Você está na página 1de 47

CONCEPÇÃO DE

PROJETOS
ESTRUTURAIS PARA
ARQUITETURA
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
FACULDADE DE ARQUITETURA

CONCEPÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS


PARA ARQUITETURA

DEISE LIMA DA SILVA


EVÂNIO CECÍLIO JESUS MIRANDA
VIVIANE SANTANA REBOUÇAS

SALVADOR, JANEIRO DE 2018.


CONCEPÇÃO
ESTRUTURAL PARA
TELHADOS DE
MADEIRA
TIPOS DE MADEIRA
1

Catálogo Ilustrativo para Pré-dimensionamento


Estrutura e Madeira
2
COMPOSIÇÃO DE UM TELHADO
DE ESTRUTURA DE MADEIRA E
TELHA CERÂMICA
ANOTAÇÕES
3
FORNECEDORES
4
AQUISIÇÃO EM AMBIENTE VIRTUAS

ENDEREÇOS WEB:
http://www.fibramadeiras.com.br/?p=telhados
http://www.eb/portugues/telhas-ceramicas/telha-romana
http://construcao.dicasenovidades.com.br/projetos/constr
ucao/madeiras-para-telhados-2014
ESTRUTURA DA MADEIRA
5
Propriedades:

Anisotropia: Devido à orientação


das células (fibras), a madeira é
um material anisotrópico, ou seja,
não possui as mesmas
características nas três direções
principais de aplicação do esforço.

Umidade: A umidade da madeira


tem grande importância sobre as
suas propriedades. O grau de
umidade é o peso de água contido
na madeira expresso como uma
porcentagem do peso da madeira
seca em estufa.

A umidade está presente na


madeira de duas formas:
• Água no interior da cavidade das
células ocas (fibras)
• Água absorvida nas paredes das
fibras
Quando a madeira é posta a secar,
evapora-se a água contida nas
células ocas, atingindo-se o ponto
de saturação das fibras, no qual as
paredes da célula ainda estão
saturadas, porém a água no seu
interior já evaporou. Esse ponto
corresponde ao grau de umidade de
cerca de 30%
PRÉ-DIMENCIONAMENTO
6
Estruturas de Madeira

Tipos de deformações características as peças de madeira:


• Flexão simples;
• Flexão composta;
• Flexão Oblíqua;
7
CARGAS NO TELHADO
CARGA E INCLINAÇÃO
8
CARGAS NO TELHADO
9
CARGAS NO TELHADO
10
• CARGAS NO TELHADO
3
Carga por Metro Linear de
Ripa
11
Verificação da Flecha
12
Verificação de Caibros

Carga por metro linear de


caibro
11
Esforços solicitantes e
Verificações
12
13
Verificação das Terças
14
Esforços Solicitante
15
Verificação
16
17
Esforços na Tesoura
18
Esforços na Tesoura
19
• Verificação das Dimensões
20
1. Distancia entre as ripas depende
do tipo de telha adotada, que é
padronizada ao longo do telhado
através da galga.

2. Calcula-se a tensão para seção;


𝑀𝑦 𝑀
τ= =
𝑤 𝑤
Tensão
𝑏.ℎ²
w=
6
Momento
𝑃.𝐿²
M= 8

Para pré-dimensionamento
τ ≤ τ adm
𝑀 𝑏.ℎ² τ adm
≥ τ adm ≥
𝑤 6 𝑀𝑤
Dimensão das Peças de Madeira
22
CÁLCULO – PASSO A PASSO
23
1. RIPAS:

ÁREA DE INFLUÊNCIA
DOS CAIBROS

2. CAIBROS:
τ

ÁREA DE INFLUÊNCIA
DA RIPAS
NORMATIZAÇÃO - NBR
24
• NBR 7190 – PROJETO DE ESTRUTURAS DE
MADEIRA - 1997

• NBR 159301 –PROJETO DE ESTRUTURAS DE


MADEIRA
Estrutura de telhado
25
Os caibros trabalham juntos
com as terças, elas evita a
sua flexão
Telhas Cerâmica
26

"A" - Comprimento horizontal de Pano


"I" - Inclinação a ser usada
"B" - Comprimento inclinado do Pano ou "Faixa"
"C" - Largura do Pano ou "Fiada""
"F" - Fator de inclinação
Obs.: Nas medidas "A" e "C" devem ser incluídos os
beirais (se existirem).
Método Exato para calcular quantidade de telhas
Calculando o comprimento inclinado B = A x F
(fator correspondente à inclinação)
Cálculo da Faixa
Faixa = B/comprimento útil da telha
Faixa = B/32 cm
Cálculo da Fiada
Fiada = C/largura útil da telha
Fiada = C/30 cm
Quantidade de telhas do Pano
Faixa x Fiada
BIBLIOGRÁFIA
27
• Moliterno Antônio, Caderno de Projetos de
Telhados em Madeira
CONCEPÇÃO
ESTRUTURAL PARA
MEZANINO EM AÇO
MEZANINO
28
• Mezanino, para efeito das disposições do COE
(Código de Obras e Edificações), é o
pavimento intermediário entre dois andares,
que pode ocupar área máxima entre (um
terço) e ½ (metade) da área do piso da loja,
dependendo da legislação vigente de cada
Município. O mezanino não é considerado na
área total da edificação.
• A leveza do material, a velocidade de
execução (dependendo do tamanho da obra,
os mezaninos podem ser montados em uma
semana) e a limpeza que confere à obra estão
entre as principais vantagens para utilização
do aço em mezaninos, em detrimento de
outros materiais como concreto e madeira.

Montagem de um mezanino
Fonte: http://fullestruturas.com.br/mezanino-metalico-em-polo-industrial-camacari/
Orientações gerais
29
• As peças gráficas do projeto estrutural devem
apresentar:

• a)Plantas, cortes e detalhes da estrutura em


escala adequada.
• b)Nos detalhamentos devem ser indicadas as
respectivas unidades de medida;
• c)Especificação e quantitativos dos materiais
utilizados;
• d)Informações necessárias para o Projeto de
Fundação e/ou de Estrutura de
• apoio;

O desenvolvimento do projeto estrutural


deverá obedecer às prescrições da NBR 8800,
Projeto de estruturas de aço e de estruturas
mistas de aço e concreto de edifícios.
Qualidade e Durabilidade
30
• A norma NBR 8800:2007 salienta que
independente da estrutura projetada, seja
alcançada a vida útil prevista, para o
ambiente existente, com a manutenção
preventiva especificada, dentro das condições
de carregamento impostas.
• É muito importante identificar o grau de
agressividade do ambiente, onde a estrutura
será implantada, afim de se definir o sistema
de proteção à corrosão do aço,
principalmente caso as mesmas vão ficar
aparente, afim de garantir uma durabilidade
de longo tempo.

Para atender a essas exigências de norma, o projeto


estrutural deverá prever:
- escolha correta do tipo de ambiente e seu grau de
agressividade ( Anexo U da NBR 8800:2007);
- intenção de vida útil da estrutura projetada;
- escolha do tipo de proteção mais adequado.
Materiais
31
• O projeto deverá ter indicações explicitas dos
materiais adotados:
As ligações mais empregadas
para estrutura de mezanino são as
- Tipos de aço com seus limites de ligações soldadas. Qualquer um
escoamento e de ruptura mínimos; dos métodos apresentados pode
- Tipos de parafusos; ser executado através de

- Tipos de eletrodo para solda. conexões flexíveis ou rígidas.


Recomenda-se, nas ligações
- Tipos de laje
parafusadas, a utilização de
- Tipos de conectores
parafusos de alta resistência
mecânica ASTM A325 Tipo 1,
para os elementos principais, e
parafusos de baixa resistência
mecânica ASTM A307, para
elementos secundários.

Ex: parafusos de alta


resistência mecânica
ASTM A325 Tipo 1
Ex: eletrodo
revestido E 70XX
Ex: placa OSB, madeira e
placa cimentícia
Cargas atuantes
32
• As cargas atuantes em uma edificação são
normalmente definidas com base em normas
técnicas. Essas normas fixam as condições
para determinação dos valores das cargas que
devem ser consideradas no projeto das
estruturas para qualquer que seja o destino,
salvo os casos previstos em normas especiais.
Nelas, as cargas são classificadas em
permanentes e acidentais.
• As cargas permanentes: peso próprio de
todos os elementos da construção
permanentemente suportados pela estrutura,
como pisos, paredes fixas, estrutura
propriamente, forros, escadas,
revestimentos, acabamentos, elementos fixos
e instalações.
• Cargas acidentais: todas aquelas que atuam
sobre a edificação em função de seu uso,
estipuladas para cada fim de utilização, que
consideram normalmente o peso das pessoas,
objetos e materiais estocados.
Cargas atuantes
33
• Em edificações onde é permitida a construção de
mezaninos em seus pavimentos, as cargas
oriundas destes são consideradas como carga de
utilização, ou seja, fazem parte da parcela de
cargas acidentais previstas no projeto das
estruturas que irão recebê-los.
• Nesse contexto, a escolha dos materiais que
compõem o mezanino é de grande importância,
pois eles influenciam não só o dimensionamento
dos elementos estruturais do mezanino como
definem também o limite das cargas de
utilização no plano do mezanino. Estas, somadas
ao peso próprio de todos os elementos, não
poderão ultrapassar os limites estabelecidos no
projeto da edificação.
• Devem-se utilizar as seguintes normas para
dimensionamento desse tipo de estrutura:
• NBR 6120/80 – Cargas para o Cálculo de
Estruturas
• NBR 8800/08 – Projeto e Execução de Estruturas
de Aço em Edifícios (Métodos dos Estados-Limite)
• NBR 14432/00 – Exigências de Resistência ao
Fogo de Elementos Construtivos de Edificações
Projeto Estrutural
34
• O projeto estrutural deverá conter os
seguintes elementos:
• • Locação dos pilares e quadro de cargas nas
bases
• • Planta e cortes com indicação de todos os
elementos e perfis que compõem a estrutura
• • Detalhes de todas as ligações
• • Detalhes da escada, guarda-corpo e
corrimão
• • Memória de cálculo
• • ART do engenheiro responsável pelo projeto
Modulação e Arranjo
35
• As estruturas podem ter diversas
configurações, de acordo com as dimensões
do mezanino. Para evitar desperdícios,
sugerimos condicionar a modulação da
estrutura ao sistema de piso adotado.
• A fabricante Gerdau nos fornece um exemplo
de modulação para o caso do painel tipo
“wall” bem como um exemplo de aplicação,
vejamos:
• Segundo a fabricante a instalação deverá
obedecer a disposição demonstrada na Figura
1, com apoios a cada 1,25 m para suportar
cargas distribuídas de até 500 kgf/m² (em
função da carga máxima do painel tipo "wall")
conforme apresentado na Figura 2.
Modulação e Arranjo
36

Exemplo GERDAU

Exemplo GERDAU
Exemplo de Aplicação
38
• Considere-se como exemplo uma loja satélite
de 10,80 x 5,00 m e área máxima do
mezanino igual a (um terço) da área do piso
da loja, sendo a carga máxima prevista para o
mezanino de 250 kg/m². Dimensionamento:
Área do mezanino: A = 10,80 x 5,00 = 54,00
m² x 1/3 = 18,00 m², conforme apresentado
na Figura 3.

Cargas permanentes do mezanino:


• Peso próprio estimado para a estrutura:
~ 35 kgf/m²
• Painel tipo “wall”: ~ 33,50 kgf/m²
• Forro: ~ 10 kgf/m²
• Total: ~ 78,50 kgf/m² Sobrecarga de
utilização = 250 – 78,50 = 171,50 kgf/m²

Exemplo GERDAU
Exemplo de Aplicação
39
• Não são permitidas aberturas, rasgos ou
furações na laje do piso da loja. O ideal é que
as colunas que suportam a estrutura do
mezanino faceiem as colunas de concreto ou
aço da estrutura da edificação.

Deslocamento vertical máximo: L/350


(CP+CA)

Os pilares (colunas) deverão apoiar-se


na laje sobre bases metálicas com
espessura de ½ polegada (mínimo) e
dimensões mínimas de 0,3 m x 0,3 m.
Condições de Travamento
40
• O piso utilizado no mezanino
pode não servir como travamento
da estrutura metálica, a
depender do tipo de fixação.
• Dessa maneira, será necessária a
utilização de sistema especial de
travamento para garantir a
estabilidade da estrutura.
• O travamento mais comum é
feito através de diagonais ligadas
no nível da aba superior e num
ponto fixo da estrutura (topo das
colunas). Para maior controle dos
deslocamentos horizontais da
estrutura, adotam-se sistemas
em quadros rígidos (deslocáveis)
para as estruturas dos
mezaninos, porém poderá haver
também a necessidade de
utilização de contraventamentos
verticais.

Exemplo fixação painel Mad Wall


Escada e guarda-corpo
41
• É importante fazer a análise estrutural também dos
elementos que compõem o mezanino indiretamente que são
as escadas e guarda-corpo.
• As escadas de acesso ao mezanino, quando feitas em lances
retos, deverão ter largura mínima de 0,80 m, e, quando em
caracol, um diâmetro externo mínimo de 1,20 m, prevendo-
se em qualquer tipo de escada um corrimão com altura
mínima de 0,90 m. O guarda-corpo a ser utilizado nas faces
abertas para o pavimento abaixo deve ter altura mínima de
0,90 m. e em condições recomendadas pelas normas de
modo a garantir a segurança dos usuários.

Exemplo Portal Metálica


Bibliografia Consultada

• https://www.rinoswoodworking.com/blog/ex
otic-hardwood-lumber-ohio/

• http://www.metalica.com.br/pg_dinamica/bi
n/pg_dinamica.php?id_pag=740
• http://ifc.edu.br/wp-
content/uploads/2014/05/Instru%C3%A7%C3%
A3o-Normativa-Projeto-Estrutural.pdf
• https://www.gerdau.com/br/pt/productsserv
ices/products/Document%20Gallery/artigo-
mezanino.pdf
• http://wwwo.metalica.com.br/mezaninos-
em-estrutura-metalica