mesmas funções na rede urbana, ou seja, a de reservatórios de força de trabalho temporária.

19) (CESPE 2012 - IRB) Contraditoriamente, a criação de novos centros urbanos acentuou a
concentração espacial da população brasileira, o que se evidencia na distribuição populacional ainda
marcada por vazios populacionais e pela existência de um processo de fragmentação da rede
urbana.

20) (TJ-SC 2011 - TJ-SC) Sobre o processo industrial brasileiro, sua evolução e características
atuais, julgue o item abaixo.

Atualmente no Brasil, como na maior parte dos países, devido ao fenômeno da globalização, há
uma maior predominância da PEA (População Econômica Ativa) empregada no setor secundário, o
que caracteriza uma economia informal.

21) (TJ-SC 2011 - TJ-SC) Sobre o processo industrial brasileiro, sua evolução e características
atuais, julgue o item abaixo.

A dispersão industrial que se verifica atualmente, no espaço brasileiro, foi favorecido em parte, pela
chamada “guerra fiscal” travada entre estados e municípios.

22) (TJ-SC 2011 - TJ-SC) Sobre o processo industrial brasileiro, sua evolução e características
atuais, julgue o item abaixo.

Uma tendência marcante do processo de industrialização atual é a formação de pólos tecnológicos


próximos aos centros universitários e de pesquisas. Como exemplo, podemos destacar a região de
Campinas, que concentra empresas eletrônicas, de telecomunicações, de biotecnologia e conta com
importantes centros universitários, como a UNICAMP.

37
23) (TJ-SC 2009 - TJ-SC) Sobre o espaço econômico brasileiro, suas características e o processo
industrial do Brasil, julgue o item abaixo.

Dentre os fatores responsáveis pela concentração industrial na região Sudeste, podemos afirmar que
a região foi se organizando como área de atração da população e de capital, tornando-se região
concentradora de riquezas. O mercado consumidor que aí se formou, o desenvolvimento do sistema
rodoviário, os recursos naturais favoráveis e a imigração contribuíram para a concentração
industrial nesta região.

24) (TJ-SC 2009 - TJ-SC) Sobre o espaço econômico brasileiro, suas características e o processo
industrial do Brasil, julgue o item abaixo.

Uma das características do processo industrial atual do Brasil, corresponde à forte dispersão
financeira das empresas e à grande concentração espacial.

25) (TJ-SC 2009 - TJ-SC) Sobre o espaço econômico brasileiro, suas características e o processo
industrial do Brasil, julgue o item abaixo.

O processo industrial brasileiro se firmou nos anos 70, os anos do “milagre brasileiro”, baseado em
um tripé, representado pela forte participação do capital estatal, pelos grandes conglomerados
transnacionais e um mercado consumidor em ascensão.

26) (CESPE 2008 - IRB) O fato de as indústrias deixarem de se concentrar no sudeste do Brasil tem
relação com o processo de modernização da agricultura brasileira.

27) (CESPE 2008 - IRB) A industrialização brasileira conheceu um processo de dispersão que, por
ter ocorrido de forma ordenada, evitou a metropolização dos novos centros industriais.

28) (CESPE 2008 - IRB) Depois de décadas de concentração econômica na cidade de São Paulo,
observa-se um processo inverso, determinado, entre outras causas, pelas chamadas deseconomias de
aglomeração.

29) (CESPE 2008 - IRB) O desenvolvimento da indústria e da agroindústria resultou na


diferenciação e especialização do espaço regional brasileiro por meio da criação de novas estruturas
produtivas, como observado na Amazônia brasileira.

30) (CESPE 2007 - IRB) De modo geral, a expansão de determinados setores industriais no país
tem demandado maior quantidade de produtos da agricultura, fomentando a agroindústria.

38
GEOGRAFIA MUNDIAL

1 Globalização e fragmentação em relação à nova ordem mundial.

01) (QUADRIX 2017 - SEDF) A euforia da globalização acompanhou a década de 1990,


alimentada pela “revolução da informação” e pela implosão da União Soviética. Prosperidade
permanente. O fim das recessões. Leite e mel. Essa euforia não se justifica. O crescimento
econômico global foi decepcionante e as desigualdades sociais ampliaram-se. No mundo
subdesenvolvido, a única “história de sucesso” foi a expansão das economias da Ásia/Pacífico,
associada às necessidades da indústria da informática nos Estados Unidos e no Japão. A ideologia
da globalização está em retrocesso. A prova mais palpável dessa situação encontra-se nas
manifestações populares contra as políticas e as instituições internacionais ligadas à integração
global dos mercados.

Demetrio Magnoli. Globalização: Estado nacional e espaço mundial.

1.ª ed. São Paulo: Moderna, 1997 (com adaptações).

Tendo o texto como referência inicial, julgue o item subsequente.

Há, no texto, referência a um grupo de países que se convencionou chamar de NICs (Newly
Industrialized Countries), ou novos países industrializados (NPIs).

2 O estágio atual do capitalismo e a divisão internacional do trabalho.

02) (IBFC 2013 -SEAP-DF) Julgue o item a seguir sobre a mundialização do capitalismo.

No final da década de 1980, com a derrocada do polo socialista, a principal característica do mundo
passou a ser a mundialização do capitalismo. Consolidaram-se os oligopólios internacionais por
meio das multinacionais, favorecidas por três processos inter-relacionados: necessidade de
movimentos internacionais de capitais, produção capitalista internacional e existência de ações de
governos em nível internacional.

03) (IBFC 2013 -SEAP-DF) Julgue o item a seguir sobre a mundialização do capitalismo.

Os fluxos internacionais de capitais privados passaram a crescer mais que o fluxo de investimentos
diretos feitos pelas multinacionais, fortalecendo o mercado financeiro. Assim, o capital nacional se
aliou ao capital estrangeiro. A produção capitalista passou a ser necessariamente internacional para
garantir competitividade, assim, a maior parte da força de trabalho empregada pelas multinacionais
está fora do país em que se encontra sua sede corporativa. As ações internacionais do governo se
fizeram sentir tanto na intervenção do Estado na economia como na definição de projetos de
cooperação internacional. Organizações governamentais internacionais e organismos supranacionais
passaram cada vez mais a fazer parte dessa nova fase do capitalismo mundializado. A unificação do
capital financeiro internacional com a força de trabalho mundial reduz a independência dos Estados
nacionais e exige a formação de instituições supranacionais para coordenara interdependência
crescente.

39
04) (IBFC 2013 -SEAP-DF) Julgue o item a seguir sobre a mundialização do capitalismo.

A mundialização do capitalismo é mais que a intemacionalização ou a multinacionalização da


economia. A internacionalização é a integração entre diversos países dos fluxos de conhecimentos
técnicos, matérias-primas, bens intermediários, produtos e serviços finais. A multinacionalização é a
transformação das empresas nacionais em multinacionais por meio da expansão delas para outros
países. A mundialização do capitalismo, contudo, é fenômeno novo na economia, é o conjunto de
processos que possibilitam produzir, distribuir e consumir bens e serviços em escala global. Assim,
internacionalização, multinacionalização e mundialização são fenômenos integralmente
interconectados. São expressões do processo de transformação do capitalismo industrial e financeiro
centrado nas economias nacionais para um capitalismo centrado na economia mundial.

05) (IBFC 2013 -SEAP-DF) Julgue o item a seguir sobre a mundialização do capitalismo.

Esses processos criam novas bases para as relações entre Estado e empresas, passando para uma
situação na qual o Estado regula a atuação das empresas na economia mundial. Por sua vez as
multinacionais precisam da legitimidade dos Estados locais para garantir a ordem interna, regular a
economia nacional, implementar políticas sociais. Consolida-se, assim, a mundialização do
capitalismo por meio da unidade das empresas multinacionais e das classes sociais nacionais,
evitando a tendência monopolitas e a formação de oligopólios e cartéis.

06) (FGV 2014 - PJP) As multinacionais expressam um capitalismo globalizado e a expansão


dessas empresas envolve maior circulação de capital, a internacionalização da produção e a
existência de ações de governos em nível internacional.

07) (FGV 2014 - PJP) A produção capitalista internacional derivou da incorporação de mão de obra
de muitos países em uma estrutura produtiva mundialmente integrada e, em razão disso, grande
parte da força de trabalho empregada pelas multinacionais está fora de seus países de origem.

6 A formação dos grandes blocos econômicos.

08) (QUADRIX 2017 - SEDF) O Reino Unido, um dos fundadores do Mercado Comum Europeu
ainda nos anos 1950, optou por não adotar, em 1999, o euro como moeda. Com sua saída da União
Europeia, a adoção do euro torna-se impensável.

09) (CESPE 2014 - IRB) Nos últimos anos 80, os presidentes George Bush, dos EUA, e Carlos
Salinas, do México, estabeleceram um acordo comercial mais profundo entre os dois países, criando
uma união aduaneira, dando origem ao NAFTA.

10) (FGV 2014 - PJP) A Cooperação Econômica Ásia‐Pacífico (Apec) é formada por um conjunto
de países do leste asiático que têm como objetivo criar condições de desenvolvimento
socioeconômico por meio da troca livre de mercadorias e de capitais.

9 Os conflitos geopolíticos recentes.

11) (QUADRIX 2017 - SEDF) Estados Unidos e Rússia têm revivido, nas questões da guerra civil
na Síria e no combate ao Estado Islâmico, um certo clima de Guerra Fria. No primeiro caso,
enquanto Washington apoia os rebeldes, Moscou fornece apoio militar e diplomático ao regime de
Damasco.

40
12) (IFRS 2015 - IFRS) A geopolítica da água desempenha papel de destaque no conflito palestino.
O platô central da Cisjordânia concentra a maior parte da população palestina da área, que utiliza a
água das inúmeras nascentes e poços de lençol subterrâneo. Mas Israel depende do abastecimento
de água retirada do Lago Tiberíades e do rio Jordão, cujas nascentes encontram-se nas colinas de
Golã e que asseguram o abastecimento de água para o território Israelense.

13) (IFMT 2014 - IFMT) A Crimeia é uma província da Ucrânia que foi palco de recentes conflitos.
A respeito desses conflitos, julgue o item abaixo.

A minoria étnica dos tártaros foi deportada em massa pelo líder da União Soviética Joseph Stalin
em 1944, sob a acusação de colaborarem com a invasão nazista durante a Segunda Guerra Mundial
e, desde o colapso da União Soviética, vêm retornando à Crimeia, o que causa uma tensão contínua
com os russos, maioria étnica, sobre o direito dessas terras.

14 Repercussões na geopolítica internacional.

14) (CESPE 2017 - SEDF) A denominada crise de refugiados e a ameaça terrorista sacudiram, nos
últimos anos, os alicerces e os valores da União Europeia e colocaram em perigo aspectos que lhe
são essenciais, como o espaço Schengen. Quando os vinte e oito países-membros do bloco pareciam
entrar em uma fase mais tranquila, após oito longos anos de profunda crise econômica, foram
confrontados com uma nova realidade: a chegada em massa de pessoas à Europa, primeiro por meio
do Mediterrâneo central e depois por rotas alternativas, como a dos Bálcãs.
Notícias Terra, outubro de 2016 (com adaptações).
A partir do texto precedente, julgue o item seguinte, a respeito da regionalização e geopolítica
mundial.

A crise dos refugiados, a imigração, a islamização da Europa e o radicalismo, a xenofobia e a crise


econômica são elementos recorrentes do discurso de partidos políticos conservadores e grupos de
extrema direita que defendem, entre outras causas, a Europa para os europeus, o fechamento das
fronteiras aos refugiados e a saída de países da União Europeia, resultando, por exemplo, no que
ficou conhecido como Brexit.

15) (CESPE 2017 - SEDF) A denominada crise de refugiados e a ameaça terrorista sacudiram, nos
últimos anos, os alicerces e os valores da União Europeia e colocaram em perigo aspectos que lhe
são essenciais, como o espaço Schengen. Quando os vinte e oito países-membros do bloco pareciam
entrar em uma fase mais tranquila, após oito longos anos de profunda crise econômica, foram
confrontados com uma nova realidade: a chegada em massa de pessoas à Europa, primeiro por meio
do Mediterrâneo central e depois por rotas alternativas, como a dos Bálcãs.
Notícias Terra, outubro de 2016 (com adaptações).
A partir do texto precedente, julgue o item seguinte, a respeito da regionalização e geopolítica
mundial.

O Tratado de Schengen foi estabelecido entre a União Europeia e a Organização das Nações Unidas
para regular a entrada controlada de refugiados e migrantes no continente europeu e a criação de
centros de acolhimento em países que sofrem o impacto da grande migração de refugiados, como a
Turquia, Marrocos, Espanha e Grécia.

41
16) (CESPE 2017 - SEDF) Acerca de geopolítica e de conceitos relacionados aos fundamentos
teóricos do pensamento geográfico, julgue o próximo item.

Os processos de detecção remota alteraram consideravelmente o conceito de soberania, dando


novas dimensões e possibilidades à geopolítica.

17) (CESPE 2017 - SEDF) Acerca de geopolítica e de conceitos relacionados aos fundamentos
teóricos do pensamento geográfico, julgue o próximo item.

A falta de água em algumas regiões da América do Norte é um elemento de instabilidade e conflitos


constantes.

18) (FGV 2014 - PJP) A Geopolítica Contemporânea se dá por meio de conflitos interestatais que
possam garantir a conquista de novos territórios e ampliar os fluxos de capital.

19) (FGV 2014 - PJP) A Geopolítica Contemporânea, graças às possibilidades técnicas e científicas
surgidas com a ampliação das comunicações e da circulação, se processa graças aos fluxos e às
redes.

20) (CESPE 2013 - MPU) Acerca da geopolítica norte-americana do século XXI, julgue o item
seguinte.

A denominada doutrina Bush foi baseada na guerra ao terror, ou seja, no combate ao terrorismo e no
direito à guerra preventiva, sendo eleitos como eixo do mal certos países, como Irã, Iraque,
Paquistão e a República Democrática Popular da Coreia (Coreia do Norte).

21) (CESPE 2013 - MPU) Acerca da geopolítica norte-americana do século XXI, julgue o item
seguinte.

A retirada total das tropas do Iraque e do Afeganistão, no primeiro mandato do governo Obama, se
deu com o objetivo de aumentar a popularidade do presidente democrata, com vistas à sua
reeleição.

22) (CESPE 2013 - IRB) Acerca da política externa norte-americana no governo do presidente
Barack Obama, julgue o item seguinte.

Observa-se o esfriamento das relações econômico-comerciais dos EUA com a América Latina,
como evidencia, por exemplo, o arrefecimento de investimentos diretos no Brasil.

23) (NUCEPE 2012 - PC-PI) No contexto econômico e geopolítico mundial atual há uma
necessidade dos estados nacionais construírem estratégias que objetivem fundamentalmente ampliar
as trocas comerciais entre os países, formalizar acordos de cooperação entre os países e unificar as
operações monetárias.

42
24) (FUMARC 2011 - PC-MG) No mundo contemporâneo, é cada vez mais signifcativa a
reconfiguração da política mundial, segundo linhas culturais. Nesse contexto, julgue o item abaixo.

Os alinhamentos defnidos pela ideologia e relacionamentos de superpotências dão lugar aos


alinhamentos defnidos pela cultura e civilização, nas quais os povos se congregam com aqueles que
têm semelhanças de ascendência, religião, valores e instituições, e facilitam a cooperação e a coesão
entre eles, mesmo com identidades múltiplas.

25) (FUMARC 2011 - PC-MG) No mundo contemporâneo, é cada vez mais signifcativa a
reconfiguração da política mundial, segundo linhas culturais. Nesse contexto, julgue o item abaixo.

A identidade cultural é fator essencial para moldar associações e antagonismos de um país,


direcionando o seu lugar na política mundial, o que estimula o interesse de redesenhar fronteiras
políticas para coincidir com as fronteiras culturais, étnicas, religiosas e civilizacionais.

26) (FUMARC 2011 - PC-MG) No mundo contemporâneo, é cada vez mais signifcativa a
reconfiguração da política mundial, segundo linhas culturais. Nesse contexto, julgue o item abaixo.

A desagregação de países como União Soviética e Iugoslávia favoreceu para que essas novas
repúblicas da Europa e Ásia Central, por seus aspectos culturais similares, criassem mercados
comuns que facilitaram os relacionamentos econômicos e políticos com outros países.

27) (FUMARC 2011 - PC-MG) No mundo contemporâneo, é cada vez mais signifcativa a
reconfiguração da política mundial, segundo linhas culturais. Nesse contexto, julgue o item abaixo.

As crises econômicas e sociais suscitaram importantes questões de identidade nacional e étnica,


cujos os movimentos populares apresentam um forte caráter religioso, como o crescente sentimento
fundamentalista islâmico, que alterou o caráter político de países com grande infuência muçulmana.

28) (CESPE 2010 - SEDU-ES) A nova ordem mundial apresenta uma faceta geopolítica e outra
econômica. Na geopolítica, houve uma mudança para um mundo multipolar, onde as potências
impõem mais por seu poder econômico que pelo poder bélico. Na economia, o que aconteceu foi o
processo de globalização e a formação de blocos econômicos supranacionais.

29) (CESPE 2010 - SEDU-ES) A China possui uma das economias que mais cresce no planeta,
tendendo a se transformar em uma grande potência no século XXI. Esse fato vem ocorrendo por se
tratar do país que possui a maior população do mundo, portanto, muita mão de obra qualificada e
considerada cara, o que atrai os capitais estrangeiros.

30) (CESPE 2010 - SEDU-ES) A formação de blocos econômicos em todos os continentes mostra
uma tendência à regionalização da economia.

43
POLÍTICA E SEGURANÇA
4 A política externa brasileira.

01) (CESPE 2011 - IRB) Acerca da política externa brasileira durante o período militar (1964-
1985), julgue o item abaixo.

Durante esse período, o país manteve-se incondicionalmente alinhado com os EUA, tendo rompido
relações diplomáticas com Cuba e com a China continental, no governo Castelo Branco, e tendo
votado, no governo Médici, contra a admissão da China no sistema das Nações Unidas.

02) (CESPE 2011 - IRB) Acerca da política externa brasileira durante o período militar (1964-
1985), julgue o item abaixo.

O Brasil privilegiou, no período militar, as relações hemisféricas, notadamente com os países da


América do Sul.

03) (CESPE 2011 - IRB) Acerca da política externa brasileira durante o período militar (1964-
1985), julgue o item abaixo.

O Brasil recusou-se, nessa época, a aderir ao Tratado de Não Proliferação Nuclear, tendo
denunciado nas Nações Unidas o chamado congelamento do poder mundial pelas duas
superpotências à época — EUA e União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) —, o que,
então, refletiu o distanciamento brasileiro em relação ao conflito leste-oeste.

04) (CESPE 2004 - IRB) O regime militar instaurado em 1964 reorientou a política externa
brasileira, distinguindo-a profundamente daquela que a precedeu imediatamente. Daí, o
alinhamento automático com a diplomacia norte-americana, procedimento que não sofreu variações
significativas ao longo do período.

05) (CESPE 2015 - IRB) No início dos anos 1990, durante o governo de Fernando Collor, a política
externa brasileira foi caracterizada por uma aproximação com os países do chamado primeiro
mundo e a descaracterização do terceiro-mundismo. Em seguida, durante a gestão de Fernando
Henrique Cardoso, foi priorizado o MERCOSUL e a liberalização comercial no continente
americano. Já durante os mandatos de Luís Inácio Lula da Silva, houve a retomada do terceiro-
mundismo, a aproximação com os países emergentes e o afastamento dos Estados Unidos da
América.

06) (CESPE 2015 - IRB) Durante os anos 1964–1985, a política externa brasileira foi marcada,
inicialmente, por um afastamento dos postulados da política externa independente e pela afirmação
do alinhamento do Brasil ao ocidente no contexto da Guerra Fria; em seguida, houve uma
valorização da autonomia, do universalismo e do multilateralismo, sem que se rompesse, contudo,
com o alinhamento ao ocidente.

44
07) (ESAF 2012 - CGU) Nos últimos anos, observou-se elevado grau de continuidade na
formulação e execução da Política Externa Brasileira (PEB), por exemplo, no que concerne à
prioridade atribuída à América do Sul e à aproximação aos países em desenvolvimento. A respeito
dessa política e de sua recente evolução, julgue o item abaixo.

Nos últimos anos, a atuação do Brasil nas Américas concentrou-se na articulação de esforços
voltados para promover o livre comércio, em linha com o objetivo de assegurar a estabilização do
Haiti, no marco da missão da ONU naquele país do Caribe.

08) (ESAF 2012 - CGU) Nos últimos anos, observou-se elevado grau de continuidade na
formulação e execução da Política Externa Brasileira (PEB), por exemplo, no que concerne à
prioridade atribuída à América do Sul e à aproximação aos países em desenvolvimento. A respeito
dessa política e de sua recente evolução, julgue o item abaixo.

A prioridade conferida à África nos últimos anos, que condicionou a abertura de mais de trinta
embaixadas e consulados naquele continente, não se materializou no aumento significativo das
relações econômicas ou políticas entre o Brasil e os países africanos. O comércio, por exemplo,
ampliou-se apenas na medida do aumento regular do comércio exterior brasileiro.

09) (CESPE 2010 -IRB) A Política Externa Independente foi idealizada pelo Presidente Juscelino
Kubitschek, que enfatizou a autonomia da diplomacia do Brasil ao romper relações com o FMI.

10) (CESPE 2008 - IRB) A partir de 1967, o governo Costa e Silva procedeu a uma reformulação
das diretrizes fundamentais da política externa brasileira, determinando um curso que permaneceria
inalterado, em sua essência, até o final do regime militar. A unidade de ação que se verifica a partir
de então embasou-se na importância central conferida à doutrina de fronteiras ideológicas, que,
como condicionante das estratégias a serem adotadas, definia as prioridades externas.

11) (CESPE 2008 - IRB) Alguns aspectos do "pragmatismo responsável" adotado pelo governo
Geisel, como a busca da autonomia decisória na política externa, encontravam antecedentes em
idéias e práticas políticas anteriores ao regime militar brasileiro.

12) (CESPE 2008 - IRB) A política externa brasileira era formulada, a partir do início da década de
1970, com a finalidade última de serem superadas dependências e de ser reforçada a autonomia do
país. A área energética foi alvo de medidas que se enquadravam nessa linha de ação, sendo exemplo
de tais medidas o acordo de cooperação nuclear com a República Federal da Alemanha firmado em
1975.

13) (CESPE 2007 - IRB) Com a eleição do presidente Eurico Gaspar Dutra (1946-1951), o Brasil
alinhou-se à estratégia político-militar norte-americana, voltada, no contexto da Guerra Fria, para
conter as forças consideradas inimigas do Ocidente democrático.

14) (CESPE 2007 - IRB) Na primeira metade dos anos 60 do século passado, a Política Externa
Independente procurou expressar um ponto de vista internacional do Brasil, entendido como
instrumento essencial à conquista do desenvolvimento nacional e não submetido aos interesses das
potências hegemônicas.

45
15) (CESPE 2007 - IRB) O terceiro governo do ciclo militar, sob a liderança de Ernesto Geisel,
adotou a linha do pragmatismo responsável, a qual, sob nova roupagem, retomava os padrões da
política externa de Castelo Branco, fundamentada no relacionamento especial com os EUA e na
conveniência de se distanciar de outros pólos de poder no âmbito do capitalismo.

16) (CESPE 2007 - IRB) O estreitamento das relações com a Argentina de Alfonsín, ocorrido
durante o governo Sarney, ainda que não tenha resultado em aproximação mais objetiva, que
redundasse em acordos econômicos entre Brasil e Argentina, teve o mérito de superar históricas
rivalidades, atenuadas, apenas circunstancialmente, por ambos os regimes militares.

17) (CESPE 2004 - IRB) Enquanto o binômio segurança-desenvolvimento pautou, em linhas gerais,
a política internacional implementada pelo regime militar, conferindo-lhe caráter mais defensivo,
com a redemocratização do país, em meio ao novo cenário mundial surgido a partir de fins da
década de 80 do século XX, o Brasil tratou de ampliar sua presença multilateral. Exemplos dessa
estratégia seriam, entre outros, a realização da Eco-92 - no Rio de Janeiro - e a candidatura a um
assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

18) (CESPE 2003 -IRB) De 1948, quando foi aprovada a Declaração Universal dos Direitos
Humanos da ONU, aos dias de hoje, a política exterior do Brasil portou-se de forma distinta em
relação ao tema. À época do regime militar, assumiu posições defensivas e isolacionistas nos foros
multilaterais. Com a redemocratização, o país avança e, ao lado de outras medidas, adere às
convenções internacionais contra as distintas formas de discriminação e de tortura, além das que
salvaguardam os direitos da criança e do refugiado.

19) (CESPE 2003 - IRB) No Cone Sul, o processo de integração que levaria ao Mercado Comum do
Sul (MERCOSUL) teve sua origem na aproximação argentino-brasileira, em meados da década de
80 do século XX, conduzida pelos presidentes Raúl Alfonsín e José Sarney. Naquela conjuntura de
crise econômica, ambos os Estados viviam os primeiros passos da experiência de recomposição da
democracia após cerca de duas décadas de regime autoritário, sob o comando de militares.

20) (CESPE 2004 - IRB) A aproximação entre Argentina - governo Alfonsín - e Brasil - governo
Sarney -, em meados dos anos 80 do século XX, foi o passo inicial para a constituição do futuro
Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) e se deu em um contexto de crise econômica nos dois
países, recém-saídos de ditaduras militares.

21) (CESPE 2011 - IRB) A participação brasileira na Missão das Nações Unidas para a
Estabilização no Haiti, a Estratégia Nacional de Defesa e a criação do Conselho de Defesa Sul-
Americano atestam a articulação entre a política externa e a política de defesa alcançada, no Brasil,
na última década.

22) (CESPE 2011 - IRB) O governo brasileiro tem privilegiado o IBAS como foro de consulta e
diálogo político a respeito de questões vinculadas à promoção do desenvolvimento e da cooperação
internacional e tem evitado envolver-se em questões controversas da política internacional,
assumindo ser esse papel reservado a outras instâncias, como o BRIC.

23) (CESPE 2014 - IRB) Na esteira da criação do IBAS, o Brasil e a África do Sul sugeriram a
criação da Cúpula América do Sul-África, ainda em 2003, em cujo marco os chefes de Estado e de
governo dos países membros se reúnem anualmente para tratar do controle de fluxos migratórios
internos, do combate conjunto à pirataria e do aperfeiçoamento da governança das instituições
políticas e financeiras internacionais.

46
24) (CESPE 2014 - CÂMARA) A despeito da incorporação da África do Sul aos BRICS em 2011 e
da projeção internacional alcançada por esse agrupamento, o Fórum de Diálogo Índia-Brasil-África
do Sul (IBAS) mantém um significativo conjunto de instrumentos e iniciativas de cooperação
trilateral e com terceiros países que o distinguem do BRICS como espaço e instrumento de ação
externa de seus membros.

25) (CESPE 2010 - IRB) Entre as características da política externa brasileira contemporânea,
inclui-se a menor participação em organismos multilaterais, em prol de uma atuação diplomática
mais unilateral, com o Brasil buscando atuar no cenário internacional de maneira mais autônoma,
especialmente em temas como segurança coletiva, meio ambiente e direitos humanos.

26) (CESPE 2010 - IRB) Entre as características da política externa brasileira contemporânea,
inclui-se a maior integração sul-americana, com a extensão de programas como o Fundo para a
Convergência Estrutural do MERCOSUL (FOCEM) para os demais países sul-americanos.

27) (CESPE 2010 - IRB) O Brasil tem-se notabilizado, cada vez mais, como prestador de
cooperação técnica, que passou a ser direcionada, sobretudo, para os países do Oriente Médio, em
respeito aos compromissos assumidos na Cúpula América do Sul - Países Árabes.

28) (CESPE 2011 - IRB) Ao oferecer cooperação aos países em desenvolvimento, o Brasil objetiva
conquistar assento permanente no Conselho de Segurança da ONU e expandir sua presença
comercial na América Latina e na África.

29) (CESPE 2007 - IRB) O Brasil prioriza parcerias que reflitam afinidades e laços históricos e
culturais, razão pela qual os países lusófonos apresentam-se como os mais importantes parceiros e
interlocutores dos brasileiros no presente.

30) (CESPE 2004 - IRB) A criação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, que contou
com ativa participação do Brasil, ocorreu em um contexto histórico amplamente favorável. Com
efeito, é na década de 90 do século XX que a política brasileira para a África mais se robustece,
com o sensível incremento das relações comerciais, diplomáticas e estratégicas entre o Brasil e os
Estados africanos.

47
DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO
1 Direito internacional público: conceito, fontes e princípios. Comity, forum non conveniens.

01) (CESPE 2017 - IRB) O Estatuto da Corte Internacional de Justiça reconhece os princípios
gerais de direito como fontes auxiliares do direito internacional.

02) (CESPE 2015 - AGU) Diferentemente dos tratados, os costumes internacionais reconhecidos
pelo Estado brasileiro dispensam, para serem aplicados no país, qualquer mecanismo ou rito de
internalização ao sistema jurídico pátrio.

03) (CESPE 2013 - DPF) É fonte de direito internacional reconhecida a doutrina dos juristas mais
qualificados das diferentes nações.

04) (CESPE 2012 - ANAC) Conforme o Estatuto da Corte Internacional de Justiça, os princípios
gerais do direito internacional são fonte do direito internacional público.

05) (CESPE 2010 - AGU) Costumes podem revogar tratados e tratados podem revogar costumes.

06) (CESPE 2010 - IRB) O costume, fonte do direito internacional público, extingue-se pelo
desuso, pela adoção de um novo costume ou por sua substituição por tratado internacional.

07) (CESPE 2009 - AGU) O elemento objetivo que caracteriza o costume internacional é a prática
reiterada, não havendo necessidade de que o respeito a ela seja uma prática necessária (opinio juris
necessitatis).

08) (CESPE 2009 - IRB) Pacta sunt servandae e res iudicata são princípios gerais de direito aceitos
pela CIJ e discutidos em casos a ela submetidos.

09) (CESPE 2014 - CÂMARA) Os tratados são as fontes por excelência do direito internacional
público e impõem-se hierarquicamente sobre todas as demais formas escritas e não escritas de
expressão do direito internacional.

10) (CESPE 2014 - CÂMARA) O princípio da equidade, referido no Estatuto da Corte


Internacional de Justiça, constitui fonte incondicionada de direito internacional público.

11) (CESPE 2009 - AGU) Os tratados internacionais constituem importante fonte escrita do Direito
Internacional, a qual vale para toda a comunidade internacional, tenha havido ou não a participação
de todos os países nesses tratados.

2.1 Tratados: validade; efeitos; ratificação; promulgação; registro, publicidade; vigência


contemporânea e diferida; incorporação ao direito interno; violação; conflito entre tratado e
norma de direito interno; extinção.

12) (CESPE 2017 - IRB) Não há vedação, conforme a Convenção de Viena sobre o Direito dos
Tratados, de 1969, para que dois ou mais Estados sejam depositários de um mesmo tratado.

48
13) (CESPE 2017 - AGU) Os tratados incorporados ao sistema jurídico brasileiro, dependendo da
matéria a que se refiram e do rito observado no Congresso Nacional para a sua aprovação, podem
ocupar três diferentes níveis hierárquicos: hierarquia equivalente à das leis ordinárias federais;
hierarquia supralegal; ou hierarquia equivalente à das emendas constitucionais.

14) (CESPE 2014 - CÂMARA) Em regra, os tratados internacionais aprovados pelo Congresso
Nacional possuem o estatuto de lei complementar.

15) (CESPE 2013 - DPF) A Convenção de Viena sobre o Direito dos Tratados estabelece que o
Estado que tenha assinado um tratado, ainda que não o tenha ratificado, está obrigado a não frustrar
seu objeto e finalidade antes de sua entrada em vigor.

16) (CESPE 2012 - ANAC) De acordo com a Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados, de
1969, um Estado, ao assinar, ratificar, aceitar ou aprovar um tratado, ou a ele aderir, detém o direito
de reserva, desde que a reserva não seja proibida pelo tratado ou que não seja incompatível com seu
objeto e sua finalidade.

3.2 Normas imperativas (jus cogens)

17) (CESPE 2015 - DPU) Normas jus cogens não podem ser revogadas por normas positivas de
direito internacional.

18) (CESPE 2012 - ANAC) A Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados, de 1969, define jus
cogens como uma normativa imperativa de direito internacional geral reconhecida pela comunidade
internacional dos Estados como um todo. Essa normativa só pode, portanto, ser modificada por
norma ulterior de direito internacional geral da mesma natureza.

19) (CESPE 2017 - TRF5) Jus cogens são normas imperativas de direito internacional geral, aceitas
e reconhecidas pela comunidade internacional dos Estados como um todo, que não podem ser
derrogadas ou modificadas, salvo por norma ulterior de direito internacional geral da mesma
natureza, e que podem ter fundamento tanto convencional quanto consuetudinário.

20) (PGR 2013 - PGR) As normas de direito internacional peremptório (jus cogens) pressupõem
uma ordem pública internacional não disponível para os Estados individualmente.

3.16 Asilo político: conceito, natureza e disciplina.

21) (CESPE 2009 - IRB) Questões pertinentes à concessão de asilo político não podem ser
reguladas em medida provisória.

22) (CESPE 2009 - IRB) O instituto jurídico do asilo político tem natureza infraconstitucional e
está positivado, com exclusividade e especialidade, em legislação ordinária.

23) (INSTITUTO CIDADES 2009 - UNIFESP) Conceder asilo político não é obrigatório para
Estado algum, e as contingências da própria política – exterior e doméstica – determinam, caso a
caso, as decisões do Estado concedente.

24) (INSTITUTO CIDADES 2009 - UNIFESP) No Brasil, a concessão de asilo político a


estrangeiro é ato de soberania estatal, de competência do Congresso Nacional.

49
25) (CESPE 2011 - MEC) A concessão de asilo político, apesar de prevista em hipóteses
excepcionais no ordenamento constitucional, está excluída dos princípios constitucionais brasileiros
no âmbito das relações internacionais.

26) (FUMARC 2011 - PC-MG) O asilo político consiste no acolhimento de estrangeiro por parte de
um Estado que não o seu, em virtude de perseguição política por ele sofrida e praticada por seu
próprio país ou por terceiro. Assim sendo, julgue o item abaixo:

As causas motivadoras da perseguição, em regra, são por dissidência política, livre manifestação de
pensamento ou crimes relacionados com a segurança do Estado, que não configurem delitos no
direito penal comum.

3.4 Soft Law.

27) (TRF4 2012 – TRF4) Ao contrário das normas de jus cogens, as normas de soft law não são
obrigatórias, nem influenciam a formação de costumes internacionais, dado o seu caráter
eminentemente político.

28) (CESPE 2015 – IRB) A denominada soft law, de utilização polêmica pela índole programática
que comporta, embora desprovida de conteúdo imperativo, é utilizada de forma flagrante em direito
internacional do meio ambiente.

29) (CESPE 2017 – DPE-AC) O Protocolo Opcional à Convenção contra a Tortura e Outros
Tratamentos ou Penas Cruéis, Desumanos ou Degradantes é, formalmente, não vinculante, podendo
ser classificado como soft law.

30) (PGR 2011 – PGR) No tocante à declaração universal dos direitos humanos, é correto dizer que
não é formalmente vinculante, mas é indicativo de amplo consenso internacional, integrando o
chamado soft law.

50
DIREITO PENAL
3 Parte Geral do Código Penal.

01) (CESPE 2017 - TRF1) É admissível a incidência do arrependimento eficaz nos crimes
perpetrados com violência ou grave ameaça.

02) (CESPE 2017 - TRF1) Crime culposo não admite tentativa.

03) (CESPE 2017 - TRF5) João foi flagrado pela fiscalização, em determinada estação ecológica
que proíbe a pesca, portando vara de pescar e com um espécime de peixe ainda vivo. A equipe de
fiscalização então devolveu o peixe ao rio no qual ele havia sido pescado. João argumentou que não
sabia que era proibido pescar ali e não resistiu à ação da fiscalização.

Nessa situação hipotética, configura-se erro sobre a ilicitude do fato.

04) (CESPE 2017 - DPE-AC) Com referência ao arrependimento posterior, julgue o item abaixo.

O autor da infração, ao arrepender-se, deverá, para que sua pena seja reduzida, reparar
voluntariamente danos ou restituir a coisa subtraída, até o recebimento da queixa ou da denúncia.

05) (CESPE 2017 - PGE-SE) Um elemento que integra o conceito de culpabilidade aplicado ao
direito brasileiro é a exigibilidade de conduta diversa.

06) (CESPE 2012 - PC-AL) O erro de tipo, se vencível, afasta o dolo e a culpa, estando diretamente
ligado à tipicidade da conduta do agente.

07) (CESPE 2013 - STF) Considerando o disposto no Código Penal brasileiro, quanto à matéria do
erro, é correto afirmar que, em regra, o erro de proibição recai sobre a consciência da ilicitude do
fato, ao passo que o erro de tipo incide sobre os elementos constitutivos do tipo legal do crime.

08) (CESPE 2008 - STF) Considere a seguinte situação hipotética. Lúcio manteve relação sexual
com Márcia, após conhecê-la em uma boate, cujo acesso era proibido para menores de 18 anos,
tendo ela afirmado a Lúcio ter 19 anos de idade, plenamente compatível com sua compleição física.
Nessa situação, constatado posteriormente que Márcia era menor de 14 anos, Lúcio não será punido
por crime de estupro, tendo em vista que a jurisprudência do STF reconhece, no caso, o erro de
proibição, que afasta a culpabilidade do agente.

09) (CESPE 2013 - PC-BA) Tanto a conduta do agente que age imprudentemente, por
desconhecimento invencível de algum elemento do tipo quanto a conduta do agente que age
acreditando estar autorizado a fazê-lo ensejam como consequência a exclusão do dolo e, por
conseguinte, a do próprio crime.

10) (CESPE 2011 - STM) Na ocorrência de erro de proibição inevitável, deste deve-se excluir a
culpabilidade, em razão da falta de potencial consciência da ilicitude, e, na ocorrência de erro
evitável, deve-se, obrigatoriamente, atenuar a pena.

51
11) (CESPE 2016 - TCE-PA) Com base no Código Penal e na jurisprudência dos tribunais
superiores, julgue o item a seguir, a respeito dos crimes contra a administração pública.

O agente público que ordena despesa sem o conhecimento de que tal despesa não era autorizada por
lei incide em erro de proibição.

12) (CESPE 2009 - SEJUS-ES) Suponha que um holandês, maior de 18 anos de idade, tenha
viajado para o Brasil para estudos e, por falta de conhecimento da legislação brasileira, tenha
acendido, em praça pública, um cigarro de maconha, acreditando ser permitido o seu
comportamento. Nessa situação, se flagrado pela polícia, o estrangeiro terá excluída a culpabilidade
de sua conduta por erro de proibição.

13) (CESPE 2009 - DPE-ES) Considere a seguinte situação hipotética. Alberto, pretendendo matar
Bruno, desferiu contra este um disparo de arma de fogo, atingindo-o em região letal. Bruno foi
imediatamente socorrido e levado ao hospital. No segundo dia de internação, Bruno morreu
queimado em decorrência de um incêndio que assolou o nosocômio. Nessa situação, ocorreu uma
causa relativamente independente, de forma que Alberto deve responder somente pelos atos
praticados antes do desastre ocorrido, ou seja, lesão corporal.

14) (CESPE 2015 - AGU) A legítima defesa é causa de exclusão da ilicitude da conduta, mas não é
aplicável caso o agente tenha tido a possibilidade de fugir da agressão injusta e tenha optado
livremente pelo seu enfrentamento.

15) (CESPE 2015 - TCU) No que diz respeito às causas de exclusão da ilicitude, é possível alegar
legítima defesa contra quem pratica conduta acobertada por uma dirimente de culpabilidade, como,
por exemplo, coação moral irresistível.

16) (CESPE 2013 - PC-BA) No concurso de pessoas, a caracterização da coautoria fica


condicionada, entre outros requisitos, ao prévio ajuste entre os agentes e à necessidade da prática de
idêntico ato executivo e crime.

17) (CESPE 2014 - CÂMARA) Agirá em estado de necessidade o motorista imprudente que, após
abalroar um veículo de passageiros, causando-lhes ferimentos, fugir do local sem prestar socorro,
para evitar perigo real de agressões que possam ser perpetradas pelas vítimas.

18) (CESPE 2014 - CÂMARA) Se a soma das penas privativas de liberdade impostas a
determinado indivíduo for igual a sessenta e cinco anos, dever-se-á considerar o limite máximo de
trinta anos imposto pelo artigo 75 do CP, como base para aferição do requisito objetivo da
concessão de livramento condicional.

5.4 Lei nº 4.898/1965 (Abuso de autoridade)

19) (CESPE 2014 - CÂMARA) Em razão do patamar das penas cominadas na Lei de Abuso de
Autoridade, não é possível a suspensão condicional da pena aplicada devido à prática de delito de
abuso de autoridade.

20) (CESPE 2014 - CÂMARA) No que se refere ao crime de abuso de autoridade, admitem-se as
modalidades dolosa e culposa.

52
21) (CESPE 2013 - SEGESP-AL) O ato lesivo ao patrimônio de pessoa jurídica, quando praticado
com abuso ou desvio de poder ou sem competência legal, constitui abuso de autoridade.

22) (CESPE 2015 - DEPEN) Nos crimes de abuso de autoridade, a ação é pública condicionada à
representação da vítima, pois a falta dessa representação impede a iniciativa do Ministério Público.

23) (CESPE 2009 - PC-ES) A ação penal por crime de abuso de autoridade é pública condicionada à
representação do cidadão, titular do direito fundamental lesado.

24) (CESPE 2015 - AGU) De acordo com a legislação pertinente, a ação penal por crime de abuso
de autoridade é pública incondicionada, devendo o MP apresentar a denúncia no prazo de quarenta
e oito horas.

25) (CESPE 2014 - CÂMARA) A sanção penal, em abstrato, prevista para o crime de abuso de
autoridade consiste em multa, detenção ou perda de cargo e inabilitação para o exercício de função
pública.

26) (CESPE 2014 - CÂMARA) O agente que retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de
ofício para satisfazer a interesse ou sentimento pessoal cometerá o crime de abuso de autoridade.

27) (CESPE 2000 - PF) Falta legitimidade para o órgão ministerial ofertar a denúncia, ante a
ausência da representação do ofendido, prevista na Lei de Abuso de Autoridade.

28) (CESPE 2013 - DPE-RR) Os crimes de abuso de autoridade podem ser comissivos ou
omissivos.

29) (CESPE 2016 - PC-PE) Se uma autoridade policial determinar a seu subordinado que submeta
pessoa presa a constrangimento não autorizado por lei, e se esse subordinado cumprir a ordem
manifestamente ilegal, ambos responderão pelo crime de abuso de autoridade.

30) (CESPE 2015 - AGU) O crime de abuso de autoridade, em todas as suas modalidades, é
infração de menor potencial ofensivo, sujeitando-se seu autor às medidas despenalizadoras previstas
na lei que dispõe sobre os juizados especiais cíveis e criminais, desde que preenchidos os demais
requisitos legais.

53
GABARITO

LÍNGUA PORTUGUESA
01) C 11) E 21) C
02) E 12) C 22) C
03) E 13) C 23) E
04) C 14) E 24) C
05) E 15) C 25) C
06) C 16) E 26) C
07) E 17) E 27) C
08) C 18) C 28) E
09) E 19) E 29) E
10) C 20) C 30) E

ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA E LEGISLAÇÃO CORRELATA


01) E 11) C 21) C
02) C 12) E 22) E
03) E 13) E 23) C
04) E 14) E 24) E
05) C 15) C 25) E
06) E 16) E 26) C
07) C 17) E 27) C
08) C 18) E 28) E
09) C 19) C 29) C
10) E 20) C 30) E

DIREITO ADMINISTRATIVO
01) E 11) C 21) C
02) C 12) E 22) E
03) E 13) C 23) C
04) C 14) E 24) E
05) C 15) E 25) C
06) E 16) C 26) C
07) C 17) C 27) C
08) C 18) E 28) E
09) E 19) E 29) C
10) C 20) E 30) E

54
DIREITO CONSTITUCIONAL
01) C 11) C 21) E
02) C 12) C 22) C
03) C 13) C 23) E
04) C 14) E 24) E
05) E 15) E 25) C
06) C 16) E 26) E
07) C 17) E 27) C
08) C 18) E 28) E
09) C 19) E 29) C
10) C 20) C 30) E

LÍNGUA INGLESA E ESPANHOLA


01) C 11) E 21) E
02) E 12) C 22) E
03) C 13) E 23) C
04) E 14) E 24) C
05) C 15) C 25) E
06) C 16) E 26) E
07) E 17) E 27) C
08) E 18) E 28) E
09) E 19) E 29) E
10) C 20) E 30) E

RACIOCÍNIO LÓGICO
01) E 11) E 21) C
02) C 12) E 22) E
03) E 13) C 23) C
04) E 14) E 24) C
05) E 15) E 25) E
06) E 16) C 26) C
07) E 17) E 27) C
08) C 18) E 28) C
09) E 19) E 29) E
10) C 20) C 30) C

55
HISTÓRIA DO BRASIL
01) C 11) C 21) C
02) C 12) C 22) C
03) E 13) C 23) C
04) E 14) E 24) E
05) E 15) E 25) E
06) C 16) C 26) E
07) E 17) E 27) E
08) C 18) E 28) E
09) E 19) E 29) C
10) E 20) E 30) E

HISTÓRIA MUNDIAL
01) C 11) E 21) C
02) E 12) E 22) C
03) E 13) C 23) C
04) C 14) C 24) E
05) E 15) E 25) C
06) C 16) E 26) E
07) C 17) E 27) E
08) E 18) C 28) E
09) C 19) C 29) C
10) E 20) E 30) C

GEOGRAFIA DO BRASIL
01) C 11) E 21) C
02) E 12) E 22) C
03) E 13) C 23) C
04) E 14) E 24) E
05) C 15) E 25) C
06) C 16) C 26) C
07) E 17) E 27) E
08) C 18) E 28) C
09) E 19) E 29) C
10) C 20) E 30) C

56
GEOGRAFIA MUNDIAL
01) C 11) C 21) C
02) C 12) C 22) E
03) C 13) C 23) C
04) C 14) C 24) C
05) E 15) E 25) C
06) C 16) C 26) E
07) C 17) E 27) C
08) E 18) E 28) C
09) E 19) C 29) E
10) E 20) E 30) C

POLÍTICA E SEGURANÇA
01) E 11) C 21) C
02) E 12) C 22) E
03) C 13) C 23) E
04) E 14) C 24) C
05) E 15) E 25) E
06) C 16) E 26) E
07) E 17) C 27) E
08) E 18) C 28) E
09) E 19) C 29) E
10) E 20) C 30) E

DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO


01) E 11) E 21) C
02) C 12) C 22) E
03) C 13) C 23) C
04) E 14) E 24) E
05) C 15) C 25) E
06) C 16) C 26) C
07) E 17) E 27) E
08) C 18) C 28) C
09) E 19) C 29) E
10) E 20) C 30) C

57
DIREITO PENAL
01) C 11) E 21) C
02) C 12) E 22) E
03) E 13) E 23) E
04) C 14) E 24) C
05) C 15) C 25) C
06) E 16) E 26) E
07) C 17) C 27) E
08) E 18) E 28) C
09) E 19) E 29) E
10) C 20) E 30) C

58